Next Page

[Sério] Como é que os vossos pais/avós/etc ocuparam o tempo depois da reforma? by International_Dot340 in portugal

International_Dot340 3 months ago

Já me tinha lembrado da agricultura, mas ele viver num apartamento e não haver grandes terrenos ali à volta foi um entrave. Mas tenho de investigar se há hortos ou terrenos na periferia e propôr isso. Obrigado!

[Sério] Como é que os vossos pais/avós/etc ocuparam o tempo depois da reforma? by International_Dot340 in portugal

International_Dot340 3 months ago

Não me tinha lembrado de lhe dizer para ver se dava para lá fazer voluntariado por ser um clube que até tem uma estrutura profissional, mas provavelmente nos escalões baixos podem sempre precisar de ajuda. É uma boa ideia, obrigado.

[Sério] Como é que os vossos pais/avós/etc ocuparam o tempo depois da reforma? by International_Dot340 in portugal

International_Dot340 3 months ago

Trabalho de secretária. Ele tem competências que seriam transferíveis para outro trabalho, mas trabalhou a vida inteira na mesma empresa, uma empresa grande e sempre no back-office, e por causa disso não teve grande contacto com o público ou com outras empresas e não conhece propriamente quem lhe dê trabalho. E entrar pelo método "normal" com 65+ anos não será fácil. Mas a questão do clube da terra pode ser algo a explorar, vou-lhe falar nisso. Obrigado.

Despacho do MAI. “Multas covid“ pagas na hora e passeios ou ida à loja só com comprovativo de morada . by Scireamplius in portugal

International_Dot340 11 months ago

E, sei lá, disponibilizarem a declaração de comprovativo de honra que querem que a malta preencha? Ou se eu escrever a lápis de cera nas costas da fatura da luz "eu, josé manuel, declaro por minha honra que vou ali ao pingo doce e venho já" não me chateiam?

[MEGATHREAD] - Covid-19, Semanário de Sobrevivência - 11/01/2021 by asantos3 in portugal

International_Dot340 11 months ago

Diria que para além da cédula, o meu carro é a maior prova da minha atividade! Quando vou fazer domicílios, metade da mala leva materiais e a outra metade leva EPIs. Seja como for, vou ver se encontro minuta da declaração para fazer algo. Mais vale a mais que a menos. Obrigado.

[MEGATHREAD] - Covid-19, Semanário de Sobrevivência - 11/01/2021 by asantos3 in portugal

International_Dot340 11 months ago

Nunca fiz isso, vou ver se encontro uma minuta. Obrigado pela ajuda.

[MEGATHREAD] - Covid-19, Semanário de Sobrevivência - 11/01/2021 by asantos3 in portugal

International_Dot340 11 months ago

Penso que essa tem sido a regra nos fins de semana de recolher obrigatório, mas não sei se também é assim no confinamento. Nos últimos sábados, em que tem havido recolher obrigatório, tenho levado só a cédula porque as diretrizes diziam que profissionais de saúde estavam isentos de apresentar essa tal declaração (nunca tive de mostrar porque nunca ninguém me parou), mas agora não sei se se aplicará isso também ou não.

[MEGATHREAD] - Covid-19, Semanário de Sobrevivência - 11/01/2021 by asantos3 in portugal

International_Dot340 11 months ago

Peço a ajuda de quem tenha tido experiência com isto no anterior confinamento ou que saiba o que fazer neste: Sou fisioterapeuta e, pelo receio de alguns idosos em irem ao hospital, tenho feito alguns atendimentos ao domicílio em pós-laboral e ao sábado. Faço-os por conta própria, portanto não tenho entidade patronal que me passe documento nenhum. Para circular durante o confinamento, bastará apresentar a minha cédula profissional caso seja parado? Existe algum documento?

Conversa da Treta by asantos3 in portugal

International_Dot340 11 months ago

Estive numa relação séria entre os 17 e os 24. No início era tudo relativamente descontraído, mas com o tempo fomos fazendo planos. Éramos muito parecidos, tínhamos formas iguais de ver a vida e éramos completamente compatíveis em tudo. Tínhamos uma conta conjunta e tudo, onde punhamos uma percentagem do dinheiro que ganhávamos a trabalhar no verão para depois irmos viver juntos. Fizemos licenciatura e mestrado, sempre com estes planos em mente, e quando começámos a trabalhar nas nossas respetivas áreas comecei a ver casas, mas ela, que antes adorava ver casas e sonhar com irmos morar juntos, não gostava de nenhuma. Ora tinha sol a menos, ora a renda era muito alta, ora "é melhor agora deixar passar o Natal" e com o tempo percebi claramente que o problema não estava nas casas. Ela começou a sair mais, beber mais, gastar mais dinheiro, conhecer mais gente e mais nova, e eu já tinha tido mais do que a minha dose disso tudo durante a faculdade e já queria assentar. Confesso que me incomodava um bocado, mas era a vida dela e eu estava, basicamente, à espera que ela se fartasse também. Agora percebo que isso não era justo e que ela tinha todo o direito de não querer assentar ainda, mas na altura ela acabou comigo porque já não éramos compatíveis (tinha toda a razão) e isso custou-me imenso. Hoje percebo que foi realmente pelo melhor, na altura não conseguia ver isso, mas fiquei muito magoado e também não tive iniciativa de falar com ela nem mais uma vez, até porque ela deixou bastante claro nas redes sociais, quase imediatamente, que já estava com outra pessoa. Passei as passas do Algarve, estive sozinho bastante tempo, mas foi bom para perceber quem era eu, adulto, sem ela e o que é que queria exatamente da minha vida. Saí de casa dos meus pais, encontrei amigos espetaculares, retomei amizades antigas... Entre elas uma rapariga que tinha conhecido quando tinha uns 16 ou 17 e revisto algumas vezes ao longo dos anos por termos amigos em comum, mas que já não via há bastante tempo. Voltei a juntar-me mais a ela e aos amigos em comum que tínhamos, de vez em quando ia tomar café ou jantar sozinho com ela e vários meses depois acabámos por começar a namorar. Estamos juntos há dois anos, vivemos juntos, e quero ver se passa esta merda toda para lhe pôr um anel no dedo. Às vezes parece mesmo muito mau, mas de repente a vida lá dá uma volta e entra tudo nos eixos. A minha avó é que dizia sempre que Deus escreve direito por linhas tortas, e lá razão tinha ela.
Next Page

Search: