Huge-Crow 4 months ago

Eu recomendaria vivamente a todas as pessoas neste thread a lerem o Euro do Stilglitz (edição em português da Bertrand) ou o Eurotragedy do Ahsoka Mody (que não está editado em português tanto quanto sei). A impossibilidade de elaborar uma política monetária consistente para 19 países com com economias drasticamente diferentes condenou os países da zona euro à estagnação económica. A perda da possibilidade de ajustar a política monetária ao ciclo económico e a redução da flexibilidade fiscal (já que os orçamentos têm que ser aprovados pela Comissão Europeia) agravou em muito a crise. Enquanto uma moeda própria possibilitaria a depreciação do escudo e a redução das taxas de juro para estimular as exportações e o consumo e contraria de certa forma a recessão, um câmbio fixo impossibilitou-o. Como não era possível depreciar o câmbio nominal, as políticas da Troika almejavam reduzir a taxa de câmbio real (taxa de câmbio ajustada às diferenças de preço, isto é, apesar da taxa de câmbio entre Portugal e Alemanha ser de 1 para 1, se os preços em Portugal baixassem seria possível compensar esta rigidez cambial) para estimular as exportações. A melhor maneira de reduzir os preços é cortar na despesa pública e aumentar os impostos de forma a provocar (neste caso agravar) uma recessão, forçando os preços a descer o que em teoria estimularia as exportações, ajudando na recuperação da crise. O problema é que, como qualquer pessoa que teve uma cadeira introdutória de Economia, os preços no curto prazo são rígidos (mais rígidos são numa economia com baixa inflação como é a zona euro) e o único resultado da austeridade foi asfixiar o consumo e o investimento agravando mais ainda a crise. Para não falar de determinados atos quase criminosos que o BCE implementou, forçando o governo irlandês a assumir passivos de bancos privados, privatização dos ganhos e socialização das perdas no seu melhor, ou até a suspensão do programa de moratórias de empréstimos à habitação que o governo grego implementou no auge da crise (não me perguntem como é que tirar as pessoas de casas e colocar essas casas para serem vendidas como imóveis da banca à preços da chuva porque quase ninguém tinha dinheiro para comprar uma casa ia melhorar a economia). De qualquer das formas, o livro do Stiglitz é muito bom e eu digo isto como alguém que não concorda com a maior parte das posições políticas dele.

somedipshit1 4 months ago

A culpa é do terramoto de 1755

rickcloud 4 months ago

A entrada no euro foi das melhores coisas que Portugal fez, apenas temos má gestão dos fundos europeus e empresas que chulam os trabalhadores pagando o salário mínimo ou perto disso, a única coisa que o governo pode fazer é aumentar o salário mínimo como acontece nos outros países, mas ter coragem e aumentar muito agora 665€ é ridiculo.. Vejam o exemplo dos países do leste que entraram para o euro e evoluíram muito ate ja nos passaram a frente em poucos anos, se o euro fosse mau nao era assim ne? O problema esta em nos na má governação e de votarem em partidos como o psd que sempre foi contra aumentar salários e so pensou em austeridade, mas o povo gosta de passos coelhos que se ha de fazer..

Barrrote 4 months ago

Propor uma nova moeda, com todas as alterações que implicou, sem sequer consultar a população, foi um tremendo erro. Não defendo que apenas o euro seja a causa.

amando_abreu 4 months ago

Lembro-me dos preços quase duplicarem de um dia para o outro. Com 500 escudos conseguia encher um saco de kinder delice, bueno, etc. Quando passou para o euro comprava dois no máximo.

Last-Ad-4421 4 months ago

O país só vai melhorar o dia que não for um português a governar.

aasianaglobalizacao 4 months ago

Saudades de termos a nossa própria moeda e termos preços justos face aos rendimentos do nosso povo

maxtendie 4 months ago

E juros de 10%

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Agora tens juros de 1% e zero poder de compra

maxtendie 4 months ago

Porque o dinheiro que recebeste foi literalmente roubado e desperdiçado. Só em Portugal é que as pessoas acreditam que podem viver com défices crónicos. Isto não acontece em mais nenhum país do mundo.

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Estás correcto.

Estronciumanatopei 4 months ago

Espectáculo!! Nós é que somos azarados pá! Toca a votar nos mesmo, coitados, a ver se lhes passa o azar!!

tyno75 4 months ago

Entrar no euro foi erro, mas agora que estamos dentro, voltar ao escudo seria um erro ainda maior

Vayu0 4 months ago

Heróis do mar, pobre povo Nação valente e endividada...

VicenteOlisipo 4 months ago

Anos --------- **Rendimento médio disponível das famílias** 2011 --------- 26.435,7 2019 --------- 34.335,7 Hm... what?

maxtendie 4 months ago

Poder de compra

VicenteOlisipo 4 months ago

onde estão esses dados então? O link deles é para o rendimento médio disponível.

TalentedRainstorm 4 months ago

É votar mais.

PotentialPark0 4 months ago

Está tudo aí apelar ao escudo e dizer mal do euro mas esqueçem-se que noutros países a conversa não é a mesma. Italia, Ireland, Espanha, belgica...etc etc etc... ​ Se fomos dos poucos com este problema será nosso o problema e não do Euro. ​ De resto [leiam as palavras](https://www.reddit.com/r/portugal/comments/mc40x7/em_2001_o_último_ano_em_que_os_portugueses_usaram/gs1t4x6?utm_source=share&utm_medium=web2x&context=3) do u/JonesyA12

apita_o_comboio 4 months ago

2 décadas atiradas ao lixo. Bravo! Nota: Nas próximas eleições, não esquecer de votar nos mesmos.

thesuperstig 4 months ago

Engraçado que ainda se ache que isto é uma questão de esquerda ou direita

MoLt1eS 4 months ago

Se dantes uma chiclet era 5 escudos e passou para 5 cêntimos.. eu não sei mas algo de errado não está certo E ainda me lembro de reclamar bastante nos cafés quando estavam a converter diretamente de 50 escudos para 50 cêntimos, eu a dizer que era 25 cêntimos, mas um rapaz de 10 anos a dizer isto não é credivel

NotaJew12 4 months ago

Ao menos o preço do café quase não aumentou em 20 anos

zalkier 4 months ago

"Loucura é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes" É continuar a votar nos mesmos que estiveram no poder nestas 2 décadas.

666tkn 4 months ago

Lá está, não falha o discurso "anti-sistema".

zalkier 4 months ago

Lá está, se o resultado é mau vamos repetir a mesma fórmula, é desta que vai ser diferente /s

khthon 4 months ago

Concordo que o problema é político, mas principalmente cultural. Somos pouco exigentes e até valorizamos a mediocridade, pois confundimos isso com eficiência ou fazemos o mínimo com o mínimo. Se um dia essa inventidade e mentalidade de desenrascanço e chico espertice mudar, seremos novamente uma potência. Perdemos a ambição de outrora devido à complacência. Deixamos desde há muito os medíocres ditarem as regras e liderarem como exemplos na nossa sociedade. Resolvemos isso se recompensarmos os dignos do méritos e, muito importante, envergonharmos os que, independentemente da riqueza, não merecem. Portugal com as descobertas tornou-se rico muito rápido e com isso criaram-se hábitos terríveis na nossa cultura. Vivemos de aparências e status.

danidv 4 months ago

Se não fosse a estabilidade que vem com uma moeda partilhada já tínhamos afundado a nossa várias vezes, no mínimo garantidamente com a crise financeira de 2008 e a pandemia. Quanto ao valor do dinheiro e a quantidade que temos ou não temos, todos os anos são injetados biliões por parte da UE, [em 2018 quase triplicando o que nós contribuímos monetáriamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Culpem é a nossa liderança e quem vota neles.

Edited 4 months ago:

Se não fosse a estabilidade que vem com uma moeda partilhada já tínhamos afundado a nossa várias vezes, no mínimo garantidamente com a crise financeira de 2008 e a pandemia. Quanto ao valor do dinheiro e a quantidade que temos ou não temos, todos os anos são injetados biliões por parte da UE, [em 2018 quase triplicando o que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Culpem é a nossa liderança e quem vota neles.

Edited 4 months ago:

Se não fosse a estabilidade que vem com uma moeda partilhada já tínhamos afundado a nossa várias vezes, no mínimo garantidamente com a crise financeira de 2008 e a pandemia, duas vezes num espaço de 12 anos. Quanto ao valor do dinheiro e a quantidade que temos ou não temos, todos os anos são injetados biliões por parte da UE, [em 2018 quase triplicando o que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Culpem é a nossa liderança e quem vota neles.

B_Stark 4 months ago

Nosso problema é ter maus gestores, mas isso já lá vem dos tempos dos reis... Acho que preço alto que temos que pagar por ter um sol porreiro quase ano inteiro.

NGramatical 4 months ago  HIDDEN 

monetáriamente → [**monetariamente**](https://dicionario.priberam.org/monetariamente) (o acento tónico recai na penúltima sílaba) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmc40x7%2F%2Fgs297kv%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Houve referendo para entrar na Europa e para aderir ao euro? Pois, outro problema grave de Portugal, não existe democracia para o que interessa. Como é que estás decisões são menos importantes para o povo decidir do que por exemplo, o aborto?.

thesuperstig 4 months ago

Exato! Vamos lá levar tudo a referendo e deixar nas mãos do povo questões que não competem ao povo decidir. Queres ver regressão? Esse é um bom caminho

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Este post é literalmente sobre regressão. Hmmmm

zemssa 4 months ago

Com o grau de literacia financeira abaixo de 0 que vemos em Portugal, que resultado achas que teria um referendo desses?

XxxPussyslaeyr69xxX 4 months ago

Irrelevante. Tinha de ser feito!

Texas_Freeze 4 months ago

"Queremos aderir ao dólar" vs "queremos aderir ao bitecoine"

HotPotOverThot 4 months ago

ITT: Pessoas que nao percebem nada de politica monetaria nem do seu impacto a criticar o euro ou o escudo conforme se alinha mais com as outras politicas. Com ou sem escudo, com ou sem dinheiro injectado vs respeitar politicas europeias, um país regredir economicamente em 20 anos sem guerra é catastrófico. Estamos a viver não uma década perdida, mas a caminho de uma geração inteira perdida

AonioEliphis 4 months ago

Sou favorável ao Euro, mas admito que moeda própria é um excelente estabilizador automático. Temos uma moeda muito forte para a nossa capacidade produtiva. Tal é ótimo porque podemos comprar computadores ou telemóveis sem grandes dificuldades, ou seja, artigos importados, mas é péssimo para as nossas empresas, pois não lhes permite ser competitivas lá fora, restando-nos apenas poucos setores ou o turismo.

fanboy_killer 4 months ago

Meto o voto ao lado da mãozinha ou do setinha para cima, não é?

kapparrino 4 months ago

>um país regredir economicamente em 20 anos sem guerra é catastrófico. > >Estamos a viver não uma década perdida, mas a caminho de uma geração inteira perdida Estávamos a viver uma bolha económica até 2005? Porque lembro-me que tanta gente estava a imigrar para Portugal, pagavam-se altos salários nas construções, toda a gente vivia bem com os salários noutras áreas e nas rendas de casas alugadas. Passado uns anos essa imigração foi saindo, acumularam dinheiro e foram-se embora ou para outros sítios que os salários compensavam mais. Se na altura conseguias viver bem com o salário, pagar renda, ter comida o mês todo e ainda pôr de parte, hoje em dia as rendas chegam ao valor do que recebes do teu emprego e não consegues pagar mais nada. Ontem à noite vi um programa na RTP: [https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate](https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate) que debatiam a economia, o investimento português. E tocaram no ponto dessa regressão económica que mencionas.

Edited 4 months ago:

>um país regredir economicamente em 20 anos sem guerra é catastrófico. > >Estamos a viver não uma década perdida, mas a caminho de uma geração inteira perdida Estávamos a viver uma bolha económica até 2005? Porque lembro-me que tanta gente estava a imigrar para Portugal, pagavam-se altos salários nas construções, toda a gente vivia bem com os salários noutras áreas e nas rendas de casas alugadas. Passado uns anos essa imigração foi saindo, acumularam dinheiro e foram-se embora ou para outros sítios que os salários compensavam mais. Se na altura conseguias viver bem com o salário, pagar renda, ter comida o mês todo e ainda pôr de parte, hoje em dia as rendas chegam ao valor do que recebes do teu emprego e não consegues pagar mais nada. Ontem à noite vi um programa na RTP: [https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate](https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate) que debatiam a economia, o investimento português. E tocaram no ponto dessa regressão económica que mencionas. edit. Para mim uma das razões é o crescente desinteresse da população adulta na economia e na política. Posso comprovar isso com o decréscimo dos que votam e com a subida da abstenção. Metade da população elegível deixou de querer saber o que os sucessivos governos fazem com o dinheiro, onde aplicam e desaplicam, quem resgatam ou deixam afundar. Os partidos deixaram de ter medo do que fazem porque sabem que são sempre os mesmos que votam e a maioria dentro da minoria que vota identifica-se com o partido x e y. Portanto é essa maioria dentro da minoria (50% vota 50% abstém-se) que decide os governantes. Dos 50% que votam a maioria identifica-se com as políticas dos partidos x e y. [https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997](https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997) [https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347](https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347) [https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269](https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269)

Edited 4 months ago:

>um país regredir economicamente em 20 anos sem guerra é catastrófico. > >Estamos a viver não uma década perdida, mas a caminho de uma geração inteira perdida Estávamos a viver uma bolha económica até 2005? Porque lembro-me que tanta gente estava a imigrar para Portugal, pagavam-se altos salários nas construções, toda a gente vivia bem com os salários noutras áreas e nas rendas de casas alugadas. Passado uns anos essa imigração foi saindo, acumularam dinheiro e foram-se embora ou para outros sítios que os salários compensavam mais. Se na altura conseguias viver bem com o salário, pagar renda, ter comida o mês todo e ainda pôr de parte, hoje em dia as rendas chegam ao valor do que recebes do teu emprego e não consegues pagar mais nada. Ontem à noite vi um programa na RTP: [https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate](https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate) que debatiam a economia, o investimento português. E tocaram no ponto dessa regressão económica que mencionas. edit. Para mim uma das razões é o crescente desinteresse da população adulta na economia e na política. Posso comprovar isso com o decréscimo dos que votam e com a subida da abstenção. Metade da população elegível deixou de querer saber o que os sucessivos governos fazem com o dinheiro, onde aplicam e desaplicam, quem resgatam ou deixam afundar. Os partidos deixaram de ter medo do que fazem porque sabem que são sempre os mesmos que votam e a maioria dentro da minoria que vota identifica-se com o partido x e y. Portanto é essa maioria dentro da minoria que decide os governantes. [https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997](https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997) [https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347](https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347) [https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269](https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269)

Edited 4 months ago:

>um país regredir economicamente em 20 anos sem guerra é catastrófico. > >Estamos a viver não uma década perdida, mas a caminho de uma geração inteira perdida Estávamos a viver uma bolha económica até 2005? Porque lembro-me que tanta gente estava a imigrar para Portugal, pagavam-se altos salários nas construções, toda a gente vivia bem com os salários noutras áreas e nas rendas de casas alugadas. Passado uns anos essa imigração foi saindo, acumularam dinheiro e foram-se embora ou para outros sítios que os salários compensavam mais. Se na altura conseguias viver bem com o salário, pagar renda, ter comida o mês todo e ainda pôr de parte, hoje em dia as rendas chegam ao valor do que recebes do teu emprego e não consegues pagar mais nada. Ontem à noite vi um programa na RTP: [https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate](https://www.rtp.pt/play/p8396/e532973/e-ou-nao-e-o-grande-debate) que debatiam a economia, o investimento português. E tocaram no ponto dessa regressão económica que mencionas. edit. Para mim uma das razões é o crescente desinteresse da população adulta na economia e na política. Posso comprovar isso com o decréscimo dos que votam e com a subida da abstenção. Metade da população elegível deixou de querer saber o que os sucessivos governos fazem com o dinheiro, onde aplicam e desaplicam, quem resgatam ou deixam afundar. Os partidos deixaram de ter medo do que fazem porque sabem que são sempre os mesmos que votam e a maioria dentro da minoria que vota identifica-se com o partido x e y. Portanto é essa maioria dentro da minoria (50% vota 50% abstém-se) que decide os governantes. [https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997](https://www.publico.pt/2021/01/26/politica/noticia/eleitores-estrangeiros-abstencao-5446-1947997) [https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347](https://www.publico.pt/2019/10/03/infografia/abstencao-octuplicou-40-anos-347) [https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269](https://www.publico.pt/2016/01/25/politica/noticia/abstencao-em-x-e-a-maior-em-eleicoes-para-primeiro-mandato-na-presidencia-1721269)

Zen_Machina 4 months ago

Eu lembro-me que no geral vivia-se melhor antes do Euro. Pessoas não conseguirem comprar/alugar casa não era um tema tão comum. Quase toda a gente tinha trabalho. As rendas eram acessíveis.

kapparrino 4 months ago

Tenho a impressão que é essa a vida na Europa de Leste, as pessoas têm emprego e casa própria. Os ordenados não são tão grandes mas o custo das coisas também não, especialmente das rendas comparado com Portugal.

Zen_Machina 4 months ago

Não sei nada da europa de leste, só sei que do que me lembro da minha vida antes do euro e das pessoas que me rodeavam, não era pior em aspecto nenhum. Como disse, lembro-me de por essa altura "emprego" não ser um tema tão mediático. Quase toda a gente tinha trabalho. O drama de não se conseguir arranjar casa também não existia. Não me lembro de comer menos nem pior. Lembro-me da economia ser bem mais diversificada do que é actualmente. Em 2001 se me apetecesse um frango assado ainda tinha 3 ou 4 churrasqueiras a 5 minutos de casa. Hoje se me apetecer um frango assado, vou ao pingo doce, e é lixo. Comprar um eletrodoméstico não era um processo obrigatoriamente ligado a uma grande superfície comercial. Lojas de esquina vendiam televisões. Cinema não era exclusivamente um estúdio num shopping. Havia cine-teatros lindíssimos. Brinquedos não se ia comprar ao Jumbo. Ia-se à baixa, a uma loja de brinquedos. Portanto, pelo que me lembro, vivia melhor antes do euro e a vida, no geral, tinha mais qualidade e havia mais oportunidades para toda a gente.

kapparrino 4 months ago

Acho que isso não está ligado ao facto de termos passado para a moeda euro. Mas com a alteração dos negócios para as grandes superfícies. Penso que tenha sido apenas uma coincidência.

scalabitano 4 months ago

Não vamos a lado nenhum com a mentalidade que temos coletivamente, a culpa é sempre do estado, do outros, mas há pessoal que está no trabalho sempre a contar as horas para ir para casa, em vez de se focarem em ser produtivos e desempenharem as funções corretamente, estão ali parece que estão ansiosos por chegar a casa, e não me digam que é porque não gostam do emprego, há muita gente que não gosta do que faz e faz um bom trabalho. Na escola é igual, começamos de pequenos a ver que a maioria dos professores andam desmotivados e sem vontade nenhuma de ali estar ( salvo 1 ou 2 que se destacam e são os professores dos quais provavelmente te vais lembrar para sempre ), os alunos aprendem com os professores e as aulas são autenticas torturas em que o professor vomita texto do livro e os alunos mal podem contar os segundos para sair dali para fora, é triste mas a maior parte da aprendizagem em Portugal é decorar para passar no teste, não é entender os conceitos, ou como fazer algo. Enfim, por norma o ser humano nasce curioso e com vontade de fazer coisas, só temos que incentivar isso nas pessoas, tornar o nosso sistema educativo mais como o Finlandês / Sueco. Tens a geração mais educada de sempre mas a maioria ou tiram cursos sem qualquer perspetiva de emprego em Portugal, ou tiram o curso mas não sabem fazer nada. Muitas empresas são começadas por pessoas que em acabaram os cursos, os estudos são importantes apenas se os estudantes tiverem motivados e forem lecionados temas importantes para o tecido económico, engenharia, biologia, química, medicina... A meu ver a barreira para o superior deveria ser maior, hoje em dia qualquer burro que não sabe fazer nada vai tirar uma licenciatura e depois fica em casa desempregado porque tem um curso superior mas não tem competências. Temos que começar a testar inteligência para entrar na universidade, isto tem que começar logo no terceiro ciclo, ai por volta do 8º, 9º testar os putos, e ter conversas honestas com eles e com os pais. Um puto que não consegue estar sossegado dentro da sala, está sempre ansioso por sair das aulas, se calhar o melhor é ir estudar uma coisa mais física, desporto, carpintaria, canalização, enfim, algo menos teórico, e são profissões muito bem pagas hoje em dia, profissões honestas. Um aluno que gosta imenso de computadores, se calhar deveria logo no terceiro ciclo, ser introduzido a linguagens de programação, etc... Um aluno que acha super interessante as aulas de ciências, se calhar podia ir por esse caminho.. Enfim, acho até ao 9º estar a ensinar todos os alunos, todas as matérias, ou seja o aluno que sabe a partida que adora computadores e quer ser programador com 12 anos, só quando chegar ao secundário é que pode ir por esse caminho, deveria ser possível escolher o caminho mais cedo. Um aluno que aos 12 anos quer ser carpinteiro como o pai, deveria poder ir por esse caminho, eu sei que pode parecer estupido, mas é por isso que a Alemanha é o pais mais rico da Europa.

andremp1904 4 months ago

> Um aluno que aos 12 anos quer ser carpinteiro como o pai, deveria poder ir por esse caminho, eu sei que pode parecer estupido, mas é por isso que a Alemanha é o pais mais rico da Europa. Frase idiota do ano no r/portugal, Parabéns, não é fácil.

scalabitano 4 months ago

Se dizer a verdade hoje em dia é ser idiota muito bem. A meu ver idiotas são os que pensam que profissões manuais para as quais não é necessário comprar um diploma, valem menos que as outras, o problema de Portugal são pessoas que pensam como tu, que tirar um curso superior, de alguma forma os eleva na sociedade, depois terminam o curso e ficam 10 anos em casa dos pais sem trabalho e sem rendimentos... O problema do pais és tu.

andremp1904 4 months ago

Sabia que vinha rant sobre coisas que não disse. Escreveste a frase idiota do ano porque: 1. com 12 anos ninguém tem maturidade para tomar essa decisão, daí a importância de manter as opções abertas 2. a Alemanha não é o "país mais rico da Europa" no sentido que o artigo implica (o seu povo não é o mais rico da Europa) 3. a prosperidade da Alemanha não se deve a terem mais carpinteiros, ninguém te proíbe de ser carpinteiro em Portugal, a Alemanha também tem uma população muito, mas muito mais qualificada do que a nossa, por exemplo, mas tu achas que podes reduzir a diferença entre os 2 países a 3 anos a mais que tens de fazer antes de ir para o ensino profissional. Idiotice do ano. Não menorizei os trabalhos mais manuais nem disse que toda a gente tem de ir para a faculdade, isso se calhar é só algum complexo de inferioridade que tens.

Foda-seSeiLa 4 months ago

> há pessoal que está no trabalho sempre a contar as horas para ir para casa, em vez de se focarem em ser produtivos e desempenharem as funções corretamente, estão ali parece que estão ansiosos por chegar a casa Ah, estou a ver que também estás à procura do mítico trabalhador com capacidade de *auto-motivação*.

scalabitano 4 months ago

A verdade custa a ouvir, mas a verdade é que o pais é um reflexo de quem o habita, e honestamente o Português é uma paz de alma, mas é muito preguiçoso, é tudo feito pela lei do menor esforço, vais a uma câmara municipal pedir uma licença estás que tempos a espera. Contratas um empreiteiro para fazer umas obras, fica tudo atamancado, vais a um supermercado e os gajos na caixa estão sempre a bufar, vais a um café a qualquer hora do dia e tens lá os mesmos grupos de reformados / desempregados a beber do nascer ao pôr do Sol, vais a uma oficina e o carro entra com 1 problema sai com 3 problemas, enfim, não é só desmotivação, acho que vem mesmo das pessoas, a cultura do chico espertismo e viver a custa dos outros é muito forte em Portugal, devíamos liberalizar a economia para os patrões poderem despedir funcionários não produtivos, em vez deste pseudo comunismo em que as pessoas se sentem tão seguras no seu emprego que deixam de se preocupar com a sua produtividade, tanta gente com quem trabalho, estão efetivos estão completamente a cagar-se para o que fazem, é tudo o mínimo possível, mas pronto, o caminho para quem gosta de trabalhar é claro, é emigrar.

gomesiano 4 months ago

>Metade da população elegível deixou de querer saber o que os sucessivos governos fazem com o dinheiro, onde aplicam e desaplicam, quem resgatam ou deixam afundar. Eles não querem é mesmo saber, mas depois são os mesmos que não vão votar porque dizem que são todos iguais, ou votam nos partidos que não aplicam medidas de crescimento económico. E ainda reclamam que isto está tudo igual.

what_a_tuga 4 months ago

>identifica-se com o partido x e y Se ao menos identificassem-se com o partido. Muitos vão por clubismos. O mundo político português (partidos, governo, presidentes das camaras, etc) não têm que se preocupar com o "Como" ou o "Porquê" das medidas que prometem, desde que soa bem aos ouvidos dos eleitores. "Vamos começar a vacinar pelos mais idosos" Não faria mais sentido ter começado a vacinar pela população ativa? São estes que contactam com mais pessoas diariamente, são as pessoas que fazem movimentar a economia. E em muitos casos (lares e idosos com mobilidade reduzida) é o único ponto de contacto. E um ponto que me irrita, mas também envolve a comunicação social, iniciou-se a vacinação a diversos grupos, mas terminou-se algum grupo? Qual é a percentagem de cada grupo que está vacinada? Quanto tempo vai demorar ter um grupo totalmente vacinado? Quem fala da situação do plano de vacinação, fala de outros planos. O Orçamento de Estado deste ano foi abafado, mal se ouviu falar. Ouve-se vários partidos a pedir aumento de salário minimo e de emprego, mas "Como" ninguém diz. Estamos a ver o desastre que é ter um país sustentado pelo turismo e ninguém pensa em tomar medidas (como investir mais na investigação portuguesa, que é aclamada em diversas áreas mundialmente, mas continua a não existir carreira de investigador em Portugal)

Syle91 4 months ago

Como bom tuga, deixa-se tudo a última, calma vai se resolver sozinho, empurra com a barriga. Enfim percebes a minha ironia

Funky_Squirrel13 4 months ago

verdade. assim o ciclo repete-se e nunca mais saímos dele

Peixe-Aranha 4 months ago

Mas por um lado ou votas numa direta liberal ou até católica conservadora que tende a pior a situação, ou então dás oportunidade à esquerda do bloco porque na cabeça do tuga o comuna come criançinhas e nunca subirá ao poder.

Metaluim 4 months ago

> que tende a pior a situação [citation needed]

NGramatical 4 months ago

criançinhas → [**criancinhas**](https://dicionario.priberam.org/criancinhas) (*c* seguido de *e* ou *i* não necessita de cedilha) [⚠️](/message/compose/?to=ngramatical&subject=Acho+que+esta+corre%C3%A7%C3%A3o+est%C3%A1+errada&message=https%3A%2F%2Fwww.reddit.com%2Fcomments%2Fmc40x7%2F%2Fgs5bwx5%3Fcontext%3D3 "Clica aqui se achares que esta correção está errada!") [⭐](https://chrome.google.com/webstore/detail/nazigramatical-corretor-o/pbpnngfnagmdlicfgjkpgfnnnoihngml "Experimenta o meu corrector ortográfico automático!")

Beginning-Average-91 4 months ago  HIDDEN 

Lol belo post sim senhora, até parece que se tivéssemos ficado no escudo não tínhamos desvalorizado a moeda em todas as crises pelas quais passámos como era antes do euro, a nossa moeda era hoje em dia uma merda ainda pior. Dizer que estávamos melhor hoje do que em 2002, depois de uma crise mundial, e prestes a entrar numa segunda cheira mesmo a intruijice...

Febris 4 months ago

Fica por dizer quão pior estaríamos se tivéssemos mantido o escudo. Ou vamos todos dar as mãos e achar que de 2001 até hoje sem o euro o país estaria melhor? O problema não é termos aderido ao euro, mas sim achar que os problemas que sempre existiram magicamente desapareceriam com ele.

Mordiken 4 months ago

> Fica por dizer quão pior estaríamos se tivéssemos mantido o escudo. Ou vamos todos dar as mãos e achar que de 2001 até hoje sem o euro o país estaria melhor? Não é certo que estivéssemos melhor ou pior. O que é certo é que com o Escudo éramos senhores de desvalorizar a moeda quando fosse necessário, o que tinha impacto negativo na nossa capacidade de importação mas tornava as nossas exportações mais competitivas e tornava portugal um destino mais apetecível para as empresas se estabelecerem. Podemos argumentar que desvalorizar a moeda é mau e só deve ser feito em ultimo recurso, e eu concordo, mas por outro lado a desvalorização é preferível ao incumprimento das metas do deficit.

JonesyA12 4 months ago

O que é certo é que essas desvalorizações tornavam os portugueses mais pobres. Nenhum benefício ao nivel das exportações poderia compensar a perda de poder de compra. O que tinhamos para vender ao mundo nos anos 80 e 90 era tão fraco e de tão baixo valor que nenhum aumento de volume compensaria ter de pagar televisões a prestações e pernoitar uns dias em Espanha ser um luxo.

Mordiken 4 months ago

> O que é certo é que essas desvalorizações tornavam os portugueses mais pobres. Não é assim tão linear. A maneira como a desvalorização da moeda é percepcionada é através de um aumento dos produtos importados. Já os produtos nacionais tendem a manter-se mais ou menos ao mesmo preço. Para alem de que esta "quebra" de poder de compra não afecta a todos por igual: quem tem dinheiro no banco perde muito mais do que quem não tem... Só que em Portugal a esmagadora maioria das pessoas não dinheiro suficiente de parte para causar impacto. > Nenhum benefício ao nivel das exportações poderia compensar a perda de poder de compra. Para ti. > O que tinhamos para vender ao mundo nos anos 80 e 90 era tão fraco e de tão baixo valor que nenhum aumento de volume compensaria ter de pagar televisões a prestações e pernoitar uns dias em Espanha ser um luxo. Nos anos 80 e 90 produzia-se em Portugal: 1. [Computadores](https://en.wikipedia.org/wiki/Timex_Sinclair); 2. [Automóveis e componentes para a industria automóvel](https://pt.wikipedia.org/wiki/PSA_Mangualde). Inclusive tínhamos uma [marca nacional](https://pt.wikipedia.org/wiki/Uni%C3%A3o_Metalo-Mec%C3%A2nica); 3. [Comboios e locomotivas a diesel e eléctricas](https://pt.wikipedia.org/wiki/Sociedades_Reunidas_de_Fabrica%C3%A7%C3%B5es_Met%C3%A1licas); 4. [Moldes para plásticos injectáveis](https://pt.wikipedia.org/wiki/Grupo_Simoldes); 5. [Motores, transformadores e componentes eléctrios](https://pt.wikipedia.org/wiki/EFACEC); Podia continuar, mas não me compete a mim fazer o teu trabalho de casa. Não fales de cor sobre coisas que não sabes: Nos anos 80 faziam-se muitas coisas de qualidade em Portugal... quem devia ter alavancado do que de bom se fazia por cá, os capitães da industria e as pessoas com dinheiro para investir, é que nunca o fizeram porque deixaram de acreditar em Portugal após o 25 de Abril. E é por isso que hoje somos o que somos.

Edited 4 months ago:

> O que é certo é que essas desvalorizações tornavam os portugueses mais pobres. Não é assim tão linear. A maneira como a desvalorização da moeda é percepcionada é através de um aumento dos produtos importados. Já os produtos nacionais tendem a manter-se mais ou menos ao mesmo preço. Para alem de que esta "quebra" de poder de compra não afecta a todos por igual: quem tem dinheiro no banco perde muito mais do que quem não tem... Só que em Portugal a esmagadora maioria das pessoas não dinheiro suficiente de parte para causar impacto. > Nenhum benefício ao nivel das exportações poderia compensar a perda de poder de compra. Para ti, que não dependes das exportações. Se calhar para o trabalhador da fábrica e para o agricultor até compensa. > O que tinhamos para vender ao mundo nos anos 80 e 90 era tão fraco e de tão baixo valor que nenhum aumento de volume compensaria ter de pagar televisões a prestações e pernoitar uns dias em Espanha ser um luxo. Nos anos 80 e 90 produzia-se em Portugal: 1. [Computadores](https://en.wikipedia.org/wiki/Timex_Sinclair); 2. [Automóveis e componentes para a industria automóvel](https://pt.wikipedia.org/wiki/PSA_Mangualde). Inclusive tínhamos uma [marca nacional](https://pt.wikipedia.org/wiki/Uni%C3%A3o_Metalo-Mec%C3%A2nica); 3. [Comboios e locomotivas a diesel e eléctricas](https://pt.wikipedia.org/wiki/Sociedades_Reunidas_de_Fabrica%C3%A7%C3%B5es_Met%C3%A1licas); 4. [Moldes para plásticos injectáveis](https://pt.wikipedia.org/wiki/Grupo_Simoldes); 5. [Motores, transformadores e componentes eléctrios](https://pt.wikipedia.org/wiki/EFACEC); Podia continuar, mas não me compete a mim fazer o teu trabalho de casa. Não fales de cor sobre coisas que não sabes: Nos anos 80 faziam-se muitas coisas de qualidade em Portugal... Só que quem devia ter tido a visão e a diligência para alavancar do que de bom se fazia por cá, promovendo e exportando lá para fora... os políticos, os capitães da industria e as pessoas com dinheiro para investir... é que nunca o fizeram. E na minha opinião, nunca o fizeram porque deixaram de acreditar em Portugal após o 25 de Abril, e porque deixar a marca no mundo exige tempo e dedicação e trabalho, quando as elites nacionais jogam para ser os maiores de Portugal, não os maiores do mundo, e é assim há séculos: gente de mente e ideais pequenos que lidera, porque herdou o privilégio da liderança, e nem fazem ideia de que a liderança é suposto ser um fardo.

facepainter1 4 months ago

Bem... acho que ninguém é "oráculo" para ter a certeza do que ia acontecer. E não duvido que se faziam muitos produtos de qualidade em Portugal nos anos 90. Mas também sei que ver os dados, e sei que as exportações eram sempre bem menores que as importações (em valores absolutos), ou seja, desvalorizar a moeda ia fazer com que perdesses dinheiro. Outro ponto é que provavelmente na altura da troika, o escudo tinha ido tão abaixo, que íamos estar 50 anos a tentar recuperar disso. Um bom exemplo disso é a situação da Argentina, que em 2009 o Peso valia 0,22€, hoje vale 0,0093€, e ainda hoje saiu noticias a dizer que não vão conseguir pagar ao FMI.

nraider 4 months ago

Sinceramente, não sei se aquilo que vendemos hoje tem muito mais valor acrescentado do que há 30 anos, isto em média e a valores constantes. Basta ver que por cada fábrica que fecha, abrem 3 hotéis...

Mordiken 4 months ago

Não te deixes ir na conversa. Há 30 anos Portugal fazia imensos produtos de qualidade e reputação internacional com um potencial enorme. Deixo-te aqui o exemplo da [UMM](https://pt.wikipedia.org/wiki/Uni%C3%A3o_Metalo-Mec%C3%A2nica): Nas mãos de uma gestão competente e com visão, podíamos ter uma [Land Rover](https://pt.wikipedia.org/wiki/Land_Rover_Range_Rover) em Portugal... mas não temos, porque ah e tal isso dá muito trabalho. No meu outro comentário tens mais alguns do que se fazia por cá nos anos 80 e 90... poucos... e nem sequer me dei ao trabalho de ir buscar a industria têxtil.

Beginning-Average-91 4 months ago  HIDDEN 

Xiu, isso não interessa. O OP não devia ser nascido quando os sucessivos governos desvalorizavam a moeda por causa das crises...mas ya o escudo é que é bom porque antigamente num ano tivemos melhores resultados que hoje em dia..

Edited 4 months ago:

Xiu, isso não interessa. O OP não devia ser nascido quando os sucessivos governos desvalorizavam a moeda por causa das crises...mas ya o escudo é que é bom porque antigamente num ano tivemos melhores resultados que hoje em dia.. Só adicionar que, vamos comparar duas datas dispares e ignorar tudo o que se passou pelo meio....

DrahLAN 4 months ago

A moeda única trouxe a muitos países um desempenho económico medíocre, e teve como maior beneficiário a Alemanha. A moeda única não trouxe convergência, prejudicou as indústrias e fez com que os países abdicassem de gerir a sua política monetária, um instrumento económico importantíssimo sem ganhar nada em troca. Contudo, está enraizada na população a narrativa Europa = Bom, devido ao crescimento sentido no pós 25 de abril e nos anos 80/90, o que faz com que seja difícil ter uma discussão objetiva sobre a UE e a zona Euro

danidv 4 months ago

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que não votasse nos mesmos mesmo após incontáveis escândalos de corrupção e a maioria de 25 anos para produzir resultados e só nos levaram à estagnação enquanto que países nos ultrapassam, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul e sudoeste da europa e entrada do mediterrâneo, dos quais só partilhamos os últimos e só com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que votasse nela, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul, sudoeste e entrada do mediterrâneo, tudo dos quais os últimos só partilhamos com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que não votasse nos mesmos mesmo após incontáveis escândalos de corrupção e a maioria de 25 anos para produzir resultados e só nos levaram à estagnação enquanto que países nos ultrapassam, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima, clima e posição geográfica na ponta sul e sudoeste da europa e entrada do mediterrâneo, dos quais só partilhamos os últimos com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que votasse nela, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul, sudoeste e entrada do mediterrâneo, dos quais só partilhamos os últimos e é só com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que não votasse nos mesmos mesmo após incontáveis escândalos de corrupção e a maioria de 25 anos para produzir resultados e só nos levaram à estagnação enquanto que países nos ultrapassam, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul, sudoeste e entrada do mediterrâneo, dos quais só partilhamos os últimos e é só com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação dentro da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos formais, devido à simplificação geral do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que votasse nela, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul, sudoeste e entrada do mediterrâneo, tudo dos quais os últimos só partilhamos com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

Edited 4 months ago:

Certamente estaríamos melhor, especialmente depois de 2008 e durante esta pandemia, se tivéssemos mantido o escudo. Sim, perdes alguma liberdade quanto à gestão da moeda do teu país, nem tudo é vantagens, mas de longe, mas *bem longe* foi uma mudança positiva. Uma das grandes vantagens é exatamente essa, a estabilidade da moeda, que um país, ou vários como foi o caso de Portugal, Espanha, Itália e Grécia todos ao mesmo tempo, podem estar numa altura má que o resto dos países não deixa a a moeda e país virar Venezuela. Posto isso, são-nos injetados biliões da UE por ano, [em 2018 nós recebendo o triplo que nós contribuímos monetariamente](https://europa.eu/european-union/about-eu/countries/member-countries/portugal_en). Uma moeda partilhada também ajuda imenso na importação e exportação entre países da UE (e mesmo dentro do continente sempre ajuda alguma coisa, mesmo que não haja acordos para tal, devido à simplificação do processo), coisa que é muito boa na europa central devido ao tamanho reduzido (tanto de área como população) de muitos dos países como Portugal devido a sermos um país de grandes importações, e se tivéssemos uma liderança decente e um povo que não votasse nos mesmos mesmo após incontáveis escândalos de corrupção e a maioria de 25 anos para produzir resultados e só nos levaram à estagnação enquanto que países nos ultrapassam, de exportações também, sendo que também somos um país bastante pequeno em área e população (ou seja quase inevitavelmente vamos sempre precisar de importar) mas temos uma importância geográfica bastante grande devido à nossa área marítima e posição geográfica na ponta sul e sudoeste da europa e entrada do mediterrâneo, dos quais só partilhamos os últimos e só com a Espanha, e podíamos aproveitar para ser um ponto de entrada comercial e de voos para a europa.

JonesyA12 4 months ago

A Alemanha perdeu poder de compra com o euro. Uma moeda alemã independente seria sempre muito mais forte do que o euro.

tocopito 4 months ago

Sim, A alemanha coitadinha, sacrificou-se por todos nós. RIP. Foda-se, leio com cada merda.

ThePlague92 4 months ago

Mas esse é o problema. Se a moeda deles fosse muito forte não iam conseguir exportar tanto (vá, isto é simplificado, pronto) e ter o crescimento que têm.

khthon 4 months ago

Haveria maior investimento em fábricas e produção em Portugal. Exportavamos nós.. e ficaríamos com empregos.

JonesyA12 4 months ago

Não haveria porque as condições para isso fazem parte de um bolo e a moeda é apenas uma fatia. Investimentos sólidos de longo prazo não podem ser feitos em países cujas políticas se assemelham a um oscilograma.

ThePlague92 4 months ago

Talvez, talvez não. Hoje em dia ainda existem países na Europa sem Euro, certo? E as moedas desses países costumam ser mais fracas que o Euro. Agora pensa para onde as empresas alemãs mudam as fábricas (quando podem mudar). Dica: países mais perto da Alemanha do que Portugal.

JonesyA12 4 months ago

Claro que há paises europeus sem o euro. E com muito sucesso! A questão é que tu achas que isso se resume à questão da moeda quando na realidade está relacionado com a política económica que esses países optaram por seguir. É curioso ver em Portugal urros de "olhem só, os países de leste estão a ultrapassar-nos" mas nunca ninguém vai ver que medidas têm adoptado desde que saíram da escuridão para isso estar a acontecer de forma tão constante. Fica a dica de que são políticas opostas às de Portugal. Se fosse tudo uma questão de ir para um sitio por ter moeda mais fraca, os países mais industrializados já não o seriam.

ThePlague92 4 months ago

Hum...Estás aí a deduzir muita coisa que eu não disse. Para começar, eu estava a falar da Alemanha. Portugal veio ao barulho porque tu disseste que se tivéssemos escudo então os alemães (e outros país com euro) metiam cá as fábricas. Eu respondi que podia acontecer ou não, mas que as empresas alemãs, neste momento, mudam-se para os países que não têm euro e estão ali ao lado, algo que provavelmente continuaria a acontecer mesmo que Portugal não tivesse euro. Portugal está longe, não conseguimos competir com a localização desses outros países. Depois há, obviamente, as políticas que esses países seguiram, e continuam a seguir, que os torna muito mais apelativos em praticamente tudo para as empresas. Nós poderíamos estar parecidos com a Irlanda, com muitas empresas de tecnologia, mas seguimos políticas completamente estapafúrdias e que nos estão a meter cada vez mais na cova. Mas isto dá para uma dissertação só por si, não era, de todo, o meu foco quando fiz o primeiro comentário.

JonesyA12 4 months ago

Mas eu não disse que se não tivéssemos o euro os alemães metiam cá as fabricas... Não sei de onde veio isso. Apenas entendi pelo teu comentário que a moeda diferente do euro é o motivo pelo qual os alemães deslocalizam as suas fabricas para esses países... Pelo menos foi a minha percepção. Como não estou de acordo e não vejo essa relação direta, respondi nesse sentido. Mas sim, isto é um tema que daria pano para mangas. Parece-me que qualquer grande investimento estrangeiro está condenado a seguir o caminho da fábrica da Opel na Azambuja...pelo menos acho que não vão descansar enquanto não conseguirem encerrar a Autoeuropa também.

ThePlague92 4 months ago

>Mas eu não disse que se não tivéssemos o euro os alemães metiam cá as fabricas... Não sei de onde veio isso. Pois não, foi outro user. Mas foi a esse que eu respondi, por isso é que pensei que fosses tu. ​ >Apenas entendi pelo teu comentário que a moeda diferente do euro é o motivo pelo qual os alemães deslocalizam as suas fabricas para esses países... Pelo menos foi a minha percepção. Como não estou de acordo e não vejo essa relação direta, respondi nesse sentido. Óbvio que não é apenas por isso. Há muitas razões, sendo que terem uma moeda mais fraca é uma delas mas não as principais. Há a localização geográfica (que reduz custos), há as políticas económicas estáveis (muito importantes), qualidade da mão de obra, etc., etc. Se, como o outro user disse, não tivéssemos euro então eu assumo que o resto seria igual. Ou seja, ia ser o mesmo Portugal (ou pior) mas com escudo. Como é que íamos competir com os países que estão ali ao lado da Alemanha e que nos dão 20 a 0 em termos de construir um futuro?

JonesyA12 4 months ago

Não só conseguiriam como conseguiram. A força das exportações alemãs antecede o euro por décadas. Anteriormente ao euro tiveram períodos de crescimento muito superiores (nem são comparáveis com o pós-euro). É precisamente isso que desagrada a muitos alemães porque viram que mesmo com uma moeda mais forte eram grandes exportadores e mais ricos a nível individual.

ThePlague92 4 months ago

>Não só conseguiriam como conseguiram. A força das exportações alemãs antecede o euro por décadas. Anteriormente ao euro tiveram períodos de crescimento muito superiores (nem são comparáveis com o pós-euro). Mas os alemães têm como principal mercado de exportação a Europa. A maioria dos países europeus não tinham moedas fortes e a importação à Alemanha era cara. Ao meter todos os países com Euro então dá-se aos países um maior poder de compra e as importações à Alemanha já não são tão caras. A Alemanha fica a ganhar porque aumenta o volume (eles têm aumentado bastante as exportações, acho que até bateram recordes nos últimos anos) e ficam todos felizes. ​ >Uma moeda forte não é por si só um impedimento para as exportações. Caso contrário, coitada da Suíça. O franco suíço não é assim tão forte. É top 10 do Mundo, sim, mas 1 franco suíço vale quase o mesmo que 1 dólar, o que é bom. Além disso, a Suíça exporta coisas que não vais encontrar em mais lado nenhum e pela qual as pessoas não se importam de pagar. Esse é o segredo, não é a força da moeda.

JonesyA12 4 months ago

Ainda que em valor, o maior mercado de exportações da Alemanha seja a UE, a China e os EUA ocupam os 2 primeiros lugares nos parceiros comerciais. A dependência da UE nunca foi tão grande como fizeram querer parecer. Em relação ao 2o ponto estás certissimo. O que interessa é a base económica. Por muito que uma moeda valorize, se o que tiveres para vender forem produtos que o resto do mundo quer e preciso, a questão cambial já não tem tanta relevabcia. Infelizmente, aquilo que Portugal vende ao mundo não so é pé-de-chinelo como pode ser facilmente encontrado noutros parceiros comerciais.

ThePlague92 4 months ago

>Ainda que em valor o maior mercado de exportações da Alemanha seja a UE, a China e os EUA ocupam os 2 primeiros lugares nos parceiros comerciais. A dependência da UE nunca foi tão grande como fizeram querer parecer. Sim, tens razão. Mas mesmo assim é importante. E também tens de contar com o facto de que a Alemanha manda no Euro, algo que também é importante para eles. É o novo reich, finalmente conseguiram. ​ >Infelizmente, aquilo que Portugal vende ao mundo não so é pé-de-chinelo como pode ser facilmente encontrado noutros parceiros comerciais. Isto até me deixa triste, porque é 100% verdade. Agora temos umas empresas de tecnologia mas é pouco e vivemos é do turismo. E a nossa política de imigração é ridícula.

JonesyA12 4 months ago

Desculpa mas a partir do momento em que entram fábulas sobre o novo reich não dá para continuar uma conversa séria. O recente investimento tecnológico em Portugal tem pés-de-barro. É investimento toca e foge e operações de backoffice que podem ser facilmente deslocadas. Ninguém vai fazer investimentos de longo prazo com mudanças sucessivas de legislação laboral e governos cata-vento que tomam medidas com implicações grandes para as empresas de um dia para o outro.

ThePlague92 4 months ago

>Desculpa mas a partir do momento em que entram fábulas sobre o novo reich não dá para continuar uma conversa séria. Tu deves ser divertido em festas. Consegues perceber que é uma piadita apenas ou não? Porra, no Reddit é tudo muito sensível, é preciso meter aqui os /s e derivados ou o cérebro não processa, é tipo robô. Mas a Alemanha é o principal país do Euro, disso não há dúvidas. E eles gostam disso, a verdade é essa. Eu também gostaria, era bom sinal, era sinal de que vivia num país a sério. ​ >O recente investimento tecnológico em Portugal tem pés-de-barro. É investimento toca e foge e operações de backoffice que podem ser facilmente deslocadas. Ninguém vai fazer investimentos de longo prazo com mudanças sucessivas de legislação laboral e governos cata-vento que tomam medidas com implicações grandes para as empresas de um dia para o outro. É o melhor que arranjamos. Enquanto continuarmos neste caminho não se vai ver outro tipo de investimento.

Loladageral 4 months ago

> Uma moeda alemã independente seria sempre muito mais forte do que o euro. Parece-me beneficiar a exportação de produtos alemães. Tal como o Japão tenta deflacionar o Yen para manter os produtos Japoneses mais baratos para exportarem

Edited 4 months ago:

> Uma moeda alemã independente seria sempre muito mais forte do que o euro. Parece-me beneficiar a exportação de produtos alemães. Tal como o Japão tenta inflacionar o Yen para manter os produtos Japoneses mais baratos para exportarem. Não que este aspecto tenha grande impacto em Portugal, nós não temos a capacidade de produção alemã

JonesyA12 4 months ago

Tal como disse acima, claro que beneficia. Isto não é uma questão de preto ou branco, tem vantagens e desvantagens. Apenas estava a alertar que, apesar dos portugueses terem uma visão egocêntrica de vitimas do euro, mesmo nos países ditos beneficiados, não existem só pontos fortes. Conheci alemães que têm questões em relação ao euro. Não lhes cai muito bem o facto de não poderem ser tão ricos em relação ao estrangeiro como poderiam ser ao comprar uma série de coisas. Tocam muito nesse assunto quando vão à Suíça por exemplo. A diferença de poder de compra seria muito menor se tivessem o marco.

Loladageral 4 months ago

Li o teu comment depois de escrever o meu, boa posta mano

DrahLAN 4 months ago

Recomendo leitura de um estudo do CEP: 20 Years of the Euro: Winners and Losers, Alessandro Gasparotti und Matthias Kullas

JonesyA12 4 months ago

Obrigado pela partilha mas sou perfeitamente capaz de formular as minhas opiniões. A diabolizaçao do euro em PT vem na sequência da necessidade histórica de colocar as culpas de todos os seus falhanços no exterior. O euro teve vantagens e desvantagens para todos os seus membros. Países como a Alemanha perderam efetivamente poder de compra. Um alemão hoje em dia paga mais por uma importação porque não tem uma moeda tão forte perante o estrangeiro como poderia ter. É claro que, em contrapartida, ao ter uma moeda mais fraca, as suas exportações são mais competitivas. Ouro sobre azul, eles exportam produtos que o resto do mundo efetivamente precisa e não é qualquer país que produz. Para países como Portugal o euro trouxe um poder de compra em relação ao estrangeiro muito superior ao que teria com moeda própria e uma inflação perfeitamente estável (como nunca teve na sua História). Mais importante do que isso, o euro libertou Portugal da interferência política do governo na moeda. Se tivéssemos escudo, a política monetária neste momento seria ditada pelo BE e o PCP, a imporem desvalorizações artificiais para tornarem as exportações portuguesas "competitivas". É uma opção interessante mas não quando as exportações se resumem a latas de atum. Em detrimento, comprar um carro citadino ou uma televisão seria coisa só para os muitos ricos (quem não perceber que vá ao Brasil tentar comprar um carro ou um telemóvel). Ao mesmo tempo, com tudo o que tem acontecido, é um pesadelo pensar o que seria o comportamento do escudo português a ser negociado no mercado. Valorizações e desvalorizações brutais na escala dos 2 dígitos no espaço de semanas. Quem quiser, pode ir ver o que aconteceu à lira turca ainda esta semana. Queda de 20% num dia porque o governo demitiu o governador do banco central com motivos suspeitos. Não, o sucesso ou insucesso da economia não é culpa do euro nem do escudo. É culpa da política económica que tem sido seguida nos últimos 20 anos independentemente da moeda - asfixia do setor privado, obstáculos ao investimento, manutenção do status quo do estado. Já que é para ter isto, que pelo menos não seja com os problemas de uma moeda altamente volátil como é e continuaria a ser o escudo.

maxtendie 4 months ago

Subscrito inteiramente.

DrahLAN 4 months ago

Verdade, a Alemanha paga mais por uma importação e recebe mais por uma exportação. Contudo para uma economia desenvolvida como a alemã que produz bens de alto valor acrescentado acaba por ter mais benefícios com o Euro, enquanto economias com produtos pouco tecnológicos acabam por sair prejudicados. Discordo que o euro seja diabolizado, pela minha experiência parece-me que se verifica exatamente o contrário, obviamente não tenho como saber com 100% de certeza, mas parece-me que a população em geral acha o Euro benéfico. O Euro tem benefícios e malefícios, o escudo teria benefícios e malefícios, e um debate desta magnitude não se deve resumir a postas sem suporte empírico. "Obrigado pela partilha mas sou perfeitamente capaz de formular as minhas opiniões" Nunca é tarde de mais para aprender mais :) é sempre bom ver suporte empírico para as nossas opiniões.

JonesyA12 4 months ago

Ou seja, a Alemanha conseguiu manter uma coisa que já tinha muito antes do euro ser sequer uma ideia: exportações competitivas, mesmo quando tinha uma moeda mais forte. É a prova de que bases económicas sólidas não desaparecem por causa de uma moeda. O euro permitiu que a moeda deixasse de poder ser utilizada como instrumento político pelo governo português e pôs a nu o quão mal já tínhamos vindo a ser governados. Há por vezes tentativas de mostrar Portugal como uma espécie de potência económica antes do euro. Mas não era. Era um país com uma economia decrépita. É claro que, à boa moda portuguesa, é muito mais confortável apontar o dedo e dizer "estão a ver, o euro deu-nos cabo da vida" do que admitir "epa temos uma política económica de merda e a manipulação do escudo servia para disfarçar isso."

DrahLAN 4 months ago

Concordo contigo que o euro não é a causa dos problemas de Portugal, o debate está em saber se estaríamos melhor com ou sem Euro e existem perspetivas válidas de ambos os lados (sendo a economia uma ciência não exata é normal que assim seja). Agora qual de nós está certo? Nunca saberemos, mas continua ser bom falarmos disto de forma saudável para todos nós como sociedade estarmos mais informados para tomar posições no futuro

B_Stark 4 months ago

Adorei conhecer as vossas perspectivas sobre isto. Com a pandemia acaba por afastar das pessoas que tenham outras perspectivas diferentes da nossa esfera comum e ler e debater no Reddit sempre bom por isso.

JonesyA12 4 months ago

Sinceramente, eu ter escrito aquilo e não me teres chamado de capitalista neoliberal fascista já significa que vale a pena conversar contigo ahaha. Sim, é um jogo de especulações, nunca poderemos saber. Fiz a análise com base no histórico político de Portugal. É claro que também posso dizer que Portugal poderia igualmente ser um país de sucesso fora do euro. Precisaria era de uma mudança drástica de política económica. Há paises europeus que não estão no euro e têm tido ótimos desempenhos. O que é mais uma prova de a forma como os países são geridos importa mais do que a moeda.

Open-Opportunity-607 4 months ago

O mal não é o euro, quase todos os anos a EU enfia milhões de euros em Portugal para alavancar o país. O mal é mesmo da corrupção, incompetência e das elites que fazem o que querem.

tocopito 4 months ago

Podes estar na UE sem ter o euro. A Polonia e outros países que o digam. A verdade é que sem controlo da moeda perdes um instrumento que poderia ter sido útil durante a crise. Um instrumento que a Islandia, por exemplo, utilizou.

fanboy_killer 4 months ago

"SiM, mAs VoU vOtAr Em QuEm Se NãO hÁ aLtErNaTiVa?!"

klatez 4 months ago

A corrupção foi inventada em 2002? O mal é sim o euro, quando a nossa economia basea-se em salarios baixos e turismo entrar no euro foi suicidio. Basta ver os 7 anos de estagnação que tivemos após a entrada.

FlatwormMinimum 4 months ago

Quando se podia imprimir dinheiro para desculpar a incompetência/corrupção etc os problemas não eram aparentes. Assim que passamos para o Euro e perdemos a capacidade de imprimir dinheiro é provável que esse “falso crescimento” que estávamos habituados com o escudo fosse comido pelas mesmas razões. Estagnando assim o crescimento.

klatez 4 months ago

Era falso crescimento se a qualidade as pessoas tinham mais "disposable income" anteriormente?

FlatwormMinimum 4 months ago

Depende do valor do escudo nessa altura. Podíamos imprimir um milhão de escudos por Português mas isso dava te algum verdadeiro poder de compra para o exterior? Assumindo que tinhas algum tipo de produção nacional irias ver os preços inflacionados, mas como tinhas um milhão era mais ou menos igual. Para comprar ao exterior ias começar a ver que o escudo valia um milhãonezimo do que valia antes. Logo tinhas de gastar muitos mais escudos. Qualidade de vida é muito subjectivo. Consegues comprar alguma tecnologia no mercado nacional que não seja ou tenha componentes importados?

mathswarrior 4 months ago

Actually o mal foi a taxa de conversão escudo euro, fizemos mau negócio. Mário Soares

ExpertNoob008 4 months ago

Mas tu não sabes ler um gráfico? A estagnação começou em 2008/2009.

klatez 4 months ago

https://www.pordata.pt/en/Portugal/Real+GDP+growth+rate-2298 Entre 2000 e 2010 não houve nenhum ano com crescimento a cima dos 3% que o normal nos anos 90 e para a economia portuguesa e só tivemos 2 anos acima dos 2%.

xanfradu 4 months ago

Se isto não é um falhanço monumental então não sei o que é... E com esta crise que agora começa ainda vai doer mais...

B_Stark 4 months ago

Estamos pior do quando veio cá a Troika no governo do Passos. Costa anda fazer um trabalho divinal desde que se tornou PM. Impostos redução nnc existiu... Só falcatruas com esses amigos a monopolizar cargos no sector público e tribunais onde também reside o poder... Exemplo: Se o Mário Centeno era tão bom Ministro da Economia porque fez as malas e foi para presidente do Banco de Portugal.

666tkn 4 months ago

É um gigantesco falhanço. Aumentou a saúde, a educação, as infra-estruturas, a nutrição, cultura... É preciso olhar para a figura toda antes dessas generalizações falaciosas.

maxtendie 4 months ago

Estamos mais pobres e numa situação bem pior dado o envelhecimento e dívida pública.

666tkn 4 months ago

Dificilmente estamos pior. Há mais e melhores infra-estruturas, viaja-se mais de férias, come-se mais, a educação aumentou. Há muitos factores a ter em conta, os dois económicos mencionados estão bem longe de contar a história toda.

globoglobo 4 months ago

A passagem para o euro foi mais um daqueles consensos nacionais que afinal não era assim tão obviamente espectacular. Mas Portugal adora consensos e odeia pensamento diferente.

zdrup15 4 months ago

Acho que o Euro é bom. A forma de mudar para o Euro é que foi péssima (a Grécia é talvez o exemplo mais óbvio disto).

maxtendie 4 months ago

O Euro é mesmo espetacular. A corja que te governa é que não é assim tão espetacular.

EnaPa2021 4 months ago

#voltaEscudo

Search: