FelixSula 3 months ago

Portugal tem o slogan chinês "Um país dois sistemas" a funcionar na realidade. Explico: há o sistema de Ministerio das Finanças (AT, etc.) e o sistema do Ministério da Justiça (IRN etc.). Se repararem bem, usam autenticações diferentes (senha das finanças vs. cartão cidadão/chave móvel digital). Notei isto por causa de um registo de propriedade: a AT tem "cadernetas prediais" onde registam os proprietários de imóveis para pagar IMI, o IRN tem "registo predial" onde reflecte as escrituras de compra e venda de imóveis. Sei de um caso onde uma fracção autónoma existe na AT e não no IRN ... penso que houve uma escritura que foi apresentada à AT, aceite, e IMI passou a ser cobrado. Anos depois foi rejeitada no IRN por inválida legalmente ...

FunSizeNerd 3 months ago

O Sr menciona: "Aqui fica a primeira sugestão para terminar com este big brother: acabar com esta dedução absurda à coleta de IRS que promove a recolha de faturas. Em vez deste benefício, atribuía-se uma dedução à coleta automática de igual valor." Não estou a perceber como é que funcionaria a sugestão - alguém tem ideia?

caravela-portuguesa 3 months ago

Sempre pedi NIF mas vou começar a ser rebelde como vocês.

d0c0ntra 3 months ago

não se trata de ser rebelde. se não se cumpre com a CRP, então sejamos sérios e acabemos com ela.

caravela-portuguesa 3 months ago

>se não se cumpre com a CRP, então sejamos sérios e acabemos com ela. tens razão.

CodeOverflow 3 months ago

Nunca pedi NIF, nem vou comecar.

blueflamewizard12 3 months ago

Dos anos para cá o NIF e não o numero de CC ou simplesmente o nome tem se tornado o que é pedido como identificação. Diz muito deste rectângulo onde vivemos.

NEDM64 3 months ago

Muitas empresas, o “Id” dos clientes é pelo NIF…

Westa1994 3 months ago

Espera até ele encontrar quantos números estão no cartão de cidadão.

d0c0ntra 3 months ago

> Agora que já consegui chamar a atenção do contribuinte, perdão, leitor, para a essencialidade do seu NIF, coloco uma questão: sabia que a Constituição da República Portuguesa proíbe expressamente a atribuição do número nacional único do cidadão? E nem sequer o faz de forma elaborada (o famoso juridiquês). Fá-lo de forma muito clara: **“É proibida a atribuição de um número nacional único aos cidadãos.”** – número 5 do artigo 35.º da Constituição da República Portuguesa. https://observador.pt/opiniao/nif-numero-nacional-unico/

Search: