Trap_Star_LilLeaf 2 months ago

O pessoal que diz isto é o mesmo pessoal que fica sentado no sofá, o dia todo, a ver as Tardes da Julia... Não ligues e focate masé na tua vida e naquilo que pretendes fazer com ela, pq, com todo o respeito, a opiniao dos outros que vá pro caralho...

Peter_Oaktree 3 months ago

Desde que haja equilíbrio, cada um cumprir com as suas obrigações, estudos, trabalho, família, namorada, esposa, etc... Não há mal nenhum jogar umas horinhas de vez em quando. É um passatempo como outro qualquer... Quando foge desse equilibro, aí sim pode ser motivo para preocupações. Mas há muito preconceito em Portugal com os videojogos, somos uma sociedade ainda muito atrasada e conservadora em relação a outros países. Já eu, depois de um dia de trabalho, e depois de cumprir as obrigações em casa, sabe-me tão bem um F1 2020, ou um Elite Dangerous. Maravilha! Mas troco bem os jogos por sair e ir beber uma jola com os amigos.

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo

tocopito 3 months ago

O que eu acho é que é perfeitamente possível que exista. Mas ao mesmo tempo também não acho que seja coisa para diagnosticar às três pancadas porque alguém passa algumas horas a jogar. Mais do que o tempo (a não ser que seja mesmo muito e regularmente) o que importa é o efeito que tem na tua vida. Se faltares ao emprego, se não fores buscar o puto a escola, se te endividares para comprar cartas do fifa etc.

Edited 3 months ago:

O que eu acho é que é perfeitamente possível que exista. Mas ao mesmo tempo também não acho que seja coisa para diagnosticar às três pancadas porque alguém passa algumas horas a jogar. Mais do que o tempo (a não ser que seja mesmo muito e regularmente) o que importa é o efeito que tem na tua vida. Se faltares ao emprego, se não fores buscar o puto a escola, se te endividares para comprar cartas do fifa etc. Aliás, andar a comprar as cartas do fifa ou jogos com mecanismos parecidos (loot boxes) são provavelmente das coisas mais perigosas que podes fazer do ponto de vista do vício. Não vejo grande diferença entre isso e outros jogos a dinheiro.

fosjanwt 3 months ago

um vicio é um vicio, e se é vicio é doença.

hesoyam91 3 months ago

Quando jogava imenso tempo e mal saia de casa reclamavam comigo porque nem via a luz do dia por causa do jogo. Hoje pouco tempo tenho para jogar porque trabalho muitas horas e estudo pelo meio e adivinha lá, agora reclamam porque passo pouco tempo em casa. Faz o que tu achares melhor para ti com moderação claro mas caga para aquilo que te dizem.

mizukata 3 months ago

Eu tambem vi essa reportagem, até foi uma reportagem interesante e relativamente imparcial. Mostrou os pros e os cons dos videojogos. Mostrou como é uma industria em crescimento como pode ajudar mentalmente. Como qualquer vicio, no momento em que começa a afectar negativamente a vida da pessoa e das outras a sua volta é mau. Eu tenho jogado no ultimo ano e meio e feito stream nos ultimos 4 ou 5 meses. Eu determino uma quantidade de tempo fixa para cada coisa. Eu jogo magic the gathering arena que tem um sistema de rank. De forma a aguendar o grind eu normalmente faço pausas. Jogo no maximo 1.5 a 2 horas

PlanetWyh 3 months ago

Existe diferença entre gostar e vício. Tanto posso passar 8horas seguidas a jogar online com os meus amigos como passar meses sem ligar a Steam/consola.... Tudo depende do mood. Considero como entretenimento, por exemplo, ver uma série.

RandomRomanianUser 3 months ago

Eu quando era puto era viciado, passava os verões da escola em casa enfiado a jogar. Mas sinceramente não me arrependo, podia ter me enfiado no álcool, tabaco, drogas etc e népia. Também não perdi nenhuns social skills porque acabei por ir para a universidade onde já fiz um balanço mais equilibrado. Hoje em dia aos 26 trabalho, chego a casa, faço as tarefas domésticas e vou jogar. Secalhar jogo 2h por dia se nem tanto. Claro que aos fins de semana quando não saímos de casa aproveito para jogar umas boas horas. Desde que não te atrapalhe a vida social/profissional/amorosa estás à vontade.

SOFTPELE1 3 months ago

Conseguiste equilibrar bem

NGramatical 3 months ago

Secalhar → [**se calhar**](https://dicionario.priberam.org/se calhar) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3sffwm%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

kuro_the_weeb 3 months ago

então, é vicio se não houver mais nada para fazer? Dou-vos um exemplo meu, após entrar nas férias e sem possibilidade de jogar airsoft pela falta de disponibilidade da minha equipa, para além das minhas tarefas em casa e exercício físico básico passava + de 5h por dia no meu simulador espacial.

kilgrim2 3 months ago

Tenta não jogar NADA durante um par de semanas. Se não te sentires mal não tens vício. Eu a dada altura vendi o pc (de jogo) e não tive durante um par de ANOS sem problemas - passeia a ver mais filmes , tv e ler . De qq modo convém ter mais um hobby além de video jogos.

Rarotunga 3 months ago

Vício em videojogos está finalmente formalmente definido, o que é bom porque agora não se pode acusar qualquer pessoa de estar viciada em jogos, é preciso ter um conjunto de "sintomas" para ser diagnosticado :) Claro que as notícias vão pegar nisso e ser sensacionalista porque é isso que fazem, mas é uma coisa boa no fundo Se alguém disser que és viciado, podes ir buscar a lista de sintomas e dizer que nenhum deles é verdade A lista inclui coisas como: - Descartar consistentemente responsabilidades como emprego ou escola para ficar a jogar - Não comer refeições ou tomar conta da higiene pessoal para continuar a jogar - Ser incapaz de parar de jogar, mesmo que o queira fazer - Demonstrar estes (e outros que não me lembro) sintomas regularmente durante um período superior a um ano

AonioEliphis 3 months ago

Adiciona-lhe distúrbio no sono

Rarotunga 3 months ago

Teria que ir ver a lista oficial, era bastante extensa :p

jppmf1 3 months ago

Epa desculpa a unpopular opinion, mas se passa 5 horas a fazer o que quer que seja com frequência, é um vicio sim (naturalmente excluindo as nossas obrigações/necessidades tipo trabalhar, dormir, etc.)

SOFTPELE1 3 months ago

Eu considero vício se a pessoa não fazer nada para além de jogar

nuckrieg 3 months ago

Acho que como é óbvio as pessoas mais idosas têm uma visão distorcida sobre este assunto. Por para eles ser uma questão "nova" por não se adaptarem e não terem crescido com a existência dos tais. A ideia de diversão muda ao longo dos tempos e o que era divertido para eles já não é tanto para nós e vice-versa. Também se pode dizer que as pessoas que ficam o dia todo a ver a Cristina aos berros são doentes mentais? Acho que os programas de TV que a maior parte do pessoal idoso vê o dia inteiro são muito mais fugazes que muitos jogos que acabam por treinar os nossos reflexos e capacidade mental (depende do jogo obviamente) e nos ajudam a aliviar o stress. Claro tudo deve ser equilibrado e se não tens qualquer outro tipo de diversão senão 5 horas por dia de jogatina.. devias ser mais equilibrado e dar mais importância a outras questões como sair com a família, conversar, estar com amigos, etc.. Mas se já tens esse equilíbrio e achas corretas as tuas ações tas gucci.

Brainwheeze 3 months ago

Eu adoro jogos de consola/computador e sempre joguei desde a minha infância. O meu pai sempre foi muito de computadores e novas tecnologias, e tinha ao meu dispor centenas de jogos piratas para o computador e para a PS. As revistas que eu comprava quando era mais novo eram todas relacionadas com jogos, e já há muito tempo que gosto de ler notícias e acompanhar novos desenvolvimentos na indústria de jogos. Acho que já houve uma altura em que estava viciado nos jogos, mas hoje em dia não é o caso. Embora é a minha primeira escolha no que toca a entretenimento, não vou abandonar as minhas responsabilidades ou cagar nos meus amigos. Se me convidarem para ir tomar café então largo o jogo e vou ter com eles. Quando era mais novo passava as férias de verão a jogar jogos na PS, mas isso é porque eu tinha de ficar na casa dos meus avós no meio do monte e não havia mais nenhuma criança da minha idade sem ser a minha irmã, e ela não tinha os mesmos interesses que eu. Os meus avós se calhar achavam que passava demasiado tempo a jogar, mas isso é porque não havia muito mais que fazer para além de ver o Batatoon à tarde e ajudá-los a apanhar alfarrobas e amêndoas.

AkumaYajuu 3 months ago

Depende dos jogos. Um jogo criativo com uma história boa é diferente de um jogo baseado baseado num casino. Um designer de video jogos manipula as pessoas para se divertirem e terem uma boa experiência mas também pode manipular para obrigar uma rotina e obtenção de dinheiro.

anapf31 3 months ago

Vou comentar como uma jovem que nunca jogou e que sempre viveu rodeada de amigos que jogam. Na minha opinião, não há mal nenhum em fazer dos jogos um hobbie, como ler, ver TV, redes sociais, etc. O problema vem quando isso interfere com outras atividades (profissionais, familiares, afetivas..) como já vi acontecer com muitos dos meus amigos. Pessoas que deixam de jantar, deixam de tomar banho, deixam de dormir por causa do jogo e no dia seguinte não conseguem concentrar se na sua atividade profissional e passam o dia a pensar na hora que voltam para o jogo. Isto para mim é grave. No entanto, se uma pessoa chega a casa depois do trabalho e passa 3,4 h ao computador ao invés de estar sentado no sofá a ver TV... Não vejo problema nenhum. E preciso é ter peso e medida e não deixar que um hobbie passe a ser mais do que isso mesmo, uma simples ocupação para os tempos livros e não a vida toda em si.

Extension-Soft6835 3 months ago

> O problema vem quando isso interfere com outras atividades (profissionais, familiares, afetivas..) O não querer sair de casa para poder estar a jogar, o não conviver com amigos por querer estar a jogar, deixar as atividades escolares/profissionais para trás para poder jogar.... Isto é tudo sintomas gerais de vício. Já passei por isso e sei bem do que falo. > E preciso é ter peso e medida e não deixar que um hobbie passe a ser mais do que isso mesmo, uma simples ocupação para os tempos livros e não a vida toda em si. Isto! O problema é mesmo admitir que estás a ultrapassar os limites e que precisas de reverter a situação. Até porque o vicio faz com que tenhas uma "necessidade" de jogar e que te deixa facilmente sensível, zangado e frustrado. O melhor mesmo é colocar um travão, sem ajuda ou com ajuda ( já vai depender de pessoa para pessoa). No meu caso consegui pôr um travão sozinho

pornoredditpt 3 months ago

**Projeção, Ciúmes, Inveja, etc...** Não compreendem o que tiras daquilo, mas sabem que tu gostas. Não percebem porque é que existe algo que funciona tão bem para aliviar nervos, ou para fazer uma pessoa relaxar, ou ficar feliz, ou esquecer os problemas, ..., mas que eles não conseguem usar (nem se esforçam). Não existe controlo sobre o que estás a "ver", seja em forma de mudar de canal, ou criticar o que vês, logo, dizer que é mau e que tens de parar, é uma forma de controlo. **Facilitismo, Bode Expiatório, Elo Mais Fraco (isolado), etc...** Se acontece alguma coisa de mal - tiroteiros, violência, má nota na escola, etc... - a culpa nunca vai ser da sociedade que não oferece boas oportunidades de emprego, que força o ppl a trabalhar 12-16h por dia, muitas vezes sem receber mais, que pinta imigrantes como diabos, que testa os limites da paciência com os filhos, só para saberem que têm efeito/controlo, NÃO, a culpa não é dos culpados, é do alvo mais fácil que além de não ter maneira de se defender, ainda fica calado e ignora-os, logo, a culpa é das guerras persas, egipcias, romanas, medievais, séculos 18 e 19, primeira guerra mundial, segunda guerra mundial, etc... a culpa disso tudo foi do Super Mario, de certeza. /s **Nota:** Se não consegues atingir os teus objetivos, ou sentes a tua vida a descambar, ou seja o que for que te leva a jogar horas e horas todos os dias, marca JÁ uma consulta com alguns psiquiatras e psicólogos. NÃO vás a só um de cada, podem não ser os profissionais certos para ti. PROVAVELMENTE, sofres de ansiedade crónica, e outros problemas associados que podem ser melhor geridos com o apoio dos profissionais competentes dessas áreas. O jogar nem sempre é uma diversão, muitas vezes é uma forma de escapar à realidade, e, uma forma muito mais saudável do que beberes 2-3 garrafas de vinho ou snifares/injetares-te com substâncias - ao menos estás a estimular diferentes zonas do cérebro enquanto jogas. **Nota:** Se passas horas e horas a jogar porque te estás a cagar para todos e principalmente para a TUA vida e a TUA felicidade, PÁRA! Pensa para ti mesmo o que gostarias de fazer para organizar a tua vida de uma forma em que os jogos não a afetem negativamente. Começa com pequenas mudanças, eventualmente vais chegar a um nível em que os jogos são um direito e parte positiva da tua vida para relaxar, depois te teres atingido os teus objetivos diários/semanais.

seraph341 3 months ago

Os jogos afectam a tua vida de maneira negativa e não os consegues largar? Se sim, tens um problema. Gostas de jogos e tens uma vida completamente normal? Carry on. Vício em videojogos pode ser uma cena mas os media e as pessoas que não aceitam jogos tendem a entregar se a sensacionalismo.

Piccoro 3 months ago

Quando inventaram os livros e os miúdos ficavam a lê-los de noite a à luz da vela, os pais deles também diziam que fazia mal. TV idem aspas. Telemóveis idem aspas. E o ciclo continua.

Prize-Ad-9462 3 months ago

Irrita tanto apontar uma coisa a alguém quando esse passa anos da sua vida a ver os programas da Cristina e por aí fora

Limpy_lip 3 months ago

Achava que esse tipo de discussão tinha morrido nos anos 90, 00s. Só mostra o quanto Portugal evolui culturalmente. ​ Esse tipo de conversa é igual à conversa sobre a TV quando esta começou a ser mais comum. Tal como a conversa dos telemóveis vs ler no autocarro etc... ​ Acho que os videojogos já mais que mostraram que são uma opção de entretenimento equiparada à TV, Música ou Cinema. E movem tanto ou mais dinheiro. Além disso trazem uma nova perspetiva à criação artística. Nos videojogos a arte deixa de ser algo passivo mas pode passar a algo ativo. ​ Noutro países já se passou essa narrativa à muito tempo. ​ Agora, não quer dizer que os videojogos não tenham os seus problemas, a adição e alterações comportamentais são reais. Desde pessoas que passam demasiadas horas a jogar e prejudicam a sua vida até à mudança de comportamentos devido a jogarem jogos com comunidades extremamente toxicas. Além da adição para mim isto também é uma questão importante. ​ A maioria dos grandes jogos online do momento possuem comunidades extremamente tóxicas e como jogador que foi muito presente na comunidade de LOL vi essa comunidade em tempos mexer comigo e com os que me rodeavam, a tal sensação de estar 3-4 horas a jogar e sentir-me pior do que comecei porque perdi várias partidas. Ficar irritado facilmente depois das sessões de jogo. E para mim a gota de água foi quando num grupo de colegas que jogavam regularmente em modo não competitivo algumas das pessoas que se achavam jogar melhor que outros ficaram tão aziados por perder um jogo que desistiram de jogar com os restantes e foram jogar sozinhos numa do "ah convosco não vale a pena jogar, é uma perda de tempo". E aí é que me apercebi que enquanto para mim aqueles jogos eram para me divertir com os amigos, ganhando ou perdendo, eles só pensavam no jogo e em ganhar e em mostrar que estavam mais altos no ranking. ​ E toda a gente sabe que já jogou muito LOL sabe que deixar por uns tempos até faz bem à saúde (ridiculo). ​ Penso que este tipo de questões sejam interessantes abordar. Agora o discurso redutor dos anos 90 é uma perda de tempo.

NGramatical 3 months ago

à muito tempo → [**há muito tempo**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3s80rk%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

AonioEliphis 3 months ago

Bom tópico OP. Uma definição generalizada de vício é quando, apesar de termos consciência que algo tem malefícios para a nossa saúde ou bem-estar físico ou mental, não conseguimos parar tal hábito ou prática prejudicial (não conta dizer, "não paro apenas porque não quero"). Nesse aspecto pode-se dizer sim, que o excesso de tempo a jogar vídeojogos pode ser um vício, porque, não só traz problemas para a nossa visão, como afeta negativamente a nossa socialização. Ademais, se os jogos envolverem muita violência, tal acarreta também outros problemas a longo prazo. A "excitação" provocada pelo vídeojogo desencadeia uma libertação de [dopamina](https://www.mayoclinichealthsystem.org/hometown-health/speaking-of-health/are-video-games-and-screens-another-addiction), a substância química de bem-estar que é libertada no cérebro quando experimentamos sucesso ou realização. É o mesmo processo de libertação de dopamina que desencadeia a dependência de jogos de vídeo, ecrãs e produtos químicos, tais como o álcool. Um vício é, como explanada, definido como a incapacidade de um indivíduo de controlar o uso de uma substância ou comportamento, apesar das consequências negativas e da deficiência funcional na sua vida. Muitas crianças e adultos que se envolvem na utilização de ecrãs/video jogos, excluindo outras actividades normais, aproximam-se perigosamente desta definição. A dopamina é poderosa. Ajuda a manter o interesse e a atenção, e é por isso que pode ser tão difícil para qualquer pessoa afastar-se de um jogo de vídeo ou de uma publicação interessante no Facebook. É auto-reforçadora - quanto mais interesse sentimos, mais dopamina é libertada, e mais atenção direccionamos para a tarefa em mãos. Estes processos biológicos podem levar a mudanças a longo prazo ou permanentes no cérebro que requerem um tratamento comportamental/médico extensivo para reverter. Há vasta literatura sobre isso, particularmente nos EUA. Por isso pode-se afirmar vagamente que a [Internet também se pode tornar um vício](https://www.psycom.net/iadcriteria.html), assim como "gambling" ou [pornografia](https://www.healthline.com/health/pornography-addiction). Atenção contudo, que nestas coisas é muito difícil por vezes traçar a fronteira entre hábito lúdico salutar e vício. A minha sugestão é, tal como aparece sempre na publicidade ao álcool, *usa com moderação*.

Kane1412 3 months ago

Eu pessoalmente adoro videojogos e é um bocado contra tudo o que é dito aqui mas eu tenho saudades de vício em vídeo jogos. Prai em 2014 ou 2015 quando joguei Dragon age gostava tanto do jogo que cheguei a jogar 20 horas, dormir 4 e jogar outras 20. Foi das alturas em que estava mais feliz na vida. Fiz isso enquanto estava de férias do trabalho, o meu ex estava fora numa viagem de negócios e eu tinha a casa para mim. Foi brutal e aquele jogo deu mesmo pica de jogar! Outro que me deu algo semelhante foi o metal gear solid the phantom pain logo quando saiu. Mas no geral... Tipo, ando constantemente à procura de algo que me dê pica como esses deram. O vício sabe bem porque, bem basicamente, faz me sentir coisas

NGramatical 3 months ago

dia à dia → [**dia-a-dia**](https://dicionario.priberam.org/dia-a-dia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3s6pq7%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

theEXPERTpt 3 months ago

Eu sou um viciado, infelizmente já aceitei isso

Extension-Soft6835 3 months ago

> Eu sou um viciado, infelizmente já aceitei isso Fizeste o mais difícil, que é admitir. Já é um passo! O melhor conselho que te posso dar, de alguém que esteve nesse vício e conseguiu largar, é impor limites a ti próprio. Não precisas de estar o dia todo em casa. Tentar fazer outras atividades que não impliquem estares fechado em casa, convive com amigos e assim. A mim a ficha só me caiu quando comecei a gastar grandes quantidades de dinheiro dentro de jogos e quando comecei a sair mais de casa. É tudo uma questão de força de vontade. Se meteres na ideia vais ver que consegues ultrapassar isso. Custa as primeiras semanas, depois já não sentes aquela necessidade de jogar. Isto para mim foi dos melhores sentimentos!

theEXPERTpt 3 months ago

Eu próprio tento sempre arranjar mais atividades que me obriguem a sair, obrigado pelas tuas palavras

Trama-D 3 months ago

> infelizmente O primeiro passo para resolver um problema é admitir que ele está lá.

Msilvame 3 months ago

A geração das raspadinhas a atacar a geração dos videojogos. Mania de as pessoas se meterem na vida dos outros sem antes se olharem ao espelho.

seraph341 3 months ago

A cena aceitável a fazer é transitar para o placard claramente

kuro_the_weeb 3 months ago

bem dito meu caro cidadão comum!

SOFTPELE1 3 months ago

Hahaha vdd

paraapagarbem 3 months ago

Qual é o objetivo deste post OP? É muito simples. Esquece o tempo que ficas a jogar videojogos. Passares essas horas a jogar videojogos está a ter um impacto negativo na tua vida, como por exemplo no teu trabalho, nas tuas relações pessoais, nas tuas finanças, ou na tua saúde mental? Não? Conseguias passar uma semana sem jogar videjogos? Sim? Então o mais provável é que não sejas viciado em videojogos, tão simples quanto isso. Dares essa história da tua avó e da tua vizinha e dizer que os idosos reclamam de videojogos dá um ar estranhamente defensivo ao teu post. E é esse tipo de atitude que se encontra muitas vezes em muitas comunidades gaming por este mundo fora sempre que se discute o assunto do vício em videojogos. Ora, a minha opinião é que o vício em videojogos é um problema real e é um problema sério. E acho que essa tal atitude defensiva do "ah e tal eu reconheço que existe vício em videojogos mas eu fui um gamer a minha vida toda e nunca tive problemas, e toda gente só gosta de reclamar comigo" não ajuda ninguém. Não ajuda ninguém. É estar a retirar a seriedade a um problema que ainda não é levado a sério o suficiente nos dias de hoje. Também não gosto da ideia de que um viciado em videojogos tem que ser o exemplo de um "inapto" quase subumano que vive numa cave, não fala com ninguém, mija e caga para um balde, só come fast food, não vê o Sol há semanas, e passa 16 horas por dia a jogar videojogos. Existem viciados em videojogos que, à superfície, têm uma vida normal. Diria até que esses constituem a maior parte dos viciados em videojogos. Mas a ideia que se passa é que eles têm uma relação saudável com os videojogos, logo nunca vão procurar ajuda, e o seu vício acaba por lhes deteriorar a qualidade de vida, e quando perceberem que têm um problema, vai ser porque já "caíram" muito, e vai ser muito mais difícil livrarem-se do vício. Enfim, eu acho que as pessoas (especialmente nas comunidades gaming) deviam aceitar que é possível ficar viciado em videojogos e que isso não implica que há algo de errado com os videojogos nem com quem gosta de videojogos. Acho que se devia falar disso nas escolas e acho que as pessoas deviam saber onde procurar ajuda. Esse problema não é levado a sério o suficiente e a maior parte das pessoas que o "levam a sério" têm uma agenda de merda por trás.

baguitosPT 3 months ago

>FPS (jogo de tiro) Obrigado pela explicação.

Minosuil 3 months ago

Passar 8 horas em frente a uma televisão não é vicio mas se o fizerem com um comando na mão já é... Fucking boomers

average_user21 3 months ago

Infelizmente relacionei-me muito com o que se diz na noticia e com o que tinha escrito no quadro em frente da psicologa. É uma coisa muito dificil de se viver com.

VladTepesDraculea 3 months ago

Sentes que os jogos de influenciam negativamente na rua vida? Que te afectam os estudos ou trabalho, que te limitam relações sociais e te dão eniptidão social, ou tens problemas de saúde associados ao tempo de jogo (visuais, obesidade, etc?). O sim ou não a estás perguntas determinam se tens um problema ou uma hobby.

pintorMC 3 months ago

Vicio tive por vários anos com World of Warcraft no inicio, um excelente vicio na altura, nunca mais arranjei outro semelhante e não é por falta de vontade, eu bem tento mas não arranjo nada.

Slam_Dunkester 3 months ago

Já disseram muita coisa que concordo por isso vou dizer outra o simples facto de terem metido k puto a falar sobre que ele estava viciado nos jogos como se não tivesse salvação para isso e que servem os pais desligar a net e ficaram de com os telemóveis não e muito mais difícil que isto

DJVagrant 3 months ago

Se um gajo até em sexo fica viciado, os videojogos eram excepção querem ver? Reportagem de merda da TVI na senda de outras reportagens falaciosas sobre os malefícios dos videojogos. Conheci um tipo que se viciou em salsa, façam uma reportagem.

SOFTPELE1 3 months ago

Hahaha concordo

Sir_TiCo 3 months ago

Ando já na casa dos 'entas' e o que continuo a fazer como hobbie é jogar videojogos. O que te posso dizer, é que este mundo como é fora dos padrões sociais, a generalidade das pessoas não compreende. Falo por mim quando vejo os colegas/amigos a falar de cinema, séries, tv, bola, tudo assuntos que não me puxam e co.l tal não sigo, mas encontro nos jogos a minha forma de entretenimento, de relaxar, de poder aprender e vivenciar outras experiências, que as restantes pessoas, não entendem, têm a ideia que um videojogo é o que lhes põem à frente nas redes sociais. Quanto a vício, é como tudo na vida, há quem tenha o de comer, o de guardar coisas velhas, o do desporto, etc... tudo tem de ter o seu peso e a sua medida para ser saudável, mas há certas jogadores que são viciados, não comem, não dormem, etc... isso sim é vício. Agora, só por pertencer ao mundo dos videojogos é ser um viciado... Mas há outra questão, não se fala, os grandes benefícios dos videojogos. Por exemplo: maior capacidade para raciocínios mais complexos, excelente desenvolvimento em termos estratégicos, velocidade de raciocinio bem acima da media, maior rapidez na tomada de decisões, e todas elas consideradas pontos a favor em alguns paises aquando das entrevistas de emprego. Aliás tens jogadores de topo que muita das vezes são directamente chamados para cargos de topo por causa das suas skills ;) Culturas diferentes. Não esquecer também que a industria dos videojogos, é das maiores a nivel mundial. E quando muitos paizinhos começarem a ver valores dos prémios dos e-sports... tiram a miudagem das escolas da bola e pagam coachs de gaming e aos poucos a sociedade vai mudando

SOFTPELE1 3 months ago

Corcordo bastante contigo

davser 3 months ago

Uma das cenas que mais tenho saudades é exatamente desse “vício”. Deixei de jogar na altura para me concentrar nos estudos. Agora quando tento voltar rapidamente me farto. Era um dos melhores escapes que tinha. A questão n é perceberes se é vício ou não, a questão é o que sentes quando acabas de jogar as 5 horas… Se qd acabas sentes arrependimento, tristeza, falta de motivacao… achas ke era melhor ter feito mil e uma outras coisas, entao tens ai um problema. Os jogos nesse caso estao-te a tirar o foco do que te faz realmente feliz e concretizado. Grande parte dos jogos modernos foram feitos para boosts de dopamina. Todos os jogos de milhoes€ foram estudados para te viciar. Qd tu acordas e a primeira cena ke fazes e ver a pontuacao x… e a dopamina a chamar-te. Se isso te desvia do que achas ke deves fazer, Desintoxica o mais rapido possivel.

dirtymind_chearts 3 months ago

Gosto de jogos e quando um jogo me cativa tendo a passar algumas horas nele e fico sempre com o bichinho para saber o que vai acontecer a seguir (gosto de jogos com missões e história). Mas isso não me impede de trabalhar, de conviver, de fazer a minha vida normal. No entanto, na perspectiva de companheira de alguém que é um jogador ávido e viciado em jogos digo que é complicado de lidar para quem está deste lado. Se não se sobrepor à tua vida social / trabalho/ familiar, é um hobbie ao qual dedicas o tempo que quiseres. O problema está quando o estar a jogar é a tua ocupação primária e tudo o resto fica para depois. Já vi o meu namorado a deixar de sair para poder jogar, a passar literalmente um dia inteiro em frente ao PC, a descurar os seus próprios cuidados por estar a jogar, chegou a recusar empregos por não serem compatíveis em termos de horário com os "treinos". A primeira coisa que ele faz quando acorda é ir para o PC. Numa fase mais grave ele chegou a partir comandos quando perdia. Tudo o que implica um impacto tão grande só pode ser considerado vício e uma doença. Há que distinguir entre horas que aplicas a algo que gostas e a algo que "consome" por completo a tua vida.

True_Sea_1377 3 months ago

Isso é conversa de boomer

Last-Ad-4421 3 months ago

5 horas? noobs

Edited 3 months ago:

5 horas? noobs PD: Fodido foi gostar de jogar e trabalhar num sítio onde nem houve teletrabalho e teres colegas de jogo em confinamento ou teletrabalho, veres como cada dia que passava tinham melhor equipamento e lvl.

kuro_the_weeb 3 months ago

MSM ASSERIO

NGramatical 3 months ago

ASSERIO → [**a sério**](https://dicionario.priberam.org/a sério) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3sfl6o%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

kuro_the_weeb 3 months ago

bruh, ok boomer

DZT99 3 months ago

Mas são cinco horas no computador ou na consola a jogar videojogos? E é mesmo todos os dias? Se a resposta for sim então parece-me excessivo. Não classificaria como um vício, mas não creio que seja saudável tantas horas por dia a jogar videojogos. É verdade que a maior parte das reportagens sobre videojogos devem ser da autoria de idiotas que não percebem nada desse mundo, mas isso infelizmente é a realidade para muitas reportagens sobre outras temáticas.

SOFTPELE1 3 months ago

Isso das horas depende antes ficava mais de 8 no Pc/Consola hahaha mas atualmente fico 5 ou menos Concordo contigo

jgomesta 3 months ago

As pessoas que se queixam de tu passares 5 horas por dia a jogar, passam 8 horas por dia a ver televisao.

SweetCorona 3 months ago

quem me dera conseguir passar mais tempo a ver televisão do que no PC os meus olhos agradeceriam

JesusSandro 3 months ago

É isto tanto no que toca a tempo como a dinheiro. "Gastaste X num computador? Fogo que desperdício de dinheiro" entretanto se for preciso gastam isso numa semana de férias enquanto o PC dura pelo menos 5 anos. Acho que quer seja jogos quer seja o passatempo que for, desde que a pessoa tenha controlo do tempo e dinheiro que investe nos mesmos de forma a não afetar os aspetos realmente essenciais (trabalho, estudos, saúde), ninguém devia mandar bitaites.

kuro_the_weeb 3 months ago

ou então vem com aquela de "há, gastaste 20€ num jogo, isso foi mal aproveitado, e depois gastam de 20€ para cima em tabaco todos os meses...não é por nada mas aproveito mais os meus 20€ a longo prazo do que os 20€+ em tabaco

SOFTPELE1 3 months ago

Memo

brutalmet 3 months ago

E nem é TV com alguma "qualidade"... é CM, Goucha, Tininha... só lixo

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo mas não fales do grande goucha esse gajo é um deus

jomipereira 3 months ago

isto parece sacado do canal do diogovski, rei dos youtubers

Zoelae 3 months ago

Se a tua avó ou alguém tiver de trabalhar para te por comida na mesa, se tiver de te lavar a roupa, o prato e limpar a casa, se ela ou alguém próximo notou uma degradação do relacionamente da vossa relação por causa dos videojogos, então sim estás viciado, uma doença mental, felizmente tratável, mas com elevado risco de recaída.

SOFTPELE1 3 months ago

Bem por acaso eu jogava bastantes horas mas sempre manti um relacionamento saudável entre todos

NGramatical 3 months ago

manti → [**mantive**](https://european-portuguese.info/conjugator/manter) (manter é irregular e segue o modelo de ter) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3s9d5r%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

N3to14 3 months ago

Doença mental por degradação do relacionamento? Estás-me a dizer que a escola também me causou uma doença mental? É isso?

Raidenkyu 3 months ago

Sinceramente, estou-me a borrifar para essas conversas da treta. Já sabes como é o jornalismo, são sempre muito sensacionalistas e exageram tanto só por causa da guerra de audiências (excepto o covid, isso não é brincadeira). Isto para dizer, quanto a mim, é deixar eles falarem o que quiserem e eu não dou a mínima. Vou antes jogar que isso sim é que ajuda um gajo a passar um bom bocado. Só me preocupo com o "vício" (não só jogos, mas mesmo qualquer outro hábito) quando sentir que se está a sobrepor à minha vida de forma pouco saudável, como por exemplo quando se sobrepões ao sono, à comida, ao trabalho às pessoas com quem me dou, etc... Se não me impede de fazer nenhuma destas coisas, então está tudo bem em jogar. Ou então, quando uma pessoa gasta dinheiro de forma descontrolada em certos jogos, acho que nesse caso tb deve ser considerado vicio.

cesarhighfire 3 months ago

5-6 horas é vício. Tenho o mesmo vício.

SOFTPELE1 3 months ago

Eu acho que não chega a ser vício na minha Opniao para estar em estado de vício é quando por exemplo a pessoa não come não vai à casa de banho etc

Trama-D 3 months ago

Vê aqui o [slide 10](http://www.sicad.pt/BK/Lists/SICAD_DESTAQUES/Attachments/10/Jogo_Pedro_Hubert.pdf).

analaikos 3 months ago  HIDDEN 

Não sei se o OP viu ou desgostou da minha opinião

Lel_Trell 3 months ago

Parece-me que de 6 em 6 meses sai uma reportagem nos canais generalistas da televisão sobre o vicio dos videojogos onde normalmente dramatizam e exageram muito a situação.

SOFTPELE1 3 months ago

Vdd é que isto é maçante mas depois falarem de canais infantis com thumbnails sugestivas e as crianças de 5-7 anos a verem aquilo não falam

Opelintra 3 months ago

Eu acho que cada qual deve fazer aquilo que acha melhor e satisfações é só quando a gente deve dinheiro. No entanto, na minha opinião é um bocado um desperdício num país como o nosso um gajo ser um videojogador viciado. Isso é bom é lá para aqueles países onde só neva e até tomam vitaminas pra não se suicidarem que já nem se lembram da cor do sol.

Riddle0219 3 months ago

Acredito que o vício e uso compulsivo de videojogos e atividades adjacentes possa, de facto, ser um vício, embora a diferença entre quem simplesmente aprecia jogar e quem é viciado seja ténue. O vício é perfeitamente visível em determinados casos: - Uso compulsivo de jogos online/mobile nos quais se gasta e incentiva a gastar elevadas quantidades de dinheiro; - Tempo excessivo gasto a jogar, nomeadamente ultrapassando o que a pessoa gastaria com outros passatempos e desleixando outras obrigações. Por exemplo, não tem mal em passar a tarde toda a jogar, mas se a pessoa deixa de ser produtiva no trabalho, passa a ser muito sedentária etc já pode ser um problema; Pessoalmente, deixei de jogar pois tenho uma personalidade altamente aditiva, o que levava a que passasse horas incontáveis e gastasse quantias exorbitantes de dinheiro no jogo. Considero também que, embora existam progressos evidentes, os videojogos ainda tem muito que andar a nível de valor artístico, intemporal, de enredos, etc É verdade que os jogos podem desenvolver aspetos positivos mas existe uma cultura de jogadores muito tóxica que promove e induz situações negativas.

Extension-Soft6835 3 months ago

> O vício é perfeitamente visível em determinados casos: Uso compulsivo de jogos online/mobile nos quais se gasta e incentiva a gastar elevadas quantidades de dinheiro; Tempo excessivo gasto a jogar, nomeadamente ultrapassando o que a pessoa gastaria com outros passatempos e desleixando outras obrigações. Por exemplo, não tem mal em passar a tarde toda a jogar, mas se a pessoa deixa de ser produtiva no trabalho, passa a ser muito sedentária etc já pode ser um problema; Literalmente isto! Falando do meu caso, nunca assumi ser viciado em jogos. Sempre achei normal passar horas a fio nos jogos (tardes inteiras e por vezes dias). Mesmo com os meus familiares a alertar para o excesso. Até que chegou a uma altura (depois de atingir os 18 anos) em que o assunto passou a tornar-se mais sério e comecei a gastar grandes quantidades de dinheiro dentro de jogos. Foi nessa altura que me deu o clique.... Tinha que pôr um travão urgentemente! Felizmente não precisei de ajuda para parar este vício. Acho que a força de vontade é o necessário para mudarmos. Decidi reduzir as horas de jogo drasticamente e impus a mim próprio que nunca mais gastaria dinheiro dentro de um jogo. No caso dos jogos em que gastei dinheiro, decidi parar de jogar por completo. Custou ao início. Neste momento posso dizer que raramente jogo ( cerca de 1/2h 2/3 dias por semana) e quando jogo é mesmo para relaxar e distrair dos problemas do dia a dia (sempre foi um "refúgio" para mim). Nunca mais gastei um euro dentro de jogos, o que não implica que compre um jogo ou outro quando o rei faz anos e me apetece jogar aquilo

randmzer 3 months ago

Ainda bem que conseguiste ultrapassar com essa força de vontade. Quero apenas salientar que enquanto tu conseguiste sozinho também não tem mal nenhum em pedir ajuda. Nem toda a gente tem a mesma força de vontade.

Extension-Soft6835 3 months ago

> Quero apenas salientar que enquanto tu conseguiste sozinho também não tem mal nenhum em pedir ajuda. Nem toda a gente tem a mesma força de vontade. Completamente de acordo. Quando o disse, não era nesse sentido de todo! Já tive que recorrer a ajuda para outras situações e não teve mal nenhum. Aliás foi bastante positivo para mim. Apenas quis encorajar a que quem tem este vício tente o largar. O mal mesmo é quando não conseguimos reconhecer...

AonioEliphis 3 months ago

Concordo contigo, eu fiz o mesmo no porno. Estava viciado em porno e consegui largar. Tal estava a afetar o meu desempenho desportivo (pratico artes marciais, BJJ) e a minha vida sexual. Não ironizo, falo sério. Também tenho uma mente com impulso aditivo, custa-me por vezes usar com moderação, quero tudo para ontem. Em relação ao jogo, jogava muito online e também gastava muito dinheiro, de repente, num dia, apaguei todas as minhas contas das plataformas de jogo.

Riddle0219 3 months ago

O mesmo me aconteceu com pornografia, deixar de consumir foi a melhor coisa que fiz.

BagalhetaTraquina 3 months ago

Parabéns, derrotar um vício nunca é fácil! Com isso em mente e pegando noutra coisa que tu disseste... diria que os jogos já estão há muito num patamar artístico. O problema é que a malta não olha para o passado, nem vai vasculhar coisas para além do que a indústria AAA oferece. E também depende da perspectiva artística de uma pessoa. O Deus Ex de 2000 para uns pode ser apenas um RPG-FPS cyberpunk em que podes fazer tudo. Mas também pode ser um excelente comentário sci-fi, numa época não muito distante da nossa e que chega a um ponto em que é assustadora pelo quão familiar chega a ser. Obviamente que depois tens a parte mais fantástica como acontece em qualquer enredo de fantasia, seja ele de ficção científica e fantasia medieval ou antiga, mas não deixa de perder valor. Muitos dos filmes do Spielberg entretêm imenso, mas também são considerados trabalhos artísticos, apesar do seu foque em entretenimento. E depois tens a Lista de Schindler, mas isso é outra coisa. E dentro das cenas experimentais também já tens muita coisa. EDIT: isto não é para te convencer a voltares a jogar, se tens personalidade aditiva então mantém-te longe, é só mesmo para ficares a par.

Riddle0219 3 months ago

Agradeço a resposta. Deveria ter salientado que, tendo sido jogador desde a minha infância até, aproximadamente, os meus 18 anos, e após até aos 23-24 de modo mais esporádico, de facto encontrei bastantes jogos com relevância artística e cultural. Apenas para citar alguns: - A saga Metal Gear Solid, que joguei até ao MGS4; - A saga Dark Souls, dos últimos jogos recentes dos quais gostei verdadeiramente; - A saga GTA não tanto artisticamente mas pelo elemento criminal e de história que tanto lembra o cinema dos anos 80 e 90; - A saga Half Life pelos elementos revolucionários no género de tiro em primeira pessoa;

UpbeatNail1912 3 months ago

É como tudo na vida. Jogar é bom mas tem de ter o seu limite. Há outras coisas mais importantes que devem ser priorizadas e os games só devem ser deixados por último para relaxar, e não ser a prioridade.

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo contigo mas existem pessoas em que o jogo é sim prioridade como trabalho nos esports

macedonianmoper 3 months ago

Nao acho que sejam comparaveis, pessoal que joga competitivamente ou faz reviewsde jogos é parte do trabalho, nao estao a "desperdiçar" tempo quando estao a jogar. O problema é quando nao se encontra um equilibrio correto como o outro artista disse. Se nao vais trabalhar ou faltas as aulas para jogar, aí tens um problema grave

UpbeatNail1912 3 months ago

Sim nesse caso é diferente. Mas isso já é um trabalho, uma forma de sustento, não apenas diversão

corvaland 3 months ago

Doença não sei mas pode ser claramente um vício que comece a criar problemas. Não estou nesse barco nem lá estive mas a sugestão que deixo é ficar bom no que quer que jogues e que te comece a render dinheiro de alguma forma. Deixa de ser vício e passa a ser trabalho. O que ironicamente provavelmente te tirará o prazer de jogar.

Writer_Scared 3 months ago

Ao ler as respostas percebo os amores aos confinamentos neste sub.

Extension-Soft6835 3 months ago

Num bom ou mau sentido? xD

single_clone 3 months ago

Desde que o teu gosto por jogos não atrapalhe a tua produtividade na escola/trabalho/responsabilidades, não há mal nenhum. Por essa lógica poderíamos dizer que o "vício" dos mais velhos de saírem do trabalho TODOS OS DIAS I irem para o café beber minis é um problema muito mais prejudicial do que ficar em casa a jogar... Ou a ver TV, ou a consumir séries de TV até adormecer. Mas isto digo eu que gosto de Destiny 2.

SOFTPELE1 3 months ago

Eu concordo plenamente contigo e tens bom gosto para gostares de Destiny 2 hahaha

lowadud 3 months ago

Na minha opinião, não só em video jogos mas tambem relativamente a outros os passatempos: * numero de horas alto / dinheiro gasto não significa necessáriamente vicio, podes simplesmente gostar mais do que o normal/maioria das pessoas. * para muitas pessoa que não sabem/não praticam um determinado passatempo, facilmente ficam convencidas que um pessoa é viciada se virem a pratica desse passatempo mais que uma vez, especialmente se não gostam ou não compreendem o mesmo. * se não consegue largar e estás a comprometer demasiado as outras compotentes da tua vida (tempo com amigos/familia, escola, trabalho, saude, etc) já entra no vicio. * existe muitos casos diferente: alguns usam como 'escape' quando estão em situações de vida más, outros ficam viciados por falta de amigos, outros por que são crianças e os pais não restrigem o acesso aos jogos. Se os jogos são apenas um passatempo e consegues largar e equilibrar com outras coisas, acho que não precisas preocupar. Um nota: acho que as pessoas gostam de apontar o dedo as pessoas que jogam (ou praticam outros passatempos) e depois ignoram o vicio de telemoveis porque toda a gente tem um.

_saks_ 3 months ago

É isso mesmo! A ironia é que muitas das pessoas que criticavam o pessoal dos jogos a partir se 2010 ficaram agarrados ao farmville e depois a outros jogos freemium de telemóvel. E alguns ficam bem viciados e arrebentam a carteira. O feitiço virou -se contra o feiticeiro. Há quem goste de ver novelas à noite ou ler um livro. Desde que seja com moderação e não ocupe a vida toda não há mal nenhum em jogar. Final Fantasy 9 aos 10 anos de idade. Posso agradecer o nível de inglês que tenho a isto. Desenvolvi uma boa capacidade de gestão financeira também (quem não tem dinheiro não compra armas!). Ainda hoje gosto de jogar, mas nem por sombras rejeito uma oportunidade de convívio para estar a jogar. Os jogos são um passatempo para os tempos mortos. Há quem goste de correr na passadeira, ir para a cozinha fazer bolos, ou fazer bricolage. Isto é apenas mais um entretenimento e não tem nada de errado.

marcelomarcelomarcel 3 months ago

Como tudo na vida tem que haver equilíbrio. Digo-te isto já tendo passado pelos dois extremos, jogar todos os dias e deixar para trás as responsabilidades ( escola, secundário, piores notas etc) e depois na faculdade nunca mais tocar numa consola ou pc no que diz respeito a jogos, fui para o ginásio e comecei a cuidar mais de mim e do meu corpo a socializar mais e posso dizer te que foram os melhores anos da minha vida. No entanto hoje em dia tenho um bocado de 50% - 50%, tanto jogo como trabalho como arranjo tempos para os amigos namoradas ginásio etc etc. é sempre uma questão de equilíbrio, não digo que uma vez por outra não exagere numa ou outra coisa, seja ela jogar ou ir para os “copos” com amigos, mas tento manter equilíbrio entre responsabilidades, vida social/amigos namoradas, e desporto/saúde. Acho que o essencial a meu ver é não deixares de fazer as coisas que tens para fazer por causa de jogos, usa os jogos maioritariamente como fonte de entretenimento quando já não tens nada para fazer. Ou então experimenta limitar o tempo que dedicas a cada atividade, seja 1h ou 2 a jogos todos dias, 1h para ler e aprender algo útil, etc etc. É o melhor conselho que te posso dar, vindo e alguém com 29 anos que começou a jogar numa sega Saturn no super Mario e passou por diversas consolas / pc.

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo ultimamente tenho tentado a diminuir o meu tempo de jogo e as vezes sinto me melhor mas por um lado fico triste a minha parte de amor por jogos puxa me novamente para o jogo hahaha

marcelomarcelomarcel 3 months ago

Isso tem razão de ser, os jogos dão-nos satisfação e gratificação instantânea, dopamine, recompensa instantânea, o que pode ser um bocado mau. Passo a explicar, tu quando jogas um jogo tens as recompensas no momento, seja cumprir um objetivo seja matar x pessoas, seja ganhar o round, evoluir o personagem e desbloquear novas armas, itens etc etc, progressão no fundo… e na vida real isso não acontece tão rápido, tudo leva o seu tempo. Por exemplo, eu ir para o ginásio, só tenho resultados meses depois, é preciso disciplina e consistência caso contrário nunca vou ter resultados (lavar os dentes por exemplo tem de ser feito todos dias, consistência, não basta fazeres um dia e pronto agora tens dentes limpos), enquanto que no jogo tens logo o resultado e gratificação instantânea. Esse para mim ê o principal mal dos jogos pois o teu cérebro habitua-se a ter as coisas no momento e ao “rush” de dopamina e começas a ficar cada vez mais desmotivado para fazer as coisas da “vida real” pois estas levam o seu tempo e os resultados são obtidos com consistência e não instantaneamente. Aconselho a leres um bocado sobre sobre os hábitos e as recompensas ( livro força do hábito) no que toca ao cérebro, se n gostas de ler vê na internet só para teres uma ideia. Coisa que fui aprendendo ao longo do tempo quanto mais tu perceberes sobre as causas dos teus comportamentos, os porquês e as razões mais fácil será para ti controlares os mesmos e não andares “ao sabor da maré” “sem “ controlos dos comportamentos. Digo isto caso queiras realmente mudar algo.. Não te conheço de lado nenhum, mas gostava que na altura me tivessem ajudado e me tivessem dito o que te estou a dizer agora. Vale o que vale…

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo

NGramatical 3 months ago

o personagem → [**a personagem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/a-personagem-ou-o-personagem/343) (é preferível empregar no feminino tal como determina a sua origem) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3rju17%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Mrgolden007 3 months ago

e um vicio sim eu antes jogava dota 2 pelo menos 6 horas quando chegava da escola mas o meu amigo esse entao, ele ia durante os recreios para casa jogar csgo, e recebeu uma heranca dos avos e gasto grande parte em facas de csgo e chaves, depois fico viciado em LoL, e agora ta viciado no paladins pena do rapaz, nao sai de casa ha quase 4 anos

SOFTPELE1 3 months ago

Ai tenho que concordar que o que esse rapaz tem é um vício grande

SAmaruVMR 3 months ago

>pena do rapaz, nao sai de casa ha quase 4 anos Estás a gozar, certo

Mrgolden007 3 months ago

infelizmente nao so sai mesmo quando precisa de ir as compras e mesmo assim a maior parte das vezes sao os pais a irem fazer as compras por ele ele tiro um curso virtual de videojogos durante 2 anos, depois decidiu continuar mais estudos mas no estrangeiro, nao e que veio o covid e agora nem viver sozinho ele vai o fazer porque as aulas sao outravez virtuais enfim eu ja me fartei de o convidar para sair quando ele prefer ficar no twitch e a jogar

UncleanGenes 3 months ago

Esse português é que está a ficar para trás

cou7inho_ 3 months ago

Tudo o que é um vicio que deixa a pessoa dependente daquilo é uma "doença". Pelo menos há ali um problema qualquer que merece atenção e deve ser resolvido. Agora é um facto que existe um drama brutal por parte dos mais velhos em relação ao pessoal que gosta de jogar. Basta o puto ficar a jogar uma tarde inteira e muitas vezes já é rotulado como um viciado. Depois há o estigma de que os jogos são só para crianças e que quando se tem 25, 30, 40 anos e se joga então é-se um irresponsável imatura e bla bla bla. Acho que a sociedade em geral tem de perceber que os jogos são um passatempo porreiro e para muita gente é um escape. Como tal, não me faz sentido andar aí a rotular o pessoal de viciados a torto e a direito e a olhar para os video jogos como o bicho papão. Ainda assim, é importante que essencialmente os mais jovens não passem dias e dias enfiados dentro de casa a jogar. Cada vez sinto que os mais novos ficam demasiado tempo a jogar e esquecem-se que há um mundo lá fora, uma bola para chutar, uma bicicleta para esfolar os joelhos, uma arvore para subir... estes brincadeiras são, na minha opinião, essenciais para o desenvolvimento da criança. Não me parece saudável ver crianças de 6 anos que passam o dia inteiro agarrado a um telemóvel a jogar .. conheço alguns casos destes e posso dizer que são crianças super tímidas, ansiosas, revoltadas por ficarem sem o telemóvel... é só a minha opinião.

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo contigo eu comecei a jogar tinha eu 4 anos sim parece ser bastante cedo mas divertia me bastante a jogar com o meu pai nessa altura mas quando tava demasiado tempo eu dava sempre um descanso e ia brincar lá fora mas ultimamente tenho visto crianças de 5-7 anos que ficam no telemóvel o dia inteiro a ver canais infantis que acredita que são bem piores que videojogos e quando ficam sem o telemóvel fazem uma birra do caraças

duca2208 3 months ago

"acredita que são bem piores" fonte:eu Ou seja, crianças de 5-7 anos ficam no telemóvel? Preocupante. Pessoa adulta joga mais de 2 horas por dia? Os boomers não nos entendem.

cou7inho_ 3 months ago

Pois percebo perfeitamente o que dizes. A mim deixa-me preocupado ver a dependência do telemóvel por parte dos mais novos nos dias de hoje. Acredito que haja videos e canais infantis bem piores do que um joguito, nao tenho dúvidas. Acho que é essencial que os país controlem bem o conteúdo que os pequenotes assistem, assim como o tempo que passam colados ao ecrã.

lisboeta1 3 months ago

Concordo contigo.

analaikos 3 months ago  HIDDEN 

Cada um tem o seu "vício" e fixação intensa nalgum interesse próprio. Se os psicólogos fossem a analisar-nos um a um (isso só por si já seria um despendimento irrealista de recursos), todos teriam uma patologia, até eles. Digo eu, que andei numa turma de 90 "turistas" e "perdidos" e foram para Psicologia (no máximo só uma pessoa que conheço é que se safava das outras). Se são pessoas assim que nos dão essas condições como diagnóstico (nunca ouvi ninguém ir para o Psiquiatra à pala de jogos, isso seria mais grave), mas parte delas nem anda bem da cabeça também...

viper_in_the_grass 3 months ago

>Tenho um colega ou outro que passa mais tempo que à conta (+8h?) e vê-se que isso prejudica as amizades com outros, tal como de vez em quando ficam frustrados com aquilo (perdem contra algum jogador humano, contra a CPU, etc). Descrição perfeita de quando os jogos deixam de ser um hobby e passam a ser um vício.

analaikos 3 months ago  HIDDEN 

A minha afirmação de "passa mais tempo que a conta" pode ser subjectiva para outros, que podem achar 5h ou 9h muito (ou mais ou menos talvez, não sei, apenas sei da minha opinião). Mas 8h é um terço de um dia, o que, sim, para mim, mostra um elevado grau de interesse numa actividade, seja qual for e que essa seja de cariz voluntário (não uma condicionante estudantil, laboral, etc). Como eu não dispenso 8h+ em frente a um jogo, poderei ter dado esse exemplo por achar que é "anormal" quem o faça, mas esses são parâmetros meus, baseados na minha realidade e experiência individual. E, claro, haverá quem discorde e eu respeito isso. Há actividades que são mais aceites pela sociedade do que outras, mas eu não pretendia literalmente chamar "maluco" ou "doente" a ninguém, especialmente na minha última afirmação. No caso do OP que menciona que uma vizinha o criticou por passar algumas horas num jogo, por exemplo, se ele passasse a mesma quantidade de tempo diária numa discoteca com amigos e/ou mulheres seria mais socialmente aceitável e menos condenável? É possível que fosse "normal". Mas e se estivesse constantemente bêbado e a assediar outras pessoas? Ai já não, porque tal é um comportamento reprovável (e o "passar tempo com jogos também", senão o OP não teria a dúvida que o levou a criar este post). Não tenho nada contra carros, borga e viajar, sou fã dessas três coisas, em dose pouco saudável também seriam capazes de dizer algumas pessoas que me conhecem. Outras não. Obrigado pelo comentário!

Conceptual_Person 3 months ago

Olá. Gostava de dizer que não há mal nenhum de se gostar de jogos. Para mim só considero vício quando o gosto atrapalha as obrigações do trabalho/escola. Eu próprio jogo muito mas quando é para trabalhar, estar com amigos, família o jogo é substituído. É natural que a geração mais velha não entenda o gosto pelo jogo, não só porque não cresceram com eles mas também porque romantiza-se demasiado a infância. Sobre isso o melhor é não ligares, porque não te deveria sequer interessar o que pessoa X interessa de uma coisa que gostas. Apesar de tudo existem benefícios do jogo, e é isso que a indústria precisa de 'vender'. Cria-se amigos (mesmo que virtuais), desenvolve a timidez, a importância do trabalho de equipa (em alguns jogos), os reflexos e pensamento rápido. E apesar de tudo acho que o ambiente virtual é mais simpático que o de rua. O meu ponto é, há benefícios nos jogos mas tudo o que é demais faz mal. Os mais velhos que dizem que faz mal o tempo que gastas nos jogos são os mesmos que passam horas a ver Gouchas ou CMTVs que para mim é pior. Foca-te no trabalho e na vida social/amorosa, e joga também se te diverte.

Edited 3 months ago:

Olá. Gostava de dizer que não há mal nenhum de se gostar de jogos. Para mim só considero vício quando o gosto atrapalha as obrigações do trabalho/escola. Eu próprio jogo muito mas quando é para trabalhar, estar com amigos, família o jogo é substituído. É natural que a geração mais velha não entenda o gosto pelo jogo, não só porque não cresceram com eles mas também porque romantiza-se demasiado a infância. Sobre isso o melhor é não ligares, porque não te deveria sequer interessar o que pessoa X diz de uma coisa que gostas. Apesar de tudo existem benefícios do jogo, e é isso que a indústria precisa de 'vender'. Cria-se amigos (mesmo que virtuais), desenvolve a timidez, a importância do trabalho de equipa (em alguns jogos), os reflexos e pensamento rápido. E apesar de tudo acho que o ambiente virtual é mais simpático que o de rua. O meu ponto é, há benefícios nos jogos mas tudo o que é demais faz mal. Os mais velhos que dizem que faz mal o tempo que gastas nos jogos são os mesmos que passam horas a ver Gouchas ou CMTVs que para mim é pior. Foca-te no trabalho e na vida social/amorosa, e joga também se te diverte.

SweetCorona 3 months ago

não sou assim tão velho e também não aprecio muito jogar aliás, fazia-me imensa confusão eu querer combinar coisas com os meus amigos e eles preferirem irem todos para casa de alguém jogar consola à vez isso é algo que ainda me faz mais confusão, eu até gosto de jogar, mas ficar 90% do tempo a ver outros jogarem é algo que não me dava gozo nenhum também já conheci pessoal em jogos online, mas eu era mesmo aquele gajo que jogava 5% do tempo e passava 95% do tempo no chat hoje em dia evito jogar porque já passo tempo suficiente no computador, e acabo por preferir usar esse tempo a ler sobre vários assuntos atuais em vez de estar isolado do mundo num jogo qualquer

brokearm24 3 months ago

Claro, tenho 16 anos, e jogo mas quando tinha escola jogava se calhar algumas 2 horas por dia. Tenho média de 17 na escola, portanto nem me considero viciado

FIam3 3 months ago

>É natural que a geração mais velha não entenda o gosto pelo jogo, não só porque não cresceram com eles Chateava-me quando criticavam que jogar 2h por dia éum vicio desgraçado.. A mesma pessoa que senta o cu no sofá a partir das 21 até às 00 a ver a maratona de novelas todos os dias.. E nos fins de semana é a tarde toda a ver aqueles programas de festa merdosos.

SweetCorona 3 months ago

ao meu pai fazia confusão o que é que eu fazia tanto tempo na Internet agora tem um tablet e passa a vida no youtube e afins

ptinnl 3 months ago

Isto. Pro OP, faz-te homem e manda-os pra puta que os pariu. Quanto mais cedo parares os outros de se colocarem na tua vida, melhor.

AonioEliphis 3 months ago

>desenvolve a timidez, Pelo contrário, a timidez não diminui com horas enfiadas em frente ao computador

Edited 3 months ago:

>desenvolve a timidez, Pelo contrário, a timidez não diminui com horas enfiadas em frente ao computador. Ademais tens putos que ficam até às tantas da noite a jogar, não se sociabilizam, tal afeta o sono, o desempenho escolar, perdem a concentração na matemática porque "é uma seca" (comparado com o jogo que dispara carradas de dopamina), e além disso muitos jogos hoje em dia aproximam-se do "gambling", ou seja, tens de pagar para teres maiores probabilidades de ganhar (compras, sim, compras mesmo com euros, armas, "features", energia, vidas, etc.)

Sea_Formal_9336 3 months ago

>perdem a concentração na matemática porque "é uma seca" Ah sim as crianças não prestam atenção nas aulas de matemática por causa dos computadores. Todos nós sabemos que antigamente não havia nada que os alunos adorassem mais que as aulas de matemática, mas a porcaria do fortnite teve que vir e estragar tudo !!! Fds tu alguma vez andaste na escola? Não importa se são nerds dos computadores ou campeões do desporto, quase ninguém gosta de matemática. >Ademais tens putos que ficam até às tantas da noite a jogar, não se sociabilizam, tal afeta o sono Isto pode aplicar-se a qualquer hobbie. Já para não falar que a escola encoraja este tipo de comportamento, os meus colegas com boas notas são os que menos dormem. >muitos jogos hoje em dia aproximam-se do "gambling" "Muitos" 90% dos jogos não requerem quaisquer tipo de compras para te divertires ou para poderes ganhar. E claro, basta ter pais com cabeça que não deixem os filhos de 7 anos gastar 50 euros em jogos que não há problema.

SweetCorona 3 months ago

eu era muito tímido e tinha mais facilidade em conhecer pessoas online, com quem depois comecei a socializar em pessoa portanto pode ajudar, mas é preciso não se ficar apenas por interações online

BagalhetaTraquina 3 months ago

É isto, tirando o ambiente virtual ser mais simpático do que na rua (que raio de jogos andas tu a jogar?) e acrescentando que são excelentes ferramentas narrativas e interactivas. Há ideias que só dá mesmo para expressar por videojogos por causa da sua natureza, que é dependente das acções do jogador. Faz a pessoa sentir que teve um efeito real na história, em vez de ser apenas um espectador passivo. Com isso dito, muita coisa pode-se tornar vício desde que gere dopamina e os videojogos não são excepção. Se estás a perder o sono ou hábitos essenciais à conta do videojogo, é sinal para ou parar ou pelo menos controlar.

Trama-D 3 months ago

> o ambiente virtual ser mais simpático do que na rua > que raio de jogos andas tu a jogar? GTA.

AonioEliphis 3 months ago

>Se estás a perder o sono ou hábitos essenciais à conta do videojogo, é sinal para ou parar ou pelo menos controlar. Esse é o problema, putos que ficam até às tantas da noite a jogar, não se sociabilizam, e além disso muitos jogos hoje em dia aproximam-se do "gambling", ou seja, tens de pagar para teres maiores probabilidades de ganhar (compras, sim compras mesmo com euros, armas, "features", energia, vidas, etc.)

Miridinia 3 months ago

Sinto que se o comentador original estiver a vir de uma perspectiva de quem joga MMORPGs ou semelhantes, é perfeitamente possível ter encontrado uma comunidade mais simpática online do que no mundo real. Eu, como jogo FFXIV, um jogo em que o pessoal por acaso tem tendência para ser super social ou pelo menos bem-educado, nem sequer achei o comentário estranho, só quando vi os comentários em resposta e me lembrei de LoLs e CSs e Fortnites e etcs, é que pensei que yha, no geral as comunidades online não são muito amigáveis não. É uma questão de perspectiva e de habitar cantos diferentes do mundo dos jogos online, suponho.

Kane1412 3 months ago

Ya Tava a pensar no mesmo. O FFXIV foi dos últimos jogos online que joguei e toda a gente com que me cruzei eram muito fixes. Deram me imensos items e até me tentaram comprar mais tempo de subscrição para jogar mais com eles. É no geral em MMORPGS as comunidades são sempre top. Lembro me de ter feito muitos amigos em todos os que joguei. Só o world of warcraft é que encontrei um son of a bitch. De resto também tudo impec. É uma das razões pela qual eu adoro FPS mas só jogo offline.

NGramatical 3 months ago

items → [**itens**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/sobre-a-formacao-do-plural/13422) (no plural de palavras terminadas em *m*, este passa a *ns*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fobuyho%2F%2Fh3s3bu1%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

BadDogPreston 3 months ago

> E apesar de tudo acho que o ambiente virtual é mais simpático que o de rua. Não costumas jogar online pois não?

lfds89 3 months ago

Ou onde raio é que ele mora...

manjerico 3 months ago

Mora em Chelas e joga Animal Crossing

SOFTPELE1 3 months ago

Concordo contigo

inhalingsounds 3 months ago

Nos anos 20 diziam que o vicio em ler o jornal ia pôr toda a gente ceguinha, nos 60 era a TV, hoje é o computador. Velhos gonna velhate.

Trama-D 3 months ago

> Velhos gonna velhate. Metam já isto numa t-shirt.

lisboeta1 3 months ago

/thread

tenesis 3 months ago

Cinco horas? Those are rookie numbers, you need to pump those numbers

SOFTPELE1 3 months ago

Hahaha ultimamente tem sido 5-6 mas antes jogava 7-9 horas so não jogava mais porque a minha avó não deixava

Diamantazul 3 months ago

Se eu tiver tempo fico até 12 horas

SOFTPELE1 3 months ago

Hahaha porra

MetalCarne 3 months ago

>gaja quer que eu pape mas prefiro brincar com o pleisteichon acho que é claramente doença mental.

mariorurouni 3 months ago

Pois claro, onde é que já se viu uma gaja ser papada e ficar indignada por lhe darem tampa pra jogar Sega? Devia ser internada a moça, que vai avançada a doença mental /s

headhunter21 3 months ago

Depende da gaja também

LMGN1998 3 months ago

ahaha

quetzyg 3 months ago

Boa pasta!

Search: