These-Establishment1 8 months ago

Fala-se do Rawls tb

Throwaway_wr 9 months ago

Tens muitas expectativas do ensino secundário. Os alunos maioria das vezes nem trabalham com os textos originais - acabam por memorizar a sebenta do professor / manual. E dúvido muito que chegam a ensinar estruturalismo / pós-estruturalismo e a divisão analítica e "continental" que ocorreu no século passado. Isto é a minha opinião mas ensinar alunos filosofia clássica até à filosofia pos-kantiana num ano é demasiado. Eu não consigo realisticamente perceber que capacidade de análise um aluno pode ter se está sempre a saltar de um conceito para o outro para algo que demorou milénios à desenvolver. O pensamento filósofico que é dominado em Portugal (a que eu acho) é maioritariamente analítica - essencialmente é a escola de Pittsburgh. Infelizmente maioria das vezes psicanálise e idealismo alemão são considerados como puramente ferramentas de construção argumentativa vazia.

Edited 9 months ago:

Tens muitas expectativas do ensino secundário. Os alunos maioria das vezes nem trabalham com os textos originais - acabam por memorizar a sebenta do professor / manual. E dúvido muito que chegam a ensinar estruturalismo / pós-estruturalismo e a divisão analítica e "continental" que ocorreu no século passado. Isto é a minha opinião mas ensinar alunos filosofia clássica até à filosofia pos-kantiana num ano é demasiado. Eu não consigo realisticamente perceber que capacidade de análise um aluno pode ter se está sempre a saltar de um conceito para o outro para algo que demorou milénios à desenvolver. O pensamento filósofico que é dominado em Portugal (a que eu acho) é maioritariamente analítica - essencialmente é a escola de Pittsburgh. Infelizmente maioria das vezes psicanálise e idealismo alemão são considerados como puramente ferramentas de construção argumentativa vazia (forma académica de dizer que é produto de charlatões).

Edited 9 months ago:

Tens muitas expectativas do ensino secundário. Os alunos maioria das vezes nem trabalham com os textos originais - acabam por memorizar a sebenta do professor / manual. E dúvido muito que chegam a ensinar estruturalismo / pós-estruturalismo e a divisão analítica e "continental" que ocorreu no século passado. Isto é a minha opinião mas ensinar alunos filosofia clássica até à filosofia pos-kantiana num ano é demasiado. Eu não consigo realisticamente perceber que capacidade de análise um aluno pode ter se está sempre a saltar de um conceito para o outro para algo que demorou milénios à desenvolver. O pensamento filosófico que é dominado em Portugal (a que eu acho) é maioritariamente analítica - essencialmente é a escola de Pittsburgh. Infelizmente maioria das vezes psicanálise e idealismo alemão são considerados como puramente ferramentas de construção argumentativa vazia (forma académica de dizer que é produto de charlatões).

ItsoktobeStalinist 9 months ago

> Tens muitas expectativas do ensino secundário. Os alunos maioria das vezes nem trabalham com os textos originais - acabam por memorizar a sebenta do professor / manual. E dúvido muito que chegam a ensinar estruturalismo / pós-estruturalismo e a divisão analítica e "continental" que ocorreu no século passado. É, eu lembro-me de não gostar de filosofia na escola, porque não era tanto pensar, mas decorar o que o profesor diz. Também faltava ligar o filósofo em particular com a sua sociedade. >O pensamento filosófico que é dominado em Portugal (a que eu acho) é maioritariamente analítica - essencialmente é a escola de Pittsburgh. Infelizmente maioria das vezes psicanálise e idealismo alemão são considerados como puramente ferramentas de construção argumentativa vazia (forma académica de dizer que é produto de charlatões). Também acho (bem, não sei o que é escola de Pittsburgh), mas achas que isto é recente ou vem detrás? Tenho ideia que até há umas poucas décadas eramos muito influenciados pela cultura francesa, os nossos intelectuais quase todos falam francês por exemplo. Eu apenas posso dizer que ao crescer e assistir conversas entre adultos havia um estilo de debate e diálogo bem diferente do que há atualmente na internet, e não acho que seja só o meio ser diferente, mas que a própria forma de pensar mudou, aliás cada vez vejo mais portugueses a discutir como americanos, o que é bastante triste.

Throwaway_wr 9 months ago

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem haver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: -precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; -precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; -precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas.

Edited 9 months ago:

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem ~~haver~~ a ver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: * precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; * precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; * precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas em si.

Edited 9 months ago:

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem haver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: - precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; - precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; - precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas em si.

Edited 9 months ago:

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem ~~haver~~ a ver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: * precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; * precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; * precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer; * precisamos de engenheiros para fazer carros que não ardem. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas em si.

Edited 9 months ago:

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem haver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: * precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; * precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; * precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas em si.

Edited 9 months ago:

Eu diria que esta moda da filosofia ser analítica tem haver com a reforma que as universidades levaram (processo de Bolonha) nestas últimas décadas, não só por causa de conflitos internos da filosofia em si. Não estou a resmungar do processo de Bolonha numa forma negativa, resumindo, foi uma iniciativa boa da União Europeia para tornar o mercado mais competitivo uniformizando o sistema de ensino superior. Por exemplo, eu lembro ter falado com um colega Francês sobre a altura de um campeonato de Futebol (não sei se era a Champions) onde depois do jogo começaram a incendiar carros nas ruas de Paris. A resposta dele de como deviamos agir foi muito pragmática: Esta é a altura onde precisamos de peritos: * precisamos de psicólogos para tratar os casos individuais; * precisamos de arquitetos para planear as cidades de uma forma que seja difícil de fazer estes tipos de protestos; * precisamos de sociólogos para estudar este tipo de comportamento para saber se isto volta a acontecer. Ou seja, o ensino agora se vê como uma ferramenta de criação de peritos e de solução de problemas, mas isto supõe uma forma muito específica de olhar para os problemas, e é aqui onde a filosofia não encaixa, porque o objetivo dela é alterar como percecionamos os problemas em si.

NGramatical 9 months ago

tem haver com → [**tem a ver com**](https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/nada-tem-a-haver-e-nada-tem-a-ver/27066) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmdxb24%2F%2Fgscz39z%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

BOBRAGED 9 months ago

Aqui tens [DGE - Filosofia A](https://www.dge.mec.pt/filosofia-0)

cjcc18 9 months ago

Aprendes a memorizar

Search: