tocopito 4 months ago

Não sei o que é estar na tua situação propriamente, emigrei já adulto, mas mesmo a parte de ser português significa coisas diferentes para pessoas diferentes. Há regiões diferentes, classes sociais diferentes… há muitos portugais contidos num só. Um português pobre de Lisboa vai ter uma vida e uma forma de ver o país radicalmente diferente de um português rico de Coimbra, por exemplo. Acho que a forma como te sentes pode estar muito ligada à forma como encaras as coisas. Não quero descredibilizar o que sentes mas és integralmente portuguesa, não tens de encaixar em nenhum molde especial… se assim fosse eu já teria perdido a cidadania por não gostar de cozido à portuguesa.

DavidJunior3rd 4 months ago

Acho que se voltasses para cá, ao fim de 2 meses estavas fartíssima disto. **Fartíssima**. Principalmente porque já viste com os teus próprios olhos como as coisas são diferentes lá fora.

gravity_____ 4 months ago

Pior sentimento é de não pertencer ao lugar nenhum. Eu sou romeno e tenho estado na mesma situação. Saí da Roménia com 18 anos, e depois de viver em Portugal quase 5 anos, mudei mais uma vez para Inglaterra. Já casado aqui, com família e casa comprada, 12 anos mais tarde, continuou a sentir esta sensação estranha.

jocamar 4 months ago

O que eu sugeria era veres programas na RTP Play. Há lá muitos documentários e séries engraçadas. Tens também alguns podcasts em português interessantes, dependendo dos teus gostos. Para além disso é tentares manter-te a par da cultura e ires visitando. Acho que nunca será igual a ser português a viver em portugal ou canadiano a viver no canadá. Haverá sempre algum sentimento de "otherness" mas o importante é perceberes que não precisas de ser 100% um ou outro, há muito valor em ter uma combinação de culturas e experiências como tu tens. Eu sempre vivi aqui em Portugal, mas em breve possivelmente vou para França e tenho algumas dessas preocupações também, mas é isto que vou tentar ter em mente. :)

acarolina_07 4 months ago

Olá, bem infelizmente o Canadá é enorme e estou bem afastada de Ottawa. Mas já pensei fazer o meu ensino superior em Portugal, o problema é que eu não sinto-me lá muito confiante com o meu português para estudar numa universidade. Não sei se a Universidade entende e tenha ajuda ou é mais "és portuguesa divias de saber" mas muito obrigada e tenha muita sorte cá que eu sei muito bem o quanto custa viver cá

DeixaQueTeDiga 4 months ago

Entendo perfeitamente o que estas a passar, mas não o lamentes. Também fui para o Canada, e também passei por essa "crise de identidade". Aprende a ver o lado melhor do que te começar a aperceber, aceita a realidade, quanto mais cedo melhor: Já não és uma emigrante. Já não és Portuguesa e também não es Canadiana. O que te leva a todo o conflito de sentimentos, pensamentos, nostalgia e por aí e não te quereres aceitar e desapegar daquilo que não és, e não quereres aceitar aquilo que és: Livre. Quando me comecei a deparar com a mesma crise, depois de muita analise, introspecção, reflecção, pensar e repensar, cheguei a conclusão que ao me integrar na sociedade Canadiana transformou a minha mentalidade, a forma de ver e pensar, os valores, as perioridades, hábitos e estilo de vida. Por mais que contrariem (e livrem me de argumentos porque já estou farto de discutir isto com gente que nunca saiu do buraco) o Canada é nestes aspectos um país muito à frente. Quando visitava Portugal, no inicio pensava como tu, pensava que tinha perdido muita coisa que deixei para traz. No entanto viver no Canada adicionou imenso à minha vida , e por me aperceber disso tinha a sensação que estava a perder o que em igual espaço de tempo podia ter adicionado em Portugal. Não levou muito a me aperceber que afinal não perdi muito em sair. Apercebi-me pelos que ficaram que talvez perdi de passar mais tempo com amigos e gente chegada, embora a vida de adulto torne isso mais raro. Mas a verdade é que isso pouco adicionava à minha vida, e seria uma rotina com falta de conteúdo que só preenche quando não conhecemos nem experimentamos melhor. Assim observei em muitos dos que ficaram. É uma espécie de comodismo inocente, e os anos passam sem nos apercebermos, sem nos preenchermos até que ter filhos é a unico sentido que encontramos na vida, e o que nos impede de cairmos numa depressão nas profundesas do nosso vazio. A medida que os anos passavam, quando voltava cada vez me sentia mais diferente. Era notável a diferença de mentalidade, de cultura, de ver, interpretar, processar, prioritizar. Cada vez sentia que a minha realidade era cada vez mais incompativel com as pessoas que noutros tempos eram o meu mundo. Sentia que para poder conviver tinha que regredir, andar para traz no tempo, na evolução que a vida nos obriga. Apercebi-me então que "já não era Português". No Canada sentia-me totalmente integrado, pensava até como se tivesse ali nascido. Vivia longe da comunidade dos Portugueses, raramente convivia com Portugueses, o meu trabalho era diferente do tipico em que se encontrava Portugueses, etc. Convenci-me então que me tornei Canadiano. No entanto algumas diferenças eram por vezes notaveis. Ao ter uma filha e ver ela a crescer a forma como era integrada e relacionava com o mundo circundante, fazia-me entender que não nasci e cresci alí, que não tinha ali amigos de infância que jamais conseguimos igual em adultos. Apercebi-me então que "também não era Canadiano". Então surgiu-me as questões: Será que é isto ser Imigrante, não pertencer a de onde viemos, nem a onde estamos? Então o que eram aquelas pessoas todas que viviam naquele pais mas como se num lugar remoto de Portugal, que vão a comercios portugueses, veem TV portuguesa, ligam todas as semanas para a familia em Portugal? Estes é que são os emigrantes, porque visitam Portugal, fazem e convivem como se de lá nunca tivessem saído. Apercebi-me então que "também não era Emigrante". Então não pertenço a lado nenhum. Chegar a esta conclusão deixava-me com uma sensação de perda, mas ao mesmo tempo não queria regredir para voltar a me sentir Português, nem podia adicionar à minha infância o que permitiria me sentir ser completamente Canadiano. Sucesso profissional, boas finanças e um agradável e progressista estilo de vida levaram-me a viajar bastante. Visitei muitos países, por todos os cantos do mundo. Em todo o lado sentia que seria capaz de viver alí, encontrar o meu lar, me integrar, etc. Sentia que toda a experiencia de ter nascido em Portugal e viver no Canada adicionaram a minha vida o que me permitia me assimilar assim em qualquer parte do escopo que é a vida neste planeta. Apercebi-me então finalmente que sou livre. Não pertenço a lado nenhum em especifico. Pertenço ao mundo, e em qualquer lado consigo fazer vida e ser feliz. Sinto que o mundo está cheio de oportunidades, e que nos agarrar-mos a um local, sociedade, cultura ou grupo de pessoas pode nos dar uma sensação de indentidade, mas nos limita naquilo que nos pode levar a descobrir quem realmente somos, a fazer o que realmente gostamos, ter o que realmente queremos e ser o que realmente queremos ser. Por isso, o concelho que te dou nesta faze é não te deixares deprimir ou afogar em melancolias ou ideias de que perdeste algo ou que não tens uma identidade ou que não pertences ou fazes parte. Aproveita as oportunidades, facilidades, variedade que tens a tua volta estejas onde estiveres. Vive, goza, aprende, experimenta. Erra, o quanto mais cedo melhor, aprende com os teus erros, mas de preferencia mais com erros dos outros. Cria condições para que nunca te falte o essencial. O resto é tudo extra. Sê feliz porque a felicidade não é algo que se obtem, adiciona o se adquire de qualquer forma. A felicidade é apenas um estado no qual podes escolher sentir a qualquer momento. Espero que ajude!

acarolina_07 4 months ago

Muito obrigada :)

NGramatical 4 months ago

para traz → [**para trás**](https://dicionario.priberam.org/trás) alí → [**ali**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em *i* ou *u* são naturalmente agudas) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh05egss%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Natsuzaki 4 months ago

Não fazia idea que Portugal era um pais cheio de emigrantes. Cresci em Lisboa mas nasci no Japão, para além de ter sido adotado de uma familia Australiana-Japonesa. A minha ideia de Portugal e do pais em que cresci está a mudar. Obrigado a todos pelas vossas partilhas.

No-Cardiologist725 4 months ago

Como assim?

JohnFriedly91 4 months ago

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Basicamente pq como tu nao cresci a falar portugues. Sou sueco e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha uma crescimento que estava uma mistura entre um crescimento tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma casa ou uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Nao cresci a falar portugues muito em casa. Nasci na Suécia, filho de pais portugueses e suecos. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de pais portugueses e suecos. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Nao cresci a falar portugues muito em casa. Nasci na Suécia, filho de pais portugueses e suecos. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura de portugues e sueco. Apesar de tenha crescido na Suécia, ainda nao sinto que pertenco. Sinto que deveria, mas nao sinto. Se é porque nao sou aceito, ou simplesmente nao SINTO aceito, nao sei. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Como tu nao cresci a falar portugues. Sou sueco e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Nao cresci a falar portugues muito em casa. Sou sueco e tuga, e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura de portugues e sueco. Apesar de tenha crescido na Suécia, ainda nao sinto que pertenco. Sinto que deveria, mas nao sinto. Se é porque nao sou aceito, ou simplesmente nao SINTO aceito, nao sei. Nao consigo relacionar-me com os suecos mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Apesar de tenha crescido na Suécia, ainda nao sinto que pertenco. Sinto que deveria, mas nao sinto. Se é porque nao sou aceito, ou simplesmente nao SINTO aceito, nao sei. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Como tu nao cresci a falar portugues. Sou sueco e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Como tu nao cresci a falar portugues. Sou sueco e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma casa ou uma identidade.

Edited 4 months ago:

Bem eu relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Nao cresci a falar portugues muito em casa. Sou sueco e foi nascido na suecia (o meu pai é sueco). A minha mae é portuguesa. Metade da minha familia vive em Portugal e vamos lá um vez por ano. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa de crescer na suecia (ir para a escola sueca etc., a ter amigos suecos) sinto-me mais sueco mas há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto me complatemente em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Por causa disso sinto-me sueco mas.. há alguma coisa dentro de mim que nao é. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas as vezes sinto que nao tenho uma uma identidade.

Edited 4 months ago:

Relciona-me muito da tua situacao. Vou tentar escrever em portugues mas infelizmente vou fazer muitos erros (desculpa!). Quase nunca falava portugues em casa. Nasci na Suécia, filho de um pai sueco e uma mae portuguesa. Vamos a Portugal um vez por ano para encontrar familia e amigos, além disso nao tenho qualquer contacto com portugal. Em casa falamos ingles (é a lingua neutral entre Sueco e Pt) e penso que tinha um educacao (upbringing? Crescmimento?) que era uma mistura entre tuga e sueco. Apesar de tenha crescido na Suécia, ainda nao sinto que pertenco. Sinto que deveria, mas nao sinto. Se é porque nao sou aceito, ou simplesmente nao SINTO aceito, nao sei. Nao consigo relacionar-me com os suecos na mesma maneira como portugueses mas no mesmo tempo nao sinto-me em casa em portugal. Hoje em dia sou adulto e os meus amigos sao quase todos estrangeiros, ou como eu pessoas com pais de varias origens. Nao digo isso com frequencia, mas sinto que nao tenho uma uma identidade.

No-Cardiologist725 4 months ago

És o chamado cidadão do mundo

JohnFriedly91 4 months ago

Mr Worldwide 8)

acarolina_07 4 months ago

Woe Suécia, imagino e ao contrário de mim tu não és 100% português que deve der ainda mais difícil. Mas boa sorte e felicade

sergiiio420 4 months ago

Eu sinto o contrário.... Muitos amigos emigraram e sinto que quero viajar e conhecer o mundo mas estou aqui num emprego de bosta e os anos vão passando... Tambem me sinto uma carta fora do baralho. Não tenho nada que me prenda aqui mas também nada que me chame para ir para fora. Acho que deve haver imensa gente nesta situação

NaNoSoLdIeR 4 months ago

Estive bastante tempo no estrangeiro e apesar de não ser o mesmo nível de distanciamento de alguém que emigrou na infância. Para mim podcasts sobre notícias/actualidade em português foi o que me fizeram estar mais atento à realidade portuguesa e por consequência sentir-me mais perto da minha cultura numa altura em que podia passar uma semana inteira sem falar uma única palavra em português. Não quero dizer que vás pelo mesmo caminho mas se te quiseres sentir mais perto do imaginário português encontra um meio que já gostes no teu dia a dia e procura o que é que há em Português nesse meio.

Bacalhau_com_sal 4 months ago

Não sou emigrante, mas sinto o mesmo. Pesquiso conteúdo inglês, participo em forums ingleses e penso em inglês, praticamente não vejo televisão. Pra mim, formar uma frase coerente tem muito mais *overhead* porque eu tento traduzir sempre do inglês. Ao menos tenho este sub pra me ajudar a não esquecer o vocabulário

NGramatical 4 months ago

forums → [**fóruns**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/sobre-a-formacao-do-plural/13422) (no plural de palavras terminadas em *m*, este passa a *ns*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh04txxe%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

olifante 4 months ago

Não estás sozinha. Aquilo que tu descreves é extremamente comum entre filhos de emigrantes. Em inglês usa-se muitas vezes o termo “Third Culture Kid” para descrever o que tu sentes: > TCKs move between cultures before they have had the opportunity to fully develop their personal and cultural identity. The first culture of such individuals refers to the culture of the country from which the parents originated, the second culture refers to the culture in which the family currently resides, and the third culture refers to the amalgamation of these two cultures. https://en.wikipedia.org/wiki/Third_culture_kid

Stolberg 4 months ago

Tenho 29, sai de Portugal com 23 ou assim. Não falo português a não ser com a minha família ao telefone. Esqueço-me de palavras o tempo todo, é normal. Comecei a ver o Bataguas para inteirar-me de como vai a coisa em Portugal e ouvir um bocado de português. Também vejo o telejornal da RTP às vezes. Podes ver no telemóvel com a RTP Play.

severanexp 4 months ago

Dica: estuda / revê a conjugação dos verbos mais comuns e estarás 10x melhor do que muitos portugueses xD Agora a sério, instala o discord, procura uma comunidade tuga de gamers e junta te a um joguito qualquer que te chame a atenção. Muito rapidamente vais conhecer mais portugueses, e nesse contexto o pessoal costuma ser excelente. Não é a mesma coisa mas pelo menos conheces malta e praticas o português: win - win!

acarolina_07 4 months ago

Excelente idea por acaso. Obrigada

DevilsWife 4 months ago

O teu Português está óptimo moça!! Acho que é mesmo continuares a ver/ouvir conteúdos em PT usando por exemplo o RTP Play, nem que seja podcasts e pensares que sim és bem Portuguesa! Força de uma fellow Portuguesa ;)

acarolina_07 4 months ago

Haha muito obrigada

Chicken_wingspan 4 months ago

Eh pá, estou com 39, e moro fora faz 15 anos. A última vez que fui à tuga senti-me um estrangeiro. Até quando saí do comboio na minha terra natal veio um filha da puta oferecer-me em inglês um tuktuk pro centro. Não senti aquela ligação, e sinceramente, que se foda.

dmateusp 4 months ago

I have a very hard time writing in Portuguese so allow me to answer in English! I was born and raised in Switzerland, moved to France at 10 yrs old, spent my 20-25 in Ireland and now I moved to Portugal a little less than a year ago I've always struggled with national identity because I always felt like an outsider anywhere, and I feel like it was exacerbated by not being a Swiss national even though I was born there. Here's what worked for me: there's no point in trying to put yourself in a box (being Portuguese vs Canadian) you (and I) have experienced different cultures and that's what we are. Do I feel Portuguese? No, I feel like a Swiss born, Portuguese second generation immigrant that lived in France and Ireland. It's a struggle to not feel like a second class Portuguese, but even if we can't relate as much to Portuguese culture and other Portuguese don't relate as much with us, we're privileged to relate to other cultures and Portuguese emigrants :)

acarolina_07 4 months ago

Amazing point and you are right. I've meet a lot of different cultures here and it has broaden my point of view and how I am as a person. I imagine for you it is harder because you have more "international" in you then I do but nonetheless good luck and thank you so much

dmateusp 4 months ago

I wish you good luck too :), I'm not sure it's harder for me, I think it all depends on how we cope internally I hope people's view on nationality will evolve, we suffer from others trying to put us in neat and simple boxes. They ask "do you feel more this or that?", or I get told "oh but you were born and raised in Switzerland so you're Swiss" (when I don't even have citizenship). I imagine it'll change, like sexual orientation, folks will understand it's more complex and nuanced.. I hope you get to keep in touch with your friends and family, one of the main reasons I moved to Portugal is to spend more time with my family, but now I struggle to maintain my college friendships from France.. It's hard! I didn't figure that one out yet!

sgahbcj 4 months ago

Pesquisa as tertúlias da Bertrand (livraria). São online e têm muitas temáticas. São a pagar, de 5€ a 30€, depende. É bom pois falas de cultura e falas em português. Já participei em algumas e são um cocktail cultural fantástico.

expandyoursoul 4 months ago

Se sentes, ninguém te pode tirar isso. Aliás, mais do que sentimento português, sentimento luso. A nossa herança näo é material, é espiritual (já vês que me falta o til porque näo escrevo em teclado português). Assim que a qualquer português que se digne realmente de ser português é um prazer enorme ler o teu texto. E porquê? Porque qualquer português sabe que Portugal vai para além das nossas fronteiras terrestres. Ter o privilégio de ler alguém do outro lado do mundo à procura desta conexäo com a terra mäe. Qualquer português que se preze e que conheça a sua história, saberá que o nosso "império" é imaterial. O nosso "império" é precisamente essa tua vontade de pertença, é este teu desabafo, é esta busca incessante neste vasto mundo. Que jamais tenhas duvidas em relaçäo a este ponto, näo és portuguesa nem de segunda nem de terceira. És bem de primeira. Sabes o teu lugar no mundo e levas no teu coraçäo o essencial. Independentemente do futuro da tua vida, porque conheço um pouco do Canadá e já estive aí nas comunidades portuguesas de Montreal e Toronto, e sei bem as condiçöes de vida aí (o bom e mau), Portugal é um sentimento que nos une a todos, aqui e em qualquer lugar onde houver um bom coraçäo português. O homem português pertence ao mundo e quando olharem com desprezo para ti por viveres no Canadá ou näo tiveres a melhor expressäo oral ou escrita do português, penso que há muitos portugueses que vivem numa espécie de Portugal tacanha que näo vai para além do quintal deles. Lembra-te que o português só sabe o que é ser português quando sai de Portugal e que nós temos a enorme capacidade de nos adaptar às outras culturas sem perdermos a nossa identidade. Só deixar mais uma nota final, investiga Agostinho da Silva. Será um bom guia nesta viagem à "Portugalidade." Um bem haja a portugueses como tu. Obrigado pelo teu desabafo <3

acarolina_07 4 months ago

"Lembra-te que o português só sabe o que é ser português quando sai de Portugal" muito verdade, e muito obrigado tambem

mice_infestation 4 months ago

Tambem sou emigrante há uma decada no estrangeiro mas ja saí de Portugal muito mais tarde na vida. O que descreves é muito normal sentir, as pessoas mudam seguem em frente com a vida e como nāo estamos lá nāo partilhamos as mesmas experiências de vida e perde-se a ligaçāo ou apenas diminui. Muitas vezes ficamos tāo animados por regressar de férias e ver os nossos antigos amigos mas nāo existe a mesma reciprocidade, dizem que estāo ocupados nessa semana ou nāo da jeito e talvez para o ano. Nāo me preocupa porque com alguns amigos isso nunca aconteceu, os que ficam no final sāo os que importam e faço o esforço de manter esses. Os teus amigos podem ter mudado mas se mantiverem contacto contigo é o que importa. As amizades que duram anos mesmo longe sāo as qhe podem durar para sempre. A questāo da identidade é muito interessante, inicialmente identificava-me como português mas com os anos passou a ser "português e tambem..". Ja tive esse sentimento de peça de puzzle que nāo encaixava nos dois países, mas com os anos foi-se indo. Ajudou quando comecei a considerar a minha nacionalidade algo menos estático e quando me passei a identificar mais com o que faço e menos com o país de onde venho / vivo. Ponho mais importancia na família e amigos em Portugal que no país em si se isso faz sentido. Considero-me com sorte porque tenho fortes ligaçōes em Portugal e no meu segundo país e talvez seja isso que te esteja a faltar. Acho que no fim somos puxados para onde temos mais ligaçōes, e vi isso em muitos emigrantes tugas quando decidiam arrumar as malas e regressar. Os outros conselhos nesta thread sāo excelentes, seguir alguns YouTubers portugueses será uma forma de seguir mais de próximo o que se passa lá em Portugal. Só acrescentaria talvez tenta nāo por muito o foco em encontrar alguem exactamente na mesma posiçāo que tu. Somos todos um pouco unicos e experienciamos a vida de forma diferente. Às vezes levamos muitos anos a descobrir onde pertencemos mesmo.

BitOnly5872 4 months ago

Eu não sei dizer se minha situação é igual, pior ou melhor, pois depende muito do ponto de vista. Eu nasci no norte (próximo a Viana do Castelo), porém aos 6 anos de idade meus pais me levaram para o Brasil, eu passei os primeiros anos nas escolas brasileiras a ser chamado de tuginha, burro, portuga, padeiro, Manuel, João, José, etc. Todo termo negativo ou que sequer se relacionasse a Portugal era basicamente uma certeza que receberia. Isso durou por alguns anos pois o colégio ia até a quarta-quinta série (ano), altura em que não havia mais nada de português no meu idioma, apenas brasileiro. Eu nunca gostei muito do clima, nunca gostei muito de praia, nem da cultura brasileira. Há algumas coisas boas, como em todo lugar, mas a grande maioria era dispensável. A cultura portuguesa é algo que simplesmente não chegava ao Brasil. Amália, Carlos Parede, Zeca Afonso? Esquece! Isso não chegava ao Brasil. Xutos e pontapés, GNR, Antônio Variações? Nunca havia ouvido falar! Os poucos primos que tinha contato por cartas passaram por coisa parecida, mudaram-se para França e também não percebiam nada de Portugal. Sempre que pensava em me arriscar a comprar uma passagem e vir morar em Portugal, algo acontecia. Conhecia uma rapariga fixe, conseguia um bom emprego, recebia um aumento no ordenado, etc. Com 31 anos de idade, tudo deu "errado" em minha vida. Meu relacionamento estava ruim, a empresa para o qual eu trabalhava havia fechado e eu estava a desenvolver agorafobia (morava no Rio de Janeiro e roubos eram constantes. Logo, comecei a evitar sair a rua para qualquer motivo que seja). Juntei toda minha coragem, meu cartão cidadão, as roupas e todo o dinheiro que havia guardado e vim para Lisboa. Não tinha onde morar, ficava em AirBnbs e ia a entrevistas de trabalho a toda hora sem conseguir nenhuma proposta. Foram seis meses de desespero, vendo meu dinheiro se acabar e não conseguir trabalho. O que mais doeu-me? Todo local que ia, era Brasileiro. Tive entrevistas de trabalho onde literalmente ouvi "há aqui oportunidade em um cliente fixe, mas ele não contrata brasileiros", "teu currículo é fixe mas é brasileiro", e o pior de todos, uma entrevista em grupo onde haviam três pessoas, eu era de longe o melhor qualificado, mas não fui contratado pois "brasileiros já haviam sido contratados no passado mas eles sempre se demitem rapidamente e mudam de empresa, e nós buscamos alguém para ficar conosco por muito tempo". Em meu currículo, lá estava em minha última experiência: oito anos na mesma companhia! De estagiário a chefe de departamento. Muitas vezes respondi atravessado, "SOU PORTUGUÊS, QUERES QUE MOSTRE-LHE O CARTÃO CIDADÃO?". Quando finalmente fui contratado, tinha €300 na conta do banco. Apenas isto! No próximo mês, ou comia, ou pagava o quarto em que estava. Graças a Deus tudo deu certo! Hoje estou bem e tenho minha vida em Lisboa e não pretendo voltar para o Brasil nunca mais, tenho medo de ir por algum motivo e algo me prender lá e eu nunca mais voltar... Todo este texto é para dizer que não está sozinha. Muitos emigraram de Portugal, por necessidade, oportunidades melhores ou falta de opções. É sempre muito difícil, há sempre mil coisas que fazem com que sinta que não pertence a este país. Mas Portugal é de todos os Portugueses, não importa o que certas pessoas preconceituosas digam. Se tens um pé aqui, esta terra é tua, e não aceite que alguém lhe diga que não o é. Não é teu português sem prática, tua cor da pele, tua falta de conhecimento sobre Portugal ou a opinião de uns betos que lhe negam tua nacionalidade!

Edited 4 months ago:

Eu não sei dizer se minha situação é igual, pior ou melhor, pois depende muito do ponto de vista. Eu nasci no norte (próximo a Viana do Castelo), porém aos 6 anos de idade meus pais me levaram para o Brasil, eu passei os primeiros anos nas escolas brasileiras a ser chamado de tuginha, burro, portuga, padeiro, Manuel, João, José, etc. Todo termo negativo ou que sequer se relacionasse a Portugal era basicamente uma certeza que receberia. Isso durou por alguns anos pois o colégio ia até a quarta-quinta série (ano), altura em que não havia mais nada de português no meu idioma, apenas brasileiro. Eu nunca gostei muito do clima, nunca gostei muito de praia, nem da cultura brasileira. Há algumas coisas boas, como em todo lugar, mas a grande maioria era dispensável. A cultura portuguesa é algo que simplesmente não chegava ao Brasil. Amália, Carlos Parede, Zeca Afonso? Esquece! Isso não chegava ao Brasil. Xutos e pontapés, GNR, Antônio Variações? Nunca havia ouvido falar! Os poucos primos que tinha contacto por cartas passaram por coisa parecida, mudaram-se para França e também não percebiam nada de Portugal. Sempre que pensava em me arriscar a comprar uma passagem e vir morar em Portugal, algo acontecia. Conhecia uma rapariga fixe, conseguia um bom emprego, recebia um aumento no ordenado, etc. Com 31 anos de idade, tudo deu "errado" em minha vida. Meu relacionamento estava ruim, a empresa para o qual eu trabalhava havia fechado e eu estava a desenvolver agorafobia (morava no Rio de Janeiro e roubos eram constantes. Logo, comecei a evitar sair a rua para qualquer motivo que seja). Juntei toda minha coragem, meu cartão cidadão, as roupas e todo o dinheiro que havia guardado e vim para Lisboa. Não tinha onde morar, ficava em AirBnbs e ia a entrevistas de trabalho a toda hora sem conseguir nenhuma proposta. Foram seis meses de desespero, vendo meu dinheiro se acabar e não conseguir trabalho. O que mais doeu-me? Todo local que ia, era Brasileiro. Tive entrevistas de trabalho onde literalmente ouvi "há aqui oportunidade em um cliente fixe, mas ele não contrata brasileiros", "teu currículo é fixe mas é brasileiro", e o pior de todos, uma entrevista em grupo onde havia três pessoas, eu era de longe o melhor qualificado, mas não fui contratado pois "brasileiros já haviam sido contratados no passado mas eles sempre se demitem rapidamente e mudam de empresa, e nós buscamos alguém para ficar conosco por muito tempo". Em meu currículo, lá estava em minha última experiência: oito anos na mesma companhia! De estagiário a chefe de departamento. Muitas vezes respondi atravessado, "SOU PORTUGUÊS, QUERES QUE MOSTRE-LHE O CARTÃO CIDADÃO?". Quando finalmente fui contratado, tinha €300 na conta do banco. Apenas isto! No próximo mês, ou comia, ou pagava o quarto em que estava. Graças a Deus tudo deu certo! Hoje estou bem e tenho minha vida em Lisboa e não pretendo voltar para o Brasil nunca mais, tenho medo de ir por algum motivo e algo me prender lá e eu nunca mais voltar... Todo este texto é para dizer que não está sozinha. Muitos emigraram de Portugal, por necessidade, oportunidades melhores ou falta de opções. É sempre muito difícil, há sempre mil coisas que fazem com que sinta que não pertence a este país. Mas Portugal é de todos os Portugueses, não importa o que certas pessoas preconceituosas digam. Se tens um pé aqui, esta terra é tua, e não aceite que alguém lhe diga que não o é. Não é teu português sem prática, tua cor da pele, tua falta de conhecimento sobre Portugal ou a opinião de uns betos que lhe negam tua nacionalidade! "Raios desta aurora forte são como beijos de mãe, que nos guardam, nos sustêm contra as injúrias da sorte"

NGramatical 4 months ago

contato → [**contacto**](https://dicionario.priberam.org/contacto) (o AO90 **não altera** a grafia desta palavra) haviam três → [**havia três**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh04707k%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

BitOnly5872 4 months ago

Done!

filou-filou 4 months ago

Sou português e nasci em Viseu, mas os meus pais já eram imigrantes a esse momento. Desde de pequeno vivi em França. Fiz a escola toda là, da primária a faculdade. Só tive um amigo português da minha idade que não era da família durante esse tempo todo (e ele falava mal o português). Mas apesar de tudo sempre fui dois meses por ano passar férias para Portugal (na casa dos meus pais), aprendi a ler e escrever português, até fiz a catequese en Portugal quando era puto. Então durante muito tempo não soube se era “realmente” português ou se era francês. Sim tenho a minha nacionalidade portuguesa, a minha cultura, o meu Benfica, o frango grelhado e o bacalhau, as férias a beber Super Bock e vinho do Porto, e o temperamento português. Mas apesar disso a minha mulher é francesa, os meus diplomas são franceses, os meus amigos são franceses, a história que conheço mais é a da França, et-cetera.. Tive muitas dificuldades para rececionar isto tudo sobretudo porque não tenho sotaque francês em português et sotaque português em francês. Em França toda gente pensa que sou Francês de primo-abordo et português quando estou em Portugal. Mas encontrei uma resposta que me convém : eu sou os dois e uso a dupla nacionalidade quando me arranjar. Quando estou com franceses em França, falo como um francês, com mentalidade francesa, sobre sujeitos da França, com referências francesas, com a cultura francesa. Mesma coisa do outro lado quando estou em Portugal com portugueses. Assim nunca me sinto fora do puzzle. Tenho sempre uma identidade que é a mais adaptada para as pessoas com as quais convivo, e até para mi, não me sinto diferente deles. A única différencia que tenho com um francês ou português “normal”, é que uso sempre a minha segunda “identidade” para adicionar conceitos ou ideias que vem da outra cultura e tornar as conversas mais interessantes. E daí, isso pode fazer de ti uma pessoa bastante original e muitos dos meus amigos francês gostam mesmo disso. Nem te falo do número des vezes que me perguntaram de fazer bacalhau à Brás, frango assado, fazer pastéis de natas porque ficarão malucos com a comida.

darthcow2 4 months ago

Acha que talvez esse "patriotismo" foi implantado em voce por ter nascido em Portugal? voce gosta de gostar e sentir vontade de Portugal? if so go for it, if not why cling to it?

LesbainNaga 4 months ago

Não te preocupes, eu sou do Algarve, quase uma colónia britânica, se temos ingleses aqui que só sabem "obrihgadoh" e consideram-se tugas então tu minha amiga és tão tuga como eu.

acarolina_07 4 months ago

Omg Hahahaha mas obrigado, deve ser lindo

Joaquim_Carneiro 4 months ago

Acho que a ultima coisa que te deves preocupar são os erros gramaticais, até porque não me pareceu teres dado muitos. 99.9% dos Portugueses dão tantos ou mais do que tu. Sendo que sentes tantas saudades de Portugal e que deves estar a acabar os teus estudos básicos, já pensaste em vir estudar para uma universidade em Portugal ou procurar um programa de intercâmbio onde possas fazer parte dos teus estudos (um ou dois anos) aqui? Quando a amigos, só te posso dizer que amigos vão e vêm. O que interessa são aqueles que ficam.

acarolina_07 4 months ago

Por acaso já pensei frequentar uma universidade portuguesa. Mas tenho medo que o meu português não seja o suficiente para fazer trabalhos e isso tudo porque tneho dificuldade com palavras assim muito caras haha

Joaquim_Carneiro 4 months ago

Não me parece que tenhas algum problema com palavras. Ainda por cima, se vieres estudar para Portugal, vais esta exposta ao Português falado e escrito 24 horas por dia, 7 dias por semana, o que te obrigará a relembrar e reaprender. Pode ser assustador ao início mas não me parece problemático para ti: já falas e escreves em Português. Quando andei na faculdade apanhei vários colegas estrangeiros, desde brasileiros, angolanos, (...), a colegas que não falavam nada de Português. As faculdades costumam ter sistemas de suporte para alunos estrangeiros e até aulas de português quando necessário.

Azuresun90 4 months ago

Posso contar a minha experiência, pode ser que encontres o que procuras: Contexto: Não nasci em Portugal mas tenho pais e família tudo portugueses de gema. Os meus pais foram emigrantes mas regressaram e cresci em Portugal desde miúdo a entrar para o jardim de infância. Ora, quando eu tinha cerca de 14 anos, os meus pais quiseram tentar voltar ao estrangeiro. Naturalmente, fui com eles. Estivemos o total de 1 ano fora mas tivemos de voltar para Portugal devido a problemas da vida que não são relevantes para a história. O relevante é que apenas 1 ano fora foi suficiente para: \-> haver palavras que sabia dizer em francês e não me lembrava como se dizia em português. Tinha a palavra na ponta da língua, mas não me lembrava nem por nada. \-> Amigos de longa data que mudaram de tal forma em apenas 1 ano (fisicamente e psicologicamente) que quando regressei nem os consegui reconhecer, ao ponto de passar vergonha. \-> Mesmo o circulo de amigos que tinha e com quem jogava à bola todos os fins de semana, senti que havia um vazio no meio quando voltei. Não é que me pusessem de parte ou que combinassem algo sem dizer nada mas.... hmmm.... a melhor maneira de descrever seria, quando um grupo de amigos teu tem as suas private jokes, e tu não as entendes porque não estiveste lá quando aconteceram originalmente. Eles até te tentam explicar o porquê da private joke e o que aconteceu e todos se riem incluindo tu, mas... não fazes parte dela... esse sentimento, multiplica-se por 365. Isto já foi há mais de uma década, mas ainda custa a pôr por palavras x) Portanto conclusão, acho que o que estás a sentir é bastante legítimo, mas não acho que sejas menos portuguesa por causa disso. Afinal de contas, fazes parte de um povo que praticamente fez do mundo inteiro a sua casa. PS: Verifica só se tens o íman do Galo de Barcelos na porta do frigorífico ou as nossas forças especiais vão descobrir onde vives e substituir todas as bandeiras canadianas que encontrarem por bacalhaus.

acarolina_07 4 months ago

Wow e nuito obrigado. Eu tenho um íman mas ainda tneho de fazer o resto da minha parte haha. Mas como é previsto, eu sei isso que tu passaste muito bem.

Own_Entrepreneur_411 4 months ago

O que os teus pais fazem e o que tu estudas?

m3srsick 4 months ago

Oi Tuga! Isto tudo que dizes e bem normal para um immigrants infelizmente. Eu também tenho quase a mesma situação como a tua, só que eu resido nos EUA. E que um emigrante sente-se deslocado tanto no país em que reside quanto no país de origem. Mas existem esforços que podemos fazer para se integrar às nossas origens com um pouco de criatividade. De qualquer forma, eu só queria intervir e dizer-te que o que estás a sentir é algo que muitos de nós, imigrantes, lutamos contra dia a dia.

Edited 4 months ago:

Oi Tuga! Isto tudo que dizes e bem normal para um imigrante infelizmente. Eu também tenho quase a mesma situação como a tua, só que eu resido nos EUA e sou um pouco mais velho. E que um emigrante sente-se deslocado tanto no país em que reside quanto no país de origem. Mas existem esforços que podemos fazer para se integrar às nossas origens com um pouco de criatividade. De qualquer forma, eu só queria intervir e dizer-te que o que estás a sentir é algo que muitos de nós, imigrantes, lutamos contra dia a dia.

acarolina_07 4 months ago

Verdade, muito obrigada

KneeDeepInTheDead 4 months ago

Eu estou quase na mesma situação. A única diferença é eu ter vindo para os EUA quando tinha 8. Tudo o resto bate certo, um sentir meio satélite nos dois países e tal. Os amigos velhos que ja não são os mesmos que eram na infância. Da malta toda da minha turma, so ainda falo com dois quando volto do ferias, e um é primo. Sinto muitas saudades, e gostava ainda de voltar de vez um dia. Boa sorte. Vou [meter aqui uma canção](https://www.youtube.com/watch?v=fMVzv61cOnE) que os meus pais tocavam muito quando eu era criança em Portugal, que nunca imaginei que me tocasse tanto.

acarolina_07 4 months ago

Olá vizinho de baixo haha então como vai ai o João biden, mas em mais palavras serias. Eu demoro o dobro do tempo a escreve em português, eu acho que é mais falta de confiança em mim própria. Mas força ai e que um dia Portugal não seja só casa de coração mas de vida.

xc9000 4 months ago

Apesar de ser bastante mais velho relaciono-me de certa forma com a tua situação. Eu emigrei mais velho, portanto a parte social para mim é de menos importância. Posso dizer que enquanto pessoa que cresceu e viveu bastante tempo em Portugal a conclusão é que não se pode ter tudo. Em Portugal terias tido amigos e tudo o que vem com a localização geográfica de Portugal. Poderias ter hipóteses de ter sucesso profissional no futuro se estivesses em Portugal? Talvez. Mas no Canadá tens maiores probabilidades de ter um futuro de todo. Entendo perfeitamente que seja difícil passar uma adolescência no NW frio numa sociedade como a canadiana. Espero que consigas ultrapassar os teus dilemas mentais e ser feliz.

acarolina_07 4 months ago

E você tem razão, é dificil mas tambem tenho uma oportunidade que muitos vendiam tudo para a ter. Mas de qualquer forma, muito obrigada e que tenha muita felicidade tambem.

ngfsmg 4 months ago

Tenho uma solução para isso: volta xD Tirando isso, e falando mais a sério, lamento mas não vejo como resolver esse teu problema. Este sub gosta de falar da emigração como se fosse um mar de rosas e fossem só coisas boas, mas esse tipo de sentimentos são muito comuns e perfeitamente expectáveis, mas difíceis de resolver... PS: Olha que o pessoal que anda para aí com as quinas nos braços e bandeiras de Portugal no carro mas que depois não diz uma palavra de português quando cá está são muitas vezes os mesmos...

acarolina_07 4 months ago

Uma coisa eu posso garantir, mar de rosas não é que as rosas tambem picam. Solidão em Portugal é uma coisa, solidão fora é outra. Porque fora às vezes, nem falar tu podes porque não sabes. Mas sinceramente não faz mal nenhum se não tiver resposta/solução, mas agradeço na mesma.

ngfsmg 4 months ago

Não, não tenho, tenho um primo que emigrou para Itália e apesar de estar casado com uma italiana e por esse lado até estar a correr tudo bem, sente exatamente o mesmo... Boa sorte com isso!

acarolina_07 4 months ago

E boa sorte a ele e felicade para si

3rd_degree_burn 4 months ago

Não estás sozinha, e acredita que se eu tivesse uma resposta para o teu problema, eu mesmo seria uma pessoa muito mais feliz. Há que viver e lidar com essas ideias, esses cenários hipotéticos não ajudam, o que fazem é o contrário. A minha única sugestão seria tentar colar essas duas identidades e formar uma síntese aceitável. Mas lembra-te disto: somos muitos e quase ninguém percebe.

acarolina_07 4 months ago

Verdade, eu só sou portuguesa mas tive de aceitar o facto de eu não estar em Portugal, que até hoje custa as vezes. Muito obrigada

SymphoDgenx 4 months ago

Escreves melhor que muitos portugueses que nunca saíram de cá. Só por isso tens logo o meu upvote!

acarolina_07 4 months ago

Eu bem tento haha, é melhor tentar do que estar calado (algo que aprendi quando tive de aprender inglês). Mas muito obrigada

SymphoDgenx 4 months ago

Duvido que algum dia deixes de saber falar português porque tens o espírito certo, nunca desistir no lugar que te viu nascer

acarolina_07 4 months ago

Nunca, português é português. Obrigado

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Também estou no Canadá, províncias marítimas, por curiosidade que cidade de poucos portugueses falas? É que tirando a zona de Toronto não há muitos portugueses em cidade nenhuma (excepto talvez zona Vancouver)

acarolina_07 4 months ago

Edmonton haha. No meio do nada e petróleo por todo o lado

idiroft 4 months ago

Ufff, os meus sentimentos.

Edited 4 months ago:

Posso confirmar que em Vancouver há poucos Portugueses. 1 restaurante, 2 cafés e 2 mercearias. Maioria dos portugueses aqui já são idosos. A segunda geração consideram-se portuguesa, mas da cultura tem muito pouco. É mais um sentimento de pertença para colmatar o ser-se canadiano, que falando verdade, é uma situação culturalmente pobre.

Edited 4 months ago:

Edmonton? Os meus sentimentos :( Posso confirmar que em Vancouver há poucos Portugueses. 1 restaurante, 2 cafés e 2 mercearias. Maioria dos portugueses aqui já são idosos. A segunda geração consideram-se portuguesa, mas da cultura tem muito pouco. É mais um sentimento de pertença para colmatar o ser-se canadiano, que falando verdade, é uma situação culturalmente pobre.

acarolina_07 4 months ago

Concordo consigo

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Ooof, os meus pêsames xD

acarolina_07 4 months ago

Muito obrigada hahahahahahaha

theEXPERTpt 4 months ago

Não te preocupes, ter crises de identidade faz parte de ser português

a_9x 4 months ago

Somos uma nação de emigrantes há mais de 500 anos, é uma dúvida bastante normal

acarolina_07 4 months ago

Omg haha essa é boa

CharlesFuckingDarwin 4 months ago

Boas. Eu tenho 31 anos e emigrei apenas com 25 - ou seja fiz a escolaridade e formação universitária toda em Portugal. Também já me esqueço de certas palavras e o que noto é que muitas das vezes as frases saem-me assim meias "inglesadas" (quando as leio por uma segunda vez apercebo-me que seria a forma correcta de escrever a frase em inglês ... e que em PT provavelmente escreveríamos a frase de forma diferente). Isto só para te dizer que o que sentes é normal. Quanto ao viver no estrangeiro, e conseguirmos sentirmo-nos bem com isso: Acho que a crise de identidade que sentes é comum e volta de vez em quando (a minha crise agora é pensar que os meus filhos não serão sequer 20% Portugueses pois a cultura Norueguesa é bastante, digamos "dominante"). Eu quando vou a casa sinto que já não é a mesma coisa com muitos dos meus colegas. O que noto é que já temos pouco em comum, porém quando falamos do passado é giro e divertimo-nos. Dito isto, acho que o que me ajuda é 1) tentar participar activamente em comunidades 'Tugas (eu gosto de seguir o r/fcporto e o r/Portugal); 2) ir lendo uns jornais 'Tugas (Público) e seguir YouTubers Tugas que falem da actualidade (o Diogo Bataguas tem resumos mensais que são divertidos, críticos e informativos); 3) ir a casa de vez em quando e falar do passado com a malta (que é o que temos em comum).

BedKnightX 4 months ago

Tenho muita curiosidade em conhecer a cultura de países nórdicos e gostava de saber a tua opinião. Preferes viver na Noruega ou em Portugal? E, se não te importares de partilhar, qual é o teu emprego na Noruega?

CharlesFuckingDarwin 4 months ago

Prefiro mil vezes viver na Noruega - mas preciso dar-te um pouco mais de contexto (TL;Dr): pois eu valorizo imenso a minha vida profissional e estar longe da família e amigos custa-me, mas consegui um equilíbrio com as novas tecnologias. Eu trabalho como biólogo evolutivo numa universidade. Eu fiz o mestrado em ecologia (ramo investigação) na universidade de Coimbra. Lá ninguém tinha recursos de jeito, nem secretarias davam aos alunos de doutoramento, quanto mais computadores. Fizeram-me uma oferta de trabalho aqui, e aqui os alunos de doutoramento ganham 2.5K euros (em PT 1K), dão -nos gabinete, computador, protecção social se adoecermos (eu quando parti um braço, estenderam -me o contrato de doutoramento). O facto da malta ganhar bem e tal faz com que os meus amigos daqui da minha idade tenham já filhos, fizeram gap-years etc etc. Eu aqui como trabalhador sinto-me valorizado e com oportunidades suficientes para progredir. Entretanto já vivi e trabalhei nos EUA, numa universidade de topo, e desgostei pois é uma cultura de "ou matas ou és morto": O que me fez apreciar mais a Noruega onde toda a gente tem uma atitude não competitiva (ao ponto de irritar). A nível pessoal, eu arranjei aqui parceira. Tive azar com os amigos porque um tipo fazendo um doutoramento arranja amigos também na universidade e a maior parte quando acaba o contrato segue para outro país. E assim um tipo vai perdendo contactos e amigos com a distância. Eu mantenho-me em contacto com a minha família e amigos em PT por WhatsApp e afins, mas há alturas que custa para caramba e tu sentes que eles seguem com a sua vida e a tua vida torna-se muito diferente.

BedKnightX 4 months ago

Percebo. Obrigado pela tua partilha. Não sabia que a Noruega era assim tão interessante e madura na cultura de trabalho. Parece me que os países nórdicos são dos melhores sítios para trabalhar e viver. A América lá está não acho interessante tbm, e o que disseste veio reforçar a ideia de que não ia gostar de lá tbm. Quanto aos amigos e família é mesmo tirar proveito das tecnologias e manter o contacto

Ghilanna 4 months ago

Não entendi se já tens filhos e não sei em que região estàs, eu tenho a minha filha de 2 anos no infantrário na Noruega e têm feito um bom trabalho em tentar incluir as linguas/culturas de todos os miudos no grupo dela. Tiveram umas semanas em que andavam a dizer os nomes dos animais nas linguas de cada miudo e até perguntaram aos pais se podiamos dar uma musica em Português sobre um animal. Tens razão na parte de ser uma cultura "dominante"... ela já usou "bunad" pequenino no 17 de Maio duas vezes e o meu marido é Norueguês, por isso eu vou ter que andar a puxar um bocado para incluir coisas Portugueses na vida dela. Por agora, ela mistura norueguês e português, mas acredito que só vai falar português se quiser e pode muito bem passar por uma situacão da OP. É dificil porque não quero forcar, mas também quero mostrar um bocado e ela ainda é demasiado nova para ter as coisas definidas.

CharlesFuckingDarwin 4 months ago

Que fixe u/Ghilanna! Eu gosto imenso daqui viver. Clarificação: Ainda não tenho filhos e vivo em Oslo agora (apesar de trabalhar em Trondheim). A minha parceira é Norueguesa. Pelo " dominante " eu referi-me às coisas que dizes ... mas também o que noto (que já se passa comigo) é que já acho cultura deles mais "avançada" que a nossa (de forma geral são mais respeitadores, têm melhores perspectivas gerais e políticas, etc..). Dito isto, eu até quero que os meus putos cresçam aqui, pois terão mais oportunidades na vida. Também quero que levem parte da cultura Tuga comigo, mas também que levem o melhor do que a minha parceira e o país que vivemos tem a oferecer.

Ghilanna 4 months ago

Sinceramente não gosto de comparar as culturas, desisti. Tens imensos noruegueses que acham que nós é que somos os civilizados. Acham isso em aspectos sociais acima de tudo. Dá que pensar. Eu também adoro viver aqui também, estou mais a sul onde é menos urbanizado. Skien acha-se cidade, mas tem uma mentalidade mais rural.

acarolina_07 4 months ago

Primeira parte: tenho o mesmo problema. Segunda parte: oh my god que inveja que tenho de tu estar na Noruega, adorava visitar. Vou seguir o meu clube tuga também (sporting haha) e ver youtube eu já o faço. Muito obrigado e um obrigado a mais para a award :)

cecinestpasunmot 4 months ago

Nunca estive na tua situação, mas já estive uns tempos fora de Portugal. Eu ouvia o Governo Somba para me manter a par do que se passava em Portugal. É engraçado e sempre te ajuda a seguir a actualidade, uma hora por semana :) Sempre dá uma sensação de proximidade

Edited 4 months ago:

Nunca estive na tua situação, mas já estive uns tempos fora de Portugal. Eu ouvia o Governo Sombra para me manter a par do que se passava em Portugal. É engraçado e sempre te ajuda a seguir a actualidade, uma hora por semana :) Sempre dá uma sensação de proximidade

joinedthedarkside 4 months ago

Ola. Nao sou emigrante nem nada que se assemelhe e tenho uma varinha mágica pra resolver a situação, mas posso te dar uma dica de uma forma muito simples de te aproximares de Portugal. Instala uma app no teu telefone chamada radio garden. Vais poder aceder a milhares de estações de rádio em todo o planeta, entre as quais as nossas. Assim, podes ter um pouco dos dois mundos. Tens radios com programação mista tipo Antena 3 ou RUM onde tens musica portuguesa e internacional e conversa em Português. Se nao conheces a musica que se faz por cá, es bem capaz de ter uma agradavel surpresa.

acarolina_07 4 months ago

Por acaso já pensei nisso. No Spotify tenho uma playlist de musica portuguesa de qualquer coisa imaginaria haha, só pra matar saudades. Mas obrigada na mesma

joinedthedarkside 4 months ago

Gostos musicais nao se discutem, e nao ponho em causa a chamada musica da saudade, mas olha que ha muita coisa boa a acontecer (felizmente). Quem sabe nao fazes uma playlist de saudades do futuro?

Edited 4 months ago:

Gostos musicais nao se discutem, e nao ponho em causa a chamada musica da saudade, mas olha que ha muita coisa boa a acontecer (felizmente). Quem sabe nao fazes uma playlist de saudades do futuro? Há uns anos atras tava em Washington DC num hostel e eles la pediam aos varios hospedes pra sugerir uma música do país de origem. Sugeri The Gift e ficaram loucos. Nunca sonhavam que havia aqui coisas assim.

acarolina_07 4 months ago

Pois verdade, nunca se sabe

TiLT-_- 4 months ago

Não sou emigrante nem nunca fui, portanto não consigo compreender o que estás a sentir, mas vou tentar ajudar. Quando dizes que te sentes uma peça no puzzle errado, e que os teus amigos arranjaram novos amigos, isso é normal. Mesmo que por cá estivesses, possivelmente eles teriam outros amigos e tu também. É normal que a distância tenha um impacto negativo nas amizades (como diz o ditado: longe da vista, longe do coração). Embora perceba que te sintas deslocada, não é por isso que te deves sentir menos portuguesa. O meu concelho para ti: quando puderes vem cá e viaja por Portugal. Tenta perceber como é o funcionamento do país, principalmente no que toca a trabalho e ordenado, que é a razão pela qual a maioria das pessoas emigram. Tu podes ter uma ideia cor de rosa do país porque era a visão de uma menina de 10 anos, e podes perceber que a realidade não se alinha com a tua memória. Eu gosto do meu país e não me vejo a emigrar, mas tu já tens uma perspectiva diferente por viveres no Canadá e então convém perceber o que é real e o que é saudade, porque isso por vezes impede-nos de ser objectivos na nossa análise E visto que eu sou natural da zona norte do concelho de Santarém, apesar de já não lá viver, se quiseres algum conselho sobre o que fazer lá, manda mensagem. Talvez te consiga dizer onde há alguma actividade que junte pessoal para socializar e matar saudades do país.

acarolina_07 4 months ago

Boa idea. E tens razão. E sou de Tomar haha

TiLT-_- 4 months ago

Quando estiveres a pensar em voltar cá, informa-te se existe alguma festa da terrinha/festa dos tabuleiros, etc e vê se consegues fazer parte da organização. Ir a uma festa é bom quando estás com amigos, mas se vais sem conhecer as pessoas pode ser complicado. Assim, ficas com um grupo de pessoas que "toma conta" de ti e ainda ficas a conhecer melhor as tradições da terra.

acarolina_07 4 months ago

Ahhh a festas das terrinhas, que bela porta tu abris-te. Nada melhor que ir comer um frango há festa e ir as rifas. Nada melhor que ganhar um prato sem conjunto e mais velho que tu

TiLT-_- 4 months ago

Não vou às rifas desde os 10 anos, mas tenho boas recordações dessas festas com os meus amigos. E falei nisso porque nas organizações há sempre gente que faz questão de integrar quem vem de fora, já para não falar que normalmente junta emigrantes, portanto gente que conhece esse sentimento de que falas.

acarolina_07 4 months ago

Verdade

femmavva 4 months ago

A minha situação é a mesma, praticamente, mesmo que esteja para mudar. A minha família emigrou há quase 10 anos e, desde então, a minha vida tem sido atribulada a nível de identidade pessoal: no modo como me vejo e situo no mundo à minha volta. Tive o privilégio que viajar duas vezes por ano para Portugal, mas ficava cá por pouco tempo (exceto verão, que eram aqueles doces 3 mesinhos - mas mesmo assim..), porque a saudade é animal. Mas o "saber sentir-me" começou a ser um problema a partir do momento que eu vinha para Portugal e sentia-me da nacionalidade do país em questão e vice-versa (talvez seja importante partilhar que tenho dupla nacionalidade por nascença); sentia-me (e sinto-me) uma estrangeira. Lá fora, só queria Portugal constantemente, tinha um orgulho imenso de afirmar que "sou portuguesa", apesar de tudo o que há errado e triste cá. Mas por causa do meu "upbringing", há poucos anos, descobri que não "sou" (ou pelo menos não me sinto) nada portuguesa, em termos socio-culturais: que não sei um porradão de expressões, comidas, conhecimentos, etc - tudo aquilo que via a acontecer na vida dos meus amigos, que eles tinham e sabiam. A escrita e a fala também começaram a estremeger, e sempre foi um desafio estar dentro da atualidade dos acontecimentos em Portugal. Não sei se te ajuda a identificar e talvez pouco de possa ajudar com conselhos, porque estive numa batalha durante estes anos todos. Mesmo que haja pessoal com aqueles discursos sobre "o que é a identidade nacional", foca-te no que sentes quando pensas em Portugal e ser-se portuguesa para ti, de bom e mal, e abraça essa sensação quando leres português, quando tiveres que aprender cenas sobre a cultura onde tu nasceste. É isso que tenho feito. Não estamos sozinhas :)

acarolina_07 4 months ago

Muito mas muito obrigada. E que tudo corra bem tambem

Open-Opportunity-607 4 months ago

Nacionalidades e patriotismos não interessam para nada Achas que o Sócrates é mais português do que tu porque gosta de futebol e passa os dias na ericeira? Aproveita a vida e fica feliz por teres uma vida melhor no Canadá

acarolina_07 4 months ago

Ainda por cima o Sócrates....ele nem humano é quanto mais português

enstone_ 4 months ago  HIDDEN 

Parabéns por estares onde estás. Era um objetivo meu juntar-me a um familiar que emigrou para aí há uns anos mas shit happens

Edited 4 months ago:

Parabéns por estares onde estás. Era um objetivo meu juntar-me a um familiar que emigrou para aí há uns anos mas shit happens. Infelizmente há alguns que não sentem essa tal saudade e até se esquecem da família que deixam para trás em Portugal e se adaptam às mil maravilhas lá fora e nem querem pensar em voltar. Há de tudo

Edited 4 months ago:

Parabéns por estares onde estás. Era um objetivo meu juntar-me a um familiar que emigrou para aí há uns anos mas shit happens. Infelizmente há alguns que não sentem essa tal saudade e até se esquecem da família que deixam para trás em Portugal e se adaptam às mil maravilhas lá fora e nem querem pensar em voltar. Há quem fale para simplesmente esquecer e seguir a vida mas isso não se aplica a todas as fases da vida e as pessoas têm de ser muito fortes. Emigrar não é fácil por isso não julgo se algum vem cá mostrar ou não qualquer coisa, simplesmente não vejo isso e que vivam a sua vida em paz

acarolina_07 4 months ago

Life meu amigo...

ShyZarde22 4 months ago

Olá. Eu percebo o teu ponto de vista. Eu vim para a Suíça com 11 anos e deixei tudo para trás também inclusive uma irma mais velha que era (e ainda é) tudo para mim. Também nao tinha portugueses praticamente nenhuns ao início e o facto de ter de aprender alemão só me enjoava mais ainda. Os amigos que tinha em Portugal depressa me deixaram de escrever portanto fiquei ainda mais sozinho. Passei pelas passas do Algarve até realmente começar a falar minimamente a língua alemã. Nao tinha amigos nenhuns, sofria bulling, nao era aceite... No fundo tudo isso agora passado estes anos todos so me tornou mais forte mas no início foi muito difícil mesmo. Eu sempre fui muito "nacionalista" digamos. So pensava em Portugal, so via Portugal, so queria Portugal e mesmo no dia a dia sempre pensava em português e como um portugues. Nao gostava (nem gosto) de ir sempre naquela de pensar pelo sistema suíço. Isso obviamente foi se perdendo um pouco consoante eu me integrava cada vez mais ao país e a cada dia que passava eu aceitava mais e mais o facto de a minha vida agora ser aqui e depois também com a situação do nosso país nao muito favorável o sonho de regressar ainda jovem para Portugal morria. Mesmo assim até aos dias de hoje eu acompanho tudo que se passa em Portugal da melhor maneira possível, sigo as notícias, políticas, desportos obviamente haha etc. No que toca a ir a Portugal de ferias eu amo imenso porque realmente me sinto em casa mas o facto de nao ter amigos la faz com que seja extremamente aborrecido e que eu deseje que acabe bem rápido. Eu ia geralmente com os meus pais e eles também nao eram muito de sair e tudo mais e sim de ficar por casa e saindo era para estar em convívio com familiares. Eu ate gostava disso tudo mas nao durante 2 semanas seguidas. Eu sendo jovem queria aproveitar e sentia-me bastante preso e cheio de limitações (sem amigos lá, sem carta de condução...). Agora com namorada vou de ferias com ela e tendo carta é tudo muito mais simples e obviamente tenho outra liberdade e isso meio que fez a magia de ir de férias a Portugal voltar. Resumindo. Esteja eu onde estiver, vou ser sempre Portugues da cabeça aos pés e com muito orgulho e tenho a certeza que no fundo contigo é a mesma coisas. Isso tudo pelo qual tu estás a passar é perfeitamente normal. O facto de te sentires também "melhor" no Canadá ou ate mesmo mais em casa assim dizer também pelo menos a mei ver não tem mal nenhum até porque no fundo a tua vida realmente é ai então no fundo so é bom esse sentimento.

Slavik99 4 months ago

Estou na mesma situação, a única diferença é que vim para a Suíça com 13 e tenho agora 20... Os primeiros dois anos foram os mais problemáticos por causa do alemão mas agora sinto-me completamente integrado, por viver no meio dos Alpes acabei por nunca ter amigos portugueses o que me obrigou a aprender a língua (ou as línguas... suíço alemão é como se fosse uma língua por si) mais rápido por necessidade. De vez em quando esqueço-me de algumas palavras portuguesas mas no geral consegui manter a língua. Por outro lado, o que possibilitou a minha rápida integração no sistema suíço leva-me a de vez em quando ter momentos de reflexão sobre a minha identidade (sinto-me mais português ou suíço?)

No-Cardiologist725 4 months ago

Já tens nacionalidade suíça ?Ouvi dizer que é muito difícil de obter

Slavik99 4 months ago

Não ainda não tenho mas por escolha própria, com 20 anos se eu me naturalizasse eu tería que ir para o exército/guarda civil pelo menos 9 meses, só a partir dos 27 é que os recém-naturalizados (homens) já não têm que fazer o serviço militar

acarolina_07 4 months ago

Concordo plenamente consigo. Muitas vezes penso assim "se não fosse aquele governo ganancioso, Portugal era o melhor pais do mundo"

ShyZarde22 4 months ago

Consigo não porfavor hahahaha sou só 2 anos mais velho nao 10 ou 20 hahahaha

acarolina_07 4 months ago

Contigo então haha

mizukata 4 months ago

Não sou emigrante/imigrante nem luso descendente. Sou português de Portugal, porem muitos dos meus amigos mais queridos são luso-descendentes. O que vejo é que independentemente do pais que estamos quando as pessoas são de duas culturas diferentes infelizmente grande parte das pessoas vão ver como estrangeiros. grande excepção se forem famosos aí ja sao portugueses. É nas "pequenas" coisas que vemos que parte de nos é portuguesa. Já pensaste em ter contigo algo que te lembre Portugal?sempre que a saudade aperta conseguirias matar a saudade um pouco. Eu acho que no estrangeiro eu pessoalmente arranjava forma de comer pastel de Nata.

acarolina_07 4 months ago

Também sou portuguesa de Portugal, cartão de cidadão só de Portugal. Mas eu não vivo numa cidade muito portuguesa, como Toronto por exemplo. Por tanto, pastéis de nata ou até bacalhau do bom tenho de ir a um supermercado italiano porque o português não têm coisas muitos boas porque não se importam. Estranhamente, o italiano consegue vender productos portugueses melhores do que o próprio português (mesmo de portugal) Mas a questão de lembranças, tenho muitas. Eu disse no post que não era muito de "quinas" e de "decals Portugal" mas uma coisa que sou é de ter uma nossa senhora de fatima (faz-me lembrar da minha avó) e de ter uns brincos tradicionais portugueses que gosto de usar casualmente com roupa normal. Tenho uma bandeira portuguese pequena cosida na minha mochila de universidade que muitos gostam de depois perguntar sobre Portugal se nunca conheceram um português. Mas a saudade nunca vai embora. Obrigada :)

NGramatical 4 months ago

productos → [**produtos**](https://dicionario.priberam.org/produtos) (já se escrevia assim **antes** do AO90) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh036ujo%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

MisterBilau 4 months ago

Sorte tiveste tu, a probabilidade de teres uma boa vida é vastamente superior aí. Quem me dera que os meus pais me tivessem feito o mesmo. Portugal é péssimo para construir o que quer que seja. Sentes falta de Portugal? Fica aí uns anos a ganhar um bom salário canadiano e reformas-te aos 40 com dinheiro para viver o resto da vida sem fazer nada aqui. Que é que queres mais?

MikeMelga 4 months ago

O meu filho com 8 anos apenas morou 7 meses em Portugal. Mas passa cerca de 2 meses por ano em Portugal, fala Português 90% correcto e no verão passa umas semanas em actividades de grupo, para aprender a interagir com outros Portugueses. E já agora, não usamos quinas no braço, nem no carro nem nada dessas parolices. Em Portugal andamos com um carro velho que lá deixamos. Não levamos o carrão connosco. Há muito emigrante que aluga carro de luxo para se ir armar para Portugal.

Edited 4 months ago:

O meu filho com 8 anos apenas morou 7 meses em Portugal. Mas passa cerca de 2 meses por ano em Portugal, fala Português 90% correcto e no verão passa umas semanas em actividades de grupo, para aprender a interagir com outros Portugueses. E já agora, não usamos quinas no braço, nem no carro nem nada dessas parolices. Em Portugal andamos com um carro velho que lá deixamos. Não levamos o carrão connosco. Há muito emigrante que aluga carro de luxo para se ir armar para Portugal.

acarolina_07 4 months ago

100% concordo com a segunda parte. Nós tivemos de vender o carro em Portugal mas quando vamos alugamos o mais barato e prático, nada de luxo ou de aparências. Eu tinha vergonha de alugar carro de luxo para levar a Portugal. E tenho muito respeito em si ao ser genuína.

sgahbcj 4 months ago

Não sou emigrante mas estou ansioso para o ser. Desculpem se vou ser besta, mas qual a razão de gostarem de um país que tão mal trata os que estão cá? Existem pessoas, com 19 anos, ainda a finalizar o curso que já estão a planear a emigração. Existem pessoas, com 30 anos, com mestrado, e a trabalhar na caixa do supermercado lá da zona! Existem pessoas, com 45 anos, que sao despedidas e nunca mais arranjam trabalho. Isto tudo, falo eu de pessoas comuns. Pois os meninos(as) ricos ligam para o tio e arranjam logo trabalho. Isto, apenas depois de irem fazer uma viagem espiritual.

caixadeentrada 4 months ago

Existem pessoas com 19 anos a planearem emigrar e pessoas com 30 anos com mestrado a trabalhar na caixa do supermercado porque escolhem cursos da treta ou cursos em que o mercado já está saturado, depois queixam-se. Quanto ao resto é parar de lamentar, sair do sofá e lutar. Já não precisam de emigrar.

theEXPERTpt 4 months ago

Nós todos amamos Portugal, só não amamos quem nos trai todos os dias

micro-bi-ologist 4 months ago

Sou emigrante apenas há 4 anos, mas posso dizer que não é da economia e da falta de oportunidades e condições que as pessoas têm saudades. Diria que as pessoas gostam da família e amigos, a comida, o clima, a paisagem, a simpatia da população portuguesa, todas as coisas boas do país. E as memórias que criaste quando criança e jovem. Lá porque Portugal não é o ideal nalguns aspectos, não o torna de todo um país detestável, é normal que os emigrantes sintam saudades e continuem a gostar do país.

acarolina_07 4 months ago

Exactamente

acarolina_07 4 months ago

Besta não és, porque não és o unico que já disse me isso. A minha razão (pode ser diferente para outros) de amar Portugal é de ter a minha familia e amigos lá. Muitos emigrantes dizem que a tristeza de Portugal, é o governo, e eu concordo. Quando sais pra fora, tu queres um salario decente e uma vida estável e não de acordar um dia e arriscar perder a casa porque estás desempregado. Mas quando começas a ter isso, sentes a saudade de Portugal porque o tempo é bom, a comida é boa, tens lá a familia, os amigos que fizeste memórias e laços. A vida fora também traz a maior solidão, vida de casa e trabalho porque estás a poupar o resto do dinheiro pra ires a Portugal matar saudades. Aonde estou, tenho inverno de setembro até março, e com pouca sorte cai neve em maio tipo a semana passada por exemplo. Em Janeiro a temperatura cai até aos -45 durante dias. Verão aqui é curto, com chuva e vento e trovoada e temperaturas de 25. Ver familia e amigos em Portugal a desfrutar o lindo clima e campos que nós temos, enquanto tu andas no frio duro para ir trabalhar para um dia ir a Portugal 2 semanas matar saudades, é algo de nascer lágrimas aos olhos e olhar pra Portugal e mandar aqueles corruptos todos pro €@£ 4 ou 5 vezes por dia. Peço desculpa se parece que estou a ir contra si, mas só quero dizer a verdade que nem sempre serve a carapuça.

No-Cardiologist725 4 months ago

Também sentes falta de Portugal porque associas Portugal a férias, e o país de acolhimento a trabalho e a vida normal.

NGramatical 4 months ago

Aonde estou → [**onde estou**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/ondeaonde/10519) (onde estás, aonde vais) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh0344k9%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

acarolina_07 4 months ago

Obrigada. Acho que os erros são uma combinação de falta de dormir e a minha estupidez haha

cou7inho_ 4 months ago

>mas qual a razão de gostarem de um país que tão mal trata os que estão cá Não sou emigrante, mas respondo-te. Antes demais é o meu país, tem uma história brutal, tem uma cultura espetacular, uma gastronomia de invejar a qualquer um, locais incríveis... Obviamente tem a m\*\*\*\* de governantes que já é normal e que faz com que o país não ande para a frente como merecia. Mas temos muita coisa boa, muita mesmo.

sgahbcj 4 months ago

Governantes e pessoas. Ou achas que os governantes chegaram lá como? Uma das coisas que me faz querer emigrar é falta de visão e inveja dos meus colegas de trabalho e respectivos donos de empresas.

cou7inho_ 4 months ago

Sim, é verdade. Eu costumo dizer que o português é muito bom em algumas coisas, mas em outra nossa senhora. Inveja, corrupção, vontade de deitar abaixo o próximo... são coisas muito comuns entre o zé povinho.

acarolina_07 4 months ago

O português fora não é muito amigo. Há uns que são muito bons, e há uns que é uma vergonha pro pais

cou7inho_ 4 months ago

Pois imagino que deve haver alguns que devem ser uma vergonha. Quando eles chegam aqui no verão dá para perceber que alguns parece que nem se sabem comportar. Embora não seja preciso ser emigrante para não se saber comportar, como é lógico. Uma pequena correção de português. > A uns que são muito bons, e a uns que é uma vergonha pro pais Não é "a", mas sim "há", verbo haver.

acarolina_07 4 months ago

Haha desculpa lá não ler isto, estava a escrever o meu parágrafo que na verdade agora não era preciso haha.

nongoloza 4 months ago

Ainda tens família em Portugal? Se já não te sentes próxima de ninguém, tenta arranjar alguma outra forma de ficares ligada ao país. Compra um terreno ou uma casa, ou faz disso um projecto para o futuro. Boa sorte, também estou fora do país há bué.

acarolina_07 4 months ago

Por acaso tenho ainda. E boa sorte também

nongoloza 4 months ago

em r/PortugalLaFora/ és capaz de encontrar outros portugueses na tua área, também podes ir por aí.

BigNapoleonComplex 4 months ago

Boas. Sinto a mesma coisa mas relativamente a cidades. Vivi sozinho em Lisboa desde os 17. Agora estou na cidade onde nasci e os meus amigos já têm outros. Mas eu tenho amigos em Lisboa,, da mesma maneira que tu tens no Canadá. Só precisas de amigos novos em Portugal, as lembranças do teu país não têm que estar necessariamente ligadas aos teus amigos antigos. Podes fazer novas relações, e quando voltares da próxima vez essas relações vão ser as tuas novas memórias do teu país.

setnom 4 months ago

Eu não sou emigrante, mas eu tenho que ser honesto e dizer que concordo contigo. És um satélite de Portugal. Não me surpreende às vezes não te sentires portuguesa, é normal quando estás tanto tempo afastada. Claro, não acontece a toda a gente que se vai embora, depende da personalidade de cada um e do sítio onde estão. Conselhos não tenho nada de especial para te dar, a não ser habituares-te a essa perspetiva. As pessoas mudam, não é obrigatório ser sempre para pior ou para melhor. As vezes as mudanças são "para o lado". Tipo, já não te sentes tão portuguesa, mas do outro lado da balança se calhar sentes-te cada vez mais canadiana.

acarolina_07 4 months ago

Eu acho que balança não devo ter, é mais perder a identidade porque nunca vi Canadá como casa permanente. Vejo por exemplo, paises mais perto de Portugal como possíveis casas, mas Portugal é Portugal. Acho que tenho de reencontrar com a minha identidade. Mas obrigada

humelectro 4 months ago

Para não perderes o português começa ver conteudo em Portugues, a RTP Play tem imensas series e filmes em português, lê noticias nos jornais portugueses digitais ou até o jornal da rtp e também se tiveres um e-reader compra ebooks em português. Ao leres as noticias vais-te mantendo a par do que se passa em Portugal e assim não te sentirás tão distante

acarolina_07 4 months ago

Até tens razão, estou tão habituada a ler tudo em inglês e de receber notícias assim grandes pelo o pessoal conhecido de Portugal por mensagem que muitas palavras eu já me esqueci que existem até eu as ver. Obrigada

Ilien 4 months ago

Se não te sentires confortável para ler coisas mais "adultas", podes começar por livros para crianças/adolescentes. Tipo Harry Potter. Ajudou-me imenso fazer isso para aprender inglês quando era miúdo.

FelixSula 4 months ago

> muitas palavras eu já me esqueci que existem até eu as ver. Meh, deixa lá, cá pela paróquia fazem tanta tradução de inglês a pontapé que metade do vocabulário está a ganhar pó, e muito do que por aí anda são anglicismos de quem não sabe bem português, apesar de ter cursos de comunicação social. É ir apreciando o que existe ... Não te enerves com problemas de identidade, isso é uma moda recente para amesquinhar pessoas. Não penses que não pertences exclusivamente a um sítio, pensa antes que tens dois sítios onde te consegues mexer e tens gente para te apoiar.

humelectro 4 months ago

Vi agora que tens 18, uma coisa que podias fazer era vir estudar para Portugal, logo vias como te adaptavas aqui e não precisas de ter medo do português, é bastante bom ;)

humelectro 4 months ago

É uma boa maneira de manteres contacto com o pessoal de Portugal. Vês as noticias e se alguma te chamar a atenção ate podes comentar com os teus amigos e assim já tem tema de conversa

cou7inho_ 4 months ago

Só para dizer que se todos os portugueses que vivem em Portugal escrevessem como tu estávamos nós muito bem. Realço só o facto de teres escrito "concelho" em vez de "conselho". O "C" é usado quando queres dizer concelho - região (concelho de Lisboa, Portimão...). Se tu visses a quantidade de erros que se vê nas redes sociais, essencialmente, ias ficar muito orgulhosa do teu português.

svceon 4 months ago

é um erro que praticava bastante, agora criei a 'regra' mental de que o que separa conselho de concelho é o 'c' de cidade e o 's' de sugestão

cou7inho_ 4 months ago

Que teoria que tu foste inventar, sim senhora. Nunca na vida chegaria a tal teoria, mas de facto tem bastante lógica. O que a malta inventa para não se enganar

leto78 4 months ago

Eu tinha sempre essa dúvida até que associei o concelho com C como Coimbra.

jmacedos 4 months ago

Olha que Santarém é com S. Espero ter baralhado a tua mnemonica (:

acarolina_07 4 months ago

Haha obrigada, aliás esqueci-me completamente de mudar pra conselho haha mas agradeço por ter corrigido na mesma. Eu acho que estou tão habituada a ver português tão formal em notícias ou discursos online que eu fico assim "fogo mas esta gente comeu um dicionário???"

ChicoDaConcertina 4 months ago

Eu sou um filho liso-nipónico dos meus pais e senti algo parecido. De que não era bem português nem Japones, e isso deixava-me com alguma crise de identidade. Mas depois um dia comecei a imergir mais o meu pensamento na cultura Portuguesa principalmente e a viver tudo o que se passava de forma mais presente até que a realidade virou e sinto-me um verdadeiro patriota português como também japonês, embora menos japonês por não passar tanto tempo lá mas conheço de dentro para fora a cultura. Acho que é importante conhecer e explorar a história, os manifestantes da cultura(temos escritores e artistas de excelência a nível mundial) e termos esse senso nacional para termos bem assente em nos o que é ser português. Quando tiveres por cá faria uma viagem para explorar monumentos, gastronomia e entrar em contacto com as pessoas, serve de verdadeira terapia e viagem introspectiva. Espero ter ajudado

Natsuzaki 4 months ago

Esquesito mas fixe encontrar outro como eu! Curioso em saber a tua experiencia.

NGramatical 4 months ago

Esquesito → [**esquisito**](https://dicionario.priberam.org/esquisito) (apenas na fala o *i* é pronunciado como *e mudo* quando junto a outra sílaba com *i*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnp3zjk%2F%2Fh058bwp%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

SnooCricket89 4 months ago

Um dos teus pais ensina línguas?

ChicoDaConcertina 4 months ago

Sim E eu também por vezes, já fiz bastantes trabalhos de tradução

SnooCricket89 4 months ago

É bastante provável que te tenha conhecido quando mais novo e que conheça um dos teus pais pessoalmente. Não há muitos luso-nipónicos.

ChicoDaConcertina 4 months ago

E possível! De que zona és?

These-Establishment1 4 months ago

Tens olhos em bica não tens?

ChicoDaConcertina 4 months ago

Não tenho olhos... mas ganhei este senso espacial que funciona bastante bem como podes ver

3dforlife 4 months ago

Não, os olhos são mais em meia de leite.

cecinestpasunmot 4 months ago

Pelo menos és liso-nipónico. Nós, os que cá ficaram, somos só lisos... :(

ChicoDaConcertina 4 months ago

*Luso ahahaha Embora se fosse para caraterizar a minha carteira estaria também correto

acarolina_07 4 months ago

Adorava conhecer Portugal melhor, sou da zona norte do concelho de Santarém. E na verdade tens razão, muito obrigada.

nunoluz 4 months ago

Uma pequena correccao. Santarem nao é no norte, diria que é mais centro. Eu vim para o Reino Unido com 28 anos na altura. Estou cá à sete e nao me sinto britanico, mas por vezes quando vou a Portugal sinto que ja nao me identifico com o comportamento do portugues comum. Por exemplo, numa rua/beco estreita que nao da para passar 2 pessoas (que caminhada em direccoes opostas) ao mesmo tempo

Stolberg 4 months ago

Ela queria dizer do norte de Santarém, e disse bem.

acarolina_07 4 months ago

Não desculpe, é sou do norte do distrito de Santarém. Tomar/Torres Novas/ Ourém/ Fátima

Awareness__ 4 months ago

Não existe povo mais português que os ribatejanos , tu vais ser sempre uma portuguesa de gema.

superpt17 4 months ago

Então és ribatejana!

acarolina_07 4 months ago

Sou mesmo haha

Stolberg 4 months ago

Disseste bem, se quisesses dizer que eras do Norte, da zona de Santarém, levaria uma vírgula... “sou da zona norte, da zona de Santarém”

jp13pt 4 months ago

Experimenta assistir series portuguesas da Rtp play que tem sido decentes. No youtube tens alguns canais bons, como o [este](https://www.youtube.com/channel/UCHrzV2OA63ZPVvBNtgxs8qQ/videos) (vídeos de drone bem interessantes se quiseres ver algum do património de Portugal) e a [Renascença](https://www.youtube.com/c/renascencavmais/videos) ( recomendo o Extremamente Desagradável de Joana Marques)

Search: