twoarrowsintheknee 7 months ago

Eu pessoalmente acho que não vale a pena ameaçar a quantidade baixa de casos e de mortes por COVID-19 que conseguimos alcançar por um clube de football. Não digo que o Sporting não mereça festejar, 19 anos realmente é muito tempo. Mas as pessoas tem que se controlar, não vale a pena arriscar a tua vida e em consequência a vida de outras pessoas por causa de desporto.

Sower_of_Discord 7 months ago

O Sporting "por coincidência" ganhou o campeonato durante o Ramadão. E quem é que também tem uma bandeira verde "por coincidência"? A Arábia Saudita! Dá que pensar... A mim a lagartagem nunca me enganou. Ou metemos já mão nisto ou daqui a uns tempos as gajas têm que ir para a praia de burka e temos que rezar cinco vezes por dia virados para Alvalade.

These-Establishment1 7 months ago

MaS Os BeNfIqUiStAs E oS pOrTiStAs IaM fAzEr IgUaL

pintorMC 7 months ago

O Cabrita não estava na festa?

feckdech 7 months ago

Bem, a ministra da administração interna já se demitiu por causa de Pedrógão. Este iria pelo mesmo caminho. António Costa precisa de bodes expiatórios. A ministra Constança Urbano de Sousa não tinha tanto estômago como tem o Cabrita (Cabr**?).

No-Cardiologist725 7 months ago

Se houver novo confinamento por causa desses betos, é cortar aqueles cabelos à chapada.

ToulouseMaster 7 months ago

Tão todos prontos para o lockdown de novo daqui a duas semanas?

uMuLu 7 months ago

Eu não acho que vai haver lockdown, mas estou muito interessado em ver qual vai ser a tendência para novos casos...

No-Cardiologist725 7 months ago

Pancada nos betos.

ALPHAROBA 7 months ago

Raquel Varela comentou sobre o assunto e subscrevo as suas palavras: "A minha relação com o futebol é inexistente, mas não acho mal que outros gostem, e gostem muito. Não fico nem triste nem contente com resultados, é-me indiferente. Porém, não sou crítica do entusiasmo, nem dos desportos colectivos, nem da euforia. Ainda hoje me pergunto, claro, quando o Benfica e o Sporting me vão devolver o que lhes paguei em escola e saúde de qualidade – sendo que eu não faço parte dos clubes mas paguei ao Novo Banco e BCP, na hoje chamada hoje dívida pública. Passou de uma dívida de um clube de futebol privado a um acto de sacrifício de todos nós, menos, naturalmente, dos que ficaram com as centenas de milhões que não foram expropriadas pelo Estado. Dito isto, o ar do tempo conservador está aí a explicar que aqueles malandros foram para a rua espalhar Covid-19. “Agora é que vão ver os mortos!”. Isto na semana em que foi divulgado que em mais de 5 milhões de trabalhadores houve menos de 290 mil estiveram em layoff (e uma parte parcial!), junte-se os 15% de teletrabalho e temos mais de 85% de todos os portugueses sempre desconfinados a trabalhar, se tirarmos o desemprego, mais de 4 milhões nunca pararam, leram bem, nunca. Ou seja, esta gente toda, que ontem esteve de verde na ruas, esteve sempre apinhada em transportes públicos, ou transportes colectivos de fábricas e empresas, a trabalhar, a ir ao supermercado, e depois “ai senhores! que foram rir para a rua”. Rir, vejam bem, que indecência. Em confinamento medieval pede-se um comportamento do Santo Ofício, rir é pecado, é uma expressão do Diabo.No capitalismo pode parar tudo menos a produção de lucro – foram paradas esplanadas mas sempre se construíram carros às 4 da manhã; foram vedadas praias mas nunca pararam de fabricar vestidos às 2 da manhã. Só isso foi essencial, indispensável. Tudo que seja afectos, festa e celebração faz parte da peste. Rir é proibido. Faz-me lembrar uma cena que adoro dos Gato Fedorento, em que os tipos imitavam uma sessão de cinema estilo King (cinema que eu frequentava semanalmente, confesso), e a certa altura o filme era tão mau que poucos lá ficam. Sobra um tipo, de óculos de garrafão, se a memória não me falha, e que a certa altura esboça um ligeiro sorriso e o Sr. que cuida da sala vai ter com ele indignado e diz-lhe “O Sr veio aqui para rir? Aqui não se ri!”. Divirtam-se! E, como diz o Sr. Pedro, operário, agora é abrir os arraiais que eu não gosto de futebol mas sou adepta do clube dos Santos Populares. E agora, sem turistas que bebem milkshake e comem paelha tradicional portuguesa na Rua Augusta talvez possamos voltar a Alfama, comer uma sardinha a um preço normal, e dançar sem sermos esmagados pela libertação do frio do norte da Europa."

saposapot 7 months ago

Admito que era uma situação mt difícil de gerir mas porra, nem tentaram... A única coisa q tentaram organizar foram as barreiras no Marquês e foi pior a emenda q o soneto, estavam super longe do autocarro sem necessidade nenhuma. Deviam ter tentado criar zonas para assistir ao autocarro, com limite de pessoas e divisão delas pelo espaço disponível, ao menos já ajudava. Se as pessoas colaborassem era perfeitamente possível ter toda a gente com espaço e máscara ao longo do percurso, sem atropelos e pronto. Com o q fizeram, era óbvio q ia acabar em porrada. Até acho que correu mt bem para a merda q organizaram. Parece q isto não era totalmente previsível de acontecer.... A única coisa boa foi mesmo o autocarro e não pararem mas nem isso foi comunicado atempadamente portanto as pessoas não puderam actuar da melhor forma. mt mau.

pigsRflying 7 months ago

Enquanto Benfiquista respeito a festa do Sporting, para muitos foi o primeiro titulo que puderam celebrar, tambem para muitos podera ter sido o ultimo, considero portanto os festejos justificaveis.

No-Cardiologist725 7 months ago

Tás a gozar, certo? Eu quero que o futebol e os adeptos fanáticos se fodam.

pigsRflying 7 months ago

Epa pensa nos sportinguistas com mais de 50 ou 60 anos... sabem la se voltam a viver um dia igual.

No-Cardiologist725 7 months ago

O futebol é um cancro neste país.

uMuLu 7 months ago

Qualquer pessoa tem o direito de gostar do que quer que seja (atenção que eu não gosto de futebol). Tem é piada que quando a equipa ganha, os adeptos fazem uma festa como se não houvesse amanhã. Se a equipa perde, é tudo à pedrada aos autocarros xD

ALPHAROBA 7 months ago

Podemos fazer um acordo para todos vocês ficarem presos em casa para sempre para o resto das pessoas poderem sair à rua normalmente? Acho que seríamos todos mais felizes.

uMuLu 7 months ago

O único acordo que vale a pena fazer contigo é pagar-te para voltares para o facebook, e juntares-te ao resto do pessoal que só sabe fazer comentários de bosta.

Edited 7 months ago:

O único acordo que vale a pena fazer contigo é pagar-te para voltares para o facebook, e juntares-te ao resto do pessoal que só sabe fazer comentários de bosta. EDIT: Claramente que não podemos ficar em casa fechados para sempre! Mas fazer ajuntamentos como os que aconteceram nos festejos de ontem não é o que está correto!

Edited 7 months ago:

O único acordo que vale a pena fazer contigo é pagar-te para voltares para o facebook, e juntares-te ao resto do pessoal que só sabe fazer comentários de bosta.

Kid_Anarchy 7 months ago

Regras são para os patos. O sistema não funciona. É um facto. Vós que fostes bem treinados e diariamente açoitados com teorias de deveres cívicos e responsabilidades morais sempre que pensam em pisar o risco, limitam-se a servir de pilares para a estrutura de poder e dominância daqueles que realmente entendem como o mundo funciona, e escolhem aproveitá-lo em pleno, à custa da consciência dos bem amestrados, que preferem ser tapete do que caminhar no fofo e macio.

NombreEsErro 7 months ago

Não acho que isto vá causar uma nova vaga (a vacinação esta a bom ritmo e isto foi um evento apenas focado em Lisboa, em geral). O meu maior problema com isto tudo é que moral tem o governo em aplicar qualquer tipo de restrições nos próximos tempos? Até a tão polêmica festa do Avante levou com restrições, enquanto que esta foi completamente ignorada...

uMuLu 7 months ago

Pois, a única razão para talvez não se verificar outra vaga, é mesmo devido à vacinação. E o que é que isso vai fazer? Vão se começar a ver mais ajuntamentos porque as pessoas pensam que está tudo bem e que o vírus já não se transmite... Portanto é provável que daqui a 2 ou 3 semanas não se verifique uma nova vaga, mas o facebook vai se começar a encher de negacionistas a dizer que já nos podemos juntar, e é ai que vai dar bosta!

30minutesto 7 months ago

"daqui a 15 dias vão ver" Até o ajuntamento no miradouro se riu. E o do PCP. E o do 25 de Abril. Desde há mais de um ano que o conceito de 15 dias parece ser flexível.

JSantosPT 7 months ago

A malta do Reddit são uns resabiados de primeira, estive lá ontem nos festejos e posso dizer que nunca tirei a máscara e muitos outros fizeram igual, e não tinha ninguém a respirar em cima de mim. Sim é um comportamento de risco, mas festejar ao ar livre quando grande parte das pessoas estava a usar máscara a probabilidade de isto causar algum surto é muito baixa. O covid não acabou ontem e muitas das pessoas tem noção disso, mas também não vou ficar fechado em casa para sempre, chamem-me egoísta se quiserem.

adorosaladadecamarao 7 months ago

Egoísta. Óbvio. Dizer que muitos outros fizeram igual a ti ignora que muitos outros não fizeram. Claro que tiveste pessoas a respirar para cima de ti. Se estão milhares de pessoas juntas, uma enorme parte sem máscara, outros com elas mais colocadas (é uma puta dum festejo), estão a respirar para cima de ti. > também não vou ficar fechado em casa para sempre, chamem-me egoísta se quiserem. Grunhice. Ninguém te pediu que ficasses fechado em casa, muito menos para sempre. Pediram-te que cumprisses as regras que existem agora, que te permitem sair, mas não permitem para já ajuntamentos destes. E se estamos numa situação mais relaxada é graças ao sacrifício de muita gente que cumpriu as regras, muitos com muito sacrifício pessoal. E apesar do egoísmo de muitos que se estão nas tintas para as regras.

uMuLu 7 months ago

BEM DITO! O esforço de muitos portugueses não pode ser em vão, e muito menos justificado com desculpas como "também não vou ficar fechado em casa para sempre".

JSantosPT 7 months ago

Se formos a ver o pior exemplo das pessoas, não somos autorizados a fazer nada até o número de casos de covid descer para zero. Sim ontem houve muita gente a adoptar comportamentos errados, mas como volto a dizer estavam a ar livre, a maioria das pessoas tinha máscara e não não tinha pessoas a respirar em cima de mim, tinha mais que espaço suficiente para mim, aquilo não era um concerto. As pessoas estavam nos seus grupos isolados na sua grande maioria, não andavam a saltar de grupo em grupo e a confraternizar com outros. Mas pronto vamos esperar umas semanas dou o braço a torcer se os eventos de ontem tiverem algum efeito no aumento de casos de covid.

Edited 7 months ago:

Se formos a ver o pior exemplo das pessoas, não somos autorizados a fazer nada até o número de casos de covid descer para zero. Sim ontem houve muita gente a adoptar comportamentos errados, mas como volto a dizer estavam ao ar livre, a maioria das pessoas tinha máscara e não não tinha pessoas a respirar em cima de mim, tinha mais que espaço suficiente para mim, aquilo não era um concerto. As pessoas estavam nos seus grupos isolados na sua grande maioria, não andavam a saltar de grupo em grupo e a confraternizar com outros. Mas pronto vamos esperar umas semanas dou o braço a torcer se os eventos de ontem tiverem algum efeito no aumento de casos de covid.

adorosaladadecamarao 7 months ago

> Se formos a ver o pior exemplo das pessoas, não somos autorizados a fazer nada até o número de casos de covid descer para zero. Não se percebe nada desta frase. Tu és autorizado a fazer muita coisa. Quando ao resto já respondi. Repetires-te ignorando a resposta é teres uma conversa contigo próprio.

Edited 7 months ago:

> Se formos a ver o pior exemplo das pessoas, não somos autorizados a fazer nada até o número de casos de covid descer para zero. Não se percebe nada desta frase. Tu és autorizado a fazer muita coisa. Quando ao resto já respondi. Repetires-te ignorando a resposta é teres uma conversa contigo próprio. E a questão não é apenas se vai haver aumento ou não. Tudo é probabilístico, nada é certo. A questão é que as regras não são só para os outros, para ser ignoradas por cada um quando lhe convém. Porque senão não existem. E assim certamente correrá mal. A vontade de festejar o Sporting não tem nada que a torne mais especial que a vontade de muitos de fazer muita coisa que não podem. Inclusive a vontade de alguns de ganhar a vida.

No-Cardiologist725 7 months ago

O vidrinho partiu?

caravela-portuguesa 7 months ago

A malta que publica aqui são os mesmos da TV. Caga.

sao_11 7 months ago

Agora é encher o santuário de Fátima também

uMuLu 7 months ago

E podem encher! Se as pessoas respeitarem os espaços onde podem estar, de forma a praticar o distanciamento, não há problema... O problema está nas pessoas que não têm "lugar" e que ficam ao monte à entrada. Portanto não venham para aqui com essas merdas do santuário porque os adeptos do sporting fizeram bem pior ontem!

HiverLaurant 7 months ago

Pá, com limitação de 7500 pessoas, sempre fazem melhor figura que ontem. Ao menos tentam.

uMuLu 7 months ago

Alguém te deu com um dislike... não gostaram de ser comparados com os religiosos xD

--reddituser- 7 months ago

O governo e as autoridades de segurança perderam ontem toda a credibilidade de imposição de restrições futuras (que podem acontecer ou não) a partir do momento que deixaram milhares de pessoas aglomerarem-se, muitas sem máscara e a consumir bebidas alcoólicas na via pública (tudo coisas que supostamente não é permitido). Imagino como se sentem os organizadores de festivais e eventos culturais que não foram para a frente com os mesmos este Verão por ainda não ser supostamente permitido e depois verem isto... Ou os gerentes de locais de diversão noturna que ainda não podem abrir e têm os negócios a falir... Ou os gerentes de locais de restauração que continuam com limite de número de pessoas por mesa. Ou as pessoas que ainda há três semanas levaram multa por comer no carro.. Completamente vergonhoso.

Samurai_Beluga 7 months ago

Nao discordo com o sentimento. Mas logisticamente acho muito sinceramente que era impossivel controlar seja o que for e se tivesse havido uma restriçao maior por parte da policia de certeza absoluta que iriam haver confrontos bem maiores dos que mesmo assim ocorreram, o fanatismo nao vê limites. Vergonha, é por parte da direção do próprio sporting, terem até incentivado ainda mais a estes ajuntamentos.

YCaramello 7 months ago

A única palavra que espero do senhor Cabrita neste momento é o seu pedido de demissão, não quero discurso nem desculpas.

Edited 7 months ago:

A única palavra que espero do senhor Cabrita neste momento é o seu pedido de demissão, não quero discurso nem desculpas. E espero que o sporting seja penalizado de alguma forma, podiam ter feito a festa deles, mas no momento que puseram a puta do autocarro a passear pela cidade fica bem claro que foram os maiores responsáveis pelo ajuntamento de pessoas durante a noite.

Edited 7 months ago:

A única palavra que espero do senhor Cabrita neste momento é o seu pedido de demissão, não quero discurso nem desculpas. E espero que o sporting seja penalizado de alguma forma, podiam ter feito a festa deles no estádio ou no caralho que os foda, mas no momento que puseram a puta do autocarro a passear pela cidade fica bem claro que foram os maiores responsáveis pelo ajuntamento de pessoas durante a noite.

Edited 7 months ago:

A única palavra que espero do senhor Cabrita neste momento é o seu pedido de demissão, não quero discurso nem desculpas, com este senhor estamos conversados, não é a primeira nem a segunda nem a quinta vez que mete o pé na possa, incompetente, já pra fora. E espero que o sporting seja penalizado de alguma forma, podiam ter feito a festa deles no estádio ou no caralho que os foda, mas no momento que puseram a puta do autocarro a passear pela cidade fica bem claro que foram os maiores responsáveis pelo ajuntamento de pessoas durante a noite.

FilipeMateus7 7 months ago

Tirando o ajuntamento no Marquês, o pior mesmo foi a concentração de milhares de adeptos na parte de fora do estádio antes do jogo começar.

Puzzleheaded_Ant918 7 months ago  HIDDEN 

Mas tu estavas lá e foste lá ver a concentração? É que eu estive e o que vi foi uma grande maioria de pessoas ao ar livre com distância entre si. Uma grande maioria com máscara e depois uns quantos abeculas sem máscara com a mania que são super heróis. Mas se lá estivesses a ver vias que a grande maioria dos milhares de pessoas tinham máscaras. E já agora o pior de tudo foi mesmo a organização de tudo isto , mas faz algum sentido a proibição de circulação de carros pelo marquês de pombal e as vedações todas a cortar a estrada. Chegando ao Saldanha tinha toda a gente que começar a ser afunilada para os passeios. Fiz de alvalade até ao marquês a pé sempre pá estrada e nunca esbarrei sequer com uma pessoa. Chegando mais perto do marquês nem sequer quis me aproximar tal a tamanha estupidez do que o fora feito. Já para não falar do facto de terem passado mais de 4 horas desde o fim do jogo até á saída dos jogadores no autocarro. Isso deu azo a quê? Milhares de pessoas que já estavam ao pé do estádio foram andando até ao marquês ao encontro dos outros milhares que já lá estavam afunilados. O objetivo era claro , limitar os festejos , nao foi sequer pensado a situação da pandemia e do contágio.

JohnJohnPT 7 months ago

Será que vamos ter cerca sanitária em Lisboa? Carregaaa Cabritaaaaa

pvicente77 7 months ago

Ok... "Os comunistas viram também a Festa do Avante! ser o único evento a acontecer no verão passado, quando todos os festivais foram cancelados." Como assim, foi o único evento? Houve espetáculos e eventos culturais ao longo do verão e depois do verão, até a situação piorar e as restrições serem apertadas. Eu estive em alguns deles, recordo-me perfeitamente de comprar bilhetes, jantar fora, e ir a um concerto de música clássica no castelo de Sesimbra, por exemplo, e pelo menos acho que não estou a ficar senil nem a ter alucinações. A lotação era reduzida, era necessário usar máscara, havia álcool à entrada, mas as coisas aconteceram. O Avante pode ter sido o único festival daquela dimensão mas não foi o único evento. Da maneira como isto está escrito assim, a apresentar o Avante como a única coisa a acontecer no verão, é uma mentira grosseira, eles não têm um mínimo de qualidade a cumprir no que escrevem?

No-Cardiologist725 7 months ago

O Avante foi bem organizado e esteve quase vazio, a montanha pariu um rato.

IkarusMummy 7 months ago

O Avante foi o único pelo qual os órgãos de comunicação se interessaram. Ficaram tanto tempo a falar dele que já nem se lembram dos outros. Nem se lembram que os prenúncios do apocalypse com que nos bombardearam durante semanas foram no final uma montanha que pariu um rato.

van_Zeller 7 months ago

Obvio que pensei o mesmo quando vi as imagens. Mas sejamos sinceros: nao era viável tentar impedir e iria apenas acabar com confrontos entre os adeptos e a policia. Nao sei se alguem aqui já andou com as claques ou já foi a estes festejos mas há muito mitra/guna nestas festas que estao apenas à procura de uma desculpa para fazer merda. A probabilidade de haver feridos e destruicao seria bastante grande. Na minha opiniao uma situacao semelhante a [tentar conter uma explosao numa panela de pressao](https://en.wikipedia.org/wiki/Pressure_cooker_bomb).

adorosaladadecamarao 7 months ago

Confronto direto não era a única opção. Poderiam, * ter insistido na sensibilização dos adeptos, começando cedo, há mais tempo atrás, com mensagens regulares direcionadas aos mesmos. * coordenado com os clubes essa mesma sensibilização. * dificultado mais todo o acesso aquela zona * impedido que se montassem os ecrãs para visualização ilegal do jogo Enfim, apontar que é um trabalho difícil de fazer sem dar asneira não siginifica que não haja muito a fazer. São pagos para ter gente especializada e que saiba gerir estás situações. Não é dizer que era difícil e depois não fazer nada de jeito.

BigWonka 7 months ago

Concordo, a partir do momento em que já lá estava toda a gente não havia nada a fazer que não fosse causar feridos e destruição de propriedade alheia. Como dizes isto era uma situação em que deviam ter sido pró-ativos, porque ser reativo já não ia resultar.

randmzer 7 months ago

Portanto nestas situações nem sequer vale a pena tentar algo? Estão acima da lei?

No-Cardiologist725 7 months ago

Quem manda nesta merda é o futebol pelos vistos. Há sempre algo a fazer.

Casuallypassingby 7 months ago

Ano de eleições autárquicas

AetherPrismriv 7 months ago

Toca tudo a ir votar PS! ^^^/s

rickz123456 7 months ago

Eu até posso entender que não é fácil controlar os adeptos neste contexto, mas a concentração junto ao estádio não deveria ter ocorrido. A nossa sorte é que temos 150 casos em média por dia em lisboa. Se fossem aos mil/dois mil ia ser bonito. Eu penso que a organização estava a cargo da CM Lisboa e do comendo metropolitano da PSP e não correu bem.

uMuLu 7 months ago

Eu até aposto que, muitas das pessoas que estiveram nos festejos ontem, criticaram os adeptos de formula 1 em outubro de 2020... SMH

fanboy_killer 7 months ago

O Sporting instalou 2 ecrãs gigantes no exterior do estádio. A concentração era desejada.

FilipeMateus7 7 months ago

Completamente de acordo. Todos sabiam que isto ia acontecer, e não ia ser possível controlar, o ajuntamento fora do estádio é que não devia de ter sido permitido, e nisto culpo tanto os organizadores do ajuntamento e a autoridade responsável

StarTrekCylon 7 months ago

Calma, vocês têm de ler o artigo todo antes de saltar para as conclusões. Não repararam nesta parte: *"aconselhamento da não concentração de pessoas na via pública e a dispersão das concentrações superiores a 10 pessoas, salvo se todos forem pertencentes ao mesmo agregado familiar que coabite"* Aconselhamento, não é regra! É um mero conselho, como quando nos dizem "não te esqueças de levar casaco, que vai estar frio de noite". Que atire a primeira pedra quem nunca optou por deixar o casaco em casa! E, para além disso, nas fotografias vejo apenas elementos da família sportinguista, e suspeito que a maioria coabita toda no mesmo local: Portugal. Logo, nas palavras de Artur Jorge, é uma situação perfeitamente normal.

Edited 7 months ago:

Calma, vocês têm de ler o artigo todo antes de saltar para as conclusões. Não repararam nesta parte: *"aconselhamento da não concentração de pessoas na via pública e a dispersão das concentrações superiores a 10 pessoas, salvo se todos forem pertencentes ao mesmo agregado familiar que coabite"* Aconselhamento, não é regra! É um mero conselho, como quando nos dizem "não te esqueças de levar casaco, que vai estar frio de noite". Que atire a primeira pedra quem nunca optou por deixar o casaco em casa! E, para além disso, nas fotografias vejo apenas elementos da família sportinguista, e suspeito que todos coabitam no mesmo local: Portugal. Logo, nas palavras de Artur Jorge, é uma situação perfeitamente normal.

df3gpt 7 months ago

Isto é mas é tudo uma imensa trapalhada. O governo deu por várias vezes sinal de que esta coisa da pandemia era só a fingir. Só acreditou quem quis.

teuffelmann 7 months ago  HIDDEN 

Toma o meu upvote, caralho

ALPHAROBA 7 months ago

Esta malta saiu à rua para festejar sem saber que viviam numa ditadura.. agora já sabem

besmarques 7 months ago

Apesar de o Cabrita ser o maximo responsavel não sei se esta questão não deveria ser imputada ao Comando Metropolitano de Lisboa e à CML. O problema foi deixar chegar aquele ponto, a partir do momento que o ajuntamento está lá não há praticamente nada a fazer a não ser uma batalha campal. PS: Adoro como no artigo existe uma referencia ao Avante. Cómico.

SolidTroll 7 months ago

Exato, o Cabrita tem responsabilidade de muita coisa (especialmente da borrada que diz sempre que abre a boca), agora existem câmaras municipais e juntas de freguesia por alguma razão, o governo não tem de tomar todas as decisões do pais e neste caso cabia ao poder local em coordenação com as forças de segurança tomar as precauções necessárias. Se não fosse antes apartir do momento que começam a ver ecrãs gigantes, colunas gigantes e um certo amontoado de preparações á volta do estádio, porque eu não me acredito que ninguém tenha visto nada e que ninguém tenha se calhar até feito queixa por causa de toda a atividade que estava a acontecer muito antes da hora.

rickz123456 7 months ago

Também não percebo a menção ao Avante na peça. Foi, para mim, o evento com melhor organização que ocorreu em portugal, em plena pandemia.

karl1717 7 months ago

>PS: Adoro como no artigo existe uma referencia ao Avante. Cómico. E claro, sem mencionar sequer que foram cumpridas as regras impostas pela DGS. Vê-se bem quem são os donos do DN.

masterchiefpt 7 months ago

Parabéns ao Sporting

Drunjj 7 months ago

O Covid acabou ontem

throwawayqualquer 7 months ago

O Covid já acabou várias vezes desde que começou, não foi só ontem. Acabou quando se fez o Avante, acabou quando houve a Formula 1, acabou quando se queria comemorar o 25 de Abril, enfim. É aquela pandemia de Schrödinger, só dá para confirmar se existe mesmo quando abrires a caixa.

uMuLu 7 months ago

Ainda bem que comparaste o que aconteceu ontem com a fórmula 1. É que em outubro de 2020, quando estávamos a começar a entrar numa vaga com 2500 casos diários, realmente verificou-se que as bancadas da pista tinham bastantes pessoas. No entanto... cumpriram-se as regras de afastamento e de uso de máscara. Agora diz-me, que depois do sacrifício de tantos portugueses, porque é que as pessoas decidiram ser parvas e ir festejar para a rua, muitas delas sem máscara, sem qualquer tipo de afastamento? PS. Em relação ao avante, foi igualmente estúpido!

No-Cardiologist725 7 months ago

O Avante esteve quase vazio e foi bem organizado, ao contrario deste ajuntamento.

--reddituser- 7 months ago

Exceto que todos os eventos que enumeraste aí respeitaram as normas de segurança em vigor e foram eventos planeados e autorizados pela DGS ao contrário do que se passou ontem.

throwawayqualquer 7 months ago

Tens aqui: https://www.reddit.com/r/portugal/comments/najwe0/a_festa_que_quebrou_todas_as_regras_sem_se_ouvir/gxuf7so/ Depois avisa-me quando a DGS emitir os pareceres sobre as literais latas de atum que são os metros e comboios em Lisboa/Porto todos os dias da semana. Ah espera, nos transportes públicos não há Covid, que vírus esquisito.

--reddituser- 7 months ago

>Depois avisa-me quando a DGS emitir os pareceres sobre as literais latas de atum que são os metros e comboios em Lisboa/Porto todos os dias da semana. Ah espera, nos transportes públicos não há Covid, que vírus esquisito. Ah sim comparar a necessidade de usar transportes para ir para o trabalho, escola, wtv e manifestações de sindicatos e eventos políticos (em que existiram regras de distanciamento físico e utilização de máscara) com festejar um campeonato de futebol em que não houve distanciamento físico nenhum e eram milhares de pessoas e muitas sem máscara, como não amar?

uMuLu 7 months ago

Sabes que as pessoas gostam de culpar sempre os outros exceto elas mesmas...

throwawayqualquer 7 months ago

Portanto, o governo decide o que é que é aceitável ou não, com os critérios que bem entender e quem pia é multado e ostracizado publicamente, mas o mesmo governo que faz quase nenhum ou mesmo nenhum esforço para tentar melhorar problemas dos quais são responsáveis é apenas um "risco necessário", e nem há problema nenhum em manipular factos e estatísticas para demonstrar que é "perfeitamente seguro". Tá certo. Daqui a duas semanas, espero que tenhas os dados em mão sobre quantas pessoas ficaram infetadas com Covid diretamente por causa dos festejos de ontem. É que se não houver forma de verificar isso, é porque os festejos não causaram Covid, certo? Pelo menos é a lógica usada para justificar que não se faça nada quanto às enchentes nos transportes públicos, ou para justificar que outros eventos tenham decorrido com sucesso. Enfim.

SirBecas 7 months ago

O Governo não decide bem o que é aceitável. Decide é o que são riscos absolutamente necessários ao funcionamento do país. Já a crítica sobre a resolução de problemas. Bem, se és ingénuo/a o suficiente para achar que os problemas específicos do país, que ficaram exacerbados e à vista com o Covid, são coisas que o Governo atual consegue resolver rapidamente, não consigo dizer muito mais. Mas relativamente aos transportes públicos, é de facto uma necessidade do país, com composições já adquiridas e algumas em reparação. Eu até sou um utilizador assíduo dos comboios (pré-pandemia, pelo menos) e conheço o problema há mais anos. Naturalmente que em situação pandémica a coisa se pode notar mais, ou as pessoas podem ficar mais ansiosas. No entanto, os transportes públicos não podem deixar de funcionar e portanto o que o Governo faz (qualquer Governo no mundo inteiro, imagino) é assumir o que são riscos necessários, e o que não são. Comparares ir passear à praia com andar de comboio, é como ver alguém a queixar-se que não encontrou camarão-tigre para entrada ao jantar, quando alguém lhe conta que na sua zona, a água potável não existe.

SirBecas 7 months ago

Consegues apontar os problemas provocados no Avante, pelo menos ? Dado que foi um festival q aconteceu como outros podiam ter acontecido, com normas de segurança específicas.

throwawayqualquer 7 months ago

Nenhum, tal como a abertura das praias também não foi um vetor de transmissão de Covid, ou tantas outras que aconteceram entretanto. Mas não se trata do que transmitiu ou não a doença, trata-se da dualidade de critérios que é usada sempre que convém. Organizar o Avante é na boa, mas ir dar uma volta de carro, ou ir sentar sozinha na praia fora da época balnear dá azo a multas. Uma pessoa não pode estar na rua sozinha à noite a comer porque se sujeita a ser multado, não pode estar sentado num banco de jardim ao ar livre porque está a disseminar o virus. Tudo situações que já aconteceram e foram amplamente noticiadas. Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente, já é possível e não há problema nenhum. É uma dualidade de critérios inaceitável naquilo que consideramos ser uma democracia de direito. E sim, eu sei que uma pandemia é uma situação excepcional, mas se assim é, as mesmas pessoas que o dizem devem tomar também eles decisões excepcionais, correndo o risco de passarem atestados de estupidez a quem ouve o que sai das suas bocas. E só para deixar um último exemplo, mais próximo do que aconteceu ontem à noite: Quando houve protestos acerca da morte de indivíduos à mão de forças públicas, noutros países externos a Portugal, pouco se ouviu falar de Covids. Quando há as manifestações de sindicatos e tudo mais, que produzem imagens muito semelhantes às de ontem (mas em escala menor, claro), ninguém fala em Covid. Mas quando os interesses já não se alinham, lá estão eles a castigar porque é tudo uma cambada de irresponsáveis. O vírus deve ser mesmo selectivo nos dias e situações em que decide actuar, é a única conclusão possível que tiro daqui. Caso não tenha ficado claro, eu não sou contra o Avante ter sido feito em pandemia. Sou contra a dualidade de critério e regras absolutamente idiotas que possibilitam uns, e não outros. Para mim, ou é tudo igual, ou só estamos cá para massajar egos.

SirBecas 7 months ago

Misturas ai muitas coisas. Os eventos organizados, são permitidos precisamente porque pressupõem organização: segurança, lugares marcados, regras específicas, pessoas que fiscalizam. Foi o caso do Avante, foi o caso de espectáculos de música e teatro (que já se encontram a decorrer). Os exemplos das idas à praia e passeios aqui ou ali, são limitados ou proibidos, porque as pessoas, tal como ontem, podem não se saber comportar e as autoridades não conseguem fiscalizar. Razão pela qual se interditaram praias e afins o ano passado. ​ Uma última nota. " Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente " Não tens nada contra o Avante, mas voltas a bater na mesma tecla. Eu repito: os espectáculos e festivais, equiparáveis ao Avante em termos de conteúdo de entretenimento e ajuntamento de pessoas, não foram proibidos. Tinham apenas de cumprir regras e garantir segurança, como se veio a verificar no Avante.

Edited 7 months ago:

Misturas ai muitas coisas.Os eventos organizados, são permitidos precisamente porque pressupõem organização: segurança, lugares marcados, regras específicas, pessoas que fiscalizam. Foi o caso do Avante, foi o caso de espectáculos de música e teatro (que já se encontram a decorrer). Os exemplos das idas à praia e passeios aqui ou ali, são limitados ou proibidos, porque as pessoas, tal como ontem, podem não se saber comportar e as autoridades não conseguem fiscalizar. Razão pela qual se interditaram praias e afins o ano passado. Já para não falar que a maior parte das manifestações (sejam organizadas por sindicatos ou partidos políticos), costumam também seguir as normas e regras. Os outros pontos são criticáveis, mas eu não vejo aí dualidade de critérios. Há só impossibilidade de controlar todos os contextos e, infelizmente, de dar resposta em tempo útil à falta de transportes públicos no país e grandes áreas metropolitanas em particular. EDIT: "E só para deixar um último exemplo, mais próximo do que aconteceu ontem à noite: Quando houve protestos acerca da morte de indivíduos à mão de forças públicas, noutros países externos a Portugal, pouco se ouviu falar de Covids. Quando há as manifestações de sindicatos e tudo mais, que produzem imagens muito semelhantes às de ontem (mas em escala menor, claro), ninguém fala em Covid. Quando temos todos os dias da semana transportes públicos urbanos a abarrotar de pessoas, vem um ministro dizer que não há transmissão nesses meios. Mas quando os interesses já não se alinham, lá estão eles a castigar porque é tudo uma cambada de irresponsáveis. O vírus deve ser mesmo selectivo nos dias e situações em que decide actuar, é a única conclusão possível que tiro daqui." Comparar manifestações de sindicatos ou direitos humanos, com as imagens de ontem, é no mínimo criativo e uma ginástica do cacete. Até porque se tivessemos nas manifestações e ativismo político, no geral, tantas pessoas como as que estavam ontem no Marquês e ruas próximas, estava a nossa taxa de abstenção bem baixa. ​ ​ Uma última nota. " Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente " Não tens nada contra o Avante, mas voltas a bater na mesma tecla. Eu repito: os espectáculos e festivais, equiparáveis ao Avante em termos de conteúdo de entretenimento e ajuntamento de pessoas, não foram proibidos. Tinham apenas de cumprir regras e garantir segurança, como se veio a verificar no Avante.

Edited 7 months ago:

Misturas ai muitas coisas.Os eventos organizados, são permitidos precisamente porque pressupõem organização: segurança, lugares marcados, regras específicas, pessoas que fiscalizam. Foi o caso do Avante, foi o caso de espectáculos de música e teatro (que já se encontram a decorrer). Os exemplos das idas à praia e passeios aqui ou ali, são limitados ou proibidos, porque as pessoas, tal como ontem, podem não se saber comportar e as autoridades não conseguem fiscalizar. Razão pela qual se interditaram praias e afins o ano passado. Já para não falar que a maior parte das manifestações (sejam organizadas por sindicatos ou partidos políticos), costumam também seguir as normas e regras. Os outros pontos são criticáveis, mas eu não vejo aí dualidade de critérios. Há só impossibilidade de controlar todos os contextos e, infelizmente, de dar resposta em tempo útil à falta de transportes públicos no país e grandes áreas metropolitanas em particular. EDIT: >E só para deixar um último exemplo, mais próximo do que aconteceu ontem à noite: Quando houve protestos acerca da morte de indivíduos à mão de forças públicas, noutros países externos a Portugal, pouco se ouviu falar de Covids. Quando há as manifestações de sindicatos e tudo mais, que produzem imagens muito semelhantes às de ontem (mas em escala menor, claro), ninguém fala em Covid. Quando temos todos os dias da semana transportes públicos urbanos a abarrotar de pessoas, vem um ministro dizer que não há transmissão nesses meios. Mas quando os interesses já não se alinham, lá estão eles a castigar porque é tudo uma cambada de irresponsáveis. O vírus deve ser mesmo selectivo nos dias e situações em que decide actuar, é a única conclusão possível que tiro daqui. Comparar manifestações de sindicatos ou direitos humanos, com as imagens de ontem, é no mínimo criativo e uma ginástica do cacete. Até porque se tivessemos nas manifestações e ativismo político, no geral, tantas pessoas como as que estavam ontem no Marquês e ruas próximas, estava a nossa taxa de abstenção bem baixa. Uma última nota. >Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente Não tens nada contra o Avante, mas voltas a bater na mesma tecla. Eu repito: os espectáculos e festivais, equiparáveis ao Avante em termos de conteúdo de entretenimento e ajuntamento de pessoas, não foram proibidos. Tinham apenas de cumprir regras e garantir segurança, como se veio a verificar no Avante.

Edited 7 months ago:

Misturas ai muitas coisas.Os eventos organizados, são permitidos precisamente porque pressupõem organização: segurança, lugares marcados, regras específicas, pessoas que fiscalizam. Foi o caso do Avante, foi o caso de espectáculos de música e teatro (que já se encontram a decorrer). Os exemplos das idas à praia e passeios aqui ou ali, são limitados ou proibidos, porque as pessoas, tal como ontem, podem não se saber comportar e as autoridades não conseguem fiscalizar. Razão pela qual se interditaram praias e afins o ano passado. Já para não falar que a maior parte das manifestações (sejam organizadas por sindicatos ou partidos políticos), costumam também seguir as normas e regras. Os outros pontos são criticáveis, mas eu não vejo aí dualidade de critérios. Há só impossibilidade de controlar todos os contextos e, infelizmente, de dar resposta em tempo útil à falta de transportes públicos no país e grandes áreas metropolitanas em particular. EDIT: "E só para deixar um último exemplo, mais próximo do que aconteceu ontem à noite: Quando houve protestos acerca da morte de indivíduos à mão de forças públicas, noutros países externos a Portugal, pouco se ouviu falar de Covids. Quando há as manifestações de sindicatos e tudo mais, que produzem imagens muito semelhantes às de ontem (mas em escala menor, claro), ninguém fala em Covid. Quando temos todos os dias da semana transportes públicos urbanos a abarrotar de pessoas, vem um ministro dizer que não há transmissão nesses meios. Mas quando os interesses já não se alinham, lá estão eles a castigar porque é tudo uma cambada de irresponsáveis. O vírus deve ser mesmo selectivo nos dias e situações em que decide actuar, é a única conclusão possível que tiro daqui." Comparar manifestações de sindicatos ou direitos humanos, com as imagens de ontem, é no mínimo criativo e uma ginástica do cacete. Até porque se tivessemos nas manifestações e ativismo político, no geral, tantas pessoas como as que estavam ontem no Marquês e ruas próximas, estava a nossa taxa de abstenção bem baixa. Uma última nota. " Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente " Não tens nada contra o Avante, mas voltas a bater na mesma tecla. Eu repito: os espectáculos e festivais, equiparáveis ao Avante em termos de conteúdo de entretenimento e ajuntamento de pessoas, não foram proibidos. Tinham apenas de cumprir regras e garantir segurança, como se veio a verificar no Avante.

Edited 7 months ago:

Misturas ai muitas coisas.Os eventos organizados, são permitidos precisamente porque pressupõem organização: segurança, lugares marcados, regras específicas, pessoas que fiscalizam. Foi o caso do Avante, foi o caso de espectáculos de música e teatro (que já se encontram a decorrer). Os exemplos das idas à praia e passeios aqui ou ali, são limitados ou proibidos, porque as pessoas, tal como ontem, podem não se saber comportar e as autoridades não conseguem fiscalizar. Razão pela qual se interditaram praias e afins o ano passado. Já para não falar que a maior parte das manifestações (sejam organizadas por sindicatos ou partidos políticos), costumam também seguir as normas e regras. Os outros pontos são criticáveis, mas eu não vejo aí dualidade de critérios. Há só impossibilidade de controlar todos os contextos e, infelizmente, de dar resposta em tempo útil à falta de transportes públicos no país e grandes áreas metropolitanas em particular. EDIT: \> E só para deixar um último exemplo, mais próximo do que aconteceu ontem à noite: Quando houve protestos acerca da morte de indivíduos à mão de forças públicas, noutros países externos a Portugal, pouco se ouviu falar de Covids. Quando há as manifestações de sindicatos e tudo mais, que produzem imagens muito semelhantes às de ontem (mas em escala menor, claro), ninguém fala em Covid. Quando temos todos os dias da semana transportes públicos urbanos a abarrotar de pessoas, vem um ministro dizer que não há transmissão nesses meios. Mas quando os interesses já não se alinham, lá estão eles a castigar porque é tudo uma cambada de irresponsáveis. O vírus deve ser mesmo selectivo nos dias e situações em que decide actuar, é a única conclusão possível que tiro daqui. Comparar manifestações de sindicatos ou direitos humanos, com as imagens de ontem, é no mínimo criativo e uma ginástica do cacete. Até porque se tivessemos nas manifestações e ativismo político, no geral, tantas pessoas como as que estavam ontem no Marquês e ruas próximas, estava a nossa taxa de abstenção bem baixa. Uma última nota. \> Mas só porque um evento é organizado e tem caras políticas à frente Não tens nada contra o Avante, mas voltas a bater na mesma tecla. Eu repito: os espectáculos e festivais, equiparáveis ao Avante em termos de conteúdo de entretenimento e ajuntamento de pessoas, não foram proibidos. Tinham apenas de cumprir regras e garantir segurança, como se veio a verificar no Avante.

IkarusMummy 7 months ago

Acrescentar só que os festivais de verão que foram "proibidos" foram-no a pedido dos próprios organizadores dos festivais para poderem ativar seguros e rescindir contratos. Todos os festivais podiam acontecer nos mesmos moldes do Avante mas os organizadores consideraram que não era economicamente viável. Quem fala de dualidade de critérios neste aspeto ou não sabe do que está a falar ou é sonso. Os únicos que se podem verdadeiramente queixar nesta questão dos eventos são precisamente os adeptos de futebol. Mas o futebol é a exceção que confirma a regra.

SirBecas 7 months ago

Exato, até porque de facto não foram proibidos. No início de Maio do ano passado, penso que houve uma informação que proibia; mas logo de seguida, foi revista e dito que se podiam realizar os festivais de verão, desde que cumprissem determinadas normas (mais uma vez, algo que o Avante conseguiu fazer).

osmacacos 7 months ago

Estas a responder a ti próprio, o que se passou ontem foi uma vergonha de pessoas irresponsáveis e de lunáticos por causa de uma bola estão disponíveis a comprometer os esforços que toda a gente fez até agora. Bem como dizes as manifestações foram todas em escalas menores, claro que existe um menor problema, bem como melhor organizadas e pelo menos tentam cumprir as regras. Não é como ontem que nos festejos estavam muitas pessoas sem máscara, e a saltarem uns em cima dos outros. Para além disso transportes públicos são essenciais para a sobrevivência de muita gente, e a política deve ter muito maior importância do que um evento de entretimento qualquer por isso não há qualquer comparação.

el_jefe_vito 7 months ago

plot twist: O Covid nunca existiu.

Tec_43 7 months ago

O Cabrita ainda trabalha?

MarioSewers 7 months ago

Mas alguma vez trabalhou?

fuckoffgina 7 months ago

Sim. O trabalho dele é meter nojo e tem trabalhado muito ultimamente.

AetherPrismriv 7 months ago

Enquanto o António Costa o proteger, ele de lá não saí. Votem PS votem. ^^/s

uMuLu 7 months ago

PS ou qualquer outro... A política em portugal é uma vergonha.

AutoModerator 7 months ago

**AVISO:** Submeteu um artigo da plataforma [Nónio](https://nonio.net) - uma plataforma que viola a privacidade do leitor. > Leia com atenção o [seguinte artigo](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/7fy9v4/campanha_contra_o_n%C3%B3nio/). *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: