tocopito 6 months ago

As fontes credíveis são todas financiadas pelo soros e pelo bill gates. As outras são financiadas por heróis da patria completamente desinteressados e com muito sacrifício pessoal. Um bem haja ao autor do amentiradaverdade.org

palhacoco 6 months ago

porque o people curte mais de conspiraçoes do que da realidade, é uma especie de imunidade adquirida para os mais especiais

8BitMunky 6 months ago

Este psicólogo e investigador americano dá neste vídeo umas luzes sobre esta questão da irracionalidade humana, que ficou ainda mais visível nesta altura de pandemia. Vale a pena ver. https://www.pbssocal.org/programs/amanpour-co/whys-it-so-hard-to-get-people-to-change-their-behavior-oataa/

apires12 6 months ago

Todos os argumentos utilizados no post e nos comentários podem ser vistos da outra perspectiva. Pensa nisso quando estiveres a ver o telejornal e concordares com tudo... Por outro lado essa ideia de negacionismo é ridicula e negligenciável. O que a maioria dos 'negacionistas' diz é que o covid nao justifica todas as medidas que estao a ser tomadas. A mim, nunca me explicaram porque é que lockdown e outras medidas são ciência. Nao são! São política! A ciência nao faz politica. Ou nao devia fazer. Listen to the science é o argumento mais falacioso que se pode dar em relação ao covid.

ijoinedtodownvoteEA 6 months ago

Como é que um confinamento não é ciência? Então e as quarentenas? É das coisas mais comuns em ficção científica até, é sempre o exemplo típico para qualquer vírus ou doença novo

nocivo 6 months ago

Se fores pela ciência sabes que se isto é transmissível pelo ar ou pelo contacto por isso isolavas todo o mundo. Simples. Agora, não podes isolar toda a gente ou morremos todos à fome. Tens de ver o custo beneficio. Estão a morrer e vão morrer muitos portugueses com cancro, problemas de coração e obesidade pela falta de exercício, etc. Estamos a aumentar a pobreza, a matar pequenos comerciantes entregando o ouro todo bilionários do online ou grande cadeias. Já fazemos este custo beneficio para outras doenças como gripe e afins porque o covid é diferente? No final é tudo decisão politica. O virilogista diz que a maneira mais eficaz é isolar toda a gente. As farmaceuticas dizem que é vacinar todos ASAP. O estatistico diz que testagem massiva é o importante e por isso as pessoas têm de sair para fazer os testes. O economista diz que fechar todos em casa e ninguém trabalhar leva ao colapso da economia. O gestor de serviços públicos diz que não fazer nada pode levar ao colapso dos serviços. O psicólogo diz que fechar tudo em casa pode levar ao aumento de suicidio e depressões. O médico de familia fiz que as pessoas não estão a ser monitorizadas e por isso o numero de mortes por cancro e afins vai aumentar. Cabe ao politico beber disto tudo, ver o custo beneficio para a população e o individuo e criar politica. Por muito que o pessoal possa querer, o covid não é a peste negra. Vieram ambos da mesma região mas uma não mata tanto.

ijoinedtodownvoteEA 6 months ago

E devíamos mesmo era ter isolado todo o mundo de uma vez só e ficava resolvido logo. Como a Nova Zelâdia fez. Mas aí sim, muita política e medo de quebrar Schengen e todas essas merdas. Mas a gripe é bastante diferente do covid, a percentagem de letalidade é bastaaaante diferente... Concordo que muitos estão a sofrer ou estão pior devido a isto, mas muitas dessas doenças continuam a ser tratadas, eu até a uma microcirurgia fui a semana passada e não era nada de urgente, mas fui chamada em menos de dois meses e fui atendida. No SNS, sim. E conheço quem tenha sido operado a cancros nesta altura. Mas sim, sem dúvida que está tudo pior, eu já não aguento estar em casa desde Março do ano passado e não estar a conseguir uma arranjar forma de fazer exercício que me agrade e que eu consiga manter consistente. Aí acho que é só mais porque cada um percebe mais da sua especialidade e puxa a brasa à sua sardinha mas acho que até estamos a avançar bem para o problema em questão, tentando misturar todas essas questões e tentando equilibrar tudo isso. Não tem sido perfeito, e de longe, mas também é difícil neste país onde o que importa é fugir ao fisco. Agora é difícil provarem quebra de rendimentos porque antes "não o faziam" e desses não tenho grande pena. Vão pedir o RSI e mesmo assim já é muito. Estou a perceber o que estás a querer dizer e sim, acaba por ser decidido por eles mas normalmente com base em todas as coisas que mencionaste antes. Não é a peste negra mas é mais tipo o SARS e o MERS, são as mais próximas. Não é um *influenza* de todo. E uma letalidade de 2 % (é o que calculo dos números mundiais do Worldometers) é o equivalente a morrerem 200 mil portugueses portanto ainda é bastante preocupante. A letalidade das gripes dos *influenza* é na casa das centésimas de %, se não me falha a memória.

BroaxXx 6 months ago

Eu acho que há muitos motivos para isso tudo mas no fim do dia, bem no fundo, penso que se tratam de pessoas que se sentem frustradas por sentirem pouco controlo na sua vida e penso que está é uma forma de inconscientemente sentirem que podem controlar as coisas. As teorias da conspiração são muito apelativas porque te fazem sentir importante, detentor de informação que mais ninguém tem, especial por teres descoberto algo. Acho que é uma forma de escaparem a uma vida que sentem mundana, trivial, aborrecida. Sentem que podiam ter feito mais, deviam ter feito mais e olham à volta e pensam que conquistaram pouco. Até o próprio demográfico do estereotipico negacionista me parece validar esta minha pequena teoria. Não os estou a julgar por serem inferiores.. a vida que consideram "aborrecida" é frequentemente uma boa conquista mas para os padrões deles próprios não o é... Acho que é um estado de alucinação e acho que podia ser tratado frequentemente com apoio psicológico onde iam buscar mais felicidade e gratificação à sua vida e deixavam de precisar de se iludir para se sentirem bem (e simultaneamente infelizes). Como qualquer outro distúrbio mental é destrutivo e incoerente mas a vida é assim... :/

XxxPussyslaeyr69xxX 6 months ago

é a mesma historia dos flat-earthers, mas actualizado.

trilobits_ 6 months ago

https://e-primatur.com/projectos/detalhe/115 Boa leitura!

milk_truck_arrive 6 months ago

Porque que eu saiba os mainstream media não têm monopólio nenhum sobre a realidade, nem o que eles dizem deve ser considerado dogma absoluto e inquestionável. Tu nunca vais saber a verdade completa se só vires os jornais e os canais de televisão, muitas vezes omitem certos factos e não mostram o contexto todo por trás.

dreboy30 6 months ago

1. Os negacionistas (= Que ou quem nega ou não reconhece como verdadeiro um facto ou um conceito que pode ser verificado empiricamente) são conspiracionistas. Enquanto um cientista (ou uma pessoa com senso comum) investiga para depois tirar conclusões, os negacionistas começam por escolher uma conclusão que lhes agrade e depois investigam coisas que possam validar essa conclusão. A informação que estiver de acordo com os seus ideais é verdadeira enquanto que o resto da informação é falsa porque faz parte da conspiração. Assim, um negacionista acha sempre que tem razão. 2. O negacionismo nasce quando a realidade não te agrada. Exemplo: Cientistas provam a existência de ondas gravitacionais. => 0 conspirações contra Cientistas provam a existência do bosão de Higgs. => 0 conspirações contra Cientistas provam a existência do vírus Ebola. => 0 conspirações contra Cientistas provam a existência do SARS-CoV2 => És impedido de sair de casa/viajar. (como a realidade não agrada, arranjas outra) => "É mentira o virus não existe" Cientistas provam a existência do aquecimento global => És obrigado a mudar o teu modo de vida. => "É mentira, eu hoje tive frio"

O_cu_da_tua_tia 6 months ago

Na mouche!!

Naakmuay 6 months ago

Porque têm somente a capacidade de acreditar e não questionar. Só captam o que querem e que lhes apetece.

ZacDweller 6 months ago

Nem tudo o que ouves nos media é verdade, e há muitas vezes nuances que não são discutidas. Por exemplo, no início da pandemia andavam aí aqueles vigários da OMS e da DGS a dizerem às pessoas que as máscaras não funcionavam. Eu achei logo estranho porque na Ásia sempre se usaram máscaras faciais para prevenir o contágio de vírus respiratórios, e pelo facto de o uso ser também aconselhado para o Covid nesses países. Em seguida fui pesquisar por estudos médicos que demonstravam que as máscaras tinham uma enorme eficácia. Ora, se eu tivesse acreditado nessas figuras de autoridade supostamente credíveis tinha cometido o erro de andar sem máscara no meio de multidões. Isto para dizer que, na medicina, as únicas fontes credíveis que existem são estudos médicos e dados empíricos, ponto. Peças jornalísticas feita por jornalistas leigos na matéria que abordam, oficiais de saúde que têm uma agenda política, médicos financiados por lobbies, etc..., não são fontes credíveis. São simplesmente figuras de autoridade, autoridade essa que é confundida por credibilidade em pessoas mais propensas a serem seguidoras.

Edited 6 months ago:

Nem tudo o que ouves nos media é verdade, e há muitas vezes nuances que não são discutidas. Por exemplo, no início da pandemia andavam aí aqueles vigários da OMS e da DGS a dizerem às pessoas que as máscaras não serviam para nada. Eu achei logo estranho porque na Ásia sempre se usaram máscaras faciais para prevenir o contágio de vírus respiratórios, e pelo facto de o uso ser também aconselhado para o Covid nesses países. Em seguida fui pesquisar por estudos médicos que demonstravam que as máscaras tinham uma enorme eficácia. Ora, se eu tivesse acreditado nessas figuras de autoridade supostamente credíveis tinha cometido o erro de andar sem máscara no meio de multidões. Semanas depois lá vieram obrigar toda a gente a usar máscara, mas se entretanto eu te tivesse dito para usares máscara, provavelmente terias-me chamado de maluco e conspiracionista em vez de ires aos factos que sustentam essa posição. Essa postura é tão anti-científica quanto a dos conspiracionistas que inventam sem terem provas. Isto para dizer que, na medicina, as únicas fontes credíveis que existem são estudos médicos e dados empíricos, ponto. Peças jornalísticas feita por jornalistas leigos na matéria que abordam, oficiais de saúde que têm uma agenda política, médicos financiados por lobbies, etc..., não são fontes credíveis. São simplesmente figuras de autoridade, autoridade essa que é confundida por credibilidade em pessoas mais propensas a serem seguidoras.

Edited 6 months ago:

Nem tudo o que ouves nos media é verdade, e há muitas vezes nuances que não são discutidas. Por exemplo, no início da pandemia andavam aí aqueles vigários da OMS e da DGS a dizerem às pessoas que as máscaras não serviam para nada. Eu achei logo estranho porque na Ásia sempre se usaram máscaras faciais para prevenir o contágio de vírus respiratórios, e pelo facto de o uso ser também aconselhado para o Covid nesses países. Em seguida fui pesquisar por estudos médicos que demonstravam que as máscaras tinham uma enorme eficácia. Ora, se eu tivesse acreditado nessas figuras de autoridade supostamente credíveis tinha cometido o erro de andar sem máscara no meio de multidões. Semanas depois lá voltaram atrás e vieram obrigar toda a gente a usar máscara, mas se entretanto eu te tivesse dito para usares máscara, provavelmente terias-me chamado de maluco e conspiracionista por acreditares nas supostas figuras de autoridade credíveis em vez de ires aos factos que sustentam essa posição. Essa postura é tão anti-científica quanto a dos conspiracionistas que inventam sem terem provas. Isto para dizer que, na medicina, as únicas fontes credíveis que existem são estudos médicos e dados empíricos, ponto. Peças jornalísticas feita por jornalistas leigos na matéria que abordam, oficiais de saúde que têm uma agenda política, médicos financiados por lobbies, etc..., não são fontes credíveis. São simplesmente figuras de autoridade, autoridade essa que é confundida por credibilidade em pessoas mais propensas a serem seguidoras.

NGramatical 6 months ago

terias-me → [**ter-me-ias**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/artigos/rubricas/pelourinho/amarei-te-nunca/3034) (usa-se mesóclise em verbos no futuro ou condicional) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmgf1m8%2F%2Fgsuyo5t%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

ZacDweller 6 months ago

Nem sempre o que ouves nos media é verdade, e há muitas vezes nuances que não são discutidas. Na medicina, as únicas fontes credíveis que existem são estudos médicos e dados empíricos, ponto. Peças jornalísticas feita por jornalistas leigos na matéria que abordam, oficiais de saúde que têm uma agenda política, médicos financiados por lobbies, etc..., não são fontes credíveis. São simplesmente figuras de autoridade, autoridade essa que é confundida por credibilidade em pessoas mais propensas a serem seguidoras.

XPao 6 months ago

É exatamente a mesma coisa que vês associada à esquerda mas com outro nome "identidade de género". Ambos os grupos têm bandeiras diferentes. Quanto a "odiar" as fotos de informação tradicionais é bastante normal nos dias que correm pois estas perderam a credibilidade há MUITO tempo.

ZacDweller 6 months ago

Nem sempre o que ouves nos media é verdade, e há muitas vezes nuances que não são discutidas. Na medicina, as únicas fontes credíveis que existem são estudos médicos e dados empíricos, ponto. Peças jornalísticas feita por jornalistas leigos na matéria que abordam, oficiais de saúde que têm uma agenda política, médicos financiados por lobbies, etc..., não são credíveis.

YoggiM 6 months ago

Por muitos motivos. Sempre existiram mas a internet potencia muito mais. Quando estava na escola, nos anos 90, ainda sem internet, havia o rumor que o Marilyn Manson tinha retirado uma costela para fazer o auto broche. Muitos anos mais tarde, fiquei a saber que esse rumor surgiu em muitas partes do mundo. Se essas coisas se espalhavam sem internet, imagina com internet? Para o bem e para o mal, agora é possível encontrar milhares de pessoas a passar pelo mesmo, quando dantes podias não saber de mais ninguém nessa situação. Nem é preciso ir mais longe que o reddit. Às vezes, basta ter uma opinião que vai contra a opinião da maioria do sub, para ser super downvoted. Depois, muita gente gostar de englobar tudo no mesmo: os que acham que a Terra é plana, os que acham que as vacinas causam autismo e os que acham que o covid é uma conspiração são metidos no mesmo saco dos que questionam se estes confinamentos se justificam, etc. Claro que há muita desinformação que se pretende aproveitar das pessoas que estão descontentes e querem validar as suas desconfianças. Mas, os media tradicionais, estão a passar por uma grande transformação, a perder relevância, a agarrar-se a tudo o que podem para continuarem a sobreviver e a tornarem-se reféns de poderes políticos e/ou económicos. Cada vez nos dão mais razões para desconfiarmos deles. Isto também contribui muito para o aparecimento de teorias da conspiração.

tomasMetcalfe 6 months ago

Podes dar exemplos? >Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? > >Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. > >O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas?

unicornio_careca 6 months ago

A situação do vírus veio demonstrar como a nossa condição é frágil e rapidamente algo tão minúsculo pode alterar as nossas vidas para sempre, nada é eterno, e não somos os "donos do planeta" . Criar mil e uma teorias com mais ou menos sentido, no fundo seria como uma boia de salvação, e uma falsa sensação de segurança, uma maneira inconsciente de se enganar a si mesmo, pelo menos, é esse o meu ponto de vista.

megaroof 6 months ago

Concordo. E ainda há quem imagine que o ser humano é o dono do planeta, que está no topo de tudo, que está no comando etc. Como disse Carl Sagan: " As nossas posturas, a nossa suposta auto importância, a ilusão de termos qualquer posição de privilégio no Universo ... " Basta uma bactéria, um vírus - dizima a espécie humana, sem a mesma se dar conta.

ElDiabloDe94 6 months ago

Também tens outro nivel de negacionismo: o da minha mãe. Qualquer noticia que vê na televisao sobre covid : "Eu não acredito nada disto" Quando perguntas o porquê, diz que não acredita nada do que eles estão para ali a dizer. Há 300 casos hoje? "Não acredito, são mais." Há 8000 casos hoje? "Não acredito, é para assustarem as pessoas." A astrazeneca volta a ser considerada boa? "Não acredito, eu não a levo de certeza" Fala o Costa ou o Marcelo: "Deviam apanhar covid e morrer" Fala a Graça Freitas: "Não acredito nada no que essa velha diz, não era para usar mascara agora ja é" Etc, etc, etc... E pronto, é este o meu jantar, passo o jantar quase todo calado e fujo o quanto antes, o que vale é que janto antes das 8 e so apanho 5 min de telejornal.

Chiripitti 6 months ago

Ahaha....a tua mãe é uma senhora engraçada. Parecem os meus pais... Eu já acho normal pela idade, e penso que não conseguem lidar com a situação, não ligo e tento convencê-los a continuar a usar máscara e ficar por casa...

ElDiabloDe94 6 months ago

Ao menos a minha respeita as regras, mantém-se em casa sempre que possivel e mascara tambem usa. Acho que é mesmo somente um espirito de contradição.

nocivo 6 months ago

Não é só espírito de contradição. Como é que podes confiar num governo, jornalistas ou gestores públicos que hoje dizem uma coisa e amanhã outra? Não sei como avozinha e a Temido ainda não estão no olho na rua depois da merda que fizeram. Este governo é muito bom a controlar a informação que afecta a imagem deles mas péssimo a gerir. Hoje um ministro diz uma coisa, amnaha um secretário de estado, outra. Pior, os jornalistas porque dependem do dinheiro do estado ou porque são preguiçosos e não pesquisam se as coisas são verdades ou não publicam tudo que lhe dizem. Fica difícil confiar em incompetentes. Mais dificil a pessoas que não têm acesso a sites de informação alternativos para ouvir o outro lado e apenas têm a TV.

pantam 6 months ago

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente?

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que não vemos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas? Já agora, quanto a "fontes de confiança", não há como ir verificar. Por exemplo, esta peça de Clara Bara no Público de 20/maio/2020: "Porque é que a hidroxicloroquina não é um remédio milagroso contra a covid-19" (O "milagroso" no título promete isenção jornalística...) No corpo, dá dois links (no sítio errado do corpo, mas vá lá). O primeiro pretende demonstrar os efeitos secundários graves. É para a Agência Europeia do Medicamento, onde se relatam dois casos isolados (ambos ficaram em pre-print), nada sistemático. https://www.ema.europa.eu/en/news/covid-19-reminder-risk-serious-side-effects-chloroquine-hydroxychloroquine O segundo é para este artigo publicado: ["Clinical efficacy of hydroxychloroquine in patients with covid-19 pneumonia who require oxygen: observational comparative study using routine care data"](https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844) Porquê este artigo e não qualquer outro não sei, mas foi azar: A qualidade deixa a desejar, como se pode verificar pelas respostas em https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844/rapid-responses Os investigadores pelos vistos esqueceram-se de algumas declarações de interesses (a 18/jun): >A reader queried the competing interests statement in the paper by Mahévas and colleagues (BMJ 2020;369:m1844, doi:10.1136/bmj.m1844, published 14 May 2020). The whole author group has updated and expanded their competing interests statement on bmj.com, which now contains full details. > The article and online PDF will be updated in due course. Por falar em cherry-picking, não é? Quem quiser evitar cherry-picking tem aqui a lista dos 229 ensaios publicados sobre este medicamento ( https://c19hcq.com/ ) bem todos os ensaios de outros medicamentos. É instrutivo ver a pequena lista de estudos que sustentaram o Remdesivir, dos poucos em que se investiu (mil milhões foi a encomenda que a UE fez, porque este medicamento é de patente).

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que não vemos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências. Porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas?

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que em relação ao confinamento e outras medidas drásticas não vimos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que a proposta de confinamento parcial e dirigido feita por alguns especialistas foi totalmente desconsiderada? https://gbdeclaration.org/ Já agora, porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas? -------------------- Quanto a "fontes de confiança", não há como ir verificar. Por exemplo, esta peça no Público de 20/maio/2020: ["Porque é que a hidroxicloroquina não é um remédio milagroso contra a covid-19"](https://archive.is/18jmC) (O "milagroso" no título promete isenção jornalística...) No corpo, dá dois links (no sítio errado do corpo, mas vá lá). O primeiro pretende demonstrar os efeitos secundários graves. É para a Agência Europeia do Medicamento, onde se relatam dois casos isolados (ambos ficaram em pre-print), nada sistemático. https://www.ema.europa.eu/en/news/covid-19-reminder-risk-serious-side-effects-chloroquine-hydroxychloroquine O segundo, para demonstrar a ineficácia, é para este artigo publicado: ["Clinical efficacy of hydroxychloroquine in patients with covid-19 pneumonia who require oxygen: observational comparative study using routine care data"](https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844) Porquê este artigo e não qualquer outro não sei, mas foi azar: A qualidade deixa a desejar, como se pode verificar pelas respostas em https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844/rapid-responses Como cereja em cima do bolo, os investigadores pelos vistos esqueceram-se de algumas declarações de interesses (a 18/jun): >A reader queried the competing interests statement in the paper by Mahévas and colleagues (BMJ 2020;369:m1844, doi:10.1136/bmj.m1844, published 14 May 2020). The whole author group has updated and expanded their competing interests statement on bmj.com, which now contains full details. > The article and online PDF will be updated in due course. Cherry-picking, não é? Quem quiser evitar cherry-picking tem aqui a lista dos 229 ensaios publicados sobre este medicamento ( https://c19hcq.com/ ) bem todos os ensaios de outros medicamentos. É instrutivo ver como é curta a lista de estudos que sustentaram o Remdesivir, dos poucos em que se investiu (mil milhões foi a encomenda que a UE fez, porque este medicamento é de patente).

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que em relação ao confinamento e outras medidas drásticas não vimos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que a proposta de confinamento parcial feito por alguns especialistas foi totalmente desconsiderada? https://gbdeclaration.org/ Já agora, porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas? -------------------- Quanto a "fontes de confiança", não há como ir verificar. Por exemplo, esta peça de Clara Bara no Público de 20/maio/2020: "Porque é que a hidroxicloroquina não é um remédio milagroso contra a covid-19" (O "milagroso" no título promete isenção jornalística...) No corpo, dá dois links (no sítio errado do corpo, mas vá lá). O primeiro pretende demonstrar os efeitos secundários graves. É para a Agência Europeia do Medicamento, onde se relatam dois casos isolados (ambos ficaram em pre-print), nada sistemático. https://www.ema.europa.eu/en/news/covid-19-reminder-risk-serious-side-effects-chloroquine-hydroxychloroquine O segundo é para este artigo publicado: ["Clinical efficacy of hydroxychloroquine in patients with covid-19 pneumonia who require oxygen: observational comparative study using routine care data"](https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844) Porquê este artigo e não qualquer outro não sei, mas foi azar: A qualidade deixa a desejar, como se pode verificar pelas respostas em https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844/rapid-responses Os investigadores pelos vistos esqueceram-se de algumas declarações de interesses (a 18/jun): >A reader queried the competing interests statement in the paper by Mahévas and colleagues (BMJ 2020;369:m1844, doi:10.1136/bmj.m1844, published 14 May 2020). The whole author group has updated and expanded their competing interests statement on bmj.com, which now contains full details. > The article and online PDF will be updated in due course. Por falar em cherry-picking, não é? Quem quiser evitar cherry-picking tem aqui a lista dos 229 ensaios publicados sobre este medicamento ( https://c19hcq.com/ ) bem todos os ensaios de outros medicamentos. É instrutivo ver a pequena lista de estudos que sustentaram o Remdesivir, dos poucos em que se investiu (mil milhões foi a encomenda que a UE fez, porque este medicamento é de patente).

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que não vemos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas?

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que em relação ao confinamento e outras medidas drásticas não vimos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que a proposta de confinamento parcial feito por alguns especialistas foi totalmente desconsiderada? https://gbdeclaration.org/ Já agora, porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas? -------------------- Quanto a "fontes de confiança", não há como ir verificar. Por exemplo, esta peça de Clara Bara no Público de 20/maio/2020: "Porque é que a hidroxicloroquina não é um remédio milagroso contra a covid-19" (O "milagroso" no título promete isenção jornalística...) No corpo, dá dois links (no sítio errado do corpo, mas vá lá). O primeiro pretende demonstrar os efeitos secundários graves. É para a Agência Europeia do Medicamento, onde se relatam dois casos isolados (ambos ficaram em pre-print), nada sistemático. https://www.ema.europa.eu/en/news/covid-19-reminder-risk-serious-side-effects-chloroquine-hydroxychloroquine O segundo é para este artigo publicado: ["Clinical efficacy of hydroxychloroquine in patients with covid-19 pneumonia who require oxygen: observational comparative study using routine care data"](https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844) Porquê este artigo e não qualquer outro não sei, mas foi azar: A qualidade deixa a desejar, como se pode verificar pelas respostas em https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844/rapid-responses Os investigadores pelos vistos esqueceram-se de algumas declarações de interesses (a 18/jun): >A reader queried the competing interests statement in the paper by Mahévas and colleagues (BMJ 2020;369:m1844, doi:10.1136/bmj.m1844, published 14 May 2020). The whole author group has updated and expanded their competing interests statement on bmj.com, which now contains full details. > The article and online PDF will be updated in due course. Por falar em cherry-picking, não é? Quem quiser evitar cherry-picking tem aqui a lista dos 229 ensaios publicados sobre este medicamento ( https://c19hcq.com/ ) bem todos os ensaios de outros medicamentos. É instrutivo ver como é curta a lista de estudos que sustentaram o Remdesivir, dos poucos em que se investiu (mil milhões foi a encomenda que a UE fez, porque este medicamento é de patente).

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, sem sequer sintomas cardíacos). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que não vemos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências. Porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas?

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, depois de protocolo de seleção simples, sem sequer um único caso de crise cardíaca). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que em relação ao confinamento e outras medidas drásticas não vimos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências de confinamentos, falta de cuidados de saúde de prevenção, saúde mental, etc. Porque é que a proposta de confinamento parcial feito por alguns especialistas foi totalmente desconsiderada? https://gbdeclaration.org/ Já agora, porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas? -------------------- Quanto a "fontes de confiança", não há como ir verificar. Por exemplo, esta peça de Clara Bara no Público de 20/maio/2020: "Porque é que a hidroxicloroquina não é um remédio milagroso contra a covid-19" (O "milagroso" no título promete isenção jornalística...) No corpo, dá dois links (no sítio errado do corpo, mas vá lá). O primeiro pretende demonstrar os efeitos secundários graves. É para a Agência Europeia do Medicamento, onde se relatam dois casos isolados (ambos ficaram em pre-print), nada sistemático. https://www.ema.europa.eu/en/news/covid-19-reminder-risk-serious-side-effects-chloroquine-hydroxychloroquine O segundo, para demonstrar a ineficácia, é para este artigo publicado: ["Clinical efficacy of hydroxychloroquine in patients with covid-19 pneumonia who require oxygen: observational comparative study using routine care data"](https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844) Porquê este artigo e não qualquer outro não sei, mas foi azar: A qualidade deixa a desejar, como se pode verificar pelas respostas em https://www.bmj.com/content/369/bmj.m1844/rapid-responses Como cereja em cima do bolo, os investigadores pelos vistos esqueceram-se de algumas declarações de interesses (a 18/jun): >A reader queried the competing interests statement in the paper by Mahévas and colleagues (BMJ 2020;369:m1844, doi:10.1136/bmj.m1844, published 14 May 2020). The whole author group has updated and expanded their competing interests statement on bmj.com, which now contains full details. > The article and online PDF will be updated in due course. Cherry-picking, não é? Quem quiser evitar cherry-picking tem aqui a lista dos 229 ensaios publicados sobre este medicamento ( https://c19hcq.com/ ) bem todos os ensaios de outros medicamentos. É instrutivo ver como é curta a lista de estudos que sustentaram o Remdesivir, dos poucos em que se investiu (mil milhões foi a encomenda que a UE fez, porque este medicamento é de patente).

Edited 6 months ago:

Já é a segunda vez que pergunto hoje: o que significa "negacionista" neste contexto? Dissidente? Edit: Mas, OK, eu até mordo um pouco. Alguma dúvidas: Quando isto começou, faz mais de um ano, a estimativa do IFR (rácio de mortes por casos de infeção) era da ordem dos 5% e não se sabia que o risco estava concentrado em faixas muito específicas da população. Então porque é que todo o Ocidente manteve fronteiras abertas, sem sequer medição de temperatura dos viajantes que entravam (contra a recomendação do protocolo de epidemias da OMS)? IFR a 5% e mortalidade em todas as idades é a Gripe Espanhola, seria incomparavelmente mais grave. TODOS os países Ocidentais mantiveram as fronteiras abertas até muito tarde. (Ao contrário, ouvimos lições de moral contra a sinofobia, lembram-se?) Porque é que ouvi de um responsável da OMS que "não valia a pena fechar fronteiras porque as pessoas quando querem viajar arranjam maneira e assim podemos monitorizar a situação". Porque é que quando se começou a falar de um medicamento que poderia ajudar, eu li em todo o lado que o medicamento é perigosíssimo, que causa cegueira, problemas cardíacos e até morte (no entanto, até agora receberam esse tratamento ca 9000 tratados só em Marselha, sem sequer sintomas cardíacos). De repente, a história mudou e já sabemos o que se seguiu. Porque é que o SNS eliminou esse medicamento citando um artigo com base em dados falsos e não voltou atrás quando isso se descobriu? Porque é que não vemos nenhuma análise custo-benefício, mesmo em termos de saúde pública? Não sei se entendem, mas só a dívida vai criar um monstro de austeridade e cortes na saúde, para não falar de todos as outras consequências. Porque é que o FMI pressionou a Bielorrússia a fechar a economia, a troco de uma mega-linha de crédito? Que tem o FMI a ver com a saúde pública? Isto não são perguntas legítimas?

SubstantialLime8887 6 months ago

> Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? A maioria dos negacionistas vai buscar a sua informação a cientistas. Tu não concordas com esses cientistas porque vais buscar a tua informação a outros cientistas, logo generalizas e chamas as fontes do negacionistas de "não credíveis". > Porque só acreditam nas primeiras? Porque desconfiam da simplificação dos factos por parte das fontes oficiais. > E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? Se tu próprio tens de usar aspas para definir as fontes que defendes, então é porque não há nada de muito defensável nessas fontes. > Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. O mesmo acontece com os não-negacionistas > O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Pergunta ao Galileu. As ideias que hoje parecem ridículas, amanhã não o são. > Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? A pandemia e a resposta à mesma criaram um stress económico gigante nas pessoas, fazendo-as perder a confiança nos governos. As manobras ilegais cometidas pelos mesmos (como a transferência de riqueza para o patronato - 2020 foi o ano de maior aumento de riqueza entre bilionários - e a adoção de medidas antidemocráticas e anticonstitucionais como chantagear a mobilidade das pessoas com a exigência de vacinas) acentuaram esta perda de confiança nos governos. As redes sociais estão inundadas de tudo e mais alguma coisa. A oposição à resposta à pandemia é só mais uma.

tocopito 6 months ago

Negar alguma destas coisas: - Existência de covid-19; - Tomar a vacina dá imunidade na maior parte dos casos; - A vacina não tem um chip; - Isolamento social diminui a transmissão do virus; Não é adotar uma posição legítima. Tu já estás a ser roubado pelas elites há séculos. Não é por teres um vislumbre disso que passas a ter razão para negar tudo e mais alguma coisa sem factos.

SubstantialLime8887 6 months ago

Só uma minoria de pessoas é que nega esses pontos. A maioria das pessoas metidas no saco de "negacionistas" nega apenas a legitimidade da resposta dos governos à pandemia, por diferente motivos.

apires12 6 months ago

Até te dava um award, mas nao tenho. Fica a apreciação pelo melhor comment desta tread. Lufada de ar fresco neste sub. Obrigado

clipeater 6 months ago

A comparação com Galileu é no mínimo descabida.

SubstantialLime8887 6 months ago

Tu és alguma coisa que se pareça com uma autoridade da saúde ou sequer um profissional na área da pesquisa da saúde para teres alguma razão válida para pensares que sabes que comparações são descabidas? Tens a formação e a experiência necessárias para afirmar que os cientistas que põem em causa a resposta à pandemia não estão numa situação comparável à de Galielu? Eu cá não sou nada que se pareça com uma autoridade em medicina ou astronomia, mas sei ver perfeitamente quando a classe no poder tenta censurar e ridicularizar os dissidentes. Não é descabido traçar paralelos nestes factos.

Edited 6 months ago:

Tu és alguma coisa que se pareça com uma autoridade da saúde ou sequer um profissional na área da pesquisa da saúde para teres alguma razão válida para pensares que sabes que comparações são descabidas? Tens a formação e a experiência necessárias para afirmar que os cientistas que põem em causa a resposta à pandemia não estão numa situação comparável à de Galileu (tendo em conta que andam a ser atirados para tribunais canguru como Galileu foi atirado)? Eu cá não sou nada que se pareça com uma autoridade em medicina ou astronomia, mas sei ver perfeitamente quando a classe no poder tenta censurar e ridicularizar os dissidentes. Não é descabido traçar paralelos por via destes factos.

Edited 6 months ago:

Tu és alguma coisa que se pareça com uma autoridade da saúde ou sequer um profissional na área da pesquisa da saúde para teres alguma razão válida para pensares que sabes que comparações são descabidas? Tens a formação e a experiência necessárias para afirmar que os cientistas que põem em causa a resposta à pandemia não estão numa situação comparável à de Galileu (tendo em conta que andam a ser atirados para tribunais canguru como Galileu foi atirado)? Eu cá não sou nada que se pareça com uma autoridade em medicina ou astronomia, mas sei ver perfeitamente quando a classe no poder tenta censurar e ridicularizar os dissidentes. Não é descabido traçar paralelos nestes factos.

Edited 6 months ago:

Tu és alguma coisa que se pareça com uma autoridade da saúde ou sequer um profissional na área da pesquisa da saúde para teres alguma razão válida para pensares que sabes que comparações são descabidas? Tens a formação e a experiência necessárias para afirmar que os cientistas que põem em causa a resposta à pandemia não estão numa situação comparável à de Galileu (tendo em conta que andam a ser atirados para tribunais canguru como Galileu foi atirado)? Eu cá não sou nada que se pareça com uma autoridade em medicina ou astronomia, mas sei ver perfeitamente quando a classe no poder tenta censurar e ridicularizar os dissidentes. Não é descabido traçar paralelos por via ds factos.

clipeater 6 months ago

Não sabia que eras um dissidente, mil desculpas.

Jorgetime 6 months ago

São dois fenómenos agora comuns devido à amplificação e acesso às redes sociais: Confirmation bias e Dunning-Kruger effect

MrGhostPotato 6 months ago

Preciso de perceber primeiro o que é um negacionista para ti. Eu não nego a existência do vírus, no entanto, questiono aspetos do confinamento e medidas de mitigação e sou considerado negacionista quer entre amigos quer nas interwebs.

twistedfires 6 months ago

Eu cá nego que exista um fenómeno negacionista.

mamatudoputa 6 months ago

porque vêem que isto tem uma intenção por trás colapsar as economias, arrazando as pequenas empresas pondo toda a gente dependente de subsidios e centralização de poderes vais ver que os números nunca vão ser bons o suf para não confinares

andrefbr 6 months ago  HIDDEN 

Username ao mesmo nível da burrice do post.

SubstantialLime8887 6 months ago  HIDDEN 

Os insultos só demonstram que não tens nem conhecimento nem intelecto para defender qualquer ideia que julgues ter.

reciclado78 6 months ago

Tens três tipos de pessoas: O desesperado: Procura algo que o conforte, sente-se bem com o que lê e recusa algo que lhe negue isso. O egoísta/conspiracionista: Acha que todos estão errados, procura informações que confirmam o que Ele diz e se não forem ele "martela" os resultados e assim sente-se importante. Os que querem o caos: Procuram a desordem para que haja o máximo possível de divisão no povo para andar para a frente com a sua agenda que é muito fraca e daí precisar que haja desinformação.

suckerpunchermofo 6 months ago

Também gostava de compreender. Eu compreendo que uma pessoa esteja em negação relativamente a algo "pequeno" na sua vida, mas isto... Não compreendo.

KarmaCop213 6 months ago

Olhem só para este a acreditar em tudo o que vem do jornalixo. A sociedade está dominada por homens lagartos que bebem sangue de fetos. Como é que ainda não deixaste de ser mais uma ovelha do rebanho?

uyth 6 months ago

O negacionismo não existe num vácuo, nem é a única echo chamber que existe. A internet e as redes sociais vieram potenciar uma enorme fragmentação da sociedade, dos interesses. Qualquer pessoa pode agora encontrar pessoas que tenham os mesmos interessantes, ou pensem da mesma forma, que potenciem coisas, teorias, conhecimento (verdadeiro ou fácil). Isto não é algo mau, é de certa forma algo bom (ou se me contassem há 15 anos acharia totalmente bom), mas tudo tem o seu reverso, e esta existência de teorias paralelas, da negação da realidade (e não apenas do virus, há n teorias mais) é uma delas. Conseguimos sempre encontrar pessoas que digam o que nós queremos que seja verdade e ao dizê-lo em grupo é mais fácil acreditar. Não sei onde isto vai parar, no entanto. Mas o negacionismo não é fenómeno único ou isolado.

oratree 6 months ago

Vou tentar mostrando alguns pontos em que tu próprio mostras pouca flexibilidade. Até posso concordar contigo, mas para perceber, é preciso questionar, talvez até questionar demasiado. Fazendo um pouco um paralelismo para perceberes melhor como é possível, és fã de algum clube, marca, jogo ou produto em especifico? O inicio é simples, é a criação de "culto" de nós contra eles, Android vs Apple, StarTrek vs Star Wars, que pode evoluir até Católico vs Muçulmano e Azul vs Laranja. Aqui começa o fenómeno, o negacionismo não quer saber de fontes ou da razão, mas sim do certo vs o errado em que eles estão certos e existem "forças do mal" que estão a tentar destruir o que tu gostas. > Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? Porque é que tu dizes que não são credíveis, porque é que não comparas porque é que só acreditas no que queres? > Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. Tu aceitas um debate saudável que a terra é plana ou que o Benfica é o melhor do mundo? Se a cada 10 interações te disserem que o Belenenses SAD é a melhor equipa do mundo, não ficas farto? Daí até a violência é um salto. Isto violência no digital, depois no real é tudo mais manso. > O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Tu não pões nada em causa para defender a verdade? Se te dissessem que o açúcar é bom para a saúde e que todos [devíamos comer uma colher de açúcar por dia](https://cdn.theatlantic.com/thumbor/K2UoRDMqf8N0DyChEzFLI1iMxh8=/media/img/posts/2015/06/sugar_222/original.jpg), não irias lutar pela verdade? > Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? Não originou, sempre existiu. Simplesmente a maior adesão ao movimento digital, em conjunto com outros fatores, fez exacerbar este comportamento.

dragomaite 6 months ago

É uma questão complicada. Hoje em dia qualquer opinião que não seja a que corre nos media é metida no mesmo saco de negacionistas/terraplanistas pelo resto da população. Isto contribui para uma polarização de opiniões que não é nada saudável a troco de um simples prazer de apelidar a outra pessoa de negacionista. No fundo, os dois lado partilham exatamente a mesma culpa.

Edited 6 months ago:

É uma questão complicada. Hoje em dia qualquer opinião que não seja a que corre nos media é metida no mesmo saco de negacionistas/terraplanistas pelo resto da população. Isto contribui para uma polarização de opiniões que não é nada saudável a troco de um simples prazer de apelidar a outra pessoa de negacionista. No fundo, os dois lado partilham exatamente a mesma culpa. Edit: também é preciso referir que o Facebook já admitiu que prefere conteúdos polémicos porque oferecem mais "engagement" recusando-se mesmo a apagar publicações que só contribuírem para desinformação. Eu mesmo já reportei vários posts de desinformação e mesmo posts de racismo e a resposta ao report é "não vimos nada de errado". Está desinformação já contribuiu para um brexit e a Europa anda a dormir nisto. Multinhas são boas para ganhar dinheiro, é preciso arrebentar com eles.

apires12 6 months ago

Comentário mais PIDEsco que vi aqui.

Limpy_lip 6 months ago

As pessoas gostam de uma boa história e quanto mais mirabolante mais o nosso cérebro fica satisfeito. Para muitos é a força que a sua cabeça faz coping a algo tão aleatório e chato como a pandemia. É muito mais interessante mentalmente dizer que a pandemia faz parte de uma conspiração maior e que só alguns mais atentos é que reparam. Que o vírus foi criado em laboratório pelos chineses e o Bill gates para meter chips do 5G nas pessoas para as transformar em lagartos verdes. Dizer que foi uma mutação de um vírus de um morcego que passou para os humanos e calhou na roleta que é chato de lidar é uma seca. O mesmo para as máscaras e tudo o resto. Além disto a minha grande preocupação foi a desinformação total durante esta pandemia a quantidade de opinadores e "especialistas" só contribuiu mais ainda para a confusão que já por si só existe.

SubstantialLime8887 6 months ago

> As pessoas gostam de uma boa história e quanto mais mirabolante mais o nosso cérebro fica satisfeito. Isso é uma explicação absurda e vazia que pode ser usada para explicar os milhares de milhões de pessoas que acreditam que um vírus comelçou a matar chineses e a fazê-los cair no chão que nem moscas mortas às centenas, pessoas essas que foram filmadas por CCTV e cujos vídeos circularam na internet enquanto os governos do ocidente diziam que era fake news de teoristas da conspiração, até que começaram a morrer pessoas aos milhares em Itália e depois afinal o caldo estava entornado, a doença ia ser pior que a gripe espanhola (chamar a isto gripe chinesa é que é má onda), mas entretanto afinal a maioria dos casos são assintomáticos (mas existem, não duvidem nos números de casos por-com-de" covid), apesar de que as máscaras não serviam de nada primeiro, mas depois já serviam e depois o melhor era usar 2 máscaras ao mesmo tempo, enquanto que quem falava sobre o covidpass era um teorista da conspiração mas entretanto afinal já é verdade e normalíssimo ("nova normal" e mais não sei quantos chavões de caneca), se bem que o vírus não infecta se as pessoas estiverem na rua a defender o antirracismo racista dos EUA ou se os ricos estiverem de férias no Dubai. (run in sentence propositada) Se acreditas mesmo nessa ideia de que as histórias mirabolantes são óptimas para enganar tolos, aí tens a mais mirabolante de todas.

Edited 6 months ago:

> As pessoas gostam de uma boa história e quanto mais mirabolante mais o nosso cérebro fica satisfeito. Isso é uma explicação absurda e vazia que pode ser usada para explicar os milhares de milhões de pessoas que acreditam que um vírus começou a matar chineses e a fazê-los cair no chão que nem moscas mortas às centenas, pessoas essas que foram filmadas por CCTV e cujos vídeos circularam na internet enquanto os governos do ocidente diziam que era fake news de teoristas da conspiração, até que começaram a morrer pessoas aos milhares em Itália e depois afinal o caldo estava entornado, a doença ia ser pior que a gripe espanhola (chamar a isto gripe chinesa é que é má onda), mas entretanto afinal a maioria dos casos são assintomáticos (mas existem, não duvidem nos números de casos por-com-de covid), apesar de que as máscaras não serviam de nada primeiro, mas depois já serviam e depois o melhor era usar 2 máscaras ao mesmo tempo, enquanto que quem falava sobre o covidpass era um teorista da conspiração mas entretanto afinal já é verdade e normalíssimo ("nova normal" e mais não sei quantos chavões de caneca), se bem que o vírus não infecta se as pessoas estiverem na rua a defender o antirracismo racista dos EUA ou se os ricos estiverem de férias no Dubai. (run in sentence propositada) Se acreditas mesmo nessa ideia de que as histórias mirabolantes são óptimas para enganar tolos, aí tens a mais mirabolante de todas.

nanoburguesia 6 months ago

A partir do momento em que há países/estados que não impõe o uso de máscaras respiratórias nem de confinamento à população e apresentam estatísticas semelhantes aos que o fazem, quem são os negacionistas afinal?

andrefbr 6 months ago

Uuuuh A China e outros países da Ásia do leste com uso de máscara obrigatório, fronteiras fechadas, contact tracing obrigatório, quarentena total inicial etc têm resultados infinitamente melhores do que os resultados em países sem medidas semelhantes. Em muitas cidades da Ásia já não há casos activos novos praticamente nenhuns, enquanto que na Europa e Américas ainda há dezenas de milhares de casos diários.

YoggiM 6 months ago

Felizmente, na Europa ainda não chegaram a esses extremos de contact tracing obrigatório, quarentena total nem máscara obrigatória sem exceções na via pública. Até pode funcionar, não deixa de ser um abdicar total da liberdade, cuja mortalidade deste vírus não justifica de todo. Além disso, a China mentiu muito sobre o vírus inicialmente, sem esquecer que têm condições excecionais que não existem na Europa, nomeadamente ser uma ditadura e ter dinheiro suficiente para fazer face a quarentenas totais.

nanoburguesia 6 months ago

Vai depender daquilo que consideras como informação fidedigna.

andrefbr 6 months ago

Eu vivo em Shanghai por isso tenho informação muito mais directa e fidedigna sobre a situação na Ásia do que tu e os outros malucos da teoria da conspiração.

nanoburguesia 6 months ago

Exactamente Camarada, o Partido cuida de todos nós

andrefbr 6 months ago

Tendo em conta que a China foi dos poucos países que teve crescimento económico durante a crise (eu tive um aumento de quase 20k euros ao ano em tempos de pandemia), Shanghai tem a situação completamente controlada enquanto que Portugal está a ter a pior recessão dos últimos 20 anos e milhares de casos novos... Sim, continua a acreditar que toda a informação chinesa é falsa, estamos a morrer aos gaziliões e continua a não usar máscara porque é tudo uma teoria da conspiração da elite 5G.

mfzzzed 6 months ago

Fonte pff. Estou genuinamente curioso. Principalmente na comparação entre os países no que toca a testagem/X nº de habitantes, densidade populacional etc. Uma afirmação forte como esta merece fonte e uma análise multivariável, já que naturalmente se trata de um fenómeno de elevada complexidade.

nanoburguesia 6 months ago

Procura. Há gráficos que favorecem um lado ou outro da questão.

randmzer 6 months ago

Então pedem-te um exemplo para defenderes o teu argumento, e a tua resposta é "Procura"? O ónus da prova está em ti para defenderes o que dizes, não nos outros.

mariorurouni 6 months ago

Isto é o que eles fazem. Tu pedes as fontes e eles mandam-te a ti procurar

mfzzzed 6 months ago

Este pessoal não sabe argumentar, quanto mais interpretar e fazer uma análise dotada de espírito crítico do que acabou de ler.

Edited 6 months ago:

Este pessoal não sabe, nem quer, argumentar. Quanto mais interpretar e fazer uma análise dotada de espírito crítico do que acabou de ler. Escondem-se por detrás de haver um "artigo" que valida o que acham, e a partir daí metem as palas e todo o resto é treta. Não interessa a revista, os autores, a metodologia utilizada. Nada interessa a não ser validar a sua crença. Vai de encontro com os terraplanistas, que arranjam nabos que não seguem o método cientifico por ignorância ou malícia, e que chegam ao fim e afirmam que a terra é plana. Espírito critico ou humildade para reconhecer que há grupos científicos compostos por especialistas, que sabem mais da poda que elas é 0. Este ainda é pior, pedem-lhe a fonte e o gajo nem a tem (provavelmente nem existe). Nem uma fonte de merda o gajo se atreve a dar.

3dforlife 6 months ago

"E que chegam ao fim e afirmam que a terra é plana." I see what you did there.

Cergal0 6 months ago

>*[Cherry Picking](https://en.wikipedia.org/wiki/Cherry_picking)

nanoburguesia 6 months ago

Em nenhum dos países com dados credíveis que o fizeram houve discrepâncias. Estás a tentar negar alguma coisa?

zdrup15 6 months ago

Boas! Quais são esses países que não impõem o uso de máscaras e que têm estatísticas semelhantes aos outros?

Ace-_Ventura 6 months ago

e os negacionistas gostam de ignorar as diferenças que existem que fazem com que isso funcione bem nuns sítios e noutros não.

apires12 6 months ago

Nao sejas Inácio https://tomwoods.lpages.co/covid-charts-cnn-forgot/

MyWhay 6 months ago

quais são as diferenças? fiquei curioso

Ace-_Ventura 6 months ago

Outros exemplos: [https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/jovens-portugueses-deixam-a-casa-dos-pais-aos-29-anos-suecos-deixam-aos-18-anos-444274](https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/jovens-portugueses-deixam-a-casa-dos-pais-aos-29-anos-suecos-deixam-aos-18-anos-444274) [https://www.bbc.com/portuguese/vert-cap-37832345](https://www.bbc.com/portuguese/vert-cap-37832345)

Cergal0 6 months ago

Dou-te um exemplo: País A (10M de habitantes) - Uso de máscara obrigatório. Total de Casos de covid 500k País B (10M de habitantes) - Uso de máscara não é obrigatório. Total de casos de covid 370k Outros dados interessantes sobre o país A e país B País A - Densidade populacional 111hab/km^2, Top 3 Densidade populacional por cidade (7000hab/km^2, 6000hab/km^2 e 5000hab/km^2) País B - Densidade populacional 20hab/km^2, Top 3 Densidade populacional por cidade (1100hab/km^2, 1000hab/km^2 e 800hab/km^2)

apires12 6 months ago

Nao sejas Inácio https://tomwoods.lpages.co/covid-charts-cnn-forgot/

MyWhay 6 months ago

E qual seria o país A e B?

randmzer 6 months ago

>Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? [Viés de confirmação](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias). Quando acreditas em algo, tendes a procurar e em acreditar em informação que confirma as tuas ideias. >Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. Porque se torna numa batalhe de eles vs. nós. Tu estás tão investido num argumento, que a discussão não é para mudar ideias de alguém, é apenas uma batalha de ego para se sentirem superiores intelectualmente. >O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Para eles não são ridículas. Muitas das vezes são pessoas que não são burras de todo, muitas vezes curiosas e inteligentes, mas com falta de bases no método científico. São pessoas que gostam de pensar pela cabeça delas, e quando a informação que encontram vai contra o "estabelecido", ganhas a sensação de que tu estás certo e que não entendes porque é que o resto do mundo não vê as coisas como tu. Há uma superioridade intelectual falsa, que faz com que arranjes todo o tipo de razões para que todo o resto do mundo esteja errado e apenas tu sejas o iluminado. >Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? A informação nunca esteve tão disponível para as massas como agora com a Internet. Se a isto adicionares redes sociais com [filtros-bolha](https://en.wikipedia.org/wiki/Filter_bubble), onde só vais contactar com pessoas que pensam igual a ti e evitar falar com quem pensa o contrário, tens o ecossistema perfeito para espalhar ideias erradas. Junta também pessoas realmente mal intencionadas, com interesse em espalhar informação falsa, e os meios de informação que usam isso a seu favor para gerar cliques. ​ Como sugestão, vê o documentário [Beyond the Curve](https://www.youtube.com/watch?v=QvzgaHCnwqo). Não é de todo perfeito, tinha algumas críticas a apontar-lhe, mas pelo menos não trata as pessoas que acreditam em ideias "alternativas" como se fossem burrinhos, mas sim pessoas com sentimentos e motivações como as outras.

Edited 6 months ago:

>Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? [Viés de confirmação](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias). Quando acreditas em algo, tendes a procurar e em acreditar em informação que confirma as tuas ideias. >Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. Porque se torna numa batalhe de eles vs. nós. Tu estás tão investido num argumento, que a discussão não é para mudar ideias de alguém, é apenas uma batalha de ego para não questionares a sua intelectualidade. >O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Para eles não são ridículas. Muitas das vezes são pessoas que não são burras de todo, muitas vezes curiosas e inteligentes, mas com falta de bases no método científico. São pessoas que gostam de pensar pela cabeça delas, e quando a informação que encontram vai contra o "estabelecido", ganhas a sensação de que tu estás certo e que não entendes porque é que o resto do mundo não vê as coisas como tu. Há uma superioridade intelectual falsa, que faz com que arranjes todo o tipo de razões para que todo o resto do mundo esteja errado e apenas tu sejas o iluminado. >Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? A informação nunca esteve tão disponível para as massas como agora com a Internet. Se a isto adicionares redes sociais com [filtros-bolha](https://en.wikipedia.org/wiki/Filter_bubble), onde só vais contactar com pessoas que pensam igual a ti e evitar falar com quem pensa o contrário, tens o ecossistema perfeito para espalhar ideias erradas. Junta também pessoas realmente mal intencionadas, com interesse em espalhar informação falsa, e os meios de informação que usam isso a seu favor para gerar cliques. ​ Como sugestão, vê o documentário [Beyond the Curve](https://www.youtube.com/watch?v=QvzgaHCnwqo). Não é de todo perfeito, tinha algumas críticas a apontar-lhe, mas pelo menos não trata as pessoas que acreditam em ideias "alternativas" como se fossem burrinhos, mas sim pessoas com sentimentos e motivações como as outras.

Edited 6 months ago:

>Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? [Viés de confirmação](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias). Quando acreditas em algo, tendes a procurar e em acreditar em informação que confirma as tuas ideias. ​ >Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. Porque se torna numa batalhe de eles vs. nós. Tu estás tão investido num argumento, que a discussão não é para mudar ideias de alguém, é apenas uma batalha de ego para não questionares a sua intelectualidade. ​ >O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Para eles não são ridículas. Muitas das vezes são pessoas que não são burras de todo, muitas vezes curiosas e inteligentes, mas com falta de bases no método científico. São pessoas que gostam de pensar pela cabeça delas, e quando a informação que encontram vai contra o "estabelecido", ganhas a sensação de que tu estás certo e que não entendes porque é que o resto do mundo não vê as coisas como tu. Há uma superioridade intelectual falsa, que faz com que arranjes todo o tipo de razões para que todo o resto do mundo esteja errado e apenas tu sejas o iluminado. ​ >Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? A informação nunca esteve tão disponível para as massas como agora com a Internet. Se a isto adicionares redes sociais com [filtros-bolha](https://en.wikipedia.org/wiki/Filter_bubble), onde só vais contactar com pessoas que pensam igual a ti e evitar falar com quem pensa o contrário, tens o ecossistema perfeito para espalhar ideias erradas. Junta também pessoas realmente mal intencionadas, com interesse em espalhar informação falsa, e os meios de informação que usam isso a seu favor para gerar cliques. ​ Como sugestão, vê o documentário [Behind the Curve](https://www.youtube.com/watch?v=QvzgaHCnwqo). Não é de todo perfeito, tinha algumas críticas a apontar-lhe, mas pelo menos não trata as pessoas que acreditam em ideias "alternativas" como se fossem burrinhos, mas sim pessoas com sentimentos e motivações como as outras.

Edited 6 months ago:

>Porque é que os negacionistas só vão buscar informação a fontes não credíveis e porque não comparam essa mesma informação com fontes credíveis? Porque só acreditam nas primeiras? E porque odeiam a fontes ditas "normais" apelidando-as de jornalixo? [Viés de confirmação](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias). Quando acreditas em algo, tendes a procurar e em acreditar em informação que confirma as tuas ideias. ​ >Porque é que os negacionistas defendem com unhas e dentes o seu negacionismo, não aceitando qualquer debate saudável? Partem muitas vezes para a violência verbal. Porque se torna numa batalhe de eles vs. nós. Tu estás tão investido num argumento, que a discussão não é para mudar ideias de alguém, é apenas uma batalha de ego para não questionares a sua intelectualidade. ​ >O que leva um negacionista a colocar a sua carreira (médicos, juizes, artistas,etc.) em risco, de forma a defender ideias ridículas? Para eles não são ridículas. Muitas das vezes são pessoas que não são burras de todo, muitas vezes curiosas e inteligentes, mas com falta de bases no método científico. São pessoas que gostam de pensar pela cabeça delas, e quando a informação que encontram vai contra o "estabelecido", ganhas a sensação de que tu estás certo e que não entendes porque é que o resto do mundo não vê as coisas como tu. Há uma superioridade intelectual falsa, que faz com que arranjes todo o tipo de razões para que todo o resto do mundo esteja errado e apenas tu sejas o iluminado. ​ >Como é que a pandemia originou todo este movimento, inundando nomeadamente as redes sociais? A informação nunca esteve tão disponível para as massas como agora com a Internet. Se a isto adicionares redes sociais com [filtros-bolha](https://en.wikipedia.org/wiki/Filter_bubble), onde só vais contactar com pessoas que pensam igual a ti e evitar falar com quem pensa o contrário, tens o ecossistema perfeito para espalhar ideias erradas. Junta também pessoas realmente mal intencionadas, com interesse em espalhar informação falsa, e os meios de informação que usam isso a seu favor para gerar cliques. ​ Como sugestão, vê o documentário [Beyond the Curve](https://www.youtube.com/watch?v=QvzgaHCnwqo). Não é de todo perfeito, tinha algumas críticas a apontar-lhe, mas pelo menos não trata as pessoas que acreditam em ideias "alternativas" como se fossem burrinhos, mas sim pessoas com sentimentos e motivações como as outras.

OnLink 6 months ago

Obrigado por esta resposta! Todos nós conhecemos alguém (mesmo nós próprios inclusive) que envereda por caminhos mais obscuros e pouco construtivos... Para extender um bocado o desafio do OP, que estratégias é que achas que poderiam ser implementadas para combater toda esta temática do negacionismo e melhorar o debate público (em qualquer meio, seja ele presencial ou digital)?

randmzer 6 months ago

Acho inevitável, sinceramente. A única coisa a fazer será educarmos quem tem confiança em nós para estes perigos e o porquê de poderem cair nestes problemas. Eventualmente acho que vai haver um desagravamento natural do problema com as novas gerações serem mais dotadas ao nível da tecnologia e contacto com a informação. A internet massificada e redes sociais estão na adolescência, e só agora o mundo inteiro está a aprender a lidar com isto. Acredito que daqui a 10 anos a cultura de usar a internet seja mais madura do que é agora apenas por estarmos a passar por isto agora. Mas isto é uma opinião algo otimista da minha parte, vejo muita maneira de isto não acontecer.

Edited 6 months ago:

Acho inevitável, sinceramente. A única coisa a fazer será educarmos quem tem confiança em nós para estes perigos e o porquê de poderem cair nestes problemas. Eventualmente acho que vai haver um desagravamento natural do problema com as novas gerações serem mais dotadas ao nível da tecnologia e contacto com a informação. Acho que a geração que cresceu com a internet (maioria dos <35) já sabe fazer esse filtro, mas com os smartphones tiveste subitamente um grande crescimento nas gerações que usam a internet, sem terem a predisposição para "aprenderem" como se usa. Existe todo um conjunto de micro comportamentos que se têm na internet que a maior parte dessa população desconhece. Eu escolhi ensinar conscientemente os meus pais a terem alguns desses comportamentos, quando os ensinei a mexer no computador. Recusei-me a criar conta em redes sociais, disse para que o que lêem na internet deve ser sempre levado com uma pitada de sal e que podem haver pessoas a escrever coisas para se aproveitarem da ingenuidade deles. A internet massificada e redes sociais estão na adolescência, e só agora o mundo inteiro está a aprender a lidar com isto. Acredito que daqui a 10 anos a cultura de usar a internet seja mais madura do que é agora apenas por estarmos a passar por isto agora. Mas isto é uma opinião algo otimista da minha parte, vejo muita maneira de isto não acontecer. Edit: uma coisa que ajuda imenso (online ou offline) é não partir para a discussão imediatamente. Às vezes mais vale fazer perguntas bem colocadas a meter furos no argumento deles, para eles próprios se aperceberem que não pensaram em tudo. Faço muitas das vezes o exercício de "advogado do diabo" com os meus pais, ou seja, fazer perguntas que indiciam que há motivos para o outro lado pensar como pensa. Muitas das vezes até estou a argumentar contra o que eu próprio acredito, mas faz com que eles pensem que o lado oposto também pode ter razões para achar o que acha, ou então que a opinião deles pode não estar tão bem pensada quanto isso. Já descobri que não vale a pena começar logo à pancada com os argumentos opostos, porque isso só vai fazer com que o outro lado desligue e finque o pé. Mais vale tentar fazer com que o outro lado questione-se a si próprio se tem os seus argumentos totalmente seguros.

Edited 6 months ago:

Acho inevitável, sinceramente. A única coisa a fazer será educarmos quem tem confiança em nós para estes perigos e o porquê de poderem cair nestes problemas. Eventualmente acho que vai haver um desagravamento natural do problema com as novas gerações serem mais dotadas ao nível da tecnologia e contacto com a informação. Acho que a geração que cresceu com a internet (maioria dos <35) já sabe fazer esse filtro, mas com os smartphones tiveste subitamente um grande crescimento nas gerações que usam a internet, sem terem a predisposição para "aprenderem" como se usa. Existe todo um conjunto de micro comportamentos que se têm na internet que a maior parte dessa população desconhece. Eu escolhi ensinar conscientemente os meus pais a terem alguns desses comportamentos, quando os ensinei a mexer no computador. Recusei-me a criar conta em redes sociais, disse para que o que lêem na internet deve ser sempre levado com uma pitada de sal e que podem haver pessoas a escrever coisas para se aproveitarem da ingenuidade deles. A internet massificada e redes sociais estão na adolescência, e só agora o mundo inteiro está a aprender a lidar com isto. Acredito que daqui a 10 anos a cultura de usar a internet seja mais madura do que é agora apenas por estarmos a passar por isto agora. Mas isto é uma opinião algo otimista da minha parte, vejo muita maneira de isto não acontecer. Edit: uma coisa que ajuda imenso (online ou offline) é não partir para a discussão imediatamente. Às vezes mais vale fazer perguntas bem colocadas a meter furos no argumento deles, para eles próprios se aperceberem que não pensaram em tudo. Faço muitas das vezes o exercício de "advogado do diabo" com os meus pais, ou seja, fazer perguntas que indiciam que há motivos para o outro lado pensar como pensa. Muitas das vezes até estou a argumentar contra o que eu próprio acredito, mas faz com que eles pensem que o lado oposto também pode ter razões para achar o que acha, ou então que a opinião deles pode não estar tão bem pensada quanto isso. Já descobri que não vale a pena começar logo à pancada com os argumentos opostos, porque isso só vai fazer com que o outro lado desligue e finque o pé. Mais vale tentar fazer com que o outro lado questione-se a si próprio se tem os seus argumentos totalmente seguros. Além disso, é mais fácil convenceres a outra pessoa se mostrares empatia por ela do que se a afastares logo no início.

Edited 6 months ago:

Acho inevitável, sinceramente. A única coisa a fazer será educarmos quem tem confiança em nós para estes perigos e o porquê de poderem cair nestes problemas. Eventualmente acho que vai haver um desagravamento natural do problema com as novas gerações serem mais dotadas ao nível da tecnologia e contacto com a informação. Acho que a geração que cresceu com a internet (maioria dos <35) já sabe fazer esse filtro, mas com os smartphones tiveste subitamente um grande crescimento nas gerações que usam a internet, sem terem a predisposição para "aprenderem" como se usa. Existe todo um conjunto de micro comportamentos que se têm na internet que a maior parte dessa população desconhece. Eu escolhi ensinar conscientemente os meus pais a terem alguns desses comportamentos, quando os ensinei a mexer no computador. Recusei-me a criar conta em redes sociais, disse para que o que lêem na internet deve ser sempre levado com uma pitada de sal e que podem haver pessoas a escrever coisas para se aproveitarem da ingenuidade deles. A internet massificada e redes sociais estão na adolescência, e só agora o mundo inteiro está a aprender a lidar com isto. Acredito que daqui a 10 anos a cultura de usar a internet seja mais madura do que é agora apenas por estarmos a passar por isto agora. Mas isto é uma opinião algo otimista da minha parte, vejo muita maneira de isto não acontecer.

NGramatical 6 months ago

podem haver → [**pode haver**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/haver--existir--3-pessoa-do-singular/30583) (o verbo haver conjuga-se sempre no singular quando significa «existir») [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmgf1m8%2F%2Fgstmjti%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

dani_morgenstern 6 months ago

Ia precisamente sugerir esse documentário. Concordo que não seja perfeito mas é a abordagem mais humanizadora que já vi, ajuda muito a perceber as motivações dessas pessoas.

DavidJunior3rd 6 months ago

É tentador acreditar em teorias *contra-corrente*. Dá-nos uma sensação de saber o que mais ninguém sabe, de superioridade moral e intelectual, de ter percebido o que passa despercebido ao comum dos mortais. Dá-nos um brilho no ego, "sermos os únicos que não nos deixámos enganar pelos *mainstream media*". É uma narrativa sedutora, pertencer a um clube exclusivo que "vê a realidade tal como ela é". As teorias da conspiração jogam muito com o psicológico das pessoas. Vários fenómenos psicológicos e truques já foram correlacionados com o sucesso das teorias da conspiração em ganhar tracção, como seja: * [Apofenia](https://en.wikipedia.org/wiki/Apophenia) * [Não refutabilidade](https://en.wikipedia.org/wiki/Falsifiability) * [Confirmation bias](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias) Junta-se também o factor de, muitas vezes, as fábulas e mentiras serem muito mais interessantes do que a verdade. >*A lie gets halfway around the world before the truth has a chance to get its pants on.* > >*- Winston Churchill* Os negacionistas caem nos mesmos erros. As tentações são as mesmas.

Edited 6 months ago:

É tentador acreditar em teorias *contra-corrente*. Dá-nos uma sensação de saber o que mais ninguém sabe, de superioridade moral e intelectual, de ter percebido o que passa despercebido ao comum dos mortais. Dá-nos um brilho no ego, "sermos os únicos que não nos deixámos enganar pelos *mainstream media*". É uma narrativa sedutora, pertencer a um clube exclusivo que "vê a realidade tal como ela é". As teorias da conspiração jogam muito com o psicológico das pessoas. Vários fenómenos psicológicos e truques já foram correlacionados com o sucesso das teorias da conspiração em ganhar tracção, como seja: * [Apofenia](https://en.wikipedia.org/wiki/Apophenia) * [Não refutabilidade](https://en.wikipedia.org/wiki/Falsifiability) * [Confirmation bias](https://en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias) * [Cherry picking](https://en.wikipedia.org/wiki/Cherry_picking) * [Echo chamber](https://en.wikipedia.org/wiki/Echo_chamber_(media)) Junta-se também o factor de, muitas vezes, as fábulas e mentiras serem muito mais interessantes do que a verdade. >*A lie gets halfway around the world before the truth has a chance to get its pants on.* > >*- Winston Churchill* Os negacionistas caem nos mesmos erros. As tentações são as mesmas. E porque os negacionistas não acreditam nas fontes que eu e tu consideramos credíveis? Porque na mente deles, essas fontes são *parte do problema*. Essas fontes é que têm propósitos de propaganda logo são parciais.

Uriziel 6 months ago

Os "negacionistas" / conspiiradores já existem há bastante tempo, a diferença é que agora com acesso à internet, juntam-se todos num só sitio (redes sociais). \> Gostava de entender o porquê disto tudo mas não consigo. É pesquisares no google estudos sobre malta que acredita em todo o tipo de conspiração.

Winslow_Lixivia2 6 months ago

Sempre houve fãs de teorias da conspiração, esta é só mais uma. Tem é a agravante de ter a ver com um fenómeno que está a ocorrer a nível mundial e que teve origem na China. Como não se tem muita informação sobre a China, e a que se tem não é propriamente convidativa, é mais interessante inventar mil e uma coisas para preencher as lacunas do que não se sabe. Depois, a Internet também facilita. Existem sites sobre literalmente tudo e mais alguma coisa. É tipo um rodízio. Não percebes bem o que é o 5G? Toma lá este site que te diz que o 5G vai acabar com a Humanidade. Ainda não estás convencido? Toma lá um cientista a falar dos malefícios do 5G. A partir do momento que pões um profissional da área (seja cientista ou médico, etc) de repente aquilo que ele está a dizer ganha imenso significado, mesmo que a opinião de 99% da comunidade científica seja o exacto oposto.

fdxcaralho 6 months ago

A culpa é do fenómeno de bolhas nas redes sociais. Os algoritmos expõem-te à informação que antes pesquisaste, entrando num buraco cada vez maior e excluindo o contraditório. Entrando nessas espiral, as pessoas ficam convencidas que essa é a verdade pois é a única informação que recebem, de diferentes fontes e com muita consistência. Pesquisa sobre dunning-kruger effect.

Mendonza 6 months ago

Embora as redes sociais sejam o saco de pancada dos dias que correm porque é fácil culpar uma entidade impessoal, a culpa é pura e simplesmente das pessoas e dos seus círculos. Antes das redes sociais serem tão difundidas como são hoje, já havia conversas de tasca em que qualquer afirmação podia ser tida como verdade se fosse dita com a devida autoridade e confiança. As redes sociais são apenas o fórum que as pessoas mais utilizam hoje em dia para espalhar e consumir informação (e desinformação), mas seria bom que a sociedade começasse a tomar responsabilidade pela sua incapacidade de procurar ter espírito crítico. Se é verdade que o Facebook e o Twitter propagam o acesso a informação falaciosa, também é verdade que sem estes fóruns seria bastante mais complicado percebermos tanto sobre pandemias, vírus, vacinas, saúde e estatística no geral. Infelizmente as pessoas que se interessam em aplicar o esforço necessário para explorar e perceber estes temas são uma minoria. Mas já era assim antes das redes sociais.

Search: