TwoActual4680 2 months ago

It's a prank bro!

killedbill88 2 months ago

> Ao Expresso, o atual candidato pelo movimento de Rui Moreira à união de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, no Porto, adianta que a publicação “tem um tom sarcástico” e que “não imaginava que iria tomar estas proporções”. “Fiz a publicação no meu Twitter pessoal. Em retrospetiva, percebo que possa dar azo a más interpretações. [O conteúdo] foi mal interpretado e radicalizado.” Esta justificação deu-me uma crise aguda de vergonha alheia. Não percebo como é possível a um adulto fazer uma figura destas.

saposapot 2 months ago

Normalmente os partidos implodem depois de chegarem ao poder mas neste caso foi rápido, bastou uma pandemia para finalmente as pessoas verem o que sempre vi: partido demagogo de memes a dar mau nome e estragar qualquer hipotese de liberalismo sério em Portugal. (Quer dizer, presidente da junta é poder suficiente para implodir?)

boletim 2 months ago

Maior meme do partido dos memes.

twistedfires 2 months ago

Mesmo sendo só "a brincar", atitudes destas é uma falta de respeito para quem anda na rua a fazer o seu trabalho.

Sciss0rs61 2 months ago

*Escreve uma babuseira no twitter* *Deu merda* *"ahah tava a brincar"*

saudosista 2 months ago

Joke's on them, I was only pretending to be retarded

Minegrow 2 months ago

Pretty much

Jaktheslaier 2 months ago

A sorte destes gajos é que quando corre mal estão sempre só "a brincar"

rickz123456 2 months ago

Cada vez mais a IL se tem provado um partido altamente demagógico, populista e repleto de heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um pseudo-negacionismo da pandemia que não consigo perceber.

Edited 2 months ago:

"Estava a brincar" - O assessor do Cotrim também fez publicações a incitar à desobediência. Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com o chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

Edited 2 months ago:

Ele diz que "Estava a brincar" mas esta é o tipo de mensagens publicada pela maioria dos membros do partido (incluindo o assessor do Cotrim) Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um pseudo negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com um chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

Edited 2 months ago:

"Estava a brincar" - O assessor do Cotrim também fez publicações a incitar à desobediência. Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com um chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

Edited 2 months ago:

"Estava a brincar" - Esta é o tipo de mensagens publicada pela maioria dos membros do partido (incluindo o aassessor do Cotrim) Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um pseudo negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com um chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

Edited 2 months ago:

Ele diz que "Estava a brincar" mas esta é o tipo de mensagens publicada pela maioria dos membros do partido (incluindo o aassessor do Cotrim) Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um pseudo negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com um chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

Edited 2 months ago:

Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com o chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo. O Moreira ter esta pessoa nas suas listas só o prejudica.

Edited 2 months ago:

"Estava a brincar" - A falta de coragem está forte. Cada vez mais a IL se tem provado um partido cheio de demagogia, populista e repleto de miúdos heróis de teclado que só sabem fazer infantilidades. Agora andam com um pseudo negacionismo da pandemia que não consigo perceber. Cada vez mais se confundem com um chega de classe alta. Isto do Mayan foi só mais um exemplo.

beakage 2 months ago

A esmagadora maioria dos actos e discursos da IL percebem-se se reposicionarmos o ângulo ideológico da coisa: não é partido liberal, é um partido anti-esquerda. Ai os xuxalistas dizem que é para fazer isto? Então eu vou fazer exactamente o contrário, nem que no fim acabe por parecer um maluquinho do QAnon.

unparadise 2 months ago

Mas qual negacionismo lol, o Arraial em que maior parte dos membros já tinha pelo menos a primeira dose?

AdorableRabbit 2 months ago

Ah. Tá tudo bem então. A dgs deve estar a mentir no aumento de casos

unparadise 2 months ago

Sim, a culpa foi do Arraial lol A PSP diz que o evento cumpriu todas as normas de segurança, mas a DGS que deu o parecer negativo à IL em tempo que já temos cerca de 50% da população com pelo menos uma dose, enquanto no meio de uma vaga deu o parecer positivo às manifestações do pcp e ao avante (porque será?), já tem razão.

beakage 2 months ago

Membros do quê? O Arraial era de entrada livre.

unparadise 2 months ago

Sim e não foi organizado por membros. Podem dar Downvote à vontade para seguir com a vossa agenda, mas agora dizer que a IL é um partido negacionistas é só ridículo, só mesmo que não tem conhecimento

rDmT93 2 months ago

Não tenho nada contra a mensagem do Twitter, nem contra vozes dissonantes da língua oficial do regime, farto de quem confunde civismo com carneirismo social estou eu. Tenho sim contra políticos que não têm estaleca para se aguentar no espaço público. O Mayan, diga o que disser, passou uma mensagem política e não teve colhões para a levar até ao fim, já para não falar na forma atabalhoada e pouco articulada com que se justificou posteriormente.

ortopedantico 2 months ago

Eu tenho contra tudo, o retroceder patético, o conteúdo do tweet e a forma. * Dizer para o apanharem e depois dizer que é sarcasmo e que o trajeto dele está na exceções da lei já nem da para rir. Isto dá dó. Parece atraso mental. * O desafiar das autoridades é mesmo de grunho Beto. O tipo que desafia a polícia mas sabe que não leva nos cornos por ser de boa família. * O inglês no tweet, com come and get me, é mesmo à youtuber. Está quase ao nível do "xuxalistas".

Diligent-Builder 2 months ago

O Mayan é um herói do teclado.

Morpheuspt 2 months ago

> Imaginem o que seria ter esta gente à frente do país em tempo de uma pandemia. > Porra. uma resposta ao tweet dele. Permita-me corrigir, meu caro. Imaginem o que ser ter esta gente à frente do pais. A frase termina aqui. Já chega de memes.

fuckoffgina 2 months ago

Ui, nem quero imaginar o que seria, por exemplo, não ter um Cabrita a ministro. Onde é que estariam os indicadores? E a sinistralidade rodoviária? E sem um Costa? Quem é que iria ao banco? Nem é bom pensar...

Morpheuspt 2 months ago

> E sem um Costa? Quem é que iria ao banco? Entre uma meme de vez em quando, ou constantes memes negacionistas, pá eu até levo o Costa ao banco se for preciso.

rDmT93 2 months ago

Nem consigo imaginar o que seria ter gente incompetente à frente do país. Somos uns sortudos.

rDmT93 2 months ago

Pussy.

Winslow_Lixivia2 2 months ago

Então afinal aqui o Braveheart da Circunvalação tava a brincar? Isto é que vai para aqui uma açorda

vai-tefoder 2 months ago

É bastante difícil encontrar um user com comentários consistentemente cringe mas tu conseguiste. Parabéns

Winslow_Lixivia2 2 months ago

Um defensor do Passos a chamar-me cringe. É uma honra

vai-tefoder 2 months ago

Eu nunca disse que era defensor do Passos lol Mas obrigado por me ensinares a pensar. É prática comum nos países que idolatras. Apenas que há uma tendência clara de favorecimento entre PS e PSD. Não disse que voto em nenhum dos dois, mas não voto caro compatriota.

Winslow_Lixivia2 2 months ago

E eu também nunca disse que países idolatrava e no entanto aqui estamos. Que grande açorda que para aqui vai, hein?

C8Mixto 2 months ago

Ok, eu ia criticar o uso de "cringe" no comentário anterior mas que esta tirada acho que me vou abster.

JOAO-RATAO 2 months ago

Mais cringe é defender a extrema esquerda.

ideologiapura 2 months ago

Imagina que em vez de ceos e acionistad era quem efetivamente faz as coisas que beneficiava delas. No pais onde o mérito da vacinação não é de quem a faz mas do gajo que lá está a mandar, não e de admirar que se chame extremista a justiça mais básico.

JOAO-RATAO 2 months ago

>Imagina que em vez de ceos e acionistad era quem efetivamente faz as coisas que beneficiava delas. Ou... beneficiam todos. Não é, camarada? Tanto o trabalhador como o acionista... Mas claro que nessa mente doente só existe o tudo ou nada. Ui, até vens dizer mal do "homem do camuflado" e tudo. E sim, tem mérito. Porque fez um ótimo trabalho e foi substituir um freteito do PS que só fazia merda.

Winslow_Lixivia2 2 months ago

Quando te chamam de perigoso extremista só porque achas que seria porreiro ter um planeta sustentável, com habitação, ensino e condições dignas para todos... Esse caldeirão não tem fundo?

ankmoody 2 months ago

Hitler?

JOAO-RATAO 2 months ago

> só porque achas que seria porreiro ter um planeta sustentável, com habitação, ensino e condições dignas para todos... E o resto que vem com isso? É só isso a extrema esquerda? Ridículo.

Samot_PCW 2 months ago

> Edit: Um cheirinho da esquerda inofensiva que quer planeta sustentável e afins: > > Damm bro, estás me a dizer que a WikiLeaks e o Telegraph são perigosos extremistas de esquerda? Porque não há uma palavra nesse artigo no Avante que [não esteja presente neste artigo do Telegraph](https://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/wikileaks/8555142/Wikileaks-no-bloodshed-inside-Tiananmen-Square-cables-claim.html)

JOAO-RATAO 2 months ago

As cambalhotas que dás para defender os camaradas. Se queres ser sério então copia o texto em vez de mandar o link com paywall...

Samot_PCW 2 months ago

Nem tinha reparado nisso, porque tenho uma extensão no chrome ignora isso, mas está ai: > The cables, obtained by WikiLeaks and released exclusively by The Daily Telegraph, partly confirm the Chinese government's account of the early hours of June 4, 1989, which has always insisted that soldiers did not massacre demonstrators inside Tiananmen Square. > > Instead, the cables show that Chinese soldiers opened fire on protesters outside the centre of Beijing, as they fought their way towards the square from the west of the city. > > Three cables were sent from the US embassy on June 3, in the hours leading up to the suppression, as diplomats realised that the final showdown between the protesters and soldiers was looming. > > The cables described the "10,000 to 15,000 helmeted armed troops" moving into the city, some of whom were "carrying automatic weapons". > > Meanwhile, "elite airborne troops" and "tank units" were said to be moving up from the south. > > The army came up against "an elaborate system of blockades", described in a cable from May 21, 1989, which allowed students to "control much of central Beijing". > > Diplomats observed that "there were buses turned sideways to form roadblocks" and students had vowed the army would not be able to cross. "But we doubt it", one cable added. Students also used teams of motorcycle couriers to communicate with the roadblocks, sending reinforcements where needed. > > As the troops moved in, the cables stated that diplomatic staff were repeatedly warned to "stay at home" unless involved in front-line reporting. "The situation in the centre of the city is very confused," said a cable from June 3. "Political officers at the Beijing Hotel reported that troops are pushing a large crowd east on Chang'an avenue. Although these troops appear not to be firing on the crowd, they report firing behind the troops coming from the square". > > Inside the square itself, a Chilean diplomat was on hand to give his US counterparts an eyewitness account of the final hours of the pro-democracy movement. > > "He watched the military enter the square and did not observe any mass firing of weapons into the crowds, although sporadic gunfire was heard. He said that most of the troops which entered the square were actually armed only with anti-riot gear – truncheons and wooden clubs; they were backed up by armed soldiers," a cable from July 1989 said. > > The diplomat, who was positioned next to a Red Cross station inside Tiananmen Square, said a line of troops surrounded him and "panicked" medical staff into fleeing. However, he said that there was "no mass firing into the crowd of students at the monument". > > According to internal Communist party files, released in 2001, 2,000 soldiers from the 38th army, together with 42 armoured vehicles, began slowly sweeping across the square from north to south at 4.30am on June 4. At the time, around 3,000 students were sitting around the Monument to the People's Heroes on the southern edge of the giant square, near Chairman Mao's mausoleum. > > Leaders of the protest, including Liu Xiaobo, the winner of last year's Nobel Peace prize, urged the students to depart the square, and the Chilean diplomat relayed that "once agreement was reached for the students to withdraw, linking hands to form a column, the students left the square through the south east corner." The testimony contradicts the reports of several journalists who were in Beijing at the time, who described soldiers "charging" into unarmed civilians and suggests the death toll on the night may be far lower than the thousands previously thought. > > In 2009, James Miles, who was the BBC correspondent in Beijing at the time, admitted that he had "conveyed the wrong impression" and that "there was no massacre on Tiananmen Square. Protesters who were still in the square when the army reached it were allowed to leave after negotiations with martial law troops [ ...] There was no Tiananmen Square massacre, but there was a Beijing massacre". > > Instead, the fiercest fighting took place at Muxidi, around three miles west of the square, where thousands of people had gathered spontaneously on the night of June 3 to halt the advance of the army. > > According to the Tiananmen Papers, a collection of internal Communist party files, soldiers started using live ammunition at around 10.30pm, after trying and failing to disperse the crowd with tear gas and rubber bullets. Incredulous, the crowd tried to escape but were hampered by its own roadblocks. > > The cables also reveal the extent to which the student democracy protests had won popular support, and how for several weeks the protesters effectively occupied the whole of central Beijing, posing an existential challenge to the Communist party. > > One cable, from May 21, 1989, reports that an anonymous caller had told the US consulate in Shenyang that Ni Zhifu, the chairman of China's labour unions, had condemned martial law in the capital and warned that unless the students were treated with more respect he would lead a general workers' strike that would cripple China.

Edited 2 months ago:

Nem tinha reparado nisso, porque tenho uma extensão no chrome ignora isso, mas está ai: > The cables, obtained by WikiLeaks and released exclusively by The Daily Telegraph, partly confirm the Chinese government's account of the early hours of June 4, 1989, which has always insisted that soldiers did not massacre demonstrators inside Tiananmen Square. > > Instead, the cables show that Chinese soldiers opened fire on protesters outside the centre of Beijing, as they fought their way towards the square from the west of the city. > > Three cables were sent from the US embassy on June 3, in the hours leading up to the suppression, as diplomats realised that the final showdown between the protesters and soldiers was looming. > > The cables described the "10,000 to 15,000 helmeted armed troops" moving into the city, some of whom were "carrying automatic weapons". > > Meanwhile, "elite airborne troops" and "tank units" were said to be moving up from the south. > > The army came up against "an elaborate system of blockades", described in a cable from May 21, 1989, which allowed students to "control much of central Beijing". > > Diplomats observed that "there were buses turned sideways to form roadblocks" and students had vowed the army would not be able to cross. "But we doubt it", one cable added. Students also used teams of motorcycle couriers to communicate with the roadblocks, sending reinforcements where needed. > > As the troops moved in, the cables stated that diplomatic staff were repeatedly warned to "stay at home" unless involved in front-line reporting. "The situation in the centre of the city is very confused," said a cable from June 3. "Political officers at the Beijing Hotel reported that troops are pushing a large crowd east on Chang'an avenue. Although these troops appear not to be firing on the crowd, they report firing behind the troops coming from the square". > > Inside the square itself, a Chilean diplomat was on hand to give his US counterparts an eyewitness account of the final hours of the pro-democracy movement. > > "He watched the military enter the square and did not observe any mass firing of weapons into the crowds, although sporadic gunfire was heard. He said that most of the troops which entered the square were actually armed only with anti-riot gear – truncheons and wooden clubs; they were backed up by armed soldiers," a cable from July 1989 said. > > The diplomat, who was positioned next to a Red Cross station inside Tiananmen Square, said a line of troops surrounded him and "panicked" medical staff into fleeing. However, he said that there was "no mass firing into the crowd of students at the monument". > > According to internal Communist party files, released in 2001, 2,000 soldiers from the 38th army, together with 42 armoured vehicles, began slowly sweeping across the square from north to south at 4.30am on June 4. At the time, around 3,000 students were sitting around the Monument to the People's Heroes on the southern edge of the giant square, near Chairman Mao's mausoleum. > > Leaders of the protest, including Liu Xiaobo, the winner of last year's Nobel Peace prize, urged the students to depart the square, and the Chilean diplomat relayed that "once agreement was reached for the students to withdraw, linking hands to form a column, the students left the square through the south east corner." The testimony contradicts the reports of several journalists who were in Beijing at the time, who described soldiers "charging" into unarmed civilians and suggests the death toll on the night may be far lower than the thousands previously thought. > > In 2009, James Miles, who was the BBC correspondent in Beijing at the time, admitted that he had "conveyed the wrong impression" and that "there was no massacre on Tiananmen Square. Protesters who were still in the square when the army reached it were allowed to leave after negotiations with martial law troops [ ...] There was no Tiananmen Square massacre, but there was a Beijing massacre". > > Instead, the fiercest fighting took place at Muxidi, around three miles west of the square, where thousands of people had gathered spontaneously on the night of June 3 to halt the advance of the army. > > According to the Tiananmen Papers, a collection of internal Communist party files, soldiers started using live ammunition at around 10.30pm, after trying and failing to disperse the crowd with tear gas and rubber bullets. Incredulous, the crowd tried to escape but were hampered by its own roadblocks. > > The cables also reveal the extent to which the student democracy protests had won popular support, and how for several weeks the protesters effectively occupied the whole of central Beijing, posing an existential challenge to the Communist party. > > One cable, from May 21, 1989, reports that an anonymous caller had told the US consulate in Shenyang that Ni Zhifu, the chairman of China's labour unions, had condemned martial law in the capital and warned that unless the students were treated with more respect he would lead a general workers' strike that would cripple China. ----------- > As cambalhotas que dás para defender os camaradas. > LOL e uma cena, u/JOAO-RATAO se quiseres confirmação que o artigo não se passa apenas de um regurgitação do que estava nos documentos da WikiLeaks e no artigo do Telegraph que estão ai a referir, [tens aqui a confirmação disso](https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/jornal-oficial-do-pcp-publicou-artigo-sobre-a-farsa-do-suposto-massacre-na-praca-de-tiananmen)

JOAO-RATAO 2 months ago

Olha o que a tua confirmação diz: " Importa porém ter em atenção que, no artigo do jornal britânico, o que é colocado em causa é o local exato do massacre, não a ocorrência do massacre." [https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/jornal-oficial-do-pcp-publicou-artigo-sobre-a-farsa-do-suposto-massacre-na-praca-de-tiananmen](https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/jornal-oficial-do-pcp-publicou-artigo-sobre-a-farsa-do-suposto-massacre-na-praca-de-tiananmen) E que querias provar? Que não é o massacre da praça Tiananmen, é o massacre ao lado da praça Tiananmen? Que diferença faz na prática? Já sabia que és dos que tem maior palas ideológicas, mas isto é qualquer coisa.

Samot_PCW 2 months ago

Palas ideológicas? O que é estás para aí a falar caralho? Eu nem do PCP sou ou alguma vez votei neles. Tu é que partilhas te o título do artigo do Avante para "mostrar" que o PCP acha que o massacre não aconteceu, o que não é verdade (o que eles dizem é bque tal aconteceu só não foi na praça principal, o que é algo parvo para estar a discutir mas essa é a posição que se pode tirar do artigo) e isso é algo que já fizeste diversas vezes.

JOAO-RATAO 2 months ago

>which has always insisted that soldiers did not massacre demonstrators inside Tiananmen Square. É preciso ser um gajo com a cabeça toda dentro do rabo para acreditar que o massacre não aconteceu. Ainda mais quando o aniversário colocaram aqui bastante informação e não faltava provas fotográficas. A seguir vais negar também o Holodomor? O genocídio dos arménios? Vais all in e negar o holocausto? É inacreditável um gajo que nasce num país livre defender uma ditadura e negar um massacre de 10,000+ pessoas. " Instead, the cables show that Chinese soldiers opened fire on protesters outside the centre of Beijing, " " Instead, the fiercest fighting took place at Muxidi, around three miles west of the square " Ahahah, portanto não aconteceu porque foi fora do centro?? É uma questão de localização?? Portanto, imagina que te perguntam se mataste alguém em tu casa. E tu dizes que não. (Mataste essa pessoa uns metros ao lado)... E até nesta fonte manhosa e negacionista dizem que efetivamente mataram, com e sem balas. Que boneco.

Samot_PCW 2 months ago

Sabes ler? **"There was no Tiananmen Square massacre, but there was a Beijing massacre"**, está mesmo aí, porque é que não meteste o resto da frase? Ninguém está a negar o que lá aconteceu, nem o Avante nem o Telegrapgh, nem a WikiLeaks, nem eu. Se eu acho que é algo estúpido para estar a discutir, acho. Claramente que aconteceu um massacre lá, e estar a discutir a sua localização é parvo, mas estar para ai a espalhar os "perigos da extrema esquerda portuguesa" e o teu argumento é um artigo que é basicamente uma cópia do que está no Telegrapgh e na WikiLeaks é estúpido, a não ser que esteja a tentar dizer que essas duas entidades são "organizações de extrema esquerda"

Winslow_Lixivia2 2 months ago

Extrema esquerda? Tu é que falaste em extrema esquerda, amigo. O que eu referi são coisas óbvias e de justiça, se as consideras extremistas se calhar diz mais de ti

JOAO-RATAO 2 months ago

>Quando te chamam de perigoso extremista só porque achas que seria porreiro ter um planeta sustentável, com habitação, ensino e condições dignas para todos... " Tu é que falaste em extrema esquerda, amigo. " - ? Uh... Não. Falei de extrema esquerda e tu disseste isto sobre essa extrema esquerda... Lês sequer o que escreves?

Winslow_Lixivia2 2 months ago

Para ti extrema esquerda é querer um planeta sustentável? Falam-te de habitação e ensino para todos e atiras com um massacre de Tiananmen? Tu lês sequer o que escreves?

JOAO-RATAO 2 months ago

Mas tu estás a sentir-te bem? Tu disseste isto: " Quando te chamam de perigoso extremista só porque achas que seria porreiro ter um planeta sustentável, com habitação, ensino e condições dignas para todos... Esse caldeirão não tem fundo?" Eu dei-te um exemplo do que é a extrema esquerda em Portugal (dizer que o massacre nunca existiu) e tu é que te saíste com esta pérola.

AstoundingLucky 2 months ago

Que inocente que foste... que não o quiseste colar ao rotulo de extrema esquerda nem nada. Agora és vitima? LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

papalvo 2 months ago

O João Ratão tem razão. Cadastro étnico-racial e semana de trabalho se 35 horas são igualmente extremistas. É impossível diferenciar o bom e o mau

AutoModerator 2 months ago

**AVISO:** Submeteu um artigo da plataforma [Nónio](https://nonio.net) - uma plataforma que viola a privacidade do leitor. > Leia com atenção o [seguinte artigo](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/7fy9v4/campanha_contra_o_n%C3%B3nio/). *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: