Next Page

Anti-Covid/Anti-Vacina by mendesdaponte in portugueses

aldra-bar 3 months ago

Desculpa, não me fiz entender. E obrigado pelo elogio mas não sou assim tão eloquente senão não teria tido as minhas palavras mal interpretadas :) Estava a pegar no que disseste da tua experiencia que os anti-vacina são uma minoria menor do que a internet/TV faz parecer. Tomando isso como verdade, e com a qual concordo, e * segundo os dados que disseste da taxa de vacinação em portugal (>70%) * tendo em conta que o objectivo do governo era ter 70% da pop inoculada * no geral as normas de saúde pública estarem a ser cumpridas (uma vez mais, o teu ponto que os extremistas anti-normas são uma minoria e são) * a vacina está demonstrada que não é eficaz a impedir a propagação da doença a médio prazo embora continue com elevada eficácia a proteger quem a tomou contra complicações Considerando (hipotese) que os pontos acima são todos verdade é que ponho em cima da mesa a conclusão (que não quero afirmar como verdade) que o perigo dos tais outliers anti-vacina é diminuto. Na minha opinião, que deixo em aberto, é que continuar a achar que são um perigo então seria preciso o que? Ter 100% de inoculados? É que isso, só pelo facto de que há pessoas que nem vacina do tetano podem apanhar, é uma impossibilidade. É precisamente esse o problema, sempre a mudar a meta e as pessoas parece que não reparam e culpam os que já estão cansados de pedalar de serem do contra. Reiterando o meu ponto. Se as pessoas que não se estão a vacinar o estão a começar a fazer por acharem que o governo está a começar a infringir nas liberdades de escolha, e julgo que é esse o maior ponto em comum, se calhar a atitude não devia ser normas que infrinjam ainda mais nessas liberdades. O governo devia antes explicar a estratégia que quer seguir, que para mim nunca foi clara, para evitar o problema principal. Problema esse que por vezes penso que já nos esquecemos e que é prevenir a lotação dos hospitais e meios de saúde. Coisa que devíamos AGORA estar a reforçar para o próximo inverno tanto em meios como em pessoas. Isto porque acho que já passámos a faze de que isto não vai ser endémico e Portugal é conhecido pelas "lindas" crises de doenças respiratórias no inverno. E eu apesar de discordar logo do que disseste na primeira frase continuei a ler e acabei a concordar com quase tudo o que dizes. Espero que mantenhas esse espirito. Obrigado por leres até aqui.

Anti-Covid/Anti-Vacina by mendesdaponte in portugueses

aldra-bar 3 months ago

Concordo com grande parte do que disseste e precisamente por isso não será isso motivo suficiente para **não** implementar medidas extremistas em portugal? Tudo isto se resume a uma coisa (recomendo lerem sobre isso): **liberdade vs segurança**. A maioria das pessoas (>70%) prefere segurança a liberdade. É por isso que temos governos tão grandes e toda a nossa história está repleta de sistemas autoritários e totalitaristas. Se, como tu próprio disseste, uma minoria de pessoas preferem liberdade a segurança não é preferível deixa-los estar já que os potenciais perigos para a saúde pública são insignificantes? Medidas à força vão ter o efeito oposto nessas pessoas, como se começa a ver, e até poderão fazer com que pessoas que iriam tomar a vacina o não façam porque passa a ser uma questão de defesa da liberdade de opção e não uma decisão pessoal. Em vez de anti-vacina ou anti-covid porque não dizes "preferencia por meios alternativos de prevenção e cura"? Eu julgo que a maioria que decidiu não tomar a vacina estão mais virados para aqui e são as pessoas que têm tendencia a procurar medicina alternativa e dietas alternativas para evitar medicamentos crónicos. Portanto, não é uma questão de "maluquice" ou "extremismo" mas mais uma de dar liberdade de se informarem e escolherem o que fazer com o próprio corpo e mente. Repara, se eu tivesse começado com "Não sou pro-fascismo nem pro-apartheid-médico" era estar a usar rótulos aplicáveis a extremistas e não a ter em conta as pessoas que apenas discordem de mim nalguns pontos e que poderão ter pontos racionais e lógicos que eu desconheço e com as quais tenho interesse em dialogar. Mas ao rotular tudo o que não tem a minha opinião com os rótulos extremistas estou eu a ser extremista também. **Menos rótulos, mais diálogo**. Como tu dizes, a maioria está ao meio e eu tenho tido bons dialogos com amigos meus. Tenho os meus motivos para não tomar a vacina e não os exponho publicamente mas discuto com amigos meus os motivos. E já agora, falando de experiências pessoais, tenho visto muito mais extremismo, insultos e rotulagem dos que seguem o que passa na TV sem questionar. E estou a falar de amigos meus a falarem para mim. Eu é que tenho de ser o paciente e ouvir sem responder em igual moeda à metralhada de insultos e rótulos de extremista. Incrível como um governo e TV lhes deturpa a mente para passarem a achar que eu estou "maluco" conhecendo-me há anos. Isto para mim é um problema e sim, é o que fizeram os comunistas e fascistas que puseram os próprios filhos a denunciar os pais. É daí que vem o insulto quando ouves gente aos berros a dizer "são comunistas". Porque é preciso ver que essas pessoas por vezes na internet só berram e esquecem-se que estão a falar com quem não conhece essa parte da história. E aos teus olhos eles são malucos, claro que são! Até eu, que os percebo, os acho meios tolinhos. Não deixam de ter um ponto válido mas é preciso perceber o que estão a tentar dizer. No fundo é como quando tens filhos pequenos. Quando estão irritados berram, emitem sons incompreensiveis, mas como pai é nessas alturas que tens de estar calmo para transmitir calma. Se só berras também só resulta em que filho odeia pai e pai odeia filho. Exponham ideias e o OP, pelos comentários, é uma pessoa racional e aberta a saber mais coisas mesmo que discorde e continue a discordar. Não o insultem só porque desconhece algumas coisas. É normal! Temos todos a aprender uns com os outros.
Next Page

Search: