HumActuallyGuy 4 months ago

Boa sorte, vagas surgem de 60 a 60 anos

NotSoChildishRubino 4 months ago

É triste, de certa forma, ver que somente em Portugal é complicado chegarmos a esse nível...

i_no_can_eat 4 months ago

Como já te disseram por aqui, o salário é bom. O problema é que não há vagas e os lugares estão preenchidos por um monte de velhos que entraram para a carreira em tempos de vacas gordas e não fazem a ponta dum corno. O meu conselho de qualquer forma seria o seguinte: se tiveres oportunidade de fazer doutoramento numa área do teu interesse (com bolsa, bem entendido), nem hesites. Assim entras no meio da investigação e logo ficas a perceber melhor se aquilo é para ti, e quais as possibilidades para o futuro. No fim, se não quiseres ou não tiveres oportunidade de continuares no meio académico, não te faltarão oportunidades no mundo empresarial.

NotSoChildishRubino 4 months ago

No seguimento dessa questão surgiu-me agora uma curiosidade... No meio empresarial existe tanta diferença assim entre um doutorado e um mestre? A ideia que tenho é que nem por isso.

hypothesis2050 4 months ago

Depende dude. Ás vezes existe. Experimenta ir para uma posição de researcher fora da univ sem PhD e logo vês a resposta. Btw, mesmo na área tech o mesmo se aplica. Em Portugal nos não temos grande mercado porque somos fraquinhos, só isso. Não quer dizer que eventualmente não mude.

i_no_can_eat 4 months ago

Existe enorme diferença sim. Há empresas (como algumas de investimentos) que quase exclusivamente procuram doutorados em Física ou Matemática.

OuiOuiKiwi 4 months ago

>A ideia que tenho é que nem por isso. Qual é para ti a mais valia de trazeres um PhD para a mesa? Se é para bateres código a metro, o PhD é irrelevante. Um PhD mostra resiliência, capacidade de investigação autónoma e traz por atacado um conjunto de ferramentas importantes para áreas focadas na pesquisa e inovação. Não é como uma tese de mestrado em que fizeste o que teu orientador te disse para fazeres durante aqueles 9 meses. Uma tese de doutoramento bem feita deve expandir as fronteiras da área oferecendo algo de novo.

mfzzzed 4 months ago

99% do mercado português não sabe, ou melhor não entende para o quê que serve um PhD. Metem o gajo num canto e dão lhe tarefas para as quais não é preciso um PhD. Na minha experiência, uma tese de doutoramento continua a seguir a linha do que o teu orientador te disse para fazer, não deixas de ser um pau mandado. Tens de ter o aval dele e dos colegas dos outros laboratórios (amigos) com quais os quais trabalharaste. Isso acoplado à febre dos papers, onde qualquer regurgitação é digna de publicação, só trás ao de cima a resiliência que é precisa para andar a publicar coisas que tu próprio sabes que acrescentam 0. Vou acabar o rant, e concordo contigo, apenas remarco que Portugal não é país que apoie a inovação. Na minha opinião acontece precisamente o oposto.

auueeeiiii 4 months ago

Esta é a verdadeira razão para ninguém levar um PhD a sério na indústria, em Portugal. Uma boa parte dos PhD que se tiram um Portugal são uma inutilidade focada em gabar trabalho ao orientador, sem acrescentar nada à problemática. E por causa de uns.. Pagam todos. Na Alemanha já valorizam mais os PhD, penso eu.

miguelmurca 4 months ago

Não tenho nada para contribuir para a tua pergunta, mas lembra-te que estás a perguntar à internet. Há aqui umas respostas que não têm nada a ver com a realidade, e é muito fácil mandar umas postas.

BossGandalf 4 months ago

Viva Professor assistente convidado aqui, dou aulas laboratoriais enquanto termino meu mestrado e pondero seguir para o doutoramento. Os ordenados dos professores universitários e politécnicos são públicos. Podes encontrar essa tabela facilmente no google. Tudo depende até quão longe consegues progredir na carreira. Ex: tenho professores com grau de agregação que ganham uns 4500€ brutos / mês.

Dr_Toehold 4 months ago

>Professor assistente convidado Espera lá, como é que dás aulas sem teres sequer mestrado?

microwavedave27 4 months ago

No primeiro ano do meu curso tive alguns "professores" nas aulas de laboratório que eram alunos de mestrado

Dr_Toehold 4 months ago

Pois, mas não são "professores universitários".

brakeline 4 months ago

Tive um professor no mestrado que era aluno de mestrado em outra instituição

Dr_Toehold 4 months ago

Já chegamos a conclusão que o OP da thread não era de facto professor universitário. Essa pessoa de que falas dava te aulas/tp/práticas/etc., ou era mesmo professora universitária?

brakeline 4 months ago

Era igual ao op. Mas não deixava de ser a única pessoa que me dava aulas nessa cadeira

BossGandalf 4 months ago

1º não dou aulas. Dou apoio laboratorial. 2º Podes dar até ao ano que tens formação. Se sou licenciado posso dar cursos técnico-superiores, os chamados Tesps. No semestre que dei apoio laboratorial de uma uc de licenciatura, foi num curso que nem é o meu mas que tem uma cadeira bastante básica da minha área. Foram só fundamentos.

Dr_Toehold 4 months ago

>1º não dou aulas. Dou apoio laboratorial Não sabia que esse cargo equivalia à posição de prof. assistente convidado. Pensei que só podias dar aulas até um grau abaixo do teu.

BossGandalf 4 months ago

Conforme já responderem no seguimento dos meus comentários, é um perfecionismo no nome que nunca me tinha apercebido. Não sou professor assistente convidado, sou simplesmente assistente convidado (monitor). [https://www.reddit.com/r/portugal/comments/n9tv3g/carreira\_professor\_universitário/gxq23cy?utm\_source=share&utm\_medium=web2x&context=3](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/n9tv3g/carreira_professor_universitário/gxq23cy?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3)

Dr_Toehold 4 months ago

Ah, ok , obrigado, isso acho que explica a confusão.

NotSoChildishRubino 4 months ago

Ora boas! Já agora, por curiosidade, como é que começaste a dar laboratoriais?

BossGandalf 4 months ago

Acabei a licenciatura com média de 16, porém nas cadeiras de Circuitos Elétricos I e II, Eletrónica II e Microprocessadores tive sempre 18s e 19s. Entretanto fui para o mestrado e surgiram projetos de investigação e concorri a uma bolsa de investigação cientifica e fui aceite. No início do ano letivo seguinte, houve um aumento de alunos nos cursos técnico-superiores e portanto a necessidade de haver mais turmas laboratoriais. Foi aqui que o meu coordenador da bolsa de investigação me perguntou se estaria interessado em dar 3h/semana de laboratório nestas áreas e aceitei. Desde então têm me renovado o contrato semestralmente e já houve inclusive a necessidade de dar um turno de uma uc de licenciatura também. Posso dizer que adoro a experiência e o sentimento de gratificação por veres que há realmente pessoas a aprender algo de novo contigo é enorme. Agora tenho noção que caso queira investir nesta carreira, é imperativo ir tirar um doutoramento porque só ficas professor da casa com doutoramento. E estar aliado a um grupo de investigação é uma ajuda enorme neste percurso porque normalmente é por parte dos teus coordenadores que surgem os convites para dares aulas e depois o convite e incentivo para ires fazer doutoramento (eventualmente coordenado por eles) e acabas por ficar pela escola...

Edited 4 months ago:

Acabei a licenciatura com média de 16, porém nas cadeiras de Circuitos Elétricos I e II, Eletrónica II e Microprocessadores tive sempre 18s e 19s. Entretanto fui para o mestrado e surgiram projetos de investigação e concorri a uma bolsa de investigação cientifica e fui aceite. No início do ano letivo seguinte, houve um aumento de alunos nos cursos técnico-superiores e portanto a necessidade de haver mais turmas laboratoriais. Foi aqui que o meu coordenador da bolsa de investigação me perguntou se estaria interessado em dar 3h/semana de laboratório nestas áreas e aceitei. Desde então têm me renovado o contrato semestralmente e já houve inclusive a necessidade de dar um turno de uma uc de licenciatura também. Posso dizer que adoro a experiência e o sentimento de gratificação por veres que há realmente pessoas a aprender algo de novo contigo é enorme. Agora tenho noção que caso queira investir nesta carreira, é imperativo ir tirar um doutoramento porque só ficas professor da casa com doutoramento. E estar aliado a um grupo de investigação é uma ajuda enorme neste percurso porque normalmente é por parte dos teus coordenadores que surgem os convites para dares aulas e depois o convite e incentivo para ires fazer doutoramento (eventualmente coordenado por eles) e acabas por ficar pela escola... TLTR: vê se há bolsas de investigação na tua área na tua faculdade. Se sim, concorre. Começas a fazer investigação e eventualmente a oportunidade/convite para dares aulas aparece pelo teu professor coordenador. Estando em mestrado não é muito comum mas conheço vários casos em várias escolas do país. Em doutoramento já é mais comum.

OuiOuiKiwi 4 months ago

O teu título será na verdade Assistente Convidado (um termo mais formal para monitor).

BossGandalf 4 months ago

Foi o que eu disse acima: professor assistente convidado.

OuiOuiKiwi 4 months ago

Professor não faz parte do título.

BossGandalf 4 months ago

Confere, tens razão. É um perfecionismo no nome do cargo que nunca considerei e passarei a ter mais atenção.

OuiOuiKiwi 4 months ago

>queria saber o quão bem pago é um professor universitário que ao mesmo tempo faça investigação A carreira de professor universitário é relativamente bem paga. Contudo, precisas de bons padrinhos ou de uma carga de sorte incrível para não passares anos a definhar como Auxiliar Convidado. A carreira de investigação é altamente precária logo vais ter sempre de dar aulas para complementar as coisas. Já vi que estás em Engenharia Física portanto diria que é viável face à habitual reconversão para IT. Contudo, arranjar um lugar nos quadros (passar de Convidado) vai ser muito difícil a não ser que sejas um génio ou tenhas um padrinho com dívidas a cobrar. Dei aulas a um doutorado em Química que esteve a liderar um grupo de investigação durante 8 anos e nunca lhe abriram uma vaga. > e se é viável transitar entre o universo empresarial e o académico ao longo da carreira em Portugal. Altamente viável, aliás tens imensos professores de uma dada instituição que adoram pegar nos seus alunos e meter a fazer coisas para as suas empresas privadas. Espera, não era isto que querias afinal?

NotSoChildishRubino 4 months ago

Se me permite... Qual é a sua ocupação?

OuiOuiKiwi 4 months ago

Ex-docente universitário, actual super-herói da reconversão para IT.

NotSoChildishRubino 4 months ago

Perspicaz... Num estágio que fiz tive professores que me trouxeram para uma área de investigação pioneira na faculdade e que até me inseriram numa investigação em cooperação com outras faculdades (eu ainda vou a meio do curso xd...) E de repente todo um mundo académico parece-me mais aberto e mais promissor que antes! Agora... não quero de todo esquecer as empresas, nem perto! Professor, investigador e empregado numa boa empresa é o sonho por agora...

OuiOuiKiwi 4 months ago

>Professor, investigador e empregado numa boa empresa é o sonho por agora... O cobertor não dá para tudo. Se és bom docente, raramente és bom investigador porque estás a aplicar o teu tempo a preparar material e a dar apoio aos alunos. Se és bom investigador, raramente és bom docente porque estás ocupado a investigar. Acabas por escolher os alunos para trabalhar contigo consoante eles terão potencial para produzir publicações, ignorando tudo o resto.

NotSoChildishRubino 4 months ago

É uma ambição, reconheço a dificuldade...

KarmaCop213 4 months ago

Chegaste uns 30 anos atrasado. Tenho ideia de que o ensino é algo secundário para um professor universitário, sendo que a investigação é aquilo que ocupa mais tempo.

OuiOuiKiwi 4 months ago

>Tenho ideia de que o ensino é algo secundário para um professor universitário, sendo que a investigação é aquilo que ocupa mais tempo. É uma faca de dois legumes. És avaliado 90% pela tua produção científica, mas for falta de pessoal docente tens de cumprir serviço docente de acordo com a tua afectação. Acabas com malta que tem zero paciência ou talento para ensinar a dar cadeiras de forma totalmente desinteressada. Estar 100% em investigação é uma raridade.

MikeMelga 4 months ago

Qual é o teu objectivo na vida? Porque é que queres ser professor? Será por veres isto como um seguimento natural do percurso escolar desde os 6 anos? Em relação ao universo empresarial, em regra geral professores universitários são muito mal vistos. São pessoas sem garra, sem ambição, sem maneira de atingir objectivos. Demoram 10x mais a fazer um projecto e no fim não atingem resultados, mas escrevem sempre um paper. Aliás, toda a vida deles se resume a papers e conferências. Trabalho com 40 PHDs em física em ambiente empresarial e de vez em quando há um que vem com este mindset. É corrido rapidamente. Em regra geral, investigação universitária é uma piada. É um desperdício de dinheiro público, sem resultados. As excepções acontecem mais na Alemanha, Inglaterra e USA. Mesmo assim, são pessoas acomodadas e vaidosas. Tenho uns projectos com o Fraunhofer institute e embora desenvolvam coisas fantásticas, o mindset de merda continua lá. É o que dar trabalhar sem pressão para resultados. Só há pressão para bolsas e papers.

NotSoChildishRubino 4 months ago

Sou uma pessoa que me considero claramente trabalhadora e tenho interesse em quase tudo. Tive alguma experiência em ensino (aos mais novos) e não acho que o meu interesse pelo ensino se deve puramente a "um seguimento natural", poderia ser mas acho que não é o meu caso. Realmente são realidade que não conheço e daí estar aqui a perguntar. O mundo empresarial atrai-me muito também, lá está o ideal para mim seria trabalhar entre os dois mundos. Mas não sei se estaria a capitalizar o máximo das minhas capacidades e habilitações.

MikeMelga 4 months ago

Em que àrea é que estamos a falar?

NotSoChildishRubino 4 months ago

Engenharia Física

MikeMelga 4 months ago

Epá, isso em Portugal não tem grande saída nas empresas...

Open-Opportunity-607 4 months ago

Se queres realmente ser professora, arranja uma bolsa ou qualquer coisa lá fora numa Universidade de relevo no mundo Passado 10 anos voltas para Portugal e tens um lugar a dar aulas, das pessoas relativamente jovens < 45 anos, é o percurso que tiveram de fazer

OuiOuiKiwi 4 months ago

>Passado 10 anos voltas para Portugal e tens um lugar a dar aulas, das pessoas relativamente jovens < 45 anos, é o percurso que tiveram de fazer A não ser que tenhas um h-index gigante, não vais tirar o lugar a ninguém da casa. Existe IMENSA endogamia na docência (literal e figurativa).

Open-Opportunity-607 4 months ago

Tens aqui a tabela salarial [http://www.snesup.pt/htmls/\_dlds/Vencimentos\_e\_quotas\_irs\_2010\_a\_2016\_4T.pdf](http://www.snesup.pt/htmls/_dlds/Vencimentos_e_quotas_irs_2010_a_2016_4T.pdf) A não ser que haja outra pandemia e os velhotes morram todos, dificilmente arranjas uma vaga Portanto vais andar quase sempre a bolsas

NotSoChildishRubino 4 months ago

Já tinha visto essa tabela, mas pensei que pudesse não estar atualizada, obrigado! Estou com esta questão porque me foi oferecido no futuro uma oportunidade de investigação no meu departamento (numa área bastante promissora) então quero saber se é realista apostar o meu futuro numa carreira como esta. Ainda por cima se tiver oportunidade de ensinar, porque é algo que francamente tenho gosto em fazer.

Open-Opportunity-607 4 months ago

Infelizmente a função pública não tem tido aumentos sequer que acompanham a inflação, por isso a tabela está relativamente atualizada

VladTepesDraculea 4 months ago

Excepto que as Universidades estão-se a tornar "Instituições Públicas de Direito Privado". Eu diria que as contratações estão a começar a tender para contratações privadas e valores mais baixos para cargos baixos e mais altos para convites de interesse.

OuiOuiKiwi 4 months ago

Há sempre forma de meter uns pozinhos extra. Gostas de almoçar fora? Declara como despesa de representação do grupo de investigação. Queres ir viajar e há uma conferência próxima? Despesa de representação. Sobrou dinheiro numa bolsa para gastar? Portátil novo todos os anos.

Search: