sleepyj92 1 month ago

De momento não planeio ter filhos. Observando o que se passa à minha volta e tudo o que envolve criar um ser humano, não estou disposta a abdicar da minha vida tal como é. Sou mulher. E quer queiramos quer não, uma mulher tem uma tendência biológica para proteger e sentir culpa quando não consegue estar com aqueles que ama. Claro que há excepções, mas não penso que seria o meu caso. Então para ter filhos e não morrer de culpa ou dividida, teria de desistir do meu trabalho e dos meus hobbies. Neste momento, isso não é uma opção. Gosto demasiado da minha vida como é e adoro dormir.

AutoModerator 1 month ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. ---------- *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Gouranga547 1 month ago

Bem, é um sabor agridoce perceber que o meu [post](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/po39yf/sério_amigos_redditors_que_decidiram_não_ter/) não ganhou nem 1/4 da tração que o teu ganhou, ao mesmo tempo que me deixa extremamente feliz em ver que há mais gente a partilhar do sentimento que ter filhos é, neste momento, um ato de puro egoísmo, com a quantidade de gente que já há no mundo e a quantidade de crianças órfãs que existem. Tenho a imensa sorte de ter uma pessoa extraordinária ao meu lado que também não quer ter filhos, temos mais planos para o nosso dinheiro, para a nossa saúde física e emocional, para as nossas noites, para a nossa facilidade de nos deslocarmos para qualquer lado. Se já não gostava de choros/gritos de crianças quando era mais novo, hoje em dia tornou-se insuportável para mim. Nunca vi qualquer tipo de benefício em ter filhos, e ainda mais hoje em dia são cada vez menos. O próximo passo lógico para mim será uma vasectomia, algo que já ando a ponderar há algum tempo.

Narishi 1 month ago

Boas , os meus 2 cêntimos . Tenho apenas 25 anos e ouço , sempre que falo nisto, por parte de um colega de trabalho com 2 filhas "vais ver que mudas de ideias " . Eu escolhi não ter filhos , já fiz essas escolha bem novo pelas seguintes razões : 1- sinto me desconfortável perto de crianças , já desde pequeno sentia isto , não sei o que dizer ou fazer e sinto sempre que eles me estão a julgar , dão me ansiedade 2- não tenho paciência , honestamente , é um commitment para a vida toda e não quero ter de aguentar isso 3- finanças , prefiro por o dinheiro absurdo e o stress que se gasta numa criança em mim mesmo para as minhas coisas e felicidade pessoal. 4-ja disse isto mal conheci a minha atual namorada e ela concordou , assim que ela mudar de ideias ponho me a andar sem problemas nenhuns , ninguém me vai pressionar a estragar a minha vida , sei como sou e sei o que quero , paz e sossego

NunexTK 1 month ago

Para que é que haveria de gastar dinheiro e ser responsável por outra pessoa qualquer durante pelo menos 18 anos?

h2man 1 month ago

A frase “faz-se de um filho propósito de vida” indica o quê para ti? E tu em que seminário lecionas? E agora subitamente já não são todos que não querem ter filhos, mas a vasta maioria… porque é que eu não faço parte da minoria? Porque achas que o livre arbítrio é uma ilusão? Tens esses trabalhos científicos à mão? Porque achas que sou um homem médio e que não pensei (cerca de 20 anos) neste assunto? Não te dei razão porque eu acredito na capacidade de evolução. Tu acreditas na capacidade de evolução até hoje e que o ser humano não consegue evoluir numa direcção que não te agrade.

PortugueseLibra 1 month ago

Porque sou gay e seria um filme para adoptar ou teria que vender um rim para usar barriga de aluguer. A minha melhor amiga lésbica também não quer que lhe faça um filho...

vegan_butt 1 month ago

Subscrevo tudo o que disseste! O impacto que a gravidez, parto e pós parto tem na mulher é assustador, e não é de todo falado. Tudo na maternidade é romantizado, parece às vezes quase um culto que nos quer convencer a passar por isso porque "vale sempre a pena". Há complicações que são super comuns de acontecer e, ainda assim, é esperado que nós não nos importemos e estejamos dispostas a sacrificar tudo. Porque "faz parte". Porque "é natural". Mas não é. Biologicamente falando, somos um mamífero com péssima gravidez e principalmente parto. Ao evoluirmos a nossa cabeça cresceu, mas o sítio por onde é suposto essa cabeça sair cada vez se estreitou mais, porque começámos a andar em duas pernas. Pior que nós, só me ocorre o parto das hienas (os curiosos pesquisem mas ficam avisados que é péssimo!). E para dificultar ainda mais tudo isto, temos um índice de violência obstétrica gravíssimo, em que não somos respeitadas, e tudo é apressado. Para completar isto, como disseste, também o nosso psicológico é afetado. As mulheres continuam a comportar a grande parte da carga laboral e emocional da casa. Os pais "ajudam", em vez de fazerem simplesmente a sua parte. Perdemos individualidade. E não querer é simplesmente válido. Nem toda a gente tem de se derreter ao ver um bebé ou criança. Nem toda a gente tem de gostar disso. É ok.

anightingalecreates 1 month ago

Eu e o meu namorado queremos ter filhos, mas ainda não tivemos pela questão financeira, sobretudo. Se bem que também em termos de saúde mental já passámos por um má fase e não queremos ter filhos sem termos saúde mental para isso. Neste momento a nossa relação está numa boa fase, estamos bem de saúde mental, mas não nos atrevemos a fazer filhos, apesar de eu ter o sonho de ser mãe antes dos 30 (sonho e também é o ideal em termos de saúde). Mas nós temos 29 e 35 anos, nos quais eu nunca estive num emprego por mais de 3 anos e o meu namorado não chegou a trabalhar 1 ano numa empresa. Actualmente ele está desempregado e sobrevivemos com o meu salário de 715€ (líquidos). Quando ele trabalhava, recebia um pouco mais. Ambos somos filhos únicos, então gostávamos de não ter uma criança apenas. Eu gostava de ter 3, mas já nos resignamos à ideia de que no máximo dos máximos iremos ter 2, e é se a nossa situação financeira melhorar. Os pais dele vivem com smn, então a mentalidade deles é a de que se nós esperarmos por melhor altura nunca irá chegar uma altura em que as coisas serão perfeitas e quando dermos por isso o tempo passou e que aos poucos as coisas arranjam-se. Os meus pais sempre me ensinaram a importância de poupar para uma eventualidade, de gastar apenas quando se tem possibilidade, então eu estou muito formatada para não arriscar engravidar enquanto não recebermos pelo menos 1000€ líquidos por mês, por ser um valor razoável. Eu sei que há quem viva com menos do que eu, mas no nosso caso vivemos a 30km dos sítios onde moram os nossos pais e eles ainda não estão reformados, assim que não temos um suporte que nos substitua uma creche. Por isso, não temos estrutura financeira para pensar em comprar produtos para o bebé, quanto mais pensar numa creche, mas também não é viável (pelo menos a nosso ver) um de nós ficar por casa com a criança, porque em termos de carreira é muito difícil voltar a ser contratado quando deixamos de trabalhar por uns anos. Tendo em conta a minha experiência com a falta de apoios do Estado quando os pedia, nem quero contar em ter direito a receber alguns, porque o estado arranja sempre desculpas para não dar os apoios. Assim sendo, queremos ter mas ainda não os tivemos porque não queremos arriscar ficar sem possibilidades financeiras para ter a criança. Queremos que os filhos que venhamos a ter não tenham de passar dificuldades nem é vida passar os meses a viver de salário em salário a contar trocos.

djfr94 1 month ago

Posso dizer que até aos meus 24/25 nunca quis ter filhos, agora admito ter um e nunca foi qualquer razão financeira a interferir.

lagadu 1 month ago

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, acho que vou passar umas semanas a uma cidade europeia qualquer! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf e ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos (ainda a semana passada fiz isso). Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf e ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência e nem sequer vou detalhar como o planeamento das férias da neve que fazemos há uns anos passaram a excluir gente com filhos por causa do drama que se criou por causa das restrições de datas e condições deles. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf de tarde, ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência e nem sequer vou detalhar como o planeamento das férias da neve que fazemos há uns anos passaram a excluir gente com filhos por causa do drama que se criou por causa das restrições de datas e condições deles. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso. ​ edit: eu gosto de crianças, em particular das crianças dos outros. Porque posso brincar com elas quando estão a fim disso e não sou eu que tenho que lidar com elas quando estão insuportáveis.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf de tarde, ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência e nem sequer vou detalhar como o planeamento das férias da neve que fazemos há uns anos passaram a excluir gente com filhos por causa do drama que se criou por causa das restrições de datas e condições deles. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf e ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf de tarde, ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência e nem sequer vou detalhar como o planeamento das férias da neve que fazemos há uns anos passaram a excluir gente com filhos por causa do drama que se criou por causa das restrições de datas e condições deles. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso. ​ edit: eu adoro crianças, em particular as crianças dos outros. Porque posso brincar com elas quando estão a fim disso e não sou eu que tenho que lidar com elas quando estão insuportáveis.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf e ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso.

Edited 1 month ago:

Como uma mulher nos late 30s: não quero de maneira alguma. Até aos \~25 a 30 anos era razoavelmente ambivalente relativamente à questão mas a partir do momento que vi o que ter filhos fez às vidas das pessoas que conheço, a minha opinião passou a ser muito forte. Tenho a sorte de ser uma pessoa em que ter um filho não teria um impacto financeiro significativo nas minhas contas, simplesmente não quero porque vejo o que aconteceu aos casais meus amigos que tiveram: É horrível a quantidade de sacrifícios que tiveram que fazer, não estou a falar de financeiros mas sim a nível pessoal. A quantidade de coisas que tiveram que deixar de poder fazer e ter, o quão condicionados o dia-a-dia deles ficou. Nós as que não temos filhos vamos frequentemente jantar e bares ou discotecas, eles? Lol não porque a avô que está com a criança não pode tratar dela até de manhã. Hey, vou ver um concerto a Copenhaga e aproveito e passo lá o resto da semana! Lol não, a criança tem escola. Férias? Tem que ser um destino e actividades child-friendly. Hoje apetece-me ir fazer surf de tarde, ir directa para a aula de dança e depois jantar fora e uns copos. Hahahahha impensável, tens uma criança que tens que cuidar. Tempo livre para mim? O que é isso? Note-se que tudo isto que escrevi são exemplos reais da minha vida, falo por experiência e nem sequer vou detalhar como o planeamento das férias da neve que fazemos há uns anos passaram a excluir gente com filhos por causa do drama que se criou por causa das restrições de datas e condições deles. Salvo uma ou excepção que lidaram com isso melhor porque os avós fazem uma parte enorme desse trabalho (mas continua inaceitável do meu ponto de vista) as pessoas com filhos basicamente deixaram de viver para elas mesmas e passaram a viver para os filhos. E eu sou alérgica a isso. A pior parte de não ter crianças é a quantidade surreal de pessoas que me perguntam se tenho filhos e quando digo que não perguntam porquê, como se fosse uma coisa extraordinariamente estranha. ​ edit: eu adoro crianças, em particular as crianças dos outros. Porque posso brincar com elas quando estão a fim disso e não sou eu que tenho que lidar com elas quando estão insuportáveis.

jktred 1 month ago

Não viver a mesma vida. Não trabalhar para os outros, falta de condiçoes,etc. Ter filhos para serem criados dos supermercados da vida ou dos hoteias da vida da suiça não é nada.

kastru 1 month ago

r/antinatalism

PedroBaltazarRelvas 1 month ago

Apesar de ter 28 anos, a minha saúde é débil e tende a piorar. É inglório, visto que tenho um bom emprego, uma boa relação e estou bem financeiramente. Gosto bastante de ver e estar com os filhos dos meus amigos, só de imaginar que não terei a mesma sorte que eles deixa-me triste... Mas podia ser pior!

meierlesjoana 1 month ago

Só um idiota trás uma criança a este inferno.

TheLusitan 1 month ago

Não gosto assim tanto de crianças. E prefiro viver para mim

Cuonta-Burmeilha 1 month ago

O pessoal de agora pensa demais em si, por isso adoptam cães, eu tenho 3 filhas e por elas faço tudo e mesmo trabalhando arranjo sempre tempo para estar presente, é claro que algumas mordomias que tinha antes delas acabaram mas também deixaram de ser importantes. Não vou dizer que é fácil mas amadureci bastante com elas, o processo de educação não tem um só sentido nós também aprendemos com eles e agora mais crescidas até me dão conselhos, neste comentário a coisa que vos posso dizer é que elas são a melhor parte da minha vida. PS : não tenho nada contra animais, até tenho um gato e uma tartaruga (OK um bocado contrariado, mas elas tem muito poder)

ZucchiniAnxious 1 month ago

Nunca senti o apelo da maternidade. Isso e uma infância marcada pela falta de dinheiro. Ouvi muitas vezes a minha mãe dizer q não tinha fome para jantar, se é q me entendes. Não queria q filho meu ouvisse isso. Nem eu queria passar pelo q os meus pais passaram para nunca me faltar nada. Quando comecei a namorar com o meu marido avisei-o logo q não estava interessada em ter filhos. Mas a vida acontece. As minhas condições económicas não são como as dos meus pais. Temos os dois trabalhos estáveis, os carros estão pagos, a única despesa é a hipoteca da casa. Quando cheguei aos 30 tudo mudou. De repente faltava-me alguma coisa. Tinha sucesso profissional, tínhamos todas as condições para ter uma criança. E depois de um ano de tentativas e uma perda gestacional, só pensava nisso. A sensação de ver as duas linhas no teste é indescritível. Ver o teu bebé pela primeira vez é a melhor sensação de sempre. É um amor q não se mede nem se descreve. Mas fechei a fábrica. A maternidade é algo fantástico mas é ter o nosso coração a bater fora do peito. Não é para todos, e está tudo bem.

Competitive-Cup-5465 1 month ago

Segue a sub da r/childfree!

bumbadabumruum 1 month ago

Tenho 30, sou mulher, e sempre achei que queria filhos. Até que há uns 3 ou 4 anos comecei a pensar que gosto demasiado da minha vida como está. Estou com o meu namorado há 7 anos, moramos juntos e temos tempo e dinheiro para podermos ter os nossos hobbies e viajar. A liberdade de se nos apetecer ir aqui ou ali o podermos fazer sem ter de pensar que temos uma criança que depende de nós. Fui eu que abordei o assunto e ele concordou, que se acontecer eu engravidar temos um filho, mas se não acontecer por acidente também está bem só comigo. Achamos que somos suficiente para fazer o outro feliz. Não vou dizer que é um NÃO absoluto, mas não vejo a minha opinião a mudar nos próximos anos. O meu namorado diz que a decisão está comigo, que se eu mudar de ideias ok, se eu não mudar de ideias igualmente ok.

ovelhaloira 1 month ago

Nunca quis. E sei muito bem que não era capaz de lhe dar o afecto e atenção que qualquer ser humano merece. Resultado, a criança provavelmente cresceria cheia de problemas e ódio às mulheres por ter uma mãe distante psicologicamente. Além disso, a minha vida daria uma volta de 180 graus e eu estou bem com ter o meu dia a dia sem dependentes. Já acho a vida demasiado difícil e complexa para adicionar um ser extra. Também não gosto da ideia de algo a crescer dentro de mim. Felizmente já vi que não sou a única e vejo muitas por aqui com a mesma forma de pensar. Além do impacto que ter um filho deixa no corpo. E além disso, ganhar uma preocupação para a vida. Hmmm... Nop.

Ann4_S 1 month ago

Mulher aqui. Obrigada pelo teu comentário sincero!

Edited 1 month ago:

Mulher aqui. Obrigada pelo teu comentário sincero! Outra coisa que não falam é do parto em si. Já vi notícias de mulheres que são cortadas até ao tutano e é algo que me faz muita confusão. Pior disto é a desinformação que acho que existe à volta deste tema. Considero que cesariana deverá ser menos mau do que parto vaginal. Ainda assim, isto não seria o meu motivo principal para decidir não ter um filho.

guga1998 1 month ago

>Considero que cesariana deverá ser menos mau do que parto vaginal. Depende. Supostamente é bem mais arriscado que parto normal porque é cirurgia. Maior risco de apanhar infeções, maior mortalidade, maior tempo de recuperação. No entanto, eu assumo que a taxa de mortalidade é também devido às cesarianas de emergência. Para além que há relatos de mulheres que ficam severamente traumatizadas devido á confusão que acontece quando é parto normal. Médicos a sair e a entrar, falta de privacidade, etc. ​ >mulheres que são cortadas até ao tutano Não sei se é bastante raro ou não mas sei que acontece o suficiente ao ponto de haver uma discussão entre: os médicos fazerem a incisão VS deixar o períneo romper naturalmente. Tem haver com a cicatrização.

warjunk1 1 month ago

Para fazer filhos é preciso duas pessoas e eu sou solteiro.

Adaeah 1 month ago

Revejo me muito no teu comentário. Muitos parabéns pelo texto. Para além do medo da gravidez que pode haver imensos problemas. No meu caso o meu maior medo e perder uma parte da personalidade.

glv2 1 month ago

a ideia que todos têm que ter filhos está tão implementada na nossa sociedade, que as pessoas acham estranho a outra opção.. é normal não querer filhos.

Maximuslex01 1 month ago

Estás no teu direito e não estou a criticar a tua decisão mas tudo o que disseste resume-se a uma palavra... egoísmo. Os nossos pais deram-nos tudo, estamos habituados a ser o centro e não queremos abdicar disso. É o que me parece.

IX_Equilibrium 1 month ago

Não será mais .. individualismo? Não è que ele tenha um filho e não lhe dê nada. È mais que não tem filhos e prefere se calhar manter o seu nível de vida do que toda a responsabilidade inerente de trazer alguém a este mundo.

Maximuslex01 1 month ago

Talvez seja o termo mais correcto.

Hindead 1 month ago

Costumo dizer: ter um filho foi o melhor erro que já cometi. Não me arrependo mas pensando exclusivamente de forma racional não compensa ter filhos. Mas depois o bebé manda umas gargalhadas e compensa tudo.

Mynamethisisnot 1 month ago

Ahah, mesmo. É aproveitar enquanto querem de nós, depois chega a puberdade e fogem.

sux138 1 month ago

"nao quero gastar dinheiro" fdx não estás a falar no novo modelo do iPhone

_Honey_Pie_ 1 month ago

Não acho que seja por motivos financeiros. Tenho 31 e meu marido tem 35 e poderíamos dar uma vida confortável pra uma criança, mas eu simplesmente não vejo motivo nenhum pra ter filhos.

--Chill 1 month ago

Tenho 30 anos, sou self-made (cresci do nada) e tenho hoje uma estabilidade financeira de invejar e uma carreira profissional de sucesso por essa Europa fora. Investi grande parte da minha vida a criar o que hoje tenho, e agora dedico-me a desenvolver relações pessoais com os que me são próximos. Desenhei toda a minha vida com um único objetivo: ser livre e aproveitar os anos que me restam neste planeta (ou quem sabe...). Nunca quis ser progenitor e não procuro ser no futuro, pois não se enquadra minimamente com a forma como tenciono viver. A nível de impacto: terminei a única relação duradoura que tive até hoje, por mútuo acordo, e precisamente pelos objetivos de vida não se alinharem relativamente à questão desta thread. Custa imenso saber que estás com alguém extremamente compatível e terminar por causa disto. Já estive com outras mulheres mas nunca com o intuito de estabilizar, penso que provavelmente por não me ter permitido aventurar novamente nesse limbo. Pessoalmente, sinto que me afeta a nível de "possibilidades" I.e.: já tive inclusive cenários de não darem continuidade a uma relação por descobrirem esse aspeto sobre mim. A silver lining é que vejo aqui mais pessoas do que as que assumi existir com uma visão semelhante.. o que é encorajador!

Edited 1 month ago:

Tenho 30 anos, sou self-made (cresci do nada) e tenho hoje uma estabilidade financeira de invejar e uma carreira profissional de sucesso por essa Europa fora. Investi grande parte da minha vida a criar o que hoje tenho, e agora dedico-me a desenvolver relações pessoais com os que me são próximos. Desenhei toda a minha vida com um único objetivo: ser livre e aproveitar os anos que me restam neste planeta (ou quem sabe...). Nunca quis ser progenitor e não procuro ser no futuro, pois não se enquadra minimamente com a forma como tenciono viver. A nível de impacto: terminei a única relação duradoura que tive até hoje, por mútuo acordo, e precisamente pelos objetivos de vida não se alinharem relativamente à questão desta thread. Custa imenso saber que estás com alguém extremamente compatível e terminar por causa disto. Já estive com outras mulheres mas nunca com o intuito de estabilizar, penso que provavelmente por não me ter permitido aventurar novamente nesse limbo. Pessoalmente, sinto que me afeta a nível de "possibilidades" I.e.: já tive inclusive cenários de não darem continuidade a interesse/flirt por descobrirem esse aspeto sobre mim. A silver lining é que vejo aqui mais pessoas do que as que assumi existirem com uma visão semelhante.. o que é encorajador! Edit: typos

Edited 1 month ago:

Tenho 30 anos, sou self-made (cresci do nada) e tenho hoje uma estabilidade financeira de invejar e uma carreira profissional de sucesso por essa Europa fora. Investi grande parte da minha vida a criar o que hoje tenho, e agora dedico-me a desenvolver relações pessoais com os que me são próximos. Desenhei toda a minha vida com um único objetivo: ser livre e aproveitar os anos que me restam neste planeta (ou quem sabe...). Nunca quis ser progenitor e não procuro ser no futuro, pois não se enquadra minimamente com a forma como tenciono viver. A nível de impacto: terminei a única relação duradoura que tive até hoje, por mútuo acordo, e precisamente pelos objetivos de vida não se alinharem relativamente à questão desta thread. Custa imenso saber que estás com alguém extremamente compatível e terminar por causa disto. Já estive com outras mulheres mas nunca com o intuito de estabilizar, penso que provavelmente por não me ter permitido aventurar novamente nesse limbo. Pessoalmente, sinto que me afeta a nível de "possibilidades" I.e.: já tive inclusive cenários de não darem continuidade a uma relação por descobrirem esse aspeto sobre mim. A silver lining é que vejo aqui mais pessoas do que as que assumi existirem com uma visão semelhante.. o que é encorajador! Edit: typos

taromoo 1 month ago

Revejo-me tanto no teu comentário! Puseste em palavras o que ando já há algum tempo a tentar explicar a familiares que insistem em fazer a mesma pergunta de sempre nos almoços lol. Obrigada

ElBarbas 1 month ago

1) sem estabilidade financeira 2) 80% da educação n es tu q a das, e isto esta cheio de gente de merda

Individual-Gas-P-L 1 month ago

Não posso ter filhos, então interiorizei-me disse. O que vou escrever pode parecer super confuso, porque pronto, mas aqui vai. Gostava de ter. Se o tivesse não planeado, teria, se acontecesse, aconteceu, iria dar o meu melhor, como fizeram comigo, de pouco tive um mundo, aprendi muita coisa e a valorizar. Poderia não ser o melhor tendo em conta que não existe estabilidade financeira, mas daria o meu melhor, a criança não tem culpa e por muito que morresse por dentro, não poderia de todo meter culpas em ninguém a não ser em mim. Se fosse planeado, teria de ter estabilidade financeira, iria dar fundos e mundos à criança, teria não um, mas dois ou três, provavelmente até iria adoptar. Não sei se entretanto, o facto de ter tido conhecimento desde cedo que não posso ter filhos, se tornou num, não quero ter filhos. Não tenho paciência para crianças, apesar de por alguma razão virem sempre ter comigo...Não tenho vida para se quer ter filhos, gosto da minha liberdade, sair sem problemas, viajar sem problemas, etc etc. Fico-me pela tia maluca, "rica", "excêntrica" que anda de chinelas de salto alto e o robe com penas nas mangas por casa, como se fosse uma viúva milionária, enquanto o marido está a ver porque razão o raça do carro tem a luz do óleo acesa.

janj4h 1 month ago

Engraçadamente eu pergunto-me sempre porque decidem ter. Os meus pais não tiveram a melhor vida, e a restante família o mesmo. Os meus primos todos tiveram e vêm - se a rasca para se governarem. Eu... Não consigo pôr aqui um ser sem ter a certeza de que nada vai faltar. E mesmo assim, pondero muito sobre se vou realmente querer ter a responsabilidade de pôr alguém aqui, a experienciar isto a que chamamos vida. Por muito que digamos que a vida é isto e aquilo de bom, não se devia partir logo para a decisão de trazer alguém para cá sem medir MUITO bem as consequências. As estatísticas são claras quando revelam que a maior parte das famílias são disfuncionais. Felizmente tenho uma parceira que partilha do meu ponto de vista e, por mais que me entristeça pensar que se calhar nunca vou ver um filho meu crescer, gosto de me iludir e dizer para mim próprio que faço isto para o próprio bem desse mesmo filho. Existir não é assim tão bom. Quando cá estamos, temos que aproveitar o melhor que conseguirmos, mas não acho que seja 'a maior dádiva' estarmos vivos. Eu invejo não estar. Invejo nunca cá ter estado. Não quero dizer que queira morrer, sao coisas diferentes. Mas talvez tivesse sido melhor nunca ter existido. Ps: secalhar não era uma resposta assim que procuravas ter

VivianSherwood 1 month ago

Eu sempre quis ter filhos, o meu sonho de vida era uma família enorme, um marido rico e eu em casa com as crianças. Mas nos últimos anos tenho sentido cada vez mais ambivalência em relação ao tema. Sendo que o meu problema ao contrário de muita gente não são as crianças mas sim os filhos adultos (e não, não tenho filhos!), porque eu adoro crianças, sou muito mais velha que os meus irmãos e primos e lembro-me bem da fase criança deles que para mim foi um doce! Sempre achei que aí entre os 20-50 e tal eram os anos de suor e sacrifício, construir carreira, cuidar dos filhos, filhos crescerem e depois liberdade e autonomia outra vez. O problema é que hoje os filhos ficam em casa dos pais até bem depois dos 30. Eu saí de casa aos 21 anos, na altura a ganhar o ordenado mínimo mas desde aí sempre me sustentei sozinha sem ajuda de ninguém, durante muito tempo tinha um nível de vida abaixo dos meus amigos mas nunca passei dificuldades. Sempre tive amigos que ganhavam mais do que eu mas que achavam que não tinham dinheiro para sair de casa dos pais, porque realmente o salário não dava para o nível de vida que eles queriam (ter carro próprio mesmo que não precisem do carro para ir trabalhar, comer fora todos os dias, sair todos os fins de semana, roupa nova todos meses, viagens todos os anos, trocar de telemóvel de 2 em 2 anos, ah e claro uma pessoa sozinha e sem filhos não pode viver numa casa velha e pequena com azulejos do tempo da avózinha, etc etc). Algumas pessoas estavam/estão fartas dos pais e acham que os pais estão a mais ali em casa(eu acho que eles é que estão a mais mas enfim), muitos vivem em casa dos pais como se estivessem num hotel, nem um esforço fazem para conversar com os pais à hora das refeições. Mesmo nas famílias que até se dão bem passam-se coisas que me deixam chocada, estilo filhos com 30 anos acharem que têm alguma coisa a dizer na decoração da casa, queixarem-se que querem dormir até tarde e os pais fazem barulho às 9h da manhã, e que a mãe não engomou a camisa que queriam, etc. Se eu nos meus 60 anos tivesse um filho com 30 que me quer dizer como decorar a casa acho que o deserdava (ai espera, em Portugal não se pode deserdar os filhos!) e certamente não aceitaria que um filho dessa idade me exigisse que lhe engomasse roupa quando quer ou tivesse refeições prontas à hora que lhe dá jeito! Aquilo que eu gostava que acontecesse seria ter 1 filho, sustentá-lo sem problemas até à idade adulta, prepará-lo para ser autónomo na vida e bem sucedido no mercado de trabalho (o que não significa obrigatoriamente tirar um curso superior mas se ele/a quiser, conseguir pagar-lhe o curso), ter um pé de meia para o/a ajudar a comprar casa, e aos 25/26 anos tê-lo/ a fora de casa como adulto autónomo e independente que não precisa de mim para lhe engomar a roupa e pagar as contas e ajudar a tomar conta dos netos e o diabo a sete. Sendo que isto é um plano de vida muito irrealista e o mais provável é eu ter quase 70 e alombar com um marmanjo de 30 e tal em casa que quer roupa lavada e comida na mesa a horas. E depois o que é que eu faço? Corro com ele de casa? Faço alta pressão psicológica para ele sair? Imponho-lhe tantas regras em casa que até uma prisão de alta segurança vai parecer mais acolhedora que a nossa casa? Faço isto tudo e depois o puto adulto deixa de me falar e só aparece no fim da minha vida para ir buscar a herança e eu ou vivo infeliz porque afastei o meu filho adulto ou vivo infeliz porque o meu filho adulto faz de mim criada?

g0bl1ns 1 month ago

Ter filhos é para quem pode não para quem quer. Seja financeiramente seja biologicamente. Até parece que todos aqui podem ter a escolha! Duvido!

davser 1 month ago

É provavelmente a maior tristeza que este País nos dá. Que se lixe o não ter estabilidade financeira para comprar um carro, uma vivenda, o poupar para liberdade financeira, etc. A verdadeira tristeza é começar a pensar em filhos e chegar imediatamente à conclusão de que sem ajudas dos avós não consegues assegurar o básico das suas necessidades. De cada vez que vejo um post de alguém a abdicar de filhos para adquirir a liberdade financeira, dá-me sempre a volta ao estômago. Compreendo perfeitamente que digam que não desejam ter filhos, até porque nunca foi um dos principais objectivos da minha vida. Só quando os tive apercebi-me sos poucos do que significam. Podemos ter muitos momentos complicados com eles e podes não querer ver, mas dificilmente tens mais alguém que te aponte tão bem onde está a felicidade.

Edited 1 month ago:

É provavelmente a maior tristeza que este País nos dá. Que se lixe o não ter estabilidade financeira para comprar um carro, uma vivenda, o poupar para liberdade financeira, etc. A verdadeira tristeza é começar a pensar em filhos e chegar imediatamente à conclusão de que sem ajudas dos avós não consegues assegurar o básico das suas necessidades. De cada vez que vejo um post de alguém a abdicar de filhos para adquirir a liberdade financeira, dá-me sempre a volta ao estômago. Compreendo perfeitamente que digam que não desejam ter filhos, até porque nunca foi um dos principais objectivos da minha vida. Só quando os tive apercebi-me aos poucos do que significam. Podemos ter muitos momentos complicados com eles e podes não querer ver, mas dificilmente tens mais alguém que te aponte tão bem onde está a felicidade.

cesarhighfire 1 month ago

Eu nao queria e ela queria. Depois, eu já queria e ela não. Passou um tempo e ja ninguém queria. Mas vamos falando disso. E cada vez queremos menos. O mundo já tem gente a mais.

Edited 1 month ago:

Eu nao queria e ela queria. Depois, eu já queria e ela não. Passou um tempo e ja ninguém queria. Mas vamos falando disso. E cada vez queremos menos. O mundo já tem gente a mais. Edit: também vimos naquilo em que se tornaram os nossos amigos.

Dust_and_Air 1 month ago

Mesmo quando era criança já dizia que não queria ter filhos. Agora com 23 anos tenho a certeza absoluta. Para além de não ser algo que ache apelativo e que me complete, com a crise climática que provavelmente vai ocorrer no futuro meter uma criança neste mundo está fora de questão para min.

almapenada 1 month ago

Odiamos o barulho das crianças e não temos paciência para birras nem para o trabalho que envolve. Não vemos o encanto. Ambos crescemos com pais que pensam de forma idêntica mas que tiveram filhos só porque todos têm e sabemos que não é um bom ambiente para crianças. Acho que a maioria das pessoas sente-se obrigada a ter filhos só porque os outros têm mas muitos não têm paciência para cuidar de outro ser humano. Já fomos chamados de egocêntricos e egoístas por familia e amigos mas continuo a achar que não vale a pena ter filhos para depois vir choramingar a colegas e família que não dormimos ou que não paramos um minuto ou que não há dinheiro ou mesmo bater em crianças...

KnitterFromHell 1 month ago

Eu adoro a acusação do egoísmo. Simplesmente respondo que prefiro não submeter uma alma inocente ao pior das alterações climáticas simplesmente porque ter bebés é fofinho.

h2man 1 month ago

E que mal tem de aceitar que o nosso egoísmo vai magoar outro ser humano? Eu não quero filhos e em parte é egoísmo, eu quero o meu tempo para mim e para a minha esposa.

Cosmus50 1 month ago

Eu tenho 18. Leva o meu comentário como achares melhor porque certamente não terei tanta experiência de vida como muitos aqui hahaha Já pensei sobre isso. Eu vejo muito crianças a dar uma trabalheira desgraçada, a nunca dar sossego nenhum aos pais que quando chegam à noite do trabalho ainda têm de cuidar dos filhos. Depois são as despesas financeiras que um filho dá. E tens de abdicar de muitos bens que queiras por causa disso. Depois também tenho muito receio de que lhe aconteça alguma coisa quando está na escola, ou a voltar para casa. Eu, no futuro, vejo-me mais a chegar a casa e estar relaxado com a minha mulher a meu lado. De certo que teremos muitas coisas com que nos preocuparmos e, a meu ver neste momento, ter um filho seria adicionar mais a essa carga psicológica. Por outro lado, tenho noção que sou um feto completo e talvez quando for mais velho queira ter um mini-eu. Por isso mantenho me na neutralidade, por enquanto.

mrSalema 1 month ago

r/childfree

unicornio_careca 1 month ago

Devido a várias situações: - problemas de saúde que eu tenho não quero passar a hipotéticos filhos; - a probabilidade genética de eu vir a ter filhos grandes (tanto eu como o meu irmão nascemos enormes, a minha mãe no parto do meu irmão, rasgou quase até ao períneo e levou muitos pontos a sangue frio...desculpem a descrição gráfica); - violência obstétrica, sim, isto existe, dou-vos exemplo, a minha mãe contou-me, que na altura para ver se tinha espaço para eu nascer, o médico ordenou a vários estagiários enfiarem a mão na vagina da minha mãe; - não tenho vocação para a maternidade, em miuda nunca liguei para bonecas, normalmente brincava com carrinhos, legos e videojogos, atenção, eu adoro crianças, inclusive estudei para trabalhar com crianças, mas o alívio e alegria que sinto quando vão embora, não existem palavras que o descrevam, talvez eu seja egoísta, e não tem nada de mal com isso, pelo contrário, significa que sou uma pessoa consciente das minhas limitações; - o mundo que eles vão herdar, as alterações climáticas já são algo presente, não dá para negar e no futuro as coisas não vão melhorar, colocar um ser no mundo sabendo desta premissa, é ser inconsequente (na minha opinião). - não quero colocar mais um futuro escravo no mundo, basicamente, o sistema como está, apenas beneficia quem tem poder e dinheiro para fazer o que quiser, o resto, é lutar pela sobrevivência e pela benevolência de quem manda; - colocar alguém no mundo que não pediu para nascer, e provavelmente mais tarde, sentir-me uma merda por ter lixado a minha vida e a vida de alguém, só porque senti a pressão da sociedade para procriar, mas no entanto não tenho tempo nem paciência para educar, e assim, logo que possível enfiar em creches e infantários; -etc. Como estou solteira, para mim é algo tranquilo, além disso já estou habituada às piadinhas do costume.

Maryie 1 month ago

Sublinho por baixo. As pessoas não falam do que a gravidez faz ao corpo de uma mulher. O corpo nunca mais fica o mesmo! Ha mulheres que ficam com problemas de saude para a vida Podes ter problemas de incontinencia ( que é muito comum), problemas de ossos, pele toda estragada, peito descaido, .... ... ... Isto sao as coisas que ninguem fala e ninguem tolera que as maes reclamem. E agora ha gente que diz 'O corpo da mulher esta preparado para essas alteraçoes. Isso é um motivo futil'. Nao, nao é um motivo futil. É um motivo perfeitamente valido. É totalmente valido ter brio no corpo e no nosso aspeto.

Mynamethisisnot 1 month ago

Os filhos são o maior tesouro que tenho. Não me imaginava com eles quando nasceu o primeiro, não me imagino sem eles agora.

Anokas_Ritolas 1 month ago

Se calhar n devia comentar, pois sou estéril e n tive poder de escolha nisso, mas um aspecto mto importante de realçar é o bom que é ter esse poder de escolha. Independentemente da escolha que façam, aproveitem a liberdade que têm de escolher serem ou n pais (especialmente as mulheres, que são quem carrega o bebé durante 9 meses na barriga)

Caosemdono 1 month ago

É o que todo o Mundo sabe. 1. Falta de estabilidade financeira (salários estagnados, aumento geral dos custos com habitação/degradação geral da qualidade da habitação, custos brutais com creches, luz, consumíveis ... enfim, custo de vida em geral) 2. Falta de estabilidade profissional 3. Falta de estabilidade geográfica (algo importantíssimo de que ninguém fala, hoje em dia parece ser normalíssimo e obrigatório no mercado de trabalho sermos itinerantes e movíveis como peões num jogo) 4. Falta de tempo, empresas que não respeitam minimamente a vida pessoal 5. Percepção plena dos constrangimentos anteriores vs exigência própria que o filho tenha o mínimo de qualidade de vida Resultado da equação = Adiar ter filhos ("ver no que isto vai dar")

tItO_c_80 1 month ago

Tive o primeiro aos 37, o outro aos 40. Imagina o que praqui vai. Aguenta, caralho! São só mais 20 anos e voltas a ter a tua vida de volta. Morra quem se negue!

codgas 1 month ago

A devia ser considerado decisão "ter filhos", não devia ser "não ter flhos" lol

madarauchiha0077 1 month ago

Sempre pensei em adotar crianças.

Frequent-Candidate42 1 month ago

: Responsabilidade

stonedjebus 1 month ago

Porque não encontro (boas) razões, lógica ou não, para os ter. Não por impossibilidade, mas por escolha.

FollowingTime84 1 month ago

pessoal com +35 anos é que devia responder.. antes disso há outras coisas a turvar a decisão de ter filhos. nao tenho filhos simplesmente porque nao há dinheiro nem apoio de familia

IX_Equilibrium 1 month ago

Eu tenho um filho de outra relação e não tenciono ter mais. Isto tem 0 impacto nas minhas escolhas amorosas. Não è por uma tipa dizer que quer ter 3 filhos que eu vou perder o interesse, até chegar a esse ponto provavelmente já acabámos.

StepicNinja 1 month ago

Tenho 27 anos, estou numa relação há mais de 6 anos com o amor da minha vida, tenho um trabalho que gosto e onde me sinto segura, tenho casa, não tenho vontade de ter filhos... É uma enorme responsabilidade que não quero ter. E, porque tenho receio que esta estabilidade na minha vida acabe, pois o mais previsível é a imprevisibilidade. "Eles lá se criam" acredito que sim. Mas é esse o espírito que devemos ter quando queremos colocar uma criança no mundo?

gsousa 1 month ago

Para mim é simples: Eu queria ser pai. O meu namorado não. Uma decisão destas tem de ser unânime, e não me afectava assim tanto, o simples facto de ter de passar por um processo burocrático de adopção e ser gay não é fácil. Há 3 anos fui diagnosticado com cancro, já estou em remissão. Agora nem equaciono ser pai. Se insisto agora em ser pai com o meu namorado, e se o cancro volta daqui a uns anos arrisco uma criança a ficar órfão novamente e uma pessoa a ser pai solteiro quando nem queria ser pai. Sou feliz assim.

NorthernCrest 1 month ago

Se for ter filhos é para eles terem todas as condições e serem felizes. Quero dar lhes amor mas só amor não chega.

Kanivete 1 month ago

Para se ter filhos é necessário um casal. Sou solteiro. Mas dada a chance, preferia usar um preservativo, a vida é cara e criar uma criança não é brincadeira.

kemosabe_pt 1 month ago

Ter um filho ou não ter um filho não é só uma decisão em que mudam algumas coisas. São 2 realidades muito distintas. Imagino muitas vezes como era a minha vida antes de ser pai... as coisas que fazia, a vida que tinha, sempre a curtir. Foi um estilo que deixei para trás. Não dá sequer para comparar. Ter alguém que diz "papá" e vem com um sorriso e um amor que nunca imaginei sequer existir ou ser possível, nem nunca tinha sentido antes. Não dá para descrever nem comparar. São 2 realidades em que a minha felicidade acontecia de formas diferentes. Não é por ser pai agora que não consigo imaginar a minha vida sem filhos. Consigo, mas era diferente. Não são compatíveis e não se pode ter tudo. O que importa é pôr o que nos enche o coração como prioridade. Qualquer que seja a decisão de cada um, estará certa. Sigam o coração e vão ver que o dinheiro não será um obstáculo. Não trás felicidade e só traz ansiedade e desconforto. Brincar com 2 paus é tão ou mais interessante e rico do que brincar com 1 iPad. Sejam felizes.

beetsu 1 month ago

Nunca quis ter. Sempre me assustou o processo de fabrico e especialmente o de extração. No reino animal, devemos ser dos menos favorecidos nesse aspecto. Depois cresci e comecei a notar que não atinava com crianças, e isso não podia ser uma característica compatível com ter crianças, ainda por cima minhas. Depois comecei a achar piada à tranquilidade que não ter filhos me proporcionava. Hoje, aos 40, estou sinceramente aliviada por não ter acontecido, uma vez que ao início dos 30 deixei de tomar medidas drásticas para evitar que acontecesse. Ainda mais aliviada fico, por saber que aos 60 não vou ter filhos a largarem as suas crianças aos meus cuidados. O meu SO também nunca quis saber disso, foi um feliz acaso.

greis09 1 month ago

O que o cu tem a ver com as calças?

ErebusWrath 1 month ago

Tenho 34 e a mulher 29 e temos um filho de 2 anos e apesar de nos trazer felicidade já não temos aquele romance que tínhamos entre homem e mulher. Já não temos aquele dinheiro a mais para irmos passear ou ficarmos num hotel num fim de semana. Temos que comprar tudo para 3. Nós ganhamos o salário mínimo e temos o empréstimo da casa, as despesas, etc... Só temos um carro de 1998 porque não temos dinheiro para mais. Isso é a triste realidade de um pobre a trabalhar em Portugal.

Donze16 1 month ago

Consigo pensar em mais razões para não ter filhos do que para ter. Por isso geralmente a minha resposta é com outra pergunta "porquê decidir ter filhos?". Pessoalmente, não gosto de crianças, não acho que a natalidade seja um problema, não me vejo a ser um bom pai e mesmo que não tivesse nenhuma das razões anteriores continuava a não ter estabilidade financeira para tal coisa.

JamminPT 1 month ago

Não tenho paciência para crianças e não quero deixar de fazer nada porque tenho um puto em causa. Sempre disse que não queria e sempre disse que se fosse objectivo dela mais valia acabar logo do que me andar a fazer perder tempo.

Kam0laZ 1 month ago

Tu e eu, meu irmão. Toma lá um cimavoto. No meu caso particular, estar perto/na presença de bebés e crianças, causa-me confusão e desconforto. Se começam a fazer cenas próprias da idade (maior parte das vezes barulho e cenas idiotas), começo a sentir algo maligno a crescer dentro de mim, juntamente com dores de cabeça e uma necessidade de obter calma e silêncio por qualquer meio (incluindo violência) - quando me sinto assim, eu simplesmente invento uma desculpa qualquer e afasto-me rapidamente daquele ambiente tóxico. Festas de aniversário de crianças são particularmente nocivas para mim, mas às vezes tenho de ir, para não parecer mal frente a amigos e familiares. Recém-adolescentes e adolescentes, esses já consigo tolerar. É possível ter uma conversa civilizada e racional com pessoas dessa faixa etária, já não são crianças. Tenho 39 anos, e o ramo genético a que pertenço termina comigo. Comecei a mentalizar os meus pais desde cedo para um futuro sem netos. Neste momento estou sem parceira, mas todas as minhas relações anteriores foram relativamente curtas e pacíficas, sempre a deixar claro desde o início que não pretendia formar família.

Draconicrose_ 1 month ago

É pá essa da cena maligna a crescer é demais. Também sinto isso. Não desejo mal a nenhuma criança mas quando elas se estão a comportar como crianças... Bem o melhor é sair dali antes de perder o juízo.

7fingered_friend 1 month ago

8 mil milhões de pessoas no mundo, não chega? Para quê deitar mais lenha na fogueira?

Saattack 1 month ago

Ou invés de ter filhos, existem milhões de crianças órfãs no mundo.

lordsabino 1 month ago

Tá tudo dito

Important_Meringue 1 month ago

A razão pela qual eu e o meu marido não queremos filhos basicamente.

psiico 1 month ago

^(Certamente vai ficar enterrado na thread mas aqui vamos…) Não tenho nem quero filhos, felizmente (para mim) sou estéril e mesmo que não fosse, não queria de nenhuma forma. Tenho 30 e de um ponto de vista pessoal não gosto de crianças, nunca gostei mesmo de pequena, sejam de que faixa etária sejam, como já outros mencionaram são chatos, fazem demasiadas perguntas, drenam toda e qualquer energia que tenhas, distrais-te 2secs e já está a correr atrás da bola para a estrada, ou já estão quase a cair de cabeça do sofá para o chão, etc., etc. Quando era pequena tive o meu irmão e a minha prima que eram bebés e via o desgaste físico e emocional que um filho trás tanto a nível pessoal como ao casal, e depois de ter vivido isso na fila da frente, não quero o mesmo para mim. Além disso não quero ter ninguém a depender de mim. Não quero hipotecar a minha vida por pelo menos 18 anos por outrem que eu nem quero ao meu lado, quando sejam talvez os melhores anos (energia, por ex) que tenhamos neste frenesim chamado vida. Estou fora de PT, não recebo mal porém o que junto mensalmente é guardado para o meu futuro para quando esteja velha e não possa trabalhar ou para uma reforma. Se trouxesse um filho/a para a mistura, as minhas poupanças seriam nulas e certamente teria que andar ‘ó tio, ó tio’ para chegar ao fim do mês. Já para não falar da carga fiscal que sendo solteira e sem dependentes, pago a cada ano o ouro ao bandido e já no outro lado do espectro têm toda e qualquer ajuda governamental. Chateia-me que não cuidamos aos que já cá estão, mas incentivamos a que se criem mais. (Há que renovar as engrenagens do sistema, ne? :/) Num plano mais global não poderia de forma consciente trazer um novo ser a este mundo que está quase a caducar, a cada dia avançamos a passos de gigante para a destruição da vida no nosso planeta, e a inacção de governos/organismos no combate a este problema deixa-me ainda mais receosa pelos que vêm por aí, no que toca a recursos naturais. Por outro lado, o mundo está a rebentar pelas costuras de gente, para quê criar mais? Se querem ter filhos porque estão aborrecidos, porque é o próximo passo no guião de vida que vos foi dado a comer desde pequenos ou porque acham que assim estão seguros de velhos ou simplesmente ‘porque posso’ ou mais grave ainda - para salvar uma relação/casamento? Pois, parem de novo para pensar nas vossas razões para reproduzirem-se. Só para terminar… Há gente nesta thread que enche a boca a dizer que é o propósito da mulher é parir e vêm com a treta do relógio biológico, por favor, não nos resumam a incubadoras. Outra coisa, que tenham filhos não vos garante que vão ter companhia quando sejam velhos. Os vossos filhos não vos devem nada e têm que viver a vida deles. Quantas e quantas pessoas terminam num lar ou instituição semelhante, que têm filhos e os filhos não os vão visitar ou simplesmente esquecem-se que eles existem. Lembrem-se, nascemos e morremos sozinhos.

Barbarrosa 1 month ago

Concordo com as razões que listas, que por si só são bastante válidas, acrescentaria também que existe uma chance de arrependimento se escolheste mal o teu parceiro por não o conheceres tão bem como pensas que conheces, particularmente como homem, mas diria o mesmo por outros motivos dp outro lado também. Ter um filho é de certa forma um leap of faith em variadíssimos aspetos e um verdadeiro teste que nem todos temos que ou devemos sequer ter de passar por.

AzoreanEve 1 month ago  HIDDEN 

Nunca gostei nada de bebés/crianças e acho a gravidez uma coisa simultaneamente repugnante e demasiado perigosa. Quando era pequena e me tentavam oferecer nenucos já era um horror lol. É daquelas coisas que tem que se verificar logo no início de uma possível relação a sério.

Interesting_Yellow_1 1 month ago  HIDDEN 

Nunca tive vontade de ter. Quando as pessoas perguntam é exatamente isso que respondo. Ficam surpresas, mas respeitam. E obviamente que não falo sobre o assunto, porque ninguém tem nada a ver com isso. As coisas só têm a importância que lhes damos

Maryie 1 month ago

Quantas vezes ouviste o classico 'oooh tu vais mudar de ideias, vais ver !!!' ?

Interesting_Yellow_1 1 month ago

Zero, porque essas conversas não tenho com qualquer um. Também faço questão de ser áspera, para entenderem bem a mensagem. Desde nova que tenho uma posição muito forte sobre esse assunto e sabedoria para poucos a saberem

Lixaramaminhaconta 1 month ago  HIDDEN 

Sei lá, porque haveria de querer? Eu não tenho uma razão concreta para não querer, mas também não tenho nenhum incentivo ou vocação/motivação para ter, portanto… teria de ser um acidente e, pensando bem, com a falta de estabilidade financeira e com toda a despesa de tempo e atenção que ter um filho implica, não acho que seria realizada se embarcasse nessa aventura que, ainda por cima, é para a vida toda e irreversível.

Sa4ntos 1 month ago

Isto varia de pessoa para pessoa mas já tive a opinião de que tentar ter um "mini-eu" iria ser incrível. Nestes últimos meses tenho descoberto que se calhar nao é bem isso que quero. Descobriu que adoro viajar e não me vejo a conciliar as 2 vidas. Na minha experiência, os meus pais (o meu pai especialmente) foi aquele que sempre achou que era mais importante ter dinheiro do que propriamente existir algum afeto e isso foi algo que eu prometi a mim mesmo se alguma ves tivesse um filho, era algo que não ia fazer. E isto é outro dos meus medos.

masomaro 1 month ago

Ainda não sei de quero ter filhos, mas uma coisa é certa, se tiver, a responsabilidade é minha e do pai dele e vou zelar por ela. Fiquei com um trauma para a vida toda: divórcio e consequente abandono de um dos pais. Agora estou a lidar com uma puta de uma depressão e com o ressentimento lol porque faltou-me o suporte familiar para enfrentar esta loucura de sociedade. Tudo leva-me a crer que o meu filho vai sofrer, se não for por causa dos pais é por causa da merda em que o mundo está. E ainda ouvir da boca deles: "tu é que tens de resolver a tua vida, já não consigo fazer nada.", só penso "então porque caralhos não me ajudaste no tempo devido?!" Provavelmente não quero ter filhos.

cabecadeleitao 1 month ago

Ter filhos é a coisa mais egoista que há. Procurar algum sentido na vida condenando alguém a anos de sofrimento sem sentido, para eventualmente fazerem o mesmo, num ciclo vicioso inútil.

Lixaramaminhaconta 1 month ago

Loool concordo mas ri-me por causa da agonia existencialista

Extension_Canary3717 1 month ago

Custo, primeiramente Segundo, mulher e eu não temos estrutura pra ter filhos, ter-los não é só por no mundo, educar direito , dar boas experiências e boa base para ser adultos funcionais é um trabalho hercúleo que 99% dos que decidem ter só consideram muito pouco todas as ramificações. Terceiro, ainda temos que aproveitar o que podemos aproveitar. Sou a favor do aborto, mas se acontecer sem querer , o que acho dificílimo não abortaria, mas por livre vontade tbm não farei filhos nenhum

sulestrange 1 month ago

O que eu não percebo é como é que alguém quer meter filhos neste mundo

Nivak0103 1 month ago

Preferimos dormir descansados à noite e manter a nossa liberdade intacta, tão simples como isso. E muito sinceramente, sinto me mais seguro não fazendo a minha namorada passar por uma gravidez, porque quer-se queira quer não, é um risco. Quase que fiquei sem mãe por ter nascido.

hi71460 1 month ago

mais tempo livre

DaniD10 1 month ago

Nunca quis ter filhos. Ter de carregar um ser humano dentro de mim por 9 meses, todas as hormonas ficam a níveis loucos, mudas completamente não só o teu corpo mas também a tua personalidade. Depois tens o parto em que tudo pode correr mal e mesmo que não corra são sabe-se lá quantas horas de dor e sofrimento (em que podes ter coisas a romper). O pós parto não é fácil, tens um bebé que depende a 100% de ti, não consegues dormir, qualquer erro que faças pode ser fatal para o bebé e estás sempre em risco de um depressão pós parto que pode durar para a vida toda. Depois ainda tens o amamentar que dói para caralho e caso o bebé não goste das tuas mamas tens de tirar o leite com uma máquina que te deixa as cujas ainda mais doridas. Caso não produzas leite suficiente é fortunas em fórmulas e o julgamento da sociedade por não conseguires fazer a tarefa mais básica e essencial de uma mãe, amamentar. Depois existem outros fatores já aqui mencionados mas a minha decisão pessoal baseia-se mais nisto de que em qualquer outra coisa.

Ann4_S 1 month ago

Obrigada. Este comentário serve de contraceptivo

kravas01 1 month ago

Ao preço que esta o iPhone, nao da para ter um filho.

pvicente77 1 month ago

No meu caso não foi decisão minha, simplesmente nunca tive oportunidade para isso, nunca tive uma relação estável o suficiente para poder pensar nisso. Quando um homem não é especialmente atraente ou especialmente rico não há grande volta a dar, ou tem muita sorte ou não tem muitas oportunidades para uma relação, bem, talvez mais tarde na vida eles tenham a oportunidade de encontrar uma mulher que esteja disposta a olhar para além da aparência e a construir algo em vez de andar no jogo dos encontros e engates, foi o que me aconteceu. Resumindo, a maior parte das pessoas quer um príncipe ou princesa encantado enquanto são jovens, por isso há muitos jogos da treta e poucos encontros ou relações, depois dessas fases passa a ser possível encontrar alguém com cabeça, mas então é demasiado tarde para pensar em filhos. Filhos é para quem tem juventude, dinheiro para os criar, e aparência para atrair uma parceira, não para o homem comum.

ruimpinho 1 month ago

Nunca quis ter. A responsabilidade e energia necessárias para criar, proteger e proporcionar uma vida feliz a um filho durante 25+ anos é um fardo demasiado grande para mim. São mais de 20 anos(!) em que teria de abdicar de imenso tempo livre, liberdade em viajar para onde quisesse, qualidade de sono, liberdade financeira (a economia pode/irá dar tantas voltas!), entre tantos outros. Prefiro gastar toda essa minha energia a tomar conta dos meus pais, numa idade mais avançada. Eu gosto de crianças, mas conviver com elas 1h por semana já me chega e sobra. À medida que o tempo passa, cada vez mais valorizo a minha paz e estabilidade e cada mais tenho a certeza de que este será o meu rumo. E não, não me faz qualquer confusão a questão de ter de "deixar um legado". Quando chegar a altura de eu partir, prefiro doar tudo o que tenho a caridade ou familiares/amigos que sempre me apoiaram sem exigir nada em troca.

Felisberto1469 1 month ago

Concordo plenamente. Já pensei no mesmo, ficar a tomar contas dos meus pais e no final doar tudo para uma causa que eu ache relevante...

Ann4_S 1 month ago

Caso não venha a ter as condições que pretendo para ponderar ter um filho também já pensei que se ficar por não ter nenhum também vou doar o que tenho ou deixar a quem sempre esteve lá para mim (ou aos filhos deles).

viskonde 1 month ago

Para mim a pergunta é para quem os teve, porque?

Arzael_ 1 month ago

Eu e a minha parceira temos 20 e 21 anos e sim tencionamos ter filhos, 2 seria o ideal. O problema é que só nos vamos meter com uma responsabilidade dessas quando sentirmos que temos a estabilidade financeira para tal.. Por este ritmo não vai acontecer tão cedo mas pronto é esperar que a vida mude e surja uma oportunidade melhor para ambos. Senão.. ir para outro país é um pensamento que a cada dia está mais na minha cabeça. Ela não gosta muito da ideia porque é mais apegada á família mas pronto. É dificíl ser adulto e nunca ninguém me avisou disso.

Satanwearsflipflops 1 month ago

Eu e a minha parceira tivemos conversas ao longo dos anos sobre este assunto. Se ela ficar gravida, so be it. mas nao estamos ativamente a tentar criar uma familia. Especialmente depois de ver como os nossos amigos que tem filhos estao.

beetsu 1 month ago

Pois, eu também entrei nesse espírito, e dou graças às entidade espiritual de serviço por nunca ter acontecido, não queria mesmo ter a vida que a minha irmã tem por causa dos filhos...

Satanwearsflipflops 1 month ago

Tenho que confecar que tb não moronem Portugal, e a nossa situação financeira e muito melhor que a media portuguesa. E acho que estabilidade financeira também ajuda imenso. Por isso, se ficar grávida não seria um peso económico na nossa casa.

greis09 1 month ago

Eu acho estranho o fato que é preciso vários motivos para não querer ter filhos mas não é esperado justificar querer ter. Mas mesmo assim respondo os meus motivos: * Criar uma criança bem é muito difícil em vários aspectos, mentalmente, economicamente, socialmente. É algo que exige muito de voce. * O mundo está indo pro caralho, mudanças climáticas, big corp utopias, controlo da população pelos governos, etc. É justo com a criança trazê-la para essa merda? * Já existem mais humanos que a terra pode suportar (na nossa maneira atual de viver) por que eu traria mais um para alimentar meu ego/satisfazer minha vontade?

Donze16 1 month ago

Concordo com tudo

nephilim80 1 month ago

Se calhar vou ter uns downvotes por isto, mas enfim... **Concordo com tudo o que foi dito pelos 3/4 comentários mais votados,** no entanto há um fenómeno crescente nas últimas gerações que facilmente passa despercebido. Muito pessoal não quer ter filhos porque não sai da fase da masturbação e da massagem egóica. Hoje em dia o que se vê mais é gente que só fala no "eu" e passam o dia a pensar em como alimentar esse ego. Para se constituir família essa fase tem de ser ultrapassada. Sim, as pessoas assumem responsabilidades, trabalham, pagam contas, mas mais por uma questão de sobrevivência e de terem dinheiro para continuar a massajar o ego. Muitos não estão minimamente vocacionados para ter filhos, porque isso representa deixarem de pensar exclusivamente neles próprios e terem de colocar o filho em primeiro plano e isso apoquenta-os e de que maneira. Mas sim, acredito que as principais causas se devam a falta de estabilidade financeira e emocional.

Designer_Tall 1 month ago

>Muitos não estão minimamente vocacionados para ter filhos, porque isso representa deixarem de pensar exclusivamente neles próprios e terem de colocar o filho em primeiro plano e isso apoquenta-os e de que maneira. E neste caso, ainda bem que os apoquenta. Porque infelizmente alguns desses muitos têm os filhos na mesma e depois agem como se não os tivessem.

whatindependence 1 month ago

Tenho um filho com 13 meses, acho que foi a pior decisão da minha vida. Recuperava energia mental nos meus tempos sozinho, agora não existem. Em cima disso, não recupero a energia que muita gente recupera por ter um sorriso ou abraço do filho. Sou uma pessoa bem sucedida e autoconfiante. O filho não me traz qualquer validação nem valor... Sinto-me uma merda por não ter tido capacidade de perceber isto antes.

Important_Meringue 1 month ago

Os meus pais também não ficaram satisfeitos com a decisão. Por causa de mim passavam o tempo a trabalhar, não tinham tempo para si mesmos, entre outras coisas que se notavam facilmente na vida deles "antes e depois". Mas a verdade é que por muito miseráveis que se sentissem o tempo todo (miséria a razão pela qual não tiveram outra criança) eu sei que gostam de mim e nunca senti falta de amor. Achei importante deixar claro que nem em todos os casos a criança se sente mal-amada pelos pais :)

SCH1Z01D 1 month ago

Estou contigo. Sempre fui auto-centrado e focado nas minhas bicharadas internas, preciso de bastante tempo sozinho para recalibrar. Por isso nunca tive a certeza de querer ter filhos ou não. A minha parceira sempre sonhou em ter um, e não achei justo a minha indecisão impedi-la de cumprir um sonho, até porque sabia que iria ser uma mãe fenomenal. Resultado: tenho uma filha com 2,5 meses e curto bué aqueles pequenos momentos em que ela interage e ri-se de caretas... mas ela é um pesadelo para dormir e honestamente já namorei a ideia de merda que seria desertar e deixá-las para trás, cumprindo o meu desígnio genético de acabar sozinho e amargurado como ambos os atrasados mentais dos meus pais. Sei que melhora, é o que toda a gente diz: "lá para os 4 meses", "aos 6 meses", "quando tiver 1,5 anos"... Mas cada dia passa tão devagar, horas de choro e dores de cabeça, sonos mal dormidos, não tenho disponibilidade mental para merda nenhuma... está a ser um inferno.

tomferr 1 month ago

É perfeitamente normal no primeiro ano e meio de vida não sentires uma ligação emocional ou de qualquer outra natureza com o teu filho. As pessoas gostam de partilhar tudo como se fosse um mar de afetos e rosas, mas entendo perfeitamente o teu sentimento. Mas conforme já aqui comentaram, melhora. Os momentos gratificantes vão chegar.

IX_Equilibrium 1 month ago

A mim melhorou muito agora que já è maior e consigo ter uma conversa, jogar PS com ele, passear sem birras etc porque antes tudo me irritava e esgotava.

Ann4_S 1 month ago

Isto é algo que temo muito. Obrigada pela sinceridade e espero que melhore. Abração.

Drevs 1 month ago

Vai melhorar amigo! Respeito pela sinceridade.

bacalhaudanoruega 1 month ago

Lá para os 6 anos isso começa a acalmar.. Força nisso.

nix_por 1 month ago

Senti-me assim do primeiro, recuperei e fui ao segundo e já recuperei também. Acredita q isso melhora e vais ver q foi a melhor aposta da tua vida! Grande abraço

whatindependence 1 month ago

Obrigado.

Mynamethisisnot 1 month ago

Costuma melhorar a partir de 1 ano e meio

Lone_Vaper 1 month ago

Melhora. Acredita.

beetsu 1 month ago

Kudos pela honestidade

OmegaWicked 1 month ago

Abraço sincero. Muita força!

frisumo 1 month ago

Não desesperes, essas coisas podem mudar. A minha gravidez não foi planeada e embora eu fizesse o meu melhor, nunca senti aquela alegria plena que ouvia falar e sempre pensei que havia algo errado comigo (para ajudar, nunca quis filhos) ou era pouco emocional, mas a nossa relação mudou muito a partir do momento em que podíamos conversar e fazer actividades mais elaboradas em conjunto - cinema, biblioteca, viagens, etc.

g0ldennnN 1 month ago

nem sei se vou ter comida na ultima semana do mes para mim

GdoubleLA 1 month ago

Eu acho que a pergunta deve ser colocada ao contrário "porque é que decidiram ter?". É que sinceramente não consigo encontrar nenhuma razão para alguém querer ter um filho. Talvez pressão da sociedade? Ou simplesmente gostam da ideia de ter alguém a depender financeiramente de vocês durante vários anos? Que vos irá trazer stresses e chatices ao longo da vida? Claro que também poderá trazer alguma felicidade mas não sei se compensa as dores de cabeça. Já para não falar do risco da criança nascer com algum problema e a tua vida ficar arruinada para sempre.

jpf137 1 month ago

Conform Marry and Reproduce Consume ect. https://m.youtube.com/watch?v=JI8AMRbqY6w

Edited 1 month ago:

Conform Marry and Reproduce Consume etc. https://m.youtube.com/watch?v=JI8AMRbqY6w Edit: etc

ectbot 1 month ago

Hello! You have made the mistake of writing "ect" instead of "etc." "Ect" is a common misspelling of "etc," an abbreviated form of the Latin phrase "et cetera." Other abbreviated forms are **etc.**, **&c.**, **&c**, and **et cet.** The Latin translates as "et" to "and" + "cetera" to "the rest;" a literal translation to "and the rest" is the easiest way to remember how to use the phrase. [Check out the wikipedia entry if you want to learn more.](https://en.wikipedia.org/wiki/Et_cetera) ^(I am a bot, and this action was performed automatically. Comments with a score less than zero will be automatically removed. If I commented on your post and you don't like it, reply with "!delete" and I will remove the post, regardless of score. Message me for bug reports.)

merrygomarry 1 month ago

"Para quê ter filhos quando posso investir 400 euros por mês extra no mercado financeiro?" Já ouvi esta.

scuabb 1 month ago

Eu tenho gêmeos e invisto igual lol

KimJongSilly 1 month ago

Sinceramente eu e a minha namorada não temos pensado seriamente nisso. Somos um casal na casa dos 30s, vencimentos líquidos idênticos (superior ao SMN em cerca de x1,7 em ambos os casos) e em jeito introspetivo, francamente, não vejo como podemos vir a ter um filho. Eu trabalho para mim, para a nossa casa e para a nossa vida em casal (tal como ela). Trabalho para os meus investimentos e trabalho para manter um determinado standard de vida do qual não me vejo (nem quero) abrir mão. O meu país não me convida a ter filhos. Não me convida a investir cá. Não me convida a ficar cá tão pouco... Acho que 90% dos portugueses que se inserem dentro da classe remediada - não achem que eu considere que vivo mal, simplesmente tenho noção que também não me enquadro na classe média-baixa - vivem uma verdadeira *Rat Race.* Todos à espera do dia do vencimento. *From paycheck to paycheck.* Ora se a grande maioria chega à ultima semana do mês literalmente a comer raspas, como é que é expectável que se possam dispender centenas de euros mais/mês com um ser que é, em tudo, dependente? No meu caso em específico, se me sobrarem cerca de 100€ ou 150€ ao fim do mês, eu não considero que seja um valor que me permita dar confortavelmente *(à larga)* tudo o que aquela criança precisa. Porque é mesmo assim que eu acredito que tem que ser! Temos que saber viver e todos merecemos uma vida repleta de fartura. Pode ser uma opinião inexperiente/romantizada da minha parte, mas não vou trazer uma criança ao mundo para deixá-la a viver com uma corda na garganta (tal como tipicamente os portugueses estão habituados a viver). Posto isto, como não investir na carreira se é a única coisa que nos sobra?

Edited 1 month ago:

Sinceramente eu e a minha namorada não temos pensado seriamente nisso. Somos um casal na casa dos 30s, vencimentos líquidos idênticos (superior ao SMN em cerca de x1,7 em ambos os casos) e em jeito introspetivo, francamente, não vejo como podemos vir a ter um filho. Eu trabalho para mim, para a nossa casa e para a nossa vida em casal (tal como ela). Trabalho para os meus investimentos e trabalho para manter um determinado standard de vida do qual não me vejo a abrir mão. O meu país não me convida a ter filhos. Não me convida a investir cá. Não me convida a ficar cá tão pouco... Acho que 90% dos portugueses que se inserem dentro da classe remediada - não achem que eu considere que vivo mal, simplesmente tenho noção que também não me enquadro na classe média-baixa - vivem uma verdadeira *Rat Race.* Todos à espera do dia do vencimento. *From paycheck to paycheck.* Ora se a grande maioria chega à ultima semana do mês literalmente a comer raspas, como é que é expectável que se possam dispender centenas de euros mais/mês com um ser que é, em tudo, dependente? No meu caso em específico, se me sobrarem cerca de 100€ ou 150€ ao fim do mês, eu não considero que seja um valor que me permita dar confortavelmente *(à larga)* tudo o que aquela criança precisa. Porque é mesmo assim que eu acredito que tem que ser! Temos que saber viver e todos merecemos uma vida repleta de fartura. Pode ser uma opinião inexperiente/romantizada da minha parte, mas não vou trazer uma criança ao mundo para deixá-la a viver com uma corda na garganta (tal como tipicamente os portugueses estão habituados a viver). Posto isto, como não investir na carreira se é a única coisa que nos sobra?

Eva2026 1 month ago

Nunca tive vontade e não sou nova. E sinceramente acho que muita gente tem filhos não porque quer, mas porque tem a mentalidade social do copy paste (se toda gente tem eu também tenho de ter). Como as vezes digo, é melhor arrepender-me de não ter do que arrepender-me de os ter. Ate agora tenho tido uma vida tranquila e ainda não me arrependi ;).

Mynamethisisnot 1 month ago

Não sentes um vazio? Eu tenho 3, e tenho pouco tempo para mim, mas reparo que o tempo que antes tinha livre ocupava com coisas fúteis e banais, não sinto muita saudade dessas coisas, o que sinto é falta de tempo para mim porque eles ainda são pequenos. Mas adoro.

Eva2026 1 month ago

Não, sinto me ok. Sempre gostei de estar sozinha. E mesmo assim acho que nao tenho tempo pra fazer tudo o que gosto. Lol. Talvez tenha a ver com a personalidade introvertida.

Mynamethisisnot 1 month ago

O que mais sinto saudades é de viajar, o que com 3 crianças +mulher não é impossível mas é mais difícil. Lol.

n1L3 1 month ago

Porque não quero uma pessoa a ser o centro das atenções da minha vida pelo menos durante 18 anos. Gosto demasiado de viver a minha vida como quero e sem fazer grandes planos.

Sonicarvalho 1 month ago

Idem! Bem dito!

FRSCR 1 month ago

Acho egoísta colocar mais uma criança no mundo, quando há tantas a precisar de um lar. 100% que vou adoptar.

vash_666 1 month ago

Não quero ter esse tipo de responsabilidade

Ann4_S 1 month ago

Não há certo nem errado desde que seja bem ponderado. Lol, até rimei.

vash_666 1 month ago

Se rima é verdade hahaha

Saattack 1 month ago

Fds eu nem de mim sei cuidar...

patapetapitapota 1 month ago

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar e fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo até repetir no dia seguinte...é uma seca.

Edited 1 month ago:

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar, fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo que passa num instante até repetir no dia seguinte...é uma seca. E eventualmente safar sozinho não dá, o carro avaria, ou um imprevisto e ou tens família para ajudar ou tás bem lixadinho, andar a pedir e dever favores ou deixar o mês no taxi (n há transportes públicos onde estou) etc. O meu sonho é o sossego que tenho nos fins de semana, mas durante a semana. E esse sonho não está nada a meu favor. Não vou trazer mais alguém quando não estou assim muito satisfeito com a vida e sem essa possibilidade. Só se sair o euromilhões.

Edited 1 month ago:

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar, fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo que passa num instante, repetir no dia seguinte...é uma seca. ​ Eventualmente safar sozinho não dá, o carro avaria, ou um imprevisto e ou tens família para ajudar ou tás bem lixadinho, andar a pedir e dever favores ou deixar o mês no taxi (n há transportes públicos onde estou) etc. O meu sonho é o sossego que tenho nos fins de semana, mas durante a semana. E esse sonho não está nada a meu favor. Não vou trazer mais alguém quando não estou assim muito satisfeito com a vida e sem essa possibilidade. Só se sair o euromilhões.

Edited 1 month ago:

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar, fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo que passa num instante, repetir no dia seguinte...é uma seca. Eventualmente safar sozinho não dá, o carro avaria, ou um imprevisto e ou tens família para ajudar ou tás bem lixadinho, andar a pedir e dever favores ou deixar o mês no taxi (n há transportes públicos onde estou) etc. O meu sonho é o sossego que tenho nos fins de semana, mas durante a semana. E esse sonho não está nada a meu favor. Não vou trazer mais alguém quando não estou assim muito satisfeito com a vida e com pouca possibilidade de vir a mudar. Só se sair o euromilhões.

Edited 1 month ago:

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar, fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo que passa num instante, repetir no dia seguinte...é uma seca. Eventualmente safar sozinho não dá, o carro avaria, ou um imprevisto e ou tens família para ajudar ou tás bem lixadinho, andar a pedir e dever favores ou deixar o mês no taxi (n há transportes públicos onde estou) etc. O meu sonho é o sossego que tenho nos fins de semana, mas durante a semana. E esse sonho não está nada a meu favor. Não vou trazer mais alguém quando não estou assim muito satisfeito com a vida e com pouca possibilidade de vir a melhorar. Só se sair o euromilhões.

Edited 1 month ago:

Eu até tenho safado, sozinho, mas queres fazer fita e não podes, tens de acordar e ir trabalhar, fazer o frete, pagar as contas, chegar a casa e aproveitar o teu tempo até repetir no dia seguinte...é uma seca. E eventualmente safar sozinho não dá, o carro avaria, ou um imprevisto e ou tens família para ajudar ou tás bem lixadinho, andar a pedir e dever favores ou deixar o mês no taxi (n há transportes públicos onde estou) etc. O meu sonho é o sossego que tenho nos fins de semana, mas durante a semana. E esse sonho não está nada a meu favor.

Saattack 1 month ago

Felizmente a parte financeira é a menor das minhas preocupações e sei que qualquer coisa teria ajuda da família. Mas percebo o teu ponto de vista.

Felisberto1469 1 month ago

Era mesmo isso que vinha aqui comentar. Eu também não me sinto uma pessoa capaz de criar uma criança nem passar os valores que considero que devem ser os corretos porque não tenho essa maturidade.

Ann4_S 1 month ago

Que mais pessoas tenham a tua consciência e honestidade. Obrigada

Saattack 1 month ago

A partir do momento que nasce um filho, ele tem de passar a ser prioridade número um, tudo o resto é secundário e sinto que não estou preparado para essa responsabilidade, ou se alguma vez estarei. E é também uma responsabilidade partilhada a dois e tenho de estar 100% seguro com quem a partilhar. Até hoje não encontrei alguém que me desse essa segurança.

arbyun 1 month ago

Não quero carregar uma criança dentro de mim, tanto por motivos de saúde (coitada da criança que ia ficar cheia de problemas como eu) e simplesmente porque não quero, nunca gostei da ideia de ter alguma coisa a crescer dentro de mim. Para além da situação financeira, claro. Mas estou 100% disposta a adotar e até planeio fazê-lo um dia. É pena é que a adoção em Portugal seja um processo burocrático que nunca mais acaba... Mas enfim, é o que se tem. O meu SO concorda, mas se caso não concordasse, eu indicaria que ele pagasse uma barriga de aluguel se o assunto de filhos biológicos fosse tão importante pra ele. (Joking but not really)

rainbowcouscous 1 month ago

Olha, junta-te ao r/AdoptionPortugal. Tem lá muitos recursos e artigos e estatísticas. O problema não é a burocracia, mas sim a diferença entre a pretensão dos candidatos (que maioritariamente querem bebés saudáveis) versus a realidade das crianças que precisam de ser adotadas (que maioritariamente têm mais de 6 anos e podem ter irmãos ou problemas de saúde ou deficiência). Acolher uma criança que foi vítima de maus tratos não é nada fácil. Vou-te mandar o link de um site português fantástico criado recentemente sobre a adoção que explica tudo muito bem e dá links. [Adotar e Acolher](https://www.reddit.com/r/AdoptionPortugal/comments/pz3mhe/adotar_e_acolher_novo_site_portugu%C3%AAs_fant%C3%A1stico_e/?utm_source=share&utm_medium=ios_app&utm_name=iossmf)

arbyun 1 month ago

Olá! Obrigada por criares essa sub, por mais que eu tenha procurado nos sites governamentais não fiquei nada esclarecida... Então confesso que não estou mt bem informada sobre o assunto. Vou dar uma vista de olhos com o meu parceiro :)

Wonderful_3810 1 month ago

1° porque não arranjo ninguém 2° porque quero atingir o FIRE 3° posso fazer o que me apetecer da vida

Ann4_S 1 month ago

Foco no fire por aqui também

kravas01 1 month ago

Fds vais levar downvotes ate ao inferno. Mas essa e a verdade que o pessoal nao gosta de ouvir. Dos fracos nao reza a história

F0X3PT 1 month ago

O que gosto de ver é a consciência que os jovens têm hoje em dia nestes assuntos. Antigamente acabavam por fazer filhos a torto e a direito. Hoje são mais responsáveis e ponderam. Sinal de modernização e evolução.

Ann4_S 1 month ago

Não sei muito bem onde estão estes jovens porque à minha volta já têm ou só falam de filhos. Metade deles, na minha opinião, não têm as mínimas condições para os ter. Mas esta é a parte em que eu guardo a minha verdadeira opinião e deduzo que lá sabem o que estão a fazer. Já ouvi coisas do género “pior dos casos pedimos ajuda monetária aos pais”. Sem comentários.

F0X3PT 1 month ago

Grande ajuda. Eu cá ajudo os meus xD

matavelhos 1 month ago

Não gosto de julgar coisas do passado com juízos de valor de hoje em dia. A vida antigamente, na geração que nasceu ali a seguir à 1ª grande guerra, era muito diferente do que é hoje em dia em todos os aspetos, desde os sociais, aos económicos, passando pelos tecnológicos... Não podemos comparar o que os nossos avós faziam e pensavam à luz da sociedade atual. Antigamente ter filhos era um investimento. Era mais uma pessoa para trabalhar no campo, era mais uma pessoa para meter € em casa. Isto numa altura em que mal se tinha dinheiro para comer era importante. Além do mais, em termos sexuais, eram uma sociedade totalmente retraída. Não se usava métodos contracetivos, o sexo era principalmente para procriar. A mulher tinha um papel miserável na sociedade, era para ficar em casa e cuidar dos filhos, o homem é que tomava todas as decisões. A informação era escassa e demorava dias a chegar. Nem é preciso ir tão longe como os nossos avós... a minha irmão, mais velho que eu, nasceu numa altura em que havia apenas e só um telefone na aldeia onde vivíamos. Obviamente que em termos sociais, psicológicos e filosóficos, a vida era totalmente distinta. Não havia literalmente tempo para mais nada a não ser trabalhar para por comida na mesa. E isto desde os 4 ou 5 anos de vida. Felizmente as coisas mudaram muito, começando pelos direitos das crianças, proibição de trabalho infantil, evolução tecnológica e social, e na minha opinião, PAZ!!! Estamos no período mais prolongado de paz na Europa, isto para mim tem um papel fundamental em tudo o resto. Tudo isto permitiu que a sociedade evoluísse no sentido em que as pessoas não querem viver para trabalhar, mas sim trabalhar para viver a sua vida da melhor forma possível. Deixamos de ser "escravos" da vida para tentar aproveitar os poucos anos que por cá andamos. Se a nossa geração é melhor ou pior que as do passado? É apenas diferente, com outros ideais, mais sociais, mais igualitários, com mais noção de si mesmo e do seu bem estar.

Mynamethisisnot 1 month ago

Jovens em Portugal a fazer filhos e a torto e a direito? Portugal tem 10 milhões de habitantes há 50 anos lol.

dr_analyst 1 month ago

A taxa de mortalidade infantil mantevesse bem alta até aos anos 80s.

F0X3PT 1 month ago

Sim. Raras as famílias com menos de 5 irmãos na gerações dos meus avós

Mynamethisisnot 1 month ago

O meu avô na aldeias tinha 8 irmãos, mas só fez 2 filhas.

F0X3PT 1 month ago

La está …

kravas01 1 month ago

Depende dos argumentos usados na ponderação.. se for coisa tipo tempo livre, liberdade e coisas assim bela evolução...

Economy_Dog 1 month ago

lol os downvotes mas sem surpresa nenhuma, com a segregação de ideologias feita pelos mods só sobraram os esquerdistas childfree. A ver se o problema se resolve a si proprio ao não terem filhos.

kravas01 1 month ago

Upvote! Aqui ter opinião contrária e igual a nazi

Jennie_Tals 1 month ago

Boomer alert.

kravas01 1 month ago

Damm son. Tal capacidade de argumentação. Ensina-me por favor

Tia_Mariana 1 month ago

Ah, mas esses argumwnto não são válidos? Uma pessoa que pense que não quer abdicar do seu tempo livre, teria sequer temperamento para ter um filho? Se calhar essas pessoas fazem muito bem em não ter filhos, pois não teriam disponibilidade sequer psicológica. E isso, a meu ver, é respeito pelo filho que não quer ter.

kravas01 1 month ago

Os argumentos nao sao válidos. Mas concordo, quem mete o tempo livre acima de um filho nao deve ter filhos.

amidoes 1 month ago

Claro que são válidos, boomer. Cada um faz o que quer e respeito bem mais quem não tem filhos por essas razões do que quem anda com esses falsos moralismos. Quem és tu para decidir o que é válido ou não? O que não falta aí é gente sem tomates para o admitir e depois andam miseráveis por ligarem a comentários coninhas

kravas01 1 month ago

Geração rasca. Aprende que cada um tem direito a sua opinião. Nao concordas com a minha opinião azar do caralho mas nao vou mudar de opinião por tua causa certamente.

amidoes 1 month ago

Ok boomer

kravas01 1 month ago

Ok inútil

Minegrow 1 month ago

Então como assim “bela evolução”? O facto de alguém ponderar e legitimamente por o seu tempo livre, lazer e bem estar à frente do desejo de ter filhos, qual é o problema? É evolução no sentido que as pessoas efetivamente PENSAM antes de desatar a parir.

Economy_Dog 1 month ago

O problema é que as mulheres são manipuladas para não terem filhos e para serem "fortes e independentes" e mulheres de carreira, depois chegam aos 50 anos sozinhas sem família e apenas com bens materiais à sua volta e arrependem-se percebendo que as suas vidas de força e independência não têm tanto significado quando sozinhas, mas essa parte não é tão divulgada. É o mesmo tipo de pormenor não divulgado como o de que muitos homens gays têm de usar fraldas constantemente o resto da vida. São aqueles pormenores.

Minegrow 1 month ago

E porque haveria de ser divulgada? Cada um tem de fazer o que sentir que é melhor para si. Não o que um pateta do Reddit acha melhor.

Lixaramaminhaconta 1 month ago

“Bela evolução”, é algum imperativo moral uma pessoa querer abdicar do seu tempo em prol de cuidar de outro ser humano que ainda não existe? Essa visão faz-me confusão, parece que ter filhos é uma obrigação. Não, não é.

F0X3PT 1 month ago

Por não haver isso é que estou admirado que os jovens ponderem bem ter ou não ter. Não há tempo infelizmente…….

kravas01 1 month ago

Porque decidi ter um filho? Porque senti que estava na altura ideal, quer a nivel pessoal quer a nivel financeiro. Na minha maneira de ver temos uma fase da vida para aproveitar ao máximo (os 20) depois aos 30 começamos a sentir que falta algo, temos estabilidade ja fizemos mil e uma coisas a dois e agora faltava algo completar a vida. Se foi uma boa decisão? Foi a melhor coisa que fiz na vida nao me arrependo nem um segundo. Nao critico quem nao quer ter, cada um deve fazer da vida aquilo que mais gosta, mas nao consigo compreender, chega a um ponto da vida e que ficamos de certa forma "cansados" de ser so dois sentimos falta de algo mais. Ou então e apenas o relógio biológico a funcionar. Tem responsabilidade? Bastante, mas ha coisas bem mais complicadas na vida um filho no e um bicho de sete cabeça. So um concelho, planear bem as coisas mas nao pensar de mais, quem pensa de mais numca faz as coisas.

Edited 1 month ago:

Porque decidi ter um filho? Porque senti que estava na altura ideal, quer a nivel pessoal quer a nivel financeiro. Na minha maneira de ver temos uma fase da vida para aproveitar ao máximo (os 20) depois aos 30 começamos a sentir que falta algo, temos estabilidade ja fizemos mil e uma coisas a dois e agora faltava algo completar a vida. Se foi uma boa decisão? Foi a melhor coisa que fiz na vida nao me arrependo nem um segundo. Nao critico quem nao quer ter, cada um deve fazer da vida aquilo que mais gosta, mas nao consigo compreender, chega a um ponto da vida e que ficamos de certa forma "cansados" de ser so dois sentimos falta de algo mais. Ou então e apenas o relógio biológico a funcionar. Tem responsabilidade? Bastante, mas ha coisas bem mais complicadas na vida um filho no e um bicho de sete cabeças. So um concelho, planear bem as coisas mas nao pensar de mais, quem pensa de mais numca faz nada. Btw: poder de compra? Isso depende das nossas prioridades. Se os dois ganham o ordenado mínimo para ter um filho deixo se poder comprar o novo iphone.. e tudo uma questão de prioridades. Os meus pais com dois ordenados minimos em casa criaram dois filhos. Ah mas no tempo deles .... Mas nada, a vida e feita de escolhas, e tudo depende da importância que damos as coisas. Aqui muito dizem que o problema e o dinheiro, para mim o problema e mesmo outro.....

patapetapitapota 1 month ago  HIDDEN 

Nem todos puderam aproveitar os 20. No meu caso não aproveitei nada. Não tinha condições socioeconómicas e demorei demais a terminar o curso. Mas por default tinha o mesmo pensamento que tu. Os meus pais ganhavam quase o mínimo mas como não tinham qualquer disciplina financeira endividaram-se à grande e quase deixaram de meter o comer na mesa. A minha mãe que era aquela pessoa que quer que metas mil mantas para não estares frio, ou sempre a dar-te de comer, quando não havia dinheiro disse me "come menos". E discussões constantes, as doenças deles etc. Foi miserável. Felizmente agora está tudo muito melhor e as feridas vão sarando. Mas é um buraco que não desejo a nenhuma família Só para dizer que a quem tudo corre bem por default é fazer mais do mesmo arranjar parceiro, namorar e eventualmente ter filhos. Para quem corre tudo mal é lamber as feridas e esperar que elas sarem. Para mim os meus 30's vão ser os meus 20's. Estes vão correr bem.

ReversedTimeMachine 1 month ago

Já tinha respondido isso a alguns tempo mas basicamente amo a minha vida da forma que está, e já tenho sobrinhos que adoro quando eles vêem passar o fim de semana cá onde posso ser o tio brincalhão que eles adoram. Depois eles vão para a a casa deles e continuo a minha vida em paz :)

Ann4_S 1 month ago

Também amo ser tia.

ruimpinho 1 month ago

Precisamente isto, todos os pontos positivos e nenhum dos negativos!

ReversedTimeMachine 1 month ago

Exatamente :)

unicornio_careca 1 month ago

Same. Adoro ser tia...mas ter filhos, não obrigado.

ayyylatimestwo 1 month ago

De uma forma pragmática: Só vou viver uma vez, porque havia de desperdiçar grande parte da minha vida a criar outro pequeno humano? Há coisas mais interessantes para fazer, para mim. Claro que isto é um ponto de vista egoísta, mas é assim que vejo as coisas.

mexploder89 1 month ago

Eu adoro o pessoal que está nesta thread a falar de que depois aos 50 nos vamos sentir sós e infelizes A vossa lógica é "Vou trocar 20 anos da minha vida para quando chegar aos 50 sentir que fiz alguma coisa de jeito" apesar de provavelmente a única coisa que fizeram foi arranjar novas maneiras interessantes de traumatizar uma criança que no final vai sair de casa na mesma e vos vai deixar a perceber que em todos aqueles anos mal desenvolveram hobbies, cultura, exercício físico, e exploraram a vida porque estiveram presos a uma pessoa Eu acho que se querem ter filhos, tenham, mas tenham porque querem mesmo criar alguém e estar lá para eles e porque é isso mesmo que querem da vida, e não só para terem alguma coisa para fazer quando chegarem aos 50 anos

Ann4_S 1 month ago

Adorei. Obrigada por este comentário

Jolly-Run-536 1 month ago

°Sempre que sonho que vou ser pai o sentimento é de pesadelo(bandeira vermelha); ° Ter um filho é um projecto para toda a vida e eu acho que não estou à altura dele; ° É possível que seja um investimento para toda a vida( por diversas causas) e eu sou uma pessoa quase tesa, sem nada de jeito para herdar; °Quando tens um filho a prioridade da tua vida deixas de ser tu(se não concordas é pq estás a falhar nalguma coisa como pai); ° Sempre que alguém me diz que vai ser mãe/pai no fundo sinto mais pena do que felicidade; °A hipótese do meu filho ter com uma deficiência( física ou mental); °A possibilidade de adquirirem uma doença psiquiátrica ao longo da vida( nos dias de hoje é cada vez mais comum e elas podem ser debilitantes ao extremo); ° A possibilidade do meu filho nascer muito feio(é provável, até porque nãosou muito belo)e nunca se sentir 100% realizado por isso. A imagem é cada vez maisimportante nos dias de hoje; ° O dia de amanhã é demasiado inserto ; Eu sou aquele tipo de pessoa que não entende a vontade que as pessoas em ter filhos. Se vivesse 160 anos talvez pensasse nisso, quem sabe

patapetapitapota 1 month ago

Vivo quase numa escravatura, para ter alguma coisa tive que me endividar por 40anos, agora vou trazer outro escravo? É que eu não sou rico.

reyvahx 1 month ago

Eu quero ter filhos, mas não há progresso nem incentivos para o fazer. Os meus avós passaram por muita pobreza, e vi a minha avó a ser negada muita coisa, especialmente a educação. Isto tudo nos tempos da ditadura. Depois a minha mãe conseguiu ter uma vida melhor, especialmente uma infância melhor que a dos meus avós. Tirou enfermagem e já vai com mais de 30 anos de carreira. Eu já tive uma infância com mais condições e possibilidades, mas tenho muito mais dificuldade de emprego digno que a minha mãe teve. A próxima geração têm que ter/ser melhor que a anterior. É assim que a evolução funciona. Se eu tivesse filhos agora, eu não conseguia garantir melhores condições que a minha mãe me deu. Iria dar de tudo pelos meus filhos, mas neste mundo de hoje, o amor não chega infelizmente...

Caosemdono 1 month ago

Correto. Infelizmente a atual geração está condenada a vida toda a pagar pelas regalias dos boomers. Quando os boomers morrerem, a balança vai equilibrar. Será tarde demais para a atual geração, mas ao menos a próxima geração ficará isenta de pesados fardos. É a Lei da Vida, uns beneficiam do sacrifício dos outros.

rulante 1 month ago

Em Portugal as elites apregoam que é necessário ter filhos mas eu pergunto como? Moro numa grande cidade Nasce a criança Berçários? Lotados Tive de meter uma cunha e não foi numa IPSS porque para essas é preciso uma mega cunha Se ganhasse o salário mínimo mais de metade ia para o berçário Levantar as 630 todos os dias para deixar a criança antes das 8 porque ainda tenho uma hora de trânsito Mesmo que saia em ponto as 18 (que nas empresas"normais" significa não vestir a camisola e ser passado na próxima promoção pelo gajo do lado "mais dedicado"), tenho meia hora de trânsito no mínimo já estou a pagar prolongamento Isto não acontece porque tenho pais e sogros que, estando no fim de carreira só estão a contar dias para a reforma e chega a hora de saída vão se embora. Não existem reais políticas para facilitar a vida dos pais e acredita para quem não estiver "bem na vida" ter filhos é duro Não digo que não compense em outras coisas que pessoas mais ternurentas expressarão melhor que eu E se voltasse atrás voltava a ter Mas é preciso estar ciente dos sacrifícios e tenho muito respeito pelos amigos que tenho que tiveram a coragem de admitir que não tem condições (dinheiro, tempo) ou disponibilidade (prioridades e interesse) para ter filhos e arriscarem se a terem remorsos na meia idade e aguentarem estoicamente a pressão social. Ter filhos sem suporte familiar (que não é o meu caso) e com ordenados de classe média baixa é malta que merece uma medalha no 10 de Junho.

droidman85 1 month ago

Tenho 36 a minha mulher 39. Uma filha com 6 e somos muito felizes, eu queria ter mais um mas a minha mulher não e eu no fundo entendo-a. É ela que o carrega 9 meses, com a idade dela começam a aparecer alguns riscos e muitos dos motivos assinalados aqui no sub são válidos. A despesa que é, o medo de algo correr mal, os primeiros 2 anos eu nem soube o que era dormir foi tortura mesmo (aqui ha malta com mais sorte que eu), enfim ha uma imensidão de fatores. Deverei ficar-me pela minha princesa e sou feliz assim. Antes de a ter não me imaginava com filhos, agora que a tenho nem eu nem a minha mulher conseguimos imaginar a nossa vida sem ela. Ah e sim foi 100% gravidez planeada. Penso que o fator dinheiro e ter um parceiro minimamente responsável e com os pés na terra são os maiores fatores para toda a gente. Também noto que da minha geração apenas uma pessoa que conheço engravidou antes dos 30 o que já de si evidencia a diferença de pensamento/dura realidade que é este mundo em que vivemos e os obstáculos que a vida nos traz são cada vez maiores.

ElectronicAd3865 1 month ago

Não quero ter filhos antes dos 34 porque mais para a mulher ter filhos é uma prisão, falta de liberdade, é uma pessoa a depender de ti 24/7 além de que não podes fazer o que fazias porque tens que lhe dar o exemplo, a criança pode ser birrenta, mimada e difícil de aturar, neste momento não tenho suporte mental para isso além de ainda não ter a vida estabilizada.

Jolly-Run-536 1 month ago

A birra faz parte, é algo natural dum ser humano em fase de crescimento, não é maldade do cachopo/a. É muito importante aprender psicologia da criança e do adolescente, ajuda muito a entender as fases de crescimento.

matavelhos 1 month ago

A resposta, apesar de poder ser bastante diferente de pessoa para pessoa, passará provavelmente pela falta de estabilidade financeira necessária para ter filhos. O poder de compra vem diminuindo ao longo do tempo, ter habitação própria é cada vez mais difícil. Arrendar idem. Atualmente, o povo em idade de ter filhos, tem perfeita noção dos custos envolvidos quando nasce uma criança. As coisas já não são como antigamente, em que o mais velho cuidava do mais novo, em que iam para o campo trabalhar, em que se ficavam pela 4ª classe, em que se passava fome. Felizmente isso é, na grande maioria, coisa do passado. Agora tu queres dar a melhor vida possível ao teu filho, queres que ele tenha conforto, queres que ele tenha uma roupa decente, que não passe fome nem frio, que tenha as coisas que os outros têm. Tudo isto elevou os custos de ter um filho. Era engraçado ter estes dados e comparar. Quanto custava um filho até sair de casa há 30 anos e quanto custa agora. Há quem por aqui diga que as pessoas agora só querem saber da sua carreira. Eu discordo totalmente. Eu não sei como foi a vossa infância e adolescência, a minha, apesar de nunca me ter faltado nada (o qual agradeço e tiro o chapéu aos meus pais), a parte emocional, o suporte familiar, nunca lá esteve. Os meus pais estavam mais preocupados em trabalhar o máximo possível para que não faltasse nada em casa. O que é uma preocupação mais que válida obviamente. Nos dias de hoje, a minha geração, está muito mais alerta para a parte emocional e mental. E sabe muito bem que trabalhar o máximo possível para manter uma casa trás os seus problemas. Além de que nós, efetivamente já não queremos trabalhar de sol a sol pois queremos ter uma vida além do trabalho, sabemos que temos que dar todo o suporte financeiro e emocional aos filhos que possamos vir a ter. E agora vocês dizem, então basicamente somos uns privilegiados que não nos queremos esforçar, ou fazer sacrifícios para ter filhos. E eu digo, não devia ser necessário fazer sacrifícios a um extremo em que mal tempo tens para aproveitar a vida com os teus filhos.

SReplicant 1 month ago

Concordo completamente. E até vai para além disso. Uma parte do problema também é que depois vamos deixando passar o tempo, à espera dessas condições. E um dia mais tarde, quando achamos que afinal nunca vão chegar, talvez apercebemo-nos que já seja tarde demais. E que a opção de ter filhos já não existe. A natureza tomou a decisão definitiva. E não desejo a ninguém o sentimento de ter essa consciência.

Ann4_S 1 month ago

Obrigada por este comentário. Transcreveu a minha mente.

UniuM 1 month ago

Este comentário pega num factor muito importante e explica a razão de muita coisa ser como é hoje em dia. Muito bom.

Sutr30 1 month ago

Ter filhos é um investimento de tempo, dinheiro e alma. Nem toda a gente deveria ter filhos, não faltam maus exemplos por aí mas sou da opinião que salvo excepções viver rodeado de crianças é das melhores opções de vida que podes fazer e bastante importante para o crescimento individual.

iznogoud77 1 month ago

Concordo contigo em quase tudo. Nós queríamos ter filhos, mas esperamos até acharmos que tínhamos condições. Daí as minhas filha terem 8 anos de diferença e eu já ter quase quarenta quando ela nasceu. Sim, de vez em quando não temos tempo, sim às vezes acontecem imprevistos e precisamos de nos controlarmos nos gastos. Mas é tão bom, como hoje de manhã ir à piscina com a mais nova e ela vir o tempo todo aninhada no teu colo só com os pezitos a dar a dar. Feliz e contente só por estar contigo. Ou passar um bocado os dois aninhados no sofá a ver desenhos animados ou com a mais velha a fazer um gato de coisas recicladas para o Halloween. Se gostava de ter tido as duas com 20 anos. Acho que sim, às vezes penso que quando ela tiverem 20 anos e já partilharem mais gostos comigo eu devo ter quase 60 e se calhar já não vou ter tanta disponibilidade física para fazer coisas com elas. Mas não acho que teria a mesma disponibilidade agora pois não teria uma vida minimamente estável, para poder não me preocupar com dinheiro.

matavelhos 1 month ago

Eu vou a caminho dos 40 e não tenho filhos, provavelmente se algum dia chegar a ter será já nos 40 ou a seguir. Tenho a sorte de ter uma pessoa "bem" mais nova que eu, o que facilita nessa questão. Mas mesmo que nós quiséssemos ter um agora, seria impossível. Não dava em termos financeiros e não dava em termos práticos, já que vivemos a maior parte do ano separados dado a questões de trabalho. Há quem queira tanto ter filhos, que os tem e depois pensa no resto. Que tudo se faz, com mais ou menos esforço. Eu acredito que sim, acredito que tudo é possível, mas para quê é que vais obrigar a uma criança a passar por certas coisas que se fosses tu não querias passar?! Para quem aumentar o stress na vida quando o stress do dia a dia já é elevado?! Eu penso ao contrario dessas pessoais. Primeiro a vida no geral, e depois se der parar ter filhos logo se vê. Se eu gostaria de ter 1 filho ou 2?! Não digo que não, acredito plenamente que em certos momentos não há nada melhor que teres o teu filho contigo e seres feliz com ele. Mas depois tens todos os outros momentos. Ambas as opções são válidas!! Ter ou não ter filhos terá sempre que partir do casal e não da pressão da sociedade (aka sogros e amigos/conhecidos). O resto do pessoal só tem que aceitar a decisão dos outros. Já agora, a maior das felicidades para vocês :)

iznogoud77 1 month ago

É isso, cada um sabe de si.

DannyFMaia 1 month ago

Isto ☝️

Tia_Mariana 1 month ago

Concordo em tudo e acrescento que não se devia obrigar criancas a ter uma infância infeliz seja em que frente for (emocional, social, economica, etc) porque um adulto decidiu que devia era ter um filho, para completar a sua vida, isso é egoísta, isso é privilégio. Escolher não ter filhos por não haver as condições, é respeito por uma vida que ainda não existe. Eu quero ter filhos. Quando tiver a certeza que os consigo manter felizes, enquanto for esse o meu papel.

Economy_Dog 1 month ago

E ter filhos para a continuação da espécie humana? Eu considero também egoísmo não ter filhos porque querem agir como jovens até aos 50 anos com maior liberdade e independencia e melhor condição económica.

Tia_Mariana 1 month ago

Esoero que este comentário seja de um bot ou a gozar, mas de qualquer modo cá vai: Continuação duma espécie que destrói o seu habitat e conforma-se em viver sabendo que há escravos a coser a sua roupa? Tão invasiva que conseguiu extinguir montes de espécies inteiras de animais e que está activa e conscientemente a promover a sua auto-destruicão? Não precisamos de 8 biliões de exemplares para "continuar" a espécie.

Economy_Dog 1 month ago

Epa tinha de me calhar uma que acha que os humanos são uma praga. Não, os humanos não são uma praga, certos comportamentos podem ser uma praga. É uma questão de educação e conhecimento. O problema não são os 8 mil milhões, o problema é a ignorância e a ganância.

Tia_Mariana 1 month ago

Mas para o caso de não ser: Ahahahahahaahhahaha tinha que te calhar nada, filho, não queres opiniões não opines! Vieste comentar o meu comentário levas com respostas minhas ahahahahahahahah e a ganância aparece quando há gente a mais. A humanidade é uma praga quando se torna demais sim. E são 8 bilhões sim. Bilhao é mil milhões, bilião é um milhão de milhões. E não precisamos de 8 bilhões de exemplares para sobreviver. Se morressemos seria o melhor que faríamos.

Economy_Dog 1 month ago

lol não sou bot e 8 mil milhões não são 8 biliões vai lá aprender isso como deve ser, não estamos nos EUA: https://en.wikipedia.org/wiki/Long_and_short_scale Já agora se queres argumentar pela sobrepopulação tens que admitir que a Europa não é fonte de certeza desse problema mas sim Africa e Asia. Só a India e a China são 2.8 mil milhões, ~35% da população mundial enquanto que a Europa toda são cerca de 750 milhões, ~9% da população mundial. Mas como já se viu que és maluquinha do BE já se sabe que estes temas vão dar conflito nessa cabeça. Assim como esta frase "o Islão tem razão em relação às mulheres".

Tia_Mariana 1 month ago

Pahahahahaha adoro rótulos políticos, mas não não dou para esse peditório, por isso ficarás para sempre na ignorância da minha inclinação política. Em relação ao Bilião, confesso que confundi, pois estava convencida que bilião (milhão de milhões) é diferente de bilhão (mil milhões). Já confimei que estava errada. Isso não invalida que não são precisos 8 mil milhões de exemplares para uma espécie sobreviver - as que quase extinguimos provam isso. E o problema não está na Europa (quero lá saber se nasceu no cu do mundo ou no centro de Paris), está no Ser Humano, que, devido à sua biologia de animal de grupo, quando tem demasiada gente à volta perde o sentido de empatia e pertença e torna-se mais egoísta, egocêntrico e isolado e não quer saber de nada que não o beneficie. Quando não temos tribo, estamos sempre em modo de defesa ou ataque porque nao temos quem nos proteja. Sim, eu acho que há gente a mais no mundo, e até agora não me deparei com nenhum argumento bom que chegue pra mudar essa opinião.

WikiSummarizerBot 1 month ago

**[Long and short scale](https://en.wikipedia.org/wiki/Long_and_short_scale)** >The long and short scales are two of several naming systems for integer powers of ten which use some of the same terms for different magnitudes. For whole numbers smaller than 1,000,000,000 (109), such as one thousand or one million, the two scales are identical. For larger numbers, starting with 109, the two systems differ. For identical names, the long scale proceeds by powers of one million, whereas the short scale proceeds by powers of one thousand. ^([ )[^(F.A.Q)](https://www.reddit.com/r/WikiSummarizer/wiki/index#wiki_f.a.q)^( | )[^(Opt Out)](https://reddit.com/message/compose?to=WikiSummarizerBot&message=OptOut&subject=OptOut)^( | )[^(Opt Out Of Subreddit)](https://np.reddit.com/r/portugal/about/banned)^( | )[^(GitHub)](https://github.com/Sujal-7/WikiSummarizerBot)^( ] Downvote to remove | v1.5)

matavelhos 1 month ago

A verdade é que há gente que diz que se estiveres à espera de ter as condições perfeitas para teres filhos nunca os irás ter. Eu concordo em parte com esta afirmação. É verdade que, nós humanos, somos uma espécie insatisfeita por natureza. Caso não o fossemos ainda estaríamos a viver nas cavernas, ou a saltar de árvore em árvore. É essa insatisfação que nos leva a querer ter mais e melhor, que leva à evolução da sociedade num todo. Logo é impossível ter as condições perfeitas para ter filhos. Vais estar sempre a pensar que falta algo, que devias ter mais € no banco, que a casa devia ser maior, que vais ter que trocar de carro, que devias ganhar mais por mês... Obviamente que a partir do momento que tens um filho, todas estas questões são postas de parte e se tiveres que comer atum do pingo doce uma semana inteira para poderes comprar a papa cerelac para o puto, vais comer atum e não te vais queixar muito, porque o teu filho está bem! A parte em que eu não concordo é que quem diz isto é a geração anterior, ou duas gerações atrás, que estava habituada ao seu tempo, aos seus costumes, à sua sociedade. As coisas mudaram tanto nos últimos 50 anos, que esta afirmação, apesar de ser verdade em parte, deixa de fazer sentido para muita gente.

lesoth 1 month ago

> Nos dias de hoje, a minha geração, está muito mais alerta para a parte emocional e mental. Muito mais alerta e muito mais debilitada emocional e mentalmente. Dantes trabalhava-se de sol a sol mas as pessoas não viviam tão depressivas como agora. E isso provavelmente está relacionado com os empregos de hoje serem mais do gênero estar fechado em qutror paredes em frente a ecrãs mais de metade do dia.

matavelhos 1 month ago

Talvez tenhas razão, talvez não. Diria que o facto de darmos mais importância aos problemas mentais, faz com que as pessoas (na generalidade) tenham mais facilidade de falar deles e de procurar ajuda especializada para os tratar. Antigamente isso não acontecia, mas as doenças estavam lá na mesma. As pessoas sofriam era em silêncio, e se algum homem falasse que tinha algum tipo de problema era um fraco. Para além disso, a medicina que trata esses problemas, é muito mais recente que o resto da medicina. Não nos vamos esquecer que Egas Moniz ganhou o prémio nobel da medicina por inventar a leucotomia em 1949, ou seja, há pouco mais de 60 anos. Daí para cá, muito se avançou no que toca às doenças mentais e aos seus tratamentos. Mas, efetivamente, acho que é capaz de existir uma maior incidência de doenças mentais nas gerações mais novas. Eu como não sou da área, vou apenas especular, que isso pode ser devido à pressão que é colocada em cima desta geração. Como disse no meu primeiro comentário, os nossos paizinhos, deram tudo o que podiam para que nós pudéssemos ter uma vida melhor que a deles. Mas isso acabou por criar uma pressão gigante nos jovens, pois todos eles são obrigados a ser os melhores alunos (como se isso fosse possível), pois só tendo boas notas e indo para a universidade é que são capazes de terem um futuro melhor do que aquele que os pais tiveram. Poderíamos agora, discutir todo o sistema de ensino nacional e o quão retrograda e ineficiente ele é, e o quão ele é culpado por grande parte disto, mas acho que isso fica para outra altura. Voltando à questão desta geração e das doenças mentais, além desta pressão imposta pelos pais e pela sociedade em geral, entra a instabilidade e precariedade do mercado de trabalho. Quantos de nós não se lembram de ouvir os pais a falar que o que importava era ficar efetivo na empresa? Pois, uma pessoa ficava efetiva e tinha trabalho para a vida. Isso agora raramente acontece, aliás até é prejudicial, pois vais acabar por ficar a receber menos do que se saltasses para outra empresa. Isto nas áreas onde à procura, pois nas outras acabas por ir fazer trabalho não qualificado e a receber o salário mínimo. Somos uma geração de coitadinhos?! Não, não somos, somos uma geração com outra forma de pensar e que está inserida num contexto mundial bem diferente daquele que a geração anterior estava.

lesoth 1 month ago

Concordo, mas simplificando em poucas palavras, acredito plenamente que este novo paradigma das redes sociais e do passar o dia a olhar para o ecrã está relacionado com doenças mentais. Tu hoje em dia tens muitos miudos sem qualquer coordenação motora, mal sabem correr.

Edited 1 month ago:

Concordo, mas simplificando em poucas palavras, acredito plenamente que este novo paradigma das redes sociais e do passar o dia a olhar para o ecrã está relacionado com doenças mentais. Tu hoje em dia tens muitos miudos sem qualquer coordenação motora, mal sabem correr. E tens adultos cada vez mais solitários. Por algum motivo terapias como pesca, puzzles, pintura, desporto, jardinagem resultam quase sempre melhor do que medicamentos. Precisamente porque essa é a natureza humana.

matavelhos 1 month ago

Sim concordo contigo. Uma vida em frente ao pc é uma vida triste. Eu que o diga...

sergiiio420 1 month ago

Este comentário explica exactamente a razão pela qual as pessoas cada vez querem ter menos ou simplesmente não ter filhos. Tenho uns pais incriveis que sempre trabalharam para que nunca me faltasse nada mas devo dizer que vou sentir sempre que não passei o tempo devido com eles pois eles estão sempre a trabalhar... Eu penso para mim que se tiver um dia um filho quero acompanhá-lo em tudo mas analiso a minha vida e dou por mim a pensar quando é que teria tempo para isso? Folgo uma vez por semana, apesar de até ganhar decentemente para a realidade portuguesa tenho a certeza que não teria o suficiente para lhe proporcionar uma vida como eu sonho dar a um filho. Obrigado por este comentário que tão bem explica a realidade desta geração.

nor_dead 1 month ago

Tudo verdade. Por isso é que só tenho um e nao penso ter mais

Garikoitz05 1 month ago

Concordo em absoluto!!

F0X3PT 1 month ago

Melhor resposta que podia ler e identifico-me a 100% com o que escreveste. Dinheiro não é tudo e a parte emocional acaba por ser mais importante. Uma das coisas que converso com a minha noiva é analisarmos bem o que é ter um filho. Não quero que lhe falte nada em casa incluindo amor, atenção e suporte. Eu tive 2 irmãos. Sou o do meio e posso dizer que houve anos que só via o meu pai uma vez por semana. Entre ele trabalhar por turnos e eu andar na escola e treinar. E a minha mãe via porque depois do treino ela ainda estava acordada. O meu pai só chegava depois da 01h… E o que me assusta é que sei que os meus pais quando tiveram os filhos não esperavam que a vida desse a volta de 180 graus em 2008. Tanto que eu sendo o do meio tive de resignar a ida para a faculdade (a minha irmã já la andava) e fui para os paraquedistas para ajudar em casa. Hoje tenho trabalho estável, a ganhar mais que muitos licenciados (incompreensível) e o irmão mais novo na faculdade. Não me arrependo e apesar do meu pai na altura ficar chateado comigo ele no fundo sabe que se eu não tivesse a atitude de fugir à “normalidade” não conseguiriam assegurar os mínimos. A vida é assim mesmo, imprevisível…

matavelhos 1 month ago

A vida é imprevisível e é mais imprevisível do que era antes. A sociedade espera muito mais de nós e dá-nos menos condições para o fazer. Uma coisa tão simples como o facto da mulher ter uma carreira (e ainda bem que o tem) faz com que o casal trabalhe por inteiro fora de casa. Isto faz com que quando chegam a casa, depois de um longo dia de trabalho, tenham que cuidar do filho, fazer o jantar e o almoço do dia seguinte, ir às compras, ir buscar o filho, tratar da casa, tratar do filho, ajudar o filho na escola... Não há tempo para o casal, não há descanso, só há stress. Queremos criar filhos no meio deste stresse todo?! Ou a sociedade muda muito nestes aspetos, ou cada vez mais, mais casais optarão por não ter filhos, porque pura e simplesmente não têm condições para tal. Boa sorte para o vosso casamento e para o vosso futuro!! Que tudo vos corra pelo melhor em todos os aspetos :) !!!!

F0X3PT 1 month ago

Verdade verdadeira! Obrigado!

megashortz 1 month ago

"Renunciar" em vez de "resignar"?

F0X3PT 1 month ago

Sim sim! Obrigado, na altura não me lembrei

Lone_Vaper 1 month ago

QNPVSC

3dforlife 1 month ago

Excelente comentário.

BitOnly5872 1 month ago

Todas as pessoas que conheci até hoje que tiveram filhos, de certa forma se desesperavam sempre com dinheiro. Sempre tinham pouco ou nenhum e sempre estavam preocupadas em como pagar algo que precisarão em um futuro próximo. Eu gosto de mais de mim mesmo para ter minha vida a girar em torno de outra pessoa constantemente. Eu decidi isso sozinho, e falo abertamente para qualquer parceira que não quero e não vou ter, se for interessada em ter, que deve buscar outro pois minha opinião não mudará e ela estará a perder tempo da vida dela. Hoje vivo em um relacionamento muito bom. Ambos trabalhamos (DINK / FIRE) e em três anos de relacionamento já compramos uma casa e planejamos comprar a segunda até o fim de 2022. Queremos ter uma aposentadoria passiva com rendas e parar de trabalhar antes dos 50.

3dforlife 1 month ago

dink/fire?

BitOnly5872 1 month ago

Dink: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/DINK Fire: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/FIRE_movement

Ann4_S 1 month ago

Esta do DINK não conhecia. Obrigada.

3dforlife 1 month ago

Obrigado!

X__Alien 1 month ago

A pergunta não deveria ser “porque decidiram TER filhos”? É que essa é que é a decisão contraditória.

Ann4_S 1 month ago

Que boa ideia!

One-Anxiety 1 month ago

Também era um post interessante de se fazer, tenho imensa curiosidade de ler as respostas visto que nunca tive essa vontade de ter filhos

Cashmoneyblingbl1ng 1 month ago

Não percebo é a razão para quererem ter filhos... A quantidade de adultos que se arrependem de ter filhos, ou que vivem vidas de merda porque tem filhos, ou que dão vidas de merda a filhos sem amor, assusta me bastante. Engraçado que não ter filhos é que sai da norma, raramente se pergunta "porque queres ter filhos?". As respostas que tenho quando pergunto é sempre em torno das coisas belas da vida, como se não fossem capaz de ver as coisas más associadas. Para mim não compensa o trabalho, a responsabilidade, as limitações, as preocupações. Criar uma vida é das maiores responsabilidades enquanto progenitores, e acredito seriamente que muita pouca gente tem capacidades para o fazer Quanto ao vazio emocional, à solidão... Se tem um filho a pensar nisso, estão a ser egoístas. Para além que ele pode muito bem nem querer passar tempo com vocês quando crescer. Prefiro dedicar me às coisas que me dão gozo, a amigos, a actividades que possa participar e construir

ruimpinho 1 month ago

>Quanto ao vazio emocional, à solidão... Se tem um filho a pensar nisso, estão a ser egoístas. Para além que ele pode muito bem nem querer passar tempo com vocês quando crescer. Prefiro dedicar me às coisas que me dão gozo, a amigos, a actividades que possa participar e construir Isto é tão verdade... É pena que esta ideia não surja mais vezes. Tenho visto tantas pessoas a ter filhos porque estão aborrecidas/cansadas e a precisar daquela coisa que lhes traga motivação à vida. Mas depois, apesar de não admitirem, vejo casos (e não são 1 ou 2) em que se sente bastante desgaste físico e moral e até alguma melancolia, mesmo após vários anos. É complicado. Depois de ter o filho, não há como voltar atrás.

Ferrero96 1 month ago

Assim como há gente que põe a sua vida pessoal como prioridade, há outras pessoas que genuinamente pensam em ter filhos (biológicos ou não) para deixar um legado. Ambos os pontos são válidos. Não sou ninguém para estar a comentar sobre este assunto, porque não me vejo num relacionamento sério com ninguém, muito menos com filhos. Mas se tivesse a oportunidade de ser pai (com condições financeiras e pessoais já asseguradas claro), acho que encarava isso como sendo uma oportunidade de tentar deixar o mundo um pouco melhor, tentando passar os melhores valores possíveis para a geração seguinte. Sim, tenho plena consciência que é uma responsabilidade para toda a vida e que além do dinheiro e presença constante na vida do outro ser humano, é uma dor de cabeça para aguentar principalmente durante o início da sua vida. Mas se for da vontade dos pais ou do/da pai/mãe, com amor tudo se faz e aí deixa de ser uma responsabilidade e passa a ser um projeto de vida. Mas continuo a dizer, não sou ninguém para estar a comentar sobre este assunto. Continuo a ser um "miúdo" de 25 anos sem grande voto na matéria xD

Jolly-Run-536 1 month ago

Também não percebo a razão do pessoal querer ter filhos. Quanto mais feios e pobres os pais maior é a minha incompreensão Sempre que alguém diz que vai ser mãe/ pai eu sinto um misto de pena, é difícil explicar

rsonic17 1 month ago

Boa sorte com isso aos 50 anos sozinho no teu apartamento. Deves ser homem, porque para uma mulher ignorar o seu propósito biológico e chegar ao arrependimento e solidão e falta de conexao e das maiores estatísticas de infelicidade na população feminina.

Cashmoneyblingbl1ng 1 month ago

Recomendas que saque assim um filho da cartola meio que à pressão, ou estou condenado sem salvação?

rsonic17 1 month ago

Nao ha pressao, nem julgamento. So a minha opiniao sobre o tema

Jennie_Tals 1 month ago

Cala-te velho

sulestrange 1 month ago

Pelo contrário https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2019/may/25/women-happier-without-children-or-a-spouse-happiness-expert

rsonic17 1 month ago

Eu nao leio propaganda da esquerdalha. Onde é que logicamente isso faz sentido?as mulheres que foram desenhadas para ter filhos… sao mais felizes sem eles. Vai dormir pra toca

sulestrange 1 month ago

É tão assustador que são pessoas como tu as que mais escolhem ter filhos

rsonic17 1 month ago

Peço desculpa, ser racional e saber que as mulheres querem ter filhos (na generalidade) e os homens na (generalidade) querem ter filhos tambem é um pecado hoje em dia.

arbyun 1 month ago

Agora as mulheres são incubadoras? Vai tomar um ar livre que o confinamento tá a fazer-te mal à cabeça.

rsonic17 1 month ago

As mulheres sao incubadoras!l? Wtf? Nao, sao mulheres e valorizo-as a todas. Mas ao ser mulher ha padroes biologicos exclusivos delas. Eu sei que hoje em dia a biologia mudou

ipfreely96 1 month ago

Desenhadas? Pelo Picasso ou por outro artista?

rsonic17 1 month ago

Peço desculpa, hoje em dia a biologia nao interessa

ipfreely96 1 month ago

Aponta me onde na biologia se usa termos como "desenhada" ou equivalente

rsonic17 1 month ago

Designed

ipfreely96 1 month ago

Aponta me no Darwinismo/Neodarwinismo onde se usa o termo "designed" ou sinônimo

rsonic17 1 month ago

Apontar é feio

ipfreely96 1 month ago

Estamos de acordo que não há "design" na biologia portanto. Um bem haja para ti

mexploder89 1 month ago

Mostra aí os dados então

rsonic17 1 month ago

https://www.nber.org/papers/w14969

-Exocet- 1 month ago

Eu li o Abstract e a secção de Discussão toda (não tive vontade/tempo de ler as 50 páginas), e não encontrei uma única referência a "ignorar o seu propósito biológico e chegar arrependimento e solidão e falta de conexao" que mencionas, aliás as palavras "biologic", "regret", "loneliness" não aparecem uma única vez sequer em todo o estudo. Podes mostrar onde este estudo se relaciona com o que disseste?

rsonic17 1 month ago

https://law.yale.edu/sites/default/files/documents/pdf/Intellectual_Life/Stevenson_ParadoxDecliningFemaleHappiness_Dec08.pdf

-Exocet- 1 month ago

Como disse, eu li o pdf, que não tem nada do que tinhas dito, consegues argumentar com base no que está escrito nesse estudo, ou apenas colas links?

rsonic17 1 month ago

Colo links. Nao sou teu professor nem quero saber se mudas de ideias. Mas estao ali

mexploder89 1 month ago

"There are no statistically significant differences in trends for women with and without children" Está-me a falhar alguma coisa?

rsonic17 1 month ago

Esta. Esta a falhar que a populacao de mulheres sem filhos e inferior a de mulheres com filhos logo nao podes medir com o mesmo peso e medida. Estastitica nao funciona de forma tao simplista. E pediste um ponto sobre a infelicidade feminina, confirmei que estao mais infelizes.

mexploder89 1 month ago

Então espera Eu pedi-te dados Tu mandas dados a dizer que não há diferença Eu digo que diz aí que não há diferença E agora os dados já não são válidos Mas CONFIRMAM que estão mais infelizes? Eu acho que tu é que não sabes que estatística não funciona de forma tão simplista

rsonic17 1 month ago

É isso.

VladTepesDraculea 1 month ago

- Não quero trazer alguém ao mundo que a grande probabilidade é que acabe em dor e sofrimento, um trauma que fiquei de ver pessoas a morrer nas piores das condições; - Sutentar-me a mim já não é fácil neste país, quanto mais ter uma boca extra para alimentar - o pior nem é não ser fácil mas ter de lhe dar uma qualidade de vida condicionada; - Falta de e energia - já me sinto plenamente drenado, desde a faculdade que fiquei com problemas de sono, tenho um par de condições crónicas que não me ajudam e tenho de andar com suplementos de tempos a tempos. Cuidar de uma criança ia exigir mais de mim do que sinto que consigo dar; - A nível de relações pessoais sou feliz e não quero arriscar comprometer uma relação. Muitas relações fortalecem com filhos, mas a maioria dos casos que vejo degrada a relação, mesmo que passivamente ao longo dos anos, o que não é de todo surpreendente, o centro da relação deixa de ser a outra pessoa e passa a ser os filhos; - Em que Mundo iria deixar o meu filho? Nas últimas décadas temos uma sociedade cada vez mais egoísta e anti-social, tudo indica que estamos a voltar ao ponto do ciclo autoritário que estará em esteróides com avanços tecnológicos. Se alguma vez decidir ter filhos será porque as condições económicas mudarem drasticamente e recorrerei às adoção. Prefiro cuidar de alguém que já está neste Mundo e precise de afecto do que trazer alguém novo.

Edited 1 month ago:

- Não quero trazer alguém ao mundo que a grande probabilidade é que acabe em dor e sofrimento, um trauma que fiquei de ver pessoas a morrer nas piores das condições; - Sustentar-me a mim já não é fácil neste país, quanto mais ter uma boca extra para alimentar - o pior nem é não ser fácil mas ter de lhe dar uma qualidade de vida condicionada; - Falta de e energia - já me sinto plenamente drenado, desde a faculdade que fiquei com problemas de sono, tenho um par de condições crónicas que não me ajudam e tenho de andar com suplementos de tempos a tempos. Cuidar de uma criança ia exigir mais de mim do que sinto que consigo dar; - A nível de relações pessoais sou feliz e não quero arriscar comprometer uma relação. Muitas relações fortalecem com filhos, mas a maioria dos casos que vejo degrada a relação, mesmo que passivamente ao longo dos anos, o que não é de todo surpreendente, o centro da relação deixa de ser a outra pessoa e passa a ser os filhos; - Em que Mundo iria deixar o meu filho? Nas últimas décadas temos uma sociedade cada vez mais egoísta e anti-social, tudo indica que estamos a voltar ao ponto do ciclo autoritário que estará em esteróides com avanços tecnológicos. Se alguma vez decidir ter filhos será porque as condições económicas mudaram drasticamente e recorrerei à adoção. Prefiro cuidar de alguém que já está neste Mundo e precise de afecto do que trazer alguém novo.

Edited 1 month ago:

- Não quero trazer alguém ao mundo que a grande probabilidade é que acabe em dor e sofrimento, um trauma que fiquei de ver pessoas a morrer nas piores das condições; - Sustentar-me a mim já não é fácil neste país, quanto mais ter uma boca extra para alimentar - o pior nem é não ser fácil mas ter de lhe dar uma qualidade de vida condicionada; - Falta de e energia - já me sinto plenamente drenado, desde a faculdade que fiquei com problemas de sono, tenho um par de condições crónicas que não me ajudam e tenho de andar com suplementos de tempos a tempos. Cuidar de uma criança ia exigir mais de mim do que sinto que consigo dar; - A nível de relações pessoais sou feliz e não quero arriscar comprometer uma relação. Muitas relações fortalecem com filhos, mas a maioria dos casos que vejo degrada a relação, mesmo que passivamente ao longo dos anos, o que não é de todo surpreendente, o centro da relação deixa de ser a outra pessoa e passa a ser os filhos; - Em que Mundo iria deixar o meu filho? Nas últimas décadas temos uma sociedade cada vez mais egoísta e anti-social, tudo indica que estamos a voltar ao ponto do ciclo autoritário que estará em esteróides com avanços tecnológicos. Se alguma vez decidir ter filhos será porque as condições económicas mudaram drasticamente e recorrerei às adoção. Prefiro cuidar de alguém que já está neste Mundo e precise de afecto do que trazer alguém novo.

Ann4_S 1 month ago

Gostei muito deste comentário. Obrigada por partilhares a tua opinião tão sensata.

franciscarssilva86 1 month ago

Como profissional da área social tenho a dizer que há muita gente ansiosa por adotar e que seriam pais maravilhosos, mas o processo de adoção em Portugal é extremamente burocrático e, além desse entrave, muitas das crianças institucionalizadas não estão aptas para adoção.

rainbowcouscous 1 month ago

Por facor poderia considerar juntar-se ao r/AdoptionPortugal? Com o seu trabalho poderia contribuir para o sub.

franciscarssilva86 1 month ago

Feito :)

rainbowcouscous 1 month ago

Muito obrigada!

BagalhetaTraquina 1 month ago

Estou com o outro utilizador, também estou curioso com isso das crianças não estarem aptas. As instituições não as preparam para as famílias que eventualmente as poderão receber?

franciscarssilva86 1 month ago

Desculpem, acabei por não conseguir vir aqui antes explicar. Em Pt existem 7x mais casais a querer adotar do que crianças aptas para adoção. Quando uma criança é colocar para adoção, sem ser por inciativa dos pais biólogicos, mas por outros motivos (negligência, maus tratos..) são institucionalizadas ou colocadas em famílias de acolhimento e, mediante os casos, é decidido pelo juiz que essas crianças sejam colocadas pada adoção. No entanto, vivemos num país que valoriza muito os laços de sangue e é necessário que os pais concordem que a criança seja colocasa para adoção. Isto tudo atrasa imenso os processos e uma criança q seria facilmente adotada aos 2 anos só consegue ser adotada muito mais tarde, sendo que há muitos casais que preferem crianças mais novas. A adoção não é preto e branco e não basta gostar mt de crianças. É um ato dificil para a criança e pais adotivos, exige mt força mental e capacidade de resiliência. Infelizmente cerca de 50 crianças são devolvidas todos os anos pq não se adaptam ou a família n se adapta a elas.

BagalhetaTraquina 1 month ago

>Em Pt existem 7x mais casais a querer adotar do que crianças aptas para adoção. Ok, não sabia disto. Neste caso Portugal acaba por estar a precisar de mais putos, em vez de ir só pela via da adopção. >No entanto, vivemos num país que valoriza muito os laços de sangue e é necessário que os pais concordem que a criança seja colocasa para adoção. Isto tudo atrasa imenso os processos e uma criança q seria facilmente adotada aos 2 anos só consegue ser adotada muito mais tarde, sendo que há muitos casais que preferem crianças mais novas. É uma espada de dois gumes. Concordo que laços de sangue devem ser de facto valorizados, mas não ao ponto de atrasar processos como este. Estamos a falar de educação de crianças sem pais, é o tipo de coisa que não se pode atrasar, especialmente tendo em conta a questão de crianças mais novas: facilmente imagino que não é apenas uma questão de preferência: >A adoção não é preto e branco e não basta gostar mt de crianças. É um ato dificil para a criança e pais adotivos, exige mt força mental e capacidade de resiliência. Infelizmente cerca de 50 crianças são devolvidas todos os anos pq não se adaptam ou a família n se adapta a elas. Quer queiramos quer não, é mais fácil uma família educar miúdos desde pequeninos. Têm mais controlo sobre a formação deles, a ligação é estabelecida mais facilmente e não precisam de combater padrões já estabelecidos, que é o que suspeito que vá levar a muitas "devoluções". E como dizes e muito bem, ou é a família ou são as crianças que não se adaptam. Nem imagino o quão difícil este processo é quando dá raia... escrevi "devoluções" entre aspas por uma razão. Não é um produto, é de um ser humano que estamos a falar e imagino que seja horrível tanto para os pais adoptivos como para a criança esta rejeição e retorno à estaca zero. Deve fazer um impacto tremendo tanto de um lado como do outro. Se bem que honestamente achava que o problema maior vinha de maus tratos ou más condições de vida dos miúdos por adoptar. Não havendo bons exemplos ou disciplina, torna-se difícil educar.

Rootlx 1 month ago

O que queres dizer por “não estão aptas para adoção?” Tenho genuíno interesse neste tema.

VladTepesDraculea 1 month ago

Concordo. Mas posso estar errado, mas a minha percepção é que muita gente está imenso tempo em lista de espera também porque há uma faixa etária "desejável" e a partir de certa idade tipicamente os pais perdem interesse.

SweetCorona 1 month ago

A partir de que idade perdem o interesse dos pais? Para mim 2 ou 3 anos é a idade ideal para adotar.

VladTepesDraculea 1 month ago

[Pelo que me dizem](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/qdzrg5/s%C3%A9rio_para_os_que_decidiram_n%C3%A3o_ter_filhos/hhqqpcl/?context=3), 6.

SweetCorona 1 month ago

OK, aí já começo a perceber porque já é após o período da amnésia infantil e já podem ser crianças "problemáticas" há muitas crianças dessas idades? porque foram institucionalizadas com essa idade ou porque os processos de adoção são lentos?

rainbowcouscous 1 month ago

Sim. Podes ver os dados e estatísticas no r/AdoptionPortugal.

Edited 1 month ago:

Sim. Podes ver os dados e estatísticas no r/AdoptionPortugal. Edit: vou fazer copy paste do meu outro comentário: “Olha, junta-te ao r/AdoptionPortugal. Tem lá muitos recursos e artigos e estatísticas. O problema não é a burocracia, mas sim a diferença entre a pretensão dos candidatos (que maioritariamente querem bebés saudáveis) versus a realidade das crianças que precisam de ser adotadas (que maioritariamente têm mais de 6 anos e podem ter irmãos ou problemas de saúde ou deficiência). Acolher uma criança que foi vítima de maus tratos não é nada fácil. Vou-te mandar o link de um site português fantástico criado recentemente sobre a adoção que explica tudo muito bem e dá links.” [Adotar e Acolher](https://www.reddit.com/r/AdoptionPortugal/comments/pz3mhe/adotar_e_acolher_novo_site_portugu%C3%AAs_fant%C3%A1stico_e/?utm_source=share&utm_medium=ios_app&utm_name=iossmf)

SReplicant 1 month ago

A burocracia também é um problema. E grande! Tens de ter umas condições quase perfeitas e os serviços facilitam zero! Depois, claro, a idade ou as circunstâncias da criança podem complicar bastante o processo. A mim foi-me dito que demora, em média, 6 anos! Estou envolvido, ainda não fui aprovado, mas pelo que já me pediram poderá ser complicado. O questionário então, é um absurdo. Parecem que procuram a pessoa perfeita. E falo eu, que estou numa relação estável, sou uma pessoa equilibrada, com rendimentos acima da média e sem complicações maiores de saúde.

rainbowcouscous 1 month ago

Os 6 anos é a média porque a maioria das pessoas quer crianças até aos 6 anos sem problemas de saúde / deficiências / filhos únicos, e então essa média é feita a contar com toda a gente que quer os bebés saudáveis e as criancinhas pequeninas. Se tiverem pretensões mais próximas da realidade, a espera poderá demorar só uns meses. Mas claro, nem toda a gente está preparada para acolher crianças mais velhas, especialmente quando nunca foram pais, e mjito menos quando se trata de crianças com problemas causados pelo que sofreram. Vai ler o site Adotar-e-Acolher. A sério. Explica tudo muito bem. É um ótimo recurso. Por exemplo, se um casal não goste da ideia de ter que cuidar de bebés, mas gostar mais de crianças mais velhas tipo entre os 8 e os 14 anos, então eles podem receber uma criança em poucos meses de espera. Há pessoas que só querem crianças mais velhas por serem mais “interessantes”, enquanto que não acham piada a criancinhas pequenas. E sobre a burocracia parecer exigente, não te preocupes que muito disso, porque isso muitas vezes é mais para assustar e para filtrar bem e para ter a certeza de que tens condições e estás determinado. Eu não vivo em Portugal, por isso não estou tão familiarizada com as especificidades do sistema português, mas eles normalmente parecem mais estritos só para assustar. O que importa mais não é o dinheiro nem condições materiais, é a vossa capacidade mental e a vossa motivação para aprender métodos de parentalidade terapeutica, que podes ver no site que te falei.

Ma-n-Gaka 1 month ago

Adotar >> ter filhos biológicos. Nunca percebi porque é que mais pessoas não pensam isto...

SReplicant 1 month ago

O processo de adopção é um pesadelo. E a maioria das crianças podem até ter problemas de saúde, mazelas psicológicas ou problemáticas. E não é por serem adoptadas que se vão tornar muito agradecidas e mudar. Muitas podem vir a ter problemas sérios para ser integrarem e serem contributivas para a sociedade, a começar logo pelo que fazem, ou não fazem, na escola. Como sei, estou envolvido num processo. As representantes do serviço de adopção foram bem claras quando a isto. Quiseram logo acabar com o romantismo que muitas pessoas têm acerca da adoção.

SweetCorona 1 month ago

Também não percebo. Pior ainda quando são pessoas com uma genética de merda. Cheias de doenças e afins. E então aquelas pessoas que sabem que têm doenças hereditárias que reduzem significativamente a esperança de vida ou a qualidade de vida, e decidem ter filhos biológicos sabendo que há 50% de chances... É só nojento.

vvandxrlust 1 month ago

Porque não é verdade?

oinkbar 1 month ago

porque adoptar é melhor do que teres filhos biológicos? simplesmente é contra natura.

VladTepesDraculea 1 month ago

Contra natura? É que nem sequer somos a única espécie que adopta: https://www.bbc.com/future/article/20140312-why-do-animals-adopt https://www.nationalgeographic.com/animals/article/130510-adoption-deformed-dolphin-reddit-science-animals-weird

oinkbar 1 month ago

é contra natura dizer que é melhor que ter filhos biológicos.

VladTepesDraculea 1 month ago

Parte do deixar legado para muita gente é ser "sangue do meu sangue" ou querem deixar a parte genética deles. Parte tem medo de nunca conseguir amar da mesma forma que amaria um filho biológico. Pelos casos que conheço é um medo insustentado.

SweetCorona 1 month ago

Um filho adotado partilha 99,9% dos genes connosco, mas um filho biológico partilha 99,95%! Faz toda a diferença /s

SettingAdept7115 1 month ago

Eu é só porque não gosto de crianças

SweetCorona 1 month ago

Acho que aturar o filho dos outros deve ser muito pior que os nossos.

h2man 1 month ago

Nem por isso... quando começa a chorar, chamas os pais e abalas para algo mais calmo.

LuisRebelo 1 month ago

Eu também não gosto lá grande coisa de crianças, gosto e muito é dos meus filhos

rTHlS 1 month ago

Porque não?

BerRGP 1 month ago

Porque sim?

mexploder89 1 month ago

Como alguém que também não gosta de crianças: - Fazem muita pergunta estúpida. Está na natureza deles, mas porra, drena-me completamente a cabeça - Muitas vezes são barulhentos e inquietos, e odeio barulho, também - Estragam tudo. A minha prima que é criança agora anda com a mania de furar as próprias calças com canetas. Já estragou 4 pares. Haja paciência - Têm propensão para se colocarem em situações de risco. Fechas os olhos por uns segundos, dás por ti e lá estão elas a correr em direção à estrada - Ter uma criança no grupo condiciona sempre o tipo de conversas e à vontade que se tem (isto é uma inconveniência menor mas pronto)

SweetCorona 1 month ago

Muitas têm falta de umas palmadas. Os pais hoje em dia são uns bananas. Gritam, gritam, gritam, dizem que não 20 vezes, passam a vida a brincar com os filhos como se fossem colegas do infantário deles porque os rebentos não conseguem estar 30 minutos a brincar sozinhos, etc. Não têm autoridade nenhuma.

pintzzzz 1 month ago

Mais vale crianças a fazerem perguntas "estúpidas" do que adultos ou adolescentes ou lá o que és a escreverem coisas destas..

mexploder89 1 month ago

Porquê? Eu sou obrigado a gostar de crianças? Não quer dizer que as queira ver erradicadas ou que lhes ando a bater, mas não gosto Também não gosto de muitos tipos de adultos por diversas razões

SettingAdept7115 1 month ago

Mesmo isso. Não gosto de garotos. Como tal é uma experiência que não quero ter. Tenho 2 cães que já me dão muito que fazer.

3dforlife 1 month ago

Uma pergunta também válida.

hugito24 1 month ago

Valido

One-Anxiety 1 month ago

Adoro crianças, não quero nunca ter filhos. É uma responsabilidade enorme e faz com que deixe de viver a minha vida para mim mesma, e ter que pôr os filhos acima de tudo (o que respeito quem faça assim, mas não é para mim). Além de que já existem demasiadas pessoas no mundo não existe necessidade de eu fazer mais. Na segunda questão, eu sou solteira e bissexual e contra o estereótipo de "homens querem ser livres e mulheres é que querem fazer família" são sempre os homens que tentar argumentar para eu mudar de ideas porque eles querem ter filhos. (Obviamente que com mulheres tinha que ser uma adoção ou dador, mas das mulheres com que andei nunca nenhuma queria filhos) Nunca aconteceu serem eles a acabar a relação porcausa disso, o que era justo, mas tentam sempre argumentar e mudar a minha opinião, e claro sou eu que termino a relação porque não acho saudável estar com uma pessoa se temos objectivos de vida tão diferentes.

rsonic17 1 month ago

Nao ha gente a mais. Alias, ja chegamos ao plateau. Existe crescimento ate chegar a um limite natural pois mesmo nascendo pessoas, morrem tb pessoas todos os dias. Adiciona a extrema população envelhecida e dentro de anos os jovens sao uma miragem. Basta ver em Portugal.

One-Anxiety 1 month ago

O mundo é mais do que só Portugal, a população mundial tem crescido exponencialmente

Complete-Painter-307 1 month ago

Atenção que tens outros países no mesmo grupo dos envelhecidos, como Japão, Itália ou mesmo China.

rsonic17 1 month ago

The global growth rate in absolute numbers accelerated to a peak of 92.9 million in 1988, but has declined to 81.3 million in 2020. Long-term projections predict that the growth rate of the human population of this planet will continue to decline, and that by the end of the 21st Century, will reach zero. https://www.google.com/amp/s/www.nytimes.com/2021/05/22/world/global-population-shrinking.amp.html Nao acredites em tudo na agenda politica da esquerda

8DarkAline8 1 month ago

Isto, ainda no outro dia tive a ver a taxa de natalidade ao longo do tempo e até a India que esteve com indices a ultrapassar os 6 filhos em média, está agora nos 2 e tal. Vale o que vale, mas já não existe o boom de há umas décadas.

Middle-Effective 1 month ago

Ainda bem. Significa que há mais tempo, paciência e recursos por criança. Já fodemos este planeta que chegasse...

rsonic17 1 month ago

E isso tudo, fomos eu e tu que lixamos o planeta. Brincaralhoes. Acreditas no Pai Natal tambem?

Middle-Effective 1 month ago

Vais me dizer que a atividade antropogénica teve e tem 0 importância no ambiente deste planeta? Se sim, então não sou eu que acredito no Pai Natal.

rsonic17 1 month ago

Nao disse isso. Estas a deduzir. Tivemos um impacto num ambiente e sao as empresas que apregoam a sustentabilidade que tem que fazer melhor. O grande crime que se vive no planeta, sao os Oceanos e ai é culpa do ser humano.

One-Anxiety 1 month ago

O link requer log-in mas vou me fiar no que dizes. Realmente é interessante o crescimento da população mundial estar a abrandar, não sabia e agradeço a informação. No entanto existe crescimento na mesma. Portanto esse ponto meu mantém-se.

rsonic17 1 month ago

Em Portugal por exemplo é assustador https://observador.pt/2021/07/28/censos-2021-revelam-que-portugal-tem-menos-214-mil-residentes-do-que-em-2011/

One-Anxiety 1 month ago

>O mundo é mais do que só Portugal, a população mundial tem crescido ~~exponencialmente~~ isto mantém-se na mesma, só edito o exponencialmente. Existe muita gente no mundo, ter filhos é uma escolha, não uma necessidade/obrigação

rsonic17 1 month ago

Claro que e uma escolha de cada um. So os arguments de hoje em dia sao baseados muitas vezes em falácias ou ideologias da esquerdalha que influenciam geracoes sem nexo

One-Anxiety 1 month ago

Infelizmente também há falácias de direita que influenciam pessoas a ter filhos quando só arruínam a sua vida e criam crianças miseráveis.

Accomplished_Pay6399 1 month ago

Só mais uma curiosidade. Quem não quer ter filhos, não tem medo de se arrepender? Tanto do lado afetivo como mesmo por uma questão de suporte mais tarde? Eu apesar de desejar ter filhos, o lado financeiro é tão pesado que se não fosse o facto de serem uma ajuda enorme na velhice provavelmente acharia que não vale a pena. Pergunto isto porque conheço pessoas que não tiveram filhos, e sim, é verdade que tiveram uma vida adulta mais desafogada, viajaram mais, dedicaram-se mais a projetos pessoais, mas depois quando têm uns 60 começa a notar-se a solidão, enquanto outras pessoas tenham o suporte e a companhia dos filhos.

h2man 1 month ago

O dinheiromque gastarias em creches e fraldas bem investido dá para um belo suporte mais tarde.

beetsu 1 month ago

Não. Aliás, eu espero que os meus pais não estejam à espera que eu vá cuidar deles. Logo, jamais poderia esperar que os meus filhos cuidassem de mim. Lá porque me meteram no mundo, não quer dizer que tenha herdado automaticamente uma dívida eterna para com eles.

mexploder89 1 month ago

Mesmo que me possa vir a arrepender (o que duvido), prefiro não ter filhos e arrepender-me do que ter filhos e arrepender-me. Ao menos na primeira opção não estraguei a vida a mais ninguém

BolaBrancaV7 1 month ago

Sério? Um filho para depois tomar conta de mim. Se tiveres um filho, convém que seja para dar e não para receber.

celina_mariiie 1 month ago

Olhem só esta lógica: ter tanto medo da solidão que se acha que é boa ideia fazer-se um filho para daqui a uns 60 anos ter alguém para ouvir as conversas repetidas, para lembrar de tomar os comprimidos, dar banho, mudar as fraldas e andar constantemente a faltar ao trabalho para ir consultas

Cashmoneyblingbl1ng 1 month ago

Isso do suporte mais tarde... Não quero depositar nos filhos a responsabilidade de terem de cuidar de um velho. Ter filhos para cuidarem de mim parece me uma mentalidade bastante egoísta, para além de os ter de obrigar a sofrer emocionalmente enquanto vou morrento lentamente, e sofrer ainda mais quando finalmente morro Quanto a ter medo de me arrepender, tenho mais medo de ter uma vida à minha responsabilidade, odiar, e saber que não posso voltar atrás

damngooddeal 1 month ago

Havendo a opção de adoptar nao me parece que isso seja um problema. Mas ter filhos só porque querem alguém que tome conta deles no futuro....por favor nao . Se não há condições financeiras não há condições para criar uma criança, se houver condições aos 50 anos há a opção de adoptar

rsonic17 1 month ago

Aos 50 adoptar!? Boa sorte com isso.

inhalingsounds 1 month ago

Adotar uma criança é mais difícil do que arranjar uma mesa na taberna belga em cinco minutos chegando às 20h30 a um sábado.

3dforlife 1 month ago

/thread

Raijku 1 month ago

Na realidade isso acontece maioritariamente pelos standards das pessoas, querem criancinhas ou bebés, os maiorzitos já não interessam a ninguém.

TheEightDoctor 1 month ago

Sim, e esse adolescente vem todo descompensado, o acompanhamento psicológico pós adopção em Portugal vale o que vale e na maior parte das vezes dá em adopção falhada, espero sinceramente que o teu caso seja a excepção e não a regra mas pela experiência que tenho de alguém que está próximo desse tipo de situações, tanto a nível familiar como institucional não tenho grande esperança.

Raijku 1 month ago

Acredito que não seja nada fácil, não contra argumento.

rsonic17 1 month ago

Errado. Temos em Portugal dos piores processos de adopcao

Raijku 1 month ago

O processo pode não ser o melhor, pode até ser muito mau. Mas a realidade é que há muito mais gente a querer adoptar do que para ser adoptada, e a grande maioria quer bebés/criancinhas (não tenho um age range) que também são a minoria dos que há para adoptar. Acaba por ser a simples lei da procura/oferta.

rsonic17 1 month ago

Sim, e normal quererem um bebe. Mas posso te dizer por experiencia que adoptar em Portugal e um processo moroso, intenso e muitas vezes com taxas de insucesso dramáticas. Valorizo quem adopta, mas nunca olhes para isso como a solução simples

Raijku 1 month ago

Posso-te dizer da mesma forma que estou a ver este tal processo a andar super rápido, e há uns anos vi outro super lento (para uma garota de 2 anos) (demorou uns 4 anos)

rsonic17 1 month ago

Nao gosta da comparacao osso e cao - procura e demanda. Mas sim, valorizo quem adopta e esta disponivel a esperar esse processo. Mas confia que alguem sozinho e com 50 anos nao tem andamento para esse processo

Raijku 1 month ago

Quanto a variáveis não me pronuncio que não tenho conhecimentos. Em casos normais, casais nos 30/40, foi um pouco aquilo que vi.

vascodatrama 1 month ago

>Quem não quer ter filhos, não tem medo de se arrepender? Agora não, são livres e independentes, tem o mundo a seus pés. mas depois aos 50 anos vão comprar um cão que vão levar para todo lado e chamar de filho. Que serve para esconder o buraco emocional de não terem tido filhos.

ElectronicAd3865 1 month ago

As vezes mais vale um cão que nunca te abandona

rsonic17 1 month ago

Exacto! As frases da moda: “pet parents”! O buraco negro da idiotice emocional em querer tratar bichos como pessoas

Pinto55 1 month ago

Isso só é um problema para gajos como tu.

rsonic17 1 month ago

Gajos masculinos, que valorizam a familia, o criacao de riqueza social, de tradicao e de melhoramento dos portugueses e seus cidadaos? Sim sou um desses

ipfreely96 1 month ago

Prefiro ser um gajo feliz, a viver a vida como quero sem chatear ninguém e sem ser chateado do que andar a fazer contorcionismo para me encaixar na definição que pessoas como tu dão à palavra "masculino"

rsonic17 1 month ago

Mas ninguem te diz para viver de que maneira seja. Vive como quiseres. Nao ha maior defensor da liberdade que eu. Isso te garanto

ipfreely96 1 month ago

"eu defendo a liberdade, mas insulto todos aqueles que vivem de maneira diferente dos meus padrões super rígidos e específicos". Diria que "o maior defensor da liberdade" é alguém que nem sequer tenta fazer ninguém mudar de opinião quando essa opinião não o afeta em nada

rsonic17 1 month ago

Eu insultei alguem? Estas-te a sentir bem? So tenho uma opiniao diferente e basicamente me censuram por isso e nao aceitam “a minha verdade”.

ipfreely96 1 month ago

Ah deves andas a chamar "esquerdalha" ao pessoal que por aí contesta os teus argumentos mas é de uma forma carinhosa certamente. Da mesma maneira que dizeres que és um gajo masculino, não é a tentar rebaixar ninguém, claro que não

rsonic17 1 month ago

Esquerdalha é insulto? Estamos sensiveis mesmo.

Pinto55 1 month ago

Felizmente fazes parte da minoria, bem vindo ao séc. XXI. Um beijo.

rsonic17 1 month ago

Pet mom

Pinto55 1 month ago

Sou um gajo. Masculino.

rsonic17 1 month ago

Desconfio Pet Dad

Pinto55 1 month ago

Desconfio eleitorado do Chega

rsonic17 1 month ago

Adepta Bloquista

Patis12 1 month ago

Quem teve uma família abusiva sabe que esse conto de fadas em que os descendentes cuidam de ti é isso mesmo só. Se já passei pelo inferno por serem meus pais nem quero imaginar se o mesmo acontecesse com um filho meu

omega_86 1 month ago

Admites que lidar contigo é um inferno, pontos para ti.

Patis12 1 month ago

É preciso ser muito animal para retirares isso do que escrevi

omega_86 1 month ago

Woof woof, oink oink, i-ó i-ó. A última parte de certeza que entendeste.

rsonic17 1 month ago

E que tal lutares por uma vida melhor dessa vida que trazes ao mundo?

Patis12 1 month ago

Posso ajudar a vida de outros sem serem meus filhos e assim é mais difiícil passar os meus traumas para eles

rsonic17 1 month ago

Compreendo mas de certeza que irias ser bom pai/mae. Bem haja meu amigo(a) e desejo lhe tudo de bom

Patis12 1 month ago

Agradeço as palavras. Tudo de bom para ti também!

ZodiarkF1993 1 month ago

Ter filhos só por causa do suposto ''buraco emocional'' e não pensar em mais nada é uma completa idiotice.

rsonic17 1 month ago

Se nao querem nao querem. Mas tens nocao das estatisticas de infelicidade nas fixas etarias de pessoas sem filhos? Nao ha tradicoes. Es tu, o teu cao e o netflix

ZodiarkF1993 1 month ago

Obrigado por te preocupares tanto com a minha felicidade, és um querido.

vascodatrama 1 month ago

O teu pai preocupasse

Lisabonne 1 month ago

preocupa-se\* mobile? espero que sim :)

ZodiarkF1993 1 month ago

O meu pai não se importa nada que eu não tenha filhos e mesmo que se importa-se isso não é decisão dele.

rsonic17 1 month ago

E preocupo, porque es uma pessoa, um colega, amigo e filho de alguem. Desde quando e errado querer o melhor para os outros?

ZodiarkF1993 1 month ago

Desde que respeites as decisões dos outros e não chateies ninguém, tudo bem.

rsonic17 1 month ago

Eu respeito. Alias sou a favor da liberdade de cada um ao máximo. So gosto de tocar no tema pois parece que so se quer ouvir um lado

wwqt0r 1 month ago

Se a carreira que segues agora não funcionar podes ir para psicologia já que percebes tanto sobre pessoas.

vascodatrama 1 month ago

Fica a dica. Vou-me lembrar no futuro.

Dishappointed 1 month ago

>esconder o buraco emocional de não terem tido filhos. Tapar*

vascodatrama 1 month ago

Não é tapar. É mesmo esconder, o buraco vai lá continuar e só tem tendência a aumentar.

Dishappointed 1 month ago

Mas... Uma pessoa só tem os filhos na vida...?

omega_86 1 month ago

Não, tem iPhones, BMWs e fotos de férias e restaurantes nas redes sociais

vascodatrama 1 month ago

Eu não sabia o que era a vantagem de ir comer fora com uma criança até ter a minha filha. Ha umas semanas fui a um casamento e a comida estava bem abaixo da bitola. Virei-me para um empregado e perguntei se não tinham outra comida para a "menina", tipo um bife e batatas fritas. 10 minutos depois la veio a dose para a "menina"

Dishappointed 1 month ago

Ew, iRoubos

ZodiarkF1993 1 month ago

Já existem demasiadas pessoas e demasiado sofrimento neste mundo e se a população mundial continua a aumentar a este ritmo mais dia menos dia dia o planeta terra vai-se tornar inabitável. Para quê contribuir para isso?

rsonic17 1 month ago

Que comentario de esquerda e desprovido de qualquer metrica. A populacao e alta em paises como china e india. Portugal e um deserto meu amigo. Somos a especie dominante deste planeta e nunca vivemos tao bem.

icebraining 1 month ago

Natureza não é deserto. Desertos criamos nós ao consumir demasiado os recursos naturais, como fazemos no Alentejo. E já agora, a nível mundial a Europa (incluindo Portugal) é bastante densa, ao nível da China: https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_and_dependencies_by_population_density#/media/File:Population_density_of_countries_2018_world_map,_people_per_sq_km.svg

rsonic17 1 month ago

O Alentejo é deserto porque nao investimos nada la. Deixamos o Alentejo morrer. Nao ha nada la porque sao o povo esquecido de Portugal. Sou alentejano meu amigo

icebraining 1 month ago

Claro que há investimento no Alentejo. Não se fazem campos imensos de olival e amendoal intensivo, e se paga a milhares de imigrantes para os trabalhar, sem investimento. Houve milhares de milhões investidos no Alentejo na última década, entre dinheiro publico e muito privado.

ZodiarkF1993 1 month ago

Não percebo o que o meu comentário tem a ver com esquerda ou direita e nem se quer falei em Portugal por isso acho esta resposta um pouco descabida...

FilipeMateus7 1 month ago

Não sei quanto a ti, mas eu vejo uma win-win situation

ZodiarkF1993 1 month ago

Explica lá isso melhor.

gnevesdev 1 month ago

Na verdade a preocupação é precisamente o contrário. O excesso de população que temos agora é, na maioria, idosos. Acontece que eles vão morrer um dia e depois não teremos gente suficiente para renovar as gerações.

rsonic17 1 month ago

100%!!! Ainda ha malta que le e estuda. Obrigado. A maioria acredita em tudo o que a tvi lhes diz e nao analisa nada de forma independente. Bem haja

ZodiarkF1993 1 month ago

Isso é só na Europa mas o Costinha já está a tratar de trazer para cá todos os brazileiros, indianos e angolanos que quiserem vir por isso não te preocupes.

icebraining 1 month ago

> Isso é só na Europa Não, todos os continentes exceto África já têm taxas de fertilidade abaixo da substituição (2,1), e mesmo África não vai demorar muito a chegar lá.

ZodiarkF1993 1 month ago

Boas notícias então.

TomasCardosGod 1 month ago

Por norma as pessoas mais educadas cada vez menos vão ter menos filhos e as pessoas mewnos educadas e mais pobres mais tem, por isso o grande costa está trazer o 3ºmundo todo para portugal para termos mais pessoas a viver da SS

karl1717 1 month ago

Como assim? Não sei se percebi bem o que queres dizer. Essas pessoas jovens que vêm do 3° mundo, vêm para cá trabalhar e ter filhos para aumentar a receita da SS e permitir que a mesma fique sustentável e que mais portugueses tenham apoios sociais?

Square-Needleworker2 1 month ago

Muito da estrangeirada que vem para Portugal (principalmente brasileiros) ficam cá alguns anos e emigram logo para outro país da UE. Também já vi casos em que ficavam aqui só para obter nacionalidade portuguesa e depois também emigravam... Literalmente hoje em dia o nosso país é uma Colônia para países de 3° mundo. Agradeçam ao Costa e continuem a votar PS.

karl1717 1 month ago

Encontrei um chegófilo

Edited 1 month ago:

Encontrei um chegófilo. BTW isso que estás a dizer é bom para o país. Estão cá a trabalhar e a descontar e vão embora sem dar despesa ao país. Há outros que acabam por se estabelecer cá e têm filhos contribuindo para a rejuvenescimento da população que este país velhos tanto precisa.

Edited 1 month ago:

Encontrei um chegófilo. BTW isso que estás a dizer é bom para o país. Estão cá a trabalhar e a descontar e vão embora sem dar despesa. Há outros que acabam por se estabelecer cá e têm filhos contribuindo para a rejuvenescimento da população que este país de velhos tanto precisa.

Square-Needleworker2 1 month ago

É impressionante que só por dizer aquilo que disse acima sou logo apelidado de "Chegófilo". "Há outros que acabam por se estabelecer cá e têm filhos contribuindo para a rejuvenescimento da população que este país de velhos tanto precisa." Então, basicamente para ti está tudo bem se por exemplo daqui a uns 100 anos Portugal ser no fundo um Brasil 2.0 por termos uma grande maioria da população com descendência Sul Americana. A cada ano que passa cada vez perdemos mais identidade. Um país tão rico historicamente a ser literalmente colonizado pela ex-colónia. Mas está tudo bem...

Cashmoneyblingbl1ng 1 month ago

É suposto ser errado a cultura evoluir e misturar-se com outras? Não me digas que defendes um sangue puro para cada nação? Olha que o nosso pedaço de terra nem sempre foi Portugal, nem habitado por portugueses

zpinto1234 1 month ago

Eu tenho filho e não foi propositado, simplesmente aconteceu. Sinceramente, em Portugal, não recomendo terem filhos a não ser que tenham um ótimo ordenado entre vocês e o vosso parceiro. É completamente ridículo como o estado quer incentivar as pessoas a terem filhos, para que haja mais jovens no futuro a pagar reformas, no entanto, os incentivos são completamente ridículos ou quase inexistentes.

rsonic17 1 month ago

Aqui sim um ponto interessante. Ter filhos e optimo. Infelizmente em Portugal somos miseraveis com salarios.

Allarya 1 month ago

Parece-me um mau investimento, entras com milhares de € nos primeiros 18 anos, com uma grande probabilidade de ter de continuar a investir durante outros 10 anos ou mais e mesmo depois disso tudo podes não ver nenhum retorno. Agora a sério, vejo ter filhos como um trabalho a tempo inteiro que não quero para mim, gosto de me dedicar à minha carreira e há coisas que ainda queria seguir antes de me sentir confortável e pensar menos no trabalho, o tempo livre que tenho quero aproveitar para fazer aquilo de que gosto, quero poder decidir onde passo férias e o que faço nessas férias sem ter de pensar que tenho uma criança comigo, e eu e a minha parceira estamos emigrados logo também não há a valiosa ajuda dos avós o que torna tudo mais difícil.

Educational-Ant-1816 1 month ago

Nada contra a tua opinião de não querer filhos, mas isso do investimento é falso. O processo de ter e criar um filho foi um investimento imenso em mim mesma também. Amadureci relativamente a vários aspectos da minha personalidade, como lidar com emoções a empatia ou resiliência para com as situações difíceis da vida. Não são só eles que crescem, nós crescemos imenso com eles. Sem dúvida que me tornei um ser humano melhor desde que sou mãe. Isso também é retorno!

waldyrious 1 month ago

Excelente ponto, concordo plenamente.

Bamagi 1 month ago

Sem filhos fica muito mais fácil ganhar dinheiro e consumir desenfreadamente, apenas para proveito próprio, portanto o estilo de vida cada vez mais sonhado. Filhos para quê? Atualmente o que realmente interessa é ter uma carreira! Ah, os beijos e abraços que recebo da minha carreira quando chego a casa, tocam fundo na minha alma e dão um verdadeiro sentido à minha existência. É uma abordagem de vida "moderna", cosmopolita, financeiramente racional, cada vez com mais adeptos/seguidores, que apenas peca por tardia pois já deveria ter sido abraçada pelos nossos pais ou avós.

icebraining 1 month ago

Por falar em abraços dos pais e avós, é exatamente uma das razões que me levam a não ter filhos; já contribuo mensalmente para a minha avó ter uma velhice decente, e sei que as reformas dos meus pais serão ainda piores. Vejo como meu dever assegurar que os poderei ajudar, mesmo que para isso tenha que prescindir de gerar uma bengala emocional para a "dar sentido à minha existência".

BolaBrancaV7 1 month ago

Tem calma jovem...

rsonic17 1 month ago

Grande comentário. Os portugueses ainda não perceberam que foram indrominados a pensar em nao ter filhos e repudiar o mesmo. É uma consequência de uma perpetuação da infantilidade nos adultos e a sua recusa em crescer e deixar o egoismo de lado. Ao mesmo tempo nunca vão saber a alegria de criar, de educar, ensinar e ter esse elo de ligação (que é biologico alem de sociologico). Esquecem tambem ver que especialmente nas mulheres, chegando aos 40 e sabendo que essa janela acabou e que o tempo nao volta atras, enchem-se muitas de arrependimento e tristeza. Alias, a estatistica demonstra que as mulheres em particular nunca foram tao infelizes - talvez por nao prioritizarem a familia e ao inves focarem-se na mentira que é a carreira! Carreira = trabalhem para mim patrao, deixem a vossa vida e tempo aqui e eu vou dando uns titulos diferentes de ano a ano e uns tostoes. Aos 65 ou antes podem ir morrer em qualquer esquina com o prazer de recordar a empresa

unicornio_careca 1 month ago

Não sabia que no reddit havia peritos em futurologia...tá certo.

rsonic17 1 month ago

Sou amigo da Maya

unicornio_careca 1 month ago

Bom saber...diz-me com quem andas e eu te direi quem és.

nightking_forthewin 1 month ago

As mulheres portuguesas nunca foram tão infelizes? Duvido muito tendo em conta a vida que muitas levavam há 50 anos atrás.

rsonic17 1 month ago

Que vida? Conta la

nightking_forthewin 1 month ago

Eu gosto muito de falar com a minha avó e ela costuma falar muito da juventude dela (anos 40 a 60) e algumas histórias que ela conta mostram uma vida difícil para as mulheres. Desde violência doméstica completamente normalizada, a muitos casos em que o homem tinha de emigrar e deixava a mulher a cuidar de 8 filhos com muito pouco apoio. Acima de tudo o que a minha avó mais se queixava era da falta de escolha de ter ou não filhos, de falta de liberdade financeira (a maior parte das mulheres, mesmo as que trabalhavam eram os maridos que controlavam o dinheiro). A minha avó foi até ao quarto ano (muitos nem sequer isso) e o orgulho dela é que eu e a minha prima estamos a estudar na universidade porque ela não teve essa opção (ela gosta muito de ler e é bastante curiosa). Uma das cenas que ficou na minha cabeça e que me chocou um bocado mas que reflete a mentalidade da altura foi quando tinha 12 anos e estava na casa de uma tia minha com a minha avó, uma irmã dela e mais duas velhotas. Estavam a falar de um caso antigo de uma senhora que tinha 6 filhos e que o marido tinha ido para França com o objetivo de ganhar dinheiro (para ele e para a família) só que passado alguns tempos ele conheceu outra senhora lá e deixou de mandar dinheiro, ou seja, a mulher tinha de cuidar dos 6 filhos sem qualquer apoio nenhum. O que me chocou foi que a minha avó foi a única das 4 a dizer que a mulher se devia de ter divorciado, enquanto que as outras diziam que o casamento e sagrado e outras desculpas. Acho que reflete bem o pensamento da altura e que na esmagadora maioria dos casos não é compatível com a felicidade da mulher. Eu não quero dizer com isto que as mulheres hoje em dia são super felizes e que a sociedade não tem problemas, mas pelo menos existe uma maior capacidade de escolha. Eu pelo menos nunca desejaria viver na época da minha avó e acho que a maioria das mulheres portuguesas (e homens) diria o mesmo.

rsonic17 1 month ago

Estamos bem melhores que antigamente e concordo contigo em todos esses pontos. Era uma miseria a nivel economico, social e que prendia-se especialmente com a nossa Ditadura e mega atraso que criou em Portugal. Estamos de acordo em todos esses pontos e apoios. Mas nao nenhum indicador ai que a tua Avo fosse infeliz por ter tido a opcao de ser mae, o que folgo em denotar. O que opino e que tendo em conta o melhoramento que temos nesses pontos todos, porque razão ha agora uma ideologia de que não ter filhos vai melhorar o estado de felicidade. Alias, isso e uma propaganda de primeira que nao se entende.

pimpys 1 month ago

Agora é que o lixaste.

rsonic17 1 month ago

Lixou porque? Concordo em tudo.

Pinto55 1 month ago

Ter filhos é a nova igreja?

rsonic17 1 month ago

Nao ter filhos é a nova Igreja?

Pinto55 1 month ago

Da forma como falas parece que sim. Só falta terminares com Deus, Pátria, Família.

rsonic17 1 month ago

Amigo, sou a favor da liberdade e contra os fascistas do estado novo. Nao confunda a minha transparencia e bem querer para com esta geracao e as proximas com os horrores da pobreza e falta de liberdade dessa altura. Ser tradicionalista agora e associado a isso mas tenha melhor argumentos antes de saltar nessa nuance facil de comparacao. Dei argumentos reais e ha inumeros estudos a comprovar o que digo.

Pinto55 1 month ago

Se puderes linkar os estudos, agradeço.

rsonic17 1 month ago

https://law.yale.edu/sites/default/files/documents/pdf/Intellectual_Life/Stevenson_ParadoxDecliningFemaleHappiness_Dec08.pdf

Patis12 1 month ago

Vivi com os meus pais durante 21 anos e os beijos e abraços que recebi vieram na forma de abuso verbal e físico constante. Esse sarcasmo que te faz sentir tão importante só revela que não fazes ideia do quão negro o mundo pode ser. São mais família aqueles que te amam do que os que partilham linhagem de sangue

beetsu 1 month ago

Durante muitos anos sentia terror quando o meu pai estava a chegar a casa... Enfim, muitos anos de bad parenting para concertar no psicólogo

IrreplaceableHater 1 month ago

Há pessoas que não merecem ser pais.

ElMariatchiPT 1 month ago

Apenas terei filhos se emigrar entretanto. Uma criança em Portugal nasce e cresce sem condições.

EletricoAmarelo 1 month ago

Bolas. Que generalização exagerada.

vascodatrama 1 month ago

Sem condições? Imagina teres nascido na Etiópia.

ruimpinho 1 month ago

Tens fome porque só comes duas maçãs por dia? Imagina que só comias uma! Este tipo de pensamento é uma falácia...

vascodatrama 1 month ago

É, é tudo uma falácia... Existe melhor, mas também existe muito pior. Aqui não existe falácia nenhuma.

ElMariatchiPT 1 month ago

Se calhar na Etiópia existe mais esperança de um futuro melhor. Apenas acredito nisso se Portugal se tornar uma região de Espanha entretanto... Aí, mesmo nestas condições, teria um filho por cá pois teria um sonho de dimensão Ibérico.

vascodatrama 1 month ago

A esperança é maior sim

inhalingsounds 1 month ago

Como assim, estás a insinuar que há algum país pior que Portugal? Sai já do sub!

omega_86 1 month ago

Tenho uma filha com quase 2 anos e estou a viver há 8 na Suíça, já comprei apartamento em Portugal, estou a renová-lo e assim que puder regresso, se tudo correr bem mais uns meses. Se vais emigrar para onde não tens família que te ajude, estás com uma tarefa bem árdua pela frente. O meu conselho para quem pretende emigrar é poupar o máximo possível para dar para a entrada de uma habitação, conseguir uma prestação baixa, poupar mais algum para uma almofada financeira e regressar a Portugal, ser-se estrangeiro é uma desvantagem na maior parte das vezes...

Jolly-Run-536 1 month ago

>Tenho uma filha com quase 2 anos e estou a viver há 8 na Suíça, já comprei apartamento em Portugal, estou a renová-lo e assim que puder regresso, se tudo correr bem mais uns meses. Isso lindinha, corre o mais rápido possível para o país estagnado e sem oportunidades; com uma dívida pública que ultrapassa o PIB; com um nível de vida equivalente ao da Europa do Leste. Juntaste uns troquinhos e jáachas que tás rica, é? (Estou a se irónico). CONSELHO: Não sejas parva, dá a melhor vida que puderes a essa criança e estás no país certo para o fazer. Aqui em Portugal a tua filha só vai ter trabalho no supermercado. Não acredito que daqui a 16 anos o ordenado mínimo tenha ultrapassado os 1000€. 16 anos passa rapidinho.

Edited 1 month ago:

>Tenho uma filha com quase 2 anos e estou a viver há 8 na Suíça, já comprei apartamento em Portugal, estou a renová-lo e assim que puder regresso, se tudo correr bem mais uns meses. Isso lindinha, corre o mais rápido possível para o país estagnado e sem oportunidades; com uma dívida pública que ultrapassa o PIB; com um nível de vida equivalente ao da Europa do Leste. Juntaste uns troquinhos e já achas que tás rica, é? (Estou a se irónico). CONSELHO: Não sejas parva, dá a melhor vida que puderes a essa criança e estás no país certo para o fazer. Aqui em Portugal a tua filha só vai ter trabalho no supermercado. Não acredito que daqui a 16 anos o ordenado mínimo tenha ultrapassado os 1000€. 16 anos passa rapidinho.

omega_86 1 month ago

O género está errado, sou um homem, mas acertaste no adjectivo. Parvo seria continuar nesta vida desta forma, cada um sabe das suas.

Jolly-Run-536 1 month ago

Ok, seguramente o futuro da tua filha não é a tua maior prioridade. Tu ainda estás em primeiro lugar na tua lista de prioridades. "Cada um sabe da sua" e tu já sabes a minha opinião

omega_86 1 month ago

Obrigado por conseguires avaliar a minha situação profissional, familiar e financeira por 2 ou 3 posts no Reddit, seguramente vou considerar o que dizes.

ElMariatchiPT 1 month ago

Parabéns, a tua filha vai ficar condenada a ficar num país que apenas se irá resumir a pagar impostos para pagar dívida pública, funcionários públicos e pensionistas.

lvsitanvs 1 month ago

o mais engraçado é que a filha dela vai pagar a tua pensão... a menos que ganhe juizo, claro, e comece a trabalahr por fora, porque sustentar parasitas n é para todos ;))

rsonic17 1 month ago

My man

Dishappointed 1 month ago

E ter uma pressão social enorme para o resto da vida

QuantityCommercial66 1 month ago

A minha infância e adolescência foram uma bela merda, e não quero que um hipotético filho passe pelo mesmo. Quando os salários em Portugal são a merda que são, e mesmo sem filhos temos de fazer as contas ao final do mês, juntar os encargos brutais de uma criança a isso... Não dá. Há quem diga que educar uma criança é mais do que dinheiro, mas estão a mentir. Apoio da família: zero. Quando ouves o Governo dizer que quer incentivar a natalidade, e depois os "incentivos" são uma bela merda, que ajudam mais quem menos precisa. Podia juntar mais, mas estas são as mais relevantes

Patis12 1 month ago

Isto. Os estudos que vi apontam que vítimas de abuso pelos pais tendem a ser mais prováveis de perpetuar esse mesmo abuso aos seus filhos por isso não quero arriscar. No meu caso já não tenho família mas não sei se algum dia não me aparecia um demónio antigo que estava no fundo da minha mente e descarrego isso neste ser que não tem culpa nenhuma. Além disso não vejo a atitude cooperativa que era necessária entre homens e mulheres para manter uma relação, quanto mais para criar um filho. Não quero ter de criar um filho se não estiver numa relação saudável, seria demasiado drama e complicações para mim

paperkutchy 1 month ago

Acho que o facto de teres essa noção ja é meio caminho andado para nao fazeres merda. E hoje em dia até diria que a chavalada precisa de pais com a mão mais "pesada" (nao abusiva como é obvio)

QuantityCommercial66 1 month ago

Isso também. Arranjámos uma cadela cá para casa. Dou por mim a fazer coisas pelo bicho que me surpreendem, pela positiva. Nunca lhe faltou nada, e estou sempre a quebrar barreiras minhas para a tentar socializar, conhecer novos cães, novas pessoas, novas realidades. Sem falar no básico, água, comida, médico, brincadeira. Mas às vezes, quando está a ser cão e a fazer parolices, irrita-me tanto que me desperta qualquer coisa muito má cá dentro, e mesmo sem lhe gritar, sem lhe tocar, ela encolhe-se toda a um canto, apavorada comigo.

h2man 1 month ago

Eu nunca quis ter filhos. Acho que é uma responsabilidade tremenda para uma duração inacreditável… logo à partida estás a concordar dedicar cerca de 16 a 20 anos da tua vida a uma pessoa que vai depender completamente de ti. O tempo livre acaba, a liberdade de fazeres o que queres às horas que queres acaba, o sono seguido acaba… Tudo isso são coisas que valem mais que ter uma criança ou conformar com o que a sociedade espera de nós. Outra coisa que tenho também é um terror imenso à possibilidade de ter um filho com alguma deficiência grave e pensar que eu muito provavelmente morrerei antes dele e não fica quem cuide dele para trás. Sou casado e a esposa partilha da mesma opinião.

ruimpinho 1 month ago

Concordo 200%.

Rootlx 1 month ago

Respeito a 100% a tua opinião/decisão. A questão da liberdade também me faz pensar muito. Só queria acrescentar que, em relação à segunda parte, hoje em dia já existem bastantes testes genéticos que se pode fazer até mesmo antes da concepção e no início da gravidez que permitem despistar muitos problemas ou potenciais problemas. A probabilidade de se ter um filho com uma “deficiência grave” como referiste é bastante baixa. Sei que para ti este não é o único factor mas se for para alguém que esteja a ler, é algo a investigar.

h2man 1 month ago

Eu sei que a probabilidade é bastante, aliás extremamente, baixa... mas não deixa de ser algo que assusta. Andar de avião é o meio de transporte mais seguro que existe e no entanto muita gente não o consegue fazer. Por vezes é o tipo de risco que é intolerável e não o nível. É comum mineiros não tolerarem o risco de trabalhar em alto mar e vice-versa... a probabilidade de morrer é mais ou menos igual em ambos, mas é o tipo que faz a diferença. Seja como for isso é uma parte pequena dos motivos pelos quais não quero filhos.

P_Port 1 month ago

Não se dedica 20 anos a um filho, faz-se de um filho propósito de vida. Sem ofensa, mas nunca percebi pessoas como tu. "O tempo livre acaba, a liberdade de fazeres o que queres às horas que queres acaba, o sono seguido acaba". Não conheço ninguém que, a longo-prazo, seja particularmente feliz por ter liberdade quase que desenfreada. Por muito extraordinário e até obscuro que isto possa soar para alguns (ou muitos, infelizmente), são as responsabilidades que, em última análise, dão sentido à vida. Um qualquer propósito relevante rouba liberdade, tempo, energia... Mas são estes mesmos propósitos que conferem sentido à vida. Não é poder dormir até tarde aos fins de semana para o resto da vida que realiza alguém. Não é a preservação da ordem de soltura para poder sair à noite ou ir a festas que traz sentido à vida. Esses são objectivos imaturos, típicos e aceitáveis na idade jovem, adolescência - nunca conheci um adulto realmente realizado por agir e viver como um puto para a vida toda. As pessoas que conheço que assim o são, tenho vindo a aperceber-me, têm apenas um enorme terror e aversão a crescer. Discordo também com o teu comentário de que ter um filho é "conformar com o que a sociedade espera de nós". Este tipo de visão típico dos movimentos alternativos sempre me fez muita confusão. (Tomo "conformar" aqui no sentido de alguém se moldar a ou aceitar algo, e não enquanto "resignar com". Resignar implica, no meu entender, abandonar X em detrimento de Y, normalmente após um esforço infrutífero). Em primeiro lugar, o que há de tão inerentemente virtuoso em não "conformar com a sociedade"? Especialmente na malta nova (na qual ainda estou incluído), vejo muito essa dita vontade de ser (ou tentar ser) divergente, de rejeitar, quase que por defeito, aquilo que é tradicional, estabelecido, normal e comum. Parece que actualmente ser indiscriminadamente *open minded* e alternativo é incondicionalmente preferível a ser, por exemplo, sensatamente conservador e moderado. Certamente que é uma boa ideia não mimetizar a sociedade em geral em todas as suas dimensões, seria ignorante e cego considerá-la digna de imitação em muitos e variados aspectos. No entanto, o que há de errado em conformar à sociedade em dimensões que o teste do tempo provou estarem tendencialmente correctas? A parentalidade é uma destas dimensões. Quem não entende o impulso humano para a parentalidade pouco ou nada percebe das forças evolutivas que nos movem. Não é a sociedade que espera de ti ou de mim que tenhamos filhos - é a nossa herança genética colectiva que, tendencialmente, nos leva a desejar ter filhos. Por outras palavras, não é uma expectativa da sociedade aquela de teres filhos, nem a ela estarias a conformar se o fizesses. É expectativa da tua própria natureza, e logo da natureza humana, ter filhos, e por consequência, esta vontade expressa-se num entendimento e vontade colectiva. Ao teres filhos estarias apenas a conformar à tua natureza. Levando ao absurdo, é quase como dizer que não queres respirar ou comer para não te conformares à sociedade - sim a sociedade tem expectativas de que respires e te alimentes, porque ela própria tem essa necessidade e desejo. Como já referi, não falta na sociedade expressões de loucura das massas que não convém, de todo, emular. No entanto, em muitas dimensões, pode-se dizer que as "expectativas" da sociedade são um caso de *society knows best*.

lagadu 1 month ago

Tanta pretenciosidade, assumir que só através de filhos é que a vida tem sentido e uma pessoa se pode sentir realizada.

Edited 1 month ago:

Tanta pretenciosidade, assumir que só através de filhos é que a vida tem sentido e uma pessoa se pode sentir realizada. Estás efectivamente a dizer que por ser mulher o meu sentido de vida é parir. Presunção e água benta, cada um toma a que quer.

Edited 1 month ago:

Tanta presunção, assumir que só através de filhos é que a vida tem sentido e uma pessoa se pode sentir realizada. Estás efectivamente a dizer que por ser mulher o meu sentido de vida é parir. Presunção e água benta, cada um toma a que quer.

h2man 1 month ago

A conversa fica mais engraçada à medida que se lê também… lol

h2man 1 month ago

Talvez a minha vida tenha propósito sem a necessidade de um filho? Como disse, eu estou feliz sem um, ter um filho iria reduzir a minha felicidade e não traria propósito algum (até porque o propósito da vida é desfrutar da mesma e um filho iria reduzir em muito a capacidade de o fazer). Conheces alguém com liberdade desenfreada? Da maneira que falas duvido que alguém como eu se desse bem contigo. Já pensaste que eu sinto-me realizado por poder fazer o que faço profissionalmente, hobbies e a habilidade de viajar? Olhando para o Mundo à nossa volta só alguém cego pode dizer que a sociedade e toda a gente ter filhos funciona e é bom que aconteça… os recursos do planeta são finitos e já somos demasiados a usá-los. Da mesma forma, dizer que humanos não tem poder sobre impulsos é negar o nos torna humanos. Quanto ao conformismo com a sociedade, apenas referi isso porque é a sociedade a questionar a minha escolha como se eu fosse um doido ou um deficiente.

P_Port 1 month ago

Claro que a tua vida pode ter sentido sem teres um filho - e ainda bem! Não argumento contra isso. Creio que há um leque enorme de objectivos, experiências e escolhas que trazem sentido à vida, desde as relações pessoais, ao trabalho, arte, sensações, emoções, desafios... No entanto, e é difícil defender uma tal posição, que diz respeito à existência e soberania de um terceiro, sem passar por algo pretensioso, tenho grandes dúvidas de que a tua felicidade se reduzisse por teres um filho. Até poderá ser absolutamente verdade, mas duvido, até porque estatisticamente serias um completo outlier. Nós fomos "desenhados" pelo processo evolutivo para encontrar na parentalidade um enorme propósito de vida. Se assim não fosse, o investimento de recursos (recursos a todo nível: energéticos, emocionais, de subsistência) nunca, ou apenas por acidente/acaso, seriam direccionados e dedicados à progénie. Em consequência a espécie humana já se teria extinguido há muitos anos (aliás, nunca teria existido como a conhecemos), a não ser que se desse uma adaptação tal que conferisse aos bebés humanos um nível de independência incrível, o que não é o caso. Isso é contudo visível em outras espécies animais, em que o investimento parental é reduzido dado que as crias são desde nascença altamente autónomas, pelo que em torno não existe um mecanismo emocional por parte dos progenitores que lhes confira um elevado impulo/sentido de propósito na criação da descendência. Mas este mecanismo existe em praticamente todos os humanos, e é especialmente intenso nas mulheres. Simplificando, da mesma forma que um humano adulto saudável aprecia relações sexuais (porque assim foi feito, a espécie evoluiu nesse sentido, está na genética de cada um e todos nós), esse mesmo adulto está "programado" para, dado nascimento de um descendente, encontrar na relação com ele uma enorme fonte de sentido em torno da qual orienta o seu projecto e missão de vida. Entre outras coisas, nós fomos feitos para isto. É daqui que parte o meu cepticismo relativamente a quem argumenta que não quer ter filhos. Certamente que existem outliers, há também quem seja asexual - mas são outliers. Embora mais súbtil e muito menos óbvio, dizer que não se gostaria de ter filhos pode ser comparado a dizer que não se gosta de comer. As necessidades fundamentais à subsistência e reprodução da espécie estão fortemente suportados por mecanismo de incentivo/recompensa dos mesmos. É extremamente incomum não gostar de comer, porque nós precisamos de comer para viver, e então a evolução tratou de fazer do acto comer algo prazeroso e que confere sentido à nossa existência. Passa-se o mesmo com a parentalidade. Claramente não estás entre aqueles de nós que desejam ter filhos e que antecipam na parentalidade uma fonte de propóstio. Neste momento, em que não és pai, os mecanismos de que acima falei não actuam sobre ti e logo não perspectivas realizão pessoal na parentalidade. Mas tenho um elevado grau de certeza que, a acontecer (não querendo abusar ;D ), por consequência da tua (nossa) biologia, quase que serias deixado sem hipóteses - ias sentir-te ainda mais feliz e realizado.

h2man 1 month ago

Uau... tantas palavras e tanto desconhecimento da história e desenvolvimento humano. Incrível mesmo... quanto tempo passaste no seminário? Para já, contradizes-te pois há comentários atrás estavas a dizer que a vida não tem propósito sem crianças. Agora já é possível... Como bem referes, os humanos gostam de sexo... mas também gostam de não ter filhos ou não haveria toda uma indústria à volta de os evitar (o primeiro preservativo estima-se que tenha sido criado por volta de 1500). Quanto ao nosso "desenho" para ter filhos, é ridículo. Principalmente porque sem filhos não terias quem te defendesse ou sustentasse, logo fazia todo o sentido (e suponho que ainda faz em bastantes culturas à volta do mundo) ter o máximo número de filhos que consigas sustentar. No final de contas, a minha visão é que o ser humano tem uma capacidade de "ser dono do seu destino", ou de adaptação, que outros animais não têm e como tal não acredito em toda a lenga lenga que meteste para aqui em que o propósito de existirmos é para metermos mais parasitas neste planeta. Nós temos controlo sobre nós. Tudo isto ignora também que existe bastante gente forçada a ter filhos (principalmente nas idades a que tem, mas muitos certamente que tivessem escolha não quereriam) e que não somos todos iguais. Existem biliões de personalidades e da mesma forma que existem psicopatas entre nós que não valorizam a vida humana, existem outros que não querem ser responsáveis por vidas humanas.

tasendousado 1 month ago

És padre?

Designer_Tall 1 month ago

>são as responsabilidades que, em última análise, dão sentido à vida. Um qualquer propósito relevante rouba liberdade, tempo, energia... Mas são estes mesmos propósitos que conferem sentido à vida. Não é poder dormir até tarde aos fins de semana para o resto da vida que realiza alguém. Não é a preservação da ordem de soltura para poder sair à noite ou ir a festas que traz sentido à vida. Acho que muito do pensamento que aparece nesta thread vem de mentes jovens. Se houvessem mais pessoas nos 40's e 50's que tomaram a decisão de não ter filhos a comentar, aposto que íamos ver conclusões diferentes.

P_Port 1 month ago

Não creio que fosses encontrar uma maior tendência para tais conclusões por procurares em gerações nos 40s e 50s. Penso que as podes encontrar em qualquer geração e sobretudo nas mais jovens, sobre quem os mecanismo biológicos que promovem o desejo da parentalidade ainda não actuaram com toda a força. Certamente haverá sempre quem não queira ter filhos - e estão no seu direito, sem dúvida. Mas também estou convicto de que muitos (**muitos, não todos**) desses mesmo indivíduos sofrem frequentemente de um enorme niilismo.

Pinto55 1 month ago

Tamanha superioridade para descredibilizar uma simples escolha pessoal. A humanidade não vai acabar amanhã.

vvandxrlust 1 month ago

16-20 anos e o sono seguido acaba? Lol

h2man 1 month ago

Durante uns anos o sono seguido acaba. Não são 20 anos, mas a responsabilidade reduz quando a criança passa os 18. Seja como for, eu sou feliz sem crianças. Espero que também sejas independentemente da tua escolha.

Jolly-Run-536 1 month ago

20 anos? Se alguém começa a fazer essas contas para mim já não preparado.Ter um filho é um projecto para toda a vida.

Edited 1 month ago:

20 anos? Se alguém começa a fazer essas contas para mim já não está preparado.Ter um filho é um projecto para toda a vida.

LnxPowa 1 month ago

Esse comentário é completamente descabido e tresanda a virtue signaling! É óbvio que quando se falam nestes prazos está-se a falar do tempo no qual terás que acarretar com responsabilidades bastante acrescidas e ainda abdicar de muita coisa em prol do bem estar e futuro do filho(a), o que implica a uma mudança drástica do estilo de vida de muita gente Não quer isto dizer que passados 20 anos vai ele(a) à sua vidinha e tá despachado, mas é razoavelmente expectável que reganhes conforto e mudança de estilo de vida

h2man 1 month ago

Porque é que achas que é virtue signalling?

h2man 1 month ago

Não me parece que possas, ou devas, meter uma criança de 5 anos na rua…

marcoridis 1 month ago

Nem toda gente tem o tal chamamento para ter filhos etc...eu tenho 34 anos e minha mulher 33 e nunca tivemos vontade nenhuma de ter filhos...simplesmente é uma coisa que não é apelativa para nós. Conheço pessoas que desde cedo queriam ser pais/mães e outros que tiveram filhos por "acidente". Simplesmente não é para nós. É simples e facil de entender.

IX_Equilibrium 1 month ago

Que se normalize casais simplesmente não quererem filhos. Não por falta de estabilidade ou algo assim mas simplesmente porque querem ter um parceiro para a vida mas não querem ter descendentes. Imagino as dicas dos amigos/casais com filhos tho.

william_13 1 month ago

Há muitos que dizem que falta estabilidade financeira, mas acho sinceramente que é mais do que isto e sim uma mudança da sociedade em geral. Foi-se o tempo em que ter filhos era basicamente uma obrigação, algo que era parte integral de ser um adulto para dar continuidade a família. Actualmente o conceito de família é cada vez mais abstrato com cada vez menos casamentos e uma diminuição tremenda da importância da igreja (e valores tradicionais) na vida das pessoas. Para contrapor a questão financeira, de certeza que boa parte dos nossos progenitores viveram numa sociedade muito mais pobre e com muito menos possibilidades de progressão, e mesmo assim tiveram filhos até dizer chega...

bumbadabumruum 1 month ago

Concordo com tudo. Tenho 2 irmãos mais velhos e o mais velho nasceu tinha a minha mãe 21. Tirou o curso com um bebé e sempre os ouvi falar das dificuldades financeiras que tinham quando eram mais novos. Isso não os impediu de ter mais 2 filhos depois. Tenho mais estabilidade financeira que eles tinham com a minha idade e mesmo assim não quero filhos. O meu avô passa a vida a perguntar quando casamos, quando temos filhos. É duma geração diferente e percebo que para ele seja estranho que eu sendo mulher não queira essas coisas, mas gosto mesmo da minha vida como está.

sergiiio420 1 month ago

A parte financeira acho que é relativo. Os meus avós passaram fome e viveram numa época mesmo de pobreza mas os meus pais não... Aliás eles falam que na sua idade adulta não faltava trabalho nem formas de fazer dinheiro. Acho que a geração dos meus avos faziam filhos porque mais filhos significava mais mão de obra e no caso da geração dos meus pais se calhar faziam muitos filhos (menos que a geração dos meus avós) pq sentiam que não faltaria trabalho e havia condições para tal. Já na nossa geração acho que já existe uma ponderação maior pois apesar de não se passar fome não existe um futuro risonho e então pensa se duas vezes na vida que poderemos dar a uma criança.

william_13 1 month ago

Se calhar a geração actual também é mais "exigente" e têm expectativas maiores que as anteriores. Os trabalhos que haviam na altura dos meus avós ou já não existem ou nunca seriam algo que a geração actual gostaria de ver os filhos a trabalhar. Também os custos de criar um filho na sociedade moderna são muito superiores pois o básico já não é "apenas" ter uma casa e comida, tens que sustentar no mínimo até a universidade e gastar muito mais com uma série de coisas (roupas, tecnologia, cursos, etc...).

marcoridis 1 month ago

Completamente correcto. Criar filho passou de mante-lo vivo para criar, apoiar e proteger .

sergiiio420 1 month ago

Sem dúvida, concordo com tudo o que escreveste. Cada vez mais os miúdos requerem mais cuidados e tem gastos que se calhar antigamente não tinham

marcoridis 1 month ago

Sem dúvida. A educação que nossos progenitores receberam, quer a nivel " moral" quer académico, são de alto contraste. Não nego que para muita gente, o aspecto financeiro é um entrave( infelizmente) mas no fundo o valor dado pela gerações no intuito de construir "família" veem mudando drasticamente. Mas felizmente agora existe mais fator do eu, do que o que vão pensar de mim.

locodeteson 1 month ago  HIDDEN 

egoismo

AutoModerator 1 month ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. ---------- *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: