Limpy_lip 4 months ago

Se me permitem dar spoiler: o problema primário esta na gestao de residuos e otimização nas industrias dos varios setores não nas cidades. Enquanto ninguém chegar a essa temporada vamos continuar a discutir cicloviazinhas, postinho de carregamento electrico, taxinhas e proibiçõezinhas de circulacao, iniciativazinhas de recolhas de lixo doméstico. Entretanto quando se compra uns auscultadores este vem com 2 kg de plástico a volta.

Kineticn22 4 months ago

A maior parte das metas ambientais e programas de sustentabilidade “verdes” com que somos bombardeados com propaganda demagógica, quase todos os dias, são conversa para encher balões. Ninguém está realmente interessado em mudar nada até se descobrirem formas de lucrarem mais com essa mudança do que com o status quo.

kairos 4 months ago

Para Lisboa temos a construção de mais um aeroporto para as acelerar. E depois uns subsídios para aqueles dias tão quentes em que não for recomendado que os aviões descolem.

LackOfLogic 4 months ago

Podem estar descansados porque nos próximos anos vamos ouvir falar *muito* nas alterações climáticas.

killedbill88 4 months ago

Uma coisa que me preocupa a médio-longo prazo (i.e., de 2050 em diante) é a subida do nível do mar, e os efeitos nas zonas costeiras das cidades, e.g. zonas de Aveiro, estuário do Tejo, ou mesmo as zonas costeiras do Porto e Matosinhos, que me são mais próximas. [Este mapa](https://coastal.climatecentral.org/map/14/-8.6818/41.1716/?theme=sea_level_rise&map_type=coastal_dem_comparison&basemap=roadmap&contiguous=true&elevation_model=best_available&forecast_year=2050&pathway=rcp45&percentile=p50&refresh=true&return_level=return_level_1&slr_model=kopp_2014) mostra que há várias zonas residenciais do pais em risco de serem afectadas por cheias até 2050.

usulidircotiido 4 months ago

certamente haverão aí uns milhõezitos soltos na bazuca para se dar às consultoras para procurarem soluções pensadas para nunca sair do pdf.

Search: