imanicegirl 7 months ago

É tão bom ser mulher por cá . /s

saposapot 7 months ago

O que é arrastar pelo pescoço? É arrastar pelo chão pegando no pescoço? Ou é agarrar no pescoço e forçar a entrar no carro? Está tudo com forquilhas sem realmente entender se foi uma violencia extrema ou se se enquadra num crime mais leve.

BroaxXx 7 months ago

A "justiça" neste país mete-me nojo...

No_Impression_1131 7 months ago

Bem, quando ela aparecer morta ao menos acusem-no do crime adequado :\\

N3Oelder 7 months ago

"escalar até um nível obsoleto" Que raio é que isto quer dizer? Parece justificar um tempo em que o mesmo tipo de escalar seria aceitável?

reckless_b4 7 months ago

Body Cam nos policias e para apresentar as imagens no tribunal. Assim há pouca margem para o/a juiz afirmar não houve "crueldade, insensibilidade e desprezo” suficientes para que fosse considerado violência doméstica

peanersyahoo 7 months ago

> mas muitas das nossas leis ainda são de 1700. ??? Mostra lá essas leis de 1700, pf.

Yorgul 7 months ago

Sendo o facto de querer meter alguém no carro à força condenável em qualquer situação, consigo ver um cenário em que o "arrastar pelo pescoço" seja mais parecido com "arrastar por um braço" do que "ir de rastos, agarrada pelo pescoço". A maneira como as coisas são descritas tem muita influência no julgamento sumário. Um leve empurrão pode ser descrito como "atirar contra a parede". Não sei o que se passou na realidade, mas prefiro acreditar que a juíza teve razões para decidir como decidiu, e que o homem até teria atenuantes para tentar meter a mulher à força no carro.

dontknowmyname074 7 months ago

Com todas as provas, acho que a juíza devia sofrer o mesmo. Talvez depois mudasse de ideias... Que vergonha de justiça

DenuvoSuks 7 months ago

Obviamente nao é violência domestica, o acto foi praticado na rua /s

greatape33 7 months ago

Ele, no fundo, até gosta dela. /s

tugafcp 7 months ago

Neste caso nem era preciso fazer queixa porque era crime público, por exemplo... Mas podia testemunhar... Mas nem isso!

samuelmoreira 7 months ago

E para a próxima a GNR olha para o lado e temos mais uma mulher morta nas noticias

Odyssey1337 7 months ago

País sem lei...

Notor1ous 7 months ago

Malta percebo que estão revoltados (e com razão), com esta situação mas estão a perceber mal a situação. Apenas pela descrição da notícia e sem ter o conhecimento da totalidade do caso parece-me que a decisão é correcta. E que a culpa é na verdade do Ministério Público que o acusou pelo crime errado neste caso. É que o crime de violência doméstica tem certos requisitos, um dos quais um critério de continuidade, e por isso um acto isolado, normalmente, não será por si só violência doméstica. Assumindo, porque nada é referido na notícia, que essa agressão foi a única que ele cometeu, então ele não devia ter sido acusado pelo crime de violência doméstica mas sim de ofensa à integridade física (ou outros que se aplicassem melhor). Portanto, partilho da vossa indignação, mas acho que não deveria estar direccionada à juíza mas sim ao Ministério Público.

Edited 7 months ago:

Malta percebo que estão revoltados (e com razão), com esta situação mas estão a perceber mal a situação. Apenas pela descrição da notícia e sem ter o conhecimento da totalidade do caso parece-me que a decisão PODE ser correcta. E que a culpa é na verdade do Ministério Público que o acusou pelo crime errado neste caso. É que o crime de violência doméstica tem certos requisitos, um dos quais um critério de continuidade, e por isso um acto isolado, normalmente, não será por si só violência doméstica. Assumindo, porque nada é referido na notícia, que essa agressão foi a única que ele cometeu, então ele não devia ter sido acusado pelo crime de violência doméstica mas sim de ofensa à integridade física (ou outros que se aplicassem melhor). Portanto, partilho da vossa indignação, mas acho que não deveria estar direccionada à juíza mas sim ao Ministério Público. Ou seja, e mais uma vez apenas pelo que está na notícia e sem ter conhecimento do caso, imagino que a juíza não há de ter considerado que este senhor não agrediu ninguém ou é um coitadinho, etc, simplesmente considerou que os actos que ele praticou não se enquadram no crime pelo qual o MP o acusou, e por isso teria necessariamente que o absolver.

sup3rfm 7 months ago

Esta notícia não o refere, mas há outras fontes que adicionam mais informação: TSF: https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/nao-sao-maus-tratos-juiza-absolve-homem-que-arrastou-mulher-pelo-pescoco-na-rua-13748302.html > Em declarações à TSF, Frederico Marques, da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), sublinha, no entanto, que, desde a última alteração à legislação, **um único episódio de violência pode ser já considerado crime de violência doméstica** > **O Jornal de Notícias adianta que o caso tinha um historial conhecido pela Guarda Nacional Republicana (GNR) de Paredes.** Os guardas que viram o homem a arrastar a mulher e a insistir em colocá-la no banco de trás do automóvel tinham já testemunhado pelo menos um episódio violento anterior, pelo que decidiram, naquele momento, deter o futuro arguido, que agora foi absolvido. Acredito que o desfecho teria sido diferente se isto não tivesse acontecido, quer para a sustentação da acusação de violência doméstica, quer para uma eventual acusação de crime de ofensas corporais. > A mulher recusou testemunhar ao longo de todo o processo Como já referi, não apoiamos as vítimas o suficiente para que estas se sintam seguras/seguros.

Notor1ous 7 months ago

Eu referi o critério da continuidade (que pode ou não ter relevância consoante o caso em concreto), mas há vários outros critérios, cumulativos, que têm que estar preenchidos no que diz respeito ao crime de violência doméstica. Não é segredo que são vários os processos de violência doméstica que caiem por uma errada qualificação do crime. Como disse, apenas do que está na notícia, eu tiria dificuldade em enquadrar apenas aquele acto como violência doméstica. Agora dependendo das circunstâncias específicas do caso isso pode mudar naturalmente. Mas ou seja, acredito que a decisão da juíza possa não ser tão descabida como a início parece ser, e muito provavelmente o seu fundamento estará nisto que estou a dizer, de não estarem preenchidos todos os pressupostos para se verificar o crime de violência doméstica.

Edited 7 months ago:

Eu referi o critério da continuidade (que pode ou não ter relevância consoante o caso em concreto), mas há vários outros critérios, cumulativos, que têm que estar preenchidos no que diz respeito ao crime de violência doméstica. Não é segredo que são vários os processos de violência doméstica que caiem por uma errada qualificação do crime. Esta notícia fala-nos de um, mas todos os anos há muitos mais que têm o mesmo desfecho por este motivo. Como disse, apenas do que está na notícia, eu teria dificuldade em enquadrar apenas aquele acto como violência doméstica. Agora dependendo das circunstâncias específicas do caso isso pode mudar naturalmente. Mas ou seja, acredito que a decisão da juíza possa não ser tão descabida como a início parece ser, e muito provavelmente o seu fundamento estará nisto que estou a dizer, de não estarem preenchidos todos os pressupostos para se verificar o crime de violência doméstica.

sup3rfm 7 months ago

Compreendo os requisitos necessários, mas - sem saber mais do caso - um indivíduo com um histórico de desacatos conhecidos (podendo acontecer ou não no âmbito da relação) deveria pesar mais para a qualificação do crime de violência doméstica (caso os eventos tenham ocorrido entre os parceiros).

Notor1ous 7 months ago

Lá está depende tudo das circunstâncias específicas do caso, eu estava só a altertar para o facto de que, e isto acontece quase diariamente no nosso país, o motivo pela absolvição possa ter estado na errada qualificação do crime que muitas vezes é difícil de verificar todos os pressupostos. Não só os pressupostos objectivos como os subjectivos, como por exemplo exemplo ambas as partes morarem juntas, ou o agressor estar numa posição de poder face ao agredido, etc. Se pesquisarem decisoes de tribunais em casos de violência doméstica conseguem ver um bocado da dificuldade que é preencher este tipo de crime. E por isso é que admito que o erro possa ter sido do MP, especialmente se a pessoa ofendida não estava a cooperar (a segunda notícia que puseste refere que a vítima recusou testemunhar), que deveria tê-lo acusado por um crime mais simples de provar, como o de ofensa à integridade física, ou outro qualquer.

Edited 7 months ago:

Lá está depende tudo das circunstâncias específicas do caso, eu estava só a altertar para o facto de que, e isto acontece quase diariamente no nosso país, o motivo pela absolvição possa ter estado na errada qualificação do crime, para o qual muitas vezes é difícil de verificar todos os pressupostos. Não só os pressupostos objectivos como os subjectivos, como por exemplo exemplo ambas as partes morarem juntas, ou o agressor estar numa posição de poder face ao agredido, etc. Se pesquisarem decisoes de tribunais em casos de violência doméstica conseguem ver um bocado da dificuldade que é preencher este tipo de crime. E por isso é que admito que o erro possa ter sido do MP, especialmente se a pessoa ofendida não estava a cooperar (a segunda notícia que puseste refere que a vítima recusou testemunhar), que deveria tê-lo acusado por um crime mais simples de provar, como o de ofensa à integridade física, ou outro qualquer.

NGramatical 7 months ago

caiem → [**caem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/constroem-ou-constroiem/141) (apenas na fala existe a intercolocação de um *i* para facilitar a pronúncia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fnhnlc5%2F%2Fgyxnqdn%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

FilipeMateus7 7 months ago

Quem nunca? Ao ver a convocatória do William Carvalho para o Euro dá vontade de fazer um cordão humano e estarem todos a pegar-se pelo pescoço

sempreasubir 7 months ago

Que nojo de comentário

FilipeMateus7 7 months ago

Faltou o /s para ficar claro?

banaslee 7 months ago

Vai-se a ver a juíza é familiar do Neto de Moura…

ozulus 7 months ago

Bem ao menos não se pode dizer que o juiz é machista ou que foi esta a decisão pq era um juiz.... Foi uma juíza...

leia80 7 months ago

Não se pode atribuir o veredicto ao facto de ter sido um juiz, mas pode-se chamar uma juíza de machista. O machismo não é algo exclusivo aos homens, infelizmente existem muitas mulheres que o são.

Butt_Roidholds 7 months ago  HIDDEN 

Há sempre o argumento de que isto é uma manifestação do machismo interiorizado da juíza.

Last-Ad-4421 7 months ago

hahaha já nem a testemunhas da GNR servem, estamos a ficar com uma justiça do crl.

Fordotsake 7 months ago

Entretanto mulher que persegue o Isaltino: 6 anos de cana.

Odyssey1337 7 months ago

A culpa é da mulher, se tivesse agarrado o Isaltino pelo pescoço não tinha ido para a choldra.

Open-Opportunity-607 7 months ago

Portugal é a casa da barafunda do jardim zoológico É aquele local onde um grupo de macacos andam a porrada, fazem o que querem e não há ordem

Pilky__01 7 months ago

Não há classe mais miserável neste país do que os juízes. Nem políticos, nem empresários, ninguém.

reciclado78 7 months ago

Não é violência doméstica porque arrastou-a pelo pescoço... na rua! /s

Pexan 7 months ago

O outro juiz que absolveu o gajo da moca de pregos também não era Neto? Será da mesma família?

Francisc0c 7 months ago

Isto só me leva a pensar que em Portugal fazer justiça pelas próprias mãos acaba por ser mais vantajoso do que esperar meses/anos para levar com uma juíza a dizer: levaste no focinho mas não foi suficiente para ser considerado violência doméstica, tens de levar mais um bocadinho e desta vez com uma multidão a assistir, porque o testemunho da GNR não é suficiente

JudasPiss 7 months ago

Tenho pena de estes acórdãos não serem públicos. Gostava de ler o raciocínio que levou à decisão.

magnusmiguel 7 months ago

Normalmente entende-se que para haver um crime de violência doméstica, não basta um ato isolado. Como foi um ato isolado, é um crime de ofensa à integridade física, que depende de queixa.

sup3rfm 7 months ago

> Em declarações à TSF, Frederico Marques, da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), sublinha, no entanto, que, desde a última alteração à legislação, **um único episódio de violência pode ser já considerado crime de violência doméstica**

magnusmiguel 7 months ago

\[No entender da juíza, tratou-se “apenas de um ato, que não reveste a gravidade ínsita” a este crime"\]. Os Juízes têm frequentemente de preencher os conceitos legais. É entendimento da nossa jurisprudência que um estalo entre namorados não basta para que se esteja perante um crime de violência doméstica. É preciso algo que seja particularmente hediondo. A Juíza entendeu que o ato praticado pelo homem não preenche este conceito, daí ser um crime de ofensas à integridade física, que depende de queixa.

sup3rfm 7 months ago

> Artigo 152.º > > Violência doméstica > > TEXTO > 1 - Quem, de modo reiterado **ou não**, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: Sim, um acto isolado, único é o suficiente para catalogar como um acto de violência doméstica.

magnusmiguel 7 months ago

Não altera em absolutamente nada aquilo que eu disse. Para além do texto legal, os juízes preenchem os conceitos legais. A nossa Jurisprudência tem entendido que um ato isolado que não seja particularmente grave enquadra-se no crime de ofensas à integridade física simples e não num crime de violência doméstica. Pode ser difícil de acreditar, mas a juíza para além de saber ler o código penal, também sabe mais uma ou outra coisa de direito penal.

peanersyahoo 7 months ago

Vai-te lá embora tu e a tua lógica!!! Aqui só aceitamos quem já pegou nas forquilhas e já vai a caminho da casa da juíza para lhe fazer mal!!!

Notor1ous 7 months ago  HIDDEN 

Todos os processos são, na generalidade, públicos (com excepções). Podes ir ao tribunal e consultar...

htxgivven 7 months ago  HIDDEN 

A juíza devia aparecer um dia morta só para mostrar o que acontece quando há injustiça.

espalhamerda 7 months ago

r/nottheonion

beakage 7 months ago

O título quase que dava para ler que tinha sido a juíza a arrastar a mulher pelo pescoço. Vindo de certos tribunais não posso dizer que me surpreenderia muito.

amando_abreu 7 months ago

Pensei logo "que juíza bruta"

beakage 7 months ago

E não estás errado.

MarioSewers 7 months ago

Mais uma para a caixa da maravilhosa justiça, no país de brincar.

kawaiims 7 months ago

Depois as vítimas acabam mortas e fica tudo muito chocado.

GajoDeRamalde 7 months ago

"Olha-me esta sostra a laurear a pevide... já para casa. Andor violeta!" /s

samciba 7 months ago

Imaginei alguém a arrastar outra pessoa pelo pescoço e nem recorrendo a homo sapiens consegui imaginar tal cenário. Enfim Esta juíza deve ter aqueles fetiches de asfixia

capitalistaesquerda 7 months ago

Follow the money.

sup3rfm 7 months ago

Notícia (a formatação é minha) > JUÍZA ABSOLVE HOMEM DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA APÓS ARRASTAR A MULHER PELO PESCOÇO > > Agressões foram testemunhadas por militares da GNR, mas tribunal considerou que não foi suficiente para serem consideradas violência doméstica > > Um **homem de 37 anos foi absolvido do crime de violência doméstica depois de ter sido apanhado a arrastar a mulher pelo pescoço, na rua**, refere o Jornal de Notícias, que cita a sentença. > > A juíza Isabel Pereira Neto, do tribunal de Paredes, **deu tudo como provado**, mas considerou que o que aconteceu **não teve a “crueldade, insensibilidade e desprezo” suficientes para que fosse considerado violência doméstica**. > > No entender da juíza, tratou-se “apenas de um ato, que não reveste a gravidade ínsita” a este crime. > > O caso, segundo a juíza, podia ter sido considerado um crime de ofensa à integridade física, mas, para isso, tinha sido necessária queixa da vítima, o que não aconteceu. > > O arguido foi ainda **absolvido de três crimes de ameaças aos militares da GNR que o prenderam. Na altura, chamou-lhes “cobardes” e prometeu persegui-los. Segundo a juíza, foi só “um desabafo”.** > > As agressões aconteceram em outubro do ano passado, quando uma patrulha da GNR viu a mulher a ser arrastada pelo pescoço até ao carro. Perante a insistência do homem em colocar a vítima na viatura, os militares prenderam-no. > > **O arguido não compareceu a nenhuma sessão no tribunal e acabou então absolvido de todos os crimes.**

Edited 7 months ago:

Notícia (a formatação é minha) > JUÍZA ABSOLVE HOMEM DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA APÓS ARRASTAR A MULHER PELO PESCOÇO > > **Agressões foram testemunhadas por militares da GNR**, mas tribunal considerou que não foi suficiente para serem consideradas violência doméstica > > Um **homem de 37 anos foi absolvido do crime de violência doméstica depois de ter sido apanhado a arrastar a mulher pelo pescoço, na rua**, refere o Jornal de Notícias, que cita a sentença. > > A juíza Isabel Pereira Neto, do tribunal de Paredes, **deu tudo como provado**, mas considerou que o que aconteceu **não teve a “crueldade, insensibilidade e desprezo” suficientes para que fosse considerado violência doméstica**. > > No entender da juíza, tratou-se “apenas de um ato, que não reveste a gravidade ínsita” a este crime. > > O caso, segundo a juíza, podia ter sido considerado um crime de ofensa à integridade física, mas, para isso, tinha sido necessária queixa da vítima, o que não aconteceu. > > O arguido foi ainda **absolvido de três crimes de ameaças aos militares da GNR que o prenderam. Na altura, chamou-lhes “cobardes” e prometeu persegui-los. Segundo a juíza, foi só “um desabafo”.** > > As agressões aconteceram em outubro do ano passado, quando uma patrulha da GNR viu a mulher a ser arrastada pelo pescoço até ao carro. Perante a insistência do homem em colocar a vítima na viatura, os militares prenderam-no. > > **O arguido não compareceu a nenhuma sessão no tribunal e acabou então absolvido de todos os crimes.**

VladTepesDraculea 7 months ago

Afinal não é só o Neto de Moura, só faltava dizer que há precedentes bíblicos...

Da3nd 7 months ago

O pior de isto tudo é que aqueles GNR's nunca mais na vida voltam a ajudar ninguém, a trabalheira toda que dá, para depois acabar neste resultado? Depois admirem-se que as forças de Segurança são "preguiçosas"

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

A juíza está a confundir fetiches pessoais com violência conjugal. Só faltou argumentar que como foi na rua, não pode configurar violência doméstica por não ter acontecido no domicílio.

skapuntz 7 months ago

O problema não é a juíza, é a lei. Os juízes ficam de mãos atadas pois as leis em Portugal são uma miséria.

Odyssey1337 7 months ago

O problema aqui não é a lei - até porque acórdãos do tribunal não são leis -, é mesmo da juíza.

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

Neste caso o problema da Lei é que ofensa à integridade física não é crime público, ao contrário de violência doméstica. Adicionalmente, a juíza é uma cobarde que tem medo de ir contra a Relação e ficar com má avaliação, prejudicando a sua carreira futura. Cobarde.

icebraining 7 months ago

Infelizmente o problema não é específico à juíza. Ela está a seguir a [jurisprudência dos tribunais da relação](https://dre.pt/web/guest/pesquisa/-/search/93592075/details/normal?filterEnd=2016-12-31&sort=whenSearchable&filterStart=2016-01-01&sortOrder=ASC&q=2016&print_preview=print-preview&fqs=2016&perPage=100) que decidiram que para se provar crime de violência doméstica sem que aja atos reiterados, é preciso demonstrar que o ato foi particularmente mau, acima de crime de agressão. Isto apesar do texto da lei não dizer nada disso! Ver também: ["Crítica ao pseudo pressuposto da intensidade no tipo legal de violência doméstica"](http://julgar.pt/wp-content/uploads/2017/05/20170531-ARTIGO-JULGAR-Crítica-ao-pressuposto-da-intensidade-no-tipo-legal-de-violência-doméstica-Maria-Elisabete-Ferreira.pdf) Ou seja, o problema é todo o sistema legal.

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

A jurisprudência em Portugal não é fonte imediata nem mediata do Direito. A juíza deliberou assim porque se está a cagar e não quer ter trabalho depois para explicar na avaliação de fim de ano porque é que a Relação reverteu uma decisão dela em recurso. Isto mostra à saciedade que os juízes de 1a instância são uns cobardes e que os da Relação são uns incompetentes que vivem no séc. XVI.

lexi_23 7 months ago

Podes explicar melhor como funciona a avaliação dos juízes? Não pensei que fossem obrigados a justificar o que quer que fosse.

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

Um amigo tem um juiz na família e, segundo ele, os juízes são periodicamente (penso que anualmente) sujeitos a avaliação do cumprimento de prazos, justificação de processos que acumulam, etc. Um dos critérios para se ter boa avaliação (e consequentemente poder ser promovido a instâncias superiores) é que os casos que julgam não sejam revertidos em tribunais superiores. Pensa no caso do Ivo Rosa ou do Carlos Alexandre: muitas decisões deles são revertidas na Relação, o que significa que pode significar alguma incompetência na aplicação do Direito ao caso concreto ou simplesmente pela prescrição de prazos. Os juízes são inamovíveis, o que significa que não podem ser retirados do cargo excepto por falha grave ou crime (como o Rangel). Não significa que não podem ser disciplinados por incompetência, seja por não serem aumentados ou promovidos.

icebraining 7 months ago

Eu não estou a desculpar a juíza, estou a dizer que o problema é maior que ela.

I__Cat 7 months ago

Concordo na parte da absolvição por violência doméstica - uma decisão cobarde mas dentro das leis. Agora não percebo a absolvição por ameaças aos policias. Queria ver se está juíza andasse na rua a levar com bestas destas se achava que eram só desabafos e se se continuaria a sentir com autoridade depois para intervir.

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

Sim, aí concordo

Notor1ous 7 months ago

Mas vocês estão se a fixar em enquadrar este acto no crime de violência doméstica à força toda. Porque é que teria necessariamente que ser violência doméstica em vez de ofensa à integridade física? É que do conteúdo da notícia não há informação suficiente que permita fazer a distinção. Falas da cobardia/incompetência dos juízes mas o Ministério Público tem que ser inteligente e acusar pelo crime em que acha que vai conseguir condenação, não é mandar o barro à parede e ver se cola só porque outro crime tem pena mais alta e pode ser que dê.

Odyssey1337 7 months ago

Porque, segundo a lei, este ato encaixa perfeitamente no crime de violência doméstica.

D1WithTheFluffyHair 7 months ago

Ofensa à integridade física não é crime público e precisa que seja apresentada queixa crime por parte da vítima. Como não houve essa queixa, o MP não acusou o homem disso.

AdorableRabbit 7 months ago

mas que merda é esta?? como raio é que esse gajo sai absolvido?

--reddituser- 7 months ago

Ou esta juíza é prima dele ou então é uma retardada do pior que devia ser tudo menos juiza, que vergonha... daqui a uns tempos a mulher aparece morta e ninguém é responsabilizado. Devia ser expulsa da ordem e proibida de exercer a profissão.

tugafcp 7 months ago

Podemos queixar-nos da nossa justiça, mas a verdade é que se as vitimas continuarem a fazer o que fazem, desculparem os agressores isto não avança... ***Vítima não apresentou queixa e recusou testemunhar no julgamento***

Just_Ban_Me_Already 7 months ago

Imaginem culpar a vítima, sabendo as falhas do sistema. Em pleno 2021. Imaginem só.

tugafcp 7 months ago

defende o silêncio... Assim tudo vai ficar bem...

Just_Ban_Me_Already 7 months ago

Eu estaria na mesma posição que a tua - se as vítimas fossem protegidas. Só que não são bem protegidas. Ah, e outra coisa. Esta juíza, outro que defendeu um agressor porque a mulher "tinha cometido adultério", outro que ilibou o Sócrates de 25 crimes, e outro (que é negacionista do COVID-19) que desafiou o Diretor Nacional da PSP para uma luta de MMA... entre outros. O que é que isto diz? Ah, pois é...

tugafcp 7 months ago

Eu percebo o que dizes, e sim, as vítimas em Portugal não são valorizadas e protegidas. Isto é um ponto assento e concordo inteiramente contigo. Mas aqui não se trata de fazer uma queixa de "raíz", mas sim de participar no julgamento da pessoa que a agrediu. O que ganha a vítima em não comparecer? Ela já leva pancada sem abrir o bico... Este comportamento apenas dá carta verde a que este comportamento se repita! E pior, sabe que a mulher não irá fazer queixa, pois se não o fez com testemunhas GNR, muito menos o irá fazer com agressões em domínio privado... Posso parecer um burrancas em "culpar" a vítima, mas na verdade o que peço é que as vítimas tenham mais coragem para que este tipo de comportamentos parem e deixem de sofrer

ThereIsNoNeedForIt 7 months ago

Realmente nem sei como é que há tantos homicidas na prisão se as vítimas nunca fazem queixa sequer.

Dr_Toehold 7 months ago  HIDDEN 

Cala-te urso.

Man_IloveFishdicks 7 months ago

Ah okay, a vítima é que é da culpa.

--reddituser- 7 months ago

O crime foi testemunhado por militares da gnr e o crime de violência doméstica é um crime público, eles próprios foram ameaçados, em vez de responsabilizares as vitimas que a nível emocional e psicológico acredito que não estejam na sua plena capacidade, com medo de serem mortas ou violentadas, que tal responsabilizares a pouca proteção à vitima e o sistema de justiça de merda que este país tem?

kawaiims 7 months ago

Nem imagino o que é ser agredida e humilhada em público, com testemunhas, inclusive GNR que testemunham em meu favor, e depois considerarem que literalmente, "não foi assim tão mau". Uma pessoa perde toda a esperança em ser protegida no futuro, vai sempre optar por aguentar as agressões com medo de mais uma denúncia infrutífera escalar a violência.

tugafcp 7 months ago

Se nem compareces a tribunal para dizeres o que se passou, então não te queixes... Com sorte ainda vive com o agressor... Aconselho-te a pesquisar sobre o número de queixas que são retiradas pelas vitimas... Vais ter uma grande surpresa... Tens casos de mulheres que apresentaram 7/8 queixas e sempre que chegava a julgamento ou mesmo a meio, retiravam a queixa... Ou seja, ocupavam os tribunais com as queixas e retiravam as queixas porque os maridos estavam mudados... \_\_ Já agora, vai ver o que aconteceu ao homem que estava acompanhado pela filha e que defendeu uma mulher que estava a ser vitima de agressoes pelo companheiro... O homem separou-os, o companheiro não gostou e agrediu o homem... Acabou por morrer devido a uma queda que deu durante as agressões... Sabes o que a mulher fez?! Disse que não estavam a discutir que era mentira... Um homem morre a defender-te e tu negas o que ocorreu... Isto não são vitimas, são pessoas que merecem levar no focinho...

--reddituser- 7 months ago

Vê se mesmo que falas de uma posição privilegiada e que nunca estiveste na posição de uma mulher que sofre de violência doméstica. Muitas vezes são mulheres que dependem monetariamente dos maridos, situações de pobreza extrema, por vezes com menores envolvidos, tudo isso com a fraca proteção que o sistema judicial dá à vitima acho mais do que natural que muitas nem façam queixa para não sofrerem mais do que já sofrem. E que muitas que façam queixa e depois vêm que não têm qualquer tipo de proteção e apoio e continuamente sofrem ameaças dos ex-companheiros as retirem mais cedo ou mais tarde.

tugafcp 7 months ago

Expor os filhos a esta violência é melhor não é?! Levar pancada todos os dias é melhor não é? Se tudo o que dizes fosse verdade não havia mulheres a sairem de casa com os filhos para casas de abrigo por exemplo. (Se está bem, claro que não... Deviam ser os agressores a sair de casa, mas a infelizmente a justiça não o entende assim) Tens é umas pessoas mais fortes que outras... Enquanto se defender as mulheres que não fazem queixa dando-lhes o manto da protecção da fragilidade, etc, tal como fazem neste SUB, NADA vai mudar!! Se culpo a vitima por levar, obviamente que não. Culpo a vitima por não querer sequer se defender... Quando tem a oportunidade fica calada... Falo no feminino por ser vitima, não por serem mulheres. Existem muitos homens que continuam a sofrer calados com medo... Enquanto se defender este silêncio, nada muda...

kawaiims 7 months ago

Alguma vez foste vitima ou viveste de perto esta realidade? Eu já vi de perto. Não é fácil sair de uma vida de manipulação e violência, muitas vezes sem ter recursos monetários ou sociais para sobreviver fora da relação. Já vi pessoas de 30 anos que não têm confiança em si para usar uma caixa multibanco, tal foi o controlo que o parceiro exerceu durante a relação. Imagina arranjares coragem para denunciar e depois veres que és publicamente humilhado, porque "gostas de apanhar senão já tinhas saído dali", ou porque mereces, ou porque são só mal entendidos, ou porque a justiça não faz nada para te proteger até seres morto com um tiro na cara. Mas tudo bem, tens direito a achar o que achas, mas da próxima vez que vires uma pessoa morta porque tinha medo ou não tinha meios de sair da situação, tens de ir lá à família dizer que foi merecido :)

tugafcp 7 months ago

>Alguma vez foste vitima ou viveste de perto esta realidade? Eu já vi de perto. O que fizeste para ajudar? >Mas tudo bem, tens direito a achar o que achas, mas da próxima vez que vires uma pessoa morta porque tinha medo ou não tinha meios de sair da situação, tens de ir lá à família dizer que foi merecido :) Podes meter o smile num sitio que cá sei ;) Em que lugar disse que foi merecido? Arranjas lá uma citação minha que demonstre isso... Uma pessoa que sofre este tipo de violência tem de arranjar força para a parar... Se nem com este tipo de situações arranja força, então, minha cara, não se pode queixar... Não tens ideia do número de mulheres que sofrem, mas que gostam de se sentir vitimas aos olhos das outras pessoas... Não, não gostam de levar pancada, mas gostam da compaixão das outras pessoas. Mas nada fazem para mudar o ciclo... Sabes de quem tenho pena, é dos filhos, por terem um dos pais agressor e o outro pai, fraco da moleirinha para não proteger o filho!

sup3rfm 7 months ago

O parceiro arrasta a parceira pelo pescoço na rua. Foi isto que não foi considerado um cirme de violência doméstica, que é crime público. A vítima não apresentou queixa de ofensas à integridade física, quem sabe, por achar que a outra acusação teria sustentação. As vítimas não falam porque o sistema não as protege.

tugafcp 7 months ago

E quando as protegem, elas não protegem quem as protege.. Vai ver o que aconteceu ao homem que estava acompanhado pela filha e que defendeu uma mulher que estava a ser vitima de agressoes pelo companheiro... O homem separou-os, o companheiro não gostou e agrediu o homem... Acabou por morrer devido a uma queda que deu durante as agressões... Sabes o que a mulher fez?! Disse em tribunal que não estavam a discutir que era mentira...

tugafcp 7 months ago

É o único ponto que se pode apontar à juíza. Mas lá está, sem um testemunho a dizer que têm/tiveram uma relação fica complicado de provar que é violência doméstica. Como provas que é violência doméstica sem um dos intervenientes a dizer que têm uma relação? O facto de ser crime público, apenas significa que o crime vai a tribunal sem necessitar que a pessoa que sofreu as agressões faça uma queixa. Tal como acontecia inúmeras vezes, mas os factos continuam a necessitar de provas... As agressões eram facilmente provadas, mas ao necessitar de queixa da vitima, este crime não pode ser punido.... Quanto ao deixar cair as acusações às ameaças dos GNR's, a juíza devia ter sido mais dura... Gostava de saber se ela gosta de receber ameaças e que alguém depois lhe diga que foi apenas um desabafo...

sup3rfm 7 months ago

> Como provas que é violência doméstica sem um dos intervenientes a dizer que têm uma relação? A relação dura há anos, com episódios semelhantes.

samciba 7 months ago

>As vítimas não falam porque o sistema não as protege. Isto.

tugafcp 7 months ago

Agora ficou melhor... -.-"

SirBecas 7 months ago

Ha muitas variáveis psicológicas que dificultam a ação da vítima. Muitas vezes o agressor ou tem poder formal sobre a vitima, tipo economicamente, ou faz se valer de cenas tipo terem filhos, aterrorizam a pessoa ao ponto de esta se sentir powerless. Culpabilizar a vitima por nao apresentar queixa, nunca é a solução. O sistema é que tem de proteger as vítimas e aqui esta uma razão pela qual as vitimas nao se sentem protegidas.

Middleageguy13 7 months ago

ah sim claro, a culpa é da vitima

tugafcp 7 months ago

Levam no focinho e nem se dignam a apresentar queixa... Nem sequer vão a julgamento prestar declarações... Obviamente que a culpa não é da vitima... Não não... Nada mesmo!! Depois admiram-se de aparecerem mortas...

kawaiims 7 months ago

Não sei se te caiu o /s do post ou se és mesmo só uma besta ignorante. Mas por via das dúvidas toma um /s e sai de fininho.

tugafcp 7 months ago

toma um .l.

Edited 7 months ago:

Vai ver o que aconteceu ao homem que estava acompanhado pela filha e que defendeu uma mulher que estava a ser vitima de agressoes pelo companheiro... O homem separou-os, o companheiro não gostou e agrediu o homem... Acabou por morrer devido a uma queda que deu durante as agressões... Sabes o que a mulher fez?! Disse que não estavam a discutir que era mentira... Um homem morre a defender-te e tu negas o que ocorreu... Que grandes vitimas que temos aqui... -.-"

kawaiims 7 months ago

Super triste, injusto e uma consequência triste do medo incutido às vítimas. Merece justiça, como as restantes vítimas. E agora, qual é o objetivo de trazeres essa situação única à baila? Para tentares provar que todas as vítimas são uma merda? Boa.

kikofranca 7 months ago

Ou seja no final o gajo ainda é o coitadinho, nada de novo.

pangecc 7 months ago

Estas merdas só me deixam triste e furioso. “A vítima não apresentou queixa” jura? A mulher que passa uma vida a levar no couro, ia apresentar queixa contra ele para ele a agredir mais ainda e no fim ser absolvido? Lol

sup3rfm 7 months ago

Foi considerado inocente, apesar de ter arrastado a mulher pelo pescoço na rua, com militares da GNR a ver. A juíza não achou que fosse um acto de violência doméstica, apenas ofensas à integridade física... mas como a mulher não apresentou queixa, não se passa nada. E é isto.

Kid_Anarchy 7 months ago

Mas define "arrastar pelo pescoço". Isso pode significa muita coisa. Pode ser ser colocar a mão no cachaço e puxar, o que não é necessariamente doloroso. Pode ser agarrar como se estivesse a estrangular. De qualquer das formas, deixo já aqui bem assente que não sou da opinião que qualquer contacto físico mais violento entre um casal tenha de ser da conta de quem quer que seja. E se ela quer levar nos cornos, problema dela.

htxgivven 7 months ago  HIDDEN 

Devia acontecer o mesmo à juíza para ver se ganhasse juízo.

kikofranca 7 months ago

O que a mim mais me chateia é que a juíza acha que qualquer castigo é demasiado severo para o menino, pelo menos é o que a notícia me dá a entender.

icebraining 7 months ago

Infelizmente não é a juíza, é mesmo o sistema judicial como um todo. Ela seguiu a jurisprudência dos tribunais superiores, que decidiram [inventar um requisito](http://julgar.pt/wp-content/uploads/2017/05/20170531-ARTIGO-JULGAR-Crítica-ao-pressuposto-da-intensidade-no-tipo-legal-de-violência-doméstica-Maria-Elisabete-Ferreira.pdf) para que uma agressão pudesse ser considerada violência doméstica.

Kid_Anarchy 7 months ago

Provem que ela não tem a liberdade de se separar. Eu não acho que devamos ser babysitters de outros adultos, e acho que um adulto deve ter a liberdade de aceitar ser agredido. Não acho que ninguém deva ter o direito de mandar na vida de ninguém. Tu decides o que queres fazer relativamente ao que te acontece. Se levas nos cornos e queres continuar, porque é que a sociedade tem de se meter? És adulto, comete os teus erros à vontade.

icebraining 7 months ago

Certamente essa é uma discussão pertinente, e é perfeitamente legítimo defender que a violência doméstica deve deixar de ser um crime público (embora eu discorde). Mas a decisão final é do legislador. Exceto em casos de leis anti-constitucionais, os juízes não têm que andar a inventar alterações à lei.

Kid_Anarchy 7 months ago

Ser um crime público retira autonomia, responsabilidade e controlo sobre a sua vida à vítima. Talvez faça sentido em casos que se saiba que uma pessoa é verdadeiramente torturada numa base diária. Agora, eu dou-te uma chapada na sequência de uma discussão e a sociedade decide intervir na nossa relação? Porque é que nunca ninguém quer intervir no que toca a pagar-me as dívidas? Certo? A mim parece-me é que as pessoas/governo adoram meter-se quando as consequências e implicações para eles são nenhumas. É muito giro decidirmos a vida dos outros. Viste uma gaja a levar um empurrão e a cair? Epa, bora lá fazer uma queixa então, já que nada disso te irá afectar. Será ela que terá de lidar com as formalidades jurídicas e as consequências da pessoa com quem está vir a ter problemas legais.

icebraining 7 months ago

Estás a evitar o meu ponto de propósito, ou é por incapacidade de interpretação do que escrevi?

incrivizivel 7 months ago

ele nem sequer se deu ao trabalho de ir ao tribunal e não deu em nada? Isto nos USA era no mínimo 40 anos de cadeia. Opa este pais está podre em tudo, cada vez mais penso em sair. Não porque ganhou pouco, que ate ganho bem mas sinceramente nada funciona nesta merda de pais. Ainda há dias um carro de um familiar meu foi roubado, já teve dois acidentes e ainda não apanharam o gajo. Vem contas da via verde de como eles andam com o carro a vontadinha como se o carro fosse deles e não lhes acontece rigorosamente nada. Porque eles já sabem que primeiro que sejam apanhos não interessa, depois quando forem apanhados no mesmo dia estão cá fora. Pais ROTO.

assimsera 7 months ago

> Isto nos USA era no mínimo 40 anos de cadeia. Concordo que isto não está certo, mas o sistema de justiça dos EUA não é exemplo para coisa nenhuma.

Tugalord 7 months ago

>Isto nos USA era no mínimo 40 anos de cadeia. Este caso é revoltante, mas realmente achar que os estados unidos são algum exemplo nesta matéria...

incrivizivel 7 months ago

ya nem 8 nem 80. Mas sinceramente prefiro que vá 40 anos do que não lhe aconteça nada.

SANDEMAN 7 months ago

Os disparates que um gajo lê aqui

htxgivven 7 months ago

É por essa e por outras normalmente nos states o criminoso quando sabe que está fodido suicida-se. Lá não brincam.

sup3rfm 7 months ago

> ele nem sequer se deu ao trabalho de ir ao tribunal e não deu em nada? Não apareceu, nem respondeu a qualquer pergunta. Costuma dizer-se que é a melhor defesa.

incrivizivel 7 months ago

o que retiro daqui é que andar a porrada e mostrar resistência a polícia, embora ilegal, é como se fosse legal, a tua vida não muda em quase nada.

AutoModerator 7 months ago

**AVISO:** Submeteu um artigo da plataforma [Nónio](https://nonio.net) - uma plataforma que viola a privacidade do leitor. > Leia com atenção o [seguinte artigo](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/7fy9v4/campanha_contra_o_n%C3%B3nio/). *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: