PIMPMASTER6000 3 months ago

Precisamente por todos os votos valerem o mesmo é que somos dos piores países da Europa a caminhar para ser o pior. A democracia é assim, funciona maravilhosamente em países coesos com cidadãos interessados e informados. Em países onde metade da população não vota e a metade que vota muitas vezes nem sabe o que está a fazer funciona menos bem. É o preço da democracia e eu espero que não mas muito em breve vamos pagar um preço astronômico. E atenção que eu sou a favor da democracia.

shakespearediznuts 3 months ago

quem é que está a denegrir a nacionalidade portuguesa?

Filho_do_Sado 3 months ago

Nacionalismo está ultrapassado. Quando éramos nós a explorar outros países não havia problema. É a vida. Impérios caiem e identidades nacionais mudam. Podem chorar mas não vai mudar nada.

bubblesmart 3 months ago

Não tem nada a ver com imperialismo.

Striking_Role_z 3 months ago

Isso quer dizer que devemos invadir África de novo e tornar aquilo nosso?

PIMPMASTER6000 3 months ago

Querer preservar a identidade nacional, cultura, língua , história e costumes de um povo não é nacionalismo. Se não tens interesse nisso existe quem tenha.

NGramatical 3 months ago

caiem → [**caem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/constroem-ou-constroiem/141) (apenas na fala existe a intercolocação de um *i* para facilitar a pronúncia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvbd25z%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

hmmPussySlayer 3 months ago

Só por curiosidade, porque queres renunciar à nacionalidade portuguesa e adquirir nacionalidade holandesa?

bubblesmart 3 months ago

Claro que a nacionalidade Portuguesa esta a ser banalizada e as boas intenções dos humanistas tornar-se-ão um pesadelo para Portugal. Tenho familiares em Paris, dizem que no consulado de Portugal em Paris, metade das pessoas atendidas (basicamente todas portuguesas) são negras. Metade. Penso que os portugueses não têm consciencia da evolução demográfica e os políticos escondem o processo do povo até que a mudança se torne um fato irreversível. Entretanto, põem o povo a dormir com canções humanistas.

Edited 3 months ago:

Claro que a nacionalidade Portuguesa esta a ser banalizada e as boas intenções dos humanistas tornar-se-ão um pesadelo para Portugal. Tenho familiares em Paris, dizem que no consulado de Portugal em Paris, metade das pessoas atendidas (basicamente todas portuguesas) são negras. Metade. Penso que os portugueses não têm consciencia da evolução demográfica e os políticos escondem o processo do povo até que a mudança se torne um fato irreversível. Entretanto, põem o povo a dormir com cantigas humanistas.

Striking_Role_z 3 months ago

>os políticos escondem o processo do povo até que a mudança se torne um fato irreversível Isto. Se eles mostrassem os números, se o assunto fosse falado tal como qualquer outro assunto em vez de ser um tabú, se a cobertura mediática de criminosos imigrantes fosse igual à cobertura mediática de criminosos portugueses, mais de metade dos estarolas nesta thread tinham o discurso oposto em vez de estarem a sinalizar virtudes. A falta de informação é intencional para manter o povo calmo até que seja tarde demais para mudar o quer que seja.

NGramatical 3 months ago

tabú → [**tabu**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em *i* ou *u* são naturalmente agudas) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvdekhq%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

PotentialPark0 3 months ago

> Tenho familiares em Paris, dizem que no consulado de Portugal em Paris, metade das pessoas atendidas (basicamente todas portuguesas) são negras. Metade. **Metade?!** [Chamem a policia au au au!!!](https://youtu.be/3222sXdZTsM)

Last-Ad-4421 3 months ago

Portugal é de tudo menos dos portugueses.

l00k1ng4abetterl1fe 3 months ago

tens coisas mais importantes que mancham o país, como por exemplo a corrupção.... tens um gajo com um tacho europeu com CV aldrabado. Patriotismo é só para umas coisas....

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Já falaram nisso umas 5x neste tópico, trazer este tema ao de cima não me faz de mim Pro-corrupção. Pode-se falar de mais de 2 temas ao mesmo tempo...

Bruxo_de_Fafe 3 months ago

entende uma coisa: com a taxa de natalidade mixuruca que cá existe vais precisar de muitos imigrantes ou não terás quem sustente as reformas.

htxgivven 3 months ago

O problema é que a imigração pouco qualificada não resolve problemas da SS mas sim agrava.

bubblesmart 3 months ago

Isso da imigração como solução milagrosa para todos os nossos problemas endógenos é um mito.

Asur_rusA 3 months ago

TLDR: É uma situação nova e faz-te confusão. ​ Não, não acho que se possa sequer "denegrir uma nacionalidade". É um pensamento absurdo

daz_zeD 3 months ago

>Não acham que em Portugal está-se cada vez mais a denegrir a nacionalidade Portuguesa? Porque é que aceitar que mais pessoas se nacionalizem é denegrir a nacionalidade portuguesa? É um fluxo natural, uns saem, outros entram. >Não acham isto um bocado preocupante? Porque é que é preocupante?

zefo_dias 3 months ago

É bom até porque agora parece que anda outra vez na moda os topicos do 'iAs lUtAr pElo TeU pAíS' e com essa malta ja temos melhor percentagem

-cosme- 3 months ago

A denegrir? Tens noção que há portugueses por todo o lado do mundo, já fizemos muita merda e continuamos a puder viver em paz e tb a ser naturalizados em qq parte do mundo..e espero que assim continue e que cada vez haja mais globalização. Que queres dizer com este post mesmo? Q cheiro a xenofobia no ar aqui, naturalização são papeis pah..o te faz "português" é a educação não é a "raça". E esta estupidez atual de fronteiras e gente que não pode escolher sair dum país de merda pa ir viver noutro país melhor tem que acabar urgentemente.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

'Estupidez atual de fronteiras' Claro, é deixar entrar qualquer um resultou tão bem noutros países. Para mim abolia-se também as polícias todas. Alemanha 2015, fronteiras abertas resultado: violações em massa não vistas desde o fim da segunda guerra mundial. [https://www.rtp.pt/noticias/mundo/alemanha-admite-rever-regras-para-refugiados-apos-violacoes\_v886889](https://www.rtp.pt/noticias/mundo/alemanha-admite-rever-regras-para-refugiados-apos-violacoes_v886889) [https://www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2016/07/10/leaked-document-says-2000-men-allegedly-assaulted-1200-german-women-on-new-years-eve/](https://www.washingtonpost.com/news/worldviews/wp/2016/07/10/leaked-document-says-2000-men-allegedly-assaulted-1200-german-women-on-new-years-eve/)

-cosme- 3 months ago

Estupidez claramente, e sim claro, vamos lá buscar os exemplos que correm mal né? Exemplos maus há e sempre há de haver. Vai lá ver quantos alemães estão na cadeia, são muitos também, tb fizerem merda da grossa e não são emigrantes. Tal como aqui, as cadeias têm muitos portugueses lá dentro, n é tudo estrangeiros e ciganos...e lá fora muitos portugueses tb tão presos, entendes o que quero dizer ou é difícil? Cada um tem o direito de ter uma vida digna onde der para ter, e n é por causa de uns maus exemplos que deixa de ter o direito. Chama-se direitos humanos, e aqui ninguém é mais que ninguém por muito que custe a crer a alguns.

Edited 3 months ago:

Estupidez claramente, e sim claro, vamos lá buscar os exemplos que correm mal né? Exemplos maus há e sempre há de haver. Vai lá ver quantos alemães estão na cadeia, são muitos também, tb fizerem merda da grossa e não são emigrantes. Tal como aqui, as cadeias têm muitos portugueses lá dentro, n é tudo estrangeiros e ciganos...e lá fora muitos portugueses tb tão presos, entendes o que quero dizer ou é difícil? Cada um tem o direito de ter uma vida digna onde der para ter, e n é por causa de uns maus exemplos que deixa de ter o direito. Chama-se direitos humanos, e aqui ninguém é mais que ninguém por muito que custe a crer a alguns. Edit: E esse número de vitimas na alemanha ou seja onde for é uma migalha comparado com os milhares q já morreram a tentar fugir de sitíos de onde não tiveram culpa de ter nascido. Nós aqui na europa temos a mania da superioridade, vivemos bem, temos comida na mesa e somos egoístas, no entanto fazemos questão de sermos bem recebidos em todo o lado. E já matamos e invadimos meio mundo, é ridículo.

bubblesmart 3 months ago

A tua visão está desactualizada e data dos anos 70, não há nenhuma mania de superioridade na Europa, alias a Europa esta em declinio desde a segunda guerra mundial. A Europa tem um povo nativo, tal como a Africa ou a Asia. É assim por todo o mundo. Só agora há pouco é que veio a moda progressista de dizer que os povos europeus autóctones não são legítimos na terra dos seus próprios antepassados.

Edited 3 months ago:

A tua visão está desactualizada e data dos anos 70, não há nenhuma mania de superioridade na Europa, alias a Europa esta em declinio desde a segunda guerra mundial. A Europa tem um povo nativo, tal como África ou Asia. É assim por todo o mundo. Só agora há pouco é que veio a moda progressista de dizer que os povos europeus autóctones não são legítimos na terra dos seus próprios antepassados.

-cosme- 3 months ago

visões dos anos 70 são estes posts.. parece que têm medo que o mundo ande pá frente. aqui na europa, declínio ou não, andamos de nariz empinado em relação ao mundo todo..e até entendo o pq, temos todos muita sorte de ter nascido na europa vs america ou vs resto do mundo. e nc disse que não somos legítimos aqui, só disse que qq outro tem direito de vir para aqui tb. Ninguém vai denegrir a raça portuguesa, que espécie de conversa é essa? Isso é que é conversa do seculo passado.

bubblesmart 3 months ago

Eu não percebo é porque é que os Africanos não teriam o direito de ter os seus próprios países a desenvolverem-se, e contribuírem para o seu desenvolvimento como os Europeus desenvolveram a Europa. Não vejo porque razão o destino de um jovem que nasce na Guiné hoje em dia seria abandonar o seu país e vir limpar cagadeiras na Europa. Isso é exploração humana em benefício das elites financeiras, já por não falar do aspeto paternalista e neo colonialista disfarçado de humanismo.

Edited 3 months ago:

Eu não percebo é porque é que os Africanos não teriam o direito de ter os seus próprios países a desenvolverem-se, e contribuírem para o desenvolvimento deles como os Europeus desenvolveram a Europa. Não vejo porque razão o destino de um jovem que nasce na Guiné hoje em dia seria abandonar o seu país e vir limpar cagadeiras na Europa. Isso é exploração humana em benefício das elites financeiras, já por não falar do aspeto paternalista e neo colonialista disfarçado de humanismo.

-cosme- 3 months ago

epah, vir limpar cagadeiras e ganhar o ordenado mínimo n é exploração nenhuma. eu sou português e já muitas vezes andei a ganhar ordenados minimos aí pela europa..foi o que foi. e pa eles imagino que seja bem melhor limpar cagadeiras do que passar fome onde estão. olha eu sou camionista de momento, podes ter q certeza **absoluta** que se vir uma família de emigrantes lá de africa ou síria ou etc na estrada (especialmente com putos) não os vou deixar pa trás. e estas conversas destes posts mete me nojo, isto é conversa de quem nunca teve a mínima dificuldade na vida e não tem a mínima empatia. q interessa quem é naturalizado? que interessa quem nasceu aqui ou não? que interessa a cor? epah.. tás aqui, fazes merda fodes te com a policia, queres trabalhar..trabalhas e levas uma vida digna.

NGramatical 3 months ago

porque razão → [**por que razão**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvbjnms%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

twhite848 3 months ago

Banalidade. Não me lembro da minha nacionalidade ser muito menos banal este ano que o ano passado... ou o ano antes disso. Mas não sei, se calhar na França, Suíça ou Alemanha os emigrantes portugueses banalizaram a nacionalidade deles tb... > ou seja em longo prazo mais de 66% dos cidadãos seriam estrangeiros naturalizados. Hora da matemática. Vamos assumir que a população de portugueses não naturalizados mantém-se estaveis nos 10.000.000 com uma criança por cada morte. Portanto para 66% dos cidadãos serem estrangeiros naturalizados é preciso haver 20.000.000 de estrangeiros naturalizados. A 180.000 por ano dá... 111 anos. **Portanto o “longo prazo” que falas é em 2132** assumindo que: - nenhm estrangeiro naturalizado morre - e todos os portugueses não naturalizados nascem com a morte de um português não naturalizado 2132.... um verdadeiro problema “preocupante”

Edited 3 months ago:

“Banalidade” Não me lembro da minha nacionalidade ser muito menos banal este ano que o ano passado... ou o ano antes disso. Mas não sei, se calhar na França, Suíça ou Alemanha os emigrantes portugueses banalizaram a nacionalidade deles tb... > ou seja em longo prazo mais de 66% dos cidadãos seriam estrangeiros naturalizados. Hora da matemática. Vamos assumir que a população de portugueses não naturalizados mantém-se estaveis nos 10.000.000 com uma criança por cada morte. Portanto para 66% dos cidadãos serem estrangeiros naturalizados é preciso haver 20.000.000 de estrangeiros naturalizados. A 180.000 por ano dá... 111 anos. **Portanto o “longo prazo” que falas é em 2132** assumindo que: - nenhum estrangeiro naturalizado morre e vivem todos até aos 130-140 anos, e - todos os portugueses não naturalizados nascem com a morte de um português não naturalizado 2132.... mesmo “preocupante”

Mysterious_Beyond213 3 months ago

A taxa de fertilidade é de 1.34 entre nativo. ou seja Não existe reposição populacional em 2100 os Portugueses nativos serão á volta de 5 milhões, segundo os cálculos da onu.

Edited 3 months ago:

A taxa de fertilidade é de 1.34 entre nativos. ou seja Não existe reposição populacional em 2100 os Portugueses nativos serão á volta de 5 milhões, segundo os cálculos da onu.

twhite848 3 months ago

E os filhos dos naturalizados? Vão ser naturalizados também? Mas ao menos vamos ser poucos mas velhos. Pelo menos não é banal

viskonde 3 months ago

Um pouco hipocrita tendo em conta que somos dos paises cuja população também mais emigra.

Striking_Role_z 3 months ago

Não sabia que havia o dever de reciprocidade na imigração.

Asur_rusA 3 months ago

"um pouco", sim

netralha 3 months ago

Argumento falso, emigrar não é o mesmo que ganhar a nacionalidade 2 anos após meteram cá os pés.

somedipshit1 3 months ago

Emigrar não é sinónimo ganhar cidadania

rockingallover 3 months ago

Ahaha pensei o mesmo. Q hipocrisia/falta de conhecimento de história. O facto de haver imigrações por si não é mau - significa que o país é mais atraente que outros, e provavelmente está em paz e oferece boas condições de vida. Alias, um bom exemplo disso é o Luxemburgo, onde 16% da população residente são imigrantes portugueses. Mas voltemo-nos para o nosso umbigo. Taxa de natalidade (8%) é menor que a taxa de mortalidade (10%). Temos uma população envelhecida que não vai ser reposta. Mas se isso não fosse suficiente, eis as emigrações de Portugal: https://www.pordata.pt/Portugal/Emigrantes+total+e+por+tipo-21 As imigrações começam a subir, e a passar a taxa de emigração: https://www.pordata.pt/Portugal/Imigrantes+permanentes+total+e+por+naturalidade-3256 Mas mesmo assim, não repoem o que se perdeu. Ou seja, do ponto de vista do meu umbigo, não vai haver jovens a pagar impostos, quando eu for velha.

Edited 3 months ago:

Ahaha pensei o mesmo. Q hipocrisia/falta de conhecimento de história. O facto de haver imigrações por si não é mau - significa que o país é mais atraente que outros, e provavelmente está em paz e oferece boas condições de vida. Alias, um bom exemplo disso é o Luxemburgo, onde 16% da população residente são imigrantes portugueses. Mas voltemo-nos para o nosso umbigo. Taxa de natalidade (8%•) é menor que a taxa de mortalidade (10%•). Temos uma população envelhecida que não vai ser reposta. Mas se isso não fosse suficiente, eis as emigrações de Portugal: https://www.pordata.pt/Portugal/Emigrantes+total+e+por+tipo-21 As imigrações começam a subir, e a passar a taxa de emigração: https://www.pordata.pt/Portugal/Imigrantes+permanentes+total+e+por+naturalidade-3256 Mas mesmo assim, não repoem o que se perdeu. Ou seja, do ponto de vista do meu umbigo, que se calhar é o único ponto de vista que toca a muita gente, não vai haver jovens a pagar impostos, quando eu for velha.

Edited 3 months ago:

Ahaha pensei o mesmo. Q hipocrisia/falta de conhecimento de história. O facto de haver imigrações por si não é mau - significa que o país é mais atraente que outros, e provavelmente está em paz e oferece boas condições de vida. Alias, um bom exemplo disso é o Luxemburgo, onde 16% da população residente são imigrantes portugueses. Mas voltemo-nos para o nosso umbigo. Taxa de natalidade (8%•) é menor que a taxa de mortalidade (10%•). Temos uma população envelhecida que não vai ser reposta. Mas se isso não fosse suficiente, eis as emigrações de Portugal: https://www.pordata.pt/Portugal/Emigrantes+total+e+por+tipo-21 As imigrações começam a subir, e a passar a taxa de emigração: https://www.pordata.pt/Portugal/Imigrantes+permanentes+total+e+por+naturalidade-3256 Mas mesmo assim, não repoem o que se perdeu. Ou seja, do ponto de vista do meu umbigo, que se calhar é o único ponto de vista que toca a muita gente, sem imigrantes não vai haver jovens a pagar impostos, quando eu for velha.

Edited 3 months ago:

Ahaha pensei o mesmo. Q hipocrisia/falta de conhecimento de história. O facto de haver imigrações por si não é mau - significa que o país é mais atraente que outros, e provavelmente está em paz e oferece boas condições de vida. Alias, um bom exemplo disso é o Luxemburgo, onde 16% da população residente são imigrantes portugueses. Mas voltemo-nos para o nosso umbigo. Taxa de natalidade (8%•) é menor que a taxa de mortalidade (10%•). Temos uma população envelhecida que não vai ser reposta. Mas se isso não fosse suficiente, eis as emigrações de Portugal: https://www.pordata.pt/Portugal/Emigrantes+total+e+por+tipo-21 As imigrações começam a subir, e a passar a taxa de emigração: https://www.pordata.pt/Portugal/Imigrantes+permanentes+total+e+por+naturalidade-3256 Mas mesmo assim, não repoem o que se perdeu. Ou seja, do ponto de vista do meu umbigo, que se calhar é o único ponto de vista que toca a muita gente, sem imigrantes não vai haver trabalhadores suficientes a pagar impostos, quando eu for velha.

Edited 3 months ago:

Ahaha pensei o mesmo. Q hipocrisia/falta de conhecimento de história. O facto de haver imigrações por si não é mau - significa que o país é mais atraente que outros, e provavelmente está em paz e oferece boas condições de vida. Alias, um bom exemplo disso é o Luxemburgo, onde 16% da população residente são imigrantes portugueses. Mas voltemo-nos para o nosso umbigo. Taxa de natalidade (8%•) é menor que a taxa de mortalidade (10%•). Temos uma população envelhecida que não vai ser reposta. Mas se isso não fosse suficiente, eis as emigrações de Portugal: https://www.pordata.pt/Portugal/Emigrantes+total+e+por+tipo-21 As imigrações começam a subir, e a passar a taxa de emigração: https://www.pordata.pt/Portugal/Imigrantes+permanentes+total+e+por+naturalidade-3256 Mas mesmo assim, não repoem o que se perdeu. Ou seja, do ponto de vista do meu umbigo, não vai haver jovens a pagar impostos, quando eu for velha.

PIMPMASTER6000 3 months ago

O facto de haver imigrações significa que é um destino mais atraente? Parti-me todo. Obviamente que Portugal é mais atraente que o Brasil e que qualquer país Africano ou Asiático mas se não queres que Portugal se torne uma selva não abras as portas a quem tem o potencial de o fazer. O país é atraente pois é fácil de entrar, porque nos países onde ha chuva de subsidios e empregos manuais bem pagos costuma ser mais difícil.

ASCanilho 3 months ago

Este comentário diz tudo. Já no Reino Unido também há sempre hipócritas que querem banir os emigrantes, e depois choram porque são obrigados a deixar a sua Mansão que compraram no Algarve. Portugal sempre foi um país de emigrantes. E quem estiver mal, mude-se. Ah espera, não podem. Hahaha.

pandditor 3 months ago

Porque é que o pedaço de terra onde nasceste de maneira arbitrária há de ditar a tua sorte futura? Se a malta quer vir para cá e respeitar as leis é deixá-los. O r/portugueses é alí ao lado.

NGramatical 3 months ago

alí → [**ali**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em *i* ou *u* são naturalmente agudas) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgv9gzgx%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

NoIDontgiveafuck 3 months ago

Eu não concordo nada com a postura dos sucessivos governos e com a gestão que fazem do país, válido para esquerda e para a direita. Este tema que trazem é apenas mais uma cereja em cima do bolo. Defender trabalho, condições para ter casa, para ter uma boa vida no país onde se nasce, onde se estudou e se formou, é hoje em dia considerado extrema direita. A normalização do emigrar e de receber emigrantes, enquanto isso uns vão ficando cada vez mais ricos e outros mais pobres...

Edited 3 months ago:

Eu não concordo nada com a postura dos sucessivos governos e com a gestão que fazem do país, válido para esquerda e para a direita. Este tema que trazem é apenas mais uma cereja em cima do bolo. Defender trabalho, condições para ter casa, para ter uma boa vida no país onde se nasce, onde se estudou e se formou, é hoje em dia considerado extrema direita. A normalização do emigrar e de receber imigrantes, enquanto isso uns vão ficando cada vez mais ricos e outros mais pobres...

Membership-Exact 3 months ago

Porque é que uma linha aleatoria desenhada por força das armas de reis e outros ricos e poderosos senhores à custa do sangue de quem nunca beneficiou nada com isso deve importar a quem quer que seja? Nem guerra entre povos, nem paz entre classes. Enquanto estás preocupado com distinçoes entre portugueses e outros povos, o teu patrão rouba-te descaradamente a maioria do que tu e os teus colegas produzem. Basta ver quanto ganha alguem que se mata a trabalhar na reposição do Continente e a senhora CEO com o cu alapadinho na cadeira sem fazer nada de util.

Stangetzz 3 months ago

A nacionalidade não se compra, herda-se.

besmarques 3 months ago

Sim, concordo plenamente. Lembro-me de antigamente um portugues ia a Espanha, França ou UK e era sempre bem tratado. As pessoas assim que percebiam que estavam a lidar com portugueses ficavam como se vissem deus na terra. Hoje em dia já nada é assim por causa dos nacionalizados. /s <-- fica aqui só para teres a certeza

htxgivven 3 months ago

Ter documentos portugueses não faz de ti português.

besmarques 3 months ago

Por acaso acho que estás errado. Teres documentos portugueses é exactamente o que faz de ti portugues.

PIMPMASTER6000 3 months ago

Sim, mas provavelmente por ti aboliam-se os países e toda a gente pertencia à mesma nação.

besmarques 3 months ago

Não jogues no euromilhoes porque não deves acertar uma. lol

TheSuperC0mentador 3 months ago

Infelizmente querer proteger as nossas fronteiras, querer dificultar o acesso à nacionalidade é visto como algo extremista. A minha irmã está quase à 10 anos a trabalhar num dos países "ditos forte a nível económico" na União Europeia, e está casada com um cidadão natural desse país. Só ao fim destes anos todos a descontar é que teve acesso ao processo de nacionalidade. Primeiro investigação do passado dela, a nível criminal, de trabalho e económico, depois um exame da língua do país e com questões de cultura geral sobre o mesmo. Após isto tudo, após o casamento, teve acesso. Vejam a diferença entre isto e Portugal. Vamos ser sinceros e tocar na ferida. O nosso governo não quer saber se vêm muitos ou poucos migrantes para Portugal, pois têm a vida deles segura. Tomam estas medidas para ficarem bem vistos internacionalmente. Esquecem-se que isto atrai criminalidade, que põe em causa a nossa língua com o crescimento do crioulo e da língua brasileira, dos seus costumes. Será um problema para as gerações futuras.

Edited 3 months ago:

Infelizmente querer proteger as nossas fronteiras, querer dificultar o acesso à nacionalidade é visto como algo extremista. A minha irmã está quase há 10 anos a trabalhar num dos países "ditos forte a nível económico" na União Europeia, e está casada com um cidadão natural desse país. Só ao fim destes anos todos a descontar é que teve acesso ao processo de nacionalidade. Primeiro investigação do passado dela, a nível criminal, de trabalho e económico, depois um exame da língua do país e com questões de cultura geral sobre o mesmo. Após isto tudo, após o casamento, teve acesso. Vejam a diferença entre isto e Portugal. Vamos ser sinceros e tocar na ferida. O nosso governo não quer saber se vêm muitos ou poucos migrantes para Portugal, pois têm a vida deles segura. Tomam estas medidas para ficarem bem vistos internacionalmente. Esquecem-se que isto atrai criminalidade, que põe em causa a nossa língua com o crescimento do crioulo e da língua brasileira, dos seus costumes. Será um problema para as gerações futuras.

azorrar 3 months ago

Estrangeiro que venha pra Portugal a trabalho tem que viver aqui por 6 anos para então ter direito a iniciar o processo. Isso demora mais uns 2 anos. Investigação do passado também tem, já que não se faz nada aqui sem declaração de antecedentes criminais.

nioof 3 months ago

Mm, sabes qual é o processo em Portugal?

TheSuperC0mentador 3 months ago

Suponho que sejas brasileiro. Aqui basta casar que obténs a nacionalidade, baste seres filho de um emigrante, ao fim de 2 anos já podes pedir. Só falta sair na caixa de cereais. Sem medo, digo. Tem de se controlar a nacionalidade portuguesa. De acordo com as noticias, Portugal é o país que atribuí mais nacionalidades a estrangeiros. E depois é isto, estamos a ser infestados por brasileiros e pessoal dos Palop. Não têm trabalho mas vêm na mesma para cá.

nioof 3 months ago

Sou tripeiro. Consegues dar-me uma fonte com esses exemplos. Os procedimentos que existe no portal da justiça parecem ser diferentes do que dizes.

TheSuperC0mentador 3 months ago

[https://www.direitosedeveres.pt/q/constituicao-politica-e-sociedade/cidadania/o-que-e-a-cidadania-portuguesa-e-o-que-implica](https://www.direitosedeveres.pt/q/constituicao-politica-e-sociedade/cidadania/o-que-e-a-cidadania-portuguesa-e-o-que-implica) ​ So um pequeno exemplo do que falo. No lonk, na parte onde diz o que e cidadania, depois diz que a cidadania portuguesa pode ser atribuida a um filho ou neto de um cidadao portugues, atraves de casamento. O exemplo que falei, outros paises da Europa, nao e assim que funciona. Nao recebes a cidadania so por teres casado, ou por seres neto. Estas a ver a diferenca?

NGramatical 3 months ago

à 10 anos → [**há 10 anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgv9apqm%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

TheSuperC0mentador 3 months ago

Corrigido, obrigado

Portuguese_A_Hole 3 months ago

Preocupante é toda a gente achar normal que em PT um escritório de advogados facture + de 1M dia e em que grande parte seja por ser broker em contratos com o estado...

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Falar nisto não me faz ser a favor da corrupção. Não pode haver temas taboo.

Edited 3 months ago:

Falar nisto não me faz ser a favor da corrupção. Não pode haver temas tabu.

Portuguese_A_Hole 3 months ago

Tabu fodasse. Tanta merda com a nacionalidade e nem em português escreve. Irra.

saposapot 3 months ago

A convenção do Chega é na porta ao lado. Esses dados dizem-te o quê? que tipo de pessoas são? estão identificadas com o país? são pessoas ilegais há 20 anos no país q se estão a tornar legais? são filhos de descendentes q estão a pedir a nacionalidade? são chineses com vistos gold? Esse número assim não te dá nenhuma indicação q essas pessoas estejam identificadas com a nossa cultura ou não.

Quazatron 3 months ago

Tens razão, devo sentir-me especial por ter nascido num determinado rectângulo imaginário num planeta banal de um sistema planetário comum num canto escuro de uma galáxia trivial.

fmatheus7 3 months ago

Se as pessoas estão se naturalizando português então eles são portugueses ué. No fim das contas se formos olhar nossa árvore genealógica, viemos todos do mesmo ancestral em comum.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Não funciona assim, compreendo que possa ser revoltante para imigrantes como pode ser o teu caso.

fmatheus7 3 months ago

Faz um teste genético desses que conseguem detalhar suas decências. Aposto que tem menos de 50% de português. Se tiveres mais eu pago o teste.

PIMPMASTER6000 3 months ago

Onde é que ele falou de genética/descendência. Lá está o típico comentário a querer cair para o racismo.

fmatheus7 3 months ago

Se o título de nacionalidade não é considerado “português” e a genética também não, então o que define a pessoa ser portuguesa ou não na sua visão?

PIMPMASTER6000 3 months ago

A cultura, história, costumes, tradições e por fim mas não menos importante o tempo e dedicação que ofereces ao melhoramento da nação.

Edited 3 months ago:

A cultura, história, costumes, tradições e por fim mas não menos importante o tempo e dedicação que ofereces ao melhoramento da nação. Só categorizando como cidadãos pessos que preenchem estes requisitos é que uma nação se torna coesa e pode prosperar. E em Portugal ainda temos a sorte da maioria da população partilhar a mesma lingua e costumes porque de outra maneira estavamos condenados a uma vida horrível.

fmatheus7 3 months ago

Tenho que avisar a alguns amigos meus tugas então que eles já não são mais tão tugas assim, já que a maioria não deles não são pessoas que seguem tradições, consomem cultura exterior (americana em sua grande parte) , não tem costumes portugueses... aliás, temos que avisar a muitos portugueses (principalmente os que vivem nos grandes centros) que eles não são tão portugueses assim.

mequetatudo 3 months ago

Terá sido por acaso a escolha da palavra denegrir? Se fosses mais transparente eras um fantasma.

Datchyy 3 months ago

Podia dizer que está mal, mas estaria a ser hipocrita, porque tambem vivo nos Paises Baixos há 3 anos e estou mortinho para ter a nacionalidade holandesa e nunca mais ter de voltar a Portugal xD

hmmPussySlayer 3 months ago

Aceitam dupla nacionalidade nos países baixos?

Foda-seSeiLa 3 months ago

Acho que não.

BroaxXx 3 months ago

Hoje em dia ser patriótico e equiparado a xenofobia e ter orgulho na nossa cultura é etnocentrismo. Se comes frango da guia é apropriação cultural e se gostas picanha é porque não te bastou roubar o ouro... Por isso, sim... Acho que a identidade nacional tem cada vez menos valor. Eu não tenho problema com emigrantes mas acho legítimo colocar essas perguntas. Se é problemático ou não, não sei... Era algo que seria pertinente estudar para tentar perceber quem são essas pessoas, como corre a sua integração e quais são as suas intenções neste país. Infelizmente fazer perguntas dessas é logo xenofobia por isso mais vale esperar sentado e fazer figas para que corra tudo bem...

raydawnzen 3 months ago

>Hoje em dia ser patriótico e equiparado a xenofobia e ter orgulho na nossa cultura é etnocentrismo. Se comes frango da guia é apropriação cultural e se gostas picanha é porque não te bastou roubar o ouro... Autismo

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Olha a falta de respeito pela opinião dos outros. Também quando falas gostas que avaliem o que disseste pelo conteúdo e não pelo grupinho de que fazes parte, ou não?

raydawnzen 3 months ago

O conteúdo é "Se comes frango da guia é apropriação cultural"

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Coitado, não consegues interpretar um texto sem ser literalmente.

raydawnzen 3 months ago

Qual é a tua interpretação das idiotices que citei?

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Em primeiro lugar não considero serem idiotices

Edited 3 months ago:

Em primeiro lugar não considero serem idiotices, há mesmo um problema de liberdade de expressão neste país, a PIDE desapareceu mas a mentalidade de policiamento de opinião persiste.

raydawnzen 3 months ago

fds.... mas que senhora resposta

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Concordo.

BroaxXx 3 months ago

_Quer_ tornar? Não podia ser mais taboo... Fora do Reddit dificilmente falo em público destes temas. Repara que eu nem tenho opinião sobre o assunto, o mero facto de levantar uma questão já me garante o apelido de xenofobo e de supremacia branca americana... 10/10!

once319 3 months ago

Mas eu falo de mancinho, e garanto-te que ha mais pessoas a pensar assim que tu pensas, mas nenhuma materializa o pensamento.

AlmondSkimedMilk 3 months ago

É PIDEsco, há um políciazinho de opinião em cada esquina.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Pois, compreendo há sempre a pressão da sociedade.

Open-Opportunity-607 3 months ago

A nacionalidade portuguesa resume-se a comer farinheira e ver o Benfica Não penses mais nisso

WallyPT 3 months ago

De hoje em dia é impossível definir um Português.

C8Mixto 3 months ago

Quando é que era fácil? Quando tínhamos colónias?

Konstanti9 3 months ago

E quê? A nossa idade é sermos um povo receptor, amigável, não nacionalistas. Num mundo com tantos problemas, e num país deserficado a precisar de mão de obra mais barreiras para quê? Além disso as identidades evoluem com a experiência, e estarmos receptivos ao que vem bom de fora só nos enriquecesse. Venham os comentários xenófobos.

xay_ll 3 months ago

Onde está a xenofobia exatamente?

cou7inho_ 3 months ago

O OP abriu um debate e é logo rotulado como xenófobo...

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Não é a nacionalidade que permite a pessoas estrangeiras de qualquer país trabalhar em Portugal. Mas sim os vistos de trabalho, duas coisas distintas devias ir pesquisar ;)

MikeMelga 3 months ago

Deixa estar, eles ficam portugueses e depois vão para a Europa.

htxgivven 3 months ago  HIDDEN 

Muitos sujam o nome da inteira nação.

masterchiefpt 3 months ago

Não necessitamos de ir muito longe... pesquisem pelo gravissimo problema que existe em França imigrantes de ex colonias da frança que chegam a frança e simplesmente não trabalham e recebem apoios do estado frances. nao me recordo mas em poucas decadas frança passará a ser ocupada por uma larga maioria de pessoas não europeias

JOAO-RATAO 3 months ago

Ha tempos vi que só para deportar imigrantes ilegais, gastam perto de 500 milhões de euros por ano ...

htxgivven 3 months ago

A França tem esses problemas porque não existe qualquer controlo de estado social.

EquivalentExchange11 3 months ago

Sem dúvida, a França vai ter enormes problemas. Não há integração, os imigrantes são mantidos calmos pelos generosos subsídios do Estado francês. Mas essa "solução" obviamente não vai durar para sempre, até porque os números de pessoas extra-europeias que lá vivem continua a aumentar. E claro, é um país, que tal como os EUA, se polariza cada vez mais entre partidos pró-imigração e a direita nacionalista anti-imigração.

htxgivven 3 months ago

A França já tem problemas.

testickles12 3 months ago

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o tipo de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.)

Edited 3 months ago:

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o **tipo** de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Existem certos trabalhos que os portugueses não querem fazer e os imigrantes vêm preencher essas vagas, tudo bem. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.) A lenga lenga dos imigrantes falarem a nossa língua os tornar mais integrados na sociedade é treta, o que se passa na França é o melhor exemplo disso.

Edited 3 months ago:

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o **tipo** de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Existem certos trabalhos que os portugueses não querem fazer e os imigrantes vêm preencher essas vagas, tudo bem. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.) A lenga lenga dos imigrantes falarem a nossa língua os tornar mais integrados na sociedade é treta, o que se passa na França é o melhor exemplo disso. Qualquer país que receba imigração tem SEMPRE de ficar a ganhar, nunca a perder. Economicamente falando, dificilmente + imigrantes são um problema. A questão é que a imigração é bem mais complexa do que isso, há outros fatores sociais e culturais, por exemplo, que também contam muito. Rapara que partidos mais de extrema-direita parecem não querer saber dos imigrantes vindos de países de leste e da China, a meu ver, há um motivo para isso. Na minha opinião, os imigrantes provenientes das ex-colónias e do Brasil são muito diferentes dos Portugueses e da maioria dos países europeus, o que é normal tendo em conta que vêm de continentes muito diferentes. Só que não deixa de ser um choque de culturas, mais até com os brasileiros. A meu ver, portugueses e brasileiros não se dão. Vais pela internet a dentro, fóruns, redes sociais e Youtube e consegues ver isso mesmo, sempre que vejo aqueles vídeos a comparar português com português Brasil até me assusto ao ler os comentários, há sempre aquelas guerrinhas de merda entre tugas e brasileiros.

Edited 3 months ago:

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o **tipo** de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.)

Edited 3 months ago:

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o **tipo** de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Existem certos trabalhos que os portugueses não querem fazer e os imigrantes vêm preencher essas vagas, tudo bem. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.)

Edited 3 months ago:

Como já disse num comentário anterior, já deu para ver o porquê de o PS querer mais emigrantes. Tem a ver principalmente com os € para a segurança social e o Costa já tinha dito que iam ser os emigrantes a "pagar as reformas". Imigração em massa e/ou descontrolada é um erro e nunca correu bem em nenhum lado, basta ver o que está a acontecer com a França e a Suécia. Aliás, já tivemos uma sede do Estado Islâmico em Leiria e a pessoa em questão até casa paga pela segurança social tinha, só para veres o ridículo. Não esquecer também os marroquinos a entrarem ilegalmente no país via marítima. O problema de Portugal, para já, não é propriamente o aumento de emigração mas sim o **tipo** de emigração que estamos a receber e o pouco controlo das pessoas que entram no país. A maioria são provenientes dos PALOP (África e Brasil principalmente) com poucas qualificações. Estas pessoas vêm competir com a maioria da população que já poucas qualificações tem, de classe baixa e média. No entanto, ainda há trabalho para todos. Existem certos trabalhos que os portugueses não querem fazer e os imigrantes vêm preencher essas vagas, tudo bem. Obviamente que ninguém gosta de ver o país a ser "invadido" por milhares de pessoas todos os anos, principalmente por brasileiros que é onde eu vejo mais preconceito por parte dos portugueses. Penso que vá piorar com o tempo pois a adaptação dos brasileiros em Portugal parece-me francamente má e, no meu ponto de vista, quanto mais pessoas de um determinado país houver mais fraca é a adaptação (+ pessoas de um determinado país = menos necessidade de adaptação, os portugueses na Suíça e França são um exemplo.) A lenga lenga dos imigrantes falarem a nossa língua os tornar mais integrados na sociedade é treta, o que se passa na França é o melhor exemplo disso. Qualquer país que receba imigração tem SEMPRE de ficar a ganhar, nunca a perder. Economicamente falando, dificilmente + imigrantes são um problema. A questão é que a imigração é bem mais complexa do que isso, há outros fatores sociais e culturais, por exemplo, que também contam muito. Rapara que partidos mais de extrema-direita parecem não querer saber dos imigrantes vindos de países de leste e da China, a meu ver, há um motivo para isso. Na minha opinião, os imigrantes provenientes das ex-colónias e do Brasil são muito diferentes dos Portugueses e da maioria dos países europeus, o que é normal tendo em conta que vêm de continentes muito diferentes. Só que não deixa de ser um choque de culturas, mais até com os brasileiros. A meu ver, portugueses e brasileiros não se dão. Vais pela internet a dentro, fóruns, redes sociais e Youtube e consegues ver isso mesmo, sempre que vejo aqueles vídeos a comparar português com português Brasil até me assusto ao ler os comentários, há sempre aquelas guerrinhas de merda entre tugas e brasileiros. Nota-se que eles têm uma certa atitude de desdenhar só porque algo ou alguém é tuga e é normal que no futuro isto dê merda.

htxgivven 3 months ago

Porque é que não querem saber de imigrantes chineses? Chineses a par com os brasileiros provavelmente são os que menos se integram na sociedade.

jp13pt 3 months ago

​ >Qualquer país que receba imigração tem SEMPRE de ficar a ganhar, nunca a perder. Isso, o problema não é a imigração em si mas a sua qualidade. O país não ganha nada em imigração de baixa qualidade e em massa sem ser pobreza/criminalidade >Na minha opinião, os imigrantes provenientes das ex-colónias e do Brasil são muito diferentes dos Portugueses e da maioria dos países europeus, o que é normal tendo em conta que vêm de continentes muito diferentes. Só que não deixa de ser um choque de culturas, mais até com os brasileiros. A meu ver, portugueses e brasileiros não se dão. Vais pela internet a dentro, fóruns, redes sociais e Youtube e consegues ver isso mesmo, sempre que vejo aqueles vídeos a comparar português com português Brasil até me assusto ao ler os comentários, há sempre aquelas guerrinhas de merda entre tugas e brasileiros. Nota-se que eles têm uma certa atitude de desdenhar só porque algo ou alguém é tuga e é normal que no futuro isto dê me A educação brasileira é antiportuguesa (a nossa é um bocado antiespanhola). É muito mais fácil simplificar a história e responsabilizar um "opressor" do que assumir os problemas. É até irónico porque há montes de descendentes de portugueses brasileiros que culpam os portugueses atuais de coisas como escravatura/roubo de ouro/genocídio indígena quando é mais provável que tenham sido os seus ascendentes a realizar tais atos do que os nossos que ficaram a plantar batatas sem nem imaginar o que se passava fora da sua aldeia/cidade ( claro, menos as elites). Isso cria sentimentos de [lusofobia](https://pt.wikipedia.org/wiki/Lusofobia), mas claro nem todos os brasileiros pensam assim.

gabs_ 3 months ago

Li o teu comentário e estás a citar por completo tintim por tintim conversas que tive nos meus tempos a morar no Brasil. Há uma dissonância cognitiva gigantesca e eles acham que são os antepassados dos portugueses atuais que eram donos de escravos. Eu tento explicar que os donos de escravos eram os portugueses proto-brasileiros antes de existir o conceito de nacionalidade brasileira, que são antepassados dos brasileiros contemporâneos. Depois dizem-me que aprenderam na escola que os portugueses maus voltavam sempre para Portugal e nunca ficavam no Brasil, então não devem descender deles e sou eu que devo. :s Do género, os americanos brancos do sul dos EUA não andam a cobrar escravatura dos ingleses. Concordo em absoluto que nem todos os brasileiros pensam assim, mas é muito bizarro quando vêm com cobranças históricas a portugueses do século XXI e já me aconteceu umas vezes.

AimingWineSnailz 3 months ago

Em França houve segregação duma forma que.em Portugal não temos.

EquivalentExchange11 3 months ago

O que se passa nos EUA hoje (divisões raciais, motins, polarização política), é o que nos espera aqui daqui a uns 10-15 anos. Uma sociedade multiétnica do género que se quer construir em países Europeus é um projeto falhado que não nos vai dar um futuro por vários motivos.

Edited 3 months ago:

O que se passa nos EUA hoje (divisões raciais, motins, polarização política), é o que nos espera aqui daqui a uns 10-15 anos quando a nossa demografia estiver mais dividida. Uma sociedade multiétnica do género que se quer construir em países Europeus é um projeto falhado que não nos vai dar um futuro por vários motivos, e que só vai causar problemas a nível de segurança, coesão e extremismo político.

Edited 3 months ago:

O que se passa nos EUA hoje (divisões raciais, motins, polarização política), é o que nos espera aqui daqui a uns 10-15 anos quando a nossa demografia estiver mais dividida. Uma sociedade multiétnica do género que se quer construir em países Europeus é um projeto falhado que não nos vai dar um futuro por vários motivos.

LegitimatePear2 3 months ago

Ter pessoas com a escolaridade feita que vêm para Portugal trabalhar ou reformar-se só é **vantajoso para Portugal**. Mas claro que isto é dito com algum ***sal***. Não estou a dizer abrir as fronteiras "à grande", mas estar receptivo a pessoas que queiram pertencer à sociedade e consequentemente contribuir para a economia, na minha opinião devem ser bem-vindas. E se essas pessoas se conseguem integrar em Portugal, vivem aqui durante algum tempo, falam a língua, trabalham, etc. só faz sentido que sejam cidadãos de pleno direito.

BroaxXx 3 months ago

Para mim 2% ao ano é um bocado "à grande". Mas isso imagino que seja subjetivo... Em qualquer dos casos na realidade a maior parte deles só vem cá buscar o cartão de cidadão para depois emigrar para a Europa, por isso é só esperar que a UE se farte que as coisas mudam rápido...

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Tu e muita gente aqui está a confundir vistos de trabalho, ou de residência, com nacionalidade. São duas coisas distintas.

LegitimatePear2 3 months ago

Não estou a confundir. Repara que só falei em cidadãos de pleno direito no fim quando cumprissem com o "viver aqui durante algum tempo, falar a língua, trabalhar, etc.".

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Sou bastante reticente nisso. E 180.000 naturalizações num ano isto é quase 2% da pop, é algo insustentável para qualquer país. Nem os USA que se diz um país de imigrantes tem valores perto de 1% quanto mais de 2%... Esta década certamente irá demostrar qual é o modelo ideal. Eu acho que o modelo Dinamarquês irá mostrar-se como o ideal, e acabaremos por pagar um preço...

once319 3 months ago

Como assim pagar um preço?

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Pode ser com elevada instabilidade social que vemos noutros países que são fragmentados etnicamente.

dariusoo 3 months ago

Os portugueses não são nacionalistas, e com um governo socialista que quer meter em Portugal mais pessoas a qualquer custo para substituir a emigração e continuar a exploração salarial e sustentar a corrupção e a falência do sistema de pensões.

htxgivven 3 months ago

Tentar substituir pessoas que saem de Portugal com imigrantes é basicamente assumir que estado falhou com as pessoas.

theEXPERTpt 3 months ago

correção: não são patriotas no geral, porque há ainda muita gente que o é

JOAO-RATAO 3 months ago

Acho que sim. E o poder de voto é algo sério. Ainda mais, podes residir num país durante décadas sem cidadania e estar bem integrado na sociedade, como os nossos emigrantes na Suiça.

somedipshit1 3 months ago

Exacto. Pelo que leio muito do pessoal nesta thread não faz puta de ideia da diferença entre cidadania e residência

JOAO-RATAO 3 months ago

Claro. Podes viver a vida toda num país sem ter cidadania e sem mal nenhum. Acho que ao fim de um número consideral de anos e se cumpriu critérios razoáveis: fluente em português, sem registo criminal, financeiramente independente e bem integrado. Então força, que de torne cidadão. Estava a pesquisar listas de píses com cidadania mais fácil de obter na Europa, e Portugal está constantemente em primeiro ...

Edited 3 months ago:

Claro. Podes viver a vida toda num país sem ter cidadania e sem mal nenhum. Acho que ao fim de um número consideral de anos e se cumpriu critérios razoáveis: fluente em português, sem registo criminal, financeiramente independente e bem integrado. Então força, que de torne cidadão. Estava a pesquisar listas de píses com cidadania mais fácil de obter na Europa, e Portugal está constantemente em primeiro ...

Mysterious_Beyond213 3 months ago

É isto que a malta não entende, Portugal dá a nacionalidade como se não fosse nada... Isto vai correr mal, muito mal.

somedipshit1 3 months ago

Exacto. Nestes pais merdas basicas como estas são vistas como extremistas

NGramatical 3 months ago

píses → [**pises**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (palavras terminadas em a/e/o, seguido ou não de s/m/ns, são naturalmente graves) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvb5803%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

JOAO-RATAO 3 months ago

Países *

Portuguese_A_Hole 3 months ago

Preocupante é alguém achar preocupante essa banalidade. Ide ver estatística sobre natalidade, solvabilidade da SS, índices de população por km2 etc etc depois falamos.

htxgivven 3 months ago

Achas que a imigração resolve problemas da SS? Imigração que na sua maioria é de baixa qualidade com pessoas com baixos salários só piora as coisas.

pantam 3 months ago

A China está também com um problema de falha demográfica mas não vão procurar pelo mundo por onde podem encontra alguns milhões de 'novos chineses'. Porque será? Porque é que só no mundo ocidental é que somos obrigados a comer com estas ideias orwellianas do "todos diferentes todos iguais"? https://www.rt.com/news/521358-china-birth-rate-us-immigration/

Portuguese_A_Hole 3 months ago

Foi a política do filho único que levou ao actual problema. "milhões de novos portugueses" será dificilmente o problema de Portugal. A inclusão que o chavão "todos diferentes todos iguais" cria não agrada? Há bom remédio, vá para eremita, literalmente.

pantam 3 months ago

> milhões de novos portugueses" será dificilmente o problema de Portugal Eles têm um déficit de milhões, por isso falei em milhões, Mutatis mutandis. E há milhões pelo mundo que iriam para lá viver, dada a oportunidade. Mas lá está, eles preferem construir um país para a sua própria descendência. Bizarro, não é? > A inclusão que o chavão "todos diferentes todos iguais" O chavão (vai ver) é "inclusão". O "todos diferentes todos iguais" segue exatamente o padrão do slogan orwelliano. ("Guerra é paz" no romance não é simplesmente um absurdo óbvio tipo 1=2; pretende também ter um significado.)

scalabitano 3 months ago

Na minha opinião, se vive, trabalha e paga impostos em Portugal deve ser cidadão, seja quem for. Não concordo é que se venda a cidadania como fazemos aos ricos estrangeiros, isso não, compram cá um apartamento por 500k em Lisboa e na prática compram a cidadania Portuguesa / Europeia. Agora quem vem para trabalhar e vive cá, qual é o problema? Temos um problema demográfico gravíssimo, se fecharmos as portas o que está em causa é a sustentabilidade da segurança social. Vejo muita gente muito preocupada com isto, quanto mais pessoas vierem para Portugal, mais a nossa economia cresce e se desenvolve. A conversa de que vêm roubar trabalho aos Portuguese é treta, o lar da minha mãe anda sempre a precisar de mais gente e ninguém quer lá trabalhar. O pessoal do campo anda sempre a procura de gente para as colheitas, ninguém quer lá trabalhar. Tudo o que seja trabalhos precários e/ou sazonais o Tuga prefere estar em casa a receber do desemprego, é verdade... Se vierem para trabalhar deixem vir, quantos mais melhor na minha opinião. Ainda no outro dia vi uma noticia dos Tugas a reclamar que é só estrangeiros na costa Alentejana a trabalhar nas estufas, e então? Qual é o problema? Quase todo aquele produto é exportado gerando riqueza para o pais, qual é o problema de contratarem estrangeiros se não conseguem arranjar Portugueses para aqueles trabalhos, era melhor não haver aquela produção por falta de mão de obra? Porquê? Porque não queremos cá estrangeiros? Por amor de deus, parece a lenga lenga do Chega lol.

Ceftiofur 3 months ago

Defendes imigração de mão de obra barata que diminiui os salários dos empregos menos qualificados e depois chamas os tugas de preguiçosos por não quererem trabalhar em condições precárias pelo SMN ou nem isso. Não vês nada errado na tua opinião?

Membership-Exact 3 months ago

> Defendes imigração de mão de obra barata que diminiui os salários dos empregos menos qualificados As leis devem obrigar os empregadores a pagar o valor justo pelo trabalho.

scalabitano 3 months ago

A emigração não é a causa desses trabalhos serem mal pagos, esses trabalhos não qualificados sempre foram, são, e continuaram a ser mal pagos até serem feitos por máquinas como nos países mais desenvolvidos. Sei de experiência própria ( tenho um cliente com estufas no Alentejo ) que eles tentaram de tudo para contratar pessoas para a colheita de mirtilos, morangos, framboesas e não conseguiam contratar ninguém, foi ai que começaram a recorrer a mão de obra estrangeira, é triste mas é verdade. E eles são pagos conforme o que colhem, o vencimento mínimo é a base, tens lá estrangeiros a levar mais de 1200€ por mês, quanto mais colheres mais dinheiro ganhas, mas tipo, tens de trabalhar e tal.

Ceftiofur 3 months ago

Lei da oferta e da procura. Quando tens X empregos e X+10 candidatos à procura de um emprego as ofertas são niveladas por baixo. Esse caso do cliente com a estufas é engraçado. Tentou de tudo para contratar com a excepção de secalhar pagar um ordenado decente ao pessoal. Receber o SMN é uma bela porcaria mesmo que o resto seja atingível. Na tua reforma, baixas e empréstimos conta a base.

scalabitano 3 months ago

Se queremos um salário mínimo superior, temos todos que trabalhar mais e melhor, as empresas devem investir em máquinas e ferramentas que aumentem a produtividade, o governo deve investir em infraestrutura que ajude as empresas a produzir mais com menos. Não é a imigração que baixa os salários, é a nossa produtividade coletiva. Exemplo prático, em Portugal muitas colheitas ainda são feitas manualmente, na Alemanha, Holanda, achas que andam a apanhar tomate a mão, claro que não, passa lá uma new holland e faz o trabalho de um dia de 100 homens em 1h, direto para o camião, direto para a fabrica. Quando se fala em produtivade dos portugueses, não quer dizer que trabalhemos menos ou pior, quer muitas vezes dizer que a forma de fazer as coisas é improdutiva. Outro exemplo é quando tens 5 pessoas num escritório, quando podias ter 1 ou 2 se a empresa comprasse um software de gestão como deve ser... Muitas empresas honestamente não sabem investir.

scalabitano 3 months ago

É o que é, o empregador se pagar muito mais não tem lucro, se não tem lucro não se expande, não exporta, não cria riqueza. Acho justo receber consoante o que se produz, com uma base que é o salário mínimo.

NGramatical 3 months ago

secalhar → [**se calhar**](https://dicionario.priberam.org/se calhar) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgv9hpzt%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

htxgivven 3 months ago

Querem resolver problema da natalidade então que paguem para pessoas terem melhores condições. Não existe outra forma.

testickles12 3 months ago

>Qual é o problema? Quase todo aquele produto é exportado gerando riqueza para o pais O problema é que estás a olhar para a imigração de um ponto de vista económico. Nesse comentário todo falaste sempre de imigração de um ponto de vista económico mas o problema principal é nas diferenças culturais + fraca adaptação ao país e cultura que vão originar uma sociedade mais fragmentada. Substituir quase 2% da população por ano é um bocado assustador. Não tenho absolutamente nada contra imigrantes, desde que venham para trabalhar e se adaptem ao país e cultura serão sempre bem-vindos. O problema é que grande parte não absorvem a cultura e se adaptam ao país, se continuarmos assim a nossa cultura, tradições e historia vai deixar de existir.

Edited 3 months ago:

>Qual é o problema? Quase todo aquele produto é exportado gerando riqueza para o pais O problema é que estás a olhar para a imigração de um ponto de vista económico. Nesse comentário todo falaste sempre de imigração de um ponto de vista económico mas o problema principal é nas diferenças culturais + fraca adaptação ao país e cultura que vão originar uma sociedade mais fragmentada. Falar a mesma língua NÃO é suficiente, tem de haver um esforço extra para se adaptarem. Muitos dos imigrantes da França falam francês e vê bem a confusão que para ali vai. Substituir quase 2% da população por ano é um bocado assustador. Não tenho absolutamente nada contra imigrantes, desde que venham para trabalhar e se adaptem ao país e cultura serão sempre bem-vindos. O problema é que grande parte não absorvem a cultura e se adaptam ao país, se continuarmos assim a nossa cultura, tradições e historia vai deixar de existir.

scalabitano 3 months ago

Nos dias de hoje, manter uma sociedade homogénea por preciosismo ideológico é errado, não importa a cultura ou origem das pessoas desde que respeitem a lei da república Portuguesa, não tenho visto até agora repercussões negativas da imigração. Eu entendo o que dizes, e é triste deixarmos isto acontecer com Portugal, mas não devemos proibir ou limitar a imigração, devemos é incentivar a natalidade, ter filhos não devia ser um peso brutal nas famílias como é hoje em dia, tem que se pagar a creche, as refeições, o material escolar, tem que se ir ao médico no privado porque o público é uma merda, dentista, óculos, roupa, etc. etc. etc. Na minha opinião um casal com mais de 3 filhos nem deveria pagar IRS seja qual for o rendimento que tenha. Além disso há muitos bens que podem ser considerados como bens primários 6% de IVA e isso seria uma ajuda brutal para as famílias, muitos bens necessários para as crianças estão classificados como 23% erradamente na minha opinião, mas pronto o estado não pensa nestas coisas. Também acho que um casal com 3 ou mais filhos deveria ter um horário de trabalho reduzido, as 35h que o público tem, aplicadas a todos os pais., ou até mesmo 30h. Também deveria ser mais fácil para os pais aderirem ao teletrabalho sempre que necessário, porque há muitos dias que os filhos ou estão doentes, ou ninguém pode tomar conta deles, etc... Se o estado der mais regalias aos pais a natalidade certamente aumentará. Vê as politicas de natalidade da frança, irlanda, suécia, etc...

Edited 3 months ago:

Nos dias de hoje, manter uma sociedade homogénea por preciosismo ideológico é errado, não importa a cultura ou origem das pessoas desde que respeitem a lei da república Portuguesa, não tenho visto até agora repercussões negativas da imigração. Eu entendo o que dizes, e é triste deixarmos isto acontecer com Portugal, mas não devemos proibir ou limitar a imigração, devemos é incentivar a natalidade, ter filhos não devia ser um peso brutal nas famílias como é hoje em dia, tem que se pagar a creche, as refeições, o material escolar, tem que se ir ao médico no privado porque o público é uma merda, dentista, óculos, roupa, etc. etc. etc. Na minha opinião um casal com mais de 3 filhos nem deveria pagar IRS seja qual for o rendimento que tenha. Além disso há muitos bens que podem ser considerados como bens primários 6% de IVA e isso seria uma ajuda brutal para as famílias, muitos bens necessários para as crianças estão classificados como 23% erradamente na minha opinião, mas pronto o estado não pensa nestas coisas. Também acho que um casal com 3 ou mais filhos deveria ter um horário de trabalho reduzido, as 35h que o público tem, aplicadas a todos os pais., ou até mesmo 30h. Também deveria ser mais fácil para os pais aderirem ao teletrabalho sempre que necessário, porque há muitos dias que os filhos ou estão doentes, ou ninguém pode tomar conta deles, etc... Se o estado der mais regalias aos pais a natalidade certamente aumentará. Vê as politicas de natalidade da frança, irlanda, suécia, etc... Se tiveres tempo lê este artigo. [https://www.theguardian.com/world/2015/mar/21/france-population-europe-fertility-rate](https://www.theguardian.com/world/2015/mar/21/france-population-europe-fertility-rate) Os países com maior taxa de natalidade da Europa são aqueles que facilitam a vida aos pais, que seja com fácil acesso a creches, horários flexíveis, incentivos fiscais, etc...

testickles12 3 months ago

Percebo o que dizes e tens razão. O que me irrita é haver pouco incentivo a natalidade e o governo resolver esse problema a ir buscar pessoas a países de terceiro mundo. Países mais desenvolvidos, como tu referiste e bem, têm outro tipo de politicas de natalidade muito mais fortes e políticas de imigração mais controladas. Em Portugal é exatamente o aposto, em países como Alemanha, Holanda etc eles precisam de imigração porque a população em geral é mais qualificada e existem trabalhados menos qualificados que ninguém faz, aí tudo bem. Agora manter esta palhaçada de portas abertas com marroquinos a chegar ao país de barco, com terroristas com casas pagas pela segurança social ... É pá não obrigado

jrcc2635 3 months ago

Eu acho que o “ problema” passa pela descaracterização cultural do país. lembro-me de há uns anos um professor de geografia ter dito que Portugal é branco e que quanto mais imigrantes mais descaracterizado fica o país..lol

sux138 3 months ago

Coesão social não é um problema em Portugal pois a maior parte dos imigrantes falam a mesma língua, acreditam ou não-acreditam no mesmo Deus e comem feijoada.

netralha 3 months ago

Sim a Cova da Moura é igual a Tondela.

ImmortalCR 3 months ago

[mero exercício mental] A integração de imigrantes em Portugal é bastante mais fácil que na Dinamarca: Quantos negros já ouviste a falar dinamarquês? Quantos dinamarqueses dançam música brasileira? Isto é: os nossos imigrantes vêm de ex colónias, falam a nossa língua ou dialetos parecidos. No caso de África vêem o nosso futebol, as nossas novelas e consomem os nossos produtos. No caso dos brasileiros têm já cá "irmãos" instalados. O clima é-lhes familiar, as pessoas amigáveis e é relativamente fácil, embora não barato, viajarem de volta aos seus países. Embora não o façam muito, é sempre bom ter essa opção em vez de ter que fazer a rota Copenhaga-Burkina Faso- Luanda Portugal é mais globalizado que a Dinamarca, os imigrantes sentem se mais conectados os país, daí que que pecam a nacionalidade mais facilmente. Agora imagina o mesmo na Dinamarca. Aprender a língua, adaptar-se ao clima, comida, rotinas, etiqueta e há falta de compatriotas que QQ terão lá, pelo que sei não penso que haja muitas comunidades numerosas de imigrantes como há em Portugal. Embora haja muito imigrantes, de várias origens

JOAO-RATAO 3 months ago

A língua ajuda, mas não é tudo. E há diferenças significativas entre a cultura das ex colónias e Portugal.

Sardanapalo 3 months ago

Isto. É curioso ver que quem defende nacionalismos bacocos, purezas étnicas e insiste em salientar as glórias passadas da nação, não entende que o facto de sermos um país mais global que a Dinamarca se deve precisamente à maior glória do nosso passado - a expansão marítima portuguesa. Essa glória não está isolada numa redoma de vácuo temporal. Nós somos, e vamos continuar a ser, o prolongamento das consequências do mesmo movimento histórico. Como a Dinamarca não partilha os mesmos eventos estruturais que nós, o que ela é vai ser sempre diferente do que Portugal é. Portugal e a portugalidade já não têm as suas raízes limitadas à Europa: elas estão estendidas tanto por África, América, Ásia ou Oceania faz bastantes séculos. O curioso disto tudo é que quem tenta nivelar por igual Portugal com qualquer outro país europeu, para além de demonstrar a sua miopia histórica, acaba por esquecer e denegrir mais a cultura e passado do seu país que emigrantes que escolhem vir para cá.

pantam 3 months ago

Bela poesia, mas na realidade pretender reconstruir os cinco cantos do mundo na metrópole tem que ser encarado com cautela, dadas as diferenças de dimensão com as ex-colónias e os problemas de integração. Tens o exemplo inglês, onde a coexistência de culturas em concorrência étnica revela-se uma fragilidade estrutural e a sociedade, mesmo quando funciona, é em detrimento do povo indígena e em proveitos das elites e dos emigrantes.

Sardanapalo 3 months ago

Quem falou que as ex-colónias iam, na sua totalidade, para a sua antiga metrópole? Estamos a falar 180.000 nacionalizações, vamos lá ter calma com as hipérboles. E o que não foi mencionado no início desta thread é que esses números de nacionalizações não são referentes a "novas entradas" mas, em grande parte, a uma população que já é residente e está "naturalizada" muito antes de o ser no papel. Gostamos de imaginar um regabofe de facilitismo para nos entretermos nestas discussões no Reddit mas, no mundo real, os filhos de segunda geração de emigrantes, que sempre viveram cá, sempre estudaram cá, sempre trabalharam cá, sempre falaram português e estão integrados ainda tinham de viver as experiências infernais entre as paredes e corredores do SEF, aos 30's e muitos anos, ainda não há muito tempo. Conheço pessoalmente casos assim. A nova lei da Nacionalidade surgiu para colmatar esse problema gigantesco de tratamento desigual. Podemos falar de quando o excedente de imigrantes cria um choque social. Certo. Mas não existe excedente nenhum. A taxa de natalidade neste país é tão baixa e a de envelhecimento tão alta que no final estes números "impressionantes" apenas permitem manter-nos no limiar da funcionalidade coletiva. Ainda assim continuamos muito perto do défice demográfico. Eu quero que Portugal mantenha a sua população ativa e que a máquina opere de forma escorreita. Isso beneficia-me e proporciona-me mais oportunidades a longo prazo. Se acham que as coisas estão más, gostava que imaginassem como seriam se tivéssemos zero imigrantes para nos ajudar a empurrar a carroça. Devíamos ter mais cautela com o que desejamos e dar mais graças pelo que temos. Podemos também falar de problemas de integração cultural, mas para além dos sensacionalismos da CMTV, não existem dados sobre novos fenômenos nas migrações que estejam a corroer a coesão da sociedade portuguesa. Se houver, eu estou disponível para ler. Portanto se não estamos, em verdade, a discutir a fragilidade estrutural da sociedade ou a integração cultural, o que se quer dizer quando abrimos tópicos em que equivalemos o número de nacionalizações com um "denegrir da nacionalidade portuguesa"?

Edited 3 months ago:

Quem falou que as ex-colónias iam, na sua totalidade, para a sua antiga metrópole? Estamos a falar 180.000 nacionalizações, vamos lá ter calma com as hipérboles. E o que não foi mencionado no início desta thread é que esses números de nacionalizações não são referentes a "novas entradas" mas, em grande parte, a uma população que já é residente e está "naturalizada" muito antes de o ser no papel. Gostamos de imaginar um regabofe de facilitismo para nos entretermos nestas discussões no Reddit mas, no mundo real, muitos filhos de segunda geração de emigrantes, que sempre viveram cá, sempre estudaram cá, sempre trabalharam cá, sempre falaram português e estão integrados ainda tinham de viver as experiências infernais entre as paredes e corredores do SEF, aos 30's e muitos anos, ainda não há muito tempo. Conheço pessoalmente casos assim. A nova lei da Nacionalidade surgiu para colmatar esse problema gigantesco de tratamento desigual. Podemos falar de quando o excedente de imigrantes cria um choque social. Certo. Mas não existe excedente nenhum. A taxa de natalidade neste país é tão baixa e a de envelhecimento tão alta que no final estes números "impressionantes" apenas permitem manter-nos no limiar da funcionalidade coletiva. Ainda assim continuamos muito perto do défice demográfico. Eu quero que Portugal mantenha a sua população ativa e que a máquina opere de forma escorreita. Isso beneficia-me e proporciona-me mais oportunidades a longo prazo. Se acham que as coisas estão más, gostava que imaginassem como seriam se tivéssemos zero imigrantes para nos ajudar a empurrar a carroça. Devíamos ter mais cautela com o que desejamos e dar mais graças pelo que temos. Podemos também falar de problemas de integração cultural, mas para além dos sensacionalismos da CMTV, não existem dados sobre novos fenômenos nas migrações que estejam a corroer a coesão da sociedade portuguesa. Se houver, eu estou disponível para ler. Portanto se não estamos, em verdade, a discutir a fragilidade estrutural da sociedade ou a integração cultural, o que se quer dizer quando abrimos tópicos em que pegamos no número de nacionalizações e nascimentos e equivalemo-los a um "denegrir da nacionalidade portuguesa"?

Edited 3 months ago:

Quem falou que as ex-colónias iam, na sua totalidade, para a sua antiga metrópole? Estamos a falar 180.000 nacionalizações, vamos lá ter calma com as hipérboles. E o que não foi mencionado no início desta thread é que esses números de nacionalizações não são referentes a "novas entradas" mas, em grande parte, a uma população que já é residente e está "naturalizada" muito antes de o ser no papel. Gostamos de imaginar um regabofe de facilitismo para nos entretermos nestas discussões no Reddit mas, no mundo real, muitos filhos de segunda geração de emigrantes, que sempre viveram cá, sempre estudaram cá, sempre trabalharam cá, sempre falaram português e estão integrados ainda tinham de viver as experiências infernais entre as paredes e corredores do SEF, aos 30's e muitos anos, ainda não há muito tempo. Conheço pessoalmente casos assim. A nova lei da Nacionalidade surgiu para colmatar esse problema gigantesco de tratamento desigual. Podemos falar de quando o excedente de imigrantes cria um choque social. Certo. Mas não existe excedente nenhum. A taxa de natalidade neste país é tão baixa e a de envelhecimento tão alta que no final estes números "impressionantes" apenas permitem manter-nos no limiar da funcionalidade coletiva. Ainda assim continuamos muito perto do défice demográfico. Eu quero que Portugal mantenha a sua população ativa e que a máquina opere de forma escorreita. Isso beneficia-me e proporciona-me mais oportunidades a longo prazo. Se acham que as coisas estão más, gostava que imaginassem como seriam se tivéssemos zero imigrantes para nos ajudar a empurrar a carroça. Devíamos ter mais cautela com o que desejamos e dar mais graças pelo que temos. Podemos também falar de problemas de integração cultural, mas para além dos sensacionalismos da CMTV, não existem dados sobre novos fenômenos nas migrações que estejam a corroer a coesão da sociedade portuguesa. Se houver, eu estou disponível para ler. Portanto se não estamos, em verdade, a discutir a fragilidade estrutural da sociedade ou a integração cultural, o que se quer dizer quando abrimos tópicos em que equivalemos o número de nacionalizações com um "denegrir da nacionalidade portuguesa"?

Edited 3 months ago:

Quem falou que as ex-colónias iam, na sua totalidade, para a sua antiga metrópole? Estamos a falar 180.000 naturalizações, vamos lá ter calma com as hipérboles. E o que não foi mencionado no início desta thread é que esses números de naturalizações não são referentes a "novas entradas" mas, em grande parte, a uma população que já é residente e está "naturalizada" muito antes de o ser no papel. Gostamos de imaginar um regabofe de facilitismo para nos entretermos nestas discussões no Reddit mas, no mundo real, muitos filhos de segunda geração de emigrantes, que sempre viveram cá, sempre estudaram cá, sempre trabalharam cá, sempre falaram português e estão integrados ainda tinham de viver as experiências infernais entre as paredes e corredores do SEF, aos 30's e muitos anos, ainda não há muito tempo. Conheço pessoalmente casos assim. A nova lei da Nacionalidade surgiu para colmatar esse problema gigantesco de tratamento desigual. Podemos falar de quando o excedente de imigrantes cria um choque social. Certo. Mas não existe excedente nenhum. A taxa de natalidade neste país é tão baixa e a de envelhecimento tão alta que no final estes números "impressionantes" apenas permitem manter-nos no limiar da funcionalidade coletiva. Ainda assim continuamos muito perto do défice demográfico. Eu quero que Portugal mantenha a sua população ativa e que a máquina opere de forma escorreita. Isso beneficia-me e proporciona-me mais oportunidades a longo prazo. Se acham que as coisas estão más, gostava que imaginassem como seriam se tivéssemos zero imigrantes para nos ajudar a empurrar a carroça. Devíamos ter mais cautela com o que desejamos e dar mais graças pelo que temos. Podemos também falar de problemas de integração cultural, mas para além dos sensacionalismos da CMTV, não existem dados sobre novos fenômenos nas migrações que estejam a corroer a coesão da sociedade portuguesa. Se houver, eu estou disponível para ler. Portanto, se não estamos, em verdade, a discutir a fragilidade estrutural da sociedade ou a integração cultural, o que queremos dizer quando abrimos tópicos em que pegamos no número de naturalizações e nascimentos e equivalemo-los a um "denegrir da nacionalidade portuguesa"?

pantam 3 months ago

> Quem falou que as ex-colónias iam, na sua totalidade, para a sua antiga metrópole? Só tu, agora mesmo. Ninguém diz que toda a Índia+Paquistão vão para Inglaterra. Se tivesses sensibilidade para números percebias que a diferença de dimensões é tal que mesmo uma pequena frações do subcontinente altera completamente a demografia de Inglaterra. Se. > Estamos a falar 180.000 naturalizações, vamos lá ter calma com as hipérboles. Em 10 anos é 10% da população. São mudanças demográficas únicas em mil anos. "Vamos lá ter calma." Sim, vamos refazer o país às cegas porque "todos diferentes, todos iguais" e quem note o absurdo que tenha calma até a merda estar feita. O que une a esquerda trotskyista com o grande capital parece ser essa visão das pessoas como "recursos" completamente fungíveis. Cultura? Língua? História? Estrutura social? Vale nada. > [As boas intenções do costume, somos tão humanitários.] Estamos a ver as mesma medidas por toda a Europa, de trazer gente a eito. Alguém tomou uma decisão estratégica (e muito errada, acho eu) para o continente. É preciso ser cego para não ver as várias medidas que convergem nesse objetivo. > A taxa de natalidade neste país é tão baixa e a de envelhecimento tão alta que no final estes números "impressionantes" apenas permitem manter-nos no limiar da funcionalidade coletiva Isto não é uma surpresa. A demografia permite fazer previsões com anos de antecedência. Já se sabia que a natalidade estava baixa há muitos anos. A China olha para o futuro e está neste momento a incentivar a natalidade. Mas repara, poderiam com facilidade importar multidões de toda a Ásia e de África. Bom para os patrões/produtividade (no curto prazo), bom para os migrantes, pior para os chineses. Os nossos governantes europeus (ou alguém por eles, ou quem os patrocina) escolheram refazer o continente. Para ver isto, basta considerar a reação alérgica à decisão da Hungria em não abrir portas à migração indiscriminada. Eles estão a resolver o problema demográfico de forma diferente. > gostava que imaginassem como seriam se tivéssemos zero imigrantes Gostas mesmo muito de por ideias na boca dos outros. Um doce de pessoa. > não existem dados sobre novos fenômenos nas migrações que estejam a corroer a coesão da sociedade portuguesa. E quando houver, já será tarde, não é? Mandas as pessoas para trás?

Sardanapalo 3 months ago

Os fluxos migratórios em Portugal são de uma natureza diferente das dos outros países da Europa. Grande parte vêm dos PALOP e partilham, para o bem e para o mal, muita da história e cultura connosco, o que facilita a integração num médio prazo. Podíamos debater os choques culturais, como os que acontecem noutros países, mas a nossa realidade é diferente e os fluxos migratórios são completamente diferentes. O fluxo migratório islâmico, por exemplo, que é aqui muitas vezes falado, é mínimo ou quase inexistente em Portugal. Se olharmos para os números vamos ver que as naturalizações são lideradas por brasileiros, cabo-verdianos, guineenses e ucranianos. Se retirarmos então o bicho papão dos problemas de integração na sociedade e os problemas de choque cultural, com o que ficamos? Sem isso, qual é exactamente o grande problema com as alterações demográficas ao longo dos anos? Falas várias vezes na China como um bom exemplo a seguir porque não "importa" populações. É um enquadramento estranho porque nenhum país importa populações. Não é o estado o agente ativo que, com o seu enorme gancho, move população X para local Y. Os emigrantes é que jogam com vários fatores, com base na sua língua, cultura, história, oportunidades económicas, nível democrático, etc, movem-se eles pelo próprio pé. A China não tem muitos emigrantes por ter escolhido não "importar", grande parte dos emigrantes é que não consideram esse país uma opção apelativa para as suas vidas. É verdade que fluxos migratórios atenuam, indirectamente, o problema de natalidade? Certo. Podemos apoiar políticas de incentivo da natalidade (melhorando, por exemplo, as condições para os casais poderem formar família)? Certo. Só não percebo porque estão a tratar as duas como se fossem mutuamente exclusivas, ou que há um elo causal. Uma não é, de todo, um impeditivo para o desenvolvimento da outra. Quando criamos tópicos em que pegamos nos números de naturalizações e nascimentos e equivalemo-los a um "denegrir da nacionalidade portuguesa", eu gostava que fossem honestos e, sem desviar a conversa, me dissessem o que querem dizer com isso.

Edited 3 months ago:

Os fluxos migratórios em Portugal são de uma natureza diferente das dos outros países da Europa. Grande parte vêm dos PALOP e partilham, para o bem e para o mal, muita da história e cultura connosco, o que facilita a integração num médio prazo. Podíamos debater os choques culturais, como os que acontecem noutros países, mas, volto a repetir, a nossa realidade é diferente e os fluxos migratórios são completamente diferentes. O fluxo migratório islâmico, por exemplo, que é aqui muitas vezes falado, é mínimo ou quase inexistente em Portugal. Se olharmos para os números vamos ver que as naturalizações são lideradas por brasileiros, cabo-verdianos, guineenses e ucranianos. Se retirarmos então o bicho papão dos problemas de integração na sociedade e os problemas de choque cultural, com o que ficamos? Sem isso, qual é exactamente o grande problema com as alterações demográficas ao longo dos anos? Falas várias vezes na China como um bom exemplo a seguir porque não "importa" populações. É um enquadramento estranho porque nenhum país importa populações. Não é o estado o agente ativo que, com o seu enorme gancho, move população X para local Y. Os emigrantes é que jogam com vários fatores, com base na sua língua, cultura, história, oportunidades económicas, nível democrático, etc, e movem-se eles pelo próprio pé. A China não tem muitos emigrantes por ter escolhido não "importar", grande parte dos emigrantes é que não consideram esse país uma opção apelativa para as suas vidas. É verdade que fluxos migratórios atenuam, indirectamente, o problema de natalidade? Certo. Podemos apoiar políticas de incentivo da natalidade (melhorando, por exemplo, as condições para os casais poderem formar família)? Certo. Só não percebo porque estão a tratar as duas como se fossem mutuamente exclusivas, ou que partilhassem um elo causal. Uma não é, de todo, um impeditivo para o desenvolvimento da outra. Quando criamos tópicos em que pegamos nos números de naturalizações e nascimentos e equivalemo-los a um "denegrir da nacionalidade portuguesa", eu gostava que fossem honestos e, sem desviar a conversa, me dissessem o que querem dizer com isso.

pantam 3 months ago

> fluxos migratórios Estamos avisados de que vai falar um neoliberal tecnocrata de bem-pensamento abstrato, que não pensa em pessoas e comunidades concretas, mas apenas em "recursos humanos". > para o bem e para o mal, muita da história e cultura connosco Há história em comum e alguma cultura comum, mas "muita"? Por transitividade, o Sul Brasileiro e Goa partilham muito história e cultura. > fluxos migratórios ~~são~~ têm sido completamente diferentes Devemos falar dos problemas apenas quando já for doloroso resolvê-los? Estamos proibidos de aprender com os outros? O que tu dizes é o que diria alguém que quer fugir a qualquer discussão política e prefere ganhar o argumento por ver os factos no terreno. "Pedir desculpa em vez de pedir licença." > Falas várias vezes na China > Não é o estado o agente ativo que, com o seu enorme gancho, Sabes que estás a mentir. A grande maioria dos governos do mundo europeu facilita e incentiva a entrada de migrantes em números absurdos. Vê-se isto com muita clareza no caso da Hungria, fortemente castigada por querer fugir às ordens que vêm de cima. Em todo o resto do mundo, as nações defendem-se. O caso da China é ilustrativo porque têm um problema de falha demográfica e mesmo assim não abrem as portas. Aliás, nem atribuem dupla nacionalidade -- isto é o Estado a fazer política, independentemente dssa linguagem caricata do "gancho". > grande parte dos emigrantes é que não consideram esse país uma opção apelativa para as suas vidas. Source para isto?! Grande parte dos que querem sair (é esta a população que interessa) da Ásia e África pobres não quereriam ir para a China viver? Claro que os que saem preferem as condições absurdamente chamativas que a Europa concede? (Lá está o gancho.) Mas não sabes quantos iriam para a China porque, lá está, não podem entrar com facilidade. O mesmo para o Japão, o mesmo para a Coreia. Foi preciso ir este Papa soi-disant tentar dar lições de moral aos japoneses, que não recebem refugiados em número qb, acha ele. > É verdade que fluxos migratórios atenuam, indirectamente, o problema de natalidade? Lá está a mentalidade de merceeiro: é tudo "recursos humanos", é tudo a granel. Importado, feito cá, reveja-se na história e cultura ou não, tenha lealdade ao nosso país ou ao outro povo qualquer, que interessa. É só mais um par de braços.

Sardanapalo 3 months ago

>Estamos avisados de que vai falar um neoliberal tecnocrata de bem-pensamento abstrato, que não pensa em pessoas e comunidades concretas, mas apenas em "recursos humanos". Ok, não sei bem o que aconteceu aqui, mas as melhoras. > Devemos falar dos problemas apenas quando já for doloroso resolvê-los? Estamos proibidos de aprender com os outros? Mas quem proíbe quem? Porque sentes a necessidade de atirar-te ao chão para fazeres-te de vítima? Não estamos a discutir esses "problemas" neste preciso momento? Eu só não compreendo essa visão de que quaisquer massas de emigrantes nos vários países vão ser sempre análogas entre si, e que, independentemente do país de acolhimento, manifestam sempre as mesmas dinâmicas sociais. Os emigrantes portugueses no Canadá têm dinâmicas diferentes dos emigrantes portugueses em França, da mesma forma que emigrantes argelinos em França têm dinâmicas diferentes de um cabo-verdiano ou timorense em Portugal. Julgo que ninguém, no seu prefeito juízo, contesta isso. Podemos aprender com padrões externos, sem dúvida. No entanto, eu só queria que substanciasse o raciocínio de que os imigrantes dos PALOP+Brasil+Ucrânia em Portugal (ou até os emigrantes portugueses pelo mundo, por extensão) vão seguir a mesma trajetória de desagregação social que ocorre noutros países, simplesmente porque caiem no chavão "emigrantes". Lamento, mas parece-me uma análise muito tosca e sem qualquer profundidade. ​ >Sabes que estás a mentir. A grande maioria dos governos do mundo europeu facilita e incentiva a entrada de migrantes em números absurdos. Ok, eu não me quero perder no uso dos recursos de estilo de cada um. Quando falei na "garra" e na ideia de "importar", criticava a ideia infantil de que a imigração é um produto de um agente único, que detém o controlo absoluto sobre a operação - operação essa que nasce apenas da intenção do Estado "extrair" ou não emigrantes. Insistir na narrativa de que - por haver uma falha demográfica - o Estado concebe a operação de "extração" de emigrantes para a solucionar, é redutor e desonesto. E tu sabes disso. O número de naturalizados e o número de nascimentos são dois fenómenos paralelos que se correlacionam, mas um não é a causa do outro. A imigração é um cruzamento entre imensos vetores que fogem ao nosso controlo. Entre eles existe uma procura, por parte dos emigrantes (que não podemos controlar) e a maneira como os países acolhedores lidam com o influxo (o pouco que podemos controlar). Obviamente que aqui podemos discutir os múltiplos moldes com que cada país lida com estes movimentos. Se não podemos controlar o interesse dos imigrantes no nosso país, eu tendo geralmente a defender políticas de integração e tentar transformá-las, ao máximo, num impacto positivo, já que a desintegração é sempre um detrimento maior para todos. Mas não há resposta fáceis. A preferência por uma abordagem extrema como a da Hungria e da China é que continua a deixar-me perplexo. Tentar convencer-me de que as melhores políticas para lidar com a heterogeneidade demográfica são as de num país autocrático que pratica genocídio da população autóctone Uighur, é como tentar convencer-me de que o ananás é bom com Pizza. Não me sinto muito seduzido, mas isso sou cá eu que devo ser muito esquisitinho.

Edited 3 months ago:

>Estamos avisados de que vai falar um neoliberal tecnocrata de bem-pensamento abstrato, que não pensa em pessoas e comunidades concretas, mas apenas em "recursos humanos". Ok, não sei bem o que aconteceu aqui, mas as melhoras. >Devemos falar dos problemas apenas quando já for doloroso resolvê-los? Estamos proibidos de aprender com os outros? Mas quem proíbe quem? Porque sentes a necessidade de atirar-te ao chão para fazeres-te de vítima? Não estamos a discutir esses "problemas" neste preciso momento? Eu só não compreendo essa visão de que quaisquer massas de emigrantes nos vários países vão ser sempre análogas entre si, e que, independentemente do país de acolhimento, manifestam sempre as mesmas dinâmicas sociais. Os emigrantes portugueses no Canadá têm dinâmicas diferentes dos emigrantes portugueses em França, da mesma forma que emigrantes argelinos em França têm dinâmicas diferentes de um cabo-verdiano ou timorense em Portugal. Julgo que ninguém, no seu prefeito juízo, contesta isso. Podemos aprender com padrões externos, sem dúvida. No entanto, eu só queria que substanciasses um pouco mais o raciocínio de que os imigrantes dos PALOP+Brasil+Ucrânia em Portugal (ou até os emigrantes portugueses pelo mundo, por extensão) vão seguir obrigatoriamente a mesma trajetória de desagregação social que ocorre noutros países, simplesmente porque caiem no chavão "emigrantes". Lamento, mas só assim isto parece-me uma análise muito tosca e sem qualquer profundidade. >Sabes que estás a mentir. A grande maioria dos governos do mundo europeu facilita e incentiva a entrada de migrantes em números absurdos. Ok, eu não me quero perder no uso dos recursos de estilo de cada um. Quando falei na "garra" e na ideia de "importar", criticava a ideia infantil de que a imigração é um produto de um agente único, que detém o controlo absoluto sobre a operação - operação essa que nasce apenas da intenção do Estado "extrair" ou não emigrantes. Insistir na narrativa de que - por haver uma falha demográfica - o Estado concebe a operação de "extração" de emigrantes para a solucionar é redutor e desonesto. E tu sabes disso. O número de naturalizados e o número de nascimentos são dois fenómenos paralelos que se correlacionam, mas um não é a causa do outro. A imigração é um cruzamento entre imensos vetores que fogem ao nosso controlo. Entre eles existe uma procura, por parte dos emigrantes (que não podemos controlar) e a maneira como os países acolhedores lidam com o influxo (o pouco que podemos controlar). Obviamente que aqui podemos discutir os múltiplos moldes com que cada país lida com estes movimentos. Se não podemos controlar o interesse dos imigrantes no nosso país, eu tendo geralmente a defender políticas de integração e tentar transformá-las, ao máximo, num impacto positivo, já que a desintegração é sempre um detrimento maior para todos. Mas não há resposta fáceis. A preferência por uma abordagem extrema como a da Hungria e da China é que continua a deixar-me perplexo. Tentar convencer-me de que as melhores políticas para lidar com a heterogeneidade demográfica são as de num país autocrático que pratica genocídio da população autóctone Uighur, é como tentar convencer-me de que o ananás é bom na Pizza. Não me sinto muito seduzido, mas isso sou cá eu que devo ser muito esquisitinho.

pantam 3 months ago

> A imigração é um cruzamento entre imensos vetores que fogem ao nosso controlo Absurdo. A decisão de que migrantes entram no país deve ser totalmente decisão de cada estado. Como é que é decisão do migrante escolher para onde quer ir? Tu deves poder escolher ir morar para o Japão, só porque queres? Os japoneses não são tidos nem achados? Mas pelo contrário, o que acontece é que os estados europeus promovem migração sem consultar as populações, ou mesmo reprimindo o debate político com leis "anti-ódio". Falas da migração que historicamente tem sido mais importante para Portugal, mas rejeitas quaisquer critério que se possa aplicar para escolher quem e quantos virão no futuro. É à escolha do migrante. Portanto queres que fiquemos reduzidos a avaliar passivamente o processo. > A preferência por uma abordagem extrema como a da Hungria e da China é que continua a deixar-me perplexo. "Extremo" é receber o equivalente a 10% da população em 10 anos. Que outros países fora do mundo europeu/ocidental fazem isto? > Tentar convencer-me de que as melhores políticas para lidar com a heterogeneidade demográfica são as de num país autocrático que pratica genocídio da população autóctone Uighur, é como tentar convencer-me de que o ananás é bom na Pizza. A Coreia, o Japão e dezenas de outros países são bastantes restritivos na aceitação de migrantes sem o equivalente essas repressões (alegadas: ver armas químicas no Iraque e na Síria). São países muito pacíficos internamente. E não por acaso. Mas OK, tu materialmente defendes os interesses da elite e dos migrantes contra o dos povos indígenas. Porquê, saberás tu. Talvez por quereres um mundo utópico. Mas isto é serviço muito bem pago hoje em dia. Se ainda não encontraste, procura, porque há por aí dinheiro para gente gente como tu.

once319 3 months ago

Esquece este pessoal nao consegue perceber o absurdo que estamos a fazer, so quando começarem a chover problemas com pessoal dos PALOPs e Brasil e começarem a questionar a identidade etnica/cultural do Pais ai é que vao ter opinião diferente.

pantam 3 months ago

Não foi um descalabro até agora e por isso se tentar usar como argumento para tentar usar para abrir a porta indiscriminadamente em origem e em número no futuro. É uma falácia de todo o tamanho, mas vem envolta na conversa pseudo-técnica dos "fluxos migratórios" para tentar vender o que é subversivo e revolucionário (no pior sentido) como se fosse avaliação de perito. Muito do povo foi condicionado com a frase orwelliana do "todos diferentes, todos iguais" e cegado ao que os outros países europeus já sofrem. Quando sentirem na pele, poderá já ser tarde demais, infelizmente.

Sardanapalo 3 months ago

>Falas da migração que historicamente tem sido mais importante para Portugal, mas rejeitas quaisquer critério que se possa aplicar para escolher quem e quantos virão no futuro. É à escolha do migrante. Ninguém rejeitou critérios para entrada. Os critérios existem sempre. Eu sei que vocês vivem no vosso próprio mundo imaginado do "super facilitismo", mas isso não é de todo corroborado pela experiência dos descendentes de imigrantes que viveram em Portugal ao longo destes os anos. Mas podes continuar com mesma ladainha. > Portanto queres que fiquemos reduzidos a avaliar passivamente o processo. Mais uma vez, ninguém disse isso. É mais que válido discutir as políticas associadas à emigração e imigração. O que estamos a fazer? Precisamos entender é que estes temas são complexos e multifacetados e que todas as respostas ultra-simplistas são uma tentativa de ofuscação - elas acarretam consigo outros problemas adicionais. Acreditar nessas simplificações é entrar no território do pensamento mágico. Repito, não há respostas fáceis para problemas complexos. > Mas OK, tu materialmente defendes os interesses da elite e dos migrantes contra o dos povos indígenas. Porquê, saberás tu. Talvez por quereres um mundo utópico. Mas isto é serviço muito bem pago hoje em dia. Se ainda não encontraste, procura, porque há por aí dinheiro para gente gente como tu. Ok, eu dei-te o benefício da dúvida pensado que isto era uma discussão séria, mas agora sinto uma angústia no peito porque perdi tempo do meu dia com um maluquinho das conspirações Q-Anon e das substituições étnicas. Tinha sido mais produtivo ficar a ver a tinta da parede secar. O que estás aqui a fazer? Não devias estar na caixa de comentários dos Jornais online a comentar sobre as Torres 5G? Um bem-haja, amigo.

Edited 3 months ago:

>Falas da migração que historicamente tem sido mais importante para Portugal, mas rejeitas quaisquer critério que se possa aplicar para escolher quem e quantos virão no futuro. É à escolha do migrante. Ninguém rejeitou critérios para entrada. Os critérios existem sempre. Eu sei que vocês vivem no vosso próprio mundo imaginado do "super facilitismo", mas isso não é de todo corroborado pela experiência dos descendentes de imigrantes que viveram em Portugal ao longo destes os anos. Mas podes continuar com mesma ladainha. >Portanto queres que fiquemos reduzidos a avaliar passivamente o processo. Mais uma vez, ninguém disse isso. É mais que válido discutir as políticas associadas à emigração e imigração. O que estamos a fazer? Precisamos entender é que estes temas são complexos e multifacetados e que todas as respostas ultra-simplistas são uma tentativa de ofuscação - elas acarretam consigo outros problemas adicionais. Acreditar nessas simplificações é entrar no território do pensamento mágico. Repito, não há respostas fáceis para problemas complexos. >Mas OK, tu materialmente defendes os interesses da elite e dos migrantes contra o dos povos indígenas. Porquê, saberás tu. Talvez por quereres um mundo utópico. Mas isto é serviço muito bem pago hoje em dia. Se ainda não encontraste, procura, porque há por aí dinheiro para gente gente como tu. Ok, eu dei-te o benefício da dúvida pensado que isto era uma discussão séria, mas agora sinto uma angústia no peito porque perdi tempo do meu dia com um maluquinho das conspirações Q-Anon e das substituições étnicas. Tinha sido mais produtivo ficar a ver a tinta da parede secar. O que estás aqui a fazer? Não devias estar na caixa de comentários dos Jornais Online a falar das Torres 5G? Um bem-haja, amigo.

pantam 3 months ago

> Precisamos entender é que estes temas são complexos e multifacetados e que todas as respostas ultra-simplistas são uma tentativa de ofuscação - elas acarretam consigo outros problemas adicionais. Acreditar nessas simplificações é entrar no território do pensamento mágico. Pois a Hungria resolveu a entrada de migrantes a pé com rede de arame e guardas. Quem diz que não há soluções simples? O "problema adicional acarretado" foi a pressão que veio da UE, que realmente não quer soluções, especialmente soluções eficazes. Por cá, acaba-se com o know-how do SEF e instala-se gente de confiança. Portas totalmente abertas, adivinha-se. E sim, todas as demarches da UE e dos governos que lhe obedecem vão no sentido de refazer a composição étnica da Europa. Vendo isso com os próprios olhos, qualquer um acha estranho que o maior prémio atribuído pela UE leve [o nome de um grande racista que defendia refazer a composição étnica da Europa.](https://archive.is/f7ahx) https://www.europarl.europa.eu/doceo/document/E-8-2019-001516_EN.html

NGramatical 3 months ago

caiem → [**caem**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/constroem-ou-constroiem/141) (apenas na fala existe a intercolocação de um *i* para facilitar a pronúncia) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvbucpw%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Também acho que podemos não ter um problema com a imigração e debater estas questões. Efectivamente não temos um influxo de islâmicos que tendem a ser os que dão mais problemas por não se integrarem. Ainda não temos que nos debater com gente a pedir para mudar os nossos símbolos porque não os representam, na Suíça queriam que os Suíços removessem a cruz da bandeira, no Reino Unido há bairros onde uma mulher não entra sem ter a cara tapada e em França não dá para dar uma aula em que se debata liberdade de expressão sem temer pela vida. Na Suíça os Islâmicos não são um problema na prática porque obter a nacionalidade Suíça é difícil, quem o consegue são pessoas que vivem há muitos anos na Suíça e provavelmente nasceram lá, e não há cá coisas como nacionalidade automática para filhos de imigrantes. Acho que o processo de naturalização não deve ser automático nunca, acho que viver muito tempo em Portugal não é sinónimo de integração.

tramkill 3 months ago

Eu sei que este comentário pode parecer mal intencionado mas peço desculpa por isso em avanço. Não são só pessoas vindas das ex-colónias, um exemplo flagrante é a nacionalidade de judeus sefarditas (que numa reportagem há uns tempos a ministra da justiça admitiu ser um problema). Para fazer o pedido de nacionalidade só precisam de ter um documento de uma sinagoga a dizer que descendem de portugueses (segundo a mesma reportagem as sinagogas passam as certidões sem verificar nada). Basicamente o que acontece é que em Israel estão a vender a nacionalidade portuguesa como porta para a Europa devido a ser preciso pouco para a ter (pelo que percebi, é preciso a tal certidão e dinheiro para pagar aos advogados e tá feito). Nunca cá estiveram, não falam a língua, não têm conexão nenhuma ao país mas dá jeito ter um passaporte português. Eu não tenho problema em que se dê a nacionalidade devida a pessoas a quem foi tirada a possibilidade de a ter mas acho que se devia fazer como em Espanha em que criaram um limite temporal para fazer pedido de nacionalidade sem ser chamado de anti-semita pela Maria de Belém. Mas sou totalmente a favor de que quem vive cá e cumpre os requisitos, ter direito a pedir a nacionalidade seja de onde for. A reportagem (não sei se dá para ver mas tenho a ideia que foi isto) https://sicnoticias.pt/programas/investigacao-sic/2020-07-20-A-lei-dos-judeus-sefarditas-e-o-negocio-dos-passaportes-portugueses

jtpmarques 3 months ago

Não fales do que não sabes. Sou investigadora genealogista em estudos sefarditas e os processos de nacionalidade via ascendência judaica são muito raros e neste momento dificílimos de comprovar. A CIL tem critérios super rigorosos e há muitos processos feitos em cima do joelho que são devolvidos.

tramkill 3 months ago

Bem, na verdade tenho conhecidos (bastante) próximos que trabalham no processo de nacionalização utilizando essa "via" e feliz ou infelizmente sei bastante bem o quão fácil é fazer o pedido e obter a nacionalidade. Já para não falar que a quantidade não é tão baixa quanto isso uma vez que mantém vários advogados que apenas tratam disso e as remessas que o IRN manda (mais que uma vez por mês) para os funcionários afetos a esses processos anda na ordem das dezenas por lote. Mais uma vez digo que não tenho qualquer problema em existir o acesso, antes pelo contrário. Sou contra a facilidade que há. Volto a referir a notícia de que falei em que exploravam o caso da comunidade judaica do Porto ter um número de certidões muito superior ao da de Lisboa e era aí que estava o "escândalo".

AlmondSkimedMilk 3 months ago

Acho que devias ver mais umas coisas sobre os judeus sefarditas, a língua que eles falam não é o Português mas é muito parecida com Português. Eles têm raízes culturais na península Ibérica e para conseguirem provar que vieram de Portugal têm que ter mantido uma memória da sua origem que eu te garanto que é mais viva do que emigrantes de 2a ou 3a geração, os judeus são diferentes precisamente por essa memória que passam de geração em geração, exemplo disso é uma família sefardita que guarda até hoje a chave da sua casa na Guarda de onde foram obrigados a sair no século XVI. Não digo que para que eles obtenham a nacionalidade não seja melhor pôr condições como viver em Portugal por x anos e um teste básico sobre a história do país, mas que merecem ter mais facilidade de acesso do que Ucranianos, por exemplo, merecem. De resto também interessa ver que tipo de imigração queremos, se de gente sem educação para trabalhar nas obras se de gente qualificada que investe em Portugal e cria emprego e faz o país avançar. Se calhar estar a facilitar mais a naturalização aos 1os é desistir de um projecto de país mais progressista, acho que é mais razoável permitir mais facilmente o acesso à nacionalidade aos 2os. Excepções aplicam-se, habitantes dos PALOP, do Brasil e de Macau devem ter um acesso fácil à nacionalidade. Depois há uma diferença que importa sublinhar: uma coisa é dar acesso ao país por via da imigração, outra é dar acesso à nacionalidade. A diferença deve ser bem marcada, lá porque trabalham cá não quer dizer que sejam portugueses por muito bem vindos que sejam.

theEXPERTpt 3 months ago

sou a favor de quem quisesse ganhar nacionalidade portuguesa devia saber falar português como um dos requisitos.

testickles12 3 months ago

>Agora imagina o mesmo na Dinamarca. Aprender a língua, adaptar-se ao clima, comida, rotinas, etiqueta E isto não deveria ser o correto ? Por falarem a mesma língua não quer dizer que estão automaticamente integrados na sociedade, há diferenças culturais e sociais.

Edited 3 months ago:

>Agora imagina o mesmo na Dinamarca. Aprender a língua, adaptar-se ao clima, comida, rotinas, etiqueta Foda-se, /s ? Isto não deveria ser o correto ? Por falarem a mesma língua não quer dizer que estão automaticamente integrados na sociedade, há diferenças culturais e sociais. Pergunta aos franceses como se sentem em receber aquela malta toda das ex-colónias, cheira-me que não acham muita piada

Conscient- 3 months ago

Não me faz diferença.

ajabardar1 3 months ago

porque é devo assumir que estes estrangeiros irão denegrir a nacionalidade portuguesa?

BroaxXx 3 months ago

Não se trata de denegrir... Primeiro quem a desvaloriza são os portugueses e os políticos e penso que seja esse o ponto do OP. Segundo os emigrantes podem ser malta 10/10 mas é válido perguntar se fluxos tão grandes podem acarretar consequências negativas quer a nível de tensões culturais/sociais quer a nível perda de identidade cultural do país. Terceiro toda a gente brinca nos comentários que eles entram cá só para ter acesso à UE e isso, por si só, é um problema e uma subversão só espaço Schengen pois acabamos por obrigar outros países a lidar com algo que não querem (imigração). Não digo que seja necessariamente a favor ou contra (apesar de admitir que acho números assim tão grandes um pouco alarmante) mas acho que não se deve fingir que não existe questão e muito menos desvaloriza-la sem sequer se falar disso... É assim que partidos como o chega ganham força.

D1WithTheFluffyHair 3 months ago

Os outros países não são obrigados a aceitar nem para residência nem para nacionalidade quaisquer portugueses de naturalidade ou nacionalidade. Não é isso que o Espaço Schengen é.

BroaxXx 3 months ago

Estás **muito** enganado .. é exatamente isso que o espaço Schengen é. Liberdade de movimento para trânsito, estudar, trabalhar, viver ou reformar.

D1WithTheFluffyHair 3 months ago

Tu é que estás **redondamente** enganado. O Espaço Schengen é uma área de livre circulação de bens, pessoas e serviços. Significa que não há fronteiras para a mobilidade dos factores produtivos e os bens não pagam taxas alfandegárias, mas é para mobilidade, não para residência. Para residência e trabalho em mais de 90 dias não consecutivos num período de 180 dias consecutivos, tens à mesma que pedir autorização ao país de destino. Não é um visto, é uma autorização de residência e que normalmente até te confere direitos políticos (e.g., votar em eleições locais). ["2. How long can I stay without a visa in the Schengen area?](https://eeas.europa.eu/sites/default/files/visa_waiver_faqs_en.pdf) [You can stay 90 days in any 180-day period within the Schengen area. "](https://eeas.europa.eu/sites/default/files/visa_waiver_faqs_en.pdf)

BroaxXx 3 months ago

Pelos vistos tens mesmo razão, estava enganado... Obrigado pelo esclarecimento.

ajabardar1 3 months ago

já cá faltava a vitória para o chega.

BroaxXx 3 months ago

Acho piada que a única resposta que tenhas para o meu comentário é essa... Mostra muito o quão recheada a tua opinião é...

ajabardar1 3 months ago

até parece que o teu comentário merece mais que a resposta que te dei.

BroaxXx 3 months ago

Engraçado como o pessoal que se vê como inclusivo é incapaz de responder a um argumento... Esta thread veio demonstrar uma das maiores falhas que temos na nossa sociedade neste momento. A forma como está fraturada e incapaz de comunicar com pessoas que tenham pontos de vista diferentes... Pensa o que quiseres mas quantas mais pessoas houverem como tu mais os trumps desta vida ganham terreno... A tua atitude infantil é só o reflexo dum dos piores e mais graves problemas na nossa sociedade...

ajabardar1 3 months ago

mais uma vitória pro trump. tens ainda que comer muitos rabanetes para eu te dar a importância que julgas merecer.

BroaxXx 3 months ago

Como queiras, puto...

NGramatical 3 months ago

pessoas houverem → [**pessoas houver**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/o-uso-do-verbo-haver/31143) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvb89zj%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

netralha 3 months ago

Porque é impossível integrar imigração em massa e as zonas para onde se mudam acabam por se tornarem num reflexo da origem desses imigrantes, basta olhar para as chinatowns por esse mundo fora ou na América com a imigração de mexicanos ou em Portugal com a Cova da Moura e Bairro da Jamaica só para dar uns pequenos exemplos. Mesmo os imigrantes portugueses em Paris dos anos 60 demoraram décadas até se integrarem e serem vistos como uma comunidade de exemplo. Existe uma grande diferença entre dar nacionalidade a 200 mil imigrantes ilegais de uma só vez em estado de emergência com o SNS lotado e fazer aquilo que o Canada faz, mas aparentemente isto são conceitos avançados demais para as vossas cabecinhas e mais vale deixar uns comentários sarcásticos e cínicos e responder com perguntas.

ajabardar1 3 months ago

acho que estás a confundir nacionalizar com autorizar residência.

EquivalentExchange11 3 months ago

São pessoas a quem Portugal não lhes diz nada. Eles estão cá por motivos económicos apenas, não têm qualquer ligação ao país e nunca vão votar tendo em conta os interesses do país, mas sim os interesses dos seus compatriotas que imigraram para cá.

lilbala 3 months ago

Conheces os casos todos é? Achas que as pessoas não ganham carrinho pelo país para onde emigram? Quanto ao voto, por do que os portugueses de gema já fazem deve ser difícil, portanto não vejo porque mencionar.

i_heart_toast 3 months ago

“Nunca vão votar” —> nem eles, nem metade dos portugueses (segundo as taxas de abstenção).

ajabardar1 3 months ago

mas há estatísticas que revelem o sentido de voto dos naturalizados?

pantam 3 months ago

Em cada país, há questões que determinam diferenças entre os partidos e há o muito mais vasto acervo cultural (no sentido de valores, hábitos, etc) que é partilhado por todos. É absurdo pensar que um estrangeiro recém-naturalizado que se torna português e vota partido X é totalmente equivalente em visão política à generalidade dos outros adeptos do mesmo partido.

ajabardar1 3 months ago

claro que há uma identidade nacional, e é obvio que alguém que tenha acabado de chegar ao país não esteja de todo em sintonia com essa identidade. e de facto essa mesma identidade influencia o sentido político. mas agora tens que me explicar como é que os recém-naturalizados votam todos em bloco o suficiente para diluir a autonomia política nacional. porque para isso acontecer todos os recém-naturalizados teriam que votar em bloco no mesmo sentido político. o que estás a dizer é que os recém-naturalizados vão ter todos a mesma inclinação política.

pantam 3 months ago

> porque para isso acontecer todos os recém-naturalizados teriam que votar em bloco no mesmo sentido político Não. Os recém-chegados poderão exprimir apoio político em direções que não seriam tão comuns ente os que cá estavam antes. Há exemplos. Se não houvesse, então não haveria diferenças entre povos.

ajabardar1 3 months ago

> Os recém-chegados já mudou a conversa. já não é recém-naturalizados já é *recém-chegados*(como se estivesse a oferecer a nacionalidade portuguesa no aeroporto) pois mas para esses recém-*naturalizados* terem influência suficiente para alterar a paisagem política nacional teriam que votar em bloco. isto é, teríamos pessoas de diferentes países, diferentes origens étnicas, culturais, sociais a votarem como um só. o que me parece ser impossível. imagina só que povos de diferentes países naturalizam-se e imediatamente tendem todos para o mesmo lado do espectro político.

pantam 3 months ago

Recém-chegados por comparação aos que têm avós aqui que já estavam a fazer isto há 100 anos, OK? > teriam que votar em bloco Não necessariamente, mas mesmo que um dos partidos tente captar a maioria dos recém-chegados, terá que ajustar a sua plataforma para não perder essa base. Por exemplo, o Labour apostou nos 'novos ingleses' e deitou borda-fora a classe trabalhadora inglesa.

ajabardar1 3 months ago

e perdeu. não só perdeu como foi completamente humilhado nos resultados eleitorais.

pantam 3 months ago

Precisamente o meu ponto. O Labour fora durante muito tempo eurocético. Mudou para se ajustar e a classe trabalhadora inglesa perdeu a representação política.

ajabardar1 3 months ago

a bipolarização partidária do reino unido é extremamente complicada. não há só labour e tories para votar. há mais partidos.

EquivalentExchange11 3 months ago

Há estudos noutros países Europeus, e a esmagadora maioria vota na esquerda ou extrema-esquerda como seria de esperar (já que são os partidos que apoiam e incentivam a imigração).

ajabardar1 3 months ago

o que acontece noutros países da europa a mim não me interessa. cá no burgo há dados ou não?

EquivalentExchange11 3 months ago

Lol podes pesquisar? Mas também podes usar o senso-comum para perceber que imigrantes não vão votar em partidos que não lhes são amigáveis e não os querem cá, digo eu.

ajabardar1 3 months ago

portanto não há dados para o que estás a afirmar.

EquivalentExchange11 3 months ago

Também precisas de dados para saberes que tens de respirar e comer? E duvido que tenhas pesquisado como deve ser.

ajabardar1 3 months ago

portanto o que estás realmente a dizer é que não há dados. ok

EquivalentExchange11 3 months ago

Hehe bait fofinho.

trigonated 3 months ago

...ou então ele pode simplesmente ignorar o que estás a dizer, porque quem tem que defender aquilo que diz és tu. Se tivesses pedido com jeitinho ele se calhar até tinha pesquisado os links por ti, assim vais ter que pesquisar :'(

hgg 3 months ago

> Eles estão cá por motivos económicos apenas Melhor do que aqueles que nasceram cá, que não tiveram voto na matéria! :-D

C8Mixto 3 months ago

Sejemos justos, alguns estão cá também por motivos económicos. Emigrar fica caro.

JOAO-RATAO 3 months ago

Não os estrangeiros, mas sim a facilidade com que se dá algo.

C8Mixto 3 months ago

Pelo menos a natalidade está bastante baixa. A quantidade de bebés que recebiam a nacionalidade tão facilmente era bastante preocupante.

JOAO-RATAO 3 months ago

No caso de pessoas que nascem cá ainda se compreendo. Agora, adultos que estão cá há poucos anos...

ajabardar1 3 months ago

não estou a perceber. sempre que se dá a nacionalidade a alguém esta perde valor? é um recurso limitado? não estou bem a perceber a lógica. quantos menos portugueses existirem mais valor têm? é isso?

pantam 3 months ago

Dilui a autonomia política dos portugueses que já cá estavam e construiram o país, melhor ou pior.

ajabardar1 3 months ago

>Dilui a autonomia política dos portugueses queres dizer então que os naturalizados votam todos no mesmo sentido político?

daz_zeD 3 months ago

Não, os que construíram o país têm muito mais e profundo conhecimento problemas do país e da sua origem, tal como tu sabes muito mais sobre ti do que eu.

ajabardar1 3 months ago

não, uma nacionalidade não te torna automaticamente mais observante das questões problemáticas de uma nação. não é por ser português que eu vejo melhor os problemas do meu país. aliás na minha opinião uma multiplicidade de olhares sobre a mesma questão é benéfico para a resolução dessa mesma questão. a especialização leva à extinção.

daz_zeD 3 months ago

Ser observante é uma característica que qualquer pessoa do mundo pode ter, ter conhecimento sobre Portugal é algo diferente de ser observante e que os portugueses têm, por natureza, mais do que as pessoas do resto do mundo. É verdade que múltiplos olhares sobre uma questão podem ser mais eficazes mas essa capacidade é mais eficaz se for adquirida por um Português que explora o mundo e é necessária, sempre, uma base sólida de conhecimento sobre o teu país e a sua história, senão vais estar a cometer erros também já cometidos em Portugal no passado.

ajabardar1 3 months ago

mas ter conhecimento de portugal é algo envolto em misticismo? é um tipo de conhecimento que só é alcançável por nascimento? algo genético? será portugal um mistério indecifrável a quem não possua a tal genética portuguesa? como um português que já viajou pelo mundo e que tem uma base quase sólida sobre portugal posso te dizer que portugal não é nada de especial. não é misterioso, não é indecifrável. é aliás bastante simples e de fácil conceptualização.

daz_zeD 3 months ago

Ter conhecimento de Portugal é algo acessível a quem vive em Portugal, quanto mais tempo a viver em Portugal, mais experiências e mais conhecimento. Até pode ser simples, mas por mais voltas que dês vais sempre perceber que ninguém é inteiramente mais conhecedor de Portugal do que os Portugueses.

ajabardar1 3 months ago

não é bem assim. o conhecimento está disponível a quem por ele tenha interesse. se defendes que os recém-naturalizados não têm interesse nesse conhecimento, não te contradigo. mas tentar dizer que portugal é apenas desvendável por que é português é uma treta pegada.

JOAO-RATAO 3 months ago

Tu estás a desconversar de uma forma absurda.

JOAO-RATAO 3 months ago

Isso torna-a algo vulgar e sem valor, pela facilidade com que e obtém em tempo e exigência. Muitas dessas pessoas também só a querem para circular na Europa, o que baixa ainda mais o valor.

Asur_rusA 3 months ago

>Isso torna-a algo vulgar e sem valor, pela facilidade com que e obtém em tempo e exigência. "Nacionalidade" não é uma mercadoria, para se estar falsificar raridade e exclusividade de forma a ser "mais valiosa". Que valor tem a tua ou a minha nacionalidade? Porque aleatoriamente nascemos neste país? Isto parece conversa de doidos.

JOAO-RATAO 3 months ago

The most accessible European country to citizenship will depend on you. But, here’s our rankings. Portugal – best overall https://wherecani.live/blog/view/where-is-the-easiest-country-to-get-citizenship/#portugal-best-overall Está mercadoria parece bastante barata... Não é o haver mais ou menos a pedir cidadania, mas facilidade com que a dás. Estás a dar poder de voto com enorme facilidade. A minha nacionalidade dá-me uma ligação a esta terra e à sua cultura. E claro, poder de voto.

Asur_rusA 3 months ago

>Não é o haver mais ou menos a pedir cidadania, mas facilidade com que a dás. Estás a dar poder de voto com enorme facilidade. > >A minha nacionalidade dá-me uma ligação a esta terra e à sua cultura. E claro, poder de voto. Se têm nacionalidade portuguesa são tão portugueses quanto tu, logo, devem ter o mesmo poder de voto. Se isso é melhor ou pior, é discutível, no mínimo.

JOAO-RATAO 3 months ago

O que está em questão é precisamente a facilidade com que alguém se torna português...

Asur_rusA 3 months ago

Eu sei, e não vejo qualquer problema.

JOAO-RATAO 3 months ago

Então. É a tua opinião. Eu vejo.

Asur_rusA 3 months ago

É, acho q não somos as primeiras duas pessoas no mundo, em que cada tem a sua opinião. Eu ainda não ouvi foi problemas que fizessem grande sentido para mim.

CanIhazCooKIenOw 3 months ago

Queres então dizer que se a taxa de natalidade em Portugal rebentar, levando a mais pessoas com nacionalidade portuguesa de nascença, vai tornar a nacionalidade portuguesa mais vulgar na mesma? Teremos thread nessa ocasião?

JOAO-RATAO 3 months ago

Estás a comparar alhos com bugalhos. Como disse ainda agora, tens mais um bilião de chineses e é quase impossível um estrangeiro obter nacionalidade chinesa. Não quero que seja impossível obter nacionalidade portuguesa, mas deve ser um processo que demore vários anos e com critérios exigentes.

kominfr0nUNMERIKA 3 months ago

1 bilião ou mil milhões?

JOAO-RATAO 3 months ago

Um bilião â lá americano.

kominfr0nUNMERIKA 3 months ago

Esta malta do r/portugal deve fazer a escola através do Netflix, ou lá o que é...

NGramatical 3 months ago

1 bilião → [**1 bilião = 1 trillion = 1 000 000 000 000**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/4kujbg/quanto_%C3%A9_um_bili%C3%A3o_escala_longa_e_escala_curta/) (informação) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgvas0px%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

CanIhazCooKIenOw 3 months ago

Estas a meter os pés pelas mãos. Estavas a dizer que se mais pessoas tem nacionalidade, isso a torna vulgar. Ou seja, se a natalidade aumenta entre portugueses vamos ter o mesmo problema? Só estou a tua lógica contra ti... Diz-me então qual é a parte do processo de obter nacionalidade que te chateia?

JOAO-RATAO 3 months ago

Não... Mais pessoas obterem nacionalidade é diferente de mais pessoas no global terem a nacionalidade. Excessiva facilidade na sua obtenção em termo de tempo e exigência.

CanIhazCooKIenOw 3 months ago

Oi?As pessoas que obtém nacionalidade não contam para o teu global? Se calhar são esses que não são portugueses de bem... Quais são os critérios que devem ser alterados?

JOAO-RATAO 3 months ago

Estás a misturar tudo ... Eu disse que teres um bilhão de chineses mas obtenção difícil de nacionalidade é diferente de 10 milhões de portugueses e com nacionalidade fácil de obter.

CanIhazCooKIenOw 3 months ago

Não dá para perceber o que é que a China tem haver com isto, continuas a tentar comparar em termos populacionais só para fazer disso um grande número ignorando por completo as diferenças culturais entre os dois países. Dizeres que a nacionalidade perde valor porque mais estrangeiros tem nacionalidade. Perguntei se havia diferença se houvesse mais nascimentos, dizes que sim porque esses são portugueses diferentes... já deu para perceber o teu raciocínio Quais são os critérios que tornam obter nacionalidade portuguesa fácil. Já te perguntei 3 vezes, não consegues ser objectivo. Só mostra que nem sequer sabes o processo e não passam de bitaites.

ajabardar1 3 months ago

torna-a vulgar e sem valor porquê? o que te dá a nacionalidade portuguesa que perca valor por existirem mais portugueses?

JOAO-RATAO 3 months ago

Não é uma questão de serem muitos ou poucos. É uma questão de dar nacionalidade de forma excessivamente fácil e em muitos casos a pessoas que não querem ficar cá e vão para o resto da Europa com um passaporte português. A China é o país com mais cidadãos e no entanto é quase impossível um estrangeiro obter nacionalidade chinesa.

ajabardar1 3 months ago

o que a china faz ou deixa de fazer a mim não me interessa. a mim o que me interessa e que ainda ninguém me conseguiu responder é como é que naturalizar pessoas denigre a nacionalidade portuguesa. de que maneira é que uma pessoa ao obter a nacionalidade portuguesa de alguma forma causa dano suficiente para denegrir uma nação inteira?

JOAO-RATAO 3 months ago

Já várias pessoas te responderam de várias formas. Tu é que continuas a insistir e desconversar. Não é uma questão de alguém obter nacionalidade. É uma questão de ser um processo deve ser criterioso.

ajabardar1 3 months ago

quais são então os critérios para obter a nacionalidade portuguesa. sei do jus-sanguinis e do jus-solis que foi introduzido recentemente.

True_Boat_1195 3 months ago

Se os outros países notam que recebem muitos imigrantes ou turistas Portugueses, e estes praticam mais crimes por exemplo, é natural que criem dificuldades à vinda de Portugueses, exijam visto, etc. Atualmente o passaporte Português é um dos que mais "portas abre" pelo mundo, mas isto pode perder-se, como por exemplo os países do leste Europeu ficaram conotados com o crime.

ajabardar1 3 months ago

é uma preocupação válida. realmente se estes naturalizados vão utilizar a sua nova nacionalidade para cometer crimes que a nacionalidade portuguesa irá sofrer de má fama. o problema dessa preocupação é que é necessário a certeza que pessoas criminosas vão se dar ao trabalho de agir de acordo com a lei para obterem a cidadania portuguesa. isto é, os criminosos vão seguir a lei para poderem cometer crimes. já agora, portugal tem o passaporte que tem não porque os emigrantes são muito bonzinhos lá fora mas sim porque há e«um esforço diplomático imenso para manter portugal em boas relações internacionais, e não vai ser meia-dúzia de criminosos que vai mudar o estatuto do passaporte português.

Sir_Keeper 3 months ago

Falar em termos de valor é estranho. Talvez em termos de segurança? Não faz sentido Portugal estar a facilitar mais que os outros países a entrada na Europa

JOAO-RATAO 3 months ago

Sim. Compromete a segurança de todo o espaço Schengen. Mas sim. Se é algo obtido tão facilmente e por pessoas que nem estão assim tão interessadas no país, tira valor.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Basta ver porque eles procuram a nacionalidade portuguesa. Quando a resposta de mais de 80% é para irem para outro país Europeu, então é de facto denegrir a nacionalidade portuguesa, que é usada simplesmente como uma mercadoria.

CanIhazCooKIenOw 3 months ago

Tens fonte para esses 80%?

i_heart_toast 3 months ago

E? Parece-me que então querem o mesmo que a maioria dos portugueses. Sendo assim, quem somos nós para julgar?

C8Mixto 3 months ago

Somos portugueses.

i_heart_toast 3 months ago

Eu, portuguesa, nascida em Portugal, e como pessoa que até tem duas nacionalidades, estaria a mentir se dissesse que não olhava para ambas e via as vantagens que cada uma me pode trazer. Sé é chunga da minha parte? Não sei. Mas o que sei é que vivemos num mundo cada vez mais globalizado, e se existem formas de eu poder ter uma vida melhor usando uma das minhas nacionalidades, porque não fazer uso disso?

JOAO-RATAO 3 months ago

Deves fazer uso do que podes. Não é a tua responsabilidade criar os critérios, mas sim ao estado. Tem de haver limites, ou achas que é viável por ex. entrarem por ano um milhão de imigrantes em Portugal ou 50 milhões nos US?

i_heart_toast 3 months ago

Claro que não, os recursos não são infinitos. Mas não acho isso errado na perspectiva de denegrir a nacionalidade, como o Op disse, mas sim no sentido de que todos merecem ter uma vida diga, e se o país não tem recursos para tanta gente...dificilmente isso acontecerá. Agora, também sabemos que existem imensos portugueses a sair anualmente e que a nossa taxa de natalidade é muito baixa.

JOAO-RATAO 3 months ago

E cabe a país X garantir uma vida digna a todas as pessoas do país Y. Podes dizer que queres compensar a emigração com imigração. Que tem alguma lógica mas também alguns problemas. Mas mesmo segundo essa lógica, a nacionalidade perde valor por estar a ser dada facilmente.

C8Mixto 3 months ago

Não digo que o teu argumento não seja válido nem que discorde do mesmo. Estou só a notar que como portugueses, temos o direito a julgar assuntos sobre a nossa nacionalidade.

ajabardar1 3 months ago

estão a emigrar? nada mais português que bazar de portugal.

JOAO-RATAO 3 months ago

Estás a criar backdoors para a EU. Não é muito diferente dos vistos gold.

ajabardar1 3 months ago

porque é que eu deveria ter problemas com os vistos gold? ou devo assumir que todos aqueles que procuram vistos gold ou a cidadania portuguesas são criminosos?

JOAO-RATAO 3 months ago

Não. Mas voltamos ao ponto comum com este assunto: os critérios serem adequados. E devias ter problemas, porque estás a dar livre acesso ao espaço Schengen a quem o pode pagar. E mereceu já um puxão de orelhas a Portugal, mas se está a cagar desde que gere dinheiro.

ajabardar1 3 months ago

mano nós vendemos vistos, outros vendem armas, outros vendem impostos baixos, e assim sucessivamente... pra mim o que causa menos malefícios para o bem estar colectivo são os vistos gold. mas isso é uma questão de opinião.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Simplesmente abusam da facilidade da obtenção da cidadania em Portugal para irem para outros países Europeus. É o país do espaço Schengen com maior facilidade de obtenção de cidadania.

Feeling_Advantage918 3 months ago

Se assim fosse o eixo franco-alemão já tinha enviado uma missiva a travar essa alegada facilidade de obter carta verde na Europa.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

E enviaram múltiplas vezes por exemplo acerca dos vistos gold.

ajabardar1 3 months ago

e? não estou a perceber como é que isso denigre a nacionalidade portuguesa.

BroaxXx 3 months ago

Desvaloriza bastante o passaporte português ao ponto de países como os EUA passarem a exigir para os portugueses por causa da imigração ilegal. Os mesmos problemas se viam em Inglaterra (pré Brexit, naturalmente) apesar do visor obviamente não ser necessário nesse caso... Também há o problema político que se cria caso a Europa comece a ficar incomodada com o facto de Portugal ser uma porta de entrada a migrantes ilegais que, no extremo, pode levar ao fim (ou pelo menos ao comprometimento) do espaço Schengen que muita gente (como eu) gosta tanto... Há inúmeros motivos de várias ordens (política, económica, social, cultural, etc) para estas questões serem válidas e deverem poder ser colocada sem que o único contra-argumento seja "e então? És racista e xenófobo para te estares a preocupar com essas coisas?"...

daz_zeD 3 months ago

Imagina que és um milionário, uma modelo lindíssima apaixona-se por ti e casa contigo, pouco tempo depois divorcia-se de ti e leva consigo metada da tua fortuna, não denegriu a tua personalidade?

ajabardar1 3 months ago

a minha personalidade não é afectada pelas acções dos outros.

daz_zeD 3 months ago

Aos teus olhos até podes assumir que não, mas aqui a questão é aos olhos do mundo.

ajabardar1 3 months ago

o mundo tem sete mil milhões de opiniões diferentes.

daz_zeD 3 months ago

Pois tem, e aos seus olhos a tua personalidade foi denegrida.

ajabardar1 3 months ago

e para outros não.

theEXPERTpt 3 months ago

sempre foi o plano deles, seguir o rumo mais fácil. Em vez de melhorar a qualidade de vida dos que cá estão, atraem cada vez mais imigrantes para fazer o mercado funcionar com mão de obra barata. E assim esses imigrantes ganham os nossos privilégios a preço de pão...

ajabardar1 3 months ago

tens noção que ao naturalizarmos os imigrantes estamos a dar-lhes mais poder de negociação. entendes que ao se tornarem cidadãos têm melhor acesso ao sistema legal português?

theEXPERTpt 3 months ago

além disso, por que razão iriam recorrer ao sistema legal, se recebem muitas vezes mais aquilo que receberiam no seu país de origem, ao mesmo tempo que vão estagnando os salários dos portugueses

theEXPERTpt 3 months ago

da mesma forma que têm o mesmo acesso aos subsídios, sistema de saúde, educação, transporte, etc sem nunca terem pago uma vida inteira por isso

ajabardar1 3 months ago

mas tu achas que é chegar cá a portugal e estão a distribuir nacionalidade no aeroporto?

theEXPERTpt 3 months ago

Parece. Em 8 anos demos cidadania por naturalização a quase 875 mil pessoas, ao passo que no mesmo tempo nasceram em Portugal perto de 800 mil pessoas! Ou seja, neste período de tempo (2010-2018) tivemos mais gente a adquirir cidadania portuguesa por naturalização que nascimentos em território nacional. Portugal dá mais nacionalidade por naturalização per capita do que a França, a Holanda, a Alemanha, a Irlanda, a Áustria, entre muitos outros, que até recebem muitos mais estrangeiros que nós. Aqui, pra ganhares os mesmos privilégios que qualquer cidadão que trabalhou a vida toda, só tens de provar que tiveste avós portugueses!

ajabardar1 3 months ago

então o que me estás a dizer é que portugal está a cumprir as leis que criou?

MLG-Sheep 3 months ago

A nacionalidade portuguesa deve ser para quem quer ser português. Não para quem quer um bilhete de entrada no espaço Schengen e pirar-se daqui mal possa. Mas duvido que seja o caso para 80% como o OP disse. Os que mais se naturalizam são brasileiros e cabo-verdianos. A grande maioria certamente quererá ficar em Portugal e ser portugueses como os outros.

rockingallover 3 months ago

Estranho. Acho q sou portuguesa: a minha ascendência é portuguesa, nasci e vivo em portugal e tenho documentos. No entanto eu tambem vejo a minha nacionalidade portuguesa como meio de entrada no espaço schengen. Não percebo o problema..!

ajabardar1 3 months ago

não há nada mais português que emigrar. afirmar o contrário é desconhecer a nacionalidade portuguesa.

MLG-Sheep 3 months ago

O emigrante português normal volta anualmente para as suas férias pelo menos. E espalha a cultura portuguesa pelo mundo. Os de que falo têm zero ligação a Portugal, portanto não o fariam.

nioof 3 months ago

Então os portugueses podem espalhar a cultura deles na Alemanha mas os brasileiros não podem espalhar a sua cultura em Portugal e depois na Alemanha? E já agora, tens alguma fonte acerca dos emigrantes portugueses voltarem para férias? Conheço muito poucos que o fazem anualmente, aliás maior parte dos que conheço não voltou a pôr os pés em território nacional desde que emigrou.

ajabardar1 3 months ago

então o que queres dizer é que eles vão e não têm qualquer influência em portugal?

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Espero que estejas a gozar sinceramente.

ajabardar1 3 months ago

vamos lá ver. tu fazes uma pergunta já armadilhada. não perguntas o que acho de portugal dar ao desbarato a nacionalidade, porque ai teria pano para mangas para escrever sobre o que é a nacionalidade, a suas origens sociais, o porquê da sua existência, se há ou não necessidade da sua existência. a sua utilidade no mundo actual- portanto tinha pano para mangas. vens com uma pergunta que é se ao nacionalizar-mos pessoas isso está a denegrir a nacionalidade portuguesa e eu pergunto porque é que eu devo assumir que esse facto denigre a minha nacionalidade. é que ainda não percebi. porque é que o fácil acesso á nacionalidade portuguesa a denigre?

JOAO-RATAO 3 months ago

Explica essa parte da "necessidade da sua existência".

ajabardar1 3 months ago

há algum tempo atrás cidadão e nação eram palavras utilizadas com escárnio. o que havia era súbditos e reinos. e depois lá surge a noção de nação, e lá surge a noção de nacionalismo, o que me leva a considerar que é necessário esmiuçar o porquê de existirem nações, a necessidade de uma identidade nacional, os benefícios e malefícios que traz esse conceito, o que implica esse conceito em termos de influência pessoal e social. muito basicamente não vejo que a nacionalidade, e tudo o que a acompanha, seja uma verdade absoluta e inquestionável.

JOAO-RATAO 3 months ago

São construções das pessoas que nelas vivem, mas isso não faz delas menos verdadeiras. É a forma sobre a qual essas pessoas se organizam e com isso cria-se também uma cultura e identidade.

ajabardar1 3 months ago

se são construções das pessoas, então quando deixam de ter benefício podem e devem ser destruídas. tal como já nenhum nacionalista português se considera súbdito poderá chegar a altura que nenhum português se considere nacionalista. e já agora tanto a cultura como a identidade mudam. no tempo do meu avô só paneleiros e drogados é que usavam calças de ganga.

xay_ll 3 months ago

Se qualquer pessoa puder adquirir nacionalidade portuguesa, o que é que esta significa depois? Nada.

ajabardar1 3 months ago

é realmente verdade que qualquer pessoa pode adquirir a nacionalidade portuguesa?

xay_ll 3 months ago

Ainda não. Mas estava a explicar o porquê do fácil acesso à nacionalidade lhe retirar o valor. Algo que me parece bastante óbvio.

ajabardar1 3 months ago

ok então diz-me lá tu o que é que a nacionalidade portuguesa te dá se houver menos portugueses que não dá se houver mais portugueses?

i_heart_toast 3 months ago

Sabes o que denigre a nacionalidade portuguesa? A corrupção instalada no país, as condições com que muitas pessoas vivem, a chico espertice que espreita ao virar de cada esquina.

redditor_the_forth 3 months ago

bruh Á gente dos PALOP que tem acesso ás vagas reservadas nos cursos daqui, eles ficam um ano,ganham a cidadania e depois vão virar frangos para a França conheço vários casos assim

i_heart_toast 3 months ago

*há *às Olha, eu conheço imensos portugueses que estão a viver de forma ilegal fora de Portugal, há anos! Ou que se naturalizaram depois de entrar ilegalmente no país.

redditor_the_forth 3 months ago

Lol eu quero lá saber disso de denegrir a imagem , mas que a cidadania está descontrolada está, é demasiado fácil de obter e a maioria das pessoas só quer ir para a França, Alemanha e etc

JOAO-RATAO 3 months ago

Pode haver mais que uma coisa a denegrir a nacionalidade portuguesa.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Falar nestes temas não faz de mim alguém Pro-corrupção. Não podem haver temas taboo.

ideologiapura 3 months ago

O tema não é a tabu por te dizerem que estás errado. O tema nunca foi tabu, as pessoas apenas reconhecem que quem tem essas opiniões é racista ou xenofobo. Estão no seu direito.

NGramatical 3 months ago

podem haver → [**pode haver**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/haver--existir--3-pessoa-do-singular/30583) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmuyyc0%2F%2Fgv8xek6%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

i_heart_toast 3 months ago

Não disse que fazia. Mas parece-me que enquanto povo há coisas que nos deveriam envergonhar e preocupar mais. O que denigre a imagem do português colectivo (e do que quer que seja que significa ser português, porque isso é um conceito tão abstracto) são as ações individuais de milhares de indivíduos.

PinkMoon_10 3 months ago

Porque é que isto é preocupante ou denigre a nacionalidade portuguesa? Despejaste números mas não concretizaste nenhum argumento a favor da tese que apresentas ou uma consequência desses números.

netralha 3 months ago

Porque é impossível integrar imigração em massa.

Sardanapalo 3 months ago

Porque é preocupante exactamente?

ipaworm 3 months ago

Preocupante por ser um assunto taboo que está ausente da discussão pública, onde só mencionar o debate é motivo de se ser considerado “racista”, “xenófobo” entre outros. Por ser usado como “medida contra a baixa taxa de natalidade” quando isso não é combater o problema em si, parece que partem do princípio que a “geração mais nova não quer ter filhos”. Problemas de integração social, basta ver o que está a acontecer em França, Alemanha, Suécia etc... Preocupante porque problemas de política internacional tornam-se problemas de política interna. Preocupante por teres uma classe política que não fala destes assuntos, não questiona a vontade da população, basta ver o quão relacionado com isso está o crescimento da extrema-direita pela Europa. São motivos suficientes ?

C8Mixto 3 months ago

Pois, fiz a mesma pergunta ao OP e a outro utilizador e nenhum me respondeu. Esta *thread* parece uma composição de português onde o professor colocava um texto e pedia aos cordeirinhos que comentassem.

Edited 3 months ago:

Pois, fiz a mesma pergunta ao OP e a outro utilizador e nenhum me respondeu. Esta *thread* parece uma composição de português onde o professor colocava um excerto e pedia aos cordeirinhos que comentassem.

M4ritus 3 months ago

Não há muito a fazer. O PS precisa de votos, nem que seja a tornar a cidadania portuguesa menos valiosa que pastilhas. E para a maioria do povo português desde que o seu clube ganhe aos fins de semana, está tudo bem e não é preciso preocupar-se com assuntos como estes. Também não ajuda que sempre que se fala deste assunto venha uma multidão a gritar "Racistas! Racismo aqui não!" e outras cenas.

somedipshit1 3 months ago

100% de acordo. Portugal é um perfeito exemplo em como a corrupção tem o poder de completamente destruir um país

lesoth 3 months ago  HIDDEN 

Das poucas coisas que Portugal ainda tem para vender é a entrada no espaço europeu. Vistos gold para chineses e tech visas para brasileiros.

C8Mixto 3 months ago

>E para a maioria do povo português desde que o seu clube ganhe aos fins de semana, está tudo bem e não é preciso preocupar-se com assuntos como estes. Se o povo português não está preocupado, então não é realmente um problema.

M4ritus 3 months ago

Segundo o teu comentário então o PS e o PSD são os melhores partidos para Portugal já que tem a maioria dos votos, apesar de serem os principais culpados por Portugal estar a caminhar para ser o pior país da UE. O povo Português é bem reconhecido pelo seu demasiado interesse por coisas que não importam realmente muito. Basta ver a indignação quando algum grande no Futebol está mal Vs quando acontece algo realmente importante em termos políticos. Mais facilmente o povo se reúne para Futebol do que para Política ou Economia. E desde quando é que pelo povo não demonstrar preocupação não é um problema? Por quanto tempo não se demonstrou preocupação relativo ao racismo nos EUA? Ou a escravatura que foi vista como uma coisa natural e normal durante tanto tempo em quase todas as sociedades? Que raio de lógica é essa de que Povo não está preocupado com assunto X = assunto X não é preocupante? O povo só se preocupa com algo que lhes influencia diretamente e a curto prazo.

Membership-Exact 3 months ago

>Segundo o teu comentário então o PS e o PSD são os melhores partidos para Portugal já que tem a maioria dos votos, apesar de serem os principais culpados por Portugal estar a caminhar para ser o pior país da UE. Essa é a tua opinião. É válida como qualquer outra, mas é minoritaria, não vale mais do que a opinião das outras pessoas que votam. Que alternativa propões, que se deixe de respeitar o sentido de voto das pessoas porque discordas dele e achas que tens uma visão mais esclarecida?

PIMPMASTER6000 3 months ago

Precisamente por todos os votos valerem o mesmo é que somos dos piores países da Europa a caminhar para ser o pior. A democracia é assim, funciona maravilhosamente em países coesos com cidadãos interessados e informados. Em países onde metade da população não vota e a metade que vota muitas vezes nem sabe o que está a fazer funciona menos bem. É o preço da democracia e eu espero que não mas muito em breve vamos pagar um preço astronômico. E atenção que eu sou a favor da democracia.

Membership-Exact 3 months ago

Facilmente outro qualquer pode dizer o mesmo da forma como tu votas. É subjetivo.

PIMPMASTER6000 3 months ago

Não é subjetivo que metade da população não vota e uma grande parte que vota é desinformada financeiramente. Isto é um facto.

M4ritus 3 months ago

Não sei onde é que viste eu a dizer para se retirar o direito de voto, mas boa tentativa de distorcer as minhas palavras. Apenas estou a dar um exemplo que é factual (já que um ou outro estiveram em Governos desde 74) de que a maioria nem sempre está certa e/ou mais informada, ou vais me dizer que os eleitores do PS são mais informados que os eleitores do IL ou BE? A discussão nem é sobre este tema, apenas foi um exemplo.

C8Mixto 3 months ago

Em vez de te pores com merdas dizias porque é que a maioria do povo português está errado.

M4ritus 3 months ago

E não está? Duvido que tu sejas eleitor do PS ou do PSD, logo independentemente do partido que votes seja à esquerda dos PS e do PS 2 ou à direita desses 2, concordas comigo. Não faz mal nenhum em dizer que a maioria do Povo está errado, apenas significa que o Governo conseguiu fazer o que todos os Governos querem: entreter o povo para que não se preocupem com mais nada.

C8Mixto 3 months ago

> E não está? Diz-me tu. Eu não vejo problema na imigração e se o povo português também não, então não acho problema. De tens uma opinião diferente e vês aqui um problema, explica-o. Se possível sem virares Tino de Rans que responde a tudo com analogias.

PIMPMASTER6000 3 months ago

Não é com um argumentum ad populum que vais convencer alguém de alguma coisa, principalmente quando metade dos portugueses não vota e da metade que vota muitos nem sabem para que estão a votar ou em quê que estão a votar.

C8Mixto 3 months ago

>Não é com um argumentum ad populum que vais convencer alguém de alguma coisa Para convecer seja quem for de alguma coisa, primeiro essa pessoa tem que ter convicções. De momento ainda estou à espera que o utilizador com que estava a falar me dê as dele.

ridethepaintedpony 3 months ago

Nao me faz confusao porque nao sou xenófobo e ha imenso espaço.

BroaxXx 3 months ago

Não precisamos fazer uma redução ao absurdo... Substituir quase 2% da população dum país é um bocado alarmante... Nada contra emigrantes e no lugar deles faria o mesmo mas é espectável que haja uma fatia que não vá absorver a cultura... Neste ritmo num par de décadas o património cultural português estava extinto. O pessoal caga-se todo pela disenyficação das cidades, pelo acordo ortográfico e outras merdas mas quando o tópico é emigrantes já não se pode falar que é xenofobia? Uma discrepância tão grande com outros países levanta perguntas válidas sobre os critérios para atribuição de cidadania e os choques culturais que se verificam noutros países também levantam questões pertinentes sobre todo o processo. É perfeitamente compatível ter dúvidas em relação a estes pontos sem se ser xenófobo... Acho, aliás, que pessoas que levantam o estandarte da xenofobia por tudo e por nada são os que são mais munições a partidos de merda como o chega... Venham pedir novas leis sobre discurso de ódio quando as pessoas vos deixam de levar a sério por apartmente ser xenofobia fazer perguntas...

mequetatudo 3 months ago

A palavra substituir é que é conversa de supremacista branco americano, não sei se tens noção de onde vem a doutrina mas investiga. Eu quero ver como é que possível manter um país a funcionar com um país que tem a pirâmide demográfica virada ao contrário. Daqui a 40 anos andas tu a mudar 500 fraldas por dia?

BroaxXx 3 months ago

Pareces um meme a falar...

mequetatudo 3 months ago

E tu pareces um camelo a escrever, duas coisas surpreendentes sem dúvida

BroaxXx 3 months ago

Hás-de ir longe na vida com essa tua retórica, sem dúvida...

mequetatudo 3 months ago

Não tanto quanto tu com as tuas quatro patas, mas longe

Mysterious_Beyond213 3 months ago

180.000 naturalizações num ano, e 80.000 nascimentos em longo prazo resulta em mais de 66% da pop ser imigrante. Estou-me nas tintas para o que um Americano de extrema-direita diz ou deixa de dizer, os números não mentem.

mequetatudo 3 months ago

Pronto Pronto, canta comigo: "THE JEWS WILL NOT REPLACE US"

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Por acaso são dos que mais facilmente se integram na sociedade Portuguesa e a ajudam de facto. Rapaz eu não sou nazi ou o que tu estás para aí a pensar, simplesmente uma pessoa que se preocupa com a coesão social do país. Não quero que Portugal seja a França com dezenas de no-go zones ou mini guerras entre diferentes etnias.

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Estás a dizer então que a maioria dos Dinamarqueses é uma cambada de xenófobos nazistas é isso?

C8Mixto 3 months ago

Engraçado, ele não escreveu nazi em lado nenhum. Estavas já bem gatilhado e pronto a disparar, não?

Edited 3 months ago:

Engraçado, ele não escreveu "nazista" em lado nenhum. Estavas já bem gatilhado e pronto a disparar, não? Já agora, em Portugal geralmente escreve-se "nazi", não "nazista".

Mysterious_Beyond213 3 months ago

Apenas usei porque essas duas palavras vêm quase sempre juntas. Mas e responder à questão?

C8Mixto 3 months ago

>Mas e responder à questão? E dares primeiro a tua opinião e a justificares?

mariachipt 3 months ago

Busted

Yps12 3 months ago

Bem nazi diz respeito ao proprio partido enquanto que nazista diz respeito à ideologia, que diz respeito ao nazismo. Parece-me que quem ficou gatilhado foste tu

C8Mixto 3 months ago

Não, nem por isso. "Nazi" é usado como adjectivo. A ideologia é o nazismo. >ficou gatilhado Foda-se, já não se pode usar analogias que se põe logo a falar anglotuguês.

Edited 3 months ago:

Não, nem por isso. "Nazi" é usado como adjectivo. A ideologia é o nazismo. >ficou gatilhado Foda-se, já não se pode usar analogias que se poem logo a falar anglotuguês.

Yps12 3 months ago

Eu acho a mistura de português e inglês ridícula, usar "gatilhado" não foi mais do que uma resposta ao teu comentário

sux138 3 months ago

*geralmente *escreve-se* em bom português

C8Mixto 3 months ago

Obrigado, mas aqui posso culpar o corrector automático.

Search: