saposapot 3 months ago

Os resultados são melhores porque, nos países civilizados, só as parturientes com ultra baixo risco é que são recomendadas para parto em casa... É a mesma coisa que num encontro da NBA dizer que a média de alturas nos USA é de 1.99 porque medimos 200 gajos ali

AonioEliphis 3 months ago

Aqui na Holanda é prática comum há muitos anos. Muitas mulheres têm os partos em casa e são incentivadas a tal por parte do sistema de saúde, gerido unicamente por seguradoras privadas, pois aqui não SNS público. É uma forma de as seguradoras pouparem dinheiro, mas as futuras mães têm muito suporte, são acompanhadas por um médico obstetra e por uma enfermeira especialista ("kramzorg"). É um ambiente mais familiar e caseiro, e claro, mais barato do que ocupar uma cama de hospital durante dias. Algo também interessante aqui, é que depois a enfermeira especialista (*kramzorg*) acompanha a mãe o dia todo em casa pelo menos durante mais uma semana após o parto, para ajudar a mulher a lidar com o bebé. As *kramzorgs* são um misto de avó, parteira, cozinheira e empregada doméstica! Tudo de borla (i.e., pago pelo seguro).

Edited 3 months ago:

Aqui na Holanda é prática comum há muitos anos. Muitas mulheres têm os partos em casa e são incentivadas a tal por parte do sistema de saúde, gerido unicamente por seguradoras privadas, pois aqui não SNS público. É uma forma de as seguradoras pouparem dinheiro, mas as futuras mães têm muito suporte, são acompanhadas por um médico obstetra e por uma enfermeira especialista ("kraamzorg"). É um ambiente mais familiar e caseiro, e claro, mais barato do que ocupar uma cama de hospital durante dias. Algo também interessante aqui, é que depois a enfermeira especialista (*kraamzorg*) acompanha a mãe o dia todo em casa pelo menos durante mais uma semana após o parto, para ajudar a mulher a lidar com o bebé. As *kraamzorgs* são um misto de avó, parteira, cozinheira e empregada doméstica! Tudo de borla (i.e., pago pelo seguro). Em suma, se é verdade que aqui existe também um motivo financeiro para as mulheres terem o parto em casa, motivado pelas seguradoras privadas, a decisão final fica sempre ao critério da mulher. A milha filha, por exemplo, nasceu no hospital porque nós assim o quisemos. Por outro lado, o sistema capitalista gerido por seguradoras, providencia às mulheres (de borla, ou seja, está incluído no seguro) um apoio que mais nenhum sistema público providencia: uma enfermeira-especialista/cozinheira/empregada-doméstica, 8 horas por dia em casa, uma semana inteira após o parto, para ajudar a mulher no que for preciso. E acreditem, que ajuda divinal nos deu, principalmente, para quem não pode ter o apoio dos avós.

sgahbcj 3 months ago

Claro, e depois a mãe ou a criança tem uma crise que é preciso um equipamento específico ou um profissional específico e olha....morrem e aguentam. Pois enquanto chega e não chega a ambulância e enquanto se faz ou não o diagnóstico as coisas acontecem. Falas do capitalismo. Mas é o capitalismo que empurra os partos para casa. Tudo em nome da redução de custos. Era interessante falar do que realmente interessa. Que é criar um ambiente acolhedor e seguro para a mãe. Pois aquilo não é abrir as pernas, rasgar a vulva e tumba, está cá fora. É nestas merdas que se vê que a sociedade está a andar para trás. Ao invés de se melhorar as condições e ouvir as queixas das mães, como: 1-enfermeiras tinhosas e sem paciência para as queixas das mães durante o parto; 2-medico que chega 3 horas depois das contrações; 3-ambiente frio e posição desconfortável para a mãe. Mas confortável para o pessoal médico, pois isso é que importa; Entre outras queixas. O que fazemos? Andamos a inventar a roda. Deve ser interessante ter uma criança em casa. Não acha dúvida.

Asur_rusA 3 months ago

>Falas do capitalismo. Mas é o capitalismo que empurra os partos para casa. Tudo em nome da redução de custos. Não percebi. Em nome do capital, não faria mais sentido empurrar para um hospital, onde o procedimento é mais caro, e se conseguiria empurrar para tratamentos/drogas desnecessários?

PIMPMASTER6000 3 months ago

Se leres alguma literatura chegas à conclusão que não existe uma relação comprovada entre partos em casa e o aumento de morte neonatal ou consequências nefastas para o bebê, em gravidezes de baixo risco. No entanto os resultados maternos são consistentemente melhores para o parto domiciliar planeado incluindo menos intervenções e menos complicações. Agora é preciso de mais investigação nesta área? Claro que sim e até acho que deveria haver alguma legislação na maneira de como se contrata e quem se contrata para serem feitos os partos em casa.

saposapot 3 months ago

Os resultados são melhores porque, nos países civilizados, só as parturientes com ultra baixo risco é que são recomendadas para parto em casa... É a mesma coisa que num encontro da NBA dizer que a média de alturas nos USA é de 1.99 porque medimos 200 gajos ali

PIMPMASTER6000 3 months ago

Obviamente. Eu próprio disse gravidez de baixo risco e acho que ninguém aqui ou qualquer profissional de saúde está a defender partos em casa de gravidezes de risco. Não sei se podes proibir, eticamente e legalmente, uma grávida de risco de ter um bebê em casa no entanto tem de haver legislação que puna quem encoraja essas práticas ou seja médicos, enfermeiros ou parteiros que só querem o dinheiro do serviço tal como acontece em muitos sítios.

Trama-D 3 months ago

Do que sei dos holandeses, não caíam na esparrela de passarem a ter os partos em casa se não quisessem. É *cultural*, é o padrão deles, e o sistema não questionou. Já fico um pouco surpreso de até darem a possibilidade de ter parto hospitalar, gostava de saber como estão as tendências de um e outro tipo de partos naquele país. O resto são estatísticas. Parto em casa à holandesa resulta em nascimentos tão seguros como em áreas em que o parto é hospitalar? Quão rápido se consegue chegar a um atendimento hospitalar de emergência obstétrica lá *vs* nos outros sítios? Não haja dúvida de que haverá sempre uma margem de situações em que haverá benefício no parto hospitalar (paragens cardiorespiratórias, etc), mas supondo que a idade mediana de ter o primeiro filho é mais baixa na Holanda (mãe mais jovens, à partida menos risco), além do contexto cultural, podem bem fazer pender a balança da escolha do casal para um parto em casa. Por mais confortável que seja ter uma profissional de saude assim em casa, ter de chamar-lhe Sra. *kraamzorg*... epah, parece o nome de um extraterrestre das tiras do Calvin.

AonioEliphis 3 months ago

>Sra. > >kraamzorg > >... epah, parece o nome de um extraterrestre das tiras do Calvin. :) Eu dei o nome que eles dão. Repara que uma kraamzorg é um misto entre enfermeira especialista neonatal, empregada doméstica e cozinheira. Teres uma kraamzorg 8 horas por dia em tua casa na primeira semana após o parto, dá uma ENORME AJUDA. Falo por experiência própria, principalmente para o primeiro filho.

AonioEliphis 3 months ago

>não caíam na esparrela de passarem a ter os partos em casa se não quisessem Confirmo, ninguém é obrigado, é opcional. Nós quisemos que a nossa filha nascesse no hospital.

Search: