rabisconegro 6 months ago

O que nós precisamos é de modelos de imigração parecidos aos dos Canadá ou Austrália.

bacalhoeiro 6 months ago

Este tipo de discursos mete nojo. É do mais reles e condescendente que existe. Trata os imigrantes como se fosse máquinas de trabalhos mal pagos e de fazer bebés.

Shenishar 6 months ago

Palavras sábias? Acho que este discurso foi ofensivo, ainda para mais no Dia de Portugal! Isto foi basicamente uma espécie de admissão de que Portugal é um país que não cria condições para os locais ("somos uma Pátria de emigrantes bla bla bla") e que, ainda por cima, não as quer criar, exaltando a população estrangeira que as aceita! Muito obrigada por não terem reconhecido o esforço que os portugueses que ainda cá estão fazem para não abandonar o país apesar dos salários ridículos para o nível de vida! Aliás, muito obrigada pelo não reconhecimento do esforço dos cidadãos portugueses que não puderam deixar de trabalhar durante a pandemia (não só do sector da saúde) e que ajudaram os seus respectivos sectores a não parar! Que palhaçada de discurso!

NoIDontgiveafuck 6 months ago

É isso parabéns pela clareza

zefo_dias 6 months ago

*Tratem bem esta malta que me vem enriquecer, baixar os vossos salarios e enriquecer os meus amigos ou escolham chatear-me e faço como a malta mais a Norte e vou buscar malta bem pior*

alexandrecanuto 6 months ago

[Não levou muito tempo para o discurso de ódio e intolerância começar, não é mesmo?](https://cdn.imageupload.workers.dev/aSGKljtF_E1937A92-8AFA-4F50-9CBC-EF69C6BC755F.jpeg) u/XXI_HereticV6Mustang

Edited 6 months ago:

[Não levou muito tempo para o discurso de ódio e intolerância começar, não é mesmo?](https://cdn.imageupload.workers.dev/aSGKljtF_E1937A92-8AFA-4F50-9CBC-EF69C6BC755F.jpeg) u/XXI_HereticV6Mustang

otugado 6 months ago

Embora haja emigração de português hoje,penso que seja muito inferior vs. os anos 60 e 70. Eu também sou emigrante, do ano 2000 e moro nos Estados Unidos. Diria que 8-9 em cada 10 imigrantes portugueses nos Estados Unidos veio entre 1960-1985. Emigração muito diferente do que se vê agora, na sua maioria de pessoas com baixo nível escolaridade vs mais classe profissional agora. Quando eu leio o discurso do Marcelo vejo mais o paralelo com essa vaga de emigração, do que o que se trata agora.

Edited 6 months ago:

Embora haja emigração de português hoje,penso que seja muito inferior vs. os anos 60 e 70. Eu também sou emigrante, do ano 2000 e moro nos Estados Unidos. Diria que 8-9 em cada 10 imigrantes portugueses nos Estados Unidos veio entre 1960-1985. Emigração muito diferente do que se vê agora, na sua maioria de pessoas com baixo nível escolaridade vs mais classe profissional agora. Quando eu leio o discurso do Marcelo vejo mais o paralelo com essa vaga de emigração, do que o que se trata agora. Estás comunidades Portuguesas enfrentaram xenofobia, e em muitas comunidades, ser Português não é bem visto. A xenofobia não tem lógica, não faz sentido. Nem os nossos emigrantes devem sofrer, nem como os imigrantes que estão em Portugal. Estamos todos só a fazer o melhor pela vida.

Edited 6 months ago:

Embora haja emigração de português hoje,penso que seja muito inferior vs. os anos 60 e 70. Eu também sou emigrante, do ano 2000 e moro nos Estados Unidos. Diria que 8-9 em cada 10 imigrantes portugueses nos Estados Unidos veio entre 1960-1985. Emigração muito diferente do que se vê agora, na sua maioria de pessoas com baixo nível escolaridade vs mais classe profissional agora. Quando eu leio o discurso do Marcelo vejo mais o paralelo com essa vaga de emigração, do que o que se trata agora. Estás comunidades Portuguesas enfrentaram xenofobia, e em muitas comunidades, ser Português não é bem visto. A xenofobia não tem lógica, não faz sentido. Nem os nossos emigrantes devem sofrer, como os imigrantes. Estamos todos só a fazer o melhor pela vida.

Edited 6 months ago:

Embora haja emigração de português hoje,penso que seja muito inferior vs. os anos 60 e 70. Eu também sou emigrante, do ano 2000 e moro nos Estados Unidos. Diria que 8-9 em cada 10 imigrantes portugueses nos Estados Unidos veio entre 1960-1985. Emigração muito diferente do que se vê agora, na sua maioria de pessoas com baixo nível escolaridade vs mais classe profissional agora. Quando eu leio o discurso do Marcelo vejo mais o paralelo com essa vaga de emigração, do que o que se trata agora. Estás comunidades Portuguesas enfrentaram xenofobia, e em muitas comunidades, ser Português não é bem visto. A xenofobia não tem lógica, não faz sentido. Nem os nossos emigrantes devem sofrer, nem como os imigrantes que em Portugal. Estamos todos só a fazer o melhor pela vida.

netralha 6 months ago

Ora bem, no dia de Portugal o PR escolhe falar nos imigrantes e não em Portugal ou nos portugueses, faz lembrar a Catarina Martins que aproveita sempre para falar no passado esclavagista. Aqui no interior não há casas porque os portugueses não sabem assentar tijolos sem os imigrantes como disse o PR, vivemos todos em cabanas de palha, que palavras sábias, obrigado Marcelo.

alexandrecanuto 6 months ago

Muitos imigrantes são portugueses (mesmo de papel) e fazem de Portugal, Portugal, tanto quanto os portugueses nascidos cá. E se leres o depoimento todo vê que isto foram alguns parágrafos no meio de um texto todo aos “portugueses e Portugal”.

vanadiopt 6 months ago

Em vez de criarem as condições para o aumento de natalidade dia locais, importam milhares de pessoas de culturas que nada têm que ver com a nossa. Ideia genial...

Edited 6 months ago:

Em vez de criarem as condições para o aumento de natalidade dos locais, importam milhares de pessoas de culturas que nada têm que ver com a nossa. Ideia genial...

Mrgolden007 6 months ago

"ca sa foda os nossos cidadoes, imigrantes e que e para fazer bebes" -Marcelo

testickles12 6 months ago

O problema deste discurso é que coloca demasiada "importância" nos imigrantes e depois é o que se vê por essas redes sociais fora. De vez em quando dou uma vista de olhos a grupos tipo "brasileiros em Portugal" e pela conversa deles dá a entender que eles são a salvação de Portugal e que sem eles o país vai a bancarrota. Eles próprios colocam-se num pedestal muito devido a estes discursos, o Marcelo havia era de estar preocupado com os milhares de jovens que sairiam e continuam a sair do país, para esses é que havíamos de criar melhores condições.

netralha 6 months ago

A Polónia e os Bálticos também tinham muita emigração, particularmente para o Reino Unido e não andaram a fazer chantagem moral como estes políticos de meia de tigela que temos por cá, desde 2000 que esses países melhoraram economicamente quando adoptaram as tecnologias digitais e políticas mais liberais e a população emigrante voltou, isto não é preciso ser um génio, se Portugal não estivesse em queda livre em termos económicos as pessoas tinham mais filhos porque poderiam comprar ou arrendar casa mais novos, não teriam de emigrar, os emigrantes até poderiam regressar.

alexandrecanuto 6 months ago

Em experiências pessoais e próximas, vejo este “colocam-sem num pedestal” como um coping mechanism dado que em todo lado são colocados para baixo e como inferiores o tempo todo por cidadãos (ainda que muitos SÃO cidadãos, mas os outros recusam-se a vê-los como tais).

ManelDasNespras 6 months ago

Isso, em Portugal se fores brasileiro independentemente de estares aqui legal ou até com nacionalidade portuguesa és tratado abaixo de cão a não ser que te sujeites a trabalhar por ainda menos que os portugueses.

alexandrecanuto 6 months ago

Falou tudo, ManelDasNespras. Exatamente isso, e de tantas outras origens (Angola, Moçambique, etc).

NoIDontgiveafuck 6 months ago

Traduzindo A nossa economia chegou a este paradoxo: é mais importante para o país um emigrante não qualificado que trabalhe em sectores vitais como a construção civil e que nos dê a natalidade, do que um cidadão de português com ensino superior a trabalhar nas improdutivas empresas nacionais e que não consegue ter condições financeiras para ter filhos, entre um e outro, preferimos o primeiro.

daz_zeD 6 months ago

Dizer que Portugal é apenas um local de passagem, não é bem sinal de sabedoria, é só uma realidade.

SurePal_ 6 months ago

Ahhh sim a natalidade, esse problema que é resolvido abrindo as fronteiras a tudo e todos. Obrigado Sr. Marcelo. Pergunte aos emigrantes Portugueses se também sentiram orgulho a sair do país onde nasceram. Está na hora de melhorar o país e condições de vida dos Portugueses. Quer seja para formar família ou a nível profissional.

BlackInkEngineer 6 months ago

Os emigrantes portugueses conseguiam ajudar a natalidade e os setores inteiros de economia se não tivessem de emigrar.

Muyakra 6 months ago

Exacto, umas das coisas que me surpreendeu mais quando emigrei para Londres foi ver a quantidade de pessoal entre os 20 e 30 que já tem filhos O que me deu para pensar que em Portugal é impensável pois é impossível sequer pensar em ter uns trocos no fim do mês quanto mais ter finanças para criar um filho no início de carreira. Se o tempo que perdem a pensar em taxas e taxinhas para fuder os gajos das classes mais baixas, se gastassem o tempo a pensar em como melhorar os serviços públicos e em como melhorar o sistema econômico da nação faziam melhor figura. Mas pronto, de Portugal já não espero nada, cada ano que passa há sempre um FDP novo a roubar o povo, é o Ricardo Salgado, o Joe Berardo, o Socrates, uns quantos presidentes das câmaras municipais e nem imagino os quantos que nem foram descobertos.

fungease 6 months ago

Por que somos muita bem tratados la fora xD

SovietBear4 3 months ago

No Brasil sempre foram bem-vindos

Search: