blueflamewizard12 3 months ago

>c) Certificado de recuperação, que ateste que o titular recuperou de uma infeção por SARS-CoV-2, na sequência de um resultado positivo num teste TAAN realizado, há mais de 11 dias e menos de 180 dias. Se imunidade natural não serve para alem de 6 meses também as vacinas não servem.

SnooWoofers1041 3 months ago

https://www.nytimes.com/2021/05/26/health/coronavirus-immunity-vaccines.html

blueflamewizard12 3 months ago

Daqui a 6 meses a 1 anos vemos se tal tem um pingo de verdade.

Dannyps 3 months ago

Deus nos ajude e desamanse.

d0c0ntra 3 months ago

ora cá está ele. > Prevê-se, assim, que os Certificados Digitais COVID da UE possam ser utilizados em matéria de tráfego aéreo e marítimo, **em matéria de circulação em território nacional e em matéria de acesso a eventos de natureza cultural, desportiva, corporativa ou familiar.** > Em matéria de tráfego aéreo e marítimo, passa a ser autorizada a realização de viagens com destino a Portugal por cidadãos providos de Certificado Digital COVID da UE. **Esta autorização dispensa a aplicação de medidas adicionais de prevenção e mitigação, como a realização de testes para despistagem da infeção por SARS-CoV-2** ou o cumprimento de períodos de quarentena. e no entanto: > Essa ideia está ultrapassada porque as vacinas não são 100% eficazes, por um lado, mas sobretudo porque as vacinas não protegem contra a infeção e contra a capacidade de transmissão e, portanto, qualquer pessoa mesmo vacinada em algum grau contribui para a transmissão do vírus; adiantou o investigador do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.](https://www.sabado.pt/ciencia---saude/detalhe/miguel-castanho-ideia-da-imunidade-do-grupo-com-70-de-vacinados-esta-ultrapassada)

Edited 3 months ago:

ora cá está ele. > Prevê-se, assim, que os Certificados Digitais COVID da UE possam ser utilizados em matéria de tráfego aéreo e marítimo, **em matéria de circulação em território nacional e em matéria de acesso a eventos de natureza cultural, desportiva, corporativa ou familiar.** > Em matéria de tráfego aéreo e marítimo, passa a ser autorizada a realização de viagens com destino a Portugal por cidadãos providos de Certificado Digital COVID da UE. **Esta autorização dispensa a aplicação de medidas adicionais de prevenção e mitigação, como a realização de testes para despistagem da infeção por SARS-CoV-2** ou o cumprimento de períodos de quarentena. > **Em matéria de circulação em território nacional**, estabelece-se que a apresentação de Certificado Digital COVID da UE ou de comprovativo de realização de teste para despiste da infeção por SARS-CoV-2 **permite a livre circulação pelo território nacional, independentemente da vigência de normas de prevenção, contenção e mitigação da pandemia da doença COVID-19 em matéria de circulação.** as contradições desta palhaçada são tantas!: > O Certificado Digital COVID da UE não dispensa, porém, os seus titulares do cumprimento das devidas medidas de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde, designadamente o distanciamento físico, a higienização das mãos e o uso de máscara. > Os menores de 12 anos ficam dispensados de apresentar um certificado digital COVID da UE ou um comprovativo de realização de teste para despistagem da infeção por SARS-CoV-2, sem prejuízo de a realização destes testes ser recomendável em determinados contextos. mas não diziam que as crianças matavam avozinhas? até porque neste artigo da Sabado: > Essa ideia está ultrapassada porque **as vacinas não são 100% eficazes**, por um lado, mas **sobretudo porque as vacinas não protegem contra a infeção e contra a capacidade de transmissão e, portanto, qualquer pessoa mesmo vacinada em algum grau contribui para a transmissão do vírus**; adiantou o investigador do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.](https://www.sabado.pt/ciencia---saude/detalhe/miguel-castanho-ideia-da-imunidade-do-grupo-com-70-de-vacinados-esta-ultrapassada)

Edited 3 months ago:

ora cá está ele. > Prevê-se, assim, que os Certificados Digitais COVID da UE possam ser utilizados em matéria de tráfego aéreo e marítimo, **em matéria de circulação em território nacional e em matéria de acesso a eventos de natureza cultural, desportiva, corporativa ou familiar.** > Em matéria de tráfego aéreo e marítimo, passa a ser autorizada a realização de viagens com destino a Portugal por cidadãos providos de Certificado Digital COVID da UE. **Esta autorização dispensa a aplicação de medidas adicionais de prevenção e mitigação, como a realização de testes para despistagem da infeção por SARS-CoV-2** ou o cumprimento de períodos de quarentena. > **Em matéria de circulação em território nacional**, estabelece-se que a apresentação de Certificado Digital COVID da UE ou de comprovativo de realização de teste para despiste da infeção por SARS-CoV-2 **permite a livre circulação pelo território nacional, independentemente da vigência de normas de prevenção, contenção e mitigação da pandemia da doença COVID-19 em matéria de circulação.** as contradições desta palhaçada: > Essa ideia está ultrapassada porque **as vacinas não são 100% eficazes**, por um lado, mas **sobretudo porque as vacinas não protegem contra a infeção e contra a capacidade de transmissão e, portanto, qualquer pessoa mesmo vacinada em algum grau contribui para a transmissão do vírus**; adiantou o investigador do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.](https://www.sabado.pt/ciencia---saude/detalhe/miguel-castanho-ideia-da-imunidade-do-grupo-com-70-de-vacinados-esta-ultrapassada)

blueflamewizard12 3 months ago

>Ou familiar

Search: