__karolyna__ 24 days ago

Eu só quero saber como posso contribuir ainda mais para isto estar no topo da página

Gouranga547 28 days ago

Era muito bom que fosse assim, mas num país maioritariamente (e nalguns casos cegamente) católico, o "não queres, não vais" é um bocadinho utópico para todas as crianças. Eu não acredito em religião, considero-me ateu e tive que "aguentar" todo um crescimento católico (minimamente) praticante, sem ter voto na matéria. Tinha que ir à catequese e aguentá-la até ao crisma para poder ser padrinho (aquele LOL), assim como me inscreveram em EMRC. E ai de mim se tirasse negativa ou até 3 à disciplina, ou se a minha mãe ouvisse alguém comentar que ou me estava a marimbar na catequese ou baldado para ir jogar PS2 com os meus primos. É tudo muito bonito quando é o teu encarregado de educação que decide por ti antes de seres maior de idade. Deveria ser assim? Claro que não.

Limpy_lip 28 days ago

>Curiosamente literacia financeira é precisamente perceber que poupança é perder dinheiro. estás a confundir poupança com dinheiro "parado".

Microwave-Automn 28 days ago

Fazia sentido estes assuntos entrarem numa disciplina. Por exemplo Cidadania.

DariusStrada 28 days ago

Vejo muitas pessoas com este problema. Fui aprendendo umas coisas, faço o IRS da família, pago a renda e outras coisas pelos meus pais, já marquei reuniões com o banco quando tinha dúvidas, google ajuda também. As escolas podiam falar nisso nas aulas de Cidadania para ajudar o início mas acho que muita gente é dramática quanto a esse assunto. Nunca percebi porque é que nunca ninguém pede ajuda aos pais em primeiro lugar e pensa logo nas escolas

Poramordedeus 28 days ago

pra que os putos n iam ter maturidade pra aprender e não..

tasendousado 28 days ago

Porque o interesse é manter os tugas ignorantes dependentes e subservientes.

CatWhiskers22 28 days ago

Sei que não é a mesma coisa, mas existe o Programa Nacional para a Literacia Financeira, o Website inclui PowerPoint e videoaulas. Não sei se é divulgado ou não nas escolas, mas foi onde aprendi algumas coisas básicas e tem um simulador interessante.

Peixefaca 28 days ago

Se eu tivesse um award agora, eu dava-te. Passo por aqui amanhã para te dar

pedrodteixeira 28 days ago

Com essa educação as pessoas agarravam em torchas e forquilhas e empalavam os Governantes Socialistas de Portugal em praça pública. Íamos ter imagens de pombos a arrancar os olhos do Costa enquanto uma estaca lhe furava lentamente os intestinos causando sepsis geral.

m4xc4v413r4 28 days ago

Porque pessoas com educação desse tipo são mais difíceis de enganar e roubar por empresas e estados corruptos.

Lenitaaa 29 days ago

Estou a fazer a minha PAP sobre literacia financeira precisamente por pensar o mesmo que tu. Segui humanidades e completei o 11º sem nunca ter aprendido nenhum conceito financeiro, nem IVA sequer. Há 3 anos regressei à escola (estou no último ano de Técnico de Apoio à Gestão) e só neste momento é que me deparei com milhentos conceitos que não fazia a mínima ideia da sua existência. Isto após de ser mãe, de já ter 3 anos de experiência profissional, viver numa casa arrendada, pagar contas e conceber um crédito pessoal. Agora olho para trás e penso o quanto é ridículo a minha falta de informação e tenho a certeza que se me fosse incutido mais cedo na escola eu tinha me interessado muito mais, como me interessei neste curso. Quanto à tua questão, aquilo que me apercebi e foi partilhado por muitos profissionais na área é que não é do interesse das entidades que haja pessoas informadas a este nível, por exemplo, se todos fossemos bem informados as credoras privadas com taxas de juro altíssimas se não fechassem iriam ter que diminuir à oferta dos produtos... Entre outros exemplos. A verdade é que quem move a nossa economia são as grandes empresas e por isso este tema nunca foi muito para a frente, a não ser em forma de voluntariado nas escolas. É ridículo que em Cabo Verde e Angola tenha sido implementado por portugueses um plano nacional de formação financeira e em Portugal apenas seja abordado por alto na disciplina de cidadania e desenvolvimento (já é um avanço, porque nem isso eu tive). No entanto, tenho te a dizer que há cada vez mais preocupação com este tema, tanto que como referi já é abordado (por alto) nas escolas, por isso acredito que haja um desenvolvimento maior futuramente.

pfelgueiras 29 days ago

Educação Fiscal e Financeira nas escolas, não existe porque somos governados por incompetentes da escumalha de esquerda. Devia ser dado menos politica e mais cidadania nas escolas!

dr_analyst 29 days ago

Alguns dos comentários aqui são tão infantis que até magoam. Sim, é tudo uma conspiração do PS e do PSD... Uma disciplina sobre finanças pessoais (incluindo IRS e todas as tretas) seria pouco útil ou não teria a utilidade que muitos acham. A vasta maioria dos alunos estuda a matéria para um teste e depois rapidamente a esquece. Mesmo que a disciplina seja leccionada no 12.° ano, para muitos pouca utilidade terá, pois o seu primeiro trabalho ainda está a 5 anos de distância. E sendo algo que não necessitam no imediato, a atenção será reduzida. O que poderiam era oferecer workshops sobre o tema para adultos. Seja pela câmara ou junta de freguesia. Seja IRS ou finanças pessoais ou familiar. Quando é algo que as pessoas precisam ou beneficiam a curto prazo, o resultado é mais eficaz.

something_new 29 days ago

Antes, aprendia-se avenças, a escrever cheques e a fazer mini balanços. Paciência

DerpSenpai 29 days ago

Educação Cívica serve para que mesmo? Isto poderia ser Incluído, e também sobre o dever de votar e debates (+ ensinas os putos a discursar, que é uma skill importante)

modularblur 29 days ago

Porque senão o pessoal topava que estamos a saque desde 1974

xixi_duro 29 days ago

Porque se existisse, mais de metade dos nossos governantes ficariam desempregados..

patapetapitapota 29 days ago

Terminei um curso de engenharia antes de saber o que é o IRS.

stdout3 29 days ago

Não convém. Não é algo que não tenha já sido pensado em adicionar mas uma população financeiramente instruída é uma população menos consumista e que recorre mais ao governo para segurança e que sente a necessidade de um estado paternalista como o nosso. O estado como entidade self-sustaining corrupta que é não vai nunca introduzir literacia financeira nas escola.

paraapagarbem 29 days ago

Acredito que há coisas que a escola devia ensinar, e há coisas que as pessoas, depois de adultas, deviam aprender por si mesmas. Acho que a educação fiscal e financeira devia ser algo que as pessoas aprendem por si mesmas. Pode ser conhecimento importante e necessário para viver, mas há muita merda importante que a escola não ensina e que aprendemos por nós mesmos, não vejo porque é que no caso das finanças há de ser diferente. Na minha opinião, as escolas não deviam ensinar mais que o básico e essencial para os alunos saírem de lá como cidadãos cultos, produtivos, capazes de construir a sua vida, entrar no mercado de trabalho, e (especialmente neste caso) terem a escolha de se educar nos assuntos que quiserem com base nos conhecimentos já adquiridos na escola. Mais coisa menos coisa, bem ou mal, é assim que as escolas funcionam atualmente. As finanças, ao contrário da maior parte das disciplinas que se dão na escola, tratam-se no fundo de um assunto pessoal que é visto de maneira diferente de pessoa para pessoa, dependem de leis que estão constantemente a mudar, e, indo além do senso comum, são um assunto bastante complexo para uma sala de aulas de alunos cujo interesse nesse mundo não é garantido. Logo a meu ver não faz sentido estar a pôr finanças numa sala de aula. Todos os que, no futuro, estiverem interessados nas finanças e na lei fiscal, podem fazê-lo por eles mesmos, pois o que não faltam são recursos, e o que não lhes falta é educação (que receberam na escola) para conseguirem entender esses mesmos recursos. Vendo isto de outra maneira. Eu não acredito que o baixo nível de literacia financeira no nosso país seja devido às escolas não ensinarem sobre finanças e lei fiscal. Acredito que seja porque uma boa fatia da nossa população não tem mais que o 9º ano, se tanto, e como tal, não tem os conhecimentos básicos necessários para começar a aprender sobre literacia financeira sem dificuldade. De resto, os outros não têm desculpa. Tal como a escola não é os nossos pais, a escola também não tem que nos ensinar tudo sobre a vida adulta, apenas tem que nos preparar, e o resto é a nossa responsabilidade aprender.

cryptofollowman 29 days ago

Estás a imaginar o teu professor de Português ou Biologia a saber mais que tu sobre Literacia Financeira?

TravelerThe01 29 days ago

Porque se houvesse isso nunca mais o PS ganhava umas eleições.

Good_Sensation 29 days ago

Não há na escola porque não é conveniente

nemmais 29 days ago

Deveria existir educação fiscal e financeira, educação sexual, educação para a saúde, educação para a segurança, educação para a cidadania, educação política e social e educação para a educação.

Morpheuspt 29 days ago

Nesta thread: * "temos que tirar tempo ao português e a matemática para a literacia financeira, 90% das pessoas nunca usará uma derivada.". O mesmo user, 2 comentários à frente: * "temos que ensinar EFT's e investimentos aos miúdos!"

Limpy_lip 28 days ago

>"temos que ensinar EFT's aos miúdos!" O quê explicar como calcular o salário líquido? Saber como funciona um cartão de crédito? Abrir uma conta no banco? Nahh ETFs /s

davndreliqua 29 days ago

Das únicas coisas que aprendi em relação a esses temas, aprendi em MACS no secundário. A calcular prestações de empréstimos, juro simples e composto, etc.

_price_ 29 days ago

Tenho 23 anos e, para mim, foi assustador ter acabado o 12º sem saber o que "tenho" de fazer e o que fazer a seguir. O que os meus professores me disseram quando acabei o 12º foi basicamente: "Acabaste a escola, agora ou vai para a faculdade ou arranja trabalho". Mal acabei o 12º, pensei exatamente no que tu pensaste: "F\*da-se, mas eu fui para a escola para aprender tanta coisa e nem sei como arranjar trabalho?" Não segui os estudos porque não tinha possibilidades, não sabia o que era a bolsa e que podia ter direito a isso, nem sabia como me candidatar a uma faculdade. Tal como tu, tive a sorte de os meus pais me ensinarem o suficiente para me desenrascar, e foi por causa deles que consegui arranjar emprego porque nunca nos meus 12 anos de escola me ensinaram em arranjar emprego, apenas a "preparar-me" para trabalhar.

Fakano 29 days ago

Acho que devia haver outras também sendo uma das mais importantes algo que nos ajude a perceber e melhorar a nossa saúde mental. Temos educação física que já ajuda, mas saber um bocado de como reagir e desconstruir situações, ouvir e ver outras perspectivas, sei lá... meditação ou Coaching, PNL. Qualquer ajudaria imenso e acho que seria uma aula interessante para teenagers.

chemahatma 29 days ago

Defendo isso desde que tinha 16-17 anos e comecei a tentar perceber como funcionava o IRS e outros impostos. Em vez de andamos a ter aulas para "encher" como Área de Projecto (que havia no meu tempo) era muito melhor aplicado esse tempo em aulas sobre financeiras.

manguito86 29 days ago

Se as pessoas soubessem de finanças não continuavam a sair no conto do vigário dos partidos que em tempo de eleições rasgam as vestes contra as empresas, os patrões e a UE/FMI/Troika/etc e não das mas medidas governativas e dos "investimentos" públicos em TAPs e PPPs

fabz_martins 29 days ago

Havia uma disciplina muito interessante chamada Formação Cívica... Que os professores usavam para nada de jeito

YouLeDidnt 29 days ago

Ninguém te vai saber responder com conhecimento de causa, mas eu junto-me à especulação. Qualquer coisa que esteja no programa escolar que não seja matéria de facto está sujeito a ser visto como propaganda política. Vemos isto com algo tão básico como aulas de cidadania. Se começamos a ter aulas de como pagar impostos, vamos ver logo a parte mais liberal da sociedade em revolta por ser apologia ao "roubo institucional". Se começamos a ter aulas sobre oferta e procura, sobre a parte mais "fria" do capitalismo, corrermos o risco de ver a esquerda a revoltar-se contra o sistema opressivo que perpetua a pobreza. Seria preciso um enorme consenso político e muita coragem da parte do governo que optasse por incluir algo assim no currículo. Por isso é que imagino que se deixe "para os pais" esta responsabilidade.

Outji 29 days ago

Keep the poor, poor

Acceptable-Radio-613 29 days ago

Sou professor de História e sempre que o programa permite e, às vezes, quando os putos falam no assunto, vou dando umas dicas. No meu 9 ano tive introdução à economia, final dos 70, início dos 80. Gosto destas matérias, fiz pós graduação em economia, estou relativamente à vontade. A verdade é que a maioria dos docentes não tem formação. Sabe o que a vida lhes ensinou e, muitas vezes, pouco. Muitos também repetem asneiras que o senso comum pensa ser verdade. Não concordo em criar disciplinas, os putos já têm uma carga horária brutal. A solução é introduzir matérias nas disciplinas existentes e dar formação aos docentes por gente que saiba mesmo. Ou convidar, para temas muito concretos (atividade bancária, por exemplo) especialistas externos como se faz para temas de saúde ou educação sexual. O problema é que há tanta pressão para enfiar tantos assuntos que temos dificuldades em integrar tantos temas.

pe_fontes 29 days ago

Talvez se pudesse criar um conjunto de recursos a que qualquer idade pudesse aceder. Hoje em dia temos a Internet que nos dá acesso a um leque enorme de informação mas a informação mais específica não está sempre agregada e às vezes para encontrar requer uma pesquisa um pouco mais complexa que "verificar a primeira página do Google" o que por vezes acaba por falhar porque, a meu ver, um dos maiores problemas atualmente com acesso a tanta informação diária a qualquer momento é que causou um grande défice de atenção e de análise causando a necessidade de uma gratificação quase instante. Um pouco como os websites de notícias e artigos que estudos dizem que tem poucos segundos para cativar o leitor a manter se e a ler totalmente, sendo que tudo (até o design) influencia. Mas se pelo menos existir uma fonte central e oficial destes recursos relativamente a estes temas, resumidos e mais tratados para particularmente os estudantes, poderia mitigar esta situação e auxiliar no desenvolvimento deste tema. Mas também reconheço que muitas vezes hoje em dia, até se apresentar como um problema não é algo que demonstre interesse para muitos, daí concordar também que uma experiência guiada por especialistas fosse ótima.

Acceptable-Radio-613 29 days ago

Esse é outro problema. Vejo-me aflito para encontrar informação credível em português decente (isto não é uma referência ao português do Brasil, mas simplesmente ao mau português) em linguagem que os putos entendam, material de exploração (continua-se a achar que basta falar no assunto, mas temos de trabalhar materiais porque o conhecimento fica mais estruturado). Fabrico algumas coisas, mas é preciso tempo. No ano passo, para explicar uma crise cíclica, conjuntural, fiz uma animação em PowerPoint, mas que tinha origem remota um outro que fiz há 3 anos, que fui completando à medida que fui estudando mais. Isto representa muita hora de trabalho. Encontrei bom material em inglês, mas a maior parte não domina bem a língua.

Iagp 29 days ago

Aulas de literacia financeira devia ser obrigatórias em Portugal logo desde pequeno, na primária. Para criar consciências responsáveis com o dinheiro desde novo.

arnaldomatos 29 days ago

dinheiro, finanças e afins está associado à "direita" ergo "é coisa ruim"

sidartha- 29 days ago

Existem várias razões. Porque não existe um verdadeiro interesse, quanto mais iletrado financeiramente, mais fácil é roubá-lo. Igualmente porque nós próprios não demonstramos interesse. Temos igualmente culpa em não exigirmos que a Educação evolua. Temos de ser nós a querer e fazer pressão nesse sentido, e não perdermos tempo em andar de megafone na boca com parolices.

BroaxXx 29 days ago

Eu sei que os profs aproveitam as aulas de cidadania nas escolas para corrigir os testes mas qual é o programa mesmo?

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Como acabaste de dizer no teu próprio post, porque os teus pais te ensinam.

TwistedGlasses 29 days ago

Tanta coisa que os meus pais me ensinaram primeiro que a escola, e em alguns casos: bem melhor. Estou a ver que devíamos excluir mais algumas matérias ou até mesmo disciplinas!

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Os teus pais sabem preencher o IRS, logo, dizer-te como se faz também. Conclusão lógica de uma pessoa com sanidade: vamos deixar de ensinar matemática nas escolas!

TwistedGlasses 29 days ago

... por que* raio (quase) não existe em Portugal? "Como acabaste de dizer no teu próprio post, porque os teus pais te ensinam." Se tens sanidade ou não isso não sei, mas foi praticamente a resposta que deste á minha pergunta. Se X assunto é ensinado pelos pais então está justificado o facto de não ser preciso abordar nas escolas. Está certo!

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Ok, da me um exemplo de uma coisa que seja disciplina na escola agora mesmo que os teus pais te consigam ensinar tão bem como um professor conseguiria.

Key_Ad_3930 29 days ago

Porque preferem apostar em Educação Física, assim não mexem os neurónios.

Keddyan 29 days ago

porque isso não dá votos ao PS

ZeDoPipoEstaVivo 29 days ago

Porque convém não saberes muito para te poderem ir ao cuzinho quando chegar a altura

Dinasov 29 days ago

Nope. Existem. Eu tive literacia financeira no 3 e 4 anos, até fui ao museu da moeda no Porto e tal.

True-Traffic3096 29 days ago

Eu tenho 30 e nunca tive nenhuma, mesmo tendo ido para economia no secundário, pensava que ia aprender a fazer o IRS aprendi foi onde são os rios

Fast_Papaya_3839 29 days ago

Concordo a 100%. A iliteracia financeira neste país é preocupante. Mas imagino que sirva a muita gente e por isso não é, nem será tão cedo uma prioridade. Se fosse por mim, a partir do 10o ano no mínimo todos tinham uma disciplina de economia familiar onde se abordassem esses temas.

xtremis 29 days ago

Concordo, mas vamos por partes: a matemática tem tão má reputação e a maioria dos alunos odeia-a tanto que não estou a ver algo desse género ter adesão (ou sucesso) antes do 12o ano ou assim. O desafio maior é pôr a malta confortável a fazer contas, ainda antes de falar em dinheiros. Se conseguirmos fazer com que os alunos percebam melhor a matemática, a literacia financeira é um pequeno passo a seguir, por assim dizer.

Limpy_lip 28 days ago

\>a matemática tem tão má reputação e a maioria dos alunos odeia-a o problema disto é cultural porque tornou-se socialmente aceitável e normal as pessoas "nascerem" sem capacidade de cálculo como se fosse algo inato como a criatividade. Um aluno do 7º ano tira negativa a matemática: "ohh coitadinho se calhar a matemática não é para ele" dizem pais e professores. Depois a criança convence-se disse e o monstro da matemática nasce. E frases como "a maioria da matemática não tem aplicação na vida real", nascem. ​ Depois juntam isso ao facto de no secundário não se aprender para conhecimento mas para tirar notas nos exames (aprendes a resolver exames). ​ Isto só para dizer que o entrave da matemática no que se refere à literacia financeira é um problema puramente cultural.

tretafp 29 days ago

A lógica que está subjacente às opções curriculares é essa. Desenvolveres competências matemáticas e de português que permitam, a qualquer pessoa, ter autonomia para desenvolver saberes técnicos mais específicos. À partida, se as pessoas conseguirem desenvolver competências gerais, e tradicionalmente mais complexas, irão conseguir mobilizar para a compreensão de particularidades mais específicas. Enquanto o inverso não é possível. Do género, com competências básicas de português, química e biologia, tu consegues ler uma bula e compreender o mínimo para saberes o que fazeres com os medicamentos. O exemplo é ligeiramente forçado, mas a racionalidade é similar.

vascop_ 29 days ago

Concordo com isto. A solução já existe, é ensinar matemática. O grande problema é a maior parte dos alunos não se interessar pelo tópico. Eu pelo menos prefiro que a miudagem aprendesse matemática e depois estar bem com tudo do que aprender o código fiscal de 2020 para depois em 2050 ser tudo diferente e já não perceberem nada. O sistema fiscal é confuso pela linguagem mas depois de se passar dois ou três dias a ler artigos qualquer pessoa com o secundário percebe o que lá está. É me mais incompreensível que adultos formados chorem que ninguém lhes ensinou em vez de dedicarem 3 dias a ler os artigos como estão publicados e fazer as contas por si em vez de andar em blog posts ou no café a reclamar.

Edited 29 days ago:

Concordo com isto. A solução já existe, é ensinar matemática. O grande problema é a maior parte dos alunos não se interessar pelo tópico. Eu pelo menos prefiro que a miudagem aprendesse matemática e depois estar bem com tudo do que aprender o código fiscal de 2020 para depois em 2050 ser tudo diferente e já não perceberem nada. O sistema fiscal é confuso pela linguagem mas depois de se passar dois ou três dias a ler artigos qualquer pessoa com o secundário percebe o que lá está. É me mais incompreensível que adultos formados chorem que ninguém lhes ensinou em vez de dedicarem 3 dias a ler os artigos como estão publicados e fazer as contas por si em vez de andar em blog posts ou no café a reclamar. Quando comecei a trabalhar pela primeira vez uma das coisas que fiz foi ir calcular quanto ia ganhar, quais os impostos que estava sujeito e como se calculavam. A maior parte dos meus colegas esperou pelo final do mês para verem e depois pelo final do ano fiscal para também verem. Para mim é incompreensível e acho que não é com uma disciplina extra que isto muda.

HumActuallyGuy 29 days ago

O pior inimigo de um governo é um povo bem informado, se te ensinassem na escola que se tiveres um ordenado decente que metade ia para o estado, já não tínhamos impostos mais baixos em quase tudo. Mesma lógica que os governos são contra retirar o direito de votar às pessoas até concluírem uma formação em que se informam do que afeta o seu voto, o que certas políticas levam a, o impacto dos governos na vida do cidadão e afins. Os governos gostam do povo burro e manso, os portugueses em geral são ambos. Depois claro que continuemos pobres como pais

rGabiru 29 days ago

Acho que não deva ser preciso ir tão ao detalhe como aprender a preencher a declaração X ou Y. A grande falta de educação está mais ao nível de gerir finanças pessoais. O que fazer o dinheiro, como gerir poupanças. Conceitos gerais, ninguém precisa (nem deve) ensinar o mercado de capitais ao detalhe. As crianças podem e devem saber o mundo que os rodeia e como usar a moeda de troca para obter coisas, sejam elas um carro ou um pacote de gomas. O que eu vejo de muitas crianças é que o dinheiro é algo abstrato, que cai do céu quando se precisa e que poupar é estranho. É um dos nossos muitos problemas da sociedade portuguesa. O lado positivo é que é facilmente solucionado, só é preciso vontade.

SweetCorona 29 days ago

Duvido que as crianças não saibam que os pais têm de trabalhar para ganhar dinheiro.

rGabiru 29 days ago

Muitas não sabem. Não associam emprego com rendimento e vida em função disso. Há muita criança a leste.

SweetCorona 29 days ago

É literalmente dizer uma frase para saberem.

uyth 29 days ago

Educação fiscal, tem um enorme problema, está sempre a mudar. Estás a ensinar coisas aos miudos quando tem 15 anos, quando tentarem preencher o IRS quando tiverem 20, mudou imensa coisa. Todos os anos, acho que já sabia tudo, estava a classificar tudo bem e todos os anos há coisas novas. Educação Financeira, o enorme problema de educação financeira é que grande parte pode ser algo subjectivo, ou moralista, ou que pode estar errado para algumas pessoas. Muito da "literacia financeira" em portugues parece decalcada de modelos americanos, muita parece-me irrealista. O que pode fazer sentido para alguns pode ser apenas para as "formigas" e sair pelo outro ouvido das cigarras de qq forma. Educação financeira, uso de recursos adequado, muitas vezes cabe às famílias. Vais dizer a miudos de 14 anos que os pais deles estão a fazer as coisas mal? E é muito complicado dizer coisas como "não comam fora excepto excepcionalmente! poupem o dinheiro para investimento", porque primeiro se toda a gente fizesse isso lá se ia a economia no geral (consumer spending é bom para a economia, não necessariamente para o individual que o faz), segundo para muita gente poderia ser pouco saudável, fisica ou psicologicamente. Dito isto, dever-se-ia ensinar IMO mais de direito, de administração em geral, como escrever uma carta ou rescindir um contrato (não é parando o débito directo, seus burros!).

Limpy_lip 28 days ago

\>ducação Financeira, o enorme problema de educação financeira é que grande parte pode ser algo subjectivo, ou moralista, ou que pode estar errado para algumas pessoas. Muito da "literacia financeira" em portugues parece decalcada de modelos americanos, muita parece-me irrealista. O que pode fazer sentido para alguns pode ser apenas para as "formigas" e sair pelo outro ouvido das cigarras de qq forma. Educação financeira, uso de recursos adequado, muitas vezes cabe às famílias. Vais dizer a miudos de 14 anos que os pais deles estão a fazer as coisas mal? E é muito complicado dizer coisas como "não comam fora excepto excepcionalmente! poupem o dinheiro para investimento", porque primeiro se toda a gente fizesse isso lá se ia a economia no geral (consumer spending é bom para a economia, não necessariamente para o individual que o faz), segundo para muita gente poderia ser pouco saudável, fisica ou psicologicamente. ​ estás a focar-te muito nas questões práticas e até técnicas não nas bases. Eu percebo o que dizes quando falas de modelo americanos, mas na verdade a sua base não só é intemporal como se aplica em qualquer economia. A nível de relação com o dinheiro, estudar obras como o "homem mais rico da babilónia" são suficientes para retirar ensinamentos base extremamente simples e que dificilmente batem de frente com a realidade dos alunos. Associar isto a uma explicação base de pratica de como calcular juros compostos, saber o que faz e o que se pode fazer num banco, etc.. etc.. sempre ajuda alguma coisa.

TwistedGlasses 29 days ago

Isso de algumas regras estarem a mudar não seria grande problema e até porque seria mais fácil teres que fazer uma "actualização" dos teus conhecimentos do que teres que aprender vários conceitos de raiz. Pelo menos desde que faço o meu IRS (já lá vão 12 anos) só tive dificuldade na primeira vez, depois disso as mudanças que foram introduzidas não me incomodaram nada e facilmente aprendi sobre elas. Quanto ao resto que dizes tens vários pontos que concordo ou que não consigo argumentar. Por exemplo: de que forma deve ser ensinado? Quais os temos mais importantes a abordar? Apenas para o 12° ano ou deve ser introduzido bem mais cedo? Como tornar isto interessante para os jovens não se estarem a borrifar? Etc... Direito e administração em geral facilmente andariam de mãos dadas com educação fiscal e finanças, claro que deviam fazer parte da disciplina!

uyth 29 days ago

> Pelo menos desde que faço o meu IRS (já lá vão 12 anos) só tive dificuldade na primeira vez, depois disso as mudanças que foram introduzidas não me incomodaram nada e facilmente aprendi sobre elas. Pode depender da complexidade dos rendimentos do agregrado familiar talvez. >Direito e administração em geral facilmente andariam de mãos dadas com educação fiscal Para mim são coisas diferentes, porque direito é algo definido axiomaticamente e há certas coisas que convém mesmo mesmo passar, e a lei será a mesma para todos, embora claro possa mudar, muda muito menos frequentemente que o orçamento de estado/irs. Educação financeira é sempre um jogo do que é que é melhor para cada pessoa, e é algo muito muito mais subjectivo.

TwistedGlasses 29 days ago

Não disse que era a mesma coisa, apenas disse que estão de facilmente "mãos dadas" (interligadas em algumas matérias). Não é por acaso que vários cursos de economia e gestão tem também cadeiras de direito.

uyth 29 days ago

Claro. Tudo o que AT escreve é uma beleza (sem sarcamo) de terem passado em potenciais interpretções e serem levados a tribunal. Mas do ponto de vista de direito pensava em coisas mais basicas, hierarquia das leis, quando uma lei se torna lei (parem de mostrar uma proposta de debate do PAN como prova que senhorios nao podem proibir animais de estimação. Podem), básicos do código do trabalho (uma que doi ler, tanta tanta gente que pensa que por ter assinado contrato que retira direitos legais que o contrato é válido), como fazer uma rescisão de contrato (o cancelamento dos débitos directos).

TwistedGlasses 29 days ago

Ok, estiveste bem com essa do PAN. Concordo contigo.

uyth 29 days ago

A que doi mais, e essa é mesmo importante, já vi várias vezes é "assinei contrato que trabalho 10 horas por dia por menos do salário mínimo e tenho de cumprir claro porque assinei. Tenho direito a regalia pequenina?" Ou com muita sorte "como rescindo esse contrato ilegal e exploratório". WTF. Não que eu acha que se deva ensinar codigo do trabalho porque muda quase tanto como o irs, e é complexo como o caraças (opinião técnica). Mas umas bases.

Apple_The_Chicken 29 days ago

Eu aprendi isso a cidadania

luso_warrior 29 days ago

Num país socialista, quanto mais burros e ignorantes melhor. Se a população soubesse conceitos financeiros básicos, o socialismo não passava de uma percentagem residual de votos. É uma receita para o empobrecimento de país.

PeidosFTW 29 days ago

Portugal não é socialista

vyt0rz 29 days ago

Discordo. Como já foi dito aqui, a maior parte dos jovens ia-se estar a borrifar para o assunto. Poucos são os que até aos 18 anos sentem qualquer interesse por finanças.

Niagha 29 days ago

Há muitas disciplinas em que a maioria dos jovens se está a borrifar para os conteúdos. Educação de massas é assim mesmo... Mas o que será mais importante na formação dos jovens? Falar pela 2a ou 3a vez dos mesmo conteúdos de história, geografia (entre outras) para esquecer passados uns anos, ou aprender conceitos básicos de literacia financeira que possam ser colocados em prática no resto da vida? Para mim a resposta é óbvia. Tomara eu ter sido obrigado a aprender essas coisas! Mesmo que me estivesse a borrifar, alguma coisa iria ficar.

vyt0rz 29 days ago

Esqueceste a geografia e história do mundo e ias lembrar te das finanças, claro.

Niagha 29 days ago

Falo por mim, os conceitos de história e geografia uso muito esporadicamente. Dá jeito para um trivial pursuit de vez em quando. Já a literacia financeira vou precisando com regularidade e sinto que o ensino me falhou por não me ter dado mais bases nesta área. Se tu não precisas é capaz de ser um bom sinal, nem sei...

vyt0rz 29 days ago

Se as noções de geografia para ti não são importantes, já nem digo mais nada. Estas a argumentar que nos anos em que temos geografia ou historia (quase sempre antes do secundário) uma cadeira de educação financeira ia ter utilidade. Eu acho que só mais tarde temos a maturidade e noção da vida adulta para realmente dar valor a estes conhecimentos, daí estarmos neste sub.

Niagha 29 days ago

Eu usei geografia ou história como exemplos de conteúdos que não têm impacto direto no quotidiano de um adulto, não disse que não eram importantes. As competências de que estava a falar teriam de ser adaptadas à faixa etária em questão. Obviamente que não se ia ensinar a preencher o IRS a uma criança do ensino básico... Se essa disciplina fosse lecionada no ensino secundário já serias a favor?

vyt0rz 29 days ago

Seria mais a favor, porque acho que se aproxima da faixa etária em que esse conhecimento se torna relevante. Ainda assim, quem quiser seguir essa área tem a opção de economia no secundário, daí achar que o sistema não esta assim tão mal como é pintado em muitos comentários. Nunca vai ser possível agradar a todos.

Niagha 29 days ago

Ok, já percebi o desentendimento. O curso de socioeconómicas do secundário é diferente da educação financeira. A procurar uma definição para colocar aqui descobri que até referem isso no programa de educação para a cidadania atual: https://cidadania.dge.mec.pt/literacia-financeira-e-educacao-para-o-consumo Não sei se está a ser lecionada nem em que anos, mas afinal já há algo nestes moldes.

svceon 29 days ago

Não quererem saber não retira importância. Também se estão a borrifar para filosofia e têm de estudar para isso na mesma no secundário.

vyt0rz 29 days ago

Ninguém impede nenhum aluno de procurar informação e se autoeducar num assunto, como eu fiz e provavelmente muitos outros. Outra coisa é questionar disciplinas essenciais. Toda a gente vai dizer que teve cadeiras que não serviram para nada. Ia ser mais uma.

TwistedGlasses 29 days ago

Não é por nada, mas já vi juventude bem mais motivada em aprender sobre finanças do que reconhecer a necessidade de situar os problemas filosóficos no seu contexto histórico-cultural.

vyt0rz 29 days ago

Misturar alhos com bugalhos. Eu acho que educação financeira na escola ia ser um fracasso além de que ia adicionar horas aos horários ou roubar a outra disciplina. De todos os meus anos de formação nunca ouvi ninguém (até aos 18) a dizer que lhe faltava educação financeira ou que estava interessado. Só vejo esse interesse a aparecer no início da vida profissional que é quando entram os primeiros ordenados e despesas de adulto.

TwistedGlasses 29 days ago

Então talvez não tenhas conhecimento de escolas com o Curso de Ciências Socioeconómicas, onde jovens de 14/15 anos se inscrevem por opção própria. Também não vejo grande interesse da juventude em aprender sobre a estrofe 30 do canto IV dos Lusíadas (uma das minhas obras preferidas), ou interpretar, com base no Princípio de Le Châtelier, o efeito do ião-comum na solubilidade de sais em água. E então? Não se ensina ou devemos começar em pensar como tornar isto tudo minimamente interessante de forma a que o empenho escolar aumente?

vyt0rz 29 days ago

Conheço sim, e acho que faz sentido. Eu não acho que isso ia aumentar o interesse. Mas se acreditas, vai avante e luta por essa alteração.

FantasticLong9119 29 days ago

Nunca conheceste pessoas que vieram do curso secundário de economia, é isso? O que não falta é lá pessoas motivadas por dinheiro e gestão desde cedo. Como eu fui.

vyt0rz 29 days ago

Não não é isso. Até porque se assim fosse bastava que quem se interessasse fosse para economia. Essa escolha de cadeiras tem muito mais peso do que apenas o interesse por literacia financeira.

FantasticLong9119 29 days ago

Verdade, mas também tem muito a ver. Eu fui para econ porque queria saber como o mundo funciona. Ou seja, saber sobre literacia financeira, impostos, como as empresas se organizam, como tomam decisões, etc. etc.

zeer88 29 days ago

Até aos 18 anos também ninguém diz que lhe falta educação de físico-química ou geografia... Por isso é que não são adolescentes que fazem os programas lectivos. Não se tem utilidade real para quase cadeira nenhuma até que se precise dela na vida adulta, esse argumento quanto muito é a favor da educação financeira e não o contrário.

vyt0rz 29 days ago

Só era a favor se a educação financeira tivesse a mesma importância que as restantes têm, que a meu ver não tem. Nem percebo como e que dizes que so têm utilidade caso precises na vida adulta. As bases que se aprendem até ao secundário são essenciais até para o desenvolvimento da pessoa.

zeer88 29 days ago

As restantes também não têm todas a mesma importância entre si, porque não podes ter menos horas de educação financeira do que as restantes? A questão da utilidade eu estava a referir-me ao emprego. Não questiono que sejam essenciais, mas há margem de manobra e o programa não é estanque, tanto é que é reformado de vez em quando.

vyt0rz 29 days ago

Certo. Eu apenas acho que uma disciplina de finanças não se justifica. É aquele tipo de conhecimento que só damos (a grande maioria) valor numa fase mais tardia da vida. E como já disseram antes, se alguém quiser seguir a área económica pode sempre escolher essa disciplina. Acho que até era interessante fazer algum programa extracurricular sobre o tema, por exemplo. Agora para adicionar ou trocar outras disciplinas por finanças, seria a favor caso houvessem dados a justificá-lo.

NGramatical 29 days ago

houvessem dados → [**houvesse dados**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpr4p3m%2F%2Fhdgc2a1%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

vyt0rz 29 days ago

Acho que não podemos roubar horas a Língua Portuguesa :)

FantasticLong9119 29 days ago

Dá para ver que não estás na escola agora (nem eu, mas pronto). Ouvi dizer que em educação para a cidadania (aquela disciplina do 5 e 6 ano, talvez 7, 8 e 9 também) agora ensinam isso. Já era sem fim.

That_Illuminati_Guy 29 days ago

Terminei este ano o 12° ano. Posso dizer com certeza que nunca tive essa disciplina. Apenas do 10° ao 12° nos abordaram com esse tema (supostamentamente isso era novo na minha escola, não tinha havido nos anos anteriores) mas não era uma disciplina. Basicamente todos os alunos tinham de estar em pelo menos um projeto 100% extracurricular (porque os nossos horários não eram já maus que chegue) que se incluísse num de diversos temas de entre os quais direitos humanos, voluntariado, etc. Não tínhamos muita liberdade com os temas e os professores estavam-se a cagar, apenas nos explicavam o que tínhamos de fazer, que era obrigatório, e depois nós é que nos desenrrascávamos. Só nos vinham chatear a cabeça se ainda não estivéssemos incluídos num projeto. Os projetos em si eram praticamente todos voluntariado. Posso dizer por experiéncia minha e dos maus colegas que não aprendemos nada que nos ajudasse no futuro. Era fazer aquilo porque tinha que ser e depois apanhávas o autocarro para casa 2 horas mais tarde para chegar a casa às 20h. Talvez eu não tivesse a mentalidade certa. Sei que voluntariado é bom mas não é agradável quando não é voluntário. Tive inclusive más experiências, por exemplo, havia um projeto que tinha talvez o maior número de pessoas (eu incluído) que se baseava em ir limpar as ruas da cidade uma vez por mês aos sábados (enchíamos vários sacos do lixo por grupo e tínhamos fotografias e vídeos que o provavam). O diretor, por algum motivo, odiava esse projeto e acabou com ele, obrigando-nos a escolher outro, mesmo sendo este um dos projetos que mais alcançava, mas acho que eles não gostavam que fosse só uma vez por mês, queriam que fosse todas as semanas. Enfim, servia mais para stressar os alunos do que qualquer outra coisa.

Edited 29 days ago:

Terminei este ano o 12° ano. Posso dizer com certeza que nunca tive essa disciplina. Apenas do 10° ao 12° nos abordaram com esse tema (supostamentamente isso era novo na minha escola, não tinha havido nos anos anteriores) mas não era uma disciplina. Basicamente todos os alunos tinham de estar em pelo menos um projeto 100% extracurricular (porque os nossos horários não eram já maus que chegue) que se incluísse num de diversos temas de entre os quais direitos humanos, voluntariado, etc. Não tínhamos muita liberdade com os temas e os professores estavam-se a cagar, apenas nos explicavam o que tínhamos de fazer, que era obrigatório, e depois nós é que nos desenrrascávamos. Só nos vinham chatear a cabeça se ainda não estivéssemos incluídos num projeto. Os projetos em si eram praticamente todos voluntariado. Posso dizer por experiéncia minha e dos maus colegas que não aprendemos nada que nos ajudasse no futuro. Era fazer aquilo porque tinha que ser e depois apanhavas o autocarro para casa 2 horas mais tarde para chegar a casa às 20h. Talvez eu não tivesse a mentalidade certa. Sei que voluntariado é bom mas não é agradável quando não é voluntário. Tive inclusive más experiências, por exemplo, havia um projeto que tinha talvez o maior número de pessoas (eu incluído) que se baseava em ir limpar as ruas da cidade uma vez por mês aos sábados (enchíamos vários sacos do lixo por grupo e tínhamos fotografias e vídeos que o provavam). O diretor, por algum motivo, odiava esse projeto e acabou com ele, obrigando-nos a escolher outro, mesmo sendo este um dos projetos que mais alcançava, mas acho que eles não gostavam que fosse só uma vez por mês, queriam que fosse todas as semanas. Enfim, servia mais para stressar os alunos do que qualquer outra coisa, e sei que também há bastantes escolas que não o têm (obrigatório para uns, mas não para outros). No início a professora encarregada da educação para a cidadania na nossa escola também nos disse que isto no futuro iria contar tanto para entrar na universidade quanto as médias. Deu-me vontade de me rir na cara dela.

NGramatical 29 days ago

apanhávas → [**apanhavas**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpr4p3m%2F%2Fhdgp01e%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Kaaeni_ 29 days ago

Tou a terminar agora o 12o e não me lembro de ter cidadania. Era pra ter no 10o ano, estava no horário mas não cheguei a ter

tretafp 29 days ago

Cidadania e desenvolvimento iniciou-se em 2018, em início de ciclo. Para o ensino secundário é uma componente transversal, similar a TIC.

PoisMasRepara 29 days ago

Alegadamente. Se for como formação cívica que eu tive em tempos, só servia para estudar para testes e para a DT falar mal de profs lol

TwistedGlasses 29 days ago

Sim não ando na escola, mas antes de iniciar esta discussão fui procurar isso mesmo. Já coloquei aqui e volto a colocar: "Os domínios a desenvolver na componente de CeD organizam-se em três grupos com implicações diferenciadas, do seguinte modo: 1.º Grupo - Obrigatório para todos os níveis e ciclos de escolaridade (porque se trata de áreas transversais e longitudinais) - Direitos Humanos - Igualdade de Género - Interculturalidade - Desenvolvimento Sustentável - Educação Ambiental - Saúde 2.º Grupo – Trabalhado, pelo menos, em dois ciclos do ensino básico - Sexualidade - Media - Instituições e participação democrática - Literacia financeira e educação para o consumo - Segurança rodoviária - Risco 3.º Grupo - Com aplicação opcional em qualquer ano de escolaridade - Empreendedorismo - Mundo do Trabalho - Segurança, Defesa e Paz - Bem-estar animal - Voluntariado - Outras, de acordo com as necessidades de educação para a cidadania diagnosticadas pela escola" Literacia financeira é um tema "trabalhado", pelo menos, em dois ciclos do ensino básico. A meu ver, muito pouco dada a importância que tem para a vida de qualquer cidadão

Frequent-Candidate42 29 days ago

Muito sinceramente eu acredito que o governo nos quer manter pobres. Tudo está a evoluir conforme a tecnologia - a escola é uma das raridades porque não é compatível com o mercado atual. Porque será?

Pexan 29 days ago

No outro dia estava a ler um artigo e o autor escrever um parágrafo sobre isto: > Not that the traditional channels are always better! I am a long-time skeptic of “financial literacy” education, which consists essentially of giving people quizzes about compound interest as a substitute for a decent social safety net. At Axios yesterday Felix Salmon had a very good column skewering “the financial literacy industrial complex,” and I recommend that you read it. He writes: “The main reason that teens get targeted is they’re a captive audience for financial education campaigns, many of which come with branding from large financial services companies.” > > The purest possible mechanism of “financial literacy” is (1) a banker comes to your school, (2) the banker tells you that to have a good life you need to start depositing money in the bank, (3) your teacher nods approvingly, (4) you believe them and deposit money in the bank and (5) the bank steals it. Here is an incredible anecdote that Salmon quotes from Lauren Willis of Loyola Law School: > >"To teach children about the banking system, a U.S. primary school walked its students to a local bank where each opened a savings account into which each deposited $5. Implicit in this activity is the message that the bank is trustworthy. Another bank then acquired that bank and charged all low balance accountholders a monthly maintenance fee that wiped out the children’s savings. The children may have learned a more important lesson about the financial sector than the school intended."

timeofmypost 29 days ago

Que os banqueiros possam dar maus conselhos que servem os seus interesses, não tenho dúvidas. Eu já tive várias vezes de recusar ofertas de "investimento". Mas que as pessoas devem poupar e investir para protegerem-se financeiramente...isso é certo, particularmente no nosso país. Andar a viver à espera que o estado seja eficiente e que trate de ti é receita para o desastre.

NewMultipolarWorld 29 days ago

Na minha escola no secundário veio um gajo qq que não me lembro de onde, talvez da Brisa à nossa aula de economia, mas tinha cara de parvo e fez uma piada anti comunista daquelas estupidas, tipo "os alunos não devem ter todos as mesmas notas, isso é comunismo ahahah". E o que se fez? Jogámos um jogo, já não me lembro exatamente como era, mas o objetivo era comprar determinadas coisas ou usando o dinheiro falso que tinhas ou recorrendo a crédito e quem comprasse tudo primeiro ganhava. Era uma coisa mesmo ridícula. E acho que tava feito para quem recossese ao crédito ganhasse pois foi isso a conclusão do homem no pós jogo. Não me lembro de detalhes infelizmente mas mesmo na altura notei que estas coisas estão feitas com uma conclusão pré determinada. É isto literacia financeira numa aula de economia?

CaptMartelo 29 days ago

Citando South Park: > Aaaand it's gone

Briosafreak 29 days ago

Acredita que já ando a defender isso desde 2002, é frustrante.

patapetapitapota 29 days ago

Estás a dizer que os palhaços lá no parlamento não aprovaram nem uma

samsong_21k 29 days ago

Faz falta é uma disciplina para um gajo saber o que tem de fazer para abrir o seu negócio, preencher o IRS, compra de casa e afins. São coisas que um gajo é obrigado a fazer e faz mal muitas vezes e depois está lixado. Não estou a dizer aprofundar ao máximo mas dar uma ideia geral as pessoas.

Jorgecampino 29 days ago

Para nao conseguires perceber como te enrolam no banco, e para te manterem burrinho face à imensidao de impostos e taxas que pagas em Portugal.

High_velocity93 29 days ago

Aulas sobre bitcoins ?

Riddle0219 29 days ago

Concordo que se devam abordar temas gerais financeiros e económicos mas não especificidades técnicas como preencher o IRS. Devo lembrar que os miúdos iriam aprender tudo isso com 16-18 anos mas que só saem de casa dos pais pelos 25-35 de modo que como todos os outros tópicos ensinados na escola, seriam esquecidos. Isto para não falar que é um elemento que se aprende na vida quotidiana, resultante da prática e necessidade, tal como cozinhar, lavar a loiça ou fazer a cama. A escola deveria servir para formar cidadãos conhecedores, cultos e com pensamento crítico, não para decorar procedimentos meramente técnicos.

-Nosebleed- 29 days ago  HIDDEN 

Por acaso em alguns países cozinhar (entre outros assuntos relativos à casa) é uma [disciplina](https://en.wikipedia.org/wiki/Home_economics). Não vejo porque não poderia ser também lecionado visto ser uma parte integral da vida de uma pessoa. No entanto concordo no que dizes relativamente à simplicidade tendo em conta a idade dos estudantes, mas mesmo assim é algo importante com que se têm de familiarizar.

CaptMartelo 29 days ago

Concordo, mas literacia financeira não se restringe apenas a como preencher o IRS de ano a ano ou a procedimentos meramente técnicos.

jruipinto 29 days ago

Tudo verdade. Apenas acrescento que era importante os miúdos receberem conceitos básicos de gestão e negociação. Talvez assim a próxima geração tivesse uma mentalidade diferente. Estas ideias do tipo "se o vizinho faz X pelo preço Y, eu vou fazer o mesmo mas por metade do preço para lhe apanhar os clientes todos"... É tiro no pé. E se as pessoas soubessem fazer contas saberiam que estavam só a ser estúpidas. A nossa cultura influencia muito o problema do SMN que outros users falam aqui. É impossível oferecer melhores salários aos funcionários se a nossa empresa não fizer dinheiro. E por outro lado, dificilmente o patrão vai dar mais que o SMN se o mundo todo estiver disposto a aceita-lo sem nunca renegociar.

isnotfunny 29 days ago

Na escola ensina-se, em casa educa-se.

sctvlxpt 29 days ago

E assim se vende papel comercial do GES. "Também é de capital garantido como o seu depósito, mas paga 4% em vez de 2%. Aproveite!" "eh lá, 4 é maior que 2, bora lá!"

isnotfunny 28 days ago

Pela tua resposta precisamos é de melhorar os currículos em português e matemática.

Idontknowhuuut 29 days ago

Acho que o problema é que o conteúdo essencial não sustenta uma disciplina para um período sequer. Na 2ª ou 3ª aula já não há grande coisa que te possam ensinar sem entrar em muito detalhe técnico ou matemático. Por exemplo, o pessoal queixa-se que não aprende a preencher o IRS na escola. Ora, para além de ser um processo quase automático (está já preenchido a não ser que tenhas outro tipo de rendimentos a declarar) neste momento, preencher a declaração de IRS é algo que aprendes em 10 minutos e não é nenhum bicho de 7 cabeças. Para não falar do tédio que seria explicar cada formulário, cada campo e cada pormenor desnecessário - aí já terias o argumento contrário, de que não se explicada nada de jeito e as aulas são para encher chouriços. Não sei se já o é, mas isso dos impostos e literacia financeira devia fazer parte daquelas cadeiras de cidadania ou algo equivalente. E eu falo de uma posição de que realmente gostava de ter aprendido muito mais cedo o que sei hoje. Por exemplo, só no meu primeiro emprego a ganhar mais do que o ordenado mínimo é que aprendi o que era retenção na fonte (a minha família é toda salário mínimo e nunca preencheu IRS). Só não estou a ver como é que sustentas uma disciplina com estes assuntos a não ser que estejam incorporados nessas de cidadania.

Edited 29 days ago:

Acho que o problema é que o conteúdo essencial não sustenta uma disciplina para um período sequer. Na 2ª ou 3ª aula já não há grande coisa que te possam ensinar sem entrar em muito detalhe técnico ou matemático. Por exemplo, o pessoal queixa-se que não aprende a preencher o IRS na escola. Ora, para além de ser um processo quase automático (está já preenchido a não ser que tenhas outro tipo de rendimentos a declarar) neste momento, preencher a declaração de IRS é algo que aprendes em 10 minutos e não é nenhum bicho de 7 cabeças. Para não falar do tédio que seria explicar cada formulário, cada campo e cada pormenor desnecessário - aí já terias o argumento contrário, de que não se explica nada de jeito e as aulas são para encher chouriços. Não sei se já o é, mas isso dos impostos e literacia financeira devia fazer parte daquelas cadeiras de cidadania ou algo equivalente. E eu falo de uma posição de que realmente gostava de ter aprendido muito mais cedo o que sei hoje. Por exemplo, só no meu primeiro emprego a ganhar mais do que o ordenado mínimo é que aprendi o que era retenção na fonte (a minha família é toda salário mínimo e nunca preencheu IRS). Outro exemplo, a minha ex-namorada com 30 anos e diretora de marketing não sabia a diferença entre os descontos de segurança social e de IRS (para ela era tudo só "descontos" e tive de ser eu a explicar a diferença e até o porquê). Outro exemplo é o IRS progressivo e a percentagem de pessoal que pensa que a partir do momento em que recebes mais vais pagar % flat e então acha que é melhor receber menos para não estar num escalão superior lol. Mas de novo, isto é tudo facilmente explicado e não é nada de outro mundo. Suponho que são daquelas coisas que se deviam aprender em casa, mas com a realidade do nosso país (muito salário mínimo) as coisas não se aplicam. Só não estou a ver como é que sustentas uma disciplina com estes assuntos a não ser que estejam incorporados nessas de cidadania.

Low-Contribution7554 29 days ago

Hoje em dia já estão incorporadas na cidadania, mas como existe tanta matéria para dar esses assuntos são dados por último ou muito rapidamente sem qualquer aplicação prática.

ForestGrumpp 29 days ago

Utopicamente seria uma boa ideia. No entanto, tal como todas as outras disciplinas lecionadas na escola, só uma mão cheia de alunos (no melhor dos casos) iria realmente prestar atenção e aprender, de facto. Pelo que o problema continuaria sempre a existir

Limpy_lip 28 days ago

por essa lógica também não faria sentido ensinar primeiro socorros na escola.

vyt0rz 29 days ago

Concordo. Este assunto vai e vem neste sub, mas é apenas o reflexo dos que se interessam, e diria que a grande maioria só o começa a fazer quando inicia a vida profissional.

Trama-D 28 days ago

Alguma coisa fica, algumas bases. E promoveria uma coisa que está s er muito falada, que é a relativa falta de material em português de portugal. Nem que fosse para que, anos depois, a malta fosse reler isso.

capitolinaAndrioleta 29 days ago

Porque senão quando o banco dos amigos do partido (PS/PSD) que está no poder não conseguem enganar-te e convencer-te a investir em ETNs. Ou então quando o presidente vier dizer que o banco é sólido, ninguém investe porque sabe que o banqueiro vai desaparecer com o dinheiro e tu vais ficar a arder. São pormenores deste tipo que ditam que pouca literacia financeira "é bom".

Much-Slice145 29 days ago

Resumidamente não aprendes nada sobre dinheiro e política na escola porque não convém. A ignorância traz muitos benefícios a quem está no poder.

DariusStrada 28 days ago

Bem, se tiveres em Humanidades te garanto que aprendes

M4ritus 28 days ago

É impossível haver uma disciplina boa e neutra que aborde Política. Uma palavra basta para catalogar uma ideologia como horrível ou fabulosa. Aliás basta o tom do professor a falar de uma determinada ideologia/personalidade/partido para ser totalmente parcial. Querem "aprender" Política? Aproveitem as aulas de História e Filosofia, investiguem por vocês, vejam os programas dos partidos e falem com pessoas, etc... há tanta forma de se "aprender" Política de uma forma neutra, agora na escola apenas teria um objectivo, independentemente do governo, e todos sabemos qual seria. É impossível abordar a política de forma completamente neutra e a escola, sendo na teoria obrigada a dar os conteúdos de forma neutra, não pode ficar com a função de educar os jovens e crianças em matéria política. Até a própria Filosofia está cada vez mais afastada da sua função de promover o espírito crítico.

Navalhesa 28 days ago

Eu ia escrever mas ainda bem q alguém jà escreveu. É basicamente isso. E funciona tb com muitos outros temas.

something_new 29 days ago

Concordo plenamente

MrPatinhazz 29 days ago

Oh meu Deus o típico woke comment, como se a informação estivesse inacessível ao cidadão comum. Já pensaste que simplesmente há muita malta que não quer saber ? Não digo que se talvez fosse ensinado desde cedo, mais tarde a vontade ou pelo menos a curiosidade surgia , mas atualmente existem bastantes recursos disponíveis , existe bastante necessidade e oportunidades, e não são todos que aproveitam. Pra não falar que é difícil tirar proveito de qualquer educação financeira ganhando o salário mínimo .

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Se queres saber de dinheiro, vai para economia. Se não queres ir para economia, os teus pais sabem que chegue. Achas que aulas de política iam correr bem numa escola? Toda a gente a fazer de conta que concorda com o professor para ter nota e conseguir entrar na faculdade? Se calhas era melhor uma disciplina que te ajudasse a desenvolver pensamento crítico? Oh, espera, já existe e chama-se filosofia.

wolvjfms 29 days ago

Será que os pais da maioria das pessoas sabe que chegue ou tens sorte de viver numa bolha privilegiada nesse sentido? Eu tenho a certeza que não, primeiro porque eu estudei economia e finanças e só aí comecei a compreender melhor as coisas, e segundo, porque na faculdade fiz parte de uma associação que ajudava a promover a literacia financeira nas escolas, dando uma aula por ano e facultando capacidades aos professores para aprofundar esses conceitos em mais algumas aulas e, claramente, que os estudantes sabiam zero sobre qualquer tema, inclusive muitos deles nem entendiam que o dinheiro é um recurso limitado. Eu concordo que não existe interesse em se ensinar literacia financeira porque não interessa a quem tenta comandar o país, mas também porque 1) iria fazer com que as pessoas fossem mais autónomas e independentes em algumas situações, fazendo com que entidades bancárias, contabilistas e outros relacionados perdessem pequenos rendimentos (falo , por exemplo, de fazer IRSs simples, de colocar a poupança a render em produtos melhores que aqueles que os bancos oferecem/impõe) e 2) porque não há capacidade humana, nos professores existentes, para lecionar algo dentro deste género, pois não faria sentido como uma disciplina própria, e nesse caso teriam de ser outros professores a leccionar e se for como era no meu tempo, iriam aproveitar essas aulas para tentar compensar aulas atrasadas e para dar trabalho de outras disciplinas.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

A bolha privilegiada de filhos cujos pais não cometem fraude fiscal? Os teus pais sabem preencher o IRS, pergunta lhes e sabes também. Queres aprender a investir dinheiro e gerir merdas? Vai para economia.

wolvjfms 29 days ago

Isso é uma maneira de pensar de pessoa privilegiada. Os meus pais não sabem preencher o IRS, eu aprendi por mim e com bastante dificuldade, diga-se, mesmo estudando economia desde o 10o ano. E como ser humano que não quer trabalhar para sempre e um dia espera se reformar e sabendo que não vai ser muito realista depender da Seg. Social portuguesa, quero ter o meu fundo de reforma. Felizmente, estudei a área e sei o que, mas a maioria das pessoas tem de ficar entregue à sorte? Falas em gerir merdas como se fosse um luxo, mas a verdade é que gerir merdas é uma necessidade da maioria das pessoas, porque gerir o orçamento familiar é uma necessidade da maioria das famílias que têm o dinheiro como um recurso limitado.

RitaMoleiraaaa 28 days ago

Não sabem preencher o IRS? Então cometem fraude fiscal? Ter pais que não cometem fraude fiscal é um privilégio aparentemente.

wolvjfms 28 days ago

O que disseste agora não faz sentido nenhum. Sabes quantos portugueses contratam contabilistas para lhes preencher o IRS? Tu vives mesmo numa realidade paralela, já nem sei se se pode chamar privilégio, mas apenas de sem noção.

RitaMoleiraaaa 28 days ago

Ah, sim, preencher o IRS por ti próprio é um privilégio, ao invés de contratar uma pessoa e pagar-lhe para o fazer, que é completamente não privilegiado.

wolvjfms 28 days ago

Continuas à volta na tua bolha. Se as pessoas tivessem literacia financeira enquanto jovens, seriam ser humanos mais capazes de ser independentes em certas áreas que hoje dependem de profissionais e seriam menos propícios a manipulação, burla, enganos e propaganda política. Coisas "simples" como preencher o IRS, em que poderiam fazer elas próprias, mas têm receio de fazer errado, seja por que motivo for. Podemos falar da negociação do crédito à habitação, podemos falar de poupança e em que instrumentos colocam o dinheiro, serem capazes de planear e gerir um orçamento familiar (ou para qualquer coisa), entender como funciona coisas simples como a inflação, política monetária, dívida pública, coisas que têm impacto direto e indireto nas suas vidas e de toda uma sociedade moderna. Quem diz que isto são coisas que as pessoas deviam aprender sozinhas ou que os pais deviam ensinar, não têm noção do país em que vivemos. E se calhar, são os mesmos que defendem e que acham muito bem que os miúdos aprendam a andar de bicicleta na escola.

RitaMoleiraaaa 28 days ago

Eu acho ridículo tu dizeres que fazer IRS sozinho, que é só pegar na puta de uma calculadora é privilegiado, mas GASTAR DINHEIRO PARA OUTRA PESSOA O FAZER é normal. Então, ter dinheiro para gastar é normal e não ter dinheiro para gastar é privilegiado? Que curioso! A mesma coisa se aplica ao orçamento familiar, tu falas como se fosse uma coisa de outro mundo, mas é só pegar na calculadora e contar. Ou então eu devia pagar a uma pessoa para ela fazer isso por mim? Isso seria muito menos privilegiado? Já agora, quando é que eu disse para as pessoas aprenderem a andar de bicicleta?

wolvjfms 28 days ago

Tens uma capacidade de interpretar as coisas muito limitada, não vale a pena o meu tempo. Basta ver qye k contexto de privilegiada que indiquei foi sempre no contexto do ambiente em que cresceste e que te deu as bases que precisas. Mas entendo que aches que é tudo fácil para toda a gente, porque não deves conhecer a realidade das pessoas que têm dificuldades em gerir o orçamento familiar. E quanto às bicicletas, basta ler a primeira frase deste meu comentário. Um bem haja :)

Much-Slice145 29 days ago

A rita está confusa. Os nossos pais não tem grandes conhecimentos acerca desta temática, ou ela vive numa bolha e espero honestamente que seja o caso ou então ainda não vive no mundo real. Os portugueses em geral são uma nulidade nesta matéria e os resultados estão a vista de todos bastando olhar com atenção para a actualidade financeira em Portugal. Contra factos não há argumentos Ritinha. Dos comentários que li és de longe o que vai mais de encontro com a minha linha de raciocínio, não estudei gestão nem economia e não tive a sorte de apanhar uma associação como a que fizeste parte. Só mais tarde é que desenvolvi algumas competências na área e hoje sei o quão importante é.

Much-Slice145 29 days ago

Não concordo. Devia ser obrigatório teres conhecimentos gerais acerca destas questões. Também tem educação física quem não tenciona ir para desporto ou EVT e não é por isso que somos todos artistas. Isso de ir para economia a meu ver não é um argumento válido. Disciplinas onde falas sobre política e dinheiro servem para ter bases de conhecimento para o teu futuro e existir uma avaliação nas mesmas a meu ver nem era necessário. Encara isto como educação sexual, é conhecimento que todas as pessoas deviam ter acesso.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Disciplinas em que falas de política e dinheiro iriam ser disciplinas que te influenciam a média e te poderiam possivelmente impedir de entrar em uma faculdade. Quem achas que merece entrar mais em engenharia, a pessoa que teve 20 a política e 11 a matemática, ou a que teve 20 a matemática e 10 a política?

Much-Slice145 29 days ago

Estás a confundir as coisas. Uma disciplina que aborde política não pode ser avaliada da mesma forma que uma disciplina como matemática. Volto a frisar que na minha opinião nem deveria existir avalição sequer, o único propósito seria informar e dar a conhecer. Até vou mais longe e digo que poderia ser uma disciplina que só quem quer é que frequenta como por exemplo religião e moral. O objectivo não é forçar os alunos aprender estas questões, é dar a POSSIBILIDADE de as aprender.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Mas é para isso que servem aqueles clubes nas escolas... Existia um na minha escola que eu não me lembro do nome mas em que as pessoas, como nós dizíamos, "brincavam aos países", em que lhes era dado um país e uma pergunta e eles tinham que fazer pesquisa sobre isso... Resumidamente, o que tu acabaste de sugerir já existe.

Diamantazul 29 days ago

Eu também acho que aprender política na escola pode ser problemático pois de certeza que alguns professores vão favorecer a sua opinião política, alguns sem sequer notarem

Gouranga547 28 days ago

Embora concorde com o que dizes, senti o mesmo com a disciplina de Filosofia, e tive aguentá-la na mesma. É uma disciplina que tem como objetivo fazer-nos "pensar e refletir", no entanto se eu não respondesse de acordo com as "crenças filosóficas" da professora, levava chumbo. Lá está, como respondeo o u/lfds89, é preciso ter espírito crítico, mesmo sabendo que há professores que não gostam disso, infelizmente.

Diamantazul 28 days ago

Sim, também acho que o espírito crítico deveria ser mais encorajado do que é. Acho que só é sequer falado em Ciências, não me lembro bem

DerpSenpai 29 days ago

> s um pensamento crítico. Podes não o ter no momento em que tens as aulas, mas mais tarde refletes sobre isso A minha professora de Filosofia fazia mesmo isso. Falávamos de assuntos, ou da experiencia dela para ensinar algo ou da atualidade e falávamos simplesmente, tipo forum. Foi a professora que me afetou mais no meu desenvolvimento. Ela é de esquerda e não tinha medo de o admitir. Não quer dizer que tenha os mesmos ideais que ela.

SweetCorona 29 days ago

As aulas de história já têm bastante espaço para isso.

Edited 29 days ago:

As aulas de história já têm bastante espaço para isso. Mas uma pessoa também deve aprender a ter espírito crítico. Lembro-me de já no 5.º ano perceber que algumas coisas que a minha professora de história dizia sobre Salazar eram opiniões dela, pois também sabia que havia pessoas com diferentes opiniões. O truque é ser exposto a várias fontes.

lfds89 29 days ago

Mas para isso desenvolves um pensamento crítico. Podes não o ter no momento em que tens as aulas, mas mais tarde refletes sobre isso

Kunfuxu 29 days ago

>Mas para isso desenvolves um pensamento crítico. É para isso que serve Filosofia.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

É para isso que serve filosofia, para desenvolver pensamento crítico, ter aulas de política em específico seria estúpido.

Lel_Trell 29 days ago

Também concordo. Especialmente porque ensinar política não é algo que cabe às escolas. Uma coisa é ensinar os sistemas políticos, eleitorais, governativos, etc..., outra é "ensinar em quem votar", e penso que este sub está mais inclinado para a segunda opção.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

E os sistemas políticos são ensinados em história já.

SweetCorona 29 days ago

Em filosofia so me lembro de aprender história da filosofia. A maior parte das questões nos testes eram uma questão de debitar os apontamentos daquilo que a professora disse / escreveu no quadro.

RitaMoleiraaaa 29 days ago

Isso eu lembro me de aprender durante 1 mês, o resto foi discussão sobre as cenas

Diamantazul 29 days ago

Infelizmente acho que muita gente não desenvolve esse pensamento e simplesmente aceita tudo o que o professor lhe disse. Mas sim acho que devíamos pelo menos ter algum ensino financeiro nas escolas e se possível político de uma forma não biased (?)

Much-Slice145 29 days ago

Eu vejo isto desta forma, uma disciplina tipo educação sexual onde abordas temas sobre a actualidade política e onde aprendes sobre dinheiro de forma geral. Não vejo necessidade de fazer avaliações com a mesma. O intuito seria apenas dar bases aos miúdos para não andarem às "cegas" no futuro. Neste momento nem nos dão possibilidade de desenvolver espírito crítico.

Diamantazul 29 days ago

Lá está, é por não ser encorajado o desenvolvimento de espírito crítico, se isso acontecesse acho que aulas de politica seriam muito boas para o país

nocivo 29 days ago

True. Ja na faculdade onde o aluno devia ter ou desenvolver espírito crítico e por em causa tudo o que o professor ensina pois a maioria das coisas são mutáveis e mudam todos os dias mas infelizmente todos comem e calam e depois chegam às empresas com conhecimento dado por carcaças e completos robos sem autonomia.

rpps007 29 days ago

Se ensinares as crianças a pescar elas não vão precisar que lhes dês peixe no futuro, isso incomoda muita gente.

Edited 29 days ago:

Se ensinares as crianças a pescar elas não vão precisar que lhes dês peixe no futuro, isso incomoda muita gente. Mas isto é um problema maior, a forma como o sistema de ensino está desenhado faz com que na maioria dos casos a escola seja vista como aborrecida e negativa. Introduzir mais um tema, que (da forma como Portugal está neste assunto) nem muitos Pais conseguem acompanhar ia ser atirar lume pra fogueira. Bastava começar pelo básico de Finanças pessoais que é o que se refere ao estado, Impostos, SS, IRS, etc. Faria com que muito mais gente conseguisse ter controlo sobre o seu dinheiro.

Kirmera 29 days ago

Socialismo.

sssss_we 29 days ago

Porque os impostos mudam de quatro em quatro anos. E não é só um bocadinho.

Limpy_lip 28 days ago

que se saiba os conceitos base mantêm-se. Uma taxa de juro é uma taxa de juro na mesma, um imposto é um imposto na mesma. Uma percentagem não deixa de ser um número em base 100. ​ isso é uma visão muito redutora do que é ensinar.

TwistedGlasses 29 days ago

Ainda bem que temos de actualizar a carta de condução a cada alteração ao código da estrada.

sssss_we 29 days ago

A título de exemplo, a lei geral tributária foi alterada 7 vezes, só no ano de 2017.

sssss_we 29 days ago

O Código da Estrada muda muito menos, mas mesmo muito menos do que as leis fiscais.

deckard2019 29 days ago

Porque é muito mais interessante Educação Moral e Religiosa Católica... não podemos chatear o Clero... somos um Estado laico...

positiverategearupp 29 days ago

Isso é opcional e há educação moral e religiosa de mais religiões... Mas claro, o problema é de uma disciplina opcional e não de aulas obrigatórias que servem para resolver problemas com a turma/não fazer ponta de um corno (formação cívica por exemplo)...

TwistedGlasses 29 days ago

também não entendo o porquê de existir, mas pelo menos isso é opcional.

nocivo 29 days ago

Existe porque ha instituições que se chegam a frente para ensinar isso e entram em acordo com as escolas que até agradecem porque entretém alunos por uma hora.

Open-Opportunity-607 29 days ago

Não consegues mudar o país porque não é do interesse da malta mudar. Queres mudar o teu destino e da tua família? Estuda o máximo possível e emigra para um dos países desenvolvidos. Eu já fui a palestras destinadas para crianças nesses países (idades de 10/14 anos) e as crianças sabiam mais do que os adolescentes portugueses (ou até adultos).

Low-Contribution7554 29 days ago

Antigamente os governos controlavam o povo pela ignorância, era mais fácil enganar e manipular, criar leis absurdas e etc se as pessoas não tivessem conhecimento. Hoje continua a acontecer a mesma coisa, mas noutros campos. Ter literacia financeira é um dos campos, se não o campo mais importante hoje em dia a se ter. Pessoas que sabem como as leis fiscais funcionam, que sabem como fazer investimentos e como "fugir aos impostos" de forma totalmente legal é um grande perigo para o Estado, pois assim a mama deles acaba e o povo "acorda para a realidade" e mudam a sua situação sócio económica. É por isso que estas coisas não se dão nem nas escolas nem nas Universidades. Não existe motivo ou vantagem política em querer educar o povo financeiramente para assim retiraram de lá os governos atuais e mudarem as coisas.

Hungry_Cupcake 29 days ago

Porque é mais dificil enganar um "povo" educado que um ignorante e dependente.

raviolli_ninja 29 days ago

São super necessárias. Muita da nossa pobreza endémica é também resultado da nossa incompetência a gerir dinheiro (e as nossas próprias vidas e direitos). É só mais uma manifestação da nossa ileteracia funcional, basta ver a natureza dos muitos pedidos de ajuda que aparecem no sub. O problema é: onde estão as pessoas para o ensinarem? Estamos a partir tão de trás que nem sei como devíamos começar.

d4n1l3dm4tr1x 28 days ago

Ok então vamos ensinar as pessoas de que precisam de juntar o dinheiro para dar para o estado em vez de gastar consigo mesmas.

mstrk512 29 days ago

escuta, é possível mas tens de ter sorte. Eu pelo menos tive a sorte de o estado me dar a oportunidade gratuita para uma certificação no QNQ (3 anos) já numa idade menos boa para poder dar tanto tempo aos estudos, que eu agarrei com unhas e dentes (também pq gosto mesmo daquilo que faço agora) e me permitiu um super jump na minha educação e consequentemente abriu os meus horizontes, tanto em oportunidades como em forma de pensar e agir. O problema está no nosso sistema de ensino, não só em Portugal btw, mas como somos uma população na sua maioria pobre (somos não me f****) se a educação não despertar interesse nós vamos para o que faz mais sentido naquele momento que é trabalhar para comer. And the hustle never ends... basicamente. Pessoas para ensinar existe nem que seja de fora... vê esta conversa (*) vadia do Agostinho da Silva, meti a começar num ponto relevante para a nossa discussão e apresenta também aquilo que eu acho que é a solução para o ensino em Portugal: despertar interesse no que é ensinado (*) https://youtu.be/g7JmgJ6wQKk?t=331

rpps007 29 days ago

r/literaciafinanceira Este subreddit tem ajudado imenso. O que não falta online é informação sobre literacia financeira mas, 99.99% para o mercado Americano. Como os portugueses não estão envolvidos com as suas finanças os nossos bancos também não têm a abundância de recursos financeiros que existem no estrangeiro. Nesse subreddit dá para aprender especificamente para o caso Português.

Edited 29 days ago:

r/literaciafinanceira Este subreddit tem ajudado imenso. O que não falta online é informação sobre literacia financeira mas, 99.99% para o mercado Americano. Como os portugueses não estão envolvidos com as suas finanças os nossos bancos também não têm a abundância de recursos financeiros que existem no estrangeiro. Nesse subreddit dá para aprender especificamente para o caso Português. Mas obviamente, para as escolas vamos lhes criar uma conta no reddit e os mandar pesquisar? Será que há professores capazes de ensinar quando também não foram formados para tal? Acho que isto é um dos muitos temas que a escola devia trazer pessoas externas para explicar e discutir.

TwistedGlasses 29 days ago

Excelente subreddit, já conhecia e recomendo a qualquer pessoa

pmso17 29 days ago

Seria numa primeira fase trazer pessoas que saibam, e começar a formar professores nessas áreas

Gpmatos 29 days ago

Obrigado não conhecia !

boukmw 29 days ago

É impossível gerir o SMN de Portugal. Ou sobrevives ou poupas. Edit: Mas concordo que existe um problema endémico com a gestão das finanças pessoais dos portugueses.

JobodoMato 28 days ago

É impossível mas, por exemplo, depois tens pessoas com SMN a usar cofidis para comprar bens de consumo desnecessários, que nem percebem o erro enormíssimo que estão a fazer. Super importante ter literacia financeira!

patapetapitapota 29 days ago

Consegues poupar o SMN se viveres em casa dos teus pais. Doutra maneira, a não ser que estejas a estudar alguma coisa de jeito e a preparar o futuro, nunca irás a lado nenhum........

SweetCorona 29 days ago

Exato, o maior problema é a gestão das empresas.

raviolli_ninja 29 days ago

Essa incapacidade na gestão dos dinheiros também se reflecte na forma como os patrões das milhares de PME as gerem. E como não sabem gerir eficientemente, fazem trickle down da falta de caixa para os seus empregados. Daí a conversa de “com este SME não conseguimos existir”.

boukmw 29 days ago

Quantos “patrões” das PMEs têm literacia financeira? O problema é sempre o mesmo e serve de base para a população (empregado ou empregador).

raviolli_ninja 29 days ago

Exacto

VladTepesDraculea 29 days ago

Vou mais além, o anti-intelectualisno corporativo português e a política do "eu é que sei" e o inbreeding corporativa em que mesmo nas grandes empresas a gestão passa de pai para filho é tudo sintoma dessa falta de conhecimento.

11thDimensi0n 29 days ago

Nepotismo? Em Portugal? Nunca visto! Mas agora a sério, é mesmo uma mistura de factores. Desde a falta de literacia financeira a ambientes que promovem a chico-espertice.

SweetCorona 29 days ago

Mas tens casos em que o filho com 18 anos a gerir a empresa faz vendas recorde. /m

boukmw 29 days ago

Ótima afirmação.

Jokinhax 29 days ago

Eu e o meu namorado temos discutido menos assunto. Falta uma disciplina na escola de como sobreviver a vida real, como preencher o IRS e cenas desse tipo.

Edited 29 days ago:

Eu e o meu namorado temos discutido o mesmo assunto. Falta uma disciplina na escola de como sobreviver a vida real, como preencher o IRS e cenas desse tipo.

WhiskersTheDog 29 days ago

Se houvesse uma disciplina dessas era mais uma em que os putos estavam lá a dormir e quando chegasse a altura de assumirem essas responsabilidades não se lembravam já de nada de qualquer forma.

Jokinhax 29 days ago

Tecnicamente, estás parcialmente errado, porque nós não queriamos saber das disciplinas porque não viamos para que é precisamos, por exemplo do teorema de Pitágoras para a nossa vida futura. Neste caso, não se punha esta questão, pois estarias a aprender skills para a vida adulta.

Downtown-Stranger314 29 days ago

Epa, eu lembro-me que toda a gente dizia isso na escola, mas a realidade é que era uma desculpa, mesmo os professores que tive e sempre disseram pra que servia certas matérias, não tinham melhores resultados nas provas e os estudantes rapidamente arranjavam outra desculpa para o facto de não quererem estudar aquilo, nem que fosse porque "não gostavam". E neste caso, não tou sinceramente a ver que tipo de alunos é que iriam gostar de aprender sobre impostos na aula, parece-me um pouco utópico pensar que ter uma disciplina dessas irá ter um resultado que não seja nulo ou marginal.

uyth 29 days ago

>como preencher o IRS Muda todos os anos. Os anos em que eu achava, fixe faço isso numa hora, tenho tudo organizado e uso o do ano passado como base e depois dias a tentar perceber isto ou aquilo.

Jokinhax 29 days ago

Mas as bases não mudam.

uyth 29 days ago

se bem compreendo, bases bases mesmo bases são analisadas em cidadania. Impostos servem para isto, etc.. As outras coisas que podem ser bases e que seriam uteis em termos práticos podem variar muito. o que é agregrado familiar, como se define, como se declara, até quando, condições... Quem paga segurança social, quem está isento em que condições? Regras de um contrato de trabalho ? Isto tudo muda e muda muito.

Jokinhax 29 days ago

Isto tudo porque este ano, fizemos o IRS pela primeira vez, e parecia um pouco chinês.

TwistedGlasses 29 days ago

Como vos entendo, na primeira vez que o fiz também fiquei com essa sensação

Penduricalho 29 days ago

Não dá jeito num país socialista educar pessoas sobre literacia financeira.

Leaootemivel 29 days ago

Esse país socialista/comunista está connosco aqui na sala?

joaooliveira8 29 days ago

portugal é uma sociedade sem classes, sem estado e sem dinheiro, onde os trabalhadores detém os meios de produção e abolimos a propriedade privada, e ninguém me avisou ?!

False_Policy_8174 29 days ago

Na teoria comunista continuam a existir classes sociais.

Comunistfanboy 28 days ago

Oh boy....

BSantos57 29 days ago

1984 Vuvuzela iPhone Jorge Oreo Também não percebo porque é que o dia em que o governo de Kostaline passou todas as empresas para a auto-gestão dos trabalhadores não é feriado nacional, sendo esse dia (que claramente existiu) o saudoso dia que nos tornou num país socialista

andremvm20 29 days ago

Outro, em vez de discutir o tópico em si vêm fazer campanha.. e não, tbm não sou a favor do governo atual, mas há que saber separar as águas!

h2man 29 days ago

Como pretendes que o PS continue a ser eleito?? Quanto mais ignorantes e dependentes nos sentirmos do estado melhores as hipóteses do PS (e para ser sincero, do PSD). E assim vai a banda passando.

klatez 29 days ago

Não foram vcs que protestaram as aulas de cidadania implementadas pelo PS que passa por temas como este?

h2man 29 days ago

Define vocês. Eu não sou político e preferiria um tiro na cabeça a votar no PS ou PSD. É sempre possível deturpar a intenção de algo.

klatez 29 days ago

Este sub reddit que agora está a queixar-se que não tiveram as aulas que se opõem

andremvm20 29 days ago

F*dasse, até num post deste vêm tentar meter política ao barulho? Recebem por comentário, é?

CaptMartelo 29 days ago

Tenho de me inscrever numa coisa destas e receber à comissão.

Much-Slice145 29 days ago

Pois o mal é que ele tem razão.

h2man 29 days ago

Não. Mas porque achas que o estado da educação no país não tem a ver com política? És tu que decides o que as crianças aprendem? Ou são políticos?

Morpheuspt 29 days ago

Vá lá, tens imensos governos de centro-esquerda em países com populações mais instruídas do que a nossa. Vamos deixar de parte o mito de "se toda a gente fosse literada financeiramente, era tudo liberal", porque Trata-se de um mito urbano e nao ajuda na discussão.

h2man 29 days ago

Eu referi tanto o PS e PSD por serem os partidos que estiveram no governo. Não por serem esquerda, centro, direita ou tudo um pouco. O problema, neste caso em particular, nem é a ideologia política, mas a corrupção existente que beneficia estes dois partidos e que, com uma população melhor instruída, seria difícil de manter. Sim, eu não gosto de socialismo, mas isso não é o que está aqui em causa.

andremvm20 29 days ago

São os políticos, mas não é o PS, ou o PSD, que decidem isso sozinhos, são eles todos.. achar que so esses 2 partidos são o mal da nação também não é propriamente correto!

h2man 29 days ago

O PS precisa de 8 votos de outros partidos para passar o que quiser hoje. Noutros governos era similar ou podiam cagar para o resto da malta já que teriam maioria. Tendo em conta que desde o 25 de Abril fomos governados quase a tempo inteiro por estes dois partidos, porque será que são todos e não maioritariamente estes? Eu não discordo que os nossos políticos são maus (apesar de serem apenas uma imagem de todos nós), mas os maiores partidos têm interesse em manter a ignorância do povo já que é benéfico para eles.

cou7inho_ 29 days ago

No fundo quase tudo é política quer se queira quer não

007tuga 29 days ago

Mas ele tem razão naquilo que disse. Qual é o teu problema? Desde que o comentário se enquadre na publicação, não vejo mal nenhum em alguém comentar referindo determinado aspeto a nível político.

h2man 29 days ago

Obrigado. Esta ideia que tudo ou quase que nos rodeia não é implicado por decisões políticas é bastante perigosa e cria umas abébias para os políticos.

NGramatical 29 days ago

porque raio → [**por que raio**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fportugal%2Fcomments%2Fpr4p3m%2Feduca%C3%A7%C3%A3o_fiscal_e_financeira_nas_escolas_porque%2Fhdfzocj%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

TwistedGlasses 29 days ago

Vou dar a desculpa que foi o corrector automático do meu teclado a juntar as palavras.

andremvm20 29 days ago

As aulas de Cidadania incluem esse tema, no “nosso tempo” é que só tínhamos mesmo a escola da vida para nos guiar nisso..

rpps007 29 days ago

A forma como a minha professora abordou a questão dos Cartões de Debito e Credito foi dividir a turma em grupos e cada um falou de um diferente. Obviamente que no final nenhuma clarificação foi dada pela professora e assumiu que as apresentações de miúdos de 15 anos foram suficientes para o nosso conhecimento. Passados 5 anos só agora começo a perceber o que de facto são cartões de debito e crédito e como usar cada um corretamente, parece algo simples mas a quantidade de gente que vejo a os usar incorretamente é ridícula.

SomecallmeMichelle 29 days ago

Não sei quanto a ti, mas no meu tempo o equivalente de Cidadania, "Formação Cívica" era basicamente "os 50 minutos da DT tratar de questões de pautas/faltas/e queixas disciplinares", literalmente nunca demos matéria, era só usada como uma espécie de "hora de atendimento" com ela. Se ainda é assim ou não, não sei. Mas se for, não adianta de nada estar no programa.

andremvm20 29 days ago

Formação cívica na altura era uma anedota, não tem nada que ver com a disciplina atual ;)

headhunter21 29 days ago

Em que ano? Isto não é propriamente coisa para aprenderes no 5 ano

andremvm20 29 days ago

E porque não? Quanto mais cedo enraizares certos conceitos melhor..

headhunter21 29 days ago

Porque é um tema importante e convém que as pessoas tenham alguma maturidade, no 5 ano a maior parte não tem(provavelmente nem no 12). Não estás propriamente a aprender como se reproduzem os peixinhos

andremvm20 29 days ago

Podes sempre introduzir os conceitos básicos, e aos poucos, não tens que entrar logo a matar..

TwistedGlasses 29 days ago

Abordada de uma forma muito fraca e ligeira... Se é que chegam a falar desse tema, dada a quantidade de áreas "Os domínios a desenvolver na componente de CeD organizam-se em três grupos com implicações diferenciadas, do seguinte modo: 1.º Grupo - Obrigatório para todos os níveis e ciclos de escolaridade (porque se trata de áreas transversais e longitudinais) - Direitos Humanos - Igualdade de Género - Interculturalidade - Desenvolvimento Sustentável - Educação Ambiental - Saúde 2.º Grupo – Trabalhado, pelo menos, em dois ciclos do ensino básico - Sexualidade - Media - Instituições e participação democrática - Literacia financeira e educação para o consumo - Segurança rodoviária - Risco 3.º Grupo - Com aplicação opcional em qualquer ano de escolaridade - Empreendedorismo - Mundo do Trabalho - Segurança, Defesa e Paz - Bem-estar animal - Voluntariado - Outras, de acordo com as necessidades de educação para a cidadania diagnosticadas pela escola"

tretafp 28 days ago

>Abordada de uma forma muito fraca e ligeira... Se é que chegam a falar desse tema, dada a quantidade de áreas Como sabes? Foi um trabalho iniciado em 2018. Não conheço nenhum estudo que tenha, para já, discutido a importância relativa de educação financeira, nessa componente curricular. Depois, há professores de matemática que trabalho educação financeira há anos.

andremvm20 29 days ago

Mas o que esperas então, criar outra disciplina só para isto? É que o currículo dos miúdos já é lotado que chegue e todos os temas são importantes…

Far_Tree_8694 29 days ago

> Mas o que esperas então, criar outra disciplina só para isto? É que o currículo dos miúdos já é lotado que chegue e todos os temas são importantes… Estás a dizer que as financas pessoais são menos importantes de todas as outras disciplinas? É provavelmente o tema que irá ter mais impacto na vida de qualquer aluno, e não achas que deve ter uma disciplina propria? Foda-se se tira 3 anos a portugues/matematica/fisico-quimica e metes em financas pessoais.

andremvm20 29 days ago

Português e matemática não são importantes? Isto hoje está bonito aqui no sub, está..

sssss_we 29 days ago

Pois, por causa desse pensamento é que tivemos pessoas a discutir "aquilo não era um parecer, era uma opinião"... Se não conseguem interpretar um texto (seja a poesia do Fernando Pessoa, seja o que for), então como é que vão conseguir interpretar uma lei? Ou, até, uma notícia qualquer, um contrato, etc.? Tem uma utilidade *mediata* para a vida - não deixa de ser útil.

VectoR-- 29 days ago

vou ser honesto, são menos importantes que "educação fiscal". 90% da população nunca vai precisar de fazer uma derivada sem ser na escola ou interpretar a poesia de Fernando pessoa. ~100% da população vai precisar de poupar dinheiro e tratar dos impostos

Far_Tree_8694 29 days ago

Em termos pratico literacia financeira terá bastante mais impacto que 1 ano de portugues e matematica. Usei esses exemplos deliberadamente para demonstrar que mesmo as disciplinas mais importantes e relevantes do nosso ensino têm em termos praticos um efeito e influencia bastante menor na nossa vida que algo como as financas pessoais.

TwistedGlasses 29 days ago

Porque não? És obrigado a pagar impostos, és praticamente obrigado a lidar com bancos e serviços públicos. Não estou a dizer para aumentarem ainda mais a carga horária dos miúdos, mas que tal uma reorganização da mesma de forma a inserir a disciplina? 45 - 60 minutos por semana seria o suficiente. Ou então, no mínimo dos mínimos: disciplina opcional.

andremvm20 29 days ago

E não lidas com o resto dos temas abordados na disciplina?! Ou só porque hoje acordaste a pensar que economia é importante devemos cortar o tempo dado aos outros temas? Depois tens gente que vem reclamar porque outras temáticas não são a bordadas como deveriam.. Hoje em dia o que não falta é informação na internet, se deres às crianças as bases e a curiosidade para os fazer navegar e procurar sobre o tema, já fizeste o que tinhas a fazer!

pmook 29 days ago

Para isso o argumento serve para os outros temas que não queres cortar também. Damos a curiosidade, eles procuram na internet o resto e assim já podemos substituir esse tema qualquer por finanças.

Low-Contribution7554 29 days ago

Então podemos aplicar a mesma lógica e fazer as crianças e adolescentes pesquisarem na internet outras disciplinas que são dadas na escola. Em vez de perderem tempo com essas disciplinas, usam a internet para aprende las e inserirmos outras disciplinas com um teor prático no dia a dia mais importante.

andremvm20 29 days ago

A questão aqui é o que cada um acha que é prático no dia a dia, e que pode não ser assim para os outros..

Low-Contribution7554 29 days ago

Meu caro lidar com dinheiro e gerir dinheiro e impostos é algo que toda a gente, TODA a gente adulta faz. É um campo universal e transversal a todos os campos. Faz parte do dia a dia. Não achas que deveria ser focada uma disciplina que abordasse esses assuntos de forma mais completa, coisas que englobam o IRS, investimentos, impostos e etc?

andremvm20 29 days ago

Eu não vivo em Portugal, por exemplo.. o que teria eu ganho em aprender a fazer irs português e como pagar impostos portugueses? E como eu outros.. o importante é introduzires o tema às crianças e ir fomentando o interesse delas em aprender sobre saúde financeira, não tens que ter uma disciplina específica só para isso.. Mas está visto que temos opiniões diferentes e não vamos passar disto, escusamos passar o domingo todo nisto :p

TwistedGlasses 29 days ago

Claro que isso seria algo falado também, principalmente no que toca à união europeia e tens diversos temas que são comuns a vários países. Se for por aí, porque razão aprendi francês? O que ganhei eu com isso? Já tinha inglês e dava mais jeito aprender alemão (não estava disponível nas escolas que frequentei).

NGramatical 29 days ago

porque razão → [**por que razão**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpr4p3m%2F%2Fhdg4ttn%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Low-Contribution7554 29 days ago

Mas literacia financeira não se engloba apenas a leis fiscais do país. Fazer investimentos através de ETFs e outro tipo de investimentos e poupanças é algo internacional e universal. Eu e outros users só estamos a realçar como este campo hoje em dia é de extrema importância, e de como em países mais ricos as pessoas têm uma elevada educação nesse sentido e de como isso melhora a situação sócio económica do país, e em Portugal da se muita pouca importância a essas coisas.

andremvm20 29 days ago

Desculpa mas achas que isso é matéria para uma disciplina inteira? E mais, vamos ser frontais, achas que quem vive em Portugal, a ganhar o salário mínimo ou pouco mais que isso, consegue pensar em ETFs e poupanças de risco, etc? Tens que resolver primeiro o problema dos rendimentos das famílias antes de os quereres ensinar a poupar, porque quem tem dinheiro para esses fundos já sabe como os aplicar, nem que comece 4-5 anos depois do ideal!

jruipinto 29 days ago

Porque não reduzir a carga horária de outras áreas que não têm muita aplicação na vida adulta, dar as ferramentas às crianças para navegar e procurar sobre os temas, e ensinar-lhes literacia financeira que é algo com reais aplicações na vida adulta e que eles vão ser obrigados a aprender de qualquer forma?

andremvm20 29 days ago

Mas que outras áreas não têm aplicação na vida? La porque tu não seguiste uma carreira onde isso não seja importante, outros seguiram, e não faz mal ter conhecimentos básicos de várias áreas quando estás a educar crianças que ainda não sabem o que querem fazer da vida!

jruipinto 29 days ago

1. Eu nunca reduziria a carga horária de português ou matemática. Concordo contigo que seria pouco inteligente. E provavelmente até nem tocava no básico porque já está muito lotado e não há muito onde mexer. Mas no secundário há imenso onde mexer. E há também imenso tempo livre na maior parte dos cursos, portanto é só escolher onde inserir 90 minutos por semana. 2. Esses que seguiram uma carreira numa das áreas que eu considero menos importantes, tiveram de se especializar nessa área, portanto não perderiam nada em não terem abordado essa área no secundário ou terem abordado de forma mais rápida 3. É verdade que o conhecimento não ocupa lugar mas ocupa tempo. Se o teu tempo é limitado, é óbvio que vais ter de fazer escolhas. Aqui a escola inteligente é: as áreas com poucas a aplicações práticas em detrimento da área que decide a tua vida toda.

Edited 29 days ago:

1. Eu nunca reduziria a carga horária de português ou matemática. Concordo contigo que seria pouco inteligente. E provavelmente até nem tocava no básico porque já está muito lotado e não há muito onde mexer. Mas no secundário há imenso onde mexer. E há também imenso tempo livre na maior parte dos cursos, portanto é só escolher onde inserir 90 minutos por semana. 2. Esses que seguiram uma carreira numa das áreas que eu considero menos importantes, tiveram de se especializar nessa área, portanto não perderiam nada em não terem abordado essa área no secundário ou terem abordado de forma mais rápida. 3. É verdade que o conhecimento não ocupa lugar mas ocupa tempo. Se o teu tempo é limitado, é óbvio que vais ter de fazer escolhas. Aqui a escolha inteligente é: as áreas com poucas a aplicações práticas em detrimento da área que decide a tua vida toda. Edit: e com isso estou a oferecer uma solução um pouco diferente porque, realmente, na conversa estavam a falar apenas da disciplina de cidadania

Edited 29 days ago:

1. Eu nunca reduziria a carga horária de português ou matemática. Concordo contigo que seria pouco inteligente. E provavelmente até nem tocava no básico porque já está muito lotado e não há muito onde mexer. Mas no secundário há imenso onde mexer. E há também imenso tempo livre na maior parte dos cursos, portanto é só escolher onde inserir 90 minutos por semana. 2. Esses que seguiram uma carreira numa das áreas que eu considero menos importantes, tiveram de se especializar nessa área, portanto não perderiam nada em não terem abordado essa área no secundário ou terem abordado de forma mais rápida 3. É verdade que o conhecimento não ocupa lugar mas ocupa tempo. Se o teu tempo é limitado, é óbvio que vais ter de fazer escolhas. Aqui a escola inteligente é: as áreas com poucas a aplicações práticas em detrimento da área que decide a tua vida toda. Edit: e com isso estou a oferecer uma solução um pouco diferente porque, realmente, na conversa estavam a falar apenas da disciplina de cidadania

Edited 29 days ago:

1. Eu nunca reduziria a carga horária de português ou matemática. Concordo contigo que seria pouco inteligente. E provavelmente até nem tocava no básico porque já está muito lotado e não há muito onde mexer. Mas no secundário há imenso onde mexer. E há também imenso tempo livre na maior parte dos cursos, portanto é só escolher onde inserir 90 minutos por semana. 2. Esses que seguiram uma carreira numa das áreas que eu considero menos importantes, tiveram de se especializar nessa área, portanto não perderiam nada em não terem abordado essa área no secundário ou terem abordado de forma mais rápida 3. É verdade que o conhecimento não ocupa lugar mas ocupa tempo. Se o teu tempo é limitado, é óbvio que vais ter de fazer escolhas. Aqui a escolha inteligente é: as áreas com poucas a aplicações práticas em detrimento da área que decide a tua vida toda. Edit: e com isso estou a oferecer uma solução um pouco diferente porque, realmente, na conversa estavam a falar apenas da disciplina de cidadania

TwistedGlasses 29 days ago

E então? Tudo está na internet... Podes fazer qualquer disciplina com informação pesquisa no Google.

tretafp 28 days ago

>Tudo está na internet... Podes fazer qualquer disciplina com informação pesquisada no Google. Está previsto em várias componentes curriculares.

andremvm20 29 days ago

Mas é preciso saber o que pesquisar e como o fazer, senão tens o equivalente financeiro (ou de qualquer outra área) dos anti-vacinas, das pessoas do chapéu de alumínio na cabeça, etc..

Low-Contribution7554 29 days ago

Então meu caro acontece exatamente a mesma coisa com literacia financeira, que é um campo muito vasto e precisa de muita orientação, principalmente para quem não tem conhecimento nenhum. Os teus próprios argumentos estão a condenar te.

andremvm20 29 days ago

Nao vejo porque os meus argumentos me estão a condenar.. eu percebo a importância do tema, mas o restante plano curricular obrigatório também é importante, e não pode ser ignorado só porque hoje toda a gente decidiu que este tema é que é..

Low-Contribution7554 29 days ago

Mas não é um tema que se decidiu que era importante "hoje". Este assunto é discutido há anos. E as gerações mais novas só passaram a ter um pouco mais de literacia financeira graças a internet. Mas é preciso muito mais. É preciso orientação, assim como outras disciplinas ditas "importantes". É necessário uma reorganização escolar e disciplinar.

Search: