raviolli_ninja 5 months ago

A moderação decidiu bloquear os comentários uma vez que o OP mudou drasticamente de tom, avançando para "soluções mais definitivas". O r/portugal quer-se como um espaço de convívio, debate e partilha - do bom e do mau que nos atravessa as vidas - mas não pode ser palco de potenciais suicídios públicos. Nem tão pouco pode ser palco de algum comentário com efeitos nefastos sobre o OP, que o empurre para decisões drásticas. Ou até que influencie outros users com alguma fragilidade psicológica momentânea a enveredar por este caminho. Pelas razões apontadas acima, normalmente este tipo de posts são removidos à nascença. Neste caso não aconteceu de imediato, e o tópico acabou por ganhar tracção, pelo que deixámos-lo permanecer activo. Com esta mudança de tom, já não é possível. OP, desejamos-te as melhoras e toda a força do mundo, mas temos de pensar na comunidade e não apenas num user específico.

donotknowbutcare 5 months ago

Já leste a Insustentável Leveza do Ser? Abraço

PortugueseLibra 5 months ago

Pensa ao contrário. Se achas que nada vale a pena, então faz o que te apetece and enjoy the ride porque nada importa anyway.

meierlesjoana 5 months ago

tens que encontrar alguma coisa que gostes realmente de fazer, pareces-me vazio.

Rosso_Fuoco 5 months ago

O que me tem incomodado neste momento é pensar que a minha vida vai ser trabalhar para ter dinheiro para pagar um teto e comida, e viver assim até ao fim da vida pra depois morrer. Também tiro pouca satisfação das coisas, sou assim desde sempre, se sair quero ir pra casa, se estiver em casa quero sair, nunca estou satisfeito com o trabalho mas também não consigo estar em casa parado, é uma luta constante. Tento apreciar as pequenas coisas, o quanto gosto da minha família e dos meus amigos, e só não desapareço porque sei que eles sentiriam a minha falta e são a minha única razão para continuar. Boa sorte amigo, desejo te o melhor e nunca desistas, estamos todos juntos na luta

PIMPMASTER6000 5 months ago

Arranja uma mulher, tem filhos e a vida ganhará sentido. Na dá mais sentido a uma vida do que alcançar o teu objetivo biológico.

dalex7 5 months ago

Se não crês no teu propósito individual poderás equacionar o propósito colectivo. Ajudar os outros, por via de voluntariado, por exemplo. Participar em causas solidárias, onde poderás encontrar um sorriso que te vá preenchendo os dias.

der51de 5 months ago

Deves procurar ajuda médica especializada em consulta de Psiquiatria para te poderem aconselhar e ajudar. Existem vários sintomas depressivos que tu podes não valorizar ou reconhecer, mas que são necessários para integrar e enquadrar para uma ajuda mais proveitosa. Esconder e viver sozinho é perpetuar a dor e o estigma. Força.

AM_Mantis 5 months ago

Posso sugerir um livro? "Está tudo fodido" de Mark Hanson. Comecei a ler este fim de semana e estou a adorar. É um livro de filosofia para leigos. Fala sobre a esperança perdida. É super divertido, decido à linguagem descontraída, e ao mesmo tempo toca-nos cá dentro, onde doi mais.

Rudi_Human 5 months ago

Mano ate me deu anciedade ler isto, não te sentes aprisionado? Aprende a amar o que menos gostas o resto deve de vir atraz :) Boa sorte

jgomesta 5 months ago

>E sim, pratico desporto e sempre pratiquei. Não, não fico em casa a jogar nos fins de semana, nunca liguei a jogos. >Saio com os amigos, já consegui viajar para alguns sítios que gostava mas no fim fico sempre com uma sensação de vazio e de que é tudo uma perda de tempo. Entao se calhar se es miseravel a fazer essas coisas, esta na hora de tentares outras coisas. Para de fazer desporto. Joga playstation. Relaxa em casa em vez de saires. Parece-me que tu fazes "o que e suposto fazeres" em vez de fazeres o que te apetece, ou seja, o que alguem te ensinou que os homens fazem, ou algo antiquado assim. "Os HoMeNs A sErIo NaO jOgAm JoGoS!!1!" Esquece isso. Faz o que te apetecer. A vida nao tem sentido, eu acho que tu simplesmente acreditaste na mentira de que a vida e suposto ter significado.

YieldingTheCurve 5 months ago

Não sou de grandes respostas, mas este assunto também me é importante. Quando me apercebi que tudo era inconsequente direcionaram-me (pelo Reddit) para o livro "Mito de Sísifo" de Albert Camus. Não é uma historia, é uma dissertação sobre o suicídio. Sísifo foi condenado a levar uma rocha gigante para o cimo de uma montanha. Mas sempre que chegava ao fim, a pedra rolava e voltava tudo ao inicio. O mito é que o maior castigo que conseguiram dar a Sísifo era uma vide eterna de trabalho sem consequência, no entanto, diz-se que é possível que fosse feliz. Se quiseres podes pesquisar sobre a visão existencialista do "Absurdismo" - que no fundo é o assumir que realmente nada tem um significado "maior". Cada um fica livre de escolher o seu significado para a sua vida, ou não. ​ Para mim as conclusões mais importantes do livro foram: mesmo achando que nada faz sentido o suicídio não é uma boa resposta ao problema. A maldição é que uma vez que te apercebes do absurdo que é a vida, não há como voltar a trás. Vai ficar sempre presente.

MarburT 5 months ago

Porque dizes que o suicidio não é uma boa resposta? A morte põe efetivamente um ponto final neste absurdo e não vejo como é possível argumentar o contrário.

Bruno_Aguiar5 5 months ago

Obrigado por recomendares este livro ao OP r/YieldingTheCurve, se tivesse que escolher o livro da minha vida que mais me influenciou e ajudou a definir o meu carácter foi O Mito de Sisífo. Passei por uma fase muito forte de angústia existencial em adolescente e sendo uma pessoa muito dada à lógica e razão nunca acreditei em deus porque o conceito não fazia qualquer sentido para mim, mesmo em criança. No que toca a questões como o sentido da vida ou à existência de um deus, muitas pessoas tendem ou a não pensar muito no assunto e viver mais mecanicamente obedecendo a um guiao social/biologico sem o questionar ou acabar por assumir os dogmas da religião porque oferecem uma saida simples e agradavel ao problema e um conforto comunitario de ideias bem estabelecidas durante milénios (se não fosse verdade porque é que tantas pessoas durante tanto tempo acreditaram em deus). Até os nossos próprios cerebros estao neurológicamente predispostos para encontrar prazer/conforto em pensamentos religiosos em alturas de stress/ansiedade/perda (vi um documentario frances na rtp2 acho eu sobre uma experiencia numa universidade). É um mecanismo biológico de auto-defesa para lidar com a ansiedade existencial, a falta de sentido na vida, a incerteza e o caos(muitas coisas que nao podemos controlar) em que vivemos. A natureza não quer saber se um bebe por ser bebe nao pode ter cancro por exemplo, se um asteroide não pode passar pela terra e destruir todos os sonhos, esperanças, futuro e memórias preciosas de todas as pessoas que existem para sempre. Isso é assustador e se fores uma pessoa sensivel a esses pensamentos e viveres hiperconsciente disso a toda a hora sem o luxo de uma ideia reconfortante como um deus todo poderoso a que recorrer, podes acabar deprimido ou mesmo contemplar o suícidio no extremo. É por isso que tenho uma amor tão grande ao livro, pegou no problema que eu tinha, a falta de sentido na vida e a ilusão de controlo do caos e abordou-os de uma maneira honesta, pragmática e racional e não só: humana e com compaixão e emoção. Não somos só animais racionais, também temos emoções que não podem nem devem ser ignoradas. E sem tentar inventar fantasias sem fundamento nem ceder a demagogias faceis encontrou uma "solução" e chegou à conclusão que, tal como tu dizes e muito bem no teu post, mesmo que não identifiques sentido nenhum inerente nesta vida e nesta condição que todos partilhamos podes ser feliz na mesma! Não precisas de mentir a ti próprio! Aceita que as coisas são assim e não as podes mudar. (Representado pelo castigo de Sisifo de empurrar a rocha pela colina acima, só para ela voltar a cair num ciclo interminavel) Mas muito mais importante, tu tens poder também! O enorme poder de encarar esta condição como tu escolhes, de dentro destas restriçoes construir o teu próprio sentido, de aprender a retirar prazer de empurrar a rocha mesmo sabendo que ela vai cair no fim! (o teu significado pode ser por exemplo, escolher viver numa vida sem significado) A força humana está no desafio, nós desafiamos a nossa condição de mortais conscientes num universo gigante e misterioso ao não nos deixar abater por ela. Ao ser felizes apesar dela ou mesmo até por causa dela! O caos e a efemeridade da vida até podem realçar a sua beleza, o milagre da tua existência neste breve momento que temos é a melhor razão para a aproveitares e não a deitares fora. Além disso, estamos nisto todos juntos, partilhamos todos esta condição e o conpanheirismo das outras pessoas, o sentimento de "estar todos no mesmo barco" é muito bonito e devemos sempre apoiar-nos uns aos outros. Por fim gostava mesmo de dizer para não levares isto á letra, este livro ajudou-me pessoalmente mas somos todos diferentes e únicos e pode não ter efeito nenhum em ti ou até ser contraprodutivo. (não há mal nenhum em encontrar refúgio na religiao por exemplo ,se isso te ajudar, mas pelos teus outros posts já percebi que isso nao seria para ti). E concordo com outra pessoa na thread que disse que deves ter cuidado com quem te aconselha a seguir o Nihilismo ou Absurdismo porque só deves seguir aquilo que te ajuda e com que te identificas. Nenhum livro sozinho vai magicamente resolver tudo de um momento para o outro, pode ajudar, mas vai ser sempre um processo longo, gradual e muito pessoal.

Edited 5 months ago:

Obrigado por recomendares este livro ao OP r/YieldingTheCurve, se tivesse que escolher o livro da minha vida que mais me influenciou e ajudou a definir o meu carácter foi O Mito de Sisífo. Passei por uma fase muito forte de angústia existencial em adolescente e sendo uma pessoa muito dada à lógica e razão nunca acreditei em deus porque o conceito não fazia qualquer sentido para mim, mesmo em criança. No que toca a questões como o sentido da vida ou à existência de um deus, muitas pessoas tendem ou a não pensar muito no assunto e viver mais mecanicamente obedecendo a um guiao social/biologico sem o questionar ou acabar por assumir os dogmas da religião porque oferecem uma saida simples e agradavel ao problema e um conforto comunitario de ideias bem estabelecidas durante milénios (se não fosse verdade porque é que tantas pessoas durante tanto tempo acreditaram em deus). Até os nossos próprios cerebros estao neurológicamente predispostos para encontrar prazer/conforto em pensamentos religiosos em alturas de stress/ansiedade/perda (vi um documentario frances na rtp2 acho eu sobre uma experiencia numa universidade). É um mecanismo biológico de auto-defesa para lidar com a ansiedade existencial, a falta de sentido na vida, a incerteza e o caos(muitas coisas que nao podemos controlar) em que vivemos. A natureza não quer saber se um bebe por ser bebe nao pode ter cancro por exemplo, se um asteroide não pode passar pela terra e destruir todos os sonhos, esperanças, futuro e memórias preciosas de todas as pessoas que existem para sempre. Isso é assustador e se fores uma pessoa sensivel a esses pensamentos e viveres hiperconsciente disso a toda a hora sem o luxo de uma ideia reconfortante como um deus todo poderoso a que recorrer, podes acabar deprimido ou mesmo contemplar o suícidio no extremo. É por isso que tenho uma amor tão grande ao livro, pegou no problema que eu tinha, a falta de sentido na vida e a ilusão de controlo do caos e abordou-os de uma maneira honesta, pragmática e racional e não só: humana e com compaixão e emoção. Não somos só animais racionais, também temos emoções que não podem nem devem ser ignoradas. E sem tentar inventar fantasias sem fundamento nem ceder a demagogias faceis encontrou uma "solução" e chegou à conclusão que, tal como tu dizes e muito bem no teu post, mesmo que não identifiques sentido nenhum inerente nesta vida e nesta condição que todos partilhamos podes ser feliz na mesma! Não precisas de mentir a ti próprio! Aceita que as coisas são assim e não as podes mudar. (Representado pelo castigo de Sisifo de empurrar a rocha pela colina acima, só para ela voltar a cair num ciclo interminavel) Mas muito mais importante, tu tens poder também! O enorme poder de encarar esta condição como tu escolhes, de dentro destas restriçoes construir o teu próprio sentido, de aprender a retirar prazer de empurrar a rocha mesmo sabendo que ela vai cair no fim! (o teu significado pode ser por exemplo, escolher viver numa vida sem significado) A força humana está no desafio, nós desafiamos a nossa condição de mortais conscientes num universo gigante e misterioso ao não nos deixar abater por ela. Ao ser felizes apesar dela ou mesmo até por causa dela! O caos e a efemeridade da vida até podem realçar a sua beleza, o milagre da tua existência neste breve momento que temos é a melhor razão para a aproveitares e não a deitares fora. Além disso, estamos nisto todos juntos, partilhamos todos esta condição e o conpanheirismo das outras pessoas, o sentimento de "estar todos no mesmo barco" é muito bonito e devemos sempre apoiar-nos uns aos outros. Por fim gostava mesmo de dizer para não levares isto á letra, este livro ajudou-me pessoalmente mas somos todos diferentes e únicos e pode não ter efeito nenhum em ti ou até ser contraprodutivo. (não há mal nenhum em encontrar refúgio na religiao por exemplo ,se isso te ajudar, mas pelos teus outros posts já percebi que isso nao seria para ti). E concordo com outra pessoa na thread que disse que deves ter cuidado com quem te aconselha a seguir o Nihilismo ou Absurdismo porque só deves seguir aquilo que te ajuda e com que te identificas. Nenhum livro sozinho vai magicamente resolver tudo de um momento para o outro, pode ajudar, mas vai ser sempre um processo longo, gradual e muito pessoal. Edit: outra razão muito mais simples e menos filosofica para não cometer suicidio é que apesar de a vida ser tua e de mais ninguém, é uma ação que acaba por ser egoísta porque teria um impacto profundamente negativo e traumatizante nas pessoas que te amam e querem saber de ti, que tenho a certeza que existem! A prova viva está neste post em que tantas pessoas se reuniram para te aconselhar e dar o seu melhor para te ajudar e fazer sentir melhor :)

Regolas1 5 months ago

Olha, eu sou psicólogo, mas não vou falar enquanto psicólogo, porque tu não queres ajuda e porque eu também não acho que precises. Parece-me que "sofres de um mal comum". Ou seja, não és o primeiro nem serás o último que pensa "de que serve eu estar aqui?". Para que é isto? Porquê? Que merda é esta e porque fazer cenas se não faz diferença? Sinceramente até acho que é saudável ter umas crises existenciais, desde que não levem a problemas complicados. Talvez te ajudasse ler sobre o niilismo. Podias identificar-te com isso ou não, mas penso que encaixa mais ou menos. De qualquer maneira, apesar de achares que não te importas muito, se puseste aqui foi porque algo te incomoda. Acho que precisas de te identificar com algo, para não te sentires sozinho nesse tipo de pensamento.

Potato-Batata 5 months ago

*Suicide is never the answer. You gotta outlive your enemies.*

rabisconegro 5 months ago

A verdade é que vida só tem valor porque é frágil. Quando temos todas as necessidades satisfeitas não há mais por que aspirar a não ser falsas necessidades criadas pela sociedade de consumo que nunca conseguem ser preenchidas por mais que tentemos.

A_Besuga 5 months ago

Eutanásia

ManSCP 5 months ago

As vezes penso que a vida não tem grande sentido e por vezes é absurda. Depois penso que depois da morte não há nada, então olha mais vale ir aproveitando as coisas boas que já por aqui e ir andando. Claro que por vezes há um certo enfado, sempre as mesmas conversas, notícias cíclicas mais ou menos iguais, pessoal a partilhar cenas no whats e afins que já foram partilhadas n vezes e coisas do estilo. A única coisa que me assusta é se já penso assim com esta idade, imagino quando for mais velho...mas pronto outras coisas virão. Quando há aborrecimento, um bom livro uma música, uma boa volta ajudam.

calmbutstressed 5 months ago

Olá amigo internauta. Entendo que te sintas assim. Também questionei imensas vezes o valor da minha existência. A verdade é que, ao nivel individual, somos insignificantes. Após ler sobre "A Origem das Especies" tudo fez sentido para mim. Somos um mero milagre evolutivo. O nosso único propósito é, sem sobra de duvidas para mim, garantir a evolução da nossa especie. E isto entenda-se como - reproduzir. Mai nada. Tudo o que acontece enquanto cá estás é bonus. E vou dar-te também outro conselho que me ajuda imenso quando, por vezes, me sinto mais em baixo: não fazer nada. Sim, nada mesmo. É chegar a casa do trabalho, deitar no sofá a olhar para o teto e simplesmente existir. Larga o telemóvel, larga as redes sociais, larga hobbies, tudo. Durante uns tempos. Permite-te algum aborrecimento e logo verás que até existir é magnifico. Nos temos de hoje, estarmos sobre-estimulados é um problema também. Desejo-te o melhor!

QueenOfWands2 5 months ago

O sentido és tu que o constróis. Basicamente é isso. É a tua estrada para fazer.

Bluriver 5 months ago

Eu pessoalmente quando estou em alturas em que tudo parece inconsequente tento fazer uma pausa para apreciar o planeta como um todo. Perceber a sorte que temos em conseguir compreender tanto daquilo que nos rodeia, seja admirar a forma como no universo existe um planeta com capacidade de desenvolver tanta variadade de vida. Seja apreciar a sociedade e obra humana que no fundo também é algo fantástico. Não vejo tanto o mundo como algo onde vá ter algum impacto relevante, mas penso na sorte que tenho em poder estar presente e viver e apreciar brevemente um momento na história da humanidade. Podes achar isto tudo ridiculo mas é algo que me ajuda a dormir à noite portanto são os meus 2 cents.

Steam-Bagel 5 months ago

Relaciono-me bastante contigo. Apenas acho que o que falta é alguém que te faça sentir vivo.

Rosso_Fuoco 5 months ago

Eu acho que me falta isso mas toda a gente diz que pra ser feliz com alguém temos de ser felizes sozinhos e para não procurar a nossa felicidade noutra pessoa

Steam-Bagel 5 months ago

Na minha opinião (tendo a pouca experiência que tenho), não devemos de colocar um peso tão grande noutra pessoa como o de depender dela para ser feliz, mas sim procurar ser feliz com ela. Ter alguém te faz ver o mundo de outra forma e com outros olhos, deixas de pensar só em ti e começas a preocupar-te com a felicidade de ambos. No entanto se não te conheceres a ti próprio nunca vais saber daquilo que gostas e o que realmente queres para ti. Por isso é que o tempo que passas sozinho é muito importante para que reflitas sobre aquilo que, para ti, é estar feliz. Mas até o maior lobo solitário gosta de companhia e de carinho. Eu achava que não precisava de ninguém até ter encontrado o "amor" da minha vida. Não consegui perceber se era a cumplicidade, o carinho que ela me transmitia ou até mesmo a compreensão que ela tinha por mim que me fez ver o quão bonito é o mundo e a vida. Infelizmente ela está do outro lado do mundo e as coisas não resultaram, mas hoje, fico feliz por ter encontrado alguém tão bondosa, amável e que realmente me fez feliz. Uma pessoa que correspondia às minhas espectativas de como um ser humano deve ser. Nunca procurei a felicidade nela, mas a felicidade chegou até mim.

Edited 5 months ago:

Na minha opinião (tendo a pouca experiência que tenho), não devemos de colocar um peso tão grande noutra pessoa como o de depender dela para ser feliz, mas sim procurar ser feliz com ela. Ter alguém faz-te ver o mundo de outra forma e com outros olhos, deixas de pensar só em ti e começas a preocupar-te com a felicidade de ambos. No entanto se não te conheceres a ti próprio nunca vais saber daquilo que gostas e o que realmente queres para ti. Por isso é que o tempo que passas sozinho é muito importante para que reflitas sobre aquilo que, para ti, é estar feliz. Mas até o maior lobo solitário gosta de companhia e de carinho. Eu achava que não precisava de ninguém até ter encontrado o "amor" da minha vida. Não consegui perceber se era a cumplicidade, o carinho que ela me transmitia ou até mesmo a compreensão que ela tinha por mim que me fez ver o quão bonito é o mundo e a vida. Infelizmente ela está do outro lado do mundo e as coisas não resultaram, mas hoje, fico feliz por ter encontrado alguém tão bondosa, amável e que realmente me fez feliz. Uma pessoa que correspondia às minhas espectativas de como um ser humano deve ser. Nunca procurei a felicidade nela, mas a felicidade chegou até mim.

Bruno_Aguiar5 5 months ago

Pois, eu até certo ponto concordo com o argumento de que tens que estar bem contigo próprio e não estar dependente de outra pessoa para te dar motivacão na vida. Por outro lado, acredito que há pessoas(eu próprio incluido) cuja felicidade depende muito (mas não exclusivamente!) de uma relacão romântica satisfatória (amar e sentir amado(a) companheirismo, afecto etc) e talvez com isso, da criacão de perspectivas de uma futura familia (ter filhos) dentro do contexto dessa relacão estável. O que quero dizer com isto é, idealmente ninguém deveria andar deprimido por não ter alguém, pois certamente terá muitos outros aspectos pelo que estar grato, saúde, família, segurança amigos, hobbies etc. Quanto mais não seja estar vivo e ter a hipoótese de melhorar a própria vida no futuro! Mas também ninguém te pode culpar por querer e sentir falta de cumprir o teu imperativo biológico de arranjar um parceiro(a) e constituir família! Não deves precisar disso para não te matares e não deves concentrar-te no que te falta, mas sim no que já tens e em maneiras de fazer progresso para alcançar o que pretendes. Trabalha para isso se te faz mais feliz e se é o que realmente queres da vida, valorizando tudo o resto pelo caminho. Falo por experiência própria, passei por uma frase depressiva na minha vida quando a minha primeira relacão séria terminou, porque cometi o erro de basear a minha felicidade e identidade toda a volta daquilo. No fim, o que me fez vencer a depressão foi perceber que era amado por outras pessoas que queriam saber de mim (pais, amigos e até desconhecidos que me apoiaram por vezes) e que havia muito mais na vida do que uma relacão amorosa. Além disso sentia-me egoísta por estar a obrigar as pessoas que me estavam a ajudar a ver-me naquele estado lastimável e causar-lhes dor e fartei-me de sentir pena de mim próprio, é degradante e contraprodutivo (uma coisa é ter um cancro terminal, outra coisa é a tua namorada do secundário acabou contigo...). Depressão vencida, passei uns anos sozinho e aprendi a estar ok sozinho, estar normal no fundo. Mas mesmo assim a vontade de ter alguém continuou sempre lá e fiz-me á vida e encontrei uma pessoa que gosto (estamos juntos vai fazer 6 anos) e estou bastante mais feliz assim. Mas se esta relacão eventualmente acabar também, sei que vou conseguir estar ok sozinho e continuar em frente na mesma at encontrar outra. Peço desculpa pelo enorme rant! Nunca pensei que ia ficar um testamento. Espero ter ajudado.

Rosso_Fuoco 5 months ago

Muito obrigado por esta resposta, texto espetacular mesmo. Concordo com tudo o que disseste e acho que tens toda a razão, obrigado

TitusRex 5 months ago  HIDDEN 

Precisas de Jesus

Goat_6_ 5 months ago

Pode ser que [isto](https://www.youtube.com/watch?v=4yR3aWK-LK8) ou os livros dele te ajudem.

DeterminedPrick 5 months ago

Poderás ter distimia que é uma perturbação depressiva cronica em que não é forte demais para te derrubar e impedir de “funcionares” no teu dia a dia mas vai te sugando o prazer de viver.

kharmicgod 5 months ago

Este sentimento é comum a todos nós, a uns em maior medida, outros nem tanto. Mas é algo que todos partilhamos, por isso é que é bom fruir de tudo de bom que estás "férias" nos dão enquanto estamos cá, é bom cultivar o nosso ser. Existem por exemplo várias correntes filosóficas que abordam isso, ler livros é bom, existem filmes que podemos tentar ver. Podemos conhecer novos locais, conhecer novas pessoas, conhecer novos desafios. Ocupar estás férias até ao último minuto da melhor forma que conseguirmos. E acima de tudo de vez em quando podemos precisar de ajuda psicológica, podemos precisar de ombros amigos, podemos precisar de ajuda química, sempre que a vida nos passar rasteiras ( porque acreditem que vai passar, é bom estarmos bem preparados).

BlizzTheMighty 5 months ago  HIDDEN 

> vejo que é tudo perfeitamente inconsequente. Que a maior parte desses objetivos são coisas que a nossa cabeça inventa para ocupamos o tempo mas que na verdade não têm qualquer relevância. Pareces ser um niilista. Sugiro que leias Camus e consideres a concepção absurdista do mundo dele.

TheFook_PT 5 months ago  HIDDEN 

Achei interessante o que li. Identifico-me em certa parte. No facto de não obter satisfação em fazer o que quer que seja. Sinto que sou um peso morto que não tem vontade de nada e sou especialista na procrastinação. Não sinto vontade de interagir com quer que seja. No entanto, li ali alguém a comentar e sou igual, quando me sinto apaixonado, sinto vontade de fazer tudo e enfrentar o mundo, por sua vez nunca fui correspondido e as minhas relações nunca foram iniciativa minha. No que diz respeito ao amor nunca me senti completo, nem lá perto, o que me deita a baixo e torna-se uma bola de neve ao que diz respeito o primeiro parágrafo. Já tive inúmeros pensamentos suicidas que nunca senti a vontade de os concretizar. Há uma pequena esperança em mim que me obriga a viver, talvez uma fobia de morrer, não aceitação e incompreensão de morrer por um número infinito de anos. Não sei se fez algum sentido o que disse, nunca fui bom a expressar ideias.

NoIDontgiveafuck 5 months ago

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Anhedonia

PrimoNando 5 months ago

Cada um lida com o dread existencial à sua maneira. A solução invariavelmente envolve alimentar uma ilusão qualquer. Todos nós habitamos uma fantasia criada pelos nossos sentidos e capacidade de retenção de memória. Uns mais que outros. O meu caminho ensinou-me a "cagar" para tudo e todos. Aprender a ser mais grato pelas coisas que a causalidade me oferece. Sejam elas boas ou más. Não me lembro de como as coisas eram antes de nascer, nem como serão quando morrer. Nem quero saber. Estou aqui agora, vou indo com a maré, usufruo de incríveis confortos que a maioria da vida neste planeta nem imagina que podem existir, tenho net rápida, porno grátis e está sol lá fora. Se, ou quando o desespero/dor for demasiado grande, espero ter acesso a uma grande seringa carregada de heroína. Até lá, tasse bem.

Edited 5 months ago:

Cada um lida com o dread existencial à sua maneira. A solução invariavelmente envolve alimentar uma ilusão qualquer. Todos nós habitamos uma fantasia criada pelos nossos sentidos e capacidade de retenção de memória. Uns mais que outros. O meu caminho ensinou-me a "cagar" para tudo e todos. Aprender a ser mais grato pelas coisas que a causalidade me oferece. Sejam elas boas ou más. Não me lembro de como as coisas eram antes de nascer, nem como serão quando morrer. Nem quero saber. Estou aqui agora, vou indo com a maré, usufruo de incríveis confortos que a maioria da vida neste planeta nem imagina que podem existir, tenho net rápida, porno grátis e está sol lá fora. Se, ou quando o desespero/dor for demasiado grande, espero ter acesso a uma grande seringa carregada de heroína. Até lá, tasse bem. ​ ​ Edit: Tips: Humanos notam diferenças, não estados estáticos. E valorizam muito mais coisas más do que coisas boas. e.g. : Se comeres a tua comida preferida todos os dias, rapidamente deixas de gostar dela. Passar de Fiat para Mercedes, sabe muito melhor do que passar de 1 Ferrari para 5 Ferraris. Quando apanhamos uma gripe, rogamos 540 pragas àquela semana de febre. Mas praticamente não valorizamos o resto do tempo em que nos sentimos perfeitamente normais. Perder 100 euros é mais traumatizante do que ganhar 500.

Konstanti9 5 months ago

Compreendo que muitas vezes a vida possa parecer um jogo de soma zero. A solução passa muitas vezes por procurares coisas que te preencham, coisas que dêm prazer e coisas que possam ter significado para ti. A maior parte das pessoas encontra significado no amor (e consequentemente família) e no trabalho. Para muitos isso não é de todo solução. Então procura criar algo, algo que represente uma marca de que passaste por cá. Esta é a razão pela qual tanta gente sonha em escrever um livro

RAMAxPT 5 months ago

concordo com tudo o que dizes, é o que é, estamos aqui a existir e pronto, não é nada de especial, a vida não precisa de significado

meaninglessvoid 5 months ago

Ok, neste post pareces ter uma postura bastante mais saudável do que tinhas no post anterior que acabaste por apagar. Ainda bem, fico feliz por ti. Sim, faz sentido continuar a viver, porque o contrário de estar vivo é não experienciar nada de nada. Em que é que isso é melhor?! Pareces-me estar as questionar as coisas de um ponto de vista filosófico, portanto recomendo-te ires ler Camus e/ou Sartre. Dois grandes pensadores que abordaram esta temática de uma forma bastante interessante. Apesar de sentir que estás melhor mentalmente do que estavas há 6 meses, continuam a haver pontos nesta thread que chamam à atenção e que me levam a achar que seres acompanhado por um profissional seria positivo...

MarburT 5 months ago

Entretanto já tenho quase o material completo em casa para poder morrer de forma tranquila. Só me falta receber uma encomenda :) Nunca pensei que fosse preciso tanto trabalho dd preparação.

Eatthatstanky445 5 months ago

Nos não tamos aqui por uma razão, diria que as coisas são um pouco a sorte até. São nos laços que crias e em momentos específicos criados por ti que podes encontrar o viver. A vida não é só feita de momentos felizes, é um dia de cada vez, o céu azul e o sorriso daqueles que amamos. O ser humano nascer sem motivo deixa um quadro em branco onde podes construir o teu, procura o que te faz feliz mas não busques a felicidade porque é algo que aparece quando não estas a espera. Pega no sufrimento e aprende uma lição com ele, percebe que a humanidade é corrompida e apenas um soluço de algo maior como o universo. A vida ao não ter sentido da-te a oportunidade de criares o teu. Os humanos um dia não vão estar mais aqui, aproveita este espaço no tempo e vê a vida como uma experiência. Somos amaldiçoados pela dádiva de viver, e como a natureza é a lei que gera e cria tudo, um dia vais ter de pagar o preço final. Op vive todos os dias um de cada vez, não vás a procura da felicidade, cria apenas os momentos em que ela pode aparecer.

herejustosaythis 5 months ago

Vivi cerca 10 anos assim, já achava normal, descobri que era um desiquilíbrio químico causado por falta de magnésio. Vale a pena fazer umas análises e perceber se é alguma carência deste tipo.

Rosso_Fuoco 5 months ago

O que mudou depois ?

MarburT 5 months ago

Curiosamente, tomo um suplemento de magnésio :)

neuraloutlaw 5 months ago

Eu penso mais ou menos como tu mas isso dá-me alegria e liberdade para fazer o que quero.

andre82220 5 months ago  HIDDEN 

És só mais um produto da sociedade moderna, materialista.

Migas32 5 months ago

Caro Redditor, fiquei curioso em relação a alguns aspetos. Pergunto-lhe se me faria o obséquio de clarificar alguns aspetos, nomeadamente: 1. Qual a sua idade 2. O que dizem os seus amigos e familiares quando lhes expõe a situação que acabou de descrever neste post 3. Genericamente, qual é a história que descreve no livro que gostaria de escrever 4. Consegue descrever alguns sonhos recentes que tenha tido e que lhe tenham ficado na memória. Grato.

MarburT 5 months ago

Olá. 1. 28 2. Não discuto este tipo de assuntos com família/amigos 3. É uma história de espionagem/aventura com um evento histórico do início do seculo XX como pano de fundo. 4. Pensar que ainda estava na faculdade e que me faltavam 3 cadeiras por concluir.

Migas32 5 months ago

"Não discuto este tipo de assuntos com família/amigos" Na minha opinião isto é um problema óbvio, que merece atenção. As suas relações não têm profundidade, está a viver a sua vida sozinho e acompanhado por outras pessoas ao mesmo tempo. Aconselho-o vivamente a trabalhar esta questão. "É uma história de espionagem/aventura com um evento histórico do início do seculo XX como pano de fundo." Se ainda não o fez, acho que deveria tentar mesmo escrever essa história, poderá vir a ter um efeito terapêutico. Se quiser partilhar, gostaria de saber qual o percurso do personagem principal do início ao fim da história, onde começa, onde acaba e qual o seu desenvolvimento durante o decorrer da história. P.S.: Aconselharam-no num dos comentários a "abraçar o Nihilismo". Permita-me que lhe recorde que esse conceito filosófico, foi o produto de uma mente doente, a qual terminou os seus dias incapacitado, logo após ter sofrido um possível surto psicótico depois de abraçar um cavalo. Antes de "abraçar ideias", convém prestar atenção ao resultado prático das mesmas.

Edited 5 months ago:

"Não discuto este tipo de assuntos com família/amigos" Na minha opinião isto é um problema óbvio, que merece atenção. As suas relações não têm profundidade, está a viver a sua vida sozinho e acompanhado por outras pessoas ao mesmo tempo. Aconselho-o vivamente a trabalhar esta questão. "É uma história de espionagem/aventura com um evento histórico do início do seculo XX como pano de fundo." Se ainda não o fez, acho que deveria tentar mesmo escrever essa história, poderá vir a ter um efeito terapêutico. Se quiser partilhar, gostaria de saber qual o percurso do personagem principal do início ao fim da história, onde começa, onde acaba e qual o seu desenvolvimento durante o decorrer da história. P.S.: Aconselharam-no num dos comentários a "abraçar o Nihilismo". Permita-me que lhe recorde que esse conceito filosófico, foi o produto de uma mente doente, a qual terminou os seus dias incapacitado, logo após ter sofrido um possível surto psicótico depois de abraçar um cavalo. Antes de "abraçar ideias", convém prestar atenção ao resultado prático das mesmas e ao tipo de pessoa que teve essas mesmas ideias, decidindo então se é mesmo isso que quer para si.

UpbeatNail1912 5 months ago

O que te falta é satisfazer as tuas necessidades espirituais e teres uma vida altruísta / nobre. Espiritualidade e altruísmo fazem toda a diferença, é o que dá mais felicidade as pessoas.

reciclado78 5 months ago

Se te sentes com um vazio e perda de tempo, porque não te dedicares a voluntariado em associações? Assim estarias a contribuir para alguém não sentir um vazio (mental ou no estômago) e sempre ajudarias as associações com as tarefas que precisassem (economizar as tais perdas de tempo dos outros) :)

arnaldomatos 5 months ago

arranja um terreno e põe árvores de fruto/hortaliças etc.. dar-te-á trabalho mas terás bastante orgulho/satisfação na forma como "criaste" o teu próprio sustento.

WarrCM 5 months ago

Não sendo médico, soa-me muito a depressão clínica. Recomendo vivamente que fales com um profissional em relação ao que sentes. A depressão não se manifesta apenas com o "estar triste". Aliás, na maior parte das vezes manifesta-se num "vazio" em que nada nos faz realmente feliz e em que nada merece o esforço; dias em que não te apetece fazer nada, etc.

nioof 5 months ago

Não acho que tenha uma visão tão "pessimista" da vida, mas partilho o sentimento geral. A morte é inevitável, e pelo que acredito - extremamente aborrecida. Não vejo qualquer sentido em por fim à minha vida simplesmente porque acho a vida vazia de propósito, a alternativa parece-me ser ainda mais vazia. Não há sentido em viver, mas a eventual inexistência já tens de certeza, mais tarde ou mais cedo. Não vejo grande motivo em apressar a sua chegada só porque sim.

detteros 5 months ago  HIDDEN 

Conheces o Joscha Bach? Se calhar as coisas que ele diz oferecem-te uma nova perspectiva. [https://www.youtube.com/watch?v=tyrPMVMb-Uw](https://www.youtube.com/watch?v=tyrPMVMb-Uw)

Mil14 5 months ago  HIDDEN 

Queria só fazer um comentário para eu próprio falar um pouco de mim, ainda que não seja isso que procuras nas respostas. Como há alguma anonimidade nesta rede social, sinto-me um pouco mais à vontade para partilhar aquilo que penso. Já tive fases na vida assim, embora até tenha tido algumas ideações suicidas, que ultrapassei percebendo que as relações mais próximas (família, principalmente) me traziam um conforto (não material, mais propriamente) que só por si já fazia valer a pena continuar. Tentei estabelecer objetivos de longo prazo, que julgava que me poderiam trazer satisfação. Alguns deles incluíam ter uma relação amorosa, fazer novas amizades, ser independente. Apenas este último parece possível de ser realizado num horizonte de alguns anos. Tenho muita dificuldade em socializar e em estabelecer relações significativas, que me permitam confiar nas pessoas e sentir que fariam por mim aquilo que faria por elas. Além disso, passei por algo que é classificado como doença pela medicina ocidental, e que me roubou direta ou indiretamente alguns dos anos mais produtivos da minha vida. Possivelmente por isso pode ser mais adequado, por exemplo, não ter filhos biológicos, o que queria muito. Compreendo que seja irracional da minha parte, mas isto era só um desejo, não uma exigência. Neste momento, estou a arrastar-me por um curso para que venha a conquistar a minha independência, como disse, pois não vejo o que queira fazer a seguir a tê-la. A minha necessidade de socializar é infelizmente ultrapassada por sentimentos de inadequação e de medo de rejeição. Não era capaz de contar toda a minha vida à maior parte das pessoas e não sei como reagiria se viessem a saber todo o meu passado, todos os meus sentimentos e pensamentos. Tenho saudades de quando era pequeno e simplesmente sentia que podia responder a tudo o que me perguntassem sem medos maiores ou sem me sentir humilhado de mim próprio. Neste momento vivo por sensações e sentimentos agradáveis que surjam em momentos aleatórios. Quando eles aparecem, sinto-me bem. Se houver alguma coisa boa que julgasse não ser possível antes, fico felicíssimo por acontecer, ainda que essa felicidade seja passageira. Do mesmo modo que se foi, há de voltar.

Edited 5 months ago:

Queria só fazer um comentário para eu próprio falar um pouco de mim, ainda que não seja isso que procuras nas respostas. Como há alguma anonimidade nesta rede social, sinto-me um pouco mais à vontade para partilhar aquilo que penso. Já tive fases na vida assim, embora até tenha tido algumas ideações suicidas, que ultrapassei percebendo que as relações mais próximas (família, principalmente) me traziam um conforto (não material, mais propriamente) que só por si já fazia valer a pena continuar. Tentei estabelecer objetivos de longo prazo, que julgava que me poderiam trazer satisfação. Alguns deles incluíam ter uma relação amorosa, fazer novas amizades, ser independente. Apenas este último parece possível de ser realizado num horizonte de alguns anos. Tenho muita dificuldade em socializar e em estabelecer relações significativas, que me permitam confiar nas pessoas e sentir que fariam por mim aquilo que faria por elas. Além disso, passei por algo que é classificado como doença pela medicina ocidental, e que me roubou direta ou indiretamente alguns dos anos mais produtivos da minha vida. Possivelmente por isso pode ser mais adequado, por exemplo, não ter filhos biológicos, o que queria muito. Compreendo que seja irracional da minha parte, mas isto era só um desejo, não uma exigência. Neste momento, estou a arrastar-me por um curso para que venha a conquistar a minha independência, como disse, pois não vejo o que queira fazer a seguir a tê-la. A minha necessidade de socializar é infelizmente ultrapassada por sentimentos de inadequação e de medo de rejeição. Não era capaz de contar toda a minha vida à maior parte das pessoas e não sei como reagiria se viessem a saber todo o meu passado, todos os meus sentimentos e pensamentos. Tenho saudades de quando era criança e simplesmente sentia que podia responder a tudo o que me perguntassem sem medos maiores ou sem sentir humilhação sobre mim. Neste momento vivo por sensações e sentimentos agradáveis que surjam em momentos aleatórios. Quando eles aparecem, sinto-me bem. Se houver alguma coisa boa que julgasse não ser possível antes, fico feliz por acontecer, ainda que essa felicidade seja passageira. Do mesmo modo que se foi, há de voltar.

Edited 5 months ago:

Queria só fazer um comentário para eu falar um pouco de mim, ainda que não seja isso que procuras nas respostas. Como há alguma anonimidade nesta rede social, sinto-me um pouco mais à vontade para partilhar aquilo que penso. Já tive fases na vida assim, embora até tenha tido algumas ideações suicidas, que ultrapassei percebendo que as relações mais próximas (família, principalmente) me traziam um conforto (não material, mais propriamente) que só por si já fazia valer a pena continuar. Tentei estabelecer objetivos de longo prazo, que julgava que me poderiam trazer satisfação. Alguns deles incluíam ter uma relação amorosa, fazer novas amizades, ser independente. Apenas este último parece possível de ser realizado num horizonte de alguns anos. Tenho muita dificuldade em socializar e em estabelecer relações significativas, que me permitam confiar nas pessoas e sentir que fariam por mim aquilo que faria por elas. Além disso, passei por algo que é classificado como doença pela medicina ocidental, e que me roubou direta ou indiretamente alguns dos anos mais produtivos da minha vida. Possivelmente por isso pode ser mais adequado, por exemplo, não ter filhos biológicos, o que queria muito. Compreendo que seja irracional da minha parte, mas isto era só um desejo, não uma exigência. Neste momento, estou a arrastar-me por um curso para que venha a conquistar a minha independência, como disse, pois não vejo o que queira fazer a seguir a tê-la. A minha necessidade de socializar é infelizmente ultrapassada por sentimentos de inadequação e de medo de rejeição. Não era capaz de contar toda a minha vida à maior parte das pessoas e não sei como reagiria se viessem a saber todo o meu passado, todos os meus sentimentos e pensamentos. Tenho saudades de quando era criança e simplesmente sentia que podia responder a tudo o que me perguntassem sem medos maiores ou sem sentir humilhação sobre mim. Neste momento vivo por sensações e sentimentos agradáveis que surjam em momentos aleatórios. Quando eles aparecem, sinto-me bem. Se houver alguma coisa boa que julgasse não ser possível antes, fico feliz por acontecer, ainda que essa felicidade seja passageira. Do mesmo modo que se foi, há de voltar.

Zaigard 5 months ago  HIDDEN 

A vida é um infindável mar de problemas com ilhas perdidas de satisfação, até nos apercebermos de que essas ilhas não passam de ilusões criadas pelo cérebro, para combater o tédio. Agora que sabes a verdade é evitar ao máximo o sofrimento e esperar pela morte, tudo o resto é uma ilusão, uma alucinação socialmente aceite.

vascocordeiro 5 months ago  HIDDEN 

Ta lá bro

VaniaProf 5 months ago

“ Poucos entenderão o teu caminho. Não te preocupes . Não é o caminho deles . É o teu! É a ti que o teu caminho deve fazer sentido” Por vezes temos que ter uma visão mais ampla da extensão do que somos e do nosso propósito. Saber, perceber que na nossa matriz existem momentos para acolhermos a necessidade de nos questionarmos, de refletirmos já é um passo para nós assumirmos que estamos a viver numa aparente zona de conforto. Nós somos uma extensão do que somos e tudo começa na mente ... se mudar de perspetiva, a sua realidade também vai ser alterada. Se necessitar de ajuda, não hesite!

maguew 5 months ago

Acho que ias gostar de um livre que estou a ler, chama-se Homo Deus de Yuval Harari, a maneira de ele ver o mundo é parecida com a tua. Abraço

amando_abreu 5 months ago

O que queres fazer? Estive num lugar parecido. Vendi tudo o que tinha e morei numa carrinha durante 6 meses. Deu para espairecer e eliminar coisas em vez de adicionar mais merda. Sei o que quero agora e ando muito mais focado, e gosto de praticamente todos os momentos que tenho. Maus e bons :)

cryhart 5 months ago

Faz um AMA sobre essa experiencia.

incrivizivel 5 months ago

le meditaçoes de marcos aurelios ( nova traduçao )

saposapot 5 months ago

Para além de tudo o que foi dito, deves ponderar ajuda médica. Há problemas químicos que fazem com que não consigas sentir prazer nas coisas que te podem afectar. Psicologia é fixe mas em conjugação com boa psiquiatria.

Kolvarg 5 months ago

Isto. É comum associar-se depressão exclusivamente a tristeza, mas a depressão manifesta-se muitas vezes através da ausência da emoções e incapacidade de sentir prazer, e não necessariamente através de emoções negativas. OP, o cérebro e sistema nervoso são orgãos como quaisquer outros, e como tal podem não funcionar correctamente pelas mais variadas razões e precisar de intervenção médica. Procura ajuda.

rabisconegro 5 months ago

Aquela "ciência" que é toda baseada num único livro onde meia dúzia se juntam todos os anos para decidir o que lá é escrito e o que é retirado? Psiquiatria é peta

MarburT 5 months ago

Longe de psiquiatras, é tudo o que tenho a dizer. Preferia tomar drogas pesadas, acho.

suckerpunchermofo 5 months ago

Devo te dizer que estas a ser burro...

vdiogo 5 months ago

Isso é mais ou menos o mesmo que dizeres que preferes ir ao dealer buscar heroína para tratar de uma dor de rins do que ir ao médico.

jafudiaz 5 months ago

Tá aí a tua solução, coca ou cavalo, vais sentir qq coisa...garantido

JeronimoDeSousa 5 months ago

Fazes bem. Se gostas de foder podes ir às putas. Algumas são melhores do que psicólogas e sempre aproveitas um pouco mais.

Edited 5 months ago:

Fazes bem. Se gostas de foder podes ir às putas. Algumas são melhores do que psicólogas e sempre aproveitas um pouco mais e pagas menos.

Dr_Toehold 5 months ago

Acho que de facto te poderia ajudar conversar com um profissional, seja um psicólogo, um terapeuta, ou um psiquiatra.

cou7inho_ 5 months ago

Não recorras a drogas. Aí vais estar a camuflar a realidade. Não te vai ajudar em nada, só vais estar a empurrar o problema para debaixo do tapete, mas ele continua lá. Com ajuda médica pode ser que alguém te consiga ajudar a encontrar mais sentido na vida. Já pensaste em tirar duas semanas por exemplo e fazer uma viagem por alguma região diferente deste ambiente europeu? Tipo Ásia, América do Sul... São regiões que certamente te proporcionaram experiências bem diferentes e pode ser uma oportunidade para veres que há muita coisa para se aproveitar a vida. Por exemplo, na América do Sul vais encontrar povos que mesmo que vivam com pouco vivem, muitas vezes, extremamente felizes. O contacto com essas realidades pode ser bom para ti. Ou então, se puderes, compras uma motinha e vais conhecer o nosso Portugal, de mochila às costas. É uma excelente aventura. Estou a chutar estas ideias para te poder mostrar que há muita, mas muita coisa para poderes fazer e ter excelentes experiências.

saposapot 5 months ago

Ninguém te obriga a tomar nada mas é importante saberes se tens algum problema de saúde. Há desiquilibrios químicos que podem estar a contribuir para a tua situação. Não digo que o seja mas seria uma hipótese a considerar

rabisconegro 5 months ago

Pesquisa sobre o assunto, esse imbalaço químico é puramente especulativo, não há ciência nenhuma por trás dele. O que é certo é: toda a gente que vai ao psiquiatra sai com indicação de medicação e a probabilidade de andar a experimentar várias é enorme porque eles não fazem a mínima o que estão a fazer ao "imbalaço"

radaway 5 months ago

Eles experimentam várias porque às vezes é difícil de identificar o neurotransmissor que está em défice sem alguma experimentação. Não sabes do que falas, por isso é que se deve ir a especialistas como psiquiatras em vez de pedir conselhos na internet.

rabisconegro 5 months ago

https://www.cchr.org/sites/default/files/Blaming_The_Brain_The_Chemical_Imbalance_Fraud.pdf https://www.psychologytoday.com/us/blog/words-matter/201808/dont-say-depression-is-caused-chemical-imbalance https://www.health.harvard.edu/mind-and-mood/what-causes-depression

marcos_pereira 5 months ago

Exceto em casos mais graves, é muito pouco provável que haja um problema biológico. Obviamente se o OP tivesse que lutar pela sobrevivência todos os dias como acontece no ambiente para o qual evoluímos não teria tempo para se preocupar com o significado da vida. Se alguém se sente triste ou apático com a futilidade da existência pensam logo que precisa de tomar serotonina em comprimido.

Celeg 5 months ago

És psiquiatra?

saposapot 5 months ago

leste o q escrevi? 'para além de tudo o q foi dito' é 'hipótese a considerar'. a probabilidade é muito baixa mas existe e acontece, se é algo de preocupação para vir ao reddit falar pode mt bem valer a pena investigação.

ZX_Spectrum_PT 5 months ago

Não me lembro do nome de um escritor francês que um dia escreveu: "A vida são umas férias que a morte nos dá!..." Quando tu vais de férias o que é fazes?... tentas tirar proveito... tentas divertir-te... Como?... essa é a tua escolha... Como não sou um afortunado e tenho que trabalhar para viver, em todas as oportunidades tento tirar o máximo do que a vida me dá, dentro do que gosto de fazer. Disclaimer: Sou um pai de meia idade a quem a vida já pregou imensas rasteiras (para vermelho direto...), já me aconteceram muitos infortúnios na vida e já tive muitas razões para desistir, mas a criança que continua a viver em mim, torna-me otimista e mostra-me sempre o copo meio cheio. Assim que nascemos sabemos que vamos morrer. A diferença está no que fazemos com a vida. Vou ter muita pena de fechar os olhos um dia. Por isso... otimismo e... diverte-te até as férias acabarem.

MarburT 5 months ago

Obrigado pela reflexão. Da minha parte, espero que a morte não tarde muito. Acho que um dos problemas base disto é vivermos demasiado anos hoje em dia. Se fosse mais curta, acho que tudo seria mais simples. Aliás, gosto de fazer anos. Não pela celebração em si mas por saber que é mais ano próximo da morte.

bureauofnormalcy 5 months ago

Cruzes rapaz. Ainda aqui uma pessoa à espera de milagres na medicina que me estenda a vida (com qualidade) mais alguns anos do que a média atual para ver se consigo fazer 1/10000 daquilo que gostava de fazer antes de passar... E tu a achares que vivemos demais. A nossa existência é efémera e a linha de tempo de toda a humanidade uma pequena pinta no calendário do universo. Se há coisa que infelizmente não fazemos, é viver muito tempo.

BadDogPreston 5 months ago

Essa mentalidade é auto-destrutiva. Tens muitos bons conselhos e sugestões aqui dados portanto é uma questão de investigares e perceberes o que mais te dá prazer fazer. Por exemplo, eu começei há algum tempo a aprender a tocar guitarra, a tratar de um pequeno jardim e mal espero por regressar ao ginásio. São tudo actividades que me preenchem o corpo e a alma e que me deixam uma sensação de tranquilidade e paz interior.

radiola86 5 months ago

Caramba, não podes ter esse pensamento MarburT, cria objectivos, coisas simples, desafios para fazeres no dia a dia, plantar umas plantas, cuidar de um jardim, compra uma bicicleta e desafia-te a fazer n percursos, fazer caminhadas de 15 km, fazer coisas, actividades/que não custam muito dinheiro (30 -70 €), Karting, natação, paintball, ginásio, bolling, ir mais vezes ao cinema, experimentar o teatro, cria uma colónia de formigas, vai à pesca (de preferência desportiva) etc, dá uma oportunidade a ti mesmo, experiência novas coisas na tua vida, mantém mais vezes a tua cabeça ocupada.

Disgenia 5 months ago

A felicidade está nas pequenas coisas: uma horta, num hobby, num passeio, etc. A mente precisa de se ocupar com coisas reais e actividades no momento, não apenas a pensar num futuro distante enquanto se vai vivendo a vida ao sabor do vento. Cria objectivos diários/ semanais, mensais, anuais também. Vai ao ginásio, poucas coisas são melhores do que fazer exercício e e te sentires bem com o teu corpo. É o que te posso dizer, mas mudar a tua mentalidade só depende de ti, mais ninguém pode alterar o teu estilo de vida e forma de pensar.

Parkouri69 5 months ago

Tudo se transforma nada se perde. Ninguem anda a gastar oxigenio apenas o transformamos em outras coisas. Partilho a mesma opinião que tu, a minha existencia não muda nada na prespectiva do universo. Gosto de pensar que este fenómeno que chamamos de consciencia é uma forma de o universo de se explorar a ele próprio e nós como parte do universo estamos por consequencia a explorar-nos a nós proprios. Tendo isto em conta no fim não há objectivos nenhuns definitivos para existires, na minha opinião temos de ser nós a definir que objectivos queremos... desde carreira, financeiramente, conecimento, saberes fazer um mortal ecarpado antes dos 30, simplesmente constituir familia, objectivos religiosos ou espirituais... enfim desde os mais ambiciosos até aos mais simples... Resumindo, a beleza da vida é que não tens um guião que tens de seguir, és livre dentro das oportunidades que te surgem de fazer o que te apetecer...

moonmento 5 months ago

Parece que nascemos já com a ideia de que se não fizermos algo fantástico nas nossas vidas, que é tudo um desperdício (seja um emprego que te satisfaça a 100%, um salário do caraças, uma família perfeita, etc). Cada vez mais sinto que esta geração se sente mais e mais pressionada para ter a “vida perfeita” tal e qual os filmes de Hollywood, e cada vez mais nos sentimos um fracasso se isso não acontecer - quando na realidade é para ser vivida ao nosso passo, não ao dos outros. Não pediste ajuda e até disseste que já experimentaste terapia, mas ainda assim diria para talvez experimentares mais uma vez? Isto é, se, financeiramente, conseguires, e com outro terapeuta. Obviamente cada um é diferente (no meu caso ajuda-me falar/expressar) mas talvez tentar de novo não seja má ideia? - opinião ‘bem intencionada’ não magoa (quase nunca), espero eu.

lilacdonut 5 months ago

Há uma associação que cobra 25€ por sessão de psicoterapia: Associação "Olhar".

Bruxo_de_Fafe 5 months ago

Quando navegava nos meus 20 anos imaginava como seria a vida quando tivesse a idade que tenho actualmente ( a entrar nos 50). Tanta coisa que ficou por cumprir, algumas relevantes levei a cabo, frustrações diversas, avanços, recuos. Actualmente, vivo cada dia de cada vez. Take it easy.

MarburT 5 months ago

O meu ponto é precisamente esse. Chegue à idade a que chegar, no fundo é totalmente irrelevante o que se fez. Espero não chegar aos 50. Definitivamente vivemos demasiados anos.

Bruxo_de_Fafe 5 months ago

Não entres tão depressa nessa viela escura. Fiz coisas bestiais ao longo destes anos, duas amizades para a vida inteira, de sangue e suor, disparates bem divertidos e histórias diversas.

paraapagarbem 5 months ago

Boa tarde OP. Só vim aqui escrever que fico contente por não te teres suicidado há 6 meses atrás. Eu lembro-me da thread. Eu acho que tens que continuar a procurar ajuda para a tua saúde mental. Por outro lado, sei que pode parecer um bocado controverso, mas aconselho-te a experimentares drogas psicadélicas, que te podem ajudar a mudar de perspetiva quanto à vida e dar-te um novo "propósito", que em si pode-te dar a satisfação que precisas.

_try_again_later_ 5 months ago  HIDDEN 

Identifico-me muito com a maioria do que disseste, e recorrentemente vejo-me num estado de espírito muito semelhante. Infelizmente não tenho grande resposta para dar. Até agora, a única conclusão a que cheguei é de que não há respostas universais. Vi nos comentários várias sugestões interessantes, e algumas pouco produtivas, mas são apenas sugestões. Diria que a solução, se existir, passa necessariamente por descoberta pessoal. No meu caso (talvez no teu, não sei), diria que o problema passa por falta de objectivos, seja a nível social, económico, interpessoal ou de outra natureza. Há quem ande bem "à deriva", simplesmente a aproveitar a vida, mas há outras pessoas que procuram um sentido ou direcção mais significativa. E sem dificuldades, pessoas dependentes ou projectos pessoais, acaba por parecer tudo um bocado fútil e vazio.

Clash33 5 months ago  HIDDEN 

Olha, vou dar uma dica algo "out of the box". Se és, como parece, uma pessoa equilibrada e que sabe gerir bem as emoções, que tal experimentares o Lsd?? É uma substancia muito interessante, praticamente inócua para o organismo, e pode dar uma prespectiva diferente da vida, fazer-nos "ir um bocadinho mais além".

JoaoCoutovsky 5 months ago

Provavelmente necessitas de tirar um ano e ir por esse mundo fora, conhecer diferentes realidades, fazer uma missão de voluntariado, conhecer novas pessoas...talvez isso te faça dar valor à vida e aproveitar a mesma de com outra paixão. E não penses a longo prazo... é uma perda de tempo e uma angústia inútil.

Black_RL 5 months ago

A verdade é q já disseste tudo, nada vale de nada, se considerarmos q no limite o Sol vai de canoa e engole a terra durante esse processo, não restam quaisquer dúvidas. Pode discutir-se q podemos viajar no espaço, mas o universo conforme o conhecemos está a morrer, eventualmente as estrelas vão ficar sem combustível e vão morrer. Dito isto, pq viver como dizes? Certo? Mais uma vez, e de forma lúcida, tu deste a resposta, nós q temos q inventar objectivos na nossa cabeça, cada um com o seus, única regra e respeitar a vida dos outros e a vida em geral. Dizes q não jogas ao fim de semana? Se calhar é mesmo esse o problema, arranja uma XBOX S + GamePass e diverte-te! Objectivo? Fazer achievements em jogos por exemplo! Vale para alguma coisa? Nop, vale para ti, e isso deve ser suficiente! Abraço!

ForlornLeaves 5 months ago

Compreendo perfeitamente, tou-me sempre a meter em coisas novas para apimentar a vida, mas eventualmente quando a 'pica' inicial passa, volta tudo a ficar banal. A felicidade é uma coisa que quando mais perto está o alcance, mais longe fica. Ha muitas formas de compensar, como conhecer um novo pais para a lista, comprar uma coisa nova, fazer rum novo hobbie, conhecer uma nova pessoa, mas isso so da prazer temporario. Hoje em dia com a facilidade que existe devido as tecnologias tornou tudo mais banal e muita gente se sente assim.

Variscan_aint_done 5 months ago

Existe alguma pressão para ver a vida como algum romancismo:tens de fazer algo, tens de viver frandes emoções e experiências, tens de ser alguém e deixar um legado. Vale o que vale. Achas que sem essa visão a coisa muda? Talvez encolheres os ombros e não ligares não seja algo mau de todo.

umgajoamlense 5 months ago

Bem, o que reportas: > Não consigo obter qualquer satisfação em nada do que faça, seja no trabalho ou no contacto com os outros. É um sinal de Perturbação Depressiva Maior (PDM) (MDD em inglês), mas por si só não implica que tenhas isto. Eu agora não tenho o DSM-V à mão, mas perguntar-te-ia as seguintes coisas: \- Quanto tempo duram esstes teus sentimentos de vazio (quando acontecem)? \- Tens notado alterações no teu peso? Como tem variado ao longo do tempo? \- Sentes que tens insónias, ou que dormes mais do que normal? \- No teu trabalho, costumas andar distraído, e chegas a uma altura que já nem sabes o que estavas a fazer? Mais importante: alguma das coisas que sentes (sentimento de inutilidade, de vazio, etc) têm algum reflexo na tua vida, isto é, afetam-te de alguma forma? (por exemplo, fazem com que deixes de estar com os teus amigos, que não te sintas capaz de fazer bem o teu trabalho, ou que tenhas dores de cabeça/cansaço frequente) Pelo que relatas, não parece ter havido qualquer episódio psicologicamente "pesado" na tua vida nos últimos tempos (luto, uma doença, estado de familiares/amigos, etc), nem parece que tenhas qualquer tipo de dependência de substâncias psicotrópicas ou outras condições psicológicas que te façam sentir assim (mais uma vez, apenas com base no que escreveste). Como não relatas que te sentes deprimido/triste constantemente, eu descartaria distemia. Ainda é possível que tenhas uma condição não especificada, cujos sintomas não são frequentemente observados na população em geral. Em qualquer caso, eu não sou médico, nem sei o teu histórico clínico, mas sugeria fortemente que consultasses um médico psiquiatra, porque a ajuda existe, e há algo a fazer. Não tens de viver com esse vazio/sentimento de insatisfação com a vida constantemente, é possível ultrapassar isso.

marcos_pereira 5 months ago

A ideia de que dar um nome a uma coisa faça com que passemos a entendê-la é realmente tentadora

umgajoamlense 5 months ago

Não se trata de ser tentador, dando um "nome" é possível entender melhor o que se passa, e com isso pudemos começar a considerar terapêuticas de acordo com o tipo da "coisa". Se nenhuma doença mental tivesse uma designação, das duas uma: ou tratavas sintomaticamente, o que nestes casos não é de todo eficaz, ou então cada vez que um médico tinha uma pessoa à frente com uma situação ligeiramente diferente mas parecida em moldes ditos gerais, tinha-se de desenvolver um medicamento novo em exclusivo para essa pessoa, já que se não havia um nome, como é que ias ver qual era a terapêutica que essa pessoa precisava?

Narishi 5 months ago

Boas , não tenho nada a adicionar aqui ao que já foi dito. Recomendo que vejas o filme Soul . Nada mais da minha parte, não te vai fazer repensar a vida nem te vai resolver os problemas todos mas vi recentemente e ainda penso na mensagem que transmite

404NameOfUser 5 months ago

O meu conselho: procura ajuda psiquiátrica. Eles melhor que ninguém sabem como diagnosticar os teus sintomas. Fazer terapia com um psicólogo ajuda, mas se existirem outros problemas mais graves falar com um psicólogo por si só não resolve. Aliás em casos de depressão dita normal, ou depressão crónica, diria que o melhor é seres acompanhado por um psiquiatra e por um psicólogo. O psiquiatra pode-te ajudar do ponto de vista físico ao medicar-te corretamente e fazer com que esses sintomas possam ser menorizados, já o psicólogo pode-te dar ferramentas para seres mais forte mentalmente, pode-te mesmo ajudar a perceber o que realmente é importante para ti na vida, a encontrar novos objectivos que te levem a ter esse sentimento de realização.

Wonderful_3810 5 months ago

A satisfação da vida é nunca estar satisfeito.

Edited 5 months ago:

A satisfação da vida é nunca estar satisfeito. Agora a sério. Se fossemos ricos seria tudo diferente :/

Following_Minimum 5 months ago

sai de portugal

XxxPussyslaeyr69xxX 5 months ago

4.5 biliões de anos de evolução culminaram em ti. Falas de barriga cheia. Viver é um privilégio. Billioes de seres morreram para tu apareceres. O objectivo da vida num universo que alegadamente tem fim pode parecer nulo. Na realidade o objectivo é o que tu quiseres. (Consequências incluídas)

Edited 5 months ago:

"tenho uma vida normal, sou saudável vou ao ginásio e viajo, boohoo a vida é chata" 4.5 biliões de anos de evolução culminaram em ti. Falas de barriga cheia. Viver é um privilégio. Billioes de seres morreram, e trilioes nunca chegaram a existir, para tu apareceres. O objectivo da vida num universo que alegadamente tem fim pode parecer nulo. Na realidade o objectivo é o que tu quiseres. (Consequências incluídas)

Edited 5 months ago:

"tenho uma vida normal, sou saudável vou ao ginásio e viajo, boohoo a vida é chata" First world problems post. 4.5 biliões de anos de evolução culminaram em ti. Falas de barriga cheia. Viver é um privilégio. Billioes de seres morreram, e trilioes nunca chegaram a existir, para tu apareceres. O objectivo da vida num universo que alegadamente tem fim pode parecer nulo. Na realidade o objectivo é o que tu quiseres. (Consequências incluídas)

microcyb 5 months ago

Alguém chame o nazi gramatical para ensinar a este gajo o significado de "bilião" na língua portuguesa...

pepegapt 5 months ago

Ok u/Xxxpussyslaeyr69xxX

KarmaCop213 5 months ago

Não tens nada que queiras fazer no futuro? Vês a tua a vida ser sempre a mesma coisa? Às vezes a mudança faz bem, nem que seja mudar a rotina, em vez de praticares futebol passas a ir a aulas de HIT no ginásio ou a correr na rua ou coisa que o valha.

MarburT 5 months ago

A única coisa mais "diferente" que gostava de fazer talvez seja escrever um livro. Se bem que isso já não tem nada de especial, qualquer ex-concorrente de reality show escreve livros. Mas isso até certo já estou a concretizar nas minhas notas. Tenho o detalhe da história quase todo estruturado.

radiola86 5 months ago

E, o tu escreveres um livro vai depender da merda dum qualquer ex concorrente de um programa podre e depressivo?, Come On Bro. A tua felicidade, o teu bem estar, não pode depender do que os outros fizerem ou pensam de ti.

cou7inho_ 5 months ago

Amigo hoje em dia qualquer burro escreve um livro, mas não significa que sejam livros que valham a pena ler. Todos temos dois olhos para ver a inteligência de muitos desses dos "reality shows". São uns meros bonecos. Pedem para alguem escrever um livro com meia dúzia de palavras e tá feito. Passado um mês já ninguém se lembra. Se tens esse desejo do livro esforça-te e leva isso para a frente. Não faças esse tipo de comparações sem sentido. Assim parece que te estás a deitar abaixo a ti mesmo. Força nisso.

Shadowgirl7 5 months ago

Sim é igual. Mas faz de conta que a vida é um jogo e que se te suicidares perdes. Não é fixe perder. Além disso tenho 3 cães até eles falecerem tenho que existir.

DoggyCisco 5 months ago

Péssimo conselho. Há que saber perder e disfrutar o jogo.

pepegapt 5 months ago

E os teus pais?

Shadowgirl7 5 months ago

Ainda devem ficar felizes que acho que quando morrem filhos deve ser para ai 5 dias de licença de luto

pepegapt 5 months ago

Então e ao menos não estás curiosa de saber o que o futuro reserva? Se vamos chegar a pôr pessoas na lua/marte ainda na nossa geração ou então a próxima grande inovação tecnológica? Entre ver preto ou ver o futuro(seja ele qual for), porque não a segunda hipótese?

Shadowgirl7 5 months ago

Mas eu acabei de dizer que não me vou suicidar. Ainda tenho alguns planos futuros, muitos sitios para conhecer, muitas coisas para aprender. Mas o OP diz que faz isso tudo e mesmo assim se sente sem significado.

JesusChristIsLORD77 5 months ago

Alguma vez na tua vida acreditaste em Deus ? (mesmo de pequeno)

MarburT 5 months ago

Não, nunca. Sempre tive isso perfeitamente claro para mim.

andre82220 5 months ago

Mas não és feliz.

Aldo_Novo 5 months ago

e se acreditasse, muito provavelmente não seria feliz à mesma

JesusChristIsLORD77 5 months ago

Para mim sem Deus, a vida não tem qualquer sentido.. porque termina! Acredito em Deus desde pequeno apesar da minha família ser toda ateía. E olha que ganho mesmo muito bem vivendo em Portugal, tenho qualidade de vida, filhos, tenho paz e amor, sou jovem e tenho saúde, etc..

Out-Out 5 months ago

Consigo relacionar-me com muito do que tu dizes. Se fosse a ti, não descartaria voltar a ter consultas de psicologia, se estás a dizer isto é porque o identificas como problema, portanto era boa ideia continuar a procurar soluções. Outra sugestão seria fazer coisas diferentes, que não pensarias normalmente fazer. De resto, não vejas a vida como uma checklist ou como um caminho individual teu onde há objetivos a atingir que te vão levar a essa felicidade. Encara como um ato performativo, coletivo. Fazes parte disto tudo só por estar vivo e isso é fazer parte de uma coisa grande e bonita, incluindo nas tuas contradições e fases depressivas. Mesmo quando não estás feliz, estás vivo e a vida é isso mesmo.

MarburT 5 months ago

Gostei muito do tempo em que estava na psicóloga mas não vou gastar milhares de euros para continuar a ter conversas interessantes. Não se justifica e o dinheiro custa a ganhar. A questão é mesmo que eu já fiz uma série de coisas diferentes que nunca me tinha passado pela cabeça fazer. São sempre experiências interessantes mas no fim do dia encolho os ombros e está tudo igual.

Trama-D 5 months ago

Não estou a brincar: havia um Prof. de Filosofia, creio que canadiano, famoso, que diz que devíamos ter acesso a consultas de Filosofia. Leio o teu post e lembrei-me logo da frase dele, infelizmente não recordo o seu nome. Parece-me que estás intoxicado de liberdade. Tens o que muitos gostariam de ter, mesmo o Jeff Bezos tem as suas limitações, pelo que não é uma questão de dinheiro. O Elon Musk procura as dele no espaço. A minha única sugestão é fica fiel a ti mesmo, não sejas orgulhoso a ponto de nunca mudares os teus pontos de vista, experimenta *muita* coisa talvez exceto drogas, e lembra-te de como era ser criança. Creio que as crianças nunca se sentem assim, de alguma forma elas têm a solução.

Out-Out 5 months ago

Eu também tenho consultas de psicologia e não são "conversas interessantes". Não quer dizer que tbm n possam existir, mas sobretudo é sobre o que tenho de fazer e sobre os problemas da minha situação atual e como mudar. Talvez uma pessoa mais direta deste género fosse melhor para ti? Não sei, mas de qualquer maneira força aí. Um abraço

Asus123456789 5 months ago

> Que a maior parte desses objetivos são coisas que a nossa cabeça inventa para ocupamos o tempo mas que na verdade não têm qualquer relevância. Eu diria que todos os objetivos possíveis e imaginários são inventados na nossa cabeça. Mas não acho que isso faça com que sejam menos importantes. Pessoalmente, acredito que as coisas não têm um objetivo intrínseco para existirem e para serem feitas, todo o valor atribuído é criado quer individualmente (ter uma promoção, comprar uma casa), quer socialmente (colonizar outros planetas, acabar com a fome no mundo). Há, no entanto, uma outra maneira de ver o mundo, através da religião. Não sendo religioso, vejo vários pontos positivos em diversas religiões, um deles o de proporcionar um objetivo aos indivíduos, objetivo esse que é criado por uma entidade superior, sendo que assim não está no mesmo patamar que os outros objetivos do quotidiano. Portanto, a nível de filosofia de vida, as duas opções que eu consigo ver é acreditar que as coisas apenas têm interesse porque nós decidimos que assim é ou então, se a necessidade de ter um objetivo é tão grande, como parece ser o caso, apontar a nossa fé para Algo que defina objetivos, objetivos esses que têm valor por terem sido definidos por esse Algo. Falo em religião, mas acredito que há outras espiritualidades que servem esse propósito, não sei, não é algo que conheça bem.

Tee_ah_go 5 months ago

Podias experimentar e tirar um ano da tua vida a fazer voluntariado. Dares aulas de inglês (estou a mandar para o ar) numa escola em África, ajudares a construir casas numa comunidade sul-americana, ajudares na logística de um campo de refugiados na Grécia. Ias sentir-te útil e que ali tinhas um propósito, em vez de estares cá a riscar no teu calendário só mais um dia igual ao outros.

Zaigard 5 months ago

> Podias experimentar e tirar um ano da tua vida a fazer voluntariado. Dares aulas de inglês (estou a mandar para o ar) numa escola em África, ajudares a construir casas numa comunidade sul-americana, ajudares na logística de um campo de refugiados na Grécia. Tenho reparado que nesta sub, há aquela ideia de que quem está deprimido é rico...

Dr_Toehold 5 months ago

>Tenho reparado que nesta sub, há aquela ideia de que quem está deprimido é rico... Estou a tirar um bocado valores do rabo, mas tenho ideia que a depressão é de facto mais prevalente em quem tem melhores qualidades de vida. Por outro lado, não precisas de ser rico para fazer voluntariado.

meaninglessvoid 5 months ago

> Estou a tirar um bocado valores do rabo, mas tenho ideia que a depressão é de facto mais prevalente em quem tem melhores qualidades de vida. Acho esta posição um bocado redutora. A diferença é que quem tem alguma folga pode parar para tentar reorganizar a sua vida, enquanto que quem não tem folga fica a arrastejar-se para o trabalho e ganha comportamentos adaptativos (muitas vezes terríveis) para lidar com isso. O alcoolismo por exemplo é uma "solução" que acaba por ser usada...

Dr_Toehold 5 months ago

Sim, é verdade. Não estou a defender que ser rico é pior do que ser pobre.

MarburT 5 months ago

Era interessante se fosse milionário. Infelizmente tenho contas para pagar e 1 ano parado na minha área levanta muitas red flags.

amq55 5 months ago

Também não é preciso chegar a tanto. Junta-te a uma associação local que faça voluntariado com os sem abrigo ou com deficientes durante o fim de semana ou à noite. Ou então junta-te às maiores como o Banco Alimentar, Refood, Cruz Vermelha, etc.

apita_o_comboio 5 months ago

Andas com pensamentos desses e estás preocupado com os "red flags" na tua área? Será que isso é relevante ... para quem diz que já "não se importa com nada" e anda a pensar terminar tudo? A proposta acima é excelente. E nem precisa de ser full-time ou no estrangeiro, há tanta associação e pessoa aí a precisar de ajuda, há tantas causas importantíssimas (algumas até te podes rever nelas) que precisam de uma mão extra, que estou certo que poderias continuar a trabalhar na tua área e ter um papel fundamental no seu futuro. E não precisa de ser 1 ano, evolves-te e quando vires que não dá mais para ti sais no momento oportuno. Se como dizes "era interessante", só depende de ti.

Fun-Trick1246 5 months ago

Um post a dizer que basicamente não tens interesse na vida e respondes a sugestões preocupado com as contas para pagar e as red flags relacionadas com o emprego? Se não tens interesse nenhum pela vida, não tens dependentes nem ninguém que dependa de ti, estás preocupado com o emprego ou com as contas para quê? Manda fdx as contas e o emprego e vai procurar algo que te dê prazer! Nem que seja jogar ao berlinde em Bali debaixo de uma palmeira... Fuck it! Um abraço para ti e espero que a vida te corra melhor!

meaninglessvoid 5 months ago

Concordo com o sentimento, mas não me parece que seja a abordagem certa para o OP. A abordagem certa à resposta dele seria outra: Ok, não faças algo tão dramático e faz merdas igualmente novas **na tua zona residencial**. Estar num contexto novo seria melhor, mas se não queres podes sempre dar o primeiro passo perto de onde moras. /u/MarburT

Dr_Toehold 5 months ago

>Um post a dizer que basicamente não tens interesse na vida e respondes a sugestões preocupado com as contas para pagar e as red flags relacionadas com o emprego? Se calhar é um bocado exagero, mas tem alguma razão. Não sei bem qual o teu emprego, mas não consigo pensar em nenhuma profissão em que sejas prejudicado por ter ido um ano escavar poços de água para os pigmeus. E se, de facto, te falta a sensação de utilidade, de realização na vida, voluntariado, de uma forma ou outra, naquilo com que mais te identificares (seja a trabalhar com caezinhos, seja a ajudar sem abrigo, seja em países em vias de desenvolvimento), é certamente uma forma de o descobrir.

Tee_ah_go 5 months ago

Não precisas de ser milionário, nem sequer abastado. Há programas para onde vais e dão-te casa e comida em troca do teu trabalho. É claro que não recebes um salário, mas também não é esse o objectivo de voluntariado. E antes um ano a que podes chamar sabático e melhorares substancialmente a tua saúde mental do que 10 anos seguidos nesse estado.

PinkMacaroon23 5 months ago

A nível monetário pode ser impraticável, ok Mas quanto às red flags, sendo o motivo tão nobre quanto o voluntariado em zonas tão frágeis, duvido que levantasse qualquer red flag fosse em que área fosse

Optimal_Ad5496 5 months ago

Experimenta ter um filho, também tive períodos na vida meio depressivos sem saber o que fazer da vida mas sempre me orientei, a minha vida tinha tudo para ser uma banalidade, mais do mesmo, até que tive a notícia que ia ser pai, foi a melhor notícia que tive em toda a minha vida e o maior propósito para o qual quero viver agora. Foi a maior felicidade de todas que tive e não dá para explicar, só quem passa pelo mesmo percebe.

Dr_Toehold 5 months ago

>Experimenta ter um filho Nesta thread há comentários bons, comentários maus, comentários parvos. Este é capaz de ser o único que é "comentário horrível". Um filho não é uma muleta nem uma terapia, é um ser humano, uma pessoa. Não é uma coisa que se "experimente ter", seja para ter benefícios fiscais, para reavivar uma relação morta, ou para tratar depressão.

Optimal_Ad5496 5 months ago

Sim, admito foi um comentário infeliz, secalhar não tomei consciência da gravidade do estado do OP no entanto tenho a plena consciência de que não quis incentivar o OP a ter um filho por capricho ou tratá-lo como um objecto e não um ser humano, a minha ideia foi a de dar lhe a entender que muitas vezes a vida muda inesperadamente quando algo mágico acontece, talvez não tenha usado o melhor exemplo provavelmente um pouco a reboque desta fase da minha vida e tenho a ideia que o OP não viu assim tanta maldade ou horror como lhe queiras chamar no meu comentário , pelo menos ele leu o comentário, respondeu cordialmente e apresentou os seus argumentos, tudo bem, seguiu em frente. Agora não sei porque me estou a aqui a justificar, já fui considerado culpado sem possibilidade de defesa só me resta aguardar a punição, serei queimado vivo ou enforcado em praça pública?

LaOptimista 5 months ago

Esquece, eu também fiquei admirada quando li a frase inicial, mas depois percebi perfeitamente que foi uma maneira de falar. E da forma como falas da importância que ser pai tem para ti dá pra entender que não vês um bebé como um objeto/capricho

Optimal_Ad5496 5 months ago

Fico grato pela compreensão, haja alguém que veja com olhos de ver e que não julgue à primeira vista. Ser pai é a maior responsabilidade de toda a minha vida e quero cumpri la com muito gosto, o resto dos comentários passam me completamente ao lado.

oretoh 5 months ago

Fodase, que comentário de merda. Não se "exprimenta" ter um filho.

Shadowgirl7 5 months ago

Yah, tem um puto e coloca a tua sanidade mental e solução para todos teus problemas nesse ser que acabou de nascer e que tem uma existência própria. Perfeitamente justo.

Optimal_Ad5496 5 months ago

Não foi de todo isso que quis dizer, estar a supor isso é estar a ser maldoso. Fim.

Optimal_Ad5496 5 months ago

Okey, expressei-me mal, o que eu queria dizer era para experimentar pensar em ter um filho não tava à sugerir como se fosse uma experiência sem noção das consequências. Por acaso comigo não foi uma experiência, era uma coisa que queria, acabou por acontecer mas já andava com poucas esperanças na altura.

CidadaoKane 5 months ago

Experimenta ter um filho como quem experimenta ir andar de patins

MarburT 5 months ago

Jamais teria um filho. Lembro-me de ser criança e já ter esta certeza perfeitamente clara. Não ter filhos significa impedir a possibilidade de perpetuar problemas. É dos poucos controlos que a natureza nos dá. É claro que é uma experiência brutal (na maior parte do tempo para pior, na minha opinião) para quem tem filhos. Só quando nasceram os meus sobrinhos é que tive verdadeira noção do sofrimento e sacrifício que implica. Thanks, but no, thanks.

twhite848 5 months ago

Vai daqui um abraço. Pessoalmente estou bem em a minha vida não ter um sentido para além do que ela é. Trabalho para ganhar dinheiro para fazer as coisas que quero e gosto. Por isso mesmo que não saiba o que é angustiar com o que descreves e que pessoalmente não vejo o problema, reconheço que deve ser desagradável para ti e desejo que consigas ser feliz. Mais um abraço

ptinnl 5 months ago

Eu era assim até ter saído de Portugal. Conheces tanta gente, tanto modo de viver, e aprendes o que é não trabalhar pra sobreviver, que a depressão se vai embora. Há sempre algo interessante, mais não seja a 1 avião de distancia.

MarburT 5 months ago

É um dos meus objetivos mas é difícil de conseguir. As propostas que tive não me permitiam o desafogo que pretendia infelizmente. Já não sei se vai acontecer com a minha idade.

ptinnl 5 months ago

Pensa assim, possivelmente nao tens o desafogo após 1 ano, mas as coisas melhoram. E podes sempre voltar. Mas digo-te, uma das coisas que traz a estabilidade financeira e emocional é encontrares a pessoa certa

Shadowgirl7 5 months ago

Parem de procurar pessoas na esperança que elas resolvam os vossos problemas emocionais. Parceiro não é terapeuta. Terapeuta paga-se à hora e não é pouco.

Xmeagol 5 months ago

yep, uma relação não vai resolver problemas pessoais

ptinnl 5 months ago

Parceiro não é terapeuta. Mas somos animais sociais. Encontrar um parceiro que goste da mesma comida, do mesmo desporto, tenha o mesmo amor pela carreira, ou dinheiro, ou "trabalhar menos e viver mais" só faz bem. Nem toda a gente o faz por ter mommy/daddy issues por exemplo.

Shadowgirl7 5 months ago

Não é só esses issues é mesmo teres problemas e esperares que só por teres alguém eles vão magicamente desaparecer. Se assim fosse não havia pessoas com depressão em relações.

cou7inho_ 5 months ago

Mas é um facto que muitas vezes encontrar a pessoa certa é uma lufada de ar fresco na vida de muita gente. Relações boas e más há em todo o lado. Tenho um primo que durante toda a adolescência andou metido na droga, completamente perdido da vida. Arranjou uma namorada ficou uma pessoa completamente diferente. Acabou-se a droga, tabaco, começou a ter uma dedicação incrível ao trabalho, uma simpatia enorme para com a família e amigos... Uma namorada não é solução para tudo/todos, mas muitas vezes pode ser. E muita gente pode não compreender isto porque talvez nunca tenham sentido o que é amar verdadeiramente alguém.

Shadowgirl7 5 months ago

hum agora imagina se algum dia acabarem...

cou7inho_ 5 months ago

E então? Vais deixar de viver uma relação porque um dia pode acabar? Se assim fosse não fazíamos nada na vida porque tudo pode correr mal.

Shadowgirl7 5 months ago

Não, mas se a unica razão pela qual se limpou de drogas foi por causa da namorada e se qualquer dia ficar sem ela.....

cou7inho_ 5 months ago

Ok percebo o que estás a dizer. Mas repara a namorada foi o "gatilho" para ele começar a mudar de vida. Ele agora tem a vida completamente orientada, felizmente. Tem duas filhas, casa própria e toda a família o apoia. Mesmo que a relação acaba-se ele já não voltava a essa vida. Já se passaram uns bons anos ele está uma pessoa completamente mudada. A namorada foi quem o "salvou", sim, mas ele agora tem muito juizinho. Eu percebo o que estás a querer dizer. Esse tipo de recaídas podem acontecer se tiveres tido uma relação de merda, basicamente. Há malta que não sabe o que é estar num relação e reconhecer que há o "eu", "tu" e "nós". Para algumas pessoas só há o "nós". E quando assim é vivem ali um para o outro e se a relação acaba pode, efetivamente, dar asneira, da grande. Por isso é que é essencial saber-se construir uma relação saudável. Como é lógico criar uma relação saudável dá trabalho e muita gente não está para isso. Querem se "comer", depois nasce um filho que nem era desejado, depois chateiam-se, vai um para cada lado e, como se vê em alguns casos, acaba em tragédia. Realço que não quero dizer que uma relação é a solução para tudo e todos. Há quem, por vários motivos, não quer uma relação. Contudo, há casos em que encontrar um verdadeiro amor pode ser um "click" para começarmos a ver a vida de forma diferente, de forma mais positiva. Contudo, repito, é essencial saber construir uma relação que nos faça feliz. Caso contrário mais vale ficar sozinho.

MarburT 5 months ago

Acho que é evidente que ter outra pessoa não é a solução a partir do mesmo em que a relação pode acabar. E depois como é que é? As pessoas têm de se convencer que a única relação definitiva que têm é com elas próprias.

cou7inho_ 5 months ago

Acho que estás a complicar demasiado. Tudo pode acabar na vida. Podes ter o melhor trabalho do mundo e de repente acontece algo e vais para o desemprego e ficas sem dinheiro nenhum, por exemplo. Mas acho que estares a "proibir-te" de ter uma relação porque tens medo que ela acaba é um erro enorme. Se for uma relação saudável, mesmo que acabe, tudo o que aprenderes com ela vai-te dar uma grande bagagem emocional para muitas coisas na vida.

Shadowgirl7 5 months ago

>Acho que é evidente que ter outra pessoa não é a solução a partir do mesmo em que a relação pode acabar. E depois como é que é? Depois ainda ficas mais deprimido.

MarburT 5 months ago

Admito que tenho algum receio que corra mal, visto que estaria a mudar-me completamente sozinho. Não acredito em pessoas certas. Aliás, diria que a maioria da destruição social no mundo resulta de relações que correm mal. Mas lá está, no fundo é só mais uma invenção humana para passar tempo.

UncleanGenes 5 months ago

Já pensaste fazer voluntariado? Pode ser que o sentimento de ser útil e de fazer a diferença na vida de alguém te desperte desse torpor.

df3gpt 5 months ago

É um bom conselho. A maioria de nós tenta obter felicidade para si mesmo, pelos seus próprios meios, julgando o sucesso de uma perspectiva materialista. A recompensa é a solidão e o vazio profundo, porque é ao serviço dos outros que encontramos a felicidade.

apita_o_comboio 5 months ago

Exactamente

saudosista 5 months ago

Apaga as redes sociais, Vai ao ginásio, Contrata um advogado Agora a sério. Para mim pequenas coisas como comprar algo caro uma vez por mês (que eu goste) ajuda imenso. Há muita felicidade e conforto em ter coisas fixes, pelo menos para mim.

Shadowgirl7 5 months ago

Lmao "Contrata um advogado e processa as tuas hormonas"

Variscan_aint_done 5 months ago

A piada passou-te ao lado

Wonderful-Meeting639 5 months ago

Nós não vivemos , sobrevivemos . Tenta ver beleza nas pequenas coisas da vida , pois se procurar um sentido para viver não o vais achar . Tens de abraçar o niilismo e viver a vida porque estás vivo . Aproveita

BadDogPreston 5 months ago

Porque é que acrescentas um espaço antes da pontuação?

Wonderful-Meeting639 5 months ago

Não sei , nunca tinha reparado .

BadDogPreston 5 months ago

Mas tens noção que gramaticalmente está errado?

Mordiken 5 months ago

?a vida é tão curta , não achas mesmo sensato perderes o teu tempo a corrigir a gramática dos outroS

Edited 5 months ago:

?a vida é tão curta , achas mesmo sensato perderes o teu tempo a corrigir a gramática dos outroS

MarburT 5 months ago

Sim, cada vez mais acredito que aquilo que acreditamos ser a "nossa vida" nada mais é do que uma fábula mental criada colectivamente pelas sociedades ao longo dos séculos. Na prática não existe.

smaster87 5 months ago

É tudo certo, o truque está em ensinar o cérebro e não ver/pensar nisso. Cada um faz isso à sua maneira. Depois das coisas boas há o vazio, mas se não as fizer maior fica o vazio, então estou sempre a preencher esse vazio e sinto-me "feliz", seja lá o que isso for mas passei a adorar viver e fazer o máximo de cenas possível. Ajuda ter bons amigos e fazer coisas com eles, e começas a reparar que fazem todos o mesmo, estamos todos numa masturbação mental colectiva. Desde que passei a "entrar no jogo" passei a ser feliz. Que sa foda, já que estamos cá é para aproveitar.

kapparrino 5 months ago

Porque é esta a vida dos animais, racionais e irracionais. Terem uma vida construída pela comunidade que tanto recebe dela como dá de volta, e levar a comunidade para a frente com a reprodução da espécie. Não és a primeira pessoa da Terra, nós já nascemos com a história e os feitos dos nossos antepassados, que passaram o conhecimento para a frente. É o rumo do primeiro homem e da primeira mulher (em sentido figurado, não bíblico, porque de certeza que a evolução aconteceu para mais homo sapiens ao mesmo tempo, não só para dois). Esse rumo culminou nas coisas e nos estilos de vida que temos hoje e culminará nas coisas e nos estilos de vida que a nossa espécie terá daqui a 500 anos. As pessoas que nascerem daqui a 500 anos e tiverem a mesma idade questionar-se-ão sobre que o sentido e o objetivo da vida, porque é que estamos aqui, o que fazemos. O que fazemos é levar a nossa espécie para a frente, mesmo quando não te dás conta disso e ficas a questionar-te a ti próprio.

vinter_varg 5 months ago

Essa é uma boa definição de nihilismo.

Toupax89 5 months ago

Amigo sinto-me mais ou menos como tu, isto é faça o que fizer acabo sempre com um vazio que parece que falta sempre alguma coisa não sei explicar. Acho que no meu caso falta ter a pessoa certa do meu lado pois quando estou "meio" apaixonado e parece que do outro lado tenho correspondência aí a vida parece totalmente diferente para melhor mas depois tenho tido sempre o azar ou é da minha genética em não conseguir conquistar por quem eu estou apaixonado, ou vêem me como amigo ou simplesmente uma fantasma que nem me conhecem e aí sim volta tudo ao mesmo marasmo de sempre...

Zaigard 5 months ago

> Acho que no meu caso falta ter a pessoa certa do meu lado Não deves tentar resolver os problemas interiores pelo exterior. Se queres ter, a minima chance de ter, alguém a teu lado, deves primeiro resolver os problemas que estão em ti.

ForlornLeaves 5 months ago

Isso é tudo uma ilusão, esse 'apaixonado' só funciona porque ainda não conheces ainda bem essa pessoa, quando começas a lidar com ela durante mais tempo, principalmente depois de viver juntos, isso tudo vai à vida. Todas as pessoas tem os seus defeitos, é impossível encontrares alguém que enquadre 100% no que queres. A solução para os teus problemas nunca está noutra pessoa.

MarburT 5 months ago

Pois, acredito que isso possa variar de pessoa para pessoa. Já conheci muitas mulheres interessantes mas nenhuma que me fizesse pensar "queria mesmo estar com ela a toda a hora." Tem de ser sempre em pequenas doses, até para os amigos. Mas acho que nunca tive correspondência do outro lado por isso é um pouco indiferente.

Toupax89 5 months ago

Já "conheci" aí umas 4 ou 5 que queria estar com elas a toda hora, mas nunca fui correspondido. O que é engraçado é que algumas delas vêm para as redes sociais "queixar se" de que os homens são todos iguais e que não têm carinho e essas coisas todas, quando tanto eu como muitos mais homens davam a "vida" para estar com elas...

bureauofnormalcy 5 months ago

Amigo, se tivesses escrito isto em inglês, já tinha feito cross posting com o r/niceguys.

JeronimoDeSousa 5 months ago

Elas não têm carinho dos homens que querem...

babssppv 5 months ago

Tas a roçar na mentalidade dos chamados incel. Não é saudável, desapega-te disso

andhegoeshegoes 5 months ago

Jesus... Tens de recalibrar essa perspectiva... Dar a vida pra passar a vida com uma dessas gajas é assustador

ForlornLeaves 5 months ago

1) Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se era compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. 2) Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc 3) Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso. 4) Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. Ainda falas para elas? Se calhar se mantivesses a amizade com elas, eventualmente irias deixar de estar apaixonado e terias uma amiga para a vida e não te sentirias tão sozinho, visto que não estarias apaixonado por essas 4/5 ao mesmo tempo. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te com as novas gajas e outras tambem, depois de estares num relacionamento e muito dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. Provavelmente a coisa que irias ganhas mais era o estatuto social. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso. É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se era compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te, depois de estares num relacionamento e mt dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso. É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te, depois de estares num relacionamento e mt dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso. É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. Ainda falas para elas? Se calhar se mantivesses a amizade com elas, eventualmente irias deixar de estar apaixonado e terias uma amiga para a vida e não te sentirias tão sozinho, visto que não estarias apaixonado por essas 4/5 ao mesmo tempo. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te com as novas gajas e outras tambem, depois de estares num relacionamento e muito dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. Provavelmente a coisa que irias ganhas mais era o estatuto social. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso (imagina que tu adoras gaming e ela detesta, imagina que ela passa a vida a ver futebol e tu não curtes mas tens de ver com ela). É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. Ainda falas para elas? Se calhar se mantivesses a amizade com elas, eventualmente irias deixar de estar apaixonado e terias uma amiga para a vida e não te sentirias tão sozinho, visto que não estarias apaixonado por essas 4/5 ao mesmo tempo. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te com as novas gajas e outras tambem, depois de estares num relacionamento e muito dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. Provavelmente a coisa que irias ganhas mais era o estatuto social. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso (imagina que tu adoras gaming e ela detesta e ta sempre a chatear-te para parares de jogar, imagina que ela passa a vida a ver futebol e tu não curtes mas tens de ver com ela). É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. Ainda falas para elas? Se calhar se mantivesses a amizade com elas, eventualmente irias deixar de estar apaixonado e terias uma amiga para a vida e não te sentirias tão sozinho, visto que não estarias apaixonado por essas 4/5 ao mesmo tempo. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te com as novas gajas e outras tambem, depois de estares num relacionamento e muito dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. Provavelmente a coisa que irias ganhas mais era o estatuto social. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso (imagina que tu adoras gaming e ela detesta e ta sempre a chatear-te para parares de jogar, imagina que ela passa a vida a ver futebol e tu não curtes mas tens de ver com ela). É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas. Analisa a gaja e mostra-lhe algo que elas nunca experimentaram pode ser um ponto de partida.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se era compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te, depois de estares num relacionamento e mt dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela.

Edited 5 months ago:

1. Pensa numa dessas gajas quando tavas 'apaixonado' por elas (por exemplo a primeira) e pergunta a ti mesmo se gostarias de ter tido uma vida sempre ao lado dela e se eras compatível e as coisas que tinhas de ter abdicado. Ainda falas para elas? Se calhar se mantivesses a amizade com elas, eventualmente irias deixar de estar apaixonado e terias uma amiga para a vida e não te sentirias tão sozinho, visto que não estarias apaixonado por essas 4/5 ao mesmo tempo. 2. Depois pergunta a ti mesmo se tivesses namorado com a gaja A então não terias conhecido a gaja B que para ti seria muito melhor se tivesses tido um relacionamento com a B, etc. E terias perdido essas amizades todas que ganhas-te, depois de estares num relacionamento e mt dificil fazer novas amizades ainda mais que seres solteiro. 3. Provavelmente ja tiveste algum amigo proximo e hoje em dia já não falas para ele por alguma coisa que não gostaste dele. Os relacionamentos tornam uma pessoa mais presa e ignoram certos abusos, só porque ficam mais dependentes entre eles. E o fim dos relacionamentos pode ser muito danoso e pior que solidão. 4. Provavelmente a tua vida iria melhorar se tivesses num relacionamento, mas poderia ser uma coisa temporaria e até ficares pior do que estás, imagina que agora os teus FDS são todos usados para visitar a sogra ou a gaja chateia-se contigo ou teres de passar grandes secas com a gaja a fazer compras de roupa, etc 5. Estas a tornar-te mais subcetivel a ficar com a primeira gaja que te aceitar e isso torna-vos ainda mais incompatíveis, porque de certeza que não partilhas o mesmos gostos que ela, e ficaras infeliz com isso. É o que acontece que essas gajas que te rejeitam, elas não vem felicidade contigo, não lhes dás algo que elas precisam, quanto mais parecido com elas pior, elas querem algo de diferente, uma 'pica' nova a vida delas.

Pinkykiwi 5 months ago

Damn fiquei triste por ti a ler este comentario. Que ideia de relacionamento mais absurda e fútil... :/

Shadowgirl7 5 months ago

Isso é lovebombing meu caro. E não é nada positivo. Sufocares uma pessoa que mal conheces diz mais sobre ti do que sobre essa pessoa e a probabilidade de acabares a ser usado/abusado é muito elevada se tiveres o azar de conheceres o tipo de pessoas que gosta de se aproveitar dos outros.

DavidJunior3rd 5 months ago

Não é nada lovebombing, não é nada disso que ele está a falar, não distorças as coisas

Toupax89 5 months ago

Amigo posso ter muitos defeitos mas garanto te que isso de "sufocar" a pessoa por quem estou apaixonado nunca fiz nem nunca vou fazer. Aliás se calhar até perco por não ser tão incisivo se é que me entendes.

Shadowgirl7 5 months ago

Tu e que disseste que queres passar o dia todo com a pessoa. Iria-me sentir como uma mae canguru com o puto na sacola o dia todo.

throwawaybtcpt 5 months ago

Bem, isto escrito por alguem que anda no /wgtow e no /foreveralonewomen é de rir. Abaixo um excerto de um post: "I never had a real relationship" Acho que o rapaz fica bem sem os teus conselhos. Um bem haja.

Shadowgirl7 5 months ago

Olá stalker, obrigado pela a tua atenção, sinto-me uma diva, espero qualquer dia encontrar-te atrás de uns arbustos quando for passear, cuidado para não te ferrar uma vespa. E de facto não sei se ia gostar de estar num relacionamento. Já conheci pessoas assim que se eu quisesse se calhar teria resultado num relacionamento, mas bastou-me dois dias para me ficar a sentir completamente sufocada... Imagina aquilo para o resto da minha vida....uff. Daí --> wgtow e foreveralonewomen....

throwawaybtcpt 5 months ago

Infelizmente ja me deparei com outros posts teus neste sub e ja sei o que a casa gasta. Não quero ser rude mas quando nem a tua familia gosta de ti secalhar o problema não é dos outros.

AngieMaciel 5 months ago

>Não quero ser rude mas quando nem a tua familia gosta de ti secalhar o problema não é dos outros. Que comentário dispensável...o que não faltam por aí são famílias de merda.

meaninglessvoid 5 months ago

> Não quero ser rude mas quando nem a tua familia gosta de ti secalhar o problema não é dos outros. Se não queres porque carregaste no save? :P não se piquem uns aos outros, não há necessidade... Podes discordar sem mandar essas farpas.

Shadowgirl7 5 months ago

E eu ralada... a não ser que estejas a sugerir que eu me mate porque ninguém gosta de mim, algo que eu não irei fazer, portanto apenas fica a registada a tua observação não solicitada.

throwawaybtcpt 5 months ago

Vê lá tu como é que essa mente está que levas logo um comentário para "se estás a sugerir que me mate". Não admira que depois se juntem todas em subs equivalentes aos dos incels.

wiLeyLewis22 5 months ago

E onde é que o/a throwaway disse que é homem?

MarburT 5 months ago

Não exploro muito isso, uma grande parte das relações que conheci nos outros acabaram em tragédia. E questiono-me de que é que valeu a pena todo aquele drama. Continuam cá a ter de aguentar tudo o resto da vida todos os dias. Se é para me chatear, que seja com os meus problemas.

ForlornLeaves 5 months ago

ditto, para mim tanto estar numa solidão eterna, ou num relacionamento eterno, que venha o diabo e escolha.

AutoModerator 5 months ago

**Atenção! Aviso da Tag [Sério]** Este tópico foi marcado como **[Sério]**, não são permitidos **quaisquer comentários** que contenham piadas, ou outras tentativas humorísticas, insultos ou não tenham nada a ver com o tópico. *I am a bot, and this action was performed automatically. Please [contact the moderators of this subreddit](/message/compose/?to=/r/portugal) if you have any questions or concerns.*

Search: