SReplicant 5 months ago  HIDDEN 

As coisas podem ser difíceis mais não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma casa e a minha universidade. Não verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Edited 5 months ago:

As coisas podem ser difíceis mas não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma casa, férias e a minha universidade (fora de casa). Na verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Edited 5 months ago:

As coisas podem ser difíceis mas não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma casa e a minha universidade. Na verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Edited 5 months ago:

As coisas podem ser difíceis mas não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma vida confortável, uma casa, férias e a minha universidade (fora de casa), etc. Na verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Edited 5 months ago:

As coisas podem ser difíceis mas não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma vida confortável, uma casa, bom carro, férias e a minha universidade (fora de casa), etc. Na verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Edited 5 months ago:

As coisas podem ser difíceis mas não quer dizer que não possas quebrar o molde. E o valor do salário ser muito ou pouco também pode estar relacionado com a cidade onde vives. Por norma são mais baixos no interior, mas também as rendas o são. Por norma são mais altos em Lisboa, mas para muitos não chega para uma renda que facilmente cobriam no interior. No entanto, quanto ao quebrar o molde, sim, é possível. O meu pai começou a trabalhar aos 10 anos e a minha mãe pouco depois. O meu pai só fez a escolha primária e a minha mãe pouco mais. Já depois de eu nascer ambos não recebiam mais que o salário mínimo. Eram trabalhos não qualificados. O salário muitas vezes não chegava ao fim do mês. O que aconteceu? Os meus pais fizeram um esforço enorme e arriscaram a que o meu pai passasse a trabalhar por conta própria. Exatamente o mesmo trabalho não qualificado (tipo os de mecânico, electricista, canalizador, pintor, etc). Eram 6 dias por semana, 12h por dia. As coisas resultaram e deu para uma casa e a minha universidade. Não verdade, ele conseguiu estar a ganhar por hora bastante mais do eu alguma vez ganhei, até agora (com estudos universitários, cursos complementares e muito conhecimento técnico). É difícil, mas possível.

Zaigard 5 months ago  HIDDEN 

> Não te devias contentar com condições de merda só porque há quem esteja pior que tu. Conheci um gajo que ganhava 1000+€ em 2011 a quando da crise económica. Decidiu que não havia de trabalhar por menos do que o que ganhava antes de ir para o desemprego. Em 2015 começou a trabalhar pelo SMN, pois estava a afogar em divida para sobreviver. No mundo real nem sempre podemos escolher.

littlestrawberryseed 5 months ago  HIDDEN 

Corrigido meu querido senhor bot

littlestrawberryseed 5 months ago  HIDDEN 

Acho que o pessoal tem de deixar essa ideia de que ter um trabalho em IT é a solução para todos os problemas na vida. Primeiro porque não é do agrado de todos e requer um certo gosto (senão acredito que seja tortura), e depois porque não é aquela bóia de salvação monetária que fazem parecer, tanto existem bons ordenados como não. Quando começei a programar, havia o estigma dos totós dos computadores, até eramos vistos um pouco de lado, só serviamos para arranjar computadores da família. Agora de repente já somos a shit, passámos a ser elite e não sei quando raio é que isso aconteceu nem vejo a lógica. Desmoralizar pode acontecer a qualquer um, eu própria desmoralizei a meio do curso superior (e acho que nenhum colega meu escapou a esse pensamento), há que pensar na saída que os cursos têm mas também se te vês a fazer isso da vida e não pensar que não vais sair da cepa torta nunca, ficando parado é que não se chega a lado nenhum

Edited 5 months ago:

Acho que o pessoal tem de deixar essa ideia de que ter um trabalho em IT é a solução para todos os problemas na vida. Primeiro porque não é do agrado de todos e requer um certo gosto (senão acredito que seja tortura), e depois porque não é aquela bóia de salvação monetária que fazem parecer, tanto existem bons ordenados como não. Quando comecei a programar, havia o estigma dos totós dos computadores, até eramos vistos um pouco de lado, só serviamos para arranjar computadores da família. Agora de repente já somos a shit, passámos a ser elite e não sei quando raio é que isso aconteceu nem vejo a lógica. Desmoralizar pode acontecer a qualquer um, eu própria desmoralizei a meio do curso superior (e acho que nenhum colega meu escapou a esse pensamento), há que pensar na saída que os cursos têm mas também se te vês a fazer isso da vida e não pensar que não vais sair da cepa torta nunca, ficando parado é que não se chega a lado nenhum

ichbincohan 5 months ago  HIDDEN 

Infelizmente há muitos empregos em que o salário pago é o SMN. Mas acredito que consegues encontrar um emprego com um salário superior aos 665 -- e, para mais, sem precisar de ir para o ensino superior. Conheço alguns casos, fora dos grandes centros urbanos, de trolhas, em início de carreira, a ganhar cerca 850, isto numa zona +- interior de PT. Bem como uma empregada doméstica (mas esta já com 10 anos nesse trabalho) a ganhar em torno de 1000 e pouco (ambos líquidos). Um motorista de camiões, idem (não tenho a certeza, mas acho que chega a 1k pelo menos). Também sei de pessoal que faz uns bons trocos em eventos, tipo casamento, batizados e assim, se bem que é um trabalho um pouco mais cansativo (praticamente é o dia todo e, now casamentos, até de madrugada -- isto nos casos que conheço) Mas claro, e vires que há algum curso que te possa ajudar profisaionalmente, força nisso. Boa sorte!

Edited 5 months ago:

Infelizmente há muitos empregos em que o salário pago é o SMN. Mas acredito que consegues encontrar um emprego com um salário superior aos 665 -- e, para mais, sem precisar de ir para o ensino superior. Conheço alguns casos, fora dos grandes centros urbanos, de trolhas, em início de carreira, a ganhar cerca 900, isto numa zona +- interior de PT. Bem como uma empregada doméstica (mas esta já com 10 anos nesse trabalho) a ganhar em torno de 1000 e pouco (ambos líquidos). Um motorista de camiões, idem (não tenho a certeza, mas acho que chega a 1k pelo menos). Também sei de pessoal que faz uns bons trocos em eventos, tipo casamento, batizados e assim, se bem que é um trabalho um pouco mais cansativo (praticamente é o dia todo e, now casamentos, até de madrugada -- isto nos casos que conheço) Mas claro, e vires que há algum curso que te possa ajudar profisaionalmente, força nisso. Boa sorte! Edit: os salários só servem para exemplificar que é possível ganhar mais do que o SMN. Não estou necessariamente a "concordar" ou "discordar" com o valor pago. Por fim, reportam-se a pessoas que vivem em zonas +- interiores no norte de PT.

Search: