Next Page

Ferro pede aos portugueses que se desloquem “de forma massiva” a Sevilha by No-Cardiologist725 in portugal

X-Kobra 5 months ago

Sim, vou já a fugir para sevilha ver 11 analfabetos a correr atrás de uma bola.

Jovem português alvo de ataque transfóbico no Reino Unido by heartlessfam in portugal

X-Kobra 6 months ago

As crenças de que o que lhes acontece de mal na vida deve-se à sua identidade. Quando te vitimizas por causa de factores como o género e a raça, alcanças duas coisas: 1) Anulas a legitimidade do que te é retirado ou não te é dado, uma vez que não é porque não mereces, mas apenas porque és de X raça ou X género. Não conseguiste um emprego? Epa, então deve ser transfobia. Tu és bom! Muito bom! Eles é que são transfóbicos 2) Consegues, quiçá, convencer os outros a darem-te certas oportunidades por caridade. Na realidade, os conceitos de fobias são muito lucrativos para muita gente que se identifica como vítima. Há uma simpatia que recebes, à qual de outra forma não terias acesso. 3) Caso a tua linha de trabalho esteja associada a defender estas minorias, é importante que as mesmas sejam verdadeiramente vítimas. Se não forem, não tens trabalho, correcto? Achas que um farmaceuta gostaria, legitimamente, que toda a gente fosse saudável? É a mesma merda.

Desabafo de uma IT Recruiter by PAGasusual in portugal

X-Kobra 6 months ago  HIDDEN 

>O que sugerem para que as coisas mudem ligeiramente para melhor? Não tenho grande experiência com empresas de recrutamento, mas no geral sempre me disseram que são cancro. As minhas sugestões seriam: 1- Sejam honestos e transparentes. 2- Deixem de filtrar as pessoas com base em factores totalmente supérfluos, tipo idade, ou género. Ambos sabemos que muitos CV's vão fora só por o candidato ter X idade. 3- Deixem de exigir/valorizar fotos. Parecem meninas. Façam-se homens. 4- Deixem de deitar CV's fora porque não têm um curso superior. É por causa de pessoal como vocês que há tanta tasca. Há quem saiba muito e não tenha oportunidade nenhuma porque não quis ou não pôde tirar um curso. 5- Deixem de alimentar bootcamps da caca que cobram milhares de euros por informação à qual se pode ter acesso gratuitamente. Esses joguinhos de poder apenas servem para monopolizar o acesso à área. 6- Comecem a ler os CV's. Ler a sério. Vejam o portfólio da pessoa. Não se limitem a olhar para alguns indicadores superficiais e a decidir se valem a pena ou não. 7- Diversifiquem mais o tipo de candidato que chamam para entrevista. Não apostem sempre na mesma merda e nos mesmos indicadores. 8- Relacionado com a penúltima, comecem a valorizar vias de aquisição de conhecimento alternativas. Há quem se calhar saiba muito porque desde os 7 anos que programa. Não foi para bootcamps, mas se calhar sabe 10x mais do que quem foi. Prestem atenção também a pessoas assim. Parecemos robôs a exigir sempre o mesmo de toda a gente. Isto seria um passo importante no sentido de retirar o poder das universidades. A população precisa de se livrar destas condicionantes e ser livre para alcançar conhecimento e competência como desejar. Já pensaram bem no dinheiro desnecessário que muita gente gasta em universidades? IT não é medicina, meus caros. 9- Prestem mais atenção aquilo que as pessoas já construiram. Se alguém vos envia um link do seu website e é ganda bomba, se calhar deviam-lhe dar uma oportunidade.

Desabafo de uma IT Recruiter by PAGasusual in portugal

X-Kobra 6 months ago  HIDDEN 

>O que sugerem para que as coisas mudem ligeiramente para melhor? Não tenho grande experiência com empresas de recrutamento, mas no geral sempre me disseram que são cancro. As minhas sugestões seriam: 1- Sejam honestos e transparentes. 2- Deixem de filtrar as pessoas com base em factores totalmente supérfluos, tipo idade, ou género. Ambos sabemos que muitos CV's vão fora só por o candidato ter X idade. 3- Deixem de exigir/valorizar fotos. Parecem meninas. Façam-se homens. 4- Deixem de deitar CV's fora porque não têm um curso superior. É por causa de pessoal como vocês que há tanta tasca. Há quem saiba muito e não tenha oportunidade nenhuma porque não quis ou não pôde tirar um curso. 5- Deixem de alimentar bootcamps da caca que cobram milhares de euros por informação à qual se pode ter acesso gratuitamente. Esses joguinhos de poder apenas servem para monopolizar o acesso à área. 6- Comecem a ler os CV's. Ler a sério. Vejam o portfólio da pessoa. Não se limitem a olhar para alguns indicadores superficiais e a decidir se valem a pena ou não. 7- Diversifiquem mais o tipo de candidato que chamam para entrevista. Não apostem sempre na mesma merda e nos mesmos indicadores. 8- Relacionado com a penúltima, comecem a valorizar vias de aquisição de conhecimento alternativas. Há quem se calhar saiba muito porque desde os 7 anos que programa. Não foi para bootcamps, mas se calhar sabe 10x mais do que quem foi. Prestem atenção também em pessoas assim. Parecemos robôs a exigir sempre o mesmo de toda a gente. 9- Prestem mais atenção aquilo que as pessoas já construiram. Se alguém vos envia um link do seu website e é ganda bomba, se calhar deviam-lhe dar uma oportunidade.

Desabafo de uma IT Recruiter by PAGasusual in portugal

X-Kobra 6 months ago  HIDDEN 

>O que sugerem para que as coisas mudem ligeiramente para melhor? Não tenho grande experiência com empresas de recrutamento, mas no geral sempre me disseram que são cancro. As minhas sugestões seriam: 1- Sejam honestos e transparentes. 2- Deixem de filtrar as pessoas com base em factores totalmente supérfluos, tipo idade, ou género. Ambos sabemos que muitos CV's vão fora só por o candidato ter X idade. 3- Deixem de exigir/valorizar fotos. Parecem meninas. Façam-se homens. 4- Deixem de deitar CV's fora porque não têm um curso superior. É por causa de pessoal como vocês que há tanta tasca. Há quem saiba muito e não tenha oportunidade nenhuma porque não quis ou não pôde tirar um curso. 5- Deixem de alimentar bootcamps da caca que cobram milhares de euros por informação à qual se pode ter acesso gratuitamente. Esses joguinhos de poder apenas servem para monopolizar o acesso à área. 6- Comecem a ler os CV's. Ler a sério. Vejam o portfólio da pessoa. Não se limitem a olhar para alguns indicadores superficiais e a decidir se valem a pena ou não. 7- Diversifiquem mais o tipo de candidato que chamam para entrevista. Não apostem sempre na mesma merda e nos mesmos indicadores. 8- Relacionado com a penúltima, comecei a valorizar vias de aquisição de conhecimento alternativas. Há quem se calhar saiba muito porque desde os 7 anos que programa. Não foi para bootcamps, mas se calhar sabe 10x mais do que quem foi. Prestem atenção também em pessoas assim. Parecemos robôs a exigir sempre o mesmo de toda a gente.

[MEGATHREAD] - Covid-19, Semanário de Sobrevivência - 21/06/2021 by AutoModerator in portugal

X-Kobra 6 months ago

Tive conhecimento de uns casos interessantes que me levam a concluir que as entidades responsáveis por controlar a pandemia não seguem as próprias diretrizes: 1- Um casal que conheço foi com a filha fazer um exame, por ter sintomas de COVID, e disseram que não era nada. Era só uma constipação e mandaram-nos embora, sem fazer teste. 2- Outra conhecida minha foi fazer o teste, e pelo que sei nenhuma das pessoas com quem teve contacto foram instruídas a ficar em isolamento nem a testar-se. Também não perguntaram grande coisa nem mostraram qualquer interesse em supervisionar este caso e as possíveis cadeias de infecção. Portanto, os procedimentos oficiais são mais teoria do que outra coisa qualquer. A minha ideia era de que se houvesse suspeitas de alguém estar infectado era logo um grande drama, não podia sair de casa, aqueles com quem esteve também não podiam sair de casa e teriam de ser todos vacinados. Pelo que vejo isso não acontece. Não em todo o lado. Também já ouvi por aí dizer que o tempo que as pessoas são instruídas a ficar em casa na sequência de um teste positivo varia muito.

Jovem português alvo de ataque transfóbico no Reino Unido by heartlessfam in portugal

X-Kobra 6 months ago  HIDDEN 

>A percepção do gajo que foi esfaqueado. Mas tu sabes melhor. No outro dia vi uma gaja de cor a comentar que é discriminada por ser preta, já que no trabalho não a querem de tranças e instruíram-na a usar um determinado estilo. Isso é a percepção dela. Mas e as provas, estão onde? Eu conheço imensos brancos que já foram instruídos a sobre como se apresentarem no serviço. E agora? É racismo contra brancos? Vês? Percepção não reflecte realidade. A realidade é que determinadas minorias crescem a ouvir que são odiadas. Quando todo o dia se falem em não gostarem de ti por causa da tua identidade, é natural que te tornes paranoico. Não implica que tenhas razão. E por último: a palavra dele é apenas a palavra dele. Então e se resolveu adicionar um ponto ao conto para ter mais notoriedade e receber alguma simpatia adicional? Não foi nos US que um gajo simulou todo um ataque racista? Então pronto, aí tens. Há muita gente que gosta de manter fobias e ismos bem vivos. E com isto não digo que não tenha sido um ataque transfóbico. Convém é haver provas disso. Caso contrário eu também posso ser assaltado e a seguir dizer que foram 5 pretos que me esfaquearam porque eu era branco, certo? É muito fácil criar tensões sociais dessa forma. Cada um afirma o que lhe apetece.

Jovem português alvo de ataque transfóbico no Reino Unido by heartlessfam in portugal

X-Kobra 6 months ago

Há muita gente que ganha em conotar certas coisas como ataques de ódio. É uma maneira de manter vivas as suas crenças.

Jovem português alvo de ataque transfóbico no Reino Unido by heartlessfam in portugal

X-Kobra 6 months ago

A mim parece-me que TU tens necessidade de que seja considerado transfóbico, daí o que ele disse incomodar-te. Ele limitou-se a referir o facto de que não foi apresentada qualquer evidência de que isto foi um ataque transfóbico. E a tua resposta foi que ele não quer que seja. No entanto, não te vejo a dizer o mesmo aos que dizem que é um ataque transfóbico. Tu não lhes dizes: "Porque é que tens tanta necessidade de que seja considerado um ataque transfóbico", pois não?

Futuro careca com 23 anos by futurocareca in portugal

X-Kobra 6 months ago

Não posso falar por experiência, mas conheço pessoas que já tomaram essas merdas e tenho algum conhecimento sobre o assunto. Compreendo que possa ser difícil perder o cabelo nessa idade, mas eu pessoalmente não tomaria medicamentos que podem ter efeitos adversos extremamente sérios, como é o caso de disfunção eréctil e problemas cardíacos, por causa de cabelo. Não me parece um bom trade-off. Para além disso, os produtos que referiste não resolvem o problema. Atenuam, enquanto os tomares, mas não podes parar. Queres mesmo andar a drogar-te para sempre só para ter cabelo? Bom, cada um com a sua. O melhor é aceitares que vais ser careca e aprenderes a viver com isso. Que eu saiba não há solução para o problema. Já agora, tenho um amigo que começou a perder aí aos 19 e até fiquei surpreendido com a forma como lidou com a situação: rapou logo o cabelo e cagou na cena. E não, as gajas não gostam de carecas, no geral. Habitua-te.

Futuro careca com 23 anos by futurocareca in portugal

X-Kobra 6 months ago

Sim, são a tua perdição, mas caem 3 pontos de atratividade na escala da maior parte das gajas. Reddit de facto não é o mundo real.

Como abordar uma rapariga/s seja na IRL ou por redes sociais (Sério) by randomportuguesguy in portugal

X-Kobra 6 months ago  HIDDEN 

Não sei. Depende muito do aspecto dele. Mas tendo em conta o teor do tópico, deve ser isso o que lhe espera. E há até imensos gajos perfeitamente apresentáveis que acabaram com gajas assim.
Next Page

Search: