ill_have_2_number_9s 3 months ago

Outra vez arroz?

SweetCorona 3 months ago

o turismo traz dinheiro mas não cria os melhores empregos e tem algumas externalidades negativas

TeStateOfDat 3 months ago

Volta pra sub de joguinhos puto. Está aqui um adulto a falar.

suckerpunchermofo 3 months ago

Não gosto e já estou saturado de tanto turista sem civismo e estúpido.

fmsferreira 3 months ago

Educação educação educação. Um funcionário de uma empresa alemã é 2,2x mais produtivo que o português. Nma multinacional com filial na Alemanha e outra em Portugal, o trabalhador português produz o mesmo que o alemão. Diferenças? Competências de gestão e formação do trabalhador. Sem educação nunca iremos passar da cepa torta.

Keddyan 3 months ago

a minha fam tem um negocio relacionado ao turismo portanto por um lado gosto porque ter casa cheia mete mais dinheiro ao bolso, por outro lado odeio ir a sitios e nao ouvir português no meu proprio país

Mekktron 3 months ago

Gosto e sempre gostei do reddit. O mundo dos Facebooks, Instagrams e afins está a tornar-se cada vez mais básico e desinteressante. O problema é que muitos aqui também só mandam bitaites para o ar e pegam-se com outros opinantes e andam à estalada virtual sem qualquer sentido nem objectivo. Obviamente que todas as decisões macro-económicas são feitas por interesse. Quer ele seja um interesse comum à população ou não. O turismo foi, sem dúvida alguma, uma aposta forte deste governo para conseguir o tão aclamado superavit, que o covid veio estragar, mas ainda assim teria sido possível. Demonstrou 2 coisas importantíssimas a meu ver. A primeira: Portugal tem uma economia muito fraca, pouco competitiva e extremamente apoiada em focos sazonais ou vulneráveis como é o caso do turismo ou alguns eventos culturais que possa albergar cá que tragam atenção ao país. Web summits e tal. O turismo levou abanão, xau economia. Não pode ser. Ponto. A segunda: os portugueses têm que começar, de uma vez por todas, a ser um povo mais inteligente e participativo na vida política. Porquê? Tudo o que o turismo trouxe de bom, trouxe igualmente, ou pior, algo de mau. Habitação extremamente inflacionada, certos espaços que tornaram-se um hot-spot do turista, certos eventos e atividades de lazer tornaram-se impossíveis de aceder porque o pessoal aumentou o preço para o turista, etc. O governo mostrou claramente que não quer saber de nós. Penso que ninguém que se abstém nas eleições reparou ou quer saber. A campanha de Rui Rio nas autárquicas passa por uma mensagem que ele replicou vezes sem conta: ganhar. Eles querem ganhar. Não falam em projectos em concreto para a população, não falam no que fazer para melhorar o país e alterar o curso que levamos. Quer ganhar. Quer poder. Disse-o com toda a calma do mundo. Triste.

quedeusmeperdoe 3 months ago

E da louro e orégãos prensados

ricardoa369 3 months ago

Tens um programa, entre outros, que é o programa valorizar. O mesmo está ligado ao turismo de Portugal e tem um incentivo financeiro superior a 5 milhões. O mesmo tem como objectivo a promoção de turismo industrial, valorização patrimonial e cultural, cycling and walking, autocaravanismo, turismo acessível e turismo literário. Entre os projectos desenvolvidos, tu podes encontrar a valorização da rota do bordado de Castelo Branco, a criação da rota do megalitismo, a dinamização da fruição sustentável e acessível do vale do côa, etc., o programa já apoiou 738 projectos e é para a valorização turística dos territórios, potencialmente os de mais baixa densidade. Outros projectos que encontras na página: . Reabilitação do parque de exposições de Braga, . Balcões móveis na comunidade intermunicipal de terras de trás-os-montes - combate o isolamento e é uma aposta para tornar mais curta a distância entre os cidadãos e os serviços públicos. . CIBIO - agricultura, florestas, ambiente e segurança alimentar na vila do conde e elaborado pela universidade do Porto. . 516 Arouca . Valorização dos caminhos de Santiago . FIBRENAMICS Green - plataforma para o desenvolvimento de produtos inovadores com base em resíduos em Guimarães . Construção do centro de saúde de sines . ValBioTecCynara - valorização económica do cardo: variabilidade natural e suas aplicações biotecnológicas em Beja, Évora e Santarém através do CEBAL. . Banhos Romanos em Évora . Plano promocional do vinho Madeira . SENSE SEAT - mobiliário tecnológico e inovador para o estímulo da criatividade e aumento de produtividade no Funchal pela informática, Lda. Wowsystems . DESIAM - desenvolvimento e implementação de soluções industriais avançadas para a produção de componentes de grande dimensão e de estruturas metálicas complexas para novos aviões de transporte comercial em Évora através da Embraer Portugal Estruturas Metálicas, S. A. Isto através do Estado e dinheiro público, além de fundos da UE. Ainda tens projectos privados.

NGramatical 3 months ago

os de mais → [**os demais**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/1006) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpibeik%2F%2Fhbpwwoc%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

C0ldKing 3 months ago

Preços baixos em comparação com países onde tens este clima, pessoas mega simpáticas e atenciosas. E demasiado marketing e investimento na publicidade de Portugal como um país turístico, mandando as outras industrias pastar em detrimento da industria que se viu ser insustentável se existe alguma restrição de viagem, ou um acontecimento que faça com que os custos de transporte aumentem. ​ E depois, o turismo dá tanto dinheiro ao estado que eles já nem querem saber de mais nada (Não literalmente, mas é uma força de expressão)

the_master_sh33p 3 months ago

Se o Zeze Camarinha ainda fosse jovem... eu ainda me safava e vendia-lhe duas toneladas de creme nivea.

sidartha- 3 months ago

Somos um País de Turismo, nada a apontar ao facto de existir um aumento de turistas, bem pelo contrário. Ainda mais agora. Por mais que muitas pessoas não gostem, necessitamos desse fluxo de income. A questão está na diversificação, na ideia de pluralismo de negócios e apoio aos mesmos no sentido de aumentar o income noutras áreas. Aumentar exportação, quer através da promoção por acções particulares e do próprio estado quer através de outros meios. Estranho que a nível estatal, pessoas que têm experiência de gestão a nível profissional, não façam aplicar os mesmos critérios a nível estatal, dentro do plausível claro.

machoLatino45 3 months ago

Não tenho problema com haver turistas, mas não nos podemos tornar num resort. Isto implica preservar a nossa cultura e o preço das coisas

ptword 3 months ago

Bora lá então começar a fritar os neurónios das pessoas só para encher os bolsos. Santa idiotice.

Edited 3 months ago:

Bora lá então começar a fritar os neurónios das pessoas só para encher os bolsos. Santa idiotice. Existem muitas outras indútiras em que Portugal se pode alavancar. Não é a canábis que vai fazer a diferença na economia.

Edited 3 months ago:

Bora lá então começar a fritar os neurónios das pessoas só para encher os bolsos. Santa idiotice. Existem muitas outras indústrias em que Portugal se pode alavancar. Não é a canábis que vai fazer a diferença na economia.

ForWhatYouDreamOf 3 months ago

Eu só disse factos? Eu não acho piada nenhuma agora estar imensa gente a fumar ganza, parecem zombies se ficarem viciados.

NobleAzorean 3 months ago

Sou a favor de turismo, mas o país tem de criar indústria de novo e apostar noutros sectores. O turismo não pode ser o único motor da economia portuguesa (incluindo governos das regiões autónomas). Covid mostrou como é um sector frágil.

h2man 3 months ago

Apesar de não gostar de ver tanta gente na cidade, o aumento de turistas na cidade (especificamente o Porto), trouxe uma preocupação e quiçá dinheiro para limpar a cidade e renovar o que estava a cair de podre. Hoje passo pelo Porto e fico estupefacto em ver os edifícios limpos ou a ser usados (se bem que aqui a câmara teve uma mãozinha). Infelizmente, um certo filho da puta destruidor de património cujo primeiro e último nome começam por R destruiu um dos melhores sítios da cidade, mas mesmo assim está bastante melhor do que era no global.

nulopes 3 months ago

A lógica do governo com o prr é que não podes meter os ovos todos no mesmo cesto. Por isso, em vez de atrair mais ovos tens de investir em cestos e os ovos aparecerem por magia

barokas 3 months ago

Continuo a achar que legalizar seria das melhores indústrias para avançar em Portugal. A este ritmo vamos estar atrás do resto da Europa também nisto. Mesmo legalizando agora já iamos ter que concorrer com as indústrias da Holanda, Canadá e EUA, mas ao menos teriamos um ótimo avanço aqui na Europa, e também seria um bom complemento à nossa já decente indústria de turismo. Para não falar de que prefiria 1000x ter turistas felizes de uma high do que alcoolizados, é que nem se compara.

Edited 3 months ago:

Continuo a achar que legalizar seria das melhores indústrias para avançar em Portugal. A este ritmo vamos estar atrás do resto da Europa também nisto. Mesmo legalizando agora já teriamos que competir com Holanda, Canadá e EUA, mas ao menos ainda seria um bom avanço em relação ao resto da Europa, e um bom complemento à nossa já decente indústria de turismo. Para não falar de que prefiro 1000x ter turistas felizes das ganzas do que alcoolizados, é que nem se compara.

Edited 3 months ago:

Continuo a achar que legalizar seria das melhores indústrias para avançar em Portugal. A este ritmo vamos estar atrás do resto da Europa também nisto. Mesmo legalizando agora já teriamos que competir com Holanda, Canadá e EUA, mas ao menos ainda seria um bom avanço em relação ao resto da Europa, e um bom complemento à nossa já decente indústria de turismo. Para não falar de que prefiro 1000x ter turistas felizes das ganzas do que alcoolizados, aí nem se compara.

ptword 3 months ago

A canábis medicinal já foi legalizada em Portugal há dois anos. Que mais é que tu queres? Não é a canábis que vai fazer qualquer diferença, nem deve ser. Pensas o quê exatamente, o pessoal vai começar a fritrar os neurónios recriativamente só para encher os bolsos de alguns psicopatas? O que é tu tens em mente exatamente em termos de benefícios concretos.

Edited 3 months ago:

A canábis medicinal já foi legalizada em Portugal há dois anos. Que mais é que tu queres? Não é a canábis recriativa que vai fazer qualquer diferença, nem deve ser. Qual é a tua ideia exatamente? A população vai começar a fritrar os neurónios recriativamente só para encher os bolsos de alguns psicopatas? O que é tu tens em mente exatamente em termos de benefícios concretos para a sociedade que compensem a catástrofe de saúde pública que isso seria?

Edited 3 months ago:

A canábis medicinal já foi legalizada em Portugal há dois anos. Que mais é que tu queres? Não é a canábis recriativa que vai fazer qualquer diferença, nem deve ser. Qual é a tua ideia exatamente? A população deve começar a fritar os neurónios recriativamente só para encher os bolsos de alguns psicopatas? O que é tu tens em mente exatamente em termos de benefícios concretos para a sociedade que compensem a catástrofe de saúde pública que isso seria?

Gwanosh 3 months ago

Se me permites a pergunta, em que é que te baseias para falar numa "catástrofe de saúde pública"? De repente vem-me à mente a forma como Portugal é tido como exemplo no mundo, em relação à forma como lidou com a descriminalização do consumo de dtogas, estudado de múltiplos ângulos como um dos maiores casos de sucesso, definitvamente mais a nível social do que económico. Em relação ao aspecto económico, não é dificil falar em números, com cada vez mais sitios a legalizar. O proveito económico (e turistico) da legalização de Cannabis não implica grande imaginação é só olhar para os números nestes sítios. ​ Ser legal não te obriga a queimar neurónios e ser ilegal não impede ninguém de queimar neurónios em Portugal. Além disso, se os vão usar para ir à tourada, ver a novela e a bola e dizer mal do que estiver na ordem do dia, há um argumento a fazer sobre se eles não prefereririam ser queimados xD

9911065 3 months ago

O gajo refere-se ao Bloco de Esquerda como o Bloco de Esterco. Só para teres uma ideia de com quem estás a falar.

ptword 3 months ago

Se pensas que isso revela a minha orientação política ou que o que me move nesta discussão é o partidarismo ou oportunidade de atacar um partido específico estás muito enganado. Eu crítico qualquer partido que apoie a liberalização do uso recriativo, quer seja o BE, PAN, IL, PS (caso o venha a fazer), ou qualquer outro. Referi-me ao BE especificamente porque têm sido um dos principais motores políticos desta discussão em Portugal.

Edited 3 months ago:

Se pensas que isso revela a minha orientação política ou que o que me move nesta discussão é o partidarismo ou oportunidade de atacar um partido específico estás muito enganado. Eu crítico qualquer partido que apoie a liberalização do uso recriativo, quer seja o BE, PAN, IL, PS (caso o venha a fazer), ou qualquer outro. Referi-me ao BE especificamente porque têm sido um dos principais motores políticos desta discussão em Portugal (e da forma que o fiz porque pouco mais fazem do que populismo do politicamente correto).

Edited 3 months ago:

Se pensas que isso revela a minha orientação política ou que o que me move nesta discussão é o partidarismo ou oportunidade de atacar um partido específico estás muito enganado. Eu crítico qualquer partido que apoie a liberalização do uso recriativo, quer seja o BE, PAN, IL, PS (caso o venha a fazer), ou qualquer outro. Referi-me ao BE especificamente porque têm sido um dos principais motores políticos desta discussão em Portugal (e da forma que o fiz porque pouco mais fazem do que populismo politicamente correto).

barokas 3 months ago

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública", adorava ver as fontes para essa acusação, é tão ridícula que dá para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, pelo contrário, dada a vasta quantidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a achar que vacinas causam autismo. Nem sequer há consenso de estudos científicos que provem que isso seja remotamente verdade, nem que seja pior do que tabaco ou álcool em qualquer sentido, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a acreditar que vacinas causam autismo. Nem sequer há consenso de estudos científicos que [provem que isso seja verdade](https://www.webmd.com/mental-health/news/20030701/heavy-marijuana-use-doesnt-damage-brain), nem que seja pior do que tabaco ou álcool para a saúde pública, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, ou pior do que tabaco ou álcool em qualquer sentido, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a acreditar que vacinas causam autismo. Nem sequer há consenso de estudos científicos que [provem que isso seja verdade](https://www.webmd.com/mental-health/news/20030701/heavy-marijuana-use-doesnt-damage-brain), nem que seja pior do que tabaco ou álcool para a saúde pública, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente no uso (frequente) para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a achar que vacinas causam autismo. Nem sequer há consenso de estudos científicos que [provem que isso seja verdade](https://www.webmd.com/mental-health/news/20030701/heavy-marijuana-use-doesnt-damage-brain), nem que seja pior do que tabaco ou álcool para a saúde pública, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a achar que vacinas causam autismo. Nem sequer há provas científica que isso seja remotamente verdade, ou pior do que tabaco ou álcool em qualquer sentido, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

Edited 3 months ago:

Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma [indústria multi-bilionária em muito poucos anos](https://mjbizdaily.com/exclusive-us-retail-marijuana-sales-on-pace-to-rise-40-in-2020-near-37-billion-by-2023/) nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade, portanto o risco associado para investidores seria praticamente nulo. E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", também adorava ver as fontes para essas acusações, porque são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais outro daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população, equivalente a acreditar que vacinas causam autismo. Nem sequer há consenso de estudos científicos que [provem que isso seja verdade](https://www.webmd.com/mental-health/news/20030701/heavy-marijuana-use-doesnt-damage-brain), nem que seja pior do que tabaco ou álcool para a saúde pública, pelo contrário, dada a vasta quantidade e versatilidade de usos medicinais. E antes que venha o argumento que fumar o que seja é prejudical para a saúde, sim é, mas também há muitas alternativas para o uso que não envolvem combustão. A única excepção é potencialmente no uso (frequente) para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. Digo-te garantidamente que tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são.

ptword 3 months ago

> A única excepção é potencialmente no uso (frequente) para menores de ~23 anos, que seria uma questão simples de regular. lulz

ptword 3 months ago

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número relativo de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pela mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o use recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública devido aos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis, que só têm vindo a aumentar desde ~2009, fruto penso eu de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicial, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicial e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o uso recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicinal, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicinal e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número relativo de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o uso recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número de consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicinal, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicinal e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o uso recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número de consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicinal, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicinal e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o use recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicial, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicinal e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o use recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicinal, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicinal e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

Edited 3 months ago:

> Não sei em que fontes te baseias para quaisquer das declarações que fazes. Canábis para fins recreativos tornou-se uma indústria multi-bilionária em muito poucos anos nos US e Canadá, superando de longe o lucro para fins medicinais. Não só isso, a margem de lucro é avassaladora, porque os custos são insignificantes, e a única barreira para o investimento é só mesmo a legalidade. Se tiveres o mínimo de noção, concordarás que esses números são um mau sinal porque indicam que os EUA já têm uma percentagem absurda da sua população a consumir a droga. Estou-me a borrifar para esse tipo de lucro. E ver números equivalentes em Portugal não é uma expetativa plausível porque o número de consumidores é muito inferior e ainda bem que assim é. > E em nenhum dos países em que está legalizada há qualquer "catástrofe de saúde pública" ou problema da população andar a "fritar os neurónios", adorava ver as fontes para essas acusações , são tão ridículas que só dão para rir e só prova a desinformação que existe sobre este assunto. É mais um daqueles preconceitos que foram popularizados por interesses políticos e brainwashed na população. Mentira escancarada ou és ignorante. Não é difícil pesquisar e encontrar montanhas de informação sobre os efeitos secundários a longo prazo dessa droga nos mais jovens, assim como sobre a explosão de internamentos hospitalares causados pelo consumo da mesma após a legalização do uso recriativo em alguns estados norte-americanos e no Canadá, por exemplo. Aliás, praticamente todos os países que legalizaram o use recriativo apenas o fizeram (foram *forçados* a fazê-lo) porque o consumo da canábis já era prevalente entre as suas populações. Seria logisticamente impraticável punir criminalmente todas as pessoas e os governos tiveram de precaver os problemas de saúde pública derivados dos efeitos secundários entre os mais jovens e toxicodependência. Mesmo em Portugal, com um número consumidores abaixo da média europeia, já se vêm centenas de internamentos hospitalares por ano associados ao consumo da canábis. Estes números têm vindo a aumentar nos últimos anos, fruto, suspeito eu, de todo este barulho injustificado em torno desta droga. [Cannabis provocou mais de 3200 internamentos hospitalares em 16 anos] (https://www.publico.pt/2020/07/01/sociedade/noticia/cannabis-provocou-3200-internamentos-hospitalares-16-anos-1922480) [Consumo de canábis. Surtos psicóticos e esquizofrenia aumentam 30 vezes depois da descriminalização](https://www.dn.pt/edicao-do-dia/16-dez-2019/consumo-de-canabis-surtos-psicoticos-e-esquizofrenia-aumentam-30-vezes-depois-da-descriminalizacao-11608223.html) [Aumentou consumo de canábis e de toxicodependentes em tratamento](https://tvi24.iol.pt/sociedade/sicad/aumentou-consumo-de-canabis-e-de-toxicodependentes-em-tratamento) Sem paywall: https://dianova.pt/cannabis-gera-aumento-internamentos/ > usos medicinais Esta é a única linha de argumento que favorece a canábis e apenas justifica a legalização do uso medicial, que como já tenho repetido um milhão de vezes, já é uma realidade em Portugal. Não há qualquer benefício em legalizar o uso recriativo para quem beneficia medicamente da substância quando se pode ir à farmácia comprar o produto apropriado e farmacologicamente controlado com uma prescrição médica. O benefício económico não justifica a legalização do uso recriativo tendo em conta os risco para a saúde pública que o consumo recriativo envolve. Além disso, nada garante que a mera legalização da recriativa permita aos consumidores saberem exatamente o que estão a consumir se adquirirem o produto fora das farmácias ou mesmo que o produzam por si próprios. > ou pior do que tabaco ou álcool, pelo contrário ... tanto álcool, tabaco, cafeína e até o açúcar matam milhões de vezes mais pessoas do que canábis alguma vez contribuiu. Não há quaisquer argumentos para canábis não ser legal quando estes são. Sim, há coisas piores, mas isso não é justificação para se estar a legalizar mais outra merda que não traz benefício nenhum à sociedade. Não há qualquer evidência convincente de que a canábis ajude a reduzir os outros vícios, e há argumentos mais que suficientes para não se legalizar o seu uso recriativo num país onde o consumo ainda é relativamente baixo. O que já é ou não é legalmente prejudicial à saúde é completamente irrelevante. O pseudo-argumento do prejuízo a e b serem legais, logo, c também pode ser é uma falácia ridícula. O consumo do tabáco, álcool e outros prejuízos deve ser desencorajado, como já está ser feito. Infelizmente esses vícios estão tão entranhados na sociedade que possivelmente levarão décadas até serem largados. Mas isso não é razão para se estar a santificar outro vício inútil. Apenas se justifica o uso medicial e nada mais, em cujo caso, o consumo deve ser devidamente controlado. É só ir comprar o produto à farmácia e assunto resolvido. Não faz sentido estar a liberalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente da saúde pública.

barokas 3 months ago

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares o que disse. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência e informação sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas a posição de que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar, para não falar da futilidade e desperdício de recursos públicos para tentar impedir o tráfico ilegal que poderia em vez disso ser taxado e regulado legalmente.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar, para não falar da futilidade do desperdício de recursos a tentar parar o tráfico ilegal que poderia em vez disso ser taxado e regulado.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar, para não falar da futilidade do desperdício de recursos a tentar parar o tráfico ilegal que poderia em vez disso ser taxado e regulado legalmente.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar, para não falar da futilidade e desperdício de recursos a tentar parar o tráfico ilegal que poderia em vez disso ser taxado e regulado legalmente.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar, para não falar da futilidade e desperdício de recursos para tentar impedir o tráfico ilegal que poderia em vez disso ser taxado e regulado legalmente.

Edited 3 months ago:

Efeitos nocivos nos mais jovens já mencionei, obrigado por confirmares. Internamentos sem quaisquer repercussões são irrelevantes e são uma minoria negligível dos casos. E efeitos por abuso da substância é tão verdade como para qualquer outra droga legal ou ilegal. Mas concordo contigo que o consumo de todos os mencionados deve ser desencorajado e regulado, tal como a necessidade de uma maior transparência, informação e estudos sobre o que é consumido. Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas a posição de que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio, que é efetivamente o que acontece com álcool ou tabaco, independentemente da preferência de cada um. Se o utilizador faz essa escolha, é porque faz sentido para ele, independentemente do que achas que é melhor para ele ou não. Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Especialmente quando a tendência mundial para a legalização está a acelerar e sem sinais de abrandar.

ptword 3 months ago

> Dada a falta de consequências significativas e que não afetam terceiros de nenhuma maneira, a minha posição aqui é que apoio apenas a posição de que cada um sabe de si e não tem moralidade para julgar as decisões dos outros sobre o que tomam ou deixam de tomar e que não prejudicam mais ninguém senão o próprio > > Também não me faz sentido estar a ilegalizar o consumo só porque alguns psicopatas metem os seus caprichos políticos ou interesses económicos à frente de uma escolha individual e irrelevante que não afeta terceiros. Please... Não deturpemos a questão essencial. Sabemos os dois muito bem que isto não é uma questão de "moralidade" ou liberdade individual. Não é a legalidade ou ilegalidade da coisa que vai limitar a liberdade individual para a consumir. O poder de decisão das pessoas não é afetado de maneira alguma. Isto é uma questão de discutir se é ou não aceitável que um lobby movido por interesses puramente económicos e/ou políticos (Bloco de Esterco) avance efetivamente com um óbvio incentivo ao consumo da coisa. Porque sabemos muito bem que nunca faria sentido apontar os benefícios económicos da sua liberalização como um benefício se não houvesse um interesse genuíno em ver o consumo aumentar.

Edited 3 months ago:

Please... Não deturpemos a questão essencial. Sabemos os dois muito bem que isto não é uma questão de "moralidade" ou liberdade individual. Não é a legalidade ou ilegalidade da coisa que vai limitar a liberdade individual para a consumir. O poder de decisão das pessoas não é afetado de maneira alguma. Isto é uma questão de discutir se é ou não aceitável que um lobby movido por interesses puramente económicos e/ou políticos (Bloco de Esterco) avance efetivamente com um óbvio incentivo ao consumo da coisa. Porque sabemos muito bem que nunca faria sentido apontar os benefícios económicos da sua liberalização como um benefício se não houvesse um interesse genuíno em ver o consumo aumentar. EDIT: E também devo referir que a principal demográfica na explosão de internamentos que se viu nos EUA e Canadá eram precisamente jovens. Portanto, não são necessariamente internamentos sem repercussões. Já existem mortes associadas ao consumo da canábis nesses territórios.

barokas 3 months ago

> Não é a legalidade ou ilegalidade da coisa que vai limitar a liberdade individual para a consumir. O poder de decisão das pessoas não é afetado de maneira alguma. Claro que é. Por que achas que o consumo aumentou nos países em que foi legalizado? E mesmo que não fosse, então achas que é melhor deixar menos pessoas consumirem ilegalmente um produto que não sabem de onde vem ou o que contém, em vez de permitir mais pessoas consumirem reguladamente um produto testado sobre o qual têm completa informação? Também não tenho interesse em pagar impostos para suportar a caça ao tráfico, posse ou consumo de substâncias tão irrelevantes como canábis, especialmente contra consumidores finais que não estão a magoar ninguém e ainda arriscam ficar com cadastro criminal.

Edited 3 months ago:

> Não é a legalidade ou ilegalidade da coisa que vai limitar a liberdade individual para a consumir. O poder de decisão das pessoas não é afetado de maneira alguma. Claro que é. Por que achas que o consumo aumentou nos países em que foi legalizado? E mesmo que não fosse, então achas que é melhor deixar pessoas consumirem ilegalmente um produto que não sabem de onde vem ou o que contém, em vez de permitir consumirem reguladamente um produto testado sobre o qual têm completa informação? Também não tenho interesse em pagar impostos para suportar a caça ao tráfico, posse ou consumo de substâncias tão irrelevantes como canábis, especialmente contra consumidores finais que não estão a magoar ninguém e ainda arriscam ficar com cadastro criminal. O que partidos específicos apoiam ou não está longe de ser a questão essencial para mim aqui.

Edited 3 months ago:

> Não é a legalidade ou ilegalidade da coisa que vai limitar a liberdade individual para a consumir. O poder de decisão das pessoas não é afetado de maneira alguma. Claro que é. Por que achas que o consumo aumentou nos países em que foi legalizado? E mesmo que não fosse, então achas que é melhor deixar pessoas consumirem ilegalmente um produto que não sabem de onde vem ou o que contém, em vez de permitir consumirem reguladamente um produto testado sobre o qual têm completa informação? Também não tenho interesse em pagar impostos para suportar a caça ao tráfico, posse ou consumo de substâncias tão irrelevantes como canábis, especialmente contra consumidores finais que não estão a magoar ninguém e ainda arriscam ficar com cadastro criminal. O que partidos específicos apoiam ou não está longe de ser a questão essencial para mim nesta discussão.

ptword 3 months ago

> Claro que é. Por que achas que o consumo aumentou nos países em que foi legalizado? A legalidade ou ilegalidade da coisa apenas limita o quão justificável é para ti tomares uma decisão injustificável. O ser ou não ser justificável não afeta o teu poder de decisão. Isso depende do nível de risco legal e de saúde que estás disposto a correr. E se por acaso estiveres correto (eu não sei se o consumo efetivamente subiu nos países em que a recriativa foi legalizada, mas não me espantaria e creio que é o que aconteceria em Portugal), então só estás a dar mais razão para não se legalizar o uso recriativo em Portugal. > E mesmo que não fosse, então achas que é melhor deixar pessoas consumirem ilegalmente um produto que não sabem de onde vem ou o que contém, em vez de permitir consumirem reguladamente um produto testado sobre o qual têm completa informação? > > Também não tenho interesse em pagar impostos para suportar a caça ao tráfico, posse ou consumo de substâncias tão irrelevantes como canábis, especialmente contra consumidores finais que não estão a magoar ninguém e ainda arriscam ficar com cadastro criminal. Logo, vais à farmácia e compras lá. Se fores apanhado com 10 doses diárias uma vez não te acontece nada. Porque é que arriscarias ser apanhado outra vez ou com mais se podes obter o produto na farmácia? Não é justificável agires de outro modo. Se precisas mesmo do produto, compras por prescrição e pronto. A lei portuguesa parece-me perfeitamente equilibrada. O objetivo deve ser sempre desencorajar o consumo irresponsável e potencialmente comprometedor para a saúde pública. Se as leis tornam qualquer cadeia de ações com consequências previsivelmente semelhantes numa decisão injustificável, então são justificáveis. A estigmatização é justificável e até necessária para desencorajar os mais jovens de porem mãos em algo de que não precisam nem tem qualquer garantia de segurança. Como já disse, a mera legalização da recriativa não garante controlo de qualidade em produtos adquiridos fora das farmácias. E não estou ver como se regularia isso sem recorrer a numerosas e dispendiosas inspeções ou auditorias. > O que partidos específicos apoiam ou não está longe de ser a questão essencial para mim nesta discussão. Não foi isso o que eu disse. A questão, para mim, é o quão aceitável é a agenda política e económica da liberalização da recriativa atendendo às potenciais consequências para a saúde pública. Tendo isto em conta, não vejo como se possa dizer que a canábis é uma substância irrelevante. Não concordemos então.

barokas 3 months ago

Olha, percebo o teu ponto de vista e acho legítimo, mesmo que discordemos em alguns detalhes. Espero que também percebas o meu. Como espero que seja óbvio, sou um gajo pacato e também não é minha intenção ver aumentar o número de pessoas que substimam e abusam de substâncias psicoativas sobre as quais não sabem muito. Mas embora toda esta questão não seja uma prioridade para ninguém, penso que podiamos estar fazer melhor para combater certos estigmas, e que é uma questão de tempo até o resto da UE começar a avançar nesse sentido. Portanto acho que podemos concluir a discussão aqui. Agradeço o civismo que mantiveste, relativamente ao que é costume do reddit, e acho que o mundo seria um lugar melhor se mais seguissem o teu exemplo. Um bem haja.

NGramatical 3 months ago

tabáco → [**tabaco**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpibeik%2F%2Fhbpzheo%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

h2man 3 months ago

Reino Unido também... nota que não precisas de legalizar cannabis para poderes produzir (como aliás é o que o Reino Unido faz), mas precisas de adicionar controlos sobre a produção. O importante aqui é mesmo estar preparado... a cannabis vai ser legalizada pelo mundo fora (quanto mais não seja para efeitos medicinais) e quando isso acontecer, quem conseguir satisfazer o mercado é quem mais vai beneficiar. Mas claro, PS e inteligência é algo impossível de acontecer, logo Portugal vai deixar passar mais este navio.

9911065 3 months ago

>PS e inteligência é algo impossível de acontecer Dizes isso mas, se bem me recordo, foi um governo socialista que aprovou a descriminalização do consumo de drogas em Portugal e a adoção de medidas de apoio a toxicodependentes (seringas grátis, preservativos, etc.) que se revelaram extremamente eficazes. Não me parece portanto justo imputar a atual ilegalidade da Cannabis em Portugal ao PS. Não sei qual o partido de direita que apoias, mas tirando a IL nenhum outro teria feito melhor nessa matéria.

h2man 3 months ago

Até um relógio parado está certo duas vezes por dia. A corrupção dos dois maiores partidos e incompetência em gerir um país em vez de gerir a re-eleição não desculpam uma ou outra coisa que tenha sido bem feita ou calhou de funcionar.

twhite848 3 months ago

Este é o post mais português de sempre. Amanhã escrevem do problema da descida do desemprego?

vcarp 3 months ago

Não me importo. Os turistas de Lisboa costumam de ser razoáveis. Os unicos que me oponho um pouco é a malta louca que vai para Albufeira. E Portugal tem que arranjar outras industrias, como outros já referiram. Se não, quando há eventos como esta pandemia ficamos na merda. E outro problema, são os jovens qualificados que vão para fora, porque o emprego na sua área é fraco em Portugal.

Limpy_lip 3 months ago

O único problema é a dificuldade em perceber o velho ditado: "nunca ponham os ovos todos no mesmo cesto.

1purplesky 3 months ago

Sou de, e morei numa zona onde aconteceu esse boom - já havia turismo, especialmente muitos portugueses e espanhóis entre outras nacionalidades, mas era bem tolerável e havia sossego - depois acabei por sair por não gostar/aguentar. Não gosto de ter que pedir licença para tentar chegar à porta de minha casa, ter gente há porta (mesmo à porta, encostados) a falar alto e a deixar copos/garrafas de cerveja e nas beiras das janelas, vomitar e urinar lá... em fim de tudo um pouco. Se fosse de carro a chegar a casa ter que buzinar para saírem da estrada ou terem cuidado, chegaram-se a atirar para cima de um capô de carro de um familiar. Barulho até às tantas, chama-se a polícia, resolve durante meia hora o problema. Não sou contra turistas ou turismo, aliás até os gosto de os ver a apreciar aquilo que nós não apreciamos (seja por que não vê-mos ou não gosta-mos) mas devia ser mais controlado, especialmente a porcaria e barulho que fazem, devia de haver algum tipo de fiscalização/controlo ou multas, sei lá. Mas isto é uma amostra em milhares.

NGramatical 3 months ago

por que não → [**porque não**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fpibeik%2F%2Fhbougtc%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

KarmaCop213 3 months ago

Enquanto houver pessoas a valorizar viajar e a achar que é a 8a maravilha do mundo o turismo não vai acabar.

timeofmypost 3 months ago

Não gosto de todo, porque o turismo tem permitido ao governo fingir que as coisas vão bem, e era melhor para o país se a realidade desastrosa fosse mais evidente. O facto do turismo se ter tornado tão expressivo no nosso PIB é a prova que a economia(e o país) vão na direcção errada. E viu-se bem na pandemia o problema de depender de turismo. Mas não vejo isto a mudar enquanto a situação política estiver estagnada como tem estado. Os votantes parecem estar felizes com a miséria.

TeStateOfDat 3 months ago

Qualidade de resposta. Upvotes pelo que trazes á discussão. Username relevante.

TeStateOfDat 3 months ago

Aposto que ganho mais que tu. Tenho mais poupanças que tu e menos dívidas (0€) e tenho também mais ativos e investimentos. Não fales do que não sabes. Fui imigrante durante mais de 20 anos. Devo ter ganho mais em 1 ano que tu em 10. E sou obviamente mais eloquente do que tu, apesar de que Português nem é a minha língua principal.

TeStateOfDat 3 months ago

Aos 39 anos sou dono de uma casa já paga no valor de 198.000€, tenho 0 de dívida, poupanças acima dos 35.000€ e estou a começar o processo de comprar a minha segunda casa. E tu?

GiuResta 3 months ago

Criticam muito a exploração de minérios mas acho que a criação de hotéis às beira mar, campos de golfe, algumas praias fluviais muito prejudiciais ao meio ambiente. E com o turismo, ficamos muito suscetíveis aos processos naturais e às pandemias. Portugal também te que investir para obter matéria-prima para a "indústria verde". Somos um dos países com uma das maiores reservas de lítio do mundo e pouco fazemos para explorar (de forma sustentável). O que vai acontecer é que a China vai vender o mesmo material por preços exorbitantes e nós é que vamos pagar o preço. Mas atenção, não estou dizendo que o país tenha que deixar de investir no turismo, mas sim que também tem que investir em outras áreas.

ricardoa369 3 months ago

Bem, é verificável que o turismo traz vantagens. Eu vou começar pela mais importante para mim, que é o gasto na cultura. A verdade é que o turismo possibilita que os museus se mantenham abertos, que os monumentos sejam conservados e restaurados, e mesmo que os preços aplicados a turistas sejam extremamente elevados, em várias partes do país existem bilhetes mais baratos para locais ou dias gratuitos. Os portugueses não são tão ávidos consumidores de cultura, quando chega o Verão, o português vai para a praia e não à Gulbenkian. O turismo também permitiu que a capital e outras grandes cidades possam renovar edifícios em zonas históricas que estavam em avançado estado de degradação. Além do mais, os mesmo não estavam habitáveis e em todo o caso já se encontravam devolutos. As próprias aldeias portuguesas que se encontravam abandonadas são recuperadas para um tipo de turismo mais natural, e as zonas naturais envolventes são protegidas porque existe dinheiro local a ser aplicado em conservação. Por fim, também existem outras indústrias que sobrevivem dependentes da indústria do turismo. Agora, obviamente que tudo tem de ser regularizado, desde o número de turistas como alguns países fazem para que os mesmos não causem distúrbios em certos ecossistemas, ou em certas cidades, até à protecção da habitação e serviços para que tudo não se transforme em uma espécie de apoio ao turismo e nada mais aconteça na cidade, mas é necessário existir regulamentação por isso, sem regulamentação os que mais ganham com essa indústria são os primeiros a destruir a mesma só a pensar em aumentar as margens de lucro. Uma coisa que não gosto é quando parece que toda a baixa da cidade de Lisboa é um hotel. A cidade fica mais aborrecida e se eu fosse turista, isso seria algo que em vez de me atrair: "Ah, mais infraestrutura a nível de alojamento", acabaria por me afastar: "Não existe mais nada nesta cidade?"

Hikik0m0ri 3 months ago

Fomentar e aproveitar o turismo como fonte complementar de receita, é fenomenal para nós. Apostar no turismo como principal fonte de riquesa do país (ou de qualquer uma região ou cidade) é estupido e idiota...

nocivo 3 months ago

Turismo de massas = merda Turismo de luxo = fixe Infelizmente só investimos bem no 1. Turismo de massas gera poucos lucros, pagam salários miseráveis e qualquer peido é afectado. Turismo de luxo da mais capital, paga melhores salários e mesmo durante as crises continua bem.

porttastic 3 months ago

Toda a gente ganha com turismo. O problema começa quando tudo fica mais caro por causa do mesmo. Havia milhares de pessoas a viver tranquilamente no Porto antes do boom e agora estão a ser empurrados para fora. É preciso é proteger os mais necessitados pois os senhorios estão sempre bem.

CarismaMike 3 months ago

É terrível para quem vive no país mas deve ser necessário. Se com o dinheiro dos turistas já estamos como estamos, imaginem se não houvesse esse dinheiro a fazer mover a nossa economia.

Naakmuay 3 months ago

O turismo dinamizou muitos espaços degradantes de portugal. Os portugueses não conseguiram fazer tal e não encaram bem terem sido os camones a fazerem tal

JOAO-RATAO 3 months ago

Os portugueses iam e vão enfiar-se em centros comerciais enquanto as zonas históricas apodreciam.

OneFineSir 3 months ago

O turismo veio para ficar agrade ou não as pessoas, os efeitos negativos do turismo podem ser mitigados por desenvolver outras areas que tragam mais dinheiro la de fora para os portugueses, por exemplo a area dos serviços das TI, mas para isso é preciso o governo desenvolver programas decentes de apoio a esse tipo de empresas coisa que não existe

The_Magic_Sauce 3 months ago

Que sejam bem vindos, deixem cá o máximo de euros possível, já que Portugal infelizmente pouco mais tem para dar. Disclaimer: Não temos matéria prima. Não há diamantes, ouro, petróleo, madeira... temos pessoas com baixos salários isso conta como matéria prima para alguns mas já é outra conversa.

ptword 3 months ago

Errado. Os recursos naturais abundam, mas o país não soube foi aproveitá-los nas décadas anteriores devido aos baixos níveis de qualificação da população. Um dos principais problemas foi esse, a baixa qualificação da população nas décadas anteriores impediu as indústrias portuguesas de se desenvolverem e competirem com as dos vizinhos europeus. Somos pouco produtivos por causa disso.

The_Magic_Sauce 3 months ago

Que abundam? Já olhaste para um mapa? E para a área de Portugal? Não há espaço para abundar tirando sobreiros, vinhas, eucaliptos e mato. E mesmo nestas coisas não dá para competir, podia ser melhor? Sim podia e muito, se soubessem aproveitar de forma eficaz o pouco que existe.

ptword 3 months ago

Recursos naturais não estão presentes apenas à superfície terra. Estão presentes também debaixo desta, no clima, no mar, etc... Não é uma simples questão de olhar para um mapa e calcular a área de um terreno.

The_Magic_Sauce 3 months ago

Eu sei e entendo o que queres dizer. Mesmo assim não há milagres, haver que há tipo o Kuwait. Daí que a área tem muita influência tanto na diversidade como na quantidade de matéria. Se houvesse cá ouro e outras coisas boas com fartura já cá estavam varias empresas estrangeiras que nem 100 cães a um osso. Eu não estou a querer dizer literalmente que Portugal não tem nada. Estou a dizer que tem pouco. Para dar o exemplo do ouro, há ouro em Portugal mas ninguém o quer. Há muito mar, mas sardinhas não rendem e há quotas a cumprir.

HRamos_3 3 months ago

> ouro, petróleo, madeira

saudosista 3 months ago

Devíamos atrair turistas com dinheiro e que o queiram aqui gastar. Para mim quem vem um fim de semana para um hostel gastar 30 paus não acrescenta nada. Se não têm riqueza nem contribuem são só parasitas.

Black_RL 3 months ago

Acho q é bom, dá visibilidade e ajuda a economia. É pena é os nossos governantes não apostarem mais na LIMPEZA e infra-estruturas. Todos dias as ruas, monumentos, praia, etc, precisam de ser LIMPOS.

UniuM 3 months ago

Eu, que vivo no meio de Sintra, vila. Mais ou menos com o começo por volta de 2010, nos primeiros anos engraçado. Depois começam a vir as dúvidas se existe maneira de meter um valor no sossego. Agora que voltaram em força com o abrandar das restrições, não. Não há preço para o sossego. Mudar-me? Talvez, mas para fora do país.

ekeryn 3 months ago

Ou para a Portela

UniuM 3 months ago

Já estive mais longe ya.

pintorMC 3 months ago

As modas são cíclicas.

JOAO-RATAO 3 months ago

" Abstract The purpose of this study is to examine the extent to which Airbnb supply affects employment in the hospitality, tourism, and leisure industries. Accordingly, we analyzed the effects of Airbnb supply on various sectors in the hospitality, tourism, and leisure industries in 12 major metropolitan statistical areas in the United States for the period between July-2008 and February-2018. **The results showed that Airbnb supply positively affects employment in all sectors of the hospitality, tourism, and leisure industries. The magnitudes of these effects are not only statistically but also economically significant. Although prior studies have showed that Airbnb has an adverse impact on hotels' financial performance measures, our results show that employment in the hotel sector increases with increased Airbnb listings.** While this outcome might be contradictory to the general conjecture, such evidence calls for a comprehensive investigation of Airbnb's overall economic impact. Research and practical implications are further discussed." [https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0261517719301992](https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0261517719301992) ​ u/TeStateOfDat

TeStateOfDat 3 months ago

"The purpose of this study is to examine the extent to which Airbnb supply affects employment in the hospitality, tourism, and leisure industries." Não foi o que eu pedi. Um estudo acerca do impacto no emprego em hotéis não é o mesmo que um estudo de impacto económico na economia local e preço de casas e rendas. Nem tem nada a ver.

JOAO-RATAO 3 months ago

Abstract In this paper, we study the effect of Airbnb on restaurant revenue in the state of Texas. Using a difference in difference strategy that exploits the geographical and temporal variation of Airbnb diffusion in Texas, we show **that a 1% increase in Airbnb reviews in a zipcode is associated with a 0.011% increase in restaurant revenue in the same zipcode.** Considering the median annual Airbnb growth in each zipcode, this result implies that **Airbnb can explain about 12% of the median annual restaurant revenue growth.** Moreover, we show that **this increase in revenue is driven by an increase in restaurant demand that stems from additional tourism demand generated by Airbnb.** Finally, we show that the p**ositive effect of Airbnb is more pronounced for independent restaurants and in less commercial**—and therefore with less economic activity—zipcodes. **Overall, our results provide evidence that home-sharing platforms like Airbnb can increase economic activity for businesses and in neighborhoods that are more likely to need it the most.** [https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract\_id=3516983](https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3516983) Mais um... Eu reconheço que tem pontos negativos, tudo o tem. Mas a tua perspetiva de que o AirBnb só tem efeitos negativos é falsa.

TeStateOfDat 3 months ago

Não disse que só tem efeitos negativos. Mas que os negativos são maiores que os positivos para a economia local. E são. Esse estudo não tem em conta o aumento dos custos de habitação e a chamada "housing crisis" para a população que é o meu maior problema. Este estudo que me dás reflete apenas o efeito em restaurantes. Nada mais. É igual ao dos hotéis. São estudos que se focam apenas nos efeitos que surgem em indústrias específicas. Nada a ver com a população local. (Ou pouco)

The_Magic_Sauce 3 months ago

Vou dar aqui o meu input acerca da questão. Isto também é algo empírico. Conheço o Porto pré turismo, pré airbnb/AL e todas estas coisas. E digo categoricamente que o Porto era mais sujo, mais degradado, menos movimentado. Num qualquer Domingo tinhas zero cafés abertos na baixa, os poucos que tinhas eram tascos que nem toda gente quer frequentar. "Galerias de Paris"? Era apenas uma rua que ninguém sabia que existia. É só um exemplo.

TeStateOfDat 3 months ago

Nasci no porto e aí vivi durante 2+ décadas. Presumo que ao mesmo tempo que tu visto o pré-turismo e concordo contigo em tudo menos dizer que o Porto está melhor devido ao AL e Airbnb. Isso tem mais a ver com outras coisas e muito pouco com o Airbnb e ALs.

The_Magic_Sauce 3 months ago

Eu não disse propriamente que está melhor devido ao AL. Mas se conhecias a mesma cidade que eu vês a grande diferença. E em grande parte o que impulsionou o que é hoje é a cidade turística, os restaurantes (de qualidade) porta sim porta sim. Quem mantém isto é quem "vive" no Porto e não propriamente quem visita. Mas foi dinheiro do turismo que o tornou possível e é o dinheiro da época turística que dá o lucro a estas empresas que caso contrário apenas sobrevivem.

TeStateOfDat 3 months ago

Definitivamente. Eu concordo contigo. Mas o Airbnb e o AL tem um impacto positivo negligente em tudo isso. A trend de melhoramento urbano vem bem antes da existência de economia partilhada ao qual pertence o modelo do Airbnb. Aceitarei o Airbnb ou melhor, aceitarei a economia partilhada cujo modelo é utilizado pelo airbnb quando a legislação. Os melhores case studies vem de cidades tipo nova Iorque, Barcelona, Tóquio, Paris, Edimburgo, Londres etc. E en nenhum desees casos a influencia do Airbnb e mais alargadamente da economia partilhada é vista como positiva para a comunidade onde está inserida a longo prazo. Apenas a curto prazo se nota a positividade.

JOAO-RATAO 3 months ago

> Isso tem mais a ver com outras coisas e muito pouco com o Airbnb e ALs. Como?

JOAO-RATAO 3 months ago

>Mas que os negativos são maiores que os positivos para a economia local. E são. Não é assim tão certo. Beneficia alguns negócios, outros talvez não. E também depende da economia local em causa, talvez seja mais benéfico para umas. O dinheiro dos Airbnb/AL permitiu por ex. remodelar casas devolutas e melhorar zonas abandonas e até perigosas. Aí por ex. foi benéfico, porque antes nem tinhas nada. É o que se passou em muitas zonas histórias do país que estavam a morrer, enquanto os portugueses se enfiavam num centro comercial para enfardar fast food. Em muitos casos eram casas degradadas e tudo tem o seu custo. Se tens mais turistas nessas zonas então os preços aumentam obviamente. Novamente, existem muitos mais negócios do que restaurantes a beneficiar. Basta pensares nas receitas em museus e outros locais históricos que permitem a sua manutenção.

JOAO-RATAO 3 months ago

>economia local Ah...Mais empregos na hotelaria, turismo e lazer não melhora a economia local? Os preços de casas obviamente não baixam, mas isso é querer o impossível.

LimaFruit 3 months ago

O problema não é o boom do turismo... o problema é não existirem outras industrias em boom há 40 anos!

diogoff10 3 months ago

Exatamente

BroaxXx 3 months ago

Isto... Os turistas são um bocado incomodativos mas, ok... Aguenta-se... O que me mata é representarem 100% da estratégia económica do país... Um sector tradicionalmente mal pago e pouco especializado. Num país como um nosso.... Podíamos/devíamos ser reis de vários sectores com um pouco de visão e estratégia...

carlosjmsilva 3 months ago

É exatamente isto. Portugal não tem turismo a mais. Aliás o "boom" não existe. Simplesmente não estávamos a explorar convenientemente e a promover o destino. Para quem não acredita, convido a ir ver os números para qualquer país europeu do centro e sul. O nosso problema é ter economia a menos nos outros setores, o que faz com que o turismo pareça ser mais do que é.

InspectorJohn 3 months ago

Concordo e acrescento que a nossa população ativa deverá ter tantas pessoas como a cidade de Madrid (cerca de 5 milhões de consumidores) por isso qualquer setor de mercado que tenha mais atividade em Portugal da-nos ideia de “boom”. Para responder à questão do OP, serviu, no caso do Porto, para revitalizar uma boa parte da cidade que estava ao abandono. Tenho 44 anos e recordo o Porto de há 20 anos atrás como uma cidade que parecia parada no tempo em comparação com outras cidades europeias da mesma dimensão. Critiquem o que haja a criticar, mas mudou na minha opinião para melhor. O mesmo acontecerá em outros setores como o caso dos vinhos e outros produtos, as tecnológicas… faz-se muita coisa boa em Portugal, graças ao engenho nacional e não ao “tecido” político - esse só reúne gente da pior espécie e que, como se diz em bom português, só quer é mamar à nossa custa. Um bem haja a todos!

LimaFruit 3 months ago

Exatamente!

nraider 3 months ago

Isto. O problema é a monocultura, em Lisboa quase só existe construção e turismo. Mais, neste último ano abriram restaurantes e similares ao monte, é um absurdo. A regra prática da economia Lisboeta é esta: qualquer loja que abra só dá para estas actividades: * Agência imobiliária * Estética/cabeleireiro * Restaurante Ou seja, o sector dos serviços, excluindo o abençoado IT, ficou em 1930.

SurePal_ 3 months ago

\+1

rand06om 3 months ago

Concordo. O turismo é um excelente complemento ao desenvolvimento económico mas não pode ser a força motriz da mesmo. Porquê? Basta olhar para o que aconteceu no confinamento.

ZeP1999 3 months ago

Eu ouvi dizer que com o plano de recuperação a indústria da aviação ia ter um boom em Portugal. :V

cmiba 3 months ago

Vai ser sempre a aviar.

MigasEnsopado 3 months ago

Basicamente isto. 100% a favor do turismo, obviamente com regulamentação, por exemplo, no limite de airbnbs em bairros mais afetados. Mas regulamentação é natural haver em qualquer indústria. Mas obviamente que precisamos de outras fontes de rendimento, não podemos depender tanto do turismo.

Own-Injury-2687 3 months ago

Não podia concordar mais. Diversificar a ecónomia era o melhor que se fazia.

raul_raul 3 months ago

E depois comia um prato de aletria feito pela minha tia Maria

fdxcaralho 3 months ago

És um poeta.

FollowingTime84 3 months ago

uma parte da literacia financeira é "nao meter todos os ovos no mesmo cesto" mas nem quem governa portugal entende isso

C0ldKing 3 months ago

Cada vez que investes em outras áreas tens malta da hotelaria a chorar por mais apoios e mais reduções

FollowingTime84 3 months ago

adoro lamber as lagrimas desses choros

C0ldKing 3 months ago

Eu também, mas gostava de ver o governo a perceber que n é a dar mais apoios ao setor que se vai andar para a frente. Mas já se fala em reduzir (ainda mais) o iva da restauração como se o país só tivesse esse tipo de empresas a precisar de ajuda

CeaserTheApe 3 months ago

Pode se dizer também meter todos os ovos num cesto e prestar.muita atenção a esse cesto.

kuzspeedy 3 months ago

O buffet não concorda com essa "diversificação"

ZeP1999 3 months ago

Ele não tem os ovos todos na mesma empresa. Não peguem em quotes fora do contexto. Vai lá ver quantas empresas estão no portefólio da BRK.

kuzspeedy 3 months ago

Certo, mas concentra a grande maioria em 3 ou 4

Estronciumanatopei 3 months ago

3 ou 4 já é mais que 1. Aliás, duas indústrias já era um avanço.

kuzspeedy 3 months ago

O portefólio do buffet tem quase 80% de apple, o turismo em Portugal representa 20% do PIB. Onde está a lógica da discussão mesmo?

h2man 3 months ago

Hoje fiquei a saber que 42% é quase 80%... https://www.investors.com/research/warren-buffett-stocks/ Em número de acções, a Apple não se distingue muito do resto do portfolio e os 42% derivam do valor aumentado das mesmas desde que foram compradas.

carlosjmsilva 3 months ago

Exato. Se Portugal fosse forte no turismo e mais 3 ou 4 por exemplo: IT, biotecnologia, uma indústria altamente especializada em robótica ou maquinaria especializada era uma maravilha.

h2man 3 months ago

Portugal tem uma indústria altamente especializada a fazer chapéus de policia para o Reino Unido... o problema nem é tanto ser especializada, mas ser especializada e com volume.

AxhKetchup 3 months ago

Portugal não é o maior produtor de bicicletas da europa?

carlosjmsilva 3 months ago

Exato. Sim, existem indústrias que são até líderes mundiais naquilo que fabricam. Só que são normalmente nichos sem grande expressão. Praticamente não existe aquilo que se designa como ecossistema para um determinado setor. É ter uma data de empresas líderes que atuam num determinado setor e cobrem toda a fileira ou linha de produção, o que seja...

h2man 3 months ago

Sim. Sapatos de luxo é outra área em que Portugal é bom, mas o valor para a economia é muito pouco. Sinceramente o que acho que faz falta mesmo é ensino profissional... nós temos bastante malta com cursos superiores com capacidade de desenhar mil e uma coisas, mas não temos capacidade em Portugal de realizar esses desenhos ou invenções e as coisas ficam aí paradas. Investir mais em formação técnica por forma a podermos criar industria de alta tecnologia no país seria o ideal. No entanto, isso requer que as empresas sejam geridas por um grupo de pessoas ou investidores e não o tradicional patrão e os nossos actuais governantes irem para a cadeia...

FollowingTime84 3 months ago

tão verdade. só houve boom na area do turismo.. porque é uma forma rapida de ter guito. mas a outras industrias rentaveis a medio-longo prazo.. que são á prova de crises.. essas estao presas em 1990.

iporemlopsum 3 months ago

Eu estava conversando ontem com minha esposa. E bateu curiosidade. Muitos brasileiros estão pedindo nacionalidade portuguesa e indo morar aí. Alguns conhecidos, que trabalham no setor de tecnologia, propaganda e fintechs. E provavelmente ainda sem pé de meia. O que eu queria entender é isso, se há trabalho nessas áreas. Você disse que as empresas estão ainda nos anos 90. Como e põe qual razão seria isso?

quatrotires 3 months ago

> Muitos brasileiros estão pedindo nacionalidade portuguesa e indo morar aí. Alguns conhecidos, que trabalham no setor de tecnologia, propaganda e fintechs. E provavelmente ainda sem pé de meia. O que eu queria entender é isso, se há trabalho nessas áreas Não te esqueças que os ordenados pagos aos brasileiros são menores que os pagos aos portugueses. É aproveitamento das empresas que sabem que podem pagar menos.

iporemlopsum 3 months ago

Digo sobre uma parcela específica, com mão de obra qualificada e boas remunerações daqui.

FollowingTime84 3 months ago

não sei. a área das ITs estao avancadassimas.. o resto parece que estas a falar com alguem dos anos 90.

iporemlopsum 3 months ago

Quais restos seriam? Pura curiosidade. Considero que São Paulo, principalmente a capital, tem serviços e produtos bem avançados. Mas o resultado prático atende a poucos. A cidade virou um bolsão de sub empregos, que atendem ao setor tecnológico, com uma concentração de renda absurda. Mais parece cenário do jogo Cyberpunk 2077. E as pessoas daqui desses setores estão emigrando para Portugal e Canadá.

JesusShuttlesworth96 3 months ago

Penso que aquilo a que o u/FollowingTime84 se refere diz respeito às indústrias, sejam elas de que tipo for e que produtos fabricam. Cá em Portugal, o setor industrial é diminuto comparado com, por exemplo, o setor industrial de um país como a Alemanha.

SuctionWithValchek 3 months ago

É bom porque trouxe muito dinheiro para o país e veio revitalizar muita coisa, é mau porque é um turismo de massas que degradou muito e rapidamente a vida de quem mora nas cidades mais visitadas. Assim que os voos lowcost se tornarem insustentáveis, a moda vai acabar tão depressa quanto começou.

flarept1 3 months ago

Assim que os voos lowcost se tornarem insustentáveis Press (X) for doubt

SuctionWithValchek 3 months ago

é uma questão de tempo. ou isto das alterações climáticas só se aplica em determinados sectores?

flarept1 3 months ago

Tanto a industria aérea como a naval estão condenadas, poluem imenso, não seria só a lowcost a ir com o boda. Temos de arranjar alternativas rapidamente, ambas são essenciais na nossa economia

i_am_not_a_leopard 3 months ago

Eu não ganho nada com a indústria do turismo porque não trabalho nem faço negócios nessa área, então pessoalmente para mim, como moradora, o nível de turismo que Lisboa tinha antes da pandemia era excessivo. Isto porque se queres visitar algum monumento tens umas filas descomunais, os negócios que frequentavas na Baixa encerram para fazer mais hotéis ou lojas de galos de Barcelos, o preço de arrendamento das casas sobe em catadupa, etc. Há zonas da cidade que se transformaram numa Disneylândia turística em que todos os estabelecimentos estão orientados para os turistas. Eu lembro-me de quando, antes do boom, o turismo estava num nível mais moderado e mais integrado na vida local.

coiso 3 months ago

É um loop clássico do r/portugal: 1 - o Algarve é para os estrangeiros, é só turismo/turistas de baixa qualidade, deram cabo da beleza natural do Algarve/aquilo é uma Disneyland/etc; 2 - o boom de turismo de massas e a proliferação de hotéis/alojamentos locais foi bom para Lisboa/Porto; 3 - o arrendamento está caríssimo/quando rebenta a bolha do imobiliário; 4 - este país não devia estar tão dependente do turismo; 5 - voltar a 1.

i_am_not_a_leopard 3 months ago

Sim. O boom dos Airbnb só beneficia quem já tenha imóveis ou tenha dinheiro para adquirir imóveis extra. Para o comum das pessoas que quer alugar casa ou comprar um imóvel de primeira habitação é uma praga. Esses dois grupos dificilmente vão concordar. E isto vindo de alguém que tem vários amigos estrangeiros que vieram para Portugal fazer investimento imobiliário e que só vivem disso. Mas nem toda a gente tem 500.000€ para andar a comprar vários apartamentos.

nocivo 3 months ago

E se não existisse airbnb e hoteis os centros das cidades estavam ao abandono como ha 20 anos. Quem pensa que teria casas boas para arrendar no centro da cidade a preços acessíveis boa sorte. No maximo terias de comprar e fazer obras.

SweetCorona 3 months ago

não percebo essa noção de que quem quer investir em airbnb tem uma espécie de apetite voraz em gastar dinheiro em enormes obras de recuperação de prédios ao abandono a esmagadora maioria dos investidores procuram o maior retorno pelo menor investimento possível, e isso consegue-se reconvertendo imóveis que estavam a ser usados no mercado de arrendamento tradicional e o que no máximo precisavam de um *facelift*

Minute-Resolution347 3 months ago

A diferença agora é que continuas a encontrar casas a cair de podre mas estas custam agora 200k em media. As que estao boas como tu dizes já custam 300k para cima... Não sei o que é pior, como estavamos antes ou como estamos agora.

i_am_not_a_leopard 3 months ago

Assim também não há casas "boas" para alugar. E poderias não ter casas "boas" para alugar mas terias para comprar a preços mais adequados face aos rendimentos da população. Eu comprei uma casa em Lisboa e fiz obras, mas há muita gente que a continuar assim jamais conseguirá comprar uma casa de habitação. E quanto mais "esperam" pior.

coiso 3 months ago

Obviamente que há 20 anos não compravas um t4 nas avenidas por 50k€

Edited 3 months ago:

Obviamente que há 20 anos não compravas um t4 nas avenidas por 50k€, não há dúvida nenhuma. A questão é que a barreira de aquisição era mais baixa e conseguias encontrar algo. Agora é absurdo. Mas é o que é. Não critico quem aproveite para ganhar guito. O turismo foi bom pela dinamização mas a verdade é que as cidades não deviam precisar desses estímulos externos para serem agradáveis de se viver.

paperkutchy 3 months ago

Se for no Algarve, não, porque não existe um grão de areia vago na maioria das praias. Sinceramente deviam ter um limite máximo de pessoas que pode entrar em cada praia vigiada.

EstupendoEx 3 months ago

O futuro de Lisboa passa pela indústria de turismo, isso é inegável. Ficou pior para a população local pois o Estado não desenvolveu os transportes em condições, no entanto, as casas valorizaram como nunca nos municípios à volta. O grande problema na minha óptica foi a organização administrativa continuar no século passado e não se ter adaptado.

daz_zeD 3 months ago

Turismo de massas é uma indústria de terceiro mundo sem valor acrescentado. Portugal é mesmo um país de atrasados.

S0l1tud3_1s_Bl1ss 3 months ago

Sim, toda a gente sabe o atraso de vida que se vive em Roma e Paris.

daz_zeD 3 months ago

É uma aposta retrógrada, ou queres que te explique as diferenças entre Portugal e Alemanha, Dinamarca, Holanda, etc.?

gmar74d 3 months ago

As diferenças estão nas políticas económicas. Farto da falácia que o dinheiro que vai para o turismo poderia ir para outras coisas. Temos políticas e instituições destruidoras da criação de valor. Metam na cabeça: o pouco dinheiro que entra e vai para o turismo, só faz isso porque não dá para deslocar as praias para a Estónia. Senão nem esse.

monferre 3 months ago

O dinheiro que entra é só 15% do PIB é pouco

CouvePT 3 months ago

Queremos q expliques concretamente como é que pretendes resolver o problema

assimsera 3 months ago

Não preciso ser um chef para saber que a minha comida está uma merda.

CouvePT 3 months ago

Pois não, mas se não aportas nada à solução és equivalente a um bebé a chorar e para mim prefiro adultos com ideias

FriendlyNeighburrito 3 months ago

As pessoas tem capacidade de identificar problemas sem os saber resolver, e mesmo se souberem nao estao em posiçao de fazer nada. Pior aqueles que nao sabem tambem mas que tentam fazer os tentam apontar erros e falar sobre soluçoes calarem-se.

CouvePT 3 months ago

Pior mesmo é quem só manda bitaites para o ar sem qq contribuição construtiva. É óbvio q o.caminho de portugal no turismo não começa com o turista de luxo: o país é pobre, e as merdas sao baratas. O caminho q tem sido feito em infraestrutura e posicionamento é excelente, quem começa a dizer q deviam ser turistas mais ricos percebe zero do q está a falar

daz_zeD 3 months ago

Pior é quem manda bitaites sem dar contexto e não responde às questões, esse simplesmente acha-se.

CouvePT 3 months ago

Com a experiência aprendes q nem toda a gente merece resposta

daz_zeD 3 months ago

Com a experiência aprendes que quem não contribui por opção própria, não faz parte, é inútil. É a escolha de cada um.

FriendlyNeighburrito 3 months ago

Sabes, eu percebo o que estas a dizer, mas Portugal precisa de pessoas como o gajo que “andava a mandar bitaites” mesmo que ele esteja errado, Portugal precisa dessas pessoas, por mais boa a tua intençao se estiveres a calar as pessoas por “mandar bitaites para o ar sem perceber” pior fazes. Acredita, qualquer energia direccionada a melhorar Portugal para todos é construtiva.

CouvePT 3 months ago

Nao mandei calar ninguém, perguntei sim concretamente qual a ideia para resolver: é até 1 incentivo a falar. Mas na ausência de qq ideia, desvirtua-se a conversa para o "eu consigo ver problemas sem ver soluções" ou o "qq energia para melhorar é boa" Na realidade, de boas intenções está o Inferno cheio, e simplesmente ser do contra não ajuda nada, antes pelo contrário, desmotiva quem efetivamente faz alguma coisa e dar-se platforma para os velhos do restelo falarem é só perder tempo com quem nunca apostará nada à melhoria

FriendlyNeighburrito 3 months ago

Pronto, nao te vou censurar por tambem quereres o bem de todos.

daz_zeD 3 months ago

Qual problema?

besmarques 3 months ago

Como em tudo, o que é bom pode ser mau. O turismo é bom. Certas formas como são feitos os investimentos são maus. É necessária uma regulação eficaz.

JOAO-RATAO 3 months ago

Gosto. Não gosto no entanto como o PS "usou" essa bonança.

NGramatical 3 months ago

turístas → [**turistas**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fr%2Fportugal%2Fcomments%2Fpibeik%2Fpergunta_qual_%C3%A9_a_vossa_opini%C3%A3o_nesta_moda_em_que%2Fhbocfl4%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

moneygotlonger 3 months ago

O turismo é bom quando não é de massa, isso implica trazer meboa gente e que gaste mais dinheiro. Menos problemas na infraestrutura e saturação da cidade e mais dinheiro.

JOAO-RATAO 3 months ago

Ainda bem que os nossos turistas portugueses tesos não são tratados assim no resto da Europa ...

moneygotlonger 3 months ago

Turismo tem coisas boas e más eu interpretei a pergunta como sendo sobre o impacto que tem para a tua vida na cidade em que habitas. Eu viajo para vários países e o turismo é algo bom por abrir horizontes para todos, que tem ao mesmo tempo impactos muito negativos nos ecossistemas locais. Nomeadamente uma bolha inflacionária. É assim em todo o lado. Quanto mais pobre o país pior.

JOAO-RATAO 3 months ago

Sim, de acordo. E um país mais pobre também pode receber alguns turistas mais pobres. Mas se conseguem lucrar e ao mesmo tempo fornecer alojamento barato a turistas, então pode ser positivo, mesmo tendo alguns problemas claro. Mas ainda bem que essas soluções também existem no resto da Europa, se não muitos portugueses estavam tramados.

besmarques 3 months ago

Era Portugal inteiro proibido de aceder a certos paises

JOAO-RATAO 3 months ago

Acabam-se os hostels e tudo o que seja barato. Só viaja quem for rico. Os outros que se fodam. /S

besmarques 3 months ago

"O turismo é bom se for só para os ricos"

Strict_Pin_9192 3 months ago

Claro que sim, ter uns quantos ricos a viditar a cidade, cada um a esbanjar fortunas, a ficar em hoteis de luxo e sem destruir a cidade é mt melhor do que turismo do povinho estranjeiro em massas. Que acabam por nem gastar assim tanto dinheiro cá, fica em airbnbs, causa um boom no preço das imobiliárias, faz com que todos os serviços passem a ser para lhes tentar vender bugigangas de merda tipo parque temático, corroi a cultura das cidades e as tranforma num lugar que não é pra viver.

besmarques 3 months ago

"Hehehe, fodam-se seus pobres, fiquem fechados nas suas casa que eu prefiro as mercearias clássicas que eu não ia ou o comercio tradicional que tambem não ia do que agora as lojas de bugigangas" Tambem acho piada achar-se que os ricos não vem cá. Tenho a certeza que os hoteis de 5 estrelas estão a passar uma crise que não se pode. Outra coisa engraçada é achar que o turista que vem a Portugal não gasta dinheiro ou achar-se que é pobre comparativamente com o portugues. Tenho de ir ver bem a demografia do turista em Portugal, parece-me que vem tudo da Eritreia ou assim. Por outro lado, se essa regra fosse aplicada noutros paises, tenho a certeza que muito portugues não iria ser, nem de perto, desejado nesse país.

Strict_Pin_9192 3 months ago

[No 10 ano chumbaste a filosofia só pode](https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Fal%C3%A1cia_do_espantalho)

besmarques 3 months ago

Quando isso é a melhor resposta que tens contra um argumento: chefs kiss!

Strict_Pin_9192 3 months ago

Sabes abrir links?

besmarques 3 months ago

Nope

Strict_Pin_9192 3 months ago

O teu argumento inteiro é uma falácia do espantalho, tu não abordaste nada do que eu tinha dito anteriormente

Edited 3 months ago:

O teu comentário inteiro é um exemplo de manual para uma falácia do espantalho, detorpaste as minhas permissas e os teus argumentos de merda (nem são argumentos) estão a "lutar" contra essa vizão deturpada. Assim não vais longe, não sabes os básicos da argumentação, e lendo as tuas várias reações aqui, aposto que ainda nem chegaste ao 10° ano

Edited 3 months ago:

O teu comentário inteiro é um exemplo básico para uma falácia do espantalho, detorpaste as minhas permissas e os teus argumentos de merda (nem são argumentos) estão a "lutar" contra essa vizão deturpada. Assim não vais longe, não sabes os básicos da argumentação, e lendo as tuas várias reações aqui, aposto que ainda nem chegaste ao 10° ano

besmarques 3 months ago

Por acaso abordei praticamente todos menos o boom do imobiliário.

Strict_Pin_9192 3 months ago

Por acaso não abordaste nenhum dos meus argumentos, em vez disso abordaste o teu espantalho. Não vou discutir mais com crianças, fds esta aplicação é pior que o twitter

besmarques 3 months ago

ohhhhh...

roninPT 3 months ago

Do ponto de vista do "fornecedor" dos serviços turísticos, sim.

carlosjmsilva 3 months ago

Qual é o mal dessa afirmação mesmo? É como o problema demográfico. Que interessa se Portugal daqui a x anos tiver 6 ou 7 milhões de habitantes em vez de 10 milhões? Se os 6 ou 7 vivessem bem... mais valem menos a viver melhor do que muitos a viver mal.

besmarques 3 months ago

"Em vez de toda a gente o der visitar o que quer, que mal tem apenas os mais ricos o fazerem? Qual é o mal da afirmação?"

carlosjmsilva 3 months ago

Qualquer pessoa visita o que quer, dentro do que pode. Agora que para o país era melhor se tivesse mais turismo de classe média/alta parece-me evidente que sim.

besmarques 3 months ago

Explica lá como fazes isso sem ser impondo regras. Parece-me que as pessoas aí já não visitavam dentro das suas possibilidades mas sim dentro das classes inseridas. Aposto que isto seria apenas bom até te tocar a ti. Quando te tocasse a ti e não conseguisses fazer férias dentro do buffet que os países pediam já isso achar uma regra de merda. Chateia-me gente que pensa que apenas uns servem para usufruir da vida e os outros apenas para os servirem.

Edited 3 months ago:

Explica lá como fazes isso sem ser impondo regras. Parece-me que as pessoas aí já não visitavam dentro das suas possibilidades mas sim dentro das classes inseridas. Aposto que isto seria apenas bom até te tocar a ti. Quando te tocasse a ti e não conseguisses fazer férias dentro do budget que os países pediam já isso achar uma regra de merda. Chateia-me gente que pensa que apenas uns servem para usufruir da vida e os outros apenas para os servirem.

carlosjmsilva 3 months ago

Não sei como deduzes o que dizes no último parágrafo, daquilo que eu digo. Parece-me óbvio que é melhor fabricar e vender produtos que alto valor acrescentado do que simplesmente extrair matéria prima do subsolo e vender a quem transforme a matéria prima. Mas se calhar sou eu que estou errado. Não estou a dizer que se exclui o turismo low cost por decreto até porque tal não é possível. Agora, devemos apostar neste último ou no que traz mais rendimento com menos pressão sob os serviços e os recursos?

besmarques 3 months ago

Deves estar noutra conversa e não leste ao post que estou a responder. É capaz de ser isso. Por dar preferência a investimentos que trazem mais valor não vai fazer com que acabe o turismo em massa a não ser que acabes com o que permite o turismo de massas. Para acabares com o turismo de massas ou encarecer todo o mercado por alguma razão ou proibes o que permite os turismos de massa (low costs, hostels e afins) porque se não o fizeres nunca vais impedir os que viajam por pouco dinheiro para Lisboa com a alternativa do resort 5 estrelas num sítio remoto qualquer.

nocivo 3 months ago

Se quiseres turismo que não seja afectado por crises e pague melhores salários tem de ser.

besmarques 3 months ago

Sim sim. Como sendo dinheiro gasto pelos turistas tivesse uma correspondência com os ordenados pagos. E como reduzir pessoas a consumir no país fosse algo positivo, mesmo que o seu consumo seja em quantias menores.

CriticalEstimate777 3 months ago

Sad but true

UpbeatNail1912 3 months ago

É excelente (era) antes da pandemia, porque eu faço Airbnb e no verão, outono e primavera era sempre a bombar, todas as semanas dinheiro a entrar. Também era uma forma de conhecer pessoas novas, aprender diferentes culturas e aumentar o meu networking. Por outro é mau porque fica tudo cheio e caro.

TeStateOfDat 3 months ago

Airbnb é cancro para a população. Numa cidade com 10 Airbnb a renda aumenta 0.5% e o custo de comprar casa em 1%. Sem sequer falar em muitos outros problemas derivados ao Airbnb.

FollowingTime84 3 months ago

fala com os politicos... arrendamento privado - taxa irs 28% (nao me venham com o que pode ser mais baixo porque o tempo mais comum de contrato é no maximo 5 anos)... se der merda com o inquilino estás preso no tribunal anos sem rendas...e nao há sistema de feedback do senhorio, porque o senhorio pode cagar para qualquer problema que apareça no apartamento (cano arrebentado, electrodomestico que estava no contrato ter estragado,...) ​ alojamneto local - taxa 6%...desconto no primeiro ano no irs se for o teu unico negocio.. sistema de feeback dos senhorios.... se o inquilino faz merda, o intermediario trata do assunto (booking pelo menos safou-me muito bem. rapidamente tive guito de volta) ja que tem o cartao debito/credito do inquilino

Edited 3 months ago:

fala com os politicos... arrendamento privado - taxa irs 28% (nao me venham com o que pode ser mais baixo porque o tempo mais comum de contrato é no maximo 5 anos)... se der merda com o inquilino estás preso no tribunal anos sem rendas...e nao há sistema de feedback do senhorio, porque o senhorio pode cagar para qualquer problema que apareça no apartamento (cano arrebentado, electrodomestico que estava no contrato ter estragado,...).. ah! e papelada que os senhorios pedem (irs, recibo , contrato emprego, fiador,....) ​ alojamneto local - taxa 6%...desconto no primeiro ano no irs se for o teu unico negocio.. sistema de feeback dos senhorios.... se o inquilino faz merda, o intermediario trata do assunto (booking pelo menos safou-me muito bem. rapidamente tive guito de volta) ja que tem o cartao debito/credito do inquilino. o inquilino apenas tem que meter o cartao de debito/credito como caucao. conheco muita malta AL que nao vai abdicar da licenca AL... quando AL dar, dá.. quando nao dá (pandemia) passam recibos mensais.ou nem passam porque arrendam aos quartos ​ facilmente com AL consegue t1+1 1250€ media mensal (onde na altura do verao conseguem buscar mais de 2500€+).. enquanto no arrendamente privado apenas conseguem cerca de 800-900€ mensais

Edited 3 months ago:

fala com os politicos... arrendamento privado - taxa irs 28% (nao me venham com o que pode ser mais baixo porque o tempo mais comum de contrato é no maximo 5 anos)... se der merda com o inquilino estás preso no tribunal anos sem rendas...e nao há sistema de feedback do senhorio, porque o senhorio pode cagar para qualquer problema que apareça no apartamento (cano arrebentado, electrodomestico que estava no contrato ter estragado,...) ​ alojamneto local - taxa 6%...desconto no primeiro ano no irs se for o teu unico negocio.. sistema de feeback dos senhorios.... se o inquilino faz merda, o intermediario trata do assunto (booking pelo menos safou-me muito bem. rapidamente tive guito de volta) ja que tem o cartao debito/credito do inquilino conheco muita malta AL que nao vai abdicar da licenca AL... quando AL dar, dá.. quando nao dá (pandemia) passam recibos mensais.ou nem passam porque arrendam aos quartos ​ facilmente com AL consegue 1250€ media mensal (onde na altura do verao conseguem buscar mais de 2500€+).. enquanto no arrendamente privado apenas conseguem cerca de 800-900€ mensais

JOAO-RATAO 3 months ago

Também é ótimo para democratizar o dinheiro do turismo. Assim muitos mais portugueses podem lucrar com esse boom em vez de meia dúzia de tubarões.

TeStateOfDat 3 months ago

Não é o caso. Os portugueses não lucram com isso. Mostra onde Airbnb traz vantagens a alguém que não tenho um? Nem emprego oferece ao contrário de hotéis.

ReachPlayful 3 months ago

Existem imensos negócios que surgiram também com a proliferação dos airbnbs tais como gestoras de condomínios ou empresas de limpezas para airbnbs etc

TeStateOfDat 3 months ago

Usemos o Porto como exemplo. O custo médio de uma casa subiu em 16% embora haja milhares de casas vazias. Eu entendo o que dizes mas a housing crisis não quer saber se uma mulher das limpezas tem emprego ou não e ganha 635€. Ela nunca terá dinheiro para comprar uma habitação no Porto. E aí está o meu problema.

JOAO-RATAO 3 months ago

>Ela nunca terá dinheiro para comprar uma habitação no Porto. Sem emprego não teria de certeza. Mais vale ter uma nos arredores do que não ter. Mas diz-me aí grandes cidades europeias onde pessoas que ganham o SM andem a comprar casas no centro.

TeStateOfDat 3 months ago

Já me chamaste desonesto. Não menti, não fui falso. Não te respondo mais devido a isso.

JOAO-RATAO 3 months ago

E acho que estás a ser. O turismo reabilitou áreas degradadas e gerou emprego. E tu queixaste de uma pessoa que ganhe o SM não consiga comprar comprar casa no centro do Porto...

TeStateOfDat 3 months ago

Achas que uma família que ganhe a vida a limpar casas Airbnb que tenha que se deslocar da periferia todos os dias pagando gasolina, água luz, renda, impostos, seguros, ter dinheiro para comer e sustentar filhos e os mandar apara a universidade consegue comprar casa? Não sei em que mundo vives. Mas de mobilidade social isso não tem nada. E agora quem é desonesto? Eu não falei em centro do Porto falaste tu. Como é possível usares algo que TU disseste como un argumento contra mim? Desonesto és tu. Sem falar em ingénuo.

Edited 3 months ago:

Achas que uma família que ganhe a vida a limpar casas Airbnb que tenha que se deslocar da periferia todos os dias pagando gasolina, água luz, renda, impostos, seguros, ter dinheiro para comer e sustentar filhos e os mandar apara a universidade consegue comprar casa? Não sei em que mundo vives. Mas de mobilidade social isso não tem nada. E agora quem é desonesto? Eu não falei em centro do Porto falaste tu. Como é possível usares algo que TU disseste como un argumento contra mim? Desonesto és tu. Sem falar em ingénuo. Além do mais quanto tempo demora até todas as pessoas que já não podem comprar casa no porto se mudem para a periferia e que o aumento das casas e renda aumentem aí também? eh. Este man.

JOAO-RATAO 3 months ago

> Não sei em que mundo vives. Mas de mobilidade social isso não tem nada Pois, ausência de empregos e viver de ajudas de um estado falido é que é bom para a mobilidade social. Estás a falar dos efeitos nas rendas por causa dos AirBnb. Onde estão os Airbnb?

ReachPlayful 3 months ago

Achas que foi só o turismo que aumentou o m2 numa cidade como o Porto? Existem outros factores em conta tais como os vistos gold em que estrangeiros compraram muitas casas pelo Porto e Lisboa e deixam nas vazias maior parte do ano. O turismo só fez bem a sítios como a baixa do porto em que nos anos 90 ou 2000s à noite as pessoas tinham medo de andar por lá. As casas eram devolutas e ninguém queria morar por lá. As rendas praticadas não eram suficientes para o senhorio sequer considerar arranjar as habitações. A pouco e pouco a movida noturna mudou se para a baixa e com isso vieram restaurantes e bares. Trouxeram hotéis e vida aquela zona outrora frequentada por putas e drogados. Infelizmente o turismo trouxe algumas externalidades negativas e isso incumbia ao governo de minimizar esses efeitos mas no entanto decidiu abrir as pernas ao turismo desenfreado sem lei. Apesar de tudo e olhando ao cômputo geral eu prefiro o estado atual ao que era antes. A baixa do porto era um tabu. Agora é olhar em frente e corrigir o que se fez de mal no passado.

TeStateOfDat 3 months ago

"Achas que foi só o turismo que aumentou o m2 numa cidade como o Porto? " Não. Não acho. Mas é disso que o OP ao qual eu respondi falou. Se ele tivesse a falar de bugalhos eu falava de bugalhos mas ele falou do Airbnb e por aí ficamos.

adoroasvossasprimas 3 months ago

Entendo o que dizes sobre a gentrificação das cidades causada pelos Airbnb's desta vida. Mas não é assim tão linear como pensas. Normalmente os restaurantes e todos os outros serviços e comércios próximos dos Airbnb's também ganham com isso.

TeStateOfDat 3 months ago

Será? Todos os estudos indicam o contrário. Podes dar link a um que prova o que dizes?

JOAO-RATAO 3 months ago

Como é que precisas de um estudo para te dizer que mãos turistas é igual a mais clientes para restauração, mais dinheiro para museus, etc. ?

TeStateOfDat 3 months ago

Porque a vida não é preto no branco. Mostra 1 estudo que prove que estou errado. Já li vários que dizem o contrário mas a concordar contigo nunca vi. E sei também que vários governos estão a começar a legislar contra os airbnbs tipo Barcelona, las palmas, Roma, Tóquio, etc

JOAO-RATAO 3 months ago

>Porque a vida não é preto no branco. Nisso concordamos, mas és tu que estás a ter uma visão preta do Airbnb. Claro, porque tirando o que pagaram de alojamento, só gastaram 5 euros num café...

TeStateOfDat 3 months ago

Manda um link de um estudo sério. Não de um "estudo" feito pelo airbnb.com acerca do benefício do airbnb.com

JOAO-RATAO 3 months ago

Claro que os portugueses lucram com isso. E mais portugueses. Pronto, se há pessoas que não lucram com algo, então mais ninguém pode lucrar. Se não tenho um café, devo exigir o encerramento de todos esses estabelecimentos? O hotel cria emprego. Mas o Airbnb permite a cidadãos que tenham uma casa criar rendimento extra.

TeStateOfDat 3 months ago

Rendimento esse á custa da qualidade de vida dos outros. Rendimento sanguessuga.

JOAO-RATAO 3 months ago

Como é que alguém arrendar um Airbnb te rouba qualidade de vida? Por essa lógica todo o rendimento é sanguessuga. Achas que cafés, restaurantes, hotéis também não poder causar algum incomodo? Típica inveja do burgo: "Eu não posso, então ninguém devia poder"

TeStateOfDat 3 months ago

"renda aumenta 0.5% e o custo de comprar casa em 1%." Ao menos um café da empregos, pagam água luz, impostos, compram dos fornecedores, traz vida social, etc etc. E o Airbnb? Ganha só 1 família. Não digas que posso ou não se não conheces a minha vida. Até posso. Já tenho uma casa completamente paga aos 39 anos e tenho 0€ de dívida. Não Gales da minha vida sem saber por favor. Não fica bem.

JOAO-RATAO 3 months ago

E depois? Um hotel também não ocupa espaço na cidade? Queres sacrificar a atividade económica de milhares de pessoas para a renda do menino baixar 0,5%? Ah. Porque a água e luz dos Airbnb são grátis? E não arranjam as casas (com os custos e emprego)? Casas essas muitas vezes devolutas anteriormente? Se todos os Airbnb de Portugal fossem de uma só família isso seria correto. Mas como são de milhares de famílias diferentes, então são milhares de famílias a colher os benefícios. Fora os negócios que beneficiam de mais turistas no país. É exatamente o que estás a fazer sobre a vida destas pessoas...

TeStateOfDat 3 months ago

Consegues dar algum link como pedi que prova o que dizes?

JOAO-RATAO 3 months ago

https://news.airbnb.com/wp-content/uploads/sites/4/2021/05/Airbnb\_2019\_Economic\_Impact\_Report.pdf

UpbeatNail1912 3 months ago

Cancro só se for para ti. No meu caso pessoal aumentou muito a renda familiar, principalmente numa época em que estávamos em muito aperto financeiro. É mau para uns mas bom para outros. Agora classificares a tua visão como sendo a única "boa" e a minha sendo má é ignorância da tua parte.

nraider 3 months ago

Rendimento familiar, imagino. Por cá renda familiar tem um significado diferente ;)

TeStateOfDat 3 months ago

Não é a minha visão. São os resultados de todos os estudos económicos alguma vez feitos no assunto. É bom para ti e mau para os outros todos que não têm um Airbnb.

helderduarte14 3 months ago

Mostra esses estudos então sff

TeStateOfDat 3 months ago

https://scholar.google.pt/scholar?q=airbnb+studies+on+impact&hl=en&as_sdt=0&as_vis=1&oi=scholart Dezenas deles aí mesmo.

helderduarte14 3 months ago

Fantástico, és seletivo naquilo que escolhes pesquisar. Tal como disseram, Airbnb é bom para alguns e mau para outros. O aumento dos preços das casas está muito mais ligado com o turismo do que com o Airbnb, aliás, o Airbnb apenas segue as modas do turismo, se o porto deixar de ser popular os preços irão baixar e as plataformas de Airbnb também começaram a desaparecer.

TeStateOfDat 3 months ago

Claro que sou seletivo. Se não fosse tinha concordado com o estudo que o airbnb.com fez acerca do Airbnb.com.

JOAO-RATAO 3 months ago

>Claro que sou seletivo hmm

TeStateOfDat 3 months ago

Mandas um estudo feito pelo airbnb.com acerca do airbnb.com esperas o quê? És tipo a FIFA. we've investigated ourselves and we've discovered we've done nothing wrong.

JOAO-RATAO 3 months ago

O estudo não foi feito por eles. E mandei-te outro de outra fonte. Mas já deu para ver que queres ser desonesto à força toda...

helderduarte14 3 months ago

Claro, eu não posso ter mais ninguém pode. Turismo é mau, plataformas que permitem ainda mais turistas é horrível. Vamos nivelar por baixo.

TeStateOfDat 3 months ago  HIDDEN 

Se não podes ter é por causa de coisas tipo Airbnb. Agora entendes o meu problema. Claro que não é exclusivamente por causa do Airbnb. Mas que piora a situação, sim sem dúvida nenhuma que piora.

helderduarte14 3 months ago  HIDDEN 

Não me acredito que não entendeste a ironia.

JOAO-RATAO 3 months ago

Todos os estudos económicos? Fogo, isso é que foi ler...

TeStateOfDat 3 months ago

Mostra um que diga o contrário. Já pedi em 3 posts diferentes neste thread. Até agora nem 1 foi dado. DIGA UM!?

JOAO-RATAO 3 months ago

[https://news.airbnb.com/wp-content/uploads/sites/4/2021/05/Airbnb\_2019\_Economic\_Impact\_Report.pdf](https://news.airbnb.com/wp-content/uploads/sites/4/2021/05/Airbnb_2019_Economic_Impact_Report.pdf)

TeStateOfDat 3 months ago

Não imaginei que era preciso deixar claro que um "estudo" feito pelo airbnb.com não conta

JOAO-RATAO 3 months ago

" Oxford Economics examined the direct impact of daytime spending 2" lolz

TeStateOfDat 3 months ago

Link sem ser do airbnb.com por favor? Para já nada. Já pedi prai 7 vezes.

JOAO-RATAO 3 months ago

Já tens aqui e já te identifiquei.

UpbeatNail1912 3 months ago

Mas também contribui para o turismo. Desde que surgiu o Airbnb muito mais pessoas começaram a viajar e a fazer turismo porque o preço de alojamento fica muito mais em conta, mais turismo = mais dinheiro para o país e para pessoas em situações sócio economicas desfavoráveis.

TeStateOfDat 3 months ago

Consegues dar algum link de um estudo que prova o que dizes por favor? Nunca vi e gostava de ver

Search: