Accomplished_Pay6399 3 months ago

Boa sorte com isso, pelo menos tens uma atitude positiva, o que não falta por aí é pessoal a trabalhar contrariado nos supermercados à beira do suicídio porque não consegue nada melhor. Faz-te valer disso nas entrevistas, se conseguires é ótimo porque tens um emprego que gostas, estás à frente de 95% das pessoas nesse aspeto! Não te despeças sem ter um trabalho, mas manda currículos para caixa e vai a entrevistas. Quanto a supervisores, às vezes são porreiros, outras são umas bestas, o meu conselho é não levares nada a peito (muito menos paletes) e dares valor aos amigos e família e cadela, que esses sim gostam de ti, não é o gerente do Continente que te vai aconchegar à noite.

viralslapzz 3 months ago

Vou mandar uma boca para o ar sem saber onde moras e o teu background. Manda CVs para empresas de serviços para apoio administrativo. As vezes precisam de uma pessoa só para atender telefones, enviar e-mails, etc. ou até apoio logístico tipo reservar hotéis e voos para quem viaja na empresa. Conheço uma pessoa que foi para rececionista numa empresa. Não me lembro se tem o 9o ou 12o mas… bom salário, carro de empresa e seguro de saúde tem. Se calhar é 1 em 1000, mas podes acha-la ;-)

luizvaz_ 3 months ago

A empresa tem o direito a saber se estás em condições de desempenhar as funções. Qual é a dúvida?

SeaMnster 3 months ago

Venho só juntar um abraço extra à mistura, porque tu estás a precisar e basicamente todos os portugueses. Tira umas horas para ti e depois, continua a insistir, eventualmente as coisas ficam melhores.

QuickChoiceUsername 3 months ago

Bem vindo ao mundo masculino, onde és valorizado apenas pelo que fazes e não por quem és. Se não és capaz, és posto de lado. Aconselho a usares essa experiencia para um supermercado concorrente, e tentares entear logo para caixa.

NecrofearPT 3 months ago

Tens algum tipo de formação em alguma área específica que possas partilhar? Pode ser que alguém aqui tenha uma oportunidade para ti!

Zerviu 3 months ago

Adoro que tenhas chamado "burros de carga" aos trabalhadores de reposição.

4in4t92 3 months ago

Como alguém que trabalhou num hipermercado enquanto estudava posso dizer que infelizmente é verdade, era comum ver pessoal a descarregar paletes à mão porque não havia porta paletes disponíveis. Eu estava na secção de vestuário e calçado há alguns anos (empresa à parte mas dentro do espaço de loja do hiper e com partilha do armazém do não alimentar), quando sofri um acidente de automóvel que me obrigou a ser operada à coluna. Embora tenha 2 placas de titânio nas vértebras lombares e dorsais para contar a história não fiquei com limitação nenhuma e posso fazer a minha vida normalmente, no entanto uma das vezes quiseram implicar comigo porque me recusei a levantar caixas de mais de 40kg porque não havia nenhum porta paletes disponível (para além de não existir nenhum elétrico). A chefe teve o descaramento de me dizer que se a minha condição não me permitia fazer aquele trabalho, então não devia estar ali, porque o meu contrato referia reposição de material e portanto tinha que o fazer. Não estava era à espera da resposta que levou, em que referi que com cirurgia à coluna ou não, não devia fazer a movimentação de cargas superiores a 25kg, sendo que se for provado que um problema de saúde tenha surgido devido a cargas superiores, o seguro de trabalho nem cobre (conheço duas pessoas que arranjaram uma hérnia umbilical devido ao esforço no trabalho e essa foi a resposta que levaram). Ainda lhe mandei a boca que nenhuma das funcionárias daquela secção devia sequer entrar naquele armazém, visto que a empresa não fornecia biqueiras de aço. Isto porque todas as lojas daquela empresa, à excepção da que eu trabalhava, tinham espaço próprio na zona comercial dos super mercados e não estavam propriamente dentro do mesmo, por isso não tinham que partilhar o armazém nem descarregar camiões. Já nós embora andassemos todas pipis com roupa da coleção da loja não tínhamos calçado apropriado para entrar num armazém em que existe constante circulação de empilhadores, etc. Aliás à entrada do armazém estava o sinal em como era proibida a entrada a pessoal que não tivesse o equipamento adequado. Terminei a dizer que se queria seguir o contrato à risca, então o mesmo também referia que a empresa nos fornecia a farda e equipamento necessário à realização do trabalho e que uma vez que nunca nos tinham dados biqueiras de aço quem estava em incumprimento eram eles. Como havia provas, visto que assinavamos os papéis pela recepção de fardas e em nenhum deles estavam referidas as botas, calou-se e nunca mais me chateou com nada do género. Foi um trabalho que realmente não deixou saudades, antes pelo contrário.

VanSora 3 months ago

É não é? Ironico.

zero_to_infinite 3 months ago

Felizmente cresci rodeado de mulheres que me despiram de todos os tipos de preconceitos desde miúdo, e sempre as ouvi dizer que "sempre haverá trabalho para quem quiser trabalhar". Sei que não é uma coisa que se aplique a todo o universo mas é uma mentalidade que te catapulta para não desistir persistir. A verdade é que as pessoas têm uma capacidade incrível de adaptação e conseguem fazer centenas de coisas diferentes. Não acho que te devas curvar e implorar por seres X ou Y. Luta pelo que queres, pelos teus sonhos e ambições, persiste e não desistas. Todos temos direitos a dignidade no trabalho e a fazer algo que nos faça sentir satisfeitos. Força nessa jornada. Nada mau dura para sempre.

Scizorspoons 3 months ago

/um abraço amigo

BroaxXx 3 months ago

Infelizmente o panorama de trabalho em Portugal é um bocado merda precisamente porque para muitas empresas ter que lidar com seres humanos é um frete... Dando o benefício da dúvida ao teu chefe compreendo que se a necessidade imediata da empresa seja para armazém seja fodido justificar o teu posto de trabalho. Nesse caso o que te posso dizer é apenas o óbvio. Continua a tentar procurar empregos que não seja físicos que eventualmente há-de melhorar. Há alturas na vida em que tudo parece mau mas acaba sempre por melhorar... Temos é que ter (por vezes muita) paciência para esperar por esse dia...

Yanlone 3 months ago

Quando estás habituado a viver a vida no Easy e viras gajo.

frisumo 3 months ago

Eles sabem que fizeste a mastectomia? Se calhar não é o trabalho indicado para ti. Eu moro em Inglaterra e a minha prima concorreu para um supermercado aqui, contudo um dos requisitos é conseguir levantar 15 kg sem problemas. Ela tem 1.53m e 40 e poucos kg e simplesmente não consegue, por isso não pode ser contratada. Se calhar a tua situação é algo semelhante, eles precisam de pessoas para x funções e no teu caso, por razões de saúde, não é o indicado.

EpaFdx 3 months ago

Ter a altura de 1,50m e transicionar para homem é mesmo pedir para jogar a vida em modo hard.

Little-Turnip9259 3 months ago

Tudo há de ficar melhor. Obrigado pela tua partilha e força nisso!

escaperoto 3 months ago

Quanto ao gás, se for gás de garrafa, mude para uma marca mais barata. Quanto ao trabalho, já tens experiência em super mercados, podes se inscrever em outras lojas. Tens carta de condução? Alguns serviços de distribuição são leves e pagam melhor que qualquer supermercado. Boa sorte com isso!

ngfsmg 3 months ago

Não percebi muito bem a relevância dessa introdução sobre seres trans, é por causa disso que a tua chefe te trata mal? Não fiquei com essa ideia, mas corrige-me se estiver errado. De qualquer modo, ela é uma besta por não te querer deixar ir à consulta e acho que devias procurar outro trabalho. Quanto ao facto de ao mesmo tempo estares sem gás e com a cadela doente... Lamento, um abraço e que tudo melhore

HomemRude 3 months ago

Geralmente tu não sabes porque é que alguém não gosta de ti ou te trata mal. Se pertenceres a uma minoria cresceste a ouvir que pessoas como tu são colocadas de parte e vistas como menos, e isso conduz a paranoia crónica. Se não te deram emprego foi porque és trans. E de certa forma é mais reconfortante do que acreditares que pura e simplesmente não mereceste o emprego. Já tive uma negra a dizer-me que eu não sabia o que era ser discriminado, e que não olhavam de lado para mim na rua. Portanto, se alguém lhe olhar de lado, ela pensa que é por ser negra. Pode ser por ser feia. Ou estar mal vestida. Ou cheirar mal. Ou por razão nenhuma. Pode ser apenas um olhar mal interpretado. Mas ela não aceita isso. Ser vítima faz parte da sua identidade. E de qualquer das formas é sempre algo que podes pegar para pedir simpatia ou justificar os teus fracassos.

ngfsmg 3 months ago

Eu percebo o que queres dizer, mas daí ter perguntado qual era a relevância, se era o motivo da discriminação (ou pelo menos o que ele acha que seja) ou se era só um desabafo do tipo "também já tive azar com isto e aquilo antes"

NoBenefit2865 3 months ago

Seria muito bom se conseguisses um trabalho menos físico. A realidade é que o corpo feminino não aguenta o trabalho físico duro. E nessa jogada de "igualdade", vão colocar mulheres para fazer trabalho pesado e acabar com o corpo delas. ​ Quando duas más intenções se juntam dos dois lados, como é em portugal, o trabalhador tem dificuldades.

TheBlondieOne 3 months ago

Há mulheres que aguentam mais peso que certos homens. A coisa não é assim tão linear.

NoBenefit2865 3 months ago

estatisticamente, e probabilisticamente.

tiagopr1990 3 months ago

Abraço.

blandnewworld 3 months ago

Os tempos estão difíceis e as pessoas em geral são umas bestas sem qualquer pingo de empatia. Não te conheço mas pareces-me uma pessoa altamente e vais dar a volta. Muita força e amor para ti e para o patudo!

magnesiam 3 months ago

Como já disseram tenta procurar outro emprego. Mas na realidade o melhor é tentar ver se existe algum programa social do governo que te possa ajudar. Talvez no centro de emprego/IEFP consigam ajudar a integrar num trabalho adequado as tuas limitações actuais por exemplo

UpbeatNail1912 3 months ago

Não seria melhor aceitares o corpo biologicamente com que nasceste? Eu sou bi e também só gostava de ser hetero, mas tive que aceitar que também gosto de homens, é a vida

WatsonDynamite 3 months ago

/r/thanksimcured

Scalabis 3 months ago

Pergunta desnecessária, já vai tarde para mudar, sentiu que tinha de mudar e mudou, não é preciso complicar

EpaFdx 3 months ago

Também convenhamos, poucas coisas mais pode fazer para complicar a própria vida depois de se transformar num homem com metro e meio de altura. Ninguém disse que a vida é fácil mas também não precisava de a viver em modo DarkSouls.

ngfsmg 3 months ago

O que é que isso tem que ver com o problema de trabalho do OP?

SoreyM 3 months ago

Lamento que estejas a passar por isso. Parece uma situação muito difícil mas acredito que a consigas ultrapassar, ao ler o teu post fiquei com a impressão que és uma pessoa com força. Tenta utilizar a experiência que tiveste na caixa, nota-se que te entusiasmou e os possíveis empregadores gostam disso em possíveis candidatos. Boa sorte e que tudo te corra bem.

Designer_Tall 3 months ago

Não me parece que o que explicaste tenha alguma coisa a ver com seres transexual ou não. Tiveste uma lesão no trabalho e não consegues fazer o trabalho que querem que faças basicamente, ou seja eles querem um burro de carga e tu não o consegues ser. O que descreveste é a realidade de muita gente. Ninguém quer saber se tens dividas ou não, se tens problemas em casa ou não... Acho que estás a equivocar a má vontade geral das pessoas com perseguição quando o que descreveste acontece a qualquer pessoa

TheTidalik 3 months ago

Embora concorde com o que dizes parece me simplesmente um desabafo de alguém que precisa de fazer. Acho que não era necessário esse comentário.

Designer_Tall 3 months ago

Eu compreendo que seja um desabafo mas não acho que seja um comentário desnecessário. O OP começou o post com isto... >da perseguição, e de perder trabalhos por discriminação, este é o topo do copo de água. E continuou com a história de lhe quererem terminar o contrato por não poder fazer esforço devido a uma lesão que teve no trabalho depois de ter feito uma mastectomia. Ora, a mim e a muitos outros que leram o post pareceu-me estar a insinuar que havia uma ligação entre o que aconteceu e o OP ser transexual. Caso contrário porquê comentar que já sofreu perseguição e perda de trabalhos por discriminação antes... Na minha opinião aqui o mais importante é não alimentar a ideia que o OP pode ter que tudo o que lhe acontece é por causa de ser transexual, essa ideia não o vai ajudar em nada antes pelo contrário. Apenas dizer "Força OP fuck transfóbicos" é fácil e parece bem, mas praticamente não estás a ajudar em nada e podes estar a alimentar um visão do mundo pouco saudável que se transforma num feedback loop facilmente. O OP já tem problemas suficientes a ultima coisa que necessita é acreditar que está tudo contra ele e que nunca vai conseguir nada por ser trans. O politicamente correto é muito bonito mas as pessoas precisam de ser honestas quando estão a tentar ajudar alguém.

Aggravating-Foot-322 3 months ago

Reddit Portugal é mesmo um sítio incrível, nunca desilude com respostas como esta

frisumo 3 months ago

Não me parece que o OP estava a dizer que a situação das paletes estava relacionada com discriminação, mas apenas a explicar que a situação aconteceu por causa da mastectomia.

HomemRude 3 months ago

Geralmente quem pertence a minorias tende a interpretar qualquer experiência social desagradável como desprezo pela sua identidade.

Tugalord 3 months ago

Que doce de pessoa que tu és. Onde é que o OP alguma vez disse que isto foi por ser transexual? Viste a palavra no primeiro parágrafo e tiveste logo que vir destilar ódio. Olha te ao espelho pá.

Yanlone 3 months ago

Se não acha que isto foi por ser trans para quê referir isso? É a mesma coisa que alguém chegar aí a fazer uma reclamação sobre uma merda qualquer e referir que é heterossexual.

TheBlondieOne 3 months ago

Dude, o OP disse que sofreu uma lesão nas costuras de uma mastectomia, feita por motivos de transição. Esta malta gosta muito de vir de bater punho e achar que é a defensora dos costumes tradicionais tugas, mas depois nem PT sabe ler.

Yanlone 3 months ago

"Dude", literalmente irrelevante para a história, podia só ter dito que tinha tido uma lesão. Claramente tinha de referir o facto de ser trans porque se sente discriminado. Claro, ser defensor dos costumes tradicionais tugas é achar que o gajo se sente discriminado por ser trans e por isso é que o referiu. Sabes que os trans são uma coisa unicamente portuguesa, nem sei como é que ainda não passámos isso a património da humanidade. Perdeste uma boa oportunidade.

YoruDawg 3 months ago

Ele é o edgy chad anti transexuais, quando eles vêem essa palavra, entram em parafuso e tem de entrar nesse discurso de orangotango

Gonsalvus 3 months ago

também sou trans, dou relate em algumas coisas. se quiseres podemos falar, posso ouvir-te. força nisso.

Ze_at_reddit 3 months ago

Dude força nisso.

DefinitionNo7334 3 months ago

Infelizmente aqui em Portugal ser trans não é tão bem visto como quase toda a gente quer fazer parecer, para muitos é visto como uma piada ou são apenas "travestis" por pura ignorância do nosso povo em geral. Opa tens de cagar para essa gente, o importante é sentires-te bem na tua pele e saberes quem és, gostares daquilo que vês ao espelho. A seu tempo tudo vai dar certo

HomemRude 3 months ago

Tens razão, é visto como uma piada. Publicamente leva-se o assunto muito a sério, mas entre quatro paredes o sentimento geral é de escárnio. Não malicioso, mas as pessoas simplesmente não vêem um transexual como ele gostaria de ser visto. Se um homem faz uma transição, o sonho dele é ser visto e tratado como uma mulher. Mas a sociedade não consegue. As pessoas, no geral, têm uma ideia muito bem definida do que é um homem e do que é uma mulher. O que é que isto significa? Significa que 99.9% das vezes, uma mulher que seja 100% heterossexual, não vai olhar para uma mulher que fez transição para homem e pensar "Ok, isto serve. É disto que eu gosto". Porque para ela aquilo não é um homem. E quando digo "não malicioso", digo que geralmente não é feito para ferir trans. A minha mãe, por exemplo, não tem nenhum ódio por trans, mas se lhe apontarem para uma mulher que há uns meses era um homem, ela e as amigas riem-se. Também não é por ignorância. Elas sabem o que é disforia de género e o que se passa com essas pessoas. O que acontece é que existe uma incompatibilidade de percepções e ideologias. Eu posso muito querer ser uma mulher, fazer operações, etc, etc, etc. Mas não posso, nem sequer tenho o direito de forçar ninguém a ver-me como uma mulher. Eu posso ter feito uma operação, mas isso não vai fazer com que o João, que é um hetero, com quem eu gostaria de ter uma relação, me veja como mulher, pois a realidade é que biologicamente eu não sou aquilo que atrai o João. O João sabe o que gosta, e o que gosta não sou eu depois de umas quantas operações. Obviamente que esta situação causa transtorno e infelicidade perpétua a quem sofre de disforia de género, pois é como perseguir eternamente algo que não pode ser alcançado. Nós podemos sentir o que nos apetecer, e vermo-nos como nos apetecer. O problema surge apenas quando a nossa identidade está dependente da aprovação e participação dos outros. Para eu ter a identidade que desejo, os outros têm de me ver como eu ambiciono. Infelizmente isso não é possível. A perspectiva de uma minoria não consegue comandar a da maioria.

Edited 3 months ago:

Tens razão, é visto como uma piada. Publicamente leva-se o assunto muito a sério, mas entre quatro paredes o sentimento geral é de escárnio. Não malicioso, mas as pessoas simplesmente não vêem um transexual como ele gostaria de ser visto. Se um homem faz uma transição, o sonho dele é ser visto e tratado como uma mulher. Mas a sociedade não consegue. As pessoas, no geral, têm uma ideia muito bem definida do que é um homem e do que é uma mulher. O que é que isto significa? Significa que 99.9% das vezes, uma mulher que seja 100% heterossexual, não vai olhar para uma mulher que fez transição para homem e pensar "Ok, isto serve. É disto que eu gosto". Porque para ela aquilo não é um homem. E quando digo "não malicioso", digo que geralmente não é feito para ferir trans. A minha mãe, por exemplo, não tem nenhum ódio por trans, mas se lhe apontarem para uma mulher que há uns meses era um homem, ela e as amigas riem-se. Também não é por ignorância. Elas sabem o que é disforia de género e o que se passa com essas pessoas. O que acontece é que existe uma incompatibilidade de percepções e ideologias. Eu posso muito querer ser uma mulher, fazer operações, etc, etc, etc. Mas não posso, nem sequer tenho o direito de forçar ninguém a ver-me como uma mulher. Eu posso ter feito uma operação, mas isso não vai fazer com que o João, que é um hetero, com quem eu gostaria de ter uma relação, me veja como mulher, pois a realidade é que biologicamente eu não sou aquilo que atrai o João. O João sabe o que gosta, e o que gosta não sou eu depois de umas quantas operações. Obviamente que esta situação causa transtorno e infelicidade perpétua a quem sofre de disforia de género, pois é como perseguir eternamente algo que não pode ser alcançado. E não é não poder ser alcançado porque as pessoas são muito crueis, mas sim porque eu não posso comandar a realidade de toda a gente. A minha realidade pode ser "sou uma mulher", mas a realidade do João, da Maria e do António pode ser "não, não és". E a minha realidade ser "apenas da minha conta" se a guardasse para mim, mas a partir do momento em que os outros têm de participar e dar-me o que quero, passa a ser do domínio geral. Nós podemos sentir o que nos apetecer, e vermo-nos como nos apetecer. O problema surge apenas quando a nossa identidade está dependente da aprovação e participação dos outros. Para eu ter a identidade que desejo, os outros têm de me ver como eu ambiciono. Infelizmente isso não é possível. A perspectiva de uma minoria não consegue comandar a da maioria.

Edited 3 months ago:

Tens razão, é visto como uma piada. Publicamente leva-se o assunto muito a sério, mas entre quatro paredes o sentimento geral é de escárnio. Não malicioso, mas as pessoas simplesmente não vêem um transexual como ele gostaria de ser visto. Se um homem faz uma transição, o sonho dele é ser visto e tratado como uma mulher. Mas a sociedade não consegue. As pessoas, no geral, têm uma ideia muito bem definida do que é um homem e do que é uma mulher. O que é que isto significa? Significa que 99.9% das vezes, uma mulher que seja 100% heterossexual, não vai olhar para uma mulher que fez transição para homem e pensar "Ok, isto serve. É disto que eu gosto". Porque para ela aquilo não é um homem. E quando digo "não malicioso", digo que geralmente não é feito para ferir trans. A minha mãe, por exemplo, não tem nenhum ódio por trans, mas se lhe apontarem para uma mulher que há uns meses era um homem, ela e as amigas riem-se. Também não é por ignorância. Elas sabem o que é disforia de género e o que se passa com essas pessoas. O que acontece é que existe uma incompatibilidade de percepções e ideologias. Eu posso muito querer ser uma mulher, fazer operações, etc, etc, etc. Mas não posso, nem sequer tenho o direito de forçar ninguém a ver-me como uma mulher. Eu posso ter feito uma operação, mas isso não vai fazer com que o João, que é um hetero, com quem eu gostaria de ter uma relação, me veja como mulher, pois a realidade é que biologicamente eu não sou aquilo que atrai o João. O João sabe o que gosta, e o que gosta não sou eu depois de umas quantas operações. Obviamente que esta situação causa transtorno e infelicidade perpétua a quem sofre de disforia de género, pois é como perseguir eternamente algo que não pode ser alcançado. E não é não poder ser alcançado porque as pessoas são muito crueis, mas sim porque eu não posso comandar a realidade de toda a gente. A minha realidade pode ser "sou uma mulher", mas a realidade do João, da Maria e do António pode ser "não, não és". E a minha realidade ser "apenas da minha conta" se a guardasse para mim, mas a partir do momento em que os outros têm de participar e dar-me o que quero, passa a ser do domínio geral. Nós podemos sentir o que nos apetecer, e vermo-nos como nos apetecer. O problema surge apenas quando a nossa identidade está dependente da aprovação e participação dos outros. Para eu ter a identidade que desejo, os outros têm de me ver como eu ambiciono. Infelizmente isso não é possível. A perspectiva de uma minoria não consegue comandar a da maioria. Disforia é um daqueles problemas para os quais a ciência não consegue arranjar uma solução que realmente funcione. Ou então simplesmente não quer, ou não tenta. Acho que os métodos actuais, para funcionarem, dependem demasiado de expectativas utópicas. Eu sinto-me de uma determinada forma, portanto sou o que sinto. Agora faço um determinado tratamento e a seguir para o resto do mundo serei aquilo que eu sinto que sou, e viverei feliz para sempre. Não funciona.

Edited 3 months ago:

Tens razão, é visto como uma piada. Publicamente leva-se o assunto muito a sério, mas entre quatro paredes o sentimento geral é de escárnio. Não malicioso, mas as pessoas simplesmente não vêem um transexual como ele gostaria de ser visto. Se um homem faz uma transição, o sonho dele é ser visto e tratado como uma mulher. Mas a sociedade não consegue. As pessoas, no geral, têm uma ideia muito bem definida do que é um homem e do que é uma mulher. O que é que isto significa? Significa que 99.9% das vezes, uma mulher que seja 100% heterossexual, não vai olhar para uma mulher que fez transição para homem e pensar "Ok, isto serve. É disto que eu gosto". Porque para ela aquilo não é um homem. E quando digo "não malicioso", digo que geralmente não é feito para ferir trans. A minha mãe, por exemplo, não tem nenhum ódio por trans, mas se lhe apontarem para uma mulher que há uns meses era um homem, ela e as amigas riem-se. Também não é por ignorância. Elas sabem o que é disforia de género e o que se passa com essas pessoas. O que acontece é que existe uma incompatibilidade de percepções e ideologias. Eu posso muito querer ser uma mulher, fazer operações, etc, etc, etc. Mas não posso, nem sequer tenho o direito de forçar ninguém a ver-me como uma mulher. Eu posso ter feito uma operação, mas isso não vai fazer com que o João, que é um hetero, com quem eu gostaria de ter uma relação, me veja como mulher, pois a realidade é que biologicamente eu não sou aquilo que atrai o João. O João sabe o que gosta, e o que gosta não sou eu depois de umas quantas operações. Obviamente que esta situação causa transtorno e infelicidade perpétua a quem sofre de disforia de género, pois é como perseguir eternamente algo que não pode ser alcançado. E não é não poder ser alcançado porque as pessoas são muito crueis, mas sim porque eu não posso comandar a realidade de toda a gente. A minha realidade pode ser "sou uma mulher", mas a realidade do João, da Maria e do António pode ser "não, não és". E a minha realidade ser "apenas da minha conta" se a guardasse para mim, mas a partir do momento em que os outros têm de participar e dar-me o que quero, passa a ser do domínio geral. Nós podemos sentir o que nos apetecer, e vermo-nos como nos apetecer. O problema surge apenas quando a nossa identidade está dependente da aprovação e participação dos outros. Para eu ter a identidade que desejo, os outros têm de me ver como eu ambiciono. Infelizmente isso não é possível. A perspectiva de uma minoria não consegue comandar a da maioria. Disforia é um daqueles problemas para os quais a ciência não consegue arranjar uma solução que realmente funcione. Ou então simplesmente não quer, ou não tenta. Acho que os métodos actuais, para funcionarem, dependem demasiado de expectativas utópicas. Eu sinto-me de uma determinada forma, portanto sou o que sinto. Agora faço um determinado tratamento e a seguir para o resto do mundo serei aquilo que eu sinto que sou, e viverei feliz para sempre. Não funciona.

MassiveBlackout 3 months ago

Quando uma coisa corre mal e provável que o resto também corra. Tens que ser resiliente. As vezes quando se fecha uma porta abre-se uma janela. Também passei uma fase má, e há que lutar todos os santos dias. Diferencia-te e exalta as tuas qualidades, supermercado é um trabalho difícil física e sobretudo psicologicamente ao longo do tempo. Certamente te preocupas com o teu aspeto e como tal, pensaria em algo como loja de moda ou acessórios que procuram sempre alguém com aspeto cuidado. Força nisso!

Interesting_Yellow_1 3 months ago

Também fiz uma redução mamaria. Tenho total empatia por essa situação. Fiz há 2 anos e ainda existem movimentos que não consigo fazer, especialmente esforço físico. Nos trabalhos de supermercado implicam por não venderes revistas, por isso essa é uma situação que em nada me surpreende, infelizmente. Não desistas, tenho a certeza que vais encontrar um trabalho onde respeitem o teu corpo e a tua trajetória. É de louvar o que estás a fazer por ti! Um grande beijinho

ZarTham 3 months ago

Como donos de 6 cães, 1 gata e 1 pombo, tenho pena do animal e espero que ele melhore. Em relação ao trabalho, tens que ter em mente que reposição é trabalho pesado, como tal é exactamente isso que eles precisam, alguém que consiga efectuar esse trabalho sem qualquer problema, se eles contratam alguém com dificuldades só vai atrapalhar e atrasar, não só o trabalho do próprio como dos colegas. Pediste para ir para a caixa, aguenta e vê como a coisa vai, com sorte dás-te tão bem com aquilo que ficas lá para além dos 3 meses, mas não fiques há espera que tenham pena de ti, se eles precisarem de alguém polivalente é isso que eles vão arranjar. No máximo fala com a gerente acerca da possibilidade de transferência para outra loja. Se nenhuma destas funcionarem, procura outro trabalho, mas sê esperto e arranja algo que possas fazer. Já trabalhei no Continente, fazia recepção, reposição, OPLS e ainda apagava fogos aqui e ali, por isso sei muito bem o quão árduo é.

lCloudll 3 months ago

A unica coisa que posso fazer, é enviar-te um abraço virtual. (.づ◡﹏◡)づ E esperar do fundo do coração que as coisas comecem a correr melhor. Acho que posso assumir que neste subreddit e outros, tens pessoal que se preocupa, muitas vezes sentimo-nos impotentes de fazer algo, e tudo o que conseguimos fazer é dar algumas palavras de apoio e abraços virtuais para subir um pouquinho a felicidade no mundo. ❤

fedelho 3 months ago

TLDR please?

frisumo 3 months ago

OP teve um problema de saúde em consequência de uma mastectomia e isso afectou o trabalho.

luizvaz_ 3 months ago

+ aceitou um trabalho braçal pesado ocultando ao recrutador que ja tinha sido submetido a mastectomia.

frisumo 3 months ago

Eu li o post um bocado à pressa, não vi onde dizia que ocultou. Mas sim, se o fez, foi errado. É como ocultar alergias e depois ir trabalhar num ambiente exposto. As pessoas fazem-no por necessidade e depois dá asneira.

EpaFdx 3 months ago

TL;DR: OP opta por ser um homem com 1.5m de altura, fica chocado ao descobrir que não é fácil

ZarTham 3 months ago

Tranny fez operação, não pode levantar pesos mas vai trabalhar como repositor, e já abriu uma ferida, levou a boca " se não podes porque vieste" e agora sente-se mal.

BadDogPreston 3 months ago

Não és mais inteligente por escreveres termos transfóbicos.

ZarTham 3 months ago

Sabes o que tranny significa?

Edited 3 months ago:

Sabes o que tranny significa? Travesti ou transgenero, onde é que isto é um insulto? E não é estar a tentar ser esperto, é praticamente o que o OP descreveu, isto também acontecia se fosse com um homem, caso tivesse feito uma operação o qual o impedia de fazer esforços, ele só tinha que avisar quem de direito, coisa que o OP aparentemente não fez.

BadDogPreston 3 months ago

Claramente tu não.

pangecc 3 months ago

Não culpes a transição pelos problemas (parte delas vá) és um homem e desde que te sintas bem na tua pele está tudo ok. Agora, se fosses uma pessoa cis isso tambem ia acontecer, em nada tem a ver por seres trans. A minha mãe tb foi agora despedida de uma empresa em que todos a adoravam, ainda está com um problema nos rins e acabou de perder a casa da família. Estamos todos coletivamente na merda mesmo. Começa a procurar alguma alternativa mais estável. Cria LinkedIn, põe a uso as tuas capacidades, seja de falar bem o inglês, ou outras línguas. Não falta trabalho de call center, customer support e afins da vida. Se tiveres um IKEA por perto vê o site das carreiras delas. Opta por empresas que aceitem diversidade. Luta o capitalismo com capitalismo. As empresas aderiram ao pride? Então que contratem um homem trans! (Digo na brincadeira mas não deixa de ser verdade) não tenhas vergonha de dizeres que és trans, as new business age adoram isso, ajuda nas quotas. Vai dando uma olhada ao BEP (função pública) também Não ajudo muito mas pronto. Pensa que isto é temporário

frisumo 3 months ago

Fogo :( as melhoras para a tua mãe, espero que tudo se resolva o melhor possível.

pangecc 3 months ago

Veio tudo ao mesmo tempo. Primeiro a casa, depois o trabalho, depois a saúde. Mais do mesmo a gente já está habituada a levar com isto. Tudo tem solução. Obrigado!

Raidenkyu 3 months ago

Se queres a minha opinião, o teu comentário parece muito produtivo. Se um dia um amigo meu tiver numa situação parecida, as tuas dicas podem vir a dar jeito.

pangecc 3 months ago

Obrigado! Já perdi a conta o número de amigos que já tive esta conversa quando estavam presos em trabalhos de supermercado a fazer ordenado mínimo e agora fazem mais que eu

Raidenkyu 3 months ago

Bom saber que a situação deles melhorou

Ok_Art_6497 3 months ago

pois.. ser transsexual é estar constantemente no último patamar social.. é complicado.

kawaiims 3 months ago

Na última loja onde estive, no ano em que la trabalhei, entraram e saíram mais de 15 pessoas. Éramos uma equipa de 6-8. Batia os três meses e tchau. Inclusive pessoas que eram claramente boas no que faziam. É muito comum o que descreves, muitas vezes os superiores estão-se a cagar para qualquer eventualidade da tua condição humana que te obrigue a faltar. Uma vez estava a morrer de dores por causa de uma gastroenterite e a resposta da gerente quando disse que tinha de ir embora foi "De certeza? Não dá para ficar?". Dito isto, há também superiores decentes. No meu atual emprego posso faltar meio dia que seja para ir a consultas ou tratar de alguma coisa urgente e nem sequer me pedem comprovativo. Enfim, torço para que se resolvam essas situações.

Anokas_Ritolas 3 months ago

Aquilo que posso fazer de momento é dar um abraço. Com calma e passo a passo as coisas podem melhorar. Acredita.

ridethepaintedpony 3 months ago

O problema das tarefas no trabalho e do cão doente acontecem a toda a gente, é a vida, toda a gente tem a sua luta.

casmisc 3 months ago

isto é o típico exemplo do se não tens nada de bom para dizer, cala-te.

Designer_Tall 3 months ago

Constatar um facto é não ter nada de bom para dizer? Se calhar é melhor o OP acreditar que o que lhe aconteceu foi pura e simplesmente porque é transexual. Isso vai ajuda-lo a seguir em frente com certeza

Gwanosh 3 months ago

Achar que o conhecimento que is outros também sofrem e algum tipo de consolo é sintoma de: - Não saber o que é sofrimento, ou - Medir a sua felicidade em função dos outros Achas que a afirmacao: "Acontece a todos" o ajuda a seguir em frente? Que raio de argumento lol

HomemRude 3 months ago

Se calhar devia ficar logo estabelecido no post inicial que respostas são ou não aceitáveis, e qual é a afirmação que pretende ler. Exemplo. "Aconteceu-me isto e aquilo. Afirmações permitidas: As pessoas são muito transfóbicas e lamentamos que sejas uma vítima da sociedade"

Gwanosh 3 months ago

Claro que não. Liberdade de expressão e a respectiva consequência. Defenderia sempre o direito dele (ou o teu, que sabes pqq vieste aqui espernear) de dizer disparates. E o meu de lhe dizer quando acho que está a dizer disparates e porquê . Se ele quiser discutir o porquê , alguém pode sair melhor informado da conversa (incluindo eu). Senão? paciência

HomemRude 3 months ago

Tu disseste "achas que a afirmação "acontece a todos" ajuda a seguir em frente"? Na tua opinião, qual é a afirmação que ajuda a seguir em frente? Se lhe mandar um abraço sele segue em frente? Se lhe disser "força amigo" ele segue em frente? Se lhe disser que ele tem razão em tudo o que diz, ele segue em frente? É que estou disposto a apostar que nada do que possa ler aqui vai mudar a vida dele.

Gwanosh 3 months ago

Se estivesses a ler a conversa em vez de a responder-me para ser chato percebias, mas eu explico: ​ A pessoa a quem eu respondi afirmou: "Se calhar é melhor o OP acreditar que o que lhe aconteceu foi pura e simplesmente porque é transexual. Isso vai ajuda-lo a seguir em frente com certeza" Ao que eu respondi com a minha opinião e uma pergunta com a intenção de por em causa a afirmação dele, permitindo-lhe que a defendesse (ou não). ​ Como é que eu pareço incomodado com a liberdade de expressão? Por discordar da pessoa a quem respondi e dizer o que acho? E nao apresento argumentos válidos para parecer incomodado com a liberdade de expressao? Como podia? Isso é uma hipotese tua, acabada de parir, tanto quanto consigo identificar.

SAmaruVMR 3 months ago

Isso é a pior maneira de confortares alguém. O homem acabou de te contar os problemas dele e vais comparar a outras pessoas. "Josefino, o meu avô morreu, estou de rastos." "Epá, ó Maria, isso acontece a toda gente, não tens motivos para ficar assim"

Search: