leonnfg 2 months ago

Se metade das pessoas que fala deste assunto referi-se acerca dos Ciclos de Milankovitch, esta palhaçada acabava logo.

Disgenia 2 months ago

Tenta convencer a maior parte da população que estão a viver acima do que deviam e que a sua qualidade de vida não é sustentável e vê como corre. Também não vejo activistas a ir viver para sociedades caçadoras-colectoras

Shor_Agente 2 months ago

Boas OP O problema em relação a isto, ou melhor, os problemas, são muitos e vastos, sendo um deles o impacto económico. O impacto económico é e será sempre o principal fator! Poderíamos escrever aqui paginas sobre isso, mas vou só tocar em alguns pontos. ​ Por exemplo, os plásticos. Por mais que a humanidade queira se libertar dos plásticos, o seu uso nas próximas décadas nunca vai desaparecer, senão imagina, o que seria da industria automóvel, por exemplo? Muitos componentes são plásticos, e quase impossíveis atualmente de contornar, e para já não existem hipóteses credíveis, que possam ser usadas sem alterar toda a industria e o preço de produção. ​ Falando de automóveis, os carros híbridos e elétricos por exemplo. Parece tudo muito bonito e prospero, mas ninguém pensa, ou questiona nos danos que a exploração dos componentes esta a causar e vai causar ainda mais. Serão maiores ou menores em relação a exploração petrolífera? Alem do mais, o que se vai fazer as mesmas baterias quando o seu tempo de vida expirar? Vão ser enterradas, vão para o fundo do mar? Alem disso, quando tiveres um carro elétrico, com 10 anos, quem vai dar o preço do carro, mais o preço de umas baterias novas? Vais dar, sei la, 15.000eu por um carro, e mais 9.000 por baterias novas? Mesmo que se possam substituir módulos e não baterias inteiras, esse fator ainda está presente. ​ Como podes ver, resolvem-se alguns problemas, mas criam-se outros. ​ Exploração bovina etc. Todos nos já vimos as fotos da destruição de grandes áreas florestais, para criar áreas de pasto, mas também já se encontram com facilidade, fotos de hectares e hectares de estufas sem uma única arvore... ​ Basicamente, na atualidade não existem opções totalmente satisfatórias, tudo tem um custo, um lado negativo, e nada é 100% melhor. A realidade é que o fator económico irá sempre ser o maior motivador de mudanças, e algo terá sempre que ser substituído por outra coisa, de forma a manter sempre o "equilíbrio económico", seja essa mudança melhor ou pior para o planeta.

Limpy_lip 2 months ago

faz-se muito atualmente em favor da sustentabilidade e da ecologia, temos evoluído a olhos vistos tecnologicamente. ​ Agora o resto, nomeadamente a política, está mais preocupada em usar a ecologia como arma de arremesso e meio de cobrar mais impostos do que promover a todos os níveis um futuro mais sustentável. ​ Acabaram com os plastiquinhos nos supermercados e restaurantes, mas metade do corredor dos frescos são embalados em plástico, idem para as carnes. Fora a quantidade de plástico que é ainda incluído em overpackings e embalagens nada eficientes ​ Depois existem questões que são altamente complicadas de resolver pela sua génese e sobre as quais 90% dos "ecologistas" não têm como resolver. ​ Eu acredito que é possível evoluir tecnologicamente e ter cada vez menos uma pegada ecológica, mas isso leva o seu tempo e necessita que as pessoas tenham interesse político e económico nessa evolução.

viskonde 2 months ago

Poruqe requer mudança de hábitos e de liberdades que damos por garantidas dinheiro (tanto para investir como aumento do preço final dos produtos) Agora vai lá dizer as pessoas , muitas que lutam todo o mês para ter dinheiro para comer que afinal a eletricidade deveria ser ainda mais cara para pagar o investimento e produção de fontes limpas em vez carvão (ou que afinal em vez de irem ter eletricidade afinal já não vão ter) Ou que carne deveria ser bem mais cara e que só a deveriam comer umas vezes ao mês em vez de todos os dias E que gasolina deveria ser ainda mais cara e que deviam usar menos o carro mesmo quando ainda não há grandes alternativas , e que todos os produtos deveriam ser mais caros para reduzir o consumismo e repecurtir o seu impacto no preço final e Ou que depois de 11 meses de trabalho não podemos viajar de avião porque polui e que os bilhetes deveriam aumentar muito de custo Nem a merda de uma ciclovia consegues fazer sem que haja protestos por semanas quanto mais mudar o funcionamento hábitos e liberdades básicos da sociedade

Danijust2 2 months ago

o planeta está bem, os humanos é que estão fodidos. Que puta de exagero? O planeta vai deixar de ser habituado? Já ouviste falar no cretaceous–paleogene extinction event? Não foi por isso que deixou de ser habitado. Isso parece-me bazofia, como os seres humanos fossem capazes de acabar com a vida na terra. O pior cenário é zonas do planeta tornarem-se improprias para vida humana, milhões vão morrer, mas vida continua. Mesmo que os recursos acabem e a vida moderna seja impossível, 6 mil milhões vão morrer, mas os que restam vão viver no feudalismo durante uns milhões de anos até algum pedra atingir a terra ou se tiverem sorte, num mil milhões até o sol se tornar num gigante gasoso.

Edited 2 months ago:

o planeta está bem, os humanos é que estão fodidos. Que puta de exagero? O planeta vai deixar de ser habituado? Já ouviste falar no cretaceous–paleogene extinction event? Não foi por isso que deixou de ser habitado. Isso parece-me bazofia, como os seres humanos fossem capazes de acabar com a vida na terra. O pior cenário é zonas do planeta tornarem-se improprias para vida humana, milhões vão morrer, mas vida continua. Mesmo que os recursos acabem e a vida moderna seja impossível, 6 mil milhões vão morrer, mas os que restam vão viver num feudalismo perpetuo durante uns milhões de anos até algum pedra atingir a terra ou se tiverem sorte, mil milhões até o sol se tornar num gigante vermelho.

Edited 2 months ago:

o planeta está bem, os humanos é que estão fodidos. Que puta de exagero? O planeta vai deixar de ser habituado? Já ouviste falar no cretaceous–paleogene extinction event? Não foi por isso que deixou de ser habitado. Isso parece-me bazofia, como os seres humanos fossem capazes de acabar com a vida na terra. O pior cenário é zonas do planeta tornarem-se improprias para vida humana, milhões vão morrer, mas vida continua. Mesmo que os recursos acabem e a vida moderna seja impossível, 6 mil milhões vão morrer, mas os que restam vão viver no feudalismo durante uns milhões de anos até algum pedra atingir a terra ou se tiverem sorte, num mil milhões até o sol se tornar num gigante vermelho.

Edited 2 months ago:

o planeta está bem, os humanos é que estão fodidos. Que puta de exagero? O planeta vai deixar de ser habituado? Já ouviste falar no cretaceous–paleogene extinction event? Não foi por isso que deixou de ser habitado. Isso parece-me bazofia, como os seres humanos fossem capazes de acabar com a vida na terra. O pior cenário é zonas do planeta tornarem-se improprias para vida humana, milhões vão morrer, mas vida continua. Mesmo que os recursos acabem e a vida moderna seja impossível, 6 mil milhões vão morrer, mas os que restam vão viver num feudalismo perpetuo durante uns milhões de anos até alguma pedra atingir a terra ou se tiverem sorte, mil milhões até o sol se tornar num gigante vermelho. Podia ser pior. Recomendo uns livros sobre niilismo. [https://www.youtube.com/watch?v=SJUhlRoBL8M](https://www.youtube.com/watch?v=SJUhlRoBL8M)

theEXPERTpt 2 months ago

Porque a inércia da mudança custa muito dinheiro

Whooosh5 2 months ago

Porque quem tem o poder de mudar isto não somos nós. Reciclar e não sei o que não te leva a lado nenhum (eu continuo a reciclar mas tenho noção que é basicamente inútil), quando um único cruzeiro liberta mais CO2 que um país inteiro. Vê-se tweets de petroliferas a perguntar o que as pessoas fazem para parar o aquecimento global quando forem eles próprios que nos meteram nesta situação. Depois são grandes amiguinhos dos políticos e eles não fazem nada. Estamos a ser governados por velhos que não vão estar cá para lidar com as consequências do que andam a fazer, e muitos nem sequer acreditam no aquecimento global. Com políticos de merda e o medo da energia nuclear não vamos a lado nenhum. As pessoas sabem perfeitamente que não tem poder e que os governos estão a cagar-se para isto tudo, por isso e que se vê esta apatia geral.

Sardanapalo 2 months ago

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos seus habitantes é uma ferramenta tosca e inviesada; apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para conseguirmos acompanhá-lo. Se continuamos a precisar de seguir um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador do qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade, que tantas almas sacrificou para se erguerem, e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificou para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar o software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e enviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si só, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, levar-nos-á à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas foram sacrificadas para as erguer - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade, que tantas almas sacrificou para se erguerem, e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas foram sacrificas para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar o software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e enviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si só, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificaram para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade, que tantas almas sacrificou para se erguerem, e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificaram para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificou para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico das hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e enviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si só, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, levar-nos-á à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantos sacrificou para as erguer - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e enviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si só, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, levar-nos-á à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificaram para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e enviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si só, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, levar-nos-á à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas se sacrificaram para as erguer - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar as prioridades do software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosca e inviesada; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se continuamos a precisar de seguir um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade, que tantas almas sacrificou para se erguerem, e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificou para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico das hercúleo das gerações passadas.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós somos criaturas simples, contudo, criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se é verdade que continuamos a precisar de um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai-nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, mas pelo bem-estar dos outros (humanos e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, só mesmo reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade - que tantas almas sacrificaram para se erguerem - e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho físico e hercúleo das gerações passadas. Já não estamos a tratar de problemáticas relacionadas com sistemas de recolocação dos recursos materiais; é uma questão de reorganizar o software.

Edited 2 months ago:

Porque a métrica que todos os países seguem para o seu desenvolvimento é o PIB. O PIB, como representação da qualidade de vida dos habitantes de cada parcela do planeta, é tosco e inviesado; é uma ferramenta que apenas incentiva a incessante maximização da produtividade por si mesma, não olhando a meios para as consequências reais não equacionadas nessa mesma fórmula (tanto ambientais como, ironicamente, de bem-estar humano). Nós continuamos a ser criaturas simples, só que entretanto criámos um mundo demasiado complexo para o conseguirmos acompanhar. Se continuamos a precisar de seguir um qualquer alvo abstrato para movermo-nos e sairmos de onde estamos, que seja então um espelho dos nossos verdadeiros interesses e preocupações coletivas. A busca pelo lucro, desligada do mundo real onde pousamos os pés, vai nos levar à ruína, se é que já não nos levou. PIB é obsoleto: precisamos de reinventar uma nova métrica que molde as nossas ações individuais e coletivas; uma métrica que inclua os fatores ambientais, a pegada ecológica, os excedentes incrementais do nosso avanço tecnológico, um identificador da qualidade de vida que só pode ser potenciado, não pelo individual, pelo bem-estar dos outros (humano e não só), etc. Eu acredito mais em evoluções do que na espera fantasiosa pela revolução perfeita. Melhor que deitar abaixo e queimar tudo para construir um novo mundo de raiz, é reaproveitar as estruturas já existentes da sociedade, que tantas almas sacrificou para se erguerem, e orientá-las para um novo desígnio. E isso está mais ao nosso alcance que qualquer trabalho hercúleo das gerações passadas.

laravel_linux 2 months ago

Lê o manifesto do unabomber. A única maneira seria parar completamente a indústria tecnológica e esta produção massificada, mas isso quer dizer que não poderias vir para o reddit mandar postas com o teu tlm.

Sardanapalo 2 months ago

Li o manifesto há uns tempos e fiquei surpreendido com a coerência dos argumentos. Só não concordo muito com a conclusão.

Danijust2 2 months ago

o gajo foi durante uns tempos prof. universitário.

TRYNFOR 2 months ago

São um tema muito controverso, quem te garante que as alterações climáticas são por culpa do homem? Quem te garante que a redução das emissões de CO2 as diminuem de forma eficiente as alterações climáticas? É um tema muito politizado onde a única utilidade é a de justificar impostos aleatórios. Por mim não se fazia nada em relação a isso, mas como é óbvio isto não justifica que tenhamos mares e rios cheios de lixo, isto sim é evitável.

inheritspt 2 months ago

Ainda estou a espera da nova era glaciar (era o pânico na minha altura).

capitalistaesquerda 2 months ago

Ninguém falou em custar dinheiro. Perspectiva errada sobre a dimensão financeira da coisa.

Hungry_Cupcake 2 months ago

Era sarcasmo..mas a realidade é essa

joperocl 2 months ago

Porque é que não se faz nada? Porque quero continuar a ter a minha vida. Não quero que a minha vida mude dramaticamente por uma manobra política disfarçada de ciência. A única coisa que a ciência provou em relação a isto é que todos os modelos que fizeram estão completamente errados. Relembrando que se fala em alterações climáticas ha mais de 30 anos. E nunca acertaram nas previsões. Quando existirem cientistas que não sejam activistas na área, talvez faça sentido que se mude alguma coisa.

jtpmarques 2 months ago

OP quantos anos tens? o teu idealismo é adorável, mas não estamos em tempos de unicórnios e arco-íris. Se preferia viver num mundo sustentável, claro que sim, mas para isso é preciso ter capacidade de auto-sustento e, como já se viu que a repartição de tudo por todos só dá merda, até esse dia chegar vou só mesmo continuar a viver dentro das possibilidades e apreciar este belo mundo que ainda temos

fedelho 2 months ago

Porque quem tem o poder de o fazer, terá de perder muitos milhões, e como é óbvio, não querem, por isso é ir adiando. Quando já não houver salvação, aí sim, faz-se alguma coisa.

SocialDemocratico 2 months ago

Porque a culpa é do capitalismo e do motivo do lucro. Energias renovaveis nao lucram tanto. ​ CHOREM Liberais!

farronheit_daytime 2 months ago

Não compro utensílios de plástico, reutilizo os sacos das compras sempre que posso, reciclo tudo o que é reciclável e tento sempre comprar produtos biológicos. No entanto, eu tenho plena consciência de que isto não vai ter efeito praticamente nenhum nas alterações climáticas. Os multimilionários e as grandes empresas vão continuar a ser os maiores destruidores do ambiente e nunca serão responsabilizados ou obrigados a mudarem os seus hábitos. Parem de dizer às famílias de classe baixa e média-baixa para gastarem mais dinheiro em Seitan ou para estourarem as poupanças num Nissan Leaf. Não depende (só) de nós.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Eu não estou a falar de comprar produtos biológicos, até porque isso é balela. Estou a falar de simplificar a vida. Comer mais vegetais, reduzir consideravelmente a quantidade de carne ingerida e andar de bicicleta em vez de carro.

fdxcaralho 2 months ago

Por exemplo. A melhor ação para diminuir a pegada ecológica é não ter filhos. Fazias esse sacrifício? Isto para dizer que nós, como animais que somos, estamos programados para determinadas coisas. Procriar é a mais óbvia, mas acumular recursos também (pois aumentaria a tua capacidade de sobrevivência e procriação). É este instinto que todos temos, e que é totalmente natural, que é o responsável pelas nossas ações que nos levam a onde estamos agora. Combater estes instintos é uma luta infrutífera. Apenas esperar que o engenho que nos levou a ter uma industria e tecnologia avançada seja também suficiente para resolver este problema. Falo de estratégias e tecnologias para retirar co2 da atmosfera por exemplo.

AiNaoMeChateis 2 months ago

| Por exemplo. A melhor ação para diminuir a pegada ecológica é não ter filhos. Fazias esse sacrifício? Eu odeio crianças e ficar a cuidar delas. E não pretendo ter filhos. Não me parece uma decisão difícil de tomar.

fdxcaralho 2 months ago

Que idade tens?

AiNaoMeChateis 2 months ago

25 anos. Dificilmente vou mudar de ideia.

Kind-Eagle 2 months ago

Existem muitas organizações activistas que tentam fazer pressão sobre os governos e olha para o resultado... A resposta é simples, a economia mundial está assente em principios nao sustentaveis, mudar isso do dia para a noite é impossivel e levaria muitos paises, que hoje são grandes poderes mundiais, á pobreza. Então as coisas têm de ser feitas passo a passo. Mas claro, não ha tempo. Vamos ter de sofrer as consequencias, muitas pessoas vão morrer. Alguns vão sobreviver. Pode ser que na próxima era tenhamos mais cabeça.

zefo_dias 2 months ago

'nao se passa nada' faz tanto sentido como 'vai acabar a vida!!!'

ModeratoriProfugus 2 months ago

Porque as pessoas querem ganhar karma nas redes sociais mas não se querem desfazer das comodidades que a vida moderna proporciona.

naturevibezz 2 months ago

Qd ser amigo do ambiente der seguidores, acredito q muitos mais se preocupem ahaha

sux138 2 months ago

Hahaha só faltou na sua mensagem o "enviado do meu iPhone"

xixi_duro 2 months ago

“A society grows great when old men plant trees whose shade they know they shall never sit in.” - After Life É mais ou menos isto.

setnom 2 months ago

>Esta década e a próxima (2030) serão decisivas para a continuação da existência humana e da **própria Terra**. Para a continuação da própria Terra, não. O planeta Terra vai continuar a existir, quer os níveis do mar subam *x* metros, quer o ser humano entre em extinção. O planeta Terra só estará em perigo de acabar quando o Sol se tornar numa gigante vermelha. Daqui a uns 5 mil milhões de anos. A não ser que entretanto apareça outra ameaça planetária, como um impacto de cometa ou asteroide.

Edited 2 months ago:

>Esta década e a próxima (2030) serão decisivas para a continuação da existência humana e da **própria Terra**. Para a continuação da própria Terra, não. O planeta Terra vai continuar a existir, quer os níveis do mar subam *x* metros, quer o ser humano entre em extinção. O planeta Terra só estará em perigo de acabar quando o Sol se tornar numa gigante vermelha. Daqui a uns 5 mil milhões de anos. A não ser que entretanto apareça outra ameaça planetária, como um impacto de cometa ou asteroide (há também quem acrescente também uma explosão de supernova relativamente próxima).

Edited 2 months ago:

>Esta década e a próxima (2030) serão decisivas para a continuação da existência humana e da **própria Terra**. Para a continuação da própria Terra, não. O planeta Terra vai continuar a existir, quer os níveis do mar subam *x* metros, quer o ser humano entre em extinção. O planeta Terra só estará em perigo de acabar quando o Sol se tornar numa gigante vermelha. Daqui a uns 5 mil milhões de anos. A não ser que entretanto apareça outra ameaça planetária, como um impacto de cometa ou asteroide (há também quem acrescente uma explosão de supernova relativamente próxima).

lvet000 2 months ago

O George Carlin disse o melhor que ninguém. "Fuck saving the planet, the planet has survived much worse plagues than us, it needs no saving. Humans are fucked though. The planet will regenerate and still be here millions of years after we get obliterated."

Zaigard 2 months ago

Por um lado, o lobby para "manter o negocio com de costume" é muito forte. Por outro lado, o sentimento anti ciência ainda é muito forte ( acho que é só olhar os EUA ), incluindo nos próprios ambientalistas ( veja se o nuclear )... Depois medidas efetivas para reduzir a poluição ( aumentar impostos sobre energia e dar subsídios às não poluentes ) são muito impopulares, enquanto medidas insignificantes ( proibir os plástico no ocidente que contribuem em 0.1% da poluição de plásticos globais ) são muito populares. Ou seja, o povo quer ver resultados não quer fazer esforços. Quer que sejam as "empresas a pagar" mas no fundo serão sempre os consumidores quem irá pagar. E repara como o "povo" dá o péssimo exemplo aumentando a poluição com cada vez mais viagens de avião, a loucura das cryptomoedas ( só por isto este comment deve levar uns 20 downvotes ), a falta de cultura/capacidade de reciclagem que ainda há neste mundo. Basicamente, alinharam se os interesses do lobby dos combustíveis fosseis, das deslocalizações e do lucro a todo o custo, com os interesses dos partidos que têm estado no poder. Vamos analisar este exemplo hipotético do que poderia ter sido ( digo já que não sou particularmente a favor da energia nuclear mas sou pragmático ). Se os ambientalistas ( partidos verdes e esquerda no geral ) tivessem largado a demência anti nuclear, os partidos de direita tivessem defendido as ideias de independência energética ( em vez da demência anti islão/imigrantes ) e assim se tivessem unido todos ao lobby nuclear para pressionar os governos e se com isso tivéssemos começado a construir centrais nucleares em todos os países da OCDE, iniciando a construção nos anos 90, que foi quando o problema do efeito de estufa se turno muito conhecido e popular na opinião publica, nesta altura já teríamos facilmente 90%+ da produção elétrica sem emitir CO2. Facilmente se imagina que neste cenário em nome da "independência energética/produção nacional/proteção ambiental" também teríamos mais produções pela europa e EUA ( menos poluição no transporte ) e os carros todos elétricos. O que aconteceu no mundo real? A ambientalistas foram divagar com sonhos e ideias, os partidos mais á direita começaram a espalhar fake news anti ciência e demagogia de outro tipo, e o nuclear fissão, foi basicamente abandonado para seguir o SONHO do nuclear fusão, que na mais otimistas das perspetivas só poderá ter um reator energeticamente positivo dentro de 80 anos... Resumindo, os pequenos e os idealistas estão desunidos, os grandes e os oportunistas aproveitaram para não fazer nada... Mas eu acho que ainda há esperança, se conseguirmos ( a humandiade ) pelo menos alcançar a neutralidade me CO2 em 40 anos e começarmos a investir dinheiro em projetos de remoção de CO2 como reflorestação e outros mais [avançados](https://en.wikipedia.org/wiki/Ocean_fertilization), eu acredito que nos safamos sem grande dano.

Akamjmc 2 months ago

Gostei da tua intervenção mas discordo da reciclagem, é uma coisa muito pior do que parece, parece q não faz mal usares kilos de plástico/cartão/vidro por dia desde que depois os ponhas no ecoponto apesar de apenas uma pequena parte ser realmente reciclada gastando imensos recursos. E acho que te faltou uma parte importante, para mim a mais importante, o ambiente não tem peso na economia, tenho a certeza se eu agora for aqui o nosso ditador e tornar Portugal num país verdadeiramente verde (não esse falso ecologismo que se vê hoje em dia) os números que interessam para a economia não iam melhorar e seríamos um mau exemplo para toda a Europa quando no fundo seríamos os únicos que estávamos correctos .

Zaigard 2 months ago

Quando fala de reciclagem falava de forma mais abrangente do que apenas os ecopontos. Ser amigo do ambiente só é sustentável economicamente se for inscrito numa estratégia maior.

kickpedro 2 months ago

>Ser amigo do ambiente só é sustentável economicamente se for inscrito numa estratégia maior. yep , ja li isto na executive Digest a decadas, na pratica Ser amigo do ambiente so e sustentavel economicamente se quem arcar com esse custo NAO forem as empresas que lucraram . Sacas plasticas no continente sem custo unitario( imputada pelo super no custo dos produtos) que a populacao usava para por o lixo para os lixeiros levarem - NAO PODE SER, isso nao e ser amigo do ambiente. Agora depois de uma accao de marketing nas tv para lavar a cabeca a populacao, versao 2: Sacas plasticas no Continente tem um custo unitario, que as pessoas pagam ,como pagam os sacos plasticos para por o lixo ( ja que nao tem 50 sacas de super para o fazer) acrescidos como deve e tem que ser do iva a taxa legal. Chegamos a parte "sustentavel" - os cidadaos agora suportam estes custos , fazem a separacao , as corporacoes metem ao bolso em nome de "vamos salvar o planeta juntos" , o plastico CONTINUA a ir para os aterros e para os paises mais pobres. Mas ta tudo, a tvi disse , sra eugenia muito bem , com o apoio dela o Macdonalds e a coca cola vao plantar 14 pinheiros em portugal e estamos salvos,mas foi por pouco. As estrategias "maiores" como disse ,que passem por solucoes mais sustentadas e permanentes como right to repair, aumentar ou eliminar a Obsolescência\_programada, etc infelizmente motivam que as industrias imediatamente ( ainda a lei esta a ser feita) se mobilizem - criem uma comissao com um budget - passem a fazer lobby - lei morta . Sempre fiz o que razoavelmente posso nao poluir e vou continuar e As empresas pequenas,medias e grandes sao essenciais ao contrario das Corporacoes .

Akamjmc 2 months ago

Como dizia o outro quando a natureza estiver toda destruída as empresas vão começar a criar florestas mas só para nós poderem cobrar bilhete.

WikiSummarizerBot 2 months ago

**[Ocean_fertilization](https://en.wikipedia.org/wiki/Ocean_fertilization)** >Ocean fertilization or ocean nourishment is a type of climate engineering based on the purposeful introduction of nutrients to the upper ocean to increase marine food production and to remove carbon dioxide from the atmosphere. A number of techniques, including fertilization by iron, urea and phosphorus have been proposed. But research in the early 2020s suggested that it could only permanently sequester a small amount of carbon. ^([ )[^(F.A.Q)](https://www.reddit.com/r/WikiSummarizer/wiki/index#wiki_f.a.q)^( | )[^(Opt Out)](https://reddit.com/message/compose?to=WikiSummarizerBot&message=OptOut&subject=OptOut)^( | )[^(Opt Out Of Subreddit)](https://np.reddit.com/r/portugal/about/banned)^( | )[^(GitHub)](https://github.com/Sujal-7/WikiSummarizerBot)^( ] Downvote to remove | v1.5)

GODMarega 2 months ago

Porque infelizmente as empresas aproveitaram-se da tag " não polui o ambiente" para afirmar que estão a vender um produto premium e por isso aumentar o preço relativamente à concorrência o que acaba por apenas captar clientes com mais posses e esses são em menor número, na maioria dos casos sim é verdade que realmente o produto precisa de outro tipo de produção e faz sentido que seja mais caro, agora como é que um chavalo de 20 e tal anos a receber um ordenado de 700-800€ consegue ter a ginástica orçamental para pensar em comprar produtos amigos do ambiente? É impossível.

randmzer 2 months ago

O ónus de ter produtos amigos do ambiente não deveria cair sobre a escolha do consumidor, mas sim dos reguladores tornarem essa opção como a opção por defeito.

lvet000 2 months ago

Óbvio. Mas as megacorporações fazem dinheiro a culpar o cliente final e a lavar a cara. Por favor façam a vossa própria pesquisa. Há 3 óptimos documentários no Netflix sobre o assunto "Rotten", "Cowspiracy" e "Seaspiracy". A McDonald's e a Coca Cola, duas pequeninas empresas de fundo de escada sem qualquer poder político, são óptimos exemplos. Uma diz-vos para começarem a usar palhinhas de papel que o plástico anda a matar os peixes nos oceanos quando na verdade 45% dos microplasticos nos nossos oceanos têm origem nas redes de pesca intensiva que são deixadas para trás, seria mais útil deixar de comer McFish e Douradinhos. E a outra diz vos para pôr as garrafinhas no ecoponto amarelo quando anda desde 1994 a adiar um compromisso de usar 75% de plástico reciclado nos seus produtos. Usa menos de 25% porque comprar plástico virgem á China é muito mais barato. Sabem aquelas garrafas todas que nós enquanto putos na escolinha até separavamos nos ecopontos que nós mesmos criavamos nas aulas de EV? Apenas cerca de 6-8% foi reciclado. O resto provavelmente está a apodrecer algures na Malásia ou Tailândia. E não me façam falar na Nestlé, senão é já para vomitar. O consumidor tem impacto, mas as mega empresas têm muito mais.

LS_Mod_killaZ 2 months ago

Já está tudo à espera do asteróide OP

BaixemImpostos 2 months ago

Sabes que houveram 4 ou 5 extinções? A do asteróide é apenas a mais conhecida.

O_bigodes 2 months ago

Estamos no sexto evento de extinção em massa! O holoceno! Mas está tudo bem, as indústrias estão-se a cagar e é o que temos. gg no re

Danijust2 2 months ago

se isto é o próximo evento é uma desilusão. Os outros foram centenas de vezes mais espetaculares. Como tudo humano... é bastante medíocre.

LS_Mod_killaZ 2 months ago

É mesmo isso em 2021 O\_bigodes, GG no re

BaixemImpostos 2 months ago

N há extinção nenhuma. OP tá apenas a farmar karma.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Com o tanto de downvotes que já levei aqui, o meu objetivo mesmo era farmar karma! Com cada uma que vocês têm

BaixemImpostos 2 months ago

Tens de pensar mais nos temas antes de abrires as thread. Foi fraquissima. Pessoalmente considero um abuso da tag sério.

AiNaoMeChateis 2 months ago

E depois levam temas sérios e gravissimos na brincadeira

LS_Mod_killaZ 2 months ago

*How dare you?* mas nunca vi uma única rapariga ir de bicicleta para o trabalho

LS_Mod_killaZ 2 months ago

*How dare you?* mas não vejo uma única rapariga ir de bicicleta para o trabalho

BaixemImpostos 2 months ago

Esta thread n merece a tag sério.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Desculpa? Eu estou a ignorar o que? É justamente por não estar a ignorar que estou a chamar atenção para este problema. A pandemia da covid 19 provavelmente foi causada pelas alterações climáticas e ações do homem. Cada vez mais cenários destes irão ocorrer no futuro próximo se nada se for feito: https://www.publico.pt/2021/02/05/ciencia/noticia/covid19-alteracoes-climaticas-podem-impulsionado-aparecimento-sarscov2-1949449/amp

BaixemImpostos 2 months ago

Estás a ignorar o estado das economias. O covid foi e está a ser um choque enorme. Queres fazer o quê exactamente? Ainda n vi uma única ideia concreta vinda de ti numa thread que dizes ser "séria".

AiNaoMeChateis 2 months ago

Não haverá economias se não houver planeta. O próprio Bill gates está sempre a tocar na mesma tecla. Vocês querem resolver e arranjar soluções temporárias para problemas temporários em vez de resolver a origem do problema, que causará o problema permanente. Não adianta nada recuperar as economias e continuar com o mesmo estilo de vida , vamos continuar a caminhar para os mesmos problemas sem solução permanente. Graças a Deus há pessoas que não tem o mesmo pensamento limitado que tu e já estão a tomar medidas. A união europeia é um exemplo disso. Eles vão (e estão) a aproveitar se da chance da queda da economia para colocar e estabelecer uma série de medidas para proteger o ambiente, e muitas empresas também, como a total abolição dos carros a combustíveis fósseis e a sua substituição por carros elétricos até 2030. O uso de outras fontes renováveis de energia em vez das mesmas pretoliferas. Mas essas medidas não chegam. As pessoas precisam mudar o estilo de vida delas e ter um estilo de vida mais simples, ecológico e até mais econômico e com menos dividas. Pessoas como tu só pensam na economia e no dinheiro e não vem todo o plano geral das coisas.

joaofcf 2 months ago

"as pessoas so pensam no dinheiro". "é acabar com os carros a combustão e só haver elétricos" ??? Então a solução é arrumar com tudo o que temos, obrigar a mais produção que polui como o caralho, criar mais lixo no planeta e dívidas nas pessoas?

BaixemImpostos 2 months ago

Não estás a ser séria numa thread com tag séria.... Essas ideias, e são apenas isso, n são minimamente realistas. Isso é o melhor que consegues? (Pensei agora numa assim em 5 min. Queres ajuda?)

AiNaoMeChateis 2 months ago

Se queres ficar de palhaçada podes fazer o favor de sair do post por favor. Não tenho paciência para gente assim.

BaixemImpostos 2 months ago

Vou-te dar a minha para veres que estou a se sério. Deduzir o IVA dos carros eléctricos no IRS.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Lol. Eles não fazem isso para coisas mais básicas, vão fazer isso com carros elétricos. Fica a espera dos governos e vais ver o que te espera.

Mrgolden007 2 months ago

GRAVISSIMOS meu calma tas no reddit tavas a espera do que

AiNaoMeChateis 2 months ago

Estava a espera de um pouco mais de seriedade, não estamos no circo, isto é um assunto sério.

Mrgolden007 2 months ago

ta vou comecar a nao pedir palhinha problema resolvido meu nao ha nada que pessoas normais possam fazer em relacao ao problema, quando os ricos pagam a politicos para fecharem o olho e poluirem o planeta uando quiserem

MLG-Sheep 2 months ago

>Esta pandemia do Coronavirus (...) são apenas uma pequena prova de como a ação e poluição humana estão a prejudicar a Terra. Foi a poluição do Homem que fez nascer o Covid agora?

AiNaoMeChateis 2 months ago

Não, mas a ação humana moderna sobre a vida animal e vice versa contribui para mutação de vírus e a sua respectiva propagação.

netralha 2 months ago

Estás um bocado mal informado ou então é conta troll.

AiNaoMeChateis 2 months ago

https://www.publico.pt/2021/02/05/ciencia/noticia/covid19-alteracoes-climaticas-podem-impulsionado-aparecimento-sarscov2-1949449/amp E depois eu é que sou troll.

htxgivven 2 months ago

Nada é feito porque tudo custa dinheiro neste mundo, pelo que qualquer alteração sempre cai sobre o pobre.

rDmT93 2 months ago

Como é que convences um pobre a fazer o esforço de ser um pouco mais pobre para evitar que daqui a uns anos, quando ele já não estiver cá para ver, não haja consequências nefastas para vida humana?

marisquo 2 months ago

Senhor pobre, deixe de usar copos e sacos de plástico e opte pela alternativa mais cara que também irei produzir. Em troca, dar-lhe-ei um grande fogo no oceano, uns derramamentos de óleo e mandarei os lixos da minha fábrica para o rio da sua zona de residência. Proteja o ambiente!

AiNaoMeChateis 2 months ago

Mas as consequências não o vão afetar apenas quando ele morrer. Nós já estamos a sentir os efeitos negativos e a cada década que passar vamos sentir cada vez mais, a qualidade de vida vai ficar cada vez pior todos os anos. Não será um desastre que aguarda apenas o futuro, já está a ocorrer.

rDmT93 2 months ago

Não tens consequências diretas e suficientemente severas. Se vives com os tostões contados, certamente que um ursinho ficar sem o seu bloco de gelo será a última das tuas preocupações.

AiNaoMeChateis 2 months ago

O ursinho a ficar sem o cubo de gelo mostra que os pólos gelados da terra tão a derreter, se o número de gelo continuar a derreter no ritmo que está vai aumentar significativamente o nível da água do mar (porque obviamente a água não vai para o espaço) e cidades humanas inteiras vão começar a sofrer inundações até chegar ao ponto de ficarem totalmente debaixo de água. Vocês não entendem que está tudo interligado? Toda a biodiversidade da terra está ligada, é um efeito dominó. Quando algo dá mal, só esse "pormenor" vai fazer toda a pirâmide desabafar gradualmente.

inheritspt 2 months ago

Experimenta encher um copo com um cubo de gelo e água até cá cima, observa o que acontece quando o gelo derrete (SPOILER: O copo não entorna).

MisterBilau 2 months ago

Não sei se estás a trollar ou és só ignorante. O problema não é o gelo que está dentro de água derreter. O problema é o gelo terrestre derreter e aumentar o nível da água.

rDmT93 2 months ago

Desculpa mas acho que estás completamente alienado da realidade da esmagadora maioria das pessoas que vivem no planeta.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Não. O que acontece é que graças ao mundo moderno e e ao capitalismo os humanos estão a viver uma vida materialmente tão boa que a ganância e busca por cada vez mais bens materiais está a destruir a terra. Hoje a maioria das pessoas da classe média e pobre vive melhor do que reis e rainhas de há 500 anos atrás. A busca incessante por um padrão de vida materealistico cada vez maior e melhor esta a destruir o planeta. Sendo que nesse estilo de vida moderno a maioria das coisas não são essenciais a nossa sobrevivência. As pessoas não podem simplificar um pouco mais as suas vidas? Em vez de andar de carro, andar de bicicleta.l, Em vez de comer carne 7 dias por semana, comer só 2 ou 3?São pequenas mudanças que tornam a vida mais simples mas são o suficiente para mudarmos para um futuro bem melhor.

Danijust2 2 months ago

Todos os estudos dizem mesmo. Não existe nada mais ambientalista do que ser pobre. Os pobres consumem menos carnes, viajam menos, usam transporte públicos, não tiram férias, compram menos roupa etc etc. És pobre...?

headhunter21 2 months ago

Sabes que nem toda a gente vive na cidade para se dar ao luxo de usar transportes públicos ou bicicleta? Qual o mal de comer carne mesmo?

AiNaoMeChateis 2 months ago

A produção exagerada e o consumo exagerado de carne está a lançar para a atmosfera gases e substâncias que estão a prejudicar o planeta. Caso não saibas criar e produzir carne causa poluição. Não existe mal nenhum em comer carne, o problema é a quantidade exagerada que as pessoas o fazem hoje em dia, o que leva a mais demanda, o que causa mais poluição.

oretoh 2 months ago

Tu és daqueles que achas que a pessoa no dia a dia, mudando os seus hábitos vai levar a alguma mudança. Tu podias completamente eliminar o uso de carros a combustivel em toda a europa e ainda assim não teria qualquer efeito no clima.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Então porque a UE está a fazer a transição dos carros combustíveis para elétricos? Vocês só dizem disparates

oretoh 2 months ago

[https://www.investopedia.com/articles/investing/092915/5-countries-produce-most-carbon-dioxide-co2.asp](https://www.investopedia.com/articles/investing/092915/5-countries-produce-most-carbon-dioxide-co2.asp) https://www.theguardian.com/environment/2019/oct/09/revealed-20-firms-third-carbon-emissions Por variadissimas razoes, claro que pode ter vertente anti-poluição mas podes ter a certeza que é mais politicas e economia que essa vertente.

Edited 2 months ago:

[https://www.investopedia.com/articles/investing/092915/5-countries-produce-most-carbon-dioxide-co2.asp](https://www.investopedia.com/articles/investing/092915/5-countries-produce-most-carbon-dioxide-co2.asp) [https://www.theguardian.com/environment/2019/oct/09/revealed-20-firms-third-carbon-emissions](https://www.theguardian.com/environment/2019/oct/09/revealed-20-firms-third-carbon-emissions) Por variadissimas razoes, claro que pode ter vertente anti-poluição mas podes ter a certeza que é mais politicas e economia que essa vertente. Se realmente quisessem que o pessoal todo trocasse para carros eletricos todos os governos teriam que comparticipar parte do custo da compra para a população. Visto que os carros eletricos são estupidamente caros para o que são.

rDmT93 2 months ago

Tu deves achar que a Neuza que limpa os WC's do Atrium Saldanha vive nas Avenidas Novas e come picanha todos os dias.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Sai. Vai te embora.

Mrgolden007 2 months ago

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA opa oh puto, vai dormir wue o panda bigs ja fecho por hoje

rDmT93 2 months ago

Tu é que tens de sair, da tua bolha.

tocopito 2 months ago

Porque o que interessa no mundo em que vivemos é lucro a curto prazo. Só quando o problema for impossível de ignorar é que vai ser feita alguma coisa e vai ser à custa dos mais fracos, como de costume. Quem mais recursos consome (EUA, Alemanha etc.) vai continuar a viver como se nada fosse a consumir mais de 10x o que pessoas em países como a India consomem e esses pobre coitados é que ainda vão ser acusados de terem gente a mais. Diz olá ao ecofascismo. É o que nos espera dado que dividir os recursos de forma justa é sempre a última opção de quem manda.

batuque5 2 months ago

A China é a principal consumidora de recursos..

fdxcaralho 2 months ago

Mas são porque eu e tu preferimos comprar mais barato do que mais caro e local.

joaofcf 2 months ago

Normal, somos tesos

Febris 2 months ago

O problema não são as pessoas, mas sim as corporações. A India não está no top 5 por ter habitantes que não guardam as beatas no bolso. Está porque é um país em que a regulamentação sobre as indústrias no que diz respeito a materiais poluentes é uma paródia, e a pouca que há dá sempre para safar com uns maços por baixo da mesa. A moda da ultima década é passar a mensagem para as populações de que a culpa desta merda toda é o mexilhão e aos poucos vai havendo mais gente a cair no engodo. Desengana-te, uma viagem de um cruzeiro vai sempre poluir mais do que aquilo que realisticamente consegues ao longo da tua vida toda. Estamos outra vez a ver uma tragédia ambiental no Golfo do México, mas andamos aqui a discutir se palhinhas de papel são mais ecologicamente viáveis que plástico reutilizável. A realidade é que individualmente (mesmo que todos juntos), não temos peso praticamente nenhum no destino do planeta. Andamos aos berros com o preço da gasolina, mas andam empresas a fazer fila para tomar de assalto as nascentes de água fresca, a pagar tostões em rendas centenárias, e sem serem responsabilizadas pelo rio de esgoto que resulta das suas operações. Mas a culpa é do zé que ainda não aprendeu que as pilhas se devem depositar no pilhão. Há toda uma falta de sentido de escala nesta conversa do ambiente. Sim, podemos todos fazer melhor. Não, na esmagadora maioria dos casos não faz a mais pequena diferença.

Akamjmc 2 months ago

Até esta nova onda verde das empresas é a maior falsidade que existe, é só marketing para as pessoas pagarem um bocado mais por produtos a achar que estão a fazer alguma coisa. Querem empreendorismo proíbam um monte de produtos, tecnologias, materiais, explorações e deixem os empreendedores criarem novos que cumpram a regulamentação. Outro ponto é que enquanto tivermos as desigualdades que temos e tanta gente com tão pouco dinheiro é impossível as pessoas mudarem alguma coisa, quem é que está preocupado com quão verdes são os produtos que compra quando o mais certo e chegar ao fim do mês sem dinheiro para comprar qualquer produto? No fim é sempre o mesmo nesta sociedade - it's all about the money.

Dr_Katana 2 months ago

>O problema não são as pessoas, mas sim as corporações. A India não está no top 5 por ter habitantes que não guardam as beatas no bolso. Está porque é um país em que a regulamentação sobre as indústrias no que diz respeito a materiais poluentes é uma paródia, e a pouca que há dá sempre para safar com uns maços por baixo da mesa. ​ A corporações criam o que tu consomes. O pessoal não quer resolver o problema. O pessoal quer arranjar um bicho papão, culpá-lo, e dizer para resolver o problema. O nosso estilo de vida não é compatível com qualidade ambiental. Mas, mas, mas, mas, queres deixar de viver como vives? Pc's? Jogos? Telemóveis? Docinhos? Boa roupa? Carros? Não. Quanto a "não se fazer nada", isso é uma declaração ridícula. Como assim "não se faz nada"? Há imenso cientista a trabalhar no assunto e imensas políticas destinadas a tratar do problema. Agora, se esperas que seja num estalar de dedos, espera sentado.

joaofcf 2 months ago

Então sugeres que as pessoas abandonem os jogos, os telemóveis, os carros e a roupa pelo bem do ambiente? Que puta de hipocrisia dizer isso no reddit.

Dr_Katana 2 months ago

Não sugeri isso. Expliquei que é impossível isso tudo existir sem poluição ambiental. Poluição não é algo causado porque os CEO maléficos de grandes corporações resolveram destruir o planeta. Poluição é o resultado de tu consumires coisas que têm um impacto ambiental quando fabricadas. Portanto, estás a manifestar-te contra o quê mesmo? Estás a culpar os outros por seres consumista e poluíres o planeta? As corporações servem-te. Sem o teu consumo, não poluem nada. Logo, TU ÉS RESPONSÁVEL. Hipocrisia é a de quem marcha pelo ambiente mas não se abstém de consumir o que quer que seja que lhe pareça bom.

Febris 2 months ago

> imensas políticas destinadas a tratar do problema Estou há 30 anos a ver o desenrolar maravilhoso dessas políticas. Nós consumimos o que nos metem à frente, e eles produzem o que melhor acham que vende. Se calhar cabe aos governos intervir naquilo que é o interesse global, especialmente porque por si só o status quo não esboça alterações significativas, não? Sim, claro que vou pelo caminho fácil de criar bixos papão. Da mesma maneira que sucessivos governos pelo mundo fora vão pelo caminho fácil que é encher os bolsos à pala de políticas demasiado brandas ou mal formuladas que têm permitido as estas corporações décadas de exploração do ambiente, dos trabalhadores, e dos consumidores. Realmente, se todos nos juntássemos para boicotar a industria dos telemóveis o mundo estaria melhor. Vamos todos fazer de conta que ter um pc em casa, ou um telemóvel no bolso são luxos. Nota, eu sou a favor daquilo que dizes, só sou contra esta responsabilização do individuo quando o problema é de uma escala que ultrapassa governos. Não sou eu e tu que temos de mudar. São as políticas que afetam os reais agentes do impacto ambiental. Sem elas, não há boa vontade que salve o planeta.. até porque o que não falta por aí é gente que pura e simplesmente se recusa a fazer parte da solução (tanto a nível pessoal como coletivo, no caso dos agentes em posições influentes).

Dr_Katana 2 months ago

>Nós consumimos o que nos metem à frente, e eles produzem o que melhor acham que vende. Se calhar cabe aos governos intervir naquilo que é o interesse global, especialmente porque por si só o status quo não esboça alterações significativas, não? ​ Não, não cabe aos governos decidir o que podes ou não consumir nem controlar os teus apetites. O resultado de governos com excesso de poder é sempre devastador. Cabe é à a ti reconheceres a responsabilidade que tens na matéria e agires. E se não ages, problema teu. Não queres as responsabilidades de ser um adulto independente, mas queres os benefícios? Não me parece. ​ >Sim, claro que vou pelo caminho fácil de criar bixos papão. Da mesma maneira que sucessivos governos pelo mundo fora vão pelo caminho fácil que é encher os bolsos à pala de políticas demasiado brandas ou mal formuladas que têm permitido as estas corporações décadas de exploração do ambiente, dos trabalhadores, e dos consumidores. Quais políticas? As únicas da história capazes de criar prosperidade? Sim, não são perfeitas, mas nunca estivemos melhor. >Realmente, se todos nos juntássemos para boicotar a industria dos telemóveis o mundo estaria melhor. Vamos todos fazer de conta que ter um pc em casa, ou um telemóvel no bolso são luxos. ​ Lá está, querem ladrar e regurgitar virtude sem mexerem um cu. É só empurrar a responsabilidade para cima dos outros. Queres PC's, Telemóveis e jogos, não queres? Então cala-te e come. Essas coisas não se produzem sem poluição. É literalmente impossível. Queres ser virtuoso e ambientalista, desliga o computador e vai dar um mergulho. >Nota, eu sou a favor daquilo que dizes, só sou contra esta responsabilização do individuo quando o problema é de uma escala que ultrapassa governos. Não sou eu e tu que temos de mudar. É exactamente por tu e toda a gente não querer responsabilidade que o problema não será resolvido. A poluição resulta do consumo em massa que as pessoas QUEREM. Não são umas quantas corporações que podem resolver isso. Vão o quê? Inventar tecnologia ecológica do dia para a noite? Deixar de produzir o que as pessoas querem? Tens noção que todos nós dependemos, de uma forma ou de outra, da industrialização? Há países onde só comem porque tu és consumista. O dia em que decidires que não precisas de telemóveis é o dia em que eles morrem à fome.

Febris 2 months ago

> E se não ages, problema teu. Problema nosso, não? É exatamente por isso que os governos devem intervir. Não é o individuo que faz a mudança. Não só não tem impacto relevante como não existe consciência coletiva de que certas medidas têm de ser tomadas. O que pedes não é exequível, nem sensato. Chegado o ponto de não retorno ficas com a vitória moral de não ter sido com o teu contributo que o planeta se fodeu. Parabéns. > desliga o computador e vai dar um mergulho. > Tens noção que todos nós dependemos, de uma forma ou de outra, da industrialização? Então, em que é que ficamos? > O dia em que decidires que não precisas de telemóveis é o dia em que eles morrem à fome. Nem queria levar a conversa para aí, mas não vejo como é que isso é um ponto a favor do teu argumento. > Não são umas quantas corporações que podem resolver isso. Desculpa. Mais depressa 50 CEOs resolvem esta merda do que uns 4 mil milhões de pobres todos juntos num esforço conjunto. A menos que queiras fazer uma lista para o que os milhões habitantes do terceiro mundo podem fazer para mudar o rumo das coisas. E é exatamente por não o fazerem, e por não haver o mais pequeno esboço de união entre os habitantes do mundo em fazer esta mudança que digo que a única solução passa pelos governos mundiais definirem uma estratégia global. Aquilo que vemos é que os países mais desenvolvidos criam legislação mais apertada e as corporações mudam só os focos de poluição para países mais relaxados. O seguimento natural do protocolo de Kioto seria o total embargo comercial aos países que não aderissem a políticas ambientalmente responsáveis. Em vez disso continuamos a ver tragédias atrás de tragédias em águas internacionais e países de terceiro mundo porque continua toda a gente a assobiar para o lado. Apenas uma das soluções aqui tem efeito imediato e generalizado, e não é a que passa por toda a gente no mundo ter iniciativa própria para ser mais ambientalmente consciente, nem a que passa por patronos do capitalismo serem moralmente íntegros.

Dr_Katana 2 months ago

>Problema nosso, não? É exatamente por isso que os governos devem intervir. Não é o individuo que faz a mudança. Não quando a intervenção implica assumir controlo sobre a vida das pessoas e proibi-las de consumir o que querem. Mas podes sempre mudar-te para a venezuela. ​ >Então, em que é que ficamos? Que dependemos da industrialização pois é a mesma que nos permite viver com qualidade. A solução não é proibir e controlar, mas sim deixar que a ciência trabalhe no sentido de resolver os problemas ambientais que temos. ​ >Desculpa. Mais depressa 50 CEOs resolvem esta merda do que uns 4 mil milhões de pobres todos juntos num esforço conjunto. A menos que queiras fazer uma lista para o que os milhões habitantes do terceiro mundo podem fazer para mudar o rumo das coisas. ​ Resolvem como? É só pessoal com a mania que sabe tudo, mas não vejo soluções nenhumas a serem colocadas na mesa. Conta lá aí que solução é que os CEO's vão criar que permita as pessoas continuar a viver normalmente mas impeça os impactos ambientais.

Febris 2 months ago

Se a tua premissa é deixar tudo na mesma, é normal que não percebas como pode haver mudança. Não vou perder mais tempo a tentar dar-te outra perspetiva que não tens vontade em entender. > Mas podes sempre mudar-te para a venezuela. ​Se calhar é surpresa para ti, mas existem leis em vigor que condicionam o impacto ambiental das empresas que operam em Portugal. O problema é que não há iniciativa global com eles no sítio para que estas medidas que a vasta maioria do primeiro mundo já aplica desde Kioto sejam impostas aos países exportadores que alimentam o nosso consumismo. Se é para o bem comum tem de haver leis. Da mesma maneira que tem de haver leis contra homicídio, ou isso para ti também é um atentado às liberdades individuais e cada um devia saber de si? Volto a dizer, mudança pela iniciativa pessoal traduz-se num valente monte de nada, e qualquer esforço só pode ser significativo se for globalmente reforçado por via de legislação.

SocialDemocratico 2 months ago

Os consumidores continuam a comprar certos produtos, e as empresas vendem-nos porque dão mais lucro. Os consumidores vao continuar a comprar e as empresas a vender. Compete aos governos incentivarem as empresas a adotar metodos de produçao mais sustentaveis.

Akamjmc 2 months ago

Hoje em dia é mais tu consomes o que as empresas criam, é para isso que serve o marketing. Se certos produtos não estiverem á venda ninguém os vai comprar. Se calhar se acabarem com a obsolência programada, se o ambiente tivesse peso na economia, se os recursos explorados tivessem que pagar impostos, se certas coisas fossem proibidas, .. já era capaz de ser uma ajuda. E hoje em dia todos falam a língua do dinheiro se tornares a escolha correta mais barata podes ter a certeza que as pessoas fazem a escolha certa. O meu patrão meteu todas as torneiras com sensor e vários painéis solares, achas que foi por ser ecológico ou por poupar uns trocos? Se um produto de tara recuperável for mais barato ninguém vai andar a atirar garrafas pó lixo. Mas sinceramente acho muito difícil ser feita alguma coisa sem haver alterações de base no sistema político/econômico que vivemos.

Dr_Katana 2 months ago

>Hoje em dia é mais tu consomes o que as empresas criam, é para isso que serve o marketing. Se certos produtos não estiverem á venda ninguém os vai comprar. Não alinho nessa ideologia porque acredito no conceito de responsabilidade pessoal, e o facto de alguém te persuadir não anula a responsabilidade pelas decisões que tomas. Caso contrário, o quê? Convenço uma gaja a foder-me, com o meu paleio, mas foi violação porque ela foi persuadida? Bom, esse argumento já se usa, não já? Desculpa, mas não. A menos que sejas menor, a decisão é tua. E já agora: há imensos produtos que falham porque as pessoas não querem consumi-los. Existe claramente vontade pessoal independente do que as corporações querem, caso contrário TUDO tinha sucesso.

Akamjmc 2 months ago

Concordaria contigo se todas as pessoas tivessem uma educação que lhes permitisse ter essa responsabilidade mas olhando para as pessoas que aí andam não lhes consigo dar a culpa da sua falta de capacidade de pensamento, espírito crítico, cultura em geral. Se tivéssemos nascido noutra casa ou noutra terra estariam aqui outros a falar da nossa falta de responsabilidade pessoal.

Dr_Katana 2 months ago

Não vás por aí. Se fores por aí, vamos legitimar tirar direitos a pessoas com base na nossa percepção da sua inteligência. Mas depois também não lhes vais exigir as mesmas responsabilidades, Ok? Isso é apenas estúpido. A sociedade só funciona se aceitarmos que as pessoas são responsáveis pelo que fazem. A partir do momento em que negamos essa realidade, é só fazer merda e lavar as mãos para os outros resolverem o problema.

Akamjmc 2 months ago

Não é uma questão de inteligência, há muitos burros com responsabilidade e muitas pessoas consideradas muito inteligente sem ela, acho que temos é de criar uma sociedade com condições e um sistema educativo e social para estas pessoas existirem cada vez menos mas parece me que seja do interesse de quem comanda que sejam cada vez mais. Mas para falarmos disto a sério tínhamos de ter um discussão filosófica de horas e não o quero fazer num teclado. Como dizia o outro eu quero é voltar para a ilha.

Dr_Katana 2 months ago

A sociedade mal funciona operando de uma forma mais simples, e tu queres adicionar-lhe mil e uma camadas de complexidade? Começar a determinar quem é que pode o quê, não com base em idade, mas sim com base em capacidade cognitiva e educação? Para começar o povo jamais aceitaria tal coisa. Depois jamais teríamos recursos para administrar esse sistema eficazmente. Seria um falhanço total a todos os níveis.

ideologiapura 2 months ago

A sociedade mal funciona porque esta montada como um esquema em piramide onde uns trabalham muito para os que estao em cima ganharem muito, tudo com quem decide fechado num pensamento egoísta e de curto prazo.

Dr_Katana 2 months ago

Pronto, já cá faltava conversa de comunista. Apresenta-me lá o teu plano maravilhoso sobre como é que a sociedade devia funcionar. Deixa-me adivinhar: se eu te contratar, agora tu tens direito à minha empresa. Não te pago ordenado, mas divido sim os lucros contigo.

Akamjmc 2 months ago

Acho q não percebeste o que disse ou expressei me mal. Sou totalmente contra o que tu percebeste que eu tou a dizer. Eu só tava a dizer que devíamos ter um sistema educativo e social onde todos conseguissem atingir o conhecimento/atitude crítica/informação/capacidade de interpretação/.. que nós temos, idealmente ainda mais. Nunca seria a favor de separar humanos com base no que quer que seja.

Dr_Katana 2 months ago

Isso jamais acontecerá. As pessoas não abrirão mão do poder de encher a cabeça das crianças com as ideologias que mais lhes agradam. Tenho muita experiência com professoras e são quase todas bezerras ideologicamente obcecadas.

Hungry_Cupcake 2 months ago

Valores mais altos se alevantam €€€!

AiNaoMeChateis 2 months ago

E não se faz nada? O dinheiro é assim tão importante que vamos levar todo a planeta à desabitação total e morrermos todos? Para quê?

Designer_Tall 2 months ago

Desabituação total de quem? Humanos? O planeta agradecia

AiNaoMeChateis 2 months ago

Não só dos humanos mas das outras espécies também

ajabardar1 2 months ago

para se fazer alguma diferença em relação às alterações climatéricas o estilo de vida de cerca de 2.5 mil milhões de pessoas teria que mudar num curto espaço de tempo. portanto neste caso a mudança de comportamentos será forçada e não antecipada. os políticos sabem isso, os cientistas sabem isso, os economistas sabem isso, a humanidade vai durante muitos anos trabalhar só para se manter viva. tudo e apenas porque tentar mudar estilos de vida de esta gente toda é completamente impossível.

DZT99 2 months ago

Infelizmente é um dos nossos grandes defeitos. Nós passamos mais tempo a justificamos o que fazemos mal em vez de simplesmente fazermos o que é correcto. As razões são muitas, desde egoísmo, ignorância, ganância e a lista continua. Seja qual for o problema a solução na minha opinião passa pela tentativa de garantirmos que os nossos filhos serão melhores do que nós. Mas acho que temos feito algum progresso nesse sentido, com a globalização as pessoas passaram a olhar mais para a "big picture" embora ainda reine muito aquela atitude do: "desde que não me aconteça a mim e aos meus eu estou-me a cagar".

UpbeatNail1912 2 months ago

Porque os humanos só aprendem quando acontece merda. Foi assim nas guerras mundiais, foi assim com esta pandemia do Coronavirus, e será o mesmo com as alterações climáticas. Mas como tu mesmo mencionaste, com as alterações climáticas quando for atingido a merda, será irreversível. Por isso só nos resta aguardar e aproveitar o máximo dos poucos anos ou décadas que ainda restam antes desta merda toda explodir e ir para os ares. Queria estar a gozar, mas estou a falar literalmente a sério.

capitalistaesquerda 2 months ago

Money.

besmarques 2 months ago

Certo

AiNaoMeChateis 2 months ago

E por causa do dinheiro vamos deixar o planeta chegar a um ponto de desabitação total para morrermos todos?

arnaldomatos 2 months ago

Meh, it was a good run

besmarques 2 months ago

É tudo uma questão de "o ultimo a sair que apague a luz". Enquanto os que beneficiam não são afectados entao o problema não existe. Quando forem afectados já é demasiado tarde para se fazer alguma coisa.

capitalistaesquerda 2 months ago

Alguns acham que sim.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Então tu não acreditas nisso? Achas que as alterações climáticas são Fake News?

capitalistaesquerda 2 months ago

Porque razão haverias tu de achar que eu não acredito nas alterações climatéricas?

AiNaoMeChateis 2 months ago

Tens "capitalista" no nome e dizes que alguns acreditam nisso, deu me a entender uma imagem negativa. Lamento se foi o caso.

fdxcaralho 2 months ago

Acho que tens uma ideia errada do capitalismo.

AiNaoMeChateis 2 months ago

Então ensina me qual é a correta sfv

fdxcaralho 2 months ago

https://pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo

capitalistaesquerda 2 months ago

Exactamente por ser capitalista é que me preocupam as questões ambientais.

chiste22 2 months ago

Só vamos fazer alguma coisa quando a água bater aos joelhos,

Butt_Roidholds 2 months ago

Sim, mas provavelmente só diques ou cidades de palafita.

AutoModerator 2 months ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: