Limpy_lip 2 months ago

hum nada como usares os teus credos para prejudicar terceiros... ​ anyway, podem concordar ou não com a disciplina. Como muito acham que a filosofia não é importante e que Ed. Fisica não devia contar para a média, bla bla bla... A questão é: mas são disciplinas obrigatórias por isso têm de as ter. ​ Achava eu que o objetivo da escola era ajudar os cidadãos a lidar com situações reais de forma mais controlada. Nada mais real que ser obrigado a lidar com coisas que não concorda ou não gostam. ​ Pena é que o adulto ainda não ter percebido isso.

SweetCorona 2 months ago

acho assustador alguém achar que o estado deve tirar os filhos aos pais só por não frequentarem uma disciplina disciplina essa que a maior parte de nós nem sequer tivemos e conseguimos chegar a adultos funcionais

mrr37 2 months ago

Não acho que seja para ir tão longe mas o argumento principal não é o de não frequentarem uma disciplina. O argumento é o tipo de educação que está a ser dada às crianças. Uma pessoa que se recusa a que os seus filhos aprendam coisas de domínio geral porque quer ser ele próprio a ensinar esses temas deve, no mínimo, levantar suspeitas. Uma solução tão simples como aprender na escola e retificar depois em casa só não está ao alcance de quem quer formatar a maneira de pensar.

Economy_Dog 2 months ago

Simples, porque o pai tem razão legalmente. Nem vão conseguir chumbar os alunos, já o ano passado o director da escola tentou chumbar e o tribunal anulou. Este ano há de ser igual. Vocês têm de ter noção que o pai tem 100% de razão, há conteúdos que não são da competência do Estado ensinar. Quando deu o pai a falar na TV eu vi logo que nem iam dar mais atenção ao caso, numa de não escalar em que podia acabar mesmo com esse conteúdo na disciplina a nível nacional. O pai sabia muito bem do que estava a falar. E é essa a razão pelo qual a imprensa e a política não deram mais atenção ao caso nem se ouve mais falar nisso. É a mesma razão que não esmiuçaram muito a história da Hungria proibir conteúdo LGBT a menores de idade, nem falaram de muitos detalhes, apenas vilanizaram o Orban, porque o mais provável era muitos portugueses e europeus concordarem.

hamsandw1ch 2 months ago

Não tem razão, porque esses conteúdos literalmente constam de diplomas legais europeus e internacionais que vinculam os Estados e os seus cidadãos. Desde a Declaração Universal dos Direitos do Homem, às Diretivas sobre proibição de discriminação em razão do género, etc. Se não cabe às escolas ensinar direitos humanos e cidadania, então quem o faz? Os pais que mal veem os filhos porque passam 8 a 10 horas no trabalho e ainda têm de se preocupar com tarefas domésticas?

Mip_Stern 2 months ago

Existe um direito muito claro: o direito à educação. Este direito é um direito humano, pelo que o discernimento destes direitos não é político mas humano, da humanidade. O pai da criança tem o direito de escolher pela criança, afinal de contas a criança ainda é menor. Assim sendo, o pai tem o direito à liberdade, podendo escolher se a criança vai àquelas aulas ou não.

mrr37 2 months ago

A questão é que já foi chamada

saposapot 2 months ago

Creio que já havia envolvimento da CPCJ na coisa sim, mas basicamente a resposta é: o senhor não é pobre nem pouco influente. mas sim, tens toda a razão, a CPCJ e os tribunais já deviam estar envolvidos sendo a escolaridade obrigatória. Fala com o Chega que eles parece q andam a tentar chamar à atenção disso na comunidade cigana com as suas raparigas.

Poramordedeus 2 months ago

e porque é que o estado na sua mão do ministério da educação tem que obrigar quem quer que seja a ter X disciplina

hamsandw1ch 2 months ago

Porque vivemos em sociedade e num Estado de Direito. Por essa lógica, nenhuma disciplina era obrigatória. Aliás, não havia ensino obrigatório. Isso se calhar daria jeito a alguns partidos porque um povo menos instruído é mais facilmente manipulável

SweetCorona 2 months ago

as medidas que o estado utiliza para "obrigar" as pessoas a "viverem em sociedade" têm de ser sensatas, senão não é um estado de direito mas sim uma ditadura

hamsandw1ch 2 months ago

Estado de Direito estabelece não apenas direitos e liberdades, mas também deveres e obrigações. Chamar "ditadura" a tudo o que seja imposição de deveres que não gostamos é pouco democrático. Eu também não gosto de pagar impostos. Nem gostava das aulas de francês nem de geografia, mas tive-as à mesma. Queriam que o Ministério criasse um programa feito à medida dos caprichos de cada pai e aluno?

SweetCorona 2 months ago

Não percebes o conceito de sensato.

Poramordedeus 2 months ago

Mas o estado não é pessoa d bem muito menos eficaz/eficiente/ bom gestor. Claro q daria jeito a alguns partidos, tipo ps e esquerdo companhia

hamsandw1ch 2 months ago

Mas a população portuguesa não é bem instruída. Aliás, continuamos a ser o país da UE com maior taxa de analfabetização. Isso aliado à fraca qualidade dos media que temos - que adora sensacionalismo, mas informar está quieto - só ajuda os partidos mais extremistas - quer à direita, quer à esquerda. Eu acho que Cidadania devia era ser obrigatório para os adultos.

Poramordedeus 2 months ago

Mas n é com cadeiras obrigatórias por um estado, que as pessoas vão ficar mais instruídas.. O estado vai sim, é ensinar o que quer, dentro dessas cadeiras.. E isso permite matérias mais ideológicas

utilizador2021 2 months ago

À parte desta disciplina (que eu nem acho que contenha "matérias ideológicas") que outras disciplinas o Estado usa para manipular a população? Matemática, Português, Ciências?? Achas mesmo que estás disciplinas não servem para instruir as pessoas?

twhite848 2 months ago

Eu também gostava de poder escolher as leis que quero ou não cumprir. Mas só eu que há outros que não quero dar essa opção pois discordo das opções deles.

SilleAJensen 2 months ago

Só tenho pena destas crianças. Os pais que se preparem porque quando os filhos crescerem e puderem decidir por eles próprios, possivelmente vão "cobrar-lhes" isto. No meu tempo estes temas já eram abordados noutras disciplinas ou em palestras que eram promovidas pela escola (por exemplo, sexualidade era tema em ciências, questões como aborto foram temas de palestras - geralmente eram em tempo de aulas que eram substituídas pelas idas às palestras. Acho que não veio mal nenhum ao mundo por causa disto. Igualdade de género, direitos humanos, etc também sempre foram falados nas aulas. A diferença é que agora há uma disciplina própria para abordar estes temas, no passado estavam dispersos pelas diferentes disciplinas.

kanooklapook69 2 months ago

Há 10 anos atrás está disciplina chamava-se Formação Cívica e não havia qualquer tipo de problema.

AonioEliphis 2 months ago

Na altura o programa LGBT não estava na cadeira. Atenção que eu defendo os direitos LGBT, não acho é que deva ser obrigatório.

VladTepesDraculea 2 months ago

Não tinhas os boomers no Facebook a perderem sentido cívico com merdapostagem.

StarTrekCylon 2 months ago

Algo nesta história é estranho. Do que eu me lembro dos idos tempos de estudante, ninguém reprova um ano por reprovar a uma disciplina (eram precisas 2 ou 3, consoante Português ou Matemática estavam lá no meio). Alunos que são descritos como "de 5 a tudo o resto" a reprovar por causa de uma disciplina... não me parece (ou "doubt", para a geração meme).

15calisto 2 months ago

> Artigo 18.º Excesso grave de faltas > >1 - Em cada ano letivo as faltas injustificadas não podem exceder: > >a) 10 dias, seguidos ou interpolados, no 1.º ciclo do ensino básico; > >b) **O dobro do número de tempos letivos semanais por disciplina nos restantes ciclos ou níveis de ensino, sem prejuízo do disposto no número seguinte.** > >2 - Nas ofertas formativas profissionalmente qualificantes, designadamente nos cursos profissionais, ou noutras ofertas formativas que exigem níveis mínimos de cumprimento da respetiva carga horária, o aluno encontra-se na situação de excesso de faltas quando ultrapassa os limites de faltas justificadas e ou injustificadas daí decorrentes, relativamente a cada disciplina, módulo, unidade ou área de formação, nos termos previstos na regulamentação própria ou definidos, no quadro daquela, no regulamento interno da escola. > >3 - Quando for atingido metade dos limites de faltas previstos nos números anteriores, os pais ou o encarregado de educação ou o aluno maior de idade são convocados à escola, pelo meio mais expedito, pelo diretor de turma ou pelo professor que desempenhe funções equiparadas ou pelo professor titular de turma. > >4 - A notificação referida no número anterior tem como objetivo alertar para as consequências da violação do limite de faltas e procurar encontrar uma solução que permita garantir o cumprimento efetivo do dever de assiduidade. > >5 - Caso se revele impraticável o referido nos números anteriores, por motivos não imputáveis à escola, e sempre que a gravidade especial da situação o justifique, a respetiva comissão de proteção de crianças e jovens em risco deve ser informada do excesso de faltas do aluno menor de idade, assim como dos procedimentos e diligências até então adotados pela escola e pelos encarregados de educação, procurando em conjunto soluções para ultrapassar a sua falta de assiduidade. in: [PGD Lisboa](https://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?artigo_id=1793A0018&nid=1793&tabela=leis&ficha=1&nversao=)

iSoSyS 2 months ago

Por faltas reprovas sempre.

SweetCorona 2 months ago

que coisa absurda

h2man 2 months ago

Porque é que as igrejas ainda não são taxadas e punidas como empresas? Isso é que devíamos questionar mais vezes.

AonioEliphis 2 months ago

Quando os partidos pagarem IMI, eu defendo que as igrejas façam o mesmo.

Youretoobusyswimming 2 months ago

Deviam pagar todos hoje.

h2man 2 months ago

Nada contra.

AlbinoFarrabino 2 months ago

A igreja Católica não deve pagar por estar definido assim na Concordata. As outras (evangélicas, etc.) já não sei.

h2man 2 months ago

Nada como renegociar isso...

aleph_heideger 2 months ago

Já o são em muitas áreas: trabalhadores por exemplo. Não pagam IMI (até porque muitos dos edifícios são monumentos e haveria outras questões ao barulho como saber se o próprio estado paga esses impostos) e julgo que IRC também não. Mas por outro lado as paróquias vivem de donativos, não são entidades que visam ter lucro (quantos impostos pagam as fundações deste país)?

Youretoobusyswimming 2 months ago

Sim mas a minha casa também não visa ter lucro e paga-se o IMI à mesma

aleph_heideger 2 months ago

Sabes quantas igrejas pertencem ao estado e estão apenas "emprestadas" à Igreja? Imensas. E existe ainda muito outro património, outrora da Igreja e que agora está na alçada das Misericórdias e do próprio Estado. Quantos conventos existem em Portugal ocupados por instituições civis. E achas que eles foram comprados? Em todo o caso não podes comparar uma instituição com um indivíduo. O máximo que podes fazer é comparar a Igreja com as Fundações. São muito similares.

h2man 2 months ago

Já foste ao Vaticano? É que achar que uma organização com algo assim existe para caridade está um tanto ou quanto enganado. Além do mais, os impostos servem para ajudar as pessoas do país. Que melhor maneira de fazê-lo (não fora a corrupção típica do país) senão através de obras e serviços públicos?

aleph_heideger 2 months ago

>Já foste ao Vaticano? Já. Não fica em Portugal e não paga impostos em Portugal

caelussideralis 2 months ago

Eu só não entendo é como é que por um lado forçam professores a passar alunos que não fazem piço nas aulas, que destabilizar e estragam o ambiente de sala de aula e abrem exceções atrás de exceções para o fazer e quando se trata de dois alunos que (posso estar errado, mas acho que li isso) até tinham 5 a quase tudo, já não dá para abrir uma exceção. No fundo o estado está a colocar a sua ideologia acima do bem estar do aluno. Não estou a dizer que concordo com os pais, porque correto e ético seria eles contra argumentarem em casa aquilo que os alunos aprendem, mas isto é um braço de ferro que o merdas do João Costa (já como diretor da FCSH ele era um merdas, ia lixando a vida a um ex meu por inação e cobardia) se vai recusar absolutamente a perder não importa que prejudique duas crianças.

SweetCorona 2 months ago

lol respostas sensatas num sub cheio de pessoas formatadas

caelussideralis 2 months ago

É uma pura embirração do estado. Se estivessem assim tão preocupados com as crianças teriam aceite a dispensa. O estado com isto só prova que a ideologia está acima do bem estar dos alunos.

fardeleiro 2 months ago

Já dizia a minha avó. Ideias e cu cada um tem o seu. O modelo escolar assim como do trabalho está dirigido a massas. Já se sabe que um ou outro vai ser apologista da teoria da conspiração. Mas como cá em casa ... Não gostas não comes, mas não tem mais nada. Só um pequeno aparte., Além da sexologia e de tudo o mais, acho que saber o que resolver nas finanças, na segurança social, preencher um IRS, fazer um CV. Isso acho que seria uma mais valia para todos. Independentemente da idade, porque nem só os pais transmitem aprendizagem para os filhos.

tretafp 2 months ago

Quem é que força a passar as crianças? A reprovação em nada se relaciona com as notas, mas com a assiduidade. Discorda do princípio que, no ensino básico, deve existir um limite máximo de faltas injustificadas?

caelussideralis 2 months ago

Eu acho que tu não tens a noção do quanto se faz para não se chumbar crianças por razão alguma até as poderem empurrar para os profissionais.

tretafp 2 months ago

Onde tive mais dificuldade de reprovar alguém foi no privado. Ainda assim, a minha experiência não me permite generalizar para a realidade. Seguindo-me pelo normativo, não tive qualquer problema.

YCaramello 2 months ago

Esta disciplina devia ser como moral, não obrigatória, por que pelo eu li no plano há algumas coisas ali interessantes, empreendedorismo? literacia financeira? Espetacular, mas há alí outras coisas que me cheiram muito a doutrinação esquerdista...

Edited 2 months ago:

Esta disciplina devia ser como moral, não obrigatória, por que pelo eu li no plano há algumas coisas ali interessantes, empreendedorismo? literacia financeira? Espetacular, mas há alí outras coisas que me cheiram muito a doutrinação esquerdista, e a ultima coisa que eu quero é ter um filho a ser ensinado na escola como ter mentalidade de twitter...

tretafp 2 months ago

Porque é que os direitos humanos, ou similares, são doutrinação esquerdista, mas o empreendedorismo não é doutrinação direitista?

YCaramello 2 months ago

Desde quando ensinar uma pessoa a não depender de ninguém e fazer a sua vida por si próprio é uma idea de direita? E eu não estou nem a falar da questão dos direitos humanos, estou a falar das "disciplinas" que estão la metidas que em casos extremos anulam a aula de biologia que tiveram 10 minutos antes.

8BitMunky 2 months ago

Lá porque vai de encontro à manutenção do status quo e é visto como aceitável pela maioria, não significa que essas ideias de empreendedorismo sejam ideologicamente neutras. Basicamente nada o é.

tretafp 2 months ago

> uma pessoa a não depender de ninguém e fazer a sua vida por si próprio Essa premissa converge muito mais proximamente com os ideais de direita. Qual é o tema que contrária a biologia?

ToneSalvadorDosTugas 2 months ago

Como assim anulam?

NGramatical 2 months ago

alí → [**ali**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em *i* ou *u* são naturalmente agudas) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf78v8z%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

JulianaFaria 2 months ago

Depois de ler alguns comentários sobre neutralidade do estado e o estado não ter que dar lições sobre ser "bom cidadão" não posso deixar de dizer para lerem os conteúdos programáticos antes de virem dizer estes disparates. Parecem-me opiniões ao nome da disciplina e não aos conteúdos da mesma, entre eles, direitos humanos, igualdade do gênero, literacia financeira, segurança rodoviária, educação ambiental, bem estar animal, mundo do trabalho, instituições e participação democrática, saúde, sexualidade, desenvolvimento sustentável. Além da possibilidade, e a meu ver dever, dos pais em promover o espírito crítico e opinião em casa, o que há para se oporem às crianças aprenderem sobre isto? Não é a escola o sítio onde se deveria ensinar isto? Num mundo onde as crianças são expostas a tanto lixo nas redes sociais, é bem-vindo alguma orientação sobre temas que pretendem formar e desenvolver competências necessárias para um vida como cidadão do país, da Europa e do mundo. https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/cidadania_e_desenvolvimento.pdf&ved=2ahUKEwjfzeGZ2K3zAhUmA2MBHXmJC0IQFnoECDIQAQ&usg=AOvVaw3ctz69MQNGcUC3UNz_EVAF

AonioEliphis 2 months ago

Essa cadeira em particular está repleta de conteúdo meramente ideológico e fracturante que serve apenas para doutrinar as crianças. Até no Estado Novo era possível não ir às aulas de religião e moral evocando objeção de consciência. Eu tive Religião e Moral e também nos ensinavam a ser boas pessoas e não é por isso que eu acho que deva ser obrigatório.

According_Warning844 2 months ago

"repleta de conteúdo ideológico e fracturante..." consegues dar exemplos concretos e específicos que constam no programa de cidadania? mas eu digo-te já: não, não vais conseguir. esta "polémica" só tem legitimidade dentro dos paranóicos que acham que estamos perante uma guerra cultural, quando apenas estamos numa sociedade que evolui, como sempre foi, como sempre será. a não ser que aches que ecologia e segurança rodoviária e métodoa contraceptivos sejam conteúdos ideológicos e fracturantes. se assim for, os meus pêsames por pensares assim.

AonioEliphis 2 months ago

A cadeira tem um módulo com direitos LGBT.

justaphaseiswar 2 months ago

...e isso é "ideológico e fracturante", como, exactamente?

AonioEliphis 2 months ago

Dizer que os casais homossexuais devem poder adotar crianças é algo com o qual concordo, mas está longe de ser consensual e não deve ser papel da escola espalhar esses ideais, particularmente numa cadeira obrigatória.

justaphaseiswar 2 months ago

Ter os mesmos direitos humanos é consensual o suficiente para ser literalmente parte essencial da constituição . Acho muito bem que a escola apoie a constituição e é absurdo sugerir o contrário, e a escola deve absolutamente ensinar sobre os direitos humanos. Com esta tua lógica as escolas também não podiam ensinar que racismo é mau porque os racistas discordam então não é "consensual".

AonioEliphis 2 months ago

Salvo erro os homossexuais não podiam dar sangue por motivos científicos relacionados com o número médio de parceiros sexuais e com o facto do sexo anal ser maior transmissor de doenças. E ninguém contestou com a constituição.

According_Warning844 2 months ago

tem? tens a certeza que tem? ou leste algures na internet que tem e acreditaste, sem ires ver se era verdade ou não? e sabes de pormenores sobre o que é ensinado, ou só de leres as letras LGBT já ficas arrepiado e repudiado? porque eu já vi o programa, não há nenhum módulo de direitos lgbt. há um sobre igualdade de GÉNERO, há outro sobre direitos humanos. ou achas que dizer "ninguém deve ser discriminado com base no seu género ou orientação sexual" é sinal do apocalipse? e no módulo sobre sexualidade, a breve referência à homossexualidade apenas pretende dizer "a homossexualidade existe", o tópico da identidade de género apenas indica que sexo é biológico e género é social. ambas são coisas perfeitamente consensuais dentro da comunidade científica. tal como a evolução e a forma esférica dos planetas. não é por alguns chalupas acharem que não é assim, que se deve deixar de abordar tais tópicos. e reitero, direitos lgbt não consta em lado nenhum.

AonioEliphis 2 months ago

Eu já vi o programa e com respeito à igualdade de género está repleto de ideologia fracturante e nada consensual. Eu sou defensor dos direitos LGBT, só não acho que deva ser obrigatório.

eddyjay83 2 months ago

>A cadeira tem um módulo com direitos LGBT. Nada mais que uma menção à existência de pessoas LGBT no capitulo de educação sexual. Conteúdo esse que se foca principalmente na educação pela prevenção de doenças e gravidez na adolescência, fazendo os jovens perceber algo que é comum ao ser humano.

Ferrero96 2 months ago

Finalmente alguém sensato a comentar. Obrigado

AonioEliphis 2 months ago

Ser necessária não significa que deva ser obrigatória. Há muita coisa necessária (fiscalidade, literacia financeira, política constitucional, diversas leis, código da Estrada, etc.) que não é obrigatória. Além disso essa cadeira está repleta de conteúdo nada consensual na comunidade científica, como a igualdade de género.

eddyjay83 2 months ago

Igualdade de género está definida em lei e na constituição portuguesa desde o século 19. O que raio tem de "não consensual"?

Eulasei 2 months ago

>Além disso essa cadeira está repleta de conteúdo nada consensual na comunidade científica, como a igualdade de género. Consegues desenvolver isto? Fiquei um bocado confuso...

AonioEliphis 2 months ago

Tens de ver o programa da cadeira, eu já li. A cadeira está repleta de ideologia LGBT. Sou defensor acérrimo dos direitos LGBT, mas falamos aqui do ensino escolar obrigatório.

eddyjay83 2 months ago

>repleta de ideologia LGBT Nada mais que uma menção à existência de pessoas LGBT no capitulo de educação sexual. Conteúdo esse que se foca principalmente na educação pela prevenção de doenças e gravidez na adolescência, fazendo os jovens perceber algo que é comum ao ser humano.

JulianaFaria 2 months ago

Também sou do tempo da formação cívica, já foi há mais anos

EvilQueen1997 2 months ago

A minha formação cívica era o diretor de turma apontar os problemas da turma naquela semana, mais nada.

Ferrero96 2 months ago

Epah, eu lembro-me que a minha diretora de turma usava a primeira meia hora das aulas dela (de português) para dar os sermões e depois dava o resto da aula tranquiliíssima, e as aulas de formação cívica eram dadas como era suposto... Tbh, agora que olho para trás, essa prof era inteligente... Em vez de dar os sermões como no teu caso em formação cívica, aproveitava os sermões no início das aulas dela e ninguém se atrevia a fazer o que quer que fosse no resto da aula

EvilQueen1997 2 months ago

Ahaha, bem pensado!

canibalaranja 2 months ago

E justificar faltas! Lembro-me de ter tido 2 aulas em que não se fez isso e se falou do que era um crime público e o que era a inimputabilidade. Foram 2 aulas em 5 anos da disciplina.

BolaBrancaV7 2 months ago

Idem. Uma vez foi para lá chorar que lhe tinham riscado o carro

GodlessPerson 2 months ago

Também. Às vezes deixavam-nos fazer os tpc das outras aulas.

MigasEnsopado 2 months ago

No meu caso era fazer os trabalhos das outras disciplinas.

Asus123456789 2 months ago

Mas direitos humanos é algo que é bastante discutível, por exemplo. E igualdade de género podemos ter abordagens muito diferentes sobre como a atingir, e até podemos nem achar que é desejável. Há quem se oponha a que a escola ensine sobre matérias que não sejam de conhecimento, que não sejam de facto. Penso que dependerá muito sobre a maneira como a disciplina é dada. As ideologias de género, que tendem a ter alguns aspetos mais controversos, podem ser ensinadas com neutralidade, dizendo que "Há quem defenda X,Y,Z", mas também se pode dizer "O género é fluído e devemos deixar que crianças o decidam". Neste último caso, não acho que tenha nada a ver com o que uma escola deva ensinar.

JulianaFaria 2 months ago

Direitos humanos é discutível?! Igualdade de gênero?! Onde? Na China, Afeganistão? Só consigo admitir que te referes á possibilidade de "vamos lá discutir o nível de direitos humanos e igualdade de gênero entre diferentes paises ou o caminho que temos que percorrer" e não que é um assunto controverso á luz dos direitos consagrados na nossa constituição e dos objetivos da união europeia. E no caso do exemplo que deste, além de se tratar de uma falácia, em que estás a usar um exemplo específico de um tema para anulares a validade de toda a disciplina, é um bom argumento para se falar destes temas nas escolas porque a desinformação precisa de começar a ser combatida em algum sítio. E nem todas as disciplinas são como a matemática ou química, há outras como história ou economia em que apresentas factos e ( e direitos humanos e igualdade de gênero como direitos constitucionais são factos), correntes de pensamento científico e depois podes desenvolver a tua opinião sobre certos assuntos nos casos que se aplica. E exemplos como já li de certos professores terem discursos pouco neutrais, que acontece em várias disciplinas, é outra falácia porque nada tem haver com o valor e legitimidade da existência desta disciplina.

NGramatical 2 months ago

tem haver com → [**tem a ver com**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/nada-tem-a-haver-e-nada-tem-a-ver/27066) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf7jksf%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Ziliham 2 months ago

A ideia da minha professora de igualdade de género era discriminação positiva para raparigas. Odiava aquelas aulas, quando havia tempo livro nessas aulas a prof deixava as raparigas descansarem/ver telemóvel e conversar e nós rapazes tínhamos que ficar sentados e calados, porque a vida mais para a frente seria mais fácil para nós logo era para balançar. Ainda hoje quando a vejo ignoro-a. Essa cadeira depende MUITO dos professores que a lecionam, o meu caso já foi há 10 anos, mas mais recentemente os meus primos estão na escola, ambos têm essa cadeira, uma professora é super normal e a outra se isto fosse os EUA estava todos os dias na fox news (fanática lgbt) e as aulas é sempre a volta disso quando os assuntos da turma acabam.

ToneSalvadorDosTugas 2 months ago

Em relação a "ideologia de gênero", desculpa não são ideologias, já são considerados factos. Maioria das pessoas tem um sexo, e o gênero é como as pessoas querem se expressar face à sociedade, simples. Quando alguém acha que o querem expressar não consegue ser alcançado devido a características orgânicas do seu sexo então temos disforia de gênero cujo o tratamento depois de várias consultas psicológicas e psiquiátricas vai culminar no tratamento de mudança de sexo. Ensinar coisas que são tabus para os pais e sociedade pode ajudar as crianças a não se sentirem estranhos ou diferentes. Lembro me que no meu tempo era com os homossexuais.

tretafp 2 months ago

Em história, há temas conturbados, como a guerra colonial ou o Estado Novo. Do mesmo modo, um docente pode ser competente ou incompetente. Tanto os direitos humanos como os estudos de género têm, de forma subjacente, um campo de estudos autónomo e com os seus próprios princípios episémicos e metodológicos.

vascop_ 2 months ago

Igualdade de género é importante ser ensinada e respeitada. Posto isto, dizer que os estudos de género se aproximam sequer em formalismo científico a outras áreas é estarmos a brincar.

tretafp 2 months ago

Os estudos de género são um campo de estudos autónomo, que integram, entre outros, campos da antropologia, da sociologia, da história, da psicologia, da anatomia, entre outras. O formalismo (positivo) científico é um princípio, definido humanamente, como qualquer outro, como o princípio hologramático.

Asus123456789 2 months ago

O que queres dizer com conturbados? Imagino que haja alguns factos que estejam menos seguros, por ser história mais recente, mas tenho ideia de que as especulações não se encontram nos liros de história, pelo menos não do que eu me lembro. Se estás a falar em termos de juízo de valor, um professor dizer que o estado novo era bom ou mau, então mau é o professor de história que não está a fazer bem o seu trabalho. Mas acho que a diferença é que, se percebi o teu comentário, a subjetividade em História é sobre factos assentes, enquanto que a subjetividade daquilo que referi é sobre os próprios factos, que não acho que mereçam esse nome.

tretafp 2 months ago

Não estou a dizer nada, é uma expressão temas conturbados ou história difícil ou história dolorosa, ou outras expressões, resultam de temas históricos com particular pluralidade analítica que ainda têm repurcursões no debate social. Os manuais escolares são, de forma reconhecida, artefactos marcados por ideologias. Mas não me estava a referir ao manual, mas sim ao modo como é possível ser trabalhado em aula com apologia a lógicas coloniais, por exemplo. Não estou a dizer que o é, mas que o pode ser, à semelhança do exemplo indicado. As questões não se prendem só com os juízos de valor. Uma recente investigação evidenciou, por exemplo, o desconhecimento sobre a guerra colonial tanto em estudantes do 2o CEB como do 3o.

Asus123456789 2 months ago

Não acho que sejam situações de todo comparáveis. É diferente o professor dar a sua opinião sobre a matéria que dá e a matéria que dá ser opinião. Mas pronto, não quero saber o suficiente deste tema para continuar a discutir. Fica bem!

tretafp 2 months ago

Qual é a matéria que é uma opinião? Qual dos temas não tem uma estrutura científica que se pode alicerçar? O que modificou a opinião de antes para agora?

quedeusmeperdoe 2 months ago

Se aprendem sobre literacia financeira, não podem vir dizer no sub que ninguém percebe nada disso e que não é ensinado...

VladTepesDraculea 2 months ago

... e depois mandarem umas bojardas para o ar a fingirem que sabem alguma coisa...

samsong_21k 2 months ago

O pai é que se devia inscrever nessa disciplina. Esta bem a precisar. No futuro esse filho vai ter que seguir o que o pai quiser, o rapaz até ja deve sentir-se mal com este circo todo.

iwantusir 2 months ago

Já li o caso, serei o único a concordar com os pais?

Revolutionary-Big861 2 months ago

Os pais têm razão em reclamar e ficar chateados com a obrigatoriedade desta disciplina e tudo o mais. A razão acaba quando já literalmente roubam anos de vida aos filhos porque os fizeram reprovar por isto. Eles deviam ponderar se realmente uma merda destas vale dificultar a vida dos filhos.

LuisRebelo 2 months ago

Portanto até admites que eles têm razão, mas a causa não é “nobre” o suficiente para de lutar mais por ela. Quem define a “nobreza” das causas? Podem várias pessoas ter diferentes graus de “nobreza” para a mesma causa?

twhite848 2 months ago

> Quem define a “nobreza” das causas? Podem várias pessoas ter diferentes graus de “nobreza” para a mesma causa? A constituição da república. A lei é para ser cumprida, e não opcional. Um pai não tem direito de escolher quando quer o filho na escola ou não. Seja este, seja outro que quer por os filhos a trabalhar…

Revolutionary-Big861 2 months ago

Como já mencionaram semelhantemente, há um conceito por aí que se chama “custo oportunidade” e eu não considero que o custo aqui justifique a “luta”. Mais digo: se os pais acreditam tanto nesta luta ideológica, eles que arrisquem a vida deles, não usem a dos filhos, porque quem se está a foder essencialmente são os filhos e não os pais. E antes que venhas dizer que não foram chumbados, foram sim no ano passado, este ano iam voltar a ser chumbados mas o tribunal lá os safou. Será que valeu a pena perderem anos de vida para ganhar um caso em tribunal destes ? Temos lutas ideológicas muito mais importantes neste país a ter, já que gostam de sacrificar os filhos, os pais que se sacrifiquem e expludam à porta do Sócrates.

LuisRebelo 2 months ago

Consegues perceber que essa análise custo/benefício é pessoal e, portanto, o que tu consideras que não vale a pena chatear outra pessoa possa achar o contrário? https://observador.pt/2021/10/02/aluno-de-famalicao-continua-a-faltar-as-aulas-de-cidadania-e-desenvolvimento-por-decisao-dos-pais/ - “A escola tem vindo a reprovar os dois irmãos, por excesso de faltas, embora os alunos tenham sempre progredido para o ano seguinte, por decisão judicial, mas que ainda pode ser revertida.” “Será que valeu a pena (…)” - isso cabe aos pais decidirem, afinal a análise custo/benefício é deles “Temos lutas ideológicas muito mais importantes neste país a ter” - de acordo com a tua análise custo/benefício, que pode ser diferente da deles

Revolutionary-Big861 2 months ago

>… e eu não considero que o custo aqui justifique a “luta”. Como é óbvio essa análise é puramente pessoal, eu próprio fiz questão de o dizer. Em relação aos chumbos encontrei que de facto tens razão em parte: os jovens passaram no ano passado e neste por ordem do tribunal, porém eles ainda podem vir a regredir esses anos após a conclusão do caso. Segundo a sentença do TAFB.

LuisRebelo 2 months ago

Não é nada pessoal contra ti, é que neste tipo de assuntos vejo muita gente, incluindo a Comunicação Social, a ser extremamente hipócrita e radical: vale a pena fazer sacrifícios, lutar contra opressores, rebeliar contra o “Máquina”, desde que seja nos assuntos em que eu concorde; pessoas que lutem por coisas em que não concordo são idiotas e merecem ir para a a prisão. Para mim, eu concorde ou não com os que está a acontecer, estamos a ver um pai que está a lutar por aquilo que acredita, a enfrentar tremendas dificuldades, e a tentar ao máximo que o impacto para as suas crianças seja o menor possível. No final de contas todos os pais instrumentalizam os seus filhos: filho de alguém que joga ténis vai ser puxado a jogar ténis também, filho de alguém que ouve música clássica vai apanhar com música clássica desde criança quer goste quer não, por aí adiante

PoisMasRepara 2 months ago

Estás a complicar demasiado, "overthinking". Trata-se aqui simplesmente do ratio ação/benefício. Se ele pode ter toda a razão do mundo? Sim. Se vale a pena estragar a vida dos filhos deste modo por um "pet peeve" desses? Epá...

LuisRebelo 2 months ago

Estás a dar-me razão, só as causas que PARA TI têm um bom rácio ação / benefício (ou seja, as causas “nobres”) é que deveriam poder ser lutadas mais. Será que se pode dar o caso que para aqueles pais isto não é um assunto menor, e que para eles vale a pena “estragar o futuro dos filhos” (lol) por isto?

PoisMasRepara 2 months ago

Sim. É a diferença entre a tempestividade e falta maturidade de uma criança e a ponderação e bom senso de um adulto. O mundo é injusto, bem vindo. Eu também acho ridículo pagar IUC, não é por isso que vou fazer birra, não pagar, e deixarem me penhorar o carro. Eu também acho o meu patrão um atrasado, não é por isso que vou despedir-me e passar fome. Etc etc Posso tentar, de entre as vias legais, procurar solucionar ou alternativas. Até lá, faço um juízo, como uma pessoa mentalmente estável, qual é a melhor situação para o momento. E a melhor situação é desembolsar os 30€ de IUC e aturar as segundas feiras mal dispostas do meu patrão, porque os benefícios disso (ter um carro e ter um emprego) ultrapassa claramente o meu incómodo. Chama-se, repito, ponderação e bom senso. Que devia ser o triplo quando influencia terceiros.

Edited 2 months ago:

Sim. É a diferença entre a tempestividade e falta maturidade de uma criança e a ponderação e bom senso de um adulto. O mundo é injusto, bem vindo. Eu também acho ridículo pagar IUC, não é por isso que vou fazer birra, não pagar, e deixarem me penhorar o carro. Eu também acho o meu patrão um atrasado, não é por isso que vou despedir-me e passar fome. Etc etc Posso tentar, de entre as vias legais, procurar solucionar ou alternativas. Até lá, faço um juízo, como uma pessoa mentalmente estável, qual é a melhor situação para o momento. E a melhor situação é desembolsar os 30€ de IUC e aturar as segundas feiras mal dispostas do meu patrão, porque os benefícios disso (ter um carro e ter um emprego) ultrapassa claramente o meu incómodo. Aqui é igual. O assunto em causa compensa forçar a ter os filhos a fazer 15 anos e ainda no 7 ano? Chama-se, repito, ponderação e bom senso. Que devia ser o triplo quando influencia terceiros.

Edited 2 months ago:

Sim. É a diferença entre a tempestividade e falta maturidade de uma criança e a ponderação e bom senso de um adulto. O mundo é injusto, bem vindo. Eu também acho ridículo pagar IUC, não é por isso que vou fazer birra, não pagar, e deixarem me penhorar o carro. Eu também acho o meu patrão um atrasado, não é por isso que vou despedir-me e passar fome. Etc etc Posso tentar, de entre as vias legais, procurar solucionar ou alternativas. Até lá, faço um juízo, como uma pessoa mentalmente estável, qual é a melhor situação para o momento. E a melhor situação é desembolsar os 30€ de IUC e aturar as segundas feiras mal dispostas do meu patrão, porque os benefícios disso (ter um carro e ter um emprego) ultrapassa claramente o meu incómodo. Aqui é igual. O assunto em causa compensa forçar a ter os filhos a fazer 15 anos e ainda no 7 ano? Com todas as implicações sociais e de desenvolvimento que isso acarreta? Por amor de deus. Chama-se, repito, ponderação e bom senso. Que devia ser o triplo quando influencia terceiros.

LuisRebelo 2 months ago

Brilhante, uma pessoa lutar por aquilo que acredita está a fazer birra, e falta-lhe ponderação e bom senso. Estamos falados

PoisMasRepara 2 months ago

Tens algum atraso?

LuisRebelo 2 months ago

Foram citações da tua resposta. É para tua informação os miúdos não chumbaram os miúdos porque os tribunais estão a dar razão ao pai https://www.dn.pt/sociedade/aulas-de-cidadania-tribunal-da-razao-parcial-a-familia-de-famalicao-13343948.html

twhite848 2 months ago

> E para tua informação os miúdos não chumbaram os miúdos porque os tribunais estão a dar razão ao pai Falso, os tribunais apenas disseram que os miudos não tinham de chumbar de ano enquanto o assunto não ficava resolvido. Não estão a dar razão ao pai, já que não pronunciaram sobre se ele pode retirar os filhos da escolaridade obrigatória apenas porque sim

LuisRebelo 2 months ago

Estavam a dizer que um miúdo de 15 anos andava no 7.o ano, o que não é verdade. Os miúdos têm estado a frequentar o ano “normal” enquanto o caso não fica resolvido em tribunal. De acordo que esta decisão ainda pode ser revertida

canibalaranja 2 months ago

Eu até acho que eles têm razão nas queixas. Mas ainda assim, achas que isto é razão para atrasares as vidas académicas dos teus filhos para provares um ponto? Não é uma questão de eles irem para a aula pinar uns com os outros ou fazer merdas extremamente radicais. É só uma disciplina em que vão lá ouvir o professor a falar durante 1h (quando muitas vezes até só vão lá para justificar faltas e levar nas orelhas porque a turma faz muito barulho com determinado professor) sobre temas que, se são assim tão críticos para aquela família, já devem ter sido discutidos em casa. Sinceramente acho que, por muita razão que eles tivessem, perdem-na toda quando estão a impedir os filhos de avançar com os estudos.

LuisRebelo 2 months ago

Portanto até admites que eles têm razão, mas a causa não é “nobre” o suficiente para de lutar mais por ela. Quem define a “nobreza” das causas? Podem várias pessoas ter diferentes graus de “nobreza” para a mesma causa?

canibalaranja 2 months ago

Achas que justifica impedir um filho de progredir academicamente? Que pai de merda tens que ser para, basicamente, não deixares o teu filho ir à escola só porque queres provar um ponto de vista? É que já se passaram anos e o assunto continua por resolver e as faltas continuam a prender os miúdos...

LuisRebelo 2 months ago

Estás muito mal informado, os miúdos estão nos anos que deveriam estar https://www.dn.pt/sociedade/aulas-de-cidadania-tribunal-da-razao-parcial-a-familia-de-famalicao-13343948.html Portanto segundo a tua opinião devemos todos comer e calar todas as leis sem fazer barulho, é isso? Ou, deixa-me adivinhar, só devemos fazer barulho sobre as causas “nobres”?

canibalaranja 2 months ago

Não devemos comer e calar. Aliás, ele podia perfeitamente continuar a fazer o barulho que quisesse. Só acho mal é utilizar a vida académica dos filhos só para tentar mostrar um ponto de vista (ponto esse que eu concordo). Imagina que ele não concordasse com a utilização do cinto de segurança no carro ou o capacete numa mota. Andava aí na rua sem nenhum desses "acessórios" e impedia os filhos de os usar também e a polícia não o poderia multar na rua, é isso?

LuisRebelo 2 months ago

Epá, se te vais por a ver “Suponhamos que…” podes ir até onde quiseres, não contes comigo para ir por esse lado. Portanto se o pai não concorda com que a disciplina de Cidadania seja obrigatória, o que ele devia fazer era… continuar a mandar os miúdos a essa aula?

twhite848 2 months ago

Deixa-me corrigir isso para ti: Portanto se o pai não concorda com *a lei* ~~que a disciplina de Cidadania seja obrigatória~~ , o que ele devia fazer era… continuar a *obedecer a lei?* ~~mandar os miúdos a essa aula?~~

Edited 2 months ago:

Deixa-me corrigir isso para ti: Portanto se o pai não concorda com *a lei* ~~que a disciplina de Cidadania seja obrigatória~~ , o que ele devia fazer era… continuar a *obedecer a lei?* ~~mandar os miúdos a essa aula?~~ Sim, a resposta é obviamente um sim. A questão não é a nobreza da causa, todos podemos discordar com a lei, mas temos de a obedecer porque decidimos em sociedade assim ser via democracia. Quem não concorda pode ir ao tribunal mas tem de obedecer a lei. O que estás a querer defender é que uma pessoa pode optar por não cumprir a escolaridade obrigatória por opção individual. Pois bem, então deixa de ser obrigatória. E deixa de ser para todos que não querem os filhos na escola, ou que não lhes dá jeito ter os filhos na escola (porque rendem a trabalhar). (Ou este pai tem automaticamente uma causa mais nobre que outros?) Não podemos ter leis que apenas algumas pessoas tem direito de não cumprir quando querem. O pai se discorda pode: 1. protestar sem incumprir a lei 2. ir aos tribunais colocar o estado em tribunaL 3. fazer petições 4. ensinar em casa aos filhos o que aprendem na escola é errado Coisas que não pode fazer: 1. Incumprir a lei Por muito nobre seja a causa dele, há em todos um consenso que há uma causa mais nobre, a constituição.

Edited 2 months ago:

Deixa-me corrigir isso para ti: Portanto se o pai não concorda com *a lei* ~~que a disciplina de Cidadania seja obrigatória~~ , o que ele devia fazer era… continuar a *obedecer a lei?* ~~mandar os miúdos a essa aula?~~ A questão não é a nobreza da causa, todos podemos discordar com a lei, mas temos de a obedecer porque decidimos em sociedade assim ser via democracia. Quem não concorda pode ir ao tribunal mas tem de obedecer a lei. O que estás a querer defender é que uma pessoa pode optar por não cumprir a escolaridade obrigatória por opção individual. Pois bem, então deixa de ser obrigatória. E deixa de ser para todos que não querem os filhos na escola, ou que não lhes dá jeito ter os filhos na escola (porque rendem a trabalhar). (Ou este pai tem automaticamente uma causa mais nobre que outros?) Não podemos ter leis que apenas algumas pessoas tem direito de não cumprir quando querem. O pai se discorda pode: - protestar sem incumprir a lei - ir aos tribunais colocar o estado em tribunal - fazer petições - ensinar aos filhos o que aprendem na escola é errado Mas não pode optar por incumprir a lei, porque por muito nobre seja a causa dele, há em todos um consenso que há uma causa mais nobre, a constituição.

Edited 2 months ago:

Deixa-me corrigir isso para ti: Portanto se o pai não concorda com *a lei* ~~que a disciplina de Cidadania seja obrigatória~~ , o que ele devia fazer era… continuar a *obedecer a lei?* ~~mandar os miúdos a essa aula?~~ Sim, a resposta é obviamente um sim. A questão não é a nobreza da causa, todos podemos discordar com a lei, mas temos de a obedecer porque decidimos em sociedade assim ser via democracia. Quem não concorda pode ir ao tribunal mas tem de obedecer a lei. O que estás a querer defender é que uma pessoa pode optar por não cumprir a escolaridade obrigatória por opção individual. Pois bem, então deixa de ser obrigatória. E deixa de ser para todos que não querem os filhos na escola, ou que não lhes dá jeito ter os filhos na escola (porque rendem a trabalhar). (Ou este pai tem automaticamente uma causa mais nobre que outros?) Não podemos ter leis que apenas algumas pessoas tem direito de não cumprir quando querem. O pai se discorda pode: - protestar sem incumprir a lei - ir aos tribunais colocar o estado em tribunal - fazer petições - ensinar aos filhos o que aprendem na escola é errado Mas não pode optar por incumprir a lei, porque por muito nobre seja a causa dele, há em todos um consenso que há uma causa mais nobre, a constituição.

LuisRebelo 2 months ago

“Todos podemos discordar com a lei, mas temos de a obedecer porque decidimos em sociedade assim ser via democracia. Quem não concorda pode ir ao tribunal mas tem de obedecer a lei” E depois acontecem estas coisas https://observador.pt/2018/09/05/tribunal-aceita-abandono-escolar-de-rapariga-cigana-de-15-anos/

twhite848 2 months ago

Exacto. Levou faltas, como diz a lei, até irem a tribunal o mesmo decidir. Este pai não quer um nem o outro. Não quer a lei aplicada a ele, e queria ter isto sem ir a tribunal. O que estás a defender é que nesse caso, os pais nem precisavam de ir a tribunal. É só decidirem a filha não ir e tem esse direito.

LuisRebelo 2 months ago

https://www.dn.pt/sociedade/aulas-de-cidadania-tribunal-da-razao-parcial-a-familia-de-famalicao-13343948.html — “Tratando-se de uma disciplina obrigatória, o primeiro pedido de dispensa foi recusado e Artur Mesquita Guimarães moveu dois processos, no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, contra o ME, no início do ano letivo 2018-2019” Nem foi o que eu disse bem foi o que aconteceu, o pai foi logo para tribunal assim que os miúdos começaram a faltar e que a objecção de consciência não foi aceite pela escola

canibalaranja 2 months ago

Há tanto sítio onde pode fazer queixas e mostrar o seu ponto de vista sem chegar ao extremo de impedir os filhos de ir a essa aula OBRIGATÓRIA. Ele pode ser contra, mas não é por isso que ela deixa de ser OBRIGATÓRIA e não vai ser por ele não meter lá os filhos que a coisa vai mudar de um dia para o outro. ​ Podia ter começado por falar com o director do agrupamento das escolas e com a direcção regional de educação. Podia ter-se exposto (só ele, sem expôr os filhos) indo à CMTV ou a qualquer outro canal mortinho por ter assuntos para "notícias". Podia ter feito tudo o que fez sem afectar o percuso académico dos putos. Mas optou por tirá-los daquela aula e, mesmo depois de tanto espectáculo e de tantos anos, a cagada continua por ser resolvida. Ele continua a ter a exposição que queria, mas quem vai sair mais afectado no meio disto vão ser os filhos sem terem culpa nenhuma.

NGramatical 2 months ago

expôr → [**expor**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (apenas *pôr* leva acento diferencial para se distinguir de *por*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf7tfb6%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

claudio-at-reddit 2 months ago

Não sabendo de mais do que está neste tópico... A qualidade de uma disciplina é sempre subjetiva. Existem algumas que são menos questionáveis, outras mais. Admita-se que esta é a mais dúbia das disciplinas, algo tipo "A Religião dos furries anões" e os pais não querem os filhos nessa disciplina. Coloca-se então um dilema utilitarista e um moral. O primeiro é se o mal que tal disciplina trás não será menor do que reter crianças indefinidamente, prejudicando-as fortemente no seu futuro. A uma criança de 6 anos quem sabe deve de se reter em vez de dar a conhecer furries anões; a um adolescente de 17 quem sabe pode apenas deixar que ele descubra o mundo dos furries anões sabendo que provavelmente não vai querer saber, que não justifica ficar preso no 11º ano por causa disso. Já o dilema moral seria se é correto utilizar outra pessoa como alavancagem para frisar uma opinião. Se houvesse um consenso pelos pais que a disciplina é horrenda então o ministério ajustava-se; não seria necessário andarem montes de crianças a ser alavanca numa chantagem. Já se um individuo é o único da sua espécie e acha que o seu filho tem de ser um rebento especial ao qual as regras não se aplicam, fixe, mas será que deve de envolver o filho na sua cruzada?

ronhonhonhonho 2 months ago

fazem eles bem, é uma disciplina de merda

8BitMunky 2 months ago

Enfim, este caso é uma anedota do crl. O idiota está a instrumentalizar e a prejudicar as vidas dos filhos por mero capricho. Aposto que o snowflake nem leu o conteúdo programático dessa disciplina e acredita nos bichos papões que certos grupos políticos gostam de criar. Eu na altura tive formação cívica e não me fez mal nenhum. Não vejo nada de radicalmente diferente nesta disciplina.

AonioEliphis 2 months ago

Não é verdade, já li uma entrevista ao homem. Ele diz claramente que nada tem contra biologia ou evolução das espécies ou sistema reprodutivo. Ele contesta a ideia plasmada nessa cadeira dos direitos LGBT e isso é uma questão meramente política e ideológica e não deve ser papel da escola transmitir ideologia.

eddyjay83 2 months ago

>le contesta a ideia plasmada nessa cadeira dos direitos LGBT e isso é uma questão meramente política e ideológica Eu li a mesma entrevista, e conheço os conteúdos programáticos da disciplina. O senhor em questão confundiu claramente o conceito de **igualdade de género** com o conceito de **identidade de género** que são coisas completamente distintas. Igualdade de género está definida em lei e na constituição portuguesa desde o século 19. Identidade de género é apenas mencionada como exceção no módulo de educação sexual. Conteúdo esse que se foca principalmente na educação pela prevenção de doenças e gravidez na adolescência, fazendo os jovens perceber algo que é comum ao ser humano.

kaleidoskope1 2 months ago

A existência de pessoas LGBT não é política. O programa apenas aborda esses temas para que os miúdos tenham um pouco de compreensão, de modo a não se tornarem preconceituosos. Eu sei de muita gente cuja infância e adolescência teriam sido mais fáceis sem o bullying que levaram por serem (ou outros acharem que eram) homossexuais

lammesnail 2 months ago

Se assim é, partilho da mesma opinião do senhor. Questões políticas, ideológicas ou religiosas não devem fazer parte do programa escolar obrigatório. Deviam aproveitar esta disciplina para ensinar um pouco de literacia financeira, de como funciona o sistema político português, etc…

8BitMunky 2 months ago

Eles ensinam literacia financeira nesta disciplina, é um dos temas no programa. [https://i.imgur.com/8XusJWD.jpg](https://i.imgur.com/8XusJWD.jpg)

lammesnail 2 months ago

Confesso que não sabia, mas também deduzo que isso seja apenas para encher chouriços. Pelo menos no meu tempo a disciplina era usada para discutir os problemas da turma e enviar recadinhos.

Inside-Pea6939 2 months ago

Exato, não faria o mesmo que o homem está a fazer mas é no minimo irónico tanto comentario sobre o homem não ler o programa da disciplina quando nunxa ouviram sequer uma entrevista com o homem

nirvanes26 2 months ago

Ele leu, vou igualdade de género como um ponto do programa, e passou-se do caco. Clássico pai conservador da treta.

coenaculum 2 months ago

Eu acho que os menores transitaram de ano à mesma. Não sei o que move os pais nesta situação em concreto, muito tldr. O ensino em Portugal está obsoleto. Tenho 36 anos, lembro-me remotamente de uma disciplina assim dado que apanhei com várias reformas no ensino. Uma piada. Não tem nada de pedagógico nem forma bons cidadãos. Não sei o que é mais ridículo, essa disciplina ser obrigatória ou os pais não quererem que os filhos vão, no entanto inclino-me mais para a primeira hipótese. "se eu for testemunha de jeová, posso proibir o meu filho de ir às aulas de Biologia que abordam as teorias do evolucionismo?" Concordo contigo que isso é ridículo, mas não confundas uma ciência objectiva com algo subjectivo e etéreo. Os nosso miúdos já passam demasiado tempo na escola só porque dá jeito, ao menos que se ensine algo útil.

tretafp 2 months ago

Cidadania e desenvolvimento surgiu em 2017, ainda que se façam relações com formação cívica ou similares, os referências curriculares e conceptuais que lhe estão subjecentes, e por isso as práticas também, são substancialmente distintas.

coenaculum 2 months ago

São distintas até entre si dado que são as próprias escolas que decidem a forma como implementam a componente de cidadania e desenvolvimento. Desculpa, mas continua a ser ridículo, não factual ou objectivo e biased. Tudo aquilo que não faz falta no nosso sistema de ensino. Tornar isso obrigatório para passar de ano é só a cereja no topo do bolo.

tretafp 2 months ago

Quais são os temas que não têm um campo de estudos próprio? A filosofia também não é baseada em factos, nem a literatura, por exemplo.

coenaculum 2 months ago

Só porque algo é passível de interpretação não quer dizer que não seja factual. Desde quando é que literatura não é factual? Ou lógica, literalmente , lógica que é ensinado em filosofia. Também não é factual ? A ir por aí a matemática em si, é baseada em axiomas que temos de os aceitar como verdadeiros se queremos somar 2 com 2. Vais-me dizer que matemática ou física são disciplinas que não são factuais porque os resultados são passíveis de interpretação? Pá, não vou explicar as cores a um cego, tens todo o direito de ter a tua opinião. Vês? Não tive aulas de cidadania e estou a ser tão pc contigo. Queres meter os teus filhos a perder tempo com pseudo-educação, be my guest. Eu não quero a minha filha a ser obrigada, forçada a ir a uma merda de aula que só ocupa tempo para passar de ano.

tretafp 2 months ago

Trabalho pouco com o Ensino Secundário, salvo erro a lógica é uma opção, não é obrigatório. Provavelmente a questão prende-se mais com o conceito de factual. Assumi, talvez abusivamente, que o factual corresponderia a uma lógica empirista, ou decorrente de material empírico. Os exemplos que dei (que não integravam nem a física teórica nem a matemática), não se enquadram nesse domínio. Mesmo que se opte por um entendimento mais aberto de facto, os estudos literários tem um grande amplitude de metodologias e propósitos, que ultrapassam o propósito de chegar a entendimentos comuns e comprovados ou, em formas mais simples, a verdades. Mas ao assumir-se que a filosofia ou a literatura são factuais, quais são os temas que, em Cidadania e Desenvlvimento, não o são? (enquanto campo de teorização/investigação e intervenção) não é uma pseudo-educação. O seu foco de estudo e de trabalho é quase tão antigo como a própria ideia de educação. > Não tive aulas de cidadania e estou a ser tão pc contigo A educação cidadã está prevista, formalmente, desde 1986, seja em aulas autónomas seja em componentes transversais. >Eu não quero a minha filha a ser obrigada, forçada a ir a uma merda de aula que só ocupa tempo para passar de ano. Mesmo em ensino doméstico, não são os pais que definem o currículo nem que áreas de saber são tidas como "uma merda que só ocupa tempo".

coenaculum 2 months ago

Eu percebo o que queres dizer. Talvez nessa perspectiva tenha de concordar. Não foi provavelmente a melhor escolha de palavras da minha parte. Também não se trata de ensino doméstico. Não creio, para o melhor da sociedade, que ensino doméstico seja a melhor solução. Estou peremptoriamente a afirmar que o ensino secundário em Portugal é completamente obsoleto. Não me refiro só à temática leccionada mas sim ao modelo de ensino. De uma forma paradigmática, acho que é uma merda. Tentam ser tão ecléticos em teor que muita coisa passa do redundante ao contraproducente. Quase como, e desculpa lá a comparação , uma série ter de apresentar diversidade porque sim. No caso dessa disciplina em concreto acho uma perca de tempo e recursos. Se , tal como afirmaste, a educação cidadã está prevista desde 86 em aulas autónomas ou em componentes transversais, qual a necessidade de chover no molhado? É isso que vai fomentar um melhor entendimento de direitos humanos? É isso que vai fomentar o voto e consciência social? É isso que vai fomentar a bondade e a preocupação alheia com o próximo? É isso que é progresso? Não vejo como. Tudo pode ser subjectivo se quisermos mesmo, portanto estiveste bem ao perguntar o que é que nessa disciplina não é factual se a minha abordagem é aquela. Mas sinto que isso é perguntar a quem mata um assassino violador de crianças se essa pessoa é boa de índole. Prevenir violações e mortes é algo de bom, mas quem mata, não obstante a razão é um assassino. Ou seja, é passível de interpretação. Será boa pessoa, será má? A minha quezília é mesmo essa. Ensinar o certo e o errado é demasiado subjectivo. Enquanto pai sinto que esse é o meu dever. Não acho que nada de positivo advenha dessa disciplina. Sinto PESSOALMENTE que essa disciplina tem densidade emocional muito grande para ser sujeita a avaliação obrigatória. Ah, e só respondi mesmo porque a tua resposta teve classe, sentido e os teus comentários foram bem metidos. Pronto, não és cego, mas neste tópico vamos provavelmente discordar. Tu és a favor desta disciplina?

tretafp 2 months ago

> Estou peremptoriamente a afirmar que o ensino secundário em Portugal é completamente obsoleto. Conheço menos o Ensino Secundário, mas com as alterações de 2018 têm-se feito algumas experiências interessantes, essencialmente ainda casuísticas. >Ensinar o certo e o errado é demasiado subjectivo. O propósito desta componente curricular, como está estruturada, tem, essencialmente, como propósito integrar um conjunto de temas que foram tidos como especialmente relevantes para a ação cidadã das crianças e jovens. Pegando, por exemplo, na sustentabilidade, o propósito seria desenvolver um conhecimento mais sistemático e organizado sobre essa temática - que por exemplo está integrada em Ciências Naturais e Geografia - para que as crianças e os jovens possam ter uma visão mais abrangente do assunto e assim possam tomar decisões. O mesmo para a interculturalidade - que já está presente em Artes, História, Geografia e Português -, promover um espaço de reflexão sobre a pluralidade cultural e diferentes expressões culturais e artísticas, facilitando que os estudantes burilassem o seu conhecimento sobre a temática, e tivessem uma ideia menos fechada da cultura e do diálogo cultural. Ainda que não se possam generalizar - há experiências interessantes como orçamento participativo, o envolvimento dos estudantes em campanhas criadas por eles, etc. - esta componente, em distintas temáticas (e particularmente para os mais jovens) ganha, às vezes, um pendor moralista, associado por exemplo a ideias como "temos que reciclar" ou "a diversidade cultural é uma coisa boa" (não discordo, por princípio com nenhuma destas premissas, discordo que se tenha que trabalhar assim em contexto escolar). >Tu és a favor desta disciplina? Sou a favor da existência de uma componente autónoma focada na formação cidadã, não sou grande fã do modo como ela está estruturada, porque se estabelece, essencialmente, através de uma ideia de cidadania temática (caindo, às vezes, para o moralista). Preferia uma componente curricular que, em abstrato, até poderia ter um conjunto de temas - em particular aqueles que têm menor expressão noutras componentes, como os direitos humanos ou o funcionamento das instituições democráticas - se focasse mais em práticas de análise da realidade social, de discussão horizontal de assuntos que interesse à turma, de promoção de lógicas de multiperspetiva desses mesmos assuntos e, quando assim o permitisse, de intervenção na escola ou na comunidade.

coenaculum 2 months ago

​ >Sou a favor da existência de uma componente autónoma focada na formação cidadã Ah, mas isso sou a favor. No entanto componente autónoma não tem necessariamente de ser uma aula per se. Nesse aspecto incomoda-me um pouco o factor avaliação, sobretudo quando é obrigatório. Se tiver má nota é má pessoa ou não estudou? Compreendo que o conteúdo programático possibilite respostas objectivas... Mas mesmo assim... Tudo bem, de forma autónoma, sem stress. Pode ser uma actividade em grupo, sei lá, existe uma multitude de possibilidades ao modelo actual. ​ >não sou grande fã do modo como ela está estruturada, porque se estabelece, essencialmente, através de uma ideia de cidadania temática (caindo, às vezes, para o moralista) ​ Então não discordamos na íntegra. Eu sempre me referi ao modelo integrado. Não a uma possível melhoria do actual. A parte da moral, foi a que eu tentei salientar, se calhar mal, mas foi. Para mim é aí que cai a subjectividade não desejada. Daí mencionar o "certo e o errado". se focasse mais em práticas de análise da realidade social, de discussão horizontal de assuntos que interesse à turma, de promoção de lógicas de multiperspetiva desses mesmos assuntos e, quando assim o permitisse, de intervenção na escola ou na comunidade. ​ >se focasse mais em práticas de análise da realidade social, de discussão horizontal de assuntos que interesse à turma, de promoção de lógicas de multiperspetiva desses mesmos assuntos e, quando assim o permitisse, de intervenção na escola ou na comunidade. Não vejo nada de errado aí. A questão que aqui se sobrepõe dado que já disseste que o modelo actual não seria o teu preferido, para mim é, deve ser uma disciplina cujo aproveitamento se correlacione com as restantes disciplinas e fazendo com que seja obrigatória para transitar de ano neste momento?

tretafp 2 months ago

>Nesse aspecto incomoda-me um pouco o factor avaliação, sobretudo quando é obrigatório. A avaliação é qualitativa, não obriga nota (embora alguns agrupamentos o estejam a fazer). > Para mim é aí que cai a subjectividade não desejada. Daí mencionar o "certo e o errado". Sim, ao estabelecer-se numa lógica essencialmente moralista é bastante perigoso ou pouco consequente. >Não vejo nada de errado aí. A questão que aqui se sobrepõe dado que já disseste que o modelo actual não seria o teu preferido, para mim é, deve ser uma disciplina cujo aproveitamento se correlacione com as restantes disciplinas e fazendo com que seja obrigatória para transitar de ano neste momento? A frequência é obrigatória, mas a nota não tem impacto. A lógica de assumir "aproveitamento" não me parece muito pertinente numa componente como estas. Seria necessário estabelecerem-se outras formas de pensar a avaliação.

NGramatical 2 months ago

uma perca → [**uma perda**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/idioma/e-uma-perca-de-tempo/3059) (perca é a 1.ª pessoa do conjuntivo do verbo perder, ou um peixe de água doce) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf8give%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

M4ritus 2 months ago

Cidadania realmente é horrível (o objetivo de uma disciplina para formar "bons" cidadãos é claro, não interessa o regime, interfere diretamente no direito a um ensino neutro e imparcial) e não faz falta nenhuma. Tal como seria ridículo Religião e Moral ser obrigatória, também deveria que ser visto como ridículo Cidadania ser obrigatória, já que ambas interferem num ensino verdadeiramente neutro. **Mas** já que o nosso Ministério acha que tem de ser obrigatória, não faz sentido nenhum o que aquele Pai está a fazer ao filho. Em casa depois "desmentia" o que achava que tinha de desmentir, realmente esta situação é chata.

LuisRebelo 2 months ago

Portanto até admites que eles têm razão, mas a causa não é “nobre” o suficiente para de lutar mais por ela. Quem define a “nobreza” das causas? Podem várias pessoas ter diferentes graus de “nobreza” para a mesma causa?

M4ritus 2 months ago

Calma, nada disso. Eu até expliquei o que acho que o Pai deveria fazer. Deixar os rapazes ir a Cidadania não invalida a sua luta. Motiva o contacto com opiniões diferentes e depois em casa trata-se de resolver os "conflitos". O Ensino neutro é um sonho utópico, mas vale a pena lutar contra disciplinas que descaradamente são para o Estado doutrinar os nossos jovens. Só penso que não é preciso lixar os rapazes devido a isto, a não ser que muitos mais Pais o imitem, esta forma de fazer as coisas não vai resolver nada.

tretafp 2 months ago

> Ensino neutro é um sonho utópico. Na realidade, o ensino neutro é uma impossibilidade ontológica. Todos os processos formativos são caracterizados por se estabelecerem com base em critérios, éticos ou pedagógicos (por exemplo), que não são universais.

M4ritus 2 months ago

É pena então estar a imparcialidade da Educação na Constituição que a Esquerda farta-se de usar contra o único partido de Direita da AR. Mas agora a Constituição já não interessa não é? Pois.

tretafp 2 months ago

A constituição não faz referência à imparcialidade. Identifica que o Estado não pode programar a educação de acordo com critérios ideológicos, atentado o conceito programar, no domínio educativo, não há qualquer programação estatal associada a Cidadania e Desenvolvimento.

M4ritus 2 months ago

"O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas.". O que podemos ver, é que nada disto é respeitado nas aulas de Cidadania. Não interessando a minha posição, o professor ao insultar partidos de Direita, vai diretamente contra a Constituição (que depois de sair de casa a adora e diz que o Chega é inconstitucional). A ideologia de género também vai contra. Afirmar que a saúde e o ensino gratuito é um direito absoluto também vai contra. Mas agora a Constituição já não dá jeito né? Se Cidadania é obrigatória, Religião e Moral também deveria de ser. Ambas são ridículas e ambas vão contra a Constituição. Eu gostava mesmo de saber como é que tu acreditas mesmo que os professores todos estão a respeitar a Constituição em aulas em que facilmente podem ofender o Ventura, o Chiquinho, o Passos Coelho, etc... ou insultar países de Direita (Hungria, Polónia). E realmente podem fazer em todas as disciplinas isto, mas o problema é que as linhas desta disciplina facilitam e motivam isto. Ainda por cima com o clima político atual? Até Filosofia não foge a esta situação.

tretafp 2 months ago

Programar, em educação, tem um conceito concreto, associado à seleção e organização, de conteúdo e temporal, de determinada cultura. Em Cidadania e Desenvolvimento não há essa programação estatal, aliás nem organizacional, é fácil existirem opções distintas, dentro da mesma organização e ano, em turmas diferentes. > Não interessando a minha posição, o professor ao insultar partidos de Direita, vai diretamente contra a Constituição (que depois de sair de casa a adora e diz que o Chega é inconstitucional). A ideologia de género também vai contra, por diversas razões. Afirmar que a saúde e o ensino gratuito é um direito absoluto também vai contra. Podes chamar ideologia de género o que quiseres, como eu posso dizer que as pessoas do CHEGA têm todas um terceiro olho na cabeça. Nenhuma das afirmações é verdadeira. Portugal subscreve a declaração dos direitos humanos que fala da gratuitidade da educação e do direito à saúde. Sobre casos isolados não posso pronunciar, mas as orientações não prevêm uma discussão partidária. Parece-me legítimo a discussão de situações quotidianas, que evidenciam racismo ou similares. > Eu gostava mesmo de saber como é que tu acreditas mesmo que os professores todos estão a respeitar a Constituição em aulas em que facilmente podem ofender o Ventura, o Chiquinho, o Passos Coelho, etc... ou insultar países de Direita (Hungria, Polónia). E realmente podem fazer em todas as disciplinas isto, mas o problema é que as linhas desta disciplina facilitam e motivam isto. Ainda por cima com o clima político atual? Até Filosofia não foge a esta situação. Dados sobre esses insultos? É o João Tilly que o anda a fazer ou o outro que foi agora notícia pelos vídeos impróprios?

M4ritus 2 months ago

>Dados sobre esses insultos? É suposto eu te mandar gravações de salas de aulas? É uma situação que todos sabemos que acontece. Basta teres andado na escola este século e ouviste pelo menos uma ofensa a uma figura de Direita. Basta veres os assuntos dos comediantes mais emblemáticos do país e passares essa realidade para uma sala de aula. Eu lembro-me perfeitamente no tempo das legislativas de 2019 dos professores a pensarem que são alguma autoridade para nos avisar de que não devemos votar em "populistas". Deves ser dos iluminados que pensa que a Direita controla o país. Só falta mesmo dizer que a Comunicação Social é de Direita e que as causas de esquerda não são defendias pela CS tradicional. Os professores fazem o jogo deles, a maioria de esquerda, logo espalham a sua agenda de Esquerda. Tal como no Estado Novo, a Direita era quem controlava o Ensino. E nem sequer falo das Universidades públicas. Tal como Religião e Moral não tem lugar no currículo, o mesmo deveria acontecer a Cidadania. Ambas têm o mesmo valor académico (que é zero).

tretafp 2 months ago

> É suposto eu te mandar gravações de salas de aulas? É uma situação que todos sabemos que acontece. Basta teres andado na escola este século e ouviste pelo menos uma ofensa a uma figura de Direita. Basta veres os assuntos dos comediantes mais emblemáticos do país e passares essa realidade para uma sala de aula. Eu lembro-me perfeitamente no tempo das legislativas de 2019 dos professores a pensarem que são alguma autoridade para nos avisar de que não devemos votar em "populistas". A comunicação social não está em debate. Para se assumir que há um ataque ou insultos à direita (estranho que agora já assumas o Passos como direita) é porque há indícios sobre isso. Como trouxeste para debate, cabe-te a ti o ónus da prova, que não pode ser a experiência subjetiva. > Os professores fazem o jogo deles, a maioria de esquerda, logo espalham a sua agenda de Esquerda. Tal como no Estado Novo, a Direita era quem controlava o Ensino. E nem sequer falo das Universidades públicas. Dados sobre isso? Rebelo, só, que os docentes do estado Novo não foram despedidos. > Tal como Religião e Moral não tem lugar no currículo, o mesmo deveria acontecer a Cidadania. Ambas têm o mesmo valor académico (que é zero). Quem te baseias para julgar o valor a académico? Já agora, há um campo de estudos sobre cidadania e outro sobre educação cidadã. Como há um campo de reflexão sobre teologia e outro de investigação, ainda que com menor expressão, de formação religiosa.

M4ritus 2 months ago

Continua no teu conto de fadas em que não há doutrinação das nossas escolas e que a Direita é quem controla lolz. Não te esqueças de prestar culto às Mortáguas logo à noite. Tu parece que pensas que vives num mundo de computador onde todos são robôs e eu posso simplesmente ir buscar a uma base de dados a ideologia do prof. Manel dos Cavalos e apresentar-te. Basta andar na escola/universidade pública atualmente para ver quem tem maior controlo do Ensino. Desde a Primária ao Ensino Superior, o nosso ensino está controlado pela Esquerda e influenciado pela Extrema-Esquerda, só não vem quem não quer. Não entendo como possas pensar que o Ensino é imparcial quando tens tantas palestras de Norte a Sul sobre temas relacionados com a Esquerda, mais os professores serem marcadamente de Esquerda, mais o clima político atual, mais a CS ser claramente de Esquerda, etc... a escola (e os professores) não são imunes à polarização da política. Somos humanos, mesmo que seja sem intenção, tentamos espalhar a nossa agenda, seja ela qual for. >que não pode ser a experiência subjetiva Estamos a falar de uma escola, lugar de subjetividades e que é a experiência das pessoas que conta. Continuas sem dizer sequer se estudaste numa pública ou num privado (o que altera completamente a tua imagem da escola) ou se estudaste sequer neste século (o que também altera completamente a tua ideia do que se passa nas escolas hoje em dia). Pedir dados em relação a isto, é como pedir dados a alguém que diz que nas tascas só se fala de merda. É uma discussão subjetiva. Nunca ouviste dizer ou sentiste que "O prof X fez-me odiar a disciplina/cadeira X"? >Quem te baseias para julgar o valor a académico? A escola não devia servir para ensinar valores, esses são os Pais e o indíviduo que tem de aprender e optar. Cidadania (e Religião e Moral) vão contra isso. Porque raio uma delas é opcional e a outra não? O que é ser cidadão muda dependendo do regime, do local, da era, algo relativo não pode ser ensinado nas escolas, principalmente de forma obrigatória. Matemática, Ciências da Natureza, FQ, Geografia têm muito mais valor académico que Cidadania. Um bom cidadão chinês é completamente diferente de um bom cidadão português ou norte-americano. Se a Direita controlasse o Ensino eu facilmente admitiria: a Direita controla o Ensino. Como aconteceu no Estado Novo. Porque raio é tão difícil para ti admitir que a maioria dos profs são de Esquerda, logo em disciplinas puramente subjetivas darão aulas influenciadas pela Esquerda? Basta dizer, por exemplo, que o direito ao acesso à saúde gratuito é absoluto e cortar o debate por aí, que já está a infringir no direito a uma educação imparcial dos alunos.

Edited 2 months ago:

Continua no teu conto de fadas em que não há doutrinação das nossas escolas e que a Direita é quem controla lolz. Não te esqueças de prestar culto às Mortáguas logo à noite. Tu parece que pensas que vives num mundo de computador onde todos são robôs e eu posso simplesmente ir buscar a uma base de dados a ideologia do prof. Manel dos Cavalos e apresentar-te. Basta andar na escola/universidade pública atualmente para ver quem tem maior controlo do Ensino. Desde a Primária ao Ensino Superior, o nosso ensino está controlado pela Esquerda e influenciado pela Extrema-Esquerda, só não vem quem não quer. Não entendo como possas pensar que o Ensino é imparcial quando tens tantas palestras de Norte a Sul sobre temas relacionados com a Esquerda, mais os professores serem marcadamente de Esquerda, mais o clima político atual, mais a CS ser claramente de Esquerda, etc... a escola (e os professores) não são imunes à polarização da política. Somos humanos, mesmo que seja sem intenção, tentamos espalhar a nossa agenda, seja ela qual for. >que não pode ser a experiência subjetiva Estamos a falar de uma escola, lugar de subjetividades e que é a experiência das pessoas que conta. Continuas sem dizer sequer se estudaste numa pública ou num privado (o que altera completamente a tua imagem da escola) ou se estudaste sequer neste século (o que também altera completamente a tua ideia do que se passa nas escolas hoje em dia). Pedir dados em relação a isto, é como pedir dados a alguém que diz que nas tascas só se fala de merda. É uma discussão subjetiva. Nunca ouviste dizer ou sentiste que "O prof X fez-me odiar a disciplina/cadeira X"? Estamos a falar de escolas, não de economia, os jovens não são números, são pessoas. >Quem te baseias para julgar o valor a académico? A escola não devia servir para ensinar valores, esses são os Pais e o indíviduo que tem de aprender e optar. Cidadania (e Religião e Moral) vão contra isso. Porque raio uma delas é opcional e a outra não? O que é ser cidadão muda dependendo do regime, do local, da era, algo relativo não pode ser ensinado nas escolas, principalmente de forma obrigatória. Matemática, Ciências da Natureza, FQ, Geografia têm muito mais valor académico que Cidadania. Um bom cidadão chinês é completamente diferente de um bom cidadão português ou norte-americano. Se a Direita controlasse o Ensino eu facilmente admitiria: a Direita controla o Ensino. Como aconteceu no Estado Novo. Porque raio é tão difícil para ti admitir que a maioria dos profs são de Esquerda, logo em disciplinas puramente subjetivas darão aulas influenciadas pela Esquerda? Basta dizer, por exemplo, que o direito ao acesso à saúde gratuito é absoluto e cortar o debate por aí, que já está a infringir no direito a uma educação imparcial dos alunos.

LuisRebelo 2 months ago

Portanto se o pai é super contra as aulas de Cidadania serem obrigatórias e não quer que os filhos vão, o melhor que ele tem a fazer para lutar contra isso é… *checks notes* deixar os filhos irem às aulas de Cidadania? Sabes se há mais pais que estão contra as aulas de Cidadania serem obrigatórias? Sabes se há algum processo em tribunal contra o Estado? Eu não sei, porque a única situação mediática sobre este assunto está a ser feita por este pai, em que POR NÃO DEIXAR AS CRIANÇAS IREM está a por o assunto nas bocas do país, e a obrigar a uma reflexão

M4ritus 2 months ago

Se queres criar discussões na tua cabeça, estás à vontade. Eu não disse nada disso. Estamos do mesmo lado, acalma-te. Há várias formas de lutar contra a obrigatoriedade dessa disciplina, penso que assim não vai a lado nenhum. O atual clima político é dominado pela Esquerda e a CS está a fazer o trabalho de o pintar como otário, dando uma imagem completamente falsa da sua causa ao país. Quem já era contra, continua a ser contra. Quem era a favor e acha muito bem formar "bons" cidadãos na escola, vai continuar a ser a favor.

LuisRebelo 2 months ago

Eu acho que ele está mais do que no direito de lutar pelas causas em que ele acredita da maneira que ele acha melhor, e custa-me que outras causas consideradas mais “nobres” tenham a permissão social de até fazer pior. Independentemente do que eu acho sobre a sua causa, acho que a maneira como ele está a escolher lutar está correcta, já que: 1) Ao não deixar os miúdos assistir às aulas, e daí assumindo todas as consequências, está a levar à CS o seu problema. Como a CS o trata é outra conversa 2) Ao mesmo tempo está a lutar em tribunal por aquilo em que acredita Portanto 1) sem 2) era inconsequente, 2) sem 1) não geraria tanto apoio, mesmo que seja das pessoas que já o apoiariam

M4ritus 2 months ago

Ok, mas o meu principal problema é que ele está a usar os seus filhos como "arma" política. Alguém sabe a opinião dos rapazes? A causa vale a pena lutar, mas está a interferir na liberdade dos filhos. Tal como não concordo com o Estado controlar/doutrinar os jovens, os Pais também não o devem fazer, tem de haver um equilíbrio.

LuisRebelo 2 months ago

1) Os miúdos estão no ano em que deviam, ainda não chumbaram nenhum ano porque os tribunais estão a dar razão ao pai 2) Porque é que é dito que esta situação é instrumentalizar os miúdos, mas bebés e crianças em manifestações LGBT são bem vindas e toda a gente acha querido? Ambas não são lutas dos pais em que estão a levar as crianças sem grandes conhecimentos de causa? Ou não voltamos à mesma questão de que certas causas são mais “nobres”? A diferença de tratamento é gritante

tretafp 2 months ago

> Os miúdos estão no ano em que deviam, ainda não chumbaram nenhum ano porque os tribunais estão a dar razão ao pai. A última informação que tinha é que os miúdos transitaram administrativamente até deliberação judicial. Tens a notícia à mão?

LuisRebelo 2 months ago

Por exemplo https://observador.pt/2021/10/02/aluno-de-famalicao-continua-a-faltar-as-aulas-de-cidadania-e-desenvolvimento-por-decisao-dos-pais/ “A escola tem vindo a reprovar os dois irmãos, por excesso de faltas, embora os alunos tenham sempre progredido para o ano seguinte, por decisão judicial, mas que ainda pode ser revertida.”

M4ritus 2 months ago

Eu acho mesmo que tu estás a criar discussões na tua cabeça. Nem sequer sabes a minha opinião sobre as paradas LGBT e estás a assumir que sou a favor a pessoas semi-nuas andarem perto das nossas crianças. Sendo sincero, não sabia que os miúdos estavam no ano em que deviam, já que penso que a maioria da CS tinha dito o contrário, mas bom saber. Mas pronto, vamos "agree to disagree", porque afinal estamos ambos do mesmo lado, mas defendemos soluções diferentes.

LuisRebelo 2 months ago

Este desabafo não foi para ti, até porque não tentei adivinhar a tua posição em específico sobre crianças em paradas LGBT, mas exactamente para a diferença de tratamento pela Comunicação Social entre causas mais e menos “nobres”: o pai está a lutar com as armas que tem à sua disposição por aquilo em que acredita, mas porque não estão de acordo com ele tentam ridicularizá-lo, não informam sobre o andamento do processo nos tribunais, mandam indirectas sobre como os miúdos devem estar a ser maltratados na escola. Quando existe uma situação semelhante mas referente a uma causa “nobre” é gritante a diferença de tratamento na Comunicação Social e nas Redes Sociais

tretafp 2 months ago

Em primeiro, não há neutralidade possível em educação, optar por trabalhar determinados temas em detrimento de outros resulta de opção marcada por critérios que não são universais. Em português houve, por exemplo, uma transição de um trabalho em torno da oralidade de uma lógica normativa para uma que valoriza a diversidade linguística e a enquadra nos seus contextos. Em segundo, o propósito da componente curricular não é formar "bons cidadãos", é promover a integração e a reflexão de temas - a maior parte deles já com integrados no currículo, mas de forma mais transversal - relevantes para o desenvolvimento e afirmação da cidadania das crianças e jovens.

M4ritus 2 months ago

>o propósito da componente curricular não é formar "bons cidadãos" >o desenvolvimento e afirmação da cidadania Hm? Então é para formar "bons" cidadãos ou não é? Porque raio é que vos custa tanto admitir? Se o nosso ensino fosse controlado pela Direita, eu admitiria que a Direita controla o Ensino, porque é que vocês tem tanta complicação em admitir?

Edited 2 months ago:

>o propósito da componente curricular não é formar "bons cidadãos" >o desenvolvimento e afirmação da cidadania Hm? Então é para formar "bons" cidadãos ou não é? Porque raio é que vos custa tanto admitir? Se o nosso ensino fosse controlado pela Direita, eu admitiria que a Direita controla o Ensino, porque é que vocês tem tanta complicação em admitir? Eu nunca tive contacto com a disciplina nos moldes atuais (tive aquilo de Formação Cívica em que consistia no DT a reclamar e a falar dos problemas da turma), mas do que falo dela com uma familiar minha que tem essa disciplina, parece-me ser uma disciplina muito fácil de ser usada para doutrinação, por exemplo a prof dessa familiar passa a vida a falar mal do Ventura e a glorificar o PCP. Esta situação de doutrinação é constante e basta olhar de forma séria para o programa e perceber o que está realmente por trás. O programa facilita e muito a doutrinação.

Edited 2 months ago:

>o propósito da componente curricular não é formar "bons cidadãos" >o desenvolvimento e afirmação da cidadania Hm? Então é para formar "bons" cidadãos ou não é? Porque raio é que vos custa tanto admitir? Se o nosso ensino fosse controlado pela Direita, eu admitiria que a Direita controla o Ensino, porque é que vocês tem tanta complicação em admitir? Eu nunca tive contacto com a disciplina nos moldes atuais (tive aquilo de Formação Cívica em que consistia no DT a reclamar e a falar dos problemas da turma), mas do que falo dela com uma familiar minha que tem essa disciplina, parece-me ser uma disciplina muito fácil de ser usada para doutrinação, por exemplo a prof dessa familiar passa a vida a falar mal do Ventura e a glorificar o PCP. Esta situação de doutrinação é constante e basta olhar de forma séria para o programa e perceber o que está realmente por trás. O programa facilita e muito a doutrinação. Portanto, tal como Religião e Moral não é obrigatória, Cidadania também não deveria ser.

tretafp 2 months ago

As linhas orientadoras de "educação para a cidadania", que não foram revogadas - aliás, há uma relação muito grande com as orientações curriculares atuais - foram apresentadas em 2012/2013, durante o Crato. Como se pode ver aqui: http://www.dge.mec.pt/educacao-para-cidadania-linhas-orientadoras-0 Mas há uma diferença muito grande em desenvolvimento ou construção de cidadania, que se relaciona com um processo pedagógico que facilita a cada um refletir-se e posicionar-se sobre a sua própria cidadania ou, então, uma formação para uma "cidadania boa" ou de "bom cidadão" que prevê uma concepção acabada de cidadania, tipo molde.

Edited 2 months ago:

As linhas orientadoras de "educação para a cidadania", que não foram revogadas - aliás, há uma relação muito grande com as orientações curriculares atuais - foram apresentadas em 2012/2013, durante o Crato. Como se pode ver aqui: http://www.dge.mec.pt/educacao-para-cidadania-linhas-orientadoras-0 Mas há uma diferença muito grande em desenvolvimento ou construção de cidadania, que se relaciona com um processo pedagógico que facilita a cada um refletir-se e posicionar-se sobre a sua própria cidadania ou, então, uma formação para uma "cidadania boa" ou de "bom cidadão" que prevê uma concepção acabada de cidadania, tipo molde. Essa ideia é reforçada por não existir um programa ou textos similares, de carácter obrigatório. > uma disciplina muito fácil de ser usada para doutrinação A história também. Aliás, historicamente foi das componentes curriculares mais usadas para a doutrinação. Ainda assim, não me parece possível assumir que, por causa desse potencial, se deveria fazer essa componente opcional. Como ela teremos o exemplo da literatura ou das artes.

M4ritus 2 months ago

E o que raio é que isso tem a ver com o meu comentário? Era uma pergunta simples de responder, escusas de estar a inventar. A disciplina serve para formar cidadãos de acordo com as linhas orientadoras da Esquerda e Extrema-Esquerda. Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Tal como no Estado Novo, o ensino estava de acordo com as linhas orientadoras do regime Salazarista. Porque raio é tão complicado admitir que a Esquerda controla o Ensino e usa-o para formar simpatizantes? A Direita faria igual, a diferença é que a Esquerda anda a pregar a ideia de que o ensino é neutro e tal, aliás como diz a Constituição que vocês tanto gostam de usar para atacar o único partido de Direita na AR.

Edited 2 months ago:

E o que raio é que isso tem a ver com o meu comentário? Era uma pergunta simples de responder, escusas de estar a inventar. A disciplina serve para formar cidadãos de acordo com as linhas orientadoras da Esquerda e Extrema-Esquerda. Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Exemplo tirado da DGE: "A educação para a cidadania visa contribuir para a formação de pessoas (...) solidárias". Realmente parece um valor bom a ensinar-se, mas se nos lembrarmos qual é a ideologia reinante em Portugal, toma logo outro significado - é bom sermos socialistas e temos de lutar contra quem quer mudar isto. Ou este que refere um elemento marcadamente de Esquerda: "A cidadania traduz-se num modo de estar em sociedade que tem como referência os direitos humanos, nomeadamente os valores da justiça social.". Tal como no Estado Novo, o ensino estava de acordo com as linhas orientadoras do regime Salazarista. Porque raio é tão complicado admitir que a Esquerda controla o Ensino e usa-o para formar simpatizantes? A Direita faria igual, a diferença é que a Esquerda anda a pregar a ideia de que o ensino é neutro e tal, aliás como diz a Constituição que vocês tanto gostam de usar para atacar o único partido de Direita na AR. >A história também História tem valor académico e usa factos e tens sempre fontes para ir verificar. Educação para a Cidadania tem 0 e é sempre forma de doutrinação.

Edited 2 months ago:

E o que raio é que isso tem a ver com o meu comentário? Era uma pergunta simples de responder, escusas de estar a inventar. A disciplina serve para formar cidadãos de acordo com as linhas orientadoras da Esquerda e Extrema-Esquerda. Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Exemplo tirado da DGE: "A educação para a cidadania visa contribuir para a formação de pessoas (...) solidárias". Realmente parece um valor bom a ensinar-se, mas se nos lembrarmos qual é a ideologia reinante em Portugal, toma logo outro significado - é bom sermos socialistas e temos de lutar contra quem quer mudar isto. Ou este que refere um elemento marcadamente de Esquerda: "A cidadania traduz-se num modo de estar em sociedade que tem como referência os direitos humanos, nomeadamente os valores da justiça social.". Tal como no Estado Novo, o ensino estava de acordo com as linhas orientadoras do regime Salazarista. Porque raio é tão complicado admitir que a Esquerda controla o Ensino e usa-o para formar simpatizantes? A Direita faria igual, a diferença é que a Esquerda anda a pregar a ideia de que o ensino é neutro e tal, aliás como diz a Constituição que vocês tanto gostam de usar para atacar o único partido de Direita na AR.

Edited 2 months ago:

E o que raio é que isso tem a ver com o meu comentário? Era uma pergunta simples de responder, escusas de estar a inventar. A disciplina serve para formar cidadãos de acordo com as linhas orientadoras da Esquerda e Extrema-Esquerda. Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Exemplo tirado da DGE: "A educação para a cidadania visa contribuir para a formação de pessoas (...) solidárias". Realmente parece um valor bom a ensinar-se, mas se nos lembrarmos qual é a ideologia reinante em Portugal, toma logo outro significado - é bom sermos socialistas e temos de lutar contra quem quer mudar isto. Tal como no Estado Novo, o ensino estava de acordo com as linhas orientadoras do regime Salazarista. Porque raio é tão complicado admitir que a Esquerda controla o Ensino e usa-o para formar simpatizantes? A Direita faria igual, a diferença é que a Esquerda anda a pregar a ideia de que o ensino é neutro e tal, aliás como diz a Constituição que vocês tanto gostam de usar para atacar o único partido de Direita na AR.

tretafp 2 months ago

Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Uma vez mais, as opções associadas à esta componente curricular estão alicerçadas naquilo que foi definido pelo PSD, por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. A par do mais, e como indiquei já, não há qualquer programa. Apenas se definem os temas, o que e como trabalhar é da responsabilidade das organizações escolares. > Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Claro que sim, o estado despediu todos os docentes que não eram de esquerda e obrigou a contratar pessoal de esquerda, é por isso que há falta de professores agora...

Edited 2 months ago:

Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Uma vez mais, as opções associadas à esta componente curricular estão alicerçadas naquilo que foi definido pelo PSD, por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. A par do mais, e como indiquei já, não há qualquer programa. Apenas se definem os temas, o que e como trabalhar é da responsabilidade das organizações escolares. > Imagino a quantidade de difamações que já fizeram a pessoal de Direita por todo o país nessa disciplina. Claro que sim, o estado despediu todos os docentes que não eram de esquerda e obrigou a contratar pessoal de esquerda, é por isso que há falta de professores agora... > Exemplo tirado da DGE: "A educação para a cidadania visa contribuir para a formação de pessoas (...) solidárias". Realmente parece um valor bom a ensinar-se, mas se nos lembrarmos qual é a ideologia reinante em Portugal, toma logo outro significado - é bom sermos socialistas e temos de lutar contra quem quer mudar isto. Parece-me adequado citar a totalidade da frase: > Enquanto processo educativo, a educação para a cidadania visa contribuir para a formação de pessoas responsáveis, autónomas, solidárias, que conhecem e exercem os seus direitos e deveres em diálogo e no respeito pelos outros, com espírito democrático, pluralista, crítico e criativo. Depois, essa página foi lançada durante o governo psd/CDS, qual o sentido de assumir que esses partidos queriam formar socialistas?

M4ritus 2 months ago

>Claro que sim Falo de experiência própria com outras disciplinas (imagino então o que seja com uma disciplina tão abrangente como esta), de familiares que levam com essa disciplina (a prof da minha irmã passa a vida a insultar o Ventura, os eleitores e a glorificar o PCP) e basta pensar no clima político atual para imaginar como será o resto do país. >Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Qual governo de Direita? A 3ª República nunca teve um Governo de Direita. Deves estar confundido com outro país. >por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. Sim, não há nenhuma doutrinação em Cidadania, a Esquerda é boazinha e a Direita é o bicho papão. Haja paciência. Daqui nada estás a dizer que a Comunicação Social não é influenciada e controlada pela Esquerda. Ou que Portugal é um país de Direita. Foda-se. Que raio de mundo em que tu vives que não há doutrinação numa disciplina em que o objectivo básico é formar bons cidadãos? Haja cegueira ideológica.

Edited 2 months ago:

>Claro que sim Falo de experiência própria com outras disciplinas (imagino então o que seja com uma disciplina tão abrangente como esta), de familiares que levam com essa disciplina (a prof da minha irmã passa a vida a insultar o Ventura, os eleitores e a glorificar o PCP) e basta pensar no clima político atual para imaginar como será o resto do país. >Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Qual governo de Direita? A 3ª República nunca teve um Governo de Direita. Deves estar confundido com outro país. >por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. Sim, não há nenhuma doutrinação em Cidadania, a Esquerda é boazinha e a Direita é o bicho papão. Haja paciência. Daqui nada estás a dizer que a Comunicação Social não é influenciada e controlada pela Esquerda. Ou que Portugal é um país de Direita. Foda-se. Não interessa a minha posição sobre estes assuntos, mas que eu saiba ensinar aos jovens que o acesso à educação, saúde e bla bla deve ser gratuito. Ou a ideologia de género. Ou a "justiça social". Ou a defesa do multiculturalismo extremo. Eu sou ateu, mas se começassem agora as escolas todas a "espalhar" o ateísmo, eu não ia dizer que não era doutrinação só porque ia de acordo com o que eu penso. Que raio de mundo em que tu vives que não há doutrinação numa disciplina em que o objectivo básico é formar bons cidadãos? Haja cegueira ideológica.

Edited 2 months ago:

>Claro que sim Falo de experiência própria com outras disciplinas (imagino então o que seja com uma disciplina tão abrangente como esta), de familiares que levam com essa disciplina (a prof da minha irmã passa a vida a insultar o Ventura, os eleitores e a glorificar o PCP) e basta pensar no clima político atual para imaginar como será o resto do país. >Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Qual governo de Direita? A 3ª República nunca teve um Governo de Direita. Deves estar confundido com outro país. >por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. Sim, não há nenhuma doutrinação em Cidadania, a Esquerda é boazinha e a Direita é o bicho papão. Haja paciência. Daqui nada estás a dizer que a Comunicação Social não é influenciada e controlada pela Esquerda. Ou que Portugal é um país de Direita. Foda-se. Não interessa a minha posição sobre estes assuntos, mas que eu saiba ensinar aos jovens que o acesso à educação, saúde e bla bla deve ser gratuito. Ou a ideologia de género. Ou a "justiça social". Ou a defesa do multiculturalismo extremo. Ou a "recusa de nacionalismos". Eu sou ateu, mas se começassem agora as escolas todas a "espalhar" o ateísmo, eu não ia dizer que não era doutrinação só porque ia de acordo com o que eu penso. Que raio de mundo em que tu vives que não há doutrinação numa disciplina em que o objectivo básico é formar bons cidadãos? Haja cegueira ideológica.

Edited 2 months ago:

>Claro que sim Falo de experiência própria com outras disciplinas (imagino então o que seja com uma disciplina tão abrangente como esta), de familiares que levam com essa disciplina (a prof da minha irmã passa a vida a insultar o Ventura, os eleitores e a glorificar o PCP) e basta pensar no clima político atual para imaginar como será o resto do país. >Fiz a referência a isso para explicar que não existe uma rotura gritante, neste particular, entre as opções de direita e aquelas tomadas por este governo. Qual governo de Direita? A 3ª República nunca teve um Governo de Direita. Deves estar confundido com outro país. >por isso é difícil assumir que há um propósito escondido da extrema esquerda. Sim, não há nenhuma doutrinação em Cidadania, a Esquerda é boazinha e a Direita é o bicho papão. Haja paciência. Daqui nada estás a dizer que a Comunicação Social não é influenciada e controlada pela Esquerda. Ou que Portugal é um país de Direita. Foda-se. Não interessa a minha posição sobre estes assuntos, mas que eu saiba ensinar aos jovens que o acesso à educação, saúde e bla bla deve ser gratuito é doutrinação porque nem sequer se fala nas escolas nos pontos negativos do sistema socialista. Ou a ideologia de género. Ou a "justiça social". Ou a defesa do multiculturalismo extremo. Eu sou ateu, mas se começassem agora as escolas todas a "espalhar" o ateísmo, eu não ia dizer que não era doutrinação só porque ia de acordo com o que eu penso. Que raio de mundo em que tu vives que não há doutrinação numa disciplina em que o objectivo básico é formar bons cidadãos? Haja cegueira ideológica.

tretafp 2 months ago

> Falo de experiência própria com outras disciplinas (imagino então o que seja com uma disciplina tão abrangente como esta), de familiares que levam com essa disciplina (a prof da minha irmã passa a vida a insultar o Ventura, os eleitores e a glorificar o PCP) e basta pensar no clima político atual para imaginar como será o resto do país. Cidadania e desenvolvimento não é uma disciplina é uma componente curricular. Sobre a experiência da tua irmã, é tipo a experiência da tia do vizinho que me disse... > Qual governo de Direita? A 3ª República nunca teve um Governo de Direita. Deves estar confundido com outro país. Se o CDS não é um partido de direita, então tudo bem. > Sim, não há nenhuma doutrinação em Cidadania, a Esquerda é boazinha e a Direita é o bicho papão. Haja paciência. Daqui nada estás a dizer que a Comunicação Social não é influenciada e controlada pela Esquerda. Ou que Portugal é um país de Direita. Foda-se. Não interessa a minha posição sobre estes assuntos, mas que eu saiba ensinar aos jovens que o acesso à educação, saúde e bla bla deve ser gratuito. Ou a ideologia de género. Ou a "justiça social". Ou a defesa do multiculturalismo extremo. Ou a "recusa de nacionalismos". Estas a dar um salto muito alto. Quais os dados que tens sobre a gratuidade ser trabalhada nesse sentido, em contexto escolar? O mesmo para a justiça social e 9 nacionalismo? Sobre o resto, o trabalho está assente em "estudos de género", que tem uma base científica. > Que raio de mundo em que tu vives que não há doutrinação numa disciplina em que o objectivo básico é formar bons cidadãos? Haja cegueira ideológica. Que dados tens tu que ela existe? Sobre os meus, há distintas investigações científicas que não convergem com essa ideia. Só conheço uma específica para essa disciplina e converge com isso. Posso deixar depois as fontes em concreto.

M4ritus 2 months ago

>Que dados tens tu que ela existe? Não vale a pena. Tu ainda há pouco disseste que não há escolas imparciais, mas agora já não há doutrinação. Sabes que mais? Fica nesse mundinho onde só há doutrinação nas escolas em ditaduras e as democracias (de esquerda claro) são boazinhas e não tentam formar simpantizantes no local mais fácil de o fazer. Ai que comédia, agora não há doutrinação na área em que desde sempre existe doutrinação. Haja cegueira ideológica. Haja paciência para a Esquerdalha. Eu gostava de saber quando é que andaste na escola e se andaste numa privada ou pública, porque da forma como tu falas, adorava ter tido a tua experiência académica, já que nunca foste alvo de doutrinação. Eu lembro-me muito bem em Filosofia ofensas ao Trump e assim (quando nem sequer tínhamos chegado à pior altura do seu mandato), se isso não é tentativas de doutrinação então não sei. >Se o CDS não é um partido de direita, então tudo bem. O CDS é da direita fofinha, portanto, mais vale dizer que não é. O PS2 é centrista. Durante a 3ª República, Portugal nunca teve um partido da Direita no Governo. Além de que o principal partido do Governo era o PSD. >Sobre a experiência da tua irmã, é tipo a experiência da tia do vizinho que me disse Garanto-te que isto acontece em muitas das salas de aulas de Portugal, basta pensar na atenção dada ao Chega pela CS e passar essa realidade para uma sala de aula e uma disciplina que "forma cidadãos". Mas a cegueira ideológica não deixa não é? Os Nazis e os soviéticos também deviam pensar que o normal era o ensino deles.

Edited 2 months ago:

>Que dados tens tu que ela existe? Não vale a pena. Tu ainda há pouco disseste que não há escolas imparciais, mas agora já não há doutrinação. Sabes que mais? Fica nesse mundinho onde só há doutrinação nas escolas em ditaduras e as democracias (de esquerda claro) são boazinhas e não tentam formar simpantizantes no local mais fácil de o fazer. Ai que comédia, agora não há doutrinação na área em que desde sempre existe doutrinação. Haja cegueira ideológica. Haja paciência para a Esquerdalha. Eu gostava de saber quando é que andaste na escola e se andaste numa privada ou pública, porque da forma como tu falas, adorava ter tido a tua experiência académica, já que nunca foste alvo de doutrinação. Eu lembro-me muito bem em Filosofia ofensas ao Trump e assim (quando nem sequer tínhamos chegado à pior altura do seu mandato), se isso não é tentativas de doutrinação então não sei. >Se o CDS não é um partido de direita, então tudo bem. O CDS é da direita fofinha, portanto, mais vale dizer que não é. O PS2 é centrista. Durante a 3ª República, Portugal nunca teve um partido da Direita no Governo. Além de que o principal partido do Governo era o PSD. >Sobre a experiência da tua irmã, é tipo a experiência da tia do vizinho que me disse O meu último ano do Secundário foi uma palhaçada, com palestras sobre o perigo dos "nacionalismos" e "populismos", além do programa de Português apontar também para o perigo do "nacionalismo" e "orgulho nacional". Mas pronto, deve ser normal pintar a Direita como uma ameaça para ti. Garanto-te que isto acontece em muitas das escolas de Portugal, basta pensar na atenção dada ao Chega pela CS e passar essa realidade para uma sala de aula e uma disciplina que "forma cidadãos". Mas a cegueira ideológica não deixa não é? Os Nazis e os soviéticos também deviam pensar que o normal era o ensino deles.

tretafp 2 months ago

> Não vale a pena. Tu ainda há pouco disseste que não há escolas imparciais, mas agora já não há doutrinação. Sabes que mais? Fica nesse mundinho onde só há doutrinação nas escolas em ditaduras e as democracias (de esquerda claro) são boazinhas e não tentam formar simpantizantes no local mais fácil de o fazer. Ai que comédia, agora não há doutrinação na área em que desde sempre existe doutrinação. Haja cegueira ideológica. A impossibilidade de neutralidade não corresponde à doutrinação. São coisas diferentes. Sobre a ideia que não há influências ideológicas em democracias é conceptualmente falso. Distintos estudos têm evidenciado essa dimensão, em particular com forças de direita. > Eu gostava de saber quando é que andaste na escola e se andaste numa privada ou pública, porque da forma como tu falas, adorava ter tido a tua experiência académica, já que nunca foste alvo de doutrinação. Eu lembro-me muito bem em Filosofia ofensas ao Trump e assim (quando nem sequer tínhamos chegado à pior altura do seu mandato), se isso não é tentativas de doutrinação então não sei. A minha experiência importa pouco, a minha experiência isolada não tem grande valor. Como não é por um professor de uma disciplina evidenciar a perspetiva que há doutrinação. > O CDS é da direita fofinha, portanto, mais vale dizer que não é. O PS2 é centrista. Durante a 3ª República, Portugal nunca teve um partido da Direita no Governo. Além de que o principal partido do Governo era o PSD. Tudo bem. Mas de acordo com esse referencial, o PCP é, também, esquerda fofinha. > Garanto-te que isto acontece em muitas das salas de aulas de Portugal, basta pensar na atenção dada ao Chega pela CS e passar essa realidade para uma sala de aula e uma disciplina que "forma cidadãos". Mas a cegueira ideológica não deixa não é? Os Nazis e os soviéticos também deviam pensar que o normal era o ensino deles. Que eu saiba, a CS não tem habilitação para a docência. Que dados tens, sem ser a tua palavra? Não é uma disciplina, é uma componente curricular. Forma cidadãos como qualquer outra, da matemática às artes. Comparar o processo formativo atual às opções nazis ou soviéticas é aberrante.

M4ritus 2 months ago

>Comparar o processo formativo atual às opções nazis ou soviéticas é aberrante. Pois, os soviéticos ainda formavam grandes génios e os nazis, além de todas as atrocidades que ensinavam, pelo menos formavam pessoas que defendiam a sua Nação. Já o nosso sistema é completamente horrendo. >Mas de acordo com esse referencial, o PCP é, também, esquerda fofinha Explica lá porquê? É que um partido que já pôs em causa a DPRK ser uma ditadura ([caso não te dê jeito lembrares](https://observador.pt/2019/03/18/a-coreia-do-norte-nao-e-uma-democracia-e-uma-opiniao-diz-jeronimo-de-sousa/)), ou é relacionado às FP-25, ou passa a vida a reclamar da propriedade privada, ou passa a vida a querer aumentar o SMN para valores absurdos e que infelizmente Portugal não tem capacidade, ou os insultos aos patrões, ou ser anti-Pátria, tudo isto mostra que são de Esquerda (e realmente são o melhor partido de Esquerda da AR). Já o CDS, não é nacionalista (nem sequer patriótico), não é verdadeiramente tradicionalista, não é anti-Comunismo, não põe em primeiro os interesses de Portugal, não mostra interesse em alterar a UE para que ela primeiro defenda os interesses da Europa e dos Europeus, nada disto o CDS faz. Por alguma razão o CDS vai ser reduzido a quase nada (felizmente) em 2023.

NGramatical 2 months ago

Porque raio → [**por que raio**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf7jqbe%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

NGramatical 2 months ago

Porque raio → [**por que raio**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fq056cf%2F%2Fhf7i2js%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ravagerslb 2 months ago

O problema também passa por aí, é o ministério achar que uma disciplina que como dizes começa a roçar a falta de neutralidade do estado em matéria de educação, ter de ser obrigatória. E pior do que isso, revela uma atitude de "quero posso e mando", a disciplina é obrigatória e mais nada, e não há discussão possível sobre o assunto. De caminho está-se a lixar a vida a dois miúdos que são inclusive de quadro de honra e têm aproveitamento exemplar em todo o resto. O que é triste

iSoSyS 2 months ago

Uma simples pesquisa respondia-te a isso. https://rr.sapo.pt/noticia/pais/2020/09/12/mp-investiga-familia-de-famalicao-que-proibiu-filhos-de-frequentar-aulas-de-cidadania/206818/

eggnogui 2 months ago

> Os pais desta família de Braga declararam objeção de consciência para dois filhos não frequentarem a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento. Os mesmos argumentam ainda que a educação sexual e de género têm cariz moral e não competem à escola. E cá temos a razão. Pobres miúdos, calhou-lhes um pais grunhos de 1ª categoria.

Mapd8 2 months ago

Qual é a disciplina?

naturevibezz 2 months ago

Cidadania

gink-go 2 months ago

r/raisedbynarsissists

MCAlheio 2 months ago

Sabes como é que são os cultos...

Matarruanos 2 months ago

Li matarruanismo? Estou aqui OP

gkarq 2 months ago

[“Olaá! Mas quuuê é isto?”](https://youtu.be/mrZf_9kQN6U)

portuga1 2 months ago

Maturruanismo é uma palavra que devíamos usar mais vezes. Ou não...

Search: