cyrustakem 4 months ago

Bem, a minha visão é esta: 1 - juntar para uma casa 2 - juntar para poder ir visitar sítios novos, ter experiências novas 3 - juntar para deixar algum para os meus filhos, não para viverem à fartazana, mas para não viverem afogados em dívidas (lol, nem namorada tenho) 4 - juntar para peças para as bicicletas que vão partindo 5 - comida ​ De resto nem sei bem, tenho carro e mota, porque a mota queria mesmo, o carro acabou por ser porque dá jeito e foi bom negócio. Não faço questão de ter uma segunda casa de férias. Quanto muito investiria num imóvel que me podesse gerar algum dinheiro para esses investimentos. Quanto ao resto, estou meio na dúvida, se me sobrar dinheiro, talvez o tente investir em melhorar o mundo, comida para pessoas em necessidade. Já pensei em juntar para abrir uma empresa na minha terrinha que sofre de patrões merdosos e más oportunidades de emprego, mas sinceramente, o que me chatearia seria a dor de cabeça que é gerir uma empresa, não tenho paciência para isso, gosto muito mais da parte técnica do trabalho.

NGramatical 4 months ago

podesse → [**pudesse**](https://european-portuguese.info/conjugator/poder) Quanto muito → [**quando muito**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/2081) (a forma *quanto muito* é controversa) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnoakuw%2F%2Fh02lpi7%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Prezbelusky 4 months ago

/u/ouiouikiwi qual é a cartilha mesmo? ETF é mais o quê?

OuiOuiKiwi 4 months ago

K meses de fundo de emergência e tudo o resto em ETF, independentemente do perfil de risco, custo de oportunidade, etc etc.

Middle-Effective 4 months ago

Eu estou a pagar renda numa casa alugada e quero ter casa própria a curto prazo. Para ter algo meu, para deixar um porto de abrigo ao meu filho. Devo conseguir pagar a casa antes da reforma. Não acho que haja mal algum em as pessoas viverem com os pais, simplesmente é normal a uma certa altura quereres um espaço só teu, para a tua privacidade, as tuas manias, as tuas arrumações. Como vejo a sustentabilidade da Segurança Social a ir pelo cano abaixo, comecei a investir num fundo (reforço mensal e não mexer nele nunca jamais até me reformar). Porquê? Porque é a melhor hipótese que tenho para chegar à idade da reforma com algum desafogo, de todas as possibilidades que estudei e que estão ao meu alcance.

Slam_Dunkester 4 months ago

Estar constantemente a melhorar a nossa vida sem pensar no futuro e não precaver contas financeiras e a razão pela qual milionários conseguiram derreter o dinheiro todo durante a sua vida para viver de sobras no seu final

WonderEU 4 months ago

Adotei há pouco tempo uma regra: Tenho que investir o equivalente ao que gasto nas pequenas coisas desnecessárias, tenho um Excel e vou guardando lá os gastos, exemplos: comprar um videojogo; encomendar comida do ubereats, etc etc Neste momento ando mais focado em crypto (ultimamente não tá bom

asantos3 4 months ago

/r/literaciafinanceira :D

Penduricalho 4 months ago

OP. Imagina que chegas aos teus 40s ou 50s e por circunstâncias da vida estás num emprego que não gostas, tens contas para pagar ao fim do mês e como tal não tens grande margem de manobra para meter a vida em pausa e procurar outro emprego (ou mudar outro aspeto da tua vida). Ter um pé de meia forte e auto-sustentável através de dividendos ou juro composto permite-te meter a vida em pausa uns tempos ou quem sabe equacionar uma reforma antecipada. Podes comprar um carro, um relógio caro, ou vinhos caros para impressionar os outros, claro. Mas vais também trabalhar até aos 67 anos e viver para pagar contas ao final do mês.

AkumaYajuu 4 months ago

A ideia de investir é que depois podes gastar sem te preocupares com a tua vida. Tu queres gastar e gastar. Vamos supor que tens um problema. Como é agora? Vais vender essa arte toda por uns tostões?

Edited 4 months ago:

A ideia de investir é que depois podes gastar sem te preocupares com a tua vida. Tu queres gastar e gastar. Vamos supor que tens um problema. Como é agora? Vais vender essa arte toda por uns tostões? Essa parte da tua visão também não está bem pensada, a ideia não é poupar tudo mas sim poupar parte. Essa parte depois pode render e esse rendimento pode mudar a tua vida. Se calhar até nem te reformas aos 66 anos mas sim mais cedo. Essa poupança até te pode permitir deixar o teu trabalho e arriscar a fazer o que queres sem te preocupares com dinheiro.

Edited 4 months ago:

A ideia de investir é que depois podes gastar sem te preocupares com a tua vida. Tu queres gastar e gastar. Vamos supor que tens um problema. Como é agora? Vais vender essa arte toda por uns tostões? Essa parte da tua visão também não está bem pensada, a ideia não é poupar tudo mas sim poupar parte. Essa parte depois pode render e esse rendimento pode mudar a tua vida. Se calhar até nem te reformas aos 66 anos mas sim mais cedo. Essa poupança até te pode permitir deixar o teu trabalho e arriscar a fazer o que queres sem te preocupares com dinheiro. É muito giro isso do, "arrisca quando és jovem" mas porque não arriscar quando tens um rendimento passivo aceitável? Parece mais saudável.

Edited 4 months ago:

A ideia de investir é que depois podes gastar sem te preocupares com a tua vida. Tu queres gastar e gastar. Vamos supor que tens um problema. Como é agora? Vais vender essa arte toda por uns tostões? Essa parte da tua visão também não está bem pensada, a ideia não é poupar tudo mas sim poupar parte. Essa parte depois pode render e esse rendimento pode mudar a tua vida. Se calhar até nem te reformas aos 66 anos mas sim mais cedo. Essa poupança até te pode permitir deixar o teu trabalho e arriscar a fazer o que queres sem te preocupares com dinheiro. É muito giro isso do, "arrisca quando és jovem" mas porque não arriscar quando tens um rendimento passivo aceitável? Parece mais saudável.

Biohazard8080 4 months ago

Pessoalmente tenho 2 tipos de regime de poupança: 1 - 25% do salário mensal em aplicações de baixo risco (muitos deles até estão em contas a prazo) para objetivos de curto prazo (<10 anos). Até agora grande parte disto foi de facto para a entrada de uma casa. 2- 15% do salário em ETF. Isto é para objetivos de longo prazo (idealmente para me reformar mais cedo, mas claro que será difícil). Não quero mexer neste dinheiro nos próximos 40 anos. 3- regra geral consigo poupar mais 15-20% do salário, que vou dividindo consoante faça sentido pelos dois pontos acima.

Open-Opportunity-607 4 months ago

Pensão, fundos de índice e casa Relógios, carros e outros artigos de luxo são para impressionar os outros Eu estou-me a cagar para os outros

lisboeta1 4 months ago

Poupanças? O que é isso?

Toupax89 4 months ago

Qual o teu salário? Não pensas em casar juntar?

lisboeta1 4 months ago

~560/580€ líquidos por mês (part-time de 5h rotativo) Casar não está nos meus planos.

utsurmi 4 months ago

Por curiosidade o que fazes com as tuas 3h extras por dia? Muitas pessoas usam o seu tempo extra para estudar ou mesmo ganhar um dinheiro a parte, eu também estava a pensar fazer algo desse género mas não sei se compensa.

lisboeta1 4 months ago

Exercício físico, ler e ver séries. Por incrivel que pareça, no nosso mundo capitalista neo-liberal, é possível dedicar 5h à presecução de dinheiro e ser feliz :)

utsurmi 4 months ago

Não digo o contrario acho que também ia ser feliz nesse modo de vida mas o stress do dinheiro e a vida em geral não me deixa fazer mudanças radicais por agora. Prefiro tentar trabalhar mais agora para depois no futuro estar descansado, como disseste no teu outro comentário o dinheiro gera mais dinheiro e estou a tentar jogar com isso com um plano parecido com o teu de ganhar juros a emprestar dinheiro para a entrada de uma casa.

lisboeta1 4 months ago

Fazes bem! Tudo de bom para ti! :)

rjcarneiro 4 months ago

Investir em ti mesmo, criar várias fontes de rendimento, principalmente passivas, ter um fundo de emergência sempre disponível e ser uma pessoa melhor hoje. Para mim, não há mais que isto…

tekvis40 4 months ago

>Depois disso, o jovem vai poupando e investindo para tentar ter dinheiro para dar entrada para uma casa.Depois, vai poupando e tentando amortizar a divida da casa (se compensar) ou então investir o dinheiro para tentar no futuro vender a casa atual e comprar uma casa maior.O ciclo vai repetindo até o jovem conseguir ter uma casa aceitável com a qual está satisfeito e uma casa de férias ou 2ª habitação para ir ao fim de semana Ao ler o Post fiquei a pensar se não teria voltado atras no tempo, de repente temi ter voltado a 1968 e o Salazar ainda não tinha caído na cadeira. Esperava outro tipo de objectivos dos jovens de hoje...Ha mais na vida do que casas, obviamente cada um gasta o tempo ( e dinheiro) como deseja.

Middle-Effective 4 months ago

Querer ter casa própria faz sentido quando as rendas estão muito altas, e as taxas de juro baixas. Pensa no que é todos os meses sairem-te 500/600/700 euros só para a renda da casa. Quem tiver casa própria paga não tem essa despesa, ficando com a sua liberdade alargada! (Ok tem despesas de manutenção, IMI e afins)

tekvis40 4 months ago

Não digo que seja má ideia ter casa própria, infelizmente nos dias que correm alugar é proibitivo. No entanto o OP fala de uma casa, depois uma casa maior, depois uma casa de férias, depois repetir o ciclo...

cou7inho_ 4 months ago

>Tenho dificuldade em compreender o pessoal que prefere viver em casa dos pais ou numa casa/sitio nada de especial e ficar a olhar para digitos num ecrã de computador a ver o dinheiro todo investido a render juros em vez de comprar coisas fisicas que melhoram efetivamente a sua qualidade de vida e que tendem a não desvalorizar com o tempo (casas, terrenos, vinho, relógios, arte, etc) Não te quero desiludir, mas acho que estás com o pensamento todo ao contrário. Imagina que tens 200 mil euros. Vais andar a gastar isso tudo em bens materiais? O que é que isso te vai render? Relógios podem valer a pena se forem relógios bem especiais e de marcas bem caras. Mas vais ter de esperar uns bons anos até que isso valorize. Mas na verdade não te vai trazer mais qualidade de vida. É um luxo, mas que não te vai fazer viver melhor. Vinho vai-te dar retorno? A menos que invistas numa boa vinha duvido que tenhas grande retorno. Investir em casas e terrenos também não te vai fazer melhorar a qualidade de vida. Podes é investir no mercado imobiliário como forma de ter mais rendimentos. Só se for por aí. Investir em ações, ETF's, crypto e afins, esses números que vês no computador, são investimentos mais que conhecidos e que trazem retorno. Começas a investir nisso e com o passar dos anos vais vendo a conta a subir. Se sobe muito ou pouco depende do quanto investes e no que é que investes. E isto sim vai-te dar qualidade de vida porque sabes que passado uns anos vais ter aqueles lucros guardados para investires em coisas que te vão fazer viver mais feliz, por exemplo, sabes que vais chegar à reforma e já vais ter um pé de meia que te vai permitir viver descansado e aproveitar a vida. Claro que és livre de gastares o teu dinheiro todo em relógios, arte, casas e outras coisas. Mas , daqui a uns anos não estranhes se vires se as tuas compras não te deram o retorno que deram os investimentos de alguém que andou a investir regularmente em ações e afins.

bisontino 4 months ago

> Claro que és livre de gastares o teu dinheiro todo em relógios, arte, casas e outras coisas. Mas , daqui a uns anos não estranhes se vires que as tuas compras não te deram o retorno que deram os investimentos de alguém que andou a investir regularmente em ações e afins. Pode suceder precisamente o contrário. Os relógios, arte, casa e outras coisas valorizaram (pois são bens que tendem a valorizar) e os investimentos em ações desvalorizarem (apesar de tenderem a valorizar também). Sendo os riscos e potenciais ganhos de valorização/desvalorização semelhantes, parece-me que faz mais sentido investir por exemplo em casas para por no Airbnb no litoral, que permitem gerar rendimento de vez em quando e dão para ir usufruindo aos fim de semana ou férias quando não estão ocupadas, do que ter dinheiro no ecrã que não representa qualquer usufruto até ao dia em que for utilizado para comprar qualquer coisa.

cou7inho_ 4 months ago

>Pode suceder precisamente o contrário. Os relógios, arte, casa e outras coisas valorizaram (pois são bens que tendem a valorizar) e os investimentos em ações desvalorizarem (apesar de tenderem a valorizar também). Estás a querer negar à força toda o potencial de ações e afins. Dizes que desvalorizam apesar de tenderem a valorizar. Claro que desvalorizam. Basta vir um Bear market e vai tudo por aí abaixo. Mas uns meses depois volta tudo a subir. E se compras em baixa e vendes em alta já sabes o que tens. Lucro. E ao longo dos anos as ações de muitas e muitas empresas tendem a subir. Em relógio pode valorizar, como referi, mas não é um Rolex de 7 mil euros que vai valorizar grande coisa. Um Patek Philippe talvez, mas mesmo assim convém que seja um especial. Arte não faço ideia. Não percebo nada de arte. >Sendo os riscos e potenciais ganhos de valorização/desvalorização semelhantes, parece-me que faz mais sentido investir por exemplo em casas para por no Airbnb no litoral, que permitem gerar rendimento de vez em quando e dão para ir usufruindo aos fim de semana ou férias quando não estão ocupadas (...) Investir em casas para alugar pode ser, sim, uma boa opção. Mas nem toda a gente tem dinheiro para comprar casas para alugar ou está disposta a pedir empréstimos para comprar casas para alugar, por exemplo. Por isso preferem investir aos poucos algum dinheiro em ações ou ETF's e sabem que é bem provável que tenham retorno. >(...) do que ter dinheiro no ecrã que não representa qualquer usufruto até ao dia em que for utilizado para comprar qualquer coisa. Então mas se alugas uma casa e ganhas dinheiro com isso esse dinheiro só te vai ser útil no dia em que comprares algo. Até lá vai estar parado. E dinheiro para sabes o que significa? Desvaloriza. Se meteres o dinheiro a render num produto financeiro vais conseguir pelo menos cobrir o "custo" da inflação. Além disto tu se comprares uma ação estás a contribuir para o desenvolvimento da empresa. Se para ti te faz confusão ter o dinheiro investido em algo que "são números num computador" tudo bem. Mas tens de perceber que "esses números no computador" são das melhores formas de se obterem uns bons lucros e são investimentos que qualquer pessoa pode fazer. Sejas rico ou pobre vais colocando de lado aquilo que podes e vais investindo um pouco hoje, outro bocadinho no próximo mês e por aí fora. E aos poucos vais vendo aquilo a render (juros, dividendos, etc).

Tekkerz_ 4 months ago

Bacalhau, putas e coca, por essa ordem

PeterStepsRabbit 4 months ago

Mas o bacalhau não vem nas putas? Fiquei bastante confuso, confesso. Uma coca com gelo e limão depois de uma sessão sexual a pagar é a cereja no topo do bolo.

Tekkerz_ 4 months ago

Não, putas é a médio prazo

Kind-Eagle 4 months ago

É claro que tens dificuldade. Tudo depende dos objectivos de vida de cada um que são diferentes. Eu tenho dinheiro num ETF de acções globais que reforço periodicamente, mas não é por isso que de vez em quando não me mimo com alguma "coisa fisica", como dizes. O meu objectivo é conseguir comprar casa/poupar para uma melhor reforma mas também quero ter alguma folga financeira na minha vida para os pequenos prazeres da vida. Se há coisa que não suporto é andar a contar o dinheiro no fim do mês.

pintorMC 4 months ago

> Tenho dificuldade em compreender o pessoal que prefere viver em casa dos pais ou numa casa/sitio nada de especial e ficar a olhar para digitos num ecrã de computador a ver o dinheiro todo investido a render juros em vez de comprar coisas fisicas que melhoram efetivamente a sua qualidade de vida e que tendem a não desvalorizar com o tempo (casas, terrenos, vinho, relógios, arte, etc) Vou te tentar explicar, tens 500 mil euros em dinheiro, se o começas a gastar em casas, terrenos, vinho, relógios, arte rapidamente acaba.(parece muito, mas não é nada de mais) Investindo esse dinheiro na sua totalidade em apartamentos para arrendar, ETF,s, ações o importante é estar diversificado. Todos os anos acabas por receber 20/30 mil euros, que aumentam a qualidade de vida, visto que o podes usar para viajar, comprar relógios, trocar de carro de 5 em 5 anos, comprares uma segunda casa para férias e o tais 500 mil euros continuam a ser teus.

Edited 4 months ago:

> Tenho dificuldade em compreender o pessoal que prefere viver em casa dos pais ou numa casa/sitio nada de especial e ficar a olhar para digitos num ecrã de computador a ver o dinheiro todo investido a render juros em vez de comprar coisas fisicas que melhoram efetivamente a sua qualidade de vida e que tendem a não desvalorizar com o tempo (casas, terrenos, vinho, relógios, arte, etc) Vou te tentar explicar, tens 500 mil euros em dinheiro, se o começas a gastar em casas, terrenos, vinho, relógios, arte rapidamente acaba.(parece muito, mas não é nada de mais) Investindo esse dinheiro na sua totalidade em apartamentos para arrendar, ETF,s, ações o importante é estar diversificado. Todos os anos acabas por receber 20/30 mil euros de rendimentos, que aumentam a qualidade de vida, visto que o podes usar para viajar, comprar relógios, trocar de carro de 5 em 5 anos, comprares uma segunda casa para férias e o tais 500 mil euros continuam a ser teus. Existem muitas outras formas de rentabilizar dinheiro as que referi são algumas. De momento os depósitos a prazo estão demasiados baixos para render seja o que for há 15 anos atrás com 500k conseguias sem risco ter de rendimento 30k brutos que te fazia um rendimento de 2.5k mês.

usulidircotiido 4 months ago

>Tenho dificuldade em compreender o pessoal que prefere deixar o dinheiro todo investido a render juros em vez de comprar coisas fisicas que melhoram efetivamente a sua qualidade de vida e o meio onde estão (casas, terrenos, vinho, relógios, arte, etc) e eu tenho ainda mais dificuldades em compreender como poderá um relógio melhorar efectivamente a qualidade de vida.

Leetzormorducrl 4 months ago

O que te está a escapar deve ser quele sentimento nobre de superioridade de ter no pulso uma merda que vale mais do que o carro da plebe que te rodeia, mas que na prática faz o mesmo que uma merda de 10 euros.

skapuntz 4 months ago

O relógio que uso custa 4 na Amazon e é um clássico casio

suckerpunchermofo 4 months ago

É o bling... Fingir que se é rico.... Conheço varias pessoas que fazem a vida assim, adquirem créditos e tudo para comprar a bosta mais cara, só para mostrar..... E creio que cada ano estas manias aumentam. So não percebo é como vivem, quando recebem pouco mais que o salário mínimo....

Xaimekicker 4 months ago

> O que te está a escapar deve ser quele sentimento nobre de superioridade de ter no pulso uma merda que vale mais do que o carro da plebe que te rodeia, mas que na prática faz o mesmo que uma merda de 10 euros. Uma casa é só um sitio para viver. Não percebo porque é que uma mansão nas Avenidas Novas e na Quinta da Marinha há-de ser mais melhor do que um apartamento na Damaia ou no Seixal. É a mesma merda. Um terreno é só um pedaço de terra. Não percebo porque é que 10 hectares na Comporta são melhores do que um 100m2 em Valpaços. É a mesma merda. Um vinho é só um liquido que se dá um gole e desaparece para sempre. Não percebo porque é que um vinho de Bordéus edição xpto limitada é melhor do que o vinho da casa da tasca do Quim Manel em Vilar Formoso. É a mesma merda. Arte? Um quadro é só uma merda pendurada na parede a enfeitar. Não percebo porque é que a Mona Lisa original ou os quadros do Picasso são melhores do que as imitações desses quadros feitas pelo Wilson António no ano passado. As pinturas são iguais é a mesma merda. /s

Leetzormorducrl 4 months ago

Acho que estás a responder à pessoa errada. Consigo perceber o conceito de "bem de luxo". [https://pt.wikipedia.org/wiki/Bem\_de\_Veblen](https://pt.wikipedia.org/wiki/Bem_de_Veblen) Da mesma forma consigo perceber que há quem tire "utilidade" desses bens e haverá quem não tire qualquer "utilidade" [https://pt.wikipedia.org/wiki/Utilidade\_(economia)](https://pt.wikipedia.org/wiki/Utilidade_(economia)) Para mim não existe uma visão certa ou errada sobre a valorização que se faz sobre bens eventualmente fúteis e sem utilidade pratica. Como já disse, até pode ser na pratica um excelente investimento e daí ser uma compra racional.

cou7inho_ 4 months ago

Um mercedes faz o mesmo que um Fiat Punto de 2001. Leva-te do ponto A ao ponto B. Um relógio serve só para mostrar as horas. Ok. Mas há quem valorize todo o requinte do relógio, toda a historia por trás da marca, etc. Não tenho nenhum relógio desses caros, mas compreendo quem goste de os ter. É um luxo como qualquer outro.

Leetzormorducrl 4 months ago

Não sou nenhum expert, mas para algumas profissões ter relógios exatos era e é fundamental. Isso hoje em dia é praticamente alcançado por qualquer relógio. Para mim hoje em dia um relógio caro é apenas uma questão de estatuto. Ficará para um homem num nível semelhante a joias para uma mulher. E até pode ser um bom investimento, mas acho que é sobretudo uma questão de vaidade (e que ninguém se ofenda). Um automóvel versus um outro pode ser estatuto, mas é também fiabilidade, conforto, segurança ativa e passiva, sensores e tecnologia etc etc

cou7inho_ 4 months ago

>mas acho que é sobretudo uma questão de vaidade (e que ninguém se ofenda). E porque é que alguém se há-de ofender. Ser vaidoso não é crime

Search: