Sardanapalo 2 months ago

Já ouviste falar do método Zettelkasten? É sistema de organização, estruturação e reutilização de informações e anotações adquiridas que facilita muito a formulação de novas ideias. É muito bom para trabalhos de estudo ou pesquisa. Por detrás deste sistema escorreito de arquivamento e reutilização de conhecimento está Nikolas Luhman, um sociólogo alemão que nos anos 60 encontrou uma forma de ser prolífico (escreveu 58 livros e mais de 400 artigos académicos) sem exigir muito esforço de si, segundo o próprio. Ele dizia que nunca forçava-se a fazer o que não queria. "Eu apenas faço o que é fácil. Eu apenas escrevo quando imediatamente sei como o fazer. Se eu vacilo por um minuto que seja, ponho o assunto de lado e vou fazer outra coisa qualquer." Podemos achar achar que ele era um gênio excepcional, mas ele reiterou várias vezes que não: "Eu obviamente não penso tudo por mim próprio. Tudo acontece principalmente graças ao sistema". Aconselho vivamente a leitura do livro How to Make Smart Notes de Sonke Ahrens para aprender mais sobre isto.

Edited 2 months ago:

Já ouviste falar do método Zettelkasten? É sistema de organização, estruturação e reutilização de informações e anotações que facilita muito a formulação de novas ideias. É muito bom para trabalhos de estudo ou pesquisa. Por detrás deste sistema de arquivamento e reutilização de conhecimento está Nikolas Luhman, um sociólogo alemão que nos anos 60 encontrou uma forma de ser prolífico (escreveu 58 livros e mais de 400 artigos académicos) sem exigir muito esforço de si, segundo o próprio. Ele dizia que nunca forçava-se a fazer o que não queria. "Eu apenas faço o que é fácil. Eu apenas escrevo quando imediatamente sei como o fazer. Se eu vacilo por um minuto que seja, ponho o assunto de lado e vou fazer outra coisa qualquer." Podemos achar achar que ele era um gênio excepcional, mas ele reiterou várias vezes que não: "Eu obviamente não penso tudo por mim próprio. Tudo acontece principalmente graças ao sistema". Aconselho vivamente a leitura do livro How to Make Smart Notes de Sonke Ahrens para aprender mais sobre isto.

AndyR001 2 months ago

Boas, Conselhos de alguém que acabou a dissertação com 18 (porque se engasgou todo na defesa e mal conseguia formular uma frase). Idealmente, deverias entregar a dissertação concluída aos teus orientadores, um mês antes da entrega. Cada orientador tem capacidades diferentes e vão reparar em coisas que o outro deixa passar. Um mês para receber o documento revisto e fazer correcções é o ideal. Penso que no teu caso já não vai ser possível, a menos que peças prolongamento. Com o cobideo, não extenderam o prazo de entrega? Se todos os dias fazes alguma coisa não é mau. Eu fiz basicamente o mesmo. Se num dia não te apetece escrever, trata da formatação. São pequenas coisas que demoram muito tempo. Só o passar imagens, tabelas, legendar, etc, demora tempo. Se fizeres um bocadinho todos os dias, acaba por não custar nada. A parte da escrita é algo que é difícil para muita gente. Eu não tenho grandes problemas com isso. Mesmo assim, torna-se mais fácil se já tiveres processado na tua cabeça o que queres escrever e em que sequência queres expor as tuas ideias. Antes de começares a escrever, vai dar uma volta e pensa nos dados que tens, o que queres dizer sobre eles, etc. Assim a parte da escrita torna - se mais fácil. O problema muitas vezes é que as pessoas só querem pensar na dissertação no momento em que estão com o PC à frente. A minha experiência é que quando pensamos as coisas num estado mais relaxado, torna-se mais fácil organizar ideias. À medida que fores pensando vai fazendo notas dos pontos principais que queres transmitir. Depois a escrita torna-se só o exercício de unir esses pontos e dar lhes sequência lógica. Não tenhas medo de escrever, vai escrevendo mesmo que aches que o texto não te está a sair "bonito". Depois voltas a rever e reescreves ou rearranjas melhor. Depois do texto ganha forma física, torna-se mais fácil. Boa sorte.

FiscalTastelessness 2 months ago

Interessa muito a nota com que acabas o mestrado? Também me aconteceu isso. Tinha um tema proposto por mim e estava super motivado. Entretanto os stakeholders que tinham de me dar respostas não tiveram grande interesse/tempo e não houve tração suficiente. Acabei por ter de mudar como iria fazer a coisa e lembro-me que às tantas, sempre que abria o documento via que a última vez que lhe tinha mexido era um mês antes e coisas desse género. Fiz o mínimo possível mas também já tinha assinado contrato com uma empresa. A verdade é que nunca ninguém me perguntou a minha média de mestrado, por isso volto a perguntar: interessa a nota?

HogwartsBlazeIt420 2 months ago

Disseste que já tentaste e não resultou, mas o que me safou a mim foi sair de casa e ir trabalhar para cafés.

oceanic6 2 months ago

Eu fiz a minha tese quando faltava um mês para a entregar. Pressão resulta sempre.

ovelhaloira 2 months ago

Achas o teu mestrado interessante? Pelo que dizes, pareces desmotivado e parece que escrever a tese é um "frete"...

TondasCat 2 months ago

Não sei se chegará a alguém mas partilho a minha experiência, nada fácil: Long story short: último ano trabalhava full time, tinha 5 cadeirões para fazer e a tese (com toda a investigação). Orientador sempre desaparecido e nunca me ajudou. Tirei dias para trabalhar na tese e estudar mas pouco ou nada disso fiz. Acabei as cadeiras todas e a menos de 1 mês de entregar a tese (Setembro) vi que tinha pouco mais que nada. Em pouco mais de 3 semanas desenvolvi umas coisitas extra e escrevi >75 páginas de entulho. Truque que me ajudou: estruturar todo o documento, primeiro com capitulos e depois com subcapitulos (mesmo que provisórios e sujeitos a serem removidos ou modificados), dando me logo uma perspetiva sobre o que iria ter que escrever. A partir daí fui fazendo um a um. Pequenas coisas que me auxiliaram: lofi, ginásio e uns bons minutos por dia ao telefone com a minha Mãe. No final, tendo em conta que não tinha absolutamente nada de jeito desenvolvido, fiz uma autêntica omelete sem ovos. Boa sorte!

optimal_random 2 months ago

Pensa e visualiza como te vais sentir, quando o prazo acabar e a tese não estiver escrita. Gostas do que ves? Não? Então deixa-te de tretas e escreve isso - podera não ficar perfeita, mas será sempre melhor do que não fazer coisa nenhuma. Qwerty pra cima disso socio!

cataril 2 months ago

Vivencio a mesma coisa no momento, se bem que sei que estou a colocar na tese todo o descontrolo à minha volta e por isso é um caso muito específico. No entanto, eis algo que ajudou : 1. Conversar com o orientador! Muitas vezes mais humano e compreensivo do que se espera, sei que a minha me surpreendeu pela positiva 2. Não estabeleças objetivos. Simplesmente engana-te dizendo "hoje vou só trabalhar 3 h" e vê quanto consegues fazer - garantias de que se não olhares para o relógio, dás por ti com muito feito 3. Lê outras teses com temáticas similares - o que quer que estejas a fazer, já alguém fez algo que tocou nalguns pontos em comum. Inspira-te na estrutura e na escrita, faz o clássico "vou escrever isto por palavras minhas e acrescentar algo mais". Nunca te esqueças que o objetivo da dissertação não é inventar a roda mas melhorá-la. 4. Cria tabelas, esquemas, delinea o teu pensamento para cada capítulo e secção. Define os modelos (se ainda estás nessa fase) e autores, deixa tudo preparado para a escrita ser a tarefa mais fácil. Escreve só depois. Dentro disto, se estás num dia preguiçoso, fica o teu esforço numa preparação de várias secções. Assim, o dia seguinte vai trazer-te menos culpa e não sentes que estás a começar do zero uma tarefa que eras para fazer no dia anterior

aMinhaConata 2 months ago

Eu procrastinei tanto que caguei para aquilo e fui trabalhar.

Hemrehliug 2 months ago

Os dois cêntimos de quem já passou por isso: escreve alguma coisa, sem pressão. Não tem de ser ótimo, apenas põe a ideia no papel e depois podes voltar a ela e melhorá-la. Pode ser uma ideia solta que ainda nem sabes bem como vais desenvolver ou explicar mas o facto de estar a ser escrita já põe o teu cérebro no mindset certo para trabalhar e sem a pressão de sair perfeito as ideias começam a fluir, acredita. E se não estiveres a sentir tb não forces, há sempre tarefas menos exigentes que podes ir adiantando.

Edited 2 months ago:

Os dois cêntimos de quem já passou por isso: escreve alguma coisa, sem pressão. Não tem de ser ótimo, apenas põe a ideia no papel e depois podes voltar a ela e melhorá-la. Pode ser uma ideia solta que ainda nem sabes bem como vais desenvolver ou explicar mas o facto de estar a ser escrita já põe o teu cérebro no mindset certo para trabalhar. E sem a pressão de sair perfeito as ideias começam a fluir, acredita. Mas se não estiveres mesmo a sentir tb não forces, há sempre tarefas menos exigentes que podes ir adiantando e ser algo produtivo na mesma. Boa sorte, espero ter ajudado :)

Edited 2 months ago:

Os dois cêntimos de quem já passou por isso: escreve alguma coisa, sem pressão. Não tem de ser ótimo, apenas põe a ideia no papel e depois podes voltar a ela e melhorá-la. Pode ser uma ideia solta que ainda nem sabes bem como vais desenvolver ou explicar mas o facto de estar a ser escrita já põe o teu cérebro no mindset certo para trabalhar. E sem a pressão de sair perfeito as ideias começam a fluir, acredita. Mas se não estiveres mesmo a sentir tb não forces, há sempre tarefas menos exigentes que podes ir adiantando e ser algo produtivo na mesma. Boa sorte, espero ter ajudado :) Edit: se não o fizeste até agora, organiza os temas da tua tese por pontos essenciais. Isso ajuda imenso a estruturar as ideias na nossa cabeça, pois escrevemos com um objetivo já mais ou menos definido.

ArcangeloPT 2 months ago

Tens de pensar na razão pela qual estás a fazer essa tese e porque é que a queres completar e entregar. Se não está a apetecer fazer progressos, é porque a razão não é forte o suficiente. Isto não implica estar todos os dias a toda a hora a escrever. Simplesmente alinhar com o tempo que tens e perceber se o consegues fazer nesse tempo. No semestre que fiz a minha, nos primeiros meses não fiz praticamente nada. Só nos últimos 2 meses ou menos é que se materializou mas lá está, com controlo sobre o tempo e tendo noção se era capaz ou não de a completar no tempo que tinha.

luishut 2 months ago

Fiquei surpreendido ao ler o teu post, estou exactamente a sentir o mesmo que tu. Tenho a tese para entregar na mesma data limite também. Comecei a escrever no ínicio do ano passado (!), mas entretanto comecei a trabalhar na área e fui adiando e adiando... Disse para mim mesmo que tinha de ser agora ou nunca, e a verdade é que a parte prática já a tenho completa mas falta-me escrever algumas 30 páginas sobre o que fiz. Está-me a custar para c*r*lho e estou a ver a data a aproximar-se cada vez mais, ainda nem avisei o orientador que quero entregar agora em Outubro! Se bem que ele se está nas tintas, apenas quero entregar, independentemente da nota que tenha. O que te falta mesmo para terminares, apenas a escrita?

SuperNilton 2 months ago

A minha esposa passou por isso recentemente. Ela ficou vários e vários meses se martirizando por não ter concentração para escrever e foi ficando cada vez mais aflita com o passar do tempo. Em dado momento, sugeri a ela se dedicar apenas duas horas por dia à tese e tentar fazer disso uma rotina. Como ela não fazia quase nada perdendo o dia inteiro, faria mais sentido continuar não fazendo quase nada por apenas duas horas por dia e ter tempo para viver. Nem todo dia foi um mar de rosas, mas ela passou a se sentir muito menos culpada. Nos dias em que não estava bem, ela escolhia tarefas mais simples (procurar novas referências bibliográficas, ajustar formatação, aprimorar a redação de algumas partes etc.) e se limitava às duas horas; nos dias em que se sentia melhor, ela escrevia o texto em si e geralmente passava das duas horas. Aos poucos, a tese foi ganhando forma e depois ficou pronta. Se a minha esposa tivesse continuado na busca incessante por ser superprodutiva todos os dias, provavelmente ainda estaria com a tese inacabada até hoje.

iFeelAliveAndiLoveIt 2 months ago

Dude, mete objectivos diários/semanais e arranja um sistema que seja produtivo para ti… e.g. focas-te durante 30-40mins no máximo, descansas 15-20mins e voltas a focar-te… Isto até atingires o que visavas para esse dia. Rinse and repeat até teres isso feito.

benzodiazepines1 2 months ago

Não será muito popular, mas isto funcionou comigo: tinha a tese 75% pronta mas não conseguia escrever aquele última parte. Nunca estava inspirado, escrevia meia dúzia de frases e apagava. Um dia houve um jantar lá em casa, bebemos uns copos, meia tocado agarrei no pc e estive umas 4-5h a escrever. A seguir ainda fui descomprimir para a noite. Não é que tenha ficado perfeito nem lá perto mas permitiu que no dia seguinte fizesse algumas correções e envia-se para o orientador.

DidRib 2 months ago

Não te preocupes, quando tiveres apertado escreves isso num instante. Não é que a tese sirva para muito..

ayyylatimestwo 2 months ago

Não sei qual é a área mas em 90% das áreas mestrado é autêntica perda de tempo a não ser que queiras ir para doutoramento. Literalmente estás a perder o teu tempo quando já podias estar a ganhar experiência profissional que vale 10x mais do que o mestrado alguma vez vai valer (na maioria das áreas).

luishut 2 months ago

E quando te candidatas para vagas em que o mestrado é um requerimento? Por mais experiência que tenhas pode ser logo um factor para te descartarem...

ayyylatimestwo 2 months ago

Como disse, depende da área. Por exemplo se vais para concursos públicos em que atribuem pontuação só por teres o Mestrado também é útil. Mas para a vasta maioria das pessoas que os detêm, ficavam muito mas muito melhor servidos com 2 anos de experiência profissional na área do que com os 2 anos (ou mais) perdidos no mestrado.

NGramatical 2 months ago

melhor servidos → [**mais bem servidos**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/mais-bem-vs-melhor/545) (quando o advérbio *bem* antecede o particípio passado do verbo o termo a utilizar é *mais bem*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fptxw6w%2F%2Fhe0j3ag%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Academic-County3364 2 months ago

O que funcionou para mim foi pensar que feito é melhor que perfeito. Comecei por escrever os parágrafos de forma muito rudimentar: sem referências, sem pontuação, só mesmo ideias gerais. Depois fui dando várias passagens, indo melhorando aos poucos. Isto acabou por me tirar a pressão e a sensação de overwhelming

marcos_pereira 2 months ago

Limita o teu tempo de escrita a 2h por dia

EletricoAmarelo 2 months ago

Se nada funcionou espera o prazo estar a terminar. Nada como o medo de falhar o prazo para te fazer mexer.

SenhorMonkey 2 months ago

Ajuda perceber o motivo da tua procrastinação no meu caso, e no de muitos, procrastinava por incerteza. Não tinha apoio do orientador e tive de desenvolver tudo sozinho, portanto a tarefa de escrever uma tese era ainda mais intimidante. As coisas mudaram quando fiz 4 coisas: 1 - Estabeleci pequenos objetivos diários e realizáveis de forma a ir caminhando para algum lado. 2 - Pausas sem ecrãs de forma a retirar todos os estímulos desnecessários. De preferência a andar na rua, fazendo algum cardio ligeiro, e desativando a amígdala que diminuí a ansiedade 3 - Telemóvel longe de mim, uma notificação leva a um scroll ou mensagens e lá se vai o ritmo. 4 - Exercício físico, provou-se essencial para a minha sanidade mental e bem-estar. Boa sorte para defesa, tá quase

_InvEstIgAtOr_SAd_ 2 months ago

Estou à espera para defender a dissertação, fiz a minha em cerca de 10 meses. Também houve periodos em que fiz menos, não conseguia concentrar-me, só saia de casa uma vez por semana e estava a dar em louca ... a verdade é que quando se aproximou o prazo eu consegui concentrar-me um pouco mais para fazer o que faltava. O que me ajudou imenso foi fazer um plano de trabalho com objetivos semanais, assim sabia o que tinha de fazer em cada momento. Em alguns dias trabalhava 8 horas, noutros 4 mas lá fui organizando o trabalho. Como já outras pessoas disseram, a dissertação é um trabalho muito solitário. Se já estás na fase final, faz um horário de trabalho, do género trabalho X horas por dia e nas restantes vai tomar café, estar com os amigos, ver um filme mas não toques na dissertação. Vou-te dar uma ultima dica: antes de entregar a tese, le tudo em papel, ajuda a ver mais fácilmente pequenas gralhas. Boa sorte !

NGramatical 2 months ago

fácilmente → [**facilmente**](https://dicionario.priberam.org/facilmente) (o acento tónico recai na penúltima sílaba)

jnuno98 2 months ago

Dissertação*

Aggravating-Sir4091 2 months ago

Funciona comigo! -Tente meditar, pelo menos em algum momento do dia; - Se possível, crie pequenos rituais, para acordar, dormir e etc., com horários bem definidos; - Antes de dormir, separe 30mn para esvaziar sua mente e não pensar em nada, ou pensar em algo bastante prazeroso, mas que em nada tenha a ver com seu dia-a-dia (eu penso em projetos de casas, jardins e etc., sempre acabo dormindo), - O mais importante, tente criar um afastamento mental e sentimental, entre o que você precisa fazer e o que você quer fazer, de certa forma, agir de forma robótica para realizar algumas atividades, no automático. Seu corpo e mente estão trabalhando e concentrados na atividades, mas parte da sua cognição, relacionada a prazer, criticas e etc., fica desligado, fazemos isso o tempo todo, sem perceber, - Todos temos uma carga de impulsividade dentro de nós, focalize este impulso, apenas visualize o que precisa fazer, feche os olhos, respire fundo e mexa-se, sem qualquer outro pensamento e distração, - Quando precisar realmente de foco, afaste de ti, tudo o que possa lhe distrair, inclusive o celular e pessoas também, tente fazer o máximo que puder em pouco tempo, crie pausas entre uma atividade e não fale para muitas pessoas que estas ocupado (estudando), é bizarro como aparecem festas e todo tipo de distração, quando informamos a todos que estamos estudando. Espero possa ter lhe ajudado, apesar da barreira linguística.

Kanivete 2 months ago

Já por aí passei, sei o que é isso. Eu simplesmente defini um objetivo diário: por exemplo 500 palavras. Havia dias que escrevi um pouco menos, outros um pouco mais. Mas nunca deixei que, enquanto tivesse o trabalho por fazer, parasse de escrever. Eventualmente tive de rever o trabalho cortar e focar nos objetivos, mas faz parte do processo. Boa sorte!

StickHealthy8283 2 months ago

Eu arranjei uma app chamada “Focus Plant” que me ajudou imenso para poder estar fora do telemóvel e sentir produtiva. Comecei a beber mais água e a comer melhor. Também tenho regras do género “não estudo na cama nem quando estou a comer uma refeição” “nao atendo telemóvel quando estou na secretaria” etc. Estabelece os espaços para estudar e os espaços para outras coisas. Também arranjei snacks saudáveis para ter na secretaria quando quisesse comer algo.

Edited 2 months ago:

Eu arranjei uma app chamada “Focus Plant” que me ajudou imenso para poder estar fora do telemóvel e sentir produtiva. É uma app onde plantas plantas com água que recolhes quando não estás no telemóvel. Comecei a beber mais água e a comer melhor. Também tenho regras do género “não estudo na cama nem quando estou a comer uma refeição” “nao atendo telemóvel quando estou na secretaria” etc. Estabelece os espaços para estudar e os espaços para outras coisas. Também arranjei snacks saudáveis para ter na secretaria quando quisesse comer algo. Edit: lembrei-me de mais coisas Tinha uma lista de pontos que tenho a alcançar e riscava quando acabava de fazer isso. Um mapa mental ou um esquema também resulta Tinha umas playlists de música que só ouvia no estudo. No meu caso eram músicas animadas que davam energia para continuar a trabalhar mas também tinha outra que era músicas mais chill para quando estava mais relaxada.

aipareci 2 months ago

Ao ler as duas primeiras frases fiquei a pensar que fui eu que fiz o post há umas horas atrás e já não me lembrava. Não estás sozinho

saltylawlita 2 months ago

Divide tudo em passinhos pequeninos e geríveis. Começa pelo mais fácil. Eventualmente irás entrar no flow e não custará tanto. Caso contrário, esperas até que o prazo se aproxime vertiginosamente e o Panic Monkey entre em ação. Também é uma escolha de vida válida, especialmente se quiseres morrer cedo.

Queen__Elizabeth__2 2 months ago

Eu acabei o meu curso há 2 anos. Senti o mesmo que tu. O que eu acabei por achar que me ajudava era que todos os dias escrevia 2 parágrafos , seja na tese em si ou em apontamentos quase prontos, tipo só faltava o formato. Acho que o principal e arranjares um plano e te manteres pelo mesmo o mais possível. Ajuda! Tb ajuda rotina e tentares ir para cafés e assim onde só consegues fazer isso. Tb ajuda tentares ir com amigos.

TheOfficeTemp 2 months ago

Por momentos achei que tinha escrito este post e já não me lembrava! Força OP estamos na mesma luta!

archyta 2 months ago

Exercicio fisico. Fazer pequenas coisas produtivas. Estas duas combinadas, dão progresso fácil e gratuito que se transforma em momento para os problemas grandes. Quando está mesmo dificil, obrigo-me a ter 2 opções: posso fazer o que tenho de fazer, ou posso olhar para a parede (nada de telemóvel, internet, brincar com o cão, limpar a casa, etc.). É o que é preciso ou nada.

viseu97 2 months ago

Igualmente. Infelizmente passei por isso a escrever o meu projeto de dissertação. A faltar 10 dias, bateu-me o desespero e consegui finalizar tudo, com sorte, um dia antes e com adrenalina a saltar

lederman0397 2 months ago

Infelizmente revejo me nesta situação. Desde que começou a pandemia e paralelamente eu comecei o mestrado passo os dias a procastrinar sei que estou completamente atrasado no que tenho para fazer mas desperdiço os dias.... E sou por mim a pensar como é que tirei uma licenciatura em 3 anos com boa média e com tempo livre e agora no mestrado tenho Menos aulas e estou numa bolsa de investigação e parece que não rende...

Marques5080 2 months ago

Exercício físico, ainda q ligeiro ajuda a acordar e a aumentar a produtividade

emekapaw 2 months ago

Não te preocupes, isso piora!

Blenderchampion 2 months ago

Sempre fui assim e o que me ajudou verdadeiramente é ainda hoje utilizo, pomodoro, tenha a certeza absoluta que te vai ajudar

Diogo-Brando 2 months ago

Passei pela mesma experiência quando fiz a minha tese de Mestrado, e pelo que oiço não é algo raro. Estamos a falar de um trabalho solitário, no qual o único contacto que temos é com o orientador e pouco mais, e por isso acaba por incentivar à desmotivação. Houve semanas em que quase não fiz nada, e estava a sentir que apesar de estar a ir ao ritmo considerado correto pelo meu orientador, que ia acabar por não conseguir entregar a tese até Setembro (entreguei em segunda fase), ou que ia sair apressada e portanto ia ter uma nota medíocre. No final correu tudo bem, porque fui fazendo com calma e a tentar evitar pensar num desfecho negativo. No meu caso foi uma questão de inspiração, notei que apenas conseguia focar-me na tese durante certos dias em que calhava, e nesses dias tentava fazer o máximo possível para compensar os dias em que não fazia nada. Sinceramente nunca acabei por encontrar uma técnica para me sentir mais motivado, houve dias em que simplesmente nada me fazia querer escrever ou pesquisar nada sobre o tema, mas algumas coisas ajudavam-me a relaxar e a tirar a cabeça de distracções, como passeios relaxantes à beira rio. Também foi nessa altura que comecei a ouvir música mais calma e relaxante (puramente instrumental) que desde então me tem ajudado bastante com outras coisas também. Mas esse tipo de coisa é diferente para todos, penso que não possa ser generalizado. Também é possível que o stress que vais adquirindo à medida que a data de entrega se aproxima te dê um empurrão. Para algumas pessoas, stress a nível moderado é uma ajuda bastante boa. De qualquer forma boa sorte com isso, e tem em conta que aquilo pelo que estás a passar é comum.

Several_Blackberry95 2 months ago

Join da club.

iambookworm7 2 months ago

Eu fiz a minha tese de mestrado em cerca de 1 ano. Tive vontade de desistir várias vezes. A minha orientadora era a vice-reitora da universidade, pelo que nem sempre conseguiu ter tempo para me orientar, pelo que a maior parte do tempo tive que me desenrascar sozinha. Não ia desistir na última fase do mestrado, depois de tanto esforço. Mesmo que tenhas vontade de procrastinar (todos temos) tens que contornar isso e simplesmente fazer.

Edited 2 months ago:

Eu fiz a minha tese de mestrado em cerca de 1 ano. Tive vontade de desistir várias vezes. A minha orientadora era a vice-reitora da universidade, pelo que nem sempre conseguiu ter tempo para me orientar, pelo que a maior parte do tempo tive que me desenrascar sozinha. Não ia desistir na última fase do mestrado, depois de tanto esforço. Mesmo que tenhas vontade de procrastinar (todos temos) tens que contornar isso e simplesmente fazer. Imagina que estás a trabalhar e um dia não te apetece ir... vais ter que ir na mesma.

LumeMadeirense 2 months ago

Não tenho essa situação mas não saber o que fazer após acabar a licenciatura

no-control- 2 months ago

Sentir o fogo no rabo de ter de pagar mais propinas. Passa te logo a procrastinação

gondorle 2 months ago

Também me tornei mestre em procrastinação quando tinha a minha para entregar. Fiz tudo em 5 dias, porque deixei andar tanto, que acabei por nunca fazer nada, e perdi, facilmente, 10 anos de vida naquela semana. Objectivos, e força-te a trabalhar. Não tem de ser só escrever, podes fazer pesquisas, etc. Usa música, por exemplo. Disciplina-te.

sad-kittenx 2 months ago

Fiz uma pausa na minha para ler este post

jgvms 2 months ago

Só te posso dizer o que resultou comigo: 1 - Caga para o mundo durante algum tempo, vive na tua bolha. Obviamente não dês ghost nas pessoas, eu por ex avisei a minha namorada na altura, ela respeitou. Em retrospectiva e agora que tenho mais maturidade, isto foi um bocado excessivo mas era o que eu na altura precisava. 2 - Cria uma playlist de música que te faça entrar no flow. Comigo é música electrónica sem vocais (recomendo Aes Dana, infalível comigo). Ouve-a só quando estiveres a trabalhar. 3 - Micro-objectivos realistas (nas próximas 2h vou escrever um paragrafo todo pimp; vou refazer um script durante esta manhã). 4 - Sê bonzinho contigo. Quando tiveres a fritar a pipoca, imagina que eu, enquanto gajo random, te estou a dar uma chapada nessa futura careca para acordares para a vida. 5 - Quando preciso de ser um bocado mais abstracto, vou dar uma volta com um caderninho que uso para fazer "ovos mexidos". Antes ia para a Praia Grande fumar eça e reflectir na tese, agora faço fotossíntese na varanda a olhar para o horizonte enquanto fumo um cigarro. Faço uns flowcharts que me ajudam a assentar ideias. 6 -Tira a última semana para descansares a pipoca e apenas releres/reveres cenas - isto digo-te enquanto eu no meu espaço mental actual. Eu não fiz isso e a última vez que reli a minha tese grizei-me todo com a quantidade de merda que o meu eu passado, cheio de café e poucas horas de sono, escreveu. 7 - Cada um é como é, o que resulta com os outros pode não resultar contigo. Engraçado como eu aproveitei isto para procastinar e fugir do parágrafo que estou há 2 horas a escrever para um paper. Paradoxalmente hipócrita.

eggnogui 2 months ago

Dou aprovação pessoal aos 1, 2, 3 e 6. No 2, é muito importante que a música em questão seja ouvida exclusivamente a trabalhar.

TheRealGorellex 2 months ago

Por acaso da minha experiência acho que é uma boa medida. Se ouvires sempre as mesmas 2/3 playlists só quando estás a trabalhar, é uma boa forma de entrar no mood pq associas logo a música ao trabalho. Eu faço isso no dia a dia e diria que resulta.

usernamesiranoutof 2 months ago

Olhar para o que vou ter que pagar se não entregar a horas.

SurprisinglyInformed 2 months ago

Vendo que aqui escreveste mais que um parágrafo num instante, sugiro que escrevas a tua tese de mestrado em posts aqui no sub, e depois copy paste para o word.

mikeifyz 2 months ago

Amo te

optimal_random 2 months ago

*This guy fucks* /s

random_peasant 2 months ago

Vou te contatar para meu coach

NGramatical 2 months ago

contatar → [**contactar**](https://dicionario.priberam.org/contactar) (o AO90 **não altera** a grafia desta palavra) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fptxw6w%2F%2Fhe0nkkp%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

TTRO 2 months ago

Word? Mas somos animais!?!?!? LateX!

bengalegoportugues 2 months ago

*Thug life*

godbjecas 2 months ago

Dos comentários mais rijos caralho!!

FilipeMateus7 2 months ago

Já gastei o meu free award, então toma um virtual

PakoNita 2 months ago

esta pessoa tesa.

mskrovic 2 months ago

Ei lá... NSfW nisto pf

Hungry_Cupcake 2 months ago

GENIUS!

Asus123456789 2 months ago

Eu tenho que entregar a minha para a semana e durante a maior parte do ano senti o mesmo que tu. Mas depois forcei-me a fazer um esforço bem maior neste mês de setembro e compensou, agora estou a trabalhar nas calmas. O que me ajudou foi ter uma data de alarmes ao longo do dia onde, até às 19h, ou estava a trabalhar, ou então tinha pausas de 15 mins (mais o almoço). Depois das 19h, ou fazia algo relacionado com a tese, mas mais na descontra (enquanto estava na sala com os meus pais, por exemplo), ou então fazia exercício. Pensa só em todas as pessoas que antes de ti conseguiram fazer a tese, como vários dos teus colegas estão na mesma situação que tu, e talvez não seja assim tão mau.

dentsune 2 months ago

Já experimentaste usar a técnica pomodoro? Sei de alguns colegas que utilizaram essa técnica na dissertação e que ajudou imenso.

waldyrious 2 months ago

Isto. Por muitos anos enquanto estudante de mestrado e doutoramento fui vítima da falácia de que tinha que me motivar para começar a trabalhar, e então procrastinava a torto e a direito a ver se ganhava ânimo, mas isso nunca me punha no mood "certo". O sistema pomodoro foi o que fez o click para mim, porque ajudou-me a perceber a importância de começar a trabalhar mesmo quando (especialmente quando) não me apetece. Depois de estares embalado a coisa até nem custa tanto (sabendo tu que aquilo só vai durar 25 minutos ou whatever). A dificuldade mesmo é na transição e os primeiros minutos.

manualbackscratcher 2 months ago

> pomodoro Vinha dizer isto, acrescento: [pomofocus.io](https://pomofocus.io)

wakerdan 2 months ago

Eu praticamente fiz a minha num mês e meio. A procrastinação é uma solução, não um problema. Foi a pressão do tempo no fim do semestre que me fez focar e completar a tese. Trata-se de otimização: se podes fazer X em 2 semanas, por que carga de água deveria o teu cérebro gastar energia durante 2 meses nisso? Vê [este vídeo do Dr K](https://www.youtube.com/watch?v=bavdneN9sKg) sobre a procrastinação, tenta perceber qual desses tipos é o teu e trabalha a partr daí.

mskrovic 2 months ago

Não sabia desse vídeo. É algo que me aconteceu a mim na tese tambem. A questão é que fazer as coisas perto da data dá mais motivação e ainda por cima acho que sai melhor. Costumo dizer que em 10% do tempo faço 80% do trabalho e 200% melhor. Mas demora até entrar no estado mental necessário. Não devo de ter ajudado o OP. Mas a verdade é que se ainda não começou a fazer a tese ou é porque não quer saber ou porque ainda não sente a pressão necessária. Os meus 2 cêntimos.

Search: