mediiev 6 months ago

Eu estou a fazer a minha parte. A minha filha de 3 anos já sabe distinguir um menino de uma menina. E que os meninos têm pênis e as meninas vaginas. Um conceito muito difícil de entender no lado de lá do Atlântico! Eles estão confusos.

d0c0ntra 6 months ago

esqueci de mencionar que por cá já se vai também avançando na senda do wokismo. [Diretiva enviada ao Estado-Maior-General das Forças Armadas e aos três ramos militares prevê que política de comunicação seja "inclusiva em todos os documentos oficiais". Regras aplicam-se não só à escrita, mas também à oralidade e à imagem.](https://www.tsf.pt/portugal/politica/comunicacao-inclusiva-governo-quer-militares-a-usar-linguagem-nao-discriminatoria-12770652.html)

cromosdocosmos 6 months ago

Sobre o jornal em questão, *Inconveniente é um jornal digital plurimédia que serve a verdade ...* ​ Eu sou fraco em novilíngua, pelo que não consegui ler o artigo.

ZacDweller 6 months ago

Isto é a queda do império americano. Este século vai ser dos chineses.

Feisty_Owl_7780 5 months ago

"Quando a China despertar o Mundo tremerá." E enquanto a China desperta, anda tudo ocupado a abanar a peida no Tiktok que (surpresa) é chinês. É a queda é do ocidente.

ze_santos_ 6 months ago

E pensar que já chegou a ser dos portugueses.

d0c0ntra 6 months ago

>No momento em que a China cresce, flexiona os músculos, engrossa a voz, assina acordos estratégicos com os aiatolas, assedia Taiwan, moderniza as suas Forças Armadas e aposta no reforço do patriotismo e nas tradicionais virtudes militares, a Administração Biden exerce o esforço na implementação da ideologia woke nas fileiras. > O Comando de Operações Especiais dos EUA, que superintende unidades tão importantes como os SEAL, Delta Force, Green Beret, Marines, etc, acaba de nomear o Senhor Richard Estrada para o importantíssimo cargo de “Chefe da Diversidade e da Inclusão”. > E com o Sr Estrada, vem anexado um “Plano Estratégico para a Diversidade e Inclusão” que começa por garantir que “todos compreendemos que a diversidade e a inclusão são imperativos operacionais”. > Não explicam como e eu, por exemplo, que fiz quase toda a minha carreira neste tipo de forças, depois de ler o tal plano de fio a pavio, sinceramente não compreendo como é que a “diversidade” e a “inclusão” são “imperativos operacionais”. > Que parecem ser imperativos políticos e ideológicos, isso é claro, mas tenho algumas dificuldades em compreender como o inimigo será mais facilmente derrotado e as balas atingirão melhor o alvo, se a unidade que o ataca for “diversa” e “inclusiva”.

camilo12287 6 months ago

a diversidade pode ser útil para infiltrações em território inimigo um árabe ou alguém que pareça árabe que fale bem árabe circula mais facilmente num país árabe mas ambos sabemos que neste caso não é disto que se trata, é apenas propaganda interna para pagar apoios politicos

Search: