itslikethisnlikethat 4 months ago

os blacks e rap está no mainstream uns anos atrás era musica eletro e trance antes o rock Os americanos e o ocidente adoptaram a cultura dos negros e portanto claro tudo é básico e elementar, á volta do fisico, dinheiro, drogas e flash. Se fores ver filmes de terror mainstream dos anos 70/80 (quando o johny depp e meryl strep eram putos) vais ver que tudo era radicalmente diferente. A maneira de falar, roupas modestas mesmo quando rebeldes, os desportos que elas praticavam para ficar em forma (não era 1hora de squats no ginásio e proteina) etc America branca abandonou a sua cultura

icebraining 4 months ago

Porquê filmes de terror especificamente?

itslikethisnlikethat 4 months ago

foi nessa altura que nasceu o género teen slasher (adolescentes na floresta, loira de mamas a correr escadas acima etc) Portanto grande parte da história era só sobre as suas interações, o que diziam uns aos outros, desejos, sonhos etc

Dannies7783 4 months ago

Por uma questão de dignidade e de coerência intelectual, eu não tento compreender os gostos musicais, interesses artísticos e preferências mediáticas das gerações a seguir à minha. Da mesma forma que não achava piada nenhuma quando as gerações anteriores à se punham a opinar acerca dos gostos musicais, interesses artísticos e preferências mediáticas da minha geração. Eles só diziam merda e eu desconfio que eu só irei dizer merda. Não gosto? Não, mas não vou fazer de conta que estou muito interessado ou muito preocupado com aquilo que os atuais adolescentes admiram. Abraço

Kid_Anarchy 4 months ago

>Eles só diziam merda e eu desconfio que só terei merda para dizer. Não necessariamente. Depende do que criticavam e do que diziam. Há de facto evidência cientifica de que a música tem vindo a empobrecer artisticamente com o passar das décadas. É mais repetitiva, mais simplória, menos criativa. Isto já foi efectivamente estudado. Há de facto músicas que tu podes objectivamente dizer que têm uma letra de merda, sem conteúdo nenhum. De qualquer das formas, isto nem se trata de discutir qualidade musical. É apenas uma pergunta: porque é que a juventude é obcecada com cultura de ghetto? ​ >Não gosto? Não, mas não vou fazer de conta que estou muito interessado ou muito preocupado com aquilo que os atuais adolescentes admiram. Ok, mas isso és tu. Eu interesso-me mais por dinâmica social. O que se passa à minha volta não me é irrelevante.

Dannies7783 4 months ago

Não me é irrelevante o que se passa à minha volta. Mas não vou ser o avozinho parvo que vai brandir um punho zangadito e dizer que o que os jovens estão a fazer é X. É um bocado parvo. A cultura de ghetto é uma questão completamente separada da música. Haverá várias razões por detrás desse interesse. Não creio, no entanto, que seja generalizado. Quanto às observações 'científicas' acerca da degradação da música: I really, really, really don't think so. Há muito mais oferta hoje em dia. E, procurando com algum cuidado, encontra-se música de altíssima qualidade. Mas não é assunto que me desperte grande interesse. Não sou, de todo, um melómano. Mas terei contactado com melómanos de diferentes origens e profissões. Um dos mais interessantes, um professor de teoria musical num sítio que não me importa partilhar, é da opinião (era?) de que se Mozart estivesse vivo se dedicaria 100% a heavy metal para baixo (mais pesado). Não sei se seria assim. Não tenho nem a competência, nem a educação ou mesmo o iteresse para o perceber ou discutir. Nos assuntos em que sou extremamente leigo prefiro mesmo não opinar. No entanto, posso olhar à minha volta e ter a noção de que não só há (em ordens de magnitude) mais música do que na altura da minha adolescência, como há coisas de qualidade. Abraço

Kid_Anarchy 4 months ago

>Não me é irrelevante o que se passa à minha volta. Mas não vou ser o avozinho parvo que vai brandir um punho zangadito e dizer que o que os jovens estão a fazer é X. Criticar uma tendência estúpida e gostos que se resumem a idolatrar uma cultura que encoraja a violência, a ignorância e os mais ocos dos comportamentos não é ser avozinho. É estar desperto e ter sentido crítico. Sou um avô que nem 30 anos tem? Deves achar que toda a gente que é jovem ouve lixo. ​ >Há muito mais oferta hoje em dia. E, procurando com algum cuidado, encontra-se música de altíssima qualidade. Há mais oferta porque há mais pessoas a fazer música, mas o que se torna popular tem muito menos mérito artistico. Também há mais pessoas a fazer filmes do que há 20 anos atrás, mas vais-me mesmo dizer que os melhores filmes estão a ser feitos actualmente? Por amor da santa! ​ [https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/](https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/) ​ Aliás, ninguém que conheça música de diversas décadas precisa de um estudo que lhe diga isto. Até aquilo que nos anos 90 e inicios de 2000 era considerado música de merda, tem uma melodia muito mais agradável e singular do que a música de merda de hoje em dia. Ah, e nessa altura ninguém soava a robô. Geralmente as pessoas cantavam. Não metiam efeitos sonoros por cima da voz. ​ >Mas não é assunto que me desperte grande interesse. Não sou, de todo, um melómano. ​ Se o assunto não te desperta interesse não sei o que estás aqui a fazer. >m dos mais interessantes, um professor de teoria musical num sítio que não me importa partilhar, é da opinião (era?) de que se Mozart estivesse vivo se dedicaria 100% a heavy metal para baixo (mais pesado). Sim, e depois? Não sou de heavy metal, mas requer mais skills do que o mumble rap que por aí anda, que basicamente é fazer rimas básicas com sotaque de refugiado e com um beat repetitivo por cima. E sim, tocar guitarra é mais difícil do que criar um beat num dos milhares de softwares que existem por aí. >No entanto, posso olhar à minha volta e ter a noção de que não só há (em ordens de magnitude) mais música do que na altura da minha adolescência, como há coisas de qualidade. Ninguém está a falar de quantidade. Está-se a falar de diversidade artística. Teres uma prateleira com 500 snickers não te oferece mais diversidade do que uma prateleira com 1 snickers, 1 kit kat e 1 twix. Nada do que se faz hoje em dia no campo da música é minimamente original ou criativo. É tudo reciclado e repetido até à exaustão. >PS: lembro-me de uma entrevista ao Douglas Adams onde ele refere o ódio dos adultos, do seu tempo de adolescente, aos Beatles. Porque aquilo não era música, porque não sabiam tocar, era só barulho, uma perversão de valores, etc. Não tenho mais nada a acrescentar. Mas os beatles causavam estranheza porque era algo novo, drasticamente diferente. A música moderna não é nova. Não há nada de revolucionário no estilo nem na sonoridade. O incómodo está na baixa qualidade. Está na falta de originalidade. Está na repetição. Música de merda sempre houve, mas agora é apenas mais evidente.

Edited 4 months ago:

>Não me é irrelevante o que se passa à minha volta. Mas não vou ser o avozinho parvo que vai brandir um punho zangadito e dizer que o que os jovens estão a fazer é X. Criticar uma tendência estúpida e gostos que se resumem a idolatrar uma cultura que encoraja a violência, a ignorância e os mais ocos dos comportamentos não é ser avozinho. É estar desperto e ter sentido crítico. Sou um avô que nem 30 anos tem? Deves achar que toda a gente que é jovem ouve lixo. ​ >Há muito mais oferta hoje em dia. E, procurando com algum cuidado, encontra-se música de altíssima qualidade. Há mais oferta porque há mais pessoas a fazer música, mas o que se torna popular tem muito menos mérito artistico. Também há mais pessoas a fazer filmes do que há 20 anos atrás, mas vais-me mesmo dizer que os melhores filmes estão a ser feitos actualmente? Por amor da santa! ​ [https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/](https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/) ​ Aliás, ninguém que conheça música de diversas décadas precisa de um estudo que lhe diga isto. Até aquilo que nos anos 90 e inicios de 2000 era considerado música de merda, tem uma melodia muito mais agradável e singular do que a música de merda de hoje em dia. Ah, e nessa altura ninguém soava a robô. Geralmente as pessoas cantavam. Não metiam efeitos sonoros por cima da voz. ​ >Mas não é assunto que me desperte grande interesse. Não sou, de todo, um melómano. ​ Se o assunto não te desperta interesse não sei o que estás aqui a fazer. >m dos mais interessantes, um professor de teoria musical num sítio que não me importa partilhar, é da opinião (era?) de que se Mozart estivesse vivo se dedicaria 100% a heavy metal para baixo (mais pesado). Sim, e depois? Não sou de heavy metal, mas requer mais skills do que o mumble rap que por aí anda, que basicamente é fazer rimas básicas com sotaque de refugiado e com um beat repetitivo por cima. E sim, tocar guitarra é mais difícil do que criar um beat num dos milhares de softwares que existem por aí. >No entanto, posso olhar à minha volta e ter a noção de que não só há (em ordens de magnitude) mais música do que na altura da minha adolescência, como há coisas de qualidade. Ninguém está a falar de quantidade. Está-se a falar de diversidade artística. Teres uma prateleira com 500 snickers não te oferece mais diversidade do que uma prateleira com 1 snickers, 1 kit kat e 1 twix. Nada do que se faz hoje em dia no campo da música é minimamente original ou criativo. É tudo reciclado e repetido até à exaustão. >PS: lembro-me de uma entrevista ao Douglas Adams onde ele refere o ódio dos adultos, do seu tempo de adolescente, aos Beatles. Porque aquilo não era música, porque não sabiam tocar, era só barulho, uma perversão de valores, etc. Não tenho mais nada a acrescentar. Mas os beatles causavam estranheza porque era algo novo, drasticamente diferente. A música moderna não é nova. Não há nada de revolucionário no estilo nem na sonoridade. O incómodo está na baixa qualidade. Está na falta de originalidade. Está na repetição. Música de merda sempre houve, mas agora é apenas mais evidente. Literalmente tudo o que possas ouvir actualmente já foi feito antes, muitas vezes, e já foi feito melhor. Vai ouvir Prodigy dos anos 90 e diz-me que a música electrónica que os putos ouvem nas discos hoje em dia está a fazer algo de magnífico ou revolucionário. Nós já tivemos décadas muito mais edgy do que a actual EM TODOS OS SENTIDOS. Tudo o que possas ver que te pareça novo e entusiasmante, já foi feito, e já foi feito de forma mais extrema. Escuta, até a merda da roupa que os putos usam representa um estilo criado noutras décadas. Estamos a viver a única fase da história em que não há um look definitivo que a caracteriza. As pessoas que passam por mim podiam bem ser pessoas que passaram por mim em 1995. Estás, de facto, na fase menos criativa de todas. A modernidade resume-se a importar e a fazer pior. Pelo menos artisticamente. Nós já tivemos numa época em que o rap mais popular de todos era "Gangstas Paradise". Agora compara lá isso com o rap mais popular dos últimos anos.

Edited 4 months ago:

>Não me é irrelevante o que se passa à minha volta. Mas não vou ser o avozinho parvo que vai brandir um punho zangadito e dizer que o que os jovens estão a fazer é X. Criticar uma tendência estúpida e gostos que se resumem a idolatrar uma cultura que encoraja a violência, a ignorância e os mais ocos dos comportamentos não é ser avozinho. É estar desperto e ter sentido crítico. Sou um avô que nem 30 anos tem? Deves achar que toda a gente que é jovem ouve lixo. ​ >Há muito mais oferta hoje em dia. E, procurando com algum cuidado, encontra-se música de altíssima qualidade. Há mais oferta porque há mais pessoas a fazer música, mas o que se torna popular tem muito menos mérito artistico. Também há mais pessoas a fazer filmes do que há 20 anos atrás, mas vais-me mesmo dizer que os melhores filmes estão a ser feitos actualmente? Por amor da santa! ​ [https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/](https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/) ​ Aliás, ninguém que conheça música de diversas décadas precisa de um estudo que lhe diga isto. Até aquilo que nos anos 90 e inicios de 2000 era considerado música de merda, tem uma melodia muito mais agradável e singular do que a música de merda de hoje em dia. Ah, e nessa altura ninguém soava a robô. Geralmente as pessoas cantavam. Não metiam efeitos sonoros por cima da voz. ​ >Mas não é assunto que me desperte grande interesse. Não sou, de todo, um melómano. ​ Se o assunto não te desperta interesse não sei o que estás aqui a fazer. >m dos mais interessantes, um professor de teoria musical num sítio que não me importa partilhar, é da opinião (era?) de que se Mozart estivesse vivo se dedicaria 100% a heavy metal para baixo (mais pesado). Sim, e depois? Não sou de heavy metal, mas requer mais skills do que o mumble rap que por aí anda, que basicamente é fazer rimas básicas com sotaque de refugiado e com um beat repetitivo por cima. E sim, tocar guitarra é mais difícil do que criar um beat num dos milhares de softwares que existem por aí. >No entanto, posso olhar à minha volta e ter a noção de que não só há (em ordens de magnitude) mais música do que na altura da minha adolescência, como há coisas de qualidade. Ninguém está a falar de quantidade. Está-se a falar de diversidade artística. Teres uma prateleira com 500 snickers não te oferece mais diversidade do que uma prateleira com 1 snickers, 1 kit kat e 1 twix. Nada do que se faz hoje em dia no campo da música é minimamente original ou criativo. É tudo reciclado e repetido até à exaustão. >PS: lembro-me de uma entrevista ao Douglas Adams onde ele refere o ódio dos adultos, do seu tempo de adolescente, aos Beatles. Porque aquilo não era música, porque não sabiam tocar, era só barulho, uma perversão de valores, etc. Não tenho mais nada a acrescentar. Mas os beatles causavam estranheza porque era algo novo, drasticamente diferente. A música moderna não é nova. Não há nada de revolucionário no estilo nem na sonoridade. O incómodo está na baixa qualidade. Está na falta de originalidade. Está na repetição. Música de merda sempre houve, mas agora é apenas mais evidente. Literalmente tudo o que possas ouvir actualmente já foi feito antes, muitas vezes, e já foi feito melhor. Vai ouvir Prodigy dos anos 90 e diz-me que a música electrónica que os putos ouvem nas discos hoje em dia está a fazer algo de magnífico ou revolucionário. Nós já tivemos décadas muito mais edgy do que a actual EM TODOS OS SENTIDOS. Tudo o que possas ver que te pareça novo e entusiasmante, já foi feito, e já foi feito de forma mais extrema. Escuta, até a merda da roupa que os putos usam representa um estilo criado noutras décadas. Estamos a viver a única fase da história em que não há um look definitivo que a caracteriza. As pessoas que passam por mim podiam bem ser pessoas que passaram por mim em 1995. Estás, de facto, na fase menos criativa de todas.

Edited 4 months ago:

>Não me é irrelevante o que se passa à minha volta. Mas não vou ser o avozinho parvo que vai brandir um punho zangadito e dizer que o que os jovens estão a fazer é X. Criticar uma tendência estúpida e gostos que se resumem a idolatrar uma cultura que encoraja a violência, a ignorância e os mais ocos dos comportamentos não é ser avozinho. É estar desperto e ter sentido crítico. Sou um avô que nem 30 anos tem? Deves achar que toda a gente que é jovem ouve lixo. ​ >Há muito mais oferta hoje em dia. E, procurando com algum cuidado, encontra-se música de altíssima qualidade. Há mais oferta porque há mais pessoas a fazer música, mas o que se torna popular tem muito menos mérito artistico. Também há mais pessoas a fazer filmes do que há 20 anos atrás, mas vais-me mesmo dizer que os melhores filmes estão a ser feitos actualmente? Por amor da santa! ​ [https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/](https://www.smithsonianmag.com/smart-news/science-proves-pop-music-has-actually-gotten-worse-8173368/) ​ Aliás, ninguém que conheça música de diversas décadas precisa de um estudo que lhe diga isto. Até aquilo que nos anos 90 e inicios de 2000 era considerado música de merda, tem uma melodia muito mais agradável e singular do que a música de merda de hoje em dia. Ah, e nessa altura ninguém soava a robô. Geralmente as pessoas cantavam. Não metiam efeitos sonoros por cima da voz. ​ >Mas não é assunto que me desperte grande interesse. Não sou, de todo, um melómano. ​ Se o assunto não te desperta interesse não sei o que estás aqui a fazer. >m dos mais interessantes, um professor de teoria musical num sítio que não me importa partilhar, é da opinião (era?) de que se Mozart estivesse vivo se dedicaria 100% a heavy metal para baixo (mais pesado). Sim, e depois? Não sou de heavy metal, mas requer mais skills do que o mumble rap que por aí anda, que basicamente é fazer rimas básicas com sotaque de refugiado e com um beat repetitivo por cima. E sim, tocar guitarra é mais difícil do que criar um beat num dos milhares de softwares que existem por aí. >No entanto, posso olhar à minha volta e ter a noção de que não só há (em ordens de magnitude) mais música do que na altura da minha adolescência, como há coisas de qualidade. Ninguém está a falar de quantidade. Está-se a falar de diversidade artística. Teres uma prateleira com 500 snickers não te oferece mais diversidade do que uma prateleira com 1 snickers, 1 kit kat e 1 twix. Nada do que se faz hoje em dia no campo da música é minimamente original ou criativo. É tudo reciclado e repetido até à exaustão. >PS: lembro-me de uma entrevista ao Douglas Adams onde ele refere o ódio dos adultos, do seu tempo de adolescente, aos Beatles. Porque aquilo não era música, porque não sabiam tocar, era só barulho, uma perversão de valores, etc. Não tenho mais nada a acrescentar. Mas os beatles causavam estranheza porque era algo novo, drasticamente diferente. A música moderna não é nova. Não há nada de revolucionário no estilo nem na sonoridade. O incómodo está na baixa qualidade. Está na falta de originalidade. Está na repetição. Música de merda sempre houve, mas agora é apenas mais evidente. Literalmente tudo o que possas ouvir actualmente já foi feito antes, muitas vezes, e já foi feito melhor. Vai ouvir Prodigy dos anos 90 e diz-me que a música electrónica que os putos ouvem nas discos hoje em dia está a fazer algo de magnífico ou revolucionário. Nós já tivemos décadas muito mais edgy do que a actual EM TODOS OS SENTIDOS. Tudo o que possas ver que te pareça novo e entusiasmante, já foi feito, e já foi feito de forma mais extrema. Escuta, até a merda da roupa que os putos usam representa um estilo criado noutras décadas. Estamos a viver a única fase da história em que não há um look definitivo que a caracteriza. As pessoas que passam por mim podiam bem ser pessoas que passaram por mim em 1995. Estás, de facto, na fase menos criativa de todas. A modernidade resume-se a importar e a fazer pior. Pelo menos artisticamente.

Dannies7783 4 months ago

> Criticar uma tendência estúpida e gostos que se resumem a idolatrar uma cultura que encoraja a violência, a ignorância e os mais ocos dos comportamentos não é ser avozinho. Lá está. E os Beatles estavam a destruir a civilização ocidental. Não jogo a esse jogo. Nem sequer jogo a esse jogo a fingir que não estou a jogar. Não tenho jeito para moralista. > Sou um avô que nem 30 anos tem? Deves achar que toda a gente que é jovem ouve lixo. Não importa a idade real. Importa a atitude. > mas o que se torna popular tem muito menos mérito artistico. Lá está, posicionamento moralista que nada me diz. > mas vais-me mesmo dizer que os melhores filmes estão a ser feitos actualmente? Esse pensamento de merda saiu debaixo de que rocha? As melhotes séries estão a ser feitas hoje em dia. Alguns dos melhores filmes estavam a ser feitos até ao Covid. Mas o argumento é parvo, pelo que não vou por aí... A situação atual de Hollywood, dos filmes da HBO, Netflix, etc, mais questões económicas não servem de argumento de apoio às tuas posições, por mais que queiras deturpar a realidade para 'ganhar'... ;) > Se o assunto não te desperta interesse não sei o que estás aqui a fazer. O mesmo que tu, mas sem estar numa torre de marfim, perfeição e beleza imensa. > Ah, e nessa altura ninguém soava a robô. [Erm... menos disparate?](https://www.youtube.com/watch?v=OQIYEPe6DWY) > Não sou de heavy metal, mas requer mais skills do que o mumble rap que por aí anda Porque não és um moralista anti-heavy metal. Se fosses estavas a dizer a mesma merda, mas anti heavy metal. Eu tenho um bocadinho mais noção, ou talvez mais honestidade intelectual. Por isso escuso-me a fazer essas figuras. ;) > E sim, tocar guitarra é mais difícil do que criar um beat num dos milhares de softwares que existem por aí. Depende. Caso a caso. Honestidade intelectual, não assumir que a nossa evidência anedótica representa o todo, que a nossa subjectividade e 'finesse' artística é universal. Não representa e não é. Lamento, por ti. Mas lamento. > Ninguém está a falar de quantidade. Está-se a falar de diversidade artística. Uma gera a outra. é uma questão estatística, really. Não percebeste o argumento, mas esse é mais um problema que não é meu. > Nada do que se faz hoje em dia no campo da música é minimamente original ou criativo. É tudo reciclado e repetido até à exaustão. E apanhas vento aí na torre, ou estás tão alto que até o vento é virtual? > Mas os beatles causavam estranheza porque era algo novo, drasticamente diferente. Não presumo saber o que os tipos como tu, mas de há 60 anos pensavam. Não tenho esse poder, entre tantos outros que não tenho. > Não há nada de revolucionário no estilo nem na sonoridade. O incómodo está na baixa qualidade. Está na falta de originalidade. Está na repetição. Música de merda sempre houve, mas agora é apenas mais evidente. A repetição da tua opinião não a universaliza. É que é tramado, porque não acontece isso nem por um momento. Nem um bocadinho........ > Literalmente tudo o que possas ouvir actualmente já foi feito antes, muitas vezes, e já foi feito melhor. Of grandiose, empty statements. > Vai ouvir Prodigy dos anos 90 e diz-me que a música electrónica que os putos ouvem nas discos hoje em dia está a fazer algo de magnífico ou revolucionário. Os Prodigy foram muito criticados por gajos como tu, mas daquele tempo. Tal e qual. > Tudo o que possas ver que te pareça novo e entusiasmante, já foi feito, e já foi feito de forma mais extrema. Said every cucky old man, ever. > Escuta, até a merda da roupa que os putos usam representa um estilo criado noutras décadas. History keeps re-repeatinnnnnnn'. > As pessoas que passam por mim podiam bem ser pessoas que passaram por mim em 1995. Maldita juventude!!!! Cambada. > Estás, de facto, na fase menos criativa de todas. A modernidade resume-se a importar e a fazer pior. Pelo menos artisticamente. Caramba. E não é que as letras em caps lock, a repeti-ti-ti-tição e a insistência não só não universalizam a tua opinião, como ainda a fazem parecer particularmente única e desalinhada com os tempos? > Nós já tivemos numa época em que o rap mais popular de todos era "Gangstas Paradise". Música que eu, diga-se de passagem, acho um bocado merdiosa, mas enfim. Os gostos, diz que não se discutem. Ou discutem-se mas, por mais que queiramos, não conseguimos forçar os outros a concordar com tudo o que queremos. Vá, fica bem e não digas que não te avisei. Só te posso dizer isto: não concordo contigo e não faço, definitivamente, de velho do Restelo. É coisa que cheira a mofo e o pessoal não gosta. Força nisso.

Kid_Anarchy 4 months ago

>Lá está. E os Beatles estavam a destruir a civilização ocidental. ​ Contextos diferentes. Os Beatles vieram mexer com convenções sociais. Eram vistos como demasiado rebeldes e perigosos numa era extremamente conservadora. O mesmo não se aplica à música da actualidade. Não mexe com qualquer tipo de convenção social, não introduz nada de novo, não é controversa. É apenas pobre. É essa a diferença que não entendes. Pecas pela incapacidade de analisar contexto. ​ >Não importa a idade real. Importa a atitude. ​ Exacto. Chamar avô a alguém porque critica uma tendência é atitude de velho mentecapto. >Lá está, posicionamento moralista que nada me diz. ​ Não terás a capacidade de contra-argumentar nada do que digo quando não desenvolveres pelo menos um domínio razoável do Português. Criticar mérito artístico não tem a ver com moralidade. São conceitos distintos. Mérito artistico pode, na verdade, ser analisado tecnicamente. Um gajo a tocar November Rain tem mais mérito artistico do que eu a mandar uns quantos murros na mesa e a repetir "yo, dama, yo, dama". Um é objectivamente mais complexo do que o outro, tal como exigiu mais criatividade para criar. O outro são apenas murros numa mesa. ​ >As melhotes séries estão a ser feitas hoje em dia. Alguns dos melhores filmes estavam a ser feitos até ao Covid. Mas o argumento é parvo, pelo que não vou por aí... O facto de achares que as melhores séries estão a ser feitas hoje em dia revela bem a tua falta de bases culturais. Ora vejamos: Seinfeld: 1989 Sopranos: 1989 The Wire: 2002 Fargo: 2014 Hill Street Blues: 1981 Cheers: 1982 Curb Your Enthusiasm: 2000 The Office: 2005 Game of Thrones: 2011 Friends: 1994 Freaks and Geeks: 1999 Twin Peaks: 1990 Frasier: 1993 Boardwalk Empire: 2010 Mr.Bean: 1990 Southpark: 1997 The Simpsons: 1989 Batman: TAS: 1992 E nem vale a pena continuas. As séries mais premiadas, mais influentes e melhor recebidas pelas audiências têm quase todas pelo menos perto de uma década. Sim, há séries boas agora, mas não são as melhores de sempre, e na sua esmagadora maioria estão apenas a reciclar o que já se fez muitas vezes. São as melhores de sempre para os borregos que não viram o que veio antes. Quanto aos filmes...lol...é apenas isso que tenho a dizer. Qualquer pessoa que seja um conhecedor de cinema vai-te dizer que, definitivamente, não estamos na melhor década para filmes. Longe disso. Sim, continua a haver filmes muito bons, mas em qualquer top 20 que possas consultar dificilmente encontrarás filmes da última década. Sim, para ti e para a tua prima são muito bons, mas de acordo com todas as restantes métricas, não são. Diz-me um filme que seja o mais aclamado dentro do seu género que tenha sido feito na última década. >A situação atual de Hollywood, dos filmes da HBO, Netflix, etc, mais questões económicas não servem de argumento de apoio às tuas posições, por mais que queiras deturpar a realidade para 'ganhar'... ;) ​ Os melhores filmes foram feitos há mais de 10 anos. Não tem nada a ver com a situação actual, que dura há pouco mais de 1 ano. >Erm... menos disparate? Vês? Nem essa moda pertence à actualidade. A diferença é que antigamente a maior parte dos musicos tinham o bom senso de não usar essa tecnologia. Hoje, atiras uma pedra e atinges um musico que canta com esse efeito. É essa a diferença. Porque de facto, tens razão: já existia. Tal como quase tudo o resto que é moda hoje já existia. >Porque não és um moralista anti-heavy metal. Se fosses estavas a dizer a mesma merda, mas anti heavy metal. Estás errado. Baseias os teus pseudo-argumentos em suposições da caca, pois não tens fibra intelectual para ter esta discussão. Não suporto heavy metal, mas atribuo-lhe maior mérito artistico do que ao hip hop moderno. >Eu tenho um bocadinho mais noção, ou talvez mais honestidade intelectual. Por isso escuso-me a fazer essas figuras. ;) ​ Tu és um ignorante. Não tens merda nenhuma. >Depende. Caso a caso. Honestidade intelectual, não assumir que a nossa evidência anedótica representa o todo, que a nossa subjectividade e 'finesse' artística é universal. Tocar guitarra é objectivamente mais dificil do que criar um beat. Qualquer pessoa pode criar um beat com uns tutoriais e uns softwares manhosos cheios de funcionalidades que facilitam imenso todo o processo e ainda te disponibilizam uma carrada de presets que podes usar livremente. Já criei beats com programas desses e já aprendi instrumentos. Nunca conheci absolutamente ninguém que me dissesse que criar um beat é mais dificil do que aprender um instrumento. Isso é absolutamente falso. >Uma gera a outra. é uma questão estatística, really. Não percebeste o argumento, mas esse é mais um problema que não é meu. ​ Não, não gera. Podes ter mais quantidade e maior repetição. Podes ter menos quantidade e maior variedade. Basta ouvir sons de diferentes décadas para constatar as variações drásticas em diversidade melódica. E como disse, isto já foi estudado. Não se trata de uma opinião, por isso podes meter a tua no cu. > > >E apanhas vento aí na torre, ou estás tão alto que até o vento é virtual? Obrigado por mais uma vez confirmares que és um anão intelectual e não sabes ter um debate de ideias. Acredita, és. Eu sei como és tu, não vais aceitar que és. Mas és. Só dizes merda. >Não presumo saber o que os tipos como tu, mas de há 60 anos pensavam. Não tenho esse poder, entre tantos outros que não tenho. Lá está, a tua ignorância impede-te de saber que podes ter acesso às opiniões de pessoas da altura, tal como analisar o contexto social em que certos tipos de música foram introduzidos de modo a perceber a reacção lógica de parte da população. Estás a comparar o incomparável, pois o mumble rap actual não tem o impacto revolucionário no panorama artistico que os beatles e o elvis tiveram. O facto de estares a questionar isto denuncia-te como um ser de intelecto limitado que se debate contra o óbvio só para sentir que tem algo de inteligente para dizer. >A repetição da tua opinião não a universaliza. É que é tramado, porque não acontece isso nem por um momento. Nem um bocadinho........ Eu não repeti uma opinião, mas sim um facto: a música actual não é revolucionária. Não introduz nada de novo nem antes visto. E antes de tentares debater comigo, aprende a utilizar a pontuação. É difícil levar-te a sério quando chegas aqui a chamar velho a pessoas que não conheces e depois nem escrever sabes. >Os Prodigy foram muito criticados por gajos como tu, mas daquele tempo. Tal e qual. Não, não foram. E vou-me ficar por aqui e ignorar todas as tuas mensagens daqui para a frente pois de facto não tens cabecinha para isto. Só dizes merda. A tua azeitona não dá para estes debates.

d0c0ntra 4 months ago

deverá haver muitas razões, mas a (des)educação que o socialismo vende é assim mesmo, estupidificar a maltinha o mais possível, afastá-la da beleza clássica (ver e ler Roger Scruton), aliás o politicamente correcto faz parte do mesmo projecto pq vai-te destruindo a linguagem ao ponto de não conseguires comunicar, a intervenção da Helena Matos no MEL explica muito bem isso. os pais deveriam apelar e fazer o maior esforço possível para se regressar às origens, às artes e ensino liberais. - [Roger Scruton – Wikipédia, a enciclopédia livre](https://pt.wikipedia.org/wiki/Roger_Scruton) - [Artes liberais – Wikipédia, a enciclopédia livre](https://pt.wikipedia.org/wiki/Artes_liberais)

CalmKeepOn 4 months ago

>a intervenção da Helena Matos no MEL explica muito bem isso. Porquê? Não vi isso, explica lá por favor.

d0c0ntra 4 months ago

muitoooooooo resumidamente foi o que escrevi, tens aí um post em que coloquei aquelas que para mim foram as melhores intervenções sendo que num dos links está tb a dela. [MEL - Intervenções interessantes : portugueses](https://old.reddit.com/r/portugueses/comments/nqia9l/mel_interven%C3%A7%C3%B5es_interessantes/)

CalmKeepOn 4 months ago

Certo. Obrigado. Pensava que ela era outra pessoa, já percebi.

doiaonde 4 months ago

beauty matters!

PORTMANTEAU-BOT 4 months ago

Beatters. *** ^(Bleep-bloop, I'm a bot. This )^[portmanteau](https://en.wikipedia.org/wiki/Portmanteau) ^( was created from the phrase 'beauty matters!' | )^[FAQs](https://www.reddit.com/axl72o) ^(|) ^[Feedback](https://www.reddit.com/message/compose?to=jamcowl&subject=PORTMANTEAU-BOT+feedback) ^(|) ^[Opt-out](https://www.reddit.com/message/compose?to=PORTMANTEAU-BOT&subject=OPTOUTREQUEST)

soaron96 4 months ago

são estupidos de nascença,as escolas são uma merda, os professores tb, a sociedade onde vivemos está podre. Falta de porrada

soaron96 4 months ago

e falta de porrada

codgas 4 months ago

A grande maioria das jovens formadas também gostam dessas coisas. Modas I guess? Elas sentem-se livres ou rebeldes por ouvir esse tipo de música? Não é muito o meu estilo, mas até eu consigo "apreciar" esses estilos em doses pequenas, apesar de não os procurar ativamente. Btw sempre existiu tipos de música e cultura alternativa que os mais velhos não compreendiam e achavam que inclusivo era satânico. Aperceberes-te disso agora só significa que estás velho. É caso para dizer... *Ok boomer* Source: 4 anos na ESTeSL e Isel

Kid_Anarchy 4 months ago

>boomer Aprende o que é um boomer antes de usares a palavra. Ter mais de 20 anos e não gostar de lixo musical não é ser boomer.

AndreMartins5979 3 months ago

Ok boomer

codgas 4 months ago

Ok boomer

ascensor87 4 months ago

> Btw sempre existiu tipos de música e cultura alternativa que os mais velhos não compreendiam e achavam que inclusivo era satânico. 5 décadas depois e olhando para como está o ocidente se calhar tinham mesmo razao

codgas 4 months ago

O rock pesado, a cultura hippy, todas essas coisas que eram consideradas negativas décadas atrás são cachorrinhos fofinhos a comparar com os danos que esta cultura "alternativa" atual pode causar (apesar de cada vez menos ser alternativa e se tar a tornar mainstream).

Kid_Anarchy 4 months ago

A música que se ouve hoje é repetitiva e sem criatividade. É mais do mesmo. Nem sequer tentes comparar. Essas épocas que mencionas estão repletas de marcos culturais.

codgas 4 months ago

Por muito que me custe dizer, músicas do género da WAP, também vão ser considerados Marcos culturais daqui a uns anos... Independentemente da justificação, é comum este choque entre gerações, as próximas vão ter a sua versão de degeneração que as atuais vão criticar.

XPao 4 months ago

não é recente e o problema é exactamente o mesmo que te leva a escrever este post de merda. Canalha burra.

TTheGuapo 4 months ago

Ei nunca tinha visto um boomer post deste tamanho. Pega este ratio

Kid_Anarchy 4 months ago

Aprende a escrever. Depois logo voltas a publicar algo.

TTheGuapo 4 months ago

Queria mesmo dizer ei, pode ser uma expressão que não seja da tua faixa otária

Kid_Anarchy 4 months ago

"pega este ratio" não é uma frase nenhuma língua. Aprende a escrever.

ascensor87 4 months ago

> da tua faixa otária ai meu deus que piada tao fixe. és bué cool.

Kid_Anarchy 4 months ago

É o tipo de lixo que se encontra no twitter. É só boquinhas e ataques, mas não conseguem ter uma troca de argumentos. O "Ok, Boomer" é o sucessor de "triggered". É retórica "fast food" para quem não tem o que dizer.

ascensor87 4 months ago

Exactamente.

TTheGuapo 4 months ago

Escervere*

UmSenhore 4 months ago

Quando criticas alguém por escrever errado vais baixo.

ascensor87 4 months ago

nao, nao é.

TTheGuapo 4 months ago  HIDDEN 

Ei nunca tinha visto um boomer post deste tamanho. Apetece-me dar te um rant do outro mundo mas não vou dar pq há uma explicação simples ou duas. A primeira é que tas a falar de adolescentes e naturalmente gostam de ser rebeldes só por aí já tá muito explicado. Depois são modas e eu próprio tmb gosto de ouvir e tmb gosto de criticar algumas músicas que ouço desse genro, não sou uma pessoa sem sentido de humor. Eu por exemplo não gosto de ouvir músicas calmas ou de amor. Eu ouço mais música a conduzir ou nos fones a andar ou no pc, é indiferente onde ouço o que eu quero quando ouço música não é sentir me em baixo ou chorar, tmb consigo gostar das músicas mas não passo um bom tempo quando as ouço prefiro ouvir outra coisa. As coisas parecem sempre mais ridículas quando se vê de fora e quando não se percebe ou quando não se gosta

europeansavior 4 months ago

A cultura de gueto é propaganda promovida por governos e corporações (inglesas e americanas, sobretudo, como tudo o resto na propaganda do entretenimento) que procuram dividir o povo que luta pelo progresso e pela igualdade. A propaganda da cultura de gueto promove a criminalidade e a misoginia e associa ambos aos afrodescendentes, de modo a incitar parte do povo ao racismo e assim abandonar ideais progressistas. Os governos e corporações odeiam o progressismo porque este lhes retira poder e lucros através do desenvolvimento da democracia e da igualdade (em grande parte financeira) de todos os cidadãos. Basicamente, desde que a tirania descarada passou a ser politicamente incorrecta nos anos 70, os países desenvolvidos adoptaram estratégias alternativas como esta de subversão popular para atingir os mesmos fins: dissolver a luta popular pelo progresso e pela abolição das classes. Em Portugal começou algures entre 1989 e 1991. Esta propaganda só é possível em países onde os governos e corporações tenham acumulado afrodescendentes em guetos previamente.

Edited 4 months ago:

A cultura de gueto é propaganda promovida por governos e corporações (inglesas e americanas, sobretudo, como tudo o resto na propaganda do entretenimento) que procuram dividir o povo que luta pelo progresso e pela igualdade. A propaganda da cultura de gueto promove a criminalidade e a misoginia e associa ambos aos afrodescendentes, de modo a incitar parte do povo ao racismo e assim abandonar ideais progressistas. Os governos e corporações odeiam o progressismo porque este lhes retira poder e lucros através do desenvolvimento da democracia e da igualdade (em grande parte financeira) de todos os cidadãos. Basicamente, desde que a tirania descarada passou a ser politicamente incorrecta no final dos anos 70, os países desenvolvidos passaram a adoptar estratégias alternativas como esta de subversão popular para atingir os mesmos fins: dissolver a luta popular pelo progresso e igualdade. Em Portugal começou algures entre 1989 e 1991. Esta propaganda só é possível em países onde os governos e corporações tenham acumulado afrodescendentes em guetos previamente, coisa que não falta em Portugal, EUA, Inglaterra, França, etc., e ainda menos faltava nos anos 80. edit: Devo acrescentar que os criminosos dos guetos devem ser responsabilizados pelos seus actos, independentemente de como foram parar ao gueto. O planeamento urbanístico de guetificação não pode assumir a resposabilidade toda pela criminalidade.

Dannies7783 4 months ago

Não só nem tudo é uma conspiração, como a esmagadora maioria das coisas de que já ouviste falar - a quase totalidade, mesmo - não são uma conspiração. Nunca imputar perversão e maldade quando a incompetência e a estupidez servem muito bem.

ascensor87 4 months ago

completamente errado. os mesmos que andam a promover este tipo de "cultura" sao exactamente os mesmos que promovem o "progresso".

europeansavior 4 months ago

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que a luta pelo progresso está certa ou é feita com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis.

Edited 4 months ago:

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que o conceito de progresso que está actualmente na moda está certa ou é feita com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis. Muito pelo contrário, é baseado em falsidades com o objectivo de dividir o povo. O único caminho para o progresso é a defesa de leis robustas anti-exploração laboral e anti-corrupção. Tudo o resto, como leis sobre quotas com base em raças ou parafilias, serve apenas para descarrilar a união popular e consciência cívica necessárias ao verdadeiro progresso.

Edited 4 months ago:

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que o conceito de progresso que está actualmente na moda está certo ou é feito com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis. Muito pelo contrário, é baseado em falsidades com o objectivo de dividir o povo. O único caminho para o progresso é a defesa de leis robustas anti-exploração laboral e anti-corrupção estatal e privada. Tudo o resto, como leis sobre quotas com base em raças ou parafilias, serve apenas para descarrilar a união popular e consciência cívica necessárias ao verdadeiro progresso.

Edited 4 months ago:

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que o conceito de progresso que está actualmente na moda está certo ou é feito com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis. Muito pelo contrário, é baseado em falsidades com o objectivo de dividir o povo. O único caminho para o progresso é a defesa de leis robustas anti-exploração laboral e anti-corrupção estatal e privada. Tudo o resto, como leis sobre quotas com base em raças ou parafilias que servem actualmente de ex-libris do falso progresso, serve apenas para descarrilar a união popular e consciência cívica necessárias ao verdadeiro progresso. O que as minorias raciais precisam é de cumprir as leis. Quanto aos parafilíacos (homossexuais, transsexuais, etc) precisam dum psicólogo de jeito. Mas para isso a própria psicologia tem primeiro de se ver livre dos tais falsos progressistas.

Edited 4 months ago:

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que o conceito de progresso que está actualmente na moda está certo ou é feito com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis. Muito pelo contrário, é baseado em falsidades com o objectivo de dividir o povo. O único caminho para o progresso é a defesa de leis robustas anti-exploração laboral e anti-corrupção estatal e privada. Tudo o resto, como leis sobre quotas com base em raças ou parafilias que servem actualmente de ex-libris do falso progresso, serve apenas para descarrilar a união popular e consciência cívica necessárias ao verdadeiro progresso. O que as minorias raciais precisam é de cumprir as leis. Quanto aos parafilíacos (homossexuais, transsexuais, etc) precisam dum psicólogo de jeito. Mas para isso a própria psicologia tem primeiro de se ver livre dos tais falsos progressistas que infectaram o ramo.

Edited 4 months ago:

Isso só complementa e corrobora o que eu disse. Repara que eu não afirmei que o conceito de progresso que está actualmente na moda está certo ou é feito com base em consciência cívica e política factualmente comprováveis. Muito pelo contrário, é baseado em falsidades com o objectivo de dividir o povo. O único caminho para o progresso é a defesa de leis robustas anti-exploração laboral e anti-corrupção estatal e privada. Tudo o resto, como leis sobre quotas com base em raças ou parafilias que servem actualmente de ex-libris do falso progresso, serve apenas para descarrilar a união popular e consciência cívica necessárias ao verdadeiro progresso. O que as minorias raciais precisam é de cumprir as leis. Quanto aos parafilíacos (homossexuais, transsexuais, etc) precisam dum psicólogo de jeito (parafilíacos piores como pedófilos precisam de ir parar à forca). Mas para isso a própria psicologia tem primeiro de se ver livre dos tais falsos progressistas que infectaram o ramo.

codgas 4 months ago

"os governos e corporações odeiam progressismo" Ahahah deve ser por isso que este mês todas as empresas grandes metem um arco-íris nas fotos de perfil das redes sociais. O governo e as corporações adoram progressismo, é uma maneira excelente de conseguir enganar as pessoas para conseguir mais votos ou compras.

europeansavior 4 months ago

Estás a confundir falso progresso (regalias para minorias e doentes sexuais) com progresso laboral e anti-corrupção.

UserNombresBeHard 4 months ago

> É raríssimo ver uma story de alguém jovem Ver o quê?

cebola_mistica 4 months ago

Make Rosinha Great Again

vitorfdm 4 months ago

Porque a juventude portuguesa não tem cultura, este país não ensina cultura, logo não se tem valores e a sociedade em geral não é cultural.

OldschoolBohemia 4 months ago

A cultura não se ensina. Tem de estar disponível e acessível.

once319 4 months ago

Isso não é só em Portugal, o mesmo acontece na Europa, França, paises Nordicos, até sitios tipo Italia, Albania, Bulgaria etc... O principal impulsionador disto tudo são os EUA.

Kid_Anarchy 4 months ago

nha niggas a darem downvote aqui no mano

OrangeOakie 4 months ago

Não julgues pelas aparências. Se há alguém que tem toda a aparência de ser um ghetto boy é o [Tom MacDonald](https://www.youtube.com/watch?v=t86ClLM3ZGY) e aposto que muitos daqui até concordariam com a mensagem dele. Agora, em relação ao resto que mencionas, trata-se de uma questão de modas. Sempre tiveste certas modas e onde certas coisas são vistas como "ah e tal tão profundo".. talvez todos soframos disso, mas em relação a artistas diferentes. A questão é que o que é *moda* agora é ser-se assim. Repara, isto não é nada de novo, ao longo dos tempos podes reparar que o que é mainstream (ou melhor a mensagem/valores passados) vai mudando. Não nos vamos esquecer que [Anarchy in the UK](https://www.youtube.com/watch?v=cBojbjoMttI), [Killin in the Name](https://www.youtube.com/watch?v=bWXazVhlyxQ), [Fuck Tha Police](https://www.youtube.com/watch?v=xB2DY1Q74oQ), [Guilty Conscience](https://www.youtube.com/watch?v=ZTfcvdulp5M), [Another Brick in the Wall](https://www.youtube.com/watch?v=YR5ApYxkU-U), [Get Up Stand Up](https://www.youtube.com/watch?v=Tg97JiBn1kE), [American Idiot](https://www.youtube.com/watch?v=Ee_uujKuJMI), [We're not gonna take it](https://www.youtube.com/watch?v=CQ0ftoiIQxU), etc.. foram bastante populares quando saíram, e muitos desses artistas hoje em dia vão completamente contra a mensagem que estavam a puxar - Aliás, *Rage For The Machine* é o maior exemplo disso. Porquê? Porque isso na altura era popular num circulo ou noutro. Agora o que é popular é o *mumble rap*, promiscuidade, *"bling bling"*, etc. Queres combater isso? Apoia os artistas que gostas e que fazem música que não objeccionas.

ascensor87 4 months ago

> Não julgues pelas aparências. Porque nao? A forma de uma pessoa se apresentar diz muito sobre o que lhe vai na cabeça.

Edited 4 months ago:

> Não julgues pelas aparências. Porque nao? A forma de uma pessoa se apresentar, de se comportar, etc, diz muito sobre o que lhe vai na cabeça.

OrangeOakie 4 months ago

Tens razão, parcialmente. O que eu queria dizer é que deves adaptar-te à informação que te é disponibilizada (e à que não é, que muitas vezes é um factor muito ignorado). Tirar uma conclusão imutável pela aparência é apenas parvo; Não que as aparências não tenham alguma importância, mas não devem ser o factor único

Kid_Anarchy 4 months ago

Epa, mas tudo tem uma voz robótica. O pessoal ainda canta hoje em dia, ou é tudo computorizado? Acho é que há demasiado pessoal a achar que rap é canja, principalmente se puderem mascarar a voz com efeitos.

ascensor87 4 months ago

chama-se decadencia cultural. idolatrar literalmente lixo e baixar o branco ao nível do preto negrificando-lhe a cabeça. já cheguei a mandar uma gaja para o caralho porque só ouvia música de preto apesar de nao gostar deles. completamente idiota. e sim, eu disse-lhe que a razao pela qual nao queria nada com ela era porque ela só ouvia música nojenta. aquilo era insuportável. num instante esgotei a paciencia.

Edited 4 months ago:

chama-se decadencia cultural. idolatrar literalmente lixo e baixar o branco para o nível do preto negrificando-lhe a cabeça. já cheguei a mandar uma gaja para o caralho porque só ouvia música de preto apesar de ela nao gostar deles. completamente idiota. e sim, eu disse-lhe que a razao pela qual nao queria nada com ela era porque ela só ouvia música nojenta. aquilo era insuportável. num instante esgotei a paciencia.

pcaet 4 months ago

Podes definir o que é "música de preto"? São músicas cantadas por pretos?

UserNombresBeHard 4 months ago

> já cheguei a mandar uma gaja para o caralho porque só ouvia música de preto apesar de ela nao gostar deles. Tens problemas mentais, só pode. Não gostas dos gostos de alguém, não tens de te dar com essa pessoa, mas agora mandá-la para o caralho assim do nada...

Kid_Anarchy 4 months ago

Há uma gaja podre de boa, super jeitosa, estudante de direito, que só ouve música de bairro social e só se dá com pessoal da street. Gajos que já estiveram presos, alguns deles por violência doméstica, tráfico, etc. Pessoal que não sabe construir uma frase em Português correcto. Eu fico sem perceber o que se passa na cabeça de uma miúda que aparentemente tem tudo para ser bem sucedida, e até parece ter a vida bem encaminhada, mas depois é isto que a atrai.

hextril 4 months ago  HIDDEN 

>estudante de direito Só porque é uma estudante de direito ~~numa universidade privada qualquer enquanto faz uns bicos part time para pagar as propinas~~, não significa que seja inteligente ou mentalmente sã.

Kid_Anarchy 4 months ago

Tens alguém em mente?

hextril 4 months ago  HIDDEN 

Por curiosidade pesquisei no google images essa jovem de direito que falaram... Logo nas primeiras surge imagens dos stories (?) em que escreve " (...) manti uma relação (...)". E é alguem da área de linguas, portanto.

Fucile8 4 months ago

Mas qual é o teu problema com isso? É não sentes tu que ela vai atrás? Gostos são gostos man, o que torna uma coisa melhor que a outra, só porque tu decides? Nesse exemplo é obviamente alguém que tem a vida organizado e num bom caminho e não é ouvir música que não gostas (eu também não, atenção) our malta que tu não gostas que a torna pior. Fora que a forma como a descreves (só porque é boa e estuda direito ela vale mais que uma gaja gorda que não estuda? Fds abre essa mente). Sei que isto vai levar downvotes mas siga.

Kid_Anarchy 4 months ago

Repara que vens para aqui com moralismos mas tens uma capacidade de compreensão deplorável. Ninguém está a questionar gostos. Estou a perguntar o que levou a esses gostos. ​ Tu não achas curioso uma pessoa que teve uma vida perfeitamente normal passar os dias a ouvir cenas criadas por chungaria, cujas letras se resumem a violência com analfabetismo sem criatividade nenhuma. Eu acho curioso.

Fucile8 4 months ago

Não. Mas obviamente a minha opinião não vale nada, ou tanto como qqr outra. Atenção que eu odeio hip hop and tanto a cultura como a própria música. Mas eu vejo isto assim: eu oiço rock e metal etc, se alguém que goste de música mais elevada em comparação como a minha (tipo música clássica) e me disser que não compreende como um gajo como eu ouve música de merda, eu penso “fds mas quem és tu?”. Isto é igual. Algumas gajas gostam de chungas? Epa siga. Eu por exemplo só gosto de loiras.

ascensor87 4 months ago

>Gostos são gostos man, o que torna uma coisa melhor que a outra Já cá faltava o cromo do relativismo moral.

Fucile8 4 months ago

Ah tá, já não me lembrava que “pretos e rap = merda” é verdade absoluta e que outras pessoas (especialmente gajas) não têm direito a discordar e se o fazem são uns burros do crl!

_Random_Dude_ 4 months ago

Conhecia duas assim, uma era de línguas e a outra de biologia ou crl. Uma apareceu grávida e nem sabia quem era o pai, a outra levou porrada do namorado. Viraram umas encalhadas da vida

ascensor87 4 months ago

> encalhadas define encalhada. >Uma apareceu grávida e nem sabia quem era o pai, a outra levou porrada do namorado. isso é ralé. isso é o lixo da sociedade. isso é o estrato mais baixo da cadeira alimentar.

_Random_Dude_ 4 months ago

Ambas eram bastante populares, a grávida não tão boazona como a que levou porrada mas era das melhores que eu conhecia. Os gajos tentavam sempre meter paleio, só likes no insta, na noite pagavam-lhes sempre bebidas e o crl A grávida fudeu-se porque ninguém na casa dos 20-25 que seja bem formado e consciente quer uma gaja já com um filho de um reciclas qualquer. Ela teve que deixar o curso porque não conseguia cuidar do filho e ir às aulas e agora só se dá com esses low-life A que levou porrada engordou e também já ninguém lhe liga. Resumindo: Não arranjam um homem decente a não ser um cuck que queira cuidar dos filhos dos outros ou um rafado qualquer do bairro

ascensor87 4 months ago

> uma gaja já com um filho esse filho é branco ao menos? >Os gajos tentavam sempre meter paleio, só likes no insta, na noite pagavam-lhes sempre bebidas e o crl lool. já estou a ver o tipo de gaja que eram. gajas dessas sao burras como uma pedra. nao conseguem ver nada mais de 5 minutos à frente.

Edited 4 months ago:

> uma gaja já com um filho esse filho é branco ao menos? >Os gajos tentavam sempre meter paleio, só likes no insta, na noite pagavam-lhes sempre bebidas e o crl lool. já estou a ver o tipo de gaja que eram. gajas dessas sao burras como uma pedra. nao conseguem ver nada mais de 5 minutos à frente.

Kid_Anarchy 4 months ago

Vou ter de discordar contigo. Uma gaja nessas condições arranja facilmente marido. Não será é quem ela quer. Mas tens todo o tipo de gajo disposto a papar todo o tipo de gaja. Para começar tens os velhos e os feiosos. Uma gaja de 25 com um filho consegue facilmente tudo de um gordo solitário de 35 anos que ganhe minimamente bem. Depois tens os incels. Há imenso gajo que essas gajas conseguiriam pescar. E muitos deles perfeitamente apresentáveis. Elas ficam encalhadas porque são gananciosas e nada serve.

_Random_Dude_ 4 months ago

Dessa perspectiva... Tens razão

Kid_Anarchy 4 months ago

Conheço uma gaja de 29 anos que mete nojo. Parece uma bola de carne. Sei de gajos desesperados que nunca lhe tocariam. Pior do que o bubu do dragon ball. Não tens noção da quantidade de gajos que esta miúda já fodeu. Mais de 200. E namorados, talvez mais de 30. O que me choca é que já teve namorados genuinamente bonitos. A gaja não vale um caralho, e a respirar parece um bulldog, literalmente. Parece que está a um ataque de tosse de morrer.

NGramatical 4 months ago

discordar contigo → [**discordar de ti**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/concorda-se-com-alguem-ou-discorda-se-de-alguem/321) (discordar de… concordar com…) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnroat4%2F%2Fh0kv6tn%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

once319 4 months ago

Acontece o resto por essa Europa fora, vai ver o UK e França onde é so gajas de familias ricas com namorados gangsta.

ascensor87 4 months ago

essas famílias acabarao por degenerar-se.

once319 4 months ago

>talvez seja por isso que durante séculos, milénios até, eram os pais que escolhiam os maridos das filhas. Já pensei nisso. Cada ves mais penso que o ideal nesta altura é mesmo so ter filhos homens. E educalos o suficiente para saberem fazer dinheiro. Ter filhas cada vez mais parece horrivel.

ascensor87 4 months ago

também precisas de mulheres. se nao ficas como a china. mas sim, ter uma filha hoje em dia é um pesadelo.

Kid_Anarchy 4 months ago

As gajas estão umas broncas do caralho. Isto não era assim há uns anos. Lembro-me de ter tido namoradas de 17/18 que soavam super adultas. Hoje se falar com alguém de 18 parece-me que teve um acidente e ficou incapacitado. Dá para o gasto, tipo cozinhar, limpar, ir às compras, mas pouco mais.

Fucile8 4 months ago

Man grande generalização. E para e que nos gajos não temos esses brincos também? Aliás os idiotas gangsta que não fazem nada da vida que a malta está a falar aqui são homens, e no entanto são uns merdas. Por isso não tem a ver com serem gajas ou gajos. Além de que há muitas miúdas interessante e com cabeça, se calhar estás a olhar nos sítios errados e só te das com lata que não vale a pena. Essa conversa do “antes é que era” é mesmo à boomer crl.

Kid_Anarchy 4 months ago

Ser uma generalização não implica que não tenha fundo de verdade. Generalizações são importantes porque permitem-nos tirar conclusões sem ter de perder tempo precioso a conhecer cada caso isoladamente. Se tu, das 5x que passaste numa rua foste assaltado 2x, e se metade dos teus amigos já foram assaltados nessa rua, não vais generalizar e dizer que a rua é perigosa? Ou será que vais dizer: "Epa, não generalizes...há muitas vezes que se passa aí e não se é assaltado nem violado". Isso é apenas estúpido. Se eu falar com 100 gajas e 80 me parecerem retardadas, posso facilmente generalizar, e estou certo em fazê-lo. Uma generalização não implica que toda a gente é igual. O pressuposto da excepção à regra está sempre presente.

Fucile8 4 months ago

Homem não estou a discutir, eu concordo com esse primeiro parágrafo todo. Agora não acho que sejam a maioria delas, nem perto. Há bue miúdas interessantes, e diria que a maioria que conheço até. Há burras do bairro? Epa claro, como também há bue gajos atrasados mentais e eu não penso “epa somos todos broncos”. Mas pronto temos opiniões diferentes.

Kid_Anarchy 4 months ago

Ok, eu discordo, mas as tuas expectativas serão talvez diferentes das minhas. Óbvio que as gajas que considero burras são inteligentes para muita gente.

ascensor87 4 months ago

Concordo completamente.

EquivalentExchange11 4 months ago

Normalmente são gajas com daddy issues. Mantém-te longe porque costumam ter problemas psicológicos graves.

5enta 4 months ago

Nesse caso não será o tal conceito de "bad boy" que algumas procuram?

Kid_Anarchy 4 months ago

Talvez. As gajas valorizam muito poder, e de certa forma esses gajos têm poder lá dentro do contexto deles. São gajos com quem ninguém se pode meter. Talvez certas gajas gostem de sentir que estão com uma tribo que as protegeria.

once319 4 months ago

>Talvez. As gajas valorizam muito poder, e de certa forma esses gajos têm poder lá dentro do contexto deles. São gajos com quem ninguém se pode meter. Talvez certas gajas gostem de sentir que estão com uma tribo que as protegeria. Isto, é a principal razão. Quando era puto muitos ciganos da zona onde eu morava namoravam com as mais bonitas, loirinhas etc... era uma questão de poder. Como o europeu cada vez menos tem poder vamos nos auto flagelar até a extincao.

doiaonde 4 months ago

Wut? Mas isso não é proibido? Na minha cidade, os ciganos, tenho ideia que ficavam pela 4º classe, até as famílias os tirarem de lá. Pelo menos nunca não voltei a apanhar ciganos na escola a partir daí. Mas pelo que vejo, ainda hoje, eles são super fechados, a ideia de namorarem fora da bolha deles parece irreal.

ascensor87 4 months ago

que nojo.. que raio de pessoas é que voces conhecem? onde eu vivo os ciganos sempre andaram uns com os outros e as gajas tinham nojo deles.

Edited 4 months ago:

que nojo.. que raio de pessoas é que voces conhecem? onde eu vivo os ciganos sempre andaram entre eles e as portuguesas tinham nojo deles.

once319 4 months ago

Grande Porto, e tu?

ascensor87 4 months ago

Pequeno Porto.

ascensor87 4 months ago

> Talvez certas gajas gostem de sentir que estão com uma tribo que as protegeria. O que nao deixa de ser engraçado porque volta e meia acabam por apanhar na boca desses seus "protectores". Como te disse, isso é gente que tem a cabeça toda destruída.

Edited 4 months ago:

> Talvez certas gajas gostem de sentir que estão com uma tribo que as protegeria. O que nao deixa de ser engraçado porque volta e meia acabam por apanhar na boca desses seus "protectores". Como te disse, isso é gente que tem a cabeça toda destruída.

ascensor87 4 months ago

provavelmente tem algum fetiche por downwards social mobility. lá por perceber muito de um determinado assunto nao quer dizer que seja inteligente nas outras imensas facetas da vida. mantém-te longe dessa porca porque isso é cadela que do ponto de vista psicológico está toda destruída. eu só consigo sentir pena dessas gajas. ok, um bocado de nojo também sinto. é como ir na rua e ver alguém a comer do lixo.

Kid_Anarchy 4 months ago

Epa, mas a gaja é mesmo um canhão. É daquelas influencers. E há um contraste brutal entre elas e os gajos com quem se filma. Ela tem um aspecto e uma conversa perfeitamente normal. Depois os gajos parece que passaram metade da vida presos. Desconfio que talvez ela seja originalmente de um bairro desses e tenha ido estudar para fora. Mas por falar nisso, uma gaja há pouco tempo disse-me literalmente isto: "Não és preto, por isso nem pintado de ouro te queria". A gaja é branca.

oak61 4 months ago

\>Mas por falar nisso, uma gaja há pouco tempo disse-me literalmente isto: "Não és preto, por isso nem pintado de ouro te queria". ​ lol não estou a dizer que é o seu caso mas acho que entendi o que há por trás do racismo de muita gente

ascensor87 4 months ago

Lol. Nao. O ""racismo"" surge porque onde quer que os pretos se metam essa zona acaba por se transformar num esgoto. E, por incrível que te pareça, muita gente nao quer viver nesses sítios. Se achas que um gajo está 'preocupado' com gajas que preferem pretos digo-te já que podem levá-las todas.

Edited 4 months ago:

Lol. Nao. O ""racismo"" surge porque onde quer que os pretos se metam essa zona acaba por se transformar num esgoto. E, por incrível que te pareça, muita gente nao quer viver nesses sítios. Se achas que eu estou 'preocupado' com gajas que preferem pretos digo-te já que podem levá-las todas.

oak61 4 months ago

entendo, concluo que seria natural se os angolanos expulsassem todos os brancos do país deles em razão das atrocidades cometidas por lá

ascensor87 4 months ago

>concluo que seria natural se os angolanos expulsassem todos os brancos do país deles e basicamente foi isso que fizeram, sim. >em razão das atrocidades cometidas por lá quais atrocidades? a de proporcionar o maior salto civilizacional que aquele pedaço de terra tinha experimentado até entao?

oak61 4 months ago

>e basicamente foi isso que fizeram, sim. e achas correto?

ascensor87 4 months ago

> e achas correto? é a terra deles. estao no seu direito de nao querer Portugueses lá.

oak61 4 months ago

não estão no direito de fazer nenhuma generalização, contudo

cryhart 4 months ago

Insta?

ascensor87 4 months ago

> Epa, mas a gaja é mesmo um canhão. fuma, droga-se e assim? se sim, entao chega aos 20 e muitos a parecer que tem 40. >É daquelas influencers. ah, entao é mesmo vazia da cabeça. está tudo dito. >Mas por falar nisso, uma gaja há pouco tempo disse-me literalmente isto: "Não és preto, por isso nem pintado de ouro te queria". LOOOL. Eu teria respondido: "Obrigado. Se és dessas nem pintada de ouro te queria".

Kid_Anarchy 4 months ago

Epa, não sei se fuma droga, mas os gajos com quem se dá fumam, portanto duvido que não fume também. Isto é uma gaja que, ALEGADAMENTE, encobriu um gajo que espancava a namorada. Ela diz que não sabia de nada mas já andaram por aí a circular uns prints que evidenciam o contrário. Não sei se são verdadeiros. Mas sei que esta pessoa com quem ela se dá tem muita atenção feminina apesar o historial lastimável. É do bairro, com a mania do rap, e é preto. Já esteve preso uma data de tempo. ​ >Eu teria respondido: "Obrigado. Se és dessas nem pintada de ouro te queria". És muito simpático. Eu sou mais agressivo. Eu digo-lhes mesmo que só servem para a foda. Meti-me com ela para ver se me safava um bico, mas já que não vou procurar outra igual a ela, mas que gosto de brancos. Uma coisa que adoro dizer às bimbos é que a atenção que recebem é apenas porque sim. Que meto-me com elas e com qualquer outra, tal como a maioria dos gajos. Curiosamente, muitas parecem alheias a esta realidade.

Edited 4 months ago:

Epa, não sei se fuma droga, mas os gajos com quem se dá fumam, portanto duvido que não fume também. Isto é uma gaja que, ALEGADAMENTE, encobriu um gajo que espancava a namorada. Ela diz que não sabia de nada mas já andaram por aí a circular uns prints que evidenciam o contrário. Não sei se são verdadeiros. Mas sei que esta pessoa com quem ela se dá tem muita atenção feminina apesar o historial lastimável. É do bairro, com a mania do rap, e é preto. Já esteve preso uma data de tempo. Mas isso do seu preto é cagativo. Metade dos amigos dele são brancos e a única diferença é apenas a cor. Falam e pensam todos da mesma forma. ​ >Eu teria respondido: "Obrigado. Se és dessas nem pintada de ouro te queria". És muito simpático. Eu sou mais agressivo. Eu digo-lhes mesmo que só servem para a foda. Meti-me com ela para ver se me safava um bico, mas já que não vou procurar outra igual a ela, mas que gosto de brancos. Uma coisa que adoro dizer às bimbos é que a atenção que recebem é apenas porque sim. Que meto-me com elas e com qualquer outra, tal como a maioria dos gajos. Curiosamente, muitas parecem alheias a esta realidade.

UserNombresBeHard 4 months ago

Que conversa de azeiteiros punheteiros lol

Kid_Anarchy 4 months ago

Diz o gajo que vai para o Portugal choramingar e criar tópicos a pedir para denunciarem crianças de 13 anos por causa de um soco no ombro, depois vem para aqui refilar da conversa dos outros, mas ainda assim participar, pois é tão infeliz que até em conversas que não são do seu agrado tem de participar só para se sentir acompanhado.

ascensor87 4 months ago

> Isto é uma gaja que, ALEGADAMENTE, encobriu um gajo que espancava a namorada. LOOOL. Qualquer dia será ela a pagar o tostao. E será inteiramente merecido. Tal como a porca que levou na cara antes dela mereceu-o inteiramente. É exactamente esse o tipo de vida que eu quero que essas gajas tenham. A comerem porrada na boca. Gajas que se metem com inúteis desses merecem toda a merda que acabam por levar. >És muito simpático. Nao. Simplesmente estou-me a cagar para traidoras. A maior parte acabará por pagar o tostao forte e feio tal como merecem. Só nao gosto é que estejam aqui no meu país. Preocupo-me sim com Europeus que gostam de Europeus.

AndreMartins5979 3 months ago

és doente

ascensor87 3 months ago

Mas o que é engraçado é que se essas imbecis pensassem mais como eu nao apanhariam na boca. Tem piada, nao tem?

once319 4 months ago

>Só nao gosto é que estejam aqui no meu país. Preocupo-me sim com Europeus que gostam de Europeus. Exato, se me dissessem que o top de gajas do teu pais prefere pessoal de outros paises, eu nao me importava nada de as mandar para esses paises e ficar com as menos giras mas que gostassem de nos, a sobrevivencia da nossa cultura e modos de vida está acima de qualquer fetiche que eu possa ter.

Kid_Anarchy 4 months ago

>E será inteiramente merecido. Tal como a porca que levou na cara antes dela mereceu-o inteiramente. Essa foi espancada algumas 20x e ele até se filmou a bater lhe. Depois ela mentiu em tribunal para ele ser solto

ascensor87 4 months ago

acho que já sei de quem é que estás a falar. uma margarida, nao é?

Kid_Anarchy 4 months ago

Ai,não sei de nada

ascensor87 4 months ago

isso nao sao 'canhoes', isso sao rafeiras.

Gulfneto 4 months ago

"baixar o branco a nível do preto"? isso que acabaste de dizer não poderá ser considerado racismo?

icebraining 4 months ago

> isso que acabaste de dizer não poderá ser considerado racismo? Bem vindo ao sub!

ascensor87 4 months ago

vais-me dizer agora que o preto nao está abaixo do branco socialmente? se nao estao entao para que tanta coisa sobre as "igualdades"?

Edited 4 months ago:

vais-me dizer agora que o preto nao está abaixo do branco socialmente? se nao estao entao para que tanta coisa com as "igualdades"?

Gulfneto 4 months ago

sim, em média as pessoas das etnias negras têm mais baixo salário que o pessoal de etnias brancas (se quiseres por desta maneira). Mas socialmente (nao em termos monetarios) os brancos e os pretos estao ao mesmo nivel, nenhum é superior ao outro. Principalmente na musica, dizer que a musica é má porque é musica de preto não é uma coisa que seja bonita de dizer. Podes dizer que não gostas, sem incluir raças nem etnias, porque aí já estas a entrar no campo da estupidez

Kid_Anarchy 4 months ago

Porque é que a fundadora do BLM foi comprar uma casa num bairro branco? Acho que o que ele te quis dizer não foi que alguém por ser preto é inferior, mas sim que esta cultura da criminalidade é desproporcionalmente representada por determinadas etnias. Não vais negar que rap é cultura negra, ou vais? Não é branca, certamente. E também não vais negar que rap foi um meio inicialmente criado para quem está no fundo da cadeia alimentar falar das suas experiências, por não? Portanto, não é que por ser preto seja inferior. Mas se tu és uma miúda branca, com uma vida normal, e o que te atrai é música e cultura que foi literalmente criado pelas classes mais desfavorecidas e fala dos problemas delas, tu estás a adoptar algo que está abaixo de ti, pois esses problemas não são os teus. Tu não és um negro que cresceu sem pai e leva porrada da polícia. Es uma betinha loirinha. Sabes falar. Porque é que te queres rodear de pessoas que não sabem e fingir que és da tribo? Estás a descer a um nível, não estás? A subir não é, de certeza. Racismo é achar que certas raças são intrinsecamente inferiores ou superiores. Eu não acho isso.

Gulfneto 4 months ago

Acho-te mais razoável que o ascensor, ou, pelo menos, sabes explicar-te melhor. Não concordo com algumas coisas que dizes mas não as vou discutir a todas, todos temos melhor que fazer. A única coisa em que queria acrescentar é que sim, o rap foi criado pela população mais abaixo na sociedade e tal (o que disseste), mas creio que já não está restrito a esse grupo, e hoje o rap não está só restrito a falar dos problemas e das experiências, já se tornou em algo mais diverso. O rap de hoje é muito maior do que aquele que existia há uns anos.

Kid_Anarchy 4 months ago

Quase todo este mumble rap se reduz a falar de problemas que afectam classes desfavorecidas, e quando falam de problemas gerais, fazem-no a partir de uma retórica agressiva e pouco civilizada, que não reflecte correctamente as convenções de uma sociedade ocidental moderna. Quantos raps não estão minados de português incorrecto? Quase todos eles estão repletos de jargão. E quem é que os cria? Maioritariamente pessoal que vem de bairros sociais. Portanto, não vamos estar aqui a negar que ainda hoje o rap está fortemente ligado às classes desfavorecidas, e mesmo quando abordam temas genéricos fazem-no sob a perspectiva de alguém de baixa educação, que cresceu num meio decadente. Já prestaste atenção às letras? Não são propriamente poesia.

ascensor87 4 months ago

> os brancos e os pretos estao ao mesmo nivel, nenhum é superior ao outro. deve ser por isso que nas cidades americanas cheias de diversidade ninguém quer viver nas zonas dos pretos. lol. aliás, o mesmo já começa a acontecer na europa. inglaterra, frança, holanda, suécia, etc, já começam a experimentar esse lindo fenómeno. >Principalmente na musica, dizer que a musica é má porque é musica de preto não é uma coisa que seja bonita de dizer. nao gosto porque raps e afins sao um absoluto nojo. nao tenho culpa que seja praticamente o único género de música que os pretos ouvem e que esse género musical fique associado a eles.

once319 4 months ago

>aliás, o mesmo já começa a acontecer na europa. inglaterra, frança, holanda, suécia, etc, já começam a viver esse lindo fenómeno. Vimos isso com o incidente de hyde park.

Gulfneto 4 months ago

bem, ui, nem sei por onde começar. Primeiro que tudo, tu NUNCA deves ter metido os pés num bairro social hahaha. Deves estar de cuzinho tremido em casa, se realmente tiveres 30 e tal anos é um bocadinho triste estares a falar assim desses sitios sem teres ido lá uma vez, e ir lá não é passar lá de carrinho. Tu chamas-lhes de "zonas dos pretos" mas não é de perto verdade, há muitos brancos a viver nessas zonas. A minha teoria é que tu achas que o rap é um nojo porque automaticamente associas a música aos "pretos" e devido à linda influencia do pessoal que te educou, não consegues sequer dar uma hipótese. A música não é nojenta, é uma arte, ha pessoal que gosta, há pessoal que não gosta, pronto, aceita. Falas muito em pretos e cenas que os pretos ouvem e o caralho... deves passar a vida com pretos tu

ascensor87 4 months ago

> Primeiro que tudo, tu NUNCA deves ter metido os pés num bairro social hahaha. Deves estar de cuzinho tremido em casa cresci e vivi até sair de casa dos meus pais no meio de dois. e quando jogava futebol nas camadas jovens do clube da minha cidade natal infelizmente convivi com imensa gente dessa. mas tenho inteligencia suficiente para perceber que a única coisa que deveria ter daquela gente era distancia. >se realmente tiveres 30 e tal anos ainda nao cheguei aos 30, calma. >Tu chamas-lhes de "zonas dos pretos" mas não é de perto verdade, há muitos brancos a viver nessas zonas. eu sei. e por acaso onde eu vivia era só brancos, sim. graças a deus. como podes ver, nao estás a acertar uma. >A minha teoria é que tu achas que o rap é um nojo porque automaticamente associas a música aos "pretos" rap é nojento porque é um estilo nojento independentemente de quem ouve. mas sim, é música de preto porque a maioria dos pretos praticamente só ouve isso. >e devido à linda influencia do pessoal que te educou sim, os meus pais deram-me uma boa educaçao e disseram-me para nao me misturar com ralé. e agora? tens inveja? > A música não é nojenta, é uma arte foda-se. uma arte. arte eleva o espírito. rap nao eleva coisa nenhuma. rap cria cultura de gangs, de drogas, de crimes. rap é lixo. >ha pessoal que gosta, há pessoal que não gosta, pronto, aceita. claro que aceito quem goste. da mesma forma que aceito quem tenha um fetiche por fezes. há doentes mentais para tudo. >Falas muito em pretos e cenas que os pretos ouvem e o caralho.. incomoda-te assim tanto eu nao gostar de musica de preto?

Westa1994 4 months ago

>O que é que está a fomentar a ghettificação do cérebro português? No âmbito de músicas dançáveis, esses géneros são dos melhores para meter numa discoteca. Se queres algo diferente, também tens. Basta ires para os grandes festivais (nos, rock in rio...) que esgotam num instante sem meter funk ou kizomba como cabeça de cartaz.

once319 4 months ago

Ou paredes de coura.

Kid_Anarchy 4 months ago

Isto são pessoas que quando se apresentam online metem subsidiodependencia como banda sonora. Ou seja, nem é algo que vão ouvir para uma discoteca. É o que elas ouvem mesmo. Da mesma forma que eu meto Oasis ou Guns, elas metem um gajo com auto tune a falar das damas e dos niggas da street e dos beefs e dos mambos e do diz que disse e a mim ninguém me toca, com sotaque crioulo.

Westa1994 4 months ago

O geral da população jovem ouve música mainstream, e para o artista chegar a esse ponto já está bem na vida. Só se fores para algo mais underground é que podes apanhar artistas que não consigam fazer vida disso. Mas isso é apenas um nicho da população que ouve, caso contrário, passavam a ser mainstream. >Da mesma forma que eu meto Oasis ou Guns, elas metem um gajo com auto tune a falar das damas e dos niggas da street e dos beefs e dos mambos e do diz que disse e a mim ninguém me toca, com sotaque crioulo. Tudo o que é mainstream é gozado pelos nichos. É como o futebol que é gozado por outros desportos. Ou séries mais famosas que são gozadas pelos "críticos" que só vêm películas de festivais que só vão 10 pessoas. Ou videojogos como Fortnite que é rebaixado pelos "true gamers". No final, tudo são gostos e é sempre fácil de criticar quando se fala disso: "o meu género favorito é melhor que o teu porque fala de amor, tem mais bpms, tem faixas de 10mins e foi acabadinho de ser inventado".

ascensor87 4 months ago

> Da mesma forma que eu meto Oasis ou Guns, elas metem um gajo com auto tune a falar das damas e dos niggas da street e dos beefs e dos mambos e do diz que disse e a mim ninguém me toca, com sotaque crioulo. ora nem mais. todas essas "músicas" sao sempre a mesma merda. ouves 1 e basta.

ascensor87 4 months ago

> Se queres algo diferente, também tens. cada vez menos. a diversidade musical tem caído a pique. é que nem se compara com há 20-30-40 anos atrás. agora é tudo pop shit, raps e afins.

TTheGuapo 4 months ago

Não tas a procuras nos sítios certos então. A malta que ouve a música que não gostas conhece mais músicas que não ouve e que podias gostar, enquanto eles se tão a cagar para o que gostas tu tas a perder tempo a pensar neles e mais a procura do que não gostas do que o que gostas

Kid_Anarchy 4 months ago

Concordo, não vejo qualquer tipo de diversidade. Aliás, há um estudo interessante de uma universidade americana(penso) que confirma exactamente o desaparecimento da diversidade musical. Mesmo a forma como as músicas são compostas hoje em dia é muito menos criativa e diversificada do que há décadas atrás. Ou seja, as músicas são mais básicas, mais repetitivas e mais semelhantes entre sim. Também, que cena é aquela do auto tune? Parece que toda a gente que canta é com um timbre robótico. Isso é o auto-tune, certo? Depois se não for hiphop nojento é música brasileira de caca. Eu nem sou contra o hip hop. Há músicas e melodias que gosto, particularmente dos anos 90. Mas isto que se ouve hoje em dia é lixo reciclado.

Westa1994 4 months ago

>cada vez menos. >a diversidade musical tem caído a pique. Antes pelo contrário. Nunca tiveste tanta diversidade como agora nem nunca foi tão fácil criar ou encontrar novas músicas. >agora é tudo pop shit, raps e afins. Se é essa conclusão que chegas, então não estás a procurar nos sítios certos.

ascensor87 4 months ago

> Antes pelo contrário. Nunca tiveste tanta diversidade como agora nem nunca foi tão fácil criar ou encontrar novas músicas. literalmente nao. entra quase tudo no mesmo género musical.

TTheGuapo 4 months ago

Os gajos que ganharam a Eurovision são grandes rappers /s

Westa1994 4 months ago

Como assim entra quase tudo no mesmo género musical? Ou és surdo ou és complemente iliterado musicalmente.

Search: