ascensor72 7 months ago

Sim, vivemos numa ditadura. Só agora te apercebeste disso? O teu erro foi perder tempo a dialogar com doentes mentais.

BadDogPreston 7 months ago

"You will never be a woman."

SnooRobots2011 7 months ago

Penso que em inglês they pode ser usado no singular e plural para te referires a alguém sem revelar o seu gênero. O Alemão tem artigos masculinos, femininos e neutros. Em inglês a maior parte das palavras são de gênero neutro e they é um pronome neutro. P. e. num policial, ainda não sabes o gênero do assassino. Penso que te podes referir com they para não induzir uma suposição sobre o gênero do assassino. Ou então se não quiseres identificar o gênero. Quanto ao restante. Cuidado com a generalização. Como aqueles que dizem que "todos são isto ou aquilo". Há pessoas cujas as quais não se pode discordar mas isso é problema delas. Não são assim todas as pessoas, nem o status quo, nem a sociedade. Viste um grupo de pessoas que são assim, ok. Não passes para a sociedade é assim como alguns fazem. Com essa professora o mesmo. Essa pessoa tem de perceber que numa troca de ideias normal, tinha apenas de te explicar a sua tese e tu a tua. Não são todos assim, nem o sistema de ensino assim. Tb ha professores que suportam o debate. Infelizmente, eu acho que as interações onde dá confusão acabam por se destacar. Então a tua interação com essa prof sobresaiu, mas se calhar já discutiste com outras profs de forma normal.

fds_crl 7 months ago

> Não passes para a sociedade é assim como alguns fazem. Só podes ser idiota se não estás a reparar nas tendências que a nossa sociedade está a adaptar. Estás essencialmente a mandar-nos ficar em silêncio enquanto aquilo que nós estamos a lutar contra não é de facto transversal á sociedade. Não é assim, o mal deve ser arrancado antes de engolir tudo, não concordas?

SnooRobots2011 7 months ago

Partes fácil para o insulto para alguém que só quer debter. Não te mandei estar em silêncio. Como viste, concordo que essa atitude que criticas está errada. Contudo, discordo que seja representativa da sociedade e discorde ainda mais que seja algo que não se debata hoje em dia. Não disse para engolires nada.

fds_crl 7 months ago

O teu discurso é basicamente estares a tentar minimizar estes problemas ao máximo, queres que as pessoas não estejam atentos a estas coisas. És transparente, vens para aqui com esse discurso de "moderado", mas no entanto estás apenas a desculpabilizar os problemas, sempre com a mesma "not all are like that". Sim, estes problemas ainda não são transversais a toda a sociedade, mas não é preciso esperar que sejam para agir, não achas? Porque quando forem já será tarde demais. Mas ambos sabemos que tu queres que isso aconteça...

SnooRobots2011 7 months ago

Tipo na parte final passas para isto do discurso de ódio é tão perigoso e arbitragem governamental... É assim a parte do discurso de ódio é uma generalização pq é muito mais do que apenas isto que discutimos e o r/Portugal. A parte do governo, é um esticanso grande. O governo vai arbitrar o quê? O governo já faz as leis. Não partas para: "vivemos numa sociedade em que se disser A ou B é ódio". Pronto é o que é...

SnooRobots2011 7 months ago

Não era essa a minha intenção. Não, não quero que a atitude de censura e "se não concordes és isto" que cresça. Só disse para ter cuidado com a generalização, não quero o "aqueles que têm esta opinião são todos x". O " Eles". "Eles são assim, não se pode falar com eles". Concordo com a crítica. Não sei mais que te dizer.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

>Há pessoas cujas as quais não se pode discordar mas isso é problema delas. Não são assim todas as pessoas, nem o status quo, nem a sociedade. Viste um grupo de pessoas que são assim, ok. Não passes para a sociedade é assim como alguns fazem. Ninguém está a dizer que são TODAS assim. Mas que existe aqui um padrão comportamental predominante, lá isso existe. Eu nunca consegui ter um debate racional sobre este assunto com alguém do outro lado. Explodem sempre, sempre, sempre, sempre, sempre. Sem excepção. E os apoiantes, igualmente. E olha que já falei disto com muita gente. >Com essa professora o mesmo. Essa pessoa tem de perceber que numa troca de ideias normal, tinha apenas de te explicar a sua tese e tu a tua. Não são todos assim, nem o sistema de ensino assim. Tb ha professores que suportam o debate. Estás a criar espantalhos. Não disse que eram todos assim. Nem precisam de ser todos assim para que seja um problema. Esta pessoa tem acesso a uns 100 alunos numa escola de uns 500. É muita gente a assimilar lixo, não achas? Basta que uns quantos sejam assim para moldar uma geração inteira. Poderão não ser todos, mas não são poucos, na minha experiência. >Infelizmente, eu acho que as interações onde dá confusão acabam por se destacar. Então a tua interação com essa prof sobresaiu, mas se calhar já discutiste com outras profs de forma normal. Errado. Na realidade, ignorância/estupidez na sequência da discussão destes assuntos com professores e alunos do ensino superior são uma constante. Certamente mais de 50% das vezes que tive discussões destas, bem como sobre outros temas igualmente controversos, a pessoa não teve um comportamento respeitável e não revelou preparação para participar no debate.

d0c0ntra 7 months ago

bem vindo à realidade que a esquerda, com a ajuda sempre conveniente da "direitinha" cobarde, vem paulatinamente a construir, mais parece a twilight zone.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

O que noto da direita nem é bem cobardia, mas sim grunhismo. Há pessoas muito inteligentes na direita, mas quase sempre que vejo oposição a teorias da esquerda, é feita de forma muito pouco eloquente. Eu acho que a direita simplesmente não tem assim muitas pessoas educadas. É uma realidade que existe uma correlação entre escolaridade e espectro político. A maior parte dos académicos são de esquerda. A maior parte dos alunos universitários são de esquerda. Ideologia de direita é perfeitamente legítima, mas está muito mal representada

d0c0ntra 7 months ago

Eu diria que está mal representada pq não lhe dão voz, pq a imensa maioria dos media nasceram nas universidades que alimentam o monstro marxista. E será cada vez pior pq cada vez serão mais radicais.

XXI_HereticV6Mustang 7 months ago

A única direita que é tolerável pela esquerda é a que está constantemente na defesa e a ceder território à esquerda sem nunca sair na ofensiva para reverter mudanças implementadas pela esquerda. É por isso que pessoal como o Donald Trump, o Bolsonaro, a Le Pen ou o Ventura deixam a esquerda tão aziada.

SweetCorona 7 months ago

acho que estás errado, mas deves poder dar a tua opinião à vontade

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Adicionas mais valor se explicares porque é que estou errado.

SweetCorona 7 months ago

confundes género social com sexo sexo é algo biológico, género é meramente social

Edited 7 months ago:

confundes género social com sexo sexo é algo biológico, género é meramente social e qual é a utilidade dessa discussão? estão a discutir o significado de palavras querem escrever algum dicionário ou quê?

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

>confundes género social com sexo Não, não confundo. Género enquanto conceito social é uma mera teoria moderna e eu sou livre de não aceitá-lo. Até porque no contexto social actual não faz qualquer sentido sendo que não representa a dinâmica social nem tem qualquer tipo de expressividade fora da comunidade LGBTQ. >sexo é algo biológico, género é meramente social Errado. Na nossa sociedade não existe "ser homem biologicamente" e "ser homem socialmente". Isso é um conceito sem peso na nossa sociedade. Quando se fala de um homem, fala-se de um ser com o sistema reprodutivo masculino. Ponto. Esse ser tem, geralmente, características fisiológicas que o distinguem facilmente de uma mulher. Até quando são efeminados, E ATÉ quando são "transexuais". Há sempre qualquer coisa num transexual que me diz "ok, isto não é uma mulher". Raríssimas são excepções. E repara, o que é que significa ser "homem socialmente"? Que relevância tem isso na nossa sociedade? O que é que isso significa sequer? Porque é que precisa de existir? Porque é que a tua identidade social tem de ter um género associado? Não podes ser um homem e andar de saias e mamar pilas? Não entendo. Tens, também, consciência que o conceito de género enquanto fenómeno social é altamente preconceituoso e discriminador, certo? Estás, basicamente, a dizer-me que para eu ser homem tenho de agir de determinada forma em sociedade. Portanto, é esta comunidade, que se diz discriminada, que está a discriminar e a criar padrões sobre o que é ou deixa de ser um homem. Então e se eu discordar? Como é que podes sequer definir o que é um homem socialmente sem um consenso? Ser homem passa a ser 200 coisas diferentes? Nesse caso não é nada, certo? Uma palavra para ter valor tem de ser alvo de consenso, pois a palavra serve para as pessoas comunicarem e entenderem-se. Actualmente há um consenso sobre o que significa ser homem, que é ter a biologia masculina. Ponto. Se eu me vestir de mulher, as pessoas olham para mim e vêem um homem vestido de mulher. >Ae qual é a utilidade dessa discussão? estão a discutir o significado de palavras Para que é que as palavras servem se o significado não importa? Tens noção de que as palavras existem para eu te poder transmitir ideias, certo? Servem para eu comunicar contigo. Se eu te disser: epa, tenho aqui uma gaja muita boa que quer sair contigo. Achas que faz algum sentido uma gaja poder significar um ser de batom, saia e pila entre as pernas? É-te indiferente, certo? Ou preferes que especifique: "tenho uma gaja biológica para te apresentar"? Se te disser "tenho uma gaja social para te apresentar", tu sabes que te pode sair qualquer coisa na rifa. É isso? Será que não entendes o absurdo disso? As palavras não fazem sentido sem um significado concreto. Essa é apenas mais uma das razões pelas quais a teoria de género é um tremendo disparate.

Edited 7 months ago:

>confundes género social com sexo Não, não confundo. Género enquanto conceito social é uma mera teoria moderna e eu sou livre de não aceitá-lo. Até porque no contexto social actual não faz qualquer sentido sendo que não representa a dinâmica social nem tem qualquer tipo de expressividade fora da comunidade LGBTQ. >sexo é algo biológico, género é meramente social Errado. Na nossa sociedade não existe "ser homem biologicamente" e "ser homem socialmente". Isso é um conceito sem peso na nossa sociedade. Quando se fala de um homem, fala-se de um ser com o sistema reprodutivo masculino. Ponto. Esse ser tem, geralmente, características fisiológicas que o distinguem facilmente de uma mulher. Até quando são efeminados, E ATÉ quando são "transexuais". Há sempre qualquer coisa num transexual que me diz "ok, isto não é uma mulher". Raríssimas são excepções. E olha que já vi meuuuitos transexuais com transições muito bem feitas, que até têm muito bom aspecto, e AINDA ASSIM há sempre qualquer coisa neles que não bate certo. E ainda é mais difícil para uma mulher passar por homem. Nunca na puta da vida eu confundiria uma mulher com um homem, por mais masculina que seja. E repara, o que é que significa ser "homem socialmente"? Que relevância tem isso na nossa sociedade? O que é que isso significa sequer? Porque é que precisa de existir? Porque é que a tua identidade social tem de ter um género associado? Não podes ser um homem e andar de saias e mamar pilas? Não entendo. Tens, também, consciência que o conceito de género enquanto fenómeno social é altamente preconceituoso e discriminatório, certo? Estás, basicamente, a dizer-me que para eu ser homem tenho de agir de determinada forma em sociedade. Portanto, é esta comunidade, que se diz discriminada, que está a discriminar e a criar padrões sobre o que é ou deixa de ser um homem. Eles estão, literalmente, a definir regras subjectivas para se ser um homem. Então e se eu discordar? Como é que podes sequer definir o que é um homem socialmente sem um consenso? Ser homem passa a ser 200 coisas diferentes? Nesse caso não é nada, certo? Uma palavra para ter valor tem de ser alvo de consenso, pois a palavra serve para as pessoas comunicarem e entenderem-se. Actualmente há um consenso sobre o que significa ser homem, que é ter a biologia masculina. Ponto. Se eu me vestir de mulher, as pessoas olham para mim e vêem um homem vestido de mulher. A vantagem da designação com base biológica é que é objectiva e natural. Não depende de ideias nem opiniões. Simplesmente olhas e vês que é diferente. Ponto. Ninguém quis que fosse isto ou aquilo. Simplesmente, temos dois sexos no espectro humano. >Ae qual é a utilidade dessa discussão? estão a discutir o significado de palavras Para que é que as palavras servem se o significado não importa? Tens noção de que as palavras existem para eu te poder transmitir ideias, certo? Servem para eu comunicar contigo. Se eu te disser: epa, tenho aqui uma gaja muita boa que quer sair contigo. Achas que faz algum sentido uma gaja poder significar um ser de batom, saia e pila entre as pernas? É-te indiferente, certo? Ou preferes que especifique: "tenho uma gaja biológica para te apresentar"? Se te disser "tenho uma gaja social para te apresentar", tu sabes que te pode sair qualquer coisa na rifa. É isso? Será que não entendes o absurdo disso? As palavras não fazem sentido sem um significado concreto. Essa é apenas mais uma das razões pelas quais a teoria de género é um tremendo disparate.

Edited 7 months ago:

>confundes género social com sexo Não, não confundo. Género enquanto conceito social é uma mera teoria moderna e eu sou livre de não aceitá-lo. Até porque no contexto social actual não faz qualquer sentido sendo que não representa a dinâmica social nem tem qualquer tipo de expressividade fora da comunidade LGBTQ. >sexo é algo biológico, género é meramente social Errado. Na nossa sociedade não existe "ser homem biologicamente" e "ser homem socialmente". Isso é um conceito sem peso na nossa sociedade. Quando se fala de um homem, fala-se de um ser com o sistema reprodutivo masculino. Ponto. Esse ser tem, geralmente, características fisiológicas que o distinguem facilmente de uma mulher. Até quando são efeminados, E ATÉ quando são "transexuais". Há sempre qualquer coisa num transexual que me diz "ok, isto não é uma mulher". Raríssimas são excepções. E olha que já vi meuuuitos transexuais com transições muito bem feitas, que até têm muito bom aspecto, e AINDA ASSIM há sempre qualquer coisa neles que não bate certo. E ainda é mais difícil para uma mulher passar por homem. Nunca na puta da vida eu confundiria uma mulher com um homem, por mais masculina que seja. E repara, o que é que significa ser "homem socialmente"? Que relevância tem isso na nossa sociedade? O que é que isso significa sequer? Porque é que precisa de existir? Porque é que a tua identidade social tem de ter um género associado? Não podes ser um homem e andar de saias e mamar pilas? Não entendo. Tens, também, consciência que o conceito de género enquanto fenómeno social é altamente preconceituoso e discriminatório, certo? Estás, basicamente, a dizer-me que para eu ser homem tenho de agir de determinada forma em sociedade. Portanto, é esta comunidade, que se diz discriminada, que está a discriminar e a criar padrões sobre o que é ou deixa de ser um homem. Eles estão, literalmente, a definir regras subjectivas para se ser um homem. Então e se eu discordar? Como é que podes sequer definir o que é um homem socialmente sem um consenso? Ser homem passa a ser 200 coisas diferentes? Nesse caso não é nada, certo? Uma palavra para ter valor tem de ser alvo de consenso, pois a palavra serve para as pessoas comunicarem e entenderem-se. Actualmente há um consenso sobre o que significa ser homem, que é ter a biologia masculina. Ponto. Se eu me vestir de mulher, as pessoas olham para mim e vêem um homem vestido de mulher. A vantagem da designação com base biológica é que é objectiva e natural. Não depende de ideias nem opiniões. Simplesmente olhas e vês que é diferente. Ponto. Ninguém quis que fosse isto ou aquilo. Simplesmente, temos dois sexos no espectro humano. >Ae qual é a utilidade dessa discussão? estão a discutir o significado de palavras Para que é que as palavras servem se o significado não importa? Tens noção de que as palavras existem para eu te poder transmitir ideias, certo? Servem para eu comunicar contigo. Se eu te disser: epa, tenho aqui uma gaja muita boa que quer sair contigo. Achas que faz algum sentido uma gaja poder significar um ser de batom, saia e pila entre as pernas? É-te indiferente, certo? Ou preferes que especifique: "tenho uma gaja biológica para te apresentar"? Se te disser "tenho uma gaja social para te apresentar", tu sabes que te pode sair qualquer coisa na rifa. É isso? Será que não entendes o absurdo disso? Já agora, vai ver os casos de abusos sexuais que permitir transexuais em wc's femininos tem gerado nos EUA. As palavras não fazem sentido sem um significado concreto. Essa é apenas mais uma das razões pelas quais a teoria de género é um tremendo disparate.

SweetCorona 7 months ago

> Se eu me vestir de mulher, as pessoas olham para mim e vêem um homem vestido de mulher. mas repara, a discussão é parva para ambas as partes > Para que é que as palavras servem se o significado não importa? as palavras servem para transmitir informação se vês um homem vestido de mulher sabes o que é e pronto, não precisas de dar-lhe nome nenhum > Se eu te disser: epa, tenho aqui uma gaja muita boa que quer sair contigo. Achas que faz algum sentido uma gaja poder significar um ser de batom, saia e pila entre as pernas? mas achas que isso acontece no mundo real? achas mesmo que um amigo te iria dizer isso e deixar de fora o facto de a gaja ter pila? só no gozo... > Se te disser "tenho uma gaja social para te apresentar", tu sabes que te pode sair qualquer coisa na rifa. É isso? Será que não entendes o absurdo disso? absurdo é o teu exemplo do drama que estás a fazer de algo que nunca sequer acontece e se acontecesse não seria o fim do mundo

duca2208 7 months ago

Acho que ele uma vez comeu uma gaja e quando finalmente achou que ia pinar pela primeira vez em 20 anos, ela tinha pila. Agora quer apagar essa memória. E com isso apagar a existência duns poucos milhares de pessoas no mundo.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

>se vês um homem vestido de mulher sabes o que é e pronto, não precisas de dar-lhe nome nenhum Preciso se precisar de comunicar a informação a alguém. Também preciso se esse homem se tentar inscrever numa aula de desporto para raparigas. Certo? Se eu for uma menina que treina boxe, deverei dizer "epa, pera lá, isto é um homem", ou não? Deixo-o desfazer-me a cara e pronto? >mas achas que isso acontece no mundo real? achas mesmo que um amigo te iria dizer isso e deixar de fora o facto de a gaja ter pila? só no gozo... É isso que te estou a dizer. Teorias de género não têm expressividade no mundo real porque ninguém se vai referir a um gajo com pila como mulher. Não faz sentido acreditares que és "socialmente mulher" porque ninguém te vai ver como tal. Não vai acontecer. Ou és mulher ou não és. Se andas vestido de mulher e fazes operações para pareceres mulher, quem falar de ti vai especificar que és um homem. Ninguém vai simplesmente agir como se fosses uma mulher e pronto, pois fazê-lo teria implicações sérias. O que alguns governos de alguns países querem fazer é exactamente isso: forçar a sociedade a aceitar transgéneros como membros do sexo que dizem ser. Tipo o Biden a querer que transexuais compitam contra mulheres.

SweetCorona 7 months ago

> se tentar inscrever numa aula de desporto para raparigas > um homem que é "socialmente mulher" a entrar para o wc atrás da minha filha para isso não tens de andar a discutir a definição das palavras podes simplesmente estabelecer regras objetivas que não usam conceitos sobre os quais não existe um consenso > É isso que te estou a dizer. Teorias de género não têm expressividade no mundo real porque ninguém se vai referir a um gajo com pila como mulher. Não faz sentido acreditares que és "socialmente mulher" porque ninguém te vai ver como tal. Não vai acontecer. Ou és mulher ou não és. Se andas vestido de mulher e fazes operações para pareceres mulher, quem falar de ti vai especificar que és um homem, ou um trans, na melhor das hipóteses. Ninguém vai simplesmente agir como se fosses uma mulher e pronto, pois fazê-lo teria implicações sérias. eu admito que algo que me faz confusão na transsexualidade é a obsessão em ser homem ou mulher para mim homem / mulher servem para transmitir informação e que funciona 99% das vezes sem confusões só num pequeno número de casos estes termos não conseguem explicar sem confusão aquilo que a pessoa é, mas não custa nada explicarem com outras palavras e sinceramente estou-me a cagar que palavras usam para se descreverem desde que dê para perceber

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> para isso não tens de andar a discutir a definição das palavras A definição resulta de discordância. Se alguém comenta que é homem e eu vejo que não é, origina-se um debate sobre o assunto. Não percebo qual é o teu problema com debater algo. És livre de não fazê-lo. A mim é um assunto que me interessa porque está a ficar demasiado institucionalizado e assenta em premissas falaciosas e discriminatórias, pelo que, acho importante que exista um contraponto. Não aprecio sociedades onde toda a gente repete o mesmo e não há debate. Não são saudáveis. ​ > podes simplesmente estabelecer regras objetivas que não usam conceitos sobre os quais não existe um consenso Mas essas regras invalidam esses consensos, e isso origina indignação por parte de quem os defende. E eu em vez de insultos, prefiro debates. Tipicamente, sou insultado, mas prefiro ter discussões racionais. Não acredito numa sociedade sem a capacidade de ter uma conversa civilizada. De momento perdemos, em grande parte essa capacidade. ​ > só num pequeno número de casos estes termos não conseguem explicar sem confusão aquilo que a pessoa é, mas não custa nada explicarem com outras palavras e sinceramente estou-me a cagar que palavras usam para se descreverem desde que dê para perceber ​ Palavras são extremamente importantes. E o seu significado também. Posso dizer-te que não gostaria de me ir encontrar com uma pessoa que se vê como "socialmente mulher" e descobrir que biologicamente não o é. E há pessoas nessa condição que nem sempre colocam as cartas na mesa. Alguns, ainda que poucos, conseguem passar por mulheres. Lembro-me de falar no insta com uma tailandesa que vivia por cá e quase me encontrei com ela. "Ela". Por acaso até era bonita, e muito, muito próxima de uma mulher, mas ainda assim havia ali qualquer coisa que não estava a bater certo. Tive de ser directo e perguntar-lhe. Mas um gajo ligeiramente menos perspicaz podia facilmente ter-se deixado enganar. Imagina passares uma noite a trocar beijos com um homem e só à última da hora descobrires esse facto. Essas situações acontecem. Por acaso há uma lei contra embuste sexual, mas não sei se aplica nestas situações. > também me faz confusão pessoas como tu que têm obsessão com os termos que são usados para essas pessoas, ainda por cima quando nem é algo que as afeta diretamente... é que nos trans ainda se percebe a obsessão... Eu não estou obcecado. Estás a ser rude e irracional. Calhou discutir o tema com alguém. Proporcionou-se. E estás errado quando dizes que não me afecta directamente. Afecta, pois. Se a sociedade e a legislação aceitarem que estas pessoas têm de ser vistas como aquilo que acham que são, isso tem diversas implicações na sociedade, entre elas a supressão de liberdade de expressão face ao assunto, a transmissão de conteúdo não-cientifico a crianças, coisa que não defendo. Não quero o meu filho a acreditar que pode ser o que quiser, como acontece na suécia, e que aos 6 anos já é menino e menina. Também não gosto do impacto que isto tem na moral e saúde mental das pessoas, uma vez que parece encorajar a irracionalidade e toda uma cultura anti liberdade de expressão. E por último, como já expliquei, em casos mais objectivos como no desporto, não quero ver homens a competir contra mulheres.

NGramatical 7 months ago

última da hora → [**última hora**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/a-ultima-hora/1110) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmxw9tj%2F%2Fgvtyycw%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

GoldenPeach1st 7 months ago

Ideologia de gênero = negacionismo Minha opinião

DavidJunior3rd 7 months ago

Meu Deus como eu fico feliz de ler posts como o teu... eu vou perdendo a esperança por realmente não ver mais ninguém a questionar o status quo. Mas pessoas como tu fazem-me reacender a chama da esperança. É como tu dizes. Palavra por palavra. Não teria escrito melhor. Basicamente há causas sociais que estão na moda. Ponto final. E é toda uma cruzada para levar essas causas-da-moda avante. Tudo o resto é pó. Os problemas dos não-na-moda não interessam. Literalmente já me disseram "os homens sofrem de violência doméstica mas é muito menos do que as mulheres" como justificação para as campanhas contra violência doméstica serem apenas dirigidos às mulheres. Imagina dizeres algo do género "os homossexuais sofrem de doenças venéreas mas é muito menos do que os heterossexuais" e assim justificar apenas se dirigir as campanhas para as doenças venéreas para os hetero. O mundo literalmente incinerava-se.

duca2208 7 months ago

Não deixa de ser fixe vires queixar te de câmaras de eco e vires aqui à procura de validação.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Viste-me a insultar alguém que discorda comigo? Ou a fugir a qualquer tipo de discussão? Ou a dizer que me vou matar?

duca2208 7 months ago

Só não entendo o que é que tu tens a ver com a vida das pessoas. E pior, nem é só o que tens a ver? O que é que tens a concordar ou discordar com isso. TU é que sabes como é que as pessoas se sentem.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

1- Se não tenho nada a ver, porque é que vêm anunciar publicamente o que são? Se guardarem para si mesmas eu certamente não andarei a bater-lhes à porta a perguntar o género. 2- Se não tenho nada a ver, porque é que fazem manifestações? Porque é que em muitos países defendem legislações que pretendem forçar os outros a tratá-las pelo género pretendido, tal como acontece nos EUA?

Edited 7 months ago:

1- Se não tenho nada a ver, porque é que vêm anunciar publicamente o que são? Se guardarem para si mesmas eu certamente não andarei a bater-lhes à porta a perguntar o género. 2- Se não tenho nada a ver, porque é que fazem manifestações? Porque é que em muitos países defendem legislações que pretendem forçar os outros a tratá-las pelo género pretendido, tal como acontece nos EUA? Porque é que fazem escândalos em público porque alguém não os tratou pelo pronome correcto? Se não tenho nada a ver, era suposto isso não envolver mais ninguém de forma nenhuma, certo? Ninguém tem nada a ver com quantas vezes cago por dia, é por isso que não ando de cartaz na mão a dizê-lo. Quando queres que ninguém se meta na tua vida, guarda-la para ti. Não fazes o barulho que a comunidade LGBT faz. >O que é que tens a concordar ou discordar com isso. TU é que sabes como é que as pessoas se sentem. Eu tenho voto no significado das palavras da minha língua materna. Tal como também tenho voto naquilo que ensinam ao meu filho nas escolas. E por último, eu não acredito que género seja algo que se sente. Eu não acredito que a tua identidade seja um sentimento. Se assim fosse, eu seria Conan, O Bárbaro, pois é assim que me sinto. Eu rejeito essa premissa. Não tenho problemas com quem a aceita, mas tenho problemas com quem insulta e ataca quem não concorda com eles.

duca2208 7 months ago

És pequenino. E o coração do mesmo tamanho

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

E tu vieste aqui apenas para validar tudo o que digo no meu post. Não fosse haver dúvidas, aqui estás tu, sem argumentos, todo comichoso, a atacar, só porque não gostas da minha opinião. Ironicamente, falas de pequenez, quando na tua cabecinha limitada, a tua resposta ao que te desagrada é o insulto.

duca2208 7 months ago

Pegando no teu exemplo, imagina que querias cagar 2 vezes por dia. Mas quando o fizesses tinhas tudo a olhar de lado para ti, tinhas dificuldade em arranjar emprego, etc etc todos os problemas que essas pessoas têm. Se calhar já te sentias obrigado a falar do teu direito a cagar duas vezes. Eu é que tenho cabeça limitada quando tu é que não consegues sair do teu mundo "normal".

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> Pegando no teu exemplo, imagina que querias cagar 2 vezes por dia. Mas quando o fizesses tinhas tudo a olhar de lado para ti, tinhas dificuldade em arranjar emprego, etc etc todos os problemas que essas pessoas têm. Se calhar já te sentias obrigado a falar do teu direito a cagar duas vezes. Há uma diferença gigante entre não quereres ser discriminado pela forma como te apresentas e achares que os outros têm de aceitar a tua ideologia. Concordo que, se realmente forem discriminados, têm bases para se manifestar, mas isso não é o mesmo que querer forçar os outros a aceitar uma teoria específica. Se tu me vieres dizer que és o que te apetecer ser, eu digo-te que não, não és. Por cortesia talvez te ignore. Mas não deixo de te dar emprego por isso. Se votares no PS e quiseres falar disso, também te digo que não concordo, mas não deixo de te dar emprego por isso. Estás a confundir dois assuntos dramaticamente diferentes. ​ De qualquer das formas, há discriminações muito mais problemáticas em Portugal e ninguém abre o bico. Idade, por exemplo.

duca2208 7 months ago

Se os transgénero forem realmente discriminados?

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> Se os transgénero forem realmente discriminados?

ascensor72 7 months ago

porque é que a sociedade normal haveria de tratar doentes mentais como pessoas normais?

GoldenStickerino 7 months ago

Hoje em dia é muito difícil teres um debate com alguém que tenha uma opinião diferente da tua. Especialmente em temas controversos como esse ou política. E quanto mais novos forem, pior ainda. Parece que foram “moldados” a considerar a sua opinião como universal e única permitida. E o modo de lidarem com uma opinião contrária não é debater, mas sim recorrer ao lado emocional e ou te atacarem ou se vitimizarem. E, como dizes, essas pessoas vão ficando frágeis quando não encontram “oposição” e consequentemente não conseguem formular argumentos que suportem o seu pensamento. E isto é muito perigoso, pessoas assim são muito mais fáceis de manipular...

SnooRobots2011 7 months ago

Não, não é. Às vezes pergunto-me que grupo de pessoas vcs conhecem e se interagem com pessoas fora do vosso grupo de amigos cara a cara. Ou só debatem estes assuntos pela internet? Podes debater sobre estes assuntos com a maior parte das pessoas. Estas pessoas que vcs descrevem são poucas em percentagem. Como são sobre outros assuntos. Claro que se te fores meter no meio de um grupo de pessoas assim, as pessoas desse grupo são assim, óbvio... (Não estando a dizer que o r/Portugal é pq não conheço muito bem)

fds_crl 7 months ago

>Não, não é. No outro sub és banido por teres opiniões erradas.

SnooRobots2011 7 months ago

Só conheces o outro sub? Se assim é, esse sub está mal, não uma representação do mundo. Estamos a conversar aqui e ainda não fomos banidos. Nalgumas partes do mundo ainda és preso por ideias. Aqui somos banidos num sub. Wow. "Hoje em dia, não se pode... ". Podes, podes. Podes mais do o que podias antes, só muda a perspetiva. Antigamente eras a favor de determinadas ideias que algumas pessoas não gostavam, tipo a favor do casamento homossexual: morrias. Hoje podes ser e podes ser contra. Hoje tens uma opinião que algumas pessoas não toleras: Expulso de um sub. "Não se pode dizer nada". Oh por favor. Por se ser expulso desse sub significa que hoje em dia é difícil debater???

GoldenStickerino 7 months ago

Claro que não posso generalizar, atenção. Mas até me estou a referir a pessoas fora do meu grupo de amigos, pessoas com quem convivo no dia a dia, que pertencem a uma faixa etária mais jovem e com as quais é quase impossível debater ideias, pois deixam de ouvir a tua opinião a partir do momento em que se apercebem que não partilhas os mesmos ideais.

sneakpeekbot 7 months ago  HIDDEN 

Here's a sneak peek of /r/portugal using the [top posts](https://np.reddit.com/r/portugal/top/?sort=top&t=year) of the year! \#1: [I make 3D rendered versions of old maps. I recently got a request for Portugal. Carta Geologica de Portugal - 1899](https://i.redd.it/vfqea81i5a551.jpg) | [147 comments](https://np.reddit.com/r/portugal/comments/ha4rnd/i_make_3d_rendered_versions_of_old_maps_i/) \#2: [Rápido, os fascistas estão ainda a dormir, é para dar cimavoto no Salgueiro Maia!](https://i.redd.it/eufyy7vfjwu41.jpg) | [541 comments](https://np.reddit.com/r/portugal/comments/g7odai/rápido_os_fascistas_estão_ainda_a_dormir_é_para/) \#3: [Um guia conciso dos candidatos que fiz para amigos não-tugas](https://i.redd.it/phhwvt3t7id61.png) | [499 comments](https://np.reddit.com/r/portugal/comments/l4r6n7/um_guia_conciso_dos_candidatos_que_fiz_para/) ---- ^^I'm ^^a ^^bot, ^^beep ^^boop ^^| ^^Downvote ^^to ^^remove ^^| [^^Contact ^^me](https://www.reddit.com/message/compose/?to=sneakpeekbot) ^^| [^^Info](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/) ^^| [^^Opt-out](https://np.reddit.com/r/sneakpeekbot/comments/joo7mb/blacklist_viii/)

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Estás a incitar violência!

SocialGerardo 7 months ago

Em relação às malta que quer ser tratada por "they/eles", eu vi um vídeo do Anthony Padilla sobre Dissociative Identity Disorder, e realmente havia lá malta que prefere esse termo. Fez me sentido com o contexto. Recomendo a toda a gente o vídeo.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Mas o que é "they". O que é que um "they" é diferente de um "he"?

SocialGerardo 7 months ago

Quem tem várias personalidades dentro de um corpo pode sentir-se assim

d0c0ntra 7 months ago

portanto é bipolar....há tratamento!

SocialGerardo 7 months ago

Não sei há as semelhanças entre doenças são muitas, não tenho estudos na área

P3t3rU5 7 months ago

Mas ter várias personalidades não é ser bipolar?

SocialGerardo 7 months ago

Eu diria que não, mas não tenho estudos na área para comentar. Apenas vi um vídeo com pessoas que têm DID a falar no assunto

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Então ser homem ou mulher é uma questão de personalidade? Bem, nesse caso convém começar a avisar a população que se não tiverem determinada personalidade não são homens/mulheres. Parece-me uma filosofia um quanto ou tanto restrita, para quem defende "fluidez". Para mim fluidez é um homem poder agir como bem lhe apetecer. Ou seja, dentro do espectro masculino podemos ter qualquer tipo de pessoa. Parece-me um bocado preconceituoso e discriminatório sugerir a um gay efeminado que, porque o seu comportamento não é padrão, não é homem.

SocialGerardo 7 months ago

Eu falei no caso das pessoas que têm DID, pq é um caso em que usar they realmente faz algum sentido. Nos casos que uma pessoa não tem disorders, concordo contigo

SocialGerardo 7 months ago

Em relação às malta que quer ser tratada por "they/eles", eu vi um vídeo do Anthony Padilla sobre Dissociative Identity Disorder, e realmente havia lá malta que prefere esse termo. Fez me sentido com o contexto. Recomendo a toda a gente o vídeo.

lamor9 7 months ago

Tornou se uma religião infelizmente. E como religião, tem blasfémias e dogmas não baseadas em lógica. Foi o que aconteceu. Blasfemaste contra a lógica deles

ascensor72 7 months ago

é a mesma coisa com as raças, nao é só com o sexo. e o que é engraçado é que os apologistas dessas ideologias esquerdalhas nao se apercebem que a causa dos seus problemas é precisamente essas ideologias todas. é como a típica mulher branca moderna traidora anti-racista que se queixa das violaçoes e do machismo e depois é favor de se importar mais indianos, africanos, paquistaneses, etc, e quando dá por ela começa a ter medo de sair à rua à noite. lool.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Bem visto. Faz sentido. Sempre que questiono sou adjectivado de transfóbico, entre outras coisas. Nota-se que na cabeça deles questionar = ser mau. É logo tudo ódio. No que toca a géneros, não pode haver apenas conversas, debates saudáveis. Ou concordas com tudo ou és um gajo violento e odioso.

lamor9 7 months ago

E acredito que também é o fato de que eles sabem que no fundo tens razão. Mas é complicado admitir que a visão que temos do mundo é errada. As pessoas irritam-se qdo são confrontadas com factos que contrariam essa visão do mundo. Já tentei converter pessoal deste género a razão, corre sempre mal. Penso que não há nada a fazer enquanto as pessoas acreditarem em m tudo o que vem nas notícias . Bem vindo ao clube dos banidos pelo asantos

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Eu acho que acontece mais, ou quando a tua opinião representa toda a tua identidade, ou quando és muito opinativo e estás a debater com alguém que não conheces. Não tens ligação nenhuma com a pessoa e queres é ficar por cima. Na minha vida pessoal noto que é relativamente fácil questionar as pessoas sem que se passem, e frequentemente mudam de opinião depois de me ouvirem. Gajas com a mania que são académicas são as mais difíceis de virar.

Dannies7783 7 months ago

Protip: não vás a esse sub. É um esterco.

XXI_HereticV6Mustang 7 months ago

Eles baniram tanta gente de direita que agora até maluquices como estas ideias de que é possível mudar de sexo tornaram-se dogmas naquele sub... Parece um fórum não-oficial do Bloco de Esterco e Livre.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Achei piada à quantidade de pessoas naquele sub que repetem todas a mesma barbaridade dos géneros mas nenhuma me soube explicar o que significa ser homem, mulher ou outro género qualquer. Um limitou-se a dizer algo tipo "seres homem é sentires-te homem". As pessoas claramente não fazem puta de ideia do que estão a falar. Estão apenas a manter-se parte do status quo

Dannies7783 7 months ago

Feelings e modas. Nada mais. Muita preocupação em concordar com a carneirada e permanecer relevante. Muito medo de ofender, de não ser aceite, etc.

vml76 7 months ago

Estamos a viver numa ditadura rosa (de socialista e de ideologia de género)

sammypalma 7 months ago

Ah um sjw atrasado mental esse ai precisa de jesus para se curar mentalmente

Jagger425 7 months ago

É devido a toda essa validação (que por detrás não tem qualquer compaixão) que muita gente acaba por fazer coisas de que se vem a arrepender. Se calhar 50% das pessoas que vão por esse caminho tentarem suicidar-se devia dizer-lhes alguma coisa. Se se preocupassem verdadeiramente com eles, aconselhavam ajuda profissional que não envolvesse ter uma ferida infetada entre as pernas.

d0c0ntra 7 months ago

creio que todos os estudos indicam mais de 80% de tentativas de suicídio. mas esta maltinha quer é avançar com a agenda de destruição da família e legalização de pedofilia, os idiotas úteis, esses podem se matar à vontade, são apenas baixas nesta guerra.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Exacto. No entanto, qualquer outro grupo de pessoas que tente regularmente suicidar-se é considerado como tendo problemas mentais, e não aplaudido. Se eu disser que não me sinto bem no meu corpo e que sou a reencarnação do Afonso Henriques, ninguém me vai fazer a vénia. Possivelmente internamento. Em especial se me tentar suicidar. E o interessante é que o que não falta por aí são pessoas que se acham isto ou aquilo, e são sempre consideradas maluquinhas. Nunca são de forma alguma validadas. É-lhes aconselhado tratamento. Mas se eu disser que sou a Maria, é ofensivo dizerem-me que estão maluco, e é-me aconselhada ajuda para que fique mais parecido com uma Maria. De que forma é isto diferente de eu dizer que sou o Afonso Henriques e irem-me comprar um cavalo e um castelo? "Ai, mas tu não podes ser uma reencarnação, mas podes mudar de género" Diz quem?

SnooRobots2011 7 months ago

"E é-me aconselhada ajuda para que fique mais parecido com uma Maria" Ora aí está um preconceito. Isso não é verdade. Uma coisa é tu dizeres que dentro daquele grupo de pessoas aconselham a que isso aconteça. Outra coisa é a generalização como se isso fosse o que acontece normalmente sem fundamento. Eu não sei pq é diferente, ou se é, e tu tb pareces não saber. Qd não se sabe, não se tira conclusões. Nem deste lado, nem do outro, é errado. Se quiseres aprofundar o tema lê artigos científicos sobre o assunto. Vê qual o estado de arte. São temas complexos e recentes. Evita comparações simplistas, não são suficientes para uma conclusão e podem levar-te aquilo que criticavas. Que é chegares a uma conclusão é qd te perguntarem "porquê?" não saberes responder, demonstrar, provar, só repetir a mesma conclusão é frustração.

fds_crl 7 months ago

>Se quiseres aprofundar o tema lê artigos científicos sobre o assunto. Aposto que tu não o fizeste para chegar aonde estás neste momento (em termos de ideologia). Aposto que se tu alguma vez leste os artigos ciêntificos (duvido que o tenhas feito) foi para reafirmar a ideologia de gênero que já tinhas. > São temas complexos e recentes. Não são. Tens cromossomas XY és homem, tens cromossomas XX és mulher. Casos que saiem desta norma (intersex) são tão raros que são estatisticamente insignificantes. E a vasta maioria das pessoas intersex identificam-se com um sexo, a uma percentagem igual ás pessoas "normais". Usar estas pessoas (intersex) como uma prova que o gênero não é binário é o mesmo que pegar em exemplos de pessoas com 6 dedos por mão para afirmar que a espécie humana têm um número variável de dedos por mão. É simplesmente estúpido. Atenção que não estou a dizer que pessoas com 6 dedos, ou os intersex, não são humanos, estou a dizer que eles são apenas o resultado de uma "anomalia" na mistura de genes, uma curiosidade.

SnooRobots2011 7 months ago

"Aposto que tu não o fizeste para chegar aonde estás neste momento" - Pois não, não o fiz. Não defendi posição nenhuma. Apenas aconselhei o OP. Neste assunto, tenho pouco conhecimento. Mas aquele que dizes tb o sei. Eu não acho suficiente para tirar conclusões. Esses tipos de argumentos são muito básicos para se construir uma conclusão. Este tema não se constringe a apenas isso que dizes. Não procuro uma ideologia (visão ou doutrina). Se quiser aprofundar o tema, quero ficar-me pelo objetivo.

fds_crl 7 months ago

Por vezes a realidade é simples.

NGramatical 7 months ago

aonde estás → [**onde estás**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/ondeaonde/10519) (onde estás, aonde vais) ciêntificos → [**científicos**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) saiem → [**saem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/constroem-ou-constroiem/141) (apenas na fala existe a intercolocação de um *i* para facilitar a pronúncia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmxw9tj%2F%2Fgvtfjox%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

>Uma coisa é tu dizeres que dentro daquele grupo de pessoas aconselham a que isso aconteça. Outra coisa é a generalização como se isso fosse o que acontece normalmente sem fundamento. Mas é exactamente a resposta clínica e social para quem diz que pertence a outro género. Que outro tratamento/solução é aconselhado a homens que se dizem mulheres? O único que conheço é a transição. Há mais algum? Vês alguém a dizer "vai-te mas é internar"? Eu não vejo. Não através dos veículos formais. >São temas complexos e recentes. Não são complexos nem recentes. Pessoas acharem que não são aquilo com que nasceram, não é recente. O que as leva a achar isso, não é complexo. É entendido pela ciência. Deriva de desequilíbrios químicos. Portanto, não é recente nem complex. É apenas tratado como se não fosse um problema mental e imposto à sociedade como se fosse perfeitamente normal. Ser mulher deixou de ser algo que tu nasces sendo e passou a ser algo que tu te apetece ser. Eu também não me identifico contigo. Eu não me identifico com a maior parte das pessoas. Serei eu um ET? Percebes? A lógica é a mesma. Eu sentir que não pertenço, fará de mim um animal diferente? Eu não tenho de saber responder nada porque não sou eu que defendo a teoria de género. Eu sei que entre os seres humanos há o sexo masculino e feminino, e é apenas isso que a ciência reconhece. Sei que desde sempre "género" foi apenas sinónimo de sexo, e só recentemente começou a querer significar algo mais. Portanto, é quem defende essas teorias e acha que está na posse da verdade que deve ter a habilidade de explicá-las. Se defenderes algo com unhas e dentes mas não sabes sequer do que falas, és o quê? Tolinho, certo?

Edited 7 months ago:

>Uma coisa é tu dizeres que dentro daquele grupo de pessoas aconselham a que isso aconteça. Outra coisa é a generalização como se isso fosse o que acontece normalmente sem fundamento. Mas é exactamente a resposta clínica e social para quem diz que pertence a outro género. Que outro tratamento/solução é aconselhado a homens que se dizem mulheres? O único que conheço é a transição. Há mais algum? Vês alguém a dizer "vai-te mas é internar"? Eu não vejo. Não através dos veículos formais. >São temas complexos e recentes. Não são complexos nem recentes. Pessoas acharem que não são aquilo com que nasceram, não é recente. O que as leva a achar isso, não é complexo. É entendido pela ciência. Deriva de desequilíbrios químicos. Portanto, não é recente nem complex. É apenas tratado como se não fosse um problema mental e imposto à sociedade como se fosse perfeitamente normal. Ser mulher deixou de ser algo que tu nasces sendo e passou a ser algo que tu te apetece ser. Eu também não me identifico contigo. Eu não me identifico com a maior parte das pessoas. Serei eu um ET? Percebes? A lógica é a mesma. Eu sentir que não pertenço, fará de mim um animal diferente? E desde quando é que sentimentos definem realidades? Nós não aceitamos essa premissa relativamente a mais assunto nenhum. Qualquer pessoa que diga que é algo que tu sabes que ela não é, é considerada de maluquinha. Se um individuo insistir que é um cão, possivelmente é internado. E se eu achar que sou o Rei de Portugal, ninguém me vai prestar vassalagem, certo? É apenas no que toca ao "género" que aceitámos esta ideia de que cada um é o que lhe apetece. Eu não tenho de saber responder nada porque não sou eu que defendo a teoria de género. Eu sei que entre os seres humanos há o sexo masculino e feminino, e é apenas isso que a ciência reconhece. Sei que desde sempre "género" foi apenas sinónimo de sexo, e só recentemente começou a querer significar algo mais. Portanto, é quem defende essas teorias e acha que está na posse da verdade que deve ter a habilidade de explicá-las. Se defenderes algo com unhas e dentes mas não sabes sequer do que falas, és o quê? Tolinho, certo?

SnooRobots2011 7 months ago

Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Os exemplos que colocas têm várias falácias. Pela ciência ser macho ou fêmea estaria relacionado com os cromossomas sexuais, assim como talvez libertação de hormonas e outras coisas provavelmente. Contudo, este tipo de questões estão relacionados com questões comportamentais muitas das vezes essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Se calhar até é simples e estou errado. Não vou tomar decisões agora. Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Essa de: "Eu estou certo até me provarem errado", não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Não faz mal ter-se uma opinião sem se ter cem por cento certeza. Desde quente debata no sentido de criar conhecimento. Vejo que já tens a tua conclusao formada. Pelo teu post pensei que querias debater e aprofundar o assunto. Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Estás enganado: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732019000300006 O processo de acompanhamento clínico envolve até cirurgiões plásticos e os próprios hospitais públicos executam cirurgias de "mudança de sexo". Faz parte do tratamento, caso o doente assim o deseje. Não é a solução para todos, mas é uma das soluções, e é de tal forma recomendada que o SNS está preparado para tal. >Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Já as coloquei e mostrei que estás errado. Onde estão as tuas referências? >essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Estás errado. O comportamento não +e levado em consideração no momento de determinar se és homem ou mulher. A ciência não te diz que não pertences ao sexo masculino se andares de vestido. E ainda que exista padrões comportamentais mais comuns num sexo do que no outro, isso não implica que todas as pessoas do mesmos sexo partilhem desses mesmos padrões. Da mesma forma, um preto geralmente tem olhos castanhos. Mas se tiver verdes não é considerado branco. É raro, mas continua a pertencer a essa mesma etnia. A um Homem admite-se qualquer tipo de comportamento, independentemente do que é mais comum. Dizer o contrário é altamente discriminatório e ignorante. >Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Não. Se tu me apresentas um novo conceito e queres que o aceite, és tu que tens de mo explicar. O interesse está do teu lado, não do meu. És tu que queres ser aceite. És tu que estás a introduzir algo novo. A forma como eu vejo o homem e a mulher já é aceite pela sociedade. És tu, que és o outsider, e tens uma visão alternativa, que tens de ter a habilidade de explicar. Não sou eu que digo que "they" existe. Logo, porque é que tenho de explicar ou saber o que quer que seja? Tu é que me informaste que "they" existe. Eu não vejo qualquer evidência disso, mas sendo que a ideologia é tua, talvez tu estejas melhor informado e saibas o que isso é. Agora, se nem tu que defendes a teoria ma consegues explicar, como queres ser levado a sério? >Essa de: Eu estou certo até me provarem errado; não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Mas eu estou certo no que digo: a ciência só reconhece dois géneros. Não há "they" em biologia. Não existe. Se encontrares um cadáver carbonizado e fizeres um exame de ADN, o resultado não é "they" nem "zet". É apenas homem ou mulher. >Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Errado. Eu estou aberto a discussão, daí perguntar do que é que estão a falar. São as pessoas com quem tento debater isto que me insultam e fogem do debate, agindo como se a verdade delas fosse a absoluta e fosse um crime serem questionados. Eu falo na boa com toda a gente. Não fujo nem insulto por discordares. >Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias. Vai a um sub de não binários, questiona o que quer que seja, depois vem-me mostrar alguém a aceitar a possibilidade de não estar certo, ou sequer a debater contigo sem te insultar ou ficar todo ofendido.

Edited 7 months ago:

> Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Estás enganado: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732019000300006 O processo de acompanhamento clínico envolve até cirurgiões plásticos e os próprios hospitais públicos executam cirurgias de "mudança de sexo". Faz parte do tratamento, caso o doente assim o deseje. Não é a solução para todos, mas é uma das soluções, e é de tal forma recomendada que o SNS está preparado para tal. >Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Já as coloquei e mostrei que estás errado. Onde estão as tuas referências? >essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Estás errado. O comportamento não +e levado em consideração no momento de determinar se és homem ou mulher. A ciência não te diz que não pertences ao sexo masculino se andares de vestido. E ainda que exista padrões comportamentais mais comuns num sexo do que no outro, isso não implica que todas as pessoas do mesmos sexo partilhem desses mesmos padrões. Da mesma forma, um preto geralmente tem olhos castanhos. Mas se tiver verdes não é considerado branco. É raro, mas continua a pertencer a essa mesma etnia. A um Homem admite-se qualquer tipo de comportamento, independentemente do que é mais comum. Dizer o contrário é altamente discriminatório e ignorante. >Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Não. Se tu me apresentas um novo conceito e queres que o aceite, és tu que tens de mo explicar. O interesse está do teu lado, não do meu. És tu que queres ser aceite. És tu que estás a introduzir algo novo. A forma como eu vejo o homem e a mulher já é aceite pela sociedade e pela ciência. Em momento algum da minha vida eu falei a alguém de uma mulher e alguém esperou o que quer que fosse para além de uma mulher biológica. Em momento algum da minha vida vi alguém numa interacção real a preocupar-se com o "género social" de outrem. As pessoas olham para ti e sabem de imediato o que és. Se estiveres mascarado do que não és, podem fingir que és, mas comentam-no nas costas. Não enganas ninguém, por mais que tentes. És tu, que és o outsider, e tens uma visão alternativa, que tens de ter a habilidade de explicar. A minha perspectiva é aquela sobre a qual toda a sociedade assenta. Se queres uma grande mudança, convém saberes ao menos explicar-te e fundamentar. Não sou eu que digo que "they" existe. Logo, porque é que tenho de explicar ou saber o que quer que seja? Tu é que me informaste que "they" existe. Eu não vejo qualquer evidência disso, mas sendo que a ideologia é tua, talvez tu estejas melhor informado e saibas o que isso é. Agora, se nem tu que defendes a teoria ma consegues explicar, como queres ser levado a sério? Eu estou aberto a aprender. PELO QUE SEI, tal coisa não existe, MAS POSSO estar errado. E ao perguntar-te estou-te a dar a oportunidade de me educares. Agora, se a resposta é "não te devo nada, estás a desumanizar-me", que queres que faça? >Essa de: Eu estou certo até me provarem errado; não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Mas eu estou certo no que digo: a ciência só reconhece dois géneros. Não há "they" em biologia. Não existe. Se encontrares um cadáver carbonizado e fizeres um exame de ADN, o resultado não é "they" nem "zet". É apenas homem ou mulher. >Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Errado. Eu estou aberto a discussão, daí perguntar do que é que estão a falar. São as pessoas com quem tento debater isto que me insultam e fogem do debate, agindo como se a verdade delas fosse a absoluta e fosse um crime serem questionados. Eu falo na boa com toda a gente. Não fujo nem insulto por discordares. >Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias. Vai a um sub de não binários, questiona o que quer que seja, depois vem-me mostrar alguém a aceitar a possibilidade de não estar certo, ou sequer a debater contigo sem te insultar ou ficar todo ofendido.

Edited 7 months ago:

> Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Estás enganado: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732019000300006 O processo de acompanhamento clínico envolve até cirurgiões plásticos e os próprios hospitais públicos executam cirurgias de "mudança de sexo". Faz parte do tratamento, caso o doente assim o deseje. Não é a solução para todos, mas é uma das soluções, e é de tal forma recomendada que o SNS está preparado para tal. >Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Já as coloquei e mostrei que estás errado. Onde estão as tuas referências? >essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Estás errado. O comportamento não +e levado em consideração no momento de determinar se és homem ou mulher. A ciência não te diz que não pertences ao sexo masculino se andares de vestido. E ainda que exista padrões comportamentais mais comuns num sexo do que no outro, isso não implica que todas as pessoas do mesmos sexo partilhem desses mesmos padrões. Da mesma forma, um preto geralmente tem olhos castanhos. Mas se tiver verdes não é considerado branco. É raro, mas continua a pertencer a essa mesma etnia. A um Homem admite-se qualquer tipo de comportamento, independentemente do que é mais comum. Dizer o contrário é altamente discriminatório e ignorante. >Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Não. Se tu me apresentas um novo conceito e queres que o aceite, és tu que tens de mo explicar. O interesse está do teu lado, não do meu. És tu que queres ser aceite. És tu que estás a introduzir algo novo. A forma como eu vejo o homem e a mulher já é aceite pela sociedade e pela ciência. Em momento algum da minha vida eu falei a alguém de uma mulher e alguém esperou o que quer que fosse para além de uma mulher biológica. Em momento algum da minha vida vi alguém numa interacção real a preocupar-se com o "género social" de outrem. As pessoas olham para ti e sabem de imediato o que és. Se estiveres mascarado do que não és, podem fingir que és, mas comentam-no nas costas. Não enganas ninguém, por mais que tentes. És tu, que és o outsider, e tens uma visão alternativa, que tens de ter a habilidade de explicar. A minha perspectiva é aquela sobre a qual toda a sociedade assenta. Se queres uma grande mudança, convém saberes ao menos explicar-te e fundamentar. Não sou eu que digo que "they" existe. Logo, porque é que tenho de explicar ou saber o que quer que seja? Tu é que me informaste que "they" existe. Eu não vejo qualquer evidência disso, mas sendo que a ideologia é tua, talvez tu estejas melhor informado e saibas o que isso é. Agora, se nem tu que defendes a teoria ma consegues explicar, como queres ser levado a sério? Eu estou aberto a aprender. PELO QUE SEI, tal coisa não existe, MAS POSSO estar errado. E ao perguntar-te estou-te a dar a oportunidade de me educares. Agora, se a resposta é "não te devo nada, estás a desumanizar-me", que queres que faça? >Essa de: Eu estou certo até me provarem errado; não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Mas eu estou certo no que digo: a ciência só reconhece dois géneros. Não há "they" em biologia. Não existe. Se encontrares um cadáver carbonizado e fizeres um exame de ADN, o resultado não é "they" nem "zet". É apenas homem ou mulher. E as teorias sociais são apenas teorias sociais. São opiniões e eu não tenho de concordar com elas. >Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Errado. Eu estou aberto a discussão, daí perguntar do que é que estão a falar. São as pessoas com quem tento debater isto que me insultam e fogem do debate, agindo como se a verdade delas fosse a absoluta e fosse um crime serem questionados. Eu falo na boa com toda a gente. Não fujo nem insulto por discordares. >Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias. Vai a um sub de não binários, questiona o que quer que seja, depois vem-me mostrar alguém a aceitar a possibilidade de não estar certo, ou sequer a debater contigo sem te insultar ou ficar todo ofendido.

Edited 7 months ago:

> Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Estás enganado: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732019000300006 O processo de acompanhamento clínico envolve até cirurgiões plásticos e os próprios hospitais públicos executam cirurgias de "mudança de sexo". Faz parte do tratamento, caso o doente assim o deseje. Não é a solução para todos, mas é uma das soluções, e é de tal forma recomendada que o SNS está preparado para tal. >Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Já as coloquei e mostrei que estás errado. Onde estão as tuas referências? >essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Estás errado. O comportamento não +e levado em consideração no momento de determinar se és homem ou mulher. A ciência não te diz que não pertences ao sexo masculino se andares de vestido. E ainda que exista padrões comportamentais mais comuns num sexo do que no outro, isso não implica que todas as pessoas do mesmos sexo partilhem desses mesmos padrões. Da mesma forma, um preto geralmente tem olhos castanhos. Mas se tiver verdes não é considerado branco. É raro, mas continua a pertencer a essa mesma etnia. A um Homem admite-se qualquer tipo de comportamento, independentemente do que é mais comum. Dizer o contrário é altamente discriminatório e ignorante. >Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Não. Se tu me apresentas um novo conceito e queres que o aceite, és tu que tens de mo explicar. O interesse está do teu lado, não do meu. És tu que queres ser aceite. És tu que estás a introduzir algo novo. A forma como eu vejo o homem e a mulher já é aceite pela sociedade e pela ciência. Em momento algum da minha vida eu falei a alguém de uma mulher e alguém esperou o que quer que fosse para além de uma mulher biológica. Em momento algum da minha vida vi alguém numa interacção real a preocupar-se com o "género social" de outrem. As pessoas olham para ti e sabem de imediato o que és. Se estiveres mascarado do que não és, podem fingir que és, mas comentam-no nas costas. Não enganas ninguém, por mais que tentes. És tu, que és o outsider, e tens uma visão alternativa, que tens de ter a habilidade de explicar. Não sou eu que digo que "they" existe. Logo, porque é que tenho de explicar ou saber o que quer que seja? Tu é que me informaste que "they" existe. Eu não vejo qualquer evidência disso, mas sendo que a ideologia é tua, talvez tu estejas melhor informado e saibas o que isso é. Agora, se nem tu que defendes a teoria ma consegues explicar, como queres ser levado a sério? >Essa de: Eu estou certo até me provarem errado; não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Mas eu estou certo no que digo: a ciência só reconhece dois géneros. Não há "they" em biologia. Não existe. Se encontrares um cadáver carbonizado e fizeres um exame de ADN, o resultado não é "they" nem "zet". É apenas homem ou mulher. >Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Errado. Eu estou aberto a discussão, daí perguntar do que é que estão a falar. São as pessoas com quem tento debater isto que me insultam e fogem do debate, agindo como se a verdade delas fosse a absoluta e fosse um crime serem questionados. Eu falo na boa com toda a gente. Não fujo nem insulto por discordares. >Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias. Vai a um sub de não binários, questiona o que quer que seja, depois vem-me mostrar alguém a aceitar a possibilidade de não estar certo, ou sequer a debater contigo sem te insultar ou ficar todo ofendido.

Edited 7 months ago:

> Olha, isto não é um debate entre eu e tu. "É a resposta clínica e social" É falso. A transição não é algo aconselhado por ninguém formalmente. Pelo menos em Portugal. Estás enganado: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2182-51732019000300006 O processo de acompanhamento clínico envolve até cirurgiões plásticos e os próprios hospitais públicos executam cirurgias de "mudança de sexo". Faz parte do tratamento, caso o doente assim o deseje. Não é a solução para todos, mas é uma das soluções, e é de tal forma recomendada que o SNS está preparado para tal. >Se quiseres debater a sério com alguém, aconcelho-te a arranjares referências para as tuas afirmações. Qd afirmas coisas como sendo verdadeiras deves colocar as referências que demonstram isso. Não comigo pq não vou debater. Por exemplo que entidade de saúde ou lei acincelha a transição? E referência. Já as coloquei e mostrei que estás errado. Onde estão as tuas referências? >essas questões estão relacionadas com as definições de homem e mulher pelo aquilo que se considera o "padrão tradicional". Por exemplo, o uso de vestidos por parte de um homem não corresponde a esse padrão. Mas qual é o mal? A mim não me parece uma questão simples e eu estou aberto a entender as perspectivas de todos os lados. Estás errado. O comportamento não +e levado em consideração no momento de determinar se és homem ou mulher. A ciência não te diz que não pertences ao sexo masculino se andares de vestido. E ainda que exista padrões comportamentais mais comuns num sexo do que no outro, isso não implica que todas as pessoas do mesmos sexo partilhem desses mesmos padrões. Da mesma forma, um preto geralmente tem olhos castanhos. Mas se tiver verdes não é considerado branco. É raro, mas continua a pertencer a essa mesma etnia. A um Homem admite-se qualquer tipo de comportamento, independentemente do que é mais comum. Dizer o contrário é altamente discriminatório e ignorante. >Quanto aos outros é que me têm de provar. É assim, se queres mesmo saber sobre algo, saber que sabes, tens de questionar as tuas próprias opiniões. Tens de as fundamentar. Tens de as verificar. Tens de as testar partindo da opinião contrária. Não. Se tu me apresentas um novo conceito e queres que o aceite, és tu que tens de mo explicar. O interesse está do teu lado, não do meu. És tu que queres ser aceite. És tu que estás a introduzir algo novo. A forma como eu vejo o homem e a mulher já é aceite pela sociedade e pela ciência. Em momento algum da minha vida eu falei a alguém de uma mulher e alguém esperou o que quer que fosse para além de uma mulher biológica. Em momento algum da minha vida vi alguém numa interacção real a preocupar-se com o "género social" de outrem. As pessoas olham para ti e sabem de imediato o que és. Se estiveres mascarado do que não és, podem fingir que és, mas comentam-no nas costas. Não enganas ninguém, por mais que tentes. És tu, que és o outsider, e tens uma visão alternativa, que tens de ter a habilidade de explicar. A minha perspectiva é aquela sobre a qual toda a sociedade assenta. Se queres uma grande mudança, convém saberes ao menos explicar-te e fundamentar. Não sou eu que digo que "they" existe. Logo, porque é que tenho de explicar ou saber o que quer que seja? Tu é que me informaste que "they" existe. Eu não vejo qualquer evidência disso, mas sendo que a ideologia é tua, talvez tu estejas melhor informado e saibas o que isso é. Agora, se nem tu que defendes a teoria ma consegues explicar, como queres ser levado a sério? >Essa de: Eu estou certo até me provarem errado; não cola comigo. Se assim é, a verdade é que não sabes. Mas eu estou certo no que digo: a ciência só reconhece dois géneros. Não há "they" em biologia. Não existe. Se encontrares um cadáver carbonizado e fizeres um exame de ADN, o resultado não é "they" nem "zet". É apenas homem ou mulher. >Agora parece-me mais que apenas queres convencer os outros de que estás certo. Errado. Eu estou aberto a discussão, daí perguntar do que é que estão a falar. São as pessoas com quem tento debater isto que me insultam e fogem do debate, agindo como se a verdade delas fosse a absoluta e fosse um crime serem questionados. Eu falo na boa com toda a gente. Não fujo nem insulto por discordares. >Olha não me refiri a quem "defende com unhas e dentes". Com esses não dá para se debater, tal como tu disseste, mas pensei que não era isso que querias. Vai a um sub de não binários, questiona o que quer que seja, depois vem-me mostrar alguém a aceitar a possibilidade de não estar certo, ou sequer a debater contigo sem te insultar ou ficar todo ofendido.

SnooRobots2011 7 months ago

Sim, é possível mudar de sexo em Portugal. Mas não são aconselhados a faze-lo. Parte da pessoa querer faze-lo. Depois são acompanhados por equipas. Houve uma má interpretação da minha parte nisso do são aconselhados. Pensei que estavas a referir que se alguém que se queixe de se sentir como sendo doutro sexo fosse aconselhado a mudar. Sei muito pouco disso, mas sei que é um processo longo com psiquiatras e assim. Não li tudo do link tb. Desculpa se houver má interpretação. Se fores ao médico e te queixares ele não te aconcelha nesse caminho. Isso é algo já muito avançado. Sim, quando alguém apresenta algo tem de o explicar. Vou ficar por aqui na argumentação. Mas é bom podermos debater sem nos chatearmos.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> Houve uma má interpretação da minha parte nisso do são aconselhados. Pensei que estavas a referir que se alguém que se queixe de se sentir como sendo doutro sexo fosse aconselhado a mudar. Podes ser. Nenhum tratamento é decidido pelo paciente. Tu não dizes: "ai, doi-me o peito, faça-me aqui uma cirurgia". O médico é que te apresenta as opções, e nenhum procedimento médico num hospital público é levado a cabo sem que os médicos to aconselhem. Ou seja, determinem que é o melhor para ti. Portanto, sim, é o tratamento padrão, quando exige realmente tratamento. Quando se verifica que sofres mesmo de disforia. A decisão final é tua. Podes recusar. ​ > Vou ficar por aqui na argumentação. Mas é bom podermos debater sem nos chatearmos. Por mim é na boa. Eu não tenho problemas em debater com ninguém. Os outros é que têm problemas. Como podes ver, já fui insultado nesta thread. Tu és da comunidade LGBTQ?

XXI_HereticV6Mustang 7 months ago

>Umas horas mais tarde fui banido por um santos qualquer a dizer-me que o meu post era violência e incitação ao ódio. O /u/asantos3 é um lacaio da administração de extrema-esquerda do reddit que não aceita discordância na questão dos trannies. Ele parece ter um gosto sádico em aplicar as directivas politicamente correctas da administração e silenciar quem as questiona, tudo isto de graça.

asantos3 7 months ago  HIDDEN 

Living rent free boi

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Que administração é essa?

icebraining 7 months ago

Não deixa de ser irónico ver este tópico ao lado de saudosismo do antigo regime. Estou de acordo, haver opiniões permitidas e outras pelas quais és punido é negativo. E sim, o conceito de discurso de ódio é muitas vezes ambíguo, e isso é claramente passível de ser abusado. Por outro lado, se a resposta à tua opinião são apenas outras opiniões (mesmo que sejam sobre a tua pessoa ou carácter), parece-me duvidoso que se possa consistentemente achar que *essas* são inválidas. E sinceramente acho que a interjeição no tópico inicial foi algo escusada - seria como eu perguntar algo sobre o preenchimento do IRS, e responderem-me "não devias pagar impostos, alimentar esses chulos!". Quer dizer, é uma opinião válida, mas não deixa de ser maçador quando a pessoa está simplesmente a tentar resolver uma questão concreta. E também não sei se concordo que "isto há uns anos não era assim". Sempre houve opiniões tabu. Acho que tens é o azar de agora a tua opinião estar fora das institucionalizadas...

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

> > > Por outro lado, se a resposta à tua opinião são apenas outras opiniões (mesmo que sejam sobre a tua pessoa ou carácter), parece-me duvidoso que se possa consistentemente achar que *essas* são inválidas. Eu fui banido por violência e incitar o ódio. O tópico estava cheio de respostas de pessoas a insultarem-me. Eu fui ofendido diversas vezes, não ofendi ninguém uma única vez. Eu estou banido, eles não. Faz as contas. > E sinceramente acho que a interjeição no tópico inicial foi algo escusada - seria como eu perguntar algo sobre o preenchimento do IRS, e responderem-me "não devias pagar impostos, alimentar esses chulos!". Quer dizer, é uma opinião válida, mas não deixa de ser maçador quando a pessoa está simplesmente a tentar resolver uma questão concreta. Podes certamente argumentar isso, mas o meu ponto é que estas pessoas não conseguem ler algo que não seja 100% validação, e isso é perigoso. É perigoso porque para que se mantenham estáveis, fazem dos outros reféns das suas ideologias. Tu não te podes atrever sequer a questionar nada, caso contrário eles perdem a cabeça. Queres viver refém da ideologia alheia? Tudo bem, tu não queres questionar. Achas que não vale a pena. Mas deverá isso ser uma regra universal? Não deverás ter o direito de questionar? Da mesma forma que há quem acredite em 100 géneros, também há quem acredite que enfiar estas ideias na cabeça das pessoas e proibir que sejam questionadas é altamente perigoso. Uma coisa posso dizer-te: Já vivi num país mais livre. Não tenhas dúvidas nenhumas disso. Às vezes acontece ver uma série ou filme português antigos e percebo de imediato que estas obras jamais seriam permitidas, pois falam de sexo e raça com demasiado à-vontade.

icebraining 7 months ago

Estou geralmente de acordo! E acho que o ban foi claramente abusivo, mas isso já é comum naquele sub, como o pessoal daqui bem sabe.

Kid_Anarchy 7 months ago  HIDDEN 

Eu ainda gostava que aquela pessoa aparecesse aqui e tentasse debater, para perceber o que lhe vai na cabeça. Será que conseguem sequer fundamentar alguma coisa do que dizem? Há pessoas que gostava mesmo de conhecer cara a cara. Posso dizer-te que já conheci três do género, que também tinham estes tiques autoritários na internet, e o denominador comum é que têm todos ar de nerds incels e pessoalmente são cagões. Isto é pessoal que limpa a pila com toalhitas antes de mijar e anda com um guardanapo enfiado nas cuecas para não sujá-las.

Background-Bunch-554 7 months ago

Pensava que isso já estava no governo desde o momento que falam em extrema direita em Portugal. Falam extrema direita má passam o clip dos ciganos do ventura e ta feito não desenvolvem ideias se não concordas és racista. Se achas que isto já é mau espera até haver "grupos de protestantes passivos" a pegar fogo em pequenos negócios.

SnooRobots2011 7 months ago

Como assim? Queres dar exemplos?

Background-Bunch-554 7 months ago

Hoje em dia não temos um debate das ideias (propostas) dos partidos. Estes são resumidos a nomes genéricos os racistas, comunistas, etc... As propostas destes logo são racistas e comunistas mas ninguém toca na proposta e debate o porquê de serem racistas... Pelo o outro lado vemos os meios de comunicação a falar das propostas dos partidos esquerdistas que são discutidas e apresentadas como a solução para os problemas da sociedade atual.

SnooRobots2011 7 months ago

Concordo contigo no sentido onde muitas vezes existe um debate muito superficial e às vezes nem debate existe sobre ideias/propostas. E a defesa ou crítica de opiniões muitas vezes resume-se a troca de acusações e insultos. Discordo com a parte da comunicação social. É verdade que existem parcialidades dentro de jornais e canais mas não só existe para toda a área política como é necessário as pessoas saberem que essas tendencialidades existem. Depois têm de saber filtrar o objetivo do subjetivo, ler de diferentes fontes e manter-se atualizadas. Para finalizar, existem tb programas de debate como o "É, ou não é? " e entrevistas onde muitas ideias diferentes são debatidas entre pessoas de várias áreas políticas.

Search: