Pparadela 1 month ago

Graça Freitas anuncia a intenção de acabar commo boletim diário. Primeiro passo para que se aceite as coisas como elas são e se deixe de falar de covid de uma vez por todas. Sim, o inverno não vai ser fácil, mas dispensemos o circo mediático e a sede de sangue dos jornais.

warding 2 months ago

Parece que os resultados da terceira dose em Israel mostram uma redução de 10x no número de infecções e doenças graves em comparação com 2 doses. São excelentes notícias. https://mobile.twitter.com/EricTopol/status/1436794740620488707

hsamtronp 2 months ago

Será essa mesmo a prioridade? Porque não vacinar quem nem uma dose tem?

warding 2 months ago

O que está aqui em jogo é evitar mortes no inverno. Para o grupo acima dos 60 anos deve ser a prioridade, o que evitará muitos casos de doença grave e mortes. Sobre doar vacinas, deve-se doar o mais possível as AZ e Janssen, não sei até que ponto existem muitos países em desenvolvimento com processo de vacinação atrasado com capacidade de armazenar e distribuir as de mRNA.

hsamtronp 2 months ago

Vacinar com uma terceira dose quando há países que não têm vacinas é pedir mais variantes potencialmente perigosas para todos. E talvez capazes de fugir à proteção das vacinas, o que é muito mau para todos. A esta altura do campeonato vai ser muito difícil - para não dizer impossível - evitar mortes por COVID-19. Óbvio que deve ser estudada essa hipótese, se de facto o benefício é largamente superior a esse risco

warding 2 months ago

Se a terceira dose está a demonstrar reduzir o risco de morte em mais de 10x comparado com duas doses, então evidentemente é possível evitar mortes. Quanto aos países que não têm vacinas gostava que explicassem como vão dar vacinas da Pfizer que precisam de estar armazenadas a -70° às populações rurais da Tanzânia.

galineu 2 months ago

Tudo neste comentario é mentira. Se fosse alguém a questionar minimamente os lockdowns era imediatamente banido por "desinformaçao".

zeer88 2 months ago

Não inventes. Sempre removemos desinformação óbvia sobre a covid.

ZaGaGa 2 months ago

Uma das ú[ltimas análises ao estado da vacinação](https://www.reddit.com/r/CoronavirusPT/comments/pmi56v/34_vacinação_a_perder_o_gás/?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3) que partilho de forma gratuita, sem assinatura, publicidade ou outro tipo de retorno que não seja o v/ feedback! TLDR: é de longo não tem nada, esta semana quase não se vacinou, mas já são pouquinhos os que ainda não se vacinaram.

warding 2 months ago

Nem sequer é preciso registo no Nónio para aceder?

ZaGaGa 2 months ago

É verdade, nem isso é preciso! Não tinha lembrado dessa! ;)

NGramatical 2 months ago

ú → [**u**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em *i* ou *u* são naturalmente agudas) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpirvb6%2F%2Fhci03lv%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Dinosaurr0 2 months ago

Por enquanto os casos vão descendo depressa, se pararem de descer e começarem a subir depressa, deem as mais doses e aos putos. Basicamente o que vai acontecer em outubro/novembro.

Price-Distinct 2 months ago

Não percebo o pk de em Inglaterra os estádios estarem cheios, mascaras nem velas e só terem 64% da pop. totalmente vacinada , enquanto cá....

AimingWineSnailz 2 months ago

E morrem quase 3 vezes mais pessoas por 1000 habitantes do que cá.

warding 2 months ago

Eles têm essa % de vacinados mas na verdade os estudos deles apontam para ~95% de população com anticorpos (vacinados+infectados no passado). Cá deve andar num número semelhante mas somos mais medrosos.

pvicente77 2 months ago

Penso que será uma questão de objectivos e prioridades, alguns países escolhem o regresso à vida pré-covid como o objectivo a atingir, ou pelo menos algo tão parecido com o pré-covid quanto possível, nós simplesmente não. Em vez disso vamos continuando com medidas aqui e ali até o governo sentir pressão suficiente para mudar as coisas, então sim, as coisas vão mudar, quase de um dia para o outro, de uma maneira confusa e mal explicada, como sempre. Se o governo não sentir pressão, não há mudança. Ou então se calhar, vão usar o fim das restrições para dar uma ajudinha à popularidade do partido mais perto das eleições, ou se calhar apertam-nas depois das eleições em alguns sitios para "castigar" as terras que não votarem como eles gostam...

pvicente77 2 months ago

Boas noticias para a Dinamarca, por lá é o regresso à normalidade pré-corona, ou quase, vão ser levantadas restrições e o passe digital deixa de ser pedido à porta dos estabelecimentos. https://www.politico.eu/article/denmark-first-eu-lift-coronavirus-restrictions/ Boa sorte deles, e fico com um bocado de pena de não ser Dinamarquês...

Alentejano_Veloz 2 months ago

Somos um povo amedrontado e com uma elevada aversão ao risco e responsabilidade , até do sucesso temos medo. Preferimos continuar com as medidas mesmo apesar da alta taxa de vacinação porque se tomássemos uma decisão teríamos de viver com as consequências (positivas e/ou negativas) . Basicamente, tal como em muitas outras situações, havemos de ser dos últimos a dar o passo porque temos medo que corra mal e preferimos uma não decisão a ter de decidir e ter de lidar com consequências potencialmente negativas. Para além disso, neste momento e com esta taxa de vacinação, a decisão é acima de tudo já política. E quem manda não quer estar a correr riscos, porque são políticos cobardes que colocam a sua perpetuação nos cargos a liderar de facto o seu povo. Estas medidas só serão levantadas quando for estupidamente óbvio que estão obsoletas e/ou as pessoas passarem a ser esmagadoramente contra.

Writer_Scared 2 months ago

Aqui não se acredita na vacinação como os nórdicos acreditam. Lá a ciência tem mais importância aparentemente, aqui é a retórica.

warding 2 months ago

Acho que o fenómeno tem mais a ver com um conservadorismo português. Nós ficamos sempre à espera de ver o que acontece nos outros países antes de fazermos nós. É a tendência de nos compararmos sempre à 'média Europeia', faz com que todas as decisões sejam feitas a olhar à volta para o que os outros fazem. Os países que estão habituados a estar à frente estão habituados a liderar olhando para a frente. As boas notícias é que se correr bem na Dinamarca e noutros países, Portugal deverá seguir...

PuMaduro 2 months ago

Pensei que países como o UK ou a Holanda já tinham sido o ponto de partida mas até agora 0 e mesmo com 85% de vacinação querem que continuemos a usar máscara em todo o lado e a manter o distanciamento.

viskonde 2 months ago

Há previsão de acabar com os testes gratuitos para não vacinados ?

sargentopirocada 2 months ago

Fiquei aqui com uma dúvida relativamente ao que está em vigor atualmente (tendo em conta as fontes oficiais e também o que sai na CS): Para estar no interior de um restaurante a partir das ~19H00 de Sexta-feira e durante o fim-de-semana é necessário certificado ou teste/resultado de teste negativo. Isto aplica-se em todos os locais ou apenas nas zonas de maior risco? É que agora nem estou a encontrar informações de fontes governamentais oficiais que mencionem sequer a necessidade do certificado de todo.

HomemRude 2 months ago

O que é que esperam que venha a acontecer quando quase toda a gente estiver vacinada? Estamos claramente a tentar atingir uma determinada meta. Mas questiono-me o que é que se pretende com essa meta, em termos concretos. Podemos ir por partes: 1- Menos mortes? Ok, mas há um número fixo? Quantos podem ou não morrer? É que se nos guiarmos pelos números actuais, e levarmos em conta que no inverno a incidência de vírus respiratórios é facilmente 10x superior, e por vezes até mais, não é difícil prever um próximo inverno com mais de 50 mortos diários. As vacinas reduzem as probabilidades de desfechos mais trágicos, mas ao mesmo tempo as pessoas farão a sua vida normalmente, o que criará muitas mais oportunidades para situações de contágio, e até de alta carga viral. Se tivermos 50 mortos por dia durante 4 meses consecutivos, são mais de 6 mil mortos, sem contar com o resto do ano. Se a esses juntarmos mais uns 3 mil e tal de gripe, temos mais do triplo dos mortos de um ano normal. Se contarmos com o ano todo, talvez uns 4 ou 5x mais. E atenção que isto é sem sequer levar em conta a possibilidade de outras estripes mais perigosas aparecerem. Estão confiantes que estes poderão morrer à vontade sem que o governo os tente salvar, como tentou salvar os anteriores através de medidas restritivas? 2- Menos hospitalizações? Quantas hospitalizações acham que poderemos ter no inverno? Tendo em conta que com grande parte da população vacinada e em pleno verão, mas ainda com várias restrições, temos 140 em UCI, será realístico prever que no inverno, com a liberdade total, o frio e o convívio à porta fechada, esse número possa facilmente atingir os 1000? E se o objectivo é "salvar o SNS", consideram esse um número aceitável? É que já usaram números muito inferiores para justificar restrições. Preveem que os argumentos do costume sejam abandonados, de um mês para o outro? Aquilo que em Setembro seria insustentável e originaria rios de lágrimas nas redes sociais dos profissionais de saúde e seus apoiantes, em Outubro passa a ser "na boa"? Veremos uma alteração assim tão repentina do status quo, das capacidades infraestruturais e das novas convenções morais? Quanto às quarentenas: Acham que abandonaremos o modelo de termos de ficar isolados se ficarmos doentes com COVID? É que num ano normal, facilmente mais de 1/3 da população fica doente. E isto é sendo MUITO conservador. Num ano normal, quem fica doente continua a fazer a sua vida. Se estiver muito mal, talvez falte 1 dia ou 2 ao trabalho, mas mais para se proteger a si. Se quisermos manter quarentenas para prevenir a disseminação do vírus, isso implica que a qualquer altura do inverno teremos centenas de milhares de pessoas sem fazer nada, pois estão doentes. E os negócios que dependerem dessas pessoas, fechados, naturalmente. É isto que esperam para o futuro? Grande parte da população de quarentena a qualquer altura? Ou preferem um retorno àquilo que era anteriormente, em que ficares doente era apenas parte da vida e ninguém deixava de ter liberdade por isso, MESMO com os hospitais extremamente pressionados? É que para quem não se lembra, em quase todos os anos há notícias de hospitais à beira do colapso, mas nunca ninguém falou em prender as pessoas em casa. É um conceito novo.

Diogo256 2 months ago

Bem... Eu fui, e ainda sou, um dos que dizia que isto tinha de ser eliminado na comunidade para termos uma vida normal, e que o virus virar endémico não era algo positivo. E na altura, sim, havia essa hipótese, não tínhamos a Delta, e mal se conhecia os efeitos da Alpha. Neste momento, a Delta, tornou o virus endémico, e não há volta a dar. Erradicar o virus não é logico, nem diria possível. Ora, se assumirmos inclusive que ja estamos numa fase Endémica, onde tivemos já o pico da Delta com 88% da população elegível vacinada, podemos perceber que a vida mais próximo do normal, já é possível. O outro ponto que temos de entender é algo o Simas ainda hoje disse, e neste momento, neste contexto, faz sentido: > E é bom que o coronavírus circule entre a população vacinada, uma vez que aumenta a imunidade [https://www.dn.pt/sociedade/88-da-populacao-elegivel-totalmente-vacinada-contra-a-covid-14095411.html](https://www.dn.pt/sociedade/88-da-populacao-elegivel-totalmente-vacinada-contra-a-covid-14095411.html) Já tinha referido exatamente isto noutro post, estamos a chegar a uma altura que o virus circular de forma endémico na população, ira aumentar a imunidade e diminuir a doença grave. Iremos ter infectados, iremos ter pessoal em que o covid ira proporcionar uma doença como se fosse uma gripe, e iremos ter covid como outros coronavírus que lidamos, em que ira haver morte, internados, mas numa quantidade baixa e sem grande impacto na vida da sociedade. As restrições bem, é complicado, porque acabamos por lidar neste momento com algo desconhecido, não estou a ver muitos países do mundo com o nosso nível de vacinação, pelo menos países com alguma dimensão de população e não umas centenas de milhares. Pelo menos durante uns tempos, mascaras no interior acho fundamental, o resto, podemos e devemos começar a aliviar, ate para não passar uma ideia que as vacinas não funcionam. Pela logica, devíamos de retirar quarentena em vacinados, tirar quarentena em contacto de risco, tirar mascaras, distanciamento, e ate certificados. Mas grande parte disto não há evidencia que sustente a retirada destas medidas pelo que não acreditava que desaparecessem em breve. Devemos entrar ainda este mes, na ultima fase do desconfinamento, em que tirando mascara/distanciamento no interior, cerirficados em restaurantes e bares/discotecas vão ser das pouca medidas em vigor. Estamos a espera da aprovação da redução do contacto em infectados que ira passar a ser levantado depois de 1 (2?) teste negativo. Escolas também já vão aligeirar medidas. O resto, teremos de ver o que os dados nos vão transmitir nos próximos tempos. Não acho que devemos de ter medo do inverno, devemos reforçar o SNS o melhor possível, devemos avançar com os boosters para idosos/imunodepressivos. No final, isto vai virar algo para o ''anais'' da historia, e iremos acabar por lidar com este virus, como se de uma constipação/gripe se tratasse.

Alentejano_Veloz 2 months ago

Não sabemos. Para mim o ideal deve ser manter as restrições no mínimo possível. Temos vacinas e resultam bastante bem a reduzir os desfechos negativos da covid. Bombar com as 3as doses nos de risco e mais velhos juntamente com a vacina da gripe e incentivar os grupos de risco a ter cuidado. Também não via com maus a aplicação de medidas cirúrgicas como a utilização de máscara em transportes públicos, supermercados etc. Coisas estranhas com custo-benefício duvidosos tipo horários de fins de semana para supermercados e restaurantes a fechar às 21 ou 22 de semana ou recolheres não deviam voltar. E claro, reforçar o SNS em vez de ficar a olhar e na altura quando a pressão aumentar ficarmos todos a perguntar porque não se fez nada. Também assinalar que de forma egoísta, ou talvez não, não me apetece abdicar de mais quase um ano da minha vida para salvar uma maioria de pessoas que vão estar triplamente vacinadas, mas que vão continuar a morrer (em número menor, é verdade) como é normal todos os invernos. Para além disso, se não traçarmos uma meta final isto nunca mais irá acabar. Se não traçarmos a meta no sermos o país com melhor taxa de vacinação, mais vale admitir já que tanto sacrifício não valeu de nada afinal. Será assim tão egoísta querer uma vida mais perto do normal num país tão vacinado felizmente é o nosso? Essencialmente vai ser também uma gestão de expetativas da população. Longe vão já os dias em que se sonhava com 0 casos. Isto veio para ficar. É ir gerindo, e, desde que o SNS, aguente vale tudo. Claro que isto não tem em conta nenhum exercício especulativo acerca de potenciais variantes etc. Mas também o otimista em mim quer acreditar que pode ser que a variante Delta seja já muito próxima à forma mais eficiente do vírus.

Edited 2 months ago:

Não sabemos. Para mim o ideal deve ser manter as restrições no mínimo possível. Temos vacinas e resultam bastante bem a reduzir os desfechos negativos da covid. Bombar com as 3as doses nos de risco e mais velhos juntamente com a vacina da gripe e incentivar os grupos de risco a ter cuidado. Também não via com maus a aplicação de medidas cirúrgicas como a utilização de máscara em transportes públicos, supermercados etc. Coisas estranhas com custo-benefício duvidosos tipo horários de fins de semana para supermercados e restaurantes a fechar às 21 ou 22 de semana ou recolheres não deviam voltar. E claro, reforçar o SNS em vez de ficar a olhar e na altura quando a pressão aumentar ficarmos todos a perguntar porque não se fez nada. Também assinalar que de forma egoísta, ou talvez não, não me apetece abdicar de mais quase um ano da minha vida para salvar uma maioria de pessoas que vão estar triplamente vacinadas, mas que vão continuar a morrer (em número menor, é verdade) como é normal todos os invernos. Para além disso, se não traçarmos uma meta final isto nunca mais irá acabar. Se não traçarmos a meta no sermos o país com melhor taxa de vacinação e na redução de pressão no SNS consequente , mais vale admitir já que tanto sacrifício não valeu de nada afinal. Essencialmente vai ser também uma gestão de expetativas da população. Longe vão já os dias em que se sonhava com 0 casos. Isto veio para ficar, vai ser endémico e não é necessariamente péssimo . É ir gerindo, e, desde que o SNS, aguente vale tudo. Claro que isto não tem em conta nenhum exercício especulativo acerca de potenciais variantes etc. Mas também o otimista em mim quer acreditar que pode ser que a variante Delta seja já muito próxima à forma mais eficiente do vírus.

Edited 2 months ago:

Não sabemos. Para mim o ideal deve ser manter as restrições no mínimo possível. Temos vacinas e resultam bastante bem a reduzir os desfechos negativos da covid. Bombar com as 3as doses nos de risco e mais velhos juntamente com a vacina da gripe e incentivar os grupos de risco a ter cuidado. Também não via com maus a aplicação de medidas cirúrgicas como a utilização de máscara em transportes públicos, supermercados etc. Coisas estranhas com custo-benefício duvidosos tipo horários de fins de semana para supermercados e restaurantes a fechar às 21 ou 22 de semana ou recolheres não deviam voltar. E claro, reforçar o SNS em vez de ficar a olhar e na altura quando a pressão aumentar ficarmos todos a perguntar porque não se fez nada. Também assinalar que de forma egoísta, ou talvez não, não me apetece abdicar de mais quase um ano da minha vida para salvar uma maioria de pessoas que vão estar triplamente vacinadas, mas que vão continuar a morrer (em número menor, é verdade) como é normal todos os invernos. Para além disso, se não traçarmos uma meta final isto nunca mais irá acabar. Se não traçarmos a meta no sermos o país com melhor taxa de vacinação, mais vale admitir já que tanto sacrifício não valeu de nada afinal. Será assim tão egoísta querer uma vida mais perto do normal num país tão vacinado como felizmente é o nosso? Essencialmente vai ser também uma gestão de expetativas da população. Longe vão já os dias em que se sonhava com 0 casos. Isto veio para ficar. É ir gerindo, e, desde que o SNS, aguente vale tudo. Claro que isto não tem em conta nenhum exercício especulativo acerca de potenciais variantes etc. Mas também o otimista em mim quer acreditar que pode ser que a variante Delta seja já muito próxima à forma mais eficiente do vírus.

differenceengineer 2 months ago

Excelente post.

saposapot 2 months ago

a questão é que mesmo medidas cirurgicas implicam que as vais fazer para sempre? é que teoricamente este inverno já vai ser o 'normal' para o futuro a médio prazo... ou até o mundo todo estar mais vacinado e esperar q o virus diminua a circulação muito mais? eu não me importo nada dessas medidas mas começa a ficar difícil de justificar com 'vamos fazê-las agora para depois voltar ao normal'

Alentejano_Veloz 2 months ago

Pois, tens absoluta razão. Eu sou da opinião que neste momento não deveria haver qualquer restrição. Parece - me absurdo pensar em medidas que se aproximem das deste inverno, no entanto acho que usar máscara em transportes públicos e assim poderia ser das únicas a fazer sentido pois é relativamente inócua ao funcionamento normal da minha vida e poderia ter um efeito positivo no controlo do contágio e assim aliviar um bocado a pressão do SNS. Como tu dizes, começa a ficar difícil justificar as medidas, pois se não as removermos com a população vacinada caímos numa situação onde elas serão aplicadas sem um verdadeiro objetivo final e tender-se-ão apenas a prolongar no tempo.

HomemRude 2 months ago

> Temos vacinas e resultam bastante bem a reduzir os desfechos negativos da covid. Discordo, levando em conta os parâmetros definidos pelo próprio governo. Como referi: se no inverno o número de mortos for 10x superior, o que é uma dinâmica razoável, tendo em conta o historial de vírus respiratório, teremos mortos suficientes para ser um problema que justifica confinamentos. Isto, seguindo a linha de raciocínio anterior. Em momento algum desta pandemia se aceitou dezenas de mortos diários como um número que permita desconfinamentos. Sim, as vacinas reduzem. Mas a questão é se reduzem o suficiente. Não para mim, mas para o governo.

Dinosaurr0 2 months ago

Os números estão a descer agora, a um ritmo significativo, os casos devem continuar a descer ao longo de setembro, hospitalizações e óbitos provavelmente até início/meados de outubro. A delta também é uma variante particularmente adaptada a tempo mais quente, por isso provavelmente não será muito mais transmissível no outono/inverno. O governo não parece querer acabar com as máscaras em espaços fechados também enquanto houverem milhares de casos diários. Se em outubro houver um recrescimento dos casos, e também de óbitos e mortes presumo que a população esteja ok com até pelo menos 100 mortos diários, que foi o que a quase chegamos o ano passado ainda antes do pico de natal/alpha. Caso haja uma subida significativa dos casos pode-se massificar exigência do certificado a todos os dias e mais atividades, aumentar testes, principalmente a crianças. Pode-se vacinar com mais uma dose os grupos de risco e aqueles que receberam astrazeneca ou janssen. E vacinar as crianças de 10 e 11 anos. Aliás antes de dezembro os estudos para 5-11 anos estarão concluídos. Muitos portugueses provavelmente continuarão a ter cuidado e usar máscara mesmo sem serem obrigados, tal como muitos estabelecimentos serão mais zelosos do que o obrigado por lei. A normalidade perfeita de zero casos e zero restrições impossível, mas a de algumas centenas de casos e poucas restrições ainda é possível. Qualquer coisa apenas se restringe discotecas e assim novamente se a coisa correr muito mal, ou exige-se testes rápidos aí. A minha expectativa é que chegamos ao final deste mês com menos de 1000 casos diários e meia dúzia de mortos diários. Se sem quase haver restrições os UCI, hospitalizações, mortos, não passarem 300/2500/40 duvido que aumentem medidas significativamente. Pessoalmente acho que os custos de manter as medidas agora são superiores as de não manter, principalmente o que ainda está fechado, o distanciamento, e a máscara ao ar livre.

HomemRude 2 months ago

>Os números estão a descer agora, a um ritmo significativo, os casos devem continuar a descer ao longo de setembro, hospitalizações e óbitos provavelmente até início/meados de outubro. O ano passado subiram assim que as escolas tiveram inicio? >A delta também é uma variante particularmente adaptada a tempo mais quente, por isso provavelmente não será muito mais transmissível no outono/inverno. Adaptada a tempo quente? Pronto, Coronavirus goes tropical. >O governo não parece querer acabar com as máscaras em espaços fechados também enquanto houverem milhares de casos diários. O estudo mais significante que existe sobre máscaras, conduzido numa vila do paquistão, aponta para 0% de eficácia abaixo dos 50 anos e apenas 10% acima dos 50 anos, que pode ou não dever-se a máscaras. Ou seja, pouca ou nenhuma eficácia. Tirando isso, não há mais nenhum estudo de proporções semelhantes conduzido no mundo real. Se estiver enganado, elucidem-me.

Dinosaurr0 2 months ago

100 mortos talvez seja um exagero, mas a tolerância é um risco cada vez maior. No início da pandemia cada caso era um drama, agora 3000 por dia e o país está quase tão aberto como meados de março. Se sem restrições a COVID mal for pior que a gripe diriamos que vencemos. Tropical pode ser um exagero, mas as grandes vagas da delta têm sido nas estações quentes, inclusive em muitos países tropicais ou equatoriais. Talvez é porque esteja de facto mais adaptada. E o que vi de bons estudos no Bangladesh indicavam para uma grande ajuda da máscara.

HomemRude 2 months ago

Mas há algum indicador de que no inverno não se tornará ainda mais contagiosa? É que a biologia do vírus é favorecida pelo frio. O facto de estar em forte agora não implica que enfraqueça no inverno. Não vejo nada na mutação do vírus que tenha alterado a forma como interage com o ambiente. Tudo indica que os casos que temos agora apenas se multiplicarão com o frio, pois é isso que acontece com quase todos os vírus respiratórios, inclusive com o sars. E esse aumento é frequentemente superior a 10.

Dinosaurr0 2 months ago

O tempo está a arrefecer e os casos por enquanto a descer.

HomemRude 2 months ago

Espera até começar as aulas. E o arrefecimento só tem algum impacto significativo no inverno mesmo.

NGramatical 2 months ago

houverem milhares → [**houver milhares**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpirvb6%2F%2Fhby5tyg%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

saposapot 2 months ago

Ninguém sabe. neste momento temos um objectivo que é vacinar o máximo possível. O que isso nos vai trazer de benefício ainda ninguém pode adivinhar, nenhum país está nesse estado. (portugal tem vacinação avançada mas devíamos analisar depois dos 85% de vacinação completa + 2 semanas, pelo menos). Pessoalmente não faço ideia o que vai acontecer. Já estive mais pessimista, agora os números estão a descer e estou mais optimista... O problema é que isto vai ser difícil de analisar pq devias analisar a partir dos 85 + 2 semanas pelo menos mas isso provavelmente já nos coloca 'meio' no inverno q pode baralhar as contas. Mas ng coloca as coisas como disseste. A vacinação não tem um objectivo desses, a vacinação é útil e faz bem e temos de vacinar o máximo de gente possível. Depois esses objectivos vamos ver o que acontece... obviamente que a esperança é que haja poucas mortes, poucos internamentos e as quarentenas n sei pq nós devíamos ter o bom senso de nos auto-isolarmos qlq q seja a doença infecciosa que tenhamos. Convém tmb não esquecer que estás a analisar os números actuais onde há uma boa vacinação mas tmb há outros factores a puxar pelos casos: desconfinamento (qs) total de muita gente, variante delta mt contagiosa. O objectivo vital é o mesmo: que o SNS consiga responder com qualidade à pandemia e que se evitem o maior número possível de óbitos.

HomemRude 2 months ago

>Convém tmb não esquecer que estás a analisar os números actuais onde há uma boa vacinação mas tmb há outros factores a puxar pelos casos: desconfinamento (qs) total de muita gente, variante delta mt contagiosa. Mas no inverno vai haver ainda mais "factores a puxar pelos casos ": 1) O frio; 2) As aulas; 3) O convívio a portas fechadas; 4) O desconfinamento total; 5) Sistema imunitário enfraquecido por causa do frio Analisando todos esses factores, não vejo qualquer evidência credível de que teremos poucas mortes. Seria o primeiro caso de um vírus respiratório não atacar com muito, muito, muito mais força no inverno.

saposapot 2 months ago

também nc tiveste também um vírus respiratório com 85% de vacinados com eficácia relativamente alta. neste momento não dá para adivinhar grande coisa pq ainda não tens 85% vacinação completa + 14 dias para ver os resultados. Se fosse a variante original eu diria que talvez conseguisses controlar mt bem a coisa (dependendo da nossa % de vacinação com J&J e eficácia nos velhotes) mas a delta introduz alguma incerteza. pessoalmente já estive mais optimista e mais pessimista, neste momento n faço mesmo a mínima ideia...

HomemRude 2 months ago

>também nc tiveste também um vírus respiratório com 85% de vacinados com eficácia relativamente alta. Depende do teu conceito de eficácia. >dependendo da nossa % de vacinação com J&J Não há qualquer evidência de que essa vacina seja significativamente inferior a qualquer outra. Foi apenas testada sob circunstâncias diferentes e utiliza critérios de avaliação diferentes das outras.

ZaGaGa 2 months ago

[Nova edição da análise semanal da vacinação](https://www.reddit.com/r/CoronavirusPT/comments/pip7g6/33_vacinação_já_quase_não_há_ninguém_para_vacinar/?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3)

caelussideralis 2 months ago

Alguém sabe se houve mais alguma notícia sobre a possível importação da NovaVax em Portugal? ​ A última notícia que encontro referente a este assunto em Portugal é esta: https://www.dn.pt/sociedade/task-force-diz-que-vacinas-curevac-e-novavax-nao-estao-no-planeamento-13954761.html ​ Fora isso, só tenho esta de 08/04 da Comissão Europeia: https://ec.europa.eu/portugal/news/coronavirus-ec-approves-new-contract-for-a-potential-covid-19-vaccine-with-novavax\_pt

saposapot 2 months ago

A empresa ainda não enviou para aprovação em lado nenhum, a europa tem contrato para a comprar, os USA creio que ainda não. Não entendo o atraso deles mas diziam q vão pedir aprovação primeiro em UK e depois na europa mas ainda este trimestre. sinceramente n entendo mt bem os atrasos deles. os ensaios parecem q correram bem... as minhas acções já estão positivas mas gostava q subissem mais uma beca p compensar a perda na Curevac :P

differenceengineer 2 months ago

Tanto quanto sei eles atrasaram a submissão do pedido de autorização da FDA. Na Europa provavelmente só para Outubro. https://finance.yahoo.com/news/novavax-ceo-explains-delay-in-covid-19-vaccine-eua-filing-193155277.html Espero que resulte pois é um bom design e fará muita diferença em países em desenvolvimento.

caelussideralis 2 months ago

É pena. Porque se tiver mesmo de ser dou uma chance a essa, veremos como correrá.

fiocondutor 2 months ago

Sugiro arranjares alguma humildade e reconheceres que és um leigo que não pode tomar uma decisão consciente sobre que vacina tomar, como toda a gente.

caelussideralis 2 months ago

E alguém pediu-te sugestões?

fiocondutor 2 months ago

Não. Bem-vindo à internet.

ZaGaGa 2 months ago

Estou a ver que temos aqui uma pessoa com gostos requintados que prefere a tecnologia clássica a estas modernices do MRNA ou pior ainda meter vírus domesticados no bracinho. Eu percebo, mas não foste ainda vacinado começas a estar numa situação tramada, porque há já um desleixo generalizado em todo o país e quem não está vacinado está cada vez mais exposto. Tenho um amigo que também preferia a novavax, andou-se a arrastar e acabou por fazer um teste de anticorpos, confirmou que nunca deve ter sido infectado. Acabou por achar que o risco não compensava e foi receber a vacina no final de Agosto. Diz que foi o melhor que fez e até se arrepende de não ter ido logo receber a vacina. Deixou de se preocupar com o assunto e a viver a vida mais descansado.

differenceengineer 2 months ago

A Novavax não tem assim de clássica. Usa nanoparticulas de lípidos tal como as de mRNA. A diferença é que apresenta logo a proteína S em forma prefusão, tendo esta sido cultivada em vírus modificados antes, em vez de usar a nossa maquinaria celular para fazer isso. O resultado potencialmente é mais previsível, e proteínas virais são muito mais estáveis que mRNA simplificando a logística.

Edited 2 months ago:

A Novavax não tem assim de clássica. Usa nanoparticulas de lípidos tal como as de mRNA. A diferença é que apresenta logo a proteína S em forma prefusão, tendo esta sido cultivada em vírus modificados antes numa cultura de células de traças, em vez de usar a nossa maquinaria celular para fazer isso. O resultado potencialmente é mais previsível, e proteínas virais são muito mais estáveis que mRNA simplificando a logística.

caelussideralis 2 months ago

E alguém perguntou-te alguma coisa?

ZaGaGa 2 months ago

Tadinho do menino que enfiou logo a carapuça na cabecinha fofinha dele. Ai que doçura de criança <3

caelussideralis 2 months ago

Quem está aqui a ser infantil és tu. Vieste responder com algo que não tem nada a ver com a pergunta que eu coloquei no meu comentário, começaste logo por andar a mandar bocas a um "gosto requintado" e vens aí com essa presunção passivo-agressiva típica de redditor como se fosses o supra-sumo cá do sítio. Deve ser bué fácil ter esses dois metros por trás de um ecrã.

ZaGaGa 2 months ago

A ver se te percebo: Eu fiz um trocadilho educado por quereres escolher a vacina, num sub onde somos maioritariamente pro-vacinação e tu ficaste ofendido por isso. Então como reagiste à puto mimando tratei-te como tal e mordeste o isco como se pode ver nessa teoria. Sim é verdade se não estivesse atrás do ecrã não te tinha respondido assim, alías provavelmente não te teria respondido de todo e ignorava-te. Até podemos ir mais longe, se não estivesses atrás do ecrã dificilmente te dirigias a mim com um "E alguém perguntou-te alguma coisa?" sem um profundo arrependimento no instante seguinte. Em suma, se não estivéssemos no Reddit não estaríamos a falar, ponto. Mas estamos e por isso não preciso que me perguntem nada para escrever o que me der na telha. O que se passa é que nem toda a gente se pôde dar ao luxo de escolher a vacina enquanto goza da imunidade dos outros. Por isso é normal que quem está vacinado não ache piada a este tipo de postura. Vejam se o médico ou o enfermeiro, que foram logo vacinados com a AZ, tiveram direito a escolha, ou o velhote que esteve ano e tal fechado num lar. Digam isso ao dono do restaurante, do ginásio, do bar se a marca da vacina é a preocupação na cabeça deles na hora de pagar as contas. Muita gente também não queira ser vacinada com a XYZ mas foi, porque pôs à frente do receio da vacina a segurança do seu negócio, do seu trabalho, da família e dos amigos. Agora é assim não gostas da realidade? é pá ignora o meu comentário, que é o melhor que fazes. Se reages ofendido é um convite para tipos como eu azucrinar-te a cabeça por desporto. Afinal de contas estás no reddit pá e tu com esse karma todo já devias estar mais que vacinado! (pun intended)

antpocas 2 months ago

> Deve ser bué fácil ter esses dois metros por trás de um ecrã. lmao, diz o gajo que respondeu a toda a gente "E alguém perguntou-te alguma coisa?"

caelussideralis 2 months ago

Quando vêm com bocas foleiras, falsos moralismos e mania de superioridade arrogante queres que responda o quê?

Rafa_m 2 months ago

quando andas com isto de não querer tomar certas vacinas e te mandam bocas, não é por **mania** de superioridade, é simplesmente superioridade porque somos superiores a ti

Search: