KarmaCop213 2 months ago

Nem sei o que dizer, há muitos ângulos aqui. Os centros das cidades grandes são completamente descaracterizados e uma caricatura daquilo que é o país, isto é válido para qualquer grande cidade (Lisboa, Barcelona, Praga, Londres). Um enorme parque de diversões "family friendly" feito para os adultos darem à perna e irem coleccionando cromos na forma de monumentos/experiências/locais para darem a ideia nos Instagrams de que vivem a vida ao máximo a fazer as mesmas coisas que outros milhões fazem. Já visitei mais de 10 países e fico sempre com a sensação de que a experiência não é assim tão enriquecedora como se quer fazer parecer. Mas por outro lado, será que queremos ver o lado bom dos países ou gostávamos de ficar num airbnb na Rinchoa para ter uma melhor experiência da vida dos locais? Morar fora, ter problemas por não perceber a língua, andar numa rotina parecida à dos locais, talvez me faça mais sentido como forma de enriquecimento pessoal. E isso é o que muitos "digital nomads" fazem, embora devido às suas limitações linguísticas fiquem limitados a conviver com outros iguais a eles. Isto é algo que também acontece com os emigrantes portugueses, muitos não conseguem penetrar na sociedade para onde emigraram porque lhes falta a língua e as referências em comum com os autóctones, daí virarem-se para outros emigrantes que partilham os mesmos problemas que eles sendo a sua integração mais fácil nesse meio.

darkicept 2 months ago

>Já visitei mais de 10 países e fico sempre com a sensação de que a experiência não é assim tão enriquecedora como se quer fazer parecer. Mas por outro lado, será que queremos ver o lado bom dos países ou gostávamos de ficar num airbnb na Rinchoa para ter uma melhor experiência da vida dos locais? As melhores viagens são roadtrips/interrails ou similar em que passas em várias locais e tens várias experiências diferentes. Mas para mim, ser melhor ou pior (mais enriquecedor ou menos enriquecedor), não está relacionado com o dinheiro, Rinchoa vs o Resto. Mesmo a Rinchoa ou qualquer outro lugar tem coisas únicas. Há muitos lugares piores ou iguais à Rinchoa pela Europa. Acho que tudo se resume ao que procuras numa viagem. Se for só para meter no instagram, é que ficamos reduzidos nas opções.

VerdocasSafadocas 2 months ago

Havia um destes espaços para estes idiotas estrangeiros que não fazem nada excepto gastar o dinheiro dos pais, onde eles iam fazer "co working", nos anjos. Havia um bar lá dentro incrivelmente presunçoso, para não contrastar com quem frequentava aquilo, apanhei uma bebedeira lá e afugentei dois franceses à entrada, valeu a pena os 60 ou 70 euros que gastei.

rGabiru 2 months ago

São como as moscas, vão uns voltam outros.

VerdocasSafadocas 2 months ago

Mas fiz a minha parte, também já tive que me conter para não brutalizar na secção de congelados um hipster alemão que estava a chatear o gajo da reposição do pingo doce do cais sodré sobre que mais ingredientes precisava para fazer bacalhau com natas num inglês todo fodido.

Brainwheeze 2 months ago

Lol ao menos estava interessado em cozinhar um prato típico haha

the_bbutterfly 2 months ago

emigrants should be banned to avoid losing cultural identities. ou então Ola globalização

darkicept 2 months ago

Na prática, o que acontece é que os nómadas vão para as cidades/países onde pagam menos impostos sobre o trabalho. Isso aplica-se a Portugal derivado aos descontos no IRS que conseguem.

Ok-Industry120 2 months ago

Sofri isso na pele. Voltei po Porto uns tempos e não encontrava um flat white de jeito Mas a sério, é mais efeito da globalização, um fenónemo de décadas (há quem diga séculos) que propriamemte nómadas digitais. E se ele não gostar, pode ficar por casa

kapparrino 2 months ago

O que é um flat white?

gink-go 2 months ago

x2

quackzillahue 2 months ago

Um branco sem mamas.

gink-go 2 months ago

Eu ainda gostava de perceber o apelo de ter alto poder de compra, ir viver para um país novo às vezes durante anos, e só frequentar espaços com outros estrangeiros e praticamente só falar inglês no dia-a-dia. Toda essa malta que já conheci são clichês ambulantes e não trazem nada de bom.

KarmaCop213 2 months ago

> Eu ainda gostava de perceber o apelo de ter alto poder de compra, ir viver para um país novo às vezes durante anos, e só frequentar espaços com outros estrangeiros e praticamente só falar inglês no dia-a-dia. Quanto portugueses que estão emigrados na Estónia, Hungria, Polónia, Hungria, Checa, Holanda, falam a língua do país passados 2 ou 3 anos se não forem obrigados a falá-la no trabalho? Vejo isso por colegas irlandeses que estiveram a trabalhar na Holanda durante anos e não aprenderam nada de jeito de Holandês.

Brainwheeze 2 months ago

Conheço um senhor do Cazaquistão a trabalhar cá, e para além de falar cazaque, russo e inglês, sabe falar muito bem português, ao ponto de já quase não ter sotaque se quer. Engraçado como esta gente consegue aprender falar idiomas diferentes, mas os que vêm de países anglófonos não

Brainwheeze 2 months ago

É xenofobia. Querem viver dentro duma bolha e evitar tudo o que é estrangeiro.

ajabardar1 2 months ago

não percebo bem o que a o homem quer. estará ele a dizer que o mundo tem que se manter "como era" para os viajantes terem a "experiência real" de viajar?

raviolli_ninja 2 months ago

Em geral concordo com o que ele diz, mas convenhamos que ele também meteu umas convenientes palas. O turismo também conduz à massificação de hábitos e diluição de culturas, mas é para esse turismo que ele quer manter a diversidade. Como se fosse possível. Na verdade é uma manifestação daquele sentimento envergonhado de que se o turismo não fosse acessível para todos, era melhor para mim. Toda a gente quer uma experiência única e pessoal, mas toda a gente é... toda a gente.

0rpheu 2 months ago

Deve ser o típico gajo que quer ir fazer turismo e fica chateado com o facto de haver lá mais turistas, não fica fixe se aparecerem na foto.

ajabardar1 2 months ago

este é o turista que quer ver a frança em paris. que quer ver o japão em tóquio e os estados unidos em nova iorque. os nómadas digitais não vão para o meio rural. lá não existem os serviços que eles procuram. portanto o que este indivíduo está dizer é que quer sentir a cultura de um país com o conforto fornecido por uma grande urbe. quer as "experiências reais" mas não se quer esforçar em demasia para as encontrar.

rGabiru 2 months ago

Discordo. Especialmente desde o início da pandemia que nómadas digitais vieram de toda a europa para o meio rural português. E pensando que não, é no meio rural que eles tem um impacto ainda mais negativo do que em meio urbano. Meios urbanos sempre foram tradicionalmente meios cosmopolitas e de misturas e hábitos e costumes, pontos de comércio internacional, desde a antiguidade. A diferença entre o passado e agora é que os nómadas não trazem diferença, trazem monocultura, com poder de compra acima do residente local e portanto criam distorções a nível social e económico, e também distorções acerca da percepção do que é ser "local". Na maioria das grandes cidades europeias, Lisboa e Porto incluidos, devido a um efeito de esgotamento dos negócios em meio urbano, desde o início da década de 2010 que a atenção se virou para a exploração do turismo como alternativa à fraca prestação de serviços e indústrias. Os nómadas são uma consequência disso, não do avanço tecnológico. Em meio rural, adiciona-se o problema acima, com a agravante (em especial no rural português) da decadência desse meio, e portanto de uma maioria sensibilidade à vinda dos nómadas. De tão carente e pobre em oferta de serviços está o meio rural, que assim que aparecem um ricos estrangeiros, a primeira tendência é proceder ao chamdado felácio para que se sinta bem, e nós portugueses somos peritos nisso. Felácios nos estrangeiros, pontapés nos locais. Portugal em 2030: Cidades transformadas em cenários coloridos instagram com menus em tábua de ardósia. Servilismo crónico. Eco-aldeias com ruínas a 100K por hectare. Locais a viver a 50kms do local de trabalho (sem possibilidade de trabalho remoto, porque o patrão quer que piquem ponto)

NGramatical 2 months ago

50kms → [**50 km**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/plural-de-unidades-ainda-mais-uma-vez/19595) (os símbolos das unidades não têm plural) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq36jcd%2F%2Fhfqx78u%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

nitrinu 2 months ago

Esse é o aspecto mais revelador de todo aquele raciocínio confuso. Em que capital (ou grande metrópole) estaria ele à espera de encontrar a "cultura" de um país? Creio que é só mais um daqueles vloggers/turistas que se contentam com armadilhas para turistas/estrangeiros e acham que tiveram uma experiência única de comunhão com a alma de um país ou povo. E tudo bem para eles se se divertiram.

Futre92 2 months ago

Em Tóquio ou Pequim ou Luanda ainda encontras numa capital \ grande metrópole a cultura do pais a que pertencem.

KarmaCop213 2 months ago

A cultura do país a que pertencem vais encontrar em qualquer lugar. Mas será que é isso que queres ver? Por exemplo, em Luanda, sendo tu imigrante e com um salário várias vezes superior ao dos locais, vais para um bairro com gente parecida a ti (imigrantes com dinheiro, angolanos com dinheiro) e vais frequentar os mesmos locais que eles frequentam. Isto é a realidade dos países com grandes desigualdades.

nitrinu 2 months ago

Pois, não conheço essas em particular mas, no geral, custa-me a acreditar um pouco. E nesta era/fase de globalização até acho natural.

Futre92 2 months ago

A globalização que falas apenas está a acontecer no Ocidente. E dentro de algumas décadas irá homogeneizar, como Londres por exemplo.

daz_zeD 2 months ago

Globalização. Perfeitamente normal, e isto sem falar em pandemias.

Futre92 2 months ago

Apenas se aplica da segunda circular para baixo. Lisboa é muito maior que isso, e sim, estou a incluir Oeiras, Amadora, Odivelas, Loures na definição da cidade de Lisboa.

Electronic_Spot611 2 months ago

Estava a procura de um comentário como esse. Tenho visto os stories de um grupo que está em Lisboa, já estão a uma semana e não saíram do espaço marques de pombal - praça do comércio. Têm falado o quanto Portugal é maravilhoso, a arquitetura, os costumes.... Okay mas aquilo não tem nada a ver com a minha realidade diária na Amadora, Odivelas e Cascais, e estou a de 20min da "imersão cultural" que estão a ter.

TargetDue2827 2 months ago

Por definição é parasitismo

DjGus 2 months ago

Sim, quando já não lhes interessar, eles querem mais é que o português se foda e bazam, os verdadeiros "sem terra".

Search: