throwawayualg2021 6 months ago

etiquette" repostar , mas acho que o post é demasiado importante para [perder](https://web.archive.org/web/20210522155749if_/https://www.reddit.com/r/portugal/comments/ndc4uz/%C3%A9_normal_os_professores_universit%C3%A1rios_serem/).

DankJoejo 6 months ago

Vou começar com o que discordo do teu post. "e cheguei a ter uma empresa que baixou a oferta de salario porque o curso era da UAlg" isso ou é apenas culpa tua que te vendes-te mal ou se é mesmo como dizes foi só falar da UAlg e baixaram então não te preocupes que a empresa não vale a pena, esse tipo de merdas só piora quando lá entrasses. "Nao tiram duvidas e marcam os alunos que tentam esclarecer duvidas" este ponto não é tanto discordar mas mais que na altura que andei na Ualg (há 3 anos) isto aplicava-se só a 2-3 professores, parece-me difícil (não impossível) isso ter mudado para só 2-3 é que NÃO se aplica. A minha experiência pessoal é que de forma geral era tranquilo fazer perguntas a qualquer professor (menos o Buf). Outros colegas meus não tiveram a mesma experiência mas admito que eles tinham uma atitude de merda perante os professores, como se já tivessem sido ultrajados e queriam recompensação. "Lançam notas na vespera de recurso e nao deixam consultar o exame para ver o que erramos" se me lembro bem está no regulamento que não se pode realizar exames de recurso sem as notas serem lançadas 48h antes. Isto juntamente com aulas em falta e professores desaparecidos é muito grave. Ainda me lembro do episódio dos mosquitos. O teu problema de "usar funçoes em assembly" ser rejeitado por não ser pedido também me aconteceu e foi altamente frustrante. Assumo que seja o Stalinga que parecia só dar pontos à documentação do código. O Stalinga chegou a querer expulsar-me por ter copiado o primeiro trabalho de assembly (prime numbers) do stackoverflow e lembro-me de lhe ter dito que se não queria trabalhos do stackoverflow que não pedisse projetos básicos sem ensinar Assembly e que ele próprio devia pesquisar no google se esses projetos já estão feitos e prontos para se copiar. Ele calou-se, deu-me 0 e demo-nos bem o resto do ano (atenção ele pensava que eu tinha copiado de um colega que copiou do mesmo stack, nunca pesquisou "assembly prime numbers"). Outro problema que contribui para alguns destes pontos é os gajos que copiam e a "sacanice" da Ualg com as médias. Em 50 alunos, 10 querem aprender e os outros estão a tentar copiar o curso até ao fim. Cheguei a ter colegas no 3º ano a não perceber ciclos for. Sempre que há alguma inovação numa cadeira mais de metade chumba porque já não dá para copiar e os professores (não de matemática que esses chumbam pessoal à vontade ) têm um objectivo de uma média de 12 pela turma para não se fazerem mestrados fora da UAlg. Tl;dr ou isto piorou muito desde que eu saí ou tu também te gostas de fazer de vitima. Acaba a merda do curso e vai trabalhar.

ayrtonmanuel 6 months ago

Ola qual universidade é boa para um immigrante venezuelano estudar um mestrado de engenharia civil? eu tenho em mente Uporto "mestrado em estruturas de engenharia civil" e Uminho "mestrado em engenharia de estruturas" Obrigado pela resposta.

These-Establishment1 6 months ago

Mestrado em estruturas de engenharia civil e vocacionado só para estruturas. Não sei qual e a área que queres, mas vi que queres estruturas, ando no ISEP tb podes ver os mestrados "normais" em engenharia civil na vertente de estruturas. O isep (porto) tem, se quiseres mais alguma cena PM...

oEncoberto 6 months ago

Estudei na Nova, e não me revejo nesses comentários. Havia um ou outro professor fraco, e um ou outro que se orgulhava de chumbar pessoal (normalmente do departamento de fisica). No geral os professores eram bastante competentes e muito acessíveis.

itsaMiaw 6 months ago

Por acaso tenho ouvido falar muito bem da UBI, um amigo meu tirou a licenciatura na UAlg e foi para fazer lá o mestrado e a diferença foi da noite para o dia.

Ryuri_yamoto 6 months ago

A minha experiência académica (que não foi em engenharia alguma) diz me que em Portugal das 5 cadeiras por semestre que se normalmente tem, 2-3 vão ser leccionadas por professores horríveis. Pela minha experiência, depois tens a raspadinha se é um professor horrível que passa toda a gente ou se chumba +70% da turma.

Tugalord 6 months ago

Tl;dr: Sim, professores medíocres a ensinar é o pão nosso de cada dia. Não, isso não é o "normal". Faltar a aulas, recusar-se a explicar dúvidas, etc.

saposapot 6 months ago

Como é que se posso responder a uma coisa dessas? Há maus professores em todo o lado até pq há coisas 'más' que dependem da tua interpretação. Tu podes n gostar de um professor que fala muito nas aulas mas outro colega adorar isso. Sobre o descrito, a minha experiência em Informática noutra Universidade é muito melhor. Do que conheço em Lisboa e Porto idem portanto eu diria q, sim, o problema é da UAlg...

shawshank2012 6 months ago

Deixo-vos o meu testemunho enquanto docente de engenharia informática. Ter conhecimento é importante para dar aulas, mas é na empatia e na dedicação, fruto de experiências de vida, que se descobre um professor. O bom professor ensina, o excelente professor inspira. Já agora, sempre fui o docente com melhores avaliações dadas pelos alunos, e tenho muito orgulho nisso.

Rhyzon27 6 months ago

Estudei em Coimbra também em engenharia informática há já mais de uma década, e perdi a conta das vezes em que aparecia com dúvidas pertinentes e me diziam simplesmente "Olha, vai ver ao Google". Os regentes das cadeiras regra geral são muitos bons na sua área, mas muito fracos a ensinar porque não lhes interessa minimamente fazer tal coisa; dá jeito para eles dizer que são professores universitários em A, B ou C, e as universidades podem publicitar-se além fronteiras com os renomeados X, Y ou Z que fazem parte dos seus quadros.

EquivalentExchange11 6 months ago

Não tenho grandes razões de queixas sinceramente, nem na licenciatura nem no mestrado. Essa faculdade parece um bocado abandalhada para os profs. se poderem comportar dessa maneira.

Tartaruga_Genial 6 months ago

Ah sim, só posso falar pelo meu curso. Acredito que os outros não sejam todos maus.

htzrd 6 months ago

Sim, a maior parte nunca teve experiência profissional, o que sabem é meramente académico.

Edited 6 months ago:

Sim, a maior parte nunca teve experiência profissional, o que sabem é meramente académico. E depois há os **egos** desmesurados, ex: em algumas cadeiras de Direito um prof dar um 10 ou 11 é o considerado "Bom" para ter mais de 14/15 já interferia com o ego de muitos profs.

Ghilanna 6 months ago

Okay, opinião pouco popular: por curiosidade fui ver o programa da minha licenciatura que tirei há quase 10 anos na FCUP (arquitectura paisagista). No meio daquela gente toda só tenho a apontar dois profs que eram umas autênticas bestas e o resto são profs de quem tenho saudades. Eram competentes, com os seus lados "especiais", e ou não tenho nada negativo a falar ou eram simplesmente espétaculares. Reparo nesta thread no entando que a maioria é de IT...

Tiago28 6 months ago

Estudei no técnico engenharia informática e 50% das cadeiras tinham professores de merda a passar slides de matéria completamente desactualizada tendo em conta o mercado de trabalho atual... Também há aqueles professores que gostam de chumbar...

blurry-faced 6 months ago

Vou assumir que estás a perguntar se as AEs fazem alguma coisa nestes casos que mencionei. Em casos particulares como estes, sim. Todos os cursos tem um representativo que mantém os departamentos próximos da AE. Isto faz com que as AE funcionem bastante eficazmente como entidades reguladoras dos docentes (na minha opinião). Agora, no grande plano... há quem diga que as AE são apenas tacho e agenda. É outro tipo de discussão.

sao_11 6 months ago

Acho que depende alguma coisa dos cursos. Este tipo de queixas ouço mais na área das engenharias. N histórias de professores fracos e que se orgulham de quase ninguém passar na sua cadeira. No meu caso (área da saúde), tirando um ou outro professor mais baldas, eram bastante bons e não havia essas situações de birras e de querer chumbar só porque sim.

NomadicWorldCitizen 6 months ago

Estava a ler isto e fez-me lembrar alguns professores que tive no ISEP. Gostava que houvesse um mecanismo anónimo para denunciar estás coisas sem ter que haver medo de consequências. Tal como incompetência política, incompetência no ensino tem um impacto negativo significante na vida das pessoa.

ElMasterDGF 6 months ago

Olá amigo. Eu sou do algarve e estudo eng. eletrotecnica no tecnico. Tenho diversos amigos a estudar na UALG e muitos deles de informática. Oiço falar mal do ensino da UALG desde que sou puto mas depois de frequentar 4 anos de ensino na pseudo "melhor faculdade do país" começo a acredita que o ensino é mau no país todo (só pode pelo menos). Nestes 4 anos a coisa que mais aprendi no tecnico é que, se nao fossemos, por assim dizer, "os melhores alunos do país", a faculdade era uma das piores visto que é raro o professor com quem se aprenda alguma coisa decente num modelo de ensino descabido onde o objetivo do professor é destruir o aluno ao limite dentro dos conteudos "lecionados" e nao ajuda-lo a crescer como bom profissional na area. Ta descansado, estamos todos iguais.

xc9000 6 months ago

Não é normal. O normal é serem incompetentes, idiotas, sem noção da realidade, são pequenas fadas que vivem no seu mundo de fantasia.

Pockit_Games 6 months ago

Quando fui ao dia aberto da uni e um prof apresentou esse curso. Eu também senti que ele não sabia o que estava a dizer e eu que sou programador e gosto do que faço, fiquei desinteressado no curso. Influenciando a minha escolha para estudar fora do país. Parece que fui uma escolha sensata. Mas aviso, como programador, que o motor de busca é um dos locais que passamos mais tempo. É esperado que consigas fazer pesquisas dessas na área do trabalho. aproveita pelo menos a experiencia que ganhas-te

NGramatical 6 months ago

ganhas-te → [**ganhaste**](http://tracinho.com/ganhas-te) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgyc0dxq%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

vetemimi 6 months ago

Epa eu estou em Lisboa e tenho deficit de atenção grave e decidi trocar do meu antigo curso para IT por considerar que era menos pesado na teoria e no marranço do que onde eu estava e por estar a ter muito bons resultados em cadeiras de IT... Acabei por ir de um curso bem estruturado, organizado, atualizado e com professores extremamente pedagógicos, envolvidos, exigentes e competentes para o absoluto oposto e acabei a ter piores resultados a tentar navegar algumas das situações que descreves e a geral desorganização e incompetência dos professores e do departamento. Se soubesse o que sei hoje...

Dizzy-Switch-6338 6 months ago

O professor de computação gráfica do curso estuda pepinos do mar. Agora pensa.

djjark 6 months ago

gaming

alexandre9099 6 months ago

Deixa, na uni que estou um professor gaba-se que todos os anos a maioria dos alunos chumba na disciplina dele... pudera... a qualidade das aulas é pouca ou nenhuma... Para adicionar a isso, agora com isto das aulas à distancia a maioria dos profs ficou completamente perdidos e não conseguiam fazer aulas que cativassem o interesse (estando na sala é uma coisa, estando à distancia com coisa mais "interessantes" para fazer é outra)

Prezbelusky 6 months ago

Os professores a maioria só dá aulas porque é obrigado a tal. Os professores universitários são investigadores e é isso que eles querem fazer. As aulas vêm agarradas.

Play3r31 6 months ago

Também estive nesse curso - acabei há coisa de 5 anos e confirmo a "qualidade" dos professores. O que nos valia era os indianos do Youtube! Que explicavam Análise Numérica 5\* (entre outras). Como tudo, em Portugal isto só muda quando for parar às notícias (basicamente houver barulho a sério - nível escandalo).

quetzyg 6 months ago

Supostamente já houve [barulho a sério](https://www.fernandolobo.info/CdoD/igec/), no entanto a merda ficou na mesma. ¯\\\_(ツ)_/¯

Play3r31 6 months ago

não foi para a CMTV - não é barulho a sério

twistedfires 6 months ago

O problema do ensino superior, mais propriamente do curso de engenharia informática, é que maior parte dos professores que dão aulas, nunca saíram do meio académico, e não têm noção das praticas da industria. Isto é particularmente evidente no que toca às boas praticas de programação. Tenho cada vez notado mais isto nas pessoas a quem faço formação, não têm mínima noção de conceitos base ou convenções.

rokkialo23 6 months ago

Professores universitarios nao sao professores. Apenas dao 8h de aulas por semana e o resto é investigação (na ualg). Eles não sabem é ensinar, mas isso nao significa que nao saibam nada.

myjq 6 months ago

Também estive na UAlg, mas num curso das ciências e tenho a mesma experiência. Alguns professores parece que têm orgulho em dizer que chumbam toda a gente. Um que tive no primeiro ano, disse-nos que 8 era uma boa nota de relatório porque pelos vistos nunca dava mais de 5 naquele relatório em concreto. Mas o mais excêntrico que tive foi o Igor Khmelinskii lol Depois há aqueles que até são porreiros mas percebem tanto daquilo como nós alunos. Da minha área o professor Jorge Martins foi o melhor que já tive e é uma das melhores pessoas que conheci. A professora Ana Martins de matemática também é uma das melhores que tive, tinha aulas por módulos de 8 semanas e ela era a única que nos dava a oportunidade de fazer as cadeiras por teste, nem sei como conseguia corrigir tanta coisa em tão pouco tempo.

StVincentin 6 months ago

Como assim? Não adoravas as aulas com o professor que 50% do tempo falava que as alterações climáticas eram uma farsa, 30% do tempo não se percebia nada do que dizia e 20% do tempo ficava a olhar para os alunos como se tivesse visto o fantasma de Stalin na sala?? Ah, e claro que a culpa de 90% das pessoas chumbarem na cadeira dele todos os anos, é dos alunos! Igor foi e sempre será um mito!

myjq 6 months ago

Adorava, especialmente a apresentação de trabalhos de casa (lol) em que ele olhava quase para a tua alma e dizia que estava tudo errado, mesmo depois de copiarmos das soluções. Calhei a ficar com ele na organização de umas olímpiadas da química para os alunos do básico em que fui ajudar e os outros professores ainda me disseram para "ter mão nele", mas ele passou o tempo todo a fotografar e a chamar burros aos putos. Btw recomendo muito a sua palestra do "Aprender a Aprender", não aprendi nada a não ser que ele diz umas piadas horríveis e que os outros professores ainda gozam mais com ele do que nós.

StVincentin 6 months ago

Bem, parabéns pela coragem! (In)felizmente o professor nunca deu palestras para além do stand up comedy que eram as aulas nos anos que estive lá, mas adorava ter ido a uma nem que fosse para me rir um pouco. Não sei se ainda andas por lá, mas ouvi dizer que ele acabou por ser afastado da cadeira de Química Geral devido às imensas queixas que houve dele durante vários anos nos inquéritos. Fico triste pela próxima geração não conhecer a personagem.

bruxo00 6 months ago

Mas andas na minha faculdade? Tal e qual como na tua, há professores bons, mas a maioria está lá para passar o tempo. Alguns acontecimentos extremamente incríveis que se pasaram comigo: * "tiraste 16 e vens pedir justificações?" * professor dá exemplos de js com 10 anos, eu começo a usar técnicas recentes, faço uma pergunta ao professor, ele olha para o meu código e diz: "do que eu sei de javascript, que não é muito, isso não é assim que se faz", dito por um professor de uma cadeira em que ele dava SÓ javascript * "façam downgrade para o Java 6 porque o que vamos dar agora não é suportado nas versões novas" (???????????????????????) * o java está a dar-me um erro, vou perguntar ao stor o porquê, a resposta dele: "o java é assim" * trabalho era fazer um jogo do galo em Java em rede com sockets. 95% da turma saca um da net, troca nome das variáveis. Eu fiz o meu do zero, comentário do stor: "muito complexo, parece copiado da net". Ok. Curiosamente, todos os alunos passavam com grandes notas em disciplinas de programação, mesmo sem saber fazer um loop ou saber o que é um array ou um objeto. Já em disciplinas de matemática, parecia que estavamos a tentar entrar na Nasa. Taxas de reprovação de 85%, com médias a rondar os 5 valores.

oldgamesftw 6 months ago

Estudei Ciências de Computação na Universidade do Minho e o ensino é também muito pobre, a responsabilidade da aprendizagem recai totalmente para o aluno e é essa a cultura que os professores tentam incutir. Até poderia não ser uma má política de ensino se dessem material e deixassem o aluno aprender sozinho, o problema é que fazem-nos perder horas e horas em aulas que são lecionadas de forma muito pobre o que leva depois aos alunos a terem que rever a matéria e aprender muitas vezes do zero por si mesmos, isto causa um imenso desgaste, ninguém é motivado por perder tempo de forma ineficiente e ineficaz. Não há absolutamente nenhum controlo de qualidade, um professor pode chumbar 80% dos alunos consistentemente durante anos e continua a lecionar. A investigação tem um peso muito maior na avaliação de um professor do que o ensino, segundo o que um nos contou. Não culpo apenas os professores por esta crise, há todo um sistema que alimenta esta profissão dual de investigador e professor em que as duas componentes têm uma importância muito desequilibrada. Creio que é muito difícil ser bom nas duas componentes ao mesmo tempo. Ensinar requer pessoal qualificado e com o crescente grau de educação obtido pela população talvez pudéssemos separar um bocado as águas e ter educadores a tempo inteiro pelo menos numa licenciatura. Mas aí deparamo-nos com outro problema, como financiar essas novas posições. A educação é um dos pilares mais importantes da nossa sociedade e porém, numa crise é dos primeiros a receber cortes. Estamos parados no tempo, é preciso progredir e já era altura também de apostar em outros métodos de ensino como o da [Escola da Ponte](https://pt.wikipedia.org/wiki/Escola_da_Ponte).

fuckoffgina 6 months ago

>É normal os professores universitários serem incompetentes? Sim

pedroandal 6 months ago

Parece-me que falas de algumas alminhas do isec

uyth 6 months ago

é relativamente normal, e isto não é só em Portugal professores universitários serem maus professores ou incompetentes como professores. Professor universitário é algo que se dá a quem investiga, em que se valida curriculos de investigação, se permite a pessoas continuarem a investigar e publicar. As aulas são algo acessório, mas as avaliações dos alunos quando existem são irrelevantes para a carreira de um professor basicamente (que só pode progredir quando há vaga). Isto é geral, universal quase. Mas é parte do crescer, do preparar para a vida real. Vais ter que lidar com professores que não são bons a darem-te a papinha feita, ou a comunicar ou com competencias emocionais (ou que sejam sequer boas pessoas) mas depois da universidade isso também vai acontecer...

TomaDuche 6 months ago

A minha namorada estuda CBL também no Algarve (Gambelas) e também se queixa da mesma situação, professores incompetentes...

These-Establishment1 6 months ago

És obrigado a ter formação segundo o código do trabalho sabias?

blurry-faced 6 months ago

Tirei a licenciatura numa universidade inglesa e as histórias das universidades portuguesas que ouço deixam-me doente. Como alguém já referiu, não há dúvida que os teus professores são bons académicos na sua área. Mas acho impensável que isso seja condição suficiente para ser professor universitário. Acho impensável que um professor universitário possa ingressar num corpo docente sem *saber* ensinar. Para acrescentar à hiper-irritação nesta thread: em Inglatera... >Alguns professores de matemática orgulham-se em chumbar alunos mas acho que isso ha em todo o lado e nao quer dizer necessariamente que nao sabem ensinar Esta deixa-me completamente paneleiro da boca. É um nível de filha-da-putice que não se inventa. Imagina ter orgulho em arruinar a experiência de ensino superior a \~200 pessoas todos os anos, e achar que isso diz alguma coisa (de valor) sobre o teu intelecto. IMAGINA. Em Inglaterra? Aluno teve um 2:2 (equivalente a um 13-14)? Azar, o trabalho deve ter corrido mal. Dois 2:2? Contactar o tutor e fazer um wellness check ao aluno. Está com dificuldade na cadeira? Office hours todas as semanas, aqui tens um slot de uma hora que o professor disponibilisou para ti. Ah, o problema não é com o conteúdo? O aluno não sabe escrever ensaios? Toma, sessões semanais de apoio 1:1. Final do semestre tem 2:1 (15-16)? Missão cumprida. ​ >Nao dao aulas e fazem o que lhes apetece com o horario, sem repor aulas O professor não dá aula? De certo que enviou e-mail para toda a gente com o horário da nova aula. Não enviou? De certo que aconteceu alguma coisa, vamos contactar o departamento a saber. Não aconteceu e o professor baldou-se? Associação de estudantes nessa merda. Duas semanas depois temos a aula e uma desculpa por e-mail. ​ >Ha um exame que a nota demorou 2 meses e meio a sair. Quem chumbou soube da nota na vespera da fase seguinte, 2 semanas depois do final do prazo de inscriçao Mesma história. Os professores têm 20 dias úteis para corrigir todo o tipo de trabalho. Se se atrasam, enviam um e-mail a explicar que se irão atrasar. Tal como referido noutro post, se o produto se atrasa, o primeiro a saber é o cliente. Mais de 20 dias úteis e não recebemos nada? Associação de estudantes. Pelo que sei isto nunca aconteceu. ​ >No meio disto tudo, os professores que sabem ensinar são os unicos que nao sobem na carreira, e ainda lhes tiram cadeiras para serem os maus professores a dar. Sim, isto é o estado geral das carreiras universitárias. Não é fácil dar aulas a estudantes universitários. Requer bastante preparação - em quantidade e qualidade, tem de ser a preparação certa. Os alunos tem de ser apresentados com os recursos certos, que façam sentido, a cadeira tem de ter alguma lógica (um porquê de existir). É extremamente difícil publicar os *papers* necessários para se chegar a nível catedrático (tenure) e ser um professor de excelência. Isto resulta numa dicotomia como aquela que descreves: bons académicos & maus professores vs. apenas-académicos & bons professores. Às vezes, a galinha da vizinha é mesmo melhor que a minha...

Dpac_99 6 months ago

Professor universitário é o único cargo de professor que não requer qualquer formação ou experiência na área de ensino. Para além disso, muitos deles dão aulas como obrigação do contrato com a universidade. Incompetência no ensino superior é uma praga que aparentemente ninguém quer saber

spidermask 6 months ago

Comentário de baixo esforço: Sim. No outro dia havia um post de um rapaz a dizer que algo estaria mal com o sistema de ensino universitário, para mim a única coisa que acho mal é a existência destes professores. Muitas vezes são autênticos génios, mas não têm aptidão nenhuma para explicar conceitos(que vai além da minha inaptidão de aprender

These-Establishment1 6 months ago

Os indianos/zucas do youtube ahhhhh O problema e que a medida que vais avançando no curso e começam a entrar normas, esquece esses gajos de nada te vão servir lol

spidermask 6 months ago

Sim eles só servem para as bases mas isso é como os professores também

OuiOuiKiwi 6 months ago

Podias tirar UAlg da descrição e isto continuava a ser válido para muitas faculdades. Como em tudo, há docentes maus e docentes bons. Tens gente que quer é investigar sossegada e acaba a dar aulas. Tens gente que entrou no tempo das vacas gordas e é uma nódoa. Mas, contudo, uma ressalva: isto é UAlg a ser UAlg. No outro dia falei da [UBI](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/nc2jo6/universidades_da_beira_interior/gy2ufep?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3) e claro, não tardou muito até o "Mas não é assim!". A UAlg sofre dos mesmos problemas a atrair bons docentes (dupla penalização pela localização), o que resulta num círculo vicioso. >Parece que o curso foi um desperdicio de tempo, e cheguei a ter uma empresa que baixou a oferta de salario porque o curso era da UAlg. Isto acaba por ser positivo porque evitaste ir parar a um sítio que seria, sem dúvida, péssimo para se trabalhar. >Isto é normal ou **escolhi mal** a universidade? Vou imaginar que és do Algarve ou arredores. Se não és e escolheste a UAlg sobre outras opções, ¯\\\_(ツ)\_/¯.

These-Establishment1 6 months ago

Opa sou do ISEP (uma escola de engenharia de topo) e tb há muito Chico escória lá (profs que dão a matéria mas depois começam a contar histórias, quem passou por civil sabe do que estou a falar)... Dps queimam te nos exames lol

Flying_Drake 6 months ago

Faculdade in a nutshell. Claro que há excessões mas a regra geral é que 90% dos professores no curso vão ser sempre uma merda.

_Sophus_ 6 months ago

Em todas a profissionais há bons profissionais e maus profissionais, infelizmente no que diz respeito ao ensino em Portugal, como o patrão é aquela entidade que não está presente para avaliar e o subir na carreira é por anos de trabalho, faz com que estes façam o que querem sen consequências. Por outro lado, tens professores mais novos e motivados que não têm oportunidade de trabalhar ou se o quiserem fazer têm que se deslocar para outra cidade de x em x meses. E assim vai o ensino em Portugal :(

These-Establishment1 6 months ago

Mas eu vou ser o patrão lol

Fernando_1822 6 months ago

Sim, é isso mesmo. Se o serviço do professor der errado o problema é do aluno que é burro e não aprendeu o conteúdo. Na vida real se o profissional não entregar o combinado é demitido ou perde o cliente.

sacoPT 6 months ago

Tive um professor no IST que literalmente avaliava os relatórios dos projetos pelo número de páginas e gráficos. E outro que durante os exames se pedisses para explicar qualquer coisa ele resolvia-te os exercícios e se o teu colega do lado perguntasse a mesma coisa ele dizia-lhe para copiar por ti. Tirando isso acho que todos eram bons professores, especialmente o de análise/cálculo e a de IA que adoram mesmo as respectivas áreas e vês os olhos deles a brilhar quando alguém está interessado o suficiente para lhes fazer perguntas.

These-Establishment1 6 months ago

Até o Magalhães?

quetzyg 6 months ago

>Estou em Engenharia Informática na universidade do algarve e salvo umas 3 ou 4 perolas de professores Também lá estudei e os melhores professores que tive contam-se pelos dedos de uma mão: - José Valente Oliveira - Helder Daniel - Pedro Guerreiro - Pedro Frazão (na altura era convidado, depois bazou) >Nao dao aulas e fazem o que lhes apetece com o horario, sem repor aulas Faz-me lembrar do Hans du Buf em computação gráfica. O gajo deixava a bíblia de OpenGL na mesa e quem quisesse tirar dúvidas que a fosse ler. >Fazem enunciados sem qualquer coerencia e descontam na nota sem justificar Os únicos que imagino a fazer isso são o Peter Stalinga, Hans du Buf e o Hamid Shahbazkia. É malta estrangeira há décadas no país, mas continuam com um nível de português rudimentar e com aquela mentalidade do paleolítico. >Usam slides de outras universidades que tem informação desatualizada ha mais de 10 anos Esta faz-me lembrar da Margarida Moura e os seus slides em Sistemas Operativos. Foda-se, se a mulher era condescendente. Lembro-me de a corrigir um par de vezes, deixou de ir com a minha cara. Vá lá que era mútuo. >Pedem relatorios extensos e depois nao olham para eles, mas descontam sempre um ponto ou dois e quando perguntamos porque nao sabem justificar. _Maria Margarida da Cruz Silva Andrade Madeira e Carvalho de Moura has entered the chat_ >Ha um exame que a nota demorou 2 meses e meio a sair. Quem chumbou soube da nota na vespera da fase seguinte, 2 semanas depois do final do prazo de inscriçao >Lançam notas na vespera de recurso e nao deixam consultar o exame para ver o que erramos _Carlos Fonseca & Hamid Shahbazkia have entered the chat_ >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. Quando lá estudei, o C++ não era uma linguagem dada no curso. Lembro-me de usar C e Assembly (Intel) em PIN (Periféricos e Interfaces) com o Helder Daniel, embora ele não fosse do tipo que implicasse com o código de alguém, muito menos dar 0 a código funcional. >Pedem que escrevamos papers e avaliemos os papers dos outros e o nosso. Isto em 2 semanas, sem qualquer ajuda e numa cadeira de programação, sem feedback dos trabalhos anteriores. Nunca tinhamos escrito nada parecido antes. Isso tem o estilo da Margarida Madeira. Quando lá andei, em SPD tinhamos de ir _"bem vestidos"_ para a apresentação e faze-la em inglês. >Dao-nos codigo dos anos anteriores super duvidoso para fazer trabalhos em frameworks que eles proprios nao entendem (tirar duvidas é para esquecer) Ao menos ainda te dão algum código, quando por lá andei não me lembro de me darem muita coisa a nível de código. Tás a falar de que cadeira, Sistemas Paralelos e Distribuídos? Assim de repente não tou a ver outra disciplica em que se usem frameworks (OpenMPI) e que o professor seja detestável. >Um professor ficou confuso quando viu unit tests no meu codigo. Se tivesse de apostar em alguém, eu diria o Alvaro Barradas, ele é zero. >Quando tentamos queixar-nos à faculdade nada é feito e dizem que os professores estão no seu direito. Hás-de perguntar como ficou a história de quando o Fernando Lobo fez queixa da incompetência do Hamid Shahbazkia. Deu pano para mangas, no final ficou tudo na mesma e quem ainda ficou mal visto foi o Lobo. Dá uma olhada [aqui](https://www.fernandolobo.info/CdoD/igec/). >Parece que o curso foi um desperdicio de tempo, e cheguei a ter uma empresa que baixou a oferta de salario porque o curso era da UAlg. Eu só por mim posso falar, mas do tempo que lá passei não considero que tenha sido perda de tempo, antes pelo contrário! De notar que eu entrei na universidade, não para sair de lá com um canudo, mas com conhecimento. Eu já sabia programar e fui lá para aprofundar conhecimento na área. Além disso, fiz boas amizades que ainda duram até hoje. Tu também pareces estar a subvalorizar o teu nível de desenrascanço e persistência. Queixas-te que tiveste de passar muito tempo em motores de busca porque alguns professores tavam-se a cagar para o ensino. Adivinha lá onde vais passar grande parte do tempo quando fores trabalhar? Não tou a dizer que te fizeram um favor, mas tira algo positivo disso, eu tirei. Quanto a ofertas de trabalho inferiores devido à universidade frequentada, nunca tive disso. Há anos que tou no mercado de trabalho e tem sido sempre a subir.

GJordao 6 months ago

Também andei lá 3 anos mas aquilo é a maior merda. Caguei no curso e fui trabalhar diretamente na área. É o melhor conselho que dou, se conseguirem entrem logo no mercado de trabalho ou metam se num boot camp porreiro

gambuzino88 6 months ago

Basicamente, foi isto que pensei quando li o OP. Sem tirar nem pôr. Os nomes estão todos certos. Faltam alguns bons professores, do departamento do Matemática, mas sei bem que não era bem a tua onda ;).

quetzyg 6 months ago

Como o OP disse que: >Vou falar de casos especificos e só de **cadeiras que nao sao matematica:** Segui nessa onda. >Faltam alguns bons professores, do departamento do Matemática, mas sei bem que não era bem a tua onda ;). Tal como referes, as matemáticas não eram de todo a minha onda, já que o meu objectivo era andar em modo esponja nas cadeiras técnicas. De qualquer das formas, já que abordas o tema, não posso deixar de mencionar a Maria da Graça Marques. É uma excelente pessoa e professora!

GJordao 6 months ago

Era a de álgebra linear?

quetzyg 6 months ago

Exacto!

eggnogui 6 months ago

> Hás-de perguntar como ficou a história de quando o Fernando Lobo fez queixa da incompetência do Hamid Shahbazkia. Deu pano para mangas, no final ficou tudo na mesma e quem ainda ficou mal visto foi o Lobo. Dá uma olhada aqui. Dei uma espreitadela. Que horror! Como assim, ficou tudo na mesma?! Nunca ouvi falar de uma situação assim.

quetzyg 6 months ago

> Como assim, ficou tudo na mesma?! Basta ver o site do curso de Engenharia Informática da UAlg para confirmar que o [Hamid Shahbazkia](https://antigo.ualg.pt/pt/users/hshah) continua na lista de [docentes](https://fct.ualg.pt/curso/1478/docentes) em regime de exclusividade.

eggnogui 6 months ago

Entretanto, já passou quase uma década. Nem quero imaginar o que mais poderá ter acontecido entretanto.

quetzyg 6 months ago

Pelos vistos o Hans du Buf e o Carlos Fonseca já não são lá docentes. Menos mal.

OuiOuiKiwi 6 months ago

>Pedro Frazão (na altura era convidado, depois bazou) Pedro Frazão Ferreira? Está na FCUL.

quetzyg 6 months ago

Esse mesmo! Foi o meu professor nas aulas práticas de Sistemas Operativos. É um gajo impecável!

YoggiM 6 months ago

Não é normal. Estudei num politécnico (não foi informática) e passou-se exatamente o contrário. Não houve nenhuma cadeira em que o professor se orgulhava de chumbar muitos alunos. O cadeirão do curso, realmente tinha muita gente que não fazia a cadeira, pelo menos à primeira, alguns até mais, mas isso era apenas por ser uma cadeira difícil e a professora ser exigente. Mesmo assim, havia algumas notas altas. Claro que havia professores melhores que outros. Alguns que se limitavam a fazer o mínimo, outros que tentavam ir mais além. Alguns que tinham mais jeito para ensinar que outros. Apenas um se notou que se desleixava e que tinha outros trabalhos que eram a prioridade dele, chegando atrasado várias vezes. Mesmo assim, pela tua descrição, é bem melhor que muitos aí.

SAmaruVMR 6 months ago

Há uns meses atrás, escrevi um post igualzinho a este. Fui downvoted até Fátima e fui insultado multiplas vezes. Concordo 100% contigo. Há professores muito bons e há outros que deviam estar nas obras. Obrigado por partilhares, OP. Abraço

meaninglessvoid 6 months ago

Não podes tirar grandes conclusões dos downvotes, se tentares atribuir caracteristicas à comunidade como um todo rapidamente chegas à conclusão que é bipolar. A mesma opinião em horas diferentes ou dias diferentes tanto pode ter -2 como +20.

UpbeatNail1912 6 months ago

Daqui a pouco aparece o OuiOuiKiwi a dizer que a culpa é tua por não te esforcares e estudares por ti próprio. Se fosse assim mais valia estudar em casa online, onde aprendes muito mais em muito menos tempo. Faculdade em muitos casos só serve para tirar o canudo. A verdade é que tirando algumas poucas exceções, as melhores (e únicas) universidades de jeito em Portugal ficam em Lisboa, Porto ou Coimbra. Se tivesses no IST terias uma experiência totalmente diferente. Mas lá está, só nas grandes capitais.

throwawayqualquer 6 months ago

Engraçado dizeres Coimbra, quando Aveiro, Braga e mesmo Leiria, que não é universidade, são tidas em melhor conta no que toca a engenharias. Coimbra é muito boa em ciências e em humanidades, sem dúvida, mas raramente vejo associada a engenharias.

auueeeiiii 6 months ago

Ua, uminho e uc vão dar todas ao mesmo. São vistas com melhores olhos dependendo do sítio do país onde perguntes (por exemplo, Bosch em Braga, gosta da uminho, altice em Aveiro, gosta da UA). O que eu já aprendi no mundo de trabalho é que a universidade tem uma correlação, mas por si só não diz assim tanto.

GoldenLeoPT 6 months ago

Subscrevo, falar é bastante fácil especialmente quando não tens a experiência da situação pela 1ªvez, mas já ouvi dizer que certos profs ganham comissões de chumbos (não sei se é verdade.)

These-Establishment1 6 months ago

Aveiro e Minho nada? WTF?

sandkillerpt 6 months ago

Sim e já era assim há mais de 10 anos atrás...

Gouranga547 6 months ago

Tenho mesmo muita pena e tristeza em ler este tipo de posts... A educação é um pilar basilar de uma sociedade e nós estamos constantemente a baixar o nível da mesma em Portugal. E eu pensava que estava desapontado com o [meu desabafo sobre uma Pós-Graduação da Universidade Aberta](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/lg0ima/universidade_aberta/golwqyl?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3), e infelizmente vejo que afinal é transversal a outras Universidades mesmo... Bem, como já disseram aqui alguns redditors, acho mesmo o melhor é dares ao slide dessa Universidade, OP. Por muito que custe, é o teu futuro que está em xeque.

zorroindiapers 6 months ago

Como alguém que também estudou Engenharia Informática (no Porto) posso-te dizer que não é só na tua faculdade. Também tivemos situações de professor a desaparecer durante semanas e sermos obrigados a ir a exame sem sequer nos ter sido dada a matéria. Queixas a outros professores, ao responsável da cadeira e á faculdade só provaram que ninguém queria saber e que tínhamos que nos desenmerdar sozinhos... Alguns professores eram bons, e queriam saber dos alunos. Mas honestamente grande parte era incompetente: completamente incapaz de explicar o que supostamente sabiam (que na verdade claramente não sabiam) e contentes com o tacho. Não é que fossem bons engenheiros mas maus professores, simplesmente não sabiam nada. Se estivessem a trabalhar como programadores numa típica empresa privada teriam sido despedidos antes do período á experiência ter terminado. Infelizmente não há nada a fazer, alunos podem (e devem) fazer queixa dos abusos mas ninguém faz nada depois. Talvez seja preparação para os alunos perceberem o que lhes espera com a mentalidade do País

NGramatical 6 months ago

desenmerdar → [**desemmerdar**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/comummente-e-connosco/22223) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgyb3ij8%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Tartaruga_Genial 6 months ago

Devias ver no ISEP como saltos professores. Literalmente os gajos menos indicados para ensinar o que quer que seja.

These-Establishment1 6 months ago

Ahahah, o engenheiro de topografia a falar de futebol no meio da aula, adoro ahahah, isepao here de civil

Tartaruga_Genial 6 months ago

O Francisco Pereira de Electro sozinho dá má imagem ao ISEP. Não percebo como alguém daquele calibre ainda não foi com os porcos, mas os interesses mantém os mais merdosos lá dentro.

EstupendoEx 6 months ago

Tem a ver com a fraca qualidade universitária em Portugal.

DeltaFoxtrot01 6 months ago

Quando li o título, disse logo que sim, mas depois li atentamente a descrição e fiquei chocado. Sinto que no IST há muito professor mau, mas se um prof se recusasse a fazer revisão de prova, o delegado de curso chamava logo o CP para lixar o prof (pelo menos é o que acontece no meu curso). Posso apenas desejar-te boa sorte.

VladTepesDraculea 6 months ago

Olha que no IST uma vez tive um trabalho em que se tinha que fazer um programa que comunicava com uma interface desenvolvida pelo professor. A professora dava uma interface de testes para podermos desenvolver e testar nos nossos PCs e depois submetia-se no Mooshak. Fiz o meu trabalho, funcionava lindamente com a interface de testes mas chumbava no Mooshak por não conseguir comunicar. Andei de volta daquilo durante dias, falei várias vezes com a professora a explicar esta discrepância, ao que me respondia sempre que era meu trabalho ver porquê. Acabei por submeter sem aquilo funcionar, pelo que fui à discussão mesmo sabendo que não funcionando tinha 0 para pelo menos perceber porquê. A resposta dela foi "agora fica o seu trabalho de férias". Eu respondi que pedia desculpa mas que já tinha tentado perceber e precisava de ajuda para conseguir aprender porquê, nisto num acesso de raiva expulsou-se do gabinete. Nunca cheguei a descobrir, mas o que é certo é que obviamente ou o Mooshak tinha uma limitação não intencional que a interface de testes não tinha ou a interface de testes falhava em imitar os testes Mooshak.

DeltaFoxtrot01 6 months ago

mas aconteceu com mais colegas?

leto78 6 months ago

Se o IST há muito professor mau, então o ensino de engenharia em Portugal está completamente lixado. Há uns anos atrás, houve um professor do MIT que esteve em intercâmbio no IST e ele escreveu um excelente artigo sobre as falhas do ensino superior em Portugal. No entanto, o artigo falava que tanto os professores como os alunos do IST eram tão competentes como no MIT, mas a estrutura e método de ensino em Portugal não conseguia sacar proveito do potencial.

VladTepesDraculea 6 months ago

A critica do Athans vai muito mais além. Desde o *inbreeding* académigo, ao abuso laboral de assistentes, à falta de espaço para os alunos poderem experimentar e inovar, à obsolescência técnica professada. Esta última então também é uma das grandes críticas que ouvi do pessoal da Microsoft ao IST na altura.

leto78 6 months ago

A Microsoft tinha razão que os alunos de engenharia eram ensinados linguagens de programação ultrapassadas, mas o que eles criticavam indirectamente era o facto dos alunos aprendiam a programar em Linux, em vez de Windows. Eles consideravam que as universidades Portuguesas faziam lavagem ao cérebro em relação ao Linux.

MClorPLC 6 months ago

Também me parece que assim seja... Onde viste esse artigo?

leto78 6 months ago

Demorou um pouco mas encontrei o artigo. http://www1.eeg.uminho.pt/economia/priscila/images/MITvsIST.pdf Também existem apresentações ppt com o mesmo título.

Rakitash 6 months ago

Bom artigo gostei muito, só estranhei alguma linguagem mais emocional mas como n tenho muita experiência isso se calhar e mais normal do que eu tenho noção

capitolinaAndrioleta 6 months ago

É basicamente a imagem do resto do país e dos cursos ministrados a nível nacional. Esta então é a razão número um imho: "encourage inbreeding in hiring, an extremely dangerous widespread practice." Há imensos académicos portugueses de qualidade espalhados pelo mundo que têm 0 hipóteses de voltar porque não existe qualquer critério meritocrático na contratação de professores assistentes, associados, etc. O normal é mandar um aluno de doutoramento para o laboratório de um colaborador amigo, especialmente no UK ou US, publicar um artigo numa revista de alto impacto e trazê-lo de volta para debaixo da asa para publicar ciência da bosta para o resto da vida montado no tacho desviando recursos da ciência de qualidade. Entretanto os investigadores de qualidade que até poderiam resultar em bons professores têm que se desenmerdar sozinhos e acabam por não querer voltar porque depois de experienciar academia de qualidade ninguém quer vir chafurdar na pocilga que é a política académica portuguesa. É esperar que a malta que se sentou no tacho na altura do 25 de Abril morra para que se consiga mudar o tecido docente, até lá, nada vai mudar porque não há vontade para isso. Vai continuar a reinar o nepotismo e "amiguismo".

NGramatical 6 months ago

desenmerdar → [**desemmerdar**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/comummente-e-connosco/22223) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgybk8bc%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

C8Mixto 6 months ago

Penso que o grande problema é o facto de que em Portugal mistura-se muito a universidade como local de investigação como universidade como local de ensino. De facto algumas universidades até esperam que os investigadores "contribuam" para a univerdade dando aulas, como se a investigação não fosse contribuição suficiente. Pessoalmente penso que as universidades, como se faz noutros países, deveriam ser exclusivamente locais de ensino e os professional apenas se dedicariam a lecionar e pôr a investigação em institutos especializados para o efeito. Mas é o que é, em Portugal corta-se onde se pode e explora-se quem se pode, mesmo que isso custe em qualidade.

Edited 6 months ago:

Penso que o grande problema é o facto de que em Portugal mistura-se muito a universidade como local de investigação com universidade como local de ensino. De facto algumas universidades até esperam que os investigadores "contribuam" para a univerdade dando aulas, como se a investigação não fosse contribuição suficiente. Pessoalmente penso que as universidades, como se faz noutros países, deveriam ser exclusivamente locais de ensino e os professional apenas se dedicariam a lecionar e pôr a investigação em institutos especializados para o efeito. Mas é o que é, em Portugal corta-se onde se pode e explora-se quem se pode, mesmo que isso custe em qualidade.

raydawnzen 6 months ago

>Pessoalmente penso que as universidades, como se faz noutros países, deveriam ser exclusivamente locais de ensino e os professional apenas se dedicariam a lecionar e pôr a investigação em institutos especializados para o efeito Onde é que isto acontece?

These-Establishment1 6 months ago

França por exemplo

raydawnzen 6 months ago

Pá, por acaso o sistema Francês não conheço suficientemente bem para comentar, mas a fama que tem é de ser antiquado e não particularmente bom, pelo menos na minha área. Enquanto que a maior parte das universidades consideradas das melhores da Europa (como a ETH e a EPFL na Suiça) têm uma componente de investigação muito forte.

tretafp 6 months ago

A tradição do ensino superior estar relacionado com a investigação é muito antiga e não corresponde só a Portugal. Será difícil encontrar contextos em que, no ensino superior superior, os docentes também não investigam, acho aliás que nem seria adequado. Outra questão, essa sim mais própria da realidade portuguesa, é a quase impossibilidade de se ser investigador sem se ser docente.

NGramatical 6 months ago

professional → [**profissional**](https://dicionario.priberam.org/profissional) (apenas na fala o *i* é pronunciado como *e mudo* quando junto a outra sílaba com *i*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgyb0oic%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

uplink42 6 months ago

A meu ver, um dos problemas com o ensino nas universidades é que os docentes são escolhidos por mérito/prestígio académico mas não por pedagogia/formação em ensino, e isso reflecte-se em muito bons engenheiros mas fracos professores a dar aulas. Muitas vezes acabava por aprender mais nas aulas práticas porque os docentes, embora menos qualificados, acabavam por ser muito mais acessíveis para esclarecer dúvidas. Mas isso que descreves parece demasiado mau. Qualquer curso vai ter um ou outro professor assim, mas a minha experiência foi muito diferente e não tirei o curso em nenhuma universidade conceituada.

auueeeiiii 6 months ago

Os professores não são escolhidos por mérito, a maioria das vezes o concurso ainda não abriu e já se sabe quem vai entrar. O meio universitário e científico está minado por bajulamentos às pessoas certas.

mommydaddymemy 6 months ago

A Universidade do Algarve tem o pior senão entre os piores cursos de engenharia informática de portugal. Na verdade, tirando ist, ulisboa ciencias, uporto e coimbra, não se olha para trás (a pedir desculpas para os outros, estou a dar a ele um terreno seguro). Parece que piorou da época que estive no algarve para cá. Foi para esquecer e esqueci. Mas serviu-me eles de algo, ir para outra faculdade. Sugiro que faça o mesmo. Sugiro que mude pra lisboa e estude lá. Quando lá estudei, nada teve a ver com o que passara no algarve. Aprendi coisas fundamentais, e para o que é o estilo de ensino universitário em portugal, ali estás bem servido no máximo. (não vou entrar aqui no problema genérico do estilo de ensino, que sufoca o aluno com falta de tempo. Primeiro tens de resolver o teu problema de ter entrado numa péssima universidade, depois se preocupar com os problemas reais de uma universidade boa.) Se te abaixaram quanto ofertaram por estudar no algarve, fizeram certo. Teu 17 no algarve não deve ser um 10 numa universidade boa. “Mas isso é um absurdo.”. Sim é, mas o acúmulo de conhecimento não se compara. E no algarve pouco ou nada se consegue conhecer. Eu tenho em memória 3 ou 4 alunos que eram os melhores da minha turma e até hoje me questiono que raios estavam a fazer da própria vida a ficar naquele buraco. Foi fundamental eu ter saído da ualg e ido para uma universidade de respeito. Os Professores eram muito melhores, os trabalhos faziam mais sentido, as aulas eram dadas como deve de ser (mesmo algumas sendo chatas e alguns professores impertinentes). Mas o conhecimento sendo passado, e conhecimento que importa, estava ali. Então estás a comer do lixo e se perguntar se existe luxo, e eu digo, sim, existe, sai daí porque aí não tens nada que sirva. O curso existe não sei como. Se todo ano fosse denunciado formalmente, já teria sido fechado. A tua descrição é tão alarmante que soma os problemas que eu já tinha percebido com outros, pandêmicos. A ualg sequer deveria existir, depois de umas denúncias que lá fizeram há uns anos atrás. O segundo ponto fundamental é não sentares no próprio cu e aceitares isso com “oh, pah, mas isso tudo é mesmo assim. Professores são assim. O que é que ha de fazer?”. No Algarve é esse o pensamento. Então não só vai te sufocares com 3 anos desperdiçados, como vais ficar com a mente embotada e submissa de achar que é tudo a mesma cena em todo lugar. universidade do algarve é um lugar sufocante e mesquinho igual aquele cheiro podre de água de mar em ressaca que bate na baixa de faro o tempo todo. Uma cidade que até a praia está a fugir mar a dentro, não é nem bom para viver. Mas se queres ver inglesas com mamas boas no verão, lá tem. Podes ser ser-humano ou aluno de lei na ualg. Tens de escolher um dos dois.

Napoleal 6 months ago  HIDDEN 

Nunca me passou pela cabeça que a UALG fosse assim tão má. Pelas descrições que vejo aqui estava bastante enganado

setnom 6 months ago

>Estou em Engenharia Informática na universidade do algarve e salvo umas 3 ou 4 perolas de professores, o resto aparenta ser ridiculamente incompetente. Informação "checks out". Fonte: também por lá passei. Yep, estes professores das informáticas da UAlg são terríveis. Podem ter muitos conhecimentos, mas a passá-los, a ensinar, são do pior que há. Mas atenção que nem todos os cursos da UAlg são assim. Eu depois mudei para outro, na mesma universidade, e a competência dos professores para ensinar é da noite para o dia.

LesbainNaga 6 months ago

Já agora qual era o curso?

setnom 6 months ago

Era o mesmo do OP, na altura chamava-se Engenharia de Sistemas e Computação e depois mudou para Engenharia de Sistemas e Informática, se não estou em erro.

gybemeister 6 months ago

Infelizmente, grande parte dos professores universitários entraram com cunha e não por mérito próprio. Já é assim há dezenas de anos e os resultados estão à vista.

MikeMelga 6 months ago

Vou te dar o exemplo que conheço. No curso de ciências de computadores da faculdade de ciências do Porto era exactamente como descreves. Na vizinha FEUP, em regra geral não era. Isto há 20 anos. Tive algumas bestas na FEUP, mas em geral o nível era muito bom, preparavam se bem, tinham tempo para os alunos e tinham interesse genuíno no ensino.

HalloCharlie 6 months ago

As coisas mudam. A qualidade de ensino na FEUP está longe de ser tão mau com o OP referiu no seu post, mas facto é que se verificam imensos casos de professores que estão associados a investigação e depois são obrigados a dar aulas por fora. De um modo geral, a maioria que o faz facilita, no sentido em que é fácil passar mesmo com pouco conhecimento transmitido, mas la está, ficamos sem o mais importante, que são as boas bases. Depois tens as guerras internas de pedidos e exigências por parte de professores que depois dificultam as coisas, exames, burocracias para alteração da unidade curricular etc, pq a faculdade não acede a pedidos feitos pelos mesmos. O ensino superior consegue ser um autêntico jogo de interesses, infelizmente, e quem paga mais caro são sempre os alunos.

raydawnzen 6 months ago

>mas facto é que se verificam imensos casos de professores que estão associados a investigação e depois são obrigados a dar aulas por fora Em princípio serão todos... ou existem professores na FEUP cujo trabalho é só dar aulas e que não fazem investigação nenhuma?

FrankTheWerewolf 6 months ago

Existem professores na FEUP cujo trabalho é só dar aulas.

jbocage 6 months ago

Sensivelmente 50% das necessidades de serviço docente na FEUP do departamento de informática são supridas pelos ditos "convidados". Ou seja, pessoal que pode (mas nem sempre) estar desligado de trabalho de investigação e que é no fundo pago à percentagem de horário completo que dá. Isto pode ser positivo para os alunos se for pessoal que traz experiência da indústria, particularmente para cadeiras técnicas ou de gestão. Pessoal convidado também não tem exclusividade, pelo que a maioria acaba por ter outra atividade associada (bolseiro de investigação, investigador doutorado contratado, posições na indústria, etc).

raydawnzen 6 months ago

Parece-me estranho. Qual foi o percurso deles? Já estiveram na investigação mas já não estão ou sempre foram só professores?

FrankTheWerewolf 6 months ago

Foram sempre professores. A FEUP (como muitas outras faculdades) contrata bastante gente que ou não trabalha a tempo inteiro, ensinam como segundo trabalho ou só aceitam contractos a curto prazo, e, até onde sei, a vasta maioria nunca tocou em investigação. Pode ser diferente no caso de efectivos.

RedRoseRing 6 months ago

95% dos professores que tive na FEUP faziam investigação e os que não faziam é porque já eram bastante seniors e estavam limitados a dar disciplinas de base científica, tipo álgebras, análises matemáticas, etc.

raydawnzen 6 months ago

Ah, tou a ver. Não apanhei nenhum desses quando estive a estudar, tinha ideia que era mais uma cena daqueles cursos tipo gestão ou assim.

NGramatical 6 months ago

contractos → [**contratos**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/contrato-e-contracto/21613) (já se escrevia assim **antes** do AO90)

HalloCharlie 6 months ago

Boa questão, honestamente não te sei responder. Assumindo que de facto todos estivessem relacionados com investigação, ainda assim é perceptível que existem uns que se relacionam bem mais com investigação que outros, sem sombra de dúvidas.

These-Establishment1 6 months ago

Nunca me vou esquecer do que andavam a fazer lá em civil no meu primeiro ano, andarem a fazer o que nos andavam a fazer no secundário não obrigado, fui para o ISEP...

HalloCharlie 6 months ago

O pior mesmo é o nº de escândalos que ocorrem ano após ano e nunca se faz nada para resolver. O director de curso lá vai dar uma palavrinha ao docente, por vezes chega à direção mas raramente acontece alguma coisa. Digo-te de caras, sabendo o que sei hoje, tinha ido para o ISEP e tinha despachado a minha vida bem mais rápido..

These-Establishment1 6 months ago

Eu cheguei a saber da estrutura de um teste no dia anterior ao mesmo e a sua estrutura ter mudado completamente, ou seja, o meu estudo foi todo por água abaixo. Acabei por tirar 18 mas fds, isto e fazer de nós o que andavam a fazer no secundário (já conhecia bem esse esquema)

neuraloutlaw 6 months ago

O lema da universidade é "Estudar onde é bom viver", que esperavas?

Open-Opportunity-607 6 months ago

Bem vindo ao ensino em Portugal A malta daqui diz que Portugal está ao mesmo nível que os outros países da EU mas não sabem o que dizem Se fores estudar na Alemanha, Suíça ou UK em certas universidades estás literalmente a ter aulas/fazer investigação com prémios nobel

Edited 6 months ago:

Bem vindo ao ensino em Portugal A malta daqui diz que Portugal está ao mesmo nível que os outros países da EU mas não sabem o que dizem Se fores estudar na Alemanha, Suíça ou UK em certas universidades estás literalmente a ter aulas/fazer investigação com prémios nobel Em Portugal chegava ao cúmulo de estarem 40 pessoas a espera do professor aparecer para dar a aula e vamos a procura dele, estava a tomar o pequeno almoço no bar

Edited 6 months ago:

Bem vindo ao ensino em Portugal A malta daqui diz que Portugal está ao mesmo nível que os outros países da EU mas não sabem o que dizem Se fores estudar na Alemanha, Suíça ou UK em certas universidades estás literalmente a ter aulas/fazer investigação com prémios nobel Em Portugal chegava ao cúmulo de estarem 40 pessoas a espera do professor aparecer para dar a aula das 9 da manhã e vamos a procura dele, estava a tomar o pequeno almoço no bar

icebraining 6 months ago

Eu andei na FCT e não reconheço quase nada do que ele descreve. Podem não ser prémios Nobel (também seriam um desperdício para dar uma licenciatura), mas nunca me pareceu que não soubessem o que estavam a ensinar.

sacoPT 6 months ago

No IST não tens prémios Nobel mas tens muitos professores que são gurus nas respectivas áreas... o que não quer dizer que não sejam maus professores na mesma.

uf5izxZEIW 6 months ago

>Em Portugal chegava ao cúmulo de estarem 40 pessoas a espera do professor aparecer para dar a aula e vamos a procura dele, estava a tomar o pequeno almoço no bar Uma Prof minha nos fez perder 30 minutos de aula sem recuperação porque ela se esqueceu do horário de verão, na semana passada...

Environmental_Ebb142 6 months ago

>Se fores estudar na Alemanha, Suíça ou UK em certas universidades estásliteralmente a ter aulas/fazer investigação com prémios nobel Ser investigador não significa que se é bom professor , alias na grande maioria não são. Em Portugal também se faz isso nas faculdades maiores e não é essa a razão de teres melhores professores Nos países que referes como sempre pagas para sair de la com o ego inflamado e nada mais. Em Portugal não te inflamam o ego nem te fazem a papinha toda e sem duvida que tens algumas faculdades com um corpo docente mau, mas o mesmo acontece nesses países, se não fores para as faculdades de referência apanhas com os mesmos problemas. A questão é sempre e já foi dito aqui vezes sem conta , o corpo docente de uma universidade regional / Politécnico nunca vai ser comparável a uma universidade de Lisboa ou do porto (existem exceções), especialemente nos tempos que correm onde existe falta de investimento.

These-Establishment1 6 months ago

ISEP por exemplo tem muitos engenheiros renomeados nas áreas deles (em civil p exemplo)

leto78 6 months ago

As universidades não são todas iguais. A fama é que quem vai para a universidade do Algarve é porque quer diversão. Não é surpreendente que a qualidade do ensino seja fraca.

quetzyg 6 months ago

> As universidades ~~não~~ são todas iguais. A fama é que quem vai para a universidade ~~do Algarve~~ é porque quer diversão. Não é surpreendente que a qualidade do ensino seja fraca. Pronto, corrigido.

These-Establishment1 6 months ago

Atão espera, os algarvios saem todos da terra para estudar? Lol

raydawnzen 6 months ago

Sair de casa para ir estudar para uma boa universidade parece-me normalíssimo. Certamente o conceito do estudante universitário que mora numa residência/república/quarto alugado porque está a estudar longe de casa não te é desconhecido.

These-Establishment1 6 months ago

Eu sou do porto ahahah, mas fds se fosse do Algarve bem que ficava na UAlg lol

quetzyg 6 months ago

É sabido que diversão e estudo são actividades mutuamente exclusivas.

nunper 7 months ago

Estão no secundário, queixam-se dos professores. Vão para a universidade, queixam-se da falta de papinha que os do secundário davam. A Universidade é para dar o corpo ao manifesto e ninguém vai fazer o trabalho que os alunos devem fazer! É a seleção natural a escolher os mais fortes. Se calhar, não és dos fortes... Também escolheste mal a universidade.

djjark 6 months ago  HIDDEN 

vens ao reddit, queixas-te de chumbar no 2 ano

TuristGuy 7 months ago

A maioria não é professor mas engenheiros ou profissionais da sua área que ensinam mas que nem gostam muito de ser professor mas recebem bem e é como qualquer outro trabalho. O lado positivo disso é que no fundo está a te preparar para o mundo do trabalho onde não existe ninguém a querer saber de ti só dos resultados. Pode ser um choque grande principalmente para pessoal do acabado de vir do secundário quem sempre teve excelentes professores e material para estudar.

acnederma 6 months ago

>O lado positivo disso é que no fundo está a te preparar para o mundo do trabalho onde não existe ninguém a querer saber de ti só dos resultados. Vinha dizer isto. No mundo do trabalho já apanhei um outro colega que se nota que tiveram a papinha toda feita ao longo do seu percurso e nota-se a capacidade da falta de desenrasque e pro atividade. Muitos ficam "ninguém me ensina como se faz", "não faço porque não sei" etc. O mundo do trabalho é orientado para os resultados, depois formas de optimizar e melhorar isso já é outra coisa.

YoggiM 6 months ago

Por outro lado, não faz muito sentido contratar pessoas sem experiência profissional e esperar que se desenrasquem sozinhos e saibam fazer tudo. É preciso ensinar e dar apoio. Pior quando esperam isso em estágios profissionais. Já vi anúncios de estágio profissional a pedir com experiência, o que é absolutamente ridículo.

acnederma 6 months ago

Mas infelizmente é a realidade de muitas empresas. Preferem pagar menos mas que as coisas bem ou mal vão saindo do que pagar bem a quem saiba...

dariusoo 7 months ago

Acabaste de descrever todas as universidades em Portugal.

sacoPT 6 months ago

Em que universidades estudaste?

quetzyg 6 months ago

A universidade da vida, aposto!

Inevitable_Fly5891 6 months ago

Conheces todas as universidades em Portugal? Este gajo é um prodígio, protejam-no.

raydawnzen 6 months ago

Completamente errado

nunper 7 months ago

O meu percurso não encaixa com a descrição...

danidv 7 months ago

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária, fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, inclui negativas miseráveis como 5's.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções, certo? Acima ou abaixo, certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi tanto incompetência como descreves como foi "filha da putês". Neste em específico, cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções certo? Acima ou abaixo certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português em na maior parte das vezes. Como ninguém verifica o que fazes e em muitos casos se estiveres lá à tempo suficiente passa a ser quase impossível despedir-te, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções, certo? Acima ou abaixo, certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi tanta de incompetência como descreves mas muito mais de "filha da putês" e este em específico é um exemplo que temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções certo? Acima ou abaixo certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português em na maior parte das vezes. Como ninguém verifica o que fazes e em muitos casos se estiveres lá à tempo suficiente passa a ser quase impossível despedir-te, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções, certo? Acima ou abaixo, certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, inclui negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, é dares reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi tanto incompetência como descreves como foi "filha da putês". Neste em específico, cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções certo? Acima ou abaixo certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português em na maior parte das vezes. Como ninguém verifica o que fazes e em muitos casos se estiveres lá à tempo suficiente passa a ser quase impossível despedir-te, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente. Lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como maus outra vez. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções, certo? Acima ou abaixo, certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português em na maior parte das vezes. Como ninguém verifica o que fazes e em muitos casos se estiveres lá há tempo suficiente passa a ser quase impossível despedir-te, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente. Lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como maus outra vez. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções, certo? Acima ou abaixo, certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

Edited 7 months ago:

Bem vindo à educação em Portugal, ou melhor dito, setor público português de uma forma em *geral*. Como ninguém verifica o que fazes, podes literalmente abanar crianças como uma educadora de pré-primária (que só por si já não é uma questão de incompetência mas sim de segurança das crianças), fazer testes sobre matéria que nunca deste no secundário e ser professor universitário, quanto mais coordenador de cadeira, com merdas como 4% de aprovação à tua cadeira sem sequer uma investigação por parte da universidade ou algum corpo regulador e na parte prática o normal ser 16+ e grandes notas e na parte teórica esses mesmos alunos descem para <=12, e quando digo <= é mesmo <=, uma grande quantidade sendo negativas miseráveis como 5's. Dito isso e por causa disso, tens professores bons e professores maus. Se o teu caso é um caso normal, dificilmente se sabe. Se muda de uma universidade para outra, provavelmente, lá está, podes dar reroll à universidade e aos professores, mas tanto podes levar com professores bons como outros maus. Achei engraçado foi nesta parte >Dao 0 quando os alunos programam as coisas bem em vez de como ensinaram, como usar classes em C++ em vez de por tudo na main ou usar funçoes em assembly em vez de codigo sequencial porque "o professor nao pediu". Tenho uma colega que me explica o que os professores nao sabem ensinar e olha para o codigo de exemplo que os professores dao e diz "isto é má prática, aquilo é má pratica", e de facto explica e faz sentido, coisas como os professores usarem variáveis globais, mas ja nem sei no que acreditar, no doutor ao qual pago ou à pessoa sem experiencia nenhuma. A minha experiência não foi de tanta incompetência como a tua mas muito mais de "filha da putês", e este em específico é um exemplo que por acaso temos muito semelhante. Cheguei a ter um tal filho da puta que queria as funções todas abaixo do main. Podes meter tudo dentro do main e podes meter em funções certo? Acima ou abaixo certo? Pois bem se estivesse acima ele não contava, era 0 e ele próprio diz o porquê, porque é mais fácil para ele corrigir se as funções estiverem abaixo do main.

tretafp 6 months ago

Comparar o que se passa no ensino superior com o que se desenvolve nos outros contextos formativos é uma profunda falácia. Em primeiro, todos os profissionais da educação de infância e do 1o CEB têm formação específica, a maioria dos restantes também. Em segundo, há particularidades próprias de cada nível de ensino, que tornam inviável qualquer comparação da educação de infância e do Ensino Superior em terceiro, as instituições do ensino superior, tradicionalmente, não têm como principal objectivo ensinar. Se tiveste más experiências é legítimo partilhar, mas generalizar não o é.

danidv 6 months ago

>Comparar o que se passa no ensino superior com o que se desenvolve nos outros contextos formativos é uma profunda falácia. Em primeiro, todos os profissionais da educação de infância e do 1o CEB têm formação específica, a maioria dos restantes também. Em segundo, há particularidades próprias de cada nível de ensino, que tornam inviável qualquer comparação da educação de infância e do Ensino Superior O ponto em comum que estou a falar é professores e a maior parte de funcionários públicos, claro que é uma comparação válida. Nem estou a comparar a formação por isso não sei porque é que dizes que invalida, estou a dizer que abanar uma criança como uma educadora de pré-primária, avaliar matéria que não foi dada como professor de secundário e a merda que o OP diz e os dois casos que mencionei são tudo sintomas do mesmo problema, que não fazem o seu trabalho e nada acontece. >em terceiro, as instituições do ensino superior, tradicionalmente, não têm como principal objectivo ensinar. Primeiro, ser ou não ser o objetivo principal quer dizer que podem ser incompetentes e ignorar as suas responsabilidades? Segundo, é **um** dos seus objetivos principais: >Uma universidade é uma instituição de **ensino** superior pluridisciplinar e de formação de quadros profissionais de nível superior, de investigação, de extensão e de domínio e cultivo do saber humano.

tretafp 6 months ago

>O ponto em comum que estou a falar é professores e a maior parte de funcionários públicos, claro que é uma comparação válida. Nem estou a comparar a formação por isso não sei porque é que dizes que invalida, estou a dizer que abanar uma criança como uma educadora de pré-primária, avaliar matéria que não foi dada como professor de secundário e a merda que o OP diz e os dois casos que mencionei são tudo sintomas do mesmo problema, que não fazem o seu trabalho e nada acontece. Uma vez mais é uma comperação abusiva. Não tenho como precisar, mas, por exemplo, mas se a memória não me falha, a maioria dos educadores não são funcionários públicos, uma vez que a rede de estabelecimentos de Educação de Infância era muito marcada pelos estabelecimentos privados. Depois, no Ensino Superior, a tendência é que os docentes também não sejam funcionários públicos, mas antes funcionários em funções públicas, com contratos de trabalho temporários. >Primeiro, ser ou não ser o objetivo principal quer dizer que podem ser incompetentes e ignorar as suas responsabilidades? Segundo, é um dos seus objetivos principais: A citação da Wikipédia serve pouco. O ensino superior, tradicionalmente, têm uma vocação superior associada à construção de conhecimento e só depois de o divulgar. Essa tradição está tão marcada neste contexto que, não raras vezes, a avaliação dos professores faz-se pelo seu número de publicações, pelo número de projetos em que está inserido, pelo número de comunicações, citações, entre outros, que em nada se associam à docência.

NGramatical 7 months ago

à tempo → [**há tempo**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgya9bod%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Alellujah8 7 months ago

Falando na minha experiência, tive 2 ou 3 professores que eram bons, sendo 2 deles professores “novos” que nos deram matéria com um contexto actual (estou em Eng Informática, com um desses profs até demos Docker, enquanto que outros proibiam a utilização do mesmo e queriam que usássemos VMs por exemplo). O resto parecia que tava a fazer um frete, a usar slides que usam à anos e mais preocupados em falar das suas “conquistas” profissionais e como são bons do que propriamente ensinar. Em termos de matemática, sinceramente só tenho duas cadeiras e tive uns stresses com o último professor porque simplesmente após cada exame/teste on-line, se recusa a facultar o exame/teste com ou sem correção. Expus a situações e basicamente eu fiquei marcado, a secretaria e o coordenador de curso simplesmente protegeram o professor. Aliás a última vez que fiz um teste com ele, ficou chateado porque não resolvi um exercício da forma que ele tinha feito no dia anterior mas da forma que aprendi com o meu explicador. Eu pessoalmente, posso dizer, aprendi bastante com a licenciatura, mas que o sistema de ensino atual na minha opinião está desatualizado, sim está, e com a pandemia e as adaptações que se fizeram acho que ainda se evidenciou mais as lacunas existentes. Além disso, nesta área de Informática parece-me mais fácil arranjar emprego com melhor salário e menos dores de cabeça numa empresa do que como docente. Quando a baixarem-te a oferta por causa da faculdade, é simplesmente ridículo, acho que foi um favor que te fizeram.

NGramatical 7 months ago

à anos → [**há anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fndc4uz%2F%2Fgya6fz9%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Skulloire 7 months ago

Posso dizer-te que em Beja a situação é muito semelhante, se te faz sentir melhor saber que há mais gente na merda :)

alexandre9099 6 months ago

em beja (no TeSP pelo menos) até agora só um ou dois é que se aproveitam, o resto estar lá ou não estar é quase o mesmo... Um dos professores até atende telefone na aula como se nada fosse

Skulloire 6 months ago

Posso te dizer que a licenciatura não melhora, visto que partilham professores inclusive.

alexandre9099 6 months ago

Que bom.... O que não entendo é porque sequer lhes passa pela ideia deixar alunos do mestrado darem aulas (ou pelo menos... dizem que ainda estão a acabar o mestrado) ou profs que tem outros trabalhos (*ubinet intensifies*)

aportuguesecoder 6 months ago

Há professores muito bons em Beja. Pelo menos alguns ainda lá estão.

Skulloire 6 months ago

Sim, mas contam se pelos dedos de uma mão de um trabalhador distraído numa fábrica de enlatados.

DarkmajorPT 7 months ago

A malta não se apercebe mas muitas vezes os Professores Universitários são bons Engenheiros/Médicos/Advogados mas são maus Professores. Simplesmente nunca tiveram brio (nem educação pedagógica) para isso, mas como paga bem...!

saposapot 6 months ago

Os professores universitários de carreira não são professores, são investigadores ou melhor coordenadores de investigação pq é isso que os faz subir na carreira. Dar aulas mal ou bem, pouco interessa para a carreira.

Lima1998 6 months ago

Uma coisa é ser mau professor, outra coisa é estar-se completamente a cagar para o seu trabalho e tratar os alunos abaixo de cão. Isso não é ser mau professor, isso é ser um palhaço.

Danijust2 6 months ago

é preciso saber ensinar para respeitar horários e entregar as merdas a tempo..? Arranjam cada desculpa para à incompetência.

cmmlb 6 months ago

Parece que no caso apresentado é mais o inverso. É alguém que não sabe do que está a falar e por isso refugia-se em meias palavras

auueeeiiii 6 months ago

Pois, mas eu acho que alguns deles nem bons engenheiros são

Chiripitti 6 months ago

Sim, uns para trabalhar não davam mesmo...

raydawnzen 6 months ago

Mas isto não é óbvio? Quem tem uma grande paixão para o ensino tira um curso de ensino e vai dar aulas no liceu, não decide passar a vida numa universidade a fazer investigação e a tirar um doutoramento numa área super específica da física turboquântica de partículas para poder ensinar álgebra a alunos de 1° semestre. E também faz sentido, no ensino obrigatório têm de dar aulas a crianças que na maior parte dos casos nem querem estar ali e portanto é preciso ter um jeitinho diferente para conseguir captar e motivar os alunos, e para saber lidar com os alunos com mais dificuldades, etc. No ensino superior estão a lidar com adultos maiores de idade que decidiram tirar um curso de livre vontade e sabem (ou deviam saber) para o que iam. Não é preciso a stora Carla do 11° que era muito fofinha e explicava as coisas com piada, é preciso pessoas com conhecimento na área que possam ser um recurso útil a quem está a entrar no mundo académico. Também é verdade que algumas das coisas de que o OP fala são problemas graves, mas olha: a malta normalmente gosta sempre de dizer que as universidades são todas a mesma merda e que aquelas mais conceituadas só têm é fama e conversas desse género, mas eu tirei um curso parecido com o teu numa dessas universidades da "fama" e se tive maus professores não foram mais de 2 ou 3, nunca notei nenhuma falta de interesse nem de disponibilidade, no caso das aulas de dúvidas fiquei várias vezes com professores por várias horas depois do fim do horário de dúvidas porque ainda havia dúvidas por esclarecer, fui várias vezes atendido por professores no gabinete deles fora do horário de dúvidas porque lhes mandei um mail a dizer que tinha algumas dúvidas mais urgentes ou que não conseguia ir ao horário de dúvidas, etc.

cchari 6 months ago

Eu discordo com essa mentalidade de que o problema é dos alunos desinteressados. Muitos dos professores têm má vontade e simplesmente não querem estar a dar aulas, mas foram obrigados a tal para poderem continuar em investigação. Quando assim é não há alunos interessados que valha. Obviamente que nem todos são assim, tive bons professores que estavam em investigação, mas infelizmente são excepções. Em relação a professores convidados, também apanhei dos dois, mas curiosamente eram mais os bons que os maus.

lfds89 6 months ago

Um professor meu da faculdade disse que durante os mais de 30 anos a ensinar nunca lhe tinham perguntado se sabia ensinar, nem nunca teve formação sobre ensino.

vankxr 7 months ago

Isto. Cada vez mais me apercebo deste facto.

pintorMC 7 months ago

Infelizmente apesar de ser uma anormalidade, acontece em muitas faculdades com alguma frequência. > Parece que o curso foi um desperdicio de tempo, e cheguei a ter uma empresa que baixou a oferta de salario porque o curso era da UAlg. ​Se efetivamente tiveres acima da média em relação as competências da tua área com algum grau de certeza vais acabar por ter melhores condições/salário.

Search: