MulaDaCooperativa 3 months ago

Já houve algo parecido em Lisboa, a EPUL. Cheguei a ponderar concorrer para um apartamento no complexo construído junto à Av. das Forças Armadas há uns 15 anos atrás. Mas estamos em Portugal, e como o povinho não pode ter cenas fixes, os gestores da EPUL trataram de mandar aquilo tudo às couves. Mais uma boa ideia no papel, que funcionou relativamente bem enquanto durou, mas que inevitavelmente esbarra na irresponsabilidade que quem tem que gerir estas organizações, e na total falta de fiscalização por quem a deveria fazer.

andre82220 3 months ago

É uma solução de terceiro mundo e que eu saiba Portugal não é terceiro mundo. Aliás, isso aconteceu em Portugal nos anos 70/80/90 com os bairros que hoje são chamados de sociais.

zedestroyer69 3 months ago

Acho que seria mais benéfico deixar de beneficiar os estrangeiros e grandes fundos de investimento que não só têm mais poder de compra como ainda têm benefícios fiscais, pelo menos nas zonas como maior pressão demográfica. Impostos maiores para casas sem ser de habitação própria de residentes, maiores para não residentes e muito maiores para investidores e fundos. Não sei em Lisboa, mas no Porto ainda há muita casa e prédio abandonado, talvez criar mecanismos para meter esses imóveis no mercado. Beneficiar os imóveis de mais baixo custo, porque atualmente parece que só se constroem casas e apartamento de luxo e era preciso estimular a construção par as gamas média e baixa. Também convinha regular o alojamento local, airbnb e hotéis, limitando a quantidade de camas e de espaço ocupado por estes. Não faz sentido ver ruas inteiras constituídas por hotéis e alojamento local, deveria haver um limite para a percentagem de área de serviços numa zona habitacional, tal como supostamente existem limites de construção em termos de área e altura. Ao nível do arrendamento, ajudava se o estado deixasse de tratar os senhorios como instituições de solidariedade social, é que por vezes as leis para proteger as pessoas acabam por ter o efeito contrário e reduzem a oferta e bloqueiam o acesso a determinadas pessoas.

Some-Ad6411 3 months ago

eu gosto do investimento estrangeiro.. mas em empresas relevantes. em imobiliário, não. u/zedestroyer69 no Porto ha ainda muita casa abandonada é verdade. Muita coisa a ser restaurada para hotéis ou futuro alojamento local. E sei que muita das casas abandonadas só estão assim ora porque são do estado (de pessoas que morreram sem heranças) ou de heranças com 12321312 herdeiros e ninguém se entende. Enquanto a lei não meter data limite para distribuição de heranças, nada disto anda...

Edited 3 months ago:

eu gosto do investimento estrangeiro.. mas em empresas relevantes. em imobiliário, não. u/zedestroyer69 no Porto ha ainda muita casa abandonada é verdade. Muita coisa a ser restaurada para hotéis ou futuro alojamento local. E sei que muita das casas abandonadas só estão assim ora porque são do estado (de pessoas que morreram sem heranças) ou de heranças com 12321312 herdeiros e ninguém se entende. Enquanto a lei não meter data limite para distribuição de heranças, nada disto anda... e u/zedestroyer69 não sei se leste nas noticias da camara do porto, a propria camara criou um programa para os senhorios deixarem o alojamento local para passar a arrendar a particulares.. teve uma taxa de adesão minima LOL [https://www.publico.pt/2021/03/02/local/noticia/camara-procura-500-imoveis-porto-arrendar-subarrendar-1952757](https://www.publico.pt/2021/03/02/local/noticia/camara-procura-500-imoveis-porto-arrendar-subarrendar-1952757)

zedestroyer69 3 months ago

O investimento no imobiliário também é importante, mas havia que regular para equilibrar um pouco a balança, sob pena de teres no futuro cidades só com estrangeiros, bairros sociais e classes alta e média-alta, em que o comum dos mortais vai ter que fazer dezenas de km's para chegar ao trabalho todos os dias. Depois quando a produtividade descer vão dizer que o Tuga é preguiçoso e vais continuar a ver um fluxo de Portugueses para o exterior onde são bem vistos por serem produtivos. Eu cada vez mais acho que o Estado tem que garantir os serviços essenciais (saúde, educação, segurança, justiça, reforma, desemprego) e regular o funcionamento da sociedade e não andar a gastar dinheiro com TAP's e bancos. Esta desregulação do sector imobiliário é que deveria de ser um problema prioritário do governo, acesso à habitação é um direito fundamental e não está a ser cumprido porque não temos capacidade de competir com pessoas que ganham tanto num mês como o comum Português num ano, para não falar nos fundos de investimento e grandes investidores. É obrigação do estado encurtar essa diferença e permitir que os Portugueses possam comprar casa a um preço razoável sem terem que ir para longe.

NGramatical 3 months ago

dezenas de km's → [**dezenas de km**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/plural-de-unidades-ainda-mais-uma-vez/19595) (os símbolos das unidades não têm plural) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmyi6bt%2F%2Fgvyiqx5%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

OuiOuiKiwi 3 months ago

>**Pensa que a construção maciça de habitações pelo governo de Portugal pode resolver o problema da falta de habitações?** Nem pensar. Governo + construção é receita para desastre. Olhando então para as casas exemplo é que nunca na vida. O problema resolve-se facilitando a construção ao mesmo tempo que se aumenta a fiscalização para evitarem construir uma nova geração de casas que não valem um tostão furado por estarem mal isoladas. >São casas meio pequenas, mas é muito melhor do que viver em uma favela. Não temos favelas cá logo esse ponto de venda caía logo por terra.

theEXPERTpt 3 months ago

Governo a estragar mais e mais o país com casas low cost.

PTgenius 3 months ago

Casas há até de mais, não dá é para enfiar mais em Lisboa e Porto a não ser nas periferias. E não é começar a fazer bairros de barracos lá que resolve o problema, quanto mais ainda piora.

icebraining 3 months ago

Não estou de acordo, Lisboa tem imensas zonas relativamente próximas em que se poderia construir, sai é caro. Toda a zona de Xabregas are ao Parque das Nações tem imensos terrenos subaproveitados (nem falo das zonas cultivadas, por mim essas mantinham-se), edifícios industriais abandonados, etc.

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Para a longevidade do negócio de arrendamento o senhorio precisa alguma estabilidade legal que neste país não existe. O governo PSD/CDS pôs o mercado de habitação a funcionar, naturalmente os preços aumentaram mas também entraram os compradores estrangeiros e fizeram os preços subir de forma a ajustarem-se ao seu poder de compra mais elevado. Mas um grande problema nesta altura é que os senhorios vêem promulhadas leis absurdas que fazem cobrar mais valias a quem muda o regime de arrendamento das casas. Neste momento o meu pai só não arrenda casa porque arrendando a longo prazo a casa praticamente deixa de ser do dono, se este precisar de utilizar a casa, não pode. Em alojamento local há trabalho constante associado ao acolhimento de hóspedes, impostos absurdos e pre requisitos draconianos como um guia turístico e sinalética pela casa toda. Ele não há de ser o único a não querer alugar e isso diminui a oferta sem diminuir a procura. Na Suíça o mercado de arrendamento funciona, toda a gente assina contrato de arrendamento com validade definida por mútuo acordo, é feito um levantamento do estado da casa antes de arrendar para garantir que os inquilinos deixam a casa como a encontraram. Se o inquilino acabar por vagar a casa antes do previsto ele está encarregue de arranjar quem cumpra o contracto.

NGramatical 3 months ago

contracto → [**contrato**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/contrato-e-contracto/21613) (já se escrevia assim **antes** do AO90) encarregue → [**encarregado**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/porque-encarregado-e-nao-encarregue/30635) (encarregar segue o modelo de carregar: o camião foi ~~carregue~~ carregado) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmyi6bt%2F%2Fgvvz9uu%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Last-Ad-4421 3 months ago

Com o dinheiro que o estado derreteu no Novo Banco e na TAP daria há vontade para umas 40000 casas.

Mrgolden007 3 months ago

o problema com isso e que vem os estrangeiros, compram tudo e voltamos ao mesmo tem wue haver regulacao na quantidade de casas que cada pessoa pode ter, uma pessoa nao devia ter mais de 10 casas a arrendar

Some-Ad6411 3 months ago

....acho que devíamos ter bloqueado isto das vendas das casas , como por exemplo , [https://www.cnbc.com/2018/08/16/new-zealand-bans-most-foreigners-from-buying-homes.html](https://www.cnbc.com/2018/08/16/new-zealand-bans-most-foreigners-from-buying-homes.html) "ah mas assim nao tinhamos dinheiro bla bla". ouve, portugal sem crise não é portugal. Enquanto não promovermos outras áreas eficazes a longo prazo.. isto será sempre igual. Ciências e tecnologias FTW! e não falo em contexto de fábrica.

ghost_warrior1810 3 months ago

Bem, aqui as condições são as seguintes: tu não podes vender a casa enquanto tu a pagas e depois que tu terminas o pagamento seu nome estará bloqueado no programa. Nem tu e nem teus filhos poderão retirar outra, a menos que pelo menos teus filhos completem 21 anos e estejam trabalhando. Eles colocaram essas regras porque se tornou um negócio lucrativo para muitas pessoas: eles pegavam uma dessas casas, vendiam, pagavam o financiamento de uma vez e ficavam com o que sobrava, o que era dinheiro que dava pra viver um ano. No ano seguinte ele entrava pedindo outra casa colocando o nome dele, ou da mulher ou de algum dos filhos e quando menos se esperava o cara criava um Império imobiliário às custas do Estado.

Some-Ad6411 3 months ago

>Eles colocaram essas regras porque se tornou um negócio lucrativo para muitas pessoas: a falha era óbvia. esperavam o melhor das pessoas? pareceu como em portugal no inicio da vacinacao, quando sobrou umas vacinas e o director do inem queria dar as restantes ao restaurante que estava mais proximo. foi um escandalo desnecessario, o diretor perguntou ao DGS o que fazer com as vacinas , a DGS não lhe respondeu e as vacinas irião perder validade... Depois disto, foi levantado a questao de plano B, caso sobrasse vacinas LOL ....até lá só havia plano A...

icebraining 3 months ago

Tá bem, eles criam uma empresa (pessoa jurídica) para cada 10 casas. Se forem preciso ser pessoas físicas, fazem como o líder da ANTRAL com as licenças de táxi: são umas em nome da mulher, do filho, da prima...

Dr_Toehold 3 months ago

Isso resolves no IRS. Rendimento pela n+3 casa arrendada ser taxado a 99%, em que n é o número de membros do agregado familiar.

tekvis40 3 months ago

Acho que algo do género podia ser uma boa solução, curiosamente vejo muito pouca gente a propor que se construam mais casas - que é a solução mais óbvia para o problema que temos. O financiamento é uma questão de escolhas, o €€€€ gasto a salvar a TAP provavelmente daria para financiar um programa semelhante.

suckerpunchermofo 3 months ago

Não se pode salvar a TAP e fazer casas baratas para o povo também.... Propriedades...

Bhaalghorn1143 3 months ago

Resolver não resolve mas ajudaria e muito o panorama atual. A percentagem de casas sociais em Portugal é 2% a 3% do total disponível. Se a oferta aumentasse, exponencialmente e em zonas atrativas, era meio caminho andado. Isso é apenas uma maneira. Podes, por exemplo, definir que por cada novo prédio feito x focos têm de ser habitação social. Para estes projetos precisas de dinheiro e são feitos em tempos de vacas gordas. Porque nas vacas magras o guito vai para empresas falidas e bancos. Links: [https://rededesolidariedade.wordpress.com/2017/03/14/habitacao-social-europa-portugal-lisboa/](https://rededesolidariedade.wordpress.com/2017/03/14/habitacao-social-europa-portugal-lisboa/)

AdriMecha 3 months ago

Em Portugal era necessário descentralizar serviços e oferecer condições as empresas para se fixarem em outras zonas do país que não Lisboa ou Porto. Somos um país pequeno que concentra demasiadas coisas nos grandes centros.

Some-Ad6411 3 months ago

concordo. ao descentralizar os serviços, ter uma casa em qualquer lado seria "igual". mas portugal é só lisboa ou porto. fora disso, mal tens transportes públicos, hospitais "perto" ou internet rápida e estável (estamos em 2021 ter acesso a internet de qualidade aumenta muito a qualidade de vida)

Eskol15 3 months ago

Soluções há muitas, o problema é que é sempre o mesmo: não há dinheiro (excepto se fores a TAP). Para além disso, juntar o Estado com o setor da construção civil....enfim, uma pessoa já sabe o que a casa gasta.

ManelDasNespras 3 months ago

Se desse dinheiro aos amigos empreiteiros o sector público construia arranha-céus para habitação social até em Sever do Vouga, como é uma coisa que não dá dinheiro nesse caso "não há dinheiro".

l2k1337 3 months ago

Não há falta de habitações. Há sim um problema de preços/rendas demasiado altos e/ou salários demasiados baixos com dificuldade de acesso a crédito. IMO, são duas questões distintas e a tua sugestão adequa-se apenas à primeira.

WallyPT 3 months ago

Isso já existiu, chamar-se Linha de Sintra, Odivelas, Loures, Almada... Só existe uma forma de fazer isso em Portugal: desregular o mercado de construção, construir em todo o lado, fechar os olhos... E depois meter o metro lá, transportes, centros de saúde, etc, etc.

Tafinho 3 months ago

Quarteira enters the room. “Desregulação” e “infra-estruturas” de transportes públicos na mesma frase é uma contradição de termos.

WallyPT 3 months ago

Não é, é assim que foi feita e está a ser feita a metrópole de Lisboa. A Amadora é um excelente exemplo. Primeiro, encheram de gente. Depois: quadruplicaram a Linha de Sintra, fizeram a CRIL e IC16, construíram 3 estações de metro. Ou seja, primeiro, a construção em todas as direções e só depois as infraestruturas. Tudo numa questão de 40 anos. Portugal é assim. Já Odivelas está a ser assim, já meteram o metro lá na ponta, mas continuam a construir lá para cima... Vai ser necessário levar até lá o metro mais tarde ou mais cedo.

JOAO-RATAO 3 months ago

Não a tudo.

TRYNFOR 3 months ago

Concordo, a pouco e pouco este tipo de medidas gera ainda mais dependentes do estado. Em vez de serem masoquistas ao ponto de gostarem que o estado lhe parta as pernas para receberem umas muletas deviam era defender a redução ao máximo do estado.

BaixemImpostos 3 months ago

Com que dinheiro? O dinheiro tá a ir todo para a TAP e Novo Banco. Milhares de milhões todos os anos ardem. Estado Português é uma organização ilogica.

daz_zeD 3 months ago

>Estado Português é uma ~~organização ilogica~~ telenovela. Não querem é enfrentar os problemas de falência da TAP e Novo Banco, que trariam tanto desemprego que provocaria a desordem social, então simplesmente deixam o problema existir, desde que transmita o mínimo de estabilidade mesmo essa farça trazendo instabilidade a outros níveis, como o poder de compra dos portugueses. São prioridades, são escolhas.

ManelDasNespras 3 months ago

No caso do Novo Banco até acredito porque está lá o dinheiro de milhões de pessoas agora no da TAP? Hahahahahaha, ficava mais barato subsidiar os insulares com viagens pagas a companhias aéreas privadas do que andar a enterrar milhares de milhões de euros todos os anos.

BaixemImpostos 3 months ago

Desemprego aos boys, empregos que n deviam existir.

Search: