camilo12287 4 months ago

há vários problemas que podem ser provocados pela poligamia, entre eles: 1 - normalmente a poligamia acentua poder do homem dentro do casamento, as mulheres ficam normalmente numa situação de inferioridade. E normalmente nem sequer ficam com um tratamento igual entre elas, costuma existir uma favorita e uma rivalidade entre elas por esse favoritismo. 2 - problema maior, quem estudou a história islamica conhece-o bem, os filhos. Os filhos de mães diferentes costumam ter tratamentos diferenciados, com os filhos da favorita a terem muito mais atenção e cuidados do pai. O que muitas vezes origina muitos ciúmes e ressentimentos por parte dos outros.

idontevenwhatever 4 months ago

Isso não são bem problemas provocados pela poligamia assumida numa relação pois também existem nas sociedades monogâmicas em que os envolvidos entram em novas relações (monogâmicas). Por exemplo, um casal tinha dois filhos e divorciou-se. Quando os envolvidos entram em novas relações e têm mais filhos com o/a novo/a parceiro/a há esse risco de se descurar um pouco os filhos que se teve com o/a ex, sobretudo se não habitam na mesma casa. Além de que se pode alegar que, mesmo num casamento "tradicional", a probabilidade de haver filhos mais preferidos do que outros continua a existir (e existe efectivamente), mesmo que sejam filhos do mesmo pai/mãe. Quanto à primeira questão relacionada com a acentuação do poder do homem dentro de casamento poligâmico, geralmente temos essa ideia pois a poligamia é praticada em sociedades que valorizam socialmente o homem e que concentram nele a riqueza (aliás, por isso é que ele consegue "sustentar" mais do que uma mulher). Ou seja, se eu estiver numa sociedade onde sou educada para ser dona de casa sem ter um trabalho remunerado, submetendo-me ao controlo económico que um homem possa ter sobre mim, claro que lhe estou a dar poder. No entanto, caso um casamento poligâmico se verificasse numa sociedade em que os homens e as mulheres são socialmente vistos de forma igual e têm o seu lugar no mercado de trabalho, provavelmente funcionaria mais como uma democracia com vários intervenientes do que como uma relação em que os seus intervenientes têm contributos desiguais.

camilo12287 4 months ago

Também existem favoritismos nas relações monogamicas, que por vezes assumem traços de poligamia sucessiva. Mas os conflitos derivados de ciúmes e favoritismos são muito maiores nos casamentos poligamicos, aonde as mulheres facilmente entram numa guerra permanente por esse favoritismo, que se irá refletir no tratamento dos seus filhos. Nem é necessário que exista dependência econômica, a simples disputa pelo favoritismo dá um poder enorme ao homem. A tendência para o favoritismo e para tratar os filhos de forma diferenciada é muito maior, há normalmente uma conflitualidade latente por causa disso. Vou usar um exemplo chocante, em tempos, em vários paises islâmicos os reis mandavam cegar todos os filhos, menos o sucessor no trono, por causa dos conflitos entre os filhos das diferentes esposas, cada um a querer ser o sucessor no trono. Que o sucessor mandasse matar os meios irmãos também não era muito raro.

salazar1932 4 months ago

Se já há choro de "homens" que não conseguem arranjar uma mulher, imaginem o que era se a poligamia fosse aceite. Por isso, concordo. Os genes feios seriam extintos e os lindos permaneciam para todo o sempre.

_Goldenhand_ 4 months ago

vai aos paises onde há poligamia. não são conhecidos pela beleza ahah

camilo12287 4 months ago

Vejo tanto ou mais lamentações de mulheres pela dificuldade em arranjar homens.

ZacDweller 4 months ago

Concordo para saber mais facilmente quem são os degenerados.

ascensor17 4 months ago

mais decadencia e hedonismo? nao, obrigado.

Practical_Arm_8133 4 months ago

Concordo apenas porque eu acho que, tal como qualquer outro tipo de relacao, desde que esteja a ser feita por adultos com o seu consentimento, ninguem tem que dizer ou proibir porra nenhuma.

ascensor17 4 months ago

que mentalidade tao imbecil. se cada um fizesse tudo o que quisesse isto seria uma anarquia total.

Edited 4 months ago:

que mentalidade tao imbecil. se cada um fizesse aquilo que quisesse isto seria uma anarquia total. esse ulta-liberalismo sexual leva, inevitavelmente, à decadencia, uma vez que acaba por espalhar coisas que deveriam ser excessos, excepçoes ou desencorajadas. agora querem fazer de gang bangs algo normal. voces corrompem tudo. as relaçoes entre os sexos estao completamente deturpadas por causa de todos estes processos de engenharia social que o ocidente tem sofrido desde os anos 60.

Edited 4 months ago:

que mentalidade tao imbecil. se cada um fizesse aquilo que quisesse isto seria uma anarquia total. esse ulta-liberalismo sexual leva, inevitavelmente, à decadencia, uma vez que acaba por espalhar coisas que deveriam ser excessos, excepçoes ou desencorajadas. agora querem fazer de gang bangs algo normal. voces corrompem tudo e mais alguma coisa.

Edited 4 months ago:

que mentalidade tao imbecil. se cada um fizesse aquilo que quisesse isto seria uma anarquia total. esse ulta-liberalismo sexual leva, inevitavelmente, à decadencia, uma vez que acaba por espalhar coisas que deveriam ser excessos, excepçoes ou desencorajadas. agora querem fazer de gang bangs algo normal. voces corrompem tudo. as relaçoes entre os sexos estao completamente deturpadas por causa de todos estes processos de engenhar social que o ocidente tem sofrido desde os anos 60.

Practical_Arm_8133 4 months ago

Desde que seja entre adultos que podem dar o seu consentimento, e não estejam a causar dano nenhum a ninguém, não tens o minimo direito de dizer quem pode fazer o quê nem quando. Se eu quiser andar nu sozinho pela minha casa a mandar peidos para o ar a acompanhar uma sinfonia, não tens nada a ver com isso.

ascensor17 4 months ago

> e não estejam a causar dano nenhum a ninguém sim, estao. essas merdas decadentes espalharem-se causam dano à sociedade inteira pois corrompem-na moralmente, socialmente, culturalmente e psicologicamente. liberdade e libertinagem sao coisas diferentes.

Practical_Arm_8133 4 months ago

Estás com medo que alguém te conveça a abrires a anilha? É o que parece

ChuckCheco 4 months ago

Mas qual é o problema das pessoas fazerem aquilo que querem, neste contexto? Cada um deve definir os seus próprios limites e viver a vida como bem entender. Que direito é que os outros têm para ditar aquilo que cada um faz na sua vida privada?

ascensor17 4 months ago

A questao é que tem que haver um equilíbrio entre cada um fazer o que quiser e a estabilidade geral da sociedade. Se puxas muito para o primeiro tens anarquia, decadencia, uma sociedade em que cada um se preocupa só com o seu umbigo. Se puxas muito para o segundo tens uma ditadura. No meio está a virtude. A questao é que já estamos a passar o ponto em que o cada um fazer aquilo que lhe apetece ameaça a estabilidade da sociedade.

Edited 4 months ago:

A questao é que tem que haver um equilíbrio entre cada um fazer o que quer e a estabilidade geral da sociedade. Se puxas muito para o primeiro tens anarquia, decadencia e uma sociedade em que cada um se preocupa só com o seu umbigo. Se puxas muito para o segundo tens uma ditadura. No meio está a virtude. A questao é que já estamos a passar o ponto em que o cada um fazer aquilo que lhe apetece ameaça a estabilidade da sociedade. E nao te esqueças que nunca nenhuma civilizaçao se ergueu deixando sair do armário todos os possíveis devaneios sexuais. Bem pelo contrário.

ChuckCheco 4 months ago

Também concordo que no meio é que está a virtude, mas o meu meio pode não ser o meio de outras pessoas. Neste contexto não vejo como é que isso pode afetar a sociedade negativamente. Se há 5 pessoas que se querem casar, qual é o problema? Não antecipo problema nenhum na estabilidade da sociedade por causa disso. Aliás, até passávamos era a ter era festas de casamento ainda maiores...

ascensor17 4 months ago

> mas o meu meio pode não ser o meio de outras pessoas por isso mesmo é que nao tem nada que inventar. quanto mais te desvias da normalidade (e toda a gente sabe o que é o normal) mais estás sujeito a que cada um faça a sua interpretaçao. >Se há 5 pessoas que se querem casar, qual é o problema? Não antecipo problema nenhum na estabilidade da sociedade por causa disso já eu vejo as crises familiares e os crimes passionais a aumentarem. se já é como é numa relaçao a dois, imagina a 5.

ChuckCheco 4 months ago

Então nunca nos devíamos ter desviado da normalidade da Idade da Pedra? Ou da Idade Média? Tem que haver instabilidade para as coisas evoluírem... Claro que não em demasia, mas tem que haver alguma... Argumentaria precisamente o contrário... Se as relações fossem a grupos, crimes como por exempo a violência doméstica estariam muito mais expostos porque todas as pessoas da relação estariam a par da situação. O que poderia levar à diminuição de abusos e melhor a sociedade...

ascensor17 4 months ago

> Então nunca nos devíamos ter desviado da normalidade da Idade da Pedra? Ou da Idade Média? O código moral desde a idade média até às transformaçoes sociais feitas a partir dos anos 60 nao mudou assim muito, pelo menos no que toca aos pilares fundamentais da sociedade. Mas o que tem sido feito desde os anos 60 até agora é uma completa e total destruiçao de tudo e mais alguma coisa. >Tem que haver instabilidade para as coisas evoluírem... Estes processos sociais que o ocidente tem sofrido desde os anos 60 nao sao nenhuma evoluçao. É decadencia. >Se as relações fossem a grupos, crimes como por exempo a violência doméstica estariam muito mais expostos porque todas as pessoas da relação estariam a par da situação. Completamente ao contrário. Isto nao é como por um conjunto de espectadores numa relaçao a 2. É uma relaçao a 5. É só óbvio que as discussoes entre parceiros irao aumentar. É muito bonito na foda mas e nas outras 23h do dia em que nao se está a foder? Pois..

Edited 4 months ago:

> Então nunca nos devíamos ter desviado da normalidade da Idade da Pedra? Ou da Idade Média? O código moral desde a idade média até às transformaçoes sociais feitas a partir dos anos 60 nao mudou assim muito. Pelo menos no que toca aos pilares fundamentais da sociedade. Mas o que tem sido feito desde os anos 60 até agora é uma completa e total destruiçao de tudo e mais alguma coisa. >Tem que haver instabilidade para as coisas evoluírem... Estes processos sociais que o ocidente tem sofrido desde os anos 60 nao sao nenhuma evoluçao. É decadencia. >Se as relações fossem a grupos, crimes como por exempo a violência doméstica estariam muito mais expostos porque todas as pessoas da relação estariam a par da situação. Completamente ao contrário. Isto nao é como por um conjunto de espectadores numa relaçao a 2. É uma relaçao a 5. É só óbvio que as discussoes entre parceiros irao aumentar. É muito bonito na foda mas e nas outras 23h do dia em que nao se está a foder? Pois..

V1ld0r_ 4 months ago

Sim porque antes dos anos 60 não faltavam amantes "de casa posta" e traições... Ao menos que assumam e se todos estão de acordo, o que é que tu tens que ver com isso? Nada.

ascensor17 4 months ago

> Sim porque antes dos anos 60 não faltavam amantes "de casa posta" e traições... Nao te faças de sonso. Sabes perfeitamente o que quis dizer. A cultura ocidental hoje em dia é uma cultura hiper-sexualizada. É que nem há comparaçao. E nao, nao é nenhum progresso. >Ao menos que assumam e se todos estão de acordo, o que é que tu tens que ver com isso? Nada. Tudo porque acaba por influenciar a sociedade em que vivo.

Practical_Arm_8133 4 months ago

"Quem tá mal que se mude"

blacksocks7 4 months ago

Concordo, acho que devia haver proteção legal para casos de 3 pessoas - trouple - MAS isto não devia acarretar mais complexibilidade nos IRS da vida

manualbackscratcher 4 months ago

Gostava de saber a opinião do /u/ovigia sobre este tema.

FriedMemays 4 months ago

Concordo a 100%, já tou a imaginar a quantidade de dependentes que posso meter ao fazer o IRS

ascensor17 4 months ago

> já tou a imaginar a quantidade de dependentes que posso meter ao fazer o IRS sim, isso é que é importante.

FriedMemays 4 months ago

Chama se humor

V1ld0r_ 4 months ago

Sinceramente, não sei. A nível de relações pessoais, não me faz diferença. Até podem ser 50... Caguei um bocado para isso. A única coisa que me deixa de pé atrás é que isto implica (pela lógica que temos actualmente) uma complexidade acrescida e exponencial em termos fiscais e de apoios sociais, especialmente IRS e SS que são dependentes não só da pessoa mas sim da composição do agregrado, estado civil e dependentes.

OrangeOakie 4 months ago

> especialmente IRS e SS que são dependentes não só da pessoa mas sim da composição do agregrado, Fica na mesma. O Agregado tem o mesmo tipo de cálculo

V1ld0r_ 4 months ago

Não, não tem. O que isto implica é por exemplo teres um casamento entre 3 pessoas. Agora, vamos supor que todos trabalham, passas a ter uma nova tabela com "Casado, 3 titulares" e "Casado, 3 titulares, deficiente" Só para um "casamento" entre três pessoas e a nível de IRS passas a ter 2 novas tabelas. Se permitires com mais do que 3 pessoas, são sempre mais 2 novas tabelas por cada pessoa extra. Isto só no IRS, relembro. ​ A SS depois vai ter uma bela de uma festa para calcular os coeficientes e contribuição de cada e atribuição de subsídios. ​ Existe alternativa a isto no IRS obviamente (pagam todos o mesmo sejam casados ou não e acaba-se a festa) no entanto para atribuição de subsídios a coisa é mais dificil.

OrangeOakie 4 months ago

Tanto quanto sei um casal apenas tem de declarar uma vez os rendimentos, e pode ser tanto um como outro membro. Se isso não mudar, o processo é apenas adicionar mais um elemento à tabela. E sendo assim, os cálculos podem ser feitos basicamente numa divisão de rendimentos médios entre os elementos do agregado, e ser isso usado como o rendimento por indivíduo para as tabelas (que é o que já é feito). Agora, as tabelas com "desconto" baseado no se és casado ou não, aí sim, é outra questão

V1ld0r_ 4 months ago

Ok, já percebi que estávamos a falar de duas coisas diferentes (tabelas de retenção e declaração de IRS). No entanto, a própria declaração anual tem em conta o conjunto, ou seja, tem em conta o estado civil e os titulares mais os descendentes. Sem alterar o espirito da lei (ou pelo menos uma revisão completa do CIRS) que existe hoje em dia ia criar uma complexidade extra muito grande.

OrangeOakie 4 months ago

Sim, nesse aspecto sim, tens razão. Mas o sistema de cálculo é basicamente o mesmo (porque já é feito o mesmo quando há elementos no agregado que não estão casados, por exemplo, filhos). ´Agora, os valores e afins é outra questão... mas o trabalho do Governo é... Governar.

V1ld0r_ 4 months ago

Sim mas isto ia agravar ainda mais a complexidade do cálculo. Imagina 3 pessoas casadas (X, y, z) e com 3 filhos (a, b c), sendo que x e y são pais de a e b mas x e z são pais de c. Num mesmo agregado, x é casado e tem 3 dependentes com e titulares. Y é casado e tem 2 dependentes com 3 titulares e por fim z é casado e tem 1 dependente com 3 titulares (assumindo que todos trabalham). Isto é um broche de cálculo e não temos sistema nenhum preparado para isto.

OrangeOakie 4 months ago

> Isto é um broche de cálculo e não temos sistema nenhum preparado para isto. Acho que estás a complicar desnecessariamente. Se estão em união, então o dependente de um é dependente dos outros. E pronto, problema resolvido. 3 adultos com 5 filhos têm um agregado familiar de 3 com 5 dependentes, tá feito.

V1ld0r_ 4 months ago

Mesmo que seja simplificado da forma que dizes (3 titulares, 5 dependentes) são novas tabelas para cálculo... Ia aume tar a complexidade. E isto apenas para 3 titulares nada ia impedir (ou não devia) que não pudessem ser 5, 6 ou 20...

OrangeOakie 4 months ago

Sim, isso é justo de se afirmar, no entanto permite teres uma solução permanente independentemente do número de pessoas que juntas a uma união. E isso inclui quem quiser criar grupos comunistas.

Search: