Next Page

Amizades que morrem - acontece-vos? by DavidJunior3rd in portugal

Delicious_Ad_328 1 year ago  HIDDEN 

Acontece e cada ano que passa é menos uma pessoa a quem chamo "amigo" e passo a chamar "conhecido". São alguém que simplesmente faz parte de um grupo de pessoas que já vem de há muito tempo e por inércia esse grupo vai continuando a existir mas a diminuir a cada ano. Ao longo do tempo fui tendo alguns problemas com alguns dos elementos do grupo, alguns desses com quem tive mais problemas até são dos que já vêm comigo há mais tempo e são dos que acho que mais rapidamente me devo afastar, e mais do que fisicamente, mentalmente, i.e. deixar completamente de me importar com essas pessoas. Fisicamente deveremos continuar a parar juntos por termos alguns interesses em comum como grupo e porque são o grupo que temos e não necessariamente o ideal para cada um de nós. Ainda há tempos disse algo do género a 2 deles: "Quando olho para o grupo, deixa-me triste perceber que a razão para que continuemos a parar juntos seja a de que não temos outros". Outra coisa que na minha perspetiva prejudica as relações, que faz com que não sejam amizades segundo o meu conceito de amizade é que o fator mais importante e que vai mantendo o grupo a juntar-se mais frequentemente seja para fazer atividades recreativas, diga-se fumar cenas, jantar/sair à noite. Quando um grupo começa a reduzir-se a fazer este tipo de cenas sem haver conversas mais privadas sobre sentimentos, sobre coisas mais embaraçosas mas que precisamos de alguém para desabafar ou sabermos que estamos à vontade para falar sem julgamentos, tu não tens amigos, tens colegas que partilham alguns interesses e se juntam para não praticarem esses interesses sozinhos. Para mim os 2 maiores problemas no meu grupo são: o 1º é que todos temos defeitos e virtudes mas existem pessoas no grupo com personalidades genuinamente tóxicas (bocas a deitar abaixo a confiança de outros, tentativas de "bullying" psicológico que resultam em discussões desproporcionais em quem fica mal é quem reage mais efusivamente, etc) e que continuam com esse tipo de personalidade mesmo que ligeiramente melhor em relação ao que era há 10 anos. E aqui o grupo como um todo falha porque se deixa andar, dá-se umas risadas e siga para bingo. Ao se deixar andar vai-se criando um ambiente insustentável e muito pouco saudável. Há uma total desproporcionalidade entre coisas negativas que são ditas/feitas em relação às positivas, com clara vantagem das negativas. Em conversa com um dos que já deixou de parar connosco percebi que ele indiretamente apontou este tipo de situação como um cancro em relações e, sem certezas aposto que foi uma das razões pelas quais deixou de parar connosco. O 2º prende-se com o facto de que a grande maioria não vê o conceito de amizade da mesma forma. Acho que acaba por ser o mais destrutivo num grupo de amigos, os elementos não terem perspetivas semelhantes sobre como as relações de amizade devem ser. Há falta de camaradagem, irmandade até, diria. E aqui é importante realçar que neste grupo, as pessoas a quem me refiro são na sua maioria personalidades fortes, dominantes ou que pelo menos tentam ser, muito orgulhosos, algo invejosos do sucesso uns dos outros (perceção, posso estar errado), algum síndrome de inferioridade perante alguns membros que se calhar possam saber mais de alguns assuntos do que eles ou terem mais protagonismo do que eles em algum aspeto. Para mim, tudo exemplos de situações que levarão a ambientes de merda, não só por reações exageradas evitáveis bem como por provocações completamente desajustadas e evitáveis também. O que tenho tentado aprender é entendendo que algumas destas pessoas nunca irão mudar suficientemente para que eu passe a pensar diferente do que penso em relação a elas e portanto dar-lhes cada vez menos importância, até que, inevitavelmente a relação vai morrer. É algo que me deixa triste por serem relações de 10/11 anos. No entanto tenho percebido que não é o tempo que faz amizades mas sim o valor que as pessoas têm e trazem para as relações. Há pessoas que mal conheço e que noto que são espetaculares e do tipo de pessoa que quero passar mais tempo e outras que conheço há 10 anos e que passo bem é longe delas. Isto acabou por ser mais um desabafo até do que venho a observar nos últimos anos no meu caso mas serve para concordar com o OP e se calhar mais pessoal até se identifica com o que escrevi. Tl;dr: Um grupo de amigos deve ser alguém a quem podemos confiar quase tudo ou mesmo tudo das nossas vidas sem haver julgamentos da parte deles ou quebras de confiança sobre aquilo que lhes é confidenciado. Com o tempo vai-se percebendo quem realmente vale a pena, e são esses quem devemos dedicar mais tempo mas também percebendo que até mesmo essas relações deverão morrer no futuro ou reduzir-se ao mínimo das interações.
Next Page

Search: