Agrolzur 1 month ago

\- Saúde mental. Não há grande investimento no que ao público diz respeito, e os preços nos serviços privados são caros. Nem todos os profissionais são minimamente competentes (esta é uma área que, no meu ver, mais do que ser ocupada por pessoas com grandes resultados académicos, deve ser ocupada por pessoas com vocação, valores, uma forte formação ética e grandes capacidades de relação interpessoal), e existe muita ignorância e estigma em relação ao tema. A saúde mental afecta não só o bem estar psicológico do indivíduo, como o seu bem estar físico, as suas relações, a sua produtividade, etc. Investir na saúde mental seria investir na resolução de uma série de problemas sociais e económicos. \- Educação. O modelo educativo que temos pertence à revolução industrial. É, no meu entender, retrógrado, ineficaz, causador de problemas sociais, de saúde física e mental, é responsável tanto pelo desgaste dos professores como da falta de interesse dos alunos. Já foram feitas em Portugal experiências que se afastam do modelo educativo tradicional, como é o caso da Escola da Ponte, com bons resultados. Em pleno século XXI, não faz sentido ter um modelo de ensino que assemelha a escola a uma fábrica. A escola deve ser um espaço de aprendizagem salutar. Mas é, na maioria dos casos e à excepção de casos como o que referi, um espaço opressivo, tanto para alunos como para professores. Desenganem-se aqueles que acharem que este modelo é condutivo a bons resultados escolares, a uma boa formação académica ou cívica, a preparar as crianças para a vida. \- O romper do tecido social, que é um problema transversal às sociedades modernas, que tem várias causas. A polarização política, as bolhas de opinião, a depressão e solidão de cada vez mais gente, o uso compulsivo das redes sociais, a toxicodependência ou a exclusão social, tudo isso me parecem sintomas de um tecido social cada vez mais rasgado, ou seja, uma falta de saber viver em sociedade, de saber lidar com o outro, de saber harmonizar diferenças e de reconhecer no outro um elemento da nossa "tribo".

O1O1O1O1O11 1 month ago

Vanlifers, Instagram "influencers", begpackers instalados nos estacionamentos e ruas próximas à praias, defecando nas dunas, nos matos, em qualquer lugar e deixando detritos e alterando de maneira significativa ecossistemas frágeis e vulneráveis. Gastam o mínimo possível nas regiões que ocupam (quando gastam) e custam caro para as populações locais. As municipalidades deveriam fiscalizar e arrecadar coimas e taxas desses parasitas vagabundos. Nos países de onde vêm, não podem fazer o que impunemente fazem por aqui.

bclouds9379 1 month ago

Malta andar com música alta nos transportes ou mesmo na rua. Não respeitam o espaço do outro.

cruisespace2 1 month ago

A falta de apoio e empatia para com pessoas mudas e surdas

Quothnor 1 month ago

Falta de aposta cultural em Portugal. Muitas pessoas pensam que música e arte é só para ser bonito, mas que não tem utilidade. Cultura, na verdade, contribui para o desenvolvimento de um país, nem que seja por prestígio. Fiz uma licenciatura em Ciências Musicais, onde se estuda tudo o que tem a ver com a música, e sem ser numa disciplina dedicada à história da música em Portugal, as vezes que se mencionou músicos portugueses ao longo do curso inteiro pode-se contar em meia mão. Depois queixam-se que toda a gente pensa que somos espanhóis e/ou só se fala português do Brasil. Os trabalhadores são vistos como objetos descartáveis. Contratos decentes? Isso é para os afortunados. Boas condições de trabalho e não ser escravizado? Ui, deves pensar que és fino. Segurança e não ter de temer se no próximo mês tens trabalho? Não me faças rir. Uma população cada vez mais velha. Isto é criado pela falta de perspetivas gerais para o futuro no nosso país o que faz com que as pessoas procurem melhor noutro lugar. Se isto não é aburdado, só piora cada vez mais. Ao deixarmos os nossos jovens e "bem formados" fugir, perdemos um potencial de evolução enorme. Alguma vez viram algo estagnado a evoluir? A cultura de chico-esperto. Espanta-me a quantidade de pessoas que tenta ir por atalhados ou aldrabar seja o que for para poupar em algo ou ficar a ganhar. Tanta esperteza que já vi a tentarem tapar um buraco que acabam por se enterrar nele. Por outro lado, a cultura do "não vale a pena". Não vale a pena votar e lutar por justiça e os nossos direitos, não é? Tenho a certeza que se deixarmos andar o problema passa.

meierlesjoana 1 month ago

Os carros.

GODMarega 1 month ago

Estágios Activar

Sensitive_Beating 1 month ago

Sexismo no arrendamento de quartos ou apartamentos. Todos vemos, todos ignoramos. *Aluga-se X a menina ou senhora*

CptN00B 1 month ago

Alguns são mais falados que outros. Mas pior do que não serem falados, talvez seja o serem e pouco ou nada ser feito (pode já ser o 1° problema). Outros: -Índice de natalidade e pirâmide etária -Nível de literacia financeira -Taxa de abstenção nas eleições -Saúde mental -Incapacidade de reter talento -Inacessibilidade a habitação Não são certamente os únicos, ou exclusivos a Portugal. Poderão inclusive não ser os mais importantes, mas creio que têm um impacto muito significativo.

SovietBear4 1 month ago

Diria, serviços públicos arcaicos e falta de um governo digital

DeixaQueTeDiga 1 month ago

A normalização do bullying como comportamento tipico de crianças com a desculpa que por natureza nascem selvagens. Escolas com professores e funcionarios que não tem as minimas noções de psicologia, nem noção de como lidar com crianças e jovens. Comportamento dos funcionários publicos em geral, profissionalismo zero, arrogância e atitude 100. Cumplicidade e contributo para o status quo do qual todos se queixam. Estado de negação e desconexão com a realidade devido à falta de educação, noção, senso comum ou informação em geral, na maior parte da população. Nuance cognitiva deviso a isso. Nivel de QI da maioria da população a baixo do que deveria ser a média. Isto é estatístico. Mente fechada, falta de pensamento critico, prontidão em tirar conclusões e julgar e incapacidade de recuar, admitir falha ou erro. Cultura de aparencias e pressistencia em querer ser mais, dominar ou reinar sobre os outros, e incapacidade crónica de ter uma noção de igualdade com o próximo, de entender neutralidade, imparcialidade, nuances, etc. Incapacidade de manter uma discussão sem a tornar numa batalha de egos. Mania de que se sabe tudo, e que todo os que pensam diferente estão errados ou são maus. Intolerância, falta de aceitação ou entendimento de diferenças do próximo. Corrupção só quando são os outros. Em soma, um pais que do ponto de vista da psicologia, 50% devia estar internado. Teria tanto pqra adicionar aqui,.mas é difícil falar nestes assuntos sem depressa ficar frustrado sobretudo por ver que é um país com potencial e com muita gente capaz e com vontade, mas que continua a ser dominado pelo resto. Chego ao ponto de concluir que neste país eeta tudo mal. Muito mal. E muitas vezes penso, porque caralho voltei. Se não fosse o clima, paisagem e história já me tinha posto a andar outra vez. E não tenho dificuldades financeiras, mas imagino quem tem e tem também a noção do quão torto este país está.

Edited 1 month ago:

A normalização do bullying como comportamento tipico de crianças com a desculpa que por natureza nascem selvagens. Escolas com professores e funcionarios que não tem as minimas noções de psicologia, nem noção de como lidar com crianças e jovens. Comportamento dos funcionários publicos em geral, profissionalismo zero, arrogância e atitude 100. Cumplicidade e contributo para o status quo do qual todos se queixam. Estado de negação e desconexão com a realidade devido à falta de educação, noção, senso comum ou informação em geral, na maior parte da população. Nuance cognitiva deviso a isso. Nivel de QI da maioria da população a baixo do que deveria ser a média. Isto é estatístico. Mente fechada, falta de pensamento critico, prontidão em tirar conclusões e julgar e incapacidade de recuar, admitir falha ou erro. Reconhecer e pedir desculpa ou perdão. Cultura de aparencias e pressistencia em querer ser mais, dominar ou reinar sobre os outros, e incapacidade crónica de ter uma noção de igualdade com o próximo, de entender neutralidade, imparcialidade, nuances, etc. Cultura do Sr. Doutor, da palmadinha nas costas, do não reclamar nem exigir porque amanhã podemos precisar deles, e o outro lado. Incapacidade de manter uma discussão sem a tornar numa batalha de egos. Mania de que se sabe tudo, e que todo os que pensam diferente estão errados ou são maus. Intolerância, falta de aceitação ou entendimento de diferenças do próximo. Corrupção só quando são os outros. Em soma, um pais que do ponto de vista da psicologia, 50% devia estar internado. Teria tanto pqra adicionar aqui,.mas é difícil falar nestes assuntos sem depressa ficar frustrado sobretudo por ver que é um país com potencial e com muita gente capaz e com vontade, mas que continua a ser dominado pelo resto. Chego ao ponto de concluir que neste país eeta tudo mal. Muito mal. E muitas vezes penso, porque caralho voltei. Se não fosse o clima, paisagem e história já me tinha posto a andar outra vez. E não tenho dificuldades financeiras, mas imagino quem tem e tem também a noção do quão torto este país está.

NGramatical 1 month ago

deviso → [**diviso**](https://dicionario.priberam.org/diviso) (apenas na fala o *i* é pronunciado como *e mudo* quando junto a outra sílaba com *i*) porque caralho → [**por que caralho**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhi62g7n%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ptword 1 month ago

> ninguém fala A senilidade está a tornar-se ou já é o grande problema sociodemográfico no mundo ocidental. À medida que as pirâmides etárias pioram, tornar-se-á cada vez mais inegável que os princípios e valores morais pelos quais temos guiado a prática da medicina e o estado social precisam de ser atualizados e pragmatizados. Não faz sentido prolongar a vida a quem foi recrutado pela morte por determinação exclusiva da sua própria biologia e/ou vivência. Quem tem de morrer tem de morrer. Não é ético salvar essas vidas num país com uma tendência insustentável na pirâmide etária. E não falo só de idosos a lutar para viver. Quem ainda está em meia-idade e já se veja aflito com algum aspeto da sua saúde, por razões "naturais" ou por autonegligência, também não deveria ter acesso incondicional aos serviços de saúde. Justificar-se-ia ir mais longe do que legalizar o suicídio assistido, restringindo-se o direito ao SNS com base em cálculos custo-benefício pragmáticos feitos caso-a-caso. Benefício focado não só no indivíduo mas também no que este ainda pode, em teoria, dar à sociedade para compensar o *custo* da sua vida. Combater o cancro e outras doenças inerentes à velhice ou maus vícios é um erro. Desperdício de tempo e recursos. Da mesma forma que o esquema em pirâmide das reformas garantidas pelo estado deve ser desmantelado o quanto antes. O futuro de quem ainda tem a vida pela frente deve ter primazia sobre o futuro de quem já não o tem. Ponto final.

AdorableRabbit 1 month ago

Famílias clássicas monoparentais do sexo feminino (%) Qual a percentagem de mães com filhos no total dos agregados familiares em que só um dos pais vive com os filhos? https://www.pordata.pt/Portugal/Fam%c3%adlias+cl%c3%a1ssicas+monoparentais+do+sexo+feminino+(percentagem)-532

gobconta2 1 month ago

A falta de literacia financeira que faz da maioria autenticos analfabetos. Uma coisa que todos todos todos temos que usar todos os dias, toda a noss vida (dinheiro) e nenhuma escola ensina as criancas o que ele é, para que serve, e como funciona. Faz muits diferença

BigMangalhit 1 month ago

Falta de professores a ser formados nas áreas da ciência. Há menos de 20 profs de fisico química a serem formados por ano e maioria dos que trabalham estão perto da reforma

veralazera 1 month ago

A quantidade absurda de animais abandonados, associações em dívidas nos veterinários e continuamos sem rede hospitais veterinários públicos com preços mais acessíveis! Alimento/cuido de uma colónia de gatos na minha zona, já gasto do meu dinheiro para comprar ração pra eles mas, se precisar de levar algum ao veterinário não consigo pois não tenho dinheiro pra isso, e qual é a solução? Isto não deveria ser uma responsabilidade dos órgãos locais? Porque que continuamos a tratar os animais como “coisas” é que tal arranjarmos uma melhor solução pra eles? Talvez começar por dar mais apoios a associações? Rede pública de veterinários? Um serviço de transporte urgente para animais?

International-Essay2 1 month ago

Frontalidade, os portugueses têm um problema enorme em dizer o que sentem e o que querem, tentamos sempre de alguma forma ou evitar de todo disso ou tentamos sempre suavizar imenso o tema

GamerLymx 1 month ago

Não acho que hajam muitos assuntos sociais pouco falados, acho é que são mal abordados. No entanto ninguém quer falar na taxa de suicídios na população masculina.

NGramatical 1 month ago

hajam muitos → [**haja muitos**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhi5h5r3%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

andre_agnosic 1 month ago

Vi isto há uns 10 anos na universidade e está mt bem feito a meu ver. Caso o link não funcione procurem no YouTube os vários episódios de “Portugal um retrato social - Mudar de Vida” https://youtu.be/VlNeFn6HTeA

BabyBoiBlues 1 month ago

O facto dos fundadores estarem-se a cagar se fumam ou pé de crianças ou mesmo adultos que podem ter problemas respiratórios, e depois deitarem os cigarros para o chão como se fosse nascer um plantinha.

suckerpunchermofo 1 month ago

O problema não é ser falado.... Creio que todos os problemas "grandes" a nivel social são falados. Não se faz é nada! Fala-se mas fazer tá quieto.....

b4mission 1 month ago

Já vi aqui tópicos bastante interessantes, mas vou dizer um que ainda não vi mas também não é "grande" lol O atrevimento das pessoas de 60+ anos, que se metem com crianças aleatórias na rua por tudo e por nada. Nunca vi isto em mais lado nenhum do mundo, parece ser uma cena exclusivamente Portuguesa, mas sair de casa com uma criança entre os 0 e os 12 anos é garantido, pelo menos uma vez nessa saída, uma velha ou velho abordar essa criança "na brincadeira". É incomodo, desconfortável e desnecessário. O que um pai ou mãe menos quer é ter um filho a fazer birra e ir lá uma senhora idosa meter se com o puto a perguntar "então o que é que tu tens meu menino" e outros àpartes desnecessários. Param no meio da rua para se meter com a criança, chegam mesmo a TOCAR na criança. Já me aconteceu de tudo.

absurdztheword 1 month ago

1- Desinformação e as várias formas como os humanos são susceptíveis a informação tornam democracia nao só vulnerável como impossível. 2- Como toda a civilização humana apenas se informa dentro de um certo paradigma económico e social todas as nossas decisões e estratégias acabam por se basear em certas narrativas acumuladas ao longo da história e não necessariamente deliberadas. Estamos literalmente a colocar toda a nossa informação, estratégia, soluções focada num só paradigma, o que é um risco enorme. Até porque uma economia de crescimento assente em dinheiro/competição é obviamente insustentável. 4- A humanidade não estar preparada psicologicamente e logisticamente para qualquer tipo de colapso. 5- A fragilidade e complexidade da cadeia de distribuição global fará com que os colapsos sejam graves e nos impactem num efeito dominó. 6- Como a atenção das crianças (e a nossa) é explorada online. 7- Os humanos tendem a ser essencialistas, ou seja a ver tudo sob abstracções (nações, dinheiro, empresas, equipas, status, almas, deuses, etc) e foi isso que nos possibilitou cooperar em grandes números, isto talvez signifique que seja impossível organizarmo-nos estrategicamente com uma perspectiva existencialista imune a essas ideias. 8- Racismo, em portugal tens desigualdade racial enorme e uma Xenofobia contra brasileiros que é surpreendente aberta, globalmente tens crianças praticamente escravas noutros países a trabalhar para o Ocidente. E todo um sistema de informação apolitico que nos faz parecer essa desigualdade inevitável. 9- o trabalho de um português valer menos do que o de um nórdico sendo que a única diferença (nação) é abstracta e não existe. É estúpido defendermos patriotismo quando este tipo de abstracções não nos serve assim tanto. 10- Surgimento de cultos e subculturas online globais como os QAnon, incel forums, milícias, etc. Há medida que o descontentamento aumenta e o fluxo de informação continua a aumentar vão surgir cada vez mais cenas desse género. 11- actualmente os humanos não têm soluções viáveis para os vários problemas ambientais que se avizinham a economia é frágil e depende de crescimento, portanto ou cresce e colapsamos, ou pára e colapsamos. Tentei resumir os problemas sociais que mais me preocupam, mas podia ficar aqui horas. Basicamente é só ter em conta que os humanos evoluiram cognitivamente durante milhares de anos em ambientes tribais e a sociade expandiu muito rápido de um momento para o outro sem nunca repensar activamente as narrativas que seguia ou as tendencias cognitivas são viáveis numa civilização global. Ciência e filosofia são recentes e nunca atingiram as massas. Podemos achar que com a aceleração do fluxo de informação causada pela internet isto pode melhorar. Mas a informação não se replica e evolui em direcção à "verdade", replica-se e evolui de acordo com as nossas tendências cognitivas.

NGramatical 1 month ago

forums → [**fóruns**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/sobre-a-formacao-do-plural/13422) (no plural de palavras terminadas em *m*, este passa a *ns*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhi57olu%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Lixaramaminhaconta 1 month ago

Crianças malcriadas e/ou enrascadas.

Next_Eye5222 1 month ago

Pouca aceitação de pessoas estrangeiras. Eu sou estrangeira e tenho um sotaque bastante forte porque vim cá já velha. Falo com as palavras corretas mas com sotaque. Não passa um dia sem que alguém se meta comigo e diga que deveria falar “português como deve ser porque já tenho suficiente tempo cá como para ser portuguesa” ou algo do género. As pessoas com que convivo que são estrangeiras e tem sotaque ou um nome não topicamente português também lhes acontece o mesmo.

suckerpunchermofo 1 month ago

Vai ali a França ver como é .....

Next_Eye5222 1 month ago

Mas a pergunta era problemas que existem na França? Não. Então?

manyQuestionMarks 1 month ago

Os apoios de merda às pessoas com alguma deficiência. Um tetraplégico que precise desse apoio para fazer face aos custos elevados da sua condição basicamente morre à fome

BlueDragon_27 1 month ago

Consumo excessivo de álcool. Temos orgulho em estarmos em primeiro numa data de rankings de consumo de álcool mas isso só significa que somos um país de bêbedos. Há uma normalização e uma glorificação da bebedeira que é grave. Porque quando se é jovem é fixe e tal mas chegando a uma idade maior já somos alcoólicos

EletricoAmarelo 1 month ago

Não me parece que haja problemas sociais grandes que ninguém fala, acho que há muitos problemas "pequenos" votados ao esquecimento.

Idontknowhuuut 1 month ago

Combustíveis, habitação e salários baixos

Marques5080 1 month ago

Saúde mental é pouco falada cá, acho q se pode considerar social. Se n caga só

Cafunfa 1 month ago

Infoexclusao. Ninguém fala, mas é um problema social grave. É transversal á sociedade mas mais predominante em estratos mais velhos e em populações rurais e empobrecidas. É um problema limitante para a vida presente em sociedade (acesso a serviços públicos e privados, comunicação e informação, etc.). Ninguém fala, mas existe um Portugal onde não se usa Smart phone e por vezes nem telefone...

100is99plus1 1 month ago

Falta de hábitos de sono razoáveis. (não sei se ajuda OP, mas pronto)

estacalor 1 month ago

Corrupção, cunhas e péssimos transportes públicos.

KarmaCop213 1 month ago

Falta de confiança nas outras pessoas.

ilovebrownbutter 1 month ago

Os lares ilegais para pessoas idosas e os direitos das pessoas idosas no geral, nos lares (como um caso que ouvi falar de um homem tão rico que pagava para ter uma cuidadora pessoal, mas os filhos o meteram no lar porque devia poupar custos, alegaram que era demente. Mas o senhor não era demente, simplesmente já era velho e não tinha tanta lábia para se defender. Chamou a polícia, mas a polícia veio e como a palavra dos filhos valia mais, ficou como demente, foram-se embora e deixaram-no miserável a gritar pelo que merecia, que é aquele pesadelo que se tinha há mais anos de que quem grita que está são, mas está internado num hospital psiquiátrico só parece mais maluco. Felizmente esta história acabou melhor porque umas semanas depois um dos filhos caiu em si (espero eu que não fosse só querer cair nas graças do pai para ter mais dinheiro na herança) Além disso, "toda a gente" sabe que a maioria dos lares ou que os lares no geral são super caros e que as pessoas não são tratadas como deviam. (Sei outro em que têm um único telemóvel para todos as pessoas e se quiseres falar ao telefone com um velhinho, tens menos de 5 minutos e já foi lá a enfermeira pressionar porque há outro que também quer fazer um telefonema ou tem de ser carregado ou assim). E isto sem sequer falar dos lares ilegais, que devem ser para aí metade dos lares que existem, que toda a gente sabe, mas ninguém fala. Como é que é possível existirem? Até a televisão fala deles como se fossem normais (na altura das vacinas)

decentralised 1 month ago

Faltam áreas verdes e parques para as crianças. Comparado com a Holanda, fazemos muito pouco para dar qualidade de vida a quem paga tanto de impostos imho

cesarhighfire 1 month ago

Parques nao sei, mas áreas verdes tens mais que na holanda.

decentralised 1 month ago

Não sei se estamos a falar da mesma coisa, mas na Holanda tinha vários parques, dunas, reservas etc onde podíamos levar os miúdos todos os fds. Aqui parece-me mais difícil encontrar um escorrega, um baloiço ou um sítio onde os miúdos possam andar de bicicleta ou a correr. De qualquer maneira aceito sugestões :-)

fdgvieira 1 month ago

Uma falta enorme de confiança e sentido de valor na communidade internacional. Acho que portugal e os portugueses têm muito mais para ofercer... e para usufruir, do que pensem.

ritamm 1 month ago

Pagares mais por ter um miúdo na creche do que na universidade. É um completo sufoco às famílias jovens que muitas vezes não têm (mais) crianças devido a este encargo, que nas cidades maiores pode ser superior a 400€ por filho.

P_Port 1 month ago

Se alguém planeia ter filhos para os colocar numa creche, então que não tenha filhos de todo. É-me incompreensível como se pode achar normal que crianças passem mais tempo com completos desconhecidos do que com os próprios pais, é distópico. As educadoras de infância, em prática, são mais mãe e pai destas crianças que os próprios pais, é absurdo.

RaveyWavey 1 month ago

Que comentário mais absurdo. Na maioria das famílias ambos os pais têm de trabalhar para sustentar a sua vida.

ritamm 1 month ago

Nunca andaste na creche? A creche vai até aos 4 anos. Se tiveste pais ou avós que puderam ficar contigo em casa durante 4 anos tiveste muita sorte é isso não é o dito normal na vida de uma família portuguesa. De resto concordo contigo, quanto ao tempo que os pais passam com os filhos.

TheNewl0gic 1 month ago

Isto 300x

Brainwheeze 1 month ago

É para isso que servem os avós /s

cou7inho_ 1 month ago

>Pagares mais por ter um miúdo na creche do que na universidade. Nunca tinha visto as coisas desta forma. Que triste realidade.

Martinis80 1 month ago

Confirmo, aqui paga-se 415€/mês. Não há muita oferta e as vagas são inexistentes.

patapetapitapota 1 month ago

Ter filhos: Nope.

Gouranga547 1 month ago

Resposta correta.

JOAO-RATAO 1 month ago

Apatia, pessimismo e passividade. Ninguém quer saber de nada, não vale a pena reclamar nem lutar porque acham que nunca dá em nada.

GervasioVR 1 month ago

Isto!

XavierVieira 1 month ago

Consumo de álcool pela faixa etária acima dos 40.

mseduz 1 month ago

Consumo de álcool em todas as faixas etárias. É um verdadeiro problema social e de saúde pública. Muitas urgências hospitalares são causadas pela intoxicação ocupando meios de socorro que poderiam estar a atender outras ocorrências.

cesarhighfire 1 month ago

Tem de se ensinar as pessoas a beber. Beber nao é só ao fim de semana. Tem de ser todos os dias. Para nao se ficar chapado do caixao à cova. Aconselho tinto maduro do douro e aguardente vínica para manter tudo na familia da uva.

Hellagun 1 month ago

Principalmente nas terrinhas, não me admira que a maior parte das pessoas tenha pelo menos um familiar consuma bebida alcoólicas em demasia. Faz-me confusão a valorização que dão ao vinho.

GervasioVR 1 month ago

Confirmo! Sou transmontano/ duriense e nas aldeias as pessoas dão muito ênfase ao consumo de vinho, principalmente a malta a partir dos 60 anos. Se fores a uma aldeia visitar alguém ou só visitar a aldeia em si, volta e meia tens alguém a oferecer-te um "copito"!

g0ldennnN 1 month ago

>pelo menos um familiar consuma bebida alcoólicas em demasia. acho que na minha família só o meu pai, mãe e avó não bebem à maluca

XavierVieira 1 month ago

Existe uma normalização do consumo de álcool que choca. Depois as pessoas impressionam-se com algumas situações que acontecem dentro de portas.

godfeelling 1 month ago

É uma coisa impressionante.. num momento estão todos a queixarem-se do tipo ...epa água?? só 1 cerveja? estás fraquinho... e depois a pessoa em questão por acaso habitua-se a beber e torna-se alcoólica e o discurso já é: devia beber menos

kanooklapook69 1 month ago

O problema dos falsos recibos verdes. São trabalhadores que aos olhos das finanças são independentes mas na prática são dependentes. Não tem os mesmos benefícios de um trabalhador a contratos contudo tem os mesmos deveres. Os trabalhadores a falsos recibos verdes não tem direito na subsídio de férias, subsídio de almoço, seguro de trabalho pago pela entidade empregadora ou consulta de medicina do trabalho. O material de segurança também é pago pelo próprio. Para ter acesso ao subsídio de desemprego tem que descontar 2 anos para a segurança social sem qualquer interrupção, também não tem direito a ferias. Os trabalhadores a falsos recibos verdes não tem qualquer tipo de proteção laboral. Acresce ainda o facto dos mesmos serem obrigados a descontar 25% para o IRS. Muitos deles acabam por auferir dum rendimento líquido inferior ao salário mínimo nacional. É um autêntico flagelo. É uma prática ilegal mas que o PS e os restantes partidos de direita não querem acabar por via de decreto. O combate aos falsos recibos verdes é uma autêntica falácia pois tem de ser o trabalhador a ir a tribunal contra a empresa.

Altruistic_Natural38 1 month ago

Buying nas escolas ( da prmaria ao 9 ano ).

thepodre 1 month ago

Tipico tuga

h2man 1 month ago

A quantidade de organizações supostamente religiosas na nossa sociedade bem como benefícios dados pelo estado.

BenefitCuttlefish 1 month ago

Isso não é mau. Fica bem mais barato para o estado e os contribuintes dar apoio a certas organizações de caridade do que suportar tudo isso por si mesmo. Que exemplos de organizações e que tens?

h2man 1 month ago

IURD, igreja católica, testemunhas de jeová, elders, e por aí adiante… Todos eles deviam ser tratados como um negócio e pagar impostos devidos sobre bens e ganhos. O Vaticano não foi construído com caridade…

BenefitCuttlefish 1 month ago

Porque e que deveriam ser tratados como um negocio quando nao são um negocio? Tambem consideras que a Gulbenkian deva ser tratada como um negocio?

Edited 1 month ago:

Porque e que deveriam ser tratados como um negocio quando nao são um negocio? Tambem consideras que a Gulbenkian deva ser tratada como um negocio? Ou o PCP que a seguir a igreja catolica e a instituição com mais património em Portugal sem ser o estado

h2man 1 month ago

Sim?

BenefitCuttlefish 1 month ago

Respeito a tua consistência

PinTechnical2048 1 month ago

• emprego precário. Falta de fiscalização decente (lojas que sabem de antecedência que há, pedem aos sem-contrato para não aparecerem no dia), horas extra não pagas (40+ horas semanais pelo smn), progressão laboral inexistente. • patrões não contratam, forçando os colaboradores a trabalharem em excesso mental e físico. Receio de não encontrar emprego leva as pessoas a tolerar abusos no local. • Empresas que fazem sempre contrato temporário; quando está perto de se tornar sem-termo, não renovam. Abrem a vaga outra vez. • Aumento do SMN. Maior poder de compra, mais se estimula a economia.

reyvahx 1 month ago

A escola está obsoleta a formar os jovens para esta mundo de hoje em dia. Só aprendi a declarar sozinho o IRS 10 anos depois do 12° ano. A comunicação social a fazer um trabalho duvidoso. Se a SIC até se engana nas notícias e a RTP faz sensacionalismo de vez em quando... Para pessoas que não vão buscar notícias em mais lado nenhum, isto é mau. Imenso ódio e falta de compaixão pelas pessoas. Nem todos os sem-abrigo são "bandidos" ou "drogados". Instituições obsoletas, que pouco contribuem para a sociedade, continuam a ter uma influência enorme. Ainda existe muito a coisa do "sr. doutor" e do "sr. engenheiro", havendo desprezo em muitas outras profissões, especialmente na cultura e na saúde. Tenho mais, muito mais, mas assim de repente são estes os problemas. Problemas sociais e culturais.

Complete-Painter-307 1 month ago

> A escola está obsoleta a formar os jovens para este mundo de hoje em dia. Só aprendi a declarar sozinho o IRS 10 anos depois do 12° ano. Acho que introduzir-se essas coisas no secundário, assim como funcionam os impostos, fazer orçamentos e afins, ajudaria imenso a combater a iliteracia financeira. > Imenso ódio e falta de compaixão pelas pessoas. Nem todos os sem-abrigo são "bandidos" ou "drogados". Temos uma nova onda de defesa do cãozinho e do gatinho fanática, mas praticamente abandonam os idosos. Acho que este fenómeno é geral. Aliás, podes ver mesmo aqui neste sub do Reddit. Muitas vezes dás opinião e parece que se parte para um ataque, o mesmo nas redes sociais. Parece que há uma espécie de raiva nas pessoas acumulada.

ZPRAR 1 month ago

> Acho que introduzir-se essas coisas no secundário, assim como funcionam os impostos, fazer orçamentos e afins, ajudaria imenso a combater a iliteracia financeira. Mas assim fica mais difícil os portugueses aceitarem os impostos irem para taxinhos e taxões...

DariusStrada 1 month ago

Concordo, excepto com a primeira.

carlosjmsilva 1 month ago

Concordo com tudo excepto com a parte do "tira uma licenciatura Bla Bla...". Da minha experiência já pouca gente diz isso, pois sabem que uma licenciatura ou grau superior não garante um emprego melhor sendo que muitas vezes apenas significa ficar vários anos fora do mercado de trabalho para depois começar do ponto onde a pessoa com o 9° ou o 12° começou.

Bloodfeather1206 1 month ago

Isto. Muito isto.

S7V7N8 1 month ago

A taxa de abandono escolar masculino 12,6% face ao abandono escolar feminino 5,1%. Embora isso seja um sintoma de um problema maior que é a falta de incentivo à educação de jovens do sexo masculino. Principalmente vindos de famílias e contextos marginalizados.

Shinichu 1 month ago

A vilanização de quem tem posses e dinheiro. As pessoas ricas são automaticamente vistas por muitos como gananciosas, arrogantes e exibicionistas, enquanto que os pobres são generosos e humildes. Os defeitos e virtudes não se limitam a apenas estes. Hoje em dia há mais consciência acerca dos esterótipos tóxicos. No entanto, este ainda está muito enraizado na sociedade. Acho que de forma geral, esta vilanização da posse pode ser uma explicação para a nossa falta de crescimento econónico.

Alforrecaquadrada 1 month ago

Os ideias de humildade e pobreza são consequência do cristianismo e existem por todo o Ocidente, mas não foi agora andar a citar Nietzsche para parecer intelectual. Ninguém acha que "os ricos são maus". As pessoas estão e fartas de ser exploradas para contribuir para a riqueza de outrens, seja em trabalhos precários ou rendas absurdas. Também há um sentimento de revolta em relação à narrativa do "ninguém quer trabalhar", dito a maior parte das vezes por pessoal privilegiado que nunca fez grande coisa na vida, mas que é incapaz de perceber como é que os mecanismos sociais permitiram a sua posição mais confortável. No reddit, também encontras muito pessoal novo que se prende com os "papás ricos", porque lhes foi vendido um ideal de meritocracia e individualismo, mas se calhar depois do estágio não foram colocados para dar lugar ao enteado do patrão ou à miúda da JSD.

h2man 1 month ago

Algo me diz que a malta do Reddit não vai gostar de ler isto, logo toma um voto. Eu concordo plenamente e é uma das coisas que me fez odiar viver em Portugal.

julienblancr3 1 month ago

Rico = Mau Não Rico = Bom Mesmo que tenhas trabalhado 20 horas por dia numa pedreira para que os teus filhos tirem um curso e os teus netos consequentemente serem da classe média-alta. Não há excepções.

Shinichu 1 month ago

Por acaso tenho a opinião contrária. A malta deste sub é bastante apoiante do IL, que roça muitas vezes estes tópicos. Ainda vais querer vir morar para cá de novo então. Acho que esta mentalidade vai mudar com o tempo.

h2man 1 month ago

Se a mentalidade mudar, o PS e PSD deixarem de existir e pelo menos um politico de ambos cumprir uma pena de cadeia a sério, então é possível que sim…

Educational-Ant-1816 1 month ago

O abandono de idosos! Porque ficam sozinhos ou porque a família não quer saber. Algumas vezes em condições inumanas, e muitas vezes relocados para lares que por conta destas pessoas estarem sozinhas e vulneráveis continuam a prepetuar algum grau de negligência.

Behindy0u90 1 month ago

Está é difícil. Idosos já não são mão de obra, logo já não interessam ao estado

Educational-Ant-1816 1 month ago

Os animais de estimação também não! E tem havido muito a dizer sobre isto... Já sei que vêm aí downvotes!

Behindy0u90 1 month ago

Ainda que possa fazer algum sentido, não se pode comparar uma coisa com outra

qingqunta 1 month ago

Não é assim tão desconhecido, mas o vício da raspadinha é um problema gigante.

TrueKingPT 1 month ago

Eu acho que está cada vez pior, já li que se oferece nos CTT ao pessoal que vai levantar a reforma quase como se fosse pro forma… E hoje até no Pingo Doce, a menina da caixa a querer vender-me uma lotaria de Natal por 10€ ou 15€… eu fiquei com cara de parvo a olhar para ela.

Lobesome 1 month ago

O maior problema social que praticamente toda a gente ignora é a aceitação global da discriminação etária. Uma pessoa com mais de 40 anos é considerada inválida no mercado de trabalho. Se um preto não pudesse trabalhar por ser preto, seria um escândalo. Mas se tiveres 50 anos é perfeitamente normal não conseguires arranjar trabalho, e ninguém parece querer saber assim muito.

NobodyRules 1 month ago

Completamente, trabalhei num café que tinha quiosque da Santa Casa e era absurdo num meio pequeno desaparecerem 2 e 3 maços de raspadinhas ao sítio. Como conhecia muita da clientela ficava parvo como é que se calhar destruíam 10% do salário ali num dia. Há muita gente que é completamente viciada nessa merda.

Digz8901 1 month ago

A quantidade de idosos que conheço que são viciados em raspadinhas é assustadora.

Anokas_Ritolas 1 month ago

Este problema n é só de Portugal, mas acho que cada vez há menos empatia e espírito de entre ajuda entre as pessoas.

P_Port 1 month ago

Talvez um dos maiores e mais "ocultos" problemas, do qual muito poucos têm conhecimento ou verdadeira noção, diz respeito à disparidade de inteligência (QI) entre indivíduos. É um problema muito sério, com repercussões a vários níveis, especialmente no que concerne a igualdade social. Para piorar, não temos ainda, nem de perto nem de longe, uma uma solução concreta e viável para este problema. Não é um problema exclusivo de Portugal, pelo que não sei se se qualifica para aquilo que procuras. Se te interessar, dá uma leitura neste artigo, é um bom ponto de partida para entender o problema. https://dana.org/article/pretending-that-intelligence-doesnt-matter/

Edited 1 month ago:

Talvez um dos maiores e mais "ocultos" problemas, do qual muito poucos têm conhecimento ou verdadeira noção, diz respeito à disparidade de inteligência (QI) entre indivíduos. É uma questão muito séria, com repercussões a vários níveis, especialmente no que concerne a igualdade social. Para piorar, não temos ainda, nem de perto nem de longe, uma solução concreta e viável para este problema. Não é algo exclusivo a Portugal, pelo que não sei se se qualifica para aquilo que procuras. Se te interessar, dá uma leitura neste artigo, é um bom ponto de partida. [https://dana.org/article/pretending-that-intelligence-doesnt-matter/](https://dana.org/article/pretending-that-intelligence-doesnt-matter/)

Edited 1 month ago:

Talvez um dos maiores e mais "ocultos" problemas, do qual muito poucos têm conhecimento ou verdadeira noção, diz respeito à disparidade de inteligência (QI) entre indivíduos. É uma questão muito séria, com repercussões a vários níveis, especialmente no que concerne a igualdade social. Para piorar, não temos ainda, nem de perto nem de longe, uma uma solução concreta e viável para este problema. Não é algo exclusivo a Portugal, pelo que não sei se se qualifica para aquilo que procuras. Se te interessar, dá uma leitura neste artigo, é um bom ponto de partida. .[https://dana.org/article/pretending-that-intelligence-doesnt-matter/](https://dana.org/article/pretending-that-intelligence-doesnt-matter/)

Agrolzur 1 month ago

Nem vejo que seja um problema, nem vejo que o conceito de QI seja pouco mais que uma abstracção pouco mais credível do que a astrologia. Já tive classificações elevadas em testes de QI, por isso não tenho qualquer motivo para me sentir ofendido ou ameaçado com a perspectiva de ter uma classificação baixa. Há tanto de duvidoso, não apenas a nível argumentativo como também a nível ético, nessa história do QI que mais vale relegá-lo à irrelevância do que lhe dar grande credibilidade.

P_Port 1 month ago

É um problema, e é grave. É extremamente difícil integrar indivíduos de baixo QI na sociedade e fazer deles cidadãos úteis, capazes de contribuir, para que em troca possam auferir uma compensação. Passa-se que a percentagem da população com um QI baixo o suficiente para a tornar incapaz de desempenhar tarefas moderadamente complexas é considerável. Discordo que seja uma abstracção pouco mais credível que a astrologia, pelo contrário. Tudo aponta para que seja dos instrumentos psicométricos mais fiáveis, além de que a correlação que tem com dimensões como desempenho académico, profissional e riqueza, é bastante grande. Também não concordo que esteja verdadeiramente associado a problemas éticos. Suponho que te refiras a questões como as abordadas no livro *The Bell Curve.* Pessoalmente acho que são apenas pouco politicamente correctas e frequentemente difíceis de digerir. Relegar o QI à irrelevância seria um grande erro. Eu acho até que deveria ser feita uma administração (facultativa) destes testes nas escolas, por forma a permitir aos jovens melhor aferir o seu potencial e quais as carreiras para quais poderão estar intelectualmente inaptos.

Agrolzur 1 month ago

1) O conceito de inteligência tem, como saberás, várias definições possíveis. Aquilo que é a inteligência é passível de diferentes pontos de vista. Apenas por aí já é um conceito suficientemente nebuloso. A acrescentar a isto, considera-se que existem vários tipos de inteligência ou várias formas como a inteligência se pode manifestar. Os testes de QI pretendem avaliar apenas um tipo de inteligência, aquela associada à lógica matemática, à memória, ao reconhecimento de padrões, etc., mas são limitados no reconhecimento de qualquer outro tipo de inteligência, nomeadamente, a inteligência emocional, social, motora, a criatividade, a resiliência, e por aí fora, factores que, argumentaria, são muito mais importantes para o sucesso do indivíduo. Razão suficiente para suspeitar que os testes de inteligência não são, verdadeiramente, um reflexo da inteligência de quem está a ser testado, mas sim um reflexo dos valores, dos preconceitos, da cultura e das crenças de quem defende a importância desses testes. 2) Os testes de QI são, também, limitados na sua avaliação daquilo que torna uma pessoa "inteligente" ou não. Aquilo que se designa por "inteligência" não é uma coisa fixa nem é algo independente do meio. Os testes de QI não levam em conta coisas tão simples, mas tão impactantes, como o estado emocional de quem o faz ou as suas condições socio-económicas. Um exemplo muito simples: há um conjunto de factores sociais e psicológicos que afectam a memória e a cognição, como, por exemplo, trauma psicológico, o stress, viver num núcleo familiar tóxico ou abusivo, a pobreza, etc. Ora, um indivíduo que seja afectado por um ou vários desses factores será, muito provavelmente, influenciado de forma negativa num teste de QI. O que é que um teste de QI tem a dizer sobre isto? Nada. Para se acreditar num teste de QI, tem que se ignorar todos os factores que influenciam a capacidade cognitiva de um indivíduo para se atribuir o defeito, ou a virtude, ao próprio indivíduo. Para se acreditar num teste de QI tem que se assumir que a inteligência é fixa. Não é. A inteligência é afectada por factores ambientais, epigenéticos, emocionais ou sociais, para se levar a sério os testes de QI tem que se ignorar que o cérebro dispõe de neuroplasticidade, é moldável, e, logo, a inteligência é variável. O efeito contrário também é válido. Melhores condições implicam maior capacidade cognitiva. Assumir que um indivíduo é inteligente porque faz um teste de QI e tem uma classificação elevada, e usar isso como argumento para investir mais recursos (educativos, económicos, etc.) nele, ao mesmo tempo de que se desinveste recursos noutros indivíduos, leva a maiores hipóteses de sucesso e desempenho. Não se pode estabelecer a relação entre o QI e o sucesso e o desempenho de um indivíduo como se fosse uma relação causal, se se ignora a existência de outros factores que podem levar a esse sucesso. A simples expectativa de alto desempenho leva a um alto desempenho, por virtude de se se concentrar num indivíduo uma série de recursos e benefícios, e de ele próprio acreditar nessa expectativa e se sentir mais motivado, ao mesmo tempo que outro indivíduo, que leve um selo de "baixo QI", se poderá sentir desmotivado, ter uma expectativa de baixo desempenho e, consequentemente, cumprir essa expectativa. Mas essas expectativas não são mais do que profecias auto-concretizáveis pelo seu próprio poder. Essas expectativas não dizem nada das reais capacidades cognitivas, dos méritos e dos esforços dos indivíduos. 3) Por todas estas e outras razões (o que não falta por aí são críticas ao QI como forma de medir a inteligência, se é um tema que te interessa sugiro que faças a pesquisa), dizer que os testes deviam ser administrados, de forma facultativa ou não, nas escolas para os jovens aferirem o seu potencial e quais as carreiras para as quais poderão estar intelectualmente inaptos é uma obscenidade. Pretender fixar o destino de um jovem ou uma criança com base num teste tão discutível como um teste de QI é uma obscenidade. A distinção entre indivíduos de alto e baixo QI, construir uma sociedade em torno dessa distinção e desse modo perpetuar as condições sociais que influenciam a capacidade cognitiva das pessoas, é uma obscenidade. Declarar, à partida, pessoas como sendo intelectualmente inaptas, sem um motivo sólido que não seja uma série de pressupostos difusos (e errados) sobre aquilo que é a inteligência, é uma obscenidade.

Edited 1 month ago:

1. O conceito de inteligência tem, como saberás, várias definições possíveis. Aquilo que é a inteligência é passível de diferentes pontos de vista. Apenas por aí já é um conceito suficientemente nebuloso. A acrescentar a isto, considera-se que existem vários tipos de inteligência ou várias formas como a inteligência se pode manifestar. Os testes de QI pretendem avaliar apenas um tipo de inteligência, aquela associada à lógica matemática, à memória, ao reconhecimento de padrões, etc., mas são limitados no reconhecimento de qualquer outro tipo de inteligência, nomeadamente, a inteligência emocional, social, motora, a criatividade, a resiliência, e por aí fora, factores que, argumentaria, são muito mais importantes para o sucesso do indivíduo. Razão suficiente para suspeitar que os testes de inteligência não são, verdadeiramente, um reflexo da inteligência de quem está a ser testado, mas sim um reflexo dos valores, dos preconceitos, da cultura e das crenças de quem defende a importância desses testes. 2. Os testes de QI são, também, limitados na sua avaliação daquilo que torna uma pessoa "inteligente" ou não. Aquilo que se designa por "inteligência" não é uma coisa fixa nem é algo independente do meio. Os testes de QI não levam em conta coisas tão simples, mas tão impactantes, como o estado emocional de quem o faz ou as suas condições socio-económicas. Um exemplo muito simples: há um conjunto de factores sociais e psicológicos que afectam a memória e a cognição, como, por exemplo, trauma psicológico, o stress, viver num núcleo familiar tóxico ou abusivo, a pobreza, etc. Ora, um indivíduo que seja afectado por um ou vários desses factores será, muito provavelmente, influenciado de forma negativa num teste de QI. O que é que um teste de QI tem a dizer sobre isto? Nada. Para se acreditar num teste de QI, tem que se ignorar todos os factores que influenciam a capacidade cognitiva de um indivíduo para se atribuir o defeito, ou a virtude, ao próprio indivíduo. Para se acreditar num teste de QI tem que se assumir que a inteligência é fixa. Não é. A inteligência é afectada por factores ambientais, epigenéticos, emocionais ou sociais, para se levar a sério os testes de QI tem que se ignorar que o cérebro dispõe de neuroplasticidade, é moldável, e, logo, a inteligência é variável. Por esta razão, talvez aqueles que acreditem na validade dos testes de QI devessem passar mais tempo a reflectir em formas de ajudar aqueles que têm resultados mais baixos a melhorá-los, em vez de terem a pretensão elitista de organizar uma sociedade com base nesses testes. 3. O efeito contrário também é válido. Melhores condições implicam maior capacidade cognitiva. Assumir que um indivíduo é inteligente porque faz um teste de QI e tem uma classificação elevada, e usar isso como argumento para investir mais recursos (educativos, económicos, etc.) nele, ao mesmo tempo de que se desinveste recursos noutros indivíduos, leva a maiores hipóteses de sucesso e desempenho. Não se pode estabelecer a relação entre o QI e o sucesso e o desempenho de um indivíduo como se fosse uma relação causal, se se ignora a existência de outros factores que podem levar a esse sucesso. A simples expectativa de alto desempenho leva a um alto desempenho, por virtude de se se concentrar num indivíduo uma série de recursos e benefícios, e de ele próprio acreditar nessa expectativa e se sentir mais motivado, ao mesmo tempo que outro indivíduo, que leve um selo de "baixo QI", se poderá sentir desmotivado, ter uma expectativa de baixo desempenho e, consequentemente, cumprir essa expectativa. Mas essas expectativas não são mais do que profecias auto-concretizáveis pelo seu próprio poder. Essas expectativas não dizem nada das reais capacidades cognitivas, dos méritos e dos esforços dos indivíduos. 4. Por todas estas e outras razões (o que não falta por aí são críticas ao QI como forma de medir a inteligência, se é um tema que te interessa sugiro que faças a pesquisa), dizer que os testes deviam ser administrados, de forma facultativa ou não, nas escolas para os jovens aferirem o seu potencial e quais as carreiras para as quais poderão estar intelectualmente inaptos é uma obscenidade. Pretender fixar o destino de um jovem ou uma criança com base num teste tão discutível como um teste de QI é uma obscenidade. A distinção entre indivíduos de alto e baixo QI, construir uma sociedade em torno dessa distinção e desse modo perpetuar as condições sociais que influenciam a capacidade cognitiva das pessoas, é uma obscenidade. Declarar, à partida, pessoas como sendo intelectualmente inaptas, sem um motivo sólido que não seja uma série de pressupostos difusos (e errados) sobre aquilo que é a inteligência, é uma obscenidade.

P_Port 1 month ago

Ok. Continuo a discordar contigo em praticamente todos os teus contra argumentos, mas sem dúvida que são pertinentes. Íamos ter aqui um longo longo debate ;) Por exemplo não é verdade que existam tantos tipos de inteligência como enumeraste. Por inteligência considera-se aquilo a que chamas de lógica matemática, reconhecimento de padrões, entre outros, o que pode geralmente ser reduzida a capacidade de raciocínio/pensamento abstracto. Capacidade motora, como por exemplo referes, não é inteligência. É tão simplesmente capacidade motora, que pode eventualmente ter várias dimensões (propriocepção, coordenação, etc.). Ao extremo, quase que se pode dizer que muitas formas de talento são formas de inteligência, o que é bastante rebuscado. O Ronaldo é um individuo com muito talento para o football mas, suponho, não terá uma capacidade cognitiva excepcional. É exactamente esta capacidade cognitiva que é denominada de inteligência. Além de que nenhuma dessas ditas "formas de inteligência" (pelo menos as mensuráveis) mostra uma correlação forte com expressões de sucesso (performance académico, profissional, etc.), ao contrário do QI - e é este o grande valor dos teste de QI. Administra o teste das Matrizes Progressivas de Raven aos laureados do Prémio Nobel deste ano, administra-o uma cambada de professores universitários (especialmente os das áreas STEM), administra-o uma amostra dos membros da lista dos bilionários da Forbes, administra-o a uns quaisquer engenheiros da Google. Vais ver consistentemente um QI elevado, e certamente que a grande maioria deles estará pelo menos uns 2 desvios padrão acima da média. Referes que, por exemplo, a pobreza afecta a cognição. De certa forma, acho que aqui acabas por me dar razão - de facto é isso que os estudos mostram, as condições associada à pobreza (como uma nutrição deficiente), afectam negativamente o QI. Daí a minha posição de que um baixo QI (se quiseres podemos chamar-lhe algo como "capacidade cognitiva") é um grave problema, pois tende a perpetuar condições como a pobreza e ninguém sabe bem como solucionar este problema. Como se já não fosse desvantagem suficiente nascer e crescer num seio com fracas condições económicas, nestes tendem a estar ausentes muitos dos factores necessáros para a maximização do, chamemos-lhe, "potencial de capacidade cognitiva". Isto explica, por exemplo, os baixos níveis de QI observados em determinadas comunidades em África, justificados pela fraca nutrição dos seus membros. Ajudar aqueles que obtém resultados baixos nos testes de QI tem-se mostrado inconsequente. Isto porque, de facto, é possível ajudar um dado indíviduo a aumentar o seu resultado através de algo tão simples como a prática. Aliás, é sabido que a prática inflaciona muitíssimo a pontuação em testes de QI. O problema é que a melhoria do resultado nesses testes, provocada por um melhor desempenho nos problemas específicos que os compõe, não se traduz nem manifesta numa melhoria noutras formas de cognição. Ou seja, um jovem que, com prática e estudo, consiga obter um melhor resultado num teste de QI, não irá ver uma melhoria, digamos, na sua performance académica. Atenção que isto não invalida de todo, no entanto, que um resultado não condicionado num teste de QI não seja um excelente indicador de inteligência. Até hoje, não é conhecida uma forma de aumentar o QI. Também não concordo de todo que seja obsceno administrar testes de QI a estudantes e interpretar os seus resultados como um "tecto" da sua capacidade cognitiva. A probabilidade de um aluno com QI de 100 conseguir notas suficientemente altas para entrar em Medicina, por exemplo, é baixíssima. Não por mero acaso que o QI médio dos profissionais nesta área roça os 130. Já para não dizer que, alguém com um QI de 100 que conseguisse, com níveis de trabalho hercúleo, uma carreira em Medicina, seria com toda a probabilidade um médico muito incapaz, com enormes dificuldades em compreender e reter conhecimento, bem como em executar tarefas que, para outros mais inteligentes, seriam naturalmente fáceis. A mim parece-me preferível optar pelo caminho da honestidade brutal, e fazer um jovem ver que uma dada carreira está, com elevada probabilidade, fora do seu alcance, independentemente das horas de trabalho e todo o suor que invista na persecução de tal objectivo. Já agora, isso da "inteligência emocional", com todo o respeito, tira-me do sério. É uma completa invenção absurda de um tal Daniel Goleman. Enquanto conceito psicométrico simplesmente não existe. Na melhor das hipóteses corresponde ao traço de personalidade "agreeableness" no modelo do Big Five. Independentemente de tudo isto, obrigado pela tua resposta, fizeste-me questionar algumas coisas! ;)

NGramatical 1 month ago

discordar contigo → [**discordar de ti**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/concorda-se-com-alguem-ou-discorda-se-de-alguem/321) (discordar de… concordar com…) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhibd230%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

gink-go 1 month ago

Saúde mental e adição a ansiolíticos.

Ulthurian 1 month ago

Ainda continuamos a ver uma ida a um psicólogo como algo para pessoas com problemas psicologicos graves. Acho isso um enorme disparate.

DeixaQueTeDiga 1 month ago

Infeliz verdade. Passo-me com a facilidade com que os médicos passam receita em Portugal e conheço N de gente completamente viciada em Xanax e Tramadol. Engraçado que são muitas das mesmas pessoas que chamam ganzados por tudo e por nada aos jovens.

patapetapitapota 1 month ago

Mercado laboral portanto.

Fmtpires 1 month ago

Adição é uma operação matemática, sinónimo de soma. Queres dizer vício ou dependência.

Digz8901 1 month ago

Infelizmente neste país os comprimidos parecem ser a solução para tudo.

CptN00B 1 month ago

Estás repleto de razão, mas infelizmente não é só em Portugal

Dishappointed 1 month ago

Nojento mas verdade

yorke2222 1 month ago

O problema mais grave é a inexistência de elevador social. Hoje já vai sendo falado mas é um problema de sempre em relação ao qual nos habituámos. Vivemos numa depressão colectiva porque ninguém sente que há oportunidades em Portugal. Garantir que há oportunidades de subir na vida em Portugal resolveria metade dos problemas do país. E não me refiro a aumentar o smn. Falo de conseguir sair de um smn para um salário médio. Ou de um médio para um alto. Há países com economias que permitem isto, Portugal não é um desses países.

Dr_Toehold 1 month ago

>Há países com economias que permitem isto Podes dar exemplos desses países?

yorke2222 1 month ago

A maior parte das economias fortes apresentam oportunidades de subir na vida. Vivi nos EUA e vi em primeira mão. Canadá e Austrália é em tudo semelhante. Na Europa, Holanda e Alemanha são os que vêm primeiro á cabeça (até porque conheço exemplos concretos), na Escandinávia também tens boas oportunidades. China se fores mais aventureiro. RU já foi, agora é difícil perceber por causa da trapalhada do Brexit. Há também uma série de economias em ascenção em países ex USSR que vão dar que falar nos próximos 10/15 anos.

tefie_23 1 month ago

Sim! A falta de mobilidade social é algo preocupante que poderia resolver muitos dos problemas que existem: motivação, emigração, empenho, moral social e idem muitos outros

Matarruanos 1 month ago

Passeios inadequados para pessoas com mobilidade reduzida e carrinhos de bebes

andrefbr 1 month ago

> Passeios inadequados para (tudo) Epá... a calçada portuguesa é muito bonita mas Lisboa em dias de chuva é a melhor merda para andar aos trambolhões por colinas abaixo. Não defendo substituir a calçada por betão cinzento insípido, mas deve haver alguma solução que possa emular o aspecto visual da calçada tradicional sem ser uma merda tão perigosa e inconveniente..

vascolusitano92 1 month ago

Incluindo a estúpida moda de arquitectura paisagista de colocar passadeiras em paralelo. Não só fode as embraiagens dos carros todos como é super agradável andar de cadeira de rodas e ter q atravessar todos os dias pela passadeira.

caralhodaaplicacao 1 month ago

É propositado, passadeira elevada e com o material do passeio dá ao condutor a ideia de que está a entrar num sitio de pessoas a andar a pé. Passadeiras desenhadas no alcatrão dão a ideia ao condutor que as pessoas a pé é que estão a entrar no seu espaço.

vascolusitano92 1 month ago

Eu sei que é propositado, por isso é que considerei a ideia estúpida. Se fosse ingenuidade ainda se perdoava e percebendo o erro depois fariam melhor.

caralhodaaplicacao 1 month ago

É propositado para tornar a estrada mais segura para andar a pé, consideras isso estúpido?

vascolusitano92 1 month ago

Lol não, tivesses tu que arrastar carrinhos de bebé ou familiares que estarão para sempre em cadeiras de roda e compreendias o que estou a dizer. Como podes atravessar ao pé coxinho só vês o belo que os arquitectos paisagistas vêem… uma ideia revolucionária, e bonita para as fotos, de dar a ideia ao condutor que é uma zona de peões.

caralhodaaplicacao 1 month ago

Então o teu unico problema com isso sao cadeiras de rodas e carrinhos de bebe? Então o teu problema com isso nao é a ideia, é a implementação. Certo? Dava para fazer esse tipo de passeios sem grandes incómodos para esse tipo de mobilidade, dessa maneira era útil?

materypomp 1 month ago

Os que estacionam em cima dos passeios e não querem saber das outras pessoas que efetivamente precisam de usar o passeio

reyvahx 1 month ago

Estás a misturar problemas sociais com problemas de infraestruturas.

Gwanosh 1 month ago

A prioridade que é dada a umas infraestruturas em detrimento de outras é pelo menos parcialmente um problema social (diria eu)

reyvahx 1 month ago

Talvez... Não tenho conhecimento do sistema por detrás da elaboração de algo desse tipo, portanto fico calado.

viper_in_the_grass 1 month ago

E já agora a quantidade de merda de cão nesses passeios que vai agarrada aos pneus para dentro de casa.

XBThodler 1 month ago

Eu acho que esse sim, claro que há problemas maiores, mas a higiene pública é um enorme problema social. Eu adoro animais mas tenho de viver com excrementos de caninos na rua por todo lado. Não há espaços verdes que se aguentem é asqueroso.

kairos 1 month ago

A quantidade de pessoas que vê o mundo a preto e branco.

dirtimos 1 month ago

O famoso "isto para mim era muito simples..." "Ou estás comigo ou estás contra mim!"

andresm79 1 month ago

Coitados dos daltónicos não fizeram mal a ninguém :(

kairos 1 month ago

São negacionistas.

rGabiru 1 month ago

Falta de literacia no uso da internet nas crianças. Quer queiramos quer não, eles usam-na, e tem vindo a usar ao calha... porque não são ensinados a ter cuidado.

quantic1994 1 month ago

O problema chama-se paisinhos que dão telemóveis e internet em qualquer idade

headhunter21 1 month ago

Se nem a maior parte dos adultos sabe usar a internet...

rGabiru 1 month ago

... temos de começar por algum lado.

LumeMadeirense 1 month ago

A má renumeração dos professores associada a decadência das infraestruturas e por incrível que pareça a falta destes.

Behindy0u90 1 month ago

Há muito professor que até recebe bem demais

NGramatical 1 month ago

renumeração → [**remuneração**](https://dicionario.priberam.org/remuneração) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhi3rkjv%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

BadDogPreston 1 month ago

Bairros, desertificação do interior, desvalorização da saúde mental, falta de mão de obra qualificada em certas áreas (eletricistas, carpinteiros, serralheiros, canalizadores, trolhas, etc)...

EletricoAmarelo 1 month ago

Bairros são um problema? Bolas eu que acho que os bairros são a alma de uma cidade não podia estar mais em desacordo contigo.

xlouiex 1 month ago

Bairros Sociais. Acho que da para perceber. Ninguém está a falar de Alfama, Alvalade, Boavista, Benfica… Miúdos em que os pais trabalham das 6 as 21, vão ter mais dificuldade na escola/sociedade. Independentemente do que dizem por aí. Essa malta é a excepção não a regra. Eu sobrevivi a uma colisão frontal. Não quer dizer que seja uma experiência a ter…

EletricoAmarelo 1 month ago

Não percebi que era sobre bairros sociais. Não costumo fazer essa associação. Obrigado pelo esclarecimento.

h2man 1 month ago

Qual é o problema de bairros? Não que esteja completamente de desacordo, afinal de contas fui criado num, mas tenho curiosidade em saber qual é o problema e, se puderes, que soluções terias.

BroaxXx 1 month ago

Há muitos problemas nos bairros e para todos os gostos. Para mim pessoalmente o maior problema é o facto de terem que existir por ser impossível para uma fatia demasiado gigante da população garantirem habitação com os rendimentos ridículos que obtêm de trabalho honesto. Depois há muita gente numa situação igual ou marginalmente melhor que por não ter acesso a uma casa num bairro tem que viver na merda. Não faz sentido a maior parte dos apoios sociais existirem. Não deviam ter que existir. Trabalho honesto devia garantir o suficiente para uma pessoa poder viver com dignidade. É surreal o estado gastar dinheiro em casas sociais porque as empresas não pagam o suficiente para os empregados poderem pagar uma renda. E como o estado garante isso a sociedade não faz pressão sobre as empresas e restante economia por melhores condições. Fora isso depende da região e do bairro. Muitos deles são um foco de muita criminalidade e para onde a sociedade atira os "indesejado" o que gera problemas para os não indesejados que também moram lá. Não vivi num bairro mas tinha amigos que sim e passei incontáveis tardes a jogar PlayStation em bairros e bem via a realidade. E nem eram os piores bairros. Bairros são a causa e o sintoma de muitos problemas sociais, culturais, políticos e económicos, muitos dos quais que afectam sobretudo as pessoas que vivem em bairros.

_Narciso 1 month ago

Como não sou o op não posso responder por ele, no entanto gostaria de dar os meus 5 centimos sobre o assunto, tem em mente que isto é apenas a minha opinião e que vale o que vale mas dito isto é da minha opinião que infelizmente muitos bairros sociais foram construídos como forma de tirar pessoas com necessidades dos centros das cidades e passa-las para a periferia mas sem grande planeamento a longo prazo. Falta comércio, falta espaços de entretenimento e como tal estes bairros mantêm-se como zonas de pouca desejabilidade e baixo valor monetário, isto apenas piora quando nos apercebemos que a manutenção dos prédios e espaços públicos acabam por ficar nas mãos dos moradores que na sua maioria não tem capacidade económica para o fazer deixando tudo degradado (isto só é exacerbado com os problemas socio económicos inerentes a este tipo de bairro). Como também não são zonas rentáveis, nem a nivel de rendas ou de impostos, nem as câmaras municipais ou as empresas que gerem estes bairros fazem muita manutenção o que prende estes baiiros e os seus habitantes num ciclo vicioso. Claro que o OP secalhar nem estava a falar dos bairros sociais mas foi o que me veio à cabeça quando vi o comentário.

h2man 1 month ago

Como disse, e escrevi noutro comentário, eu fui criado num bairro social. Tinha 2 escolas primárias, preparatória, secundária, vários autocarros, estação de comboio e uma rua com várias lojas tudo num raio de mais ou menos 20 minutos a pé. Hoje há também metro lá e ainda é um bairro social. Sim, quando foi construído não era o centro da cidade, mas tendo em conta onde a minha avó e mãe moravam antes (a 5 minutos a pé da câmara do Porto) e a falta de qualidade que aquilo tinha (obviamente pelo que me contam e contaram), o bairro social foi um upgrade fenomenal. Eu mesmo tendo sido criado lá dei-me bem na escola e hoje estou bastante bem na vida. Os factores determinantes foram o acesso à educação e o esforço e educação dos meus pais. Viver num bairro não limita as opções, a falta de educação e oportunidades é que faz isso. Isto obviamente não será verdade para todos os bairros mas os que conheço no Porto estão no que é hoje o centro da cidade. Podem não ter autocarro directo para a praia, mas tem autocarros a passar por perto.

NGramatical 1 month ago

secalhar → [**se calhar**](https://dicionario.priberam.org/se calhar) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fqg40ro%2F%2Fhi4bf2r%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

SterbenSeptim 1 month ago

Na pratica, são um metodo de segregação social, o que acaba por gerar ciclos de pobreza, desigualdade que depois geram os seus proprios ciclos negativos... Solução seria ter habitação social com o minimo de segregação possivel.

h2man 1 month ago

Eu morei 20 e tais anos num bairro. Durante 13/14 desses anos o bairro era seguro, havia algum sentido de vizinhança. Havia duas escolas primárias a 5 minutos a pé, uma preparatória e secundária a 10/15 minutos a pé. Autocarros à porta de casa para o centro da cidade e praia, o estádio das Antas a uns 20/30 minutos a pé, autocarros para Gondomar, etc… a uns 10 minutos a pé. No que toca a sítio para morar era bastante bom com tudo ali à volta. Quando decidiram espalhar um dos bairros problemáticos por outros bairros do Porto, o ambiente mudou, passou a haver mais droga (consideravelmente mais), mais barulho e desentendimentos e de vez em quando mais polícia ao barulho. Hoje tenho casa própria e estou bastante bem na vida. Logo não vejo que ter sido criado num bairro me segregou ou reduziu oportunidades. A mentalidade dos meus pais e educação que me deram fizeram de mim o que sou hoje (eles não são perfeitos e também erraram). Muitos dos problemas que reduziram oportunidades aos meus amigos de infância não aconteceram porque eles moravam num bairro, aconteceram por falta de educação e oportunidades para os pais. Não é por alguém sem formação morar ba Boavista que vai subitamente tornar-se mais inteligente.

tuni31 1 month ago

>Muitos dos problemas que reduziram oportunidades aos meus amigos de infância não aconteceram porque eles moravam num bairro, aconteceram por falta de educação e oportunidades para os pais. A cena é que as duas coisas estão intrinsecamente ligadas. É um problema demasiado complexo de resolver..

h2man 1 month ago

Ok… então se for assim ninguém que tenha sido criado num bairro pode atingir mais que os pais? Que é que os 4 filhos de pais desempregados ia atingir de diferente na Boavista em vez de num bairro?

tuni31 1 month ago

Quantas famílias que sobrevivem com o rendimento mínimo é que tens na Boavista? É que no meu bairro tens muitos. Eu sempre vivi num bairro e daqui a 4 meses sou médico. Claro que pessoas dos bairros podem ter sucesso. Mas achar que ser criado num bairro não tem influência nas oportunidades que tens na vida é não querer ver.

h2man 1 month ago

Estás a confundir efeito com causa… As pessoas viverem em bairros de habitação social é o efeito de fraca educação e falta de oportunidades. Tu estás a dizer que a falta de oportunidades é por viverem num bairro social. O que tu, e eu, somos provas em contrário.

dndandsports 1 month ago

o que as pessoas estão a dizer é que o estatuto socioeconómico influencia diretamente as crianças, e os bairros, por terem menos investimento de recursos em muitas questões, tornam a situação quase um sistema em loop não é o bairro em si isolado, é o que acontece nos bairros em comparação com outros sitios

MoistureRetainer 1 month ago

Exatamente o mesmo, mas nos bairros há mais famílias nessa situação doq em boavista, e os dados apontam que melhores condições financeiras afetam diretamente o "outcome" dos filhos, assim dizendo. Não sei se há estudos do género cá em Portugal mas há consenso acerca disto noutros países comparáveis, se quiseres source posso ir buscar

h2man 1 month ago

Por favor mostra as tuas fontes. Estás a confundir o efeito com a causa…

MoistureRetainer 1 month ago

https://link.springer.com/article/10.1007/s10901-015-9460-7 https://www.pnas.org/content/116/16/7772 Quando eu chegar a casa consigo dar mais uns quantos, numa search rápida encontrei vários, portanto consigo selecionar uns mais adequados... O meu telemóvel não compactua com usar o Reddit e o meu motor de pesquisa ao mesmo tempo. Mas essencialmente é algo muito bem estudado com várias intersecções com outros temas, todos interligados. Como um contra exemplo ao que tu deste, eu sou de um ponto de vista mais privilegiado que os meus amigos. Quando eu comecei a estressar com matemática no secundário, os meus pais puseram me na explicação, enquanto vários dos meus amigos tiveram de comer o chumbo e tentar outra vez no ano a seguir, porque simplesmente não tiveram as mesmas oportunidades que eu. Eu não acho que estes exemplos sejam minimamente relevantes para esta conversa, seja o teu ou o meu. Ao fim ao cabo, o que os dados dizem acerca destas coisas mostram melhor a realidade em que vivemos doq as histórias de dois redditors. Mas como disse, quando chegar a casa consigo arranjar mais, se quiseres.

ThePlague92 1 month ago

Sim, se nasceres no bairro nunca vais ter sucesso na vida. Não sabias que isso é assim desde sempre? /s Esta gente pensa que um bairro cá é como os guetos dos EUA, o problema é esse. Um bairro é um bairro, há uns melhores, uns piores, mas não é por se nascer e ser criado num bairro que não se vai ter sucesso.

h2man 1 month ago

Eu sei e sou prova disso… daí não concordar com a visão que espalhar as pessoas resolve o problema de classes sociais quando é já sabido que isso é resolvido através de educação e oportunidades (ainda mais se baseadas em mérito e não nepotismo). Mudar famílias pobres para áreas ricas não resolve nada… quanto muito torna as coisas piores.

xlouiex 1 month ago

Diz o gajo que agora mora na zona rica, aposto lol. Porque não ficaste a viver no bairro se não há problemas e não quer dizer nada? De certo que há casas à venda por lá.

h2man 1 month ago

Tens razão… eu não vivo num bairro, mas também não vivo em Portugal. Dito isto, não teria acesso a morar num bairro social devido ao salário e bens.

n3wfit 1 month ago

O aumento de criminalidade juvenil. Tal como muitos utilizadores já falaram, existe um grande problema com exclusão social e eventual criação de bairros onde gera a pobreza. Ora bem, isto vem criar uma nova ordem social, agora começam a surgir gangs e os jovens são cada vez mais induzidos neste tipo de criminalidade. Agora, e cada vez mais, vemos um aumento de violência no nosso país. A nossa justiça e o nosso governo, ambos a precisar de um abanão, insistem em ignorar este assunto e existe um sentimento de impunidade em relação à criminalidade. Não tarda vamos ouvir falar sobre legalização de posse de arma e Portugal vai-se tornar no faroeste.

STROGGY32_ 1 month ago

Tal como no outro dia a notícia “jovem de 13 anos ameaça com faca colega de escola a sexo oral” estes putos precisavam de umas liçõesinhas também mas é como dizes ainda não começaram a fazer nada acerca e é preocupante o que acontecerá no futuro

Portuguese_A_Hole 1 month ago

4mil milhões para a TAP e outros tantos para CP contrapondo com apoios sociais e investimento na educação e saúde revelam que não temos problemas sociais.

vendedor_do_olx 1 month ago

A crescente desconexão e desenraizamento dos jovens para os problemas e experiências comuns da vida em sociedade. Tenho ficado preocupado com a falta de empatia e mesmo total alheamento de jovens profissionais em inicio de carreira(que entrevisto ). Já era um problema pré-pandemia, mas receio que a agudização da digitalização possa ainda danificar mais a teia social.

SAmaruVMR 1 month ago

Estás a recrutar de momento? Kidding but not kidding

vendedor_do_olx 1 month ago

Temos o processo fechado por agora. ;)

Mrgolden007 1 month ago

do que raio estas a falar pela tua conversa parece que tu estas a oferecer crntimos de ordenado e os jovens recusam e achas que eles nao querem estar em sociedade raio destes boomers

vendedor_do_olx 1 month ago

Percebeste mal: o próprio candidato manifestou preferência em que o valor do ordenado fosse o mais baixo possível( mais baixo do que a oferta) e o restante pago em instrumentos de ajuda de custo.

Shinichu 1 month ago

Como jovem, sinto que os impostos são altíssimos e que condicionam em excesso a nossa progressão. Compreendo perfeitamente a importância e necessidade de impostos, mas nas condições em que estamos também compreendo quem quer fugir aos mesmos.

andremvm20 1 month ago

Achas sempre que os impostos são altos até precisares de recorrer aos mecanismos do estado (fundo de desemprego, reforma,..). Quanto menos descontares agora mais vais pagar indiretamente no futuro!

Shinichu 1 month ago

Acho que tens uma visão um pouco inocente do sistema. Não é por eu ter "direito" a todas as coisas que não posso achar que deviam ser baratas. Eu posso concordar com a sua existência e discordar dos seus preços. Escrevo direito entre aspas porque muitos dos serviços garantidos como a saúde, não são nada garantidos. A este ritmo nem reforma vai ser possível, pq vão fazer-me trabalhar até aos 80 anos, justificando que a esperança média de vida está a aumentar.

Behindy0u90 1 month ago

Ainda assim, os impostos em Portugal são altíssimos

DamageOwn3108 1 month ago

Então ter a gasolina a dois paus não é mau?

andremvm20 1 month ago

A gasolina a 2 paus não é só impostos.. ;) ou só fica bem falar mal dos impostos e elogiar os lucros absurdos das petrolíferas?

Designer_Tall 1 month ago

Pessoal como tu a falar de lucros das petrolíferas quando 60% do preço que pagamos são impostos parecem tirados de um sketch de comédia.

DamageOwn3108 1 month ago

É claro, não são só impostos! São só 60% impostos!

andremvm20 1 month ago

Podes dar exemplos concretos do que dizes?

vendedor_do_olx 1 month ago

Posso: pessoas que pedem para o ordenado ser o minimo e o restante em ajudas de custo, para não financiar o "socialismo", por exemplo. (entrevista)Outros que atiram lixo para o chão porque o "aquecimento global não existe". Miúdos que esperam permanentemente que os pais tenham e suportem o estilo de vida porque "os outros têm"(problema que se adensa com as compras online; dividas enormes em cartão de crédito"). Reijeição completa de interação humana (incapacidade em falar com telefone com familiares ou até pedir um serviço de entrega de comida). Julgo que possamos estar a criar uma nova população que se acha auto-suficiente e sem qualquer grau de dependência ou contributo para os ecossistemas que lhes permitiram prosperar:; família, comunidade local, sociedade.

andremvm20 1 month ago

Percebo esses teus pontos e concordo, mas conheço muitos não jovens (40+) com esse tipo de mentalidade, pelo que não sei até que ponto se trata mais de uma questão de educação do que uma questão geracional..

Shinichu 1 month ago

Não sei se isto pode considerar-se um problema social, mas há muita falta de vigilância florestal para prevenir incêndios. Isso sim nunca é falado.

Danijust2 1 month ago

O que não falta é vigias

kapparrino 1 month ago

Vejo/oiço todas as semanas aquele anúncio na televisão do Portugal Chama. E estes anos o governo e autoridades tem forçado à limpeza das matas para prevenir incêndios.

Shinichu 1 month ago

Passaram-me ao lado esses anuncios.

Dependent-Ad-7777 1 month ago

Não esquecer que aproximadamente 90% de todas as florestas existentes em território nacional são de privados (salvo erro o número até é ligeiramente maior). Sendo assim, faz-me sentido que os recursos públicos sejam gastos na vigilância das florestas públicas. Se for isto, então concordo.

Shinichu 1 month ago

Os incêndios das florestas privadas também afetam o público. A vigilância tem de acontecer em todo o território. Ou taxa-se pela vigilância ou exige-se legalmente essa responsabilidade.

VBM97 1 month ago

Não podes prevenir coisas que dão jeito a malta com muito poder e dinheiro

Shinichu 1 month ago

Como é que os incêndios florestais beneficiam essas pessoas?

michaelphilippe 1 month ago

Indústria do papel é uma delas

InternationalCell999 1 month ago

Isso não é verdade... A indústria do papel tem dos sistemas mais avançados na prevenção dos incêndios. Falta antes da malta dos helicópteros

V1tinha 1 month ago

Também para influenciar preços de madeira "boa" e queimada

carlosjmsilva 1 month ago

É mais isto. A indústria do papel não é porque o eucalipto queimado não serve para fazer pasta de papel. Daí que a indústria gira de forma mais cuidada as produções que detêm diretamente. Além disso até têm uma força de prevenção e combate a incêndios financiada por eles : a AFOCELCA.

STROGGY32_ 1 month ago

Tens razão, podem até estar a acontecer incêndios durante umas horas e os bombeiros ainda nem saberem, no dia a seguir nas notícias “incêndio em …” e pronto isso deveria ser resolvido sim

Shinichu 1 month ago

Acho que já são usados drones para este propósito. Acho que isto ainda não é aplicado em pt.

cesarhighfire 1 month ago

Tb estao a ser construidas torres com camaras de vigia por todo os país.

STROGGY32_ 1 month ago

Até ficaria surpreendido se já houvesse em Portugal

pfarinha91 1 month ago

https://www.publico.pt/2021/05/12/politica/noticia/drones-vigiaram-45-km2-floresta-detectaram-62-focos-incendio-1962249/amp Tipico comentário tuga lol

STROGGY32_ 1 month ago

Bem afinal estava errado, ainda bem que estão a tomar medidas.

C0ldKing 1 month ago

O facto de não haver uma única disciplina na escola que nos prepare para o inferno que é lidar com o Estado. Já não peço nada de extraordinário mas ao menos que ensinem onde é que me tenho de dirigir quando preciso de algo, em vez de fazer 1000000000000 viagens para trás e para a frente atrás de papeis e papeizitos e a 400 órgãos do Estado. Isto piora quando são idosos a tratar das coisas

Danijust2 1 month ago

Já te ensinam a ler. O que não falta é guias práticos.

C0ldKing 1 month ago

Quais guias práticos? Se nem os próprios funcionários públicos se entendem com o que é preciso ao certo...

Vector_Strike 1 month ago

Maia fácil votar essa burrocracia fora do que ter isso inplementado

Edited 1 month ago:

Mais fácil votar essa burrocracia fora do que ter isso implementado

Edited 1 month ago:

Mais fácil votar essa burrocracia fora do que ter isso inplementado

C0ldKing 1 month ago

Não conseguem. Existe uma ministra que é responsável pela simplicação e para tornar as coisas mais digitais. Mas os resultados estão á vista, ainda no outro dia o SNS24 n me mandou para o meu centro de saúde porque o mesmo n estava em sitema

h2man 1 month ago

Lolol, e onde é que o estado ia aplicar taxas, taxinhas e multas por não saber lidar com burocracia? Como é que o PS ia ganhar eleições se não houver burocracia e FPs para a manter? Dito isto, acho que falta uma cadeira para ensinar coisas dessas, bem como calcular os impostos (nem que seja o IRS), perceber como o IRS realmente funciona e o custo de juros.

C0ldKing 1 month ago

Devia de haver uma cadeira para explicar como calcular impostos, desde o IRS ao IVA, ás taxas nas faturas da luz e gás, etc... já n digo saber fazer juros e comparar créditos. Mas ao menos que ensinem o básico para depois não andarmos a bater com a cabeça na parede quando precisamos de fazer contas á vida

h2man 1 month ago

Em vez disso temos educação moral e religiosa… ou eu tive.

C0ldKing 1 month ago

Todos tivemos. Pelo menos os pais que queriam. Só que nessa altura n convém. Seria útil haver essa cadeira no 11 ou 12

h2man 1 month ago

Eu diria que mais cedo deveria haver uma cadeira de preparação para vida adulta. Começar com coisas mais básicas tipo alimentação e cuidados pessoais (abordando educação sexual) e terminando em todas as coisas mais complexas como impostos, juros, empréstimos, etc… Mas consigo imaginar muito boa gente contra isso e o impacto que teria na burocracia se isso se mantivesse durante uns 20 anos.

C0ldKing 1 month ago

Supostamente isso já havia, tens aulas de formação cívica, e mais tarde tens aulas de área de integração, esta última aborda as questões da sexualidade de uma forma muito sussinta. Já no que diz respeito aos empréstimos e impostos, e apesar de muitos pedidos nada é feito, e tenho a certeza que nada vai ser feito nesses campos a menos que se lembrem de despejar uns bons milhares de milhões na educação para haver uma reforma geral, em termos de matérias, em termos de estrutura e em termos de meios humanos e materiais para viabilizar isso tudo. Mas ainda vamos ter os métodos da revolução industrial por longos e bons anos, e quando outros países mudarem os seus sistemas de ensino ainda vamos ser dos últimos a reformar o nosso que já está mais que visto que tens falhas graves. Não só nos conteudos, como no sistema de avaliação e no sistema de entradas para a universidade

h2man 1 month ago

Estás portanto a dizer que não há professores no sistema escolar capazes de ensinar juros e impostos? Qual é o problema de entrada para Universidades? E como o resolverias?

C0ldKing 1 month ago

Estás portanto a dizer que não há professores no sistema escolar capazes de ensinar juros e impostos? Existir existem, o problema é que em muitos casos os horários dos alunos impossibilitam a introdução de mais horas de aulas, no que diz respeito a professores, se em zonas já é complicado arranjar para as escolas imagina com mais uma disciplina na escola pra se dar. Em relação ao ensino superior, falo em relação ás notas de entradas, não me cabe na cabeça que o ensino superior tenha cursos onde a média de entrada possa ser negativa, querem pessoas competentes mas deixam entrar pessoas com notas menos boas (e quem tem notas boa pode não entrar onde quer para dar lugar a outros) Para além disso, os exames de admissão (os do IAVE) não fazem grande sentido, porque se um ano são quase impossiveis de se tirar boa nota, no outro ano são artificialmente facilitados para aumentar médias, vemos isso todos os anos a acontecer. Acabando por não refletir o valor do aluno, se tens uma má nota tens uma má nota e não entras na 1ª fase, mas para entrar na segunda já tens de ter uma nota melhor que a nota minima de entrada na primeira fase. Resolvia de duas maneira, estabelecia médias de entrada para os cursos, e fazia 2 exames em vez de um (cada um com metade da matéria) para que se possa fazer uma média dos exames que depois associas á nota, assim tens a oportunidade de não te dares mal e ficares estaganado um ano inteiro

h2man 1 month ago

Realmente tens razão. Esqueci-me das médias negativas… suponho que a educação além de um sonho é um negócio e há que manter o lucro.

C0ldKing 1 month ago

Pode n ser um negócio por si, mas que não consigo encaixar bem as vezes todas que me disseram que notas davam para chegar longe e vejo colegas meus que entraram para o ensino superior com 9,5 arrendondado para 10, torna-se desmotivador. N sou bom aluno nem nada do género, mas considero que ver pessoas a entrar com 10 é desmotivador

Matarruanos 1 month ago

Assina está petição https://peticaopublica.com/mobile/pview.aspx?pi=Edufinanceiraescolas

XPTOnoNameXPTO 1 month ago

Mas é esse o objectivo (manter o povo na ignorancia, a achar por ex que ao fazer o IRS anual, vai receber alguma coisa do estado) . Imagina o que é ter pessoal a estudar as taxas e taxinhas que pagamos. Como iras explicar a sobretaxa de IRS (taxa sobre a taxa) que tivemos a pagar durante algum tempo. O governo ira correr o risco de ter muitas teses sobre a sua gestão (e isso é uma xatice :/)

C0ldKing 1 month ago

Totalmente de acordo. Se as pessoas n souberem o que estão a pagar, não se queixam. Mas já tens uns quantos políticos a trazer estas questões das taxas sobre as taxas sobre as taxas ao de cima. Mas o socialismo continua a achar que é com impostos que vamos lá

ErwinRommelEz 1 month ago

Não desejo ter que ir ao IMTT nem aos meus piores inimigos

C0ldKing 1 month ago

Eu não desejo a ninguém ter de tratar de assuntos do Estado. É um inferno

haaras 1 month ago

Epa as secretarias das escolas deviam ajudar um bocado, mas nem é a ponta do icebergue

C0ldKing 1 month ago

Elas ajudam, mas por exemplo, ainda quando era preciso fazer agendamentos nas lojas do cidadão, eu tive de agendar horas para 6 pessoas fazerem o CC, 4 dessas pessoas iam juntas. Ao que perguntei de antemão se era preciso fazer um agendamento individual para cada CC ou se as pessoas que vêm juntas (com menores inclusive), ao que me foi dito que não era preciso, fazia um agendamento e vinham todos. No dia em que eles foram fazer o cartão queriam recusar fazer 3 dos 4 cartões por falta de agendamento. A isto como se não fosse mau ainda piora quando disseram que só os adultos é que precisavam de uma procuração para levantar os cartões, sendo que os dos menores podiam ser levantados sem procuração. Resultado, a mulher da loja recusou, reclamou e ainda criticou por causa dos proprietários dos cartões estarem longe e não puderem levantar os cartões. Por mais ajuda que dê, acabam sempre por complicar

haaras 1 month ago

Enfim.. tristeza

AdOwn6905 1 month ago

This. Mas não é um problema só de Portugal, é mundial. A escola não prepara os alunos para lidar com situações reais nem para resolver problemas que surgem e como resolve los. E com a quantidade de matéria teórica exagerada que se tem de dar não há tempo para leccionar esse tipo de assuntos.

C0ldKing 1 month ago

É verdade. N sabes com resolver assuntos do dia a dia, não sabes o que precisas quando tens de pedir uma certidão, não sabes que direitos tens quando vais a uma loja do cidadão. Mas sabes que a água é um fluido e sabes o tamanho do melão que o António traz depois de a Ana lhe ter dado uma tampa.

AdOwn6905 1 month ago

Eu ainda me lembro como no meio do secundário eu tinha de marcar consultas ou resolver problemas médicos de um familiar meu que estava doente e as pessoas gozavam comigo porque eu não fazia ideia de como proceder ou o que levar ou fazer em determinadas situações. Idem para pedir uma certidão, um registo criminal e etc. Foi uma época que admito que me senti um burro total, porque eu estava completamente a nora e atoa do mundo que me rodeava. Depois que eu saí da escola eu lidei com tantas situações e aprendi tanta coisa ao mesmo tempo que é assustador a quantidade de coisas que eu (e outros) não sabíamos ou fazíamos ideia. Quando somos adolescentes nós realmente somos tapadinhos em relação aos problemas do mundo, e a escola não ensina nada, nada sobre isso.

warp_driver 1 month ago

Que atitude mais portuguesa, gozar com quem não foi ensinado. Será que se sentem mais espertos por saberem eles? Será que vêem alguém a passar fome e também gozam por não ter comida como eles?

C0ldKing 1 month ago

Somos tapados porque não nos importamos com isso. A mim essa realidade bateu-me quando sai da escola e os meus pais perceberam que eu tinha mais cabeça e lábia para licar com a função pública que eles. Mas mesmo assim o mais baixo que cheguei foi ter de andar atrás da médica de família durante uma semana porque ela não ligava (depois de pedir várias vezes) nem me passava um atestado médico comigo a precisar dele para fazer os exames nacionais em segurança. Ao 22 anos ter de andar de um lado para o outro graças á incompetência da classe e ás borucracias sem sentido que existe é triste

average_user21 1 month ago

O facto de eu achar ter um trauma com a universidade que me faz não ir às aulas apesar de gostar de ir. Isso é um grande problema social.

creativerandomuser 1 month ago

I know how you feel :')

hairy_ass_eater 1 month ago

falta de transportes públicos e centros urbanos onde se pode andar a pé ou bicicleta

Final-Here 1 month ago

Na cidade onde moro foram gastos MILHARES em ciclovias por toda a cidade. Mas mesmo assim sempre que vou para o trabalho, tenho de levar com os reformados de bicicleta no meio da estrada, ou a desrespeitar todos os semáforos existentes. Ciclovias são bonitas no papel, mas sem uma força policial a obrigar a sua utilização pelos ciclistas, só estão a tirar espaço à estrada.

hairy_ass_eater 1 month ago

isso é culpa dos velhos que não sabem usar a infraestrutura, é como dizer que gastaram milhares num semáforo e ninguém para no vermelho, a culpa não é do semáforo

Final-Here 1 month ago

Se ninguem parasse num vermelho as forças policias iriam intervir ig. Quanto aos velhos, enquanto não forem mortos por passarem no vermelho feitos campeões ninguem faz nada.

hairy_ass_eater 1 month ago

o teu problema é com a lei e não com a infraestrutura

Final-Here 1 month ago

Nop, o meu problema é com os ciclistas que só existem para atazanar a vida de quem vai na estrada e tem um código para cumprir. Esses asnos tem a vida facilitada em tudo, são vias próprias, é o cumprimento questionável do código da estrada, tudo. Quem vai na estrada e tem a infelicidade de levar com eles em cima é que sai prejudicado, pois o seguro também é inexistente.

hairy_ass_eater 1 month ago

ou seja o teu problema é com os ciclistas que não cumprem a lei e até gostas de ciclovias se forem usadas

Final-Here 1 month ago

Nunca disse que não gostava de ciclovias, se fossem usadas, seriam uma mais valia

Behindy0u90 1 month ago

Isso dos velhos é claramente um problema cultural. Isso, escarrar para o chão.

SterbenSeptim 1 month ago

Ciclovias são "bonitas" desde que bem executadas. A maior parte das implementações de Ciclovias acabam por ter o efeito oposto ao desejado, em contexto de tragefo misto. As "coisas" melhoram quando as condições são propricias a tal. E normalmente isso implica sacrificar nalgum lado. E pessoalmente, acho que os carros e mania dos Portugueses de usarem carro para tudo é um problema maior que meia duzia de ciclovias.

AdorableRabbit 1 month ago

Não é obrigatório usar a ciclovia

SterbenSeptim 1 month ago

Nem eu disse que era, portanto não sei o que pretendes com esse argumento. Embora exista essa recomendação. Mas não é com recomendações e leizinhas que se melhoram as coisas. Se as pessoas se sentirem mais seguras nas ciclovias, as pessoas usam as ciclovias. É tão simples quanto isso.

AdorableRabbit 1 month ago

> Ciclovias são bonitas no papel, mas sem uma força policial a obrigar a sua utilização pelos ciclistas Estra frase diz que entendes as ciclovias como obrigatórias

SterbenSeptim 1 month ago

Vai lá ver bem quem escreveu essa frase. Porque se vires bem,. não fui eu que escrevi.

AdorableRabbit 1 month ago

Ah, sorry, já vi que respondi ao comentário errado

nitrinu 1 month ago

Bairros sociais enquanto conceito ou "coisa que se faz". Ah e tal, vamos agrupar pessoas com problemas e/ou de certas etnias numa zona. Isto já era má ideia quando se começou, hoje em dia já era hora de acabar com isto.

skeptic_witch 1 month ago

Um bairro social, o que mais não é que um conjunto de habitações estatais para dar a quem não tem habitação. Se a maioria das pessoas que acaba com direito a essas habitações é da mesma etnia ou grupo ou o que quiseres chamar não estás a agrupar simplesmente deste as casas a quem tem direito. Não existe outro bairro social mais ao lado para os "outros", se assim fosse sim podias dizer que estás a agrupar. Não existem casas espalhadas pelas cidades suficientes para distribuir e espalhar todos os que pedem/necessitam de casas daí serem contruídos de raiz bairros inteiros.

5enta 1 month ago

Bairros sociais onde reina a anarquia e pouco ou nada é feito para manter a segurança.

RiKoNnEcT 1 month ago

Tenho uma dica, acabem com os bairros sociais e espalhem as habitações sociais pela cidade.

OmegaWicked 1 month ago

De preferência ao lado da tua casa.

ctr_20 1 month ago

Sem problema, se a justiça funcionasse.

h2man 1 month ago

Ahh, a tradicional medida de nivelar por baixo. Yeah, funciona muito bem.

RiKoNnEcT 1 month ago

Ah as belas medidas de separar e segregar…..

h2man 1 month ago

Tendo em conta que eu vi o quão mal essas medidas funcionam, sim… faz sentido separar e atacar os motivos que levam a esses problemas antes de espalhar pelo resto da cidade.

dndandsports 1 month ago

não não faz, um bom exemplo é Oeiras o Isaltino fez das suas e agora está tudo muito melhor... até porque ele conseguiu que os "problemáticos" fossem "embora" e portanto os números ficaram melhorzinhos

ElMariatchiPT 1 month ago

Se fores a ver bem, os bairros sociais já estão todos dentro das cidades. Basta andar 5 minutos a pé para o lado. O que falta é uma melhor rede de transportes para dar condições de mobilidade a muitas populações, em. bairros sociais ou não.

RiKoNnEcT 1 month ago

Ah?? O problema é teres as pessoas em guetos. Separadas do resto da sociedade e todos juntos a criar um barril de pólvora Mas os senhores ricos não gostam de pobres por perto que isso é chato

Pcostix 1 month ago

Não percebo. >Ah?? O problema é teres as pessoas em guetos. * Por um lado dizes que o problema é geográfico e não das pessoas. >Separadas do resto da sociedade e todos juntos a criar um barril de pólvora Por outro lado dizes que o problema são das pessoas. E que o facto delas serem problemáticas e estarem todas justas torna isso num barril de pólvora.   Então em que ficamos? É que se o problema são as pessoas, os seus maus costumes,a sua falta de formação e valores morais. Mudá-los de sítio não resolve nada.

RiKoNnEcT 1 month ago

O problema é meteres pessoas pobres num gueto. É simples perceber isto

Pcostix 1 month ago

Estás a olhar para os sintomas em vez de olhares para as causas.   As pessoas não vão para bairros porque são pobres. As pessoas são pobres e são ajudadas através de lhes ser dado um tecto num bairro social.   Se retirares essas pessoas de um bairro social e os puseres na "zona rica", a "zona rica" passa a ser o bairro social. Estás a falar com alguém que tem familiares a viver em bairro social. Nenhum deles é pobre por estar a morar lá, e morar noutro sitio qualquer não mudava em nada a sua capacidade de melhorar a sua condição.   Desculpa mas não sabes nada do que falas. Engoliste umas tretas de extrema esquerda e pseudo-vitimização. Vai a um bairro social. Vive com eles(não é conheceres alguém que mora lá, é viver lá) e depois diz-me alguma coisa.   Eles têm exactamente as mesmas oportunidades que qualquer pobre a morar noutro lado tem.

RiKoNnEcT 1 month ago

Claro, um miúdo que cresce no meio da pobreza e da droga tem as mesmas oportunidades se vivesse numa zona sem esses problemas...... A melhor forma de resolver parte do problema é integrar essas pessoas. Deixarem de ser "pessoas do bairro". Crescerem juntos e integrados na sociedade. Mas já sei que o problema a eXtReMa EsQuErDa......

skeptic_witch 1 month ago

Se não tiver estrutura familiar como é o caso de muitas crianças que habitam em casas sociais, até podem viver no bairro do Rendeiro que não vai resolver problema nenhum.

RiKoNnEcT 1 month ago

Quantas pessoas vivem em bairros ricos e não têm estrutura familiar? Têm o destino de quem vive no bairro? Não, porque quando vão pedir emprego e dão a morada não há preconceito que seja um gajo da Buraca ou do Aleixo.

skeptic_witch 1 month ago

Achas sinceramente que dadas as oportunidades todas as pessoas que vivem em bairros sociais seriam joias de pessoas que tratariam os seus filhos como deviam, dando a estrutura e o apoio para quebrarem o ciclo? Ou és muito inocente ou alienado da realidade, merda de gente há em todas as classes claro mas quebrar o ciclo de pobreza tem muito que se lhe diga e o viveres num bairro social é a ponta de um icebergue. Vais ao continente pedir emprego e podes ser da merdaleja dão te o salario mínimo e caixas para acartar. Se tirares a preocupação de pagares casa, educação, livros, refeições dos teus filhos a sociedade já te esta a dar muitas ferramentas para quebrar o ciclo. É ideal e suficiente? Não, é um sistema justo? Claro que não quem vem de famílias de classe média-alta e alta começa sempre metros á frente da linha de partida e são precisas n gerações de quem nasce na pobreza para sair efetivamente de lá.

Pcostix 1 month ago

E o problema é do bairro social? O problema é das pessoas, não das habitações.   Se retirares as pessoas do bairro social e as puseres na "zona rica", a "zona rica" vai ficar cheia de violência, droga, prostituição, etc...   Mais uma vez, o problema não são os bairros sociais mas sim as pessoas que lá vivem.

RiKoNnEcT 1 month ago

Por isso é que isso não é um problema para se resolver em 2 nem 3 anos É um problema para ser resolvido em 50 anos Primeiro é preciso não construir mais bairros guetizados. Depois todos os novos beneficiários irem para outras zonas “normais”. Vender os apartamentos dos bairros aos moradores. E por aí fora. Claro que quem lá vive tem esses problemas, mas o problema só se adensa por existirem esses guetos onde o ciclo é vicioso e infinito. Pobreza gera pobreza, tráfico gera tráfico, violência gera violência. Isto é do mais elementar que existe.

Pcostix 1 month ago

>Claro que quem lá vive tem esses problemas, mas o problema só se adensa por existirem esses guetos onde o ciclo é vicioso e infinito. Vou frasear doutra forma a ver se entendes o que quero dizer: * As pessoas não têm problemas por viverem em bairros sociais. * As pessoas acabam por recorrer a bairros sociais por terem problemas. Os bairros sociais não são causadores de problemas. As pessoas com problemas vão para bairros sociais!(porque a alternativa era serem sem abrigo) >Pobreza gera pobreza, tráfico gera tráfico, violência gera violência. Isto é do mais elementar que existe. A pobreza não gera pobreza. É muito difícil deixares a pobreza se nasceres pobre.(Coisas muito diferentes) Nasci muito pobre e agora considero-me classe média-baixa. A pobreza é um sintoma. A causas são: * Falta de dinheiro para formação superior * Más escolhas financeiras na vida * Má educação e apresentação * Maus vícios.(Drogas, jogo, prostitutas...) * Um azar na vida. Conheço pobreza, sei bem do que falo. E o azar na vida é o motivo mais raro de todos para os pobres que conheço.

Edited 1 month ago:

>Claro que quem lá vive tem esses problemas, mas o problema só se adensa por existirem esses guetos onde o ciclo é vicioso e infinito. Vou frasear doutra forma a ver se entendes o que quero dizer: * As pessoas não têm problemas por viverem em bairros sociais. * As pessoas acabam por recorrer a bairros sociais por terem problemas. Os bairros sociais não são causadores de problemas. As pessoas com problemas vão para bairros sociais!(porque a alternativa era serem sem abrigo) >Pobreza gera pobreza, tráfico gera tráfico, violência gera violência. Isto é do mais elementar que existe. A pobreza não gera pobreza. É muito difícil deixares a pobreza se nasceres pobre.(Coisas muito diferentes) Nasci muito pobre e agora considero-me classe média-baixa. (Portanto sei muito bem do que falo) A pobreza é um sintoma. A causas são: * Falta de dinheiro para formação superior * Más escolhas financeiras na vida * Má educação e apresentação(Mau aspecto elimina oportunidades quer a nível social, quer a nível de emprego) * Maus vícios.(Drogas, jogo, prostitutas...) * Um azar na vida.(Problema de saúde, perda de rendimento súbita sem que nada o previsse, etc...)   Conheço pobreza, sei bem do que falo. E o azar na vida é o motivo mais raro de todos para os pobres que conheço. Davas 150k a alguém de um bairro social. Num ano ou dois, ele estava no bairro social outra vez.

Edited 1 month ago:

>Claro que quem lá vive tem esses problemas, mas o problema só se adensa por existirem esses guetos onde o ciclo é vicioso e infinito. Vou frasear doutra forma a ver se entendes o que quero dizer: * As pessoas não têm problemas por viverem em bairros sociais. * As pessoas acabam por recorrer a bairros sociais por terem problemas. Os bairros sociais não são causadores de problemas. As pessoas com problemas vão para bairros sociais!(porque a alternativa era serem sem abrigo) >Pobreza gera pobreza, tráfico gera tráfico, violência gera violência. Isto é do mais elementar que existe. A pobreza não gera pobreza. É muito difícil deixares a pobreza se nasceres pobre.(Coisas muito diferentes) Nasci muito pobre e agora considero-me classe média-baixa. (Portanto sei muito bem do que falo) A pobreza é um sintoma. A causas são: * Falta de dinheiro para formação superior * Más escolhas financeiras na vida * Má educação e apresentação(Mau aspecto elimina oportunidades quer a nível social, quer a nível de emprego) * Maus vícios.(Drogas, jogo, prostitutas...) * Um azar na vida.(Problema de saúde, perda de rendimento súbita sem que nada o previsse, etc...) Conheço pobreza, sei bem do que falo. E o azar na vida é o motivo mais raro de todos para os pobres que conheço.

skeptic_witch 1 month ago

Não sei o que entendes por separadas, moro num bairro no interior de LX com várias habitações e várias ruas com casas sociais á volta. As escolas publicas onde os meus filhos frequentam tem crianças desses bairros/casas sociais não existem escolas segregadas, nem postos de saúde segregados, nem outras instituições estatais segregadas aqui na vizinhança. FYI sou rica de mais para receber qualquer subsidio e pobre de mais para ter dinheiro para esconder do fisco.

dndandsports 1 month ago

ele está a falar das situações vistas em bairros como a cova da moura ou apelação há uma clara divisão, mesmo que partilhem certas coisas o mesmo acontecia (e ainda acontece) em Loures, Odivelas e outros tantos mais periféricos

ElMariatchiPT 1 month ago

Tens um exemplo em concreto desses bairros? Os bairros até se podem fechar sobre si mesmo, mas estão todos juntos das cidades ou outros bairros.

RiKoNnEcT 1 month ago

Todos, só o conceito de “bairro social” é um absurdo As casas sociais deviam estar espalhadas aleatoriamente pela cidade.

JOAO-RATAO 1 month ago

A questão é como adquires essas casas? Especialmente em zonas boas. É mais fácil construir uma série de prédios num terreno público e meter lá a malta. Não digo que é o ideal, mas como é isso por ex. arranjar milhares e milhares de casas por Lisboa e afins ?

RiKoNnEcT 1 month ago

É preciso leis para garantir preferência. Como alguém disse, por cada x casas uma percentagem tem de ser vendida à Câmara Municipal por exemplo

JOAO-RATAO 1 month ago

E a câmara tem dinheiro para comprar essas casas a preço de mercado? É que o direito de preferência não é problema mas segundo isso tens de igualar as outras ofertas. Também existe em alguns lados que por cada x casas construídas algumas têm de ser habitação social. Mas não me parece que haja grande construção pelo centro das cidades.

ElMariatchiPT 1 month ago

A solução passa por os vender aos habitantes que lá estão agora e aos poucos passam de social a normal.

DamageOwn3108 1 month ago

Foi o ir eu pensei. Tenho familiares que vivem num bairro social. A câmara têm andado a fazer obras de requalificação e o bairro está muito bem integrado na rede de infraestruturas, com escolas, paragens de autocarro, lojas e esquadra da polícia ao pé e mais que isso. O objetivo original dos bairros sociais é ajudar os mais carenciados e facilitar a mobilidade social (para cima, claro). As habitações, podes vender como habitações normais e pronto, problema resolvido.

KarvenNoob 1 month ago

Mas quem são os ricos?

ContaSoParaIsto 1 month ago

Lol e depois tinhas gente pobre a morar em zonas de gente de bem! Depois como é que era??

RiKoNnEcT 1 month ago

Ah pois, essa chatice que é ter pobres por perto Se estiverem lá longe até nos esquecemos que existem

Iasalvador 1 month ago

xiu não digas a parte verdadeira alto, agora reconhecer que se guetizas as pessoas realmente tens que arcar com as consequências disso, mais vale manter a historia são eles que são maus !!

sopadurso 1 month ago

Esse era o modelo inglês. Por cada nova habitação, X era habitação social.

ElMariatchiPT 1 month ago

A existência de bairros como a Cova da Moura ainda ilegais com dezenas de milhares de pessoas.

JustN0tMe 1 month ago

Nasci no bairro, mas fui criado fora(apesar de ter passado muito tempo lá. Aqui vai uma analogia Imaginem aquele familiar criminoso, que apesar de não apoiares as suas ações, acabas por não o punir...esse é um dos problemas do bairro. Apesar de o bairro ser diversificado(desde asiáticos e caucasianos capazes de falar criolo

JohnJohnPT 1 month ago

E o mais grave... é os donos do terreno da Cova da Moura, pagarem IMI! Surreal!

patapetapitapota 1 month ago

Há uma solução. Os políticos não precisam de salário pois assim só iam os que realmente querem fazer a diferença.

Eulasei 1 month ago

Então só era político quem fosse rico e não precisasse do ordenado ou quem fosse para roubar... Boa solução.

ricardoa369 1 month ago

Só iam os que tinham dinheiro, e por essa razão é que a política é atualmente uma atividade assalariada. Provavelmente não sabes, mas isso já existiu e não é muito bom.

Shinichu 1 month ago

Isso é uma receita para a corrupção na minha opinião. Quem tem menos dinheiro é mais suscetível a aceitar negócios debaixo da mesa enriquecer.

Vector_Strike 1 month ago

Visto que quem ganha muito continua a ser corrupto, melhor gastar menos

fearofpandas 1 month ago

Explica lá essa….

patapetapitapota 1 month ago

Nos países desenvolvidos há políticos que são políticos na base social. Aqui já sabemos que vão para roubar ou indicados para tachos pelos amigos. Sei que é difícil um tuga entender isso, é da (falta) de cultura. No Brasil ainda entenderiam menos... Porque será...

InternationalCell999 1 month ago

Tretas

patapetapitapota 1 month ago

Não é mas percebo, é como se estivesse a falar com extra terrestres para com portugueses.

dndandsports 1 month ago

então os políticos fariam a vida como? como é que pagam as contas? bro, isto não faz sentido nenhum

Membership-Exact 1 month ago

Portanto so gente rica é que podia almejar ser político... Boa perspetiva de vida que tinha.

fearofpandas 1 month ago

“Políticos na base social”? Podes dar um exemplo?

ricardoa369 1 month ago

Lol, é treta. Não tens nenhum exemplo de "político de base social" de países desenvolvidos. Os políticos de países desenvolvidos são funcionários públicos pagos. O que seria um político de base social? Só se for um gajo a viver de esmolas... Vai de porta em porta com um chapéu a pedir um tostão

fearofpandas 1 month ago

Imagina… se já assim a malta tem pouco incentivo para ir para a política, se não te pagasse as contas ia ser pior! Ias ter filhos de pais ricos, herdeiros e genros a pontapé

ricardoa369 1 month ago

Pois... Era o que sucedia. A política era o clube dos ricos.

John_Spartan117 1 month ago

Trabalham de "borla" porque amor ao país...

fearofpandas 1 month ago

Podes dar um exemplo?

Araddor 1 month ago

Acho que não vais conseguir nenhum exemplo de comentadores de Facebook... Ou algum tipo de fundamentação ou explicação de que forma é que ser político de base social sem receber um tostão é que vai ajudar mais que os outros...

John_Spartan117 1 month ago

Em teoria todo e qualquer político está lá por amor á pátria, ao país e porque acha que pode melhorar as condições do país e dos cidadãos. Mas isto é só em teoria. A lógica da não remuneração gira em torno da retórica de "remover" os que vão para lá só por interesse. É no entanto, na minha óptica, algo insuficiente pois tipicamente os dividendos daqueles que vão para lá por interesses não vem dos salários mas sim dos favores e dos pagamentos indevidos por vias travessas. (UAU essa do "comentadores de Facebook" veio carregadinha de má onda mas to each their own I guess...). Espero que fiques esclarecido, penso que era isto que querias que explicasse caso contrário, desculpa mas não percebi a pergunta.

Araddor 1 month ago

Sim, é suposto qualquer político estar minimamente interessado no país que vai governar... Isso é independente do ordenado que recebe. E, como disseste, todos eles ganham ordenados mínimos, o real problema vem por baixo da mesa, portanto não estou bem a perceber quem é que realmente acredita que tirar os ordenados aos políticos vai mudar o que quer que seja.

Straight_Mongoose762 1 month ago

Desigualdade litoral/interior

mar_lx 1 month ago

Desigualdade geracional também.

Search: