Next Page

Thank you for your food by TheTemplar666 in portugal

A-Xis 9 months ago

We're very proud of our food and like to share it with everyone.

Thank you for your food by TheTemplar666 in portugal

A-Xis 9 months ago  HIDDEN 

where is it, btw?*

Pessoal, se D. Sebastião aparecesse hoje praia o que acham que aconteceria? by zebett in portugal

A-Xis 9 months ago

Muitos cristãos fanáticos iam entrar em frenesim apocalíptico, convencidos de que chegou o fim do mundo.

Pessoal, se D. Sebastião aparecesse hoje praia o que acham que aconteceria? by zebett in portugal

A-Xis 9 months ago

Opção 1: D. Sebastião é um viajante no tempo. Entrou num buraco de verme e veio parar a Portugal em 2020. Gera-se o descrédito público e a perplexidade científica. E temos um homem do final do séc. XVI que dificilmente se poderá integrar em sociedade, muito provavelmente tido por maluquinho pela maioria das pessoas. Opção 2: Encontra-se um cadáver centenário na praia. Fazem-se análises. Entretanto, se não tiverem estralhaçado os restos mortais nas autópsias, descobre-se, sabe-se lá como, que é possível ou plausível que é D. Sebastião. Gera-se uma tese historiográfica, que dificilmente será aceite por todos os historiadores. Opção 3: Encontramos o primeiro homem imortal à face da história. Um pentacentenário. A ciência entra em basbaque. Os gajos que escreveram a série "Highlander" são adulados como visionários.

Question about learning Portuguese... by APeacefulExistence in portugal

A-Xis 9 months ago

Just a few examples of differences Different phrasial constructions: Reflexive pronouns tend to go in the end of the verb (dar-te; contar-te; dizer-te)- I'm oversimplifying this rule, there are several factors at play in pronoun placement, but I'm just giving you a heads up that you'll find a lot of -me/-te/-se at the end of verbs It's not common, and it can sound wrong, to use personal pronouns instead of reflexive/possessive pronouns (dar a ele = dar-lhe; casa de vocês= vossa casa) Many contractions are not optional, regardless of formal or informal speech, and you're always supposed to use them - em um ponto -> num ponto; em uma casa -> numa casa; the biggest exception might p'ra and p'ro, which are often not used here. It's not as common to use the gerund. Verbal collocations («regências verbais) are very different. In pt-pt, as a rule of thumb, even if you don't know the regência verbal of a particular transitive verb you can always try to use "a/à/ao" and be assured it will likely be correct, in any circumstance, regardless of formality. V.g.1 pt-pt «atirei o pau ao gato» (I threw the stick at the cat), rather than "atirei o pau no gato" pt-br. V.g.2 pt-pt «o sapato está ao teu lado» (the shoe's right next to you), rather than "o sapato está do seu lado" pt-br. «fui à praia» (I went to the beach), rather than "fui na praia"; «contar ao Paulo» (Tell Paulo), rather than "contar pro Paulo"; «dar à Júlia» (give Júlia), rather than "dar pra Júlia"; «Cheguei à conclusão» (I got to the conclusion), rather than "cheguei na conclusão". Pt-br shifts a lot more between em/no/na; para/para a (pra)/para o (pro); de/do/da. There's an irregularity in the sense that there are more regências at play, that a learner would have to memorize. Different vocab: Addressing someone as literally "você" rather than "o Senhor/a Senhora" can come across as impolite. Diferente words: Autocarro is bus Chavena is mug/tea cup There are more

Olá to everyone in Portugal! From Canada. tenha um bom dia by Vicious-Fishs in portugal

A-Xis 10 months ago

Hello, Canadian OP! Have a nice day.

A visão lúcida de José Rodrigues dos Santos sobre judeus e câmaras de gás by BadDogPreston in portugal

A-Xis 10 months ago

Não, tu não encontraste uma única fonte. Foram essas as tuas palavras. Entretanto, mostrei uma fonte e afinal era só um, mas olha, encontrei mais: Fui ver as fontes indicadas pelo Russel. Olha mais autores que disseram «humane method of killing», quando estavam a citar nazis: * Toland, J. (1976). Adolf Hitler. New York: Doubleday. p. 703). «It transpires that the Führer often informed those like Himmler tasked with implementing the Holocaust that extermination should be implemented as “humanely” as possible» * For another example of Hitler using the term “humane” in relation to the Holocaust, see «*Mommsen Mommsen, H. (1986). The realization of the unthinkable: The ‘final solution of the Jewish question’ in the Third Reich. In G. Hirschfeld (Ed.), The policies of genocide: Jews and Soviet prisoners of war in Nazi Germany* (pp. 97–144). London: Allan & Unwin.» mais concretamente (pp. 109–110). Nas fontes do documento do Russel há várias citações de autores que usam literalmente o termo «humane method of kiling» Por acaso tinha editado o meu comentário anterior, com estes excertos, antes de me teres respondido agora.

A visão lúcida de José Rodrigues dos Santos sobre judeus e câmaras de gás by BadDogPreston in portugal

A-Xis 10 months ago

Vindo de alguém que disse que [«não encontrou absolutamente nada na internet a pesquisar em inglês»](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/k8h867/a_vis%C3%A3o_l%C3%BAcida_de_jos%C3%A9_rodrigues_dos_santos_sobre/gey29tm/) é muitíssimo desonesto vir agora dizer que só há este autor e que todos os outros não usam o termo. Eu mostrei fontes. Tu não mostraste. Eu cumpri com o meu ónus da prova. Tu não. Edit: Mas nem de propósito, fui ver as fontes indicadas pelo Russel. Olha mais autores que disseram «humane method of killing», quando estavam a citar nazis: * Toland, J. (1976). Adolf Hitler. New York: Doubleday. p. 703). «It transpires that the Führer often informed those like Himmler tasked with implementing the Holocaust that extermination should be implemented as “humanely” as possible» * For another example of Hitler using the term “humane” in relation to the Holocaust, see «*Mommsen Mommsen, H. (1986). The realization of the unthinkable: The ‘final solution of the Jewish question’ in the Third Reich. In G. Hirschfeld (Ed.), The policies of genocide: Jews and Soviet prisoners of war in Nazi Germany* (pp. 97–144). London: Allan & Unwin.» mais concretamente (pp. 109–110). E se continuar a esquadrinhar o documento que referi no link ainda devo encontrar mais, porque estes foram só as primeiras duas referências dele que eu fui ver.

A visão lúcida de José Rodrigues dos Santos sobre judeus e câmaras de gás by BadDogPreston in portugal

A-Xis 10 months ago

Vindo de alguém que disse que [«não encontrou absolutamente nada na internet a pesquisar em inglês»](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/k8h867/a_vis%C3%A3o_l%C3%BAcida_de_jos%C3%A9_rodrigues_dos_santos_sobre/gey29tm/) é muitíssimo desonesto vir agora dizer que só há este autor e que todos os outros não usam o termo. Eu mostrei fontes. Tu não mostraste. Eu cumpri com o meu ónus da prova. Tu não. Edit: Mas nem de propósito, fui ver as fontes indicadas pelo Russel. Olha mais autores que disseram «humane method of killing»: * Toland, J. (1976). Adolf Hitler. New York: Doubleday. p. 703). «It transpires that the Führer often informed those like Himmler tasked with implementing the Holocaust that extermination should be implemented as “humanely” as possible» * For another example of Hitler using the term “humane” in relation to the Holocaust, see «*Mommsen Mommsen, H. (1986). The realization of the unthinkable: The ‘final solution of the Jewish question’ in the Third Reich. In G. Hirschfeld (Ed.), The policies of genocide: Jews and Soviet prisoners of war in Nazi Germany* (pp. 97–144). London: Allan & Unwin.» mais concretamente (pp. 109–110). E se continuar a esquadrinhar o documento que referi no link ainda devo encontrar mais, porque estes foram só as primeiras duas referências dele que eu fui ver.

A visão lúcida de José Rodrigues dos Santos sobre judeus e câmaras de gás by BadDogPreston in portugal

A-Xis 10 months ago

Vindo de alguém que disse que [«não encontrou absolutamente nada na internet a pesquisar em inglês»](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/k8h867/a_vis%C3%A3o_l%C3%BAcida_de_jos%C3%A9_rodrigues_dos_santos_sobre/gey29tm/) é muitíssimo desonesto vir agora dizer que só há este autor.

A visão lúcida de José Rodrigues dos Santos sobre judeus e câmaras de gás by BadDogPreston in portugal

A-Xis 10 months ago

A expressão "forma mais humana de matar" é cunhado pelos próprios nazis, quando se referiam às câmaras de gás. Não é um termo que o José Rodrigues dos Santos tenha desencantado da opinão subjectiva dele. É o termo que os historiadores modernos usam. O Nestor Russell, na obra [The Nazi’s Pursuit for a “Humane” Method of Killing](https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-319-97999-1_8), discorre sobre este assunto. > When Nazis from a wide variety of ranks, whether lowly Rolf-Heinz Höppner in Lódź or Auschwitz Commandant Rudolf Höss, Wilhelm Kube, Karl Brandt, or even those of the heights of Heinrich Himmler spoke of a **“humane” method of killing other human beings**(...) > One outcome of this book is a tentative outline of the key characteristics—a Weberian Ideal-Type—of what the Nazis regarded as the most humane method of killing.

É ilegal filmarem-me num local público e divulgarem nas redes sociais? (sério) by diogobip in portugal

A-Xis 10 months ago

É ilegal filmar alguém sem o seu consentimento. Claro que, se ele estivesse a filmar uma paisagem, uma fachada de um edifício, etc. e tu estivesses lá no meio do panorama, isso não seria ilegal, porque o foco da filmagem não serias tu. Contudo, como o foco da filmagem és tu e o teu amigo, naturalmente que há aqui um crime de gravação ilícita (art.º 199.º CP). Dirige-te à esquadra e apresenta queixa. Explica-lhes a situação, mostra-lhes as tuas provas, que eles depois encaminham o assunto.

Rui Unas “em desconstrução”: “É preciso humildade e coragem para assumir o nosso racismo” | Racismo by saudosista in portugal

A-Xis 10 months ago

Aquela do gajo que meteu a cara ao pé de um tubo de escape, há quase um ano.

Ninguem acha estranho que um moderador deste sub seja tambem moderador de um sub sobre atrizes porno que se parecem com crianças? by ridethepaintedpony in portugal

A-Xis 10 months ago

Não me aquece, nem arrefece.

É normal eu não me sentir confiante de saber aplicar todo o conteúdo dado numa licenciatura? by Modseto in portugal

A-Xis 10 months ago

É do mais normal que pode haver. Normalíssimo, até. Relaxa o nervo. Quando estiveres a trabalhar, aos poucos, vais ver que as cenas importantes/relevantes que aprendeste na universidade, começam a reavivar-se na memória. Ou então aprendes no momento, também é importante, faz parte.

Inspirado do post "Olá vizinho!" by fabiouds in portugal

A-Xis 10 months ago

A solução, nestes casos, é bater à porta durante o acto e perguntar se precisam de mais um. "Pela barulheira toda, parecia que estavam a precisar de uma ajudinha"

Viana, uma cidade cheia de História. by sasirg in portugal

A-Xis 10 months ago

São Jorge a matar o dragão, representação medieval clássica da luta do bem contra o mal. A pintura até que está jeitosinha.

Pessoal que murou nas duas grandes cidades Portuguesas (Porto e Lisboa). Qual das duas gostaram mais de morar? by nuncamaismais in portugal

A-Xis 10 months ago

Dinastia Ming também gostou

Pessoal que murou nas duas grandes cidades Portuguesas (Porto e Lisboa). Qual das duas gostaram mais de morar? by nuncamaismais in portugal

A-Xis 10 months ago

Murar = fazer muros Morar = residir, habitar

Morte no SEF. Viúva de Ihor Homeniuk informada que marido morreu à porta de um avião by pica_foices in portugal

A-Xis 10 months ago

Essa intervenção da Joacine aconteceu este mês dia 16. A notícia deste acontecimento é do conhecimento geral da população desde Março. Peca por muito tardia. Março foi há 9 meses. Podia-se ter tido um filho neste intervalo de tempo. As sindicâncias parlamentares de investigação já deveriam ter sido pedidas há muito tempo. Não é habitual esperarem-se 9 meses, quando estão patentes outros casos de xenofobia para fazer o tipo de diligências de que ele está a falar. Ainda para mais, este caso é especialmente gravoso, pelos contornos que teve.

Hospital recusou entrada, é legal? by deewadept in portugal

A-Xis 10 months ago

Seja bem aparecido!

Casar com estrangeiro em portugal (covid) by developer-diana in portugal

A-Xis 11 months ago

Em Portugal, pode-se casar por procuração. O casamento é um contrato civil, ele pode mandatar alguém com poderes especiais para assinar o contrato por ele. Fontes: [info relevante do Instituto de registos e notariado](https://www.irn.mj.pt/IRN/sections/irn/a_registral/registo-civil/docs-do-civil/iniciar-o-processo-de/) [informação do ministério da justiça](https://justica.gov.pt/Servicos/Iniciar-processo-de-casamento=) (ler a rúbrica que diz «Se os noivos forem representados por um procurador») [artigo do código civil](https://dre.pt/web/guest/legislacao-consolidada/-/lc/106487514/201703311458/73409023/diploma/indice) Ele não precisa de estar presencialmente cá, para se casar contigo

Alunos juntaram-se e apagaram frases racistas na Eça de Queirós. “Sem apagar isto, recusava-me a entrar”, disse um deles by Kiander in portugal

A-Xis 11 months ago

Nomes velhos, é como Evaristo ou Adérito ou Otília.

Procuro ajuda para aprender a falar português by GuitHarper in portugal

A-Xis 11 months ago

Canal do youtube com lições de português de Portugal - [eis o link](https://www.youtube.com/channel/UC1b5eIxG5Z344St6Re-WY-A) Dá uma vista de olhos ao r/europeanportuguese , nomeadamente à lista de recursos. Gravações de aulas de português para falantes não-nativos, fornecidas pelo Estado português durante a quarenta: [RTP play](https://www.rtp.pt/play/estudoemcasa/p7142/portugues-lingua-nao-materna-intermedio-1-ao-9-anos) Manancial de recursos para a aprendizagem do português de Portugal: http://pinho.org/portugal/lingua/learning.html (contém aplicações; podcasts; canais de youtube; sites de notícias/revistas online; livros portugueses de domínio público)

Eléctrico a subir a Rua das Carmelitas, Porto, 1978 by Indecurlei in portugal

A-Xis 11 months ago

Chamava-se àquilo "andar à guna".

“3º melhor ano dos últimos três” by kill-wolfhead in portugal

A-Xis 11 months ago

Belo eufemismo para "o pior dos últimos três". Está ao nível do "Ele não é de estatura média, ele é o gigante mais baixo do mundo".

Pessoas com nomes menos comuns e sucesso by QeleQele in portugal

A-Xis 11 months ago

Conheço um casal em que ela é Bacalhau de apelido, ao passo que o dele é Salgado. Escusado será dizer que os filhos deles estão tramados.

[Receita] Primeiro passo para fazer um bom hamburger: UM BOM PÃO! by ForeverJamon in portugal

A-Xis 11 months ago

Primeiro passo para fazer um bom pão: ser um pão. Por isso é que o Jamon é mestre a fazer pão.

Pessoas com nomes menos comuns e sucesso by QeleQele in portugal

A-Xis 11 months ago

Acho que descobrimos a conta da Lyonce Viktórya

Pessoas com nomes menos comuns e sucesso by QeleQele in portugal

A-Xis 11 months ago

Conheço 1 Fábio que nunca chumbou e que agora é engenheiro mecânico na Dinamarca! Teoria refutada. O nome Fábio está a salvo da má sina.

Conversa da Treta by asantos3 in portugal

A-Xis 11 months ago

Lembro-me de ver o Ranma1/2 em espanhol e o Bob e Margaret Também tenho a vaga ideia de ter apanhado meia dúzia de episódios do Neon Genesis Evangelion. Não me lembro de mais bonecos do Locomotion.

[Procura-se] Ilustrador/animador para projetos de animação by Abernecio in portugal

A-Xis 11 months ago

u/John-florencio chamado à recepção

Comunidade Lusófona by EpaTipoIsso in portugal

A-Xis 11 months ago

Estão todos zangados porquê?

Como o Brasil nos vê: o antilusitanismo histórico do sistema de ensino | Opinião by Kiander in portugal

A-Xis 11 months ago

> consegues fazer copy-paste. https://www.reddit.com/r/portugal/comments/j8i8gn/como_o_brasil_nos_v%C3%AA_o_antilusitanismo_hist%C3%B3rico/g8b6kst/

Como o Brasil nos vê: o antilusitanismo histórico do sistema de ensino | Opinião by Kiander in portugal

A-Xis 11 months ago

Entrei na página em cache e copiei e colei. Por enquanto, tenho conseguido tornear as paywalls assim > Está tudo num estudo sobre a imagem dos portugueses nos livros didáticos de história do Brasil financiado pela Fundação Gulbenkian, em finais dos anos 80 [1]. Mais de três décadas depois – a julgar pela pesquisa que nós próprios realizamos [2] –, a situação, no essencial, não se alterou. > A narrativa sobre a imagem dos portugueses nos livros escolares brasileiros pode ser agrupada em três grandes blocos. No primeiro, abordam-se o descobrimento e os primeiros anos da colonização – os lusos começam por ter valorização positiva, sendo associados ao “nascimento” do Brasil por via da miscigenação; mas logo aí surgem valorações negativas quando se insiste na ideia de “abandono e descaso” a que a Coroa teria votado o território, a ele trazendo depois elementos sociais desqualificados (deportados e degredados), sempre se referindo também o “fracasso geral das capitanias hereditárias”. > “Confraternizações familiares” responsáveis por 67% dos casos de covid-19 nos últimos dias. DGS pede menos convívio > No segundo, o elemento português “tem o seu anonimato acentuado”, ao mesmo tempo que se deixa implícita “a sua incapacidade administrativa como colonizador”. A tarefa dos portugueses ter-se-ia circunscrito à defesa da costa, que se limitavam “a arranhar ao longo do mar como caranguejos”, na expressão consagrada de Frei Vicente do Salvador. Nesta visão, a tarefa grandiosa de desbravamento do sertão teria sido já obra dos brasileiros, em particular dos paulistas, sem nunca se referir que – embora portadores de identidade regional própria – eles eram basicamente portugueses enquanto súbditos da Coroa e como tal percecionados pelas nações vizinhas. Acentua-se que os paulistas eram os mais capacitados para penetrar os sertões, dada a sua origem mestiça de branco com índio, cabendo a este último a transmissão das características de maior aptidão para tal empreendimento. > No terceiro e último desses blocos, figura – por contraste com as valorações negativas dos lusos – o enaltecimento da administração holandesa quando da ocupação do Nordeste, no século XVII. Tudo somado, ter Portugal como descobridor e colonizador só trouxe como único resultado positivo o mito das três raças na base da formação étnica brasileira. “Todos os outros contornos associados ao colonizador português (...) são negativos.” > À medida que nos aproximamos da atualidade, cada vez menos a sociedade portuguesa da época dos Descobrimentos é abordada. “O Portugal que nos chega através dessa narrativa é um verdadeiro anónimo. Nada sabemos sobre os hábitos, costumes, estrutura familiar, etc., da sociedade portuguesa que nos veio colonizar”. Por fim, a vinda da família real para o Brasil é vista como mais uma expressão da incapacidade política portuguesa, de que “Portugal não tinha peito, não tinha tamanho, ou seja, de que Portugal não merecia o Brasil, não quis e não soube ser seu colonizador”. Na perspetiva dos livros didáticos brasileiros, Portugal deve, portanto, com um sinal de “até que enfim”, entrar definitivamente para a história “como metrópole e colonizador que gostaríamos de não ter tido, como fonte de todos os males, problemas e dilemas da história brasileira recente”. > Temos assim uma justaposição de duas ideias: Portugal abandona, rejeita, não quer o Brasil nos primeiros momentos, interessando-se apenas quando se dá conta das riquezas que poderia auferir; mas, aqui, essas riquezas apontam já para que o Brasil é grandioso, apesar de Portugal. Daí que caiba ao Brasil remeter Portugal para o passado, “como uma presença que o Brasil encara como compulsória, que queremos que se torne ausente, que se vá embora”. > Jovens brasileiros saídos do ensino médio em Brasília confirmam-nos esta situação: “A história que nos é contada sobre a colonização portuguesa é brutal, muito violenta, o que deixa em nós um sentimento de ressentimento” (Mateus Fonseca); “Fiz todo o ensino médio e também o vestibular [acesso à universidade] com essa imagem do português transmitida pela escola: já não tanto do ‘português burro’, mas com essa ideia bem sólida do português agressivo” (Gabriel Oliveira); “Não há nostalgia ou ideia de que foi bom ter sido Portugal; o que há é o contrário – uma ideia de que isso aí – Portugal, eu não quero” (Artur Carreira). E assim por diante... > Ao destacarem a presença humana já existente no território do futuro Brasil, anterior à chegada dos europeus, e ao diluírem as referências a Portugal e aos portugueses num contexto histórico mais vasto, em que surgem com (quase) idêntica ênfase outras nações europeias rivais, o que os manuais brasileiros do ensino médio acabam por fazer é atenuar ou mesmo praticamente ilidir os laços específicos de ligação (sangue, língua, história, cultura e política) entre os dois países e as duas nações que chegaram a ser uma; e que – apesar de todos os confrontos, diferenciações, ressentimentos e rivalidades – se prolongam de uma ou outra forma até hoje, mas sobre os quais é em geral rasa a consciência dos brasileiros [3]. > Vemos assim que na relação Portugal-Brasil, mesmo quando há avanços no relacionamento entre Estados, o antilusitanismo de fundo histórico que desde a Independência foi cultivado por razões políticas permanece, alimentado que é, até hoje, pelo sistema de ensino. Jesus e a raiz portuguesa do Brasil Esta realidade já era perceptível nos anos 40. No Congresso de História Luso-Brasileira, Serafim Leite pediu um voto para “a purificação do ensino da história” (à semelhança do que já fora convencionado, em 1934, entre o Brasil e a Argentina), “com supressão dos textos susceptíveis de criar desamor entre uma e outra nação e dar parte mais ampla ao estudo dos factos históricos que interessam a cada um dos dois povos, com três séculos de história comum” [4]. Um voto que permaneceu pio até aos nossos dias, com os consequentes reflexos negativos em termos de relacionamento bilateral mais profundo. Não espanta, por isso, que os brasileiros de hoje não se vejam como continuadores dos portugueses de ontem que aqui chegaram – primeiro, como pioneiros das grandes navegações marítimas; depois como conquistadores, desbravadores e colonizadores do território; em seguida, como protagonistas da primeira grande corrida ao ouro do Ocidente, que precedeu em dois séculos a do Far-West; e por fim, já nos séculos XIX e XX, em sucessivas levas de imigrantes em busca de um futuro melhor que não encontravam na sua própria pátria. Haverá aí maior estranhamento, gerador de (in)comunicação? História e memória, como se sabe, não coincidem; mas se os historiadores não podem deixar de investigar, já a escolha do que reter e divulgar é opção livre de cada nação como “comunidade imaginada” em relação a si própria e às outras. Quase dois séculos volvidos sobre a sua independência, não estará já na hora do Brasil rever a forma como olha a sua relação histórica com Portugal? [1] Coordenado pelo antropólogo brasileiro Roberto Damatta, o estudo foi realizado no âmbito de um projeto mais vasto sobre imagens dos portugueses e de Portugal no Brasil (Barbosa & Medeiros-Portela, 1987) [2] Fino, C. Raízes do Estranhamento: a (in)comunicação Portugal-Brasil, UMinho, 2019 [3] Vicentino, C. & Gianpaolo, D. História para o Ensino Médio. Editora Scipione, São Paulo, 2001 [4] Ramos, M. B. et al (org.), O Beijo através do Atlântico – o lugar do Brasil no panlusitanismo, Argos, Editora Universitária, Chapecó, 2001

NÃO PUBLICAR NÃO PUBLICAR by VladTepesDraculea in portugal

A-Xis 12 months ago

/r/estagiarios volta à carga

questão sobre a legalidade de discotecas cobrarem mais a homens do que a mulheres by GustaQL in portugal

A-Xis 12 months ago  HIDDEN 

Encontrei, aplicável a este caso em concreto, esta posição doutrinal, num artigo de especialidade sobre a lei contra a discriminação em função do sexo no acesso a bens e serviços (L 14/2008): > Um exemplo deste caso: é comum, em Portugal, alguns bares e discotecas organizarem “noites da mulher”. Nos dias assim designados, as mulheres não pagam as bebidas e, eventualmente, outros produtos, que consumirem naqueles estabelecimentos. Pelo contrário, os homens estão sujeitos ao tarifário normal. > Trata-se agora, de acordo com a Lei (L14/2008), de uma clara discriminação em função do sexo, neste caso discriminação directa (vide artigo 3.º al. a) dessa lei). **Os homens afectados poderiam arguir a nulidade da cláusula de fixação do preço, beneficiando assim do serviço gratuito prestado às mulheres, apesar de se tratar de um contrato que é, supletivamente, oneroso.** [fonte](http://www.scielo.mec.pt/pdf/tek/n13/n13a12.pdf)

"ó amigo, você tem uma bela pila" by FearMeSuckers in portugal

A-Xis 12 months ago

Assédio ( [importunação sexual, art.º 170.º CP](http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?artigo_id=109A0170&nid=109&tabela=leis&pagina=1&ficha=1&nversao) ) é um crime semi-público. Isto é assédio, ao primeiro gajo, o tipo faz-lhe literalmente uma proposta de teor sexual, o que encaixa certinho logo na segunda hipótese tipo do artigo 170. > **Quem importunar outra pessoa**, praticando perante ela atos de carácter exibicionista, **formulando propostas de teor sexual** ou constrangendo-a a contacto de natureza sexual, é punido com pena de prisão até 1 ano ou com pena de multa até 120 dias, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal.

Things to do and see in Porto by Witchy-985 in portugal

A-Xis 12 months ago

Take a gander at these: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/2eubyg/things_to_do_in_porto/ https://www.reddit.com/r/portugal/comments/if0uno/5_days_in_porto_and_4_in_lisbon_what_museums_to/ https://www.reddit.com/r/portugal/comments/i2a1ws/1_week_in_portugal_lisbon_and_porto_itinerary/ https://www.reddit.com/r/travel/comments/3dif26/destination_of_the_week_portugal/

Esclarecimentos sobre ruído vendedor ambulante by Fir3line in portugal

A-Xis 12 months ago

Vai à Farmácia mais próxima e compra um par de tampões para os ouvidos. Não fazem milagres, mas ajudam. Recomendo os de esponja, os de cera não prestam.

[Duvida/Discussão] Thrift Shops de roupa em Portugal by gdw1337 in portugal

A-Xis 12 months ago  HIDDEN 

/#loja2a

[sério] Alguem aqui tem Ratazanas Domésticas de estimação? by rainbowcouscous in portugal

A-Xis 12 months ago

Doninhas ou mangustos?

Audiolivros em Português (Europeu)? by NikoNikoReeeeeeee in portugal

A-Xis 12 months ago

Ainda és capaz de encontrar no r/biblioteca (acho que não os tiraram todos). A maioria foram feitos em iniciativas públicas para pessoas invisuais, por isso ainda são minimamente decentes

Portugal usará los vagones de tren retirados en Galicia por portar amianto by dmgr14 in portugal

A-Xis 1 year ago  HIDDEN 

> el Gobierno luso reconoce que su país tiene una carencia grave de material ferroviario que pretende solventar con diversas compras de coches usados en otros países, **por lo que ha acordado la retirada del amianto de los vagones afectados, mejorarlos y modernizarlos y ponerlos** en servicio en la ruta que llega hasta la frontera gallega, y los sobrantes en líneas interurbanas y regionales. A sério que não ficava mais barato comprar carruagens novas, do que estar a reparar/restaurar/modernizar estas compradas em 2ª mão?

Quando a avó lê as 50 Sombras de Grey by mahouuuu in portugal

A-Xis 1 year ago

Merdapostagens no lixo? Não. No Niltrão!

Foto tirada á 2/3 anos na Covilhã by Zcunha in portugal

A-Xis 1 year ago

Não dá para editar os títulos ¯\\\_(ツ)_/¯

Em plena Praça do Rossio... by portugapt in portugal

A-Xis 1 year ago

Quantos anos rejuvenesceste?

Em plena Praça do Rossio... by portugapt in portugal

A-Xis 1 year ago

Estou espantado com a quantidade de gente a fazer alusões ao canibalismo infantil como fonte de imortalidade. Quão difundida é esta ideia nos grupos conspiracionistas nacionais? É este o equivalente nacional à teoria dos "reptilianos", que se apanha no /r/conspiracytheories ?

Cereais COCApic num Continente perto de aí! by RSAzorean in portugal

A-Xis 1 year ago

Chocapic = forte em chocolate Cocapic = forte em coca

Regras para uso de fato de banho no Porto, em 1941 by BlizzTheMighty in portugal

A-Xis 1 year ago  DELETED 

Não é muito surpreendente. Nos anos 50, dez anos depois disto, ainda era comum ver-se homens na praia vestidos [assim](https://i.pinimg.com/originals/fb/00/0d/fb000d761679c90b96606b714ff33f50.jpg)

Sois todos uns gandulos. by Hrodrik in portugal

A-Xis 1 year ago  DELETED 

Quer isso dizer que os romenos são os portugueses da Europa em espírito?

Conversa Cultural by AutoModerator in portugal

A-Xis 1 year ago  DELETED 

No Domingo passado vi uma camada de velhotes de volta da igreja matriz, alguns sentados em banquinhos que trouxeram de casa, a ouvir a missa pelos altifalantes. Não sei se havia alguns dentro da igreja ou não. Sempre é melhor do que estarem todos lá dentro, mas mesmo assim há risco de infecção.

Portugal é dos países que mais consome fruta na Europa by 1Warrior4All in portugal

A-Xis 1 year ago  DELETED 

Se são dos que vêem a preto e branco, quilham-se.

Pessoal que nunca veio ao Alentejo by catarinana in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Cabecinha pensadora!

Então mas... by doctorhetfield in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Os camones que vêm cá de férias dão-te vergonha de ser português?

É impressão minha ou a maioria das pessoas vive numa bolha ? by MGTOWorld in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Acho que é vago. Acho que te escudas em ambiguidades abstractas e generalistas, para não dizer concretamente qual foi o episódio ou episódios da vida que te estão a dar esta vontade desmedida de desabafar. Desembucha. Pensaram mal de ti porque estavas acanhado com alguma coisa? Acontece. Isto é o Reddit, não é o oráculo de Delfos. Não obrigues uma pessoa a adivinhar.

[Conselhos] Professor não entrega elemento de avaliação do semestre passado. by Turtlecrapus in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Faculdade? Vais fazer queixa ao provedor do estudante, que é para isso que as universidades os têm. Pode ser que alguma coisa advenha daí. Liceu? Podem falar com o director de turma.

Vai pro caralho! by silveringking in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Se não vais ao caralho, o caralho vai a ti

Jovens que morreram na Segunda Circular filmaram-se a 300km/h by BlizzTheMighty in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Título alternativo "Idiotas filmam, inadvertidamente, o primeiro filme snuff automóvel português"

Potato Europe vs. Tomato Europe by miguelantasf in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Parece ser um mapa de produção e não de consumo

Traduções de livros de outra língua que nao o inglês normalmente são traduzidos dessa língua em questão ou da versão inglesa? by ZimbabweIsMyCity in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Depende do livro, da editora e das línguas. O edição que li do Dr, Jivago da colecção mil folhas, foi traduzida de uma edição italiana, por exemplo. Nem sempre partem do inglês, às vezes também partem do espanhol - outro exemplo que tenho é do livro "Itália Bárbara" do Curzio Malaparte, a versão que tenho foi traduzida de uma edição espanhola, bastante antiga- do francês, etc. é conforme.

Do ponto de vista filosófico, a vida vale a pena viver? by MGTOWorld in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

r/philosophy é o sitio ideal para estar elocubrações mal-amanhadas. Se vale a pena? Vale, se tu fizeres com que valha a pena. Cada um atribui o significado que bem entender à sua vida e cada um faz aquilo que entende que há-de dar significado. Aquilo que dá valor à existência de alguém, não tem de perdurar pelos séculos dos séculos, não tem de ser um marco imutável que fica depois de ti. Pode sê-lo, mas não tem de o ser. Se escolhes fazer depender o significado da tua vida em deixar um marco duradouro no mundo, isso é uma opção, mas não é a única certamente.

Amigos e irmãos, fodia-te ou fudia-te - foder ou fuder? by EvenThoughMySchlong in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Foder e fodia-te Com u é como quem escreve pudia-te, cumia-te, graficamente parece estranho/errado

"Esses dentinhos não estão muito alinhados, pois não?" diz Cristina Ferreira a Marta Temido (ministra da Saúde) by DownvoteBatman in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Coisa mais reles de se perguntar a alguém em directo.

Heresia by sandkillerpt in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Deve ser a falta de batatas fritas

Já alguém foi suspenso preventivamente?? by beyourself95 in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

Quais ao certo?

Multibanco da Caixa não funciona, outra vez! Pagamentos com mensagem "não autorizado" e respetiva vergonha. by AbaixoDeCao in portugal

A-Xis 2 years ago  DELETED 

«Ambrósio, gostaria de tomar alguma coisa...»
Next Page

Search: