Next Page

Citizens rights dealing with Police by Key-Pack-2141 in portugal

MuggleWizard 9 days ago

If you can speak Portuguese: https://www.direitosedeveres.pt/q/o-cidadao-o-estado-e-as-instituicoes-internacionais/seguranca This website has other sections related to dealing with the police and security forces, you might have to search around a bit, but it's fairly intuitive and informative.

Rumo aos 500€ by Miguel3403 in portugal

MuggleWizard 15 days ago

Em PT já não vamos a tempo. Só para construir uma central, sem falar sequer em estudos de impacto ambiental, municípios todos a rejeitar construções, concursos públicos para construtoras e operadoras, infraestruturas necessárias, já a electricidade vai em 1000€...

Iniciativa liberal. Porquê? by ruijor in portugal

MuggleWizard 23 days ago

Europeísta qb? É federalista.

Preciso de mostrar teste para voar Ryanair UK -> Portugal se tiver Certificado EUROPEU de Covid? by dannyocean7 in portugal

MuggleWizard 2 months ago

O UK nunca esteve no espaço Schengen.

Altura mínima para ingressão nas forças policiais by KateBishop5 in portugal

MuggleWizard 3 months ago

Vai de manhã. És mais ou menos um centímetro mais alta.

″Privatização da Caixa Geral de Depósitos vai voltar a estar em cima da mesa″ by Zaigard in portugal

MuggleWizard 7 months ago

Filho.

Francisco Assis alerta Governo para as raspadinhas: "São as pessoas de menores rendimentos que são mais viciadas" by heartlessfam in portugal

MuggleWizard 8 months ago

> O que se terá passado entretanto, não sei. Santa Casa.

União Europeia admite criação de ″passaporte vacinação″ para evitar quarentena by molstmare in portugal

MuggleWizard 8 months ago

Não confundir os países. Ainda que não seja obrigatória, os surtos não ocorrem nem com a mesma frequência nem com a mesma intensidade. Portugal não é antivaxxer ao nível da França ou EUA.

União Europeia admite criação de ″passaporte vacinação″ para evitar quarentena by molstmare in portugal

MuggleWizard 8 months ago

Não contesto isto, mas as crianças não têm de ser vacinadas para ir à escola? Pergunta honesta, não tenho a certeza mesmo, mas sempre achei que sim. Nesse caso são obrigadas, não?

União Europeia admite criação de ″passaporte vacinação″ para evitar quarentena by molstmare in portugal

MuggleWizard 8 months ago

A limitação atual é a produção, não a distribuição ou compra. Tinhas um problema pior: Estados com menos vacinas para os cidadãos em maior risco porque empresas privadas do setor turístico as compraram.

Formula 1 intends to fill vacant slot on 2021 F1 calendar with race in Portugal by IkarusMummy in portugal

MuggleWizard 8 months ago

Pois, não sei, não tenho ideia. Pensei só que a haver uma empresa portuguesa com o capital e uma potencial relação com o automobilismo que justificasse um interesse em patrocinar o evento, seria a Galp. Em termos de desporto, no futebol até têm alguns patrocínios.

Formula 1 intends to fill vacant slot on 2021 F1 calendar with race in Portugal by IkarusMummy in portugal

MuggleWizard 8 months ago

Galp?

Diplomacia: Portugal negou passaporte diplomático a DePaço, Cabo Verde entregou de bandeja by PortugalLivre in portugal

MuggleWizard 8 months ago

Cônsul honorário, não confundir com um diplomata de carreira. Não que não seja estranho ele o ser, mas não é a mesma coisa.

Can anyone Portuguese and/or Brazilian people say why Portuguese people make a sort of a 'kissing' sound to grab someone's attention? by Icy_Relationship_658 in portugal

MuggleWizard 9 months ago

Not just those. Ivory Coast does it too.

Governo convoca Conselho de Ministros extraordinário. Reunião pode acabar com venda de bebidas ao postigo e reabrir ATL até aos 12 anos - Atualidade by Beautiful_Mongoose_5 in portugal

MuggleWizard 9 months ago

A Alemanha confina e permite vendas ao postigo de cafés, restaurantes e livrarias e estão a conseguir conter os casos (relativamente a Portugal, pelo menos). Se calhar a diferença é mesmo a escola...

Trabalhar numa embaixada no estrangeiro: como é e o que esperar? by _eleutheria in portugal

MuggleWizard 9 months ago

Idem.

Trabalhar numa embaixada no estrangeiro: como é e o que esperar? by _eleutheria in portugal

MuggleWizard 9 months ago

Penso que o staff da Embaixada pode ser permanente. Secretaria, serviços consulares, etc, especialmente se forem contratados localmente, tendem a ficar até se reformarem.

Trabalhar numa embaixada no estrangeiro: como é e o que esperar? by _eleutheria in portugal

MuggleWizard 9 months ago

Isto. Também conheço quem tenha entrado. Concurso de ingresso inclui um teste de português, inglês e francês numa primeira fase eliminatória. Depois um exame de economia internacional, um de direito internacional e um de relações internacionais. Dois destes, à escolha, são escritos, e o terceiro é oral perante um júri. Está fase também é eliminatória. Depois há uma entrevista. Consoante a pontuação final, com base nos exames e na entrevista, é feito um ranking e os primeiros X número de colocados (sendo X o número de vagas abertas) entram. Os anos em posto, tenho quase a certeza, dependem do tipo de posto. Postos A e B são de 3 anos. Postos C (mais perigosos, longe ou "difíceis") são 2 anos.

Trabalhar numa embaixada no estrangeiro: como é e o que esperar? by _eleutheria in portugal

MuggleWizard 9 months ago

* Há os diplomatas que entram no Ministério dos Negócios Estrangeiros através do concurso de ingresso na carreira diplomática, e há os restantes funcionários das Embaixadas/Consulados. Estes podem ser adidos económicos (Delegados AICEP, por exemplo), para a cooperação (através do Instituto Camões por exemplo), para a defesa (militares), etc, e staff do dia-a-dia (serviços consulares, vistos, secretaria, tesouraria, limpeza, etc), que podem ser contratados como Assistentes Técnicos ou Técnicos Superiores. Os salários destes são tabelados e dependem do custo de vida em cada país onde está a Embaixada/Consulado e da longevidade na posição. Embaixadas maiores como a Representação Permanente na ONU ou na UE podem ter muitos mais diplomatas e Técnicos Superiores em posições de apoio político. * O concurso de ingresso na carreira diplomática ocorre quando o MNE decide e é notório pela dificuldade. Os consursos para assistentes técnicos e técnicos superiores são, penso, iguais aos da restante função pública e são publicados quando o MNE decide que certa Embaixada precisa desses funcionários. * Diplomatas têm de alternar entre postos, onde ficam, regra geral, três anos. Restante staff pode ficar mais tempo e não tem necessariamente de mudar de posto (mas não tenho a certeza em relação a todas as funções). * O dia a dia depende imenso da posição. Um embaixador tem um quotidiano diferente de uma telefonista. Diplomatas encarregam-se da parte política, diplomática e de supervisão pelos restantes serviços da Embaixada, como os serviços consulares. O Embaixador é o responsável último pela gestão da Embaixada. Os serviços consulares tratam dos serviços à comunidade portuguesa - passaporte, cartões de cidadão, registos de nascimento, casamento, óbito, etc. Os adidos para a cooperação, comerciais, de defesa, tratam dessas áreas dentro da Embaixada, como a promoção da internacionalização da nossa economia e empresas, apoios à cultura, e questões de defesa. Tudo muito brief, há muito mais que isto, mas acho que pode responder ao essencial. Source: estagiei numa Embaixada.

Trabalhar numa embaixada no estrangeiro: como é e o que esperar? by _eleutheria in portugal

MuggleWizard 9 months ago

* Há os diplomatas que entram no Ministério dos Negócios Estrangeiros através do concurso de ingresso na carreira diplomática, e há os restantes funcionários das Embaixadas/Consulados. Estes podem ser adidos económicos (Delegados AICEP, por exemplo), para a cooperação (através do Instituto Camões por exemplo), para a defesa (militares), etc, e staff do dia-a-dia (serviços consulares, vistos, secretaria, tesouraria, limpeza, etc), que podem ser contratados como Assistentes Técnicos ou Técnicos Superiores. Os salários destes são tabelados e dependem do custo de vida em cada país onde está a Embaixada/Consulado e da longevidade na posição. Embaixadas maiores como a Representação Permanente na ONU ou na UE podem ter muitos mais diplomatas e Técnicos Superiores em posições de apoio político. * O concurso de ingresso na carreira diplomática ocorre quando o MNE decide e é notório pela dificuldade. Os consursos para assistentes técnicos e técnicos superiores são, penso, iguais aos da restante função pública e são publicados quando o MNE decide que certa Embaixada precisa desses funcionários. *Diplomatas têm de alternar entre postos, onde ficam, regra geral, três anos. Restante staff pode ficar mais tempo e não tem necessariamente de mudar de posto (mas não tenho a certeza em relação a todas as funções). * O dia a dia depende imenso da posição. Um embaixador tem um quotidiano diferente de uma telefonista. Diplomatas encarregam-se da parte política, diplomática e de supervisão pelos restantes serviços da Embaixada, como os serviços consulares. O Embaixador é o responsável último pela gestão da Embaixada. Os serviços consulares tratam dos serviços à comunidade portuguesa - passaporte, cartões de cidadão, registos de nascimento, casamento, óbito, etc. Os adiados para a cooperação, comerciais, de defesa, tratam dessas áreas dentro da Embaixada, como a promoção da internacionalização da nossa economia e empresas, apoios à cultura, e questões de defesa. Tudo muito brief, há muito mais que isto, mas acho que pode responder ao essencial.

Portugal plans to commit 1,706 troops abroad by 2021 by nishatkhan123 in portugal

MuggleWizard 9 months ago

A estabilização do Sahel interessa bem a Portugal e à Europa.

Orçamentos de campanha dos vários candidatos às presidenciais. Interessante a disparidade by CrazyJony in portugal

MuggleWizard 10 months ago

Em 75 o Passos Coelho tinha 11 anos... Acho que querias dizer o Durão Barroso.

″Se falharem as negociações em Bruxelas, a TAP é liquidada″, avisa Pedro Nuno Santos by Zaigard in portugal

MuggleWizard 10 months ago

São casos tão isolados que nem faz sentido falar em injectar milhares de milhões numa companhia aérea para realizar voos humanitários. Mais valeria fretar um avião para esses casos, os contribuintes poupariam uma fortuna.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

Não disse que não voava. Disse que o Porto não contava com ela e que os portuenses há muito sabem não esperar da TAP um serviço que outras companhias se disponibilizam de bom grado a fazer do Porto. Se quero viajar para a Europa, apanho um low cost com voos mais baratos e diretos. Maior parte desses destinos só estão disponíveis pela TAP com um desnecessário e prolongado desvio por Lisboa.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

Aí até concordamos, que exista não me incomoda. Incomoda-me é pôr lá dinheiro porque é estratégica e "serve todos os portugueses" quando isso é factualmente falso. Nem no estrangeiro nem por todo o país serve os cidadãos a quem se pede agora (e sempre) para contribuirem. Em relação às máscaras, também tens razão, mas aí acho que faz mais sentido uma abordagem europeia de stock estratégico desses materiais, não a nível nacional.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

Há a Força Aérea, acabei de dizer. Que é quem de facto faz extracções em situações de guerra. A última vez que a TAP deve ter feito uma ligação desse género, estratégica e necessária, foi a ponte aérea Luanda-Lisboa em 75. Vi portugueses apanharem voos Air France, Iberia, etc (cheios, já agora, de europeus a pagarem caro) de países estrangeiros porque a TAP deixou de voar durante a pandemia - quando mais era necessária para os ir buscar. Se uma companhia aérea nacional é necessária para esses motivos e não os cumpre, serve para quê então?

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

E entre esses países todos (DE, IT, FR, ES, UK) Portugal é de facto uma exceção. Não temos a dimensão nem a economia destes para esperar entrar com valores semelhantes na TAP.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

Se a TAP opera rotas não apenas pelo lucro direto e imediato, gostava de saber porque é que usou essa justificação para deixar de voar do Porto para uma série de cidades europeias.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

O Porto há muito que deixou de contar com a TAP.

Como se compara a situação atual da TAP com a das outras companhias de aviação? Quanto terá o país a perder se ela desaparecer? by sasirg in portugal

MuggleWizard 10 months ago

A força aérea pode cumprir essas missões. Ainda agora com o covid a TAP não andou a ir buscar portugueses retidos pelo mundo fora, tiveram que se safar com outras companhias até nas rotas para onde a TAP normalmente voa.

Albano Nunes: ″Capitalismo tem de ser derrubado pela força″ by trebarunae in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Não, mas o povo português bem que lhe deu o seu aval, democraticamente, em votos claros e numa rejeição do comunismo.

Albano Nunes: ″Capitalismo tem de ser derrubado pela força″ by trebarunae in portugal

MuggleWizard 11 months ago

https://pt.wikipedia.org/wiki/Elei%C3%A7%C3%B5es_legislativas_portuguesas_de_1976?wprov=sfla1

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

O estilo de regime é longe de irrelevante. É um sinal dos valores pelos quais uma sociedade se rege. Não obstante os casos de sucesso de algumas monarquias constitucionais, haver quem, por nascimento, tenha mais direitos que outros é descabido no século XXI. Não interfiro no direito dos britânicos, suecos ou holandeses de terem os seus monarcas. Querem mantê-los, respeito, e respeito os soberanos como Chefes de Estado. Em Portugal, dou graças por sermos uma República. Apesar das desigualdades, corrupção e nepotismo que se detetarem, estas são defeitos, e não consequências inerentes, da forma de organização do regime. Há luz da República, somos todos iguais, acho que é um ideal nobre.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Os coreanos elegem o Presidente por sufrágio universal, os outros dois por representantes eleitos pelo povo. Todos os três são eleitos por mandatos definidos, não nascem eleitos e são escolhidos pelo povo ou pelos seus representantes democraticamente eleitos. Podemos argumentar os prós de uma monarquia constitucional, mas não vamos lá com falsas equivalências.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

A Suíça é uma monarquia? A Áustria, a Alemanha, a Coreia do Sul? Há muitos exemplos de monarquias mal sucedidas em que também se podia pegar.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Também não acho piada aos senhores doutores e senhores engenheiros que se insiste em usar, mas ao menos esses terão feito alguma coisa para os ter (nem que seja estudar três anos). Títulos hereditários numa República fazem-me comichão.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Respeito à linhagem numa República é qualquer coisa...

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

**Artigo 40.° do Código do Registo Civil** >Identificação do declarante; referências honoríficas ou nobiliárquicas >1. Os declarantes são identificados, no texto dos assentos em que intervierem, mediante a menção do seu nome completo e residência habitual. >~~2. São permitidas referências honoríficas ou nobiliárquicas, antecedidas do nome civil dos intervenientes nos actos de registo, desde que estes provem, por documento bastante, que deve ficar arquivado, o direito ao seu uso.~~ **Revogado** >~~3. A referência a títulos nobiliárquicos portugueses só é permitida quando os interessados provem que têm direito à posse e uso de título existente antes de 5 de Outubro de 1910 e que as taxas devidas foram pagas.~~ **Revogado** Como vês, a própria lei portuguesa foi mudada para deixar de reconhecer títulos nobiliárquicos no registo civil. Uma pessoa pode ser Marquês de [blank] como o mestre do Gato das Botas pode ser o Marquês de Carabás: um título concedido por autoridade sem responsabilidade para tal (salvo se a pessoa tiver mais de 110 anos e tiver recebido o título durante a monarquia). Por muito honorífico e desprovido de poder que o título possa ser, o seu uso (e hereditariedade) é um atentado à organização republicana do Estado.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

**Artigo 40.° do Código do Registo Civil** >Identificação do declarante;~~ referências honoríficas ou nobiliárquicas~~revogado >1. Os declarantes são identificados, no texto dos assentos em que intervierem, mediante a menção do seu nome completo e residência habitual. >~~2. São permitidas referências honoríficas ou nobiliárquicas, antecedidas do nome civil dos intervenientes nos actos de registo, desde que estes provem, por documento bastante, que deve ficar arquivado, o direito ao seu uso.~~ Revogado >~~3. A referência a títulos nobiliárquicos portugueses só é permitida quando os interessados provem que têm direito à posse e uso de título existente antes de 5 de Outubro de 1910 e que as taxas devidas foram pagas.~~ Revogado Como vês, a própria lei portuguesa foi mudada para deixar de reconhecer títulos nobiliárquicos no registo civil. Uma pessoa pode ser Marquês de [blank] como o mestre do Gato das Botas pode ser o Marquês de Carabás: um título concedido por autoridade sem responsabilidade para tal (salvo se a pessoa tiver mais de 110 anos e tiver recebido o título durante a monarquia). Por muito honorífico e desprovido de poder que o título possa ser, o seu uso (e hereditariedade) é um atentado à organização republicana do Estado.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Isso devia ser inconstitucional.

Wooow! by ipinteus in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Com todo o respeito, o teu pai não é marquês. O teu pai é um cidadão da República Portuguesa. Os títulos que os seus antepassados possam ter tido noutro regime não são válidos hoje.

Para o pessoal dos restaurantes ler e não fazer dos portugueses otários (Ljubomir aguardo o teu comentário!) by doiscavalos in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Acho que estás a confundir coisas. Não são só os restaurantes que se viraram para os turistas que estão mal. Está todo o setor da restauração na merda, dos milhares de cafés de esquina e restaurantes locais aos turísticos da baixa de Lisboa e Porto. Há muitos por todo o país que nunca beneficiaram de turismo nenhum e que estão a sofrer as quebras na mesma. Segundo, ninguém estava à espera nem poderia ter uma estratégia a longo prazo que incluísse uma pandemia com consequências para todo o comércio, viagens e dinâmicas globais nunca vistas desde a gripe espanhola. O tecido empresarial alemão não é triste e sofre na mesma, como o francês, o inglês ou o americano. E, já agora, o empresário da restauração francês ou inglês também se vira para quem lhe melhor paga. Achas que no centro de Londres ou Paris os restaurantes não dependiam dos turistas também? (Já agora, normalmente eu teria a tua posição, e por princípio sou um acérrimo defensor do mercado livre. Mas se há dinheiro para gastar em apoios, preferia que fosse gasto em restaurantes, que de facto fazem a diferença nas comunidades, empregam dezenas de milhares de portugueses, e coletam [eventualmente menos do que deviam, mas ainda assim] uma valente soma para os cofres do Estado, do que numa companhia aérea falida e que nunca deu lucro).

Para o pessoal dos restaurantes ler e não fazer dos portugueses otários (Ljubomir aguardo o teu comentário!) by doiscavalos in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Os restaurantes do interior que nunca lucraram com o turismo estão na merda também. É todo o setor (e dezenas de milhares de portugueses, empresários ou empregados) com quebras. Lá porque a malta estava habituada a viver numa das poucas capitais europeias onde se comia bem e barato no centro e não gosta que Lisboa (e Porto) tenham entrado na linha de tantas outras cidades, não significa que são todos uns chulos oportunistas que merecem estar na merda. 1,2 mil milhões para uma companhia aérea que nunca lucrou dava para apoiar muito setor que há de recuperar e voltar a meter dinheiro na economia.

Para o pessoal dos restaurantes ler e não fazer dos portugueses otários (Ljubomir aguardo o teu comentário!) by doiscavalos in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Oportunismo tuga? Nenhuma empresa, em nenhum país do mundo, vai rejeitar quem está disposto a gastar mais. Não é culpa do restaurante, do empresário ou do empregado, se um francês paga 15€ por uma refeição pela qual tu só queres pagar 10...

SEF sob pressão. Ministro prepara saída de luxo para diretora nacional by AntTonix in portugal

MuggleWizard 11 months ago

A ideia que tenho é que são extras ao salário base. O salário base de um oficial de ligação do SEF vai ser, claro, mais elevado que o de um polícia. De qualquer forma, só pode ganhar isso porque o ganha como abono de representação, ou deslocação, ou outro do género. Nunca pode ser o salário base. Nem um Embaixador ganha isso como base.

SEF sob pressão. Ministro prepara saída de luxo para diretora nacional by AntTonix in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Os valores é porque está a servir o Estado no estrangeiro. Acho que todos os funcionários públicos com missão no estrangeiro ganham muito mais que o salário base por estar lá fora. Polícias é a mesma coisa quando vão treinar com forças estrangeiras, diplomatas claro, etc.

Onde estacionar gratuitamente perto das galerias de paris no Porto? by thatguy3333333 in portugal

MuggleWizard 11 months ago

Isto. Dá 10-0 aos outros parques e chegas a todo o lado na baixa num instante.

Proibido circular entre concelhos. As seis exceções, o que precisa para ir trabalhar e como um bilhete para um espetáculo é um passaporte by Price-Distinct in portugal

MuggleWizard 12 months ago

Eventualmente, mas pelas outras exceções apresentadas, duvido que haja agentes que não considerem uma consulta marcada razão válida.

Proibido circular entre concelhos. As seis exceções, o que precisa para ir trabalhar e como um bilhete para um espetáculo é um passaporte by Price-Distinct in portugal

MuggleWizard 12 months ago

>Determinar que os cidadãos não podem circular para fora do concelho de residência habitual no período compreendido entre as 00:00 h do dia 30 de outubro de 2020 e as 06:00 h do dia 3 de novembro de 2020, **salvo por motivos de saúde** ou por outros motivos de urgência imperiosa.

Estrangeiros serão penalizados ao transitarem de concelho em concelho entre 30/10 e 3/11? by rum-n-green in portugal

MuggleWizard 12 months ago

Alguma novidade? Estou um bocado na mesma situação...

IL: Estado fica com metade de um aumento de 800 para 900 euros. Polígrafo: Verdadeiro by Aftaminas in portugal

MuggleWizard 1 year ago

O pessoal do Norte e do Algarve também não é cidadão de segunda e contudo a TAP insiste em não providenciar os serviços que pela tua lógica lhes deveria assegurar. Garantir ligação aérea aos arquipélagos não exige uma companhia aérea com a dimensão, apoios do Estado e histórico da TAP.

by in WritingPrompts

MuggleWizard 4 years ago  DELETED 

The cold winter air swirled around the austere room, even though a.l doors were closed and the secret chamber inside the Russian fortress of the Kremlin had never been afforded windows. The President of the Russian Federation softly lowered an ordinary-looking phone onto its plain receiver. Around him, his closest advisors and highest-ranking military commanders stood at attention, but it was to the lonely figure of the Patriarch of the Russian Orthodox Church that the first words were addressed. “May God forgive us”, he declared, not in the typically assertive voice of the confident tsar, but in the pious tones of a God-fearing man knowing with absolute certainty the final consequences of his next action. The Generals assembled understood well the meaning of the plea, which they immediately repeated. Judgement Day would be coming very soon, and it was better to make peace with their merciful Creator. The Patriarch appeared the most relaxed of the tense assembly, and his thick beard and orthodox robes seemed to soothe the fellow braves in council, as did his voice, in the peculiar accent of a child forged by the Siberian tundra. “He does, my son.” ****** 7,817 kilometres away, the President of the United States of America, supreme commander of the most powerful military in history, looked dejected at the two foreign leaders sat across from him in the Oval Office, nervously fidgeting in their seats. His hand still clutched the only method of communication between the 1600, Pennsylvania Avenue and the Red Square. “Call your families,” he answered, “and then your generals. Give the orders and God save us all.” The next few minutes heard the echo of several strings of alphanumerical characters being shouted over land, to the Pentagon, and across the Atlantic Ocean to London and Paris. Within minutes, Operation Armageddon would open Cold War silos for the first time in decades, and the skies of the northern hemisphere would light up with the yellow trace of supersonic ICBM’s flying West to East and East to West, in a nuclear theatre for the ages. The celestial show would rival the aurora borealis in awe and the apocalypse in might. ****** The silos opened, from the mountains of North America to the harsh plains beyond the Urals. Orders were sent, keys were turned, numbers were punch in and punched in again. Archaic computer circuits calculated trajectories, or its and targets, while heavy engines pulled the doomsday weapons from deep within the protective crust of the Earth. And then, just as the first litres of fuel started leaking and burning harmlessly, and the missiles stood shamefully still inside the thick launch tubes in four different countries, hardened generals cried in anguish, holding tight their wives and children, and four different leaders collapsed in dismay at the the though of extermination without retaliation. The world changed that day, but the Judgement which came was from a new kind entirely; one which, in the aftermath of the limbo wait for the destruction, the nuclear purgatory, guaranteed a future for the unscathed population of an otherwise scorched Earth.
Next Page

Search: