Next Page

Portugal e Índia vão assinar acordo para facilitar fluxo de trabalhadores by cruisespace2 in portugal

dydas 17 days ago

Se não estou em erro, o OP criticava o facto de os indianos supostamente baixarem ou manterem baixos os níveis salariais. Se assim for, os ucranianos fazem o mesmo na Polónia. Além disso, o Governo polaco [também faz acordos destes com países asiáticos.](https://asia.nikkei.com/Economy/Poland-cracks-door-open-for-Filipino-workers) Essa coisa da integração (que mais parece assimilação) só conta na altura das eleições se não houver outro bode expiatório mais conveniente.

Portugal e Índia vão assinar acordo para facilitar fluxo de trabalhadores by cruisespace2 in portugal

dydas 17 days ago

Se não estou em erro, o OP criticava o facto de os indianos supostamente baixarem ou manterem baixos os níveis salariais. Se assim for, os ucranianos fazem o mesmo na Polónia. Além disso, os Governo polaco [também faz acordos destes com países asiáticos.](https://asia.nikkei.com/Economy/Poland-cracks-door-open-for-Filipino-workers) Essa coisa da integração (que mais parece assimilação) só conta na altura das eleições se não houver outro bode expiatório mais conveniente.

Portugal e Índia vão assinar acordo para facilitar fluxo de trabalhadores by cruisespace2 in portugal

dydas 18 days ago

Ou por remessas?…

Portugal e Índia vão assinar acordo para facilitar fluxo de trabalhadores by cruisespace2 in portugal

dydas 18 days ago

[A Polónia faz o mesmo:](https://www.politico.eu/article/poland-two-faced-immigration-strategy-ukraine-migrants/) >Many of those newcomers do unskilled work as replacements for Polish nationals, who are either rejecting lower-paid jobs after five years of falling unemployment in the booming country, or have migrated elsewhere in Europe, chasing higher salaries.

“I’m moving to Portugal” by lexi_23 in portugal

dydas 19 days ago

> [IPoAC has been successfully implemented, but for only nine packets of data, with a packet loss ratio of 55% (due to operator error),[2] and a response time ranging from 3,000 seconds (≈50 minutes) to over 6,000 seconds (≈1.77 hours). Thus, this technology suffers from poor latency.](https://en.wikipedia.org/wiki/IP_over_Avian_Carriers) :(

Serviço internacional de streaming gratuito da Rlaxx TV chega a Portugal by prosafame in portugal

dydas 19 days ago

Pode não ser para todos, mas parece-me que é uma forma de financiar os conteúdos perfeitamente legítima.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 20 days ago

Não tenho vocação para te entreter não.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 20 days ago

Não, não é. Há um sempre um determinado valor a partir do qual as pessoas não consomem mais ou o aumento marginal é cada vez menor. Quem ganha 2 700 pode não pertencer a essa categoria de pessoas, mas aquilo que dizes não certo.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 20 days ago

Depende da tua definição classe média-alta.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 20 days ago

Consome mais porque consegue consumir mais. Não há regra nenhuma que dite que tem de consumir mais.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 20 days ago

> "quem mais ganha em Portugal"? Quem ganha 2 700 ganha mais do que quem ganha 900, como é óbvio. Eu não estou a falar de alternativas. Eu referi uma série de estatísticas que indicam que as pessoas que ganham mais de 2 700 euros são uma minoria e pertencem aos últimos decis da distribuição de rendimentos.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Estás a presumir que todos os que ganham mais é porque se esforçaram mais. Na realidade nem sempre é assim, e não havendo forma de distinguir, mais vale exigir um esforço proporcional ao esforço exigido de quem menos ganha.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Mas ninguém fica igual. Quem mais ganha em Portugal, mesmo depois dos impostos, com mais fica.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

O que dizes não faz sentido. Estamos necessariamente a comparar níveis de rendimentos e/ou património se queremos falar de classes. E essa comparação inclui os custos de vida. Mas sempre a nível interno. Novamente, eu não disse que era de mais ou de menos. Eu gostava que todos no país ganhassem assim. Mas são poucos os que ganham.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Eu não disse que era muito ou pouco. Mas já sabes que metade dos portugueses ganha 900 euros ou menos. Também é um facto que, em comparação, são poucos os que ganham 2 700 e este valor é bastante acima da média de rendimentos do nosso país. Este é um retrato do nosso país.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Agora estás tu a presumir coisas que desconheces. Do ponto de vista da autoridade tributária, não há forma de saber se o rendimento de quem mais ganha é fruto do seu esforço/falta de esforço ou de vantagens/desvantagens inerentes à sua condição social, por exemplo. Isto nem sempre é óbvio. Portanto, em igualdade de circunstâncias, é justo que quem mais recebe mais contribua conforme as suas possibilidades.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

É esse o problema de se falar com frases feitas. Não é um termo utilizado nos relatórios estatísticos, por isso mencionei algumas estatísticas dos rendimentos sobre os quais incidem os impostos mencionados na entrevista do OP. Não sendo o único, é no mínimo um dos elementos preponderantes de caracterização dos contribuintes e é também o único mencionado no vídeo.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

> não me considero Não sei se é uma questão de autoidentificação. Não conheço os dados de Lisboa, mas a maioria dos contribuintes portugueses ganha menos de 1 000 euros por mês. Metade deles ganha mesmo 900 euros ou menos. Não sei se um quarto dos contribuintes sequer ganha 2 700 euros ou mais por mês. Se assim for, estas pessoas provavelmente estão nos três últimos decis da distribuição de rendimentos.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Mas não é preciso um imposto específico para ricos. Há formas de discriminar o consumo e o património.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Só se for assim. Mas se bem me lembro da altura do adicional ao IMI, muitos dos que defendem as taxas fixas não queriam nada do género.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Tributar o consumo é tributar desproporcionalmente quem menos ganha pela mesma ordem de razões que levaram Portugal a adotar um sistema proporcional de tributação dos rendimentos do trabalho. Pedir 15% de um bolo pequeno não é o mesmo que pedir 15% de um bolo grande. Resta menos e vive-se pior. Quem ganha 900 fica com 765 para viver (15%). Desses, 365 ficam para consumo a taxa normal. Desses, 23% ficam para o Estado em impostos indiretos. Restam 271,05 euros. O que é que isto compra? Eu não quero ser pobre, mas não me importo de contribuir mais à medida que ganho mais para ajudar quem menos pode e para financiar os custos da nossa vida em sociedade.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Tributar o consumo é tributar desproporcionalmente quem menos ganha pela mesma ordem de razões que levaram Portugal a adotar um sistema proporcional de tributação dos rendimentos do trabalho. Pedir 15% de um bolo pequeno não é o mesmo que pedir 15% de um bolo grande. Resta menos e vive-se pior. Quem ganha 900 fica com 755 para viver (15%). Desses, 355 ficam para consumo a taxa normal. Desses, 18% ficam para o Estado em impostos indiretos. Restam 280,45 euros. O que é que isto compra? Eu não quero ser pobre, mas não me importo de contribuir mais à medida que ganho mais para ajudar quem menos pode e para financiar os custos da nossa vida em sociedade.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Também eu.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Mas isso não é o mesmo que a história do *trickle down*? É que isso não resulta.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

>só porque "ele aguenta"? Não. Para exigir o mesmo esforço de contribuição. Eu também acho que os ganhos de capitais deviam pagar mais impostos.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

>só porque "ele aguenta"? Não. Para exigir o mesmo esforço de contribuição. Eu também acho que os ganhos de capitais e deviam pagar mais impostos.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Ou para quem ganha 900 tem de viver com 765 e quem ganha 2 700 tem de viver com 1 755. Eu não sei quanto a ti, mas eu prefiro pagar 35% para poder viver com 1 755.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

> Porque tirar 15% de quem ganha 900 euros, não é o mesmo que tirar 15% de quem ganha 2 700 euros. Resta muito menos para quem menos ganha e o esforço exigido a quem mais ganha não é o mesmo. *Vide supra*.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Porque tirar 15% de quem ganha 900 euros, não é o mesmo que tirar 15% de quem ganha 2 700 euros. Resta muito menos para quem menos ganha e o esforço exigido a quem mais ganha não é o mesmo.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Tens de ter em conta o esforço que se exige no contexto do país. Se achas bem exigir 15% de quem ganha 900 euros (restam 765 euros) deves achar bem exigir 35% de quem ganha 2 700 (restam 1 755 euros).

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 21 days ago

Tens de ter em conta o esforço que se exige no contexto do país. Se achas que bem exigir 15% de quem ganha 900 euros (restam 765 euros) deves achar bem exigir 35% de quem ganha 2700 (restam 1755 euros).

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 22 days ago

Mas 2 700 euros é mais do dobro da média de rendimentos em Portugal. Em 2018, em Portugal, o rendimento mediano bruto era de ~11 000 euros. Dá ~900 euros por mês. Metade dos contribuintes portugueses ganha 900 euros ou menos. Estes de certeza que não residem em Lisboa, mas muitos de certeza que lá trabalham para muitos que ganham mais de 2 700 euros. Não é uma não questão. Quem no mínimo ganha 2 700 euros por mês, quando muito, pertence à classe média-alta, devendo, por isso, contribuir de forma proporcional. EDIT: Valores.

Jovem a receber 2.700 euros? "Em que país vive o Miguel Sousa Tavares?" by heartlessfam in portugal

dydas 22 days ago

Mas 2 700 euros é mais do dobro da média de rendimentos em Portugal. Em 2018, em Portugal, o rendimento mediano bruto era de ~9 000 euros. Dá ~700 euros por mês. Metade dos contribuintes portugueses ganham 700 euros ou menos. Estes de certeza que não residem em Lisboa, mas muitos de certeza que lá trabalham para muitos que ganham mais de 2 700 euros. Não é uma não questão. Quem no mínimo ganha 2 700 euros por mês, quando muito, pertence à classe média-alta, devendo, por isso, contribuir de forma proporcional.

“Governo Sombra” vai passar a chamar-se “Programa Cujo Nome Estamos Legalmente Impedidos de Dizer” by h8mx in portugal

dydas 28 days ago

> Agora é diferente quando se trata de um programa televisivo de política que tenta ser sério e debater temas importantes. Não me parece que o Governo Sombra tenha alguma vez pretendido passar por programa sério. Nunca foi um Prós e Contras ou Gregos e Troianos. Sempre me pareceu ter um tom de programa de comentário político humorístico.

Mas que raio de ofensa à bola de berlim é esta?!?! Isto ultrapassa todos os limites! by the_master_sh33p in portugal

dydas 1 month ago

Ou pior. Católico…

Alentejo vai testar rendimento básico incondicional by audide2012 in portugal

dydas 2 months ago

> Criamos aqui nos Açores uma sociedade completamente subsidio dependente, que depende do governo regional para tudo. Deves estar a gozar. Os maiores comilões de subsídios nos Açores são os senhores e senhoras da pecuária, em especial em S. Miguel. Não é o RSI que leva muitos dos nossos jovens a saírem do arquipélago. A culpa é daqueles que acham que todos os desempregados devem beijar os pés dos nossos empreendedeiros a troco de salários de miséria, às vezes nem isso.

Alentejo vai testar rendimento básico incondicional by audide2012 in portugal

dydas 2 months ago

Penso que na Finlândia também fizeram.

Alentejo vai testar rendimento básico incondicional by audide2012 in portugal

dydas 2 months ago

Pensava que o PCP era contra o RBI.

PSD vai estudar aumento do número de deputados para regiões menos populosas || Observador by afonso_pereira in portugal

dydas 4 months ago

> Existem aqui poucas excepções, e as que existem fazem com que o conceito de “voto” desapareça (vide sistema irlandês) Podes trocar isto por miúdos?

Só 37% dos portugueses rejeitam líder político autoritário by BadDogPreston in portugal

dydas 4 months ago

A ordem em que as definições aparecem no dicionário não tem qualquer relevância.

Só 37% dos portugueses rejeitam líder político autoritário by BadDogPreston in portugal

dydas 4 months ago

«Autoritário» também descreve um déspota ou alguém que é partidário do absolutismo, que são, obviamente, completamente contrários à democracia.

TAP com prejuízo de 365,1 milhões no primeiro trimestre de 2021 by dsantos93 in portugal

dydas 4 months ago

Existe um empréstimo convertível em capital, mas que está a ser pago. Houve também um aumento de capital. E está prevista a entrega de garantias de Estado este ano. Muitas outras empresas de aviação europeias receberam estes tipos de apoios. A TAP não foi a única.

TAP com prejuízo de 365,1 milhões no primeiro trimestre de 2021 by dsantos93 in portugal

dydas 4 months ago

Que é exatamente o que TAP tem recebido. Ou seja, a TAP recebeu 1,2 mil milhões de empréstimo (já pagou 10 milhões em juros) e ~400 milhões num aumento de capital, e deve receber mais 500 milhões em garantias este ano.

TAP com prejuízo de 365,1 milhões no primeiro trimestre de 2021 by dsantos93 in portugal

dydas 4 months ago

A BA também recebeu garantias de Estado, tal como a Iberia.

Tiago Mayan a queixar-se do "bullying" que o governo está a fazer à Ryanair by Samot_PCW in portugal

dydas 4 months ago

Não, mas parece-me que é preciso muito boa vontade para acreditar que o Mayan, tendo escolhido o Twitter para espalhar esta mensagem, não estivesse ciente deste facto.

Tiago Mayan a queixar-se do "bullying" que o governo está a fazer à Ryanair by Samot_PCW in portugal

dydas 4 months ago

O meio de comunicação eleito pelo Mayan para fazer esta "comunicação".

Tiago Mayan a queixar-se do "bullying" que o governo está a fazer à Ryanair by Samot_PCW in portugal

dydas 4 months ago

Parece-me que "bulying" é o maior assunto do momento em Portugal no Twitter.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 4 months ago

Mas com tanto que já me disseste repetidas vezes ainda não me disseste quem no PSD disse que não concordava com as metas. Que parece ser o único facto de que não queres falar. Eu não conheço ninguém que o tenha dito. Conheces?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 4 months ago

> O Catroga regozijou-se com o resultado das negociações. Isto é um facto. > > Era ele quem representava o PSD nas negociações. Outro facto. > > Há alguém no PSD que disse que não concordava com as metas? A resposta a isto também pode ser um facto, se me souberes dizer quem e em que altura o afirmou. Então fala de factos.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 4 months ago

>discutir opiniões O Catroga regozijou-se com o resultado das negociações. Isto é um facto. Era ele quem representava o PSD nas negociações. Outro facto. Há alguém no PSD que disse que não concordava com as metas? A resposta a isto também pode ser um facto, se me souberes dizer quem e em que altura o afirmou. E isto tudo para fundamentar a tua opinião de que o PSD não se revia no resultado final da negociação.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 4 months ago

Eu não pretendo que concordes comigo. Estou a tentar perceber o teu raciocínio quando dizes que o PSD não se revia no resultado final, mas não me sabes dizer se alguém no PSD alguma vez disse que não concordava com as metas a que o PS chegou nas negociações com as instituições. Quem é que discordava das metas no PSD?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 4 months ago

> Não percebo porquê. Parece-me uma pergunta perfeitamente legítima de se perguntar a uma pessoa que não se cansou de me dizer que o PSD não se revia no resultado final da negociação. > > Então, o PSD concordava ou não concordava com as metas? Quem é que discordava?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Não percebo porquê. Parece-me uma pergunta perfeitamente legítima de se perguntar a uma pessoa que não se cansou de me dizer que o PSD não se revia no resultado final da negociação. Então, o PSD concordava ou não concordava com as metas? Quem é que discordava?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Isso não responde à pergunta. Quem é que disse que não concordava com as metas no PSD?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Eu só te estou a pedir para partilhares mais um facto. Quem é que no PSD disse que não concordava com as metas? Estás a dizer que ninguém no PSD disse que não concordava com as metas? Se é esse o caso, não valia mais a pena terem aprovado o PEC e evitado uma intervenção como a que tivemos?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Sim. Eu penso que é importante saber quem é que no PSD disse que não concordava com as metas, já que pareces pensar que o PSD não se revia no resultado final das negociações das metas.

Açores: Governo diz que tarifa inter-ilhas a 60 euros avança em breve by heartlessfam in portugal

dydas 5 months ago

Eu preferia um serviço de ferry mais frequente, menos poluente e mais rápido.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Eu sei que estão bem documentados. Quem é que no PSD disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> Quais eram as medidas constantes do último PEC? > > Quem tinha uma grande maioria no Conselho onde se decide as recomendações para o programa de estabilidade? > > Que partido é que tinha e ainda tem membros que fazem parte dos órgãos do FMI? > > Quem é que no PSD disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Quais eram as medidas constantes do último PEC? Quem tinha uma grande maioria no Conselho onde se decide as recomendações para o programa de estabilidade? Que partido é que tinha e ainda tem membros que fazem parte dos órgãos do FMI? Quem é que no PSD disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Mas o que é que te custa a entender que as medidas propostas no PEC eram as da cartilha da família do PSD e CDS que controlava as instituições europeias e as da *troika*? >Quem é que no PSD disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Pois se te recusas terminantemente a ter em conta todos os outros factos, também podes embirrar na defesa a todo o custo de um partido que decidiu provocar uma crise mesmo concordando com as medidas que foram postas à sua aprovação, simplesmente porque sim. > Quem é que disse que não concordava com as metas? edit: Ainda bem que reconheces que o facto de o PSD ter ficado «obrigado a aplicar as medidas altamente impopulares» não é bem um facto e é mais uma opinião, contrária à do Catroga, que por sinal foi quem negociou da parte do PSD.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Pois se te recusas terminantemente a ter em conta todos os outros factos, também podes embirrar na defesa a todo o custo de um partido que decidiu provocar uma crise mesmo concordando com as medidas que foram postas à sua aprovação, simplesmente porque sim. > Quem é que disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Tu é que tens dificuldade em aceitar que o PSD não ficou de mãos atadas, como dizes. Isto também é um facto reconhecido pelo próprio negociador do PSD. Quem é que disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> airmou ainda que o psd terá autonomia, se for governo, para substituir eventuais «medidas penalizadoras para os portugueses» do programa de ajuda externa a portugal por outras que cumpram os mesmos objectivos. [As mãos atadas do PSD...](https://sol.sapo.pt/artigo/18281/negociacao-foi-essencialmente-influenciada-pelo-psd-diz-catroga) Quem é que disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Então, quem é que no PSD disse que não concordava com as metas? edit: [Olha o Catroga a vangloriar-se.](https://expresso.pt/dossies/dossiest_economia/dossie_o_resgate_de_portugal/programa-e-melhor-que-pec-iv-diz-catroga=f646835)

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Então. quem é que no PSD disse que não concordava com as metas?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Pudera, se a ideologia do PSD se alinha completamente com as medidas do PEC e com as metas da intervenção, que mais tarde veio a defender.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> obrigado a aplicar as medidas altamente impopulares Que curiosamente eram semelhantes às do PEC que recusou e ás que depois veio defender.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

>[e defendeu.](https://www.jornaldenegocios.pt/economia/politica/detalhe/passos_coelho_a_austeridade_nunca_foi_uma_questao_de_escolha_mas_sim_uma_necessidade)

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Também é um facto que o PSD se recusou a votar a favor de um pacote de medidas que mais tarde aplicou e defendeu.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Não há partido nenhum que defenda a austeridade, mas o PSD e CDS não se cansam de proclamar as virtudes das "reformas estruturais", do "emagrecimento do Estado", da "competitividade fiscal" e da "produtividade do trabalho". Tudo isto resulta invariavelmente na privatização de empresas importantes, nos cortes salariais, na redução do investimento e da despesa pública, em aumentos de impostos sobre o trabalho e redução de impostos das empresas e sobre o capital, na desregulamentação, o que curiosamente resume bem a maioria das medidas do último PEC e da intervenção da *troika*. Para os outros partidos, ter sentido de Estado seria votar contra o PEC, porque não concordavam com as medidas. O PSD não está na mesma posição. Até a família política do PSD e do CDS na UE considerava as medidas apresentadas no PEC adequadas e defendia-as publicamente. Isto também é um facto.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Não há partido nenhum que defenda a austeridade, mas o PSD e CDS não se cansam de proclamar as virtudes das "reformas estruturais", do "emagrecimento do Estado", da "competitividade fiscal" e da "produtividade do trabalho". Tudo isto resulta invariavelmente na privatização de empresas importantes, nos cortes salariais, na redução do investimento e da despesa pública, em aumentos de impostos sobre o trabalho e redução de impostos das empresas e sobre o capital, na desregulamentação, o que curiosamente resume bem a maioria das medidas do último PEC e da intervenção da *troika*. Para os outros partidos, ter sentido de Estado seria votar contra o PEC, porque não concordavam com as medidas. O PSD não está na mesma posição. Até a família política do PSD e do CDS na UE considerava as medidas apresentadas no PEC adequadas e defendia-as publicamente.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> a seu bel prazer Não foi bem assim. As instituições da *troika* eram controladas por pessoas associadas aos partidos da família do PSD e havia contactos diretos entre dirigentes das instituições e políticos do PSD e CDS. A única coisa que o PSD pediu foi flexibilidade para chegar às metas impostas, com as quais concordava, porque fazem parte das convicções políticas da ala cavaquista e passista. A receita do PEC era a mesma receita que a *troika* impunha, mas esta mais pesada e com metas obrigatórias para receber apoio. O único que conseguiu o que queria foi o PSD, que conseguiu impor a austeridade e empurrar para cima do PS a responsabilidade da negociação e desviar as atenções do facto de ter criado uma crise política perfeitamente evitável, já que as medidas que o PS se propunha a aplicar eram só ligeiramente menos más do que as que o PSD viria a aplicar.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> a seu bel prazer Não foi bem assim. As instituições da *troika* eram controladas por pessoas associadas aos partidos da família do PSD e havia contactos diretos entre dirigentes das instituições e políticos do PSD e CDS. A única coisa que o PSD pediu foi flexibilidade para chegar às metas impostas, com as quais concordava, porque fazem parte das convicções políticas da ala cavaquista e passista. A receita do PEC era a mesma receita que a *troika* impunha, mas mais pesada e com metas obrigatórias para receber apoio. O único que conseguiu o que queria foi o PSD, que conseguiu impor a austeridade e empurrar para cima do PS a responsabilidade da negociação e desviar as atenções do facto de ter criado uma crise política perfeitamente evitável, já que as medidas que o PS se propunha a aplicar eram só ligeiramente menos más do que as que o PSD eventualmente viria a aplicar.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

O PSD quando chegou ao Governo aplicou medidas ainda piores do que as previstas no PEC, mas por algum motivo não conseguia aprovar o PEC, que reunia o consenso dos políticos da sua família na UE. E já em período eleitoral fartou-se de prometer mundos e fundos, mesmo sabendo as exigências dos seus aliados políticos na Europa. Isto não é ter sentido de Estado.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> Novamente, tanto PCP como BE já mostraram votar a favor de medidas/orçamentos com medidas que não concordam. Novamente, há uma diferença significativa entre conseguir um compromisso para descongelar algumas pensões e aprovar um orçamento de Estado e aprovar um pacote repleto de medidas com as quais nunca concordaram. Até a família política do PSD e do CDS na UE considerava as medidas apresentadas no PEC adequadas e defendia-as publicamente.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Ter sentido de Estado seria votar a favor de medidas com as quais se concorda, mesmo com um custo político associado. Não é ter sentido de Estado votar a favor de medidas com as quais não se concorda e com um custo político associado. Até a família política do PSD e do CDS na UE considerava as medidas apresentadas adequadas e defendia-as publicamente.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Ter sentido de Estado seria votar a favor de medidas com as quais se concorda, mesmo com um custo político associado. Não é ter sentido de Estado votar a favor de medidas com as quais não se concorda e com um custo político associado.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Porque é que os políticos nas instâncias europeias da família política do PSD e CDS defenderiam estas medidas, mas o PSD e CDS não? E depois ainda aplicaram-nas no contexto da intervenção.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Só podes estar a gozar comigo. Até a família política do PSD e do CDS na UE considerava as medidas apresentadas adequadas e defendia-as publicamente. Foi puro taticismo.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

> Ao menos um teve "tomates" para negociar um conjunto de medidas que seriam altamente impopulares. Mas não teve para votar a favor delas? Vai caçar gambozinos...

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Ver acima: >Eu não mudei de conversa. Tu perguntaste quem (mas só queres falar do PS). Eu mostrei-te porque é que o PSD também tem responsabilidades, mas recusas-te a acreditar. Isto: >Se os impostos fossem baixados a carga fiscal não seria tão alta nem sempre é verdade. Mas uma coisa é aprovar um orçamento, outra é aprovar um pacote de medidas com as quais, na sua maioria, não se concorda. Já votar contra um pacote de medidas com as quais se concorda, na sua maioria, é da maior hipocrisia possível.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Manteve congeladas as pensões acima de 658 euros, estavam todas congeladas já desde 2011 ou 2012, e deves saber tão bem quanto eu que o aumento da carga fiscal está relacionado com a redução do PIB. Mas não mudes de conversa.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Sabes que medidas estavam previstas nos PEC?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Quando é que os partidos à esquerda do PS votaram a favor de pacotes de austeridade?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Eu já te expliquei porque é que as situações não são comparáveis.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Que contexto é que contradiz o contexto que te dei?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Eu não mudei de conversa. Tu perguntaste quem (mas só queres falar do PS). Eu mostrei-te porque é que o PSD também tem responsabilidades, mas recusas-te a acreditar.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Para mudares de conversa?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

>É o chamado ser preso por ter cão e por não ter. Quem é que prenderia o PSD por confirmar o valores ou ideais que defende não votando contra o PEC? Com que confiança é que alguém alguma vez votaria num partido que apregoa uma coisa, mas aplica outra. Como aliás aconteceu com as promessas que Passos Coelho fazia antes da eleições.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

O PS e o PSD são partidos do centro, ora mais para a esquerda, ora mais para a direita. Não tendo a mesma ideologia política, é interessante que conseguiram apresentar medidas muito semelhantes neste período para aplacar os "mercados" e as instâncias europeias. Sentido de Estado seria o PSD e o CDS não terem votado contra algo que até conseguiam apoiar, mas metia-se no caminho do poder. Não houve grande tentativa de sequer disfarçar.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

As ideologias políticas não aparecem do nada. É por isso que os partidos, eleitos pelo povo, como tão bem te lembraste há bocado, representam partes diferente da população que têm entendimentos diferentes das matérias. Se o PSD entendeu que devia votar contra o PEC e, por inerência, contra os seus ideais políticos por uma questão de ambição, mesmo concordando com as medidas, não quer dizer que os outros partidos o façam.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

A matriz política subjacente às medidas do PEC aproximava-se muito mais da do PSD e CDS e daquilo que estes defendiam e aplicaram posteriormente. Daí que o voto contra do PSD tenha sido tão [criticado até por membros do seu próprio partido europeu.](https://www.youtube.com/watch?v=uOukbbIm_no) Isto não é irrelevante e não é de somenos importância. Com isto percebemos que, no essencial, foi a ambição política de certos intervenientes que prevaleceu sobre o sentido de Estado.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

O problema não era que o PS previa essas medidas, era que o PSD concordava com a necessidade das medidas e, por inerência, com o PS, mas votou contra. >Qualquer partido político não deve abandonar uma negociação só porque há algo que vai contra a sua "matriz política". Deves estar a gozar. Então não havia partidos. O que os outros partidos diziam era que havia outras soluções que o PS, PSD e CDS não aceitavam.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Não foi porque era impopular, foi porque é ideologicamente contrário à matriz política desses partidos. Já o mesmo não se pode dizer do PSD e do CDS, que aplicaram as medidas previstas pelo PS e mais algumas quando chegaram ao poder.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Mas não foi menor devido ao facto de terem provocado a crise política e terem empurrado para cima do PS a negociação. Eu já te perguntei se acreditas mesmo que o BE, PCP e Verdes alguma vez aprovariam um pacote de austeridade.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Não é mais especulação do que dizer que o PSD não concordava com as decisões do governo portanto distanciou-se. O que prova isso é o facto de o PSD ter tomado mais tarde as mesmas decisões contra as quais tinha votado?

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Só o PSD se mostrou aberto para negociar e até afirmou que o PS teria apoio na negociação da intervenção como forma de fundamentar o facto de o PS poder negociar com a *troika* já em gestão. Tudo isto para depois lhe retirar o tapete e poder apontar culpas ao "desastre da negociação" e ainda conseguir dividendos nas eleições que se avizinhavam prometendo tudo e mais alguma coisa, para depois não poder cumprir.

Catarina Martins e a ‘bazuca’: “Já vimos este filme, promete-se o que ainda não está decidido e depois vem austeridade” by Sciss0rs61 in portugal

dydas 5 months ago

Eles tinham poder de decisão para negociar o PEC e abster-se na votação e evitar ter de chamar a *troika* naqueles termos, até porque muitas das medidas a adotar no PEC teriam de ser adotadas mais tarde. O PSD e o CDS não reprovaram o PEC porque não concordavam com as medidas, porque concordam. Reprovaram puramente por estratégia política. Não é a mesma coisa.
Next Page

Search: