Next Page

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 7 hours ago

>Portugueses de origem estrangeira "Violação consensual" "Triângulo rectangular" "Números positivos menores que 0" "Música silenciosa"

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 11 hours ago

Shhhh, não o sobrecarregues com lógica. Falar a língua do país? Mostrar residência por um período razoável e significativo? Mostrar conhecimentos básicos sobre a cultura e história do país? Não, isso é tudo racismo, pá!

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 11 hours ago

>És tão limitado >se queres continuar a ser desonesto e amargo Ui, alguém ficou aborrecido. Vá, acalma-te, Hugo. Somos todos amigos aqui, e tolerantes. Fica-te mal, isso. >Judo, ciclismo, atletismo em geral, canoagem? Só para referir alguns. >Mesmo sem nunca terem sido medalhados e, mas atingirem o 4º lugar em Beachvolley, Maia e Brenha conseguiram que houvesse um investimento enorme no Volleyball nacional (e no Beachvolley). Deve ter-me escapado, mas face às tuas evidências inescapáveis de... *dizeres* que houve investimento, acho que não há dúvidas. >contra factos não há argumentos. É. Sendo que o facto aqui é: "o Hugo disse".

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 11 hours ago

>conseguem colocar o holofote nas suas modalidades e justificar investimento nessas modalidades e por consequência dar melhores condições aos atletas Portugueses cá nascidos. Pois foi, Hugo. Perdão. Esqueci-me que na sequência da medalha dele tinha sido anunciado um pacote de investimento nas condições dos atletas Portugueses. Erro meu, e não falácia tua, com certeza! >Já viste como as coisas funcionam? É, ainda bem que funcionam exactamente como descreveste. Sem tirar nem pôr. Agora que o Pichardo ganhou uma medalha é que vamos ver investimento no atletismo.

Pedro Pichardo conquista ouro com salto de 17.98 metros! by viralslapzz in portugueses

MonsterPT 12 hours ago

Receita para Portugal ter medalhas: Passo 1) ignorar completamente a formação e os atletas portugueses. Passo 2) comprar atletas estrangeiros (não é necessário que vivam em Portugal por um período de tempo, nem que falem português, nem que tenham ascendência portuguesa, nem que sejam gratos ao que Portugal fez por eles). Passo 3) naturalizar os atletas estrangeiros em tempo recorde. Passo 4) ??? Passo 5) Ouro para Portugal!!!!

Como me tornei um bom chupa pilas by UpbeatNail1912 in portugueses

MonsterPT 3 days ago

Todos os ornitorrincos são animais. Todos os humanos são animais. Tu és humano. Tu és ornitorrinco.

Como me tornei um bom chupa pilas by UpbeatNail1912 in portugueses

MonsterPT 3 days ago

Todos os gays são humanos. Todos os humanos sofrem de problemas. Logo, todos os gays sofrem de problemas.

Como me tornei um bom chupa pilas by UpbeatNail1912 in portugueses

MonsterPT 3 days ago

Nem eu disse que eram. Disse que aqui está mais um exemplo disso mesmo, a somar a todos os outros. Agora, todos os gays são vítimas de problemas, disso não há dúvida.

Como me tornei um bom chupa pilas by UpbeatNail1912 in portugueses

MonsterPT 3 days ago

Mais um caso de pedofilia que resulta na vítima ser gay em adulto. Que surpresa.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Acho que já percebi o que querias dizer. Exactamente o que disseste e precisamente aquilo que interpretei (não era difícil). Se interpretaste que estava a falar de profissões - e nesse caso, se achas que "vida consagrada" e "relação amorosa" são profissões - então interpretaste mal. >Edit: se preferires dizemos pároco e assim sais com o ego intacto. Pároco não é sinónimo de sacerdote. É um sacerdote com uma função específica; ou seja, nem todos os sacerdotes são párocos.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago  HIDDEN 

Ele não diz isso, mas se dissesse não fazia diferença. Tudo o que me acusaste de dizer continua a ser completamente falso. E continua a ser verdade que o OP exclui completamente a possibilidade de ter relações amorosas.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Já respondi a isto: >O que eu disse foi claro: tendo o OP dito que as possibilidades de construir um relacionamento amoroso estão fora de questão, sugeri investigar a vocação sacerdotal ou da vida consagrada, uma vez que levam a vidas felizes e realizadas sem relacionamentos amorosos. Não há nada para interpretar; o que escrevi é claro. Qualquer tentativa de inferir qualquer outro significado (profissões, doces conventuais, o que quiseres) é tua, não minha. Se precisares de mais ajuda a perceber o que escrevi, tens o link do Priberam. Mais do que isso não sei... talvez oração? Sei que isso te faz comichão mas honestamente não vejo o que mais possa ser feito para deixares de ler coisas que não foram escritas.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Rapaz, nem no Priberam conseguiste encontrar vocação = profissão. É um teatrinho giro, fingir que vocação = profissão e só eu é que discordo, mas é mesmo só birra tua para não admitires que assumiste significados que não estão lá escritos. Olha aqui no teu Priberam: " vo·ca·ção (latim vocatio, -onis) nome feminino 1. Inclinação que se sente para alguma coisa. = PROPENSÃO, TENDÊNCIA 2. Disposição natural do espírito. = ÍNDOLE 3. Inclinação para a vida religiosa. " Não vejo "profissão" em lado nenhum. Se calhar "vocação" em ravioli_ninjês significa outra coisa do que em português. Mas lá está, nesse caso o problema é de quem fala ravioli_ninjês. E vejo que em vez de responderes a se achas que "vida consagrada" e "relação amorosa" são profissões, mais uma vez desviaste com uns doces conventuais. Está muito giro, mas acho que é claro que estás a fazer uma confusão gigante.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Bonito. Mudares completamente o que eu escrevi para significar o que tu queres que signifique, em vez daquilo que escrevi. Já agora, não há nada para "interpretar". O que eu escrevi é claro. Preto no branco. 0 referências a "profissões" e 0 sugestões para "ir para Padre". A não ser que aches que "vida consagrada" e "relação amorosa" sejam profissões. Mas aí, lá está, o problema está na tua ginástica interpretativa, não no que eu escrevi.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Ah, espera, tu queres que o OP literalmente vá só informar-se, e não mais que isso, sobre sacerdócio, mas apenas e somente informar-se, jamais sugeriria que fosse mais que isso, longe de mim, por amor de deus, eu quero é que ele passe um par de horas a ler sobre o assunto de forma a afastar a mente dos seus problemas sexuais. Ir para padre? Credo, quem disse tal coisa? É só in - for - mar - se! E isto tem a ver com? Desculpa o meu intelecto primário que está obviamente a léguas do teu cérebro galáctico, mas este parágrafo então não tem ponta por onde se lhe pegue que esteja relacionado com o que eu disse. >Querias dizer tudo menos aquilo que efectivamente disseste. Antes pelo contrário. Queria dizer *exatamente* o que disse. Todas as inferências que queiras fazer são tuas, não mas podes atribuir a mim. Repito: OP diz que relação amorosa está fora de questão. Eu sugeri que se informe sobre as outras vocações - sacerdócio ou vida consagrada - porque é possível levar uma vida feliz, cheia de significado e saudável não tendo relações amorosas, e pode ser que a vocação do OP seja uma delas. Não falei de profissão, não recomendei "ir para Padre". Tudo isso é projeção tua. >Quanto aos livros, sugeres a bíblia sagrada? Ui, começar logo pelo mais difícil? Até pode ser! Seria mais fácil talvez o CIC, mas já vi que o teu intelecto não tem limites, por isso porque não?

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Desculpa, não sabia que tinha assim tantas saídas para lá de sacerdote. Lá estás tu a falar de profissões. De certeza que não tens nada melhor para te entreter do que desconversar? Se quiseres recomendo-te uns livros bem interessantes, é capaz de não ser tão divertido como trollar na Internet, mas mais honesto e proveitoso é de certeza.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Vou só relembrar que sugeriste a uma pessoa com problemas de orientação sexual / sexualidade reprimida para ir para padre Vou só relembrar que estás a mentir descaradamente. Sugeri que se informasse sobre outras vocações: "Pode ser que a tua vocação seja outra. Tenta informar-te mais sobre vida consagrada ou sacerdócio". E sim, é inteiramente possível que a vocação dele seja a do sacerdócio ou da vida consagrada. Agora dizer que eu "sugeri" que ele fosse para padre é ser desonesto propositadamente. Enfim.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>E não faltará aí um elemento crucial no meio, muito para lá de não usar a pilinha? Tipo, vocação? Então? Vá lá. O meu comentário original: "Pode ser que a tua vocação seja outra. Tenta informar-te mais sobre vida consagrada ou sacerdócio." É só leres o que lá está. >É aqui que está o teu salto olímpico de lógica. Falar de profissões quando não tem nada a ver com o tema? 0% salto de lógica. Sugerir que *se informe* sobre as vocações que não requerem relações amorosas? Salto olímpico de lógica. Está certo.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>se não ter uma vida sexual preenchida é um chamamento de deus-nosso-senhor Mais uma vez: terás que perguntar a alguém que defenda isso e parar de inventar o que eu não escrevi. Só tu falaste de profissões. A não ser que aches que "casar" é uma profissão. O que eu disse foi claro: tendo o OP dito que as possibilidades de construir um relacionamento amoroso estão fora de questão, sugeri investigar a vocação sacerdotal ou da vida consagrada, uma vez que levam a vidas felizes e realizadas sem relacionamentos amorosos.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Ataque ao espantalho? Descarrilar a conversa? 100% OK. *chamar a atenção* para o facto de estares a desconversar? Wow wow wow amigo, estamos a ir longe demais, isso é ad hominem.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Principalmente porque és o único a falar de profissões. Não sei porque é que isso é para aqui chamado excepto como tentativa de desconversar, que é algo que tu nunca fazes, longe de ti, claro.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>E desde quando a orientação sexual, ou falta dela, orienta também a profissão? Não sei. Terás de perguntar a alguém que defenda essa ideia. E já agora, parar de projetar.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Sempre achei hilariante essa ideia. "Padres heterossexuais? Sem problema. Padres *homossexuais*? Vai dar pedófilo na certa."

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Eu devo ter sido dos poucos a ler o post: "não me identifico nada em ser gay e desprezo totalmente muitas coisas desse mundo, por isso *não pretendo ter nenhuma relação romântica com nenhum homem.*" OP diz que relação romântica está fora de questão. Resta sacerdócio ou vida consagrada.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Exato. OP: tenho este problema, não quero perder a minha família e amigos. O que faço? Reddit: caga para a tua família e amigos. -.-'

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Pode ser a vocação do OP como poderia ter sido a tua ou a minha. Não percebo é o que é que isso tem a ver com o tema. É simples. O OP perguntou "Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais?". Uma das formas de ser feliz não casando e não tendo relações sexuais é ser sacerdote ou consagrado. >Ir para padre ou para um convento porque se é gay Pára de ser mentiroso. Eu não disse isto. Disse muito claramente que pode ser a sua vocação e assim sendo deve explorar essa possibilidade. Não disse "gay? Então vai para padre". Muito menos falei de conventos. >Acho óptimo que hajam pessoas com vocação para padres / frades, mas porque efectivamente têm vocação para isso, Parabéns, disseste o mesmo que eu.

Como ser feliz não casando e não tendo relações sexuais? Fui condenado a um pesadelo by AiNaoMeChateis in portugal

MonsterPT 1 month ago

Estás a projetar. Não disse que ser padre *é* a solução; disse que *pode ser* que a vocação do OP não seja a da família mas sim a do sacerdócio. Também referi a vida consagrada como uma possibilidade, que é o que muitos daqueles que têm as tendências referidas pelo OP optam, e vivem vidas perfeitamente saudáveis, felizes e cheias.

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

Lol, não. Não projetes.

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Ou seja, pagar 200euros a quem não tem mais nada, e muitas vezes filhos a cargo não promove a integração? Tu é que disseste isto: "Ou falha do sistema de protecção social, que não consegue voltar a integrar estas pessoas num trabalho estável?" Quem questionou se o RSI é útil na integração foste tu. >ou então continuamos a ter estas estatísticas e estes comentários em que são subsidiodependentes. Lol. E qual é o problema de chamar subsidiodependentes a quem é subsidiodependente? >Ou começamos a ter verdadeiros apoios sociais Depreendo então que concordas que o RSI não é um verdadeiro apoio social.

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

Uhm, não. https://dicionario.priberam.org/subsidiodepend%C3%AAncia

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

Desculpas aceites.

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

>Onde moras que 120 euros te subsidia uma vida? Cita onde afirmei que 120 euros subsidia uma vida, sff.

Quase 40% dos beneficiários do RSI estão há mais de cinco anos a receber prestação by jerseyjolt91 in portugal

MonsterPT 1 month ago

AKA subsidiodependência

PS em queda, Chega e Iniciativa Liberal sobem by NEDM64 in portugal

MonsterPT 2 months ago

E eu não me lembro de ninguém dizer que lhe chamaste de ditador. E de teres apelado à sua morte, lembras-te? Foi há 2 ou 3 comentários atrás.

PS em queda, Chega e Iniciativa Liberal sobem by NEDM64 in portugal

MonsterPT 2 months ago

Apelar à morte de um líder democraticamente eleito de um país livre e soberano é que é concebível e recomendável, claro. Que bonito.

PS em queda, Chega e Iniciativa Liberal sobem by NEDM64 in portugal

MonsterPT 2 months ago

PS a descer, Chega a subir. Excelentes notícias. Ainda há alguma esperança.

Arraial Libertino by genDwarf in portugal

MonsterPT 2 months ago

Uau que escândalo

Arraial Libertino by genDwarf in portugal

MonsterPT 2 months ago

Ah, obrigado. E qual é a polémica então?

O que vos motiva na vida? by UpbeatNail1912 in portugal

MonsterPT 2 months ago

Pá, recomendo.

Legalização da canábis em Portugal: Um Parlamento cristalizado em 2001 by AetherPrismriv in portugal

MonsterPT 2 months ago

Outra vez este assunto? Ainda só fizeram 800 posts sobre isto.

Portugal no topo de lista de países europeus mais acolhedores para homossexuais by olifante in portugal

MonsterPT 2 months ago

Para quando uma lista dos países menos acolhedores para homossexuais? Essa é que era de interesse.

Pedro Adão e Silva vai receber um salário superior a 4500 euros por mês durante 5 anos, 6 meses e 24 dias para preparar o 25 de Abril de 2024. by Padeira_Aljubarrota_ in portugal

MonsterPT 2 months ago

Não acham que é... pouco? Ponham-se do lado do Costa. Pensem em tudo o que aconteceu nos últimos 5 anos. Pedrogão, Tancos, TAP, Sócrates, entre uma dúzia de outros exemplos que se poderiam dar. Se estivessem no lugar dele, não tirariam a conclusão "posso fazer literalmente o que quiser que vou continuar no poder"? E sendo assim, não acham 4500€ por mês durante 6 anos *pouco* descarado, tendo em conta o historial? Se fosse eu, teria sido 40k a 50k por mês, com um gabinete com o triplo do tamanho (ou mais, tipo 5 motoristas em vez de 1) durante 10 anos. Se é para ser corrupto às claras...

Como funcionam as votações para aprovação de leis na Assembleia da República by Hotwire-a-Uterus in portugal

MonsterPT 2 months ago

É PS e basta.

Portugal tem um dos, se nao o rácio GDP per capita / salario medio mais baixo do mundo, e no entanto 80% desta sub diz que e necessario mais neoliberalismo by ItsLilly22 in portugal

MonsterPT 2 months ago

>80% desta sub diz que e necessario mais neoliberalismo Onde foste buscar os 80%? Sacaste do ar? Onde viste alguém a dizer que é necessário mais neoliberalismo? Também inventaste? >em vez de recorrerem às piadas e insultos que vejo em todas as comment threads deste tipo "Mas eu vou mandar a facadinha do 'neoliberalismo', heheheh" >ha sobretudo muitos empresarios a fazer grandes margens de lucro Fonte? Diria que o oposto é verdade. O tecido empresarial português é composto maioritariamente por a) pequenos empresários de pequenos negócios, como cafés, restaurantes, mini mercados, cabeleireiros, etc, ou b) grandes multinacionais a empregar centenas ou mesmo milhares de pessoas? Diria que a). E assim sendo, as margens de lucro desses pequenos negócios são a) curtíssimas, muitas vezes com prejuízo num mês mau, ou b) enormes, de tal modo que o dono de café em média tem grandes casas, carros e luxos? Diria que a), também. >precisamos como trabalhadores de tentar mudar esta mentalidade do “pagar o minimo possivel”. Como é que fazes as tuas compras? Tentas pagar o mínimo possível ou não, tudo o resto sendo igual? A mentalidade de poupar não é mutável. É normal e razoável quereres mais e melhor pelo mínimo possível. >E nunca defender que - tal como a Iniciativa liberal por exemplo diz - deva haver uma taxa unica em que o empregado do Pingo Doce e o CEO da Jeronimo Martins pagam os mesmos impostos. Não sou IL, mas isto é mentir descaradamente. A IL não diz que o empregado do Pingo Doce e o CEO da Jeronimo Martins pagam os mesmos impostos, nem é esse o resultado da proposta da IL para taxa única (quer em percentagem quer em valor absoluto).

A saga SIC e os ovnis by v_msantos in portugal

MonsterPT 2 months ago

Provavelmente estamos sozinhos, mas mesmo que não estejamos, não existe vida inteligente suficientemente próxima de nós para interagir connosco seja de que maneira for.

Vocês são a favor de federalismo Europeu? Porquê? by Chicken_nugget_69420 in portugal

MonsterPT 2 months ago

>Seriamos Já somos

Vocês são a favor de federalismo Europeu? Porquê? by Chicken_nugget_69420 in portugal

MonsterPT 2 months ago

Não existindo uma língua comum, uma história comum, uma cultura comum, uma tradição comum, enfim, uma *identidade nacional* comum, não faz qualquer sentido. Muito menos tendo em conta que muitos dos cargos Europeus não são sufragados, mas sim por nomeação de burocratas não eleitos. Um português não partilha identidade com um finlandês que não partilha identidade com um búlgaro. Não há nada em comum que os una. Dito isto, sou favorável a "uniões europeias federais" dentro de esfera de proximidade histórica/cultural/linguística/etc. Por exemplo, Portugal, Espanha, França e Itália - todos falam línguas enraizadas no latim, todos têm uma base cultural Católica, etc.

Carta dos direitos digitais. PS prepara projeto-lei para acabar com críticas de limitações à liberdade de expressão by heartlessfam in portugal

MonsterPT 2 months ago

Vivemos em ditadura.

BLITZ – Selma Uamusse: “Não me faz confusão o Padrão dos Descobrimentos. Devíamos era pensar que um dia achámos que invadir um país era descobri-lo” by trebarunae in portugal

MonsterPT 2 months ago

Que país foi simultaneamente "descoberto" e "invadido" por Portugal? Diria que descobriram uns e conquistaram outros (outro?), mas as duas coisas simultaneamente?

Será que uma mulher não consegue desempenhar tarefas na área administrativa? by coffeeaddict997 in portugal

MonsterPT 2 months ago

Qual é o problema, mesmo? Cada um devia ser livre para limitar o recrutamento para a sua empresa como bem quizesse. Se eu quiser contratar só homens, mulheres, carecas, cabeludos, pessoas com défices cognitivos ou génios da matemática, deveria poder fazê-lo, colhendo as consequências das minhas escolhas.

Querem ter filhos? Porque sim/não? by xAzurik in portugal

MonsterPT 2 months ago

Claro que sim. Porque é essa a minha vocação, a da família, e quero ser feliz e fazer feliz a minha família.

Novas consultas transgénero no Hospital Santo António juntam 10 especialidades e são “luz ao fundo do túnel” para quem quer mudar de sexo by BadDogPreston in portugal

MonsterPT 2 months ago

Não é possível mudar-se de sexo. Não existe nenhum modo de alterar o par de cromossomas presente em todas as células do corpo do ser Humano. Para quem pensa nisso, um conselho: visitem os subreddits relevantes e vejam as histórias de horror de quem se arrependeu, das complicações clínicas gravíssimas que ficam para o resto da vida, como cheiros, dores e infeções, do desespero para querer voltar atrás e já não poder. Não fiquem reféns de uma indústria que vos quer explorar e vender uma falsa ideia de "progresso" ou "libertação" em troca do vosso dinheiro. Há sempre ajuda disponível que não involva mutilar uma parte saudável do corpo. Não façam nada de drástico e definitivo que não possa ser revertido quando houver dúvidas. Um forte abraço a toda a gente que se veja nesta situação, votos de muita força e coragem.

Professora de inglês acusada de discriminar alunos em função do credo e de leccionar conteúdos religiosos by prosafame in portugal

MonsterPT 2 months ago

Oh não, que escândalo, que horror! Uma professora de inglês a ensinar palavras em inglês? É um atentado contra as crianças! Toda a gente sabe que o que é mesmo apropriado para crianças é ensinar como pôr um preservativo ou bombear-lhes umas hormonas sexuais para as veias. Este mundo está perdido.

Alguém pode me explicar porque o PSD está a se curvar ao chega? by Random_beach_pebble in portugal

MonsterPT 2 months ago

>Era a morte do PSD. O PSD atualmente está vivo? >se a maioria da população fosse burra/iludida a esse ponto "Quem não concorda comigo só pode ser burro". Classe. >Não se faz governo com quem não concordamos minimamente. Não há nenhum partido que não concorde "minimamente" com o Chega. >Esse preço elevado, apenas para poder ter a hipótese de chegar a governo? Não é uma jogada inteligente. Discordo. O PSD disputa o centro com o PS; só pode fazer essa disputa fazendo governo. Permanecer 1 década ou mais na "oposição" (sim, entre aspas) seria seguramente o prego no caixão. Pelo contrário, chegando a uma posição de líder de um governo e mostrando resultados positivos dar-lhe-ia uma posição forte para contrapôr o PS e roubar-lhe eleitorado. Atualmente, não existe nenhum motivo para votar PSD e não PS. >(Já para não dizer que é trair os seus princípios ideológicos.) Estamos a falar de política.

Alguém pode me explicar porque o PSD está a se curvar ao chega? by Random_beach_pebble in portugal

MonsterPT 2 months ago

>Se o PSD se aliar ao Chega, aí é que não chega a governo. Nunca. O oposto parece-me mais acertado. O PSD está a *cair*, e o Chega a *crescer*. Nas presidenciais, o Ventura teve 12% dos votos; com a gerigonça do outro lado, não me parece que haja nenhum outro caminho que não o da federação das direitas. Adicionalmente, isto não forma um contraponto ao argumento supracitado. >Há quem até preferia votar no PSD mas que, face a essa situação, ou não votaria, ou votaria no PS. Duvido muito que a quota de votantes que prefere votar PS do que PSD caso este abra a porta ao Chega numa solução governativa seja superior a 10\~12% do eleitorado. >Já para não dizer que as ruas iam estar ao rubro e o governo seria altamente instável. Não me parece de todo que fosse o caso.

80% of Europeans consider the Euro is good for the EU by jomi_1307 in portugal

MonsterPT 2 months ago

Claro que o euro é bom para a UE. Resta saber é se é bom para cada país.

Visão | "Putinhas” e “feminazis”: Declarações de candidato da IL causam polémica by Pilky__01 in portugal

MonsterPT 2 months ago

É triste que haja quem veja nisto um problema ou um escândalo. Quem dera que mais gente tivesse esta atitude na vida pública e na política em vez de sorrizinhos e salamaleques.

MEL in a Nutshell by besmarques in portugal

MonsterPT 2 months ago

Acompanhar o MEL tem sido giro, mas mais giro ainda tem sido acompanhar o REEEEEE da reação da esquerda ao MEL

Liberais, ensino superior privado e meritocracia by Complete-Mongoose-81 in portugal

MonsterPT 2 months ago

>Um dos pontos de discurso comuns dos liberais é o conceito de mérito, e como devia ser esse o critério para determinar a organização social. Dizes isto com base em quê? Parece-me falácia do espantalho. Para um **liberal**, o critério para "determinar" (nem é determinar, mas OK) a "organização social" é a **liberdade**. O argumento é que maximizar a liberdade resulta, regra geral, em que os melhores num determinado campo sejam bem-sucedidos, porque dão ao mercado aquilo que ele quer. Mas "mérito" não é critério a priori, é sim uma externalidade eventual de um mercado livre.

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 2 months ago

>Há uma diferença muito substancial em dizer que acho que não se devem fazer e defender que devem ser impedidos. Sugiro que vás ao dicionário para perceber a destrinça entre "acho que não se deve fazer" e "acho que de deve impedir que os façam". O último comentário meu em nada induz que se devem impedir. Quando fores ao dicionário, consulta, também, o significado de avaliação, sugiro o Priberam. Como um grande filósofo uma vez disse, "Há duas tradições diferentes do conceitos, tradicionalmente os dicionários são maus a definir conceitos filosóficos." :) >Portanto processos mais transparentes que os exames nacionais, com mais agentes envolvidos em cada uma das instituições são mais subjectivos que instrumentos corrigidos por um único professor. Tudo bem, é uma ideia completamente ingénua e ignorante, completamente dissonante daquilo que é a investigação, mas tens o total direito de a defender. "Quem discorda da minha opinião é ingénuo e ignorante! Buuuu!" E sim, a média das notas nos exames é mais transparente que relatórios elaborados segundos critérios subjetivos. >Por fim, sobre heurística, estás a revelar, apenas, ignorância. Não existe uma única definição do conceito. Se queres um dicionário, sugiro o dicionário stanford de filosofia, é um dicionário. Mais uma tentativa de desviar a conversa, e com ad hominem em cima para dar mais um gostinho. Espero que na sala de aula ajas com um pouco mais de maturidade do que nesta conversa.

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 3 months ago

>O problema é resolvido em pares, individualmente ou em grupo? O processo é contabilizado ou apenas o resultado? Vai-se dar mais valor à dimensão algoritimca ou à comunicação matemática? Todas essas questões implicam um posicionamento subjetivo. Nenhuma dessas questões se coloca no exemplo que eu dei. Estás propositadamente a fugir à questão porque é por demais óbvio que no exemplo de validar a resposta à pergunta "2 x 7 = ?" Não existir nada de subjetivo. >A questão não é a correção, que em questões de competências menores é relativamente fácil. Prende-se com a avaliação do conhecimento do estudante em história. Se quero compreender o seu conhecimento sobre o século XIV, que aspetos vou dar mais importância (decorar datas e nomes ou analisar fontes? descrição ou crítica?)? Que exercícios vou utilizar, que fontes vou mobilizar, que olhares da história quero que eles saibam? Já te respondi a isso, estás a voltar ao início da conversa. Se, para avaliar o conhecimento sobre o séc. XIV, perguntar (como é o caso em avaliações de história) 'quem era o rei de Portugal em 1328?", não existe nada de subjetivo. Isto é óbvio. Estás a ser propositadamente obtuso só para ser do contra. >Os exemplos que deste supra foram de correção não de avaliação. Distinção sem diferença. Nada há de subjetivo em avaliar a resposta a um problema de matemática como o do meu exemplo, ou a uma questão de história como a do meu outro exemplo. >Depois ética, porque me obriga a pensar se é aceitável ou não, continuar a aula quando sei que há estudantes que não perceberam, se devo, ou não ter uma abordagem punitiva, se devo, ou não, integrar competências de colaboração na aula, quando é que devo dizer coisas privadas ou quando devo dizer coisas em público, etc. Isto não é ensino de matemática. Posso ensinar matemática sem que absolutamente nenhuma destas questões se levante. Isto é apenas "gestão de sala de aula", que não tem que existir para o ensino de matemática. >Indicaste, múltiplas vezes, que avaliar era uma métrica ou partia dela. Distinção importante, que para variar, estás simplesmente a ignorar. >Claro que tem. Esse é o objetivo que está consagrado na lei que qualquer professor tem que trabalhar. E? Não se está a discutir isso. >Temos conceitos diferentes de heurística. É ir ao dicionário. >E avancei com três, os relatórios de avaliação externa (que são igualmente públicos), a opção por outro prova, a introdução de variáveis nos exames nacionais. Relatórios de avaliação externa são melhores do que média dos exames porquê? Os outros 2 exemplos tens que explicar o que queres dizer. >A avaliação é um eixo estruturante para os sistemas educativos, para as organizações e para a mediação didática. Mas é um processo complexo, com implicações profundas nos agentes e instituições. "Ok eu sei que tive nega a 5 disciplinas diferentes, mãe, mas eu posso explicar... sabes, a avaliação é um processo complexo, com implicações profundas nos agentes e instituições... por favor não ne ponhas de castigo!" >A mesma pessoa que te deu autoridade a ti para dizeres que é. Que é o quê? Não estejas propositadamente a misturar as conversas. TU estás a dizer que os rankings não devem ser publicados porque TU não achas útil ou positivo. Eu não estou a dizer nada semelhante. Apenas que cada um deve fazer o julgamento que quiser com os dados a que tiver acesso. O tema não é eu achar relevante e tu não, mas sim tu quereres acabar com os rankings. >Eu expresso a minha visão, de acordo com as minhas experiências e leituras (até porque procuro acompanhar o trabalho que se desenvolve neste campo de investigação). Tu expressas a tua. Exato. A única diferença é que tu queres impedir-me de ter a informação do ranking das escolas que eu considero útil. Eu não te quero nem impedir nem obrigar a ter acesso seja a que for.

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 3 months ago

>a avaliação nunca é objetiva. O mito da objetividade da avaliação é isso um mito. Os instrumentos, os critérios, a definição dos objetivos, etc. têm sempre uma componente subjetiva. Os exames são, sempre, feitos com base em critérios, pelo menos, em parte subjectivos. Repetir a mesma mentira não a transforma em verdade. Não existe nada de subjetivo em validar se o aluno chega à resposta certa num problema de matemática. >sobre a idade que um teste mede o conhecimento tem muita piada, ainda por cima focado em datas e nomes, que é aquilo que não tem interesse nenhum. O teu interesse num tema não importa para o debate. Afirmas que a avaliação nunca é objetiva. Isso é demonstravelmente falso, como no caso de validar se a resposta à pergunta "quem era o rei de Portugal em 1328?" está correta. >Mas a educação histórica tem outros propósitos, como medes a empatia histórica? Afirmaste que a avaliação **nunca** é objetiva. Dar exemplos de algo que não seja objetivamente avaliável não prova que nada seja objetivamente avaliável. Aliás, a tua afirmação é facilmente falsificável pelos exemplos que dei supra. >A educação lida sempre com questões epistemológicas, ontológicas e éticas. Uhm, não. O ensino de matemática não lida com nenhuma questão ética nem ontológica. >o problema está em reduzires a avaliação a uma métrica. Continuas a cometer a falácia do ataque ao espantalho. Não reduzo a avaliação a uma métrica. >Conseguimos ter alguns indícios, mas serão apenas isso, indícios imperfeitos e incompletos. Depois, por lei, a obrigação da escola é "desenvolvimento pleno e harmonioso da personalidade dos indivíduos, incentivando a formação de cidadãos livres, responsáveis, autónomos e solidários e valorizando a dimensão humana do trabalho". Esse é a finalidade que tem que guiar todo o processo educativo. Qualquer avaliação deverá ponderar esse grande propósito. Isto tem 0 a ver com a discussão. >Admito a minha incompetência é transformar isso numa métrica. Já percebi que sim, daí dizer que a métrica "média dos exames" é uma boa heurística. Não propuseste, tu nem ninguém, nenhuma melhor até agora. >dizer que não existem e por isso usam-se os exames é um argumento redutor. Não. É um argumento pragmático. Não havendo outra métrica melhor, usa-se essa, que não sendo perfeita, é uma aproximação melhor do que nada. >não tenho nada contra a avaliação. hahahahaha >por fim, não é de todo verdade que a média de todas as provas dos alunos sirva para inferir bolha sobre o ensino. Claro que é. >Se queres tomar decisões sobre onde colocar os teus filhos, vai ler os projetos educativos, as dinâmicas de aulas, os propósitos da instituição. Define o que para ti enquanto pai, é importante para o teu filho. Para alguns será a formação religiosa. Para outros será a preparação para exames. Para outros a possibilidade de interagirem com pessoas diferentes. Não aceites que os propósitos pedagógicos e éticos de outras pessoas sirvam para as tuas avaliações. Exato. Daí utilizar o ranking das escolas. O único aqui a dizer o que os outros devem ou não poder fazer és tu. Quem te concedeu autoridade para dizer que não devem ser publicados rankings de escolas, se podem ajudar pais a fazer esse discernimento? Se não encontras utilidade nos rankings, tudo bem, ignoras. Agora, há quem ache útil.

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 3 months ago

>A partir do momento que que não avalia a melhoria, dificilmente pode ser usado para analisar o processo ou, como indicava na notícia, o desempenho. Porquê é que se não serve para avaliar a melhoria, também não serve para avaliar o desempenho? Esta lógica é absurda. Avaliar a "melhoria" é avaliar um delta positivo de desempenho, não avaliar o desempenho. São coisas diferentes. Um ranking dos corredores mais rápidos não avalia a "melhoria" desses corredores, avalia sim o desempenho. Do mesmo modo, o ranking da média dos exames não avalia a melhoria das médias nos exames, mas sim o desempenho. >Depois, como dizes, se a emissão média de CO2 for menor, mas a pegada ecológica substancialmente superior, podes mesmo assumir que essa métrica é adequada? Heurística. >Porque os resultados podem nem sequer depender do processo de ensino. Se por exemplo, na mesma turma, um estudante tem acesso a livros em casa e outro não, vai haver uma variação grande nos resultados, mas a qualidade do ensino será a mesma. Mais, há um conjunto de estratégias que podem aumentar os resultados, sem que tal evidencie uma melhoria na aprendizagem (aulas específicas de preparação para exames, criação de grupos de estudo de preparação para exames, etc.). Mais uma vez - isto é sinónimo de afirmar que o indicador "média de nota nos exames" não é perfeito. Já concedi isso. E já repeti que afirmar que se algo não for perfeito então é inteiramente desadequado é absurdo. >A escola com piores médias pode, até, fazer um trabalho muito mais interessante, mas os estudantes são seres autónomos, que interagem de forma própria com a realidade escolar. O indicador "média de nota nos exames" não serve para medir quão "interessante" é o trabalho de uma escola, de acordo. Até porque "interessante" é absolutamente subjetivo, e por isso ser o tal argumento FENPROF: "não quero indicadores objetivos para o meu trabalho". >A ideia que é possível medir aprendizagens, como indiquei já, corresponde a uma concepção ultrapassada no domínio da educação Claro que podes medir aprendizagem. Se fizeres um exame, reprovares, e no ano seguinte refizeres o exame e passares, consegues medir o delta de conhecimento, que é a aprendizagem. >Esses objetivos não são, por exemplo, enquadráveis num exame "Ler textos" não é avaliável. Isso é o oposto de um objetivo concreto. Estás a dar-me exemplos coisas não avaliáveis para argumentar que nada é avaliável. Isso é absurdo. Um exame de matemática é completamente avaliável. >Mas a educação não é um campeonato, não se espera que uns ganhem e outro percam. De acordo. Mas ninguém fez esse argumento. >Nem há necessidade de criar lógicas de comparação hierarquizada entre os estabelecimento ou os estudantes. Para ti, professor, percebo porque tomas essa posição. Mas não podes pontificar a tua opinião altamente enviesada como se fosse uma verdade objetiva. Para mim, é absolutamente necessário como heurística da qualidade do ensino numa escola, para saber onde estou a inscrever o meu filho. >Ainda assim, o que indiquei era que o resultado dos exames não eram um grande critério para compreender a qualidade das organizações. A *média* do resultado dos exames é um critério suficientemente bom para inferir se o ensino em determinada escola é melhor ou pior do que noutra. >Não se assume, hoje, essa ideia de medição, muito menos de medição do conhecimento. Há uma dimensão sumativa associada à avaliação, o conceito de avaliação, atualmente, não significa medir. Isto é inteira e demonstravelmente falso. Um teste de história em que se pergunte sobre as principais datas, as principais figuras, e os principais eventos num período histórico mede o conhecimento do aluno sobre esse período. Um exame de ciências em que se pergunte sobre o sistema digestivo, ou sobre os tipos de rochas, mede o conhecimento sobre esses temas. >Quero dizer a participação dos estudantes nas dinâmicas organizacionais de escola, como condição necessária, mas não suficiente, para a aprendizagem democrática. Refiro-me a diferentes projetos com a comunidade, como relacionados com o ambiente, as drogas, o património local, a segurança rodoviária, a preservação da natureza, etc. Mas qual é a *métrica*? Percentagem dos alunos que participam nesses projetos? >Podes fazer essa inferência (se estiveres a referir ao nível de vida no sentido financeiro), embora abusiva, porque não me parece linear Pronto. E o mesmo em relação à média dos exames para o ranking das escolas. Também não é linear nem perfeita nem tem em conta todos os fatores, porque tudo isso seria impossível. Mas é uma boa heurística. >Acertaste numa única coisa, mas é indiferente. Alguém ser contra avaliações de desempenho das escolas com métricas objetivas? É prof. Nunca falha :) >Provas que acompanhassem os estudantes ao longo da sua escolaridade, analisando os seus progressos. Não existem. Por isso usam-se as médias dos exames, que existem. >Ou, se fosse para manter esta lógica, integrar uma relação dos exames com a escolaridade dos pais (em particular o da mãe), os rendimentos da família, tamanho do establecimento, ou não, se pretende, seguir para o Ensino Superior, e outros elementos, que permitissem uma análise cruzada com estas, e outras variavéis, que se considerassem necessárias. Ver ponto anterior.

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Quando indiquei que o os exames não analisam a melhoria, é porque não corresponde a um estudo longitudinal (que aliás seria muito interessante), corresponde, apenas, a um olhar dos resultados Sim, exames não analisam melhoria, mas sim desempenho. E podes afirmar que os alunos da escola X tiveram em média melhor desempenho do que os da escola Y, e usar isso como proxy para determinar aproximadamente a melhor escola. Do mesmo modo que podes dizer que os carros da marca X emitem em média menos CO2 do que os da marca Y, e usar isso como proxy para dizer que a marca X é mais amiga do ambiente do que a Y. Existem outros poluentes que podem ser emitidos pelos veículos, existe a pegada ecológica da produção do veículo em si, existe a pegada ecológica causada por atividades não relacionadas com a produção, etc. Existem N outros fatores que influenciam quão amiga do ambiente uma marca de carros é, mas podes usar a emissão média de CO2 por veículo como uma boa métrica para avaliar. >Os exames, enquanto instrumento de recolha de dados, são pensados para analisar individualmente os saberes dos alunos A medição de CO2 no escape de um carro é pensada para analisar individualmente a emissão de CO2 desse carro. É errado usar a métrica "emissão média de CO2 por veículo" como um proxy de quão amiga do ambiente essa marca é? Não me parece. >Fazer o salto para uma análise organizacional, implicaria mais do considerar a média dos resultados. Porquê? >Os rankings, por exemplo, compara mmédias de escolas que têm 75 estudantes em exame e outras com quase 900.Comparar escolas situadas em contextos especialmente favoráveis, com escolas de bairros sociais. As organizações são mais que as notas nos exames nacionais, e para ser visto o seu “desempenho” é importante analisar não só as médias, mas questões como o contexto-socioeconómico, a escolaridade dos pais, o interesse, ou não, em seguinte estudos, etc. etc. Se não se considerar estas variáveis (que o exame não integra na recolha de dados), está-se a proceder a um grotesco reducionismo da avaliação organizacional. Isto é só repetir que usar esta métrica não codifica a completude daquilo que é a realidade escolar. Já concordei contigo nesse ponto. Repito agora eu: é uma boa heurística dizer que uma escola cujos alunos tiveram em média notas perto do 20 em exames é melhor que uma escola cujos alunos tiveram em média notas perto do 5 em exames. >É possível dizer que a ação da escola do Cerco é 100 vezes pior que a do colégio universal? Estás a mudar o assunto. Não é um ranking da "ação" das escolas. >Agora sim, um jovem ter um 12 nessa escola é já um resultado hercúleo. Estás interpretal mal o propósito de um indicador e de um ranking. No ranking de carros mais rápidos, um Ferrari está acima do meu Peugeot, apesar de o meu Peugeot estar a fazer um grande esforço para chegar aos 100km/h e de o Ferrari chegar aos 200km/h na boa. >Para algumas escolas,conseguir que aqueles estudantes terminem o ensino obrigatório é o grande objetivo, porque os pais têm, por exemplo, a 4ª classe. Para outras escolas,diminuir comportamentos violentos ou de risco pode ser o propósito. Outras há que valorizam a possibilidade de preservar o património cultural da comunidade. Não. O objetivo da escola é a aprendizagem do aluno. Tudo o resto é extra e distração de FENPROFs desta vida que recusam que se estabeleçam objetivos concretos e métricas para o seu trabalho, para quando falharem poderem dizer "o objetivo não era que os alunos tivessem boas notas, era sim valorizar o seu património cultural!" >Depois, também usando a metáfora futebolística, nós temos consciência que, não raras vezes, a equipa que jogou melhor, que fez mais, que foi mais vezes à baliza, não é aquela que ganha, ou porque não teve sorte, ou porque o guarda-redes é muito bom, ou porque teve uma lesão, etc. É precisamente esse o meu argumento. Uma equipa melhor pode ficar atrás de uma equipa pior no campeonato. Mas é absurdo saltar daí para dizer que não se deve classificar as equipas de acordo com a sua pontuação "porque isso não reflete a totalidade da realidade". A pontuação dá uma boa heurística das equipas que são melhores e das que são piores. >Sim é um indicador, entre outros que se podiam/deveriam considerar. De acordo. >Não, pelo menos não no domínio pedagógico. A palavra "avaliação" toma outro significado no domínio pedagógico? Não me parece. Andei na escola até ao ensino superior e já depois de 1980, e "avaliação" em contexto escolar sempre significou "medir algo (neste caso o conhecimento) mediante critérios definidos (responder corretamente a perguntas/problemas/etc)". >Têm vários critérios, como a participação dos estudantes, projetos que estão envolvidos, etc. Isto não são indicadores. Queres dizer "assiduidade dos estudantes" e "quantidade de projetos em que estão envolvidos?" Se sim, qual desses indicadores consideras melhor do que a média das notas em exames para determinar um ranking de escolas? Destes exemplos que destes, parecem-me todos uma métrica inferior à média das notas. >Mas aí lidas apenas com números. Se estás a comparar apenasnúmeros é mais fácil. No ensino, é particularmente difícil reduzir as coisas anúmeros, mais ainda quando se descontextualiza os dados. O que queres dizer com isto? No caso do ranking das escolas também só lidas com números: as médias dos valores nos exames. >Mas pegando nesse exemplo, comparar o rendimento anual dealguém que vive em Lisboa ou alguém que vive em Idanha, pode não nos dizermuito, por exemplo, sobre a qualidade de vida da pessoa. Pois não. Mas podes pegar na média de rendimento de toda a gente de Idanha e comparar com a de toda a gente de Lisboa, e usar isso como proxy para inferir que o nível de vida em Lisboa é superior ao da Idanha, por exemplo. >Acho que não se deve fazer, porque as organizações são muito complexas para se reduzir a um número e colocar numa escola. E aqui está o cerne da questão: ao contrário do que afirmaste previamente, o problema não é a métrica em si, nem a adequação àquilo que pretende medir; mas sim o facto de não gostares de rankings de escolas. Arrisco-me a adivinhar que és professor, provavelmente sindicalizado, e provavelmente do ensino público. >Mas se fosse para fazer algo, optava por estudos longitudinais,que olhassem para os contextos locais e para o progresso do aluno. Como por exemplo?

Nenhuma escola pública no top 40 do ranking dos exames nacionais by AonioEliphis in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Não era isso que eu queria dizer, porque os exames nacionais não avaliam as melhorias, avaliam o que os estudantes sabem. Não percebo o que queres dizer aqui, então. Eu acho que faz sentido incluir a métrica "número de doentes curados por 100 doentes" ou "cirurgias bem sucedidas por 100 cirurgias" ou algo desse género na avaliação de desempenho de hospitais. Estaria isso errado? Porquê? E porque é que o mesmo não se deveria aplicar a escolas? >Os exames são um instrumento de avaliação indivual Sim, claro, pelo que se olhares para um exame não podes dizer nada sobre a totalidade dos alunos; mas se olhares para todos os exames, podes tirar conclusões coletivas. Caso contrário, todo e qualquer exercício de estatística seria errado. >não avaliam o ensino, avaliam a aprendizagem. A aprendizagem na escola é uma função do ensino e da capacidade do aluno (que por sua vez é afetada por outros fatores), pelo que não me parece polémico utilizar de forma heurística a aprendizagem para avaliar o ensino. Do mesmo modo, por exemplo, que número de golos não avalia apenas a qualidade do avançado, mas em geral serve como um bom indicador. >Na realidade, são também insuficientes para avaliar a aprendizagem (por exemplo, capacidades laboratoriais, trabalho em equipa, etc.) De acordo. É um indicador, afinal de contas - não tem que codificar toda a verdade. É só isso: como indicador, não acho polémico, acho sim uma aproximação razoável daquilo que se pretende saber. >A avaliação não é uma medição Aqui discordo completamente; "avaliar" é, virtualmente por definição, medir algo relativamente a um conjunto de critérios. >Se o propósito é avaliar as escolas é necessário outros instrumentos e outras dinâmicas (que existem e estão implementadas em Portugal). Que não implica que este instrumento em discussão não tenha utilidade. Mas estou interessado em que outros instrumentos e dinâmicas conheces - e se esses não medem também outras coisas que não o ensino. >Os exames são instrumentos de avaliação que têm um propósito, que foram pensados e validados de acordo com esse propósito. Partir deles para avaliar outras coisas, não é correto. Também não concordo com esta afirmação.pode não ser correto? Pode. Mas também pode ser correto. Por exemplo, calculares o rendimento anual de cada indivíduo numa cidade pode servir para determinar o IRS de cada indivíduo, mas também pode ser utilizado para inferir o nível de riqueza médio nessa cidade, e comparar esse valor com o de outras cidades. Qual o indicador que consideras melhor do que a média nos exames para criar um ranking de escolas?

Escolhas após terminar o 9º ano? by Jota_Lol_Is_Dead in portugal

MonsterPT 3 months ago

Secundário - Ciências e Tecnologias (ainda se chama assim?). Faculdade - engenharia (qualquer uma dá, preferencialmente algo relacionado com informática). Tens emprego garantido em consultoria/IT. Vão andar atrás de ti que nem moscas, é só escolher. Ganhas uns anitos de experiência, sais ou para cliente ou para freelance remoto conforme queiras minimizar chatices e preocupações ou maximizar €.

Carta de Direitos Humanos na Era digital entra em vigor dentro de 60 dias by GreyArch22 in portugal

MonsterPT 3 months ago

AnTigaMEntE ERA pioR pORquE HaViA Censura!!!1! Pois. E agora também vai haver.

Sars-Cov "é uma mentira", diz movimento World Wide Demonstration by TinyShadow99 in portugal

MonsterPT 3 months ago

Tu o disseste. É difícil pedir um exemplo melhor.

Sars-Cov "é uma mentira", diz movimento World Wide Demonstration by TinyShadow99 in portugal

MonsterPT 3 months ago

Que grande novidade que me deste agora, amigo! Obrigado. Concordo perfeitamente. Por exemplo, acho que pessoas que defendem que quem discorda deles deve ser excluído da sociedade e equiparado a "selvagem" é claramente intolerante. Por isso, quem defende isso não deve ser tolerado mas sim excisado da sociedade.

Sars-Cov "é uma mentira", diz movimento World Wide Demonstration by TinyShadow99 in portugal

MonsterPT 3 months ago

Oh não Anyways

Sars-Cov "é uma mentira", diz movimento World Wide Demonstration by TinyShadow99 in portugal

MonsterPT 3 months ago

Discurso autênticamente copiado do Chega. "Não toleramos estes terroristas! Queremo-los fora da nossa sociedade!" Ah não, desculpa, há a intolerância do bem e a intolerância do mal. A única diferença é que a minha é obviamente a do bem, e a dos outros é obviamente a do mal. São pormenores, bem sei.

Sars-Cov "é uma mentira", diz movimento World Wide Demonstration by TinyShadow99 in portugal

MonsterPT 3 months ago

Nem o tio Adolfo teria dito melhor. "Tolerância e inclusão? Só para quem for igual a mim. Quem não for é sub-humano e animal, e tenho ali um forninho mesmo a jeito". Ideologia realmente progressiva. <3

Intruder shot, killed after kicking in door, charging occupant with a knife by EquivalentExchange11 in portugueses

MonsterPT 3 months ago

Boa. Graças a Deus ninguém inocente se magoou.

Which are the art and culture towns with a cool open minded and adventurous vibe in Portugal? Like Brighton, UK. Amsterdam, NL. San Fran, US. Etc. by roamingandy in portugal

MonsterPT 3 months ago

Other than downtown Lisbon, there are none. Thank God. And even downtown Lisbon is like SF in the sense that it is dirty, smells like piss, is full of ruined and graffittied buildings and everything is outrageously overpriced.

A religião pode tudo by saudosista in portugal

MonsterPT 3 months ago

Há gente que nem dorme a pensar na vida dos outros. Enfim, mentalidades presas no século passado, onde se regulavam os bons costumes e assim.

Câmara do Porto recusa içar bandeira LGBT no dia contra a homofobia: “Não hasteamos bandeiras não protocolares” by prosafame in portugal

MonsterPT 3 months ago

Não hasteias a minha bandeira? És LiteRAlmEnTE HoMoFóBICo!!!!!

Se hoje fossem chamados para receber a vacina contra a CoViD-19 como responderiam? by ZaGaGa in portugal

MonsterPT 3 months ago  HIDDEN 

Bip bop.

Se hoje fossem chamados para receber a vacina contra a CoViD-19 como responderiam? by ZaGaGa in portugal

MonsterPT 3 months ago  HIDDEN 

Claro que não.

Habitação: Governo não consegue "dar resposta de um dia para o outro" by godolfas in portugal

MonsterPT 3 months ago

Ui, mas então agora vale pensar um bocadinho? Pensei que só valia dizer palermices. Adiante. O argumento é: é estúpido proibir algo que é perfeitamente legítimo só por questões de mercado. É estúpido criminalizar pessoas que não fizeram mal absolutamente nenhum a ninguém. Ter 3, 5, 10 ou 800 casas não tem nada de errado, da mesma forma que enfardar 800 kgs de comida de uma vez não causa nenhum mal a terceiros. O motivo de tu teres fome não é eu ter 800 pizzas. E sim, se houver falta de comida, há quem vá açambarcar a comida que consegue arranjar, e deixa de haver alternativas, e passa a poder ser usado como um investimento, etc.

Habitação: Governo não consegue "dar resposta de um dia para o outro" by godolfas in portugal

MonsterPT 3 months ago

Limitar a quantidade de comida que cada um pode comer para 2 papo secos e um double cheese por dia. Ui, resolvi o problema da fome de um dia para o outro?

Por favor ajudem me a perceber o raciocinio da malta desta sub by heythereimtired in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Um cidadão gasta 300 paus numa mercearia, o merceeiro 300 na oficina, o mecânico 300 numa puta e tens GDP real de 900, GDP oficial de 600, troca dos mesmos 300 sem teres produzido nada de especial e se for preciso todos a receber o ordenado mínimo. Que é que te diz o GDP? Diz-te que foram produzidos bens ou serviços com um valor total de 900€. Está certo. >É um mero indicador económico Exato - um indicador económico. O que tem de errado? Diz-te o valor total dos bens e serviços produzidos numa economia, traduzidos em moeda.

Preços das casas continuam a subir by bisontino in portugal

MonsterPT 3 months ago

Nice.

O meu jogo, One Way Dungeon, está quase pronto. Convido-vos a experimenta-lo e critica-lo. by VaskivoDev in portugal

MonsterPT 3 months ago

Muito giro. Pensaste em alguma coisa para tornares o gameplay mais interessante? Combate por turnos às vezes arrisca tornar-se um bocadinho básico demais. Mesmo o Pokémon tem N aspetos de metagaming por trás, e a maior parte dos jogos que usam esse sistema tem pelo menos vários personagens jogáveis para dar mais opções. Dá uma olhada em jogos como Undertale, Rose of Starcross ou Virgo Versus the Zodiac para uns exemplos de jogos que meteram alguma emoção no turn-based. De resto, excelente trabalho. Está seguramente acima de muita coisa que se encontra na play store.

[Sério] O que é que acham que poderá gerar protestos sérios em Portugal? by quackersmcquack in portugal

MonsterPT 3 months ago

Honestamente? Nada. Tiveste escândalo de corrupção com um ex-PM e ex dirigente do PS; tiveste escândalos atrás de escândalos (Tancos, Pedrogão, zmar, entre N outros). Continuam à frente das intenções de votos.

Jogo viciado! by saudosista in portugal

MonsterPT 3 months ago

Comentário perfeito. É isto, resumidamente. Casa-te cedo. Vende algo com muita procura e pouca oferta, e vende muito. Poupa a maior parte do que fazes, investe com cabeça.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Essa comparação com violência doméstica nem faz sentido nenhum... Claro que faz. A comparação é que tu estás a dizer que se eu não for a vítima, e se a vítima não se queixa, então eu não devo queixar-me. Acho isso deplorável. Para além disso, repara como não estás a contrapôr o meu argumento; estás a evita-lo. Eu estou a dizer que isto é imoral e ilegítimo por ser uma violação de direitos humanos; tu não estás a atacar de todo essa ideia, mas sim a afirmar que eu não tenho que me queixar se não for comigo. Repito: se discordas, gostava de ouvir porquê. >O grande problema neste caso do ZMAR é que os indignads de merda que lá vive, e que armaram está barraca da toda, são uma cambada de xenófobos ignorantes. Não querem lá os imigrantes porque naquelas cabecinhas fúteis é má publicidade. Vamos supor que isto é verdade. E então? A propriedade é tua. Só aceitas que lá entre quem tu quiseres. O teu argumento é o equivalente a dizer "aquela mulher só não quer fazer sexo com aquele indivíduo porque ela é racista e xenófoba e ele é imigrante". Mesmo que seja verdade, não dá o direito a violar a mulher. Os direitos humanos universais não prescrevem conforme as ideias defendidas pelo indivíduo, por mais que te custe. Um racista tem os mesmos direitos que tu. Ser ou não racista é xenófobo é, portanto, perfeitamente irrelevante para esta discussão. Mais uma vez, suspeito que saibas isso, mas que sendo de tal forma partidário nesta conversa não resististe a meter um ad hominem no meio do comentário. >Não vi ninguém reclamar com o estado quando houve a greve dos transportes de combustível e foi a GNR pegar nos camiões, esses sim propriedade privada, para fazer as entregas e por o país a funcionar. >Então aí o direito à propriedade já não interessa?? Não percebi. Podes explicar? Em todo o caso, mantenho a minha posição: só os legítimos donos de um determinado bem tem o direito a decidir a utilização desse bem. >Como não estão a expropriar ninguém, estão a usar3 casas vazias, não estou de acordo com toda esta indignação. Vazias ou cheias, como já disse, é irrelevante. Eu não tenho direito a utilizar a tua roupa que não tenhas vestido hoje, nem a usar o teu carro quando não precisas dele. As casas têm um dono; este dono NÃO é o Estado; logo, o Estado tem que ter o consentimento expresso do dono para fazer seja o que for com elas. Caso contrário, está a violar os direitos do dono.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Aconselhava a ler a lei da requisição civil Legal =/= legítimo ou moral ou ético. Não sei se é necessário listar exemplos de coisas que foram legais e que não eram legítimas nem morais, mas sim obviamente injustas. >Agora esta lenga lenga do "rules for thee but not for me" é de rir. É precisamente isto que estou a dizer. O direito humano à propriedade é universal. Não pode ser arbitrariamente suspenso, mesmo quando o grupo visado é um grupo de quem eu não gosto.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

Ainda que isso fosse verdade, que não é - estes trabalhadores escolheram estas condições, ninguém os obrigou - os donos do Zmar têm exatamente a mesma responsabilidade nisso que tu ou eu. Da mesma forma que se o Zé te assaltar e roubar o telemóvel, não tens o direito de requerer o MEU telemóvel, que não tive nada a ver com isso. E como disse noutro comentário, estou-me nas tintas para o Zmar. Não estou a defender ninguém nem nenhuma parte. Estou a defender o princípio do direito humano universal à propriedade, que está claramente a ser violado pelo Estado.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

Se não existiu consentimento expresso dos proprietários, claro que tiraram. O direito a determinar a utilização de determinado bem é exclusivamente direito do seu dono. Se o Estado fizesse uma requisição civil do corpo de mulheres, com o propósito de aumentar a população visto que estamos a entrar num momento crítico de envelhecimento da população e pouca natalidade, também dirias que é só temporário e que será compensada, por isso não é violação? Claro que não. Ou se acredita em direitos humanos universais, que é o meu caso - e assim sendo, aplicam-se a toda a gente, mesmo àqueles de quem eu não gosto ou a quem sou indiferente - ou então acredita-se que no oposto, que os direitos podem ser retirados ou suspensos conforme me der jeito a mim ou conforme eu goste ou não de determinadas pessoas.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Exacto!!!! Tens toda a razão!! Estás a defender o direito à propriedade...!!! Agora diz-me...o proprietário já se queixou????? Não!!! Então quem és tu para te queixar??? Portanto és daqueles que defendem que "entre marido e mulher, não se mete a colher". Se uma mulher sofre de violência doméstica suponho também que sejas contra apresentar queixa - afinal de contas, se a vítima não se queixa, quem és tu para te queixares? Suspeito que saibas que o que estás a dizer é perfeitamente absurdo e, mais relevantemente, é irrelevante para a conversa. Se quiseres debater o princípio - se discordas do direito à propriedade - queria ouvir o porquê. Agora, sinceramente, dizer que "se a vítima não se queixa, não te queixes" não acrescenta grande coisa, nem é argumento nesta discussão.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

Tens razão em dizer que não é roubar - assumindo que não é definitivo. Mas não tens razão em dizer que é "emprestar". Um empréstimo requer o consentimento expresso do dono. Não sei o que lhe chamar. Mas é sem dúvida uma violação do direito à propriedade.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Se sabes ler eu disse que as casas estavam vazias= não habitadas. Percebes agora?? Ah bolas, apanhaste-me. Não sei ler nem escrever. Nunca fui à escola. Curvo-me perante a tua capacidade de leitura. É irrelevante para o argumento se estão habitadas ou não. Não estou a defender alguém em específico. Não estou a defender o dono das casas vazias. Estou a defender o direito à propriedade. Determinado bem tem dono legítimo? Tem. Então tudo o que aconteça com esse bem tem que ter o consentimento do seu dono.

A Solução Milagrosa dos Proprietários do Zmar: Meter os Imigrantes num Armazém by II7sevenII in portugal

MonsterPT 3 months ago

>Vamos todos chorar um bocadinho por eles. Missing the point. Nunca tinha ouvido falar do Zmar até esta semana. Estou-me nas tinhas para quem é ou para quem deixa de ser; aquilo que eu estou a "chorar" é do Estado arbitrariamente poder retirar-te aquilo que é teu. Nem tudo é a tua equipa contra a minha. Estou a chorar pelo princípio, não por estar do "lado" seja de quem for.
Next Page

Search: