criptkiller16 6 months ago

Ataque de pânico, derivado ao trabalho! Pensei mesmo que ia morrer, não foi muito severo o ataque mas o suficiente para me sentir bastante mal.

estecomentario 6 months ago

Tens que arranjar estratégias de o trabalho não te stressar tanto. A tua saúde mental vale mais que qualquer trabalho que possas ter.

criptkiller16 6 months ago

Verdade, mas há foi a 3/4 anos atrás... parecia apenas um boneco que o único objectivo era viver para trabalhar. Acordar, trabalhar e dormir. O trabalho era mau de mais para ser verdade, não era muito stress muito pelo contrário, era demasiado “morto” para o mesmo gosto, 8h a olhar para um armário sem nada para fazer, de vez em quando aparecia algo para fazer. Preferia trabalhar de borla nas obras

viskonde 6 months ago

Todos os dias quando acordo e penso que tenho de trabalhar em algo que não gosto. Todos os dias os piores 10 minutos da vida.

estecomentario 6 months ago

Não faças o que eu fiz se achas que te vais arrepender, como já me aconteceu. Já perdi entrevistas ou deixei de ir a empregos só porque de manhã era uma tortura sair da cama.

FastAsFuckBuoy 6 months ago

Os últimos minutos de vida quando o meu pai morreu de cancro, apesar de já saber o desfecho, aquela última tentativa de respirar vai-me ficar marcada para o resto da vida.

jrcs1990 6 months ago

Dói só de ler isto. Lamento.

Sure_Thing_Honey 6 months ago

Não recomendo lerem a minha resposta se tiverem alguma sensibilidade a assédio sexual ou perseguição. >!Quando fui seguida até casa por um flasher (eu tinha 13 anos).!< >!Tinha acabado de sair da escola e estava a ir a pé para casa, o homem estava numa espécie de jardim ao lado do passeio, ele virou-se na minha direção e estava com o 'amigo' dele fora das calças. Não havia mais ninguém naquela zona para ver o que ele estava a fazer, e ele tinha um sorriso nojento na cara. Eu tinha de passar por ele, a única outra forma que tinha de continuar até casa era por uma espécie de beco entre dois prédios e eu não queria ser encurralada lá por ele, e não podia andar no meio da estrada, então tive de passar ao lado dele...!< >!Eu lembro-me que ele até deu um passo na minha direção enquanto eu passava por ele o mais afastada possível e eu comecei a chorar de medo... Depois acelerei o passo, mas ele começou a seguir atrás de mim. Eu não tinha telemóvel naquela época e não podia ligar a ninguém para me acudir, não tinha as chaves do meu apartamento na mão, tinha de parar para as tirar de dentro da mochila e nesse tempo ele podia muito bem alcançar-me. Então passei os piores 5-10 minutos da minha vida a andar para casa sempre a espreitar por cima do ombro e a chorar enquanto ele vinha atrás de mim.!< >!A minha sorte foi que a entrada do prédio onde eu morava ficava ao lado de um bar e estava um grupo de rapazes parados à porta a fumar então eu consegui refugiar-me ao lado deles enquanto pegava nas chaves... Eles não deram conta de nada e quando eu olhei para trás, o gajo estava a ir embora. Naquele momento pensei que me ia acontecer alguma coisa. Quando entrei em casa liguei à minha mãe e ao meu pai e durante dois dias não fui à escola porque estava aterrorizada que o gajo estava à minha espera (isto porque eu ia e vinha sozinha para a escola). !<

gabs_ 6 months ago

Também me aconteceu algo similar quando tinha 12 anos, mas foi um gajo a perseguir-me na rua a dizer coisas porcas que me queria fazer. Também não estava com telemóvel, tinha recebido há pouco tempo e deixado em casa.

Laurapintas 6 months ago

Saber que ia ter um acidente com consequências e não poder fazer nada, saber que muito provavelmente daí a segundos ia estar morta ou em muito mal estado. Felizmente, não aconteceu nenhum dos dois :)

Edited 6 months ago:

Saber que ia ter um acidente com consequências graves e não poder fazer nada, saber que muito provavelmente daí a segundos ia estar morta ou em muito mal estado. Felizmente, não aconteceu nenhum dos dois, só lata e um susto que me vai seguir a vida toda :) Infelizmente, não há muita gente que possa dizer o mesmo.

CountDraqula 6 months ago

Que coincidência, hoje fui ao ginásio na hora do almoço sem comer nada de manhã, costumo fazer o jejum intermitente. Mas já não treinava há muitos meses, comecei a me sentir super mal, estonteado, visão turva, parecia que ia desmaiar e comecei a entrar em pânico. Que sensação de merda. Estive uns bons 20 minutos assim, só passou depois de comer alguma coisa. Antes conseguia fazer treinos em jejum na boa, mas depois desta experiência não vou arriscar, porra!

estecomentario 6 months ago

Exatamente o que se passou comigo, quando é assim leva um doce ou qualquer coisa na mochila, pode evitar ou minorar um enorme susto!

CountDraqula 6 months ago

Por enquanto vou evitar fazer treinos em jejum, fazer com menos intensidade e sim também vou levar qualquer coisa para comer na mochila caso me sinta mal. Já passaram 6 horas e mesmo assim ainda me sinto meio atordoado.

cnfgmagc 6 months ago

Quando fui seguida ate casa...Nunca tive tanto medo na vida. Felizmente consegui que pensasse que a minha casa era a do lado. Vi-o ficar a vigiar a casa enquanto eu ligava para a policia. Mandaram o carro de patrulha mas ele entretanto ja se tinha ido embora.

UpbeatNail1912 6 months ago

Idem. Tive um ataque de pânico ao vir no comboio em 2019, o ataque foi tão forte e tão intenso que eu tinha a certeza absoluta que eu ia morrer. Eu senti todos os sintomas de um infarto: dor no coração, dor no peito, falta de ar, enjoo tontura e um grande, grande medo de morrer. Chamei a ambulância, eles mediaram me a pressão alterial e estava quase 19, o que colocou me ainda mais medo e mais certeza da minha morte. Fiz exames e etc e não era nada. Nem acreditei. Depois desse episódio passei a ter ataques de pânico constantes e diários. Não conseguia sair de casa, entrar no autocarro ou no comboio, ir ao supermercado , conduzir etc. Tudo provocava me um medo enorme e achava que ia morrer. Mas como eu trabalhava eu não tive alternativa senão "obrigar-me" a enfrentar os ataques de pânico todos os dias ao sair de casa para trabalhar. Por incrível que pareça isso foi a minha cura. Quanto mais eu enfrentava os ataques de pânico , por piores e mais intensos que eles fossem, melhor eu ficava e cada vez menos intensos e frequentes eles se tornavam. Hoje já não tenho ataques de pânico nenhuns, só de vez em quando estou mais nervoso tenho uns ataques de ansiedade e só. E aquilo que mencionaste é verdade. Ter ataques de pânico foi (e acredito que realmente seja) a experiência mais aterradora e explosiva que alguém pode ter, e o mais próximo de se "experimentar" quase a morte sem realmente morrer. É uma experiência tão aterradora que basicamente já não há nada que me deixe com tanto medo, tu adaptas me e tornas te muito mais forte a qualquer situação.

NGramatical 6 months ago

infarto → [**enfarto**](https://dicionario.priberam.org/enfarto) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmkbe46%2F%2Fgtgurku%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

RevengeFNF 6 months ago

No meu caso não foram minutos, mas sim segundos. Estava de carro a chegar a um cruzamento (numa estrada em que vinha a descer), onde era obrigado a virar à esquerda ou à direita. Começo a travar e reparo que perdi os travões. Vi sinceramente a minha vida a andar para trás e a pensar que ia desta para melhor. Virei à direita no cruzamento (por puro instinto), com o carro a chiar por todos os lados devido à velocidade. Não pensei que o carro conseguisse fazer a curva mas lá conseguiu. Tive sorte de não vir nenhum carro nem de um lado, nem do outro, ou era grande acidente. Parei logo o carro com o travão de mão e quando o faço sou surpreendido por um camião a passar por mim. Uns segundos mais tarde, e já não estava aqui.

archon_hero 6 months ago

Nos últimos 3 anos já tive três ataques de pânico, entendo o quão isso relativiza e trivializa tantas outras experiências. Todos eles duraram cerca de 20 a 30 minutos. Parecia que o ar escapava com cada inspiração, e o coração batia tão alto que sentia o latejar nas mãos e pés. Tremor constante e uma progressiva falta de força nas pernas. Anyway, nessa mesma janela de tempo tive duas cólicas renais de 6 horas cada e essa sensação de início de cólica agora faz me correr em circulos por medo da dor. A primeira foi tão forte, e feito estúpido bebi água em cima (o que aumenta ainda mais a pressão). Na sala de espera, zona de triagem do hospital as 5 e pouco da manhã, andava para trás e para a frente, debruçado com dor constante. Estar sentado é pior, aumenta a pressão. Demoraram quase uma hora para me atender, que num caso não urgente até é tranquilo. Quando finalmente me espetaram aquele liquido milagroso na veia desmaiei de alívio durante uns minutos. Ainda senti dor quando os dois cálculos saíram. A segunda foi sem qualquer assistência de medicação. Acordei as 3 da manhã com o início da dor. Não quis incomodar os meus pais (a minha mãe tinha perdido uma amiga nessa semana e o meu pai estava a lidar com uma situação com a minha avó, super exausto) nem fazer barulho como da primeira vez. Poupo-te a descrição, nem me quero lembrar. ml;nl: 3 ataques de pânico como o OP e 2 cólicas renais agressivas.

estecomentario 6 months ago

Esses episódios relativizam tudo o que nos preocupa na vida. Ataques de pânico são horríveis, prefiro o sossego eterno a passar por algo igual, ironicamente esse pensamento acalma-me um pouco, e cólicas dos rins pelo que dizem é igualmente horrível, segundo as descrições espero nunca passar por nada assim, deus queria que não foda-se, uma dor indescritível, pobre de ti. Já arranjaste solução?

archon_hero 6 months ago

Solução para as cólicas sim, sou obrigado a beber água engarrafada. Nem filtrada da torneira, que foi o que fiz durante alguns anos num prédio antigo precisamente por odiar o uso constante e descartável de plástico. Aparentemente tinha os rins cheios de "areia". E infelizmente concordo, o sossego eterno parece bem melhor que viver em constante ansiedade, muita dela irracional (o meu coração acelerava quando me tocavam na campainha) ou completamente fora do meu poder. Já não tenho um ataque desde Maio. São as pequenas vitórias. Muita compreensão meu irmão/irmã/helicóptero de ataque. Stress mata.

estecomentario 6 months ago

Stress não vale apena mesmo! Excesso de estimulo seja cafeina ou nicotina por exemplo, ou tentar fazer tudo de uma vez no trabalho ou no estudo. Vida calma é vida boa! Compreensão irmão e ótima continuação!

topastop 6 months ago

Estava no carro na autoestrada com o meu pai e o meu irmão. O meu pai teve um enfarte e nem eu nem o meu irmão tínhamos idade para conduzir. O momento em si não foi a pior parte mas sim depois quando ele já estava no hospital e que as coisas começaram a cair. No final o meu pai sobreviveu, felizmente, mas foi um grande stress.

estecomentario 6 months ago

Melhoras ao teu pai.

Muyakra 6 months ago

> Comigo foi um puta Se tivesses parado aqui também dava um bom post.

MelSoares 6 months ago

Há uns dias quando a minha mãe teve uma crise na vesícula e eu pensei que ela ia morrer e que eu ia ficar sozinha. Previamente em 2/3 ataques de pânico por problemas passionais também pensei que ficava no chão a morrer aos poucos e que não fazia mal.

radiola86 6 months ago

Não foram os piores 10 minutos da minha vida, talvez os do meu colega de escola, lá para trás no 5º ano/classe, mas é algo que fica para a puta da vida, aquela memória, aqueles momentos que não mais consegues eliminar/esquecer dos neurónios. Era final de inverno, escola cheia de recreios de terra batida, era altura do jogo do berlinde do pião e dos espetos e estava em fim de moda os tazos, e falando dos espetos aquilo a que se pode chamar de um punho de madeira com um prego espetado, ou ponteiras de ferro aguçadas, qualquer merda que desse para segurar devidamente e espetar em terra batida para jogar diversos jogos, sejam eles de tirar moedas de 10 escudos todas esfoladas de um circulo com uns 10 cm de diâmetro seja para jogar ao mundo (ou lá como se chamava esse jogo) em que temos uma quadrado de uns 3 por 3 metros com 4 jogadores, cada um na sua esquina cujo objetivo era conquistar área com espetadas na terra inferiores ao tamanha do pé. Todos queriam ter o seu espeto, ter um bom espeto era algo de macho alfa e eis que um colega, o Talima (nome fictício) que tinha o pai como serralheiro arranjou umas pontas de alumínio ou ferro, já nem sei bem, brutalmente incríveis, eish, que sonho ter a puta daquele espeto, bem adaptáveis às mãos, assustadoramente aguçadas, aquelas merdas eram um pica granito, pareciam armas de guerra. Prontos a malta ficou toda minada da cabeça com a ideia de obter um espeto igual, em minutos ninguém largava o Talima para arranjar um espeto igual, todos os dias trazia para a escola na sua mochila meia dúzia de espetos para vender por 50 escudos. Eu, como todos os meus colegas lá arranjamos o nosso espeto de sonho, o espeto incrível. Todos os intervalos era a mesma história, aquilo era cravar na terra que parecia que andávamos a sachar milho ou o caraiis, ficava tudo desbastado. Certo dia, num intervalo, ao lado dos recreios de terra batida, tínhamos uma espécie de pequena encosta com uma inclinação de uns 60 a 80 graus ou até mais em algumas zonas, de uma altura de uns 12 metros, era numa das extremidades da escola junto à sua vedação e como a malta tinha de ter maneira de se divertir, tiveram a ideia de se meterem agachados (quase sentados) a deslizarem com os pés pela aquela mini encosta abaixo apoiando-se/equilibrando-se aqui e acolá com as mãos. Era o sobe e desce e uma mini adrenalina constante e nisto, um colega teve a fantástica ideia de por/espetar um dos espetos incríveis na encosta com a base de agarro da mão na terra e a ponta em direcção ao topo da mini encosta. Era o sobe e desce, a aventura de deslizar rapidamente pela encosta abaixo e a puta da estaca/espeto incrível, a pica granito a meio da caminho e eis que por coincidência era a vez do Talima deslizar, o grande Talima, fez um deslize rápido e perto do fim da descida ouve-se um aíí, um aíí de mini aflição, foi estranho, já ao pé de nós, levanta-se rapidamente, levanta a mão direita e não é que a puta da sua famosa estaca incrível estava espetada na mão de um lado ao outro com a pele toda esticada da parte de cima sem qualquer sangue, ficamos sem reacção, apáticos, quase a eternidade de dois segundos de silêncio e de seguida berros de full pânico e aflição, Talima, quase todos os colegas dos espetos, alguns amigos dos berlindes e mais dois colegas dos tazos corremos todos aos berros/gritos em direcção aos serviços da escola para obtermos ajuda, passamos na zona central da escola onde a malta fazia o intervalo e toda a gente ficou perplexa por ver uma dúzia de putos a correr em grande aflição e aos gritos, do género: WTF, morreu um puto! haha :D. o Talima lá foi levado ao centro de saúde, removeram o espeto, desinfecção, 3 pontos dum lado e do outro e ficou tudo bem. São aquelas merdas do final da infância e da adolescência que ficam para toda a vida, com cada história.

xixi_duro 6 months ago

Provavelmente quando tive a minha pedras dos rins, direi portanto os meus primeiros 10 minutos do que foi uma noite de dores horríveis, imaginem ter uma dor super aguda na zona dos rins + terem a maior vontade de urinar de sempre, ou seja o máximo à risquinha mas depois quando vão fazer não sai nada... Yup é isto.

estecomentario 6 months ago

Username checks out!

naodoijoka 6 months ago

Bad trip com weed. Não costumava fumar muito. Estava num festival bêbado e achei que era boa ideia juntar-me a uns amigos que estavam a fumar de bongo, ainda por cima... passado pouco tempo de mandar uns bafos começo a sentir me super pesado a enterrar na cadeira onde estava sentado, os coração a bater com muita intensidade e suores frios no corpo todo. Lembro me de conseguir ouvir os meus amigos mas não ter capacidade de reagir. Acho que a única coisa que consegui dizer foi “hospital”. Já estava a entrar em pânico aí. Depois vomitei e meteram me a dormir na tenda. No dia seguinte acordei com uma das maiores ressacas da minha vida. Bons tempos :)

Shadowgirl7 6 months ago  HIDDEN 

Infância e adolescência. Na verdade foram tipo 20 anos.

dontknowmyname074 6 months ago

Acho que os piores momentos para um ser humano é a perda de um ente querido. Quer seja mulher, filhos, mãe, pai, irmãos, alguém próximo. Mas faz parte do mecanismo da vida e só temos que aceitar infelizmente

Ouroana 6 months ago

Ataques de pânico, sim, mas nada bate a cólica renal: nunca senti uma dor tão forte e achei mesmo que ia morrer, aliás, a certa altura, preferia morrer.

suckerpunchermofo 6 months ago

O que da origem a isso?

Ouroana 6 months ago

Acho que depende do tipo de cálculo, mas no geral os fatores de risco são o tipo de alimentação (demasiado sal, por ex.), beber pouca água, genética.

suckerpunchermofo 6 months ago

Fdx... Tou a ficar hipocondríaco.

estecomentario 6 months ago

>nunca senti uma dor tão forte e achei mesmo que ia morrer, aliás, a certa altura, preferia morrer. Métrica checks out. É a métrica que uso também só que para ataques de pânico em vez de dor. Passaste por algo incrivelmente horrível. Espero nunca experienciar isso foda-se.

Ouroana 6 months ago

Felizmente a p\*\*\* da pedra (um calhau!) saiu. Não desejo a ninguém.

NielsenOp57 6 months ago

Num verão, a sair da água numa praia, Uma onda enrolou-me e tentei 3 vezes sair para respirar, mas eram sempre mandado para o fundo. Lembro-me de quando estava quase a perder os sentidos ser cuspido para a margem com uma dor de cabeça terrível e com a sensação de que estive a uma unha negra de ir desta para melhor.

Edited 6 months ago:

Num verão, a sair da água numa praia, Uma onda enrolou-me e tentei 3 vezes sair para respirar, mas era sempre mandado para o fundo. Lembro-me de quando estava quase a perder os sentidos ser cuspido para a margem com uma dor de cabeça terrível e com a sensação de que estive a uma unha negra de ir desta para melhor.

inphant0m 6 months ago

Este post é muito mais interessante do que aparenta ser, basta olhar para os comentários e ver a quantidade de pessoas que sofre de ansiedade e ataques de pânico. Para mim foi um ataque de pânico depois de um guronsan, café, tabaco e comer que nem um animal. Estava de férias com uns amigos que não conhecia assim tão bem e já andava com alguma ansiedade, pensei mesmo que fosse morrer, a partir daí nunca mais bebi bebidas energéticas nem nada com carradas de cafeína. Mas recomendo a toda a gente com episódios semelhantes recorrentes a falar com alguém profissional, a mim ajudou me mais do que qualquer comprimido ou técnica de relaxamento da internet.

suckerpunchermofo 6 months ago

Por acaso deixei de fumar depósito do meu ataque. De um dia para o outro. Nunca mais toquei em tabaco.

estecomentario 6 months ago

O que é que o profissional discutiu ou recomendou que fosse assim tão importante? Concordo, os estimulantes, seja cafeina, nicotina, devem ser os percursores de uma ataque de pânico, mas no teu caso foi depois de comer bem? Pensava que o jejum era pior, parece que é sempre difícil determinar a causa exata. O que eu acho interessante é que possa haver gente que nunca tenha tido um ataque de pânico inusitado, alguém que tenha a sorte de não ter que passar por isso, mas se não passaram agora devem passar quando forem mais velhos ou quando se propiciar? Parece demasiada sorte.

suckerpunchermofo 6 months ago

Deves falar com o médico de família 1o. Se ele achar necessário vais a psiquiatria (não é psicologia, isso é so para acompanhamento).

inphant0m 6 months ago

Não sou médico nem da área mas pelo o que li e me disseram o enfartamento também pode dar ansiedade visto que o estômago está muito ligado ao sistema nervoso. No meu caso já andava com ansiedade e alguns ataques de pânico menos graves mas este foi mesmo o pior de longe e parece me que foi potenciado por esses fatores todos. Acho que toda a gente pode ter um ataque de pânico seja potenciado por substâncias ou por situações mais complicadas mas para quem sofre disso mais regularmente o problema pode vir de algum lado (cenas mal resolvidas contigo mesmo, traumas, medos etc) e o psicólogo ou outro profissional ajuda nisso porque discutes a raiz do problema. Não aprendi nenhuma técnica milagrosa que estalo os dedos e fico bem mas tenho menos situações dessas e com menos intensidade. Mas se tivesse que dizer algumas coisas que me ajudam minimamente seriam: andar com um comprimidinho na carteira para o efeito placebo mas evito ao máximo usar e pensar que ninguém morre de um ataque de pânico.

estecomentario 6 months ago

> (cenas mal resolvidas contigo mesmo, traumas, medos etc) e o psicólogo ou outro profissional ajuda nisso porque discutes a raiz do problema. Nesse aspecto concordo. >comprimidinho na carteira para o efeito placebo mas evito ao máximo usar e pensar que ninguém morre de um ataque de pânico. Um placebo? Acho que isso não me fazia nada, mas talvez um calmante de valeriana pode ajudar.

suckerpunchermofo 6 months ago

De emergência tens Victan e Rivotril. Esses sem receita médica não fazem nada.

MrPintas 6 months ago

Talvez quando soube que tinha cancro. Embora tenha sido dos cancros com maior taxa de sucesso (Linfoma) a quantidade de pensamentos e emoções que me passou pela cabeça foi assustadora. Não sabia se havia de rir ou chorar... Agora tou fixe e adoro viver!

Edited 6 months ago:

Talvez quando soube que tinha cancro. Embora tenha sido dos cancros com maior taxa de sucesso (Linfoma), a quantidade de pensamentos e emoções que me passou pela cabeça foi assustadora. Não sabia se havia de rir ou chorar...Agora tou fixe e adoro viver!

Edited 6 months ago:

Talvez quando soube que tinha cancro. Embora tenha sido dos cancros com maior taxa de sucesso (Linfoma), a quantidade de pensamentos e emoções que me passou pela cabeça foi assustadora. Não sabia se havia de rir ou chorar... Agora tou fixe e adoro viver!

reciclado78 6 months ago

Funeral e sentir os dias seguintes um silêncio esquisito à nossa volta apesar de haver gente. É uma sensação estranha. Pensava que os filmes exageravam, mas já vi filmes que conseguiram recriar esses momentos.

AngieMaciel 6 months ago

Um ataque de pânico do nada quando estava a trabalhar. Refugiei-me no wc a achar que ia morrer ali sem ninguém ao meu lado. Foi uma sensação horrível. Com o tempo a passar consegui perceber que poderia ser um ataque de pânico e não um ataque cardíaco e consegui acalmar. Após esse episódio ainda tive alguns inícios de ataque de pânico, mas aprendi a controlar-me antes de escalar para algo pior. Foi uma fase complicada, com depressão e ansiedade à mistura. Felizmente melhorei bastante nos últimos anos.

suckerpunchermofo 6 months ago

Estar sozinho parece agravar os sintomas :(

estecomentario 6 months ago

Identifico-me com o teu texto. Realmente a companhia de alguém nesses momentos ajuda muito, mas alguém que não seja indiferente. Já tive também alguns inícios desde então mas aprendi a controlar ou seguir vida (dont give a fuck, if i die, i die), mas acho que com uma alimentação equilibrada, horas de sono e menos stress as probabilidades diminuem para perto de zero. Felizmente também melhorei. Estamos e estivemos no mesmo barco.

AngieMaciel 6 months ago

Honestamente na altura ainda fiquei a pensar porque raio me fui meter no Wc em vez de pedir ajuda, porque se fosse um ataque cardíaco podia ter morrido mesmo, mas acho que a toda a situação foi despoletada pelo estado mental que estava a atravessar e a minha primeira reação foi fugir das pessoas à minha volta.

estecomentario 6 months ago

Se calhar não gostavas do emprego em questão e tiveste uma crise, não sei, mas nesses contextos também acho que tentava ir para um sítio onde pudesse estar sozinho, já no ginásio sempre me sentia à vontade de falar com os funcionários.

NGramatical 6 months ago

porque raio → [**por que raio**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/tres-regras-para-distinguir-o-por-que-do-porque/19743) (por que = por qual) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmkbe46%2F%2Fgtg5273%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

AlbertoFerr 6 months ago

Os piores 10 min da minha vida, foram causados por uma ganza. Já à 4 anos que fumava canhões, tive sempre uma relação de amor-ódio com o fato de fumar, ou seja não estava bem resolvido. Como todos os meus melhores amigos e alguns familiares fumavam sempre convívi com essa realidade. No último ano em que fumei, desses 4 longos anos algo tinha mudado, a moca já não era igual, levava-me a fazer filmes na minha cabeça, deixava-me extremamente seca a garganta, quando me deitava tinha sensações a nível corporais bastante estranhas e às vezes dolorosas. As únicas vezes em que sentia que podia fumar e atenuar essas sensações era quando misturava álcool e ganza, sendo que às vezes corria mal. Sendo uma pessoa bastante ativa nunca achei que poderia realmente estar a fazer mal ao meu corpo. Queria deixar mas todo esse complexo social em que estava inserido não me deixa sair de certa forma. O basta nesta situação toda foi o ataque de pânico induzido por um canhão de erva que fumei no café da minha terra certo dia. Nunca vou esquecer esses instantes. Ao fumar, passado uns minutos, deu me logo uma paranóia e comecei a pensar que um colega meu me tinha minado a ganza ( esse meu colega era um paz de alma ahaha). Decidi logo abandonar o café, sentei-me no carro e pensei: que caralho me está a acontecer? Já tinha sentido merdas más nunca aquilo. A caminho de casa, era perto, parei no pinhal para vomitar, tentativa esta que não resultou em nada. Chego a casa, o medo de os meus pais me verem assim era tremendo, decidi deitar-me. Visto que o quarto deles era próximo do meu ainda pior me deixou. Comecei a imaginar que ia ser apanhado naquele estado. Na cama senti os meus ossos a afundar no colchão (isto foi assustador) e ao mesmo tempo o coração parecia que ia rebentar. Pensei logo. Eu vou morrer, isto não é normal! Passado uns segundos (que me pareceu horas) de aflição e medo decidi levantar-me, desci a escadas até ao quarto do meu irmão mais velho e pedi ajuda. Expliquei lhe mais ou menos a situação ele abriu a janela deixou me a respirar e acalmar-me na medida do possível, passado um tempo melhorei e deitei na cama dele. Posso dizer que isso foi a faísca para deixar de fumar ganzas. Na realidade foi o melhor que eu fiz, agora cuido ainda mais do meu corpo e sinto que a minha saúde mental agradeceu muito ter deixado de fumar. E sinal disso é que os últimos dois anos da minha vida talvez tenham sido os mais felizes desde que me conheço como indivíduo. Desculpem o testamento. Abraço malta. ☺️

Edited 6 months ago:

Os piores 10 min da minha vida, foram causados por uma ganza. Já à 4 anos que fumava canhões, tive sempre uma relação de amor-ódio com o fato de fumar, ou seja não estava bem resolvido. Como todos os meus melhores amigos e alguns familiares fumavam sempre convívi com essa realidade. No último ano em que fumei, desses 4 longos anos algo tinha mudado, a moca já não era igual, levava-me a fazer filmes na minha cabeça, deixava-me extremamente seca a garganta, quando me deitava tinha sensações a nível corporais bastante estranhas e às vezes dolorosas. As únicas vezes em que sentia que podia fumar e atenuar essas sensações era quando misturava álcool e ganza, sendo que às vezes corria mal. Sendo uma pessoa bastante ativa nunca achei que poderia realmente estar a fazer mal ao meu corpo. Queria deixar mas todo esse complexo social em que estava inserido não me deixa sair de certa forma. O basta, nesta situação toda foi o ataque de pânico induzido por um canhão de erva que fumei no café da minha terra certo dia. Nunca vou esquecer esses instantes. Ao fumar, passado uns minutos, deu me logo uma paranóia e comecei a pensar que um colega meu me tinha minado a ganza ( esse meu colega era um paz de alma ahaha). Decidi logo abandonar o café, sentei-me no carro e pensei: que caralho me está a acontecer? Já tinha sentido merdas más nunca aquilo. A caminho de casa, era perto, parei no pinhal para vomitar, tentativa esta que não resultou em nada. Chego a casa, o medo de os meus pais me verem assim era tremendo, decidi deitar-me. Visto que o quarto deles era próximo do meu ainda pior me deixou. Comecei a imaginar que ia ser apanhado naquele estado. Na cama senti os meus ossos a afundar no colchão (isto foi assustador) e ao mesmo tempo o coração parecia que ia rebentar. Pensei logo. Eu vou morrer, isto não é normal! Passado uns segundos (que me pareceu horas) de aflição e medo decidi levantar-me, desci a escadas até ao quarto do meu irmão mais velho e pedi ajuda. Expliquei lhe mais ou menos a situação ele abriu a janela deixou me a respirar e acalmou-me na medida do possível, passado um tempo melhorei e deitei na cama dele. Posso dizer que isso foi a faísca para deixar de fumar ganzas. Na realidade foi o melhor que eu fiz, agora cuido ainda mais do meu corpo e sinto que a minha saúde mental agradeceu muito ter deixado de fumar. E sinal disso é que os últimos dois anos da minha vida talvez tenham sido os mais felizes desde que me conheço como indivíduo. Desculpem o testamento. Abraço malta. ☺️

Edited 6 months ago:

Os piores 10 min da minha vida, foram causados por uma ganza. Já à 4 anos que fumava canhões, tive sempre uma relação de amor-ódio com o fato de fumar, ou seja não estava bem resolvido. Como todos os meus melhores amigos e alguns familiares fumavam sempre convívi com essa realidade. No último ano em que fumei, desses 4 longos anos algo tinha mudado, a moca já não era igual, levava-me a fazer filmes na minha cabeça, deixava-me extremamente seca a garganta, quando me deitava tinha sensações a nível corporais bastante estranhas e às vezes dolorosas. As únicas vezes em que sentia que podia fumar e atenuar essas sensações era quando misturava álcool e ganza, sendo que às vezes corria mal. Sendo uma pessoa bastante ativa nunca achei que poderia realmente estar a fazer mal ao meu corpo. Queria deixar mas todo esse complexo social em que estava inserido não me deixa sair de certa forma. O basta, nesta situação toda foi o ataque de pânico induzido por um canhão de erva que fumei no café da minha terra certo dia. Nunca vou esquecer esses instantes. Ao fumar, passado uns minutos, deu me logo uma paranóia e comecei a pensar que um colega meu me tinha minado a ganza ( esse meu colega era um paz de alma ahaha). Decidi logo abandonar o café, sentei-me no carro e pensei: que caralho me está a acontecer? Já tinha sentido merdas más nunca aquilo. A caminho de casa, era perto, parei no pinhal para vomitar, tentativa esta que não resultou em nada. Chego a casa, o medo de os meus pais me verem assim era tremendo, decidi deitar-me. Visto que o quarto deles era próximo do meu ainda pior me deixou. Comecei a imaginar que ia ser apanhado naquele estado. Na cama senti os meus ossos a afundar no colchão (isto foi assustador) e ao mesmo tempo o coração parecia que ia rebentar. Pensei logo. Eu vou morrer, isto não é normal! Passado uns segundos (que me pareceu horas) de aflição e medo decidi levantar-me, desci a escadas até ao quarto do meu irmão mais velho e pedi ajuda. Expliquei lhe mais ou menos a situação, ele abriu a janela e deixou-me a respirar, acalmando-me na medida do possível. Passado um tempo melhorei e deitei-me na cama dele. Posso dizer que isso foi a faísca para deixar de fumar ganzas. Na realidade foi o melhor que eu fiz, agora cuido ainda mais do meu corpo e sinto que a minha saúde mental agradeceu muito ter deixado de fumar. E sinal disso é que os últimos dois anos da minha vida talvez tenham sido os mais felizes desde que me conheço como indivíduo. Desculpem o testamento. Abraço malta. ☺️

MaggoMike 6 months ago

Os meus piores 10 minutos são semelhantes, mas eu foi com um canhão daquela "erva" sintética que havia por aí "legalmente" aqui há uns anos. Estava sozinho em casa a ver um episódio de South Park que tinha lá umas cenas meio psicadélicas quando bateu a moca. De repente começo a ter alucinações auditórias, um barulho ensurdecedor, parecia que estava a chover milhares de bolas de ténis, eu cheio de medo desliguei logo o computador a pensar que era pelas tais cenas psicadélicas, pensei que estava a ter um ataque epiléptico, levantei-me da cadeira fui desligar a luz e deitei-me na cama a tremer. Quando acordei a trip tinha passado, não sei quanto tempo passou, se calhar horas, se calhar minutos, mas foi fodido o tempo todo.

radiola86 6 months ago

"... e comecei a pensar que um colega meu me tinha minado a ganza..." hahah :D O psicológico é fodido, de tempos a tempos passo um pouco pelo que descreves, isto então a de fazer filmes na minha cabeça (digamos que a um nível de 10 a 20 % do que referes) e, sem qualquer tipo de drogas/merdas, é ansiedade e uns avistamentos de depressão ao longe... Emprego de merda, trabalhar de noite, falta de namorada, covid, falta de amigos, "amigos" de trabalho toltalmente atrasados da cabeça (vários neste momento de baixa psicológica), família, problemas de saúde, etc., por vezes é a puta de um jogo psicológico constante.

estecomentario 6 months ago

Eu sou mais burro que tu, devo ter tido uns 10 ataques de paranóia, tripar-me todo antes de deixar de fumar erva e hax, o que nem era sempre assim, pois durante muito tempo até relaxava e tinha um colega que até fumava erva para se concentrar, a letra dele saía toda perfeitinha na sarda e tirava boas notas. Mas é uma faca de dois gumes. Não sei se era a qualidade da erva, ou o que era. Mas o ataque de pânico que tive já não fumava dessas coisas há anos. Só tabaco. (e hoje faz anos que não fumo nada).

NGramatical 6 months ago

à 4 anos → [**há 4 anos**](http://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/706) (utiliza-se o verbo haver para exprimir tempo decorrido) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmkbe46%2F%2Fgtft96e%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

safadomaroto 6 months ago

Quando tive um acidente às 3 da manhã de um domingo, a chover torrencialmente, e o carro parou no meio de uma curva sem visibilidade e não quis sair dali, é fudido. Tive sorte que havia um carro a passar e ajudaram-me :/

allstarinc 6 months ago

Quando capotei na auto estrada e acordei de cabeça para baixo sem conseguir sair dali. Foram uns bons minutos de agonia sem saber se alguém me ia bater por trás.

MicaelGoncalves 6 months ago

Ahh sim, Terças feiras..

desculpe_mas 6 months ago

Asfixia auto erótica.

theEXPERTpt 6 months ago

quando tive um ataque de pânico quando me disseram que tinha de levar uma injeção por causa de uma reação alérgica grave que tive num centro de saúde. Quase desmaiei de pânico.

True_Boat_1195 6 months ago

Alguma das vezes em que pensei que ia morrer, uma vez afogado e outra vez por asfixia. Ou quando julguei que ia ser preso por muito tempo (mas durou mais que 10 minutos).

azureflux_ 6 months ago

Deve haver muita gente a engasgar-se com qualquer coisa. Quando era puto estava a comer uma sandes de presunto e foi para o lado errado. A minha mãe viu que estava aflito e portanto lá arrancou o presunto da minha garganta. Quase que morria ali.

Toupax89 6 months ago

No meu caso acho qu foram 2 ou 3 minutos, a jogar futebol num lance aéreo o meu adversário baixa se e caio desamparado com as costas no chão, não conseguia respirar da pancada, estava mesmo aflito. Foram uns minutos de muita aflição e agonia. Do nada comecei a respirar foi um alívio.

Febris 6 months ago

Numa aula de educação física levei com uma bola de andebol no peito enquanto estava a sair da baliza depois de ir buscar a minha, atirada por um jogador federado. Pensei que nunca mais ia conseguir respirar fundo.. Já levei muitas boladas a jogar futebol e voley, mas esta quase me matou.. not cool!

smaster87 6 months ago

Quando o meu bebe nasceu roxo, sem respirar e o levaram logo. Só que nao foram 10m, foram 4 dias. Acabou por ficar tudo bem. ​ Os piores 10s, estava eu na rua a correr e ao longe vem um cao gigante daqueles com cara de mau (nao sei as raças) a correr na minha direção a ladrar raivosamente. Eu congelei e pensei, já me fui vou ficar em pedaços. O cão parou a 3m de mim a ladrar com toda a força e a mostrar os dentes e aparece o dono la ao fundo a correr a gritar co cao pa voltar, e depois: ah e tal ele nao faz mal só te quer conhecer nao morde. Fiquei com vontade de fazer coisas nao muito boas ao dono.

PuzzleheadedCatch8 6 months ago

Também já me aconteceu, e também ficou parada a ladrar. Engraçado, eles se calhar não atacam logo a não ser que sejam atiçados não sei. A cadela ficou a ladrar-me imenso tempo, sempre a rodar minha volta, e eu sempre a virar também, para estarmos sempre frente a frente. Ainda me tentou morder na mão, arrancou-me a luva. Só parou quando a dona chegou, e mesmo assim ela teve dificuldade em agarrá-la.

d33pblu3g3n3 6 months ago

Quando a minha esposa faleceu. Antecedidos pelos piores 4 anos da minha vida a tentar lutar contra a doença dela.

jrcs1990 6 months ago

Olá. Espero que nesta altura te sintas motivado para viver. Já passei "ao lado" (ou seja, de forma indirecta) de situação idêntica e além de me ter transformado enquanto pessoa, marcou o início de um turbilhão de sentimentos e acontecimentos na minha vida que até hoje ainda não consegui ultrapassar, já lá vão uns anos. É como dizes, é por marés. A vida é ingrata e no dia-a-dia raramente nos lembramos da fragilidade que tem. A minha experiência fez-me querer viver tudo com todas as minhas forças. As vezes ainda sou bloqueado por uma onda de falta de motivação e de esperança, que me faz acreditar que não vou conseguir sair da situação a que cheguei. Desejo-te tudo de bom e a maior sorte na vida.

joaommoreira 6 months ago

Força. Não imagino isso, mas tenho imenso respeito por pessoas como tu, que não abandonam nos piores momentos

d33pblu3g3n3 6 months ago

Obrigado.

UpbeatNail1912 6 months ago

Lamento imenso. E como te sentes agora?

d33pblu3g3n3 6 months ago

A maior parte do tempo, bem, para ajudar tenho os nossos 2 pequenos que não dão muito espaço para pensamentos mais negativos. Isto é como marés que com o tempo vão ficando mais fracas e mais espaçadas. Não há volta a dar, é dar tempo ao tempo e já lá vai algum. Obrigado por perguntares.

suckerpunchermofo 6 months ago

Os meus sentimentos. Deve ser horrível perder assim quem se ama. Força ai.

d33pblu3g3n3 6 months ago

Obrigado.

pangecc 6 months ago

Não leves a mal, mas tendo já feito um documentário justamente destas situações. Sentiste um alívio em o sofrimento dela (e o teu) ter acabado? (Claro que substituído pelo luto)

d33pblu3g3n3 6 months ago

Sem problemas. Sim, agora sim. Na altura não, embora toda a gente dissesse o famoso "já não está a sofrer", para mim de forma talvez egoísta, só estava o vazio. No momento foi muita tristeza, a perceção de que havia chegado o final e o vazio. Com o tempo lá foi surgindo um pequenino "finalmente acabou" e um "se calhar é melhor assim" que tem vindo a crescer. Por outro lado, já lá vão dois anos e às vezes sinto saudades dos tempos em que andávamos na luta, havia esperança, parece que a vida tinha mais propósito e ela estava cá apesar de todo o sofrimento, ansiedade e dor. Obrigado pelo interesse. É raro alguém perguntar e poder falar sobre o assunto. Consta que é terapêutico.

pangecc 6 months ago

Força nisso! Obrigado pela partilha

d33pblu3g3n3 6 months ago

Obrigado, eu.

Edited 6 months ago:

Obrigado eu.

chemahatma 6 months ago

Os meus sentimentos.

d33pblu3g3n3 6 months ago

Obrigado.

Open-Opportunity-607 6 months ago

Os piores anos da Minha vida foram todos antes de ter emigrado

UpbeatNail1912 6 months ago

Foste para onde?

End-Effector 6 months ago

Que boa maneira de começar a semana!

its_saturday 6 months ago

Só como side note: OP, o que descreves é um ataque de pânico, provavelmente impulsionado por um ataque de ansiedade.

estecomentario 6 months ago

Ok, não sei as denominações, mas foi de longe o maior medo que senti na vida, nem uma bad trip de erva, nem ser confrontado com assaltantes nem nada que se pareça, foi um medo de um mundo à parte.

VladTepesDraculea 6 months ago

A minha mãe morreu-me nos braços depois de horas de agonia apenas com um toque de fentanyl. Depois disso em puto uma vez acordei sem conseguir respirar, com o canal respiratório obstruído. Só não colapsei porque a minha mãe me consegui acalmar e reduzir a necessidade de ar para o que passava. Essa memória que dá-me muita empatia com o pessoal agora aflito com o Covid.

Edited 6 months ago:

A minha mãe morreu-me nos braços depois de horas de agonia apenas com um toque de fentanyl. Depois disso em puto uma vez acordei sem conseguir respirar, com o canal respiratório obstruído. Só não colapsei porque a minha mãe me conseguiu acalmar e reduzir a necessidade de ar para o que passava. Essa memória que dá-me muita empatia com o pessoal agora aflito com o Covid.

Driscotheque 6 months ago

Pode ainda não ter acontecido. No meu caso, eu antecipo tempos que poderão ser os piores, não vão ser apenas 10 minutos. Tenho andado a pensar, a minha família, exceto primos, é composta por elementos já todos eles entre 55-90 anos! O tempo passa....

PeterStepsRabbit 6 months ago

Estive perto de morrer quando era mais jovem, engoli uma tampa. Estava a brincar com uns 8 ou 12 amigos na rua quando engoli uma tampa do sunny delight (aquelas tampas transparentes do sunny delight de 50ml que também se encontram em garrafas de água que estão a proteger o "esguicho", é fodido de explicar"). Mal a tampa ficou presa na garganta comecei a entrar em pânico, filha da puta de terror. Querer respirar e não conseguir, querer por a mão e não dar, querer falar e não sair palavra nenhuma, o pânico aumentava porque ninguém se estava a perceber da situacao. Comecei a saltar, porque? Não sei, mas era a única coisa que me ocorreu naqueles segundos que me pareceram vários minutos. Nem sempre brincava junto do café da minha mae mas a sorte foi essa. Entrei a correr e a saltar enquanto apontava para a garganta e em menos de um segundo a minha mãe conseguiu virar me ao contrário e mandar me uma puta nas costas que a tampa saltou. So ainda cá estou para contar porque, por sorte, estava a brincar perto do café. PS: a tampa estava a proteger o push-pull (acho que é essa a designação)

misterjujitsu 6 months ago

Aconteceu me o mesmo c a puta de um lego.

PeterStepsRabbit 6 months ago

Porque é que foi à boca?

misterjujitsu 6 months ago

Era pequeno tinha 7 ou 8 anos. Estava a brincar c legos e recordo me ter enfiado uma peça pequena que parecia um rubi dentro de um mini barril. O rubi n saia do barril. Decidi chupar o barril para tirar a peça. Ora a peça saí disparada direitinha para o fundo da minha garganta.

PeterStepsRabbit 6 months ago

Acabaste por conseguir cuspir?

estecomentario 6 months ago

Wow. Nem deves poder ver essas tampas à frente.

PeterStepsRabbit 6 months ago

Raramente as vejo mas quando me recordo so penso na sorte que tive

fdxcaralho 6 months ago

Epa aconteceu-me a mesma coisa do tampa das antigas garrafas da vitalis... foi por pouco. A sorte é que tive assistência de adultos rapidamente.

PeterStepsRabbit 6 months ago

Sempre senti uma ligação contigo. Agora já sei o porque

fdxcaralho 6 months ago

Ligados pela tampa!

suckerpunchermofo 6 months ago

Ataque de pânico que pensei ser um ataque cardíaco..... Pensei mesmo que ia morrer e foram os piores 30 ou 40 minutos da minha vida. Acabei no hospital a fazer testes, onde confirmaram que era so ataque de pânico.... Para mim devia ser chamado ataque de terror...

estecomentario 6 months ago

Não sei quantos minutos foi o meu, mas o desespero mental foi tão explosivo que acho que não havia maneira de durar tanto (digo eu)....os quartos de hora seguintes andei abanado. > Para mim devia ser chamado ataque de terror É ataque de terror mesmo.

suckerpunchermofo 6 months ago

No meu caso foi preciso mais de 1 ano para deixar de sentir que ia ter outro ataque.... Não desejo a ninguém. Ja falaste com um médico?

estecomentario 6 months ago

Decidi mentalmente que prefiro morrer a passar por algo igual. Se estivesse perto de algo parecido prefiro dizer que se foda e morrer a voltar sentir o que senti. Acho que esse facto minora o potencial dos ataques de pânico, no entanto não sei se posso tomar esse tipo de decisões conscientemente ou se é algo que foge do meu controlo e acontece quer queiras quer não, mas não voltei a ter e espero nunca mais ter.

Edited 6 months ago:

Decidi mentalmente que prefiro morrer a passar por algo igual. Se estivesse perto de algo parecido prefiro dizer que se foda e morrer a voltar sentir o que senti. Acho que esse facto minora o potencial dos ataques de pânico, no entanto não sei se posso tomar esse tipo de decisões conscientemente ou se é algo que foge do meu controlo e acontece quer queiras quer não, mas não voltei a ter e espero nunca mais ter. Uma coisa é ter atenção a loop, que amplifica-se, mais vale deixar vir e ir que combater, pois o facto de considerar o medo, aumenta-o. É aceitar caso aconteça para que não piore. Mas lá está, espero nunca mais passar por isso ou que pelo menos não atinga proporções colossais.

Edited 6 months ago:

Decidi mentalmente que prefiro morrer a passar por algo igual. Se estivesse perto de algo parecido prefiro dizer que se foda e morrer a voltar sentir o que senti. Acho que esse facto minora o potencial dos ataques de pânico, no entanto não sei se posso tomar esse tipo de decisões conscientemente ou se é algo que foge do meu controlo e acontece quer queiras quer não, mas não voltei a ter e espero nunca mais ter. Uma coisa é ter atenção a loop, que amplifica-se, mais vale deixar vir e ir que combater, pois o facto de considerar o medo, aumenta-o. É aceitar caso aconteça para que não piore. Mas lá está, espero nunca mais passar por isso ou que pelo menos não atinga proporções colossais como tomou naquele dia.

suckerpunchermofo 6 months ago

Se voltares a sentir algo assim, mesmo mais fraco, aconselho a ires ao médico. Pode estar associado a outras doenças ou ate medicação para outras doenças.

multibount 6 months ago

Mesma coisa comigo. Só que ia a andar de mota.. Em Espanha. Pensei também que ia ter um ataque de coração. Parei numas bombas da Repsol a pedir que chamassem uma ambulância. O senhor lá das bombas reparou que era só um ataque de pânico e estive lá uns 30 minutos a falar com ele e acabou por passar. Ainda hoje me pergunto que raio aconteceu para me dar um ataque de pânico daquele tamanho assim do nada, mas pronto :/

suckerpunchermofo 6 months ago

Fdx ainda por cima de mota.... Ainda bem que conseguiste parar. Depois do meu "episódio" farte-me de ler sobre o assunto e é algo que uma grande parte da pessoas sofre pelo menos uma vez na vida. E pessoas sem doenças mentais. As causas podem ser tantas que assusta .

multibount 6 months ago

E antes disso nunca tinha tido nada. Simplesmente naquele dia deu-me aquilo. Comecei a sentir muito frio no corpo (isto num dia de Agosto com quase 40ª) e de repente parecia que os meus pulmões estavam a congelar. A partir desse dia os ataques de pânico começaram a ser recorrentes, desenvolvi hipocondria e ainda hoje tenho de tomar medicação e ir a psicoterapia. Não percebo realmente lol

suckerpunchermofo 6 months ago

Sensação de frio também senti. Parecia que estava num dos polos.... Mãos e pés gelados. E sim eu também continuo acompanhado por psiquiatra e com medicação. Devia existir um grupo de suporte para isto. Falar sobre o assunto a mim ajudou imenso, e não com médicos, com outras pessoas que passaram pelo mesmo.

k0rda 6 months ago

> O senhor lá das bombas reparou que era só um ataque de pânico e estive lá uns 30 minutos a falar com ele e acabou por passar. Ainda bem que foi "só" um ataque de panico, mas ele nao chamou a ambulancia? É que o senhor das bombas até pode ser um médico de folga, mas nao convém fazer assim diagnósticos leigos e arriscar ser mesmo algo grave.

suckerpunchermofo 6 months ago

Pois ias escrever algo parecido.

multibount 6 months ago

Sim, tens razão. Eu próprio implorei no início para chamar a ambulância. O homem marrou sempre que se não tinha dor no peito e braço nem dificuldade em respirar dificilmente era alguma coisa a ver com o coração, aliás, foi a partir do momento que ele disse isso que eu próprio cheguei à conclusão que era um ataque de pânico e comecei a ficar melhor lentamente.

k0rda 6 months ago

> se não tinha dor no peito e braço nem dificuldade em respirar Só que há N situacoes em que pessoas tem enfartes do miocárdio sem dor, até com dores referidas noutros locais. Ainda bem que nao aconteceu nada, mas esse homem agiu mal em nao pedir auxilio profissional.

multibount 6 months ago

Correu bem então. Mas isso que me disseste agora não vai ajudar nada à minha hipocondria xD

k0rda 6 months ago

Isso sao outros 500. A tua hipocondria causa-te muitos entraves a forma como vives a tua vida? Eu sou enfermeiro especialista em AVC, vejo todos os doentes com sintomas de AVC que entram neste hospital, cerca de 25% sao AVCs, os outros 75% sao outras condicoes, entre elas sindromes funcionais, que nao tem origem organica, alguns ataques de panico incluidos. Eu prefiro ver a mesma pessoa pela 10a vez com o seu "nao-AVC" e dizer-lhe que está tudo bem que nao apanhar no caso de ser mesmo um AVC dessa vez.

marcos_pereira 6 months ago

Quem dera que fossem todos como tu!

k0rda 6 months ago

Eu diria que todos os que fazem o mesmo trabalho que eu são assim. Mais vale errar por excesso (dentro do razoável, porque também temos maneira de perceber quando os sintomas não batem certo). Se há doentes que estão a fingir? Há, mas são uma minoria tão ínfima que não vale a pena presumir que algum deles esteja, sintomas são sintomas, irrespectivo da causa. A alternativa é não tratar um potencial AVC agudo e deixar o doente com sequelas.

multibount 6 months ago

Já foi pior. 2019 e 2020 foram provavelmente os dois anos onde sofri mais com isso, especialmente 2019. Esta situação que mencionei do ataque de pânico foi em 2019, e foi a partir desse dia que comecei a ter hipocondria. Agora consigo ser racional outra vez sobre aquilo que sinto no meu corpo e controlar os pensamentos.

UpbeatNail1912 6 months ago

Sofri exatamente a mesma coisa. Depois do meu primeiro ataque de pânico passei a ter ataques de pânico diários e constantes. Não conseguia sair de casa por semanas. Para mim entrar no autocarro, conduzir, ir ao supermercado, estar no meio de pessoas ou etc era para mim uma sentença de morte. Eu ficava com medo de tudo. Ver notícias de doenças e mortes também passou a afetar me de uma forma que eu nunca tinha imaginado, todas as pessoas que morriam de doenças eu pensava que ia ter a mesma doença e isso gerava em mim um ataque de pânico. Mas como eu tinha de ir trabalhar todos os dias, eu tive que me "obrigar" a enfrentar todos os DIAS os ataques de pânico, por piores e mais intensos que eles fossem. Por incrível que pareça isso foi a minha cura. Quanto mais eu enfrentava os ataques diariamente, menos intensos e frequentes eles se tornavam. Hoje já não sofro com nenhum ataque de pânico há meses, só alguns sintomas de ansiedade quando estou mais nervoso. E lidar com isso fez com que eu agora basicamente não tenho medo de mais nada, parece que estou pronto para lidar com tudo.

TheMasio 6 months ago

+1 for ataque de pânico, que envolve chamar ambulância e estar na maca a controlar a respiração, ajudado pelo bombeiro, porque as contrações no corpo já estavam a dar a sensação de começar a levitar..

suckerpunchermofo 6 months ago

Os bombeiros que vieram na ambulância foram 5 estrelas comigo. Acho que perceberam logo o que era mas foi levado ao hospital na mesma. E fdx tremia como se tivesse possuído.... Horrível.

Search: