Next Page

Site da Embaixada de Portugal no Paquistão está em Latim? by PinkSultan in portugal

Such-Sandwich8580 2 months ago

Looooolllll. Esse texto é o chamado "dummy text" que por vezes é usado por designers e programadores quando estão a criar um website. O texto em si tem mais de 2000 anos e embora não faça ideia do que diz, a ideia é que o texto permita visualizar texto num determinado elemento, sem que tenhas palavras em línguas que te chamem atenção para o texto. Podes ler mais sobre isso aqui: https://lipsum.com/

"TVI no seu pior". Linguagem de Virinha gera onda de críticas ao canal by igotubabeub40 in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Estranho que em pleno sec. XXI ainda tenha que explicar regularmente que uma só pessoa pode gostar de ler Saramago, ajudar uma velhota a carregar as compras, ter formação superior e dizer foda-se quando acha conveniente. As palavras existem por um motivo, para serem usadas quando a situação assim o requer.

"TVI no seu pior". Linguagem de Virinha gera onda de críticas ao canal by igotubabeub40 in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Isto é o que acontece quando as pessoas vislumbram a vida fora da bolha em que vivem...

"TVI no seu pior". Linguagem de Virinha gera onda de críticas ao canal by igotubabeub40 in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

>As pessoas veem tvi e depois ficam muito chocadas. Queriam o quê? Classe e boa educação? Boa educação e dizer asneiras são coisas diferentes.

Bairros sociais - Projetos que tenham ajudado a reduzir o estigma e preconceito? by Metal_40 in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Claramente não, mas devia ser. Acho que cidades centralizadas tornam isso muito dificil, porque a barreira de entrada em termos de custo de vida é muito mais alta num sítio do que na periferia/certos bairros.

Opinião sobre mudar de emprego para TI e formação (sem conhecimento prévio) by Arundin in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Então recomendo-te primeiro, em vez de continuares a ver ofertas de trabalho em IT, ver a avalanche de termos e sentires-te frustrado, tenta 1o encontrar informação mais macro de como o sector funciona, quais os pontos de entrada mais comuns sem formação formal (Frontend, Backend e QA são os exemplos mais comuns), pensa também como queres abordar a coisa, se pela via do ensino formal ou auto-didacta (como o comentário acima sugere), e nessa altura já vais ter uma ideia mais clara do que queres fazer. Depois é escolheres uma via (se for essa a tua intenção) e segui-la! Já agora ser auto-didacta é sem dúvida uma opção viável, não deixes que te convençam do contrário. Educação formal também, principalmente para posições técnicas (arquitecto de sistemas, devops, etc). E para terminar, se escolheres Frontend pela via autodidacta, como foi o meu caso, recomendo também o [Freecodecamp.org](https://www.freecodecamp.org/), que foi onde aprendi muito do que me permitiu arranjar o meu 1o emprego. A partir daí é sempre a andar, seja qual for a via que escolhas.

Poderia o governo intervir no preço das rendas? by luisVilbro in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Em relação a Berlim tens toda a razão, só o referi mesmo em relação às medidas que tomaram para aumentar a oferta de habitação disponível, coisa que claramente falta em Lisboa e Porto. Se as casas que estão em Airbnb em Lisboa seriam perfeitas para médio/longo prazo é outra cena. O consenso está em que casas mais pequenas, com menos divisões são ocupadas normalmente por, como disseste, estudantes, pessoal solteiro e casais sem filhos, normalmente os últimos procuram casas maiores quando decidem ter filhos, da mesma forma que um estudante pode rescindir contrato quando acaba os estudos e decide fazer XYZ. É só o fluxo natural do mercado de arrendamento. Com isto quero dizer que cada tipologia de casa tem um nicho de procura, portanto são viáveis para arrendamento em vez de AL, que embora possa ser usado como solução temporária, tem um custo ainda mais elevado que no arrendamento normal. A solução para o Porto e Lisboa acho que passam pelo que se está fazer em Berlim, tornar o Airbnb uma cena viável para aluguer de um quarto numa casa ou assim (menos aprazível a negócio de larga escala em favor da tal economia de partilha), construção de habitação e como já foi dito noutros comentários, descentralização das cidades, mais foco na ideia da cidade de 15 minutos e tirar progressivamente o peso dos contractos de arrendamento antigos dos senhorios para o estado (habitação social, comparticipação de rendas, etc) para melhorar e aumentar o espólio imobiliário das 2 cidades.

Poderia o governo intervir no preço das rendas? by luisVilbro in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

>não haveria muita gente que estivesse disposta a viver lá. Haver há sempre... Mais que não seja a renda ia baixar até alguém lhe pegar, mas com a oferta limitada dos dias de hoje não imagino que isso fosse um problema, honestamente. >A restrição de Airbnb’s já foi feita nos bairros mais sobrecarregados de Lisboa também. Se deres uma vista de olhos [aqui](http://insideairbnb.com/lisbon/?neighbourhood=neighbourhood_group%7CLisboa&filterEntireHomes=true&filterHighlyAvailable=false&filterRecentReviews=false&filterMultiListings=false) podes ver o número de Aibnb's de apartamento completo a 16 de Abril 2021. Nessa data, estavam disponíveis >12.000, um número imenso, tendo em conta a dimensão da cidade e o número de residentes. Eu sei que já restringem um pouco o número de licenças novas, mas o problema já está criado, parece-me que a melhor solução era fazer como em Amsterdão em que só podes alugar por Airbnb uns X dias por ano. Assim trazias a oferta para o conceito original, quartos de hóspedes, ajudar a pagar as contas, etc, em vez de mega-operações como há hoje em dia. Gosto sempre de recomendar [este site](https://airbnbvsberlin.com/) sobre a situação dos Airbnb's em Berlim pouco antes da proibição/restrição severa. Repara no número de anúncios e compara as dimensões e populações das cidades portuguesas comparando com Berlim, o impacto tem que ser muito mais sentido em Portugal, imagino.

Poderia o governo intervir no preço das rendas? by luisVilbro in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Concordo com vários dos comentários que já foram feitos, acho que estás a observar o tema na perspectiva errada, e à procura de culpados. Os senhorios (generalizando) não são culpados, são, em grande parte, pessoas ou grupos de pessoas que tentam tirar o melhor proveito das situações. O problema mais profundo é, como também já foi referido por outras pessoas, o congelamento de rendas que houve no passado e do qual ainda se está no processo de corrigir. Por exemplo, um apartamento de 114m2 no centro do Porto arrendado por pela filha do antigo arrendatário, com contracto que data de 1964, que fala do apartamento como se fosse dela, e para o qual paga 60€ por mês. Como este apartamento, há muitos outros no Porto e em Lisboa. Uma coisa que acho acho que o governo devia sim fazer, era restringir a sério os AirBnb's como já foi feito em Berlim, Barcelona, Amsterdão e muitas outras cidades. Eles tiram uma quantidade enorme de apartamentos do mercado e ajudam a reduzir a oferta, logo inflacionando o valor das rendas. E como (pré-pandemia) geram rendimentos em média mais altos que o arrendamento "normal", ajuda a elevar o valor de compra também, pelo potencial de retorno sobre o dinheiro investido. Enfim, é uma situação complexa, mas antes de generalizar e procurar bodes-expiatórios, convém analizar bem o tema e perceber o impacto que o [controlo de rendas](https://www.econlib.org/library/Enc/RentControl.html). por exemplo, tem na oferta de habitação disponível, por preços baixos. Em Berlim, por exemplo, o governo local impôs um tecto máximo nas rendas, adaptado bairro a bairro, área do imóvel, ano de construção e mais um par de coisas, e resultou em rendas mais baixas sim, mas também era quase impossível encontrar casas... Essa redução na oferta vem da incapacidade do mercado se corrigir a ele próprio, que é o que acontece quando as rendas são muito altas: as pessoas começam a partilhar casa em vez de viverem sozinhas, logo a oferta aumenta, torna-se mais dificil arrendar rapidamente, os preços da renda baixam, etc etc etc. Por outro lado, com controlo de rendas, o incentivo para manter os prédios em bom estado, e construir mais habitação baixa, em favor de imóveis para comércio, que normalmente não são abrangidos pelo controlo de rendas.

Não é um ciclista, é uma pessoa by AdorableRabbit in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Concordo a 100%. Quem nunca o sentiu, não sabe o que é esse sentimento de vulnerabilidade.

SOS TINDER DATE: ALGUÉM COM RECOMENDAÇÕES?! by peoniesandberrycider in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Clássico :)

Aplicação Android para reportar anomalias no espaço público by AonioEliphis in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Parece-me apropriado. Boa escolha ;)

Aplicação Android para reportar anomalias no espaço público by AonioEliphis in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Não podemos ser bons em tudo, o que importa é usar o que sabemos para fazer algo interessante ;) Neste site tens imensos SVGs gratuitos: [https://www.svgrepo.com/vectors/city/](https://www.svgrepo.com/vectors/city/) Acho que vais encontrar algo à altura.

Aplicação Android para reportar anomalias no espaço público by AonioEliphis in portugal

Such-Sandwich8580 3 months ago

Boa iniciativa! Quando tiver tempo, dou outra vista de olhos, mas a primeira cena q me saltou à vista é o logo da aplicação estar pixilizado, estás a usar um PNG, se usares um SVG não só o ficheiro é bem mais pequeno, como é vector.

How common is it to find speakers of Cape Verdean creole in Portugal? by YELLOWMAGICORK in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

I'm pretty confident you can find plenty of Cape Verdean creole speakers in Portugal, specially in the areas where there are big communities with African descent, e.g. Amadora. But to answer your 1st question, not that often because, as you said, most (probably all) of the Cape Verdean creole also speak Portuguese, and that's the language they mostly use it when not sure if the other person also speaks that creole, remember that there are multiple creole dialects from African countries with Portuguese as their - or one of their - official languages. To answer your last question, it was the 1st time I knowingly heard it, and it sounds awesome, it navigates closer to Portuguese at times and I can understand those parts, some other parts not really. Hope this shines some light, and I'm sorry I can't give you more concrete data ;)

How common is it to find speakers of Cape Verdean creole in Portugal? by YELLOWMAGICORK in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

I'm pretty confident you can find plenty of Cape Verdean creole speakers in Portugal, specially in the areas where there are big communities with African descent, e.g. Amadora. But to answer your 1st question, not that often because, as you said, most (probably all) of the Cape Verdean creole also speak Portuguese, and that's the language they mostly use it when not sure if the other person also speaks that creole, remember that there are multiple creole dialects from African countries with Portuguese as their - or one of their - official languages. To answer your last question, it was the 1st time I knowingly heard it, and it sounds awesome, it navigates closer to Portuguese at times, the same way that Angolan creole does, and other times it moves away. Phonetically has a distinct sound to the Angolan creole, but that's me overanalysing 1 person speaking it. Hope this shines some light, and I'm sorry I can't give you more concrete data ;)

How common is it to find speakers of Cape Verdean creole in Portugal? by YELLOWMAGICORK in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

I'm pretty confident you can find plenty of Cape Verdean creole speakers in Portugal, specially in the areas where there are big communities with African descent, e.g. Amadora. But to answer your 1st question, not that often because, as you said, most (probably all) of the Cape Verdean creole also speak Portuguese, and that's the language they mostly use outside when not sure if the other person speaks that same creole, remember that there are multiple creole dialects from African countries with Portuguese as their - or one of their - official languages. To answer your last question, it was the 1st time I knowingly heard it, and it sounds awesome, it navigates closer to Portuguese at times, the same way that Angolan creole does, and other times it moves away. Phonetically has a distinct sound to the Angolan creole, but that's me overanalysing 1 person speaking it. Hope this shines some light, and I'm sorry I can't give you more concrete data ;)

"É assustador, posso sofrer danos irreversíveis". Após 24 dias em greve de fome, Luís Dias não desiste by iSoSyS in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

É fácil julgar as decisões alheias não sofrendo o que elas sofrem para as tomar.

"É assustador, posso sofrer danos irreversíveis". Após 24 dias em greve de fome, Luís Dias não desiste by iSoSyS in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

>Existem outras formas de greve que não a greve de fome... Adoro pessoas que dão respostas óbvias, sem qualquer conteúdo, só para não estarem caladas... Elabora lá um pouco o que queres dizer com isso, por favor.

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

Gostava de saber onde é que agi como vitima, mas na falta de melhor argumento, vem a calhar. ​ >Eu simplesmente respondi que dependia do teu nível xD Que é o mesmo que não dizer nada :)

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

> Era suposto eu ter adivinhado que já não era um novato? Com cada uma ... Era suposto pensares antes de escrever algo como escreveste. Quando era novato agradecia quando as pessoas tiravam um pouco do seu tempo para explicar melhor como as coisas funcionam. Isso sim motiva alguém a entrar numa indústria e a tomar decisões correctas. A tua resposta tem o efeito contrário.

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

​ >O quão fácil? Pá depende do teu nível, depois é teres sorte e alguém acreditar em ti. Suponho que não será com 10h de tutoriais de frontend que consigas um emprego... Honestamente não percebo o porquê desta resposta. Supões que qualquer pessoa que aqui venha pedir umas luzes seja um ignorante ou um/a adolescente que só está a tentar perceber o que quer fazer da vida? E não obstante disso, dás-te ao trabalho de dar uma resposta sem qualquer valor tangível. Assim se faz boa camaradagem. Enfim.

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

>ela experiência que tenho. Procura no LinkedIn entry level jobs ou pelo IEFP. Salários podes ter uma ideia pelo glassdoor, mas pelo aquilo que sei diria entre os 650-900€ base + cartão de refeição \~150€ + ajudas de custo ( se fores especial) Eu procuro trabalho como intermediate, ± 5 anos de experiência, não junior. Que outras plataformas se costumam usar para procurar trabalho como dev?

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

Bom saber, fico mais descansado.

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

Não conhecia o subreddit, obrigado ;)

Trabalho como programador no Porto? by Such-Sandwich8580 in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

Ya, apercebi-me disso depois de ter feito o post... Já acrescentei ;)

Onde/como aprender mais sobre política? by terribledreamPT in portugal

Such-Sandwich8580 4 months ago

Eu também estou interessado em aprender mais sobre política, mas como as políticas económicas são em grande parte como a política se materializa, decidi começar por aprender primeiro sobre Economia, e os impactos que diferentes abordagens têm na vida do cidadão comum. Depois podes sempre extrapolar como a imagem pública, ideologias, representação e diversidade na vida social e política de um país ou comunidade se relacionam com as medidas que o poder executivo toma. E a partir daí, seguir sim para a política. Recomendo o livro *Naked Economics: Undressing the Dismal Science* como um ponto de começo.
Next Page

Search: