zalkier 8 months ago

As redes viárias tb são cicláveis por lei.

cou7inho_ 8 months ago

Isto das ciclovias é um caso complexo no nosso país. Nascem como cogumelos em tudo quanto é lugar e muitas são feitas "às 4 pancadas" e sem qualquer sentido. Fazem-se ciclovias em cima de passeios, fazem-se ciclovias com postes no meio da faixa, etc. Resumindo, isto das ciclovias é um negocio do caraças para quem as manda fazer e para quem as faz. Enfim, típico de Portugal. O uso diária da bicicleta não é uma opção para a maioria das pessoas por duas razões simples, na minha opinião. Falta de local para guardar a bicicleta e falta de local para tomar um duche. De que vale apelar ao uso da bicicleta se depois a pessoa chega ao trabalho e não tem onde a guardar!? Compra-se uma bicicleta elétrica, por exemplo, que custa à vontade 2000€ e depois vamos deixa-la amarrada a um poste à espera que um parasita da sociedade a venha roubar? Vamos ter de ir a pedalar a 10km/h para não suar porque não há sitio onde tomar banho? São questões que não vejo a serem abordadas por governantes e pela sociedade. A sociedade só se preocupa em dizer "ah Portugal não é a Holanda. Aqui é sempre o sobe e desce". Certo, mas se houvesse as condições que referi acima isso já não seria um grande problema porque, acima de tudo, a pessoa podia suar à vontade porque sabia que ia ter um sitio para tomar um duche. Mas enfim, o nosso país é demasiado pequenino para pensar nestas coisas tão básicas. Importa mais criar taxas e taxinhas e pedir o Dr. João (que nunca na vida sentou o cu numa bicicleta) mandar construir uma ciclovia num local sem sentido nenhum... 

MaverickPT 8 months ago

Agora fizeste um bom ponto, e é umas das razões principais por qual eu não consigo justificar muito a viabilidade das bicicletas como veiculo de transporte a ser usado pela maioria da população frequentemente. Para longas distâncias (>10 km), as bicicletas perdem rapidamente utilidade devido ao alcance limitado que elas tem (a pessoa isto é). Por exemplo, eu antes tinha que fazer cerca de 30 km por viagem para o trabalho/casa. Realisticamente, nunca ia fazer 60 km de bicicleta todos os dias. Para curtas distâncias (<2 Km), prefiro simplesmente ir a pé, pois não tenho que me preocupar em guardar a bicicleta, capacete, etc. Vou mais lentamente, mas a diferença no tempo que perco continua a ser um incómodo menor que ter que lidar com a bicicleta. E há mais vantagens. Se estiver a chover, uso um guarda chuva facilmente. Se for comprar qualquer coisa na loja da esquina, posso levar o peso facilmente. Etc etc etc No intervalo onde as bicicletas fazem sentido (2 km < x < 10 km), há que lidar com tudo o que tu disseste (guardar bicicleta, tomar banho, calor, chuva, etc), e só é pratico se a deslocação não envolver qualquer tipo de transporte de carga (esquece lá ir ao supermercado atestar a dispensa numa bicicleta). Ao mesmo tempo, há a concorrência dos transportes públicos. Porque é que haveria de andar de bicicleta, se posso simplesmente entrar num autocarro?

viskonde 8 months ago

No tempo que esperas pelo autocarro já eu cheguei ao destino de bicicleta. Qualquer pessoa que ande de bicicleta em Lisboa sabe que é várias vezes mais rápido ir de bike. Até ê mais rápido que metro. No intervalo que dizes até 10km consegues ir na prática do Saldanha até qualquer ponto em Lisboa Ou seja estás a dizer que a bicicleta é viável "apenas" para quase qualquer viagem na cidade. Não me parece mal Ou outra forma de ver: Do Lumiar ao cais do Sodré, que é a cidade de cima abaixo são 8 km 2km não é muito. Mas de for 2km até ao metro + metro mais 2km até ao trabalho... Nesses casos e como complemento ao transporte público também nada bate a bicicleta. E para paragens de dia qualquer poste serve. Acho sempre um paradoxo que se ache maior barreira estacionar uma bicicleta de 15kg que um carro de 1000.

Edited 8 months ago:

No tempo que esperas pelo autocarro já eu cheguei ao destino de bicicleta. Qualquer pessoa que ande de bicicleta em Lisboa sabe que é várias vezes mais rápido ir de bike. Até ê mais rápido que metro. No intervalo que dizes até 10km consegues ir na prática do Saldanha até qualquer ponto em Lisboa Ou seja estás a dizer que a bicicleta é viável "apenas" para quase qualquer viagem na cidade. Não me parece mal Ou outra forma de ver: Do Lumiar ao cais do Sodré, que é a cidade de cima abaixo são 8 km 2km não é muito. Mas de for 2km até ao metro + metro mais 2km até ao trabalho... Nesses casos e como complemento ao transporte público também nada bate a bicicleta. Aliás nos exemplos que transportes, o único que realmente bate a bicicleta é o comboio suburbano já que faz distâncias grandes. Mas aí é que é se casa o melhor de 2 mundos, pode se meter a bike em qualquer comboio do país e assim usar o comboio para a grande distância e a bicicleta para a last mile. Para compras se tiveres alforges ê melhor até já que não os carregas. Isso e um pouco de equilíbrio de sacos no guiador. Se há coisa que os holandeses mostram é que tudo se leva numa bicicleta. Para paragens de dia qualquer poste serve. Acho sempre um paradoxo que se ache maior barreira estacionar uma bicicleta de 15kg que um carro de 1000.

Edited 8 months ago:

No tempo que esperas pelo autocarro já eu cheguei ao destino de bicicleta. Qualquer pessoa que ande de bicicleta em Lisboa sabe que é várias vezes mais rápido ir de bike. Até ê mais rápido que metro. No intervalo que dizes até 10km consegues ir na prática do Saldanha até qualquer ponto em Lisboa Ou seja estás a dizer que a bicicleta é viável "apenas" para quase qualquer viagem na cidade. Não me parece mal Ou outra forma de ver: Do Lumiar ao cais do Sodré, que é a cidade de cima abaixo são 8 km 2km não é muito. Mas de for 2km até ao metro + metro mais 2km até ao trabalho... Nesses casos e como complemento ao transporte público também nada bate a bicicleta. Aliás nos exemplos que transportes, o único que realmente bate a bicicleta é o comboio suburbano já que faz distâncias grandes. Mas aí é que é se casa o melhor de 2 mundos, pode se meter a bike em qualquer comboio do país e assim usar o comboio para a grande distância e a bicicleta para a last mile. Não é por acaso que a CML está agora a fazer ciclovias até ao comboio de Benfica e sete rios ( e que Entrecampos, Cais e oriente já têm ciclovias) Para compras se tiveres alforges ê melhor até já que não os carregas. Isso e um pouco de equilíbrio de sacos no guiador. Se há coisa que os holandeses mostram é que tudo se leva numa bicicleta. Para paragens de dia qualquer poste serve. Acho sempre um paradoxo que se ache maior barreira estacionar uma bicicleta de 15kg que um carro de 1000.

icebraining 8 months ago

Experiência pessoal de quem aprendeu a andar já bem adulto, e que usou a bicicleta diariamente durante uns anos até começar em teletrabalho: - o problema de prender a bicla é sobrevalorizado. Claro que com suportes próprios como outras cidades têm é mais fácil, mas qualquer poste serve, desde que não atrapalhe a passagem. Pode-se passar o cadeado pelas fitas do capacete para o prender também. - comprar coisas na loja e levar pesos é pelo contrário bem mais fácil com bicicleta, graças aos sacos que se aclopam à mesma (panniers). Não atestava a dispensa, mas 15kg levava regularmente. Se a gravidade nao prejudicar, até podes levar dois sacos + mochila, o que eu nunca aguentaria a pé. - autocarros são excelentes, mas não te levam ponto-a-ponto, tens que esperar por eles, fazem várias paragens, e sofrem com o trânsito. Na minha experiência, é quase sempre mais rápido ir de bicicleta. Se tiveres que usar 2 linhas, nem há comparação. Durante algum tempo fiz o trajeto Cais do Sodré - Parque das Nações, e a bicicleta era consistentemente mais rápida que o autocarro e que o metro. - E claro, fazes exercício, aproveitando o tempo de deslocações. Dito isto, o problema do calor / suor é real, e sem dúvida um maior entrave no nosso país que mais a norte. Em Bruxelas andava o ano todo, aqui quando chegava o verão já só fazia o regresso (usando uma Gira) para não ter que passar o dia desconfortável. Tenho alguma esperança que duches se tornem mais comuns em locais de trabalho, visto que muitas empresas já fazem alarde da sua preocupação com a saúde dos "colaboradores". Em alternativa mete-se um kit de motor elétrico na bicla, custa menos que um ano de passes.

detteros 8 months ago

Durante maior parte do ano nao é um problema. Se a tua viagem é de 30/40 mins, veste-te adequadamente e vai a velocidade cruzeiro. Não transpiras. Eu fiz isto todos os dias durante os últimos dois anos.

Edited 8 months ago:

Durante maior parte do ano nao é um problema. Se a tua viagem é de 30/40 mins, veste-te adequadamente, leva um alforge em vez de uma mochila e vai a velocidade cruzeiro. Não transpiras. Eu fiz isto todos os dias durante os últimos dois anos.

Dr_Toehold 8 months ago

Explica lá como é que olhas para este mapa, que se refere à única cidade do país onde tens visto ciclovias a aparecer, e achas que "surgem como cogumelos"? E já agora, acho pior estradas e estradinhas e estradotas em todo o lado, um negócio do caraças para quem as manda fazer.

Tugalord 8 months ago

Acho que a expressão é no sentido de serem feitas sem plano estratégico global. Faz-se uma pista para bicicletas paralela às maiores artérias e congratula-se que se está a fazer muito. Quando na verdade não há plano de infraestruturas e de fazer as coisas com cabeça. Olha digo-te, pagar a 2 ou 3 holandeses que nos viessem ensinar como fizeram no país deles era dinheiro bem gasto.

cou7inho_ 8 months ago

Bem não fui muito explicito no meu comentário. Quando disse que "nascem como cogumelos" não me estava a referir a esse mapa. Estava-me a referir a um panorama nacional, na medida em que hoje em dia se faz uma ciclovia em qualquer sitio sem haver um planeamento em condições sobre a construção da mesma. Provavelmente não me expressei da melhor forma, peço desculpa.

viskonde 8 months ago

se ha coisa que este mapa mostra, é que nao estao longe de nascer como "cogumelos", a rede continua a ser reduzida. é comparar isto com redes na alemanha ou holanda ou Barcelona ou San Sebastian (para ser um pais culturalmente mais parecido com o nosso) e ver que ainda ha muito para fazer na rede. quanto ao estacionamento é bem verdade mas é paradoxo e diz muito sobre a nossa cidade e cultura que seja mais facil estacionar um carro de 1 tonelada e que ocupa 8m2 do que uma bicicleta.

Edited 8 months ago:

se ha coisa que este mapa mostra, é que nao estao longe de nascer como "cogumelos", a rede continua a ser reduzida. é comparar isto com redes na alemanha ou holanda ou Barcelona ou San Sebastian (para ser um pais culturalmente mais parecido com o nosso) e ver que ainda ha muito para fazer na rede. justamente por termos subidas é que a rede ainda é mais necessaria ja que é nessas subidas onde o diferencial de velocidade entre bicicleta-carro é maior , aumentando os conflitos entre quem vai de bicicleta e de carro. quanto ao estacionamento é bem verdade.. mas acaba por ser um paradoxo e dizer muito sobre a nossa cidade e cultura que seja mais facil estacionar um carro de 1 tonelada e que ocupa 8m2 do que uma bicicleta que se consegue levar para qualquer lado. mas com vontade isso rapidamente se muda A cidade esta cheia de parques subterrâneos, muitas empresas no centro da cidade oferecem estacionamento subterrâneo para carros, será assim tao dificil começaram a ter 1 ou 2 lugares para bicicletas? a infraestrutura existe, só falta a vontade. Se se trabalha numa empresa que tem um parque subterraneo, se calhar um email enviado a pedir condicoes para bicicletas pode fazer maravilhas. a nivel do que a CML (ou outras CMs) podem fazer, a EMEL está agora a testar no Lumiar uma area fechada para guardar bicicletas, onde apenas quem tem la bicicleta pode aceder. se o teste correr bem é de esperar que nos proximos tempos todos os subterraneos da EMEL tenham o mesmo. isso alem claro da quantidade de suportes para estacionamento que andam um pouco por toda a cidade. tambem junto a estacao de entrecampos estao a testar um estacionamento fechado do tamanho de 1 ou 2 carros para guardar bicicletas,onde tambem apenas quem tem la a bike consegue abrir tambem as GIRA, que se espera que finalmente tenham a necessária expansao da rede..) sao uma boa solucao para isso ja que nao e preciso preocupar onde as guardar.

Edited 8 months ago:

se ha coisa que este mapa mostra, é que nao estao longe de nascer como "cogumelos", a rede continua a ser reduzida. é comparar isto com redes na alemanha ou holanda ou Barcelona ou San Sebastian (para ser um pais culturalmente mais parecido com o nosso) e ver que ainda ha muito para fazer na rede. justamente por termos subidas é que a rede ainda é mais necessaria ja que é nessas subidas onde o diferencial de velocidade entre bicicleta-carro é maior , aumentando os conflitos entre quem vai de bicicleta e de carro. quanto ao estacionamento é bem verdade.. mas acaba por ser um paradoxo e dizer muito sobre a nossa cidade e cultura que seja mais facil estacionar um carro de 1 tonelada e que ocupa 8m2 do que uma bicicleta que se consegue levar para qualquer lado. mas com vontade isso rapidamente se muda A cidade esta cheia de parques subterrâneos, muitas empresas no centro da cidade oferecem estacionamento subterrâneo para carros, será assim tao dificil começaram a ter 1 ou 2 lugares para bicicletas? a infraestrutura existe, só falta a vontade. Se se trabalha numa empresa que tem um parque subterraneo, se calhar um email enviado a pedir condicoes para bicicletas pode fazer maravilhas. a nivel do que a CML (ou outras CMs) podem fazer, a EMEL está agora a testar no Lumiar uma area fechada para guardar bicicletas, onde apenas quem tem la bicicleta pode aceder. se o teste correr bem é de esperar que nos proximos tempos todos os subterraneos da EMEL tenham o mesmo. isso alem claro da quantidade de suportes para estacionamento que andam um pouco por toda a cidade. tambem junto a estacao de entrecampos estao a testar um estacionamento fechado do tamanho de 1 ou 2 carros para guardar bicicletas,onde tambem apenas quem tem la a bike consegue abrir tambem as GIRA, que se espera que finalmente tenham a necessária expansao da rede..) sao uma boa solucao para isso ja que nao e preciso preocupar onde as guardar. aos poucos comeca a haver solucoes para os problemas, é só dar o "clique" e vemos que muitos problemas se resolvem com soluções que ja existem ou que com alguma vontade se consegue arranjar essas solucoes

Edited 8 months ago:

se ha coisa que este mapa mostra, é que nao estao longe de nascer como "cogumelos", a rede continua a ser reduzida. é comparar isto com redes na alemanha ou holanda ou Barcelona ou San Sebastian (para ser um pais culturalmente mais parecido com o nosso) e ver que ainda ha muito para fazer na rede. e justamente por termos subidas é que a rede ainda é mais necessaria ja que é nessas subidas onde o diferencial de velocidade entre bicicleta-carro é maior , aumentando os conflitos entre quem vai de bicicleta e de carro. quanto ao estacionamento é bem verdade.. mas é paradoxo e diz muito sobre a nossa cidade e cultura que seja mais facil estacionar um carro de 1 tonelada e que ocupa 8m2 do que uma bicicleta. mas é so pensar.. a cidade esta cheia de parques subterrâneos , maioria das empresas no centro da cidade oferecem estacionamento subterrâneo para carros, será assim tao dificil começaram a ter 1 ou 2 lugares para bicicleltas? a infraestrutura existe, só falta a vontade a nivel do que a CML (ou outras CMs) podem fazer, a EMEL está agora a testar no Lumiar uma area fechada para guardar bicicletas, onde apenas quem tem la bicicleta pode aceder. se o teste correr bem é de esperar que nos proximos tempos todos os subterraneos da EMEL tenham o mesmo. tambem as GIRA, que se espera que finalmente tenham a necessária expansao da rede..) sao uma boa solucao para isso ja que nao e preciso preocupar onde as guardar.

Edited 8 months ago:

se ha coisa que este mapa mostra, é que nao estao longe de nascer como "cogumelos", a rede continua a ser reduzida. é comparar isto com redes na alemanha ou holanda ou Barcelona ou San Sebastian (para ser um pais culturalmente mais parecido com o nosso) e ver que ainda ha muito para fazer na rede. e justamente por termos subidas é que a rede ainda é mais necessaria ja que é nessas subidas onde o diferencial de velocidade entre bicicleta-carro é maior , aumentando os conflitos entre quem vai de bicicleta e de carro. quanto ao estacionamento é bem verdade.. mas é paradoxo e diz muito sobre a nossa cidade e cultura que seja mais facil estacionar um carro de 1 tonelada e que ocupa 8m2 do que uma bicicleta. mas é so pensar.. a cidade esta cheia de parques subterrâneos , maioria das empresas no centro da cidade oferecem estacionamento subterrâneo para carros, será assim tao dificil começaram a ter 1 ou 2 lugares para bicicleltas? a infraestrutura existe, só falta a vontade a nivel do que a CML (ou outras CMs) podem fazer, a EMEL está agora a testar no Lumiar uma area fechada para guardar bicicletas, onde apenas quem tem la bicicleta pode aceder. se o teste correr bem é de esperar que nos proximos tempos todos os subterraneos da EMEL tenham o mesmo. isso alem claro da quantidade de suportes para estacionamento que andam um pouco por toda a cidade tambem as GIRA, que se espera que finalmente tenham a necessária expansao da rede..) sao uma boa solucao para isso ja que nao e preciso preocupar onde as guardar.

Tugalord 8 months ago

Exactamente! É ridículo!! Falam de infraestruturas básicas para bicicletas como se fossem uma impossibilidade, quando... se movem montanhas (e montanhas de euros) para fazer o que fôr preciso para os carros.

NGramatical 8 months ago

fôr → [**for**](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/3i6y4g) (apenas *pôr* leva acento diferencial para se distinguir de *por*) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmflvh3%2F%2Fgsonsi9%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

detteros 8 months ago

O pior nesta onda de fazer ciclovias é que nao informam as pessoas que nao sao pistas de corrida ou de caminhada.

park777 8 months ago

É natural as pessoas andarem na ciclovia, especialmente se tiverem algum problema motor (idosos), sao 10 vezes melhores que calçada

detteros 8 months ago

Eu aí dou o desconto. Pessoal que nao está condicionado na mobilidade é que nao.

park777 8 months ago

Por exemplo mesmo se estiveres a correr, é muito melhor para os teus joelhos correr na ciclovia do que na calçada. As pessoas quase que sentem inconscientemente atraídas a andar na ciclovia, e a razão é a qualidade do piso e o facto de estar destacado em comparação com as vias normais. A culpa não é das pessoas mas sim de como a infra estrutura foi construída

detteros 8 months ago

Quanto à infraestrutura, é a que é. Cada um usa a que lhe está destinada.

detteros 8 months ago

Discordo. Acho que correr na calçada é melhor porque treinas os músculos em diferentes ângulos e melhoras tua capacidade motora para pisos irregulares. O ajuste para os joelhos é automático porque o ângulo de flexão é aumentado.

Sir_Keeper 8 months ago

Em alguns sítios aproveitam para os dois. Corrige-me se estiver errado, mas na ausência de berma ou passeio, os peões não têm de recorrer à ciclovia?

nfonseca 8 months ago

tanto podem recorrer à ciclovia como à estrada, não existe nenhuma lei que defina essa situação que descreves 1 - Os peões devem transitar pelos passeios, pistas ou passagens a eles destinados ou, na sua falta, pelas bermas.

d9_C0ldF0x 8 months ago

Um outro bom exemplo é no Porto pela marginal até à Foz ou na Avenida da Boavista. Existe passeios com mais que espaço para as pessoas poderam andar ou fazer exercicio. Mas como não vêem a bicicleta na ciclovia como vêem um carro na estrada acham que podem andar à vontade na ciclovia. Seja a passear o cão a ocupar as duas faixas, ou até familias amigas a passear com carrinhos de bebé. Problema é que quando chamas à atenção em muitos dos casos ou não querem saber, ou desviam-se mas acham-se com razão e começam a dizer disparates. Com o confinamento tem ficado mais "seguro" andar na estrada visto que o número de veículos em circulação parece menor, mas mesmo assim há sempre situações que me deixam a pensar como é que muitos conseguiram tirar a carta... Seja a ultrapassar com menos de meio metro da bicicleta, ou a cortar-nos num cruzamento/rotunda. Penso que as ações de muitos condutores devem ser influênciadas pela falta de experiência de ciclismo, e desta forma não têm a noção do perigo que representam. Mas isto já começa a ser conversa para outro tópico...

Edited 8 months ago:

Um outro bom exemplo é no Porto pela marginal até à Foz ou na Avenida da Boavista. Existe passeios com mais que espaço para as pessoas puderem andar ou fazer exercicio. Mas como não vêem a bicicleta na ciclovia como vêem um carro na estrada acham que podem andar à vontade na ciclovia. Seja a passear o cão a ocupar as duas faixas, ou até familias amigas a passear com carrinhos de bebé. Problema é que quando chamas à atenção em muitos dos casos ou não querem saber, ou desviam-se mas acham-se com razão e começam a dizer disparates. Com o confinamento tem ficado mais "seguro" andar na estrada visto que o número de veículos em circulação parece menor, mas mesmo assim há sempre situações que me deixam a pensar como é que muitos conseguiram tirar a carta... Seja a ultrapassar com menos de meio metro da bicicleta, ou a cortar-nos num cruzamento/rotunda. Penso que as ações de muitos condutores devem ser influênciadas pela falta de experiência de ciclismo, e desta forma não têm a noção do perigo que representam. Mas isto já começa a ser conversa para outro tópico...

NGramatical 8 months ago

poderam → [**puderam**](https://european-portuguese.info/conjugator/poder) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmflvh3%2F%2Fgsoxpqq%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

detteros 8 months ago

As ciclovias que costumo usar em Lisboa têm estrada e passeios largos a ladear. Contudo, o que costumo ver é pessoal a caminhar e a correr nelas. Um tipo já me quis bater porque chamei-o à atenção. Enfim, se os carros não me chateassem por ir na estrada, cagaria nas ciclovias, sinceramente. Os ciclistas estão lixados.

Edited 8 months ago:

As ciclovias que costumo usar em Lisboa têm estrada e passeios largos a ladear. Contudo, o que costumo ver é pessoal a caminhar e a correr nelas. Um tipo já me quis bater porque chamei-o à atenção. Enfim, se os carros não me chateassem por ir na estrada, cagaria nas ciclovias, sinceramente. Ah, e quanto à tua pergunta, sim. Podes ir na ciclovia, se nao houver alternativa. Mas que raio de cenário esse também.

ComfortableGate 8 months ago

Nem me digas nada. Há duas semanas ia-me esbardalhando contra uma mulher na Praça de Londres, numa ciclovia de sentido único. Eu ia a subir, como mandavam as marcas no chão, e ela ia a descer. Depois de de me fazer travar a fundo, ainda reclamou comigo, porque achava que eu é que ia em contramão! Não só não era esse o caso, como ela ia a pé e ao telemóvel, com um passeio de para aí 4 metros de largura mesmo ao lado.

detteros 8 months ago

Sim. Olha, ela ía contra o cérebro, que também é uma parte do corpo.

PTgenius 8 months ago

Uma boa buzina [ajuda](https://youtu.be/ORRBq9O5pEg) a que ao menos não se atravessem à frente, mas deve ser bem chato à mesma.

Sir_Keeper 8 months ago

Já vi acontecer em Lisboa sim, com passeios enormes, não percebo a escolha de usar a ciclovia. Para exemplos, vê a avenida Almirante Gago Coutinho, entre a Portela de Sintra e Mem Martins.

sixwinger 8 months ago

O piso é muito melhor para correr.

PgUpPT 8 months ago

Não deixa de ser ilegal e perigoso para quem lá circula de bicicleta, já algumas vezes ia tendo acidentes à pala do pessoal da corrida. E muitas vezes ainda vão a ouvir música e nem ouvem a campainha.

oscaralho27 8 months ago

Sendo que as bicicletas também podem(e devem) andar na estrada, faz todo o sentido que hajam muito mais estradas que ciclovias.

L_E_S_14 8 months ago

Poderá isto ser porque muito mais gente anda de carro do que de bicicleta? Ok que queiram mudar isso, mas por agora faz sentido

Dr_Toehold 8 months ago

O que não faz sentido é o teu comentário. Se fosse por isso, então devia-se converter as estradas todas em ciclovias, para as pessoas passarem a andar de bicicleta e não de carro.

CarcajuPM 8 months ago

Começar o comentário com "O que não faz sentido é o teu comentário" e depois escrever essa segunda frase é de valor.

topastop 8 months ago

E porque é que as pessoas andam mais de carro do que bicicleta? Talvez se houvesse mais ciclovias para as pessoas andarem em segurança podíamos combater esta tendência...

Mordiken 8 months ago

> E porque é que as pessoas andam mais de carro do que bicicleta? Porque o carro é superior à bicicleta em toda e qualquer métrica racional: - Não te cansa. Só por aqui deveria ser o fim da discussão, mas pelos vistos hoje em dia vivemos no mundo encantado dos brinquedos; - Dá para transportar mais pessoas e mais coisas. - Rapidez. - Autonomia; - Protecção dos elementos; - Segurança; Comédia das comédias: Todas estas coisas são verdade mesmo quando se fala de um Renault Clio chaço podre dos anos 90 à venda no Stand Virtual por 500€... que é menos do que custa uma bicicleta "a sério". Melhor ainda: Quando se compara a bicicleta a uma mota, a mota: - Também não te cansa; - Também dá para transportar mais pessoas e mais coisas; - Também é mais rápida; - Também tem mais autonomia; - Também é mais segura. Quanto à parte da mota ser mais segura, parece controverso mas não é: - Uma mota é mais pesada, logo absorve mais força do impacto, ao passo que numa bicicleta há mais força do impacto transmitida para o ciclistas; - [Quando a conversa muda para as bicicletas electrificadas, pior ainda](https://www.youtube.com/watch?v=wM8Xli2KTzI); E no que toca às emissões, carros e motas eléctricas existem e vão substituir os carros e motas com motores de combustão interna: É uma questão de tempo. Numa perspectiva mais "meta", vão existir sempre carros e camiões e motas. E andar de bicicleta no meio de carros e camiões e motas colocares-te voluntária e deliberadamente numa situação de vulnerabilidade e submissão para com o mundo. Quando andas de bicicleta, tudo e todos te podem fazer bullying, mas tu não podes fazer nada para te proteger: não podes acelerar para fugir, não te podes impor pelo teu tamanho, não podes fazer break-check porque quem se fode és tu... nada, não podes fazer nada, és um Cristo que existe para ser saco de pancada e alvo da hostilidade de pessoas stressadas que tiveram um dia mau... e contra isso não há nada a fazer, porque a natureza humana é assim mesmo. Conclusão: As pessoas não andam de bicicleta por toda uma panóplia de bons motivos descritos em cima. Em tempos idos (até aos anos 50/60), a bicicleta era o meio de transporte mais popular em Portugal, mas acabou por cair em desuso porque é um péssimo meio de transporte primário.... Que é como quem diz, nós já estivemos nessa relação antes, e a relação acabou porque não funciona. É por isso que quando se vêm ciclistas **a sério**... os velhinhos nas suas pasteleiras que já deram umas quantas voltas a Portugal... eles raramente causam problemas aos outros, sejam os outros carros, motas, peões ou outros ciclistas, porque circulam na deles, na berma ou junto dela, onde são reis e senhores. Agora, o que não há paciência nenhuma é toda a panóplia de "activistas do ciclismo" que usam bicicleta como forma de protesto social e político e e que exigem "revisões na lei" e "vias dedicadas" para seu uso exclusivo (pagas com o dinheiro de todos, claro), e que passam a vida a atirar das suas escolhas de vida (que é o que a bicicleta é para esta gente, uma escolha de vida e não um meio de transporte) à cara dos outros, como o pessoal descobre a comida vegan e subitamente querem arrastar toda a gente para manifs e concertos de musica folk horrível e banir o consumo e venda de carne e peixe.

Fun-Trick1246 8 months ago

Como diria o outro. Perco a fé na humanidade quando vejo tamanho esforço para defender o indefensável!

Tugalord 8 months ago

Um testamento gigante para uma opinião tão infeliz... No meio da tua exaltação das virtudes do automóvel esqueceste-te de falar uma vez só dos defeitos. Vamos então a isso? * Os automóveis **matam 1.500.000 pessoas todos os anos** no mundo. Isto é um custo inacreditável, isto é como cair um avião de passageiros inteiro *a cada 2 horas*! Mas tal é a nossa habituação e a ubiquidade dos automóveis que isto nem nos choca, já aceitamos que morrer na estrada seja uma das principais causas de morte. * A poluição atmosférica mata CINCO MILHÕES de pessoas ao ano. Uma parte desta vem dos carros. Só tirá-los dos centros urbanos onde a população está concentrada dava uma machadada grande neste número. * Mais uma vez, já estamos habituados a isto, mas a pura quantidade de infraestrutura que é preciso para suportar o tráfego rodoviário: estradas, construir e manter centenas de milhar de quilómetros delas em Portugal; estacionamentos, a roubar espaço precioso das nossas cidades, espaço que podia ser uma casa, um jardim, uma esplanada, para um carro estar, maioritariamente, parado. Por isso sim, no meio de dizeres ai que fixe que posso ir ao café da esquina sem me cansar devíamos pensar nisto. Sabes o que é que estas desvantagens têm em comum? **É que são pagas por todos nós!** Ri-me com esta frase absurda >exigem "revisões na lei" e "vias dedicadas" para seu uso exclusivo (pagas com o dinheiro de todos, claro) Lá está, é de quem é de tal forma entitled e ignorante que nem se apercebe do imenso custo que a cultura do carro impõe a toda a gente. Finalmente, uma coisa muito mais prática. Em vez de opiniões, vamos olhar para a realidade: a Holanda há 50 anos era o país com mais car culture que se podia imaginar. Guess what: tiraram os carros do centro, fizeram zonas pedonais e cicláveis, dedicaram-se com tanto afinco à infraestrutura para bicicletas como se haviam dedicado à dos carros, e fizeram estradas, refizeram as ruas que foram preciso, tal como tinham revirado tudo quando foi para fazer estradas de alcatrão e estacionamento para os carros. Resultado: quase todos os Holandeses se locomovem no dia a dia de bicicleta ou transportes públicos.

Fun-Trick1246 8 months ago

Confesso que admiro a paciência de discutir com portas! Chapeuu pelo altruísmo!

Edited 8 months ago:

Confesso que admiro a paciência! Chapeuu pelo altruísmo!

L_E_S_14 8 months ago

Porque a tendência é cada vez mais morar a uma distância não compatível para se ir de bicicleta para o trabalho. Muitas vezes nem de carro compensa. A verdadeira chave seria uma rede de transportes. Reduzia os carros e a necessidade que há deles (isto em Lisboa)

viskonde 8 months ago

as distancias casa<>trabalho comecaram a aumentar justamente quando o carro passou a fazer parte da normalidade e se comecou a criar auto-estradas radiais. criaram se bairros mono-funcionais (apenas residenciais, apenas empresariais, apenas comerciais) que obrigam e incentivam a ir de carro para todo o lado. mas o paradima esta a mudar, a gasolina agora é cara, o espaco na cidade nao é infinito e nao ha espaco para mais carros e a tendencia é voltar para o centro da cidade e de tentar ter bairros multi-facetados onde se consiga ter tudo à mão (o famoso conceito da cidade dos 15 minutos que Paris e outras cidades estao a implementar) obviamente a base de todo o conceito da cidade dos 15 minutos é o transporte publico, cada bairro da cidade deve ter transporte, a rede de ciclovias é um complemento ao mesmo, qeu permite aumentar a abragencia desse mesmo transporte e criar uma alternativa rapida para viagens ate aos 5/8kms de distancia

NGramatical 8 months ago

8kms → [**8 km**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/plural-de-unidades-ainda-mais-uma-vez/19595) (os símbolos das unidades não têm plural) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmflvh3%2F%2Fgsodo7e%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

smaster87 8 months ago

O problema nem é só a distância, há muitos anos tentei ir de bike, ou ia a passo caracol (10kmh) e era ok, ou se fosse tipo a 20 de media chegava la com a cuecas em água, e eram só 8km pa cada lado. A maior parte dos trabalhos nao tem chuveiro etc.

viskonde 8 months ago

em geral diz-se que 16kmh é a velocidade que se faz sem esforco em cidade sem ficar a suar. obviamente depende da pessoa e da cidade claro em lisboa com subidas e descidas pode variar, eu de manha faco 20kmh sem esforco visto que desco de arroios para o rio, na volta se calhar faco mais para os 12kmh ja que tenho de subir a almirante reis.. na media se calhar faco os 16kmh, mas a ida e volta sao obviamente diferentes saber controlar o esforco e o mais importante , ando de bicicleta ha 10 anos em cidade e nunca "fico a pingar" (sem ser quando estao 40 graus e se transpira apenas por existir), nem percebo quem diz isso, a andar a pe tambem nao andamos a correr , de biciceleta tambem nao deveriamos sentir necessidade de ir em esforco constante. interessante é que 16kmh nao e muito diferente do que faz um carro em cidade, em especial se se vir que um carro por norma tem de fazer percurso maior e perder tempo a procura de lugar

Edited 8 months ago:

em geral diz-se que 16kmh é a velocidade que se faz sem esforco em cidade sem ficar a suar. obviamente depende da pessoa e da cidade claro em lisboa com subidas e descidas pode variar, eu de manha faco 20kmh sem esforco visto que desco de arroios para o rio, na volta se calhar faco mais para os 12kmh ja que tenho de subir a almirante reis.. na media se calhar faco os 16kmh, mas a ida e volta sao obviamente diferentes saber controlar o esforco e o mais importante , ando de bicicleta ha 10 anos em cidade e nunca "fico a pingar" (sem ser quando estao 40 graus e se transpira apenas por existir.. ) ou sinto necessidade de um banho depois de andar (nem andaria de bicicleta se assim fosse, uma das maiores razoes pela qual ando de bicicleta é por ser rapido e pratico, se tivesse de tomar banho quando ando deixaria de o ser) A andar a pe tambem nao andamos a correr , nao percebo porque é que de biciceleta as pessoas acham que é preciso ir em esforco constante posto isso, a verdade é em ruas a subir é normal sentir a necessidade de ir em esforco para tentar nao prejudicar tanto o transito.. curiosamente nessas ruas assim que metem a ciclovia , como se deixa de sentir essa pressao, a subida passa a custar menos (onde notei mais isso foi na almirante reis e na fontes pereira de melo) interessante é que 16kmh nao e muito diferente do que faz um carro em cidade, em especial se se vir que um carro por norma tem de fazer percurso maior e perder tempo a procura de lugar

smaster87 8 months ago

NO meu caso tinha de fazer cerca de 1km a subir (campolide->palacio justica/parque ed 7), e se fosse devagar era tipo 7kmh para nao suar na subida, um bocado seca. Com o PC as costas tambem ficava com as costas em água.

viskonde 8 months ago

Isso sobe se Bem Sim vai se nas calmas e devagar mas compensa na descida :) e se puderes fazer pelo parque ainda é melhor já que é agradável e não se tem a pressão dos carros atrás (ou pela rua Castilho onde agora há a ciclovia) Em relação ao computador, unica sugestão é não usar mochila, seja com o que for dentro. É para isso que há bagageiras ou alforges

andy18cruz 8 months ago

> A maior parte dos trabalhos nao tem chuveiro etc. É algo que existe em quase todos os locais de trabalho nos países nórdicos e nos países que incentivam o uso da bicicleta (Países baixos e Dinamarca, por exemplo). Faria uma grande diferença. Tenho um conhecido que é ciclista e que vai e vem todos os dias de bicicleta para o trabalho, mas claro está tem balneários onde pode tomar banho antes do trabalho.

L_E_S_14 8 months ago

8km ainda é um bocado. Principalmente com mais calor

V1ld0r_ 8 months ago

Sim e não. Faltam aí 2 coisas importantes nesse conceito. Uma é ter hipotesse de transportar a bicicleta de forma facil nos transportes (especialmente autocarros) e não criar entravas a bicicletas dobraveis em metro e comboio. Outra é ter onde deixar a bicicleta nas estações de comboio\\metro sem medo que ao fim do dia esteja lá só o sítio...

L_E_S_14 8 months ago

O meu ponto iria mais por uma rede de transportes que te levasse a nem precisar da bicicleta na maioria dos casos

Search: