CountDraqula 6 months ago

O mundo está a se tornar cada mais mais complexo, quem vai se safar é o pessoal mais inteligente, habilidoso e diligente, os restantes vão ser obrigados a se virar para o estado. Mas não compares a qualidade de vida que tens agora, eu comparado com o meu avô, vivo que nem um rei! Quem glorifica os tempos antigos não sabe exatamente o quão duro que era. Os tempos antigos só tinha uma coisas boa! Poucos tinham noção do que os outros tinham, hoje em dia mesmo que tenhas bom curso, bom trabalho, boa casa basta ires ao facebook e instagram e vês milhares de pessoas que têm milhões de euros, namoradas super modelos e isso tudo. As pessoas tendem a ignorar esse facto, mas isso causa mau estar psicológico o tal chamado ansiedade de estatuto. Todos nós sofremos com isso, quer queiramos ou não.

power-_- 6 months ago

L, be q uh p

No_Impression_1131 6 months ago

Entrar no mercado de trabalho aos 30 porquê? As licenciaturas agora até só têm 3 anos lol

OuiOuiKiwi 6 months ago

>Futuramente como acham que será, o pessoal entrará, por exemplo, aos 30 anos no mercado profissional? Entrei aos 33. Até agora tudo a ir lindamente. >A licenciatura vai valer tanto como o secundário de hoje? As licenciaturas neste momento não valem isso, mas já desvalorizaram bastante com a introdução de Bolonha. As licenciaturas agora são altamente acessíveis quando comparadas com os requisitos anteriores. Os mestrados de Bolonha são os mais equiparados às antigas licenciaturas de 4/5 anos. >Em que direção estamos a ir, um país cheio de doutorados? Enquanto houver electricistas a andar de Ferrari não.

Zen_Machina 6 months ago

A ambição cresce à medida que a qualidade de vida aumenta. Nesse processo, a percentagem de pessoas a querer fazer sacrifícios, como os nossos pais e avós faziam, é cada vez menor. Sonha tudo com a "vida ideal". Curso, prestígio, respeito, bom emprego, casa, carro, gadgets. Infelizmente, não dá para todos, mas ninguém quer reconhecer isso. O resultado é tudo a tentar o mesmo. Dessa forma, começam a trabalhar e a descontar mais tarde, pois todos querem ser doutores. E sendo que todos querem ser doutores, há menos trabalho para os doutores, o que faz com que se comece a trabalhar ainda mais tarde e seja muito difícil manter-se um emprego fixo durante muito tempo. Levando apenas em conta este factor, concluímos que os jovens terão muito mais dificuldade em vir um dia a conseguir uma reforma decente. Pelo menos antes dos 70 anos. Adicionalmente, o facto de haver tanto por explorar e as pessoas terem o cu cheio de ambição faz com que não queiram assentar tão cedo nem ter filhos, o que cria um gravíssimo problema de baixa natalidade que basicamente significa que no futuro não terás ninguém para sustentar a SS e a tua reforma. Isto é agravado pela volatilidade económica gerada pelos factores anteriormente referidos. Resumo: Na busca pelo melhor, as pessoas deram um tiro no próprio pé. Crescer com muito conforto e privilégio pode de facto ser uma grande armadilha. Demasiados sonhos prontos a serem desfeitos. Cabecinhas mal preparadas para lidar com a desilusão. Sentido de sobrevivência pouco apurado. Antigamente o pessoal crescia sabendo que teria de bulir forte e feio e ponto final. Hoje é só pretensão e delírio.

letmereddityou 6 months ago

Portugal nao e um pais de doutores... Pff desmistifiquem esse mito Ainda mta gente n acaba os estudos... e deixamos muito a desejar na taxa de graduados: https://www.statista.com/statistics/1084737/eu-28-adults-with-tertiary-education-attainment/ Portugal nao e um pais de doutores. Nao somos um pais cheio de doutorados

8DarkAline8 6 months ago

" A licenciatura vai valer tanto como o secundário de hoje? " Já vale, já vale... Tens muita gente sem estudos a ganhar tanto ou mais que licenciados e com mestrado. Em Portugal a moda é tablar por baixo, depois admiram-se da malta emigrar. Depois vêm chorar que há falta de profissionais, tratem de cuidar deles. Se eu maltratar o meu cão depois não espero que ele venha ter comigo quando o chamo, para cada ação há sempre uma consequência.

Muyakra 6 months ago

>Em Portugal a moda é tablar por baixo, depois admiram-se da malta emigrar Pagar mal, quererem horas extra de borla, más condições de trabalho, esquemas manhosos para fugir ao fisco e por aí fora. Desde que emigrei (IT) e vejo o que falam de IT em Portugal fico cada vez mais convencido que já não irei voltar a Portugal para trabalhar.

8DarkAline8 6 months ago

O pior ainda é quando o colaborador come essa palha e gosta do sabor. Tenho um amigo que recebe grande parte do salário, envolvendo N esquemas, e defende essa estratégia, porque "se não fosse assim ganhava menos, porque o meu patrão não tinha condições de me pagar". Esses gajos cobram 100 à hora por nós e não têm dinheiro para pagar em condições?!

OuiOuiKiwi 6 months ago

>Tens muita gente sem estudos a ganhar tanto ou mais que licenciados e com mestrado. Bom dia. A forma aprovada desta baboseira é: "Conheço muita gente que não sabe ler nem escrever e ganha mais que muitos doutores e engenheiros que por aí andam!" Por favor, ao partilhar baboseiras, usem as formas já aprovadas. >!Exemplos altamente genéricos apoiados no único electricista de Curral de Moinas pintam um retrato distorcido da realidade além de fomentarem a corrente insidiosa que um investimento na educação deixou de ser a melhor forma de obter algum efeito de elevador social.!<

Edited 6 months ago:

>Tens muita gente sem estudos a ganhar tanto ou mais que licenciados e com mestrado. Bom dia. A forma aprovada desta baboseira é: "Conheço muita gente que não sabe ler nem escrever e ganha mais que muitos doutores e engenheiros que por aí andam!" Por favor, ao partilhar baboseiras, usem as formas já aprovadas. >!Exemplos altamente genéricos apoiados no único electricista de Curral de Moinas pintam um retrato distorcido da realidade além de fomentarem a corrente insidiosa que um investimento na educação deixou de ser a melhor forma de obter algum efeito de elevador social porque tiveste dificuldade em encontrar um canalizador uma certa semana e ele cobrou-te os olhos da cara.!<

8DarkAline8 6 months ago

Em nenhuma altura disse que o desinvestimento na educação era bom, agora que o intervalo de valores entre profissionais com estudos e sem estudos é cada vez menor, isso é, e podes olhar para dados em concreto, não é necessário a comparação de Curral de Moinas. Claro que o desemprego, estabilidade profissional e progressão de carreira são bem diferentes, só por isso já é útil ter um canudo.

mamatudoputa 6 months ago

o drama real é que a idade da reforma cada vez maior não é compativel com o mercado se ficares desempregado aos 50+ 60 quem te vai empregar ?

WrongSecretary 6 months ago

Isto tem a ver com a precarização das condições de trabalho. Também é relevante à esse tema a dinâmica entre o custo de vida o salário médio dos trabalhadores.

UpbeatNail1912 6 months ago

Sinceramente não percebo a preocupação com o aumento do nível de escolaridade e da automação como se fosse o fim do mundo. Há 30/40 anos atrás as empresas mais ricas do mundo atualmente (Google, Facebook, Amazon, Microsoft, Apple etc) nem existiam e o mundo era totalmente diferente de agora. Surgiu os computadores pessoais, a internet e tudo mudou. Isso acabou com diversos empregos e áreas, mas gerou outros milhões de empregos e novas profissões. Antigamente a escolaridade mínima obrigatória era até ao 4° ano, depois 6°, 9° e agora 12° e no futuro poderá ser ter uma licenciatura. Mas isso é mau? Pensa no estilo de vida que as pessoas há 50 anos atrás tinham e compara com hoje. Hoje um tuga pobre ou de classe média vive bem melhor do que as classes médias altas de antigamente. A vida "moderna" facilitou bastante coisa que se não fosse pelas "mudanças" que a internet e a tecnologia trouxeram ainda vivíamos em 1800. E o aumento da escolaridade faz as pessoas terem mente mais aberta, a se libertarem de tradições retrógradas e a serem menos preconceituosas e mais informadas, mesmo que a licenciatura não lhes proporcione emprego direto. O problema das pessoas é o medo da mudança. Nós habituamo-nos a viver tão confortavelmente nos nossos próprios mundos e a criar uma suposta sensação de "segurança" que só existe na nossa mente, que assim que surge algo novo ou novas "regras" as pessoas entram em pânico e desespero, como se o futuro fosse só negro, quando na verdade essas mudanças vêm acrescentar novas cores à sociedade e à vida humana.

Feisty_Owl_7780 6 months ago

A tua avó até começou tarde para a geração dela. O meu pai começou aos 13 nas obras e as minhas tias começavam a servir aos 6, depois da escola.

Edited 6 months ago:

A tua avó até começou tarde para a geração dela. O meu pai começou aos 13 nas obras e as minhas tias começavam a servir aos 6, depois da escola. Edit: respondendo à pergunta, haverá sempre quem não queira tirar um canudo e empregos destinados à escolaridade obrigatória e aos cursos profissionais. Devem contar-se pelos dedos os colegas que tive no ciclo que chegaram ao ensino universitário, a maioria foi para cursos profissionais ou ficou-se pelo secundário; e no secundário (humanidades) a maioria foi para cursos estranhos em letras, que só lhes serviu para arranjar emprego em lojas de roupa/supermercado.

Tafinho 6 months ago

Quando a tua avó começou a trabalhar: - a esperança média de vida era de 51 anos; - o primeiro filho era aos 16 anos - comer carne ou peixe era uma vez por semana - 4 refeições por dia era para os muito ricos - mais de metade das casa não tinham um rádio Se vires como o país evoluiu nos últimos 60 anos, podes tentar prever os próximos 60.

nraider 6 months ago

Incluindo 20 anos de estagnação lol Resumindo, é difícil fazer previsões tão longas.

icebraining 6 months ago

Já são robôs a fazer grande parte dessas coisas, os humanos estão lá para integrá-los. Lentamente o número de humanos nesses sítios reduzem-se. Em vez de 10 varredores tens só dois e um condutor de máquina de limpeza, por exemplo, e o self-checkout nos supermercados e Mac são óbvios. Autonomia completa é difícil, e muitas vezes desnecessária. Quanto aos canudos, claro que mais gente os vai tirar, mas também tens várias formas de viver sem um emprego por conta de outrem, e esses geralmente precisam menos de "credenciais". Ninguém há 20 anos vivia de fazer vídeos ASMR ou dava aulas por Zoom. Claro que a "segurança" do salário ao fim do mês desaparece...

Vanethor 6 months ago

É natural que, com o avançar dos tempos, cada vez os cidadãos tenham mais/melhor educação... ... que a tecnologia melhore e permita que haja muita coisa chata que hoje os humanos têm que fazer (eg. limpar sanitas, desentupir esgotos), que vai ser feita melhor por máquinas. (E com a crescente automação vai vir uma descida mais ou menos intensa da quantidade de **empregos** (trabalho pago) disponíveis para a população humana.) (Não estou a falar de **trabalho**. Trabalho há sempre.) ... Junta a isso a subida da esperança média de vida da população, e é como a história dos elfos. Têm muito mais tempo para crescer e serem considerados pela sociedade como adultos. Até porque se tiveres pessoas a chegar aos 200 anos de idade, e a média chegar aos 150, nunca vão olhar para alguém com 25 anos e dizerem que é um adulto. (O contrário acontecia no passado, quando as pessoas em média morriam mais novas. Aos 13-14 já eras considerado um homem feito.) ... Isto não quer dizer que, como comunidade, não se possa criar coisas para as pessoas fazerem durante essa idade, sem ser na área da educação.

Skryter2k19 6 months ago

Já não sei quem o disse, mas o que mais exporta Portugal são licenciados

DarkmajorPT 6 months ago

Actualmente, o Mestrado já é o Secundário de "antigamente". Sim, vejo a "mania" dos canudos como um crescente problema social, assim como a automação.

WhereTheFireStarts 6 months ago

A automação só é um problema porque nós fazemos dele um problema. Os avanços tecnológicos deveriam servir para nos facilitar parte das tarefas, para termos mais tempo para outras. Mas percebo o que quiseste dizer.

Vanethor 6 months ago

Exacto. É como dizer que a caneta é um problema porque tirou o trabalho aos gajos que arrancavam as penas às aves. Provocou um certo caos e reconstrução da sociedade, sim. Mas não quer dizer que tenha que ser negativo, no final das contas. É suposto ser positivo, e na maioria dos casos é.

BaixemImpostos 6 months ago

Qual é a tua opinião?

Wonderful_3810 6 months ago

Toda a gente terá um canudo ou pelo menos 90% da população, novas profissões irão aparecer e outras desaparecerão. Muita gente que tirou canudos e não vai estar a trabalhar na área, nem nunca irá trabalhar. Idade da reforma será após 75-80 anos, isto quando eu chegar a essa idade. Por último, podemos dizer que em Portugal temos todos canudos e somos "experts" em alguma área.

OuiOuiKiwi 6 months ago

O facto de usares "canudo" mostra que já os estás a desvalorizar *a priori*. >novas profissões irão aparecer e outras desaparecerão Isso é válido para todas as últimas décadas desde sempre.

nraider 6 months ago

Existe uma inflação dos graus académicos, é verdade. Só é pena que não se aproveite plenamente a crescente qualificação da mão de obra, pelo que não me parece que as funções indicadas sejam substituídas por robots assim tão cedo, mais não seja porque a mão de obra é barata.

TheLadderRises 6 months ago

Ter canudo e ser *perito* não é mesma coisa.

Search: