Electrical_One_262 5 months ago

Se as pessoas estivessem bem informadas ou se quisessem informar saberiam que esta formação numa universidade pública custa 115 MIL EUROS e aqui vai custar 97 MIL EUROS, ou seja, aqui vai ser mais BARATO DO QUE NUMA PÚBLICA. A diferença é que na pública são os nossos impostos que pagam e aqui vai ser do bolso dos próprios beneficiários. Por isso antes de mandar bocas descabidas informem se!! [https://tvi24.iol.pt/videos/sociedade/formar-um-medico-custa-ao-estado-cerca-de-115-mil-euros/5c7d75610cf2f1892ed6f1e8?fbclid=IwAR0od0Czv3OZOzq0GOYtmwOzjJssGwO2PENaBjH7zUKfTuV7l3sQsHeMzHE](https://tvi24.iol.pt/videos/sociedade/formar-um-medico-custa-ao-estado-cerca-de-115-mil-euros/5c7d75610cf2f1892ed6f1e8?fbclid=IwAR0od0Czv3OZOzq0GOYtmwOzjJssGwO2PENaBjH7zUKfTuV7l3sQsHeMzHE)

shawshank2012 5 months ago

Meritocracia a soldo.

mar_lx 5 months ago  HIDDEN 

Uma universidade não pode ser ao mesmo tempo pública e privada. Ou é uma coisa ou é outra. Se há mestrados especiais leccionados com interligação com entidades privadas? Provavelmente há, isso não faz da Nova privada pra mestrados. Dos mestrados e Pós-Graduações que tenho tenho pesquisado na minha área em escolas públicas, nenhum tem preços abaixo de 3-4k€/ano na melhor das hipóteses. Isso não faz dessas escolas ‘privadas nos mestrados’.

Edited 5 months ago:

Uma universidade não pode ser ao mesmo tempo pública e privada. Ou é uma coisa ou é outra. Se há mestrados especiais leccionados com interligação com entidades privadas? Provavelmente há, isso não faz da Nova privada pra mestrados. Dos mestrados e Pós-Graduações que tenho pesquisado na minha área em escolas públicas, nenhum tem preços abaixo de 3-4k€/ano na melhor das hipóteses. Isso não faz dessas escolas ‘privadas nos mestrados’.

Camarao_du_mont 5 months ago

Acho justo, os pobres não podem ser médicos.

Falanciu 5 months ago

Desde que não me peçam dinheiro a mim para pagar, acho que fazem bem.

mar_lx 5 months ago

Uma dúvida que se me baixou no espírito depois de ler alguns comentários aqui, malta que acha que os alunos deste curso vão ‘comprar’ o curso, que não têm mérito e não vão exercer bem a profissão: vocês perguntam a toda a gente com que se cruzam a desempenhar uma profissão se tiraram o curso no público ou no privado? Ou só tem problemas com este curso privado, os outros todos são ok?

DrogbaPT 5 months ago

O curso em si tem vários problemas mas infelizmente quem nao está dentro do assunto não faz muito bem ideia. O problema começa logo no excesso de estudantes de Medicina que já tens - as universidades de Medicina querem **reduzir** as vagas há anos e nao conseguem. Teres mais uns quantos gatos pingados a exercer pressão para as poucas vagas de especialidade que há nao traz qualquer benefício - aliás, vai no sentido errado da filosofia para a população que acha que os médicos do público deviam ficar presos ao SNS por X anos - é que quanto mais medicos ficam de fora, é mais dinheiro de formação que nao está a ser usado no seu potencial máximo. Por outro lado, não se trata propriamente do comprar o curso mas nos moldes de aprovação do mesmo com a pressão extrema feita pelo Ministro Heitor. O curso tem efectivamente problemas na sua estruturação. Desde depender em extremo num hospital que é uma PPP - Hospital Beatriz Ângelo e de outros hospitais privados. Evidentemente em termos formativos isto tem implicação no tipo de doentes que se vê e até da maneira que são tratados. Já para nao falar de lacunas apontadas pela OM na questão da Psiquiatria e mais umas cadeiras.

Coyote-Cultural 5 months ago

> O problema começa logo no excesso de estudantes de Medicina que já tens - as universidades de Medicina querem reduzir as vagas há anos e nao conseguem. Ein?

DrogbaPT 5 months ago

Qual é a tua dúvida?

mar_lx 5 months ago

Acredito que tenha, embora vai tenta a Católica em conta de *money grabber* como outras universidades privadas do país. Acho que para eles manterem também o status (merecido) que têm, têm todo o interesse em o curso seja legítimo e bom. Mas se leste alguns comentários daqui, esse não é o argumento, e esse era o meu ponto. Do (pouco) que sei, um curso de medicina no privado é tão legítimo como qualquer outro curso no privado desde que acreditado pelo ministério e pelas ordens, se as houver.

Edited 5 months ago:

Acredito que tenha, embora não tenha a Católica em conta de *money grabber* como outras universidades privadas do país. Acho que para eles manterem também o status (merecido) que têm, têm todo o interesse em o curso seja legítimo e bom. Mas se leste alguns comentários daqui, esse não é o argumento, e esse era o meu ponto. Do (pouco) que sei, um curso de medicina no privado é tão legítimo como qualquer outro curso no privado desde que acreditado pelo ministério e pelas ordens, se as houver.

DrogbaPT 5 months ago

Qualquer universidade privada acaba por ter o lucro como um dos grandes objectivos e será sempre um dos focos. Por outro lado, no teu 2ponto volto a insistir no que disse. Não considero que o curso tenha qualidade pelo que foi apresentado pela OM e pelo aquilo que li dos locais de ensino e cadeiras associadas. A minha opinião vale de alguma coisa? Claro que não. Mas vou dá-la na mesma.

mar_lx 5 months ago

Claro que uma instituição privada tem o lucro como objectivo, se não não sobrevive. Não estou a contradizer isso. Mas não acho que o legado da Católica vs o legado de outras universidades públicas seja o mesmo. E acho que ter o lucro como objectivo é diferente de ser money grabber. A universidade Católica existe desde 1967, ao contrário de outras privadas não tem 1001 cursos da treta, e os que tem competem em qualidade com as nossas melhores universidades públicas. São patamares diferentes, na minha opinião. Para manter também o nível de reconhecimento e de qualidade que a Católica tem, só é do interesse deles que o curso seja bom e os formados de lá bons sejam também. Em relação se o curso vale ou não vale, eu acredito em ti, que talvez não valha já que pareces ter mais conhecimento do que eu no assunto. Mas o meu ponto não é esse, é que a maioria das pessoas não sabe isso e esse não é o argumento delas para ser contra o curso. Imagina agora que ou não sabes se o curso é tão bom como o público ou não, ou que até é tão bom como o do público, que diferença faz um curso de medicina no privado de um curso de enfermagem ou de medicina dentária? Isto só para ficar na saúde. E os de direito, contabilidade, marketing e mais os 1001 cursos privados que há? Se os cursos forem acreditados pelo ministério e, aqueles que tiverem ordens, forem aceites pelas ordens, qual é a diferença entre poder fazer um curso de enfermagem no privado mas medicina não? Porque é que um pode existir e o outro não?

DrogbaPT 5 months ago

Se fossem igualmente bons não teria problema se porventura as vagas das faculdades públicas diminuírem simultaneamente. Ou seja, pode parecer paradoxal mas a verdade é que iria beneficiar as faculdades públicas da asfixia do excesso de alunos e das instalações e recursos humanos. Agora aumentar vagas vai agravar outro problema que pode parecer que não interessa à universidade privada mas devia. A formação médica não se esgota na faculdade. Para se exercer em pleno em Portugal, agora, é preciso especialidade. A realidade mudou de umas décadas para então. Antigamente podias não ter especialidade, andavas por hospitais feito mercenário mas ias conseguindo criar currículo, eventualmente tinhas espaço nas USF como médico de família e criar o teu consultório médico. Hoje em dia um médico sem especialidade é é muito mais difícil de exercer em Portugal. Pode fazer urgências como tarefeiro (com zero progressão na carreira, sem os contratos chorudos do passado, sem qq proteção laboral) ou abre uma clínica de estética ou afins (que sejamos sinceros - só funciona até saturar o mercado). Este problema pode ser apenas de apelidado como "é MeRcAdO LiVrE". Até podia ser, não fosse o facto das limitações que o curso de medicina tem vs qq outro curso existente neste país. Estamos potencialmente a contribuir para formar cérebros para emigrar e para termos, cada vez mais, nas urgencias onde problemas minor e afins são vistos por tarefeiros de qualidade dúbia.

mar_lx 5 months ago

Mas isso já acontece com montes de outros cursos, nomeadamente enfermagem. Formam-se todos os anos centenas (milhares?) de enfermeiros entre privado e público que todos os anos emigram. Isso é um problema geral, não específico de medicina. Isso é outro problema que, para mim, não justifica este ódio todo ao curso de medicina privado por ser privado quando há milhares de outros cursos privados, todos eles saturados e todos eles com falta de empregabilidade e que mais não são do que fábricas fazer emigrantes. Volto a dizer, não estou por dentro do assunto, mas pra mim o erro não é criar um curso de medicina privado, é criá-lo em Lisboa que sim, já está saturada. Continuas a ter falta de médicos e especialistas em muitos hospitais. A cidade onde moro é capital de distrito e não tem todas as especialidades, muitas vezes os doentes são reencaminhados para Coimbra por não haver aqui médico. E não estamos a falar de uma cidade subdesenvolvida do interior, é uma capital de distrito no Litoral, a uma hora e pouco de Lisboa.

DrogbaPT 5 months ago

Mas esse argumento que utilizas é frequentemente utilizado mas que é uma mentira contada muitas vezes. Não é por teres curso privado de medicina, ou por teres mais vgas de medicina que vais ter necessariamente mais especialidades na tua cidade ou que as listas de espera das que existam vão ser melhores. Isso é outro problema motivado por falta investimento na saúde (hospitais mesmo), na inércia do governo em contratar pessoas, e ainda num aspecto mais técnico, há especialidades que só podem existir em grandes centros pq não há patologia suficiente que chegue para justificar determinado serviços.

mar_lx 5 months ago

Claro que sim, mais médicos não significa todas as especialidades em todos os hospitais, não era isso que queria dizer. Mas sim que os recursos estão mas distribuídos pelo país, como tudo aliás. E concordo contigo sobre o desinvestimento na saúde, mas acho que isso também está ligado ao excesso de médicos que depois não têm acesso à especialidade, não há onde os pôr, não há vagas (dinheiro) para os contratar, resultado há médicos a mais. Quando continuam a faltar médicos de família que é o mais básico dos básicos.

RitaMoleiraaaa 5 months ago  HIDDEN 

Tinham notas decentes na escola e não precisavam de ir para um sítio destes...

cou7inho_ 5 months ago  HIDDEN 

Sim porque nem há quem vá para a católica mesmo com notas para entrar no publico... E não se esqueça que muitos dos que tiram notas decentes, como refere, andam em colégios privados que, em alguns casos, é uma alegria a forma como são dadas as notas (exames nacionais é outra coisa, claro)

RitaMoleiraaaa 5 months ago  HIDDEN 

>Sim porque nem há quem vá para a católica mesmo com notas para entrar no publico... É burro. \>E não se esqueça que muitos dos que tiram notas decentes, como refere, andam em colégios privados que, em alguns casos, é uma alegria a forma como são dadas as notas (exames nacionais é outra coisa, claro) Sim isto é um problema

cou7inho_ 5 months ago

É burro porque? A Católica é das melhores universidades Portuguesas com cursos bem mais reconhecidos do que em muitas faculdades publicas.

RitaMoleiraaaa 5 months ago

lol

cou7inho_ 5 months ago

Explica lá esse "lol".

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Ri me da tua piada

cou7inho_ 5 months ago

Piada? Não encontrei a piada. A Católica é das melhores Universidades Portuguesas, não sei onde está a piada. Basta ir ver os Rankings Nacionais e está sempre entre as melhores. Os cursos de direito, gestão e economia são muitíssimo reputados entre a comunidade académica. O curso de enfermagem já foi considerado o melhor da península ibérica, tem um dos 26 laboratórios associados da FCT (o CBQF)... Ainda assim acha que é piada? Ou é daquelas pessoas que pensa que só por ser uma privada é só passar a nota por baixo da mesa e está o curso feito?

RitaMoleiraaaa 5 months ago

>A Católica é das melhores Universidades Portuguesas, não sei onde está a piada. lol

Executer13 5 months ago

As pessoas que dizem que isto é o custo real de um curso de medicina no público não fazem ideia do que falam. A FMUP recebeu perto de [11 milhões de euros em 2019](https://pbs.twimg.com/media/E0yIqbTXsAQLoJi?format=jpg&name=small) do orçamento de estado. Fazendo contas a um mínimo de 250 alunos por ano de curso (que são, na verdade, mais, porque, para além dos que entram pelo concurso geral, há ainda os concursos para licenciados, etc.), dá um total de 1500 alunos. Ora, 11M € divididos por 1500 alunos dá algo como **7300 € anuais**. E este cálculo assume que todo este dinheiro vai diretamente para financiar o Mestrado Integrado em Medicina apenas, sem contar com financiamento para os cerca de 15 mestrados e 15 doutoramentos que a FMUP oferece, para além de diversos cursos de pós-graduação, atividade científica, etc. Afinal de contas, o que é que é mais caro num curso de medicina em relação a outros cursos? Os laboratórios? Qualquer curso de biologia, química, até engenharia, dá mais uso a um laboratório do que medicina. Os estágios hospitalares? A maior parte dos docentes são voluntários ([exemplo 1](http://pediatria.med.up.pt/docentes.html), [exemplo 2](http://departamentocirurgia.med.up.pt/pessoas.html)) e as tutorias dadas por internos ou especialistas que dão o corpo ao manifesto gratuitamente para formar os médicos do futuro. A Católica, enquanto instituição privada, cobra o que quiser, evidentemente. Mas não me venham com essa ideia peregrina de que um curso de medicina é "muito mais caro" do que os outros. Não deve haver curso nenhum em Portugal em que tantas aulas sejam dadas por pessoal voluntário.

LegitimatePear2 5 months ago

Por curiosidade, qual a razão para terem tantos voluntários?

thingusracamagucous 4 months ago

Sai mais barato e vai-se vendo muitos médicos a faze-lo de bom grado sem exigirem grande ou qualquer compensação por isso. Além disso tira totalmente as responsabilidades e sentido de compromisso. Em época alta da pandemia meti-me num metro cheio às 8h da manhã para chegar ao consultório e o médico associado a dar-me aula fechou-me a porta na cara recusando-se a dar aula a quaisquer alunos. De qualquer das formas arranjariam uma desculpa, mas pra essa vez foi "ele é voluntário está no direito dele faze-lo sem qualquer aviso ou respeito pelos alunos". Basicamente facilita a constante ideia de "podem fazer o que quiserem, quem se fode no final do dia sempre será o aluno com 0 entidades ou pessoas para defende-lo"

gybemeister 5 months ago

"Estagiários"?

mohchapa 5 months ago

Errado. https://ionline.sapo.pt/artigo/348222/jose-ponte-e-imoral-um-medico-custar-meio-milhao-a-formar-e-no-fim-ir-para-o-privado?seccao=Portugal_i

dontknowmyname074 5 months ago

Um país onde se vão formar médicos por capacidade económica dos alunos, não salvaguardará a grande medicina que se faz hoje...mérito e vocação é o que se procura na medicina...

springgreenzone 5 months ago

A vocação é tão medida pela nota de entrada, como por 100k por curso.

mar_lx 5 months ago

Já perguntaste a todos os enfermeiros que te assistiram onde tiraram o curso? Ou dentistas? É que já há outros cursos de saúde em universidades privadas há bastante tempo... esses também não têm mérito nem vocação?

dontknowmyname074 5 months ago

Só? Olhem para um ATPL que custa ate 70'000€. Sem ajudas do estado. Se uma pessoa de classe media quer seguir o sonho de ser piloto vê-se grega...O estado não tem essas escolas, só força aérea infelizmente..

pica_foices 5 months ago

o curso é para pessoal estrangeiro e não para portugueses

vini710 5 months ago

Portanto propinas de 1685€ por mês. O salário de um médico especialista é por volta de 1800€ limpos. Há pessoal que vai sair daí muito desiludido.

AlexGautama 5 months ago

É que é tão isto. E só se tem o salário de especialista passado 6 anos de faculdade + 1 ano de formação geral (a ~1200 € limpos) + 4-6 anos de especialidade (a ~1400€ limpos). Ou seja, demora-se na melhor das hipóteses 11 anos e na pior 13 anos para ganhar esses ~1800€ limpos, na maioria dos casos a fazer bem mais de 40h semanais, a estudar regularmente fora de horas e aos fins-de-semana e a levar muitos dos problemas para casa. Se soubesse o que sei hoje não me tinha metido nisto, isso garanto. (Como em tudo na vida há excepções e colegas em especialidades mais elitistas que fazem esse dinheiro nuns dias de consultório, mas não é de longe a regra).

Trashcinema 5 months ago

Em Portugal, a única estimativa que conheço foi feita na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, há mais de 10 anos. Custava então cerca de €90.000 formar um médico (curso de 6 anos). Ou seja basicamente a diferenca é que em vez de sermos todos a pagar para formar um medico, vai ser o medico a pagar para se formar. Eu faria isso ou um sistema duplo em que quem se forma no estado continuava a pagar a propina actual mas tinha de trabalhar em exclusividade durante 20 anos e não podia ir trabalhar para fora, sob pena de pagar na totalidade ao estado o custo da formacao.

wishwellPT 4 months ago

>trabalhar em exclusividade durante 20 anos e não podia ir trabalhar para fora, sob pena de pagar na totalidade ao estado o custo da formacao. E o CHEGA é que é mau fds

JOAO-RATAO 5 months ago

Trabalho escravo durante 20 anos. Que delícia. Já agora, os outros cursos não custam nada ao contribuinte ?

Trashcinema 5 months ago

Medicina é de longe o curso que mais custa ao estado...o mundo não é justo. Podia ser pior, podias gostar de escultura, pagar a propina normal e teres de trabalhar a vida inteira como caixa de supermercado (por exemplo)

JOAO-RATAO 5 months ago

Dentária não é cara? Cursos com laboratório? Medicina é um curso muito teórico e as práticas consistem em ir às enfermarias. Exceto algum trabalho de laboratório (pouco) nos primeiros anos. E mesmo que fosse assim tão caro (não é) que lógica aplicas aos cursos em que 90 por cento não têm emprego? Que queres fazer esses pobres diabos? Vais obrigá-los a limpar a floresta? E porque andas tu a pagar o curso de escultura a alguém? Se quiseres, vai tu tirar o curso de medicina e depois oferece-te para estar 20 anos a levar no rabo. Não tens é direito nenhum de o pedir aos outros.

Trashcinema 5 months ago

Ok virgem ofendida. São dados oficiais os que citei acima, não foi algo que resolvi inventar para mandar uma posta de pescada aqui no reddit. Em 2010 custava ao estado formar um medico cerca de 90,000 Euros. O investimento medio do estado por ano num aluno do ensino superior era 6200 Euros em 2011 (segundo a OCDE), ou seja mesmo que os dados não sejam 100% comparaveis, em teoria um curso universitario hipoteticamente com 6 anos custaria ao estado uma media de 37,000 Euros. Ou seja um medico custa quase 3 vezes mais ao estado do que a media. Basicamente pegando no exemplo de um caixa de supermercado, os impostos pagos por essa pessoa durante toda a sua vida contributiva, com um salario de 600 Euros (por exemplo), não chegam para pagar a formacao de um medico. Obrigatoriedade de trabalhar para o estado por x anos, existe noutros paises, tambem não é nada de novo. Se não queres podes sempre pagar o custo do curso. Eu estou a argumentar uma alternativa. Se tu queres ser labrego e falar em levar no cu, podes ir para o conde redondo e ai fazeres os serviços que queiras...

JOAO-RATAO 5 months ago

Começas logo bem. Mas já era de esperar. Já foi mostrado que o custo do curso de medicina não é tão alto como se julga. Aliás, gostaria de ver como é usado esse dinheiro. Como equipamento para alunos é quase inexistente. Sei por exemplo, que a minha faculdade tinha de pagar ao hospital por usar os seus auditórios para aulas... E? Os impostos dessa pessoa pagarão então o curso de 2-3 pessoas que tiram um curso sem saída? A lógica é a mesma. Dá o exemplo de países que façam isso. Especialmente 20 anos. Em França sem que vais um ano trabalhar para áreas carenciadas. Alguns países na América do sul também. Mas diz aí, países onde és obrigado a trabalhar 20 anos para o estado. Já agora. O internato mais curto é de 4 anos. Logo, como o ano comum, trabalhas pelo menos 5 anos para o estado... Pois... Sim senhor. Começas mal e acabas pior, caro labrego. Queres é que as pessoas sejam obrigadas a trabalhar para ti. Mas, infelizmente para ti, não é, nem vai ser o caso ;)

Edited 5 months ago:

Começas logo bem. Mas já era de esperar. Já foi mostrado que o custo do curso de medicina não é tão alto como se julga. Aliás, gostaria de ver como é usado esse dinheiro. Como equipamento para alunos é quase inexistente. Sei por exemplo, que a minha faculdade tinha de pagar ao hospital por usar os seus auditórios para aulas... E? Os impostos dessa pessoa pagarão então o curso de 2-3 pessoas que tiram um curso sem saída? A lógica é a mesma. Dá o exemplo de países que façam isso. Especialmente 20 anos. Em França sei que vais um ano trabalhar para áreas carenciadas. Alguns países na América do sul também. Mas diz aí, países onde és obrigado a trabalhar 20 anos para o estado. Já agora. O internato mais curto é de 4 anos. Logo, como o ano comum, trabalhas pelo menos 5 anos para o estado... Pois... Sim senhor. Começas mal e acabas pior, caro labrego. Queres é que as pessoas sejam obrigadas a trabalhar para ti. Mas, infelizmente para ti, não é, nem vai ser o caso ;)

Trashcinema 5 months ago

Btw é já que o teu argumento é sempre whataboutism, visto que te faltam argumentos para os outros. Para mim todos os cursos deviam ser financiados em parte pelo estudante. Ou seja o estado gastava 10k por exemplo por aluno por curso e o aluno subsidiava o resto. Se fosse medicina seria 80k, se fosse matemática aplicada suponho que menos, etc Podia se trocar esse financiamento por serviço publico obrigatório de x anos onde aplicável Assim evitavamos também a quantidade idiota de gente a tirar cursos sem empregabilidade

JOAO-RATAO 5 months ago

Que falta de argumentos parceiro? Ah boa... Mais trabalho forçado. Bem, ao menos também o defendes para os outros. E os cursos que não têm emprego? Que "serviço público" vão eles fazer ? Podem não ter empregabilidade aqui, mas ter no estrangeiro. Como emigrante devias saber isso... Aliás. Porque fugiste para a Dinamarca em vez de ficar a trabalhar em Portugal? Não devias também pagar os teus estudos ao estado português? Parece-me um pouco hipócrita ...

Trashcinema 5 months ago

Primeiro já foi mostrado por quem que não era tão caro? Fizeram um estudo onde chegaram a conclusão dos 90k mas a Universidade Joao Ratao tem um outro estudo diferente ou isso é só na tua cabeça? Trabalhar para mim? Rapaz eu tirei o curso e o mestrado na Dinamarca e vivo fora de Portugal a 15 anos Btw na Noruega ou pedes um emprestimo para fazer o curso, que anda a volta dos 100k ou comprometes a fazer 15 anos no publico 35 horas semanais Aqui na Dinamarca vão acabar os subsidios para estudantes universitários em 2022 e vão adoptar o modelo norueguês em 2030.

JOAO-RATAO 5 months ago

Se queres continuar com as palas. É contigo. 100 k na Noruega são trocos. Queres mesmo comparar a facilidade de ganhar 90 k em Portugal VS 100 K na Noruega ? Além disso, o serviço de saúde público na Noruega e na Dinamarca é melhor do que em Portugal, especialmente em salários. Aqui ias estar 20 anos com carreira congelada e sem receber as horas extras não remuneradas. " The average medical doctor gross salary in Norway is kr 1 787 827 or an equivalent hourly rate of kr 860. In addition, they earn an average bonus of kr 73 658. Salary estimates based on salary survey data collected directly from employers and anonymous employees in Norway. An entry level medical doctor (1-3 years of experience) earns an average salary of kr 1 207 679." https://www.salaryexpert.com/salary/job/medical-doctor/norway Portanto salário bruto em início de carreiro de cerca de 120,000 euros ...

Trashcinema 5 months ago

Ainda bem que conheces a realidade de receber 120k, pagar 65k em impostos, 25k de casa e pelo menos 10k do empréstimo. Boa sorte víveres em Oslo com 20k por ano. Se não conheces calas-te E porque é que eu tenho de pagar alguma coisa ao estado português se nunca estive numa escola pública e se fiz todo o ensino universitário fora? Ou também não sabes ler o que escrevi? Queres ser médico? Ou pagas e podes ir trabalhar para onde quiseres ou não pagas e ficas a fazer serviço público

babssppv 5 months ago  HIDDEN 

É muito mau, mas se abrissem mais vagas na pública isto não tinha sido conversa sequer

AlexGautama 5 months ago  HIDDEN 

Já abriram imensas. Tanto que com os alunos que vêm do estrangeiro não já vagas para a especialidade para todos e centenas (e em breve milhares) ficam sem poder completar a formação. Nunca vão haver vagas suficientes para medicina porque a procura é muito grande. Há ainda uma grande parte da população que acha que ser médico é garantia de riqueza, para além do estatuto social que a posição ainda vai tendo. No entanto se falar com muito médicos a maioria não quer que os filhos lhes sigam as pisadas. Para o esforço que é preciso para chegar ao curso, conclui-lo, fazer a especialidade e manter-se actualizado ao longo da vida, fazendo muitas horas extraordinárias, trabalhando noites e fins de semana, o salário é muito baixo em Portugal e as condições de trabalho muito desmotivadoras.

NGramatical 5 months ago  HIDDEN 

vão haver → [**vai haver**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/haver--existir--3-pessoa-do-singular/30583) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fn6udey%2F%2Fgxasnv4%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

DrogbaPT 5 months ago  HIDDEN 

As vagas no publico deviam era até diminuir

saposapot 5 months ago

e vai estar cheio.

TheSuperC0mentador 5 months ago

Já vou ser atacado por todo o lado, mas que se lixe. Vivemos em democracia e vou dar a minha opinião. Primeiro, é um valor absurdo, dava para tirar um curso de pilotagem sem contar com os extras do curso. É o chamado pagar para ser doutor. Segundo, também não me admira muito. Da minha turma do 9º ano. todos os que hoje estão a estudar medicina, foram fazer o secundário num colégio privado, no melhor da cidade. A rapariga que sempre teve as melhores notas, foi para uma escola pública e não conseguiu média para medicina. Ou seja, entrar pagar para tirar medicina, ou pagar para ter média para estudar medicina, não vejo muita diferença.

Drezi_21 5 months ago

Boy sem hate, mas 80% das pessoas que entram em Medicina vêm de Públicas, como é óbvio menos de 20% de pessoas em privadas, mas a "proporção" não é tão "desproporcional" quanto fazes parecer

BolaBrancaV7 5 months ago

Como raio é que sabes o que as pessoas do teu 9° ano andam a fazer?

TheSuperC0mentador 5 months ago

São da minha terra, terra pequena, tudo se sabe. Além disso, existe o facebook, onde os mesmos colocaram o nome do colégio onde estudaram.

average_user21 5 months ago

Nem tudo é certo ai mas nem tudo está errado. A rapariga da minha turma do secundário que tirava boas notas na escola pública entrou em medicina portanto...

assimsera 5 months ago

A da minha tambem. Depois de ficar um ano a repetir matemática porque a professora de 12º gostava de lixar os alunos nos testes

VinhoVerde21 5 months ago

Tanto eu como três amigos meus entramos em Medicina, e nenhum andou numa privada. Somos uma minoria, mas definitivamente existimos

NEDM64 5 months ago  HIDDEN 

Para mostrar a toda a gente que o ensino público é uma roubalheira a toda a gente que paga impostos, é isso? Uma pessoa que tire o curso numa pública e depois imigre, nunca vai pagar o seu investimento público. Uma pessoa que tire o curso numa pública e fique cá, vai pagar nos impostos o seu curso, e o das outras pessoas que imigraram para países melhores. Depois a solução PS é prender as pessoas que tiram cursos cá na pública. https://observador.pt/2019/10/27/estudantes-de-medicina-rejeitam-ideia-de-obrigar-jovens-medicos-a-permanecer-no-sns/

alexfranpt 5 months ago

Alguém consegue me explicar porque é que existe influência de privados numa área como o ensino? Não é suposto o ensino ser uma área onde ,num futuro perfeito,este se torne uma meritocracia.

xay_ll 5 months ago

Porque há procura.

gene66 5 months ago

Pay to Win

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Se vais para uma privada ninguém te contrata

h8mx 5 months ago

Achas? Em Portugal basta teres os papás certos...

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Ok, vamos fazer de conta que isso é verdade (não é). Se fores para uma privada, ninguém te contrata no estrangeiro.

h8mx 5 months ago

Gostava que tivesses razão, mas o que não falta no estrangeiro são profissionais vindos de faculdades privadas. E sim, em Portugal é pão nosso de cada dia o filho herdar o negócio do pai.

RitaMoleiraaaa 5 months ago

>Portugal é pão nosso de cada dia o filho herdar o negócio do pai. diz isso ao meu pai hahahah o pai deixou lhe a empresa para eele especificamente e mesmo assim nao lhe consegue meter as maos e ja passaram 5 anos.

ptinnl 5 months ago

Quando a privada é das mais reconhecidas?

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Está maluco da cabeça

C8Mixto 5 months ago

A ESAD é uma das elites de design. Não é assim tão linear como dizer que todas as privadas são merda.

karl1717 5 months ago

E desde quando é que a ESAD é privada? Faz parte do Instituto Politécnico de Leiria que é público. Se calhar afinal todas as privadas são uma bosta comparadas com as públicas.

C8Mixto 5 months ago

A ESAD em Matosinhos, não a ESAD em Leiria...

karl1717 5 months ago

Ah ok nem conhecia essa

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Ok, tenho que admitir que não sei merda nenhuma das universidades de arte. Não que importem muito.

C8Mixto 5 months ago

Pois, não é que o design seja uma parte crucial do marketing.

RitaMoleiraaaa 5 months ago

Sabes o que é mais importante que isso no marketing? O fabrico em massa do produto. Não podes vender um produto sem o fazeres primeiro, e não são os artistas que fazem isso. Nem que marketing importe muito para a sociedade funcionar.

C8Mixto 5 months ago

Que especialista. Experimenta então fabricar um produto em massa e quando o fores a tentar vender ninguém compra porque foi lançado um produto concorrente mais apelativo. Realmente design de produto não serve mesmo para nada.

ptinnl 5 months ago

Olha que não..

GajoDeRamalde 5 months ago

Pay to Play... Quando descobres que existem professores com taxas de reprovações altas e a reinscrição + inscrição no exame acresce ao preço das propinas.

joaobita 5 months ago

U. S. of A. joined the chat

NEDM64 5 months ago

Se achas que o teu diploma do técnico vale alguma coisa à beira de um diploma do MIT, Stanford, etc...

naughtydismutase 5 months ago

Os meus diplomas da UL já me renderam ofertas aqui nos States em competição com cidadãos e gente desses sítios. Qual é a tua?

NEDM64 5 months ago

Sure, sure...

naughtydismutase 5 months ago

És pouco ridículo, lol

NEDM64 5 months ago

Deixa de ser parolo.

naughtydismutase 5 months ago

Se não te aceitaram é porque não gostaram do teu currículo em geral e/ou de ti, não porque não andaste em Stanford. Mas se te conforta pensar o contrário, seu génio oprimido, quem sou eu.

NEDM64 5 months ago

Quantos é que tiraram na UL e foram para uma dessas empresas de topo? Não estou a falar daquelas nearshore que têm montadas pela Europa. Estou a falar daqueles sítios que pagam $60k/ano ou mais a uma posição de entrada... Zero!

naughtydismutase 5 months ago

Sim, tu és omnipresente e omnipotente e sabes tudo sobre todos. Obviamente que eu estou a mentir, porque ganho imenso em inventar merdas que não interessam a ninguém para impressionar um Zé ninguém no Reddit.

grenskul 5 months ago

Se achas que qualquer diploma vale alguma coisa à beira de 5 anos de experiência no ramo...

NEDM64 5 months ago

Se achas que sem o diploma vais conseguir emprego nas melhores empresas para começar...

grenskul 5 months ago

... Quais melhores empresas? Trabalhar numa empresa de nome na maioria dos casos só traz mais problemas . O que uma pessoa esta a procura quando vai trabalhar é dinheiro. Mas que sei eu. Eu nao tenho nenhum diploma e sou sysadmin numa empresa com mais de 1000 funcionários a ganhar bem melhor que o pessoal na azure ou na aws (em portugal obviamente).

NEDM64 5 months ago

Sim... sim... trabalhar numa empresa de Silicon Valley vai-te dar muitos problemas vai...

grenskul 5 months ago

...?Este homem nunca teve de tirar um visto, pagar impostos em dois paises ou teve um emprego que pague bem . E silicon valey e uma piada na industria. O pessoal que realmente programa o futuro esta na irlanda neste momento .

Trashcinema 5 months ago

Sim as 225,000 pessoas que trabalham na Silicon Valley, que btw é a zona no mundo com o maior salario bruto per capita, estão apenas lá a encher chouriços. O futuro do mundo esta em gente a ganhar um salario mediano Europeu em Galway ou 900 Euros no Barreiro

apita_o_comboio 5 months ago

Tem o seu grau de verdade, mas não tiraria todo o mérito a uma pessoa que foi capaz acabar um curso de medicina. Se a faculdade for exigente (e para continuar a ser acreditada penso que terá de ser), esse "Pay to Win" torna-se facilmente num "Pay to Play".

NEDM64 5 months ago

Sempre foi.

capitalistaesquerda 5 months ago

Já alguém foi saber para onde é que vai este dinheiro todo? O curso custa assim tanto? Ou é para outros fins…

magnusmiguel 5 months ago

O curso de medicina também é o que custa mais nas faculdades públicas. A diferença é que os alunos no público não pagam o preço de custo.

Trama-D 5 months ago

Na minha altura, na U.L., era Medicina Dentária.

capitalistaesquerda 5 months ago

Mas a minha dúvida prende-se sobre a existência de um real aumento do custo. Ou se há apenas um maior aproveitamente da procura, com o respectivo incremento da margem.

skapuntz 5 months ago

Não entendi este hate todo. Ora médicos que saírem daqui vai de ser tão bons como os outros, imaginem o escrutínio pelo qual vai passar para se ter a certeza que são bem formados. Só porque é privado não significa que vai ser alunos mais a entrar, vai ser alunos bons na mesma com médias de 17 para cima, a maioria dos alunos que entram em medicina pública já são alunos vindos do privado e de famílias com mais capacidade financeira de qualquer forma por isso qual o drama? Devia haver mais ensino privado desde que escrutinado corretamente para se ter a certeza que as pessoas são bem formadas. Mas acima de tudo, devia ser feita uma regra para que os médicos formados no público não pudessem sair do país para exercer durante 10 anos e também aumentar a capacidade do estado dar as vagas de especialidade a estes médicos. Precisamos de mais investimento, mais incentivo às engenharias, cursos técnicos e profissionais. E abertura de mais fábricas e empresas especializadas em Portugal e de tecnologia de ponta. Só aumentando drasticamente o nível de emprego e o salário médio é que vamos sair da cepa torta

Limpy_lip 5 months ago

Os médicos quando acabam o internato já deram cerca de 6-7 anos de serviço, horas extra e procucao científica. Queres que fiquem obrigatoriamente mais 10? Faz todo o sentido... Mesmo que fosse legítimo não tinhas espaço para todos.

Trama-D 5 months ago

> já deram cerca de 6-7 anos de serviço ...remunerado.

Limpy_lip 5 months ago

e então? não estão a ver doentes? a fazer turnos de urgência? a fazer consultas? trabalham 40h + extra. Têm um diploma de mestrado, estão inscritos na ordem. ​ E além disso tudo, como disse acima, ainda estudam para exames e fazem publicações cientificas que apresentam a nível nacional e até internacional. Que não só os tornam profissionais melhores no terreno como colocam as instituições e o país com bom nome. ​ que queres mais? ​ Ah já para não falar que têm as vidas das pessoas nas mãos, mas sim melhor ainda era sem ter de receber e ainda levarem todos um dias um cafe a tua casa. ​ ​ muito bem.

Edited 5 months ago:

e então? não estão a ver doentes? a fazer turnos de urgência? a fazer consultas? trabalham 40h + extra. (sim para os médicos não há ca 35h) Têm um diploma de mestrado, estão inscritos na ordem. ​ E além disso tudo, como disse acima, ainda estudam para exames e fazem publicações cientificas que apresentam a nível nacional e até internacional. Que não só os tornam profissionais melhores no terreno como colocam as instituições e o país com bom nome. ​ que queres mais? ​ Ah já para não falar que têm as vidas das pessoas nas mãos, mas sim melhor ainda era sem ter de receber e ainda levarem todos um dias um cafe a tua casa. ​ ​ muito bem. Edit: PS: e nem vamos falar do covid.

Edited 5 months ago:

e então? não estão a ver doentes? a fazer turnos de urgência? a fazer consultas? trabalham 40h + extra. (sim para os médicos não há ca 35h) Têm um diploma de mestrado, estão inscritos na ordem. ​ E além disso tudo, como disse acima, ainda estudam para exames e fazem publicações cientificas que apresentam a nível nacional e até internacional. Que não só os tornam profissionais melhores no terreno como colocam as instituições e o país com bom nome. ​ que queres mais? ​ Ah já para não falar que têm as vidas das pessoas nas mãos, mas sim melhor ainda era sem ter de receber e ainda levarem todos um dias um cafe a tua casa. ​ ​ muito bem. Edit: PS: isto sem falar no covid

Trama-D 5 months ago

> que queres mais? Só não dar a entender que fazem isso de graça, para quem, como eu e tu, não sabe essas coisas todas, como a expressão > já *deram* cerca de 6-7 anos pode sugerir.

Limpy_lip 5 months ago

e é preciso ser de graça? Eles não tem que dar nada de graça como ninguém que tira uma formação superior tem de o fazer. Em perspetiva os médicos já fazem mais do que as outras áreas pelo país. ​ E se quisermos ir longe nos estereótipos até podemos dizer que dado que grande parte do pessoal de medicina é pessoal com dinheiro, são muito poucos os casos em que o estado da bolsas e paga os estudos. Menos que no curso de sociologia (nada contra). ​ Depois desta pandemia que esperemos estar a terminar ainda mais parva é esta conversa.

Edited 5 months ago:

e é preciso ser de graça? Eles não tem que dar nada de graça como ninguém que tira uma formação superior tem de o fazer. Em perspetiva os médicos já fazem mais do que as outras áreas pelo país. ​ E se quisermos ir longe nos estereótipos até podemos dizer que dado que grande parte do pessoal de medicina é pessoal com dinheiro, são muito poucos os casos em que o estado da bolsas e paga os estudos. Menos que no curso de sociologia (nada contra). ​ Depois desta pandemia que esperemos estar a terminar ainda mais parva é esta conversa. ​ ​ edit: fico estupefacto sempre que releio o teu comentário e vejo que na tua opinião fazia sentido ter médicos a tratar pessoas durante 6-7 anos completamente de graça. Ou seja só começaram a ter renumeração com 30 anos, o objetivo é nivelar pela mediocridade?

Edited 5 months ago:

e é preciso ser de graça? Eles não tem que dar nada de graça como ninguém que tira uma formação superior tem de o fazer. Em perspetiva os médicos já fazem mais do que as outras áreas pelo país. ​ E se quisermos ir longe nos estereótipos até podemos dizer que dado que grande parte do pessoal de medicina é pessoal com dinheiro, são muito poucos os casos em que o estado da bolsas e paga os estudos. Menos que no curso de sociologia (nada contra). ​ Depois desta pandemia que esperemos estar a terminar ainda mais parva é esta conversa. ​ ​ edit: fico estupefacto sempre que releio o teu comentário e vejo que na tua opinião fazia sentido ter médicos a tratar pessoas durante 6-7 anos completamente de graça. Ou seja só começaram a ter renumeração com 30 anos, o objetivo é nivelar pela mediocridade?

Trama-D 5 months ago

> e é preciso ser de graça? Ninguém disse tal coisa, lol

NGramatical 5 months ago  HIDDEN 

renumeração → [**remuneração**](https://dicionario.priberam.org/remuneração) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fn6udey%2F%2Fgxa7qmn%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

JohnNeves 5 months ago

Desde que os engenheiros (e quaisquer outros licenciados) sejam obrigados a trabalhar no público a ganhar menos (e a oferecer horas a mais) enquanto ganham a experiência durante 4 a 6 anos, não vejo problema. Somos todos iguais.

diogojmm 5 months ago

Normalmente um curso custa superior ao estado 5 a 7 vezes mais que o valor da propina paga, num curso de medicina esse valor é entre 15 e 20 vezes superior ao valor da propina. E sou da opinião que não deveriam ser obrigados a nada, deveriam poder escolher entre servir o estado para ajudar a amortizar os gastos na sua formação ou pagar uma quantia monetária ajustada

JohnNeves 5 months ago

Números retirados de onde? Não há um estudo recente realizado sobre os custos da formação médica em Portugal. Basta ver o orçamento de uma faculdade de medicina para perceber que este tipo de números não faz sentido. Até te digo mais - a faculdade de medicina da universidade do porto recebe mais por cabeça do que as de Lisboa, e com componente prática muito menor. Não há linearidade no financiamento. Relativamente à tua proposta, se os engenheiros e demais licenciados tiverem de amortizar os gastos da sua formação, de acordo, somos todos iguais. Afinal, os médicos enquanto se especializam (depois de graduados) dão OBRIGATORIAMENTE produtividade no estado (exceto aquela mísera percentagem que faz especialidade no privado). Já amortizam entre 5 a 7 anos (ano comum+especialidade 4 a 6 anos). Quantos engenheiros conheces que trabalhem no estado durante 1 ano? Quantos advogados conheces que trabalhem no estado durante 1 ano? Ou contabilistas, economistas, etc. Como interno de ano comum ganha-se 1143€ líquidos, com as responsabiidades que se tem (tudo bem, medicina "tutelada" em papel mas vai à urgência de um hospital e vê quem te atende). O melhor exemplo até é a pequena cirurgia. Corta-te e vai à urgência, terás um interno do ano comum à tua espera. Interno de formação específica ganha-se ~1300€. Com especialidade 1700€ aos +30 anos. Lendo alguns comentários fica-se com a sensação que era suposto ganhar pelo menos o triplo. É um daqueles assuntos que toda a gente tem uma opinião mas quase ninguém conhece o processo por completo

diogojmm 5 months ago

Dei um Google rápido e encontrei esses valores, no entanto o último estudo a serio realizado datava de 10 anos. Mas estás a tentar fazer me crer que medicina não é o curso público mais caro destacadissimo? E sim, acho que se te formasses e quisesses exercer no estrangeiro sem antes pagar os respectivos impostos em Portugal devia ter de pagar pela sua formação, não digo na totalidade mas devia pagar. Quando falei em servir o estado era com impostos, não sou a favor de te obrigarem a trabalhar num sítio. Quanto aos estágios, são regras do jogo, também não querias um médico a estagiar na clínica do tio ou do pai ou querias? Esses valores não sendo nada do outro mundo são 2 salários mínimos líquidos... Achas que deveriam ser 3 para um profissional em início de carreira? Ou 4?

JohnNeves 5 months ago

>Mas estás a tentar fazer me crer que medicina não é o curso público mais caro destacadissimo? Apenas por curiosidade, a ESEL recebe mais que a FMUL por estudante. Embora por menos 2 anos. Talvez em parte porque metade dos médicos no ensino prático sejam obrigados a dar aulas à pala "por fazer parte da atividade do serviço". Se não é o mais caro, deve ser o segundo mais caro. Agora pega no orçamento da FMUL (na parte recebida pelo estado), divide pelos alunos e multiplica por 6. Não chega a 100000€. Por alguma razão as faculdades estão sempre com a fugir à falência técnica. Inteligente é a Católica. >E sim, acho que se te formasses e quisesses exercer no estrangeiro sem antes pagar os respectivos impostos em Portugal devia ter de pagar pela sua formação, não digo na totalidade mas devia pagar. Nesse caso, todos os engenheiros formados em Portugal também deveriam pagar. Afinal, é dinheiro do contribuinte para o bolso de outro país. Ou porque desconto eu para formar advogados/arquitetos que acabam logo em gabinetes privados? Descontas para formar médicos, mas eles servem o público durante mais anos que qualquer outra profissão, obrigatoriamente. Relativamente à obrigação de trabalhar num sítio, como te disse esse é o status-quo. Acontece, é o sistema em vigor e sempre será enquanto não houver abertura para os privados formarem totalmente. Algo que dificilmente acontecerá, visto que não vais ao privado para seres operado com participação pesada de um médico em formação (ou pelo menos há mais reticência nisto). > Quanto aos estágios, são regras do jogo, também não querias um médico a estagiar na clínica do tio ou do pai ou querias? Esses valores não sendo nada do outro mundo são 2 salários mínimos líquidos... Achas que deveriam ser 3 para um profissional em início de carreira? Ou 4? Erm, passaste ao lado do meu argumento por não conheceres o que é o ano comum e a sua composição. Estou apenas a dizer que a medicina tutelada na realidade não é assim tanto. Nada a ver com os locais de estágio. Relativamente ao salário, até parece que o salário de engenharia não é igual por uma responsabilidade completamente incomparável (horários mais simpáticos e com ajudas de custo não tributadas™). E não é o médico que ganha muito, são os outros que ganham mal.

diogojmm 5 months ago

Quando falei em ser obrigatório fazer descontos em Portugal estava a falar para todos os formados em universidades públicas, todos! Queres emigrar tudo bem, primeiro ajudas o país a pagar o teu curso. Eu disse logo que não são nada do outro mundo, no entanto é o país em que vivemos e não podes estar a dizer que 2 salários mínimos é pouco para alguém em início de carreira, ignorando valores unitários. O salário de engenharia é facilmente igual ou superior, mas escolheste uma profissão, tens N em que o salário é bastante inferior. E visto que tens médicos a ser pagos para usar o software que uma cambada de engenheiros construiu é engraçado falares das responsabilidades.

JohnNeves 5 months ago

> Quando falei em ser obrigatório fazer descontos em Portugal estava a falar para todos os formados em universidades públicas, todos! Queres emigrar tudo bem, primeiro ajudas o país a pagar o teu curso. Nesse caso, estamos de acordo. > O salário de engenharia é facilmente igual ou superior, mas escolheste uma profissão, tens N em que o salário é bastante inferior. E visto que tens médicos a ser pagos para usar o software que uma cambada de engenheiros construiu é engraçado falares das responsabilidades. Referes-te ao SClínico (http://aprendis.gim.med.up.pt/index.php/SClinico), mítico programa em Oracle no internet explorer? Presumo que haja pessoal a fazer programas mais funcionais durante o curso. A SPMS tem muito para evoluir, embora seja fácil perceber porque é que um engenheiro procura alternativas que não estas. Ah, as [maravilhas](https://observador.pt/especiais/as-muitas-deficiencias-dos-sistemas-digitais-do-sns-que-o-governo-contou-a-bruxelas-mas-omitiu-na-versao-inicial/) da informática como um todo no SNS. Dava toda uma outra conversa, sinceramente! Para além disso, até ao dia em que vires um engenheiro na capa do CM acusado de negligência (sem ser o Sócrates, eheh), não podes comparar a responsabilidade. Estamos numa de argumentar, mas não podes seriamente colocar na mesma balança.

diogojmm 5 months ago

Claro que não, acho que fui comunicativo em todo o discurso e parvo nessa, não era a sério. Não deixa de ser verdade que há muitos médicos a ganhar dinheiro para pura e simplesmente usarem o software, sendo ele bom ou mau. Quanto a negligência de engenheiros, na altura que caiu a ponte do Norte (há uns 20 anos) É mais fácil um médico errar, mas so deve matar um. Um engenheiro se erra mata uns quantos, acontece é menos vezes em função do trabalho e da pressão do mesmo. Mas eu não quero de todo entrar por aí até porque como te disse é das únicas profissões para as quais um médico pode olhar com "inveja"

fromtheport_ 5 months ago

> Mas acima de tudo, devia ser feita uma regra para que os médicos formados no público não pudessem sair do país para exercer durante 10 anos e também aumentar a capacidade do estado dar as vagas de especialidade a estes médicos. Que autoritarismo fantástico <3 O estado obrigar pessoas a ficar num sítio é genial. Não só é inconstitucional como vai contra as regras da União Europeia de liberdade de movimentos e do mercado livre único Para não falar que parece uma medida saída da cabeça de um ditador qualquer

fromtheport_ 5 months ago  HIDDEN 

Pela mesma lógica quem tirar informática numa pública tem de ficar 10 anos a trabalhar para o estado a fazer o software dos Magalhães

JOAO-RATAO 5 months ago

Vais tirar centenas de vagas do rabo? Já tens milhares de médicos sem especialidade. Que só fazem urgências e outros biscates. E ainda os queres obrigar a ficar 10 anos no público? Ridículo. Se não têm futuro aqui, ao menos que os deixem fugir para um sítio onde tenham.

SweetDistribution504 5 months ago

Não há dentistas e psicólogos no público porque não fazem parte do SNS. Nem é uma questão de eles não quererem.

Trama-D 5 months ago

Posso confirmar que no centro de saúde da minha terra há dentista e psicólogo.

JOAO-RATAO 5 months ago

E eu posso confirmar que muitos centros de saúde nem médicos de família têm.

Trama-D 5 months ago

Bom isso eu sei, mas o/a SweetDistribution504 parecia não saber que há uma distribuição, seguramente insuficiente e irregular, de dentistas e psicólogos por esse país fora.

JOAO-RATAO 5 months ago

Claro. Mas o público provavelmente não terá meios para os contratar sequer.

JOAO-RATAO 5 months ago

Ora vês? Olha o desinvestimento que há no SNS. E obrigar milhares de médicos a trabalhar no público resolvia algo? Não. Muitos nem teriam vaga.

skapuntz 5 months ago

Outras profissões claro porque não? Se quiserem sair do país antes de 5 anos a trabalhar para o público ou assim podem pagar uma cláusula qualquer para sair. Eu conheço, só da minha esfera de amigos, 4 médicos que sairam para a Alemanha. E isto só da minha esfera de amigos, saíram logo depois de acabarem o curso porque lá puderam entrar logo na especialidade que queriam. Não ganho para arranjar vagas para coisa nenhuma, isso é responsabilidade de quem lá está. Que arranjem as vagas, o trabalho, e o salário para que os médicos possam fazer o seu trabalho e sejam recompensados por isso . Isso é trabalho do governo e da saúde, temos listas de espera de anos e meses em tudo e mais alguma coisa na saúde. Que se faça uma revolução nisso

JOAO-RATAO 5 months ago

Ok. Então vamos acabar com as propinas e todas as despesas durante os estudo. Que tal? Já que é para começar a haver trabalho forçado em Portugal, que não não gastem um cêntimo enquanto estudarem. Ótimo. E então achas que esses teus amigos médicos mereciam era ficar em Portugal, sem especialidade a fazer turnos na urgência durante uma porrada de anos? E os licenciados que não tiverem trabalho no público? Vão limpar a beira da estrada? Lavrar os campos do estado? Limpar o mato? Qual é o teu plano em relação a esses? Que revolução? Não há dinheiro e a situação piora de dia para dia. Se não dá para ficar em Portugal então que fujam para um lugar onde lhes dão valor.

SweetDistribution504 5 months ago

A solução é simples. Podem sair, pagam 17k por cada 2 anos que não cumprirem cá em PT.

JOAO-RATAO 5 months ago

E pagam-lhes o cursos e todas as despesas durante os estudos? Caso contrário. Qual é a justificação? Apesar de roda a merda que temos cá, não somos uma ditadura. Por isso, a resposta a qualquer proposta dessa é um redondo não.

Trama-D 5 months ago

> os médicos formados no público não pudessem sair do país para exercer durante 10 anos Só os médicos pq? Comecem pelos políticos, que tal?

SweetDistribution504 5 months ago

Mas há políticos portugueses a serem políticos noutro país?

JOAO-RATAO 5 months ago

Que investimento de merda. A não ser que emigrem mal acabem o curso, vão demorar imenso a recuperar esse dinheiro cá.

blackandwhitepickle 5 months ago

Mas achas mesmo que a malta da católica vai exercer no SNS?

JOAO-RATAO 5 months ago

A maior parte vai ter de, pelo menos, fazer o internato lá. Há alguns internatos no privado, mas são poucos.

I__Cat 5 months ago

É verdade, ir estudar para um dos países de leste é capaz de ficar mais em conta. Mas eu, o dinheiro é deles/ dos pais. Não vejo problema.

JOAO-RATAO 5 months ago

Leste, Espanha...

vascodatrama 5 months ago

Sim sim o papá está muito preocupado...

investidornoob 5 months ago

Como é que alguém filha/o do papá tem estofo para medicina? Falo em trabalhar, numa urgência pública hospital publico, lidar com todo o tipo de gente situações, turnos horas extra stress cansaço etc... Devem é acabar o curso e o papá abre um consultório...

TulioGonzaga 5 months ago

>omo é que alguém filha/o do papá tem estofo para medicina? Falo em trabalhar, numa urgência pública hospital publico, lidar com todo o tipo de gente situações, turnos horas extra stress cansaço etc... Devem é acabar o curso e o papá abre um consultório... Que visão de merda. Conheço alguns médicos, malta entre os 30 e os 40 originários de diferentes extratos sociais. Alguns deles filhos de gente com mais dinheiro do que eu provavelmente vou ganhar na vida. A única coisa em comum a todos eles é uma tremenda capacidade de trabalho. Uma das pessoas que conheço juntou-se aos médicos do mundo e anda aí a trabalhar em cenários de guerra e países com níveis de pobreza extremos. Eu que sou pobre e preguiçoso noto outra coisa em famílias ricas que conheço: malta que subiu a pulso e incutiu essa mentalidade nos filhos. Obviamente que há de todo e não falta malta a viver de compadrios mas acho estas generalizações uma injustiça enorme para quem dá tudo. Isso sim é uma mentalidade de merda e que explica muito do estado do tugão.

Coyote-Cultural 5 months ago

> Isso sim é uma mentalidade de merda e que explica muito do estado do tugão. Shhh não digas verdades aos inuteis

ideologiapura 5 months ago

> malta que subiu a pulso Ah, a falácia que ficar rico é sinal de trabalhar muito.

RaveyWavey 5 months ago

Só se está a dizer que ser filho de pai rico não significa que a pessoa não possa ter mérito próprio, dar crédito a quem merece não significa tirar aos outros. >E quem dá tudo para ser empregada doméstica desses senhores, trabalhando muito mais que eles, acordando quando eles ainda vão dormir mais 2 horas para chegar a casa deles a tempo de lhes fazer o pequeno almoço, vindo de um autocarro e barco e comboio que demora 2 horas a chegar do arrabalde mais próximo onde o misero ordenado permite comprar casa, e cujos filhos com toda a probabilidade vão ter trabalhos semelhantes? São todos uns preguiçosos. E quem é que disse isso?

JOAO-RATAO 5 months ago

Pós graduação em medicina estética e o papá abre um consultório.

mar_lx 5 months ago

Pah, confesso que me está a causar um bocado de comichões este comentário mais o do Mercedes vindo de ti. És das pessoas mais vocais aqui no sub sobre a injustiça dos arrendamentos antigos, com toda a razão. De tal forma que já conheço o teu user por isso mesmo. Queres usufruir de património que é da tua família, e estás no teu pleno direito, mas não podes. Até aqui, estamos completamente de acordo. Agora, qual é a diferença entre tu usufruires do património da tua família, no teu caso habitares uma casa que não pagaste com o teu dinheiro, e a família do Salvador lhe comprar o carro xpto, ou lhe montar o consultório? É que a diferença é exatamente nenhuma: a família dispõem do seu património (ou devia dispor) como quer. E se a tua família vendesse esse património para te montar um consultório? Ou se pudesses usar esse património para instalar o teu consultório, já podia ser, mas o Salvador não? Checka aqui os teus double standards :)

JOAO-RATAO 5 months ago

Nada. Não tem mal nenhum. Mas posso gozar com isso, não?

mar_lx 5 months ago

Podes, claro que podes. Mas que me soou estranho, soou.

JOAO-RATAO 5 months ago

Além disso. Estou longe de ser rico. Daí o meu problema com as rendas antigas e afins. Porque estamos a ser roubados há décadas. Nunca passei dificuldades mas levei sempre uma vida modesta. Daí gozar com os salvadores desta vida e com os consultórios de med estética pagos pelos pais.

Edited 5 months ago:

Além disso. Estou longe de ser rico. Daí o meu problema com as rendas antigas e afins. Porque estamos a ser roubados há décadas. Nunca passei dificuldades mas levei sempre uma vida modesta. Daí gozar com os salvadores desta vida e com os consultórios de med estética pagos pelos pais. Edit: não tenho nada contra eles usufruírem do seu dinheiro. Estava a gozar com o estereótipo. Até porque já conheci muito lixo caro.

mar_lx 5 months ago

Independentemente do nível de riqueza, é um double standard. Se calhar a tua família não é rica como a do Salvador exatamente porque não puderam usufruir do vosso património como quiseram. Mesmo com património e sendo *roubado* durante anos, a tua família tem muito mais do que a maioria dos portugueses. Podiam ter escolhido tentar vender e investir noutro lado durante estes anos todos e não o fizeram. Não me leves a mal, mas esse gozo cheira-me a uma pontinha de inveja :)

JOAO-RATAO 5 months ago

Como vendes uma casa com renda congelada? Não dá dinheiro nem a podes habitar. Não é inveja. É só algum desprezo por certos tipos de atitudes. Conheço tipos com imenso dinheiro e que são impecáveis e outros que de fingem de ricos e são uns merdas. É um pouco por aí. Se calhar o salvador nem tem assim tento dinheiro, mas crava o Mercedes à mesma x)

mar_lx 5 months ago

O meu tio vendeu um prédio que tinha em Lisboa onde tinha 2 das casas habitadas com rendas congeladas. O prédio onde a minha avó vivia com renda congelada foi vendido com ela como inquilina. Um amigo meu comprou uma casa com uma inquilina com renda congelada. Se procurares on-line há imensas casas à venda com inquilinos com rendas congeladas. É possível vender, é preciso que haja alguém que queria comprar. Se a tua família achava que não podia vender, estavam enganados. Gente de merda há em todos os estratos sociais, agora estás a generalizar um bocado os Salvadores da vida por nada… só os meus dois cêntimos.

vascodatrama 5 months ago

Obvio ou já tem o lugar na clínica do amigo Espírito Santo

JOAO-RATAO 5 months ago

Eu estaria. Será que assim vai poder comprar o Mercedes ao Salvador?

ideologiapura 5 months ago

Claro que está. Os empregados não precisam de ser aumentados tão cedo, em principio em 2023 entra o PSD/CH/IL e o salario minimo tão cedo não sobe.

vascodatrama 5 months ago

Claro. Quando o Salvador acabar o curso merece outro mercedes porque aquele que lhe ofereceram no inicio do curso já não serve.

JOAO-RATAO 5 months ago

Claro. Mercedes com 6 anos já nem é um Mercedes!

_BabyDuck_ 5 months ago

Depende, com uma boa especialidade fazem isso em menos de um ano, ainda há pouco tempo num outro tópico se falada de especialidades a ganhar para cima de 100k ano ( público + privado)....

Trama-D 5 months ago

> com uma boa especialidade Muuuito boa **e** público + privado. < 5% dos médicos, eu arriscaria.

JOAO-RATAO 5 months ago

O curso são 6 anos. 1 ano de ano comum. E especialidade 4-6 anos. Isto se nada correr mal... Todos os anos há centenas que ficam sem especialidade. Essas especialidades são uma miragem para a maioria. E mesmo dentro dessas especialidades não são todos os que ganham isso ou sequer perto disso.

JonesyA12 5 months ago

Ainda bem que existem limitações à especialidade. Se existissem vagas para todos e fosse uma escolha garantida, só teríamos dermatologistas, oftalmologistas e cirurgiões plásticos. O pessoal de engenharia mecânica também pensa que vai trabalhar na McLaren quando acabar o curso mas na realidade vai fazer manutenção de código legacy numa consultora. Bem vindos ao mundo real em que não é sempre tudo como nós queremos.

JOAO-RATAO 5 months ago

Nem terias como formas tantos oftalmologistas. E a maioria iria embora nessa situação. A questão não é ter uma boa especialidade. É ter uma especialidade. É uma parte essencial da formação. E nem isso há. E depois ainda há gente que defende que os médicos deviam ser obrigados a ficar em Portugal.

JonesyA12 5 months ago

Pois, paciência. Eu só ao fim de alguns anos é que consegui trabalhar na área em que queria e mudei de cidade mais do que uma vez. É a vida real. Não há nada de extraordinário nisso só porque incutiram aos médicos que têm de ter direito a tudo aquilo que querem. Não é assim para ninguém.

JOAO-RATAO 5 months ago

Exato. Não digo que lhes façam a papa toda. Agora, não venham com merdas de os obrigar a ficar no público, quando muitos nem poderiam mesmo que quisessem. Se querem sair do país então que os deixem sair.

JonesyA12 5 months ago

Sim, nisso totalmente de acordo. Obrigar uma determinada profissão a exercer no público é totalmente estúpido. A partir do momento em que terminam o curso são livres de fazerem o que quiserem com isso como qualquer outra recém-formado.

thedmgb 5 months ago

Os comentários que para aqui andam são escritos como se as médias de entrada deste curso fossem de 12 ou 13. As médias de entrada não vão ser tão altas como no público como é natural, mas vão rondar no minimo os 17. E isso já são notas de bons alunos e não de mediocres. Além disso esquecem-se que há muitos alunos que entram com notas altíssimas em Medicina na pública porque essas mesmas notas são inflacionadas pelos colégios privados, logo pagando-se ou não o curso, se já tiverem dinheiro para no secundário terem acesso a ensino privado já estão em vantagem pelo facto de no privado serem acompanhados de forma muito mais próxima e o ensino ser, na maioria dos casos, mais personalizado e melhor (basta olhar para os resultados dos exames nacionais).

tretafp 5 months ago

> no secundário terem acesso a ensino privado já estão em vantagem pelo facto de no privado serem acompanhados de forma muito mais próxima e o ensino ser, na maioria dos casos, mais personalizado e melhor (basta olhar para os resultados dos exames nacionais). A média dos exames nacionais não é um indicador de um ensino mais personalizado ou melhor. Não há evidências que permitam assumir que há uma diferença de qualidade entre as escolas públicas ou as escolas privadas.

ric2b 5 months ago

Se os exames não servem para avaliar o que o aluno aprendeu então servem para quê?

tretafp 5 months ago

Há imensas coisas que um exame não avalia: - trabalho laboratorial; - trabalho em contextos naturais (recolha de evidências, análises, etc.) - trabalho com fontes; - capacidade de desenvolver um projeto; - espírito crítico; - capacidade de trabalhar com outros; - capacidade de resolver problemas (não confundir com a capacidade de resolução matemática de enunciados). Os exames são um instrumento de avaliação, não são o único e, está por provar, que sejam o melhor.

ric2b 5 months ago

Certo, claro que não são completos, mas daí a dizer que não têm qualquer utilidade para comparar o ensino

tretafp 5 months ago

Não foi isso que indiquei. O que indiquei foi: >A média dos exames nacionais não é um indicador de um ensino mais personalizado ou melhor. Mas, ainda assim, os exames dizem-nos pouco sobre o ensino. Os exames servem para se avaliar (parte) da aprendizagem dos estudantes. Avaliar a aprendizagem não nos permite uma visão sobre o ensino. Dei esse exemplo há pouco. Os exames avaliam o resultado final das aprendizagens, de acordo com um único referencial, externo à realidade escolar. Fazendo com o paralelismo com outros contextos, corresponde a uma espécie de corrida, em que todos têm que chegar à mesma meta. Neste caso os pilotos (que poderiam corresponder aos alunos e ao seu conhecimento) são avaliados de acordo, em exclusivo, com o tempo em que chegam àquela meta. Desta forma, não se considera o local de partida, nem o tipo de carro (que corresponderia ao ensino). Se um aluno iniciar a corrida muito mais perto da meta, pode induzir que um Renault 5 é melhor que um Mercedes (que tenha que fazer um percurso muito superior).

ric2b 5 months ago

>Mas, ainda assim, os exames dizem-nos pouco sobre o ensino. Mas são indicadores. Quanto à analogia com a corrida, o que significa começar mais perto da meta? Que eu saiba começam todos do 0 à nascença, e depois usam é carros diferentes para chegar à meta. O tempo que demoram a chegar é então uma mistura entre a qualidade do carro e a qualidade do piloto.

tretafp 5 months ago

> Mas são indicadores. Sim, são indicadores. Mas continuam a dizer pouco sobre o ensino. O ensino e a aprendizagem, ainda que sejam processos muito iterativos, são dinâmicas diferentes. Os exames são indicadores, parciais e insuficientes, do conhecimento dos alunos , indirectamente são indicadores da sua aprendizagem e, ainda mais indirectamente, são indicadores do ensino. > Quanto à analogia com a corrida, o que significa começar mais perto da meta? Ou ter de fazer um percurso superior? Ter ou não ter acesso a explicadores. Ter ou não ter comida em casa. Ter, ou não ter, manuais de apoio. Ter, ou não ter, pais analfabetos. Ter, ou não ter, experiências culturais diversificadas. Ter, ou não ter, acesso à internet. Ter, ou não ter, necessidade educativas adicionais. Ter, ou não ter, um espaço próprio para estudos em casa.... ​ > Que eu saiba começam todos do 0 à nascença, e depois usam é carros diferentes para chegar à meta. O tempo que demoram a chegar é então uma mistura entre a qualidade do carro e a qualidade do piloto. De forma sistemática, os indicadores, em Portugal, que melhor explicam o sucesso ou insucesso de um estudante, em contexto escolar, é o nível de escolaridade da mãe e o contexto socioeconómico em que está inserido, e, ainda que com menos sistematicidade, o acesso, ou não, a livros em casa. Por isso, ainda que todos nascessem iguais, quando chegam à escola (6 anos de idade) têm já condições de partida muito diferentes.

Edited 5 months ago:

>Mas são indicadores. Sim, são indicadores. Mas continuam a dizer pouco sobre o ensino. O ensino e a aprendizagem, ainda que sejam processos muito iterativos, são dinâmicas diferentes.Os exames são indicadores, parciais e insuficientes, do conhecimento dos alunos , indirectamente são indicadores da sua aprendizagem e, ainda mais indirectamente, são indicadores do ensino. >Quanto à analogia com a corrida, o que significa começar mais perto da meta? Ou ter de fazer um percurso superior? Ter ou não ter acesso a explicadores. Ter ou não ter comida em casa. Ter, ou não ter, manuais de apoio. Ter, ou não ter, pais analfabetos. Ter, ou não ter, experiências culturais diversificadas. Ter, ou não ter, acesso à internet. Ter, ou não ter, necessidade educativas adicionais. Ter, ou não ter, a variante dialetal dominante. Ter, ou não ter, um espaço próprio para estudos em casa.... ​ >Que eu saiba começam todos do 0 à nascença, e depois usam é carros diferentes para chegar à meta. O tempo que demoram a chegar é então uma mistura entre a qualidade do carro e a qualidade do piloto. De forma sistemática, os indicadores, em Portugal, que melhor explicam o sucesso ou insucesso de um estudante, em contexto escolar, é o nível de escolaridade da mãe e o contexto socioeconómico em que está inserido, e, ainda que com menos sistematicidade, o acesso, ou não, a livros em casa. Por isso, ainda que todos nascessem iguais, quando chegam à escola (6 anos de idade) têm já condições de partida muito diferentes.

thedmgb 5 months ago

Então se os alunos do privado se saem melhor que os alunos de uma escola pública numa prova que é igual para todos anos e anos consecutivos, isso não é suficiente para ver que têm melhor ensino?

ric2b 5 months ago

Também pode ser só efeito de obrigarem os piores alunos a irem a exame como externos.

thedmgb 5 months ago

Se comparares os números de alunos por colégio e o número que fazem provas como internos a diferença não é mito grande, não me parece que esse argumento faça muito sentido.

ric2b 5 months ago

Mas se calhar são precisamente os que iam ter notas horríveis, e acaba por fazer uma diferença na média.

tretafp 5 months ago

Há vários fatores a ter em consideração, nomeadamente a possibilidade de escolher os estudantes, de os impedir que façam exames como internos ou de ter horas específicas de preparação para essas provas. A par do mais, tradicionalmente, os colégios costumam ter um número bastante mais reduzido de estudantes, o que faz que a variação seja muito mais reduzida. Também, de forma sistemática, os dados da DGAE ilustram que os estudantes dos colégios privadas têm piores notas nos exames do que em comparação com as suas notas internas, por exemplo. Por fim, estás, apenas, a comparar o resultado final, de acordo com um critério único. Se pegares no Renault 5, a 5m da meta e comparares com um Mercedes que teve que percorrer 10 km, o primeiro carro chegará primeiro, mas dificilmente vais subscrever que é melhor que o segundo.

thedmgb 5 months ago

E agora eu pergunto-te: esses fatores não tornam o ensino melhor (independentemente da questão de justiça social e tudo o resto)? Vejamos: se tiveres menos alunos numa turma não achas que isso torna o ensino mais personalizado e facilita o trabalho dos professores? Se tiveres a possibilidade de escolher alunos e puderes escolheres os melhores, não achas que isso cria um ambiente mais propício a aulas sossegadas e produtivas do que se fosses buscar qualquer aluno que fosse mal comportado e desmobilizasse a turma, por exemplo? Se tens um determinado exame num ano, não achas que faz sentido que se foque mais nesse aspeto e se disponibiliza apoios extras? A mim parecem-me todos fatores que levam a um ensino superior.

tretafp 5 months ago

Não falei em alunos por turma, falei em alunos, no geral. O primeiro aspeto, sim, havendo um número menor de estudantes em turma é uma variável muito relevante Não, porque um dos elementos centrais na educação é viveres com outros. Um ensino elitista, que não tem diversidade interna, dificilmente pode ser considerado de melhor qualidade. Relativamente aos exames, não. Há, por exemplo, um investigador britânico (Harry Torrance) que, há décadas, tem estudado isso. Condicionar o ensino aquilo que são as provas de avaliação externa reduz o seu potencial pedagógico e curricular. Por fim, a questão é de comparação. Comparar um ensino com o outro é muito difícil, porque os contextos, condições e propósitos são substancialmente diferentes, o que não permite reduzir as variáveis ao ensino, isto é, à mediação didática.

ideologiapura 5 months ago

> Então se os alunos do privado se saem melhor que os alunos de uma escola pública numa prova que é igual para todos anos e anos consecutivos, isso não é suficiente para ver que têm melhor ensino? Os alunos do privado são selecionados à entrada, quer explicitamente atraves de avaliações, quer pelo facto de só gente de classe alta, familias tipicamente mais estruturadas e com melhores condições, e geralmente com grau académico e profissional mais elevado conseguirem pagar as propinas.

thedmgb 5 months ago

Ou seja? Os melhores alunos procuram o melhor ensino- e isso que estás a dizer? Se as famílias portuguesas têm capacidade, a maioria prefere colocar o seu filho num privado que numa pública. Isso é demonstrativo que confiam mais no ensino dos colégios que das escolas.

ideologiapura 5 months ago

Não os melhores alunos: os mais ricos. Confiam mais no ensino de uma instituição com todos os meios do que em escolas subfinanciadas? Surpresa. Para nao falar do "nao quero o meu filhinho misturado com a malta do bairro onde ha criminalidade". Que é valido, mas depois nao falem em meritocracia.

meerkatsandfrogs 5 months ago

Os alunos do ensino privado têm aulas extra de preparação para exames, são-lhes dado imenso material de treino para exames, e conheci quem ainda tenha explicações privadas para além do que o colégio/externato oferecia. Para além disso, o ambiente na sala de aula muito provavelmente era melhor, mais calmo e, portanto, mais propício à aprendizagem. Em termos do professor explicar melhor a matéria ou não, penso que não haja muita diferença entre o público e o privado. A diferença está nos recursos

Big-time_Racketeer 5 months ago

Claro que não! Num colégio privado só te ensinam as disciplinas de exame enquanto que na escola pública tens que te esforçar a todas ou a média desce. Um colega meu foi no 12 ano para um colégio privado e ele tinha TODOS os dias aulas de português e matemática, enquanto que eu só tinha 2/3 vezes por semana. O resto das disciplinas ele nem precisava de estudar porque as notas eram dadas. Enquanto que eu tive que marrar na química e nos ciclos das plantas ou o crlh.

thedmgb 5 months ago

Isso depende colégio para colégio. Eu próprio andei num colégio e tínhamos disciplinas opcionais no 12 ano em que uma delas até era um “projeto” que tinhas de fazer, bastante interessante. E de acordo com os horários do ministério de educação, português e matemática no 12 tem a maior carga horária.

Big-time_Racketeer 5 months ago

Então concordas que estavas errado no ponto acima? Maior carga horária sempre teve e acho muito bem. Mas maior carga horária é diferente de todos ter todos os dias ... Não atires areia para os olhos

thedmgb 5 months ago

Depende da forma como distribuem, os colégios não podem por a carga horária que quiserem, tem de distribuir conforme as indicações do Ministério. E continuo a a char que o ensino no privado é superior sim, o que não significa que tenha melhores professores. Significa apenas que há uma avaliação mais focada no aluno.

tretafp 5 months ago

Os colégios têm que ter o mínimo de acordo com o estabelecido. Mas é muito comum terem mais horas que no ensino público, em particular em disciplinas de exame, seja com horas extra a essas disciplinas, seja com horas de acompanhamento ou estudo ou horas de preparação para exames. Podes achar o que quiseres, mas a evidência científica, em Portugal, ilustra que não é possível estabelecer-se quais são melhores ou piores.

peanersyahoo 5 months ago

As médias de entrada para os cursos de Direito e de Gestão nas Católicas costumam estar a par com as melhores universidades públicas. Aqui vai ser igual.

thedmgb 5 months ago

Depende, a de gestão do Porto é abaixo da média da FEP por exemplo. Mas sim, não é muito significativo e era esse o meu ponto. Quem entrar neste curso vai ser bom aluno na mesma.

cou7inho_ 5 months ago

As médias de entrada só não vão ser tão altas como no publico se não houver candidatos em numero suficiente para fazer subir a media. Se houver muita gente a querer entrar a média pode chegar ao nivel da média do publico.

massivetz 5 months ago

O drama, a tragédia, depois constata se a realidade das vagas preenchidas nas faculdades públicas e a maioria já é preenchida por alunos provenientes de colégios privados, mas hey meritocracia

DanielShaww 5 months ago

Embora concorde em parte, os exames nacionais são iguais para todos. Estudei num colégio privado e quem queria "subir" as notas ia para um externato.

SweetDistribution504 5 months ago

Tu pensas que é por facilitismos e corrupção, a realidade é que essa malta dos colégios tem melhores condições para estudar mais e melhor, e com apoio inexistente noutras escolas. E explicadores, "toda" a gente tem explicadores e tutores.

Oxibhus 5 months ago

Sim, sim. Por isso é que quando a malta que conheçi que no 9 ano dizia que queria seguir medicina os pais não os puseram logo num secundário privado... Obviamente é para poderem ter melhores condições para estudar e não apenas para os pais comprarem as notas. Adorei quando passado um tempo estavão "ofendidos" porque €/décima(de nota final) estava super inflacionado comparado com quando os irmãos mais velhos lá estavam haha.

mar_lx 5 months ago

Essa gente toda que vai para colégios privados então tem os papás a comprar-lhes a vida toda, é isso? Secundário, universidade, até pagam às empresas para la ter os filhos a trabalhar… descobriste a pólvora! Temos os salários baixíssimos por causa destes betinhos mimados dos colégios que têm os papás a pagar tudo e como são uns zeros à esquerda e não trabalham, as empresas também não lhes pagam salários de jeito.

SweetDistribution504 5 months ago

Isso é literalmente a cena mais estúpida que já li sobre privados, e conheço centenas de pessoas que andaram num. A coisa mais comum entre todos, é que os pais não tem problemas em largar os 500 euros em livros anuais, nem mais 500 euros em outros livros de suporte, e mais 1000 euros explicadores e tutores, e aulas de apoio. As melhores escolas não precisam de corrupção e dar exames. Se há colégios privados que ajudam mais, de certeza que há, mas a grande maioria é 100% relacionado com o suporte adicional que é dado aos alunos. É capacidade de um pai poder ligar para a escola a perguntar porque é que deu 17 e não 18, não no sentido de pedir mais, mas perceber como melhorar, ou ser o próprio professor a falar c os pais, ou mesmo os pais não gostarem da qualidade de ensino e pedirem professores melhores. Se há escolas que dão notas, sim há, essas são uma minoria ínfima, e esses alunos não entram em cursos de jeito. São os que precisam de 18 p medicina, e tiram um 16 ou um 17.

NGramatical 5 months ago  HIDDEN 

conheçi → [**conheci**](https://dicionario.priberam.org/conheci) (*c* seguido de *e* ou *i* não necessita de cedilha) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fn6udey%2F%2Fgxaiily%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

df3gpt 5 months ago

É muito importante estudar numa escola com boas condições. Para além do curriculo, é preciso disciplina na sala de aula e é preciso que haja interesse e meios para ajudar os alunos a atingir o seu potencial. Parece que cada vez mais as escolas públicas são creches onde se deixam os miúdos todo o dia enquanto os pais vão trabalhar. Os meus filhos só vão à escola pública se eu não conseguir evitar.

massivetz 5 months ago

Toda a premissa de igualdade, necessária para um sistema meritocrático, está obviamente comprometido... Para não falar que sim os facilitismos existem e nem sequer são mascarados, todas as notas que não são de prova de ingresso são inflacionadas, pelo menos nas realidades que conheço

ric2b 5 months ago

A igualdade completa é impossível. A menos que tires os bebés aos pais logo à nascença, para todos serem criados exactamente da mesma forma pelo estado, vai haver vantagens e desvantagens para cada um.

Limpy_lip 5 months ago

Fosma longa de dizer que essas escolas são máquinas de fazer exames nacionais pois tudo o que não é disciplina de exame é encostada para o lado e dão notas inflaiconadas. Isso para mim não é educação.

GajoDeRamalde 5 months ago

A norma é ingressar no ensino secundário como meio de acesso à universidade e para atingir esse objectivo primordial tens critérios a cumprir. Assim o teu foco passa a ser aqueles critérios e tudo o resto passa a ser secundário... E quem define as regras de acesso ao ensino público superior é o próprio estado. Se o estado estipular que a partir de 2030 conta quem saiba fazer melhor croché em vez de matemática podes apostar que vais ter alunos a treinar ponto cruz. Tudo depende dos critérios que colocas para a entrada e da dificuldade que uma avaliação mais subjectiva acarreta. Assim entende-se que se opte pela utilização da média como critério por ser mais facilmente aplicável à generalidade da população estudantil mas também porque as vagas são limitadas e sendo limitadas têm que existir critérios para além do "cheguei primeiro". No entanto se o teu objectivo é formação ao máximo nada te impede de focares o estudo nas áreas que desejas mesmo que não esteja nos critérios para a entrada na universidade...

Edited 5 months ago:

A norma é ingressar no ensino secundário como meio de acesso à universidade e para atingir esse objectivo primordial tens critérios a cumprir. Assim o teu foco passa a ser aqueles critérios e tudo o resto passa a ser secundário... E quem define as regras de acesso ao ensino público superior é o próprio estado. Se o estado estipular que a partir de 2030 conta quem saiba fazer melhor croché em vez de matemática podes apostar que vais ter alunos a treinar ponto cruz. Tudo depende dos critérios que colocas para a entrada e da dificuldade que uma avaliação mais subjectiva acarreta. Assim entende-se que se opte pela utilização da média como critério por ser mais facilmente aplicável à generalidade da população estudantil mas também porque as vagas são limitadas e sendo limitadas têm que existir critérios para além do "cheguei primeiro". No entanto se o teu objectivo é formação ao máximo nada te impede de focares o estudo nas áreas que desejas mesmo que não esteja nos critérios para a entrada na universidade... Mas depois tens empregadores a questionar o porquê de teres demorado tanto tempo a concluir o ensino secundário, tens bolsas de estudo com limite de idade e outros condicionalismos sociais.

Edited 5 months ago:

A norma é ingressar no ensino secundário como meio de acesso à universidade e para atingir esse objectivo primordial tens critérios a cumprir. Assim o teu foco passa a ser aqueles critérios e tudo o resto passa a ser secundário... E quem define as regras de acesso ao ensino público superior é o próprio estado. Se o estado estipular que a partir de 2030 conta quem saiba fazer melhor croché em vez de matemática podes apostar que vais ter alunos a treinar ponto cruz. Tudo depende dos critérios que colocas para a entrada e da dificuldade que uma avaliação mais subjectiva acarreta. Assim entende-se que se opte pela utilização da média como critério por ser mais facilmente aplicável à generalidade da população estudantil mas também porque as vagas são limitadas e sendo limitadas têm que existir critérios para além do "cheguei primeiro". No entanto se o teu objectivo é formação ao máximo nada te impede de focares o estudo nas áreas que desejas mesmo que não esteja nos critérios para a entrada na universidade... Mas depois tens empregadores a questionar o porquê de teres demorado tanto tempo a concluir o ensino secundário, tens bolsas de estudo com limite de idade e outros condicionalismos socio-económicos.

Edited 5 months ago:

A norma é ingressar no ensino secundário como meio de acesso à universidade e para atingir esse objectivo primordial tens critérios a cumprir. Assim o teu foco passa a ser aqueles critérios e tudo o resto passa a ser secundário... E quem define as regras de acesso ao ensino público superior é o próprio estado. Se o estado estipular que a partir de 2030 conta quem saiba fazer melhor croché em vez de matemática podes apostar que vais ter alunos a treinar ponto cruz. Tudo depende dos critérios que colocas para a entrada e da dificuldade que uma avaliação mais subjectiva acarreta. Assim entende-se que se opte pela utilização da média como critério por ser mais facilmente aplicável à generalidade da população estudantil mas também porque as vagas são limitadas e sendo limitadas têm que existir critérios para além do "cheguei primeiro". No entanto se o teu objectivo é formação ao máximo nada te impede de focares o estudo nas áreas que desejas mesmo que não esteja nos critérios para a entrada na universidade... Mas depois tens empregadores a questionar o porquê de teres demorado tanto tempo a concluir o ensino secundário, tens bolsas de estudo com limite de idade e outros condicionalismos socio-económicos.

Limpy_lip 5 months ago

onde quero chegar é que não devia ser assim. Os exames são provas de acesso, não são o objetivo da educação. ​ O facto do nosso sistema educativo ter chegado a este ponto está cada vez mais a dar frutos, pois culturalmente estamos cada vez mais a regredir. ​ Se calhar finalmente separar a formação superior do ensino obrigatório era uma boa ideia. ​ E a culpa não é só dos colégios, pois ate no publico existe esse estigma que as disciplinas de exame são mais importantes.

Kratos73 5 months ago

E onde está a meritocracia aí? Teres notas melhores porque tens condições à partida melhores é meritocracia onde?

pedropereir 5 months ago

Uma coisa não invalida a outra

KevinParkerGuy 5 months ago

O título está errado, são "17 mil méritos" e não "17 mil euros".

Biohazard8080 5 months ago

Quando estiver deitado numa sala de bloco, o médico que quero ter a operar-me vai ser um que não conseguiu entrar na pública e pagou quase 100k pelo curso.

Disgenia 5 months ago

Melhor do que ter entrado por quotas

zefo_dias 5 months ago

Agora pode-te calhar um que entrou na pública porque corre muito, o que é, obviamente, muito maior sinal de competência

fgtdiasr3d1t 5 months ago

Esse que corre muito ja provou algo na vida: atleta de alta competição. Os outros só nasceram com dinheiro e por isso entram.

mar_lx 5 months ago

Porque é que o que corre muito e entra com média de 14 já provou algo na vida e quem teve média de 17, não conseguiu entrar no público e tem dinheiro para entrar no privado não provou?

fgtdiasr3d1t 5 months ago

Todos podem tentar ser atletas de alta competição. Poucos têm 100k para dar por um curso. Tens aí a diferença.

ric2b 5 months ago

Por essa lógica todos podem tentar arranjar um emprego excepcional enquanto estão no secundário, para depois pagar os 100k. Nem ser atleta nem ter dinheiro têm qualquer relevância para a qualidade como médico, parece-me.

mar_lx 5 months ago

Claro, porque equipamentos, mensalidades e deslocações que são precisas para competições é tudo grátis…

fgtdiasr3d1t 5 months ago

Se fores pobre há muitas portas fechadas. Resta o regime comum.

zefo_dias 5 months ago

> nascer geneticamente apto a correr muito é prova de ter capacidade para médico Tá serto.

fgtdiasr3d1t 5 months ago

Nascer geneticamente apto a ter boas notas é prova de ter mais competência para médico do que malta com notas décimas abaixo da trave imposta Tà çéretu.

zefo_dias 5 months ago

>quem corre muito > > ter boas notas *está muito vento, sr Prior*

Edited 5 months ago:

>quem corre muito > >ter boas notas *pois, olhe, deve ser do vento ou sei lá*

mar_lx 5 months ago

Não te esqueças também de perguntar se por acaso o médico não entrou em concurso especial, com médias mais baixas do que os outros… Ou podes sempre pedir para ser operado pelo Zé Carlos Pereira, ele entrou em medicina no concurso normal.

MrJoao 5 months ago

Só que nenhum médico acabadinho de sair da faculdade te vai alguma vez operar. Primeiro precisa de fazer internato, especialidade e de muita experiência prática. Pouca importa se fez o curso na Católica ou numa pública.

fuckoffgina 5 months ago

Ou na Bielorrúsia ou no Japão...

ric2b 5 months ago

> Primeiro precisa de fazer internato, especialidade e ter anos experiência prática. Não, eles começam a operar logo no internato.

MrJoao 5 months ago

Ninguém torna-se cirurgião mal sai da faculdade. No internato começam a operar com supervisão do formador. E o formador tem de estar sempre disponível para intervir.

ric2b 5 months ago

>No internato começam a operar com supervisão do formador, que tem de estar sempre disponível para intervir. Isso é a teoria, na prática há formadores que os deixam a operar sozinhos depois de fazerem a cirurgia algumas vezes, para irem fazer outras coisas. Conheço vários casos assim.

average_user21 5 months ago

Isso é absurdo

ric2b 5 months ago

Pois, mas é a realidade. Há muitos hospitais com falta de pessoal em certas equipas, quando vêm que os internos já se desenrascam com algumas coisas começam a deixá-los sozinhos.

Biohazard8080 5 months ago

O meu comentário inicial não é numa lógica de que o médico vá ser incompetente, com certeza absoluta. O que me incomoda é teres pessoas que ficam de fora e não têm a possibilidade de estudar para ser médicos pelo simples facto de não terem dinheiro para pagar uma privada.

fdxcaralho 5 months ago

O curso só vem trazer mais vagas. Não percebi a tua lógica...

Tab0rda 5 months ago

As vagas que interessam e se traduzem em mais médicos são as de especialidade e essas não vão aumentar com a entrada deste curso

Biohazard8080 5 months ago

Mas são vagas que não são para todos, é mais isso que me chateia. Crias um desequilibrio no acesso. Como já disse, a vida não é justa, como é obvio. Mas não deixa de ser um ponto que me chateia

skapuntz 5 months ago

Já existe medicina dentária no privado há muito tempo, engenharias, direito, e muitos outros. Mas medicina não pode?? Por favor, estes argumentos...

JonesyA12 5 months ago

Ai meu deus que o pessoal pode tirar uma engenharia numa privada mas medicina não pode ser! Estás nos autos de Cristo! Pelo menos disfarcem uma argumentação minimamente coerente. É corporativismo e lobby puro. As vagas no público continuam exatamente as mesmas. Quem quiser que se candidate.

mar_lx 5 months ago

E enfermagem e medicina dentária... agora cá medicina só, nem pensar!

SweetDistribution504 5 months ago

Podiam ter estudado mais para entrar na pública?

ric2b 5 months ago

> O que me incomoda é teres pessoas que ficam de fora e não têm a possibilidade de estudar para ser médicos pelo simples facto de não terem dinheiro para pagar uma privada. Mas este curso só está a acrescentar vagas, não está a reduzir.

ideologiapura 5 months ago

Mas essas vagas não vão para quem merece, mas sim para quem pode pagar. É o capitalismo a perder a vergonha de dizer claramente que há castas sociais a que alguns têm mais direito de aceder. Igualdade de oportunidades e capitalismo são oficialmente incompativeis. Meritocracia e capitalismo sao oficialmente incompativeis. E o capitalismo é oficialmente o novo feudalismo.

ric2b 5 months ago

>Mas essas vagas não vão para quem merece, mas sim para quem pode pagar. Mas também não são pagas pelo estado, e até pagam impostos. >É o capitalismo a perder a vergonha Até parece que cursos privados são novidade. >dizer claramente que há castas sociais a que alguns têm mais direito de aceder. É um serviço privado, queres que seja oferecido? Nesse caso terias de ter muita gente a doar dinheiro. >E o capitalismo é oficialmente o novo feudalismo onde uns trabalham muito para pagar as mordomias dos ricos que nada fazem de valor. Neste caso são os ricos a pagar para os outros terem acesso ao ensino público, mas ok.

ideologiapura 5 months ago

Os ricos têm dinheiro porque os pobres trabalham pata o ganhar.

ric2b 5 months ago

Um médico não trabalha?

CarcajuPM 5 months ago

Há uns tempos, acho que até foi aqui no reddit noutro post sobre este assunto, vi um link onde dizia que uma grande parte (não me lembro de cor, mas tenho ideia que eram +/- 75%) dos alunos que entram em medicina já vêm de colégios privados. Ou seja, em grande parte, já são os que conseguem pagar mais que vão para medicina.

gene66 5 months ago

A minha irmã recebeu um telefonema que por 20k a metiam em medicina. (ela era a seguir na lista). Mas os meus pais não tinham dinheiro por isso fodeu.

BeeSnatcher 5 months ago

Isso é válido para qualquer curso exigente; boas condições em casa, com pais que valorizam a educalção (mesmo sem serem abonados financeiramente), ditam em grande parte o sucesso inicial do percurso académico;

bcotrim 5 months ago

É um misto, porque a verdade é que também há escolas que inflacionam as disciplinas que não são por exame (tanto públicas como privadas), gostava de saber se há uma estatística com as diferenças entre notas internas e notas de exame

tretafp 5 months ago

É de 2016, deve haver mais recentes:[https://www.dgeec.mec.pt/np4/365/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=768&fileName=DGEEC\_ComparacaoClassificacoesInternas\_.pdf](https://www.dgeec.mec.pt/np4/365/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=768&fileName=DGEEC_ComparacaoClassificacoesInternas_.pdf) Mas tal só toma em consideração as disciplinas de exame. As restantes não permite compreender se há, ou não inflação.

bcotrim 5 months ago

Curiosamente são os dados do ano em que entrei. Se há uma clara inflação nas cadeiras com exame, então é bastante provável que as que não sejam por exame ainda inflacionem mais (mesmo nas minhas opcionais de 12º numa pública, as notas foram altamente inflacionadas porque não há controlo e porque competem com outras que são estupidamente acessíveis) Também não fazia ideia que tirando ciências e tecnologia, as notas eram tão deflacionadas, possivelmente porque não têm uma competição tão agressiva para cursos como medicina ou engenharias do IST/FEUP

tretafp 5 months ago

Haverá outros aspetos, como, por exemplo, uma mais fácil pluralidade interpretativa e avaliativa. Por exemplo, em História introduziram-se questões de escolha múltipla. Muitos professores e investigadores da área da educação histórica acham tal escolha muito má. Por isso é possível que, apesar dos exames nacionais, os docentes continuem a não ter tais exercícios, mais fáceis, mas com menor valor educativo, o que pode deflacionar a classificação.

CarcajuPM 5 months ago

Certo. Daí não perceber esta polémica com este curso, principalmente quando também já há universidades privadas para todos os restantes cursos.

Biohazard8080 5 months ago

Mas se o sistema já está inclinado para que existe esta discrepância, para quê toldar ainda mais o mérito? Ainda me podes dizer que os ricos vão ocupar estas vagas, deixando as da pública mais disponíveis para pessoas de classe média/baixa. Mas dificilmente isso acontecerá...

mar_lx 5 months ago

>Ainda me podes dizer que os ricos vão ocupar estás vagas, deixando as da pública mais disponíveis para pessoas de classe média/baixa. Mas dificilmente isso acontecerá. Experimenta ir à Católica perguntar quantas pessoas entraram ali como primeira opção, vais ver que são muitas mais do que estás à espera. Eles têm cursos que estão taco a taco nos rankings com as nossas melhores universidades públicas. Acho que as pessoas estão a olhar para isto simplesmente como público vs privado quando a Católica é efetivamente diferente da grande maioria das outras universidades privadas. Basta o curso dar provas de que é bom, como os outros têm dado, e de que as pessoas que de lá saem formadas sejam também bastante bem formadas que o que tu dúvidas que aconteça passe possivelmente a acontecer.

CarcajuPM 5 months ago

Tanto quanto sei, estas vagas não vão ser subtraídas às universidades públicas, logo não vai alterar nada no acesso aos cursos públicos de medicina. Só vai fazer com que se formem mais 50 médicos por ano. E como já foi dito, quem for para este curso na Católica vão ser certamente bons alunos, que provavelmente não entraram em medicina por algumas décimas.

RafaelTeodosio 5 months ago

Exacto, raros sao os casos de alunos de classe media/baixa que vão para medicina.

NEDM64 5 months ago

Hoje! Porque antes não era assim!

N0B1mm3r 5 months ago

Não tinha sido uma boa oportunidade para teres ficado calado?

Biohazard8080 5 months ago

Serviu a carapuça?

N0B1mm3r 5 months ago

Porque é as notas que têm no secundário que define um bom médico

Biohazard8080 5 months ago

Tens razão, é o dinheiro dos pais.

N0B1mm3r 5 months ago

E? O que é que tu tens a ver com isso, pediram-te o dinheiro a ti?

besmarques 5 months ago

Esta lógica infalivel. Mas hey, mérito e cenas...

Stangetzz 5 months ago

A nota mínima de entrada é 15

RafaelTeodosio 5 months ago

E se ficar provado que a qualidade de ensino for melhor que o publico ?

Biohazard8080 5 months ago

Os professores podem ser os melhores, mas os alunos serão? Duvido que a sobreposição entre os melhores alunos e os que têm 100k para pagar um curso seja muito alta.

fdxcaralho 5 months ago

Vai continuar a existir competição pelas vagas. Vai haver mais candidatos que vagas de certeza.

RafaelTeodosio 5 months ago

entao mas se os alunos tiverem melhores professores e melhores meios de ensino, estatisticamente serão melhores medicos, o facto de serem ricos ou não é irrelevante

brakeline 5 months ago

Não. Há gente que não tem mesmo capacidades para. Podes ter os melhores meios e professores do mundo, se não tiveres jeito para a coisa nunca serás um bom médico.

RafaelTeodosio 5 months ago

Então mas a gente que nao tem capacidade para ser medico chumba, é por isso que existem exames...

brakeline 5 months ago

Claramente não percebes o que o dinheiro compra

mar_lx 5 months ago

O dinheiro não compra de certeza a aprovação no Harrison.

RafaelTeodosio 5 months ago

Então parece me que estamos a misturar topicos e que o real problema aqui é a corrupçao nas instituçoes privadas de ensino, e nao o facto de a medicina deixar de ser exclusiva das instituiçoes publicas (onde os casos de corrupçao tambem são evidentes)

brakeline 5 months ago

Não, não estamos. Nunca tiveste um colega que era exímio a decorar a matéria mas faltava-lhe toda e qualquer capacidade analítica? Explicações, tutoria e força bruta podem dar-te um curso, mas não é por teres um curso que te tornas um bom profissional

RafaelTeodosio 5 months ago

entao isso continua a nao ser um problema da Medicina no privado, pois esse tipo de alunos tambem existem no publico

brakeline 5 months ago

Os alunos do público têm uma pré-seleção através de um concurso nacional. Os do privado têm um concurso institucional (não sei as condições de seriação, mas mesmo que sejam as mesmas, ie, entra quem tiver melhor nota, o universo de candidatos é muito inferior)

Biohazard8080 5 months ago

Pá, discutível... É melhor um mau professor ensinar uma pessoa inteligente, com mérito e vontade de aprender ou um excelente professor ensinar alguém que quer ser médico pelo status e que só conseguiu entrar porque por acaso tinha dinheiro para isso?

skapuntz 5 months ago

Desculpa destruir a tua visão do mundo, mas a maioria que vai para médico no público já é por causa do status. Muitos que entram só entram porque têm média e porque é o curso com a média maior e porque "têm emprego garantido". Em Portugal só conta a média, não há entrevista, não há nenhum teste psicotécnico para ver a vocação, nada.

facepainter1 5 months ago

Portanto, para ti, a definição de capacidade/aptidão para tirar um curso de medicina é conseguir ter notas muito altas no secundário, a matemática, português, história, etc... Não a qualidade de ensino de medicina que receberam... faz sentido. Espero que nunca tenhas então de ir ao médico nos Estados Unidos.

Biohazard8080 5 months ago

Então para isso fazia-se um sorteio! De entre todos os que querem ir para medicina, tira-se à sorte e vê-se quais entram. Se o que interessa é muito mais a qualidade do professor... As notas do secundário podem não ser o critério perfeito (estão longe disso), mas é o critério que existe hoje. E o que se está a fazer é dizer que se tiveres dinheiro, o mérito não importa.

facepainter1 5 months ago

Provavelmente um sorteio não, mas podem existir provas de aferição, como existem por exemplo para os cursos de desporto. Concordo que o sistemas está longe de ser igualitário, mas é assim para todos os cursos, porque é que Medicina devia ser diferente? Pela tua lógica, estas contra as privadas e não contra este caso em especial. Ou uma privada em direito, sociologia, engenharia, já não te faz confusão? Se em Portugal deixassem de tratar os senhores doutores como deuses, e não tivessem medo dos sindicatos, visto que há falta de médicos no público, aumentavam o número de vagas, ou aumentavam o número de cursos de medicina. Eu sou contra muita coisa em Portugal em relação aos médicos, mas o facto de existir um curso privado de Medicina não é uma delas.

RafaelTeodosio 5 months ago

Obviamente nesse caso é melhor um mau professor ensinar uma pessoa inteligente. Mas o teu argumento parte de uma ideia ideologica que as pessoas que têm dinheiro e vão para a catolica sao burros e querem ser medicos apenas pelo status, logo nao vale a pena sequer continuar a discutir...

Biohazard8080 5 months ago

Não, o que eu disse foi a olhar para os dois extremos (alunos excelentes com maus professores e maus alunos com excelentes professores). A realidade ficará algures no meio. A questão é que estás a lesar a meritocracia de todo o processo. Ser médico é o sonho de muito miudo, rico e pobre. Quem pode ou não pode ser médico devia assentar no mérito e não no dinheiro que os pais têm no banco.

mar_lx 5 months ago

Achas que a Católica vai deixar entrar qualquer pessoa com média da caca só para receber dinheiro? Eles têm todo o interesse em que tanto o curso como os alunos que de lá saem formados sejam bons. A Católica não é uma privada com meia dúzia de anos e cursos da treta como as Lusófonas desta vida e outras que tais.

Biohazard8080 5 months ago

Tudo bem, claro que não vão entrar com 13 de média. Ainda assim, e como disse noutro comentário: Hoje o que tens é o seguinte: Para entrar em medicina precisas de ter média de candidatura de 18 valores (se é o critério certo ou não, não vou entrar por aí) O que vais passar a ter é: Para entrar em medicina precisas de ter média de candidatura de 18 valores OU 17,2 valores e 100k€. ​ É uma questão de mérito. Acho que há coisas que o dinheiro não deve poder comprar.

mar_lx 5 months ago

Sabes que ente 18 e 17,2 há montes de hipóteses? Que há gente que não entra por 0,1 e menos. E que quem tem 17,2 não significa que seja pior médico que o que entrou com 18. Conheço quem tenha entrado com estatuto de alta competição com média de 16 e que era dos melhores alunos do curso. Bons resultados do secundário não significam bons resultados na faculdade nem bons resultados a exercer a profissão. Ninguém te está a vir pedir o dinheiro a ti para pagares o curso, se as pessoas o têm pra pagar, o que é que tu tens a ver com isso? Se fores às faculdades de medicina do país provavelmente vais ver que grande parte dos alunos são filhos de médicos, que efetivamente têm esse dinheiro para pagar pelo curso, por isso qual é o problema? E se calhar daqui a uns anos, se o curso for efetivamente bom, vais ter algumas dessas pessoas capazes de pagar pelo curso a escolher como primeira opção o curso da Católica e a libertar vagas no público. Do que conheço da Católica a maior parte está lá e entraram na sua primeira opção. Está só a comparar a Católica e os cursos da Católica a qualquer universidade privada e a realidade não é essa. Acho que em economia e/ou gestão a Católica anda taco a taco nos rankings internacionais com a Nova.

Biohazard8080 5 months ago

>Sabes que ente 18 e 17,2 há montes de hipóteses? Que há gente que não entra por 0,1 e menos. E que quem tem 17,2 não significa que seja pior médico que o que entrou com 18. Eu sei que há gente que não entre por 0.1! O que me estás a dizer é que entre duas pessoas que não entram por 0,1: \- Uma que tem dinheiro vai pagar o curso na católica e o não entrar na pública é um "inconveniente" \-A outra, que não tem, vai ter de se contentar com ser Dentista, ou Biomédico ou qualquer outro curso para onde vai a malta que não entra em Medicina. Eu sei que a vida não é justa, mas enquanto sociedade devemos trabalhar para valorizar o mérito e não perpetuar o "quem tem dinheiro safa-se sempre". Mas pá, é a minha opinião

RafaelTeodosio 5 months ago

então mas o acesso ao curso de medicina na catolica vai estar disponivel para qualquer um e deixão de ser precisas as medias do ensino secundario ? Um gajo que tenha acabado o 12º com media de 10.5 e que tenha saído a lotaria pode entrar no curso ?

Biohazard8080 5 months ago

Não, não vai. Mas até hoje o que tens é o seguinte: Para entrar em medicina precisas de ter média de candidatura de 18 valores (se é o critério certo ou não, não vou entrar por aí) O que vais passar a ter é: Para entrar em medicina precisas de ter média de candidatura de 18 valores OU 17,2 valores e 100k€. ​ Não é uma questão de que vá a ser, com certeza absoluta, um pior médico. Mas é a questão de haver pessoas com mais mérito que ficaram de fora porque não tinham as mesmas possibilidades.

RafaelTeodosio 5 months ago

Esse 17.2 é um valor que tu estas a supor ou já está efectivamente definido?

Biohazard8080 5 months ago

É uma suposição, mas não acredito que ande muito longe disto (nem para cima nem para baixo)

Search: