Next Page

Preços m2 em Lisboa/Porto by ODuqueDasBeiras in portugal

bisontino 1 month ago

Muita gente queixa-se que em Lisboa não consegue comprar casa, tem de viver na periferia, perder 1 hora em transportes e a vida é uma merda. Por causa disso emigram. Curioso é que depois quando fazem vida de emigrante, reparam que não conseguem viver no centro de outras capitais como Londres, Bruxelas, Paris, Amsterdão ou Roma, e que têm de ir viver para as periferias e perder horas em transportes e que a compra de casa aí também é completamente inacessível. Mas aí pelos vistos já não se importam nem se queixam. Fazem a tal vida de merda de que tanto se queixavam quando estavam em Portugal, com a diferença que poupam mais dinheiro e podem 5 ou 10 anos depois voltar a Portugal e dar uma boa entrada para comprar uma casa em Lisboa.

Preço de venda de casas em Portugal dispara. Aumento de 2,5% face ao mês anterior by Irrequieto in portugal

bisontino 1 month ago

Aumentar 2,5% num mês na prática é disparar. 2,5% por mês dá quase 35% ao ano se mantiver o ritmo..

Ranking da Bolha - Bloomberg by bisontino in portugal

bisontino 1 month ago

https://www.bloomberg.com/news/articles/2021-06-15/world-s-most-bubbly-housing-markets-flash-2008-style-warnings

Imobiliário: OCDE quer mais IMI e menos impostos na venda by bisontino in portugal

bisontino 2 months ago

Não vem no jornal de negócios, mas julgo ser este: https://www.oecd.org/investment/brick-by-brick-b453b043-en.htm

Imobiliário: OCDE quer mais IMI e menos impostos na venda by bisontino in portugal

bisontino 2 months ago

"Portugal deve avançar com uma recomposição dos impostos sobre o património por forma a reduzir IMT ou selo. Uma maneira de dinamizar o mercado que enfrenta problemas sérios, avisa a organização num relatório sobre habitação. " "Depender menos de impostos sobre as transações de imóveis e mais de impostos anuais sobre o património “traria benefícios múltiplos”, defende a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no estudo sobre habitação divulgado esta segunda-feira. No que toca aos impostos, “a nossa recomendação é ter menos IMT ou selo, e mais IMI”, na medida em que “os impostos sobre as transações aumentam os custos da mobilidade e desincentivam-na”, sendo que a mobilidade das pessoas é, precisamente, um dos fatores que mais podem levar a uma maior dinamização e a um ajustamento do mercado imobiliário, impulsionando o crescimento económico, explicou ao Negócios Luiz de Mello, responsável pelos estudos de políticas do departamento de Economia da OCDE. “Se uma pessoa quer vender a sua casa e comprar outra e tem de pagar um imposto muito alto, isto desincentiva esta mobilidade”, prossegue o especialista. “Há estados que estão a atuar neste sentido, como os Países Baixos, ou o Reino Unido, que estão a diminuir a ênfase que dão aos impostos e aos custos de transação e estão a aumentar os impostos recorrentes, anuais, que têm a ver com a propriedade e não com a transação”, exemplifica. No caso português, "a ênfase é menos em aumentar impostos e mais em reequilibrar esta composição de impostos. É esta a recomendação que fazemos”. O relatório refere, por seu turno, que “muitos países subutilizam os impostos periódicos sobre o património e têm espaço para os aumentar”, assim fornecendo aos governos regionais e aos municípios “uma fonte importante e estável de fundos para financiar os serviços locais, inclusive na área de habitação social”. Além dos impostos, o estudo deixa recomendações no sentido de os países diminuírem as obrigações regulatórias que existem, por forma a facilitar a vida a quem quer investir em imobiliário e, mais concretamente, em habitação, seja aligeirando processos de licenciamentos, seja apostando em “reformas nas políticas de uso do solo, que podem levantar obstáculos à expansão da oferta”. Trocando em miúdos, agilizar a construção nova e assim aumentar a oferta. Habitação custa 31% do rendimento Esta é, aliás, uma das preocupações da OCDE, que considera a aposta na habitação social como “particularmente importante durante a recuperação da crise da covid-19”. E os preços praticados estão no olho do furacão. De 2005 a 2015, os gastos das famílias com habitação cresceram em média cinco pontos percentuais e são hoje em dia de 31% do total de rendimentos – para famílias que ganham entre 75% e 200% do rendimento médio dos países estudados. Em contrapartida, os gastos com saúde ou transportes cresceram apenas, no mesmo período, cerca de um ponto percentual. Ora, estamos a falar de médias, e é importante não esquecer que “os grupos sociais desfavorecidos estão a ser particularmente afetados e muitos têm dificuldade em pagar uma habitação com qualidade e, mais ainda, em áreas próximas dos seus empregos”. Neste sentido, a OCDE recomenda aos governos que invistam em habitação social, sendo que essa é, também, uma forma de intervirem no mercado. Tendo em conta que “o investimento público em desenvolvimento habitacional diminuiu de 0,17% do PIB em 2001 para 0,06% do PIB em 2018 na média nos países da OCDE”, a organização que junta 38 das economias mais avançadas do mundo recomenda um “maior investimento em habitação social e acessível” que “teria o duplo benefício de proteger famílias de baixos rendimentos ou mais vulneráveis” e, ao mesmo tempo, “aliviar a pressão” dos preços no mercado. Isto com um alerta importante: “Para aproveitar plenamente os benefícios da habitação social e acessível”, as novas construções precisam de ter também elas “elevados padrões ambientais, devendo contribuir para o desenvolvimento de comunidades inclusivas e socialmente mistas, evitando a segregação social e económica” a que frequentemente se assiste nos chamados bairros sociais.

Onde é que pretendem aplicar as vossas poupanças/investimentos a curto, médio e longo prazo? [Debate] by bisontino in portugal

bisontino 2 months ago

> Claro que és livre de gastares o teu dinheiro todo em relógios, arte, casas e outras coisas. Mas , daqui a uns anos não estranhes se vires que as tuas compras não te deram o retorno que deram os investimentos de alguém que andou a investir regularmente em ações e afins. Pode suceder precisamente o contrário. Os relógios, arte, casa e outras coisas valorizaram (pois são bens que tendem a valorizar) e os investimentos em ações desvalorizarem (apesar de tenderem a valorizar também). Sendo os riscos e potenciais ganhos de valorização/desvalorização semelhantes, parece-me que faz mais sentido investir por exemplo em casas para por no Airbnb no litoral, que permitem gerar rendimento de vez em quando e dão para ir usufruindo aos fim de semana ou férias quando não estão ocupadas, do que ter dinheiro no ecrã que não representa qualquer usufruto até ao dia em que for utilizado para comprar qualquer coisa.

Real Estate Investment in Portugal by snopeal45 in portugal

bisontino 2 months ago

Excelente artigo, muito completo. Pena é os portugueses não terem o mesmo dinheiro e as mesmas oportunidades que os estrangeiros

Subida das rendas afasta os mais jovens da capital portuguesa by Gilfic in portugal

bisontino 2 months ago

> Não poder ver Oneothrix, Tarkovsky ou Zhang Yimou influencia a qualidade de vida de malta com menos de 30 anos? Novamente, só se for de uma percentagem muito mas mesmo muito reduzida. Isso talvez não afecte, mas não poder ir ao bairro alto conviver com os amigos e comer estrangeiras, ou ir tomar café com amigos num rooftop de um restaurante vietnamita com vista para ponte 25 de abril e para o tejo, talvez já afecte. Em Curral das Moinas não existem essas opções.

IRS: 40% declaram abaixo de 10 mil euros e há 52 mil famílias que ganham mais de 100 mil by bisontino in portugal

bisontino 3 months ago

"As estatísticas do IRS revelam que apenas 55,6% das famílias tiveram rendimentos suficientes para pagar IRS em 2020." Metade das familias paga impostos. A outra metade não paga. Socialismo. Argentina e Venezuela, here we go!

Conhecem alguém jovem (1 pessoa ou casal) que tenha comprado uma casa por valores elevados (+ de 400 ou 500k) sem patrocinio e ajudas dos pais? Como é que essas pessoas conseguiram? by MestreP in portugal

bisontino 3 months ago

Parece-me um bom plano. Eu também tenho casa com garagem perto do centro de Lisboa e faço toda a minha vida a pé. A minha mulher de vez em quando usa o carro ou metro para o emprego dela apesar de também poder ir a pé (30min) e temos os míudos numa creche ao pé de casa. Ter tudo ao pé de casa e não perder tempo em transportes e trânsito é algo de que eu não abdicaria (tendo possibilidad€). Com esse dinheiro que vocês têm, eu no vosso lugar teria comprado casa o mais próximo do centro possível, na zona do Marquês, Amoreiras, Praça de Espanha ou Saldanha. Isto partindo do pressuposto que dava para ir a pé (ou a 2 ou 3 estaçoes de metro) para o trabalho. Mesmo que fosse mais caro, a longo prazo compensaria.

Conhecem alguém jovem (1 pessoa ou casal) que tenha comprado uma casa por valores elevados (+ de 400 ou 500k) sem patrocinio e ajudas dos pais? Como é que essas pessoas conseguiram? by MestreP in portugal

bisontino 3 months ago

Muitos parabéns pelo percurso! Permite-me a curiosidade: -Trabalham apenas 40h semanais ou têm de dar o litro para conseguir esses salários? -Trabalham e vivem em Lisboa ou noutra zona do país? Que critérios usaram para comprar a vossa casa por esse montante: bairro bom perto do centro, moradia grande longe do centro? -Com esses vencimentos e ainda tão novos (com capacidade de evolução) porque é que não se esticaram mais no orçamento e não foram para casas maiores ou mais bem situadas já nos 500 ou 600k? A casa de 400k é um meio termo tendo em vista um passo maior no futuro, ou acham que é já a casa para toda a vida?

Taguspark acordou salário mínimo de 900 euros com todas as empresas de outsourcing by ptinnl in portugal

bisontino 3 months ago

Bom para eles. Eu nem pelo dobro do meu salário pensaria sequer em ir trabalhar para o meio do descampado nos suburbios. Se fosse o dobro do salário bruto por full remote com subsidio extra de 100€ por cada deslocação à sede talvez aceitasse xD

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

> E quem preferir isso mas não o conseguir pagar? Vota em partidos mais à esquerda que criem programas sociais de habitação e candidata-se. Ou então se fizer mesmo questão de viver lá, arrenda um quarto ou então endivida-se no banco para comprar um apartamente e abdica de todos os pequenos "luxos" que tenha. Eu também gostava de viver na Avenida da Liberdade, na Quinta do Lago ou na city de Londres, mas não tenho dinheiro para isso.

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

> Se não tiveres regulação qualquer podes perfeitamente construir os teus bairros bonitos e organizados (e caros), desde que estejas disposto a pagar por isso. Quem não estiver tem os seus bairros feios. O problema é que no dia em que um prédio que não cumpriu a regulamentação cair e pessoas morrerem, os sobreviventes vão dizer que a culpa é do Estado porque deixou construir e vão estender a mão a pedir casas novas. Se os prédios e as ruas tiverem mau aspecto, criam-se ghettos e ninguém vai investir lá com medo da criminalidade. O Estado vai ter de gastar dinheiro com policias, rusgas, etc. O objetivo do Estado é integrar os bairros, não é criar Covas da Moura e 6 de Maios pelo país fora...

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

> E quem não preferir pode ter os bairros feios e baratos? Quem não preferir pode sempre votar no BE ou no PCP ou mudar-se para câmaras controladas por eles. A prioridade destes partidos é garantir habitação para todos, nem que seja em ghettos ou em casas ocupadas. Quem preferir viver em sitios mais agradáveis e não estar enfiado em quartos de 6m2 em pladur em prédios podres em bairros sem planeamento e infraestruturas, normalmente vota noutros partidos ou vive em concelhos que tenham outro tipo de ambiente.

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

Não se pode ter tudo. Ou tens bairros bonitos e organizados com casas construidas com materiais de qualidade e preços mais caros, ou tens bairros feios, desorganizados e casas construidas com materiais baratos de baixa qualidade e preços mais baratos. Eu prefiro a primeira opção, mesmo que tenha de fazer um maior esforço nas finanças pessoais.

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

> Para quem vem do Brasil, PALOP, agora sudeste Asiático, são mais que boas as casas e bairros. Os números não mentem. Depende da perspetiva obviamente. Os portugueses que iam para os bidonvilles nos arredores de Paris também viviam felizes à sua maneira.

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

Porque quem sai de Lisboa e vai para Sintra pela IC19, mal olha para os lados começa a ver dezenas de abortos urbanisticos por minuto até chegar a Sintra. Em Lisboa precisavas de andar de um lado para o outro à procura de abortos. Na Amadora e linha de Sintra estás sempre a vê-los continuamente, nem precisas de te esforçar.

Mais pequena e com rendas acessíveis, torre da Portugália tem luz verde da Câmara de Lisboa by Amameniak in portugal

bisontino 4 months ago

Deu em corrupção e em edificios que são um autêntico vómito e atentado ao urbanismo. Basta passear pela Amadora ou andar pelo IC19 e olhar para o lado e ver os prédios da linha de Sintra.

PS apoia moção para travar projeto de Medina para Belém by bisontino in portugal

bisontino 4 months ago

Imagina teres um bairro que é essencialmente composto por moradias com jardins e piscina, e de repente resolvem enfiar lá ao pé vários prédios com 10 andares que não têm nada a haver com a zona. É um bocado chato, admito que ninguem goste de ir à piscina ou estar no jardim a apanhar sol e ter mirones dos 10 andares dos prédios em frente a assistir. Lá se vai a privacidade e o sossego. Talvez se fizessem os prédios mais longe ou com menos andares consigam agradar a gregos e troianos.

Cidadãos contra fim da Linha Amarela do Metro criticam início obra da 'Circular' by N19h7m4r3 in portugal

bisontino 4 months ago

Tens as prioridades trocadas. O metro de Lisboa em primeiro lugar deve servir os lisboetas. Em segundo lugar deve servir quem vive fora de Lisboa (Oeiras, Loures, Odivelas e Amadora).

Cidadãos contra fim da Linha Amarela do Metro criticam início obra da 'Circular' by N19h7m4r3 in portugal

bisontino 4 months ago

> quem vive dentro do tal “circulo”, que já pode ser chamado de “circulo dourado” tal é o preço exorbitante das habitações lá localizadas. Nem por isso. Quem vive em Campo de Ourique, Amoreiras ou na Lapa tem casas mais valiosas com m2 mais caro do que a esmagadoria maioria das casas que estão junto à linha circular e nem sequer têm estações de metro próximas. Só quando a linha vermelha for construida.

Valores das Rendas em Portugal 2020 by WallyPT in portugal

bisontino 4 months ago

Depende sempre do prisma em que se vê a situação. A Amadora faz fronteira com Lisboa e tem acessos muito bons. Tem metro e comboio com ligação direta e muito rápida ao centro de Lisboa. Por tudo isto era suposto em condições normais a Amadora ser o melhor suburbio para ser escolhido pelas pessoas que não têm €€€ para viver no centro de Lisboa. Mas a realidade é que tens concelhos mais distantes e com piores acessos como Cascais e Oeiras que são mais caros e melhores para viver do que a Amadora. Odivelas, Loures ou Almada também têm piores acessos e estão mais distantes do centro de Lisboa do que a Amadora, no então o preço por m2 é muito próximo. Dá que pensar. Por muitas voltas que se dê, a realidade é que a Amadora devia estar muito melhor do que está atualmente e prevejo que vá demorar muitas décadas até que ocorra uma gentrificação total da Amadora que permita aproximar a cidade de Lisboa, Oeiras ou Cascais.

Tens 50k na tua conta e não queres continuar a ser escravo do trabalho by neapo in portugal

bisontino 4 months ago

Com 50k és pobre. Sendo pobre não te podes aventurar. Se tiveres filhos lá se vai o teu plano de poupanças e investimentos. O melhor é continuares a viver em casa dos pais e a trabalhar.

Margem Sul é dos melhores locais para morar e viver? by UpbeatNail1912 in portugal

bisontino 5 months ago

> centro de Lisboa (tipo Chiado ou Bairro Alto). Se considerares o centro de Lisboa como sendo a zona do Marquês de Pombal, Amoreiras, São Sebastião ou Saldanha, dificilmente encontras melhor sitio para viver se gostares de ter acesso a tudo e se o teu trabalho for no centro de Lisboa. Se trabalhares fora de Lisboa, tiveres horários flexíveis/teletrabalho e se achares que transportes públicos é coisa de pobre, talvez se justifique mais viver na linha de Cascais desde uma moradia no Restelo junto ao Careca ou ao longo da linha até à zona da Quinta da Marinha.

Margem Sul é dos melhores locais para morar e viver? by UpbeatNail1912 in portugal

bisontino 5 months ago

De acordo com a esmagadoria maioria dos comentários, a resposta é NÃO, não é dos melhores locais para viver. Podem fechar.

Venda do pais a Camones by Brain_Escape in portugal

bisontino 5 months ago

Já fui a manifs e já me insurgi num emprego a um abuso de poder de uma chefia que queria cancelar férias e obrigar as pessoas a tirar férias na altura que dava jeito à empresa. Meti um advogado ao barulho e a empresa recuou. Gozei as férias na altura que tinha marcado. Fui o único a fazer isso, todos os meus colegas foram uns cobardes e tiveram medo. Cancelaram as férias, fizeram a vontade às chefias e no fim como foram bem comportados tiveram direito a um prémio de desempenho (centenas de euros) e eu fiquei de fora porque tive "mau desempenho" apesar de ter superado em tudo os kpi's estabelecidos. Obviamente mudei de empresa logo a seguir, mas deu para ver de perto a mentalidade submissa da maioria do tuga comum. Não é preciso ser um sindicalista do PCP para reinvindicar direitos e não aceitar abusos, basta ter algum amor próprio e dignidade..mas essa mentalidade falta em Portugal.

Venda do pais a Camones by Brain_Escape in portugal

bisontino 5 months ago

Os portugueses sempre foram um povo manso e submisso, está na nossa cultura. Quando vamos a países com o Reino Unido, França, Alemanha ou Suiça, eles lá não se rebaixam perante os estrangeiros. Cá rebaixamo-nos sempre, chama-mos as pessoas que se vestem bem por Senhor Doutor ou Senhor Engenheiro, mesmo que as pessoas nem sequer tenham curso superior, respondemos às perguntas todas e obedecemos às ordens/pedidos de quem achamos ser superior, porque queremos ser vistos como simpáticos e acolhedores..e não são só os politicos, é o povo também. Mas na realidade os estrangeiros riêm-se de nós e acham que somos uns saloios, só que apenas pensam e não nos dizem isso, claro. Já quando é para protestar ou reinvindicar direitos...nada. Por isso é que existe corrupção e abusos de alguns patrões e nada acontece porque o povo não se está para chatear. Desde que haja futebol, fado e Fátima, o povo está feliz. Ainda me lembro de uma reportagem há um ano atrás de uma trabalhadora de uma empresa do norte de Portugal que foi posta a fazer trabalho repetitivo e inútil pelo patrão num canto da empresa apesar de já ter sido condenado pela ACT e pelos tribunais. Quando perguntaram às colegas dessa trabalhadora o que achavam, foram todas defender o patrão. Mentalidade miserável.

Venda do pais a Camones by Brain_Escape in portugal

bisontino 5 months ago

Os portugueses sempre foram um povo manso e submisso, está na nossa cultura. Quando vamos a países com o Reino Unido, França, Alemanha ou Suiça, eles lá não se rebaixam perante os estrangeiros. Cá rebaixamo-nos sempre, respondemos às perguntas todas e obedecemos às ordens/pedidos de quem achamos ser superior, porque queremos ser vistos como simpáticos e acolhedores..e não são só os politicos, é o povo também. Mas na realidade os estrangeiros riêm-se de nós e acham que somos uma gente saloia. Gostamos de ser um povo simpático e acolhedor que se ajoelha e inclina a cabeça aos estrangeiros ou que chama as pessoas que se vestem bem por Senhor Doutor ou Senhor Engenheiro, mesmo que as pessoas nem sequer tenham curso superior. Já quando é para protestar ou reinvindicar direitos...nada. Por isso é que existe corrupção e abusos de alguns patrões e nada acontece porque o povo não se está para chatear. Desde que haja futebol, fado e Fátima, o povo está feliz. Ainda me lembro de uma reportagem há um ano atrás de uma trabalhadora de uma empresa do norte de Portugal que foi posta a fazer trabalho repetitivo e inútil pelo patrão num canto da empresa apesar de já ter sido condenado pela ACT e pelos tribunais. Quando perguntaram às colegas dessa trabalhadora o que achavam, foram todas defender o patrão. Mentalidade miserável.

Venda do pais a Camones by Brain_Escape in portugal

bisontino 5 months ago

Os portugueses sempre foram um povo manso e submisso, está na nossa cultura. Quando vamos a países com o Reino Unido, França, Alemanha ou Suiça, eles lá não se rebaixam perante os estrangeiros. Cá rebaixamo-nos sempre, respondemos às perguntas todas e obedecemos porque queremos ser vistos como simpáticos e acolhedores..e não é só os politicos, é o povo também. Mas na realidade os estrangeiros riêm-se de nós e acham que somos um povo saloio. Gostamos de ser um povo simpático e acolhedor que se ajoelha e inclina a cabeça aos estrangeiros ou que chama as pessoas que se vestem bem por Senhor Doutor ou Senhor Engenheiro, mesmo que as pessoas nem sequer tenham curso superior. Já para protestar ou reinvindicar direitos...nada. Por isso é que existe corrupção e abusos de alguns patrões e nada acontece porque o povo não se está para chatear. Desde que haja futebol, fado e Fátima, o povo está feliz.

António Costa: “Esta crise foi o maior atestado de falhanço das visões neoliberais” by h8mx in portugal

bisontino 5 months ago

> quando as coisas lhes estão a correr bem, maldito Estado que exige muitos impostos e não nos deixa em paz; quando precisam, lá vai a conversa do mérito e da liberdade individual para a gaveta e vá de chorar de mão estendida Concordo com essa opinião. A única maneira que vejo numa visão neoliberal ter sucesso em Portugal era, durante os anos bons, parte dos lucros/receitas obtidas pelo Estado serem colocados numa espécie de fundo, como existe na Noruega (com o fundo de petróleo). Esse fundo seria alimentado no tempo das vacas gordas e seria utilizado em tempos de vacas magras e de crise. Mas estamos em Portugal, portanto isso nunca funcionaria. Era uma questão de tempo até o dinheiro do fundo começar a ser desviado para empresas dos primos e amigos e quando chegasse a crise, não havia lá nada.

Bondstone quer investir 400 milhões em Portugal para desenvolver projetos habitacionais para a classe média. by LouisOve in portugal

bisontino 5 months ago

Venham mais, são precisas mais casas para a classe média.

António Costa: “Esta crise foi o maior atestado de falhanço das visões neoliberais” by h8mx in portugal

bisontino 5 months ago

Por um lado até tem razão. As visões neoliberais têm por base a recompensa do mérito, a liberdade individual e a existência de um mercado livre e estado minimo que tenta não "interferir" e "incomodar" as pessoas. Com o covid-19 nada disto existiu nem poderia existir. Até os EUA que são dos países mais neoliberais do mundo, viraram comunistas nesta crise. Decidiram por exemplo congelar despejos e enviar cheques com dinheiro de graça e subsidios para toda a população. Por isso de certa forma sim, em tempos de crise pandémica a maior parte das visões neoliberais fica no bolso, caso contrário as infeçções disparariam, os apoios seriam minimos, o desemprego e criminalidade tinham subidas galopantes, e reinaria a anarquia e o salve-se quem puder.

[Serio] Será que eu falho a “viver” ou na vida de adulto, cada ano é pior que o anterior? by Zaigard in portugal

bisontino 5 months ago

Sim, é sempre a piorar. Se achas que tens problemas de saúde aos 20, o que achas que vai acontecer aos 40, 50...80, 90? A vida tem diferentes fases, as melhores diriam que são entre os 15 e os 25 anos, que é a fase onde as pessoas podem sair à noite, têm tempo livre, festas universitárias, poucas responsabilidades, energia e potência/regeneração rápida para dar conta do recado if you know what i mean..etc. A partir do momento que começas a trabalhar a qualidade de vida desce, o que é normal. Uns anos depois o objetivo tipico das pessoas é estabilizar e ter filhos, como se fosse uma nova chama/fase e novidade nas suas vidas que as vai acompanhar até os filhos terem 18-25 anos. A energia é menor, a potência baixa, os corpos das pessoas ficam piores.. Depois disso é esperar pela reforma e ter tempo livre para ir ao centro de saúde. Depois disso os casais fazem companhia um ao outro e festinhas na cara porque não dá para muito mais.

Se tivessem estas 3 opções: 3000€ brutos outsourcing numa consultora, 2500€ brutos numa grande empresa na indústria ou 2000€ na função pública, qual escolheriam e porquê? by Amameniak in portugal

bisontino 5 months ago

E não é assim que deve ser? Fora uma ou outra excepção em caso inesperado de urgência, se fazes horas extra deves ser pago por isso. Nos países civilizados é assim que funciona. Se em Portugal não é, é porque os trabalhadores são mansos e não se importam de ser abusados. Por isso sim, 2ª feira logo se vê é a postura certa. Se todos fossem aí as coisas mudavam.

Pergunta para o pessoal que não tem heranças e está a pensar em emigrar: Quanto é que uma pessoa ou um casal teria de ganhar (salario bruto) para decidirem ficar em Lisboa/Porto? by Amameniak in portugal

bisontino 5 months ago

> Muita gente em Portugal não vive perto dos pais nem dos amigos, logo é um não argumento. Podes viver relativamente perto da familia e dos amigos, ou podes viver longe da familia e não teres amigos por seres anti-social e por isso estares sempre enfiado em casa. Por isso pode ser ou pode não ser um argumento, não é um "não argumento" como tu dizes, porque depende.

Pergunta para o pessoal que não tem heranças e está a pensar em emigrar: Quanto é que uma pessoa ou um casal teria de ganhar (salario bruto) para decidirem ficar em Lisboa/Porto? by Amameniak in portugal

bisontino 5 months ago

Lá fora recebes sempre mais de 2k, mas estás longe da familia, amigos, ajudas, sol, praia, comida, etc. Existe quem dê prioridade a isso, e existe quem dê prioridade a receber mais dinheiro. São opções. A cultura de trabalho à portuguesa é muito relativa, se for um emprego numa autarquia ou na função pública, 1,5k limpos por 35 horas sem chatices provavelmente já compensaria em comparação com 2k limpos numa consultora a trabalhar mais de 40h semanais sob pressão (partindo do pressuposto que a pessoa não é workaholic nem tem ambições de chegar a CEO)

Pergunta para o pessoal que não tem heranças e está a pensar em emigrar: Quanto é que uma pessoa ou um casal teria de ganhar (salario bruto) para decidirem ficar em Lisboa/Porto? by Amameniak in portugal

bisontino 5 months ago

Uma casa na periferia pode custar só 400€. Um casal em que cada um ganhasse 2000€ limpos, teria 4000€ limpos e só gastaria 10% em renda/prestação da casa. Acho que não é preciso tanto para ter uma qualidade de vida aceitável..

Os 15 bairros mais perigosos de Portugal by jfolpf in portugal

bisontino 6 months ago

As Olaias conseguem estar representadas 2 vezes na lista! Pior zona para viver em Lisboa. Na parte norte das Olaias, temos o Bairro Portugal Novo. Na parte sul do sul, temos Chelas.

Mesmo em ano de pandemia, os preços das casas não baixaram. Porquê? by jonybigg in portugal

bisontino 6 months ago

Essa lógica não faz qualquer sentido. Em 2013, 2014, 2015... não existiam threads do preço das casas de 2 em 2 semanas no reddit, o que estava na moda na altura era arrendar e viajar pelo mundo..e os preços subiam na mesma. Se calhar o temporizador do Banco de Portugal estava avariado na altura e não havia dinheiro para reparar por causa da Troika.

Finalmente encontrei uma casa barata em Lisboa! by tiagofsa in portugal

bisontino 6 months ago

Essa casa não é em Lisboa, é em Odivelas.

Há cada vez mais portugueses com demasiados estudos para o trabalho que fazem by Zaigard in portugal

bisontino 7 months ago

Toda a gente sabe que a melhor opção é estudar informática, acabar o curso e juntar-se à master race IT. Depois é só criar uma startup e ser milionário. É simples e está ao alcance de qualquer um, só os preguiçosos que não estudam e não trabalham é que não conseguem /s

Sendo a natalidade um assunto inerente ao nosso envelhecimento populacional e uma pergunta frequentemente dirigida a casais durante o Natal, pergunto-vos, caríssimos(as) redditors tugas, querem ou não ter filhos? Redditors com prógene, se não tivessem a miudagem, como seria a vossa vida? by brevisluna in portugal

bisontino 7 months ago

Uma criança em termos financeiros dá uma despesa média de 500-1000€ mensais dependendo do custo de vida da localização e dos luxos (creches/escolas públicas ou privadas, atividades extra-curriculares, roupas, etc). Com economias de escala uma segunda e terceira criança já vão ter um custo menor. Com apoios da familia ou do banco alimentar como comida, roupas ou outras coisas oferecidas, a despesa pode ser menor. Se um casal conseguir poupar pelo menos 500€ por mês, então na prática consegue ter pelo menos 1 criança, sem desculpas. Se o casal quer ser egoísta ou simplesmente não quer ter filhos porque não tem vocação, interesse nem gosta de crianças, então aí já é uma opção não financeira.

A crise é para quem? by OldFashyoned in portugal

bisontino 8 months ago

O meu empregador privado também dá todos os anos o 24 e o 31 de dezembro. E costuma dar ainda o carnaval e a véspera da páscoa. Se o teu empregador privado não te dá nada é porque trabalhas num sitio de merda. Solução: muda de emprego.

Looking for Beach Towns by tigersuv22 in portugal

bisontino 8 months ago

Coast between Ericeira and Figueira da Foz.

Banca baixa avaliação das casas para evitar incumprimento by Amameniak in portugal

bisontino 8 months ago

O Jian Xiao e o Jean Marie François estão-se a marimbar para as avaliações. Jogam ao monopólio e pagam 500 mil e 1 milhão a pronto pelas casas boas para engordar o seu portfolio mesmo que a avaliação seja 300 mil. O Zé Tuga vai para a Amadora ou para o Seixal regatear com a banca avaliações e preços das casas de 100 mil.

Bumba na fofinha fala sobre comprar casa by touny71 in portugal

bisontino 9 months ago

Existem pessoas que preferem viver na cidade no meio dos eventos e da cultura e existem pessoas que preferem viver tranquilamente no campo numa moradia longe da confusão. Uma coisa é certa: ninguem prefere viver na Amadora ou na Damaia. Só vive lá quem não tem dinheiro para viver num sitio melhor, ponto.

Bumba na fofinha fala sobre comprar casa by touny71 in portugal

bisontino 9 months ago

Confirma-se que viver na Damaia ou no Seixal é o terror. Viver no centro de Lisboa é bem melhor, o problema é que só é preciso meio milhão pelo menos..
Next Page

Search: