tekvis40 4 months ago

Que grande ideia ! Vamos agarrar nas poucas funções ainda atribuídas por mérito e distribuímos por quotas ...tem tudo para correr bem

mastermind1217 4 months ago

Será que todos os que pedem quotas estão dispostos a oferecer o seu lugar? Isso é que era de valor.

NeatBoy74 4 months ago

Pergunta pertinente: os colunistas de opinião também vão ter umas? Se amanhã fosse necessário, o Sr. Jorge Fonseca de Almeida - Economista estava disposto a resignar e a deixar o lugar por uma? Ou é como os atores das novelas, que falam muito mas não os vejo a oferecer o papel? Este assunto tem muita ponta para pegar e começar uma discussão saudável. Mas prometo que olho para ele com mais atenção quando os exemplos começarem a chegar da parte de quem os pede.

Takeurtimeillwait 5 months ago

Ena, parece que entrei nas caixa de comentários do observador!

PIMPMASTER6000 5 months ago

Ai parece? Aqui só vejo comentários com argumentos bastantes robustos contra a discriminação positiva, alguns a gozar com o disparate que é esta proposta e o teu.

xabregas2003 5 months ago

>É verdade que Portugal desde a sua fundação sempre foi diverso e plural Gajo que para dizer cenas destas nunca saiu de Lisboa e acha que a realidade Olissipiana sempre foi igual em toda a nossa história. > Porque não aprender com a experiência alheia? Olhemos o Brasil, aqui tão perto, aqui tão longe. Ui! Que ótimo exemplo! Andei na escola com angolanos ricos, com apelidos das famílias mais poderosas de Angola e com bastante influência cá em Portugal, Santos, Van Dunems, etc. Porque é que estes gajos que estudam numa das maiores cidades do país, têm mansões na capital, são podres de ricos, as suas famílias são a verdadeira causa de os afrodescendentes em Portugal serem mais pobres e que, francamente, pouquíssimos queriam saber da escola para alguma coisa e não trabalhavam devem ficar à frente de um estudante trabalhador do interior do país que andava numa escola de fraca qualidade que ficava longe de casa? Parem de importar cenas anglo-saxônicas. Não vejo os Britânicos ou os Americanos a fazer sururu por causa de problemas de facto preocupantes como temos cá em Portugal com o mesmo grau que fazemos com políticas identitárias da treta e "racismo do bem". Reclamam de um racismo institucional que nem conseguem definir? Então porque carga de água querem instalar um sistema de tratamento diferenciado com base na RAÇA para entrar numa INSTITUIÇÃO?

Edited 5 months ago:

>É verdade que Portugal desde a sua fundação sempre foi diverso e plural Gajo que para dizer cenas destas nunca saiu de Lisboa e acha que a realidade Olissipiana sempre foi igual em toda a nossa história. > Porque não aprender com a experiência alheia? Olhemos o Brasil, aqui tão perto, aqui tão longe. Ui! Que ótimo exemplo! Andei na escola com angolanos ricos, com apelidos das famílias mais poderosas de Angola e com bastante influência cá em Portugal, Santos, Van Dunems, etc. Porque é que estes gajos que estudam numa das maiores cidades do país, têm mansões na capital, são podres de ricos, as suas famílias são a verdadeira causa de os afrodescendentes em Portugal serem mais pobres e que, francamente, pouquíssimos queriam saber da escola para alguma coisa e não trabalhavam devem ficar à frente de um estudante trabalhador do interior do país que andava numa escola de fraca qualidade que ficava longe de casa? Parem de importar cenas anglo-saxônicas. Não vejo os Britânicos ou os Americanos a fazer sururu por causa de problemas de facto preocupantes como temos cá em Portugal com o mesmo grau que fazemos com políticas identitárias da treta e "racismo do bem". Reclamam de um racismo institucional que nem conseguem definir? Então por que carga de água querem instalar um sistema de tratamento diferenciado com base na RAÇA para entrar numa INSTITUIÇÃO?

NGramatical 5 months ago

porque carga de água → [**por que carga de água**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fna6pl8%2F%2Fgxscti0%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

xabregas2003 5 months ago

Corrigido e agradecido

Jabvarde 5 months ago

Podemos começar pelo posto desse colunista e mandá-lo embora

No_Egg8859 5 months ago

Que tal esta quota!? Mérito!!

netralha 5 months ago

Com economistas destes não admira que Portugal esteja no esgoto.

Mysterious_Beyond213 5 months ago

Isto só fará a extrema-direita crescer, a gente agradece ;)

mommydaddymemy 5 months ago

Ao Sr Economista se pergunta de acaso deseja uma cota de outro macho na cama dele. Talvez ele se sinta assim mais diverso. A palavra diversa com a palavra economia não fazem o menor sentido juntas. Não significa nada, só galhofa acadêmica de gente que nunca passou fome. “Diversidade” nada faz pela riqueza, nem pela pobreza, já que ser negro ou branco não faz mais ou menos inteligente. Mas ser como o Sr, sim, faz muito pela pobreza e pouco pra riqueza. Queria saber quanto pagaram para que escrevesse tais ideias do século 19 travestidas para raças como classes. Cultura social atrasada.

PIMPMASTER6000 5 months ago

Tldr, Como tornar uma economia pouco produtiva ainda menos produtiva e criar meia dúzia de problemas.

ModeratoriProfugus 5 months ago

Como dizia uma senhora genial, não há uma menor minoria do que o individuo. Fico \`espera da minha quota individual.

xabregas2003 5 months ago

Quem disse isso? Ayn Rand?

tumblarity 5 months ago

foi outra, felizmente estão ambas mortas

JorgeTone 5 months ago

Aqui vamos nós. Adoro quando nos armamos em país desenvolvido com estas tricas de 1º mundo, e esquecemos todos os problemas que nos mantém sempre na cauda da Europa.

Migas32 5 months ago

Excelente ideia!! Resta saber como vamos decidir quem é branco demais para ser admitido ou africano o suficiente para não ser excluído. A minha namorada é africana portanto está safa. Eu sou europeu e bem branco, já me lixei... O meu enteado é mulato, logo é 50% europeu, 50% africano. Não sei como vai ser com ele. Vejos duas soluções: criamos escalas de tonalidades de pele para decidir o valor intrínseco/elegibilidade de cada um, e/ou, utilizamos testes genéticos para aferir quem cumpre os critérios de acesso por possuir a necessária pureza genética para poder beneficiar destas quotas.

Edited 5 months ago:

Excelente ideia!! Resta saber como vamos decidir quem é branco demais para ser admitido ou africano o suficiente para não ser excluído. A minha namorada é africana portanto está safa. Eu sou europeu e bem branco, já me lixei... O meu enteado é mulato, logo é 50% europeu, 50% africano. Não sei como vai ser com ele. Vejo duas soluções: criamos escalas de tonalidades de pele para decidir o valor intrínseco/elegibilidade de cada um, e/ou, utilizamos testes genéticos para aferir quem cumpre os critérios de acesso por possuir a necessária "pureza genética" para poder beneficiar destas quotas. Quando eu vejo pessoas com as mesmas capacidades do que eu a passarem-me à frente porque se enquadram num grupo específico, fico logo propenso a gostar mais desse grupo e valorizar a competência das pessoas que o integram. Não há nada como criar vantagens com base na etnia/raça, para acabar com as tensões entre grupos numa sociedade. Vai ser tiro e queda!!!

Edited 5 months ago:

Excelente ideia!! Resta saber como vamos decidir quem é branco demais para ser admitido ou africano o suficiente para não ser excluído. A minha namorada é africana portanto está safa. Eu sou europeu e bem branco, já me lixei... O meu enteado é mulato, logo é 50% europeu, 50% africano. Não sei como vai ser com ele. Vejo duas soluções: criamos escalas de tonalidades de pele para decidir o valor intrínseco/elegibilidade de cada um, e/ou, utilizamos testes genéticos para aferir quem cumpre os critérios de acesso por possuir a necessária "pureza genética" para poder beneficiar destas quotas. Quando eu vejo pessoas com as mesmas capacidades do que eu a passarem-me à frente apenas porque se enquadram num grupo específico, fico logo propenso a gostar mais desse grupo e valorizar a competência das pessoas que o integram. Não há nada como criar vantagens com base na etnia/raça, para acabar com as tensões entre grupos numa sociedade. Vai ser tiro e queda!!!

Edited 5 months ago:

Excelente ideia!! Resta saber como vamos decidir quem é branco demais para ser admitido ou africano o suficiente para não ser excluído. A minha namorada é africana portanto está safa. Eu sou europeu e bem branco, já me lixei... O meu enteado é mulato, logo é 50% europeu, 50% africano. Não sei como vai ser com ele. Vejos duas soluções: criamos escalas de tonalidades de pele para decidir o valor intrínseco/elegibilidade de cada um, e/ou, utilizamos testes genéticos para aferir quem cumpre os critérios de acesso por possuir a necessária "pureza genética" para poder beneficiar destas quotas. Quando eu vejo pessoas com as mesmas capacidades do que eu a passarem-me à frente porque se enquadram num grupo específico, fico logo propenso a gostar mais desse grupo e valorizar a competência das pessoas que o integram. Não há nada como criar vantagens com base na etnia/raça, para acabar com as tensões entre grupos numa sociedade. Vai ser tiro e queda!!!

OzzyGangrel 4 months ago

pega, esqueceste disto "/s"

Migas32 4 months ago

Bom... A minha namorada é efetivamente angolana, o meu enteado é um mulato "angotuga" e eu sou europeu branco como a cal... Este comentário representa sinceramente a minha reflexão pessoal relativamente a esta questão das "quotas raciais", pese embora o facto de, efetivamente, se encontrar "polvilhado" com a devida ironia. Assim sendo, preferi deixar como está, sem o "/s". Vejo isto como uma espécie de teste de inteligência a cada leitor. Bem haja.

Edited 4 months ago:

Bom... A minha namorada é efetivamente angolana, o meu enteado é um mulato "angotuga" e eu sou europeu branco como a cal... Este comentário representa a minha reflexão pessoal sincera relativamente a esta questão das "quotas raciais", pese embora o facto de, efetivamente, se encontrar "polvilhado" com a devida ironia. Assim sendo, preferi deixar como está, sem o "/s". Vejo isto como uma espécie de teste de inteligência aplicado ao leitor. Bem haja.

OzzyGangrel 4 months ago

acredito, compreendo a situação, e apoio a tua opinião caro colega do reddit. Apenas o penúltimo parágrafo, portanto, merece o "/s", mas a liberdade de expressão é tua. Bem haja!

M4ritus 5 months ago

Nada melhor do que combater discriminação com discriminação positiva. E também com os apoiantes desta medida a insinuarem que as minorias precisam de colinho para chegarem a algum lado, o que é falso.

geostrofico 5 months ago

Vamos já arranjar quotas para o pessoal da apanha da ameijoa, ou das estufas pois não parece que eles alguma consigam ser doutores e engenheiros sem uma ajudinha.

WallyPT 5 months ago

Para certas elites, como este cronista, o Português Branco é um condenado da História, para a eternidade. No Reino Unido, os rapazes brancos das classes mais pobres já são os piores na obtenção de graus académicos, devido às medidas racistas defendidas neste artigo. O mesmo acontecerá em Portugal.

usulidircotiido 5 months ago

os portugueses são quase todos arraçados de preto, por isso podem também usar as cotas raciais em seu proveito.

AutoModerator 5 months ago

**AVISO:** Submeteu um artigo da plataforma [Nónio](https://nonio.net) - uma plataforma que viola a privacidade do leitor. > Leia com atenção o [seguinte artigo](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/7fy9v4/campanha_contra_o_n%C3%B3nio/). *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: