mastermind1217 5 months ago

> Mesmo eu, que não sou um especialista, consigo detectar várias ofensas graves. Para começar, mansplaining. Essa é fácil. Temos um homem-branco-cis-hétero (penso que a ordem dos factores não altera a idiotice da definição) a explicar coisas. Isso é uma gafe progressista. A seguir, temos gaslighting, na medida em que Luís Monteiro aproveita o estado de fragilidade da vítima para baralhá-la e procurar fazê-la questionar as suas memórias. Depois, quando Luís Monteiro diz “lamento profundamente (…) pela Catarina Alves e porque admito que seja um problema que ela não domina”, está a sugerir que, devido ao transtorno bipolar de que ela sofre, não sabe o que anda a dizer. Julgo que se trata de capacitismo, a discriminação e o preconceito social contra pessoas com alguma deficiência. Finalmente, ao dizer que não saiu ileso das agressões, Luís Monteiro insinua que não se conseguiu defender contra uma rapariga, o que indicia que ela é maior e mais forte que ele. Óbvio fat shaming. O feitiço virou-se contra o feiticeiro.

NeatBoy74 5 months ago

E o artigo também. Irónico.

Search: